Issuu on Google+

A1

04 DE JANEIRO DE 2013

S E XTA- F E I RA, 0 4 D E JAN E I R O D E 2 0 1 3 - E D I Ç Ã O 8 7 2

SEXTA-FEIRA

nº 872, ANO 9

R$ 2,00

Divilgação

POLÍTICA

Sessão solene empossa prefeito eleito de Arapoti

Nesta terça-feira (1º), a câmara municipal de Arapoti realizou a sessão solene de posse do prefeito Braz Rizzi (DEM), de sua vice, Rosi Rogenski Ferreira (PSB) e dos vereadores PÁGINA A3

EDUCAÇÃO Matrículas do Sisu abrem na próxima segunda A primeira chamada de selecionados está prevista para o dia 14. Os convocados devem providenciar a matrícula nos dias 18, 21 e 22. A segunda chamada será divulgada no dia 28 deste mês, com matrícula em 1°, 4 e 5 de fevereiro. PÁGINA A2

COPEL

divulgação

4 milhões de unidades atendidas em 2012 Entre as principais conquistas do ano que passou, a companhia alcançou a marca de quatro milhões de unidades consumidoras atendidas diretamente em seu mercado PÁGINA A6 cativo

habitação

Governo do Paraná vai construir 45 casas em Ribeirão do Pinhal dIVULGAÇÃO

O projeto, cujo investimento é de aproximadamente R$ 1,4 milhão, tem por objetivo atender famílias com renda de um a três salários mínimos PÁGINA A6


ARTIGO

Por LEDA GAIVOTA

Cara pálida? Vergonha na cara, é um misto de princípios e honestidade. Bem, os princípios talvez possam variar um pouco de uma pessoa para a outra, mas boa parte deles tem relação com o coletivo, o que significa dizer que algumas coisas são inadmissíveis e outras são aceitáveis pela maioria das pessoas que vivem num mesmo grupo ou sociedade. Já a honestidade, tem relação com o conhecimento do que é verdade, do fato, e com os princípios, a moral, e as noções de direitos comuns a todas as pessoas agimos. Logo, vergonha na cara é saber discernir o que é aceitável e o inaceitável dentro do grupo social onde se vive, afinal ninguém vive sozinho e nossas atitudes devem ser pensadas de forma a contribuir com o todo, refletindo sobre os fatos, sobre quem somos como indivíduos e sobre quem somos como cidadãos. Vergonha na cara é aquela ardência, aquela vermelhidão que aparece na face (de quem a tem), quando confunde o que ser esperto e o que ser enganador, quando inventa uma desculpa para não oferecer um lugar para um idoso, ou quando fala de outra pessoa, sabendo que já cometeu erros maiores... Se essa ardência e vermelhidão ainda existem, é um bom sinal. A contaminação foi iniciada, mas ainda há salvação! Basta uma boa dose de auto-análise, um pouquinho de sinceridade para consigo mesmo e boa dose iniciativa para fazer o que certo, mesmo quando algumas vezes ficarmos em desvantagem por isso. Agora, se você atribui seus problemas a outras pessoas,

se o que você é depende do que os outros são, se pra você esperteza é obter vantagem, tirar proveito, fazer o mais fácil, pagar propina, colar na prova, pagar para alguém fazer seus trabalhos escolares, fingir-se gestante para ser atendida mais rápido, falsificar atestado para faltar ao trabalho, cobrar por um serviço que vai fazer mal feito, falar dos defeitos de outras pessoas sem olhar para os seus, se fazer de vítima quando já prejudicou outras pessoas e não se sente incomodado e nem o rosto fica vermelho, a coisa ta feia! A falta de vergonha na cara, cria a falsa sensação de que somos mais inteligentes, mais espertos e daí saímos exibindo uma arrogância ingênua e justificamos nossa falta de vergonha na luta pela sobrevivência, sem perceber que tudo isso é mais demonstração de incompetência e futilidade do que esperteza. Respeito a sem vergonhice alheia numa boa, afinal todos nós somos livres para ser como quisermos. Eu, prefiro ser essa boba que ainda pensa nos outros, que morreria de vergonha de dizer que tirei 10 numa prova colando, que prefere assumir a culpa pelo excesso de velocidade do que pagar para não levar a multa, que dou meu lugar no ônibus, que não vende o voto e que sobretudo conhece seus

ARTIGO

A2

oPiNião

S E XTA- F E I RA, 0 4 D E JAN E I R O D E 2 0 1 3 - E D I Ç Ã O 8 7 2

Por EDISON EVARISTO VIEIRA JUNIOR

Sobre a doação de medula óssea

P

ercebo em grande parte das pessoas, sobretudo no Brasil, uma característica não muito boa e inadequada a realidade social da civilização humana. Esta característica que se resume na omissão individual diante de situações importantes e a espera de que alguém faça o que o sujeito deveria estar fazendo e isto pode ser visto em inúmeras situações. A forma mais clara desta omissão está nas questões políticas, por exemplo, onde muitos reclamam das atitudes dos políticos, mas pouquíssimos fazem alguma coisa de fato, nem se for para enviar uma mensagem eletrônica de protesto à um parlamentar. Espera-se que outros façam. O mesmo ocorre com o lixo, onde muitos se livram dele nas vias públicas, pois não querem este lixo em suas residências e nem em seus veículos automotores, esperando que algo ou alguém afaste o lixo de sua presença. Esta forma de postura demonstra apenas a característica egoísta de muitas pessoas, além de educação débil. E o egoísmo não passa de uma característica de psiquismos pouco desenvolvidos, que coloca as questões individuais acima das questões coletivas de forma desequilibrada, sendo que o ideal é que questões coletivas e individuais estejam em equilíbrio. As questões coletivas devem prevalecer

em algumas situações e as individuais em outras, e no caso de luta por questões sociais, cabe a predominância da questão coletiva. Outra realidade que demonstra a prevalência das questões individuais é sobre a doação de medula óssea no Brasil. Todo ano milhares

ter custado a vida de pessoas amadas por outras pessoas. Eu me tornei um doador em 2009 quando uma colega de trabalho relatou-me um caso de leucemia de um parente com apenas cinco anos de idade. Não se encontrara doador entre os parentes e a famí-

procurar um hospital que seja um posto de doação. Um pouco do sangue será coletado e através deste sangue irão saber a que tipo de pessoa você é compatível. Seus dados ficarão em um cadastro chamado REDOME (Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea) e

...Não espere isto acontecer com você e mesmo que não seja compatível, esteja disponível para ajudar.

de pessoas são acometidas por doenças nas quais os pacientes necessitam de transplante de medula e não encontram doadores entre seus familiares. Muitos acabam perdendo a vida prematuramente e muitas vezes a salvação está bem próxima, no vizinho, no amigo,... mas por desconhecimento esta salvação não é praticada. Muitas pessoas não se habilitam em se tornar um doador por diversos motivos. Entre estes motivos está o desconhecimento, o medo de dor física e o descaso puro e simples. Infelizmente muitos só se dão conta da importância da doação quando algum ente querido bem próximo é acometido por esta necessidade. Então ele percebe que a omissão de muitos pode custar a vida da pessoa que ama, assim como a sua omissão pode

CHARGE DA EXTRA

lia lutava por encontrar um através de pedidos aos conhecidos e pela Internet. Apelei para amigos, parentes e outros colegas de trabalho e muitos se tornaram doadores. Infelizmente a criança veio a falecer após um penoso tratamento, pois não encontrara nenhum doador. Apesar de não ter sido compatível, minha medula está a disposição para que outras pessoas que tenham compatibilidade possam receber o transplante. Não espere isto acontecer com você e mesmo que não seja compatível, esteja disponível para ajudar. No Brasil o número de doadores ainda é baixo em vista do tamanho da população, bem diferente de países como Alemanha e Estados Unidos da América, por exemplo. Para se tornar um doador basta

quando surgir alguém compatível, você será chamado e somente ai é que o material da sua medula será coletado. Vale ressaltar que os dados devem estar sempre atualizados, pois alguns dias podem ser fatais e caso demorem para encontrar o doador, o paciente pode vir a falecer. Procure um local de doação mais próximo de você e torne-se um doador de medula óssea. Informese em algum hospital ou unidade básica de saúde em sua cidade. Aproveite e seja também um doador de sangue. Doe vida!

Comente o artigo www.JP5.com.br

Filme de terror

Comente o artigo www.JP5.com.br

EDUCAÇÃO

Matrículas do Sisu abrem na próxima segunda Os estudantes já podem conferir a oferta de vagas, localidade, instituição, cursos e turnos DAS AGÊNCIAS

A partir da segunda-feira (7) os candidatos a vagas na educação superior pública por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), poderão se inscrever pela internet. O período vai até o dia 11. Os estudantes já podem conferir a oferta de vagas, localidade, instituição, cursos e turnos. Na primeira edução deste ano, a oferta chega a 129.279 vagas, em 3.751 cursos. Ao todo, 101 instituições públicas de educação superior selecionarão estudantes por meio do Sisu. Concorrem às vagas os estudantes que participaram do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2012 e obtiveram nota na redação que não tenha sido zero. O candidato pode fazer até duas opções de curso. No momento da inscrição, terá de especificar, pela ordem de preferência, o curso ao qual pretende concorrer e de que forma — por meio de cotas decorrentes da Lei

nº 12.711, de 29 de agosto último, de outras políticas afirmativas adotadas pelas instituições participantes do sistema ou pela ampla concorrência. Ao longo do período de inscrições, que vai

até as 23h59 do dia 11 próximo, o estudante pode alterar ou cancelar as opções feitas. A primeira chamada de selecionados está prevista para o dia 14. Os convocados devem providen-

ciar a matrícula nos dias 18, 21 e 22. A segunda chamada será divulgada no dia 28 deste mês, com matrícula em 1°, 4 e 5 de fevereiro. Os estudantes que não forem

selecionados nas duas primeiras convocações podem aderir à lista de espera. As instituições de ensino participantes do Sisu usam essa lista para convocar candidatos a vagas remanescentes. O

prazo de adesão vai de 28 deste mês a 8 de fevereiro. Caso ainda haja vaga no curso de primeira opção, o candidato será convocado pela instituição que tenha a vaga disponível. DIvUlgAÇÃO

DIvUlgAÇÃO

A primeira chamada de selecionados está prevista para o dia 14


S E XTA- F E I RA, 0 4 D E JAN E I R O D E 2 0 1 3 - E D I Ç Ã O 8 7 2

VIDA PÚBLICA

A3

Câmara de Arapoti realiza cerimônia de posse de Braz Rizzi A cerimônia aconteceu no ginásio de esportes, Otacílio de Souza, no bairro Jardim Primavera e recebeu segundo a comissão organizadora mais de 500 convidados NICOLE CHIARADIA

Nesta terça-feira (1º), a câmara municipal de Arapoti realizou a sessão solene de posse do prefeito Braz Rizzi (DEM), de sua vice, Rosi Rogenski Ferreira (PSB) e dos vereadores Luis Carlos Moreira (PV ), Nelson Marcolino de Aguiar (PV ), Vilson Soares (PSB), João Maria Bonfim (PPS), Wesley Ulrich (PT), Nerilda Penna (PP), Marineo Ferreira (PTB), Claudinei José Moreira (PTC) e Silvio Trindade (PTB). A cerimônia aconteceu no ginásio de esportes, Otacílio de Souza, no bairro Jardim Primavera e recebeu segundo a comissão organizadora mais de 500 convidados. Compondo a mesa principal, estavam o vereador Luis Car-

los Moreira, presidente da casa no biênio 2013/2014, o prefeito e a vice a serem empossados, Braz e Rosi, o vice-presidente da casa no biênio 2011/2012, Juarez Antônio Wollz e o prefeito que deixa o cargo, Luiz Fernando de Masi. Conforme manda o regimento interno da casa, os eleitos prestaram juramento e foram declarados empossados pelo chefe do legislativo. A mesa executiva da casa para o biênio 2013/2014 e as comissões permanentes de constituição e justiça, finanças e orçamento, obras e serviço público, educação, saúde e assistência social, meio ambiente, agricultura e o conselho de ética e decoro parlamentar serão definidas nesta quarta-feira, dia 02 de janeiro, a partir das 18 horas, no plenário da câmara municipal, em sessão extraordinária.

divulgação

Ginásio Otacílio de Souza recebeu mais de 500 convidados

REELEITO

Prefeito de Salto do Itararé é empossado para mais quatro anos

O evento teve início com a realização de missa de posse celebrada pelo padre José Francisco Rocha, padre Chico (pároco da cidade) e pelo padre Luiz Fernando de Lima. Israel Domingos comandará o município juntamente com o vice João Mané divulgação

DA REDAÇÃO

O evento aconteceu nesta terça-feira, 01

Tomou posse na última terça-feira o prefeito reeleito de Salto do Itararé, Israel Domingos (PDT). Domingos foi recebido com aplausos no salão paroquial da cidade, pelas centenas de pessoas que estiveram presentes e que torceram que a administração dele fosse sequencial. Para Israel Domingos, ainda há muito para se fazer para o município, embora muita coisa já tenha sido feita nos últimos quatro anos. O prefeito apontou que as dificuldades da primeira gestão, devido a grandes dívidas antigas

da prefeitura, impossibilitaram que alguns projetos pudessem sair do papel, já que muitos deles dependiam de convênios com a união. Porém o gestor sinalizou que 2013 será um ano especial para Salto. “As dificuldades passaram, é claro que ainda sentimos alguns resquícios, mas já podemos por em prática aquilo que sempre almejamos para o nosso município. Podemos, enfim, proporcionar mais qualidade de vida aos nossos cidadãos”, desabafou. Fazendo divisa com o estado de São Paulo, Salto do Itararé é detentor de cerca de seis mil habitantes. Sua renda é focada na agropecuária e também no setor fabril, através de indústrias de confecções. O prefeito reeleito,

que irá gerir os saltenses pelos próximos quatro anos, apontou que haverá mais investimentos nesses setores para que o município possa gerar mais empregos, e portanto, mais renda. “Investiremos na confecção através de incentivos e fortaleceremos a agricultura para que o campo possa ser uma forte fonte de renda aos produtores”, afirmou. Junto com Israel, tomou posse também o novo prefeito eleito, João Batista de Carvalho (PMDB), o popular João Mané e os demais nove vereadores que irão compor o poder legislativo municipal. A votação que definiu a mesa diretora da câmara aconteceu na sequência, que definiu o vereador Paulo Espósito como novo presidente da casa.


S E XTA- F E I RA, 0 4 D E JAN E I R O D E 2 0 1 3 - E D I Ç Ã O 8 7 2

JUNDIAÍ DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE JUNDIAÍ DO SUL PORTARIA Nº 179/2012 O Prefeito do Município de Jundiaí do Sul, Estado do Paraná, usando das atribuições que lhe são conferidas por Lei, RESOLVE Autorizar o Departamento de Recursos Humanos a conceder o pagamento de Diferença de Vencimentos referente ao mês de novembro de 2012 ao servidor municipal, Walderlei Leme Fernandes, Auxiliar Administrativo. Revogam-se as disposições contrárias, e com posterior publicação. PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE Gabinete do Prefeito do Município de Jundiaí do Sul – PR, 31 de dezembro de 2012

Richa enumera resultados e diz estar otimista para 2013 O governador Beto Richa está otimista para este ano, com base nos resultados alcançados nos dois primeiros anos de sua gestão. Ele enumerou algumas ações previstas para 2013

Prefeito Municipal

DAS AGÊNCIAS

REDUÇÃO

Com a transferência de 20 presos de Paranaguá para Piraquara nesta quinta-feira DAS AGÊNCIAS

verno esvazia cadeias do Litoral e reduz em 40% os presos em delegacias Com a transferência de 20 presos de Paranaguá para Piraquara nesta quinta-feira (03), a Secretaria estadual da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos concluiu o trabalho de esvaziamento das delegacias de polícia do litoral paranaense. Iniciado em meados de dezembro, o trabalho resultou na transferência de 370 presos (358 homens e 12 mulheres) que estavam nas carceragens das delegacias de Antonina, Guaratuba, Matinhos, Morretes, Paranaguá e Pontal do Paraná. O maior número de presos transferidos é de Paranaguá. A delegacia mais antiga do estado tinha 180 detentos, para uma capacidade de 50 vagas. “Esse trabalho faz parte da Operação Verão, realizada pelo Governo do Paraná, e atende aos anseios dos moradores da região e aos veranistas. Nessa época de férias são milhares de famílias que vão às cidades litorâneas em busca de tranquilidade e segurança. É o que estamos fazendo com o esvaziamento dessas cadeias”, disse a secretária da Justiça, Maria Tereza Uille Gomes. “Com esta transferência, nossos agentes que cuidavam dos presos ficam livres para fazer investigação e dessa forma podem prestar um atendimento mais eficiente ao público”, afirma o delegado-chefe da 1ª Subdivisão Policial de Paranaguá, Miguel Stadler. Tanto o delegado quanto a secretária de Estado lembram que não se trata de uma simples transferência de custódia, mas o de garantir aos presos uma melhor acomodação e condições de ressocialização. “No sistema penitenciário eles terão acesso à educação, à profissionalização e ao trabalho, que são condições fundamentais para a sua reinserção

social”, destaca Maria Tereza. A partir de agora permanecerão nas delegacias de polícia do Litoral apenas os presos em flagrante, que aguardarão a fase de investigação policial. Tão logo a denúncia criminal apresentada pelo Ministério Público seja recebida pelo juiz de Direito, esses presos também serão transferidos para o sistema penitenciário. REDUÇÃO DE 40% - A secretária informou também que nos dois primeiros anos de governo o número de presos em delegacias de todo o Paraná foi reduzido em 40%. “Quando assumimos o governo havia 16.205 presos em delegacias de polícia, sob custódia da Secretaria de Segurança Pública do Paraná, e nós fechamos o ano 2012 com apenas 9.714 presos nessas carceragens”, destacou ela. A cargo da Secretaria da Justiça havia 14.316 presos no dia 1º de janeiro de 2011; dois anos depois esse número subiu para 17.015 apenados. “Estamos cumprindo já a meta do Governo de abrir 6.000 vagas no sistema penitenciário do Paraná até 2014. E estamos empenhados em solucionar o problema de superlotação em cadeias do Paraná, abrindo novas vagas e resolvendo a situação de todas as pessoas que estão presas indevidamente ou que já deveriam estar numa penitenciária”, afirma Maria Tereza. Todo esse trabalho para resolver o problema de superlotação e da situação processual dos presos nas cadeias públicas do Estado conta também com a atuação da Defensoria Pública do Paraná, por meio dos assessores jurídicos que estão assistindo a situação de todos os presos do Paraná. A instalação da Defensoria foi uma das primeiras medidas do Governo do Paraná, no começo da gestão. O esforço do Governo do Paraná agora é para acabar com a superlotação das delegacias, sem comprometer todo o trabalho que vem sendo desenvolvido nas unidades penitenciárias do estado.

A4

GOVERNO

Jair Sanches do Nascimento

Governo esvazia cadeias do Litoral e reduz em 40% os presos em delegacias

EDITAIS

O governador Beto Richa está otimista para este ano, com base nos resultados alcançados nos dois primeiros anos de sua gestão. Ele enumerou algumas ações previstas para 2013. “Foi necessário retomarmos a tarefa de planejar o Paraná, de reorganizar as suas estruturas e de viabilizar projetos fundamentais para os paranaenses. Os resultados foram satisfatórios”, avaliou. O governador aproveitou para agradecer a confiança da população paranaense e desejar um ótimo 2013, com paz, felicidade e muitas oportunidades. Richa ressaltou que o Estado vive um novo momento de transparência, diálogo e entendimento e enumerou os investimentos feitos em infraestrutura, segurança pública, educação, habitação e saúde. “No próximo ano, com as finanças organizadas, com os empréstimos internacionais e licitações de obras já realizadas estamos otimistas em avançarmos ainda mais, de forma mais vigorosa e permanente”. O governador reforçou que 2011 foi de austeridade e ajustes econômicos. “Tivemos avanços importantes. Recebemos de herança um Estado desorganizado e inoperante. Com esforço, conseguimos recompor a capacidade de investimentos e sanear as finanças”, afirmou Richa. Segundo ele, as medidas proporcionaram sobra de caixa, que foi revertida em obras e ações sociais pelo Paraná. Richa lembrou que os secretários estaduais e presidentes de empresas públicas assinaram os contratos de gestão com metas para o final de cada ano. Os con-

tratos abrangem 194 projetos e 299 metas programáticas, distribuídos em cinco áreas estratégicas. As melhorias em gestão pública permitiram que o governo reduzisse em dois anos os gastos de custeio do Poder Executivo. EDUCAÇÃO – Richa elogiou o trabalho do secretário da Educação, Flávio Arns, e classificou a educação como prioridade absoluta de sua gestão. Segundo ele, o governo investiu em dois anos cerca de R$ 300 milhões em construção, reformas e ampliações de 500 escolas. Em parceria com o governo federal, mais R$ 200 milhões foram destinados para construção de 18 centros de educação profissionalizante. O volume de repasses do governo aos municípios para o transporte escolar aumentou 196%, passando de R$ 28 milhões, em 2010, para R$ 80 milhões em 2012. Os recursos para a compra de alimentos da agricultura familiar para a merenda escolar passaram, no mesmo período, de R$ 3 milhões para R$ 23 milhões. Em dois anos, o ganho salarial dos professores da rede estadual de ensino totalizou 34,85%. “É um avanço importante que irá oferecer melhores condições de trabalho aos professores e garantir um ensino público de excelência”, disse o governador. Ele lembrou que, para recompor os quadros do setor, já foram contratados 17.261 profissionais e autorizada a abertura de concurso para contratação de 13,7 mil professores e pedagogos. SEGURANÇA – O grande desafio do governo para próximos anos é a redução progressiva do número de homicídios e da criminalidade no Estado. Em dois anos, foram aplicados perto de R$ 200 milhões no fortalecimento da área. “Com isso, contratamos, em 2012, 3.120 policiais, sendo 1.967 policiais militares, 481 bombeiros e 672 policiais civis”, enumerou Richa. O governador lembrou do com-

promisso do governo em valorizar os policiais implantando em 2012 o pagamento por subsídio. “O Paraná tem a segunda maior remuneração para agentes da área de segurança no País, atrás apenas do Distrito Federal, onde as forças policiais são pagas pela União”, explicou. Foram estabelecidas tabelas progressivas e de evolução salarial que atendem às peculiaridades de cada carreira. Durante o ano, foram adquiridas 1.220 viaturas para as polícias; criados os novos batalhões da PM em Colombo e Cidade Industrial de Curitiba; e implantadas doze Unidades de Paraná Seguro (UPS). Essas unidades funcionam 10 em Curitiba, uma em Cascavel e uma em Londrina, com policiamento comunitário e resgate da cidadania, em localidades que apresentam alta taxa de criminalidade. Londrina recebeu ainda a primeira base do Grupamento Aeropolicial e Resgate Aéreo no interior. Neste ano, foi criado, em Marechal Cândido Rondon, o primeiro Batalhão de Fronteira do Brasil, da Polícia Militar. A previsão é, em dois anos, ter efetivo de 500 homens para estender a atuação para os 139 municípios da região fronteiriça com Argentina e Paraguai. Para os próximos anos, o governo realizará concurso para a contratação de 4.445 policiais militares, 819 bombeiros e 400 delegados. Outro objetivo é construir delegacias cidadãs e a nova sede do Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba. Serão implantadas ainda novas sedes do IML em Londrina, Maringá, Foz do Iguaçu, Ponta Grossa e Paranaguá. O investimento será de R$ 60 milhões. A meta é implantar ainda módulos policiais nas maiores cidades do Estado. Além desses investimentos, Richa destacou a implantação da Defensoria Pública e a redução de 6 mil presos em cadeias e delegacias do Paraná. O resultado

foi possível com a construção e ampliação de estabelecimentos penais. Em comparação com 2010, o governo dobrou o número de presos estudando e ampliou em 60% o número de presos participando de qualificando profissional. SAÚDE – Na área da saúde, em 2012, o governo aplicou o orçamento de R$ 2,8 bilhões (R$ 340 milhões a mais que o ano anterior), o que garantiu o cumprimento da Emenda 29, que determina a aplicação de pelo menos 12% das receitas correntes em saúde. Para 2013, serão R$ 3,2 bilhões para o setor. Até 2014, está prevista a construção, reforma e ampliação de 400 unidades de saúde da família em todas as regiões. O governador destacou que um dos melhores índices foi a redução da mortalidade materno-infantil. “Esses índices são fruto de programas que têm fortalecido as estruturas de saúde de nosso Estado, como o HospSUS, de apoio aos hospitais e a Rede Mãe Paranaense, que tem a chancela da Organização Mundial da Saúde”, afirmou Richa. Foi zerada, ainda, a fila de transplantes de córneas no Estado e, em 2012, houve aumento de 77% nos transplantes de coração, rim e fígado. Segundo ele, há 10 anos, o governo federal era responsável por 70% dos recursos para a saúde e 30% eram responsabilidade de estados e municípios. “Hoje, 70% são oriundos dos caixas dos estados e municípios, e apenas 30% da união”, criticou Richa. A Secretaria da Saúde lançou nos dois primeiros anos de governo quatro programas estruturantes (ApSUS, ComSUS, HospSUS e Farmácia do Paraná) que são apoio para as redes de atenção à saúde. São cinco redes prioritárias – Rede Mãe Paranaense, de Urgência e Emergência, Saúde Mental, Saúde da Pessoa Idosa e da Pessoa com Deficiência. divulgação

O governador está otimista para este ano


S E XTA- F E I RA, 0 4 D E JAN E I R O D E 2 0 1 3 - E D I Ç Ã O 8 7 2

EDITAIS

A5


S E XTA- F E I RA, 0 4 D E JAN E I R O D E 2 0 1 3 - E D I Ç Ã O 8 7 2

A6

ESPECIAL

Governo do Paraná vai construir 45 casas em Ribeirão do Pinhal A Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), o Ministério das Cidades, Caixa Econômica Federal, e a prefeitura de Ribeirão do Pinhal assinaram nesta quinta-feira (3) contratos de construção de casas com 45 famílias do município divulgação

O projeto é de aproximadamente R$ 1,4 milhão DA AGÊNCIAS

A Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), o Ministério das Cidades, Caixa Econômica Federal, e a prefeitura de Ribeirão do Pinhal assinaram nesta quinta-feira (3) contra-

tos de construção de casas com 45 famílias do município. O conjunto residencial Ribeirão do Pinhal II é resultado de uma parceria entre os programas Morar Bem Paraná e Minha Casa Minha Vida, com contrapartida municipal. O projeto, cujo investimento é de aproximadamente R$ 1,4 milhão, tem por objetivo aten-

der famílias com renda de um a três salários mínimos, que pagarão parcelas que variam entre R$160 e R$300 para a aquisição de casas de 35, 40 ou 47m². De acordo com o presidente da Cohapar, Mounir Chaowiche, este empreendimento, assim como os demais realizados no Paraná, só são pos-

síveis devido às parcerias. “Temos uma grande aliança com o governo federal, por meio do programa Minha Casa Minha Vida. Não se faz nada sozinho e aqui no Paraná nós somos exemplo disso”, afirmou. O prefeito Dartagnan Calixto disse que com o apoio de governos estadual e federal tem conseguido dar dignidade às

famílias do município, através da casa própria. Presente no evento, a gerente geral da caixa de Santo Antônio da Platina, Izabel Colonzi, afirmou que as casas são a garantia no futuro melhor para as famílias do município. “É um orgulho para nós fazer parte desta história, pois, ao assinar estes contratos,

estamos assinando, também, um contrato de mudança de vida”, disse. Participaram da solenidade, também, a vice-prefeita Nadir Fraga, o presidente da câmara, Cícero Sanches, o gerente da Cohapar de Cornélio Procópio, Nilton de Sordi Júnior, e o representante do deputado Hermas Brandão Junior.

Copel fecha 2012 com atendimento a 4 milhões de unidades consumidoras

Entre as principais conquistas do ano que passou, a companhia alcançou a marca de quatro milhões de unidades consumidoras atendidas diretamente em seu mercado cativo DA AGÊNCIAS

A Copel fechou 2012 com balanço bastante positivo em todas as suas áreas de atuação, geração, transmissão e distribuição de energia, além das telecomunicações. Entre as principais conquistas do ano que passou, a companhia alcançou a marca de quatro milhões de unidades consumidoras atendidas diretamente em seu mercado cativo. E, ainda, garantiu parcerias que levaram ao arremate de milhares de quilômetros de linhas de transmissão a serem construídas país afora. O crescimento no número de unidades consumidoras atendidas pelo sistema Copel no mercado cativo, atrelado à subsidiária Distribuição, representou uma injeção de 600 mil megawatts-hora (MWh) no fornecimento de energia em todo o Estado, passando dos 16,8 milhões de MWh fornecidos nos nove primeiros meses de 2011 para 17,4 milhões

de MWh no mesmo período do ano passado, somente neste segmento. Com quatro milhões de ligações, a Companhia atende, hoje, mais de dez milhões de habitantes de todas as regiões do Paraná. Os investimentos em Distribuição, nos últimos dois anos, têm sido os mais elevados da história da Copel. Em 2012, a Companhia injetou um total de cerca de R$ 650 milhões somente nesta área. Destes, cerca de R$ 450 milhões foram nos sistemas elétricos de média e baixa tensões, onde se concentra a maioria dos consumidores. Os R$ 200 milhões restantes foram investidos no sistema elétrico de alta tensão (subestações e linhas de 69 kilovolts – kV e 138 kV ). Para 2013, a previsão é de investimentos ainda mais robustos, de cerca de R$ 750 milhões. Além das obras para ligação de novos consumidores e aumento vertical de consumo, há também investimentos na melhoria da qualidade de fornecimento e na renovação de equipamentos e redes, bem como para evitar interrupções em locais relacionados com a realização da Copa 2014.

TRANSMISSÃO - Na área de transmissão de energia, a Copel incorporou à sua rede, em 2012, um total de 76,64 quilômetros de novas linhas, além de sete novas subestações, nas tensões de 34,5 kilovolts (kV ) até 138 kV. Um acréscimo de 294,19 megavolts-amperes (MVA) de potência ao sistema, que absorveu investimentos da ordem de R$ 180 milhões. As concessões arrematadas pela Companhia no ano que passou envolvem parcerias com empresas como a Eletrosul, Elecnor e a gigante chinesa State Grid. Somente com esta última, a Copel construirá um total de 3,2 mil quilômetros de linhas de transmissão, em três diferentes projetos. Um deles, arrematado em leilão recentemente, inclui a estatal federal Furnas. Somados, eles garantirão a duplicação dos ativos de linhas de transmissão da Copel para os próximos anos. As novas linhas a serem construídas e operadas cortarão os estados do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Maranhão, Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso, marcando a estratégia de expansão fortemente abraçada pela Copel

nos últimos três anos. GERAÇÃO - Com a inauguração da Usina Hidrelétrica Mauá, em dezembro, a Copel somou ao seu parque um empreendimento capaz de gerar 361 megawatts de energia – o suficiente para abastecer uma cidade de um milhão de habitantes. Foram R$ 1,4 bilhão em investimentos. Em 2012 foram também foram praticamente concluídas as obras da Pequena Central Hidrelétrica Cavernoso II, no centro-oeste do Estado. Com 19 megawatts de potência, a nova PCH será inaugurada ainda este mês. Para além das fronteiras do Estado, a Companhia conduz a todo vapor as obras da Usina Colíder, no Mato Grosso, que terá capacidade instalada de 300 megawatts. Antes mesmo de completar dois anos desde o início da construção, metade das obras do empreendimento já está concluída. E o ano ainda foi marcado pela assinatura, por parte da Copel, de Acordo de Cooperação Técnica com oito grandes empresas do setor elétrico nacional e internacional para fazer estudos de viabilidade técnica, econômica e ambien-

tal do complexo hidrelétrico da bacia do Rio Tapajós, no Pará. O complexo é composto por cinco usinas, totalizando 10.682 megawatts de capacidade instalada – o que seria suficiente para atender ao consumo de duas cidades como São Paulo. Na área de Telecomunicações,

a Copel completou em 2012 a implantação da rede de fibra óptica em todos os 399 municípios do Estado. Fato que tornou o Paraná o primeiro Estado brasileiro a ter 100% de cobertura de rede digital, com um investimento de R$ 200 milhões em infraestrutura. divulgação

COPEL, 4 milhões de unidades em 2012


FOLHA EXTRA ED 872