Page 1

A1

21 DE DEZEMBRO DE 2012

S E XTA- F E I RA, 2 1 D E D E Z E M B R O D E 2 0 1 2 - E D I Ç Ã O 8 6 8

SEXTA-FEIRA nº 86, ANO 9 R$ 2,00

UENP abre as portas para intensificar parceria com prefeitura A partir do próximo ano a parceria entre a Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP) e a Prefeitura de Jacarezinho deverá ser intensificada. A informação foi repassada após uma conversa entre o vice-reitor Rinaldo Bernardelli Junior e o prefeito eleito Sérgio Eduardo Faria, o Dr. Sérgio PÁGINA A3

ATRÁS DOS PRESENTES

Últimos dias para o natal

movimenta comércio brazense

DIVULGAÇÃO

Estudantes de escola pública realizam pesquisa sobre pinturas da Catedral PÁGINA A4

Café tem produção recorde de 51 milhões de sacas em 2012 A produção da safra 2012 de café beneficiado no Brasil foi de 50,83 milhões de sacas de 60 kg. O resultado representa um crescimento de 16,9%, se comparado com as 43,48 milhões de sacas da safra anterior. O anúncio do resultado final, que corresponde ao 4º levantamento, foi feito nesta quinta-feira (20/12), pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) PÁGINA A4

COMUNICADO

Informamos aos prezados leitores que estamos encerrando parcialmente as atividades de fim de ano. Por conta das festividades natalinas não haverá edição na próxima terça-feira e na quarta-feira. A Folha Extra volta a circular, portanto, na quinta-feira (27), voltando a encerrar as atividades na sexta-feira e retornando no dia 02/01. Porém estamos conectados através da internet, que estará a disposição em caso de dúvidas e sugestões, basta acessar o site www.jp5.com.br

Faltando quatro dias para o Natal o comércio fica mais movimentado, as lojas fecham suas portas mais tarde e assim quem trabalha durante o dia pode fazer as compras de Natal na parte da noite. O comércio brazense espera atender em torno de 20 mil pessoas neste fim de ano, já que os municípios vizinhos, Tomazina, São José da Boa Vista e Santana do Itararé vem à Wenceslau realizar suas compras PÁGINA A6


S E XTA- F E I RA, 2 1 D E D E Z E M B R O D E 2 0 1 2 - E D I Ç Ã O 8 6 8

ARTIGO

ARTIGO

Por INÁCIO STRIEDER

P

supremo é o bem social, e não o bem individual. O bem individual é uma consequência do bem social. A partir deste princípio, surge o conceito de crime. Criminoso é aquele que ofende o bem social. Todo criminoso, quando ofende o indivíduo, pratica um ato de-

absoluta prioridade, o respeito, o não constrangimento, a não humilhação, uma vida digna em todos os sentidos; a Lei 8.069 de 13/07/1990, garante às crianças e aos adolescentes o respeito a todos os direitos fundamentais: moradia digna, alimentação sadia,

antecede o individual, quando friamente se despeja centenas de pessoas: entre elas crianças, mulheres grávidas, idosos? Quem assim ordena, não passa de “justiceiro”, não passa de criminoso para qualquer sociedade civilizada. Com certeza, nem a socieda-

Criminoso é aquele que ofende o bem social...

lituoso contra o bem social, pois o indivíduo é parte integrante da sociedade. A Constituição Brasileira segue o modelo dos três poderes de Montesquieu. Baseia-se também no princípio do bem comum, do bem estar social, donde flui, como consequência, que o Judiciário somente faz justiça quando coloca como horizonte de seu exercício a justiça social. Para isto, o Legislativo põe à disposição do Judiciário as Leis. Como exemplos, temos a Lei 10.741 de 01/10/2003, que assegura aos idosos (60 anos), com

cuidados com saúde, educação, etc. Há também claras indicações constitucionais quanto aos cuidados para com as mulheres, as gestantes e as mães, para que possam evitar constrangimentos para seus filhos. Diante disto, não é humilhante, constrangedor e constitucionalmente criminoso quando autoridades judiciárias determinam despejos de crianças, mulheres (grávidas) e idosos de seus lares? “Despejo” significa: jogar algo no lixo. Onde fica a justiça social, a justiça do bem estar social, que

de brasileira e, muito menos, a pernambucana merecem uma tal “justiça”!Que os índios dos Mato Grossos ,os posseiros pelo Brasil a fora e os moradores da Vila Oliveira do Pina/Recife o digam!

Comente o artigo www.JP5.com.br

NATAL

Jacarezinho tem “Natal sem luz”

O comércio de Jacarezinho iniciou a semana que antecede o natal com horário estendido até as 22 horas, como tradicionalmente o faz DAS AGÊNCIAS O comércio de Jacarezinho iniciou a semana que antecede o natal com horário estendido até as 22 horas, como tradicionalmente o faz. A principal rua comercial da cidade, a Rua Paraná, que normalmente é fechada para o trânsito de carros, abrigaria nesta época além das luzes de natal, nichos de brinquedos para as crianças e outras atividades que tornam a semana mais atrativa ao público,

favorecendo as vendas e dando à população a satisfação de ver a sua cidade em festa. Nada disto ocorre neste ano. Não há enfeites de natal na Rua Paraná, ou em qualquer outra rua. A árvore de natal montada nos anos anteriores pela administração municipal, no cruzamento das avenidas, não foi erguida. Não há brinquedos para as crianças e o Papai Noel oficial não apareceu ainda e nem deu notícias de que virá a Jacarezinho. Faltam ainda 5 dias e muitas crianças nutrem a esperança de que ele venha. Fica o apelo para

sua chegada e tradicional distribuição de presentes. Na segunda-feira (17), quando a semana com horário comercial de natal começou, a Rua Paraná não foi interditada e veículos disputaram espaço com os que foram às compras. Só na terça-feira esta rua foi parcialmente bloqueada, ficando ainda a maior parte livre para os carros, apesar do grande número de pedestres, inclusive muitas crianças. Noites quentes e sem outras opções de laser, jovens, idosos, famílias, passeiam iluminados pelas luzes das lojas e postes.

Por INÁCIO STRIEDER

O Apocalipse Maia

Justiça Criminosa ara uma convivência harmoniosa e de fraternidade os seres humanos se organizam politicamente em sociedades. Entende-se que estas sociedades se assemelhem a organismos, em que existam diversos setores que as dirijam para seu objetivo, que é o bem comum de seus sócios. Em seu livro sobre o “Espírito das Leis”, Montesquieu, no séc. XVIII, apresentou um modelo político em que os poderes de uma sociedade civilizada deveriam ser três: o Executivo, o Legislativo e o Judiciário. Seriam poderes independentes, mas organicamente sincronizados, para a obtenção do bem comum de todos os cidadãos. Se algum destes poderes não buscasse este objetivo final do Estado, não teríamos mais uma sociedade civilizada, mas uma tirania. Mas, para que as considerações acima? Simplesmente porque os três poderes de um Estado republicano e democrático, organicamente, devem exercer o seu poder em função do bem comum de todos os cidadãos. O referencial

A2

OPINIÃO

A única coisa que lembra o natal é a insistente propaganda em caixas de som afixadas nos postes, com algumas chamadas que apresentam temas natalinos ao fundo. Este som concorre com as caixas de som com músicas e locutores que pedem aos que passeiam que entrem nas lojas e aproveitem as promoções. Poucas lojas investiram em decoração. Papai Noel sentado à porta dando balinha, mamãe Noel entregando folder. Faixas promocionais penduradas pela cidade, que raramente possuem desenhos ou motivos natalinos.

Segundo alguns sábios, a estupidez humana é ilimitada. No horizonte desta incapacidade do homem em admitir sua ignorância se situa a capacidade imaginativa do ser humano, que também é ilimitada. Fruto deste imaginário é a literatura apocalíptica ocidental, fortemente presente na linguagem religiosa do judaísmo, cristianismo e islamismo. Fora da cultura ocidental judaico-cristã, o mundo não é compreendido apocalipticamente; não está povoado por seres demoníacos, anticristos, diabos, anjos, em que homens profetizam, falam de paraísos, infernos, monstros, dragões, juízo final. Nem se anuncia que os sinais do fim do mundo são catástrofes gigantescas, terremotos, maremotos, irrupções vulcânicas, pestes, guerras, fomes, tribulações sem fim e morte. Este catastrofismo provém de uma filosofia dualista maniqueísta, na qual o mundo é um teatro em que acontece a luta entre Deus e Satã. Nesta mesma filosofia o homem é visto como uma espécie de campo de batalha (um campo de futebol) em que estariam se digladiando dois times: o time de Deus e o time de Satanás. Em um momento vence em nós o bem, em outro o mal. O homem seria um joguete desta luta cósmica entre o bem e o mal. Como todos sabem, há alguns anos se divulgou que estudiosos da cultura maia tinham conseguido decifrar a representação do calendário maia. Este calendário finalizaria em 21 de dezembro de 2012. Segundo a compreensão dos decifradores deste Calendário, os maias, para esta data, estariam anunciando o fim do mundo. Com

certeza, esta interpretação está perfeitamente de acordo com a afirmação de que a estultícia humana é sem limites. O que vale ainda para o imaginário humano, mesmo em nossa época científica, racional e tecnológica do século XXI. Neste sentido, já dizia, muito bem Voltaire, no século XVIII: “Primeiramente os homens inventam as mentiras, depois acreditam nelas”. Pois vejam, ainda não consta que alguém tenha conseguido decifrar o “alfabeto” maia. Por isto, não é seguro afirmar que os sinais gráficos deste suposto “calendário maia”, de fato representem datas. Não há nenhuma evidência de que os maias tenham tido uma visão apocalíptica do mundo, de fim dos tempos, de fim da história. Talvez tenham tido uma compreensão cíclica de sua cultura, mas muito distante da compreensão linear da história judaico-cristã. Desta forma, quem teme o fim do mundo em 21 de dezembro, porque os maias assim o predisseram, simplesmente segue uma fantasia. Histerias de fim de mundo, suicídios apocalípticos já aconteceram muitos. Diziame um pastor, que um fiel seu estava muito preocupado com a possível 2ª. vinda de Jesus. Por isto já não transava mais nu. Pois, que vexame, se Jesus o encontrasse assim nu! O nosso “apocalipse” será o dia de nossa morte. E nada mais.

Comente o artigo www.JP5.com.br

Boas Festas!


S E XTA- F E I RA, 2 1 D E D E Z E M B R O D E 2 0 1 2 - E D I Ç Ã O 8 6 8

A3

VIDA PÚBLICA

PARCERIA

Prefeitura de Jacarezinho e UENP firmam parceria A informação foi repassada após uma conversa entre o vice-reitor Rinaldo Bernardelli Junior e o prefeito eleito Sérgio Eduardo Faria, o Dr. Sérgio WENDY COMUNICAÇÕES

A partir do próximo ano a parceria entre a Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP) e a Prefeitura de Jacarezinho deverá ser intensificada. A informação foi repassada após uma conversa entre o vice-reitor Rinaldo Bernardelli Junior e o prefeito eleito Sérgio Eduardo Faria, o Dr. Sérgio. “Seria muito importante uma intensificação desta parceria. Pois

os assim nossos alunos poderiam aprender na prática o que já é ensinado dentro de sala de aula”, comenta Rinaldo. Em Jacarezinho, a Universidade tem três campi e o histórico de luta pela criação de uma instituição no Norte Pioneiro é antigo e em várias oportunidades quase saiu do papel. Na UENP são vários cursos e projetos desenvolvidos diretamente para a comunidade. Como é o caso do Centro de Ciências da Saúde que se destaca pelos cursos de Fisioterapia e Educação Física. Um projeto que se destaca em cenário estadual é o “Órte-

ses e Próteses” que atende todo o Norte Pioneiro que auxiliam as pessoas a ter mobilidades. Além disto, também têm graduações na área educacional como Letras, Biologia, História, Matemática e Pedagogia e também o curso de Direito, que é considerado um dos melhores do país. Para o prefeito eleito Dr. Sérgio a UENP é destaque em cenário estadual e nacionalmente. “Temos que intensificar esta parceria. Assim teremos profissionais cada vez mais capacitados e também poderemos proporcionar atendimento de qualidade à população”, ressalta o Dr. Sérgio.

WENDY COMUNICAÇÕES

A UENP é destaque em cenário estadual e nacionalmente

PIB do Paraná deve crescer o dobro da média A variação equivale a quase o dobro da registrada no País, estimado em 1% pelo Banco Central, a partir de pesquisa com instituições de mercado DAS AGÊNCIAS

O Produto Interno Bruto (PIB) do Paraná deve crescer 1,9% de janeiro a outubro de 2012, em relação ao mesmo período de 2011. A variação equivale a quase o dobro da registrada no País, estimado em 1% pelo Banco Central, a partir de pesquisa com instituições de mercado. A estimativa foi apresentada nesta terça-feira (18/12) pela diretoria do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes), juntamente com outros dados sobre o comportamento da economia estadual neste ano. Em 2011, o PIB do Estado foi avaliado em R$ 242 bilhões. Diante da conjuntura nacional, os números são considerados positivos pelo presidente do Ipardes, Gilmar Mendes Lourenço, mesmo levando em conta que o crescimento do PIB paranaense este ano ficou abaixo do registrado em 2011 (4%). Segundo ele, a desaceleração deve-se à crise financeira internacional e à estiagem que atingiu o Estado no início do ano, gerando quebra de aproximadamente 20% na safra de verão. “O resultado do Estado surpreende, pois é praticamente o dobro da média nacional, num momento em que

vivemos uma estagnação da economia mundial, principalmente nas grandes economias”, destacou Lourenço. De acordo com ele, a perspectiva para os próximos anos é bastante positiva, graças principalmente ao Paraná Competitivo, programa de incentivos criado pelo Governo do Estado para fomentar a industrialização. “Alguns dos investimentos atraídos por meio do Paraná Competitivo começam a se transformar em produção efetiva. Mas a fase mais rica do programa será o biênio de 2013/2014, quando as empresas começarem a produzir efetivamente no Estado”, afirmou. O Paraná Competitivo atraiu, desde 2011, R$ 21 bilhões de investimentos para o Estado. “É inevitável que o Paraná apresente taxas de crescimento bem acima da média brasileira nos próximos anos”, destacou Lourenço. O presidente do Ipardes lembra que a produção industrial no Paraná caiu 1,3% de janeiro a outubro, em relação ao mesmo período do ano passado. Mesmo assim, a redução é a menor entre os estados do Sul (em Santa Catarina, queda foi de 2,9% e no Rio Grande do Sul, de 3,6%) e abaixo da média nacional (-2,9%). “Esta queda é o que chamamos de efeito de base de comparação aquecida, ou seja, a produção

DIVULGAÇÃO

caiu porque o Estado produziu demais em 2011”, explicou o presidente do Ipardes. “O Paraná não é uma ilha, muito menos o setor industrial, e, mais cedo ou mais tarde, este setor tenderia a acompanhar o declínio do país.” Mesmo com queda na produção, o Paraná foi o estado que apresentou a maior taxa de geração de empregos na indústria, com crescimento de 2,5%, de janeiro a outubro. Desse total, 13,2% foram criados na RMC e 86,8% no interior. “A região metropolitana concentra empregos na área de metalmecânica, indústria mais pesada, enquanto o interior tem a indústria mais voltada para as áreas de alimentos, móveis e madeira. São perfis de empregos diferentes. No contexto atual do Brasil, a indústria mais pesada tem sofrido mais para crescer”, explicou o diretor de estatísticas do Ipardes, Daniel Nojima. A indústria paranaense também teve este ano o melhor desempenho do País no que diz respeito aos salários pagos. A folha de pagamento do setor aumentou 8,5% de janeiro a outubro, enquanto a média nacional foi de 3,2%. “O Paraná vem se destacando na geração de emprego e pagando mais. Isso reflete o dinamismo e o potencial de nossas indústrias”, disse Lourenço. Considerando todos os setores, o Estado gerou cerca de 112 mil

Diante da conjuntura nacional, os números são considerados positivos pelo presidente do Ipardes

empregos formais até outubro. Desse total, 73,1% foram no interior, com destaque para a região Noroeste. O setor de serviços foi o que mais empregou (39,5%), seguido de indústria (26,2%), comércio (19,9%), construção civil (9,6%) e agropecuária (4,9%). O volume de vendas do comércio varejista paranaense cresceu este ano. No acumulado de janeiro a outubro, o setor registrou alta de 10,1%, o segundo melhor desempenho do País, atrás apenas de São Paulo (10,3%). De acordo com Lourenço, este crescimento é decorrente dos melhores salários pagos aos trabalhadores. A taxa de desemprego registra-

da neste ano na Região Metropolitana de Curitiba (RMC) foi a menor entre as sete regiões metropolitanas – Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo – pesquisadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A média entre todas as regiões pesquisadas foi de 5,7% de aumento no número de desempregados, enquanto a RMC teve acréscimo de 3,7%. Na mesma linha, o salário médio pago na RMC é o melhor entre todas as pesquisadas, R$ 1.915,00. A equipe do Ipardes também apresentou dados sobre comér-

cio exterior. De janeiro a outubro, o Paraná exportou o equivalente a U$ 16,5 bilhões – U$ 500 milhões a mais que no mesmo período do ano passado. Os principais responsáveis por esse aumento foram combustíveis, caminhões, madeira e cereais. As importações feitas pelo Paraná chegaram a U$ 18 bilhões em novembro. “As importações crescem num ritmo maior que as exportações porque têm uma relação direta com o avanço da industrialização do Paraná. Uma economia que está em processo de transformação, sofisticação e diversificação tende a importar mais”, explicou Lourenço


A4

S E XTA- F E I RA, 2 1 D E D E Z E M B R O D E 2 0 1 2 - E D I Ç Ã O 8 6 8

COLUNA DA PÁGINA

Estudantes de escola pública realizam pesquisa sobre pinturas da Catedral

AGRONEGÓCIOS

Pinturas murais de Eugênio de Proença Sigaud, na Catedral de Jacarezinho, inspiraram reflexões sobre a história da cidade; estudos foram intermediados por professor do curso de História da UENP DA ASSESSORIA/UENP

Quatro alunos do Colégio Estadual Rui Barbosa de Jacarezinho viveram uma experiência diferente durante o ano de 2012. Contemplados pelo Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq (PIBIC – EM) destinados a estudantes do ensino médio, participaram de pesquisa que revelou histórias que desconheciam até então sobre as pinturas murais de Eugênio de Proença Sigaud, na Catedral Imaculada Conceição de Jacarezinho. “Eu passava pela Catedral, mas não olhava com esses olhos de hoje. Nunca pensei que tivesse uma história tão interessante como a que conheci”, partilha Laís Rodrigues Tangerina (17), uma das alunas do programa. O professor-doutor Maurício de Aquino, do Colegiado de História da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), coordenador desse projeto intitulado “Religião e café: Histórias de Jacarezinho nas pinturas murais de Eugênio de Proença Sigaud” salienta a importância dessas atividades para a superação do senso comum sobre a disciplina de História. “Os estudantes tiveram a oportunidade de deixar essa noção da História

como uma disciplina muito centrada no livro didático, de amontoado de nomes, datas e fatos, muitas vezes, desconexos e distantes e que não exigem uma reflexão crítica e rigorosa. O projeto possibilitou-lhes experimentar um pouco do ofício do historiador que consiste, grosso modo, no trabalho de coletar informações, analisá-las e compará-las. Aprenderam, nesse percurso, como se produz história, que é por meio da pesquisa, e como o resultado desse trabalho é sempre inacabado, exigindo novas investigações”. As pesquisas aconteceram de fevereiro a novembro deste ano. As atividades com os alunos foram divididas em três etapas. Primeiro, os estudantes participaram de reuniões realizadas, quinzenalmente, nas dependências do Centro de Ciências Humanas e da Educação (CCHE/UENP), em Jacarezinho, onde tiveram aulas sobre a história da cidade e obtiveram conhecimentos sobre as relações entre história, memória e patrimônio cultural. Num segundo momento, foi estabelecido o cronograma das atividades propriamente de pesquisa, incluindo visitas técnicas à Catedral. Após, foi feita a distribuição dos temas pesquisados pelos bolsistas. Além das visitas realizadas sob a orientação do professor Maurício e também da professora Magali Moedinger Moreno, pedagoga do Colégio Rui Barbosa, foi sugerido aos alunos

que fizessem visitas individuais para que pudessem observar e descobrir detalhes antes não contemplados. O exercício visava uma descrição por meio das observações feitas pelos estudantes, a pesquisa de documentos históricos e a interpretação desses materiais que resultou na produção de um texto-síntese dos trabalhos. O orientador destaca a relevância do estudo sobre o patrimônio cultural para a vida do aluno. “Hoje, tudo aquilo que reafirma a identidade e que propicia reflexão sobre a própria existência não só local, mas em nível global, pode ser chamado de patrimônio, ou seja, todo o conjunto de elementos ambientais, culturais, materiais e imateriais de uma sociedade. Esses elementos favorecem a reflexão e a fruição, além de oferecerem certo bem-estar psicológico uma vez que se apresentam como marcos de experiências das pessoas ao longo de sua história”. Sobre a realização do projeto, o professor Maurício de Aquino conta ter sido gratificante e se diz satisfeito com o desempenho dos alunos. “Foi muito bom desenvolver esse trabalho com eles. Eu me surpreendi muito. Os alunos realizaram um bom trabalho, principalmente se considerarmos que é uma pesquisa que oferece certo grau de complexidade”. A pedagoga Magali, que também acompanhou o desenvolvimento do projeto com os estudantes, conta que o gosto pela pesquisa pelos alunos veio com o tempo. “Num

primeiro momento, os alunos não se interessaram muito, mas depois gostaram bastante. Foi um projeto muito enriquecedor. Tanto que os professores irão utilizar as pesquisas para outras turmas do Colégio”. Os alunos, que realizaram relatos individuais sobre a Catedral, são unânimes sobre o que mais gostaram do projeto. De acordo com depoimentos deles, foram as entrevistas com o senhor Américo Felício, coroinha na Catedral à época das pinturas, que mais impressionaram. Alan Pedro Osório da Silva, também aluno do projeto, conta sua experiência: “Foi muito legal. Aprendi o significado de muitas coisas, de vários detalhes das imagens que compõem as pinturas”. João Gabriel Moedinger Ferreira mostrou-se deslumbrado com os conhecimentos: “Com o projeto, pude saber um pouco mais sobre a Catedral e conhecer um senhor que viveu essa história. Achei muito interessante, porque agora sei também que esse é um marco histórico de minha cidade”. Patrícia Ribeiro Vitório disse que, após a realização do projeto, criou maior interesse pela História. “A gente descobriu muita coisa. Foi difícil a pesquisa, tinham datas que não batiam. Cada significado, símbolos e traços. Eu gostei muito de ter participado. Depois desse projeto, penso até em estudar História”. DIVULGAÇÃO

Café tem produção recorde de 51 milhões de sacas em 2012 A produção da safra 2012 de café beneficiado no Brasil foi de 50,83 milhões de sacas de 60 kg. O resultado representa um crescimento de 16,9%, se comparado com as 43,48 milhões de sacas da safra anterior. O anúncio do resultado final, que corresponde ao 4º levantamento, foi feito nesta quintafeira (20/12), pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). A próxima safra terá o primeiro levantamento no dia 10 de janeiro. A expectativa de safra recorde foi confirmada, superando o recorde anterior de 48,48 milhões de sacas, do período 2002/2003. O ano de alta bienalidade e o investimento realizado pelo produtor na lavoura são os responsáveis pelo crescimento – que poderia até ter sido maior, não fosse aadversidade climática de algumas regiões produtoras dos Estados da Bahia, Paraná, Rondônia e Minas Gerais. O café arábica teve uma produção de 38,34 milhões de sacas, representando cerca de 75% da produção nacional. O estado de Minas Gerais é o maior produtor e o volume produzido foi de 26,94 milhões de sacas. Já o conilon teve uma produção de 12,48 milhões de sacas. O Espírito Santo, maior produtor dessa variedade, encerra o ano com uma colheita de 9,71 milhões de sacas. O estudo da Conab foi feito por meio de uma pesquisa, realizada entre 2 e 14 de dezembro. A entidade visitou municípios dos principais Estados produtores (MG, ES, SP, BA, GO, PR e RO), que representam 98,7% da produção nacional. GLOBO RURAL

Safra de cana-de açúcar será maior que o estimado A moagem de cana-de-açúcar pelas unidades produtoras da região Centro-Sul do País na safra 2012/2013 deverá ser superior às 518,50 milhões de toneladas estimadas pelaUnica em setembro deste ano. O volume final esperado pela entidade ao final da safra, em março de 2013, é de 532 milhões de toneladas, um crescimento de 2,6% em relação ao valor projetado em setembro e 4,52% superior às 509 milhões de toneladas estimadas para a atual safra em abril deste ano. O clima seco em novembro permitiu um avanço significativo da colheita. Para a primeira quinzena de dezembro, os números preliminares levantados pela Unica em conjunto com os demais sindicatos e associações do CentroSul indicam que a quantidade de cana-de-açúcar processada deverá ser superior a 17 milhões de toneladas. Dessa forma, no acumulado desde o início da safra até 15 de dezembro, a moagem poderá alcançar 528 milhões de toneladas. Segundo a Unica, a melhor condição climática e a maior disponibilidade de cana-de-açúcar fizeram com que as unidades produtoras adiassem o encerramento da safra, ampliando a moagem nos primeiros quinze dias de dezembro. Contudo, a maior parte das empresas já encerrou as atividades e, a partir de agora, a moagem será residual e dependerá da intensidade das chuvas. GLOBO RURAL

Da esq. para a dir. Alan Pedro, Laís Rodrigues, Patrícia Ribeiro e João Gabriel

Feliz natal e Próspero Ano Novo a todos!


S E XTA- F E I RA, 2 1 D E D E Z E M B R O D E 2 0 1 2 - E D I Ç Ã O 8 6 8

COLUNA DA PÁGINA OCORRÊNCIAS REGIONAIS

PM recaptura mais um fugitivo da cadeia de Santo Antônio da Platina Juliano Pereira Nunes estava em um quarto, no fundo de uma residência da rua Francisco Candido Veado, no Jardim Saúde, em Santo Antônio da Platina. O fugitivo foi recapturado pelos soldados Santos e Vernier, por volta das 3 horas da madrugada desta quarta-feira (19). Nunes estava foragido da cadeia platinense desde sábado (15), depois de fugir com outros 19 detentos durante a madrugada. Quinze presos ainda são procurados. O Fugitivo foi reconduzido ao setor carcerário. LUIZ GUILHERME BRANDANI/ TA NO SITE

Mulher é espancada por defender filha de sete anos

A5

ESPORTES

Paraná Clube confirma quatro reforços para 2013 O Paraná Clube confirmou oficialmente nesta quarta-feira (19/12) a contratação de quatro reforços para a temporada 2013 DAS AGÊNCIAS O Paraná Clube confirmou oficialmente nesta quarta-feira (19/12) a contratação de quatro reforços para a temporada 2013. O anúncio ocorreu no evento de aniversário do clube, realizado no Salão Social da Kennedy. Estão confirmados os acertos com o goleiro Marcos, os atacantes Reinaldo e Paulo Renê, e o meia Rubinho. Uma das grandes revelações das categorias de base do Paraná Clube, Marcos foi um dos principais nomes na campanha do título nacional de 2000. Na época com 24 anos, o goleiro se destacou no campeonato que garantiu ao Tricolor a conquista da Copa João Havelange (Módulo Amarelo). O atleta seguiu carreia no

futebol europeu, defendendo clubes como o Marítimo e o Feirense, de Portugal. Outro jogador experiente que chega ao time paranista é o atacante Reinaldo. O atleta acumula passagens por Flamengo-RJ, São Paulo-SP, Paris Saint German (França), Botafogo-RJ, além de equipes do futebol japonês, chinês e coreano. Para reforçar o meio-de-campo, o nome de Rubinho está entre os contratados. O jogador já havia chamado atenção do Tricolor na Copa do Brasil, quando o time paranista enfrentou o Luverdense-MT. Pelo Brasileirão da Série C, o atleta obteve grande destaque, sendo vice-artilheiro, eleito o melhor meia-esquerda e o craque da competição por sites especializados. O Tricolor ainda contratou mais um atacante: Paulo Renê. O jovem jogador é uma das principais revelações

recentes do Gama-DF. "Trabalhamos com segurança, buscando acordos que fossem bons para o clube e para os atletas. Somados aos jogadores que já possuíamos no elenco, creio que teremos uma boa base

para buscar conquistas em 2013", afirmou o gerente de futebol paranista, Alex Brasil, que também está garantido no Tricolor para o próximo ano, assim como o supervisor de futebol Fernando Leite. DIVULGAÇÃO

O anúncio ocorreu no evento de aniversário do clube

FUTEBOL

Arapongas faz jogo treino neste sábado no Estádio dos Pássaros A partida será a primeira com “ar” de oficial nesse período de preparação, pois até então os dois confrontos foram jogos-treinos

Uma mulher de 36 anos foi socorrida por vizinhos e levada a Santa Casa após apanhar do marido na cidade de Cornélio Procópio. Segundo o site anuncifácil a mulher foi espancada pelo marido por tentar defender a filha de sete anos. O homem estava batendo na menina. Segundo a outra filha do casal, de 18 anos de idade, a mãe já chegou a apanhar de chicote do marido. ENIO TREVISANI

Mais de 100 policiais realizam operação em Bandeirantes Doze pessoas foram presas e um menor apreendido durante a Operação Cruzada, realizada em conjunto entre a Polícia Militar e a Polícia Civil em Bandeirantes, na última quarta-feira (19). Segundo informações da PM, dessas 12 prisões, 10 foram por mandado judicial e outras duas em flagrante. Além das prisões, a operação apreendeu cinco armas, uma moto e mais de 170 pedras de crack, além de algumas porções de maconha e cocaína. Ao todo, 30 viaturas participaram da Operação, que contou com 100 policiais e com o apoio de duas equipes do canil de Londrina. REGINALDO TINTI

DAS AGÊNCIAS

possível presentear todos os nossos torcedores neste Natal vamos aproveitar esse jogo na véspera do Natal para podermos sortear prêmios aos que

puderem comparecer no estádio”. Serão sorteados 15 prêmios, 1 por minuto de intervalo, e todos os torcedores que adquirirem o convite a preço

único de R$10,00 poderão concorrer. Os ingressos serão vendidos a partir desta quinta-feira na Arashop e no sábado na bilheteria do Estádio. DIVULGAÇÃO

Na manhã deste sábado (22), às 10h o Alviverde volta a campo contra o Marília após empatar o jogo-treino desta terça-feira em Getulina/SP contra o Linense por 1×1, o gol do Arapongão foi marcado pelo atacante Luis Paulo. A partida será a primeira com “ar” de oficial nesse período de preparação, pois até então os dois confrontos foram jogos-treinos. O técnico Zezito espera continuar no processo de lapidação do time, buscando a melhor forma nas vésperas do início no paranaense – “Dia a dia vamos identificando pontos que podem ser melhorados, e estes jogos são ótimas vitrines para apontarmos fatores a serem trabalhados como maior intensidade”. Para o torcedor o atrativo deste amistoso é o sorteio de prêmios no intervalo do jogo, o presidente Adir Leme se referiu o jogo como um presente de Natal ao torcedor – “como é im-

Os ingressos estão sendo vendidos desde ontem


S E XTA- F E I RA, 2 1 D E D E Z E M B R O D E 2 0 1 2 - E D I Ç Ã O 8 6 8

COTIDIANO

A6

SANEPAR

No Paraná, 34 municípios cumprem lei de saneamento básico A Lei do saneamento se aplica a contratos vencidos e aos vigentes não renovados, que não contemplem o PMSB

JULIANA LEITE

Dos 399 municípios do Paraná, 34 já cumprem a Lei 11.445/2007, que trata do saneamento básico, depois de assinarem contratos de programa com a Sanepar. A expectativa é que até o final deste ano outras dez prefeituras se adequem à nova legislação. O contrato de programa fixa as metas de cobertura com os serviços de abastecimento com água tratada e de coleta e tratamento do esgoto doméstico. Estes parâmetros devem

constar do Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB), previamente discutido com a sociedade e aprovado pela câmara municipal de cada local. A Lei do saneamento se aplica a contratos vencidos e aos vigentes não renovados, que não contemplem o PMSB. As prefeituras que ainda não têm o plano municipal não poderão, a partir de 2014, receber recursos federais para projetos de saneamento básico. Nestes casos, ainda está em vigor o Contrato de Concessão. "A Sanepar é hoje a melhor opção para as prefeituras e para a

população paranaense. Oferecemos experiência, tecnologia acumulada durante os 50 anos de história da empresa, preço diferenciado sobre a fatura de água consumida nos prédios públicos municipais e benefícios como o repasse de um percentual sobre o faturamento para o fundo de meio ambiente de cada município. A empresa é extremamente preocupada com a preservação e manutenção dos mananciais de cada localidade", afirma o diretor comercial da sanepar, Antonio Carlos Belinati. O saneamento básico foi de-

finido pela Lei 11.445/2007 como o conjunto dos serviços de abastecimento de água, esgotamento sanitário, manejo de resíduos sólidos, drenagem e manejo das águas pluviais urbanas. Ou seja, o plano municipal de saneamento básico deve abranger as quatro áreas, que estão correlacionadas entre si. Após aprovado, torna-se instrumento estratégico de planejamento, de gestão participativa e referência para o desenvolvimento que cada município pretende buscar. Pela lei, as prefeituras estão encarregadas de elaborar, apre-

sentar em audiência pública, aprovar na câmara municipal e publicar o seu Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB). A Sanepar coopera tecnicamente com os municípios para que esses elaborem seus PMSB e, posteriormente, assinem os contratos de programa. De acordo com a Sanepar, os municípios que assinaram os contratos de programa: Agudos do Sul, Altônia, Amaporã, Barbosa Ferraz, Borrazópolis, Campo do Tenente, Capitão Leônidas Marques, Catanduvas, Centenário do Sul, Cornélio Procópio, Cruzeiro do Sul,

Diamante do Norte, Guairacá. Guarapuava, Icaraíma, Inajá, Iracema do Oeste, Mandaguacu, Mandirituba, Marmeleiro, Palmas, Pérola do Oeste, Quitandinha, Reserva do Iguaçu, Rio Branco do Sul, Sabáudia, Salgado Filho, Santa Izabel do Oeste, Santana do Itararé, São Carlos do Ivaí, São Jorge do Oeste, São José da Boa Vista, São Tomé e Tomazina. O município de Cornélio Procópio renovou com a Sanepar dois contratos: um referente aos serviços de água e de esgoto e o segundo para a gestão dos resíduos sólidos. DIVULGAÇÃO

A Lei do saneamento se aplica a contratos vencidos e aos vigentes não renovados, que não contemplem o PMSB

ÚLTIMAS HORAS

Comércio brazense espera atender cerca de 20 mil pessoas até segunda

O comércio brazense espera atender em torno de 20 mil pessoas até o dia 24, já que os municípios vizinhos, Tomazina, São José da Boa Vista e Santana do Itararé vem à Wenceslau realizar suas compras DA REDAÇÃO

Faltando quatro dias para o Natal o comércio fica mais movimentado, as lojas fecham suas portas mais tarde e assim quem trabalha durante o dia pode fazer as compras de Natal na parte da noite. O comércio brazense espera atender em torno de 20 mil pessoas neste fim de ano, já que os municípios vizinhos, Tomazina, São José da Boa Vista e Santana do Itararé vem à Wenceslau realizar suas compras. Espera-se um aumento de 7% nas vendas em comparação ao mesmo período do ano passado. “Se Deus quiser a gente vai atingir uma porcentagem de uns 20 a 30% acima da nossa meta, só esse ano”, estima uma lojista brazense. Para atender melhor os clientes

as lojas estão contratando mais funcionários o que contribui para uma geração maior de empregos e renda nessa época. Mesmo com esse otimismo dos lojistas muitos compradores dizem não querer gastar muito. Um dos recursos utilizados para a compra de Natal é o recebimento do 13º salário que todos ansiosos. “O que nos salva nessa época é o 13º”, diz a humorada brazense, Lúcia dos Santos.

A VERDADEIRA ORIGEM DO NATAL O verdadeiro simbolismo de Natal oculta transcendentes mistérios. Esta festividade tem sua origem fixada no paganismo. Era um dia consagrado à celebração do “Sol Invicto”. O Sol tem sua representação no

deus greco-romano Apolo e, seus equivalentes entre outros povos pagãos são diversos: Ra, o deus egípcio, Utudos na Babilônia, Surya da Índia e também Baal e Mitra. Mitra era muito apreciado pelos romanos, seus rituais eram apenas homens que participavam. Era uma religião de iniciação secreta, semelhante aos existes na Maçonaria. Aureliano (227-275 d.C), Imperador da Roma, estabeleceu no ano de 273 d.C., o dia do nascimento do Sol em 25 de dezembro “Natalis Solis Invcti”, que significava o nascimento do Sol invencível. Todo O Império passou a comemorar neste dia o nascimento de Mitra-Menino, Deus Indo-Persa da Luz, que também foi visitado por magos que lhe ofertaram mirra, incenso e ouro. Era também nesta noite o início do Solstício de Inverno, segundo o Calendário

Juliano, que seguia a “Saturnalia” (17 a 24 de dezembro), festa em homenagem à Saturno. Era portanto, solenizado o dia mais curto do ano no Hemisfério Norte e o nascimento de um Novo Sol. Este fenômeno astronômico é exatamente o oposto em nosso Hemisfério Sul. Estas festividades pagãs estavam muito arraigadas nos costumes populares desde os tempos imemoráveis para serem suprimidas com a advento do Cristianismo, incluso como religião oficial por Decreto por Constantino (317-337 d.C), então Imperador de Roma. Como antigo adorador do Sol, sua influência foi configurada quando ele fez do dia 25 de dezembro uma Festa Cristã. Ele transformou as celebrações de homenagens à Mitra, Baal, Apolo e outros deuses, na festa de nascimento de Jesus Cristo. Uma forma de sincretismo re-

ligioso. Assim, rituais, crenças, costumes e mitos pagãos passam a ser patrimônio da “Nova Fé”, convertendo-se deuses locais em santos, virgens em anjos e transformando ances-

trais santuários em Igrejas de culto cristão. Deve-se levar em consideração que o universo romano foi educado com os costumes pagãos, portanto não poderia ocorrer nada diferente. WILLIAN NUNES - FOLHA EXTRA

FOLHA EXTRA ED 868  

FOLHA EXTRA ED 868

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you