Page 4

4

SÁBADO, DOMINGO, SEGUNDA E TERÇA 1º, 2, 3 e 4 de março de 2014

Mercado agrícola PRODUTOS

RURAL

Acompanhamento de preços recebidos pelos produtores do Rio Grande do Sul UNIDADE MÍNIMO MÉDIO Valores em reais

Arroz em Casca Feijão Milho Soja Sorgo Granífero Trigo Boi para Abate Cordeiro para Abate Suíno Tipo Carne Vaca para Abate Leite (valor líq. recebido)

50 Kg 60 Kg 60 Kg 60 Kg 60 Kg 60 Kg Kg vivo Kg vivo Kg vivo Kg vivo Litro

33,00 120,00 21,50 63,00 18,40 30,00 3,80 3,30 2,85 3,30 0,71

MÁXIMO

35,14 132,30 23,54 64,85 20,23 31,63 3,98 3,94 3,06 3,57 0,85

39,00 150,00 27,00 68,00 21,30 33,50 4,10 5,20 3,50 3,70 0,96

24.02.2014 a 3.3.2014 Fonte: EMATER/RS-ASCAR

Galvão Bueno e enólogo italiano apostam na produção de vinhos da região da Campanha Com a aptidão que poucos lugares no mundo têm para a produção de vinhos, a região da Campanha atrai cada vez mais investimentos que buscam na vocação local para a produção primária, ações expressivas de empreendedorismo. Recentemente, um dos mais renomados enólogos do mundo, o italiano Roberto Cipresso, desembarcou no Rio Grande do Sul para visitar vinhedos e provar alguns dos vinhos produzidos na região. O motivo da visita do enólogo era consolidar no Pampa, a parceria que já tem na região da Toscana, na Itália, com o locutor esportivo mais famoso do país: Galvão Bueno. A sociedade entre os dois tem como objetivo produzir na vinícola do locutor, a Bueno Bellavista, o melhor vinho já feito no Brasil. Para isso, aspectos como o terroir – expressão francesa que representa fatores responsáveis pelo cultivo da videira determinando a qualidade da uva e, consequentemente, do vinho - da Campanha, com suas peculiaridades de clima e luminosidade, são alguns dos atributos para o projeto da Bueno Bellavista. Galvão Bueno destaca que a visita de Roberto Cipresso à vinícola e aos parreirais não

foi por acaso. “Contar com a consultoria do Roberto Cipresso é uma grande honra e a certeza de que daremos vários passos na qualidade. A visita dele não é uma coisa que acontece por acaso. Ele virá ao Brasil três vezes ao ano, nesse período de pré-colheita e colheita e depois para fazer o corte dos vinhos e a finalização. Nada mais vai para a garrafa sem que ele possa ver, sentir e aprovar. Então é uma parceria”, declara o locutor. Cipresso elabora os vinhos Brunellos di Montalcino na Itália, na região de mesmo nome na Toscana, com o rótulo Bueno-Cipresso. O italiano é um estudioso e consultor em vinícolas tanto em seu país natal quanto no Exterior. Conforme anúncio em São Paulo no último dia 25, quando Galvão Bueno apresentou dois lançamentos de sua parceria com o enólogo italiano, os vinhos Brunello di Montalcino e Brunello Riserva, Cipresso será diretor técnico da Bueno Bellavista. A sociedade ampliada da Itália para a região Campanha é a promessa de êxito no setor. “Nós já fizemos vinhos na Itália que são um sucesso. A presença dele na vinícola é a certeza que estamos andando no caminho certo, é o início de um trabalho de anos”, afirma Galvão Bueno.

Bueno projeta com parceria produzir o melhor vinho já feito no país

Fotos: Alexandre Teixeira / Especial FS

Paixões

O locutor e o enólogo Roberto Cipresso na vinícola, localizada no Seival

O jornalista conhecido como “a voz” de momentos importantes para o esporte brasileiro nas últimas décadas, define-se como um homem de paixões. Unir duas delas: a produção de vinhos e a criação de cavalos crioulos foram possibilitadas na recente visita de Roberto Cipresso à vinícola Bueno Bellavista, no Seival. Ambos cavalgaram em exemplares crioulos e conferiram a produção de uvas para vinhos de qualidade. Na ocasião, um vídeo institucional foi produzido registrando a emoção do locutor esportivo com o êxito da realização de seu sonho. “Eu sou apaixonado por cavalos desde pequeno. O cavalo crioulo é a alma da campanha gaúcha. É a alma, o trato do dia a dia. O trato com a pecuária, com a ovinocultura, é o transporte. Sou apaixonado pela raça Crioula e crio cavalos desta raça. Foi a primeira vez que pude realizar mais este sonho que era o de andar pelos vinhedos, buscar um cacho de

uva montado em um cavalo com papel de respeito, sangue do Comediante, um dos grandes sangues da história do cavalo crioulo. Isso é uma maravilha”, enfatiza. Já a paixão pelos vinhos é fruto das idas e vindas pelo mundo. Galvão Bueno conta que ao viajar para o Exterior, pôde descobrir que em países como a Itália, Portugal, Espanha e França é preconizado que toda refeição torna-se melhor com uma taça de vinho. “Eu fui me apaixonando cada vez mais. Não sou um enólogo, longe disso. Nem um sommelier. Estou aprendendo e tive a oportunidade de conviver com alguns enólogos fora do Brasil e no país também. Por isso, eu cito três nomes importantes: Adriano Miolo, aqui no Brasil; Michel Rolland, na França e o meu sócio e amigo, Roberto Cipresso, que é um ‘arquiteto de vinhos’ na Itália’, comenta o narrador esportivo. Proprietário da Estância Bella Vista desde o ano de 2009

e com participação societária na Miolo Wine Group, Galvão Bueno observa a região da Campanha como possuidora do melhor terroir do país para vinhos tinto e de qualidade. Além dos já citados aspectos naturais que proporcionam tal distinção, Bueno ressalta que a história e a maneira que o povo da Campanha tem em preservar sua história e tradição são elementos que tornam a região diferenciada. “É um lugar que me emociona. Ver as parreiras e os vinhedos e essa vista maravilhosa da região da Campanha que tem muita história, pois estamos muito perto de onde o General Neto proclamou a República Rio-grandense dias depois da grande batalha do Seival. Por isso é muito bom que a realização de um sonho tenha sido feita aqui. Respeito muito as tradições do povo gaúcho, assim como a forma com que o povo gaúcho respeita e preserva a sua história, e a história do vinho no Brasil está muito ligada ao Rio Grande do Sul”, conclui.

Folha do Sul Gaúcho Ed. 1168 (01/03/2014)  
Folha do Sul Gaúcho Ed. 1168 (01/03/2014)  
Advertisement