Issuu on Google+

Reprdução/FS

TRADIÇÃO

REVERÊNCIA

CTG 93 comemora aniversário com histórico de atividades sociais e valorização da cultura do Rio Grande

A história de amor à pátria do bageense que participou da II Guerra Mundial

Página 12

Página 13

www.jornalfolhadosul.com.br

Gaúcho

FOLHA SUL

R$ 1,50

BAGÉ, SEGUNDA-FEIRA, 9 DE SETEMBRO DE 2013 - Ano 3 - N° 1023

Caminhada cívica e desfile militar são marcados por celebração e protestos

Povo na rua

Fotos: Antonio Rocha

POLÍTICA Comissão de vereadores informa que faculdade IDEAU está disposta a sediar curso de Medicina em Bagé Página 4

PROTESTO Mobilização pede agilidade na obra da estrada Bagé-Lavras

Página 5

ESPETÁCULO Tertúlia livre na cidade cenográfica atrai grande público

Página 11

O TEMPO HOJE Bagé - RS Sol com algumas nuvens. Não chove.

14º

Milhares de bageenses foram à avenida Sete de Setembro para acompanhar a programação que marca a Independência do Brasil. Enquanto militares desfilavam e estudantes apresentavam temas relativos à valorização da pátria e de personalidades históricas, manifestantes também deixaram seu recado. As manifestações unem passado e presente ao recordar a construção da soberania e a indignação de que o país precisa de melhorias em diversos setores. Por outro lado, um grupo de ciclistas assinalou a data com uma Página “pedalada” entre os municípios de Lavras do Sul e Bage.

7

28º


SEGUNDA-FEIRA

2

9 de setembro de 2013

OPINIÃO

ENQUETE Bageenses avaliam que protestos perderam força em relação a julho A enquete da última semana da FOLHA do SUL questionou os internautas sobre o protesto realizado em Bagé no último dia 26 de agosto, quando manifestantes saíram às ruas munidos de cartazes e palavras de ordem, reivindicaram aspectos locais como a construção da Barragem da Arvorezinha, construção da Unidade de Pronto Atendimento e a redução nas tarifas de transporte público. Porém, diferente das manifestações de junho, apenas 40 pessoas participaram da mobilização. Um dos motivos para a baixa adesão dos manifestantes foram as baixas temperaturas daquele dia. A FOLHA do SUL quis saber se o internauta concorda ou não que as manifestações em Bagé, assim como no Brasil, “esfriaram” em termos de mobilização e participação.

SIM. Porque, em junho, a pauta das reivindicações coincidiu com a Copa das Confederações tornando as manifestações das ruas um “evento” social que ganhou ampla cobertura da mídia nacional impulsionando que milhões se mobilizassem - 88,9% NÃO. Porque após a amplitude das manifestações em todo o Brasil, influenciadas pelo contexto da Copa das Confederações, as manifestações agora se tornaram pontuais com exigências e reivindicações locais - 11,1%

Enquete da semana

O projeto de lei da vereadora Márcia Torres (PT), que tornava o dia 17 de julho, data de aniversário de Bagé, feriado municipal, foi rejeitado no Legislativo no último dia 5. A proposta motivou o comparecimento de lideranças empresarias à Câmara, onde se reuniram com vereadores para questionar a iniciativa. Ao fim da votação, apenas Márcia votou favorável enquanto os demais vereadores rejeitaram a iniciativa. A petista, entretanto, garante que irá reapresentar o projeto ano que vem, alegando que alguma outra data estabelecida como feriado municipal pode ser alterada. Perguntamos: você concorda que a data de aniversário de Bagé vire um feriado municipal?

SIM. Municípios da região, como Candiota, Hulha Negra e Aceguá assinalam seus aniversários. Isso permite uma celebração maior por parte da população. Além do mais, em um país que defende o chamado “estado laico”, aberto a todas as religiões, há feriados, como Corpus Christi, que poderiam deixar de ser estabelecidos pelo município e trocados pela data de fundação da Rainha da Fronteira. NÃO. Existem feriados demais no país. A produtividade de diferentes setores é prejudicada com a interrupção das atividades. O aniversário do município pode ser comemorado em uma data fixa, como o domingo mais próximo de 17 de julho. Além disso, há uma cultura de celebrações religiosas préestabelecida que não pode ser modificada com uma decisão política sem passar pelo crivo da população. Participe: www.jornalfolhadosul.com.br Josias Borges

Compare antes de investir Nas últimas colunas, você pode acompanhar, de maneira mais intensa, algumas informações sobre fundos de investimentos. Esta modalidade é muito interessante também por outro motivo: é de fácil comparação. Na prática, permite que você, a partir do conforto de sua casa, consiga comparar a performance dos mais variados fundos entre si e, inclusi-

ve, com o seu investimento atual. Isto ocorre devido ao fato de que os fundos de investimento devem manter aberto ao público seu desempenho. Para acessar essas ferramentas é muito simples. Basta que você acesse o portal www.xpi.com.br e procure a plataforma one stop. Pronto. A partir daí você terá informações de todos os fundos de investimentos dispo-

níveis para auxiliar você em sua tomada de decisão. É importante lembrar que você poderá comparar o desempenho de qualquer fundo com outras aplicações como CDB, poupança, entre outras. Lembrese: uma pequena diferença entre rentabilidades pode significar uma gigantesca diferença no seu capital no longo prazo. Pense nisso e tenha oma ótima semana. josias.borges@gbinvestimentos.com.br

Sérgio Meth A Escolha

Se olharmos para os últimos cem anos na história da humanidade, podemos dizer que, sem sombra de dúvidas, este é o século mais sangrento de todos. Se alguém duvida, podemos enumerar alguns episódios rapidamente: Primeira Guerra Mundial, Extermínio de Armênios, Guerra Civil Espanhola, Segunda Guerra Mundial, Holocausto, Guerra da Coréia, Guerra do Vietnam, etc. A lista parece infindável. Mesmo aqui, na América do Sul, tivemos um conflito nos anos 30 entre Paraguay e Bolívia que ficou tristemente conhecido como Guerra do Chaco. Os motivos que levam dois países a se destruírem mutuamente são muitas vezes mais complexos do que pensamos. Políticos experientes não tomam este passo sem ter certeza de ter apoio interno e externo para tal. Mesmo assim, esta é uma decisão pesada muito bem em sociedades maduras. O preço de um conflito pode ser alto demais. Em outras palavras, sabe-se como é a entrada na guerra, nunca se sabe como será a saída. O presidente americano Roosevelt deu sinal verde para a entrada dos Estados Unidos na Segunda Guerra apenas após o ataque a Pearl Habor e após ter certeza de que teria apoio interno. Antes do ataque, navios americanos eram atacados por submarinos nazistas no meio do Atlântico, mas mesmo assim a opinião pública era contra a entrada em um conflito distante de casa. Político prudente e ciente das suas limitações, Roosevelt, apesar de apoiar a Inglaterra, preferiu esperar o momento certo. Recentemente tivemos um conflito na atual Bósnia, em que um relutante Clinton esperou até o último momento para fazer uma intervenção muito limitada, mas que mesmo assim teve efeitos sem sombra de dúvida benéficos do ponto de vista humano. Quando ficou bem claro que a intervenção externa era necessaria e que o preço humano estava se tornando excessivo, a comunidade internacional teve que agir, não por imposição de este ou aquele pais, mas por decisão da maioria. A oposição russa a estas intervenções é bastante lógica. Muitos conflitos ocorrem perto das fronteiras ao sul da antiga União Soviética, e qual o governante russo que não ficaria nervoso de saber que existem tropas estacionadas perto da borda? Para piorar o fato do ponto de vista estratégico, a política internacional da Rússia, seja czarista, comunista ou atual, sempre foi no sentido de se conseguir uma saída para o Oceano Índico através do Iran. Os russos travaram uma guerra cinco séculos atrás, para ter a sua saída para o Atlantico (São Petersburgo) e depois desbravaram toda a Sibéria para ter uma no Pacífico, ao norte da China. Uma simples olhada no mapa pode esclarecer o porque de eles não serem a favor de intervenções externas perto do território deles. A estória que acompanhamos agora na Siria parece ser uma repetição de outros episódios semelhantes. Atrocidades estão sendo cometidas à vista de todos. Prefiro não denunciar este ou aquele lado, já que em toda e qualquer guerra, todo mundo faz coisas que não são boas. Isto faz parte da lógica de um conflito. Qualquer conflito! Não existe lado bom ou mau. Existem vítimas, a imensa maioria entre os civis, que pouco ou nada podem fazer. O uso de gás na Siria é extremamente sério, mas pode-se ver que existe uma inércia da comunidade internacional para se tomar (ou melhor não tomar) uma atitude. Paises são movidos por interesses, mas existe um lado humanitario que precisa ser considerado tanto quanto o político ou o econômico. Se tomarmos todo este quadro, pode-se ver as razões que fazem com que este conflito na Siria continue por tanto tempo que já está sendo chamado de “a guerra esquecida”. Qual o caminho a ser tomado? O próprio Obama está tendo oposição doméstica para aquilo que a opinião pública americana parece estar vendo como mais uma aventura do governo, mais um Vietnã ou Iraque. O apoio externo parece ser minguado. Provavelmente se alguma ação for tomada, esta deverá ser limitada. Esperemos que uma solução de compromisso possa ser encontrada por via diplomática. As crianças sirias agradeceriam com certeza. Sérgio Meth é professor da UNIPAMPA Universidade Federal do Pampa – Campus Bagé

facebook.com/JornalFolhaDoSul

Direção

CNPJ. 11.381.681/0001-00 Endereço: Rua Bento Gonçalves, 49-E/ Fones: Assinaturas: (53) 3242-1020 Redação: (53) 3311-3915 jornalismo.folhadosul@gmail.com anunciosfs@gmail.com www.jornalfolhadosul.com.br Impressão Correio do Povo

Administrativa: Jônio Tavares Ferreira de Salles Neto Comercial: Leisa Soria Marketing e eventos: Fabiano Marimon Circulação: Aceguá, Bagé, Candiota, Dom Pedrito, Hulha Negra, Lavras do Sul e Pinheiro Machado

Repórter Fotográfico: Antonio Rocha Colunistas Colaboradores: Afonso Hamm - Dom Gílio Felício -Edgar Muza - Josias Borges - Léo Vieira - Luiz Fernando Mainardi Luís Augusto Lara - Sérgio Meth - Waldir Alves Ramos - Eurico Salis - Fernando Velloso

REDAÇÃO - Editor Geral: Glauber Pereira Subeditor Geral: Felipe Valduga - Chefe de Redação: Marcelo Pimenta Coordenadora Comercial: Camila Estagiária: Giuliana Bruni Diagramação comercial: Diego Almeida Soares Gerente de Circulação: Daniel Guasque Comercial: Fabiana Rodrigues Diagramação: Cristiano Lameira e Vinícius Silva Revisão: Taisa Soares Reportagem: Emanuel Müller - Fernanda Mendonça Gilmar de Quadros - José Higino Gonçalves - Juliana Andina - Marcos Pintos - Niela Bittencourt - Rochele Barbosa - Stela Vasconcellos - Marcelle Ceolin


-

a a a s a o m ,

Indicadores econômicos INDICADORES Salário Mínimo Salário Regional Global 40 CDI SELIC IPCA IPC IGP-M INPC

Valor

Atualização

R$ 678,00 R$ 770,00 128,31% 6,94% 7,25% 0,86 1,15 0,29 0,92

2013 2013 4 março 2013 4 março 2013 16 janeiro 2013 16 janeiro 2013 10 out 2012 10 out 2012 10 out 2012

MOEDAS Dólar Comercial

3

Compra

Venda

2,304

2,304

Dólar turismo (em R$)

2,240

2,407

Euro (em R$)

3,036

3,036

Libra (em R$)

3,610

3,593

Pesos arg.(em R$)

0,391

0,403

Pesos Ur.(em R$)

0,104

0,103

ASM Materiais de Construção e Stela Vasconcellos Caixa promovem Construcard

eVantagens , O Construcard tem taxas de juros atrativas: 1,79% ao mês. a O cliente tem até 96 meses para a pagar, com carência de seis meses, e o que significa que pode se estrue turar para uma grande reforma ou s um pequeno reparo, sem ter que aQuem pode aproveitar Para fazer o Construcard, basta o apresentar os documentos necessários e ter o cadastro aprovado. Projetos, e plantas e demais comprovações sobre . a necessidade de utilização do dinheiro são dispensados. Mesmo pessoas de

Antonio Rocha

Mistura da Terra lança novo ciclo de palestras

Os bageenses já podem reservar sua participação no Ciclo de Palestras de Setembro, promovido pelas farmácias Mistura da Terra. Quatro datas vão tratar de temas como flora intestinal, balão intragástrico, diagnóstico por imagem e diabetes. “Conhecendo o Amigo Invisível: Segredos da Flora Intestinal” será o primeiro tema abordado, no dia 13, às 15h, pelo médico gastroenterologista Horácio Joaquim Perez.

No dia 18, às 14h, o médico gastroenterologista Carlos Eduardo dos Santos vai falar sobre “Balão Intragástico: Uma alternativa para a perda de peso”. No dia 24 de setembro, às 14h, a médica radiologista Alice Araújo Salis vai falar sobre “Diagnóstico por Imagem na Prevenção de Doenças”. Em 26 de setembro, às 14h, a nutricionista Renata Meireles vai abordar o tema “Nutrição no Diabetes”.

Homenagem ao Brasil

Albano convida para oportunidade única

desembolsar tudo de uma vez ou pagar juros mais altos. O melhor de tudo é comprar pelo preço à vista. “A pessoa compra conosco pelo valor à vista. Se tivermos promoções, ele poderá aproveitar”, acrescenta Albano. baixa renda podem solicitar o cartão. “Para materiais de construção não tem nada melhor. Os valores liberados são significativos e o parcelamento é facilitado. A aprovação é válida por seis meses.

Documentos necessários Para solicitar o Construcard, são necessários os seguintes documentos: Carteira de Identidade (CI), Cadastro de Pessoa Física (CPF), comprovante de renda (contra-cheque) e comprovante de residência (conta de luz).

Onde Rua João Telles, 1357 Fone: 3242-8166

Stela Vasconcellos

s A parceria entre a ASM mMateriais de Construção e aa Caixa Econômica Fedeoral - na administração de ,financiamentos de produtos para construção, reforma ee ampliação - vai reeditar -uma campanha que promove o Construcard. Amanhã, aquarta e quinta-feira, a loja vai manter um estante, com informações especializadas. O gerente da loja, Aloísio Albano, explica que o egerente geral da agência local da Caixa, Dieter Harold Bader, vai acompanhar, de rperto, a equipe que se deslocará para realizar o atendismento na ASM. “O objetivo aé facilitar o cadastramento e ea liberação do Construcard”, complementa Albano.

A é

GERAL

SEGUNDA-FEIRA 9 de setembro de 2013

Na Semana da Pátria, a Solaetela criou uma decoração especial, centrada na Bandeira Nacional. Tons de verde e amarelo foram harmonizados com os produtos da loja e uma bela gaiola de pássaro. O significado, cada espectador cria o seu.

Bandeira em destaque na vitrine

Banrisul financia pagamento do 13º salário O Banrisul disponibiliza, a partir de hoje, linha de crédito especial para financiar o pagamento do 13º salário aos empregados das empresas. A modalidade de empréstimo, que pode ser solicitada por qualquer ramo de atividade e porte de empresa, oferece condições especiais para os atuais e novos clientes pessoa jurídica do Banco. As empresas podem parcelar o pagamento em até 12 meses, com até 90 dias de carência para pagar a primei-

ra parcela. Neste caso, o pagamento da primeira prestação poderá ocorrer em até 120 dias a partir da liberação do crédito. O limite máximo para cada operação é de até 100% do valor total da folha de pagamento da empresa. O financiamento será liberado mediante a avaliação do cadastro e as condições de crédito da empresa. Os clientes interessados podem procurar a agência do Banrisul onde são correntistas.


4

SEGUNDA-FEIRA 9 de setembro de 2013

Emanuel Müller

POLÍTICA emamuller@gmail.com

Faculdade Ideau informa a vereadores interesse em receber curso de Medicina em Bagé Na tarde do último dia 6, a Comissão Especial que trata sobre a instalação de um curso de Medicina em Bagé esteve reunida com a direção da Faculdade Instituto de Desenvolvimento Educacional do Alto Uruguai (Ideau). O diretor da instituição, Luciano Munhoz, recebeu os vereadores Divaldo Lara (PTB), Sônia Leite (PP), Omar Ghani (PT) e Edimar Fagundes (PRB). Na oportunidade, Munhoz informou que a Ideau pretende se habilitar para oferecer o curso de Medicina. “Independente do curso ser implementado em uma faculdade pública ou privada, estamos juntos nesta luta. Caso seja particular, demonstramos interesse em concorrer para que a Ideau ofereça o curso, pois faz parte do projeto de expansão da instituição”, ressalta Munhoz. O diretor complementa que se a faculdade não for escolhida pode oferecer cursos complementares. Divaldo salienta que o curso implementado na rainha da fronteira beneficiará cerca de 386 mil pessoas, beneficiando diretamente 12 municípios de toda a região em termos de educação, desenvolvi-

Vítor Garcia/Especial FS

Encontro entre direção da Ideau e vereadores ocorreu ontem

mento e principalmente, na saúde. Sônia lembra que esta é uma luta que iniciou há quatro anos. A vereadora ressalta que o estudo levantado identificou o panorama da região em termos de quantidades de médicos, da saúde e de todos os benefícios que o curso trará. Fagundes entende que o curso suprirá a carência de atendimentos, visto que, em algumas cidades da região, como Pinheiro Machado, há uma média de um médico para cada 5

mil habitantes. Munhoz destaca a preocupação institucional da Ideau em fazer com que os alunos permaneçam na região para, que, depois, desempenhem suas profissões no local onde estudaram. “Só com união conseguiremos conquistar esse objetivo. Saímos da reunião contentes com as informações e com o apoio da Faculdade Ideau em nos apoiar nessa importante causa”, ressalta Divaldo Lara, que preside a comissão.

Legislativo aprova criação do Programa Municipal de Aquicultura Por unanimidade, a Câmara de Vereadores aprovou na sessão do último dia 5 o projeto de autoria do Poder Executivo que cria o Programa Municipal de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva da Aquicultura Familiar. O tema fora apresentado na forma de anteprojeto pelo vereador

Edimar Fagundes (PRB). A iniciativa prevê a utilização de recursos na promoção de ações de apoio e incentivo à atividade. Fagundes explica que a proposta será custeada pelo Ministério da Pesca, sem gerar ônus para o município - que ficaria com a res-

ponsabilidade de organizar o planejamento e a execução do programa. “O projeto vai causar um grande impacto na geração de emprego e renda para o município. A proposta do ministro Marcelo Crivella é enriquecer a cultura da pesca no país”, ressalta o vereador.

Câmara tem extraordinárias hoje O Poder Legislativo tem mais uma rodada de sessões extraordinárias previstas para hoje. Destaque para dois projetos. O 105/13, de autoria do Poder Executivo, que solicita a contratação de financiamento com a Caixa Econômica Federal dentro do programa PróTransporte (PAC 2 – 2ª etapa). O valor é de aproximadamente R$ 20 milhões para obras de pavimentação e infraestrutura nos bairros Popular, Alcides Almeida, Mingote Paiva, Malafaia, Ivo Ferronato, Parque Marília, Ibajé, Brasil e Habitar

Brasil. A proposta ficou em vistas em diferentes comissões do Legislativo porque a oposição questiona o impacto financeiro do contrato. A outra iniciativa que merece destaque é o projeto de Decreto Legislativo 001/13, de autoria do vereador Omar Ghani (PT) que altera o Regimento Interno e acaba com a votação secreta nas sessões da Câmara. Hoje, em Bagé, passam por esse procedimento as concessões de títulos de Cidadania e os vetos do Executivo. Também estão em pauta os

projetos 119/13, que autoriza o Poder Executivo a abrir crédito adicional especial, no valor de R$ 26.116 (com objetivo de implementar rede de proteção social básica e orientação e apoio sócio familiar na comunidade quilombola), 130/13, que autoriza o Poder Executivo a abrir crédito adicional especial, no valor de R$ 720.000 (para aquisição de retroescavadeira e motoniveladora) e o 131/13, que institui campanha de premiação a cidadãos do município para o exercício de 2013.

Edgar Abip Muza Muza Visão Geral

As diferenças entre o pequeno e o grande “ladrão” Em todos meus anos de comunicador, sempre enfatizei porque o pequeno ladrão vai direto para a cadeia e é uma luta para sair, mesmo sendo “inocente”. Alguns exemplos em que me fundamento. A mulher que roubou um pote de margarina em um supermercado, levou três meses para ser solta. O cidadão que roubou uma galinha, após provar que era para o sustento de seus filhos, levou quatro meses para ser solto. Assim mesmo, o Ratinho, aquele da televisão, teve que botar, à disposição, um time de advogados para que fosse possível sua soltura. Mesmo assim, levou tempo. Enquanto isso, grandes “ladrões de casaca”, pegos com a boca na botija, são presos preventivamente. Eles aguardam acórdão que, nada mais é, que a impossibilidade de outros recursos. Todos estão esgotados. A conclusão é uma só: O grande tem dinheiro suficiente para contratar grandes bancas de advogados. O pequeno sequer tem dinheiro para dar alimento a seus filhos. É a Lei que está errada? Não é o “dinheiro” que consegue, nas entrelinhas das Leis, achar uma vírgula para defender seu cliente. Eu sei que existem alguns magistrados que usam a Lógica para interpretar a Lei. O que eu acho certo, mesmo sem ser entendido em Direito. Na semana que passou veio á tona mais um exemplo do que estamos comentando. Os senhores lembram da madame Rosemary, aquela amiga de Lula? Sobre ela pesam fortes denúncias de corrupção. Com muitas provas contundentes. Ela está “vivendo” normalmente. A causa: “A milionária defesa de Rosemary Noronha” “Desde que a polícia fez uma busca em seu escritório e colheu provas contundentes de que a ex-secretária levava uma vida de majestade, ela cercou-se de um batalhão de quase quarenta advogados para defendê-la. São profissionais que, de tão requisitados, calculam seus honorários em dólares americanos, mas que, nesse caso, não informam quanto estão cobrando pela causa, muito menos quem está pagando a conta. Acostumado a cuidar dos interesses de empresários como o bilionário Eike Batista, o criminalista Celso Vilardi defende Rosemary na esfera penal. Já no processo disciplinar em andamento na Controladoria-Geral da União (CGU), atuam dois pesos-pesados do direito público, que têm entre seus clientes banqueiros e mega companhias como a Vale. O advogado Fábio Medina Osório cuidou da formulação da defesa de Rosemary e agora atende apenas a empresa da família, a construtora New Talent. Já o advogado Sérgio Renault foi escalado para acompanhar o desfecho do caso - prestes a chegar à mesa do ministro Jorge Hage - na CGU”.

Voltei

A matéria não especifica quem está pagando as bancas de advogados. Ora, senhores, se o nome Rosemary Noronha pode complicar a vida de muita gente “boa”, é claro que se sabe quem paga a defesa milionária. Ela “defendeu” em suas funções os interesses de grandes empresários, banqueiros e do ex- Presidente Lula, por ser sua “amiga” íntima. Qualquer coisa que venha a acontecer com ela, forçosamente, irá expor este “time grande”. Então, o processo vai demorar. Concordam?

E a Marina Silva vai “emplacar” sua Rede?

O tempo passa rápido. O limite para trocar de partido termina dia 5 de outubro. Faltam menos de trinta dias. A Marina Silva tenta formar seu novo partido. Segundo ela os tribunais regionais não estão agilizando ás fichas de inscrição. Ela corre o risco de não conseguir em tempo hábil. Segundo notícias vinculadas ontem, o grupo que a acompanha tenta convencê-la a filiar-se em sigla já existente. Que seria difícil a formação de seu novo partido, até o “senil” velho de guerra já sabia. Tanto é verdade que comentamos a “pesquisa” em que muitos nomes que foram apresentados afirmavam que não seriam candidatos. Inclusive o da Marina Silva aparecia com boa cotação. Perguntei: Ela terá partido até outubro? Pois bem o único que não foi colocado á disposição de quem era pesquisado foi o do Serra. Ele nunca havia afirmado que não disputaria internamente a indicação. E isso ficou provado mais adiante. Então, meus jovens, as “jogadas” ensaiadas não acontecem só em futebol. Certo?


GERAL

Mais um protesto na Bagé-Lavras Com churrasco e chimarrão, assim ocorreu na manhã de ontem, em São Sebastião, distrito de Dom Pedrito, o segundo protesto, “ Cadê nosso Asfalto?”, para reivindicar melhorias na estrada RSC 473, que liga o município de Bagé a Lavras do Sul, além de abranger Dom Pedrito e São Gabriel. Entre as reivindicações, a contratação imediata de uma empresa para pavimentar os outros trechos da via. Pois, hoje a obra ocorre apenas no primeira parte de 22,7 quilômetros que vai de Bagé até São Sebastião. A pecuarista e uma das organizadoras da manifestação, Marli Camargo Condes Fernandes, que tem propriedade rural no segundo distrito de Lavras do Sul diz, que ainda há projeto para os outros trechos da 473, afirma: “Muitos dependem dessa estrada”. As más condições do RSC acabam afetando os seus negócios. “Eu só faço negócio com Lavras, com Bagé não tem condições”. Ela conta que, numa ocasião, comprou cavalos em na cidade e teve muita dificuldade em trazê-los para a sua fazenda. “Eu tive que implorar para que os freteiros transportarem os animais”. Ela explica que é difícil achar caminhões que queiram fazer o trajeto e, quando fazem, acaba saindo caro. “São dois polós agropecuários fortes, mas que acabam ficando isolados”. Ela acrescentou que é hora de cobrar dos políticos as promessas feitas.

Divulgação/FS

O caminhão guincho impediu a passagem dos carros

“Nosso movimento é político, mas apartidário”. Já a pouca adesão dos políticos ao protesto se explica, de acordo com a organizadora, pelo fato dos microfones não terem sido abertos a eles no último protesto, ocorrido no dia 2 de junho. A represente comercial e também uma das líderes do movimento, Luciane Delabary, ressaltou a ligação que existe entre os municípios de Bagé e Lavras. “Bagé é referência na saúde para Lavras. Quem precisa fazer hemodiálise tem que pegar outra estrada, o que atrasa a viagem”. O pecuarista, morador de Bagé, Jaime Tadeu Barbosa, usa a RSC para trabalhar, porque tem uma propriedade há 62 quilômetros da cidade onde reside. “Eu só venho nos finais de semana, mas se

a estrada fosse melhor, eu poderia vim mais”, comenta Barbosa. Para não estragar o carro, ele usa a motocicleta para se deslocar, apesar da falta de segurança, não há outra opção. A manifestação bloqueou a estrada por cerca de duas horas, das 12h30min até às 14h30min, com um caminhão guincho, que abrigava bandeiras das cidades dependentes da 473 e do Brasil. “O protesto é cívico já que estamos na semana da pátria”, comentou Luciane. A representante comercial esclareceu que o bloqueio não tinha a intenção de causar transtornos, mas sim de chamar atenção para a comunidade que usa a estrada.

SEGUNDA-FEIRA 9 de setembro de 2013

5


6

SEGUNDA-FEIRA 9 de setembro de 2013

Mercado agrícola Produtos

RURAL

Acompanhamento de preços recebidos pelos produtores do Rio Grande do Sul Unidade Mínimo Médio Valores em reais

Arroz em Casca Feijão Milho Soja Sorgo Granífero Trigo Boi para Abate Cordeiro para Abate Suíno Tipo Carne Vaca para Abate Leite (valor líq. recebido)

50 Kg 60 Kg 60 Kg 60 Kg 60 Kg 60 Kg Kg vivo Kg vivo Kg vivo Kg vivo Litro

31,00 90,00 26,00 53,80 22,40 30,00 3,20 3,30 2,10 2,90 0,70

Projeto de Lei que visa regulamentar o turismo rural é aprovado A Comissão de Turismo e Desporto da Câmara Federal aprovou, recentemente, o Projeto de Lei 5077/09, do ex-deputado Sílvio Torres, que visa regulamentar o turismo rural. O relator na Comissão foi o deputado federal Afonso Hamm (PP-RS), que é vice-presidente da CTD. Ele explica que com o novo texto, oficialmente o turismo entra nas atividades exercidas no campo, o que facilita a regularização fiscal dos fazendeiros que gerenciarem negócios na área. O texto aprovado é o substitutivo do Senado ao Projeto de Lei que havia sido aprovado pela Câmara em dezembro de 2010. A proposta original enumerava as atividades do turismo rural, como hospedagem e alimentação. A medida deve facilitar a vida dos proprietários que têm hotéis, restaurantes ou promovem visitas ao campo e que não

Divulgação/FS

Para Hamm, a iniciativa permitirá o fortalecimento dessa nova atividade

conseguem se regularizar. “A iniciativa vai permitir o fortalecimento dessa nova atividade, da qual se espera grandes benefícios em termos de empregos e renda gerados no campo”, enfatiza Hamm.

A proposta será analisada agora pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Depois, será votada no Plenário.

Máximo

32,64 123,58 28,35 56,66 22,73 31,46 3,29 3,69 2,59 2,95 0,75

25.02.2013 a 01.03.2013

35,00 140,00 31,00 59,00 23,00 35,00 3,40 4,20 2,80 3,10 0,83

Fonte: EMATER/RS-ASCAR

Carne de cordeiro consolida atividade de pecuaristas familiares O fomento da pecuária familiar, por meio de parcerias com empresas, possibilita que se coloque, no mercado, produtos diferenciados, como a carne de cordeiro produzida na região. Essa é uma das estratégias da Rede Alto Camaquã para a valorização desses produtores funcionando também como prática para a consolidação da ovinocultura, como atividade geradora de renda para as famílias de pequenos produtores rurais. Com esse intuito, os Sindicatos dos Trabalhadores Rurais de Lavras do Sul e Pinheiro Machado estão imbuídos em ressaltar o trabalho da Rede Alto Camaquã, que engloba 18 associações e mais de 180 pecuaristas familiares, de todos os municípios que compõem a região do Alto Camaquã, que é uma das mais preservadas do RS, com 70% da cobertura vegetal do

Bioma Pampa. O trabalho de organização da produção de diversas entidades, entre elas a Embrapa Pecuária Sul e da Associação de Desenvolvimento do Alto Camaquã (ADAC), da qual os STR’s fazem parte, levou os produtores a terem uma escala de produção capaz de abastecer com carne de cordeiro o mercado de Porto Alegre, entre outras praças. Conforme o assessor da Regional Fronteira, Amilton Camargo, o Projeto Alto Camaquã está avançando e isso pode ser comprovado com as recentes parcerias com o Frigorífico Adiale, de Encruzilhada do Sul, e com o Shopping da Carne, de Porto Alegre, para a comercialização dos cordeiros desses pecuaristas familiares e associados dos STR`s que trabalham em consonância com o meio ambiente.

Decisões do Freio Jovem e Freio Proprietário ocorrem no próximo final de semana Depois de uma intensa programação de atividades concentrada em Esteio, durante a Expointer, as provas do cavalo Crioulo voltaram a ocorrer em diversas cidades. De acordo com o calendário da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), nove eventos estão agendados de 5 a 19 de setembro. O destaque da programação fica por conta das decisões do Freio Jovem e do Freio

do Proprietário. Entre os dias 13 e 15 de setembro, as competições voltam a Esteio, com a disputa das finais do Freio Jovem e do Freio do Proprietário. As decisões continuarão sendo realizadas no Parque de Exposições Assis Brasil, depois de terem sido transferidas devido aos transtornos causados pela chuva intensa que atingiu a região entre os dias 21 e 26 de agosto.


GERAL

SEGUNDA-FEIRA 9 de setembro de 2013

7

Cerca de 8 mil pessoas participaram da programação no sábado

Civismo marcado por organização, criatividade e protesto Estudantes, professores, ciclistas, jipeiros, motoqueiros, dançarinos, cantores, músicos, atores, skatistas, clubes de serviço, funcionários da prefeitura e de escolas, totalizando mais de 8 mil participantes, de acordo com dados da Secretaria Municipal de Educação (SMED), desceram a avenida Sete de Setembro, em comemoração ao Dia da Independência do Brasil, 7 de setembro, no sábado à tarde. O público também se fez presente, cerca de 10 mil pessoas, de acordo com estimativa da Brigada Militar, saíram as ruas para ver os desfiles. Como é tradicional na cidade, as escolas municipais foram as instituições que participaram em maior número da caminhada cívica, porém neste ano, o que se via eram crianças vestidas padronizadamente, já que os estudantes foram contemplados recentemente com o uniforme escolar. Além dos municipais, alguns colégios particulares e outros estaduais também desfilaram. Dando seguimento ao desfile, apresentou-se o Programa Mais Educação, que proporciona a oferta de atividades complementares, no turno inverso das aulas. Um dos destaques das oficinas é o grupo de percussão da Escola Municipal Creusa Brito Giogis. Formando em 2011, ano de implantação do programa

na instituição de ensino, mais de 30 meninos e meninas, do 3º ao 9º ano, aprendem a tocar instrumentos como bumbo, caixa e tambor em ensaios duas vezes por semana. Coordenados pelo músico Luis Vieira, os estudantes desceram a avenida Sete, embalando o público com a batida forte, semelhante à usada pelos músicos baianos do Olodum. Ainda tocando percussão, o programa Segundo Tempo, do governo municipal, surpreendeu a todos, quando na frente do palanque, montado para abrigar as autoridades que participam da ocasião, um grande número de jovens fez uma intervenção e começou a dançar sincronizadamente, ao som da percussão coordenada pelo instrutor, Beto Martinez. Desfilaram também integrantes de secretarias e coordenadorias. Além dos 90 carros da prefeitura, entre ônibus, veículos de passeio e máquinas, adquiridos na gestão do prefeito, Dudu Colombo. Para finalizar a Semana da Pátria foi extinta a chama, que ficou acesa de 31 de agosto a 7 de setembro e uma fagulha foi acesa na centelha que será levada pela Associação dos Amigos do Parque do Gaúcho até a chama farroupilha, simbolizando a união da pátria com as tradições gaúchas.

Fotos: Antonio Rocha

As escolas municipais desceram a avenida Sete de Setembro uniformizadas

Programa mostrou oficinas

Protesto

Os jovens ficaram em frente ao palanque e pediram a redução da tarifa de ônibus

Nem todos saíram às ruas para desfilar ou assistir as apresentações. Um grupo de aproximadamente 30 jovens aproveitou a data simbólica para protestar pacificamente. Eles chegaram ainda pela manhã ao local do desfile. Com máscaras e faixas, que pediam a redução da passagem do transporte coletivo, eles foram revistados e identificados pela Brigada Militar antes do evento ter início. Durante todo o desfile militar, permaneceram em frente ao palanque, mas com instruções para não se manifestar pela voz, também foi solicitado que

eles permanecessem sentados. Porém, quando começou a caminhada cívica, os manifestantes puderam usar da voz para reivindicar as suas solicitações. O ponto alto das palavras de ordem: - Baixa a passagem, direcionadas, principalmente ao prefeito Dudu Colombo, que se encontrava no palanque, foi durante a apresentação dos veículos pertencentes ao executivo. Os jovens ainda gritavam, durante a passagem do caminhão da coleta seletiva, que o benefício era somente para o centro da cidade. De acordo com um dos mani-

festantes, que não quis se identificar, a causa maior do protesto é o preço da tarifa do transporte público. “Por decreto nacional foi reduzido o confins, por que ainda não baixou a passagem? Para onde está indo esse dinheiro?”, questionou o jovem. Ele também acrescentou que Bagé tem tarifa de ônibus mais alta que 14 capitais brasileiras e que a minoria estava lutando pela maioria. No final da solenidade, os manifestantes sentaram no meio da avenida Sete de Setembro, com as suas faixas, e foram aplaudidos pelo público que assistia o desfile.


8

SEGUNDA-FEIRA 9 de setembro de 2013

SOCIAL “Melhor do que ter uma grande beleza, é ter um grande coração” Leonardo da Vinci

Tem início a nova era Cantegril Clube Sob clima agradável, quase primaveril, com o salão social bombando de gente conhecida, a nova diretoria do Cantegril Clube tomou posse na noite de sábado. À porta, a presidente Heloísa (Veveca) Madeira Brito, junto a sua vice, Sérvia Audino, e das diretoras Cátia Ieffet, Siomora Mansur, Kika Moreira e Márcia Mansur davam as boas-vindas a todos, com aquela simpatia e cordialidade que caracterizam as equipes femininas. À medida que os presentes iam se acomodando nas mesas, os garçons, orquestrados por Clodoaldo Monteiro, serviam, a todo o instante, os petiscos elaborados por Regina Macedo e seu staff. Na atmosfera, do início ao fim do evento, pairava um sentimento de renovação, esperança, mas, sobretudo, de força de trabalho. Em seu discurso, Veveca relembrou os áureos momentos da história social e esportiva do Cantegril que, desde a sua fundação, fora palco de emblemáticos torneios e magníficas festas. “Vamos fazer o que for possível para trazer a época de ouro do Cantegril de volta. Para isso, contamos com a colaboração dos sócios e convidamos todos aqueles que não o são, a integrar a família Cantegril”, disse ela. Ao final, Veveca chamou ao palco os diretores dos respectivos setores, para apresentá-los oficialmente aos presentes. À medida que o time ia se formando – sob trilha de aplausos – percebia-se que realmente tratara-se de pessoas comprometidas e que tem tudo haver com os setores aos quais dedicarão energia nos próximos dois anos. Na nominata: Sérvia Audino (1ª vice-presidente), Kika Moreira (2ª vice-presidente), Maria Conceição Silveira Pinto (secretária de cultura), Ronaldo Goettems (1º secretário), Tatiana Médici (2º secretária), Leonardo Marinho (1º tesoureiro), Regis Gehres (2º tesoureiro); Siomara Mansur, Catia Ieffet, Eveline Previtalli, Sílvia Dias, Márcia Mello e Augusto Xavier (diretores sociais); Ruth Salis (diretora de imprensa); Ana Lucia Sarmento, Mauren Piegas, Carolina Vieira, Rachel Morgado e Luciana Suñè (diretoras de obras); Kleber Lopes (diretor de esportes); Julio Lucas, Telmo Barcellos e Marcos Vinicius de Moura (diretores de tênis); Flávio Staevie (diretor de golfe): Antonio Budó, Edson Machado, Arthur Magalhães, Olavo Brasil e Tuco Morgado (diretores de futebol); Pedro Ducos e Gabriel Costa (diretores de Paddle); Paulo Henrique Machado e Eduardo Médici (sauna); Carla Torrescassana, Magda Zílio, Marta Vieira e Monica Vieira (piscina); César Piegas (diretor de patrimônio e meio ambiente); Marcelo Maurente (diretor jurídico); Álvaro Prates da Silveira, Custódio Magalhães, Carlos Vieira, Cesar Reiniger, Fernando Cardoso e José Carlos Ferrugem (conselho fiscal).

As anfitriãs Siomara Mansur, Veveca Madeira, Márcia Melo, Kika Moreira e Cátia Ieffet prometem uma gestão dinâmica e repleta de eventos

Michel e Laura Kaé

André e Eveline Previtali

Maria Conceição Pinto e Zilazinha Moglia

Fernanda Barbosa e Gonzalo Souza

Fernando e Kika Moreira


9

SEGUNDA-FEIRA 9 de setembro de 2013

SOCIAL

Vip List Cantegril Clube Como já contei a vocês, uma constelação de badalados e badaladas esteve presente à posse da nova diretoria do Cantegril. Dessa forma, criar uma vip list torna-se tarefa super difícil por correr-se o risco de esquecer alguém. Com a ajuda do colaborador paralelo Fábio Lucas, buscamos as imagens da memória para citar: Marcelo Maurente e Cristina, Mário Castro e Leilah, Bóris Delabary e Ana Maria, Piragibe Scardoelli e Angela, Isabel Messias e Lia Maria Quintana, Rinaldo Carvalho e Alessandra Santos, Ricardo Zuliani e Diene, Ênio Farinha e Marianinha, Ricardo Bedin e Naira, Lauro Vidal e Evelise Bittencourt, André Previtali e Eveline, Miguel Iefft e Cátia, Carlos Mario Mansur e Márcia, Felipe Meirelles e Cláudia, Gabriel Costa e Silvia Carvalho, Fernando Moreira e Kika, Gonzalo Souza e Fernanda Barbosa, Ricardo Lucas e Cibele, Luis Fernando Medeiros e Cássia, Ricardo Kalil e Eliane, Fernando Severo e Ana, Michel Kaé e Laura, Cléo Coelho e Lucinha, Bob Machado e Simone, Fábio Lucas e Fabiana, Valmor Coradini e Renata, Custódio Magalhães e Fernanda, Elton Gafrée e Liliane Deble, Felipe Martins e Luisa, Eduardo Médici e Tatiana, Carlos Eduardo Lamêgo e Bia, Romeu Mendonça e Luisa Marli, Luiz Alberto Vargas e Carminha, Jorge Chagas e Mônica Vieira, Ademir Souza e Ana Lúcia, Sérgio Carneiro e Luciene, Antônio Luis Silva e Gárdia, Vânio Minotto e Glória, Rodrigo Duarte e Luciana, Jaime Dalmolin e Cláudia, César Ceolin e Fernanda, Guilherme Madruga e Carina, Mário Pinto e Maria Conceição, José Alfredo Rodrigues e Maria Francisca, Leandro Saavedra Argenti e Simone, Cipriano Lacerda e Ana Celina, Zilazinha Moglia, Pablo Costa, Neli Bandeira, Benete Bernardi, Adelaide Brasil Sá, Mana Risch, Lézia Almeida, Cema Isquierdo, Vera Leite, Flávio Staevie, Rosali Oliveira, mais, mais...

Os primos Zuliani: Ricardo Rezende Zuliani e Rinaldo Zuliani de Carvalho com suas respectivas esposas, Diene e Alessandra

Eliane e Ricardo Kalil

Valmor e Renata Coradini, com seu belo sorriso

Ênio e Marianinha Farinha


10

SEGUNDA-FEIRA 2 de setembro de 2013


GERAL

SEGUNDA-FEIRA 9 de setembro de 2013

Santa Fé é palco de mateada

11

Fotos: Antonio Rocha

A 1ª Mateada e Tertúlia Livre da Cidade Cenográfica de Santa Fé ocorreu na tarde de ontem. O evento teve apresentações artísticas e musicais, como Grupo Folclórico Anitas, Mostra de Danças e apresentação peça teatral e desafio de trovas baseadas no tema Santa Fé. Os alimentos não perecíveis, doados pelo público, foram destinados às instituições que cuidam de idosos: José Auta Gomes, Vila Vicentina e Casa Dia Vicente de Paulo. O mate foi tomado na cidade de Santa Fé

Os bageenses lotaram o Parque do Gaúcho

Ciclistas também comemoram o Dia da Independência

A rota traçada é considerada turística

Os ciclistas saíram de Lavras do Sul

Ocorreu na manhã do último sábado, dia 7 de setembro, a Pedalada da Independência 2013. Com largada às 10h da Praça da Bandeira em Lavras do Sul, após a realização de um passeio ciclistico com comunidade escolar do município, os 45 ciclistas percorram 77km pela Estrada do Passo do Tigre, considerada uma rota turística. A chegada foi a partir das 13h na Praça Santos Dumont, onde os ciclistas foram recepcionados pela Ciclo Regert, organizadora do evento. Os últimos chegaram às 16h. O sol e o vento soprando a favor facilitaram a conclusão do percurso. O evento não teve caráter competitivo, mas sim de superação, tornando-se um momento de confraternização entre os participantes.

Festival de pandorgas coloriu o céu bageense A manhã de domingo também foi palco para o Festival de Pandorgas, que ocorreu na sede do Grêmio dos Subtenentes e Sargentos. As atrações ficaram por conta do Ba-Gua de bombachas e o Gre-Nal de saias. À tarde, houve almoço mateada, show musical, cinema ao ar livre e oficina de desenhos e pinturas.

Os objetos coloridos fizeram parte da tarde de domingo

Os bageenses levaram as suas pandorgas para o festival


12

SEGUNDA-FEIRA 9 de setembro de 2013

GERAL Sessenta e um anos de fundação

O legado do tradicionalismo bageense na história do CTG 93

O CTG 93 completa hoje 61 anos. Um dos maiores conhecedores da história da entidade é Armando Azambuja. Ele era guri, quando seu avô, o pecuarista, coronel Armando Xavier de Azambuja, fundou com a ajuda de amigos o CTG 93, em 9 de setembro de 1952. O começo de tudo foi despertado pela criação do 35 CTG, em Porto Alegre no ano de 1948. Quando ficaram sabendo do fato em Bagé, o coronel e seus parceiros se sentiram na obrigação, já que a cidade era ligada as tradições e tinha muitos pecuaristas, de fundar um centro da tradições gaúchas no município. O primeiro entrave foi a falta de uma sede. Como o coronel e os outros que aderiram ao projeto eram vincu-

lados ao Clube Recreativo Brasileiro, que era localizado na avenida General Osório, próximo ao banco Banrisul, onde hoje está instalada uma loja de utilidades, ele foi emprestado para as primeiras reuniões. Faltava o nome da entidade. Depois de algumas reuniões e de títulos como Rafael Pinto Bandeira e Barão de Santa Tecla, que não foram aceitos, se chegou ao consenso: 93. Esse seria o nome do CTG, a homenagem era dedicada a Revolução Federalista de 1893, entre Maragatos e Republicanos. O primeiro patrão do 93 foi Jaime Azevedo da Silva Tavares. Depois de um tempo instalado na sede do clube recreativo, o CTG se mudou para a avenida Sete de Setembro, próximo

Fernanda Mendonça

Azambuja conta com o orgulho a história do CTG 93

a Câmara Municipal de Vereadores. A atual sede foi sendo comprada aos poucos. Das lembranças de Azambuja, fazem parte as viagens que eram feitas para diversas partes do país. “O conjunto de dança (do qual ele fazia parte) se apresentou em diversos estados, Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia”. Mas ele ressalta que além da dança, a parte campeira também era levada e chamava muito atenção dos que não estavam familiarizados com a cultura do Rio Grande do Sul. “ Um vez nós fizemos churrasco e acampamos em Copacabana. Juntou muito carioca para ver”. Outra recordação, que orgulha Azambuja, foi a apresentação, feita nos anos 70, para o presidente Médici, na cidade do Rio de Janeiro, no Iate Clube.

O presente

Nos dias de hoje, o CTG 93 já não é tão cheio de vida, conforme Azambuja. “As pessoas não tem dinheiro e nem tempo”. Anteriormente, de acordo com o republicano, quando algum dos integrantes não tinha como pagar, outros sempre tinham recursos e investiam no centro. m Porém, apesar das mudanças, c ele declara que nunca se afastou do 93. d “É o meu centro de tradições. Eu quero continuar preservando as raízes”. d g d M

q R B d a q f n v m


GERAL

SEGUNDA-FEIRA 9 de setembro de 2013

13

A força militar no 7 de setembro Como já é de praxe, pontualmente às 13h, os militares de todos os quartéis da cidade começaram o seu desfile em homenagem à Pátria no dia 7 de setembro. Foram apresentadas as competências de cada guarnição, de veículos para combate a grupo de militares com especialidade e experiência para ir a missões de paz. Também desfilaram o corpo de bombeiros e as polícias Militar e Civil.

De acordo com o Comandante da 3ª Brigada de Cavalaria Mecanizada general Joarez Alves Pereira Junior, os 900 militares participam do desfile, assim como a comunidade. “ Nós não organizamos o evento, mas fizemos uma parceria com o prefeitura”. A autoridade também esclareceu que a existência do exército e a sua apresentação é relevantes, já que nenhuma sociedade está livre da guerra. Antonio Rocha

O último Pracinha

O pracinha veio em carro especial e saudado pelo público

Um dos destaques do desfile militar foi o pracinha, João Francisco da Silva, 89 anos. “Eu gosto de desfilar, me sinto orgulhoso”. O ex membro da Força Expedicionária Brasileira, lutou na Segunda Guerra Mundial, no território da Itália, e participou da batalha de Monte Castelo. Emocionado, Silva lembra que foi para a guerra, pelo 12º Regimento de Cavalaria (atual 3º Batalhão Logístico - Batalhão Presidente Médici - 3º BLog), sem avisar a família. “Eu disse para minha mãe que ia para o Rio de Janeiro, jogar futebol”. Mas quando estava subindo no trem com os demais soldados, foi visto pelo padrasto. A notícia não demorou a chegar até a mãe e as irmãs. Para ir para batalha, era pre-

ciso ter idade mínima de 18 anos, porém o pracinha tinha apenas 16, como era grande e gordo, segundo o seu relato, acabou passando por mais velho. “Eu não tinha registro e me candidatei para ir voluntariamente”. Apesar de ter sido um ato voluntário, Silva comenta que nunca tinha passado pela sua cabeça ir à guerra. A ideia surgiu de uma conversa com um amigo. “Nós estávamos trabalhando numa chácara e o meu amigo comentou que iria estourar uma guerra. Eu falei pra ele: - Vamos juntos?”. Foi o que aconteceu, os companheiros de serviço acabaram indo juntos para a Itália. O orgulho de atravessar o oceano é demonstrado no brilho dos olhos e na declaração. “Eu fui defender um pedacinho da bandeira”.

Na guerra A função dele e dos demais soldados era exercida uma semana no fronte e outra na retaguarda. “Quando íamos para a retaguarda, tomávamos vinho italiano”, recorda. Na maioria do tempo, a atividade era de observar o inimigo. “De dia só ficávamos olhando para onde eles iam. De noite, começavam os combates”. Eram usadas no confronto armas como canhão

e metralhadora “Não enxergavam nada, era tudo escuro, ainda mais porque a briga era de longe. Não sabíamos se matávamos um ou 10”. Mesmo tendo passado por muitos momentos ruins e ter visto amigos morrendo ao seu lado, ele diz que faria tudo de novo: “se eu pudesse, iria de novo. Podia ser que eu sobrevivesse de novo”.

A vida depois da guerra Após passar um ano e dois meses na Itália, ele foi licenciado, no Rio de Janeiro e voltou para Bagé. De volta a terra natal, começou a trabalhar

em chácaras e granjas. O militar recorda que a vida dele não foi fácil após a volta ao Brasil e que muitas vezes o sustento do filhos ficou

comprometido. Somente depois de muito tempo, ele foi reconhecido pelo exército e a vida melhorou. “Eu esperei mais de 30 anos para ser reformado”.

de fazer parte das atividades, ele diz que a saudade aperta. “Parece que eu to vendo os meus amigos”. Dono do piquete Maneia do Pago, todos

as tarde de domingos ele dança no baile. “Eu brinco, danço e isso ajuda a me manter forte”. Outro fator essencial na sua vida são os amigos.

O presente Hoje, Silva é presença garantida nos eventos dentro do quartel. “ Eles me buscam para todas as formaturas”. Apesar da felicidade


14

SEGUNDA-FEIRA 9 de setembro de 2013

SEGURANÇA

OBITUÁRIO Edelmira Silveira Pereira Silveira, 73 anos, aposentada, casada com João Bento Silveira Machado. Residia na rua 742, casa 221, Prado Velho. Deixa as filhas Regina e Zeni Rejane Orani Ferreira Dias, 70 anos, dona de casa, casada com Vilmar Silva Dias. Residia na rua São Carlos, 310, bairro Getúlio Vargas. Deixa os filhos Anderson e Cristiane. José Iraceli Ferreira Machado, 73 anos, aposentado. Residia na rua Erico Silveira, 2880, Ivo Ferronato. Daniel Rodrigues da Silva, 66 anos, aposentado, casado com Maria das Graças Silveira de Oliveira da Silva. Residia na rua Tulio Barcelos, 598. Deixa o filho Daniel.

Morre delegada regional do CRECI em Bagé Reprodução/FS

Élia Pinheiro tinha 56 anos

Faleceu na madrugada de ontem, em Porto Alegre, a delegada do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (CRECI) em Bagé, Élia Machado Pinheiro. Ela tinha 56 anos e faleceu após lutar contra um câncer. O corpo foi transladado para Bagé. O velório

reuniu grande número de pessoas. Élia era natural de D. Pedrito. Atuou durante anos no antigo Banco Meridional. Ela foi presidente do Rotary Bagé Sul e atuava também como advogada. O sepultamento ocorreu ontem à noite.

Incêndio no bairro Getúlio Vargas Antonio Rocha

Por volta das 9h da manhã do último sábado, dia 7 de setembro, uma casa pegou fogo na rua Orvandil Luz, 178, bairro Getúlio Vargas. A residência de alvenaria de 34 metros quadrados ficou destruída, porém não houve vítimas. A suspeita do Corpo de Bombeiros, que atendeu a ocorrência, é que as chamas tenham começado por causa de uma vela acesa.

Mãe suspeita que filha tenha lhe furtado Depois de voltar dos desfi- na rua Frei Ricardo Areze, nos les do Dia da Independência, por fundos da Santa Casa, tinha sido volta das 16h, uma mulher notou roubada. que sua residência, localizada A suspeita do crime é a filha

da comunicante que, segundo ela, é usuária de drogas e vive na rua. A jovem teria furtado o aparelho de DVD para sustentar seu vicio.

Divulgação/FS

Na manhã de domingo, às 7h15min, um adolescente de 17 anos foi abordado na rua General João Manuel, na praça conhecida como “Mimosas do Jacaré”, no centro, por um policial militar que estava de serviço. De posse do jovem, foram encontradas aproximadamente 17 gramas de uma substância parecida com maconha, um celular e o valor de R$ 5.

Furto com Droga encontrada agressão com menor Às 14h15min de sábado, uma senhora caminhava pela rua Silvio da Silva Tavares, próximo ao Quartel General, quando dois indivíduos a abordaram e colocaram uma faca em seu pescoço, enquanto outro lhe puxou a bolsa. Como a vítima resistiu, foi agredida com um soco na cabeça. Na bolsa, estavam mais de R$ 1.500, cartões de créditos e exames médicos.


ESPORTES

Bagé goleia e enfrenta o Brasil na quarta-feira

Antonio Rocha

Jalde-negros comemoram goleada sobre Farroupilha no Pedra Moura

Com uma excelente apresentação e aproveitando exemplarmente as chances criadas, o Bagé não tomou conhecimento do Farroupilha, ontem à tarde, no “Pedra Moura”, e chegou com - naturalidade à goleada de 4 x 0, mesmo sem titulares absolutos como Rodrigo Dias, Evandro - Moreira, Tiago Rocha e Alexandre A Matão. A garotada jalde-negra deu uma resposta altamente positiva e, com o resultado, o Bagé garantiu

presença nas semifinais do primeiro turno do zonal Sul/Fronteira, devendo, agora, realizar dois jogos com o Brasil, o primeiro deles na quarta-feira, no “Pedra Moura”; o segundo, no domingo, em Pelotas. O outro cruzamento será Pelotas x Farroupilha. O São Paulo, que, ontem, perdeu para o Brasil, por 2 x 0, gols de Éder Machado, fica fora das semifinais. O xavante pelotense terá, quarta-feira, o desfalque do atacante Cleiton, expulso diante

do São Paulo. O torcedor jalde-negro, presente em pequeno número ontem, deixou o estádio satisfeitíssimo com o rendimento da equipe de Badico, que realizou uma de suas melhores apresentações na temporada, justificando amplamente o contundente escore. O Farroupilha tentou reverter a situação no segundo tempo, exigindo pelo menos duas grandes defesas do goleiro Fernando Costa.

15

SEGUNDA-FEIRA 9 de setembro de 2013

Resumo esportivo higinobage@yahoo.com.br

VETERANOS – As chuvas do final da noite de sábado acabaram determinando a suspensão da rodada da categoria sênior, primeira e segunda divisões, da Liga Bageense. BRASILEIRÃO – Pela Serie A, em casa, o Grêmio ganhou ajustadamente da Portuguesa de Desportos. O Tricolor volta a campo na quarta-feira, às 21h50min, em Recife, contra o Náutico. O Internacional, em Campinas, derrotou de virada a Ponte Preta por 3 x 1. O Colorado terá dois jogos consecutivos em Novo Hamburgo, amanhã, diante do Santos, e quinta-feira, contra o Vitória. BRASILEIRÃO (II) – Pela Serie B, Palmeiras manteve a liderança, ganhando como visitante do Atlético Goianense por 3 x 1. Chapecoense, vice, um ponto a menor, derrotou o Boa Esporte por 1 x 0. Outros resultados: Sport Recife 0 x 2 Icasa, Paraná 1 x 2 Joinville. BRASILEIRÃO (III) – Pela Serie C, no interior paulista, a SER Caxias perdeu para o Mogi Mirim por 2 x 1. SELEÇÃO - Em Brasília, o Brasil goleou a Austrália por 6 x 0, gols de Jô (dois), Newmar, Alexandre Pato, Ramires e Luís Gustavo. Amanhã, às 22h (horário de Brasília), a equipe do treinador Felipão enfrentará Portugal, em Boston, nos Estados Unidos. TEMPO DE DECISÃO – Amanhã à noite, no ginásio da Associação Atlética Banco do Brasil, Abaf e Moranguinho começam a decidir o título máximo da Copa Triunfo Esportes de Futsal, categoria adultos. O jogo de volta será quinta-feira, no mesmo local.

Ficha técnica Bagé 4 x 0 Farroupilha Copa Regional – “Sul/Fronteira” Arbitragem – Peterson Luiz Regert, com os assistentes Ismael Mancilha e Pablo Sebastian de Mello 1º tempo - Bagé 2 x 0, gols de Diego Rocha aos 37 minutos e Luís Fernando aos 45 Final – Bagé, 4 x 0, gols de Luís Fernando aos 4 minutos e Kesler aos 7 BAGÉ– Fernando Costa, Héberson (Aguinaldo), Luís Gustavo e Diego Rocha; Alex, Pedro Júnior, Luís Fernando (Tainã Silva), Fernandinho (Vinícius) e Wesley (Altiere); Javier e Kesler Bastos (Diego Gouveia). Treinador: Rinaldo Costa (Badico) FARROUPILHA – Diego, Fuca, Wagner Rincon e Anderson; Carlos Alberto, Rafael Pelezinho, Cristiano, Juliano Madalena e Gabriel Lima; Ihuur e Gêisson. Treinador: Géverton Duarte

O novo talento no tênis Divulgação/FS

Leandro Ávila e João Henrique

João Henrique Ricaldone de Sousa tem apenas 12 anos de idade e já se torna uma referência em termos de tênis na cidade. Ele começou a praticar o esporte aos cinco anos, por influência do pai, o médico Elson Tamir de Sousa, e não parou, graças ao incentivo recebido. No ano passado, demonstrou seu talento, ficando em terceiro lugar no ranking SCA, que tem, em média, 300 inscritos por circuito. “É um menino carismático”, concordam Bruno Pichler e Maurício Gomes, diretores

do Bagé Tênis Clube, que demonstram muita satisfação pelo trabalho de base desenvolvido pelo BTC na formação de novos craques. Exultam com o fato de que Bernardo Pêgas, formado na entidade, está agora nos Estados Unidos para continuar os estudos e também a sua capacitação tenística. Desde 2010 João Henrique treina no BTC com o professor Leandro Áviula, trabalhando, em média, três horas por dia. No dia 20 de setembro, ele vai competir em Novo Hamburgo.

06/09/13 FEDERAL

1º 82.097 2º 75.618 3º 27.067 4º 95.577 5º 28.497 MEGA-SENA Nº 1528 04 13 15 19 36 58 LOTOMANIA Nº 1381 01 08 17 18 33 38 41 44 46 49 57 58 59 65 82 84 89 91 96 98

LOTOFÁCIL Nº 952 01 03 04 06 08 11 12 14 17 18 19 21 22 23 25 QUINA 3285 04 08 22 30 63 DUPLA-SENA Nº 1209 Primeiro sorteio 05 08 28 33 43 46 Segundo sorteio 09 24 30 34 47 50


www.jornalfolhadosul.com.br

BAGÉ, SEGUNDA-FEIRA, 9 DE SETEMBRO DE 2013

Gaúcho

FOLHA SUL


Folha do Sul Gaúcho Ed. 1023 (09/09/2013)