Issuu on Google+

Dica de Livro Ano IX - Edição n° 397 Sul Fluminense, 23 a 29 de abril 2011 redacao@folhadointerior.com.br www.folhadointerior.com.br Distribuição Dirigida

Interior forte, Estado forte!

Página 10

Acompanhe nosso jornalismo on line diariamente e fique bem mais informado - www.folhadointerior.com.br

“Salário da categoria aumentou 15% na minha gestão” Há cinco anos no comando do Sindicato dos Metalúrgicos do Sul Fluminense, o presidente Renato Soares, em entrevista ao Jornal Folha do Interior, faz balanço das conquistas obtidas em seu mandato, diz que os cursos de qualificação são prioridade em 2011 critica a CSN por não valorizar o trabalhador e revela que vai disputar a prefeitura de Volta Redonda pelo PDT. Páginas 4 e 5

Polêmica na venda de terreno do Saae em BM

Região paga R$ 5 milhões por anopelo uso das águas do Paraíba

Vitor Rocha

Segundo Ceivap, repasse é investido em projetos para preservação da bacia; comitê alerta para necessidade do tratamento do esgoto que é despejado no rio; deputados prometem brigar contra transposição. Página 8 - Economia

Diogo Nogueira, Frejat e Eyshila na Festa do Trabalhador em Piraí Programação tem ainda Feira dos Artesãos, desfile e corrida rústica. Página 10 - Entretenimento

Gincana Viva Óleo PT e PC do B denunciam leilão de terreno do Saae; partidos sustentam que preço do terreno foi subfaturado: Zé Renato diz que tudo foi aprovado pelo TCE e que estão querendo criar um fato político para desviar a atenção da população dos novos investimentos que a cidade vai receber. Página 3 - Política

Teatro marca abertura do projeto em Resende Página 9 - Geral


Geral

2

23 a 29 de abril 2011

TRÂNSITO

Vida besta! Certa vez, numa aula de física, meu irmão Jorge errou um problema simples e o professor o chamou de chimpanzé, ao que eu retruquei: chimpanzé sou eu. Ele é o chimpanjorge. A partir daí, os Irmãos metralha mudaram de apelido. Era divertido ser zoado pelo Scooby-doo, pelo Secreto, pelo Closeau, pelo Treze, pelo Espanta-nenê, dentre outros. Sou do tempo em que careca era pouca telha, baixinho era pintor de rodapé, gordo era rolha de poço e manco era deixa que eu chuto. Todos se divertiam e se respeitavam, ninguém saía ferido ou traumatizado. Hoje, aquelas pessoas são engenheiros, jornalistas, advogados, professores etc. Todos, profissionais bem-sucedidos e pessoas de boa índole. Os tempos mudaram. Qualquer coisa que se faça ou diga pode ser classificada como assédio, pedofilia, homofobia, racismo ou bullying. E todos nós temos grande chance de sermos processados. Tudo virou ofensa. Estão exagerando na dose. Por exemplo, a antiga e inocente prática de colocar apelidos ganhou um nome em inglês, virou tema de palestras, seminários, título de livros e uma oportunidade de negócios. Vamos tirar o pé do acelerador! Não estou fazendo apologia aos crimes de agressão física e moral por preconceito escárnio ou algum tipo de fobia. Defendo que as pessoas promovam o respeito mútuo, mas não percam o senso de humor. A sociedade está engessada. Os processos só rendem reparo material, não apagam as mágoas. Vale a pena, então, brigar por uma sociedade em que saibamos conviver com as diferenças. Fico pensando no Maurício de Sousa, que fez fortuna com personagens como a Mônica, baixinha, dentuça e gorducha, infernizada pelo Cebolinha do cabelo esquisito e pelo Cascão, que não toma banho. E tem mais: outros autores criaram Mortadelo e Salaminho, Bolinha, Bolota, Brotoeja, Recrutazero, Dentinho, Sargento Tainha, Quindim etc. Todos estes apelidos referiam-se a características físicas ou hábitos. E fizeram o maior sucesso. Hoje, seria bullying e renderia a maior dor de cabeça. Tenho saudades do meu tempo de escola, onde tudo era mais simples e mais puro, sem maldade. Revivo mentalmente todos aqueles momentos de descontração sem culpa. Sinto saudades do Fernando Cabrito, do Tonho Bocão, do Cafona, do Cara de Cavalo, do Roberto Tororomba, da Maria Bitu, do...

Número de infrações aumenta 92% em BM Estacionamentos irregulares são responsáveis por 52% das ocorrências Barra Mansa Dados da Guarda Municipal de Barra Mansa mostram aumento no número de infrações registradas no primeiro trimestre de 2011. Se comparado ao mesmo período do ano passado, 2011 já registra um salto de 3, 436 para 6,622, representando um acréscimo de 92%. Com relação as principais infrações cometidas no primeiro trimestre e divulgadas pela Guarda Municipal, o estacionamento irregular saiu na frente, sendo responsável por 52% das ocorrências, seguido do uso de celular ao volante, com 16%, falta do cinto de segurança, 13% e o avanço no sinal vermelho, que ficou com 7% das notificações. De acordo com o gestor de Segurança Pública Municipal, Jefferson Mamede, atualmente a Guarda Municipal atua com cem agentes nas ruas da cidade, onde a prioridade é o trabalho de educação e conscientização dos condutores. “Prova de que esse trabalho vem dando certo é que, apesar do índice de infrações ter registrado um aumento significativo, o número de autuações aplicadas pela guarda caiu em 43%, nes-

se primeiro trimestre, se compararmos com o mesmo período do ano passado. De janeiro a março de 2010 foram 1.709 multas e, nos três primeiros meses de 2011 apenas 984. Já o índice de advertências teve um aumento de 230%, saltando de 1.702 em 2010 para 5.620 em 2011 – comparou o gestor, ao ressaltar que o número de multas aplicadas, por dia, não atinge nem 0,9% da frota de veículos cadastrados no município, que atualmente está em torno de 54 mil. Conforme destaca Mamede, entre as ações realizadas pela Guarda Municipal estão incluídas palestras educativas com os

condutores flagrados cometendo algum tipo de infração, blitz educativas em pontos diferenciados da cidade e operações semanais integradas com o Detran (Departamento Nacional de Trânsito), policias Civil e Militar. “Também somamos a essas ações a ampliação do número de controladores de trânsito, que hoje atuam nas ruas da cidade, a distribuição de filipetas sobre as normas de trânsito e as campanhas periódicas realizadas em parceria com o PET (Programa de Educação no Trânsito)”, diz, ao informar que um total de 360 condutores já participaram das palestras realizadas neste ano.

Vandalismo causa prejuízo anual de R$ 120 mil para VR Volta Redonda Atos de vandalismo fazem com que a Prefeitura de Volta Redonda gaste, por ano, cerca de R$ 120 mil para reparar os prejuízos. A informação é do

Departamento de Energia e Iluminação Pública (Deip), da Secretaria Municipal de Serviços Públicos (SMSP) De acordo com o diretor do Deip, Sebastião Ribeiro Leite, os serviços de manutenção e reposição de obje-

tos como luminárias, lâmpadas e outros elementos do patrimônio público são realizados principalmente em monumentos, praças, na Avenida Beira Rio (na Vila Mury) e calçadão da Rua 2, no bairro Conforto.

Expediente Empresa Jornalística Folha do Interior Redação: R. Jose Marcelino de Camargo, 1.041, sala 801, Centro – Barra Mansa – RJ CNPJ – 05.587.149/0001-32 Insc. Estadual: 77.531.688 – Insc. Mun.: 525.218 Telefones: (24) 33248666 / (24) 92936572 E-mail: redacao@folhadointerior.com.br Site – www.folhadointerior.com.br

O Jornal Folha do Interior é uma publicação exclusiva da Emp. Jornalística Folha do Interior. Os textos não podem ser reproduzidos. Os artigos, colunas e opiniões assinados são de responsabilidade exclusiva de seus autores sob todos os aspectos legais e não vinculam a opinião do jornal. Circulação semanal aos sábados nas cidades: Barra Mansa, Volta Redonda, Porto Real, Quatis, Pinheiral e Piraí. Impressão: Gráfica Diário do Vale

Diretor e Editor – Vinicius Ramos Gerente Administrativo e Circulação – Vítor Rocha Departamento Jurídico – Giani Mendes Jornalismo - Marcus Modesto Colaboradores – Luciano Ribeiro, José de Oliveira e José Roberto Medonça Estagiários – Carlos Jefferson Teixeira e Guilherme Gomes


Política

23 a 29 de abril 2011

3

Polêmica na venda de terreno do Saae em Barra Mansa PT e PC do B denunciam leilão de terreno do Saae; partidos sustentam que preço do terreno foi subfaturado: Zé Renato diz que tudo foi aprovado pelo TCE e que estão querendo criar um fato político para desviar a atenção da população dos novos investimentos que a cidade vai receber Barra Mansa Apesar de negarem que a iniciativa é política, o PT e o PC do B de Barra Mansa deram o tom de como devem se comportar até as eleições de outubro de 2012. Numa coletiva à imprensa na sede do Partido dos Trabalhadores na terçafeira, dia 19, o presidente do PC do B, Jonas Marins, e a presidente do PT, Maria da Penha, anunciaram que os dois partidos impetraram uma denúncia no Ministério Público Estadual contra o leilão de um terre-

no do Saae, no Ano Bom. Na petição protocolada no MP do Rio, Jonas e Penha, os dois que assinam o pedido de investigação, sustentam que o valor de venda do terreno foi subfaturado. O prefeito de Barra Mansa, Zé Renato (PMDB), foi taxativo ao afirmar que tudo não passa de uma jogada política. “O que eles querem é criar um fato político para desviar a atenção da população. Pau que dá em Chico dá em Francisco. Toda a documentação referente ao leilão foi aprovada pelo Tribunal de Contas do

Estado”, explicou. O terreno localizado em área considerada nobre, medindo 5.597 metros quadrados, foi comprado pela empresa MACMED Comércio de Material Hospitalar, com sede em Vila Velha, no Espírito Santo por R$ 1,6 milhão. No entanto, Jonas Marins acredita que o terreno poderia ser melhor avaliado. “Ainda não temos os laudos dos novos avalistas independentes que pedimos para fazer o cálculo do valor do metro quadrado, mas vamos anexar ao processo”, diz Jonas.

Licitação foi feita por cinco vezes: “Ninguém apareceu”, diz Zé Renato Prefeito explica que na quinta tentativa, apenas uma empresa apareceu para a compra do terreno e que edital foi publicado conforme prevê a lei Barra Mansa O prefeito de Barra Mansa, Zé Renato, explicou ao Jornal Folha do Interior que a venda do terreno do Saae, decisão tomada em 2007 para transferir a sede da autarquia para o bairro Saudade, foi autorizada pelo Tribunal de Contas do Estado após alguns ajustes de normas referentes a Lei 8.666 – Lei das Licitações. Em 2007, de acordo com o prefeito, uma empresa, que faz avaliações para a Caixa Econômica Federal, sugeriu que o terreno fosse a venda por R$ 1,2 milhão. “Fizemos o edital de concorrência 04/2007 e levamos para o Tribunal que fez alguns ajustes. Em 2008, o Saae contratou um engenheiro que avaliou em R$ 1,470 milhão e, em maio, o TCE liberou a venda. Tivemos quatro licitações desertas. Não apareceu ninguém para comprar, nenhuma empresa. Em abril de 2010, na quinta tentativa, apareceu a empresa MacMed”, disse o prefeito. Na petição, que foi protocolada no Ministério Público, PT e PC do B também questionam o aluguel pago pela prefeitura – R$ 23 mil por mês – para manter sua estrutura no terreno comprado pela MacMed. “Como se vende um terreno e de-

pois paga aluguel para se manter lá”, questiona Jonas. Zé Renato mais uma vez se defende e diz que tudo foi aprovado por uma Comissão Especial montada pela prefeitura para avaliar a situação. “Todo imóvel que alugamos tem que montar uma comissão. Os valores são pela valorização do terreno. Em relação a mudança de endereço, até o fim do ano terminamos nossa mudança para Saudade. Faço questão de prestar contas à população porque tudo está correto”, explica Zé Renato. Outro ponto questionado pelos partidos de oposição é uma alteração no Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano e Ambiental de Barra Mansa, que, segundo Jonas Marins, teria sido feito para que o comprador do terreno executasse obras de construção de edifícios de até 14 andares na região. O prefeito diz que a alteração do dispositivo foi feita para que a cidade pudesse receber investimentos imobiliários em terrenos com metragem superior a 2,5 mil m2. “Inclusive, tem gente do próprio PT que faz parte do Conselho da Cidade que aprovou a alteração. A alteração do gabarito é para o crescimento da cidade e não para beneficiar um ou outro caso”, argumenta Zé Renato.


Exclusivo

4

23 a 29 de abril 2011

Renato: “Resende pode ser a grande potência econômica da região” Fotos Vitor Rocha

Responsável por comandar mais de 16 mil metalúrgicos no Sul Fluminense, o presidente do sindicato, Renato Soares, em entrevista ao Jornal Folha do Interior, destaca equilíbrio financeiro como grande marca de seu mandato, garante que o impasse com o FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador) será resolvido e diz temer pelo futuro da economia de Volta Redonda Sul Fluminense Equilibrar as finanças e trazer os cerca de 16 mil filiados para dentro da “casa”. Estas foram as principais metas alcançadas pelo Sindicato dos Metalúrgicos do Sul Fluminense no ano de 2010, segundo o presidente Renato Soares. “Pela situação em que pegamos o sindicato, eu costumo dizer que fizemos um mandato “arroz com feijão bem temperado. Recuperamos o patrimônio moral perante os trabalhadores, isso é fundamental”, comemora. Mas a grande repercussão ocorre mesmo nos momentos de negociação salarial. No geral, os

acordos feitos em 2010 foram positivos. “Foram acordos bons, com ganhos para os trabalhadores. Tivemos alguns sucessos importantes, como a negociação da Volkswagen. A empresa deu 3% de aumento real em março, antes da database, que era em maio”, lembra. Renato destaca que, nos quatro anos em que está à frente do sindicato, os trabalhadores tiveram 15% de aumento real. “Na diretoria passada, o valor do aumento era menor que a inflação. O abono oferecido era, na verdade, um adiantamento do salário. Fora que o valor da PLR (Participação nos Lucros e Resultados) era defasado. Agora, o

aumento é real e acima da inflação”. Soares também comemora outras conquistas de seu mandato, como a reforma da sede do Retiro e a compra de uma área de lazer para os sindicalistas. “O espaço do Retiro será usado para encontros e reuniões do sindicato. Já o sítio, que se localiza em Santa Rita de Jacutinga, possui 33 alqueires de terra. Pretendemos, também, construir um prédio na Avenida Amaral Peixoto, além de ampliar nossos convênios com farmácias, creches, escolas e padarias”, planeja. Criticado por alguns por não ser um líder sindical extremista, Renato se defende. “Ainda existe muito preconceito contra os sindicatos e entidades de classes. Antes, o sindicalista era considerado um agitador e subversivo. Agora, muitas pessoas nos apontam como ricos e aproveitadores. Críticas sempre existirão’’, reconhece. Ele acredita que os reajustes não podem diminuir a competitividade das empresas no mercado. “O ponto principal é favorecer o trabalhador, mas penso que não podemos ser extremistas, senão as empresas se instalam em outros lugares,

como há exemplos pelo país. Diversos locais oferecem redução de taxas para tornarem-se atrativos para a instalação de novos empreendimentos, daí pode acontecer uma evasão devido ao radicalismo sindical. Então o Sindicato se preocupa em lutar por um salário digno para o trabalhador, que eleve a sua auto-estima e seu poder de compra, mas que não comprometa as empresas”, afirma. No entanto, segundo Renato, algumas visões empresariais ainda precisam ser mudadas. Como

exemplo, o sindicalista cita a falta de incentivo para manter um trabalhador qualificado. “Tem empresa que oferece curso, que tem escola técnica, forma o trabalhador e não o mantém. Os profissionais saem prontos para o mercado, com qualificação e experiência, e vão para outras empresas que oferecem melhores salários e condições de trabalho. Isso também enfraquece o Sindicato, pois muitos vão para outras localidades fora do Sul Fluminense”, lamenta.

CAPACITAÇÃO

Dívida de R$ 5 milhões impede sindicato de receber verbas do FAT Em 2011, Renato Soares conta que uma das preocupações é a qualificação da mão-de-obra. Ele pretende regularizar a situação da entidade para receber verbas do FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador) e organizar cursos de qualificação para os metalúrgicos e seus dependentes. Para isso, o sindicato aderiu ao Refis, programa do governo para refinanciamento de dívidas com

federais. "Eu preciso do CND (Certidão Negativa de Débito) para conseguir os recursos do FAT. Diretorias anteriores deixaram uma dívida de cerca de R$ 5 milhões na previdência. Por isso, vou parcelar esse valor em 180 vezes, devo começar a quitar o débito em julho. Os cursos são importantes para capacitar nossos trabalhadores. Vou lutar para implantá-los até o fim do ano", promete.


Exclusivo

23 a 29 de abril 2011

5

ACORDO SALARIAL 2011

Sindicato prevê negociação difícil com CSN Renato quer salário mínimo de R$ 1,2 mil e adequação do plano de saúde O presidente do sindicato acredita que, dentre todas as empresas da região, a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) é a que promove menos diálogo com a entidade, sobretudo na hora dos acordos. Segundo ele, a explicação é a política do presidente Benjamin Steinbruch. “Ele tem a meta de manter os ganhos do trabalhador no limite, por isso é a empresa de mais difícil acordo. Benjamim é centralizador, se fosse possível ele removeria a siderúrgica de Volta Redonda. Prova do descaso é que agora, quando a empresa comemora 70 anos, ele não aparece por aqui. Todos sabem que a CSN é governada por forasteiros, infelizmente”, defende. Ainda de acordo com Re-

nato, a empresa é a única siderúrgica do Brasil que não tem piso salarial. “Há trabalhadores que ganham R$ 600 por mês, isso é trabalho escravo”, acrescenta. A diretoria do Sindicato dos Metalúrgicos do Sul Fluminense e os representantes da CSN já iniciaram a negociação do acordo coletivo da categoria para 2011. A primeira reunião serviu apenas para o entendimento da pauta, com as partes detalhando os itens entregues pelo Sindicato dos Metalúrgicos no início de março. As principais reivindicações dos trabalhadores são reajuste salarial, a partir de 1º de maio de 2011, com a variação do INPC no período de 1º de maio de 2010 a 30 de abril

de 2011, aplicado a todos os trabalhadores, implantação de um piso salarial profissional para que nenhum trabalhador receba salário inferior a R$ 1.200,00 e a adequação do plano de saúde, com cobertura de todas as especialidades médicas. Renato prevê uma negociação difícil, já que a categoria não pretende abrir mão do ganho real nos salários. “Vamos ter uma posição bastante firme este ano. A empresa tem que entender que a demora nas negociações acaba sendo prejudicial aos trabalhadores, porque o reajuste salarial, mesmo com o pagamento retroativo a 1º de maio, acaba sendo corroído pela inflação antes mesmo de ser pago”, explica.

Sindicato promove Festa do Trabalhador Como tradicionalmente acontece, o Sindicato dos Metalúrgicos do Sul Fluminense realiza no dia 30 de abril, na Ilha São João, em Volta Redonda, e no dia 1° de maio, no parque de exposições, em Resende, a Festa do Trabalhador. Haverá sorteio de prêmios para os sócios, show com Chitãozinho e Xororó e MC Naldo (Volta Redonda) e Fábio Júnior (Resende), além de outras atra-

ções, como Jorge Guilherme e Banda, Dito e Feito e DJ Gustavo Micareteiro. Segundo Soares, a escolha dessas atrações permite que a festa contemple todas as faixas etárias e gostos. “Os trabalhadores poderão levar suas famílias, pois as atrações agradarão a todos no evento, e curtir o dia com tranqüilidade e segurança”. Entre os prêmios estão dois carros zero quilômetro,

duas motos, prêmios em dinheiro e muito mais. “A direção do sindicato não mede esforços para garantir uma excelente premiação na festa, pois acreditamos que os nossos sócios merecem. Cerca de 70% do custo total da festa é coberto pelo sindicato. E é muito gratificante poder proporcionar esse momento de lazer e entretenimento para os companheiros” diz Renato.

ELEIÇÕES 2012

Renato quer ser candidato à prefeito “Quero resgatar o trabalhismo em Volta Redonda” Renato confirma ao Jornal Folha do Interior que vai disputar a administração municipal nas eleições de 2012. Assim como fez José Juarez Antunes, que na década de 80 foi presidente do sindicato e prefeito da Cida-

de do Aço, ele pretende seguir o carisma e a trajetória de Antunes para ocupar o Palácio 17 de julho. “Quero resgatar nomes como Brizola e Getúlio Vargas, grandes homens deste país. Na avaliação do presidente, foi pre-

ciso sair do PC do B e ir para o PDT para que a candidatura fosse viabilizada. “Tenho ótima relação com a esquerda, mas quero chegar como candidato até o final, não sei se conseguiria isso no meu antigo partido”, confessa.

PIONEIRISMO REGIONAL

“Resende pode ultrapassar Volta Redonda em investimentos”, diz Renato O futuro da economia de Volta Redonda e os rumos que a CSN tomará nos próximos anos são motivos de preocupação para Renato. Ele acredita que, nos próximos 30 ou 40 anos, Resende e outras cidades da região das Agulhas Negras possam deixar Volta Redonda para trás no que se refere a investimentos e importância econômica. "Resende é favorecida geograficamente para grandes investimentos. Os terrenos não necessitam de terraplanagem, a cidade é cortada pela Dutra e ainda possui boa mão-de-obra", diz, citando como exemplo a expansão da fábrica de ônibus e caminhões da MAN Latin América (antiga Volkswagen), que vai receber nos seus arredores fornecedores da empresa. "Não só Resende, mas toda a Região das Agulhas Negras cresce muito. Se continuar assim, mais cedo ou mais tarde Volta Redonda vai perder a dianteira na geração de empregos", alerta. Para o sindicalista, a planta da CSN é antiga e a empresa não apresenta nenhum projeto de investimento. "A fábrica de cimento foi feita dentro da Usina Presidente Vargas porque a logística sairia cara se não fosse aqui, afinal, a principal matéria-prima para o cimento é a escória do alto-forno. Além disso, há praticamente uma década a CSN anuncia a intenção de construir mais um alto-forno na Usina Presidente Vargas, mas este projeto jamais se materializou. Isso sem contar os

Renato: “Região das Agulhas Negras gera muito mais empregos que Volta Redonda”

péssimos salários. É por isso que 50 % da mão-de-obra de Volta Redonda trabalha fora da cidade. Em siderúrgicas como a Usiminas, por exemplo, o metalúrgico ganha cerca de 10% a mais do que um trabalhador aqui da região. O futuro me preocupa muito", confessa. Entretanto, o crescimento de qualquer município do Sul do estado é um resultado positivo para a região, segundo Renato. "Precisamos promover essa discussão, porque empresas é que proporcionam riquezas. Depois que a Volkswagen se instalou em Resende e a Peugeot-Citroën, em Porto Real, atrás delas vieram não só grandes, mas também pequenas empresas. Qualquer um pode verificar que naquela região (Agulhas Negras) a geração de empregos tem sido muito maior do que aqui em Volta Redonda".


6

23 a 29 de abril 2011


23 a 29 de abril 2011

7


Economia

8

23 a 29 de abril 2011

Região paga R$ 5 milhões por ano pelo uso das águas do Paraíba Segundo Ceivap, repasse é investido em projetos para preservação da bacia; comitê alerta para necessidade do tratamento do esgoto que é despejado no rio; deputados prometem brigar contra transposição Sul Fluminense Os municípios do Sul Fluminense que usam as águas da bacia hidrográfica do rio Paraíba do Sul pagaram, em 2010, R$ 5.575.581 ao Comitê de Integração da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul (CEIVAP), quase metade do arrecadado no ano passado, R$ 12.412.154,54. Os R$ 5.575.581,68 vieram dos municípios de Barra do Piraí, Barra Mansa, Itatiaia, Pinheiral, Piraí, Porto Real, Quatis, Resende e Volta Redonda. O valor, de acordo com o CEIVAP, é aplicado em programas de ações e investimentos para recuperação e preservação

dos recursos hídricos. Os recursos da cobrança também financiam campanhas de conscientização e uso racional da água, bem como programas de mobilização e educação ambiental. A população da bacia é estimada em 5,5 milhões de habitantes, sendo 1,8 milhão no estado de São Paulo, 2,4 milhões no Rio de Janeiro e 1,3 em Minas Gerais. Cerca de 16% da população fluminense reside na bacia do Paraíba. Aproximadamente 14,2 milhões de pessoas, somados os 8,7 milhões de habitantes da região metropolitana do Rio de Janeiro, se abastecem das águas do Rio Paraíba do Sul.

Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de BM Rua Imprensa, 120 - Ano Bom - Barra Mansa-RJ

O Sindicato dos Rodoviários está disponibilizando uma profissional no ramo de nutrição para seus associados às terças-feiras, a partir das 8 horas, na sede da entidade, no bairro Ano Bom. Em breve a sede campestre estará totalmente reformada em julho, no Dia dos Rodoviários, com salão de festas, quatro represas para pesque pague

Paraíba pode ser transposto em São Paulo

Bacia recebe, diariamente, 1 bilhão de litros de esgoto O CEIVAP aponta a falta de saneamento básico como o principal problema encontrado no processo de preservação do Rio Paraíba. Estudos mostram que 1 bilhão de litros de esgoto doméstico, praticamente sem tratamento, são despejados diariamente no Paraíba. Além disso, 90% dos municípios da bacia não contam com estação de tratamento de esgotos. Fatores como a disposição inadequada do lixo, retirada de recursos minerais para a construção civil, uso indevido de agrotóxicos e ocupação

desordenada do solo contribuem para a degradação do rio. Aos efluentes domésticos somam-se 150 toneladas de DBO (Demanda Bio-Química de Oxigênio) por dia, correspondente à carga poluidora derivada dos efluentes industriais orgânicos (sem contar os agentes tóxicos, principalmente metais pesados). A carga poluidora total da bacia do Paraíba, de origem orgânica, corresponde a cerca de 300 toneladas de DBO por dia, dos quais cerca de 86% derivam de efluentes domésticos, e 14% indústria.

O governo paulista já iniciou estudos que visam à transposição do Rio Paraíba do Sul. A proposta é desviar até 20 m³ por segundo do rio para abastecer a região da macrometrópole paulista, que engloba a área metropolitana da capital, Campinas e a Baixada Santista. A transposição ameaça o abastecimento de água e o fornecimento de energia no estado do Rio de Janeiro. O presidente da Comissão de Meio Ambiente da Alerj, André Lazaroni, expressa preocupação com o assunto. “A realização desta transposição prejudicaria não só o abastecimento da água, como a questão energética em grande parte do Rio”, garante. Para o Deputado Estadual e Secretario Estadual do Meio Ambiente, Carlos Minc, os parlamentares fluminenses devem se unir em torno da questão que é ambiental e política. “O Rio de Janeiro não vai esquecer quem penalizar os nossos recursos hídricos”, alerta.

e muitas atrações.

Brasil pode ter escassez de água em 2015

Sindicalista visite a sede campestre no Km 4 -

País precisa investir R$ 22,2 bilhões para evitar desabastecimento

Estrada Barra Mansa/Bananal O Sindicato dos Rodoviários conseguiu 10% de aumento para a categoria. Um ganho real. Uma grande vitória para a família dos rodoviários. Sindicato dos Rodoviários do Sul Fluminense Direção: Raimundo Filho

Dono do maior potencial hídrico do planeta, o Brasil corre o risco de chegar em 2015 com problemas de abastecimento de água em mais da metade dos municípios. O diagnóstico está no Atlas Brasil – Abastecimento Urbano de Água, lançado pela Agência Nacional de Águas (ANA). O levantamento

mapeou as tendências de demanda e oferta de água nos 5.565 municípios brasileiros e estimou em R$ 22 bilhões o total de investimentos necessários para evitar a escassez. Considerando a disponibilidade hídrica e as condições de infraestrutura dos sistemas de produção e distribuição, os da-

dos revelam que em 2015, 55% dos municípios brasileiros poderão ter déficit no abastecimento de água, entre eles grandes cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Belo Horizonte, Porto Alegre e o Distrito Federal. O percentual representa 71% da população urbana do país, 125 milhões de pessoas.


Geral

23 a 29 de abril 2011

9

Produção de aço cresce 7,4% em março Vendas no mercado interno somam 1,9 milhão de toneladas; exportações de produtos siderúrgicos rendem US$ 641,2 milhões no primeiro trimestre Brasil A produção brasileira de aço bruto cresceu 7,4% em março na comparação com igual mês de 2010, para 3,0 milhões de toneladas. No acumulado de 2011, a produção de aço bruto atingiu 8,5 milhões de toneladas, 6,2% a mais do que no mesmo período de 2010, informou o Instituto Aço Brasil (IABr). As vendas no mercado doméstico somaram 1,9 milhão

de toneladas, com expansão de 3,7% em relação a março do ano passado, acumulando no primeiro trimestre 5,3 milhões de toneladas, crescimento de 5,6% ante os três primeiros meses de 2010. De acordo com o IABr, as exportações de produtos siderúrgicos atingiram, em março, 871,4 mil toneladas e renderam US$ 641,2 milhões. No trimestre, os embarques somaram 2,8 milhões de toneladas,

gerando receita de US$ 2 bilhões. Segundo o instituto, isso representa aumento de 39,2% em volume e de 74,1 % em valor, na comparação com os primeiros três meses de 2010. Em contrapartida, as importações mostraram retração de 34,3% no ano, somando 866,2 milhões de toneladas. Em março, foram comprados no exterior 265,5 mil toneladas de produtos siderúrgicos, no valor de US$ 322 milhões.

Caixa abre apostas na loteria pela internet A Caixa Econômica Federal inicia nesta semana a comercialização dos produtos lotéricos em ambiente virtual, por meio do Internet Banking CAIXA. A ideia é ampliar os canais de comercialização de suas loterias, até então vendidas, exclusiva-

mente, na rede de casas lotéricas, e alcançar um novo patamar de modernização e inovação, que permita atingir novos públicos de apostadores, que movimentam o comércio eletrônico no Brasil. Inicialmente, o projeto pilo-

to permitirá apostas on-line apenas na Mega-Sena, pelos titulares de contas correntes pessoa física na CAIXA, maiores de 18 anos, devidamente cadastrados no Internet Banking CAIXA, com limite de apostas no valor máximo de R$ 100,00 por dia.

GINCANA VIVA ÓLEO

Teatro marca abertura do projeto em Resende Resende sediou na segundafeira, dia 18, a abertura da Gincana Viva Óleo, realizada no Parque Tobogã, no bairro Alvorada. A gincana, que segue até 6 de junho, contou com uma apresentação teatral sobre reciclagem de óleo de cozinha. Promovida pelo projeto Viva Óleo, a gincana conta com a participação de 43 escolas da região Sul Fluminense, totalizando 15.638 alunos. De acordo com o coordenador da gincana, Leonardo Aguiar, as escolas situadas em cidades que ainda não tem represen-

tação poderão se inscrever no decorrer da gincana. “Nosso objetivo é atender todas as cidades da região, por isso, os municípios que não têm escolas inscritas ainda podem participar”, explicou, acrescentando que algumas escolas já fizeram a pré-inscrição e estão aguardando a oficialização da direção para concluir o cadastro. As cidades que já têm escolas inscritas são: Angra dos Reis, Barra do Piraí, Itatiaia, Paraty, Pinheiral, Quatis, Resende, Rio Claro e Volta Redonda. As inscrições estão sendo feitas através do telefone (24) 3354-8798.

GRATUIDADE NOS ÔNIBUS

Vereadores aprovam parecer favorável ao projeto Barra Mansa Foi aprovada na terça-feira, dia 19, por unanimidade, em primeira discussão, parecer da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara de Barra Mansa favorável ao projeto de Emenda à Lei Orgânica, de autoria do vereador José Maurício de Almeida (PT), que concede gratuidade aos maiores de 60 anos no transporte público municipal. O projeto voltará em segunda discussão, em um prazo mínimo de dez dias, para análise do mérito da questão. A CCJ se baseou, principalmente, no Estatuto do Idoso, que em seu

Artigo 39, Parágrafo 3º, estabelece que cabe aos municípios estabelecer os critérios para concessão da gratuidade para pessoas entre 60 e 65 anos – a Constituição Federal já assegura a gratuidade para os maiores de 65 anos. Para o presidente da casa, vereador Cláudio Cruz, o Baianinho, é importante esclarecer que, pelos trâmites da Câmara de Barra Mansa, na primeira discussão aprecia-se apenas a legalidade da matéria e na segunda votação analisasse o mérito da questão. No caso de emendas à Lei Orgânica, é necessário um intervalo mínimo de dez dias entre as discussões.


Entretenimento

10

23 a 29 de abril 2011

Diogo Nogueira, Frejat e Eyshila na Festa do Trabalhador em Piraí Programação tem ainda Feira dos Artesãos, desfile e corrida rústica Piraí Os trabalhadores de Piraí poderão aproveitar o feriado de 1º de maio, Dia do Trabalho, em grande estilo, participando de várias atividades de lazer e cultura. A Festa do Trabalhador de Piraí, que acontecerá entre os dias 28 de abril e 01º de maio, terá como ponto alto os shows gratuitos de Diogo Nogueira, Frejat e a cantora gospel Eyshila, todos no mesmo palco do Gramadão de Santané-

Kate: Nasce uma princesa Filha mais velha do empresário e ex-piloto Michael Francis Middleton e Carole Elizabeth, ex-comissária de bordo, Catherine Elizabeth Middleton é a mais nova plebéia a conquistar o

Projeto Sexta Cultural A Comissão de Cultura da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) de Barra Mansa promove nesta sexta-feira dia 29 de abril o evento de homenagem ao Dia Nacional do Choro, que é comemorado no dia 23, aniversário do mestre Pixinguinha. A homenagem contará com a presença do grupo Arte do Choro, que tocará composições de Pixinguinha como Carinhoso.

Serviço Dia: sexta-feira dia 29 Horário: 18h30min Local: Casa do Advogado rua Cristóvão Leal, n° 65, Centro, Barra Mansa

coração de um sucessor ao trono da Inglaterra. Aluna talentosa formada pela St. Andrews, Kate, como é mais conhecida, encantou William, o filho mais velho do príncipe Charles e da falecida princesa Diana. Dona de um estilo clássico de se vestir e de uma postura naturalmente elegante,

sia. A programação da festa inclui, ainda, desfile cívicoescolar, Feira dos Artesãos do município e corrida rústica. Para o prefeito de Piraí, Arthur Henrique Gonçalves Ferreira (Tutuca), a programação é o agradecimento do município aos trabalhadores, das mais diversas áreas, porque eles, na verdade, são responsáveis pelo grande momento que o município vive. “Piraí possui a melhor saúde do Estado, a 3ª melhor educação, e o quinto em desen-

volvimento. Tudo isso só foi possível graças aos nossos trabalhadores, tanto da iniciativa privada, como funcionários públicos e também os que trabalham por conta própria. A festa dedicada ao trabalhador será aberta no dia 28 deste mês, quinta-feira, a partir das 19h, com a Noite Gospel, no Gramadão, com apresentação da cantora Eyshila e, a seguir, bandas locais de música gospel. Na sexta-feira, Frejaj se apresenta a partir das 23 horas e depois a

Kate encantou, não apenas o círculo de amigos de William, mas toda a família real. Contudo, por trás da aparência refinada e da educação primorosa, acessível apenas a alta elite inglesa, há uma história que irá surpreender o leitor desta biografia. Baseandose em entrevistas exclusivas

com amigos íntimos e parentes de Kate, a jornalista Claudia Joseph consegue delinear um retrato fascinante da jovem princesa e também contar a interessante saga de uma família de trabalhadores humildes, que superou privações e adversidades até chegar aos altos escalões da sociedade.

Bella da Semana apresenta a beleza de Angélica Woicichoski O site Bella da Semana (www.belladasemana.com.br), apresenta nesta semana o ensaio de Angélica Woicichoski. Natural de Estrela (RS), a bela tem 22 anos, altura de 1,73m e é forte em suas opiniões. Quando questionada sobre três palavras que a definem, diz que “quem se define, se limita. Sou muitas em uma só! Mais fácil dizer três palavras que não me definem: desonesta, falsa e hipócrita.” Ela

diz ainda não viver sem doces, ser apaixonada pelos próprios seios e entregar-se totalmente, “sem medos e sem pudores”, na hora do sexo.

32,80 30,80 (Seg a Sáb)

programação prossegue com a banda Ultra Volts. A programação de sábado será aberta às 9h, com a Feira dos Artesãos, na Praça Jacques Crolard, no Centro, mesmo local do desfile cívico-escolar, que começará às 10h. À noite, Diogo Nogueira sobe ao palco a partir das 23h e logo depois entra em cena o grupo Alerta Geral. No domingo haverá a 10ª Corrida Rústica de Santanésia, com largada às 10h, da Praça Jacques Crolard, e chegada no mesmo local.

Autora: Claudia Joseph Editora: Best Seller Páginas: 294 Preço: R$ 34,90


Social

23 a 29 de abril 2011

11

O Significado da Páscoa Por Angélica Leal

Studio 54

Páscoa é uma festa cristã que celebra a ressurreição de Jesus Cristo. Depois de morrer na cruz, seu corpo foi colocado em um sepulcro, onde ali permaneceu, até sua ressurreição, quando seu espírito e seu corpo foram reunificados. É o dia santo mais importante da religião cristã, quando as pessoas vão às igrejas e participam de cerimônias religiosas. Muitos costumes ligados ao período pascal originamse dos festivais pagãos da primavera. Outros vêm da celebração do Pessach, ou Passover, a Páscoa judaica. É uma das mais importantes festas do calendário judaico, que é celebrada por 8 dias e comemora o êxodo dos israelitas do Egito durante o reinado do faraó Ramsés II, da escravidão para a liberdade. Um ritual de passagem, assim como a “passagem” de Cristo, da morte para a vida. No português, como em muitas outras línguas, a palavra Páscoa origina-se do hebraico Pessach. Os espanhóis chamam a festa de Pascua, os italianos de Pasqua e os franceses de Pâques. Feliz Páscoa!

Por aí..

Studio 54 em noite de lançamento de cd

Pastor Gilson Paiva e Eliane Sapede em evento no Gabinete do Prefeito de Barra Mansa

O empresário Luiz Fernando ( Pestisco e Cia ) com cliente da empresa D Paschoal

Por aí... Lançamento do CD Pacha Brasil no Studio 54

Lançamento do CD Pacha Brasil Volume 3 no Studio 54


12

23 a 29 de abril 2011


/2011426112719