Page 2

02

Folha do E. Santo Sábado, 26 de Fevereiro de 2011

opinião

Cachoeiro de Itapemirim (ES)

DE SUA OPINIÃO

editorial@folhaes.com.br

Lugar de policia é nas ruas Os especialistas em segurança publica não se cansam em bater na mesma tecla: é preciso polícia nas ruas para que, ao menos, o cidadão sinta a chamada ‘sensação de segurança’. Amontoar policiais militares e civis nos quartéis e delegacias a rogo de trabalho burocrático é um gol contra marcado a cada dia. A polícia civil de Cachoeiro de Itapemirim-ES vem dando uma mostra de que é preciso usar de inteligência e presença para, ao menos, diminuir a ação de marginais que fazem da cidade os seus pontos de esconderijos. A mobilização de dezenas de in-

vestigadores e delegados no cumprimento de mandados de prisão expedidos pela Justiça da Comarca tem resultado em muitas prisões. Sem pirotecnia, mas com vigor, os policiais sobem os morros de Cachoeiro e encaram de frente os bandidos que deturpam a imagem dos bairros da periferia onde vivem pessoas honestas e trabalhadores. Foi uma verdadeira ‘passagem de rodo’ onde dez acusados de tráfico de drogas, homicídios, roubos e furtos caíram nas malhas da lei. Como se diz em gíria do banditismo “a casa caiu’ para muitos que se

Artigo

Começo este texto, parafraseando um dos maiores cronistas esportivos que pude conhecer na minha geração. Armando Nogueira. “O que é o drible, senão a categoria que tem o jogador brasileiro de eternizar o efêmero”. Com esta frase de Armando Nogueira, quero, a partir de agora, homenagear todos os veteranos da bola de Cachoeiro que através de suas trajetórias no futebol, nos deixam bem vivas na memória, partidas e jogadas espetaculares, que até hoje, são contadas e relembradas nas peladas dos cinqüentões e sessentões da bola que ainda conseguem encher os olhos

“O que é o drible, senão a categoria que tem o jogador brasileiro de eternizar o efêmero” dos amantes desse esporte fantástico. Quem não os viu atuar na época áurea, basta assistir uma pelada com essas feras, que vão perceber em seus toques geniais o fino da bola. Eles brincam com a bola, como se ainda tivessem vinte ou vinte e cinco anos de idade. Mesmo com o físico já não agüentando mais correr como antigamente, dá muito gosto assistir uma pelada dessa rapaziada, eles sempre estão muito de bem com a vida com os amigos e com a família (que é mais importante), principalmente quando estão em algum campo de futebol fazendo o que mais gostam (jogando uma pelada). No final do ano que passou, participamos do encontro dos ex-jogadores do estrela ali no mercado do amarelo (sábado) e também lá no Ita Campestre depois de uma partida no campo do Estrela (domingo). É uma iniciativa muito legal, porque já ocorre há muitos anos e a festa consegue resgatar grandes figuras que, mesmo estando fora de

suas identidades. É justamente por fatos como esse que as polícias civil e militar precisam investir nos trabalhos de inteligência e bater de frente com os donos do tráfico nos diversos bairros da cidade. Bandido só entende a lei da força. São verdadeiros monstros que destroem famílias inteiras com suas ações criminosas que não passam de passaporte para o fim da vida do cidadão, principalmente dos jovens. Com a polícia nas ruas, o marginal pensa duas vezes antes de cometer mais um delito.

Charge

Veteranos da bola José Carlos Gualberto

achavam seguros em meio aos moradores dos bairros mais carentes da cidade. Entre os marginais, muitos deles velhos conhecidos da polícia, foi encontrado um celular contendo um vídeo que mostra cenas de torturas contra dois usuários de drogas que, certamente, não tinham como pagar pelos entorpecentes comprados. Como no tempo dos escravos, os homens foram golpeados com chibatadas, depois de amarrados em postes, em plena luz do dia. Isso mostra a audácia dos traficantes instalados no seio da sociedade que ao menos se preocupam com

Cachoeiro, não conseguem ficar sem participar do encontro. Dias atrás, estivemos em Marataízes no torneio de pelada dos cinqüentões. Achei uma coisa sensacional, e quando Batata disse pra mim que esses encontros precisam ser divulgados ou escritos por alguém, não tive a menor dúvida em escrever estas simbólicas palavras, porque realmente trata-se de uma coisa muito nostálgica, cujos atores da bola, ainda conseguem emocionar às pessoas que comparem nessa brincadeira. Só que, brincadeiras à parte, todos querem vencer o torneio, e neste último final de semana, o campo do Movam, ali próximo da Barra, ficou pequeno para tantas figuras importantes do nosso futebol. Eu dizia ao Batata na nossa resenha de final de pelada, que só o futebol é capaz de proporcionar tanta união entre pessoas de diferentes esferas, credos e raças da nossa sociedade. E é mesmo, o futebol tem essa coisa de unir até gerações, onde a gente consegue jogar futebol com nossos filhos, sobrinhos e outros. Evidente que não vou citar nomes aqui para não cometer nenhuma injustiça, até porque, eram quatro ou cinco times e, com certeza, não me lembraria de todos. Mas, como Batatão (meu zagueiro) me aguçou a escrever este artigo, fica com ele a responsabilidade de passar a homenagem a todos que por lá estiveram, ou mesmo, para os outros veteranos da bola, que não estiveram lá naquela pelada do Movam, mas que fazem parte da história do nosso futebol. Finalizo este texto Batata, com algo que surgiu na minha cabeça enquanto o escrevia: “Quando batemos na bola e a fazemos rolar na grama verde de um campo de futebol, ainda que o peso da idade e os grisalhos dos nossos cabelos nos façam respirar mais cansados, nos sentimos uns meninos eufóricos quando fazemos as redes balançarem no grito de gooool”.

Espaço Bíblico

bíblico@folhaes.com.br Reverendo Dr. Caruso Godinho – Capelão do H.E.C.I.

Verdadeiras pepitas de ouro “Quão doces são as tuas palavras ao meu paladar! Mais que o mel à minha boca”. Salmo 119:103 Na Folha Bíblica de hoje iremos destacar alguns pensamentos, frutos da experiência humana na comunhão com Deus, e que podem nos alimentar espiritualmente. Vejamos: “A tua palavra é uma lâmpada que ilumina o caminho por onde eu ando. Ela me ajuda a não tropeçar”. (119:105) - Como é bom andar num caminho iluminado! “É verdade, a tua vontade revelada é a minha maior alegria; ela me orienta e me corrige quando estou errado”. (119:24 - Como é bom ter o próprio Deus como Conselheiro! “Escolhi o caminho da fidelidade; decidi-me pelos teus juízos”. (119:30) - A fidelidade permanece no vocabulário de Deus; jamais será descartável! Aquele que é fiel colherá no tempo certo os seus ricos frutos. “À meia noite me levanto para

te agradecer pelas tuas instruções justas e verdadeiras”. (119:62) - Como é bom plantar e cuidar permanentemente da flor da gratidão na presença do Senhor pelos seus ricos benefícios, suas imensa bondade, seu perdão, sua paciência e... a sua misericórdia que se renova cada manhã... “Foi me bom ter passado pela aflição, para que aprendesse os teus decretos”. (119:71) - Deus corrige, Ele permite as aflições, provações da vida, mas temos uma vantagem sobre aquele que não crê, - a nossa certeza é que Deus que permite a provação estará sempre conosco, sofre conosco, e, se for o caso, Ele nos carrega no colo até atravessarmos as provações. Que o Senhor Deus, pelo Seu Espírito, aplique estas verdades ao nosso viver quotidiano. Deus o abençoe, prezado leitor.

Não te deixes vencer pelo mal, mas vence o mal com o bem Romanos 12, 21 // Filas da agonia no pronto atendimento Paulo Pereira Gomes // Horas de espera num calor infernal // E atendimento precário // Isso quando ele acontece // Lixo voltou a tomar conta da porta de entrada da quadra do IBC // Quem mora no local ou pratica esportes convive com esse transtorno // Chuva miúda de ontem a tarde provocando acidente // Na BR 101-sul e no Arariguaba // Bandidos de motocicleta e capacete assaltando padarias // Três foram roubadas na quinta-feira // Polícia em cima do lance // Folha nos bairros de volta // E mostrando as mazelas de Cachoeiro-ES // Ruas da periferia em completo abandono // Prefeitura não se mexe // O IPTU é cobrado em dia e caro // Crianças sem vagas nas UTI’s do sul do estado // Saúde em crise // Sindicato da PC vistoriando o DPJ de Cachoeiro // O local está em péssimo estado de conservação // E sem condições de trabalho // Cento e um presos numa cela onde cabe pouco mais de quarenta // Presos doentes e sem assistência médica // Uma verdadeira sucursal do inferno // Presidente do Estrela, Sandro Sartório, tomou uma dura do treinador na frente dos jogadores // Fez certo o treinador Mococa // Ontem foi entregue as fichas para os atletas preencher e assinar // Eles tem que ter cuidado com o que vão assinar // Empresário do Rio de Janeiro trouxe um projeto para a Secretaria de Esportes de Cachoeiro // Para trazer o máster do Zico para a festa da cidade // O valor é de R$ 20 mil // É brincadeira! // Tempo mudando a cara // Na véspera do carnaval // Depois de muito sol e calor // Feliz o homem que encontrou a sabedoria, o homem que alcançou o entendimento Provérbios 3,13 // Interino Desfolhando neste sábado // Até o próximo

Desfolhando

Editorial

WWW.TWITTER.COM/FOLHADOES

Sábado 26/02/2011  
Sábado 26/02/2011  

EDIÇÃO N°40968