Page 4

04

Folha do E. Santo 14 de Julho de 2013 - Domingo

www.folhadoes.com

Newton Braga Club Mix - the one

Evento: Club Mix - Hora: 22:00 - Local: The One Club - Ingressos: Masculino R$25,00 | Feminino: R$15,00 - Atrações: Dj David Rocha e Boka (Residente) + CaipiSakê liberado para ELAS até às 24h.

Itapemirim

Um encontro de tradição, arte e cultura promete movimentar o município, entre os dias 19 e 21 de julho, quando será realizado o 1º Festival de Música Popular Brasileira de Itapemirim. Além das ilustres presenças de Renato Teixeira, Marcelo Barum, Sandro Prêmmero e Almir Sater, o público também vai curtir 40 cantores, que vão participar do evento.

anchieta

Um mundo de oportunidades e negócios se abre a partir desta segunda feira, 08 de Julho com a abertura da VII Semana da Agricultura Familiar de Anchieta. O evento, que acontece até o dia 21 deste mês traz inúmeras atrações. A abertura dos stands das comunidades será no dia 19, às 18 horas, seguido de abertura oficial à 19:30 e show com Gabriel e Edivandro.

guarapari

A Secretaria Municipal de Trabalho, Assistência e Cidadania – SETAC – tendo por missão “Promover o desenvolvimento social e garantir o exercício da cidadania” efetivou a parceria com o PRONATEC e o SENAC para oferecer cursos profissionalizantes para os guaraparienses. As inscrições estão abertas para diversos cursos de 08 a 19 de julho de 2013 nos CRAS

Democraticamente idiotas Hélder Caldeira Escritor Não são poucas as vozes respeitáveis a garantir que há uma gravíssima crise de representatividade no Poder Legislativo do Brasil. Arranhados pela vigência nauseabunda de uma espécie esquizofrênica de politicamente correto (deveras incorreto!), esses críticos optam por desconsiderar a realidade-massacre dos processos eleitorais brasileiros e os resultados que, por definição democrática, emanam das urnas. É desfaçatez pretender rogar sapiência e consciência ao eleitor que não sabe diferenciar a indelével responsabilidade de escolher seus representantes, das miudezas paliativas que aplacam sua pobreza e sua fome imediata. A magnitude da democracia se confunde com o bolso vazio e o ronco estomacal. Não que um seja maior ou mais importante que o outro, mas ambos foram reduzidos à mesma sintaxe. Moral da história: são poucos os que compreendem a real dimensão dos verbos democráticos e seus impactos na sociedade. A situação ganhou tal proporção que, atualmente, uma correção de rota parece impossível. Por deterioração dos conceitos fundamentais, os maiores pilantras da nação são içados pelo povo às honrosas e confortáveis cadeiras de um Poder instituído, ainda que inerte, ineficiente e ao molde de sinecuras. Nenhum deputado ou senador chegou lá sozinho. Tornou-se legítimo representante de seu Estado graças à votação maciça dos eleitores. Dá-se o descompasso: o crítico notável argumenta pela crise de representatividade no Congresso Nacional; o parlamentar sacaneia e locupleta respaldado pelo título de representante concedido por milhares de votos de seu quinhão geográfico; e o povo segue vivendo na medida no (im)possível. “Bullshit!”, ouso reiterar o intelectual em minha máxima insignificância. Não há uma crise de representatividade vigente no Brasil. O que existe é uma falaciosa substância no cerne de uma democracia de arremedos. Como as reformas essenciais à nação não vão emergir nesse confortável cenário de frouxidão ética e mansidão crítica, sigamos nosso famélico caminho, tirando meleca do nariz através de estradas esburacadas e superfaturadas. Somos retumbante e democraticamente idiotas.

JORNAL 14/07/2013  

Edição Nº 413443

JORNAL 14/07/2013  

Edição Nº 413443

Advertisement