Issuu on Google+

diretor: José HenRique MaRques

06 a 12 de julho / 2012

Comemoração

ilustração

Qualificação

arquivo

ano 44 / nº 3.978 / R$ 2,00

O empresário Rene Franco, da Paraíso das Tintas, e a Ibratin, indústria de tintas, promoveram curso de capacitação para mais de 30 pintores de Dourados. p.06

Cooperativas promovem evento neste sábado, das 8h às 14h, na Praça Antônio João. p.05

hegemonia

‘Fim da história’ para a política do Mato Grosso do Sul A saída de Zeca do comando do PT e ascensão do neopetista, senador Delcídio do Amaral, marcou o fim do período de polarização de forças políticas no Mato Grosso do Sul. p.03

divulgação

Federico Franco, atual presidente do Paraguai

fronteira

Tensão Governo paraguaio lembra da guerra e põe o dedo na ferida Assessor do presidente Federico Franco comparou a punição ao Paraguai, pelo Mercosul, à tríplice aliança formada por Brasil, Argentina e Uruguai, na guerra contra seu país. p.08

Regional p.10 bonito

Beleza da região atrai europeus

torpedos eleição

Geraldo Resende acrescenta outra traição em sua biografia Frank Stolzenberg deixou Alemanha para viver na natureza Depois de apalavrar publicamente apoio a Marçal Filho o deputado jardim deu “migué” e recuou. Não honrou os fios do bigode. p.03

FCO apresenta linhas de crédito

vida

Empresários conheceram programas para o estado

caarapó Rejeitado pelo PMDB Marçal Governo quer aumentar não comprará em regiões de conflito lança Keliana e legitima Murilo p.04 doadores de órgãos no país p.09 Shell Boicote inclui terras em disputa entre índios e fazendeiros


02

Opinião

06 a 12 de julho de 2012

frasE da sEmana

“O PT é confiável. O neo-PT é que não é confiável... O Delcídio é traidor... Para mim, o Delcídio quer matar o Zeca dentro do PT...” Empresário Antonio João Hugo Rodrigues que, esta semana, acusou o senador Delcídio do Amaral de traição.

chargE

Vai começar tudo de novo. Vai? De acordo com o calendário eleitoral, a partir desta sexta-feira (06), está liberada a propaganda eleitoral. Oficialmente, está dado início ao período de campanha, logo, a partir desta sexta-feira, o voto do eleitor será disputado por centenas de candidatos, que usaram todos os instrumentos de convencimento que a sociedade já sabe bem quais são. O eleitor douradense, como todos os outros, será bombardeado por promessa de realização de obras, garantia de melhor qualidade de vida, compromisso de fazer mais pela educação e pela saúde públicas, juramento de conduta ética no trato do dinheiro do povo e de um mandato pautado na participação popular. Dado às informações colocadas, todos os atuais mandatários de Dourados tentarão manter-se no cargo, com a reeleição. Outros que já sentiram a dor e as delícias do poder vão querer voltar. Muitos buscarão sentir essa sensação pela primeira vez. Haverá candidato de todo tipo e para todo gosto. O infantil: que passava

linotipo

as tardes brincando de vídeo game com coleguinha Uragano; o paizão: que ocupou o lugar de Artuzi e de Marcelo Barros no assistencialismo leva e traz; o patrão, que quebra o chapéu na testa e sai à compra de gado (voto); o socialista, que vai recuperar o discurso e as memórias das suas militâncias; o papagaio de pirata, que vai se apropriar tanto da imagem quanto das obras do Executivo, como se fosse ele próprio o chefe-mandatário; o herdeiro, que vai (na surdina) atrás dos votos dos Uraganos cassados, com o apoio deles. E também haverá o candidato preparado, realmente honesto e bem intencionado, do tipo que quase nunca consegue se eleger. Se há uma personagem dessa novela recontada que pode mudar o final recorrente da história é o eleitor. Ele, ela, são donos do voto e dos seus destinos. Eles poderão encher, mais uma vez, os espaços públicos de corruptos ou não. Mais uma vez está sendo dada ao eleitor a chance de mudar a política de Dourados. Vai começar tudo de novo. Vai?

luciAno MArtins costA (*)

Justiça e corrupção: Corrupção a céu aberto As imagens, bastante exploradas pela televisão, nas quais o prefeito de Palmas, no Tocantins, negocia com o bicheiro Carlos Cachoeira alguma ajuda financeira em troca de participação em seu futuro governo, são o retrato da falência do sistema eleitoral que fundamenta a democracia brasileira. Sem sutilezas, as cenas demonstram que o sistema representativo da República é uma farsa: desde o lançamento das candidaturas, organizações como a que é comandada pelo bicheiro de Goiás se responsabilizam pelas campanhas, oferecendo consultoria para todas as necessidades dos partidos até o dia da posse. Depois, vem a cobrança. No caso de Raul Filho, que se elegeu pelo Partido dos Trabalhadores em Palmas, os diálogos são exemplares: o então candidato pede ajuda de qualquer tipo, e acaba aceitando a oferta de um show para animar seu comício. O preço seria, claro, o superfaturamento de algum serviço público. Mais claro, mais transparente, não poderia ser. Salvo esquemas mais sofisticados, como os acordos tácitos do instituto criado pela indústria de construção civil em São Paulo para financiar seus candidatos prediletos à prefeitura e à Câmara Municipal, essa é a realidade da política em todo o país. raciocíNio primário A rigor, não se pode chamar isso de política. Na verda-

de, trata-se da apropriação do poder público por interesses privados, um tipo de negócio particular como qualquer outro, com a diferença de que a conta é paga pelos cofres públicos. No caso do bicheiro Cachoeira, o fato agravante é que o dinheiro que financia candidatos vem de atividades ilegais. E não se pode descartar, por exemplo, a possibilidade de que até mesmo o lucro do narcotráfico esteja sendo devidamente lavado em operações desse tipo. Em São Paulo, já houve o caso de um candidato a deputado federal bancado diretamente pela organização criminosa conhecida como Primeiro Comando da Capital, cuja principal fonte de renda é o tráfico de drogas. A tranquilidade com que se negocia a participação de bandidos no financiamento de campanhas eleitorais torna perfeitamente factível a suspeita de que a liberdade de ação dos traficantes em muitas cidades brasileiras tenha sido negociada como parte dessas alianças. Observe-se, por exemplo, como a operação das Forças Armadas na cidade paulista de Pirassununga em busca de ladrões de munições, levou o PCC a eliminar os suspeitos, para evitar que a operação militar continuasse a prejudicar seus negócios com drogas. [...] Ora, é raciocínio primário ponderar que, se controlam a rotina dessas comunidades, os criminosos organizados

podem muito bem definir os resultados de eleições. a dEmocracia sob risco O episódio envolvendo Carlos Cachoeira com o prefeito de Palmas pode ter vindo a público por iniciativa do próprio bicheiro, como um aviso de que teria muito ainda a mostrar, quem sabe envolvendo alguns de seus acusadores. Então, perguntaria o leitor, “estaria tudo dominado?” É bem possível que sim, mas a sociedade, a imprensa e os partidos políticos – mesmo aqueles profundamente contaminados pelo esquema Cachoeira – precisam colocar um limite nessa negociata, sob pena de todos acabarem perdendo. Mas não basta escancarar e expurgar da política o esquema chefiado pelo bicheiro goiano. A sucessão de escândalos envolvendo financiamento de campanhas eleitorais está minando a credibilidade do próprio regime democrático no momento em que o Brasil consegue produzir o fenômeno da mobilidade social massiva. Sabe-se que a segunda e terceira gerações das famílias que ascendem da pobreza tendem a se tornar mais conservadoras. Com as instituições políticas minadas pela corrupção, uma sociedade conservadora e pouco educada se torna terreno propício à ação de aventureiros populistas, para risco da própria democracia. (*)Jornalista e escreve para o Observatório da Imprensa.

Jornalista responsável: José Henrique Marques - DRT/MS 192 Diretor-geral: Diretora-administrativa: Diretor-regional: Editor: Assessor Jurídico: Chargista: Editoração:

José Henrique Marques Fernanda Garcia de Brito Edson Freitas Emerson Ferreira do Nascimento DRT/MS 135 Upiran Gonçalves da Silva - OAB/MS 7124-A Amarildo Leite Jimmy Ricardo

MidiAMAx MidiAMAx

Editorial

clichÊ

Aurélio Munhoz (*)

Celebridades: Neymar está cansado. Nós, também Seu nome é Ivo Schiter. Completa 81 anos no dia 26 deste mês. Com um sorriso permanente no rosto, marcado pelos rigores do tempo, Ivo é uma das pessoas mais respeitadas pela sua vizinhança, no bairro Cajuru, em Curitiba. Mora lá há quase quatro décadas em uma casa de madeira, humilde como ele. Gaúcho de Porto Alegre, mudou-se com a família para Curitibanos (SC), onde começou a trabalhar na lavoura ainda criança, aos nove anos. Depois, foi mecânico, soldador, caminhoneiro. Fez outras tantas coisas duras na vida, como abrir estradas usando apenas uma picareta, no governo do presidente Getúlio Vargas. Tem as mãos acentuadamente calejadas pelas décadas de lida. Deveria ter se aposentado aos 65 anos, como todo trabalhador. Mas como a mãe só o registrou com dez anos de idade, levou mais uma década para conquistar o benefício. Mas não o descanso. No limiar dos seus 81 anos, Ivo Schiter continua trabalhando. É borracheiro, já há 36 anos. “Quebro um galho na borracharia para ajudar meu filho porque está difícil achar quem queira trabalhar”, explica, impressionado com a falta de disposição de muitos jovens para o suor no rosto. Exploração E frustraçõEs Lembrei-me de Ivo Schiter por força da enxurrada de notícias veiculadas pela mídia a respeito do cansaço de Neymar. No vigor dos seus 20 anos, o camisa 11 da seleção brasileira e do Santos alega fadiga por sua rotina de estádios, treinos, aeroportos, compromissos sociais e gravações de comerciais de rádio e de TV. É plausível que Neymar esteja fisicamente cansado da vida atarefada que leva, ainda que grande parte dela seja plena de glamour, fama e dinheiro. O talento no trato da bola impôs mesmo ao craque uma vida cheia de compromissos. E a velocidade supersônica do futebol moderno torna dura a vida dos artistas dos gramados. Neymar, enfim, tem o direito de se sentir cansado. Por não vivermos sob a égide do arbeit macht frei (“o trabalho liberta”) – suprassumo da fraseologia

Fundada em 08-03-1968 por Theodorico Luiz Viégas

Colaboradores:

Valfrido Silva, Nicanor Coelho, Ademar de Lima, Ilson Venâncio, Waldemar Gonçalves (Russo) e Clóvis de Oliveira

Impressão:

Editora M.A. LTDA-ME CNPJ: 00.201.207/0001-24

Salvo editorial, este jornal não se responsabiliza por conceitos e ou opiniões emitidos através de matérias, artigos e colunas que são de responsabilidade de seus autores.

nazista que se usava para escravizar os judeus nos campos de concentração – temos todo direito ao “ócio criativo”, como diria o sociólogo Domenico de Masi. O milionário e jovem Neymar, inclusive. O garoto do Santos é, com todos os méritos, nosso mais importante jogador de futebol, o que não é pouco no país com o maior acervo de títulos e ídolos do esporte. Acontece que – perdoemme os santistas fanáticos – milhões de brasileiros, incluindo muitos apaixonados por futebol, também estão cansados. Primeiro, de trabalhar, de fato. E de trabalhar duro, rotina diária de milhões de brasileiros que, diferentemente de Neymar, vivem histórias marcadas por cenários de exploração dos seus patrões, além de um infinito de frustrações no plano pessoal. Noticiário bEstializado Segundo, cansados do escandaloso grau de atenção que a mídia dedica ao jovem – foco deste artigo. Da quase absoluta irrelevância e futilidade dos temas ligados ao talentoso jogador. Da tentativa de transformá-lo no herói e no gênio – uma espécie de Ayrton Senna dos gramados – que ele, decididamente, não é. De serem bombardeados por uma tão intensa saraivada de perfumarias e paparicações – sobre ele, como de resto sobre tudo o que é fútil – que ofendem até a mais limitada inteligência. A overdose de Neymar se torna ainda mais ofensiva e irritante quando se sabe que o país tem um rol de problemas tão gigantescos como nosso território, mas que, a despeito disso, não merecem um milésimo da atenção dedicada ao garoto do Santos pela imprensa. Alguém vai se apressar em dizer que ninguém é obrigado a consumir o caudaloso noticiário dos veículos que fizeram de Neymar a mais festejada celebridade esportiva nacional. Há quem goste deste gênero de informação – e estas pessoas merecem o nosso respeito. Fica difícil acreditar, porém, que elas sejam maioria e que este gênero de besteirol justifique tanto espaço quanto informações de efetivo interesse público. O cerne do problema é co-

nhecido. Ao impor uma superexposição injustificada de Neymar, como de resto ocorre com tantas outras estrelas do show bizz, a mídia bestializa o noticiário porque revela uma clara escolha por um modelo de jornalismo não baseado na divulgação de notícias efetivamente relevantes para o conjunto da população brasileira. cardápio dE futilidadEs O modelo de jornalismo que esta mídia adota se sustenta no entretenimento, no banal, no espetáculo, na perfumaria travestida de informação que interessa a uma minoria, mas que, na verdade, é tomada como assunto de interesse geral – a maquiavélica falácia de se tomar a parte pelo todo. Esquece-se, com isso, que seu papel é fundamentalmente social e seu compromisso é com a maioria – lições básicas que qualquer calouro de jornalismo deve saber. Não custa reabrir as feridas para lembrar, limitandonos ao caso das rádios e TVs, que estes veículos operam por meio de concessões públicas aprovadas pelo Congresso Nacional e sancionadas pela Presidência da República. Usufruem da isenção de vários impostos. E recebem generosas doses de dinheiro público de governos e estatais – privilégio de que também gozam certos jornalões, revistas e portais de notícias nacionais. Deveriam, portanto, pautar seu trabalho prioritariamente pela defesa dos interesses nacionais de todos os brasileiros, o que não significa que a mídia deva excluir o jovem jogador do noticiário. Significa, apenas, que não há absolutamente nenhum sentido em se dar tanta relevância a um menino que, decididamente, pouquíssimo importa para o desenvolvimento desta nação. Diferentemente de Ivo Schiter, o borracheiro octogenário que, a despeito das suas amarguras, continua firme na sua duríssima lida diária (a mesma de milhões de brasileiros), Neymar está cansado. Nós, também: dos mimos concedidos a ele e do lauto cardápio de futilidades que domina boa parte da mídia nacional. (*)Jornalista e sociólogo, Curitiba, PR

CNPJ: 08.792.017/0001-30 - INPI Nº 013887 de 17/08/1974 - Cartório 1º Ofício nº 11/68

Municípios de Circulação: Dourados, Endereço: Campo Grande, Nova Andradina, Ivinhema, Rua Oliveira Marques, 2640 Angélica, Deodápolis, Glória de Dourados, Novo CEP 79.805-021 - Dourados-MS Horizonte do Sul, Jateí, Vicentina, Fátima do Sul, Telefone (67) 3422-6674 Douradina, Rio Brilhante, Itaporã, Caarapó, Na- E-mail: jornalismo@folhadedourados.com.br comercial@folhadedourados.com.br viraí, Itaquiraí, Eldorado, Mundo Novo, Japorã, Folha On Line: www.folhadedourados.com.br Guia Lopes da Laguna, Jardim e Bonito.


Política

06 a 12 de julho de 2012

Hegemonia

Coluna

torpedos José Henrique Marques direcao@folhadedourados.com.br

Lide

Geraldo Resende acrescenta outra traição na ‘riquíssima’ biografia Na iminência de ser processado, com autorização do Supremo Tribunal Federal, acusado de receber propina para viabilizar recursos para obras em Mato Grosso do Sul, através das emendas parlamentares, o deputado federal Geraldo Resende (PMDB) acrescentou ao apagar das luzes do processo pré-eleitoral mais traição em sua “rica” biografia política. Outra vez não honrando a palavra, traiu o colega de bancada Marçal Filho que foi impedido pelos convencionais peemedebistas de disputar a Prefeitura de Dourados com o aval dos comandados de Geraldo. Num jogo de cartas marcadas desde que “perdeu” a indicação para enfrentar o prefeito Murilo Zauith em 7 de outubro com base em pesquisas eleitorais, Geraldo Resende sempre empenhou seu bigode a favor de Marçal. Recuou com o “migué” de que Marçal não construiu a candidatura. Puro cinismo. Embora tenha pelos faciais entre o nariz e o lábio superior, é useiro e vezeiro de usar a retórica para negociar lá na frente com muitas vantagens, é claro. Não integra o grupo de homens que honram seus bigodes. Aliás, Geraldo Resende iniciou sua carreira política traindo então companheiros tucanos no início da década de 90, quando para se eleger vereador desrespeitou a grande maioria do diretório municipal do PSDB e “acertou” com o PMDB de Braz Melo. De lá para cá o elenco de traições passam pelo PT de Zeca (no Governo MS) e de Tetila (na Prefeitura), PPS e agora Marçal. Até o governador André Puccinelli acusa-o de ingrato. Mas, o grande traído nessa história toda é o povo de Dourados e de Mato Grosso do Sul, que é tratado como mera massa de manobra para as ambições pessoais de Geraldo Resende. Em Brasília, onde também deveria se preocupar em legislar e fiscalizar o Governo Federal, cultiva a obsessão por verbas públicas. Não é à toa que o grampo de Eleandro Passaia na Operação Uragano o atingiu, a Procuradoria Geral da República queira investigá-lo e, mesmo com três mandatos, ainda integre a bancada do “baixo clero” na Câmara dos Deputados, ou seja, os parlamentares que têm pouca ou nenhuma expressão política na Casa. O que é seu, deputado, está guardado – pela Justiça do povo.

Telegráfica Anote: cobrança judicial e denúncia no Conselho de Ética da Câmara Federal porão “margarida” em maus lençóis.

Retranca Acinte - Cemar Arnal parece ser um homem destemido. Depois de flagrado recebendo propina e indiciado pela Polícia Federal por conta da Operação Uragano, o vereador do PDT aprontou feio com o empresário Nicácio Canteiro, que pensa em processá-lo.

Postergando – O prefeito Murilo Zauith (PSB) está avisando os aliados, às lideranças e candidatos a vereador: campanha política somente em agosto. Até lá será agente político apenas como prefeito. É uma estratégia de baixar os custos.

Plantou – O deputado estadual Laerte Tetila passou por várias “saias justas”, domingo, na feira livre. Foi questionado por sua posição em relação às eleições municipais de 7 de outubro. Muita gente cobrou dele candidatura própria do PT.

Fim – Dos seis processos originados da Operação Owari apenas dois ainda não foram arquivados, por enquanto. Em tese, todos os humilhados com a prisão e execração pública poderão processar o Estado por danos morais e outras cosita mas. É o Brasil!

Febre – Virou moda em Mato Grosso do Sul as tais academias ao céu aberto. O que tem de parlamentares federais oferecendo os instrumentos por aí não é brincadeira. O modus operandi parece ser o mesmo das ambulâncias que originou as “sanguessugas”.

Mentiras – Havia sabotadores no encontro decisivo do PT. Vazaram informações de que João Grandão teria chamado Murilo de traidor (não é verdade) e que Tetila pretendia ser candidato a prefeito (nem na pauta essa tese encontrou).

Reflexão “Se não existe possibilidade de fracasso, então a vitória é insignificante.” (Robert H. Schuller) “Sê humilde quando a sorte te bafeja, e paciente quando te despreza.” (Baltasar Gracian) “A paz, se possível, mas a verdade a qualquer preço.” (Lutero)

03

nascimento

‘Fim da história’ para a política do MS arquivo

As decisões que se davam através do voto, nas urnas, agora são arquitetadas e acordadas em gabinetes A saída de Zeca do PT do comando do Partido dos Trabalhadores (ao término do seu segundo mandato de governador) e ascensão do neopetista, senador Delcídio do Amaral, marcou o fim do período de polarização de forças políticas no Mato Grosso do Sul. PT e PMDB marcaram uma era de disputa de poder entre partidos e de antagonismos ideológicos, que chegou ao fim para dar lugar à disputa entre facções internas aos partidos. Os embates eleitorais deram espaço aos “acordos de alianças”. As decisões que se davam através do voto, nas urnas, agora são arquitetadas e acordadas em gabinetes. O PT não é mais marco do espaço da oposição no estado. Não existe mais oposição. O poder se tornou hegemônico e representa um único projeto. O caminho escolhido pelo senador Delcídio do Amaral para chegar ao Governo do Estado foi o das “alianças”, ao invés do caminho do velho petismo que levou Zeca ao Governo, marcado pela disputa de cada “jarda” do campo adversário, acumulando vitórias em batalhas até ganhar a guerra. Segundo acusou o em-

Sem SurpreSa

André e Delcídio partilhando o estado: um vira governador e outro vira senador presário e presidente do governador vira senador. O PSD, Antonio João Hugo resultado do próximo pleito Rodrigues (sem apresentar estadual já estaria definido provas), Delcídio não hesi- hoje, sem disputa, sem camtou em traí-lo, nem em trair panha, sem riscos. seu próprio partido, o PT, A sopa de letrinhas em em nome da proposta de fa- que se tornaram as coligazer alianças para garantir ções nos municípios do Mato sua vitória em Grosso do Sul 2014. Aliás, mostram que Sem oposição, traição é a paos arranjos PMDB de André lavra que mais supra-partidáse ouve de podomina o estado rios evitaram líticos nos últio confronto die conquista mos dias pelo reto entre os hegemonia estado. Em os dois partidos todos os cannessas eleições tos, um acusa o outro de para prefeito. Com exceção trair acordos, partidos, de Campo Grande, onde ideologias, projetos. Vander Loubet, sobrinho de Ainda de acordo com Zeca, vai encarar o candiAntonio João, Delcídio e dato de André Puccinelli, Andre teriam um pacto de Edson Girotto. Mas essa “não agressão”, que garan- animosidade não pode ser tiria a ambos, vitória anteci- entendida como oposição pada nas eleições de 2014: o a André ou ao PMDB, trasenador vira governador e o ta-se de projetos políticos

pessoais, não de projetos partidários. A teoria do “fim da história”, do norte-americano Francis Fukuyama, defende, de forma geral, que a história da humanidade teria chegado ao seu “fim” quando o sistema capitalista venceu a guerra contra o projeto de sociedade socialista da exUnião Soviética. Sem outra ideologia ou proposta de governo capaz de lhe fazer frente, o capitalismo teria se tornado hegemônico no mundo. No Mato Grosso do Sul, a “endireitada” do PT, através da política de alianças com os seus antigos adversários, decretou o fim do esquerdismo no estado e significou a consagração da vitória do PMDB e sua consolidação como força política hegemônica. É o fim da história política no estado.

Valfrido silVa

Profecia feita, profecia cumprida: é Murilo! Quando, às vésperas do carnaval deste ano, mais precisamente no dia 15 de fevereiro, publiquei aqui um post com o título “André vai apoiar Murilo. E fim de papo!”, foi um pampeiro danado. Principalmente da parte do deputado Geraldo Resende, até então o que mais insistentemente se colocava como candidato de oposição a Zauith. Para ele este blogueiro fazia parte de uma rede de conspiração sem retorno para prejudicar seus projetos. Mais tarde, diante da interminável lengalenga, pressionado a tomar uma posição e já sendo acusado de estar com os pés em duas canoas, até o governador se aborreceu com o Blog, ao afirmar que não adiantava ele dizer que iria apoiar A ou B, dentro do PMDB, diante da insistência de setores da imprensa em desauto-

rizá-lo. Que se setores, se só aqui rolava esse tipo de assunto, com a turma toda da dita imprensa subordinada, como sempre, apenas aceitando as matérias pagas das assessorias dos pré-candidatos? Pode ter havido, isto sim, algum tipo de comunicação telepática entre André e o blogueiro, já que tudo o que aqui foi escrito acabou acontecendo e, pelo jeito, conforme ele havia planejado. Quando, também em fevereiro, Odilon Azambuja pediu as contas da Sanesul tentei arrancar dele se era para sair candidato a prefeito. A resposta, bem ao seu estilo, foi um peremptório não, com a alegação de que já estava aposentado, que não tem saco para a política e que tudo o que almejava na vida era curtir os filhos e os netos. Como em momento algum tive dúvidas quanto

ao teatrinho peemedebista, continuei auscultando sobre o nome do vice que o velho “manda brasa” sugeriria a Murilo Zauith. Tanto que “lancei” aqui o médico Sebastião Nogueira, primo do outro Nogueira, o Antônio, o vice dos sonhos de Murilo e de André, mas vetado pelas confusões que arrumou com o demo Zé Teixeira e também com Geraldo Resende, além de Sérgio Henrique Araújo. Bati na trave, já que, à última hora, acabaram pré-candidatos, Sebastião com o apoio do deputado George Takimoto e Sérgio Henrique lançado à última hora por Délia Razuk; depois, acordados, já na boca da urna, Sebastião e Antônio cabalando votos para Odilon. Além do ponto final ao imbróglio que depois da surra levada por Marçal Filho nas urnas da convenção

peemedebista Keliana Fernandes qualificava como marmelada, como se ela e seu amado não desconfiassem de nada, a indicação de Odilon Azambuja como companheiro de chapa da reeleição pós uragânica aponta para uma providencial estratégia de André Puccinelli para 2014. É que depois do enterro coletivo de todos os adversários é bem provável que o agora ainda mais todo poderoso Murilo Zauith não se contente apenas em comandar politicamente a Grande Dourados, mas certamente querendo ir à desforra no âmbito do Estado, depois da frustrada tentativa de chegar ao Senado. André e Cia., pois, que se cuidem, já que o homem quando põe uma coisa na cabeça, sai de baixo. Que o digam Ari Artuzi e os algozes das outras derrotas.


04

Política

06 a 12 de julho de 2012

O cara

nascimento

O fator ‘Barbosinha’ na política douradense Odilon Azambuja, ex-diretor regional da Sanesul é indicação dos ex-chefes: André Puccinelli e Barbosinha A indicação “peemedebista” de Odilon Azambuja para vice de Murilo Zauith na disputa pela Prefeitura de Dourados, é mais uma das muitas fantasias que povoaram o imaginário político nos últimos três meses no município. Assim como Geraldo Resende e Marçal Filho nunca foram uma opção séria de candidatura para o PMDB (a votação do diretório mostrou que tudo não passou de jogo

amigO (?)

de cena), tampouco Odilon é uma escolha do partido. O ex-diretor regional da Sanesul é indicação dos exchefes: André Puccinelli e Barbosinha. A pista foi o licenciamento de Odilon Azambuja da Sanesul, em tempo hábil, previsto em Lei, para ser candidato nessas eleições. Naquele momento, três meses atrás, estava selado o futuro do PMDB e do PT. Tudo que veio depois foi mera busca de surfar nas ondas da mídia e capitalizar, nunca foi tentativa verdadeira de mudar os desígnios “divinos”. Amigo de Murilo, José Carlos Barbosa (Barbosinha), presidente da Sanesul, é filiado ao Democratas, antigo partido de

edson freitas

Barbosinha é homem de extrema confiança de André Murilo, portanto, além de amigo, é politicamente afinado com o prefeito e, importante: homem de absoluta confiança do governador André Puccinelli,

que o colocou para dirigir a Empresa de Saneamento do estado e administrar um orçamento multimilionário. Soma-se ao currículo de Barbosinha uma bem-

sucedida administração tados desse processo eleida Prefeitura de Angélica, toral pelas denúncias de credenciais mais que su- “amarelarem” e fugirem ficientes para qualificá-lo da disputa com Murilo no como candidato de Pucci- apagar das luzes das connelli e de Murilo a deputa- venções partidárias, por do federal em 2014. isso mesmo, em circunsBarbositâncias pouco nha já declaclaras. rou (inclusive Sem faBarbosinha a essa folha), zer alarde, mostrou que que pretende Barbosinha é o elemento mesmo dispumostrou que tar um cargo surpresa na política é o elemento político nas surpresa na douradense próximas eleipolítica douções estaduradense e que ais, e será mais um nome sabe bem como articular forte a disputar os votos nos bastidores, longe dos dos douradenses. Proble- holofotes e das polêmicas, ma para os atuais depu- de maneira competente e tados federais Geraldo eficiente. Barbosinha é “o Resende e Marçal Filho, cara” em um eventual seambos do PMDB, que quei- gundo mandato de Murilo ram ou não, saem desgas- e em 2014.

alô vOcê!

Valfrido silVa

nascimento

Traições refletem, ainda, o day after à Uragano Keliana: plano ‘B’ Ao contrário do que se imaginava ao se descerrar o palco das convenções municipais, daí se vislumbrando carinhas - algumas por demais carimbadas - e currículos dos peitudos dispostos a encarar as urnas em outubro próximo, em vez do início, propriamente dito, da campanha eleitoral, o que se assiste é um verdadeiro festival de acusações, com traição de mamando a caducando. Pior, não apenas traição na acepção da palavra, entre companheiros, mas até entre parceiros “de momento”, isso mesmo, como os das “ficadas” na antiga e gloriosa Coréia douradense. A história que mais vem dando pano pra manga é a de Delcídio do Amaral, tucano de coração que foi ficando petista pela conveniência do “momento” lulista no âmbito nacional e, claro, também, por força do mandato. Assanhando-se para os lados de André Puccinelli desde 2010, quando precisava da reeleição, agora, vislumbrando novamente a possibilidade de, com apoio dele, vir a sucedê-lo no governo, com ele teria se encontrado na calada da noite para rifar os companheiros de partido estado afora. Zeca do PT, que até hoje se arrepende amargamente por não ter retribuído o apoio de Pedro Pedrossian à sua primeira eleição de governador com a cadeira que chancelou a Delcídio no Senado, está espumando de raiva e exigindo explicações. Isto, depois de o galo ter cantado mais de três vezes anunciando a

anita tetslaff

Depois do flerte com PMDB, Murilo parece dar pouco crédito ao que Tetila fala traição do rechonchudo barrageiro do Pantanal. Se Delcídio traiu o PT com André, o que dizer da condição Nelsinho Trad, na outra ponta da corda trabalhando feito um doido, também, para que o governador “tratore” petistas e demais adversários acreditando ser ele o ungido de 2014? Ainda nesta perspectiva, um pouco mais abaixo das linhas e dos travessões da Colônia Federal, outra estrela petista que estava ficando com um adversário histórico esperou a undécima hora de uma das intermináveis plenárias do partido para tentar um golpe pra lá de sorrateiro. Acredite quem quiser, mas o professor Laerte Tetila, bem ao estilo daqueles que dão o tapa e escondem a mão, só não saiu candidato porque a esposa, também professora, Zonir Tetila, fazendo jus à tradição da família Mattos, à última hora, acabou com as pretensões do marido de ten-

tar reaver a prefeitura que entregou de mão beijada ao Valdecir em 2008. Não por acaso, durante a convenção de estilo americano no Cachoeirinha, sábado de manhã, o prefeito fez lembrar os dias em que andou emburrado pela indefinição de Puccinelli no período que antecedia a eleição para o Senado, dando-lhe as costas. Depois, Zauith explicou que não se sentiu traído por Tetila, apenas ficou um pouco aborrecido, mas que o momento é de maturidade e de juntar os cacos por Dourados. A história se repetiu em vários municípios, e, mais interessante, conforme denúncia do Correio do Estado de hoje, com o CBT de André Puccinelli pilotado por Delcídio do Amaral ignorando até mesmo alguns ponteiros de pesquisas, como o radialista Alcides Bernal, em Campo Grande. Aqui um parêntese. Em lugar de traição, leia-se leilão,

com o último lance no expirar do prazo da convenção. Mas, afinal, por que tanto estica-e-puxa e tanta adrenalina num processo que deveria ser dos mais democráticos, dando-se aos partidos a oportunidade de disputa e ao eleitor a de escolha? Muito mais que medo das urnas, pelas dificuldades de operacionalização da tal estrutura, reflexo, ainda, da Uragano, como remake do filme The Day After, na realidade retratando a situação periclitante nos meses que se seguem ao início de conflito nuclear entre Estados Unidos e União Soviética. Assim como a guerra fria, num passe de mágica cinematográfica transformada em guerra quente entre as, até então, duas potencias mundiais, as traições destas eleições, que pareciam mornas, podem esquentar a tela da TV no horário eleitoral. Senão agora, com certeza em 2014.

de Marçal Filho Keliana Fernandes (PSC) já é a grande surpresa dessas eleições. Quando ninguém mais esperava novidade, ela se lançou candidata à prefeita de Dourados e pôs lenha na fervura de uma campanha que, tudo indicava, seria levada em banho-maria. Ela e o seu vice, pastor Orlando Ortega Sanches (PTC), colocam-se na disputa como plano “B” do deputado federal Marçal Filho (PMDB). Antes de ser rejeitado pelo seu partido como candidato, Marçal Filho já avia anunciado que, se fosse preterido, tinha um plano “B”: lançar a esposa candidata em seu lugar. No seu pronunciamento de candidata Keliana disse que a possibilidade de traição do PMDB a seu marido já era cogitada desde há um ano, pelo menos, quando então ela decidiu sair do PMDB e filiar-se ao PSC, para ser a carta na manga de Marçal. O marido de Keliana, que não estava presente na coletiva e que nem mesmo se pronunciou, até agora, em apoio à sua mulher, terá que escolher entre ser infiel ao PMDB ou a sua esposa, se vai ficar ao lado da esposa honesta ou do partido que não teve escrúpulo em traí-lo à luz do dia. Na verdade, ninguém espera que Marçal não fique ao lado de Keliana, que se mantenha ausente da campanha da esposa, o eleitor

jamais entenderia essa postura. Contudo, se Marçal deseja mesmo ajudar a companheira a tornar-se prefeita, vai precisar sair do casulo e demonstrar todo seu desejo de marido. Mesmo que se reconheça todo potencial e carisma de Keliana junto à grande parcela do eleitorado, a sua candidatura seria apenas mais uma aventura de um partido nanico, não fosse o marido e as circunstâncias. Mas com todo o pano de fundo criado pelo PMDB, a candidatura de Keliana muda o panorama desenhado para a campanha eleitoral em Dourados. No mínimo, ela legitima a busca de Murilo Zauith pelo segundo mandato. Keliana tem discurso para usar na campanha. Ela representa a emoção que faltava em uma campanha demasiado racional e matemática. E qualquer leigo sabe do valor preponderante do elemento passional em uma campanha política. Além disso, a traição sofrida pelo marido também poderá ser usada como elemento de discurso (talvez isso explique o nervosismo do secretario de Governo de Murilo, Zito, na tarde desta quarta-feira). Contudo, só o tempo dirá se Keliana vai utilizar-se das armas que tem. E isso depende mais do engajamento do marido na sua campanha do que dela mesma. O eleitor vai ter que esperar para ver. edson freitas

Pastor Orlando (PTC) e Keliana Fernandes (PSC)


Economia Cooperativismo

06 a 12 de julho de 2012

05

NascimeNto

Dourados participa de comemoração da ONU Centro-Oeste, com sede em Dourados. O sistema cooperativo surgiu como proposta alternativa de produção, baseada na solidariedade entre os associados, visando ao desenvolvimento conjunto. No mundo, já chega perto de um bilhão o número de Dourados fará parte pessoas que fazem parte de da comemoração mundial algum tipo de cooperativa, pelo Ano Internacional das que pode ser feita nas mais Cooperativas, instituído variadas modalidades de pela ONU. No próximo dia produção e serviços. Com 7 de julho (sábado), das o tema “Cooperativas cons8 às 14 horas, na praça troem um mundo melhor”, Antonio João, a iniciativa da diversas cooONU tem como No mundo, já chega perativas da objetivo dar perto de um bilhão o v i s i b i l i d a d e cidade farão o “Dia C”, quan- número de pessoas que ao movimento do estarão cooperativista, fazem parte de algum aumentando o reunidas para apresentarem interesse pútipo de cooperativa os produtos e blico sobre as serviços oferecidos pelo cooperativas e encorajando sistema, além de atividades governos a estabelecerem de lazer e culturais. Na ci- políticas, leis e regulamendade, o evento que também tações condizentes e procelebra o Dia Internacional pícias para a formação, o do Cooperativismo, está desenvolvimento e a estasendo organizado pelo Si- bilidade do setor. credi, uma das maiores No Brasil, o coopecooperativas de crédito do rativismo tem crescido a

soja

edson freitas

Representantes da imprensa foram recebidos por diretores e assessores de Comunicação do Sicredi Centro Sul MS cada ano: em 2011, nos 13 ramos em que atua, o setor atingiu mais de 10 milhões de associados, registrando um crescimento de 11% em relação ao ano anterior, de acordo com dados da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB). O aumento se dá também na geração de empregos: 296 mil pessoas

estavam empregadas em cooperativas em 2011, em torno de 9% a mais que em 2010, trabalhando em 6.586 cooperativas. A Sicredi Centro Sul MS, Cooperativa de Crédito presente em Dourados, é um exemplo do sucesso crescimento possui atualmente 45 mil sócios e está presente em 19 cida-

des do cone sul do Estado (Dourados 3, Caarapó, Rio Brilhante, Laguna Carapã, Amambai, Nova Andradina, Novo Horizonte do Sul, Naviraí, Iguatemi, Nova Alvorada do Sul, Itaporã, Ivinhema, Mundo Novo, Ponta Porã, Aral Moreira, Coronel Sapucaia e Bela Vista, são mais 450 milhões de reais em recursos ad-

safra

agrodebate

ministrados e cerca de 300 milhões em operações de crédito. Em 2011 a Cooperativa deu um resultados superior a 15 milhões de reais, dos quais pelo menos metade foram distribuídos aos seus associados, agregando renda e contribuindo para a melhoria da qualidade de vida destas comunidades.

da redação

Efeito EUA catapulta preços em MS e MT Dourados colhe 30% a mais e O risco que está se tornando realidade de uma frustração nas previsões da safra norte-americana de soja está catapultando os preços da soja nos mercados internacional e nacional. A avaliação foi feita ao Agrodebate por dois dos principais especialistas no mercado de grãos em Mato Grosso do Sul, o presidente da Associação dos Produtores de Soja (Aprosoja/MS), Almir Dalpasquale, e Alexandre Bueno Magalhães, analista de mercado da Grãos de Ouro Corretora, de São Gabriel do Oeste. Em Mato Grosso, maior produtor do País, por exemplo, a cotação fechou na sexta-feira (29), a R$ 60 a saca em Sorriso e R$ 63 em Cuiabá. Já em Mato Grosso do Sul, os preços foram ainda maiores, a R$ 66 em São Gabriel do Oeste e R$ 67,50 em Dourados. Tanto Dalpasquale quanto Magalhães apontam que o mercado abre a semana com cotações acima de R$ 70 a saca.

Um exemplo de como o preço do soja está valorizado é que na safra passada, neste mesmo período, o valor da saca estava sendo comercializado no patamar de R$ 40, conforme Magalhães, o que representa que entre um ciclo e outro houve uma valorização de 75% no valor da commoditie. “Temos que levar em conta o aumento do custo de produção também neste período, mas o valor está realmente alto”, comenta ele. Panorama Nos Estados Unidos, segundo Dalpasquale, as lavouras de soja estão em um momento crucial, de floração e granação, e estão sendo afetadas pela falta de chuva. “Da previsão de uma safra boa para ótima eles estão passando rapidamente de boa para ruim. É a lei do mercado, se vai ter menos produto disponível o preço logicamente vai subir”, explica. O presidente da Aprosoja cita ainda outros fa-

tores que estão ajudando a elevar o preço da soja. “Além dessa perspectiva frustrada da safra de soja nos Estados Unidos, uma parte dos produtores deles migrou para o milho para atender o mercado de alimentos, de ração e de etanol e houve ainda uma quebra de safra de 11 a 12 milhões de toneladas de soja na América do Sul. Junte tudo isso em um cenário em que os estoques mundiais já estavam baixos e a demanda estava alta para ter os preços no patamar atual”. Dalpasquale lembra, entretanto, que a maior parte da safra de soja do País já foi comercializada o que impede que os produtores aproveitem esse panorama de preços altos. “Em Mato Grosso do Sul, por exemplo, temos menos de 10% do produto na mão”, comenta, completando que para evitar que o pouco produto ainda disponível seja vendido para o mercado externo que as in-

dústrias brasileiras estão pagando prêmios muito altos aos produtores. Neste cenário, o analista de mercado da Grãos de Ouro Corretora diz que a tendência é que os preços da soja continuem subindo nos próximos dias. “Não podemos falar de um teto para os preços, até porque ao longo deste período podem ocorrer algumas realizações de lucros, de investidores que compraram por um valor e querem vender na alta, o que pode eventualmente afetar os preços”, alerta. Magalhães diz que em razão do quadro atual, o mercado já começa a se preocupar também com a próxima safra de soja. “Nosso plantio começa em outubro. Temos que torcer para que não ocorram problemas climáticos com a safra no Brasil, segundo maior produtor mundial do grão, e a da Argentina, o terceiro. Se isso ocorrer, os preços vão disparar ainda mais”, conclui.

comércio deve ser aquecido

O Ibge (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) elevou, na avaliação de junho, a previsão da safra de grãos do país para 160,7 milhões de toneladas. A nova estimativa é 0,3% maior do que a divulgada no mês anterior, cuja previsão era 160,3 milhões de toneladas. Dourados deve colher 30% a mais em relação a safra passada. Caso a previsão se confirme, o país terá, no final deste ano, uma safra de cereais, leguminosas e oleaginosas 0,4% maior do que a registrada no ano passado, que totalizou 160,1 milhões de toneladas. Segundo o Ibge, a área prevista para ser colhida em 2012 [49,4 milhões de hectares] é 1,6% maior do que a registrada em 2011. Entre as três principais culturas do país (que representam 91% da produção de grãos), o único crescimento na produção neste ano deverá vir do milho (22,7%), que também deverá ter aumento de 10,5% na área plantada. O arroz terá a maior queda na produção em rela-

ção a 2011 (14,8%) e também uma redução da área plantada (13,2%). Já a soja terá uma queda de 12,3% na produção, apesar de um aumento de 3,5% na área plantada. Entre os 26 produtos selecionados pela pesquisa do Ibge, a metade deverá apresentar aumento na produção em relação a 2011, como algodão herbáceo em caroço (4%), amendoim em casca primeira safra (25,3%), aveia em grão (12,3%), café em grão arábica (16,5%), café em grão canephora (9,7%), cevada em grão (14,3%) e feijão em grão segunda safra (8,0%). Já entre os produtos que deverão ter queda na produção neste ano destacam-se amendoim em casca segunda safra (-29,8%), arroz em casca (-14,8%), batata-inglesa primeira safra (-7,8%), batata-inglesa segunda safra (-20,1%), cana-de-açúcar (7,4%), feijão em grão primeira safra (-36,3%), mamona em baga (-60,8%) e trigo em grão (-8%). Com informações da Agência Brasil.


06

Estampa Coluna

06 a 12 de julho de 2012

Edson Freitas comercial@folhadedourados.com.br

Ibratin e Paraíso das Tintas treinam pintores

Mais de trinta pintores de Dourados foram capacitados com o curso IBRAART – Técnicas e Normas de Aplicação dos Produtos Ibratin. O evento realizado pela Paraíso das Tintas e Ibratin, com apoio do CREA-MS, aconteceu no Ceper do BNH3º Plano. O palestrante foi Carlos Estodutto, auxiliado pelo consultor de vendas Anderson Silva. Também presenciaram a palestra arquitetos e representantes do Sebrae-MS. Vale destacar que Grupo Ibratin é uma organização empresarial focada no segmento de tintas e texturas, voltada para satisfação dos clientes com qualidade, tecnologia, inovação, beleza e sustentabilidade, e a Paraíso das Tintas é a pioneira no ramo de tintas em Dourados onde atua há 40 anos.

A família pioneira no ramo de tintas em Dourados, Junior, Rene e Artemio Franco entre Anderson Silva e Carlos Estodutto, da Ibratin

Aniversariantes

Nathy Nanda Tolvai, de Dourados, dia 08

Valquíria do Nascimento,

de Itaquiraí, dia 10

Viviane Chagas,

de Naviraí, dia 09

Alexandre Caobianco,

de Itaquiraí, dia 07

Lia Nogueira,

de Dourados, dia 08

Valdomiro Sobrinho,

de Mundo Novo, dia 06


Fernanda Brito comercial@folhadedourados.com.br

Coluna

Enfoque

CAfé dA mAnhã com a imprensa

AniversAriAntes

Drop’s

• O Qualifica Dourados formou a primeira turma de 2012. Pessoas inscritas no curso de pintura em tecidos receberam o certificado de conclusão do curso de qualificação. • Em Dourados, na Praça Antonio João, acontece neste sábado (7) o Dia C, Dia de Cooperar. Este evento está sendo promovido pelas Cooperativas sediadas em Dourados com apoio da OCB/MS.

• Vereador Walter Hora, dia 07

Durante a manhã terá uma programação com passeio ciclístico e apresentações culturais além de sorteio de bicicletas para os participantes. As Cooperativas Sicredi Centro Sul MS, Sicoob, MS Peixe, Unimed, Cergrand, Copacentro, Coopasol, Uniodonto e Uniprime estarão presentes com estandes para visitação do público. • Muita diversão e comidas típicas é o que promete o Arraiá do SESC Dourados, que será no dia 8 de julho domingo, com início às 13

07

destaque

Um café da manhã com a imprensa, na segunda-feira (02), marcou o lançamento, em Dourados, do Dia Internacional do Cooperativismo comemorado sábado (7). Representantes das empresas jornalísticas foram recebidos pela Diretoria e assessores de Comunicação Social do Sicredi Centro-Sul MS. Fotos: Edson Silva.

• Vice-prefeita Dinaci Ranzi, dia 06

06 a 12 de julho de 2012

• Deputado estadual Laerte Tetila, 07

horas. Haverá apresentação de quadrilhas, shows musicais e barracas caracterizadas, com comidas típicas, um dos principais atrativos da tradicional festa caipira. A proposta é proporcionar lazer e integração aos alunos do SESC e à família comerciária de um modo geral. O ingresso solidário é 1kg de alimento não perecível /ou 01 litro de leite de caixinha, que será revertido ao Mesa Brasil SESC. • No dia 17 de julho, terçafeira, às 18h30, o corretor

de imóveis e advogado Paulo Roberto Xavier, do Rio de Janeiro, estará no auditório do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis, em Campo Grande, para proferir a palestra “Desmistificando as arras e as certidões nos negócios imobiliários”, realizada pelo Conselho em parceria com o Sindicato dos Corretores de Imóveis de MS. O ingresso solidário é 1 kg de alimento não-perecível e é necessário confirmar presença pelo site www.crecims.com.br. Mais informações pelo telefone 3325-5557.

O empresário Rene Franco, da Paraíso das Tintas, é candidato a vereador pelo PT. É uma nova liderança empresarial que surge para renovar a política de Dourados. Sucesso e parabéns pela coragem e desprendimento em se colocar como alternativa ao eleitorado douradense.


08

Geral

06 a 12 de julho de 2012

Paraguai

MS JÁ

Governo lembra da Guerra e cria tensão na fronteira Para o analista político paraguaio, José Carlos Rodríguez, o novo governo ‘faz uso provinciano e perverso da história’ ao citar a Tríplice Aliança Com clima ainda tenso no Paraguai, o presidente paraguaio Federico Franco, que assumiu após um suposto “golpe legal” contra Fernando Lugo, com discurso moralizador de que acabaria com o n e p o t i s m o n o Po d e r Público, deu demonstrações, esta semana, de que o país que faz fronteira com 11 cidades de Mato Grosso do Sul continuará sendo palco da falta de cumprimento de promessas de políticos. Com 10 dias no cargo ele nomeou a cunhada, Mirtha Vergara de Franco, como conselheira da hidrelétrica de Itaipu e o primo Víctor Rivarola como ministro na Secretaria de Ação Social. Durante o discurso de posse, no dia 22 de junho, Franco prometeu que “terminaria a época em que amigos e parentes ocupam cargos públicos”.

TV riT

OpOrtunismO Essa semana também a agência britânica BBC citou uma declaração do representante paraguaio na Organização dos Estados Americanos (OEA), Hugo Saquier, que dizia que Brasil, Argentina e Uruguai armavam uma “nova Tríplice Aliança” contra a nação, em referência à união dos três durante a Guerra do Paraguai (1864-1870). “Se quiserem formar outra Tríplice Aliança, que o façam. (…) Não será

Representante do Governo mexe na ferida da Guerra e cria tensão a primeira vez”, disse Saquier, queixando-se do que avaliou como uma articulação entre os três para expulsar o Paraguai do Mercosul e da Unasul, sem dar chance de defesa. Po r o r a , o t r i o j á suspendeu o país da cúpula do Mercosul nesta sexta-feira, em Mendoza (Argentina). O Paraguai também foi impedido de

participar de reunião da Unasul nas mesmas data e cidade, quando o bloco sul-americano anunciará sua posição sobre a crise paraguaia. A imprensa paraguaia através do ABC Color, um dos principais jornais paraguaios e que foi fundado durante a ditadura de Alfredo Strossner dando suporte até 1983, tenta dar suporte ao “isolamento” semelhante ao da Tríplice Aliança. O La Nacion que é de 1995 segue a mesma linha nacionalista. Para o analista político paraguaio, José Carlos Rodríguez, o novo governo ‘faz uso provinciano e perverso da história’ ao citar a Tríplice Aliança para criticar a postura dos países vizinhos. ‘O discurso é muito útil ao governo, que usa um trauma coletivo para defender algo indefensável. Assim, fazem-se de vítimas e transferem a culpa aos outros’. Segundo ele, a posição adotada por Brasil, Argentina e Uruguai quanto ao impeachment de Lugo é equilibrada e visa responder ao ‘golpe de Estado que houve no Paraguai’’, publicou a BBC.

divulgação

O presidente paraguaio Federico Franco assumiu após um suposto “golpe legal”

da redação

RIT Motors: estréia programa centrado em vendas de veículos semi-novos Esta semana começou com novidades na grade de programação na TV RIT local. Trata-se do programa RIT Motors. Um programa centrado na venda de veículos novos e semi-novos que aborda ainda os cuidados que o proprietário deve ter na conservação de sua máquina e dicas de trânsito para ajudar a pessoa que dirige a fazê-lo com mais segurança.

O programa será exibido aos sábados às 11h30, sendo reprisado diariamente de domingo a sexta logo depois do programa SOS Cidadão. “Dourados se tornou um grande centro de compras da região sul do Estado e no segmento de veículos seminovos não é diferente. Com mais de 100 lojas estabelecidas na cidade este mercado está cada vez mais concorrido, por isso a TV

RIT lança esse programa voltado para o setor juntamente com as principais garagens e concessionárias”, declara Wagner Almeida, diretor comercial da TV RIT em Dourados. “Queremos fazer um programa simples, mas eficiente. Que seja uma nova ferramenta para o consumidor que procura por um veículo que atenda suas necessidades. Para isso, coloca-

mos detalhes como valores, ano de fabricação e outros itens importantes”, afirma Luciana Simião, cinegrafista e diretora de imagens. O Programa tem ainda como apresentador o radialista Beto Godoy, na direção geral Maciel Arruda e Amarildo Leite como videografista. O telefone para contato é (067) 3416-8200/(067) 9971-3207

amarildo leite

Luciana Simião e Beto Godoy filmam para o RIT Motors


Saúde Vida

06 a 12 de julho de 2012

09

AgênciA BrAsil

Governo quer aumentar doadores no país O número de doadores de órgãos no Brasil cresce cada dia e, com ele, o índice de transplantes realizados no país. Atualmente, o programa público nacional de transplantes de órgãos e tecidos é um dos maiores do mundo. Para ser doador, não é necessário deixar documento por escrito. Cabe aos familiares autorizar a retirada, após a constatação da morte encefálica. Neste quadro, não há mais funções vitais e a parada cardíaca é inevitável. Embora ainda haja batimentos cardíacos, a pessoa com morte cerebral não pode respirar sem ajuda de aparelhos. O processo de retirada dos órgãos pode ser acompanhado por um médico de confiança da família. É fundamental que os órgãos sejam aproveitados enquanto há circulação sangüínea para irrigá-los. Mas se o coração parar, somente as córneas poderão ser aproveitadas. Quando um doador efetivo é reconhecido, as centrais de transplantes das secretarias estaduais de saúde são comunicadas. Apenas elas têm acesso aos cadastros técnicos de pessoas que estão na fila. Além da ordem da lista, a escolha do receptor será definida pelos exames de compatibilidade com o doador. Por isso, nem sempre o primeiro da fila é o próximo a ser beneficiado. As centrais controlam todo o processo, coibindo o comércio ilegal de órgãos. A doação é regida pela Lei nº 9.434/97. É ela quem define, por exemplo, que a retirada de órgãos e tecidos de pessoas mortas só pode ser realizada se precedida de diagnóstico de morte cerebral constatada por dois médicos e sob autorização de cônjuge ou parente. Para ser doador,

não é necessário deixar documento por escrito. Cabe aos familiares autorizar a retirada de órgãos.

PArA ser doAdor é Preciso • Ter identificação e registro hospitalar; • Ter a causa do coma estabelecida e conhecida; • Não apresentar hipotermia (temperatura do corpo inferior a 35ºC), hipotensão arterial ou estar sob efeitos de drogas depressoras do Sistema Nervoso Central; • Passar por dois exames neurológicos que avaliem o estado do tronco cerebral. Esses exames devem ser realizados por dois médicos não participantes das equipes de captação e de transplante; • Submeter o paciente a exame complementar que demonstre morte encefálica, caracterizada pela ausência de fluxo sangüíneo em quantidade necessária no cérebro, além de inatividade elétrica e metabólica cerebral; • Estar comprovada a morte encefálica. Situação bem diferente do coma, quando as células do cérebro estão vivas, respirando e se alimentando, mesmo que com dificuldade ou um pouco debilitadas. Observação: Após diagnosticada a morte encefálica, o médico do paciente, da Unidade de Terapia Intensiva ou da equipe de captação de órgãos deve informar de forma clara e objetiva que a pessoa está morta e que, nesta situação, os órgãos podem ser doados para transplante.

Gatos: eles têm personalidade? Sim, existem gatos com personalidades variadas. Alguns mais tímidos outros mais sociáveis, dependentes, outros ariscos e isso têm muito a ver com a raça desses animais. Dentre as variadas características da personalidade encontra-se o gato explorador que apresenta um excesso de confiança desconhecendo qualquer situação de perigo. É necessário cuidado especial com eles, cuidar objetos, plantas tóxicas, fios elétricos porque tudo para eles são motivos de descoberta. O gato cuidadoso é calmo, retraído, gostam da rotina, e evita situações diferentes das habituais. Elege sempre um local para se refugiar de companheiros ou visita ali permanecendo até se sentir seguro e protegido. Muitas vezes somente aparece quando a visita vai embora. Para quem cuida dele é toda atenção, mas não dá confiança para estranhos e por essa condição se torna muito dependente do seu dono. O sociável ao contrário já gosta de companhia dos humanos e de outros gatos e até de outros animais. Interagem bem e isso faz com que assuma comportamento explorador e de confiança. Adora ser mimado e procura por isso. Há também o gato independente que

não gosta de ser incomodado, passeiam em terrenos baldios, andam por cima de muros, dormitam ao sol e aparecem quando querem comer, beber ou a atenção do seu dono. Muito arisco e de poucos amigos. Bem, mas seja lá qual for o comportamento ou a raça do seu animal, zele dele garantindo as cinco liberdades asseguradas pela legislação de bem estar animal mantendo-os livres: de fome e sede e com acesso à água fresca e a uma dieta que os mantenha saudáveis e vigorosos; de desconfortos e vivendo em um ambiente apropriado que inclui abrigo e uma área confortável para descanso; de dor, ferimentos e doenças por meio de prevenção ou de rápido diagnóstico e tratamento; para expressar comportamento normal, uma vez que lhes sejam garantidos: espaço suficiente, condições de moradia apropriadas e a companhia de outros animais de sua espécie; de medos e angústias e com a garantia de condições e tratamento que evitam sofrimentos mentais. Boa semana.

(*) Anderson Vendruscolo, Carlos Eduardo Zanetti , Creilda Santos Alves, Cristiani Paula Souza, Kcleyr Gonçalves dos Santos, Robson Soares Capecci , Simoni Nunes Amaro, Winnie Batista Gonçalves.

ConsCiênCia CósmiCa Ademar de Lima

*Expansionista consciencial & pesquisador

Infecção urinária, questão da física (3/5) Por desconhecimento nossa cultura alimentar é pelo sabor ou pelo visual, quando muito nos preocupamos com as colorias e os carboidratos, seguimos a moda e copiamos estilos. Se todos falam é normal, se todos comem também como, ninguém se preocupa ou presta atenção às proteínas, vitaminas e a regulação de sais minerais. Queremos temperos, queremos sabor e sabor é sinônimo de sal que é sódio, que potencializa as mitocôndrias e os complexos de Golgi e outras organelas componentes da estrutura orgânica das células. Nossa vida moderna e acelerada nos remete aos fast food’s (não sou contra, adoro a praça de alimentação do shopping!), porém não como, como comes, degusto e já compreendo um pouquinho sobre os ômegas e iodos que minhas

tireóides e hipófise necessitam. Além disso “converso” com meus órgãos internos, não os agrido com deliciosos e irresistíveis temperos e condimentos. Como aprendiz decidi compreender o meu metabolismo orgânico/físico e seu perfeito funcionamento dando-lhe o “combustível” necessário, como nas aulas. Citei a infecção urinária porque está relacionada com o não processamento correto do sal deixando o sódio “oxidado” e a córtex renal não dá conta de processar obstruindo a alça de henly. Assim o metabolismo não pode parar e o órgão parte para os planos emergenciais B, C e D e só depois entra em colapso. A guerra energética das eletricidades química com a eletromagnética, além de influências externas de energias elétricas de nossos aparelhos “modernos” pro-

duz resíduos, e destes surgem o que denominamos de vírus, que hora se comporta como minério e hora como metal em estados químicos que ainda desconhecemos, e o que é intrigante, todos têm consciência. Eu sei que para você é difícil aceitar porque você raciocina consciência com cérebro ou rede neural idêntica a nossa. Te afirmo que o núcleo da célula é o “cérebro” (dessa célula),

que o núcleo do vírus também é. Portanto, bem antes da energia eletromagnética, existe outra energia superior a qual desconhecemos. Numa dessas aulas constatei que a folha tem consciência da árvore a qual pertence, ou seja, ela tem consciência de seu estado anímico em relação a sua origem e suas funções dentro do “processo árvore”. Dois experimentos fo-

ram mostrados com poderosos microscópios eletrônicos, um na área da medicina e o outro na área da Física. O aparelho da Medicina focalizou o plasma sanguíneo, suas células e organelas e tudo o que “navega” naquele oceano orgânico, parando a focalização numa hemoglobina acoplada por uma organela denominada de “ferro M” e outras denominadas de “ferro não M” nadando no oceano plasmático da dimensão orgânica. O microscópio da Física foi um pouco mais além e focalizou a mesma cena, porém na dimensão atômica e foi possível saber porque a organela “ferro M” se acoplou na hemoglobina e a “ferro não M” flutuou entre as partículas atômicas. Ambas regidas sob a energia eletromagnética, a “ferro M” magnetizada de acordo com o eletromagnetismo da hemoglobina, e a “ferro

não M” magnetizada pelo espaço entre moléculas e ambas com consciência de onde deveriam atuar nos próximos minutos. A “ferro M” serviria a uma célula glial próxima do núcleo de um neurônio e a “ferro não M” pertencia a um grupo de trabalho e função completamente diferente, que traduzindo era dar “viscosidade férrica eletromagnética” no oceano plasmático. No microscópio da Física apenas uma partícula flutuado no “nada”, no aparelho da Medicina organelas coloridas “nadando” num líquido viscoso. A mesma organela no mundo orgânico e no mundo atômico simultaneamente tinha consciência de seus afazeres em cada dimensão. É assim que faço quando estou fora do corpo por isso afirmo que precisamos sair, para que ele se restabeleça quimicamente.


10

Regional

06 a 12 de julho de 2012

municípios EM foco Naviraí – A escola municipal José Carlos da Silva está desenvolvendo um projeto de trânsito em parceria do núcleo de trânsito de Naviraí. O projeto visa à conscientização e a mudança de comportamento dos alunos e do público em geral. Com o tema “Pedestre consciente, trânsito eficiente”, o projeto é constituído por atividades internas e externas, como palestras com profissionais do trânsito e simulações em rotatórias e faixas de pedestres. Na sexta-feira (29) a escola realizou uma panfletagem, onde os alunos do quarto ano da escola distribuíram panfletos na Avenida Miguel Sotane, no bairro Jardim Paraíso. Para que a atividade acontecesse à escola contou com a parceria dos profissionais do trânsito do município, que fizeram toda a segurança no local. Mundo novo – Indiscutivelmente o município vive um momento extraordinário em sua história, onde a paz reina de forma absoluta, a união entre os poderes e comunidade é bastante saudável e o desenvolvimento está á todo vapor. Prova disso é a explosão no campo da construção civil. Casas sendo construídas em todos os bairros, prédios comerciais e residenciais sendo edificados, hotéis sendo levantados em número de cinco simultaneamente. Na entrada da cidade o terreno está sendo preparado para a construção de um hotel e do lado da pista e uma churrascaria do outro, além de mais setenta unidades habitacionais para as famílias de baixa renda, além de 181 já entregues nesta gestão. A qualidade de vida sendo elevada em vários setores como especialmente na saúde e educação, e assistência social. Estradas rurais cascalhadas, readequadas e em ótimas condições de tráfego. Área urbana sendo transformada em rural, a piscicultura e bovinocultura leiteira crescendo assustadoramente, e acima de qualquer avanço, a paz reina absoluta entre a comunidade e a segurança pública tem sido destaque em nível estadual. É assim que Mundo Novo com 18 mil habitantes respira o seu dia: com otimismo, perseverança, união paz e com cheiro de progresso. Jardim – O Centro de Convenções Oswaldo Monteiro foi palco da reunião do empresariado local com a equipe promotora do FCO Itinerante, que está realizando um ciclo de palestras e apresentações sobre o programa no Sudoeste do Estado. A reunião foi aberta a empreendedores urbanos e rurais, micro e pequenas empresas e pequenos produtores rurais e propôs divulgar e orientar potenciais investidores para captação de recursos junto ao Fundo no Estado. A iniciativa é uma parceria do governo estadual - através da Seprotur, Iagro e Agraer - com o Ministério da Integração Nacional, Superintendência Regional do Banco do Brasil, Sicredi, BRDE, Banco da Gente, Sebrae/MS, com apoio da Famasul, Fiems Fecomércio e Fetagri/MS, além da Prefeitura de Jardim. Itaporã – A prefeitura, através da Gerência de Saúde pública realizou reunião com hipertensos e diabéticos residentes nos distritos de Montese e Pirapora, que receberam orientações referentes ao controle da tuberculose. Na ocasião foi realizada a coleta de material para exame de escarro, além da realização da aferição de pressão arterial, exame de glicemia capilar. Mensalmente serão entregues medicamentos para os hipertensos e diabéticos. As reuniões serão realizadas mensalmente pela equipe da Estratégia da Saúde da Família de Montese e Piraporã juntamente com a participação de técnicos da Gerência, visando à educação para prevenção e promoção da saúde tendo em vista à integralidade da assistência a saúde. iviNhema - Este é o 6º ano que a Prefeitura e a Polícia Militar executam o Programa Educacional de Resistência às Drogas. Tal iniciativa já capacitou aproximadamente 4.750 crianças e jovens e tem como objetivo proporcionar o crescimento e o desenvolvimento global de crianças e adolescentes, tornando-os cidadãos críticos, capazes de resistir às pressões para usarem drogas e, consequentemente, ajudarem na construção de um país melhor. Este projeto abrange os estudantes de 10 a 12 anos de idade de todas as escolas do Município (públicas e particulares) e a cada semestre é formada uma nova turma. A formatura da turma (de aproximadamente 240 estudantes) do primeiro semestre de 2012 aconteceu na noite do dia 03, no Instituto de Educação Nova Geração - Positivo. ItaquIraí – A Prefeitura entregou termos de compromisso de doação das 30 unidades habitacionais do Loteamento Nova Esperança II, no dia 29 de junho. “A casa própria é muito importante para as famílias beneficiadas, que têm dificuldade em pagar aluguel devido à renda baixa. Assim, eles vivem com mais dignidade”, diz a prefeita Sandra Cassone. Os beneficiários estão morando nas unidades habitacionais desde novembro do ano passado. Essas casas fazem parte do Programa Minha Casa, Minha Vida, e foram construídas com investimentos de R$ 360 mil do Governo Federal, de R$ 150 mil do Governo do Estado. O município cedeu à área e investiu na infra-estrutura do local, instalando rede de água, iluminação pública e regularizando os lotes.

Bonito

Hélder rafael (*)

Mergulhos em rios e banhos em cachoeiras são atrações arquivo

Alemão que escolheu viver na cidade dá dicas dos atrativos locais: Gruta do Lago Azul é um dos cartõespostais Quando decidiu se aposentar, há seis anos, o geólogo alemão Frank Stolzenberg, de 56 anos, vivia na Holanda e tinha como opções voltar para a terra natal ou morar em um dos vários países da Ásia, Europa ou Oriente Médio pelos quais havia passado ao longo da carreira. Mas, depois do casamento com uma brasileira e de várias viagens a Bonito, a 300 quilômetros de Campo Grande, o geólogo deixou o Velho Continente para recomeçar a vida em um paraíso natural. “Escolhi Bonito pela segurança, tranquilidade e pela vida simples. Tive o primeiro contato em 1996, e desde então voltei todos os anos nas férias, até montar base aqui, em 2006. Foi como um sonho realizado. Sempre gostei de lagos e rios, e o cenário da Serra da Bodoquena em torno da cidade me encantou”, disse Frank. Da antiga profissão, restou apenas o gosto pela natureza. Frank tornou-se apicultor e dono de pousada ao lado da esposa, a artista plástica Maria Pires. As experiências como turista e empresário permitiram que o casal conhecesse a maioria dos atrativos locais. E para quem pretende visitar a cidade, eles dão dicas que não se encontram em qualquer guia de viagens. “Uma coisa que não falam no guia é que alguns grandes restaurantes cobram muito caro e não dão tanto valor para o atendimento. Às vezes, basta

Caarapó

Para a flutuação, instrutores são muito bem preparados e pacientes ir à praça central e comer um espetinho de carne assada, com mandioca e arroz. Um grupo de turistas da República Checa seguiu a recomendação, e depois nos disseram que nunca tinham comido algo tão saboroso. E o atendimento é simples e agrada”, diz Frank. A maioria dos atrativos naturais de Bonito situa-se na área rural, mas quem se hospeda nas pousadas e hotéis da área urbana pode fazer um passeio à noite pela avenida Pilad Rebuá, a principal da cidade. “As calçadas receberam novo paisagismo e a via está mais segura para os pedestres. Os principais restaurantes e lojas estão lá, e muitos ficam abertos até a meia-noite. Sem contar os bares com música ao vivo”, conta Maria. Nas refeições, Maria sugere restaurantes especializados em servir pescado sem espinhas. Há ainda lanchonetes que oferecem sabores exóticos, como sanduíche de carne de jacaré e pastéis de pintado e de pacu. Sobre bonito Conhecida no país e no exterior pela riqueza natural, Bonito situa-se na Serra da Bodoquena, onde há um parque nacional sem visitação pública. A cidade de 19 mil habitantes oferece dezenas de opções turísticas, que vão da contemplação da fauna e flora

até roteiros radicais, como rapel e descida de tirolesa. Alguns atrativos já serviram de cenário para locações de duas novelas, “Alma Gêmea” (2005) e “Viver a Vida” (2011). De carro ou ônibus a partir de Campo Grande, a viagem dura cerca de quatro horas, cruzando rodovias descongestionadas. Outra opção é por via aérea. O aeroporto de Bonito recebe voos regulares às quintas-feiras e aos domingos. Os períodos de alta temporada são definidos com base nos feriados prolongados e nas férias escolares. A rede de hospedagem é ampla e conta com cerca de 5 mil leitos. O preço das diárias em pousadas parte de R$ 50, mas em alguns hotéis pode chegar a R$ 1,5 mil, dependendo da época do ano. AlimentAndo mAcAcoS Para que o visitante possa aproveitar bem a estadia em Bonito, Maria Pires recomenda que sejam feitos pelo menos três passeios diferentes: gruta, cachoeira e flutuação. O acesso à Gruta do Lago Azul, um dos cartões-postais da cidade, limita-se a pequenos grupos por dia, com objetivo de manter a preservação do lugar. Mas isso não diminui o impacto causado pelas belezas da gruta. “Quando fui pela primeira vez, em 1996, a gente podia tocar nas formações rochosas,

e anos antes era permitido até tomar banho no lago. Hoje é tudo proibido. Sou a favor, porque se não fosse isso, tudo estaria degradado”, comenta a artista plástica. A fauna silvestre chamou a atenção de Frank nas Cachoeiras do Rio do Peixe, que ficam na fazenda Água Viva. “É possível dar banana aos macacos. As aves são mansas, vêm no ombro da gente”, conta o alemão. O Parque das Cachoeiras, situado na parte alta do rio Formoso, deixou uma impressão especial em Maria por conta da possibilidade de banhar-se em sete quedas de água límpida. “Na Noruega, por exemplo, também existem cachoeiras lindíssimas, mas a água nunca passa dos 15 graus e o banho não é agradável. Em Bonito, faz calor o ano inteiro”, diz. Para a flutuação, os instrutores são muito bem preparados e pacientes. “Existe um treinamento antes dos mergulhos, e o visitante usa sempre roupa, máscara e colete apropriados. Teve uma alemã de 77 anos que ficou com medo, mas depois de mergulhar no Aquário Natural, ficou estarrecida com as belezas subaquáticas”, lembra. Tanta coisa para se ver e fazer em Bonito fez com que Maria e Frank mudassem radicalmente o estilo de vida que eles mantinham na Europa. “Quando mudamos para cá, trouxemos de navio uns 30 volumes com objetos pessoais, livros e outras coisas. Mas fomos nos envolvendo com a chácara e a pousada, e aquelas caixas ficaram fechadas por mais de dois anos. Então percebi que eu não tinha vontade de abri-las. Recomecei a vida só com uma camiseta, shorts e um número de celular novo”, lembra Frank. (*) Do G1 MS.

da redação

Shell não comprará matéria prima em região de conflito A Shell, sub-concessionária do grupo Raízen informou que a empresa não comprará mais álcool produzido em áreas de disputa entre indígenas e produtores rurais. A Raízen é formada pela união da Cosan

Mais Floresta

e da Shell. A medida impactou diretamente a região de Caarapó no Mato Grosso do Sul, onde havia produtores de cana fornecendo matéria prima em área de disputa. O Minis-

tério Público do Estado vinha pressionando a empresa, que para não ter ranhuras na imagem decidiu abrir mão do produto. A terra indígena em questão em Caarapó é a Guyraroká,

que tem fazendas no entorno. A ONG Survival foi quem fez pressão internacional contra a Shell. Agora os ambientalistas da ONG afirmaram que a Raízen virou um exemplo a ser seguido.

da redação

Setor florestal é estimulado no interior de Mato Grosso do Sul Por meio do Programa Mais Floresta, ciclo de palestras que incentiva a produção de eucalipto e seringueira no Mato Grosso do Sul, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – Senar/MS pretende estimular os produtores rurais do Estado ao plantio de um milhão de hectares de florestas até o ano de 2030. A cidade de Batayporã é o 17º município a receber o programa constituído de cinco palestras que tratam de temas relacionados ao

mercado da borracha natural e a rentabilidade do cultivo da seringueira, manejo, linhas de financiamento, rentabilidade da pecuária com o eucalipto e o mercado regional do eucalipto. Nessa edição foi acrescentada uma palestra referente as adequações emergenciais relacionadas ao novo código florestal, que será ministrada por Samanta Pineda, advogada e consultora jurídica para assuntos ambientais da Frente Parlamentar da Agropecuária no

Congresso Nacional. As próximas cidades a receberem o Programa Mais Floresta serão Chapadão do Sul, no dia 7 de agosto, e Cassilândia que deverá sediar o Encontro Sul-MatoGrossense do setor, no dia 9 do mesmo mês. Mais Floresta - O programa faz parte do Plano para o Desenvolvimento Sustentável de Florestas Plantadas, que define estratégias para o desenvolvimento florestal em Mato Grosso do Sul e prevê o plantio de 1 milhão de hecta-

res de florestas até 2030, nas cidades da região nordeste do Estado que possuem alta demanda de matéria-prima para a indústria florestal, como a celulose e o papel. O Mais Floresta é realizado pelo Senar/MS em parceria com Famasul, e conta com apoio do Painel Florestal, Cautex Florestal,Banco do Brasil, Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul - BRDE, Reflore MS, Sebrae/MS, Sociedade Brasileira de Agrossilvicultura-SBAG.


Entretenimento

06 a 12 de julho de 2012

horóscopo da semana Amarildoleite2011@live.com O ESPETACULAR HOMEM ARANHA Já em pré-estreia em algumas salas de cinema no Brasil, O ESPE-TACULAR HOMEM ARANHA será lançado oficialmente nesta sexta-feira, 06 de julho em todo o País nas versões tradicionais e 3D. Pra quem não sabe, em Dourados, depois de um breve intervalo temos de volta a sala 3D no cinema do Shopping. O crítico de cinema Pablo Villaça, do site Cinema em Cena, fez alguns breves comentários sobre o filme e o criticou de forma negativa, dizendo ser apenas uma repetição da já conhecida origem do Homem Aranha que já vimos na primeira produção de Sam Raimi. Tachou o filme de chato, disse não te gostado do astro Andrew Garfield, o Peter Parker e, não contente, atacou ainda o 3D convertido dizendo não ter sido bem usado pelo diretor Marc Webb. Porém, algumas pessoas que já assistiram ao filme rebateram em comentários e defenderam a abordagem da estória dizendo que se trata de um recomeço e desta vez, contando a origem do personagem de forma mais detalhada. Alguns elogiam Andrew dizendo ser um Peter melhor que Tabey Maguire, do primeiro Homem Aranha. Iniciei dizendo isso tudo com a intenção de preparar você sobre uma opinião profissional de um lado e de outro, de pessoas que simplesmente gostam de um bom filme e, pelo jeito, no caso elas se divergem e muito. De minha parte a única coisa que posso dizer é: Vá ao cinema, pois de uma forma geral a crítica internacional tem elogiado a produ-ção. E já que estamos falando deste lançamento muito esperado pelos fãs do Aranha desde os gibis, quero apresentar o herói para aqueles que ainda não o conhecem como foi criado originalmente. (Wikipedia, socorrooooo!!!!!!) Homem-Aranha (Spider-Man em inglês) é um personagem fictí-cio da Marvel Comics. É um dos mais importantes e populares super-heróis das histórias em quadrinhos, séries animadas, filmes, jogos e outras formas de mídia. Suas revistas estão entre as mais vendidas do gênero no mundo há décadas. É a identidade secreta de Peter Parker. Foi criado por um dos mais bemsucedido criadores moderno de histórias em quadrinhos, Stan Lee, com seu grande parceiro Steve Ditko. Na época do início da publicação de Homem-Aranha no começo da década de 1960, os heróis seguiam um padrão mais ou menos uniforme de rigidez moral e retidão, tanto em suas vidas normais quanto quando travestidos em seus alter-egos. O Homem-Aranha, contudo, foi o primeiro herói a ganhar dinheiro com o uso de seus poderes: Peter Parker vende fotos agindo como o herói para o Clarim Diário. Seus motivos, porém, são altruístas: ele ajuda a tia viúva e idosa a pagar as contas, principalmente com os remédios. É, portanto, um dos super-heróis mais humanizados das histórias em quadrinhos, o que o levou a um sucesso estrondoso e a uma competição direta de populari-dade com ícones do nível de Superman e Batman. Órfão quando pequeno, Peter Benjamin Parker foi morar junto com seus tios Benjamin e May Parker em Forest Hills, Queens, na cidade de Nova York. O menino cresceu e se tornou um adolescente tímido, mas extremamente inteligente. Era muito desajeitado com as garotas e não tinha muitos amigos. Aos 15 anos, durante uma demons-tração de equipamentos que manipulavam radiação, Parker foi picado por uma aranha de uma espécie cujo veneno, em situações normais, é inofensivo ao ser humano. Porém, ela havia sido exposta à radioativi-dade do aparelho e por isso a picada provocou impressionantes

mutações na genética, metabolismo e biologia do organismo do jovem Peter. Na versão ultimate (ou Marvel Millenium, como é mais conheci-da no Brasil) e no filme de 2002, Peter é picado por uma aranha geneticamente alterada. Peter descobre sobre seus poderes quando quase é atropelado por um carro. Seu sentido de aranha o alerta do perigo e por puro reflexo ele salta e se fixa na parede de um prédio. Ainda assustado, ele escala esse prédio e amassa uma chaminé de aço como se fosse de papel. A cena em que um menino o vê escalando a parede ficou imortalizada em todas as HQ’s que contaram a sua história, menos no cinema e na edição Ultimate Marvel. Parker fica muito empolgado com seus novos poderes e, no início, pensa somente em como ganhar dinheiro com eles. Levado por esses pensamentos individualistas, não faz o mínimo esforço para impedir a fuga de um ladrão, que logo depois viria a matar seu tio Ben. Quando descobre que o assassino do tio é o bandido que poderia ter detido sem dificuldades, se vê tomado por um sentimento de culpa que traz uma dura lição: “Com grandes poderes vêm grandes responsabilidades”. A partir de então, começa a utilizar seus poderes para combater o crime na cidade de Nova York, criando seu próprio disfarce e fazendo suas próprias roupas. Esta foto ilustra a primeira vez que o Homem Aranha apareceu em uma revista em quadrinhos. Foi na revista Amazing Fantasy em agosto de 1662. Este desenho foi feito pelos criadores gráficos Jack Kirby (lápis) e Steve Ditko (tinta) que tornavam arte as idéias de Stan Lee. Tá aí! Agora você está pronto para ver o filme do cabeça de teia. Nota: O reinício da franquia aracnídea quebrou um recorde logo no seu primeiro dia em cartaz nos EUA: tornou-se o filme mais visto de todos os tempos em uma terça-feira. De acordo com apuração do site Deadline, o filme faturou US$ 35 milhões no dia 3 de julho, superando a estreia de Transformers (US$ 27,8 milhões) em 2007. Um executivo da Sony já comemorou antecipadamente o sucesso: “Estes são grandes números, um começo incrível para o que devem ser seis dias bem empolgantes”, disse ele ao site. O estúdio espera um faturamento entre US$ 110 milhões a US$ 120 milhões, mas especialis-tas de mercado afimam que a aventura tem fôlego para chegar aos US$ 140 milhões até o fim da semana.

Contatos: amarildoleite2011@live.com, Facebook: amarildolei-te@hotmail.com e Orkut: amarildoleite@hotmail.com

CONTRATA-SE MONTADOR DE MÓVEIS

Com experiência para trabalhar com móveis planejados. Interessados favor ligar para (67) 8105-8095 ou enviar e-mail para: rodrigo1695@gmail.com

ÁRIES

A vida é cheia de reviravoltas e esta semana poderá lhe reservar uma grata surpresa! Novos encontros farão surgir oportunidades na área afetiva, especialmente para os arianos do segundo decanato. Porém, o resultado irá depender de sua atitude e se você realmente deseja um relacionamento duradouro.

www.somostodosum.com.br

TOURO

Júpiter já saiu de seu signo e se deslocou para a área relativa aos bens materiais e certamente lhe proporcionará boas ocasiões de expansão. A sua conjunção com o igualmente benéfico planeta Vênus, promete facilitar a sua vida em muitos campos, principalmente o amoroso.

LEÃO

CÂNCER

A sua capacidade em enfrentar os desafios será muito importante neste momento de transição, antes que o Sol ingresse em seu signo. Com o ingresso de Júpiter na casa relativa aos seus projetos futuros, novas oportunidades aparecerão, seja no âmbito pessoal que profissional e social.

LIBRA

ESCORPIÃO Esta será uma semana

Mudanças importantes ocorrem em seu campo energético desde que o Sol ingressou em Câncer. A Lua Cheia desta semana aumenta a sua sensibilidade e pode atrapalhar um pouco o andamento natural dos acontecimentos, pois promove instabilidade emocional e perturba os relacionamentos. O céu dessa semana reserva boas surpresas e possibilidade de expansão para os librianos, que se beneficiarão especialmente no âmbito profissional. O benéfico aspecto de Júpiter e Vênus em Gêmeos também influencia seu signo. Procure, porém, ser reservado sobre seus objetivos

CAPRICÓRNIO O capricorniano está agora num ponto sem retorno, mas o momento atual o convida a se arriscar. Não há como não enfrentar os novos desafios que suas próprias escolhas prepararam diante de você! Porém você precisa escutar o seu coração mais do que sua mente se quiser chegar aos seus objetivos.

hiperativa para os escorpinianos que desfrutam de alguns aspectos benéficos dos planetas. Porém, situações tensas podem chegar a um ponto sem retorno e isso o obrigará a tomar algumas decisões drásticas e definitivas. Procure controlar suas mudanças de humor.

AQUÁRIO

Esta é uma semana muito auspiciosa para os aquarianos, especialmente os do segundo e terceiro decanato. Podem ocorrer encontros afetivos inesperados que farão bater forte o seu coração. Na vida afetiva siga a sua intuição e seu coração, não seu raciocínio. Você deve tomar cuidado com os impulsos.

palavras cruzadas

resposta da anterior

Críticas? Elogios? Sugestões?

11

GÊMEOS

O momento é extraordinário para os geminianos que desfrutam dos bons auspícios se Vênus e Júpiter, em trânsito em seu signo. Não desperdice essa oportunidade de ir adiante com seus projetos, pois irá chover na sua horta. Lucros, convites e promoções inesperadas o surpreenderão.

VIRGEM

O virginiano deve aproveitar a energia gerada pela presença de Marte em seu signo, no ultimo decanato, para mergulhar com afinco em busca de seus objetivos profissionais. No entanto, você pode parecer chato e muito critico aos olhos de seus colegas e colaboradores.

SAGITÁRIO

Júpiter e Vênus estão em oposição a seu signo e indicam um período de desafios importantes para o sagitariano! Seja mais cauteloso em seus julgamentos, pois acabará emitindo opiniões que irão ferir a suscetibilidade alheia. Podem surgir oportunidades de viagens, mesmo ao exterior.

PEIXES

Neste período o pisciano oscila entre sentimento e racionalização e indica que você pode estar enfrentando um período crucial, sentindo a necessidade de promover grandes transformações em sua vida. Os natos do ultimo decanato podem se sentir particularmente desafiados pelas situações atuais.

www.coquetel.com.br

9611-2431


12

Culturalmente Falando Cantinho da A Boa Herança Poesia Ilson Boca Venancio

06 a 12 de julho de 2012

ilsonvenancio@hotmail.com

ArquiVo

O meu personagem de hoje Januário Manuel Capoano (Zé Carlos) é de uma família grande composta por dezessete irmãos. Eu o conheci em uma época em que a música sertaneja traduzia o sentimento caboclo. A sua inspiração musical nasceu da relação do homem com a natureza, e da vida simples que levava hoje chamada de música de raiz. Ele me conta que a música sertaneja regional naquela época era diferente. Naquele tempo a natureza era viva, e a vida muito simples e dela vinha a inspiração. Bastava olhar o em torno: as matas, animais, aves silvestres, rios, córregos de fontes de água límpida e a música vinda da natureza e com o canto dos pássaros e a vida alegre se traduzia em poesia. Ele me contou que seu pai o italiano Luiz Capoano e sua mãe Lidia Lisboa Capoano eram agricultores em Guararapes–SP onde nasceram e vieram para Dourados e aqui se instalaram em um sitio localizado no distrito de Lagoa de Ouro em Cristalina, município de Caarapó onde formaram a Colônia Capoano. Ele me disse que a música é para ele uma cultura natural, e que todos na família sempre a cultivaram, como o seu pai e os irmãos mais velhos: Julio, Sebastião, Antonio, e Vicente. Gostavam de tocar e cantar. Ele e o Carlinhos, que eram os menores, aproveitavam a ausência dos irmãos mais velhos para se aproximar dos instrumentos e foi assim, às escondidas, que foi tomando gosto pela música. Na Colônia Capoano a vida era animada, além da música, eles tinham um time de futebol denominado Sociedade Esportiva Capoano que jogava em toda a região. Para pagar as despesas das viagens com o time promoviam festas na colônia onde eles abrilhantavam com a música. Sua aproximação com Dou-

rados passou a ser mais constante quando resolveu fazer um curso de rádio técnico por correspondência no Instituto Universal Brasileiro e vinha semanalmente de bicicleta para buscar as correspondências. Com esse aprendizado lhe foi possível montar uma pequena estação de rádio na colônia, que lhe permitia falar com as casas próximas. Outro curso que fez foi de relojoeiro, profissão que exerce até hoje. Na década de setenta passaram a vir a Dourados para participar dos festivais de músicas realizado por Gilberto Orlando. Com a dupla Zé Carlos e Carlinhos fizeram apresentações em um desses festivais que eram realizados no Cine Ouro Verde e depois na Associação Comercial (atual ACED) quando localizada na Avenida Marcelino Pires. No programa do José Guerreiro (Véio Tatau) que era apresentado ao vivo na Rádio Clube de Dourados, eles se apresentavam cantando ao vivo e assim se tornaram populares. Em 1975 gravaram o primeiro disco “Linda Criatura” o que lhe deram projeção nacional. É importante ressaltar que o espaço da nossa música sertaneja foi conquistado há muito tempo por grandes artistas do nosso Estado. Para se ter uma idéia, já na década de sessenta, a dupla Délia e Delinha comandava um famoso programa do gênero na Rádio Excelsior de São Paulo onde se apresentavam, ao vivo, os mais famosos cantores do gênero na época . Em 1985 Zé Carlos junto com Salu e Juninho (depois de ter sido substituído por Luizinho) formou o Trio Mato Grosso. Com esse Trio cravou no período de cinco anos três LPs alcançando grande projeção participando dos melhores programas de rádio e televisão. Neste período percorreram por todas as cidades do estado boCA VenAnCio

A Juriti

Victor Vapf

Era o apelido de minha esposa... Ela me disse, quando era pequena Sempre a chamavam de Juriti! E me emocionou quando vi esta cena: Num galho do abacateiro Que um dia eu ia cortar Pois já velho e secando esta Deu vida no ninho da Juriti!

O filhote vê o mundo ao redor No primeiro vôo, voltar pro seu ninho Depois, pro caminho aprender de cor Ser recebido por sua mãe com carinho...

Trio Mato Grosso: Zé Carlos, Luizinho e Salu do Mato Grosso com a caravana do Edson Cury, o popular Bolinha, cantando os seus sucessos. Como todo trabalho de grupo termina quando os ideais se divergem, foi assim que e trio se desfez. Com o fim do trio Mato Grosso Zé Carlos gravou um LP em dupla com Luizinho do Acordeon trabalhando por dois anos neste projeto. Hoje casado e pai de três meninas, Zé Carlos passou a se dedicar a família e a vida religiosa, gravando um LP com músicas do Padre Ivo dedicado à igreja. E agora, em 2010, retornou gravando o CD “Dourados Berço de Ouro” com músicas de sua autoria onde o trabalho vocal é feito pelas três filhas Cléa Cristina, Cristiane Regina, e Crislei Claudia. Este trabalho está tendo uma boa projeção com destaque a música que leva o mesmo nome. Eu que acompanho o seu trabalho musical há muitos anos, desejo para ele muito sucesso, e o cumprimento pela sua insistência em levar adiante essa cultura que tem mantido em sua família, uma boa herança acompanhando gerações.

A nossa Feira Livre Este cafezinho é do bom, com direito a boca livre para degustação.

Que apelido mais lindo de ser ouvido Merecida, alias ser chamada... Vendo este ninho do amor produzido... Lembro do meu aqui com minha amada.


Edição 189