Issuu on Google+

diretor: José HenRique MaRques

06 a 12 de abril / 2012

ano 44 / nº 3.966 / R$ 2,00

Jiu-Jitsu

ul

gA ç

ão

Assiduidade Senador Waldemir Moka (PMDB) foi colocado entre os parlamentares que mais compareceram às sessões deliberativas em 2011. p.07 anita tetslaff

Arquivo

Chega a Dourados o Centro de Treinamento Ninenine. p.08

Div

torpedos

Murilo na berlinda: se ceder vice ao PMDB o PT pode lançar candidato Caso a vice-prefeitura fique com o PMDB como meio para apaziguar os peemedebistas, Murilo pode estar arrumando confusão com outra liderança poderosa do Estado, o senador Delcídio do Amaral. Para os petistas, perder o cargo é zerar o acordo feito em 2011, quando houve a aliança com Murilo, ainda no DEM. p.03

Eleições

Dia ‘D’ sinaliza candidato único A saída do peemedebista Antonio Nogueira da Prefeitura de Dourados pode ter indicado a definição do quadro eleitoral do município. p.03 espaço popular

PMDB deverá indicar o vice de Murilo Zauith ilson venancio

Feira Livre, um ponto de cultura

dourados

Moradores acionam Ministério Público Federal para esclarecimento De acordo com a comunidade do Jardim Oliveira II existe impasse em relação a implantação do asfalto na modalidade comunitária (em que a população paga), quando existe verba garantida no valor de R$3,5 milhões para execução da obra. População questiona a necessidade do pagamento. p.08

Modalidade de asfalto comunitário atinge vários bairros da cidade tecnologia p.10

Mais 5 municípios terão urna biométrica

A cada dia que passa esse espaço democrático de Dourados tem se tornado um ponto frequente de manifestações artísticas e culturais. p.12

TRE já concluiu cadastramento dos eleitores

Homenagem

Prefeitura distribui peixes à população

Mestre Guerreiro recebeu prêmio “Meu Mestre” Capoeirista já dedicou mais de 50 anos à arte afrodescendente

itaporã p.10

Distritos do município também foram beneficiados


02

Opinião

06 a 12 de abril de 2012

frasE da sEmana

“Ele emplumou as asinhas, criou um pouquinho de penugem nas asas e quer voar” Governador André Puccinelli ironizando a pré-candidatura do tucano Reinaldo Azambuja à Prefeitura de Campo Grande.

Editorial

chargE

A dificuldade de ser oposição O desgraça em que caiu o senador Demóstenes Torres (DEM) por conta da descoberta do seu envolvimento com Carlinhos Cachoeira, conhecido como empresário do ramo de jogos ilegais, mostra o quanto é difícil ser oposição. Demóstenes construiu uma imagem nacional de paladino da moralidade, criticando duramente os desvios legais e éticos dos governos Lula. Sustentado pela grande mídia ele defendia uma ética que, agora se sabe, ele mesmo nunca teve. Demóstenes mostra que para ser oposição, autenticamente, não se pode ter “telhado de vidro”. Caso contrário, mais cedo ou mais tarde, as pedras lançadas se voltam contra o atirador, como um bumerangue. Quem se propõe a fazer a vez de polícia precisa ter conduta presente e passada ilibada. Ser oposição também demanda independência ideológica, o que pode ser entendido como coerência. Aquele que se atreve a criticar não pode denunciar algo hoje e amanhã passar a tolerá-lo. O opositor não deve mudar ao sabor das conveniências ou do interesse do grupo a que pertence. Se colocar do lado contrário ao poder majoritário exige desapego, abnegação e

linotipo

força moral para ser colocado em isolamento no jogo político e, às vezes, até mesmo para ser rejeitado pelo eleitorado em decorrência das represálias do poder. Ser oposição cobra postura corajosa, vigor moral, conduta ética e espírito de sacrifício; porque, além daquelas aqui já enumeradas, há, certamente, muitas outras agruras no caminho de quem se propõe a trilhar nas vias da defesa da ética, da moralidade e da legalidade no trato da coisa pública. Talvez por isso esteja cada vez mais difícil ver em nossos órgãos fiscalizadores, agentes públicos dispostos a desempenharem a função de oposição (e não um papel, como se fossem personagens de um teatro), tão necessária e tão cara à democracia e ao aperfeiçoamento da república. Sem oposição a sociedade perde seu principal agente do contraditório na esfera do poder público, aquele que deveria justamente ser seus olhos e voz, a denunciar desmandos, a alertar sobre direções equivocadas. Sem oposição a balança democrática perde o ponto de equilíbrio e pende só para um lado, que na maioria das vezes não corresponde ao lado da justiça.

LuCiano Martins Costa (*)

A semana de Demóstenes Esse foi o fim de semana de Demóstenes Torres. Ele foi o personagem central das manchetes dos principais jornais do país e destaque nas revistas semanais de informação. A linha geral das reportagens parece consolidar as denúncias de envolvimento do senador com o porta-voz e operador mais notório do sistema da jogatina, o “empresário” Carlos Augusto Ramos, conhecido como “Carlinhos Cachoeira”. Mas o tom de todos os textos ainda é de surpresa com a revelação de que o mais ruidoso baluarte das campanhas contra a corrupção criadas ou avalizadas pela imprensa nos últimos anos esteve o tempo todo simplesmente atuando como lobista de uma organização criminosa. Desde o início da semana as versões eletrônicas dos noticiários davam como certo que o senador do Partido Democratas estaria preparando sua renúncia, numa tentativa de evitar a cassação, que lhe custaria a inelegibilidade e a contingência de ter que enfrentar a Justiça na condição de cidadão comum. Diferente de outros parlamentares que enfrentaram acusações graves nos últimos anos e conseguiram refazer suas carreiras, como o senador Jader Barbalho, Torres não parece contar com um só defensor de peso, nem mes-

mo em seu próprio partido. A razão mais aparente para esse abandono é a própria estratégia adotada por ele ao longo dos últimos anos – de se colocar na vanguarda de ataque em todos os escândalos anteriores, como forma de evitar o olhar curioso sobre suas próprias associações ilícitas. Demóstenes Torres disparou tantas acusações à sua volta que agora se vê sem ter onde buscar solidariedade. Trata-se de um caso raro em que o corporativismo do Parlamento deixa de entrar em cena. Essa é a razão mais provável para o fato de que a imprensa, em peso, considera o senador goiano praticamente eliminado do cenário político. O episódio que parece colocar uma pedra sobre a carreira política de Demóstenes Torres também revela outros aspectos do funcionamento do sistema representativo. O empenho do senador goiano em defender seu associado Carlinhos Cachoeira, tanto nas atividades legais como empresário da construção civil e da indústria de medicamentos como no seu principal ramo de negócio, os jogos de azar, demonstra que o mandato adquirido com doações privadas produz uma dependência que, no fundo, transforma o parlamentar em mero funcionário de seus apoiadores.

Um levantamento cuidadoso das listas de doadores haveria de mostrar o quanto o Senado e a Câmara dos Deputados – sem contar os legislativos estaduais e municipais – podem estar contaminados pelo dinheiro fácil e sujo de negócios ilegais. Por outro lado, o escândalo que envolve o outrora representante da moralidade na política mostra que a imprensa cai muito fácil no discurso demagógico dos oportunistas de plantão. Se a guinada que lança Demóstenes Torres no inferno em que ele procurou atirar muitos de seus desafetos mostra a facilidade com que se pode construir uma imagem falsa de honestidade, também surpreende a superficialidade das avaliações da própria imprensa, que nunca desconfiou de qualquer ilicitude nas atividades do senador goiano. Uma imprensa assim tão crédula parece agora querer recuperar a autoestima produzindo um julgamento sumário e um rápido enterro da carreira de Demóstenes Torres. Enquanto ele se debate em sua defesa, segue lembrando ao leitor o quanto a imprensa o bajulou nos últimos anos. Demóstenes Torres é mais um desses figurantes que fazem da crônica política um roteiro de teatro mambembe. (*) Luciano Martins Costa é jornalista e escreve para o Observatório da Imprensa

Jornalista responsável: José Henrique Marques - DRT/MS 192 Diretor-geral: Diretora-administrativa: Diretor-regional: Editor: Assessor Jurídico: Chargista: Editoração:

José Henrique Marques Fernanda Garcia de Brito Edson Freitas Emerson Ferreira do Nascimento DRT/MS 135 Upiran Gonçalves da Silva - OAB/MS 7124-A Amarildo Leite Jimmy Ricardo

clichÊ

Fernando Henrique Cardoso (*)

Crime sem castigo Houve tempo em que se dizia que ou o Brasil acabava com a saúva ou a saúva acabaria com o Brasil. As saúvas andam por aí, não acabaram, nem o Brasil acabou. Será a mesma coisa com a corrupção? Que ela anda vivinha por aí não restam dúvidas, que acabe com o Brasil é pouco provável, que acabe no Brasil, tampouco. Mas que causa danos enormes é indiscutível. Haverá quem diga que sempre houve corrupção no País e pelo mundo afora, o que provavelmente é certo, mas a partir de certo nível de sua existência e, pior, da aceitação tácita de suas práticas como “fatos da vida”, se ela não acaba com o País, deforma-o de modo inaceitável. Estamo-nos aproximando desse limiar. Há formas e formas de corrupção, especialmente das instituições e da vida política. As mais tradicionais entre nós são o clientelismo - a prática de atender os amigos, e os amigos dos amigos, nomeando-os para funções públicas -, a troca de favores e o patrimonialismo, isto é, a confusão entre público e privado, entre Estado e família. Tudo isso é antigo e deita raízes na Península Ibérica. A frase famosa “é dando que se recebe”, de inspiração dita franciscana, referia-se mais à troca de favores do que ao recebimento de dinheiro. Por certo, um sistema político assentado nessas práticas já supõe o desdém pela lei e é tendente a permitir deslizes mais propriamente qualificados como corrupção. Mesmo quando não haja suborno de funcionários ou vantagem pecuniária pela concessão de favores, prática que os juristas chamam de prevaricação, os apoios políticos obtidos dessa maneira são baseados em nomeações que implicam gasto público. Progressivamente, tais procedimentos levam a burocracia a deixar de responder ao mérito, ao profissionalismo. Com o tempo, as gorjetas e mesmo o desvio de recursos - o que mais diretamente se chama de corrupção - aumentam como consequência desse sistema. [...] Com o desenvolvimento acelerado do capitalismo e com a

Fundada em 08-03-1968 por Theodorico Luiz Viégas

Colaboradores:

Valfrido Silva, Nicanor Coelho, Ademar de Lima, Ilson Venâncio, Waldemar Gonçalves (Russo) e Clóvis de Oliveira

Agência de notícia:

Mais Mídia Jornalismo e Assessoria de Imprensa

Impressão:

Editora M.A. LTDA-ME CNPJ: 00.201.207/0001-24

Salvo editorial, este jornal não se responsabiliza por conceitos e ou opiniões emitidos através de matérias, artigos e colunas que são de responsabilidade de seus autores.

presença abrangente dos governos na vida econômica nacional, as oportunidades de negócios entremeados por decisões dependentes do poder público ampliaram-se consideravelmente. E as pressões políticas se deslocaram do mero favoritismo para o “negocismo”. Há contratos por todo lado a serem firmados com entes públicos, tanto no âmbito federal como no estadual e no municipal. Crescentemente, os apoios políticos passam a depender do atendimento do apetite voraz de setores partidários que só se dispõem a “colaborar” se devidamente azeitados pelo controle de partes do governo que permitam decisões sobre obras e contratos. Mudaram, portanto, o tipo de corrupção predominante e o papel dela na engrenagem do poder. Dia chegará - se não houver reação - em que a corrupção passará a ser condição de governabilidade, como ocorre nos chamados narcoestados. Não, naturalmente, em função do tráfico de drogas e do jogo (que também se podem propagar), mas da disponibilidade do uso da caneta para firmar ordens de serviço ou contratos importantes. Não por acaso se ouvem vozes, cada vez mais numerosas, na mídia, no Congresso e mesmo no governo, a clamar contra a corrupção. E o que é mais entristecedor, algumas delas por puro farisaísmo, como ainda agora, em clamoroso caso que afeta o Senado e sabe Deus que outros ramos do poder. O perigo, não obstante, é que se crie uma expectativa de que um líder autoritário ou um partido-salvador seja o antídoto para coibir a disseminação de tais práticas. Em outros países já vimos líderes supostamente moralizadores se engolfarem no que diziam combater, e a experiência com partidos “puritanos”, mesmo entre nós, tem mostrado que nem eles escapam, aqui ou ali, das tentações de manter o poder ao preço por ele cobrado. Quando este passa a ter a conivência com o setor gris da sociedade, lá se vão abaixo as belas palavras, deixando um rastro de desânimo e revolta nos que neles acreditaram.

A experiência histórica mostra, contudo, que há caminhos de recuperação da moral pública. Na década de 1920, nos Estados Unidos, havia práticas dessa natureza em abundância. [...] Pouco a pouco, sem nunca, por certo, eliminar a corrupção completamente, o caráter sistêmico desse tipo de procedimento foi sendo desmantelado. À custa de quê? Pregação, justiça e castigo. [...] A despeito do desânimo causado pela multiplicação de práticas corruptas e pela impunidade vigente, há sinais alvissareiros. É inegável que os sistemas de controle, tanto os tribunais de contas como as auditorias governamentais e as Promotorias, estão mais alerta e a mídia tem clamado contra o mau uso do dinheiro e do patrimônio públicos. A ação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e as decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a validade da Lei da Ficha Limpa mostram que o clamor começa a despertar reações. Mas é preciso mais. Necessitamos de uma reforma do sistema de decisões judiciais, na linha do que foi proposto pelo ministro Peluso, para acelerar a conclusão dos processos e dificultar que bons advogados posterguem a consumação da justiça. Só quando se puserem na cadeia os poderosos que tenham sido condenados por crimes de colarinho branco, o temor, não da vergonha, mas do cárcere coibirá os abusos. Não nos esqueçamos, porém, de que existe uma cultura de tolerância que precisa ser alterada. Não faltam conhecidos corruptos a serem brindados em festas elegantes e terem quem os ouça como se impolutos fossem. As mudanças culturais são lentas e dependem de pregação, pedagogia e exemplaridade. Será pedir muito? E não nos devemos esquecer de que a responsabilidade não é só dos que transgridem e da pouca repressão, mas da própria sociedade - isto é, de todos nós -, por aceitar o inaceitável e reagir pouco diante dos escândalos. (*) socíólogo, foi presidente da República.

CNPJ: 08.792.017/0001-30 - INPI Nº 013887 de 17/08/1974 - Cartório 1º Ofício nº 11/68

Municípios de Circulação: Dourados, Endereço: Campo Grande, Nova Andradina, Ivinhema, Rua Oliveira Marques, 2640 Angélica, Deodápolis, Glória de Dourados, CEP 79.805-021 - Dourados-MS Novo Horizonte do Sul, Jateí, Vicentina, Telefone (67) 3422-6674 Fátima do Sul, Douradina, Rio Brilhante, Ita- E-mail: jornalismo@folhadedourados.com.br comercial@folhadedourados.com.br porã, Caarapó, Naviraí, Itaquiraí, Eldorado, Folha On Line: www.folhadedourados.com.br Mundo Novo, Japorã e Bonito.


Política

06 a 12 de abril de 2012

Coluna

ElEição

torpedos José Henrique Marques direcao@folhadedourados.com.br

Lide

Murilo na berlinda: se ceder vice ao PMDB o PT pode lançar candidato Como é natural e humano o prefeito de Dourados Murilo Zauith (PSB) articula nos bastidores para se reeleger sem dificuldades eleitorais e gastando menos possível. Nessa empreitada é óbvio e ululante que trabalha para sepultar a vontade obsessiva do deputado federal Geraldo Resende (PMDB) de administrar a cidade que o acolheu na infância. E ao que parece, o prefeito é o vencedor na disputa que trava com o deputado no “coração” do governador André Puccinelli e deve mesmo ser o ungido. E sem o PMDB pela frente sua reeleição parece ser barbada. Parece. Ocorre que ao ceder a vice ao PMDB como meio para apaziguar os peemedebistas, Murilo pode estar arrumando confusão com outra liderança poderosa na contemporaneidade do Estado, o senador Delcídio do Amaral. Ele, o PT municipal e o regional não gostaram nadinha das desincompatibilizações de Odilon Azambuja (Sanesul) e Antonio Nogueira (Prefeitura). Para os petistas, perder a vice-prefeitura é zerar o acordo feito em 2011, quando houve a aliança com Murilo, ainda no DEM. Se isso acontecer, petistas de quatro costados analisam que dificilmente haverá novo acordo com Murilo, já que vislumbram dois embates: o primeiro ideológico e o segundo eleitoral, a saber: a) Uma suposta administração PSB/PMDB tendo um conservador convicto e neo-socialista por conveniência (Murilo) e liderados de Puccinelli, também conservadores, o PT ficaria inviabilizado de implementar suas políticas sociais à lá Lula, como o fez na administração de Laerte Tetila. b) A aliança Murilo/André remete a suspeita em qual palanque estará o prefeito de Dourados nas eleições de 2014 – de Delcídio ou do atual prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad, virtual candidato ao governo de MS pelo PMDB, mesmo que apóie Delcídio e André em detrimento de Nelsinho e do provável candidato petista ao Senado, o ex-governador Zeca do PT, que se assanha em disputar a vaga com o atual governador. Se Murilo aposta que o PT não tem estrutura financeira e nem candidato para peitá-lo em 7 de outubro ele pode se surpreender. Recursos, Delcídio tem cacife para tal e candidatos também há e podem ser o reitor da UFGD Damião Duque de Farias, os vereadores Dirceu Longhi e Elias Ishy de Mattos, o presidente do diretório municipal Tenente Pedro Ferreira e até mesmo o ex-deputado federal e atual delegado regional do Ministério do Desenvolvimento Agrário, João Grandão. Qualquer um deles com apoio dos dissidentes do PMDB e do DEM, por exemplo, no mínimo dará trabalho e deixará a campanha mais cara.

Telegráfica A hipocrisia na sociedade douradense está estampada no crescimento demográfico quantitativo, o que é uma vergonha.

Retranca Ponto – Ao recapear 1500 metros da Rua Ponta Porã entre a Avenida Presidente Vargas e a Rua Afonso Pena, no Parque Alvorada, o prefeito Murilo acertou em cheio. Não dava mais pra tampar buracos, literalmente. Que tenha mais fôlego para outras vias.

Pisada – O deputado estadual Zé Teixeira parece que deu tiro no pé ao forçar a barra para que seu partido enfrente Murilo Zauith (PSB). Além de não ser atendido pelo governador Puccinelli, o “demo” queimou filme com o burgomestre.

Suspiro – Segundo assessores, o deputado e pré-candidato a prefeito do PMDB Geraldo Resende tenta viabilizar sua candidatura em Brasília. Embora chegado do vice-presidente Michel Temer, é sinal que no Estado as coisas não vão tão bem...

Herdeira – Mesmo “baleado” pela Uragano e enfrentando um câncer agressivo, o ex-prefeito Ari Artuzi não entrega os pontos. Para se manter em evidência articula a eleição de sua nova esposa, a esteticista Marinete Bezerra, à Câmara Municipal pelo PMN.

Cacife – Délia Razuk, a vereadora mais votada em 2008 e única parlamentar municipal que não se envolveu com as mazelas apuradas na Uragano, não abrirá mão de ser ou discutir uma eventual postulação do PMDB a vice-prefeitura. Duela a quien duela!

Opções – A cúpula do PMDB no estado dá como certa a coligação com o PSB e escalou dois nomes para ser o vice de Murilo e ambos deixaram os cargos públicos: Odilon Azambuja (Sanesul) e Antonio Nogueira (Prefeitura).

Reflexão “Antes de começar, é preciso um plano, e depois de planejar, é preciso execução imediata.” (Sêneca) “A guerra, a princípio, é a esperança de que a gente vai se dar bem; em seguida, é a expectativa de que o outro vai se ferrar; depois, a satisfação de ver que o outro não se deu bem; e finalmente, a surpresa de ver que todo mundo se ferrou.” (Karl Kraus) “É preciso não confundir a ironia, a sátira, o epigrama, principalmente a ironia, com a expressão mais refinada do riso que é o humor.” (Vianna Moog)

03

NascimeNto

Dia ‘D’ sinaliza candidato único em Dourados arquivo

O prazo para desincompatibilização de agentes públicos que pretendam disputar cargos políticos nessas eleições, dia 06 de abril, pode revelar, forçosamente, articulações que até agora estavam sendo feitas ao pé do ouvido A saída do peemedebista Antonio Nogueira do cargo de secretário de Planejamento da Prefeitura de Dourados pode ter sido o principal sinalizador para a direção que estão tomando os movimentos que definirão o quadro da eleição para prefeito. Nogueira saiu para articular no seu Diretório sua indicação a vice de Murilo, situação que determina o fim da luta do deputado Geraldo R esende pela candidatura própria do PMDB. Caso Nogueira não consiga se viabilizar, o segundo nome do partido seria Odilon Azambuja, que deixou esta semana o cargo de gerente da Sanesul de Dourados. Nogueira deixou a administração na certeza de que a vaga de vice já está reservada ao PMDB. Ele é peemedebista histórico, mas se posiciona fortemente contra o lançamento de candidato do seu partido. Sua decisão é apoiar a reeleição de Murilo Zauith. A intenção de Nogueira pode ser a ponta de um iceberg de

Queda de braço parece que terá desfecho favorável a Murilo articulações bem maiores, Câmara Federal, e para as que atingem diretamente reeleições de Laerte Tetila o PT, já que este perderia à Assembléia Legislativa e o lugar de vice e sua posi- dos vereadores petistas à ção de ator coadjuvante. Câmara Municipal. Preço Se o PT não estiver sen- razoável para evitar uma do consultado seria uma batalha de custo elevado. traição de Murilo. Mas o silêncio do Partido dos Futuro sombrio Trabalhadores até aqui Confirmadas essas fortalece a tese de que conjecturas, a disputa ele está participando de para a Câmara Federal todas as negoreserva um ciações e que futuro somA vaga não foi nem brio para os será pego de de vice-prefeito p o s t u l a n t e s surpresa por douradenjá está nenhuma deses, em 2014, reservada cisão de Muisso porque rilo. o ex-depuao PMDB A contado federal cessão da do PT, João vice-prefeitura pelo PT ao Grandão, não esconde de PMDB resolve o entrave ninguém seu desejo de deste com Zauith, mas não retornar à Brasília, onde sairia de graça. Em troca, ainda mantém muitos amio prefeito renovaria os gos cultivados nos dois votos de aliança com o se- mandatos que exerceu. nador Delcídio do Amaral Assim, Geraldo e Marçal até 2014 e, ainda, empe- (PMDB) teriam que dinharia palavra de apoio ao vidir votos com o petista. retorno de João Grandão à O problema é que, prova-

SEm prEconcEito

velmente, Brasília ficará muito pequena para três douradenses, e um deverá ser excluído. Marçal Filho vai para a reeleição impulsionado pela força midiática da sua rádio, onde mantém programa diário; e também poderá contar com o apoio da mulher, Keliana Fernandes (PSC), se esta se eleger vereadora este ano. Por sua vez Grandão tem um “canhão” na mão à frente da Delegacia do Ministério da Agricultura e conta com o apadrinhamento de ninguém menos que o senador Delcídio do Amaral, que quer têlo novamente na Capital Federal. Enquanto isso, Geraldo terá que reverter o ônus do desgaste causado pela disputa interna que travou para lançar-se candidato. O desfecho da novela que se tornou a précampanha em Dourados poderá ser marcado pela vitória de projetos pessoais do governador André Puccinelli, do prefeito Murilo Zauith e do senador Delcídio do Amaral. Todos deverão sair vitoriosos e fortalecidos. O prefeito se reelegerá. Puccinelli evitará que Murilo, em sendo derrotado em 2012, seja candidato ao Senado em 2014 e uma pedra no seu sapato, e Delcídio contará com a neutralidade de André e Murilo na provável disputa que travará pelo Governo do Estado com o atual prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad (PMDB). Depois de muitas curvas e corredeiras, o rio parece que vai se encaminhando para a foz sem sair do leito.

nEgativa

Só PMN aceitou ‘casar’ Barbozinha afirma que com ex-prefeito Artuzi não será candidato O Partido da Mobilização Nacional (PMN) não deu importância e se mostrou indiferente a todas as denuncias de corrupção que pesam contra Ari Artuzi, que o levaram, inclusive, a renunciar o mandato de prefeito para fugir da cassação, e aceitou filiar o exprefeito, que engrossa as fileiras do PMN. Não fosse a Lei da Ficha Limpa, que impede renunciantes de mandato eletivo por fuga de cassação de candidatar-se, Artuzi teria todas as condições dadas pelo PMN para ser candidato novamente. Mesmo não sendo candidato, Artuzi deverá apoiar um candidato a vereador da sua confiança, pelo PMN. Mesmo com a saúde frágil

o ex-prefeito é visto rotineiramente conversando sobre política em vários pontos da cidade. E a julgar pelo número de convidados presentes no seu casamento, Ari ainda conta com um grupo de correligionários que podem garantir a eleição de um vereador. O PMN ainda não aparece nas listas dos blocos de partidos pequenos que estão se formando em Dourados para disputar a eleição proporcional e pode caminhar sozinho. O isolamento do PMN se deve ao temor dos demais partidos de associarem a imagem desgastada de Ari Artuzi aos seus projetos eleitorais. Só o PMN teve coragem de dar guarida ao uragano.

O diretor-presidente da Sanesul, José Carlos Barbosa, negou à folha de dourados que será candidato nestas eleições. Rumores de que ele deixaria a Sanesul para desincompatibilizar-se em tempo para a disputa eleitoral espalhou-se depois que o deputado estadual Zé Teixeira (DEM), mesmo partido de Barbozinha, pediu publicamente ao governador, em Campo Grande, que “liberasse” o funcionário do Governo para ser candidato. Barbozinha disse que tem, sim, projetos eleitorais, e que disputaria a eleição para prefeito de Dourados com qualquer outro candidato,

mas afirmou que não poderia concorrer com Murilo de quem é amigo e a quem sempre apoiou, e que, segundo ele, vem desempenhando um bom trabalho a frente da Prefeitura. O presidente da Sanesul também negou que possa vir a ser candidato a vice-prefeito ao lado de Murilo, porque, segundo ele, seu trabalho pode ser “mais útil ao estado e a Dourados na Sanesul”. Ele ainda ressaltou que o lugar de vice está aberto ao PMDB: “se o PMDB quiser a vice, a vaga é dele”. Segundo ele, esse arranjo resolveria o entrave entre o PMDB e o prefeito Murilo Zauith.


04

Política

06 a 12 de abril de 2012

História

Valfrido SilVa

Comissão da Verdade

Helton CoSta (*)

acerca da Ramez Tebet e o MS por um triz Observações Ditadura que não vivi arquivo

Em 11 de outubro de 1977, Tonanni disse nos corredores do Congresso Nacional estar sentindo o cheiro de conspiração no ar

senador Mendes Canale para impedir a nomeação de Pedro Pedrossian como primeiro governador do novo Estado e reeleger seu colega de bancada Rachid Saldanha Dérzi como senador biônico, intentos que o “italiano” senador de cabelos azulados alcançaria A propósito não apenas no correr daqueles dois de mais um aniversário da primeiros anos. “redentora Revolução” de De volta ao aí Mato primeiro de Abril de 1964 Grosso do Sul, na noite (que para não parecer de daquele mesmo dia, pasmentira é sempre lembra- sada a ressaca da festa que da em 31 de Março), mas começou no histórico redo inferno astral em que torno do “voo da divisão”, caiu o senador democrata em 12 de outubro a manDemóstenes Torres e das chete da criação do mais investigações oficialmente novo Estado brasileiro era só agora abertas pela Co- ofuscada pela tentativa de missão Interamericana de golpe de Estado do MinisDireitos Humanos da OEA tro do Exército, general para julgar e Silvio Frota, punir o Brasil fazendo jus ao Canale pela morte do feeling semconspirou jornalista Vlapre aguçado dimir Herzog para impedir de Tonanni. A (foto) no DOIrazão da tennomeação de CODI em São tativa de golpe Pedrossian Paulo, uma rede Frota era a flexão sobre demissão pelo duas situações de verdade presidente Ernesto Geisel que, uma vez consumadas, do comandante do segundo poderiam ter mudado o Exército, general Ednardo curso da história do Mato D’Ávila Melo, exatamente Grosso do Sul. por causa da morte do jorEm 11 de outubro de nalista Vladimir Herzog 1977, logo após a soleni- nos porões da ditadura. dade de criação do Mato Como escrevi em meu livro Grosso do Sul no Palácio “Sonhos e Pesadelos”, se do Planalto, cruzando com Frota tivesse derrubado Antônio Tonanni nos cor- Geisel, babau Mato Grosso redores do Congresso Na- do Sul. cional, e ele sempre muito Quando Ramez Tebet bem informado dizendo assumiu a presidência do estar sentindo o cheiro Congresso Nacional, por de conspiração no ar. Que ter feito, quando ele era nada, era dia de festa, e governador, a ponte que para os a partir dali orgu- possibilitou a primeira lhosos sul-mato-grossenses eleição de José Elias Mozanzando pela capital da reira deputado federal, fui República a única conspi- sondado por concorrentes ração em marcha era a do de Carlinhos Cachoeira

Vladimir Herzog morto no DOI-CODI durante a ditadura para interceder junto ao senador para que abraçasse esta mesma causa que hoje pode custar o mandato do combativo Demóstenes Torres. Como os fatos atropelariam a história, Ramez Tebet, político daqueles que nascem com o fiofó virado pra Lua, nem chegou a ser consultado - ou tentado! - sobre a proposta do inde-

coroso lobby, encerrando com chave-de-ouro uma trajetória em que a habilidade política e o fator sorte contaram muito mais que a eloquência do discurso moldado, tal qual o de Demóstenes, nos tempos em que foi promotor público, mais precisamente, no início dos ditos anos de chumbo da ditadura implantada exatos 48 anos atrás.

Tenho 26 anos de idade. Não vivi a Ditadura Militar. Prefiro acreditar nos milhares de relatos e livros que atestam que o período foi mesmo devastador para nossa democracia. Por mais que haja alguns ou algumas alas que defendam o Regime como progressista, eu vejo por uma ótica diferente. Não concordo. É uma questão de opinião. Como jornalista, costumo ler um pouco de tudo e uma notícia tem feito parte dos jornais ultimamente e causado polêmica. É a revisão da Lei da Anistia e instalação da Comissão da Verdade. Não se trata de revanchismo ou revisionismo. Nada disso. É que não dá mais para o Brasil empurrar a sujeira do Regime para baixo do carpete. O que acontece é que é preciso tornar público os abusos que o Estado praticou contra seus cidadãos, quando a lógica propõe o contrário, que o Estado tinha e tem o dever de proteger essas pessoas. Ninguém vai sair prendendo torturadores, até porque muitos deles já morreram, mas, é preciso que essas torturas sejam reveladas para que nunca mais atos como apagar bitucas de cigarros em seios de prisioneiras, estupros e choques nas genitálias voltem a ocorrer. É preciso tornar público os “arrancamentos” de unhas e de membros, as surras e as palmatórias, as mortes, as quais estavam sujeitos aqueles que eram contra o Golpe. Os tais arquivos secretos têm de ser tornados públicos, doa a quem doer. E digamos de passagem, que será o próprio Estado quem fará isso. Nada mais justo. Durante uma de minhas pesquisas, em um quartel da fronteira, no final do ano passado, na cidade de Ponta Porã, após uma brincadeira impensada que fizera em uma rede social contra uma repartição daquele quartel, fui repreendido por um oficial que não gostou do que eu escrevi. Fiquei em uma sala com ele e mais dois ouvindo ele me explicar sobre o funcionamento do Exército e sobre como eu estava errado pelo simples comentário que havia feito. No meio de todo o “sermão”, regado à doses de simpatia, ao qual fui submetido, uma frase me chamou a atenção e me marcou: o que aconteceu lá atrás, no passado, entre nós e vocês jornalistas, está enterrado – disse ele. Se referia certamente à Ditadura, um tempo no qual, eu nem mesmo era nascido. No mesmo dia, um outro, desta vez sargento, me perguntou o que eu achava da Comissão da Verdade. Eu disse que era a favor. Ele também, porém, ressaltou que só concordava se fossem

investigados os “abusos” dos militantes de esquerda. Eu olhei para ele e sorri. Estava ali pesquisando sobre um assunto não tinha de ligação com a Ditadura Militar e não quis aprofundar a discussão. Quase falei para ele que uma coisa é o Estado coagir e intimidar as pessoas e que outra, bem diferente, é que quem se sinta ameaçado reaja, como fizeram muitos lutadores da democracia, ainda que recorrendo às armas (mesmas armas do Exército) para essa finalidade. Além do mais, se colocarmos na balança o Estado versus meio milhar de guerrilheiros espalhados pelo país, quem tinha mais poder? Quem era mais forte na época da Ditadura? Raciocínio lógico, dedutivo... Não reclamo do tratamento que recebi. Pelo contrário, foram muito educados comigo. O que ficou na minha mente, é que se hoje, 27 anos depois do Golpe, alguns militares ainda vêm a nós civis como possíveis ameaças, imaginem em plena Ditadura? Quem não deve não teme. O problema é quando setores do Exército comemoram como positivas as ações da Ditadura ou o aniversário do Golpe, dizendo que foi feito o que tinha de ser feito. Fez bem a presidenta Dilma em não apoiar a inclusão dessa comemoração no rol de festividades oficiais. Agora, se um general saudosista quiser reunir seus camaradas também saudosistas para um churrasquinho para comemorar fora de serviço, em uma festinha particular, “vá bene”, afinal, estamos em uma democracia. Ainda bem não é mesmo? Porque se fosse em uma Ditadura não haveria churrasquinho e os organizadores estariam fritos. Encerro minhas palavras lembrando que em Dourados os abusos também ocorreram, que vereadores foram cassados injustamente, que pessoas inocentes foram presas, ameaçadas. Todo mundo na cidade sabe disso. Fica minha dica para que a Câmara Municipal corrija essas injustiças, pelo menos pedindo desculpas às famílias dos cassados e em nome deles á todos os demais injustiçados. É uma sugestão, uma gota de água em um oceano de arbitrariedades praticadas no Brasil daquele tempo e que sinceramente espero nunca precisar presenciar. Como disse no início, prefiro continuar acreditando nos livros. (*) O autor é jornalista profissional, pesquisador, especialista em Estudos da Linguagem, mestrando em Comunicação e à favor da manutenção do regime democrático.


Política Novela

06 a 12 de abril de 2012

Valfrido SilVa (*)

05

Depoimento adiado de Galloni frustra Uraganos As chagas, de difícil cicatrização, foram reabertas pelo alcaguete Eleandro Passaia, numa última e desesperada tentativa de se manter como o herói desta história

Será que depois de ter sido colocado na “geladeira” da Polícia Federal, em Campo Grande, Bráulio Galloni, o xerife que trancafiou tantos chefões mafiosos vai ficar assim, de braços cruzados, diante dos desdobramentos da Operação Uragano, por ele comandada e que fez uma devassa no meio político douradense, com reflexos no Parque dos Poderes e até no Congresso Nacional? O adiamento para o mês de maio de seu depoimento como testemunha, inicialmente previsto para esta semana, na Vara de Carta Precatória Criminal na capital do Estado, frustrou os principais envolvidos nos escândalos, principalmente diante de novas e graves denúncias, como a do envolvimento, por suas ligações profissionais com Galloni, do prefeito Murilo Zauith (até agora o grande beneficiado por toda esta balbúrdia), como mentor intelectual da operação. As chagas da Uragano, de difícil cicatrização, foram reabertas pelo alcaguete Eleandro Passaia, em contundente depoimento em outubro do ano passado, quando, numa última e desesperada tentativa de se manter como o herói desta história expôs toda sua arrogância diante dos mais renomados juristas do Estado, mas contradizendo e chafurdando-se ainda mais no mar de lama cujas comportas foram por ele abertas quando resolveu entregar o esquema criminoso do qual participava a mando de seu chefe, o prefeito Ari Valdecir Artuzi. Se todas as verdades de Passaia forem como as do preâmbulo de seu depoimento (só agora degravado e começando a vazar para a imprensa) toda a Uragano terá sido realmente uma grande farsa. Ele se refere, por exemplo, ao convite, que nunca houve, de Artuzi, para comandar a comu-

arquivo

Galloni foi responsável direto pela prisão e renúncia do ex-prefeito Ari Artuzi nicação de sua campanha exemplo, com a blindagem eleitoral. Era um simples que lhe foi prometida pela entre os muitos repórteres, PF) -, a pedido de um advonada mais que isso, pois gado de defesa de um dos nem tinha experiência ou réus, uma nota que garanqualificação profissional tiu ter escrito de próprio para tanto, com toda a punho, em cinco minutos, campanha, depois de mi- que a delação premiada nha saída da coordenação, foi feita para legalizar as sendo conduzida por pro- provas. Elementar meu fissionais vindos de fora. caro Watson, diria SherloDiante disso, começa a cair ck Holmes se estivesse no por terra, por caso. mais verossiSe aceiUragano milhança que tou o benefíterá sido tenha tentado cio da delação dar a seu surpremiada a realmente to ético, toda que têm direiuma grande aquela históto única e exfarsa ria de que não clusivamente fora flagrado bandidos de antes de seu compareci- seu quilate apenas para “lemento “espontâneo” à PF galizar as provas”, no caso, para denunciar o esquema, as gravações clandestinas, isto, depois que um funcio- até meu caçulinha, Felipe, nário de uma empreiteira quartanista de Direito, já havia feito a denúncia anula essa operação. da roubalheira na prefeiPor mais irônico que tura onde ele era o chefe possa parecer, os mais frusde governo, publicada com trados com o adiamento exclusividade por este jornalista. Mas a maior contradição do dedo-duro neste depoimento, que pode contribuir decisivamente para a anulação da Uragano e criar um imbróglio jurídico sem precedentes, é quando ele ratifica - e não retifica (sim, é preciso esclarecer, já que Passaia confunde brindar, de brindes como o que ele costumava dar aos jabazeiros da imprensa, por

do depoimento do xerife Galloni devem ser os mesmos responsáveis por sua “promoção”, depois de citados como integrantes da quadrilha, como o Senador Delcídio do Amaral e os deputados douradenses Geraldo Resende e Marçal Filho, estes dois, por isso mesmo, já denunciados pela Procuradoria Geral da República junto ao Supremo Tribunal Federal. É que, embora desta vez Passaia tenha ido mais fundo nos detalhes da censura de sua malfadada brochura “A Máfia do Paletó”, o que faz aumentarem as suspeitas sobre os congressistas, sua contribuição para anulação da Uragano deixa a turma dos retornos um pouco mais aliviada. Sem contar que, agora longe dos holofotes, depois da “promoção”, Galloni pode até pensar em reescrever esta história, pelo tanto que até aqui está mal contada.


06

Estampa Coluna

06 a 12 de abril de 2012

Edson Freitas comercial@folhadedourados.com.br

Associação Empresarial de Jardim (AEJAR) tem novo presidente Assumiu a presidência da AEJAR Blasio Gregory numa solenidade que aconteceu no Tatersal do Parque de Exposições da cidade, na sexta-feira 30, e contou com a presença de cerca de 200 convidados, como o deputado estadual Márcio Campos Monteiro; o prefeito Carlos Américo Grubert; o presidente da Câmara Gláucio Cabreira da Costa; o presidente da Federação das Associações Empresariais de Mato Grosso do Sul, Antonio Freire; o representante do SEBRAE/MS, Adelino Costa Marques; o presidente do Sicoob Dourados Francisco Lima de Sousa, além de demais membros da nova diretoria, vereadores, gerentes municipais e presidentes de associações comerciais e empresariais de outros municípios. fotos: JArdimnotiCiAs.Com

destaque

Aniversariantes

Camila Carminati, de Dourados, dia 09 Sérgio Luiz Fellipe gerente administrativo da Frango Bello e o presidente da Câmara de Vereadores de Itaquiraí Edílson Luiz Pereira são duas pessoas competentes nos setores em que trabalham.

Walmir Lopes, de Itaquiraí, dia 10

Florinda Galbiatti Freitas, (mãe deste colunista), de Itaquiraí, dia 12. Parabéns!


Fernanda Brito comercial@folhadedourados.com.br

Coluna

Enfoque

Aniversário de LetíCiA simioni

06 a 12 de abril de 2012

07

destAque

Letícia Simioni comemorou aniversário com familiares e amigos no sábado 31 de março, na República Passa Nela, em Dourados. Confira fotos de Edson Freitas.

Waldemir Moka (PMDB) é um dos parlamentares que mais comparecem às sessões do Senado. Levantamento do site Congresso Foco mostra que o sul-matogrossense faltou apenas a três das 126 sessões deliberativas em 2011. Para Moka estar presente em todas as sessões é obrigação do parlamentar. Mas reconhece que, às vezes, é difícil conciliar a agenda do plenário com audiências nos ministérios. “Temos de correr bastante para estar no plenário e ao mesmo tempo sendo recebido por ministros para discutir investimentos no Estado”, explica. Em dezembro passado, a revista VEJA divulgou estudo apontando Moka como o terceiro senador mais bem avaliado do país. Parabéns, senador!

AniversAriAntes • O assessor parlamentar Gleiber Nascimento troca de idade no dia 06. Felicidades!

edson freitAs

• Vo c ê q u e pretende fazer concurso esteja preparado. Na Banca Americana pode encontrar apostilas para os concursos da Polícia Rodoviária Federal (Agente e Papiloscopista) e da Agetran. Mais informações no telefone 3422-6194.

Drop’s

visitA

•A gerente da 2000 mil Publicidade de Dourados, Ivandra Estela Zorzan, •Helio Botelho também aniveraniversaria no dia 09. Parabéns. saria no dia 09. Felicidades!

A assessora de imprensa da MCE, de São Paulo-SP, Eliane Jerônimo, que atende a Rodobens Negócios Imobiliários, esteve na folha de dourados em recente visita em Dourados onde a empresa assessorada está a frente do empreendimento “Morada Dourados”. Conquistou toda a equipe pela simpatia. Seja sempre bem vinda!

• O Campeão do BBB12 da TV Globo, o sulmato-grossense Fael Cordeiro está com sua agenda lotada com a emissora em participações especiais nos programas: do Didi, Domingão do Faustão, na Zorra Total e no Jô Soares.

• O lançamento oficial da 48º da Expoagro acontecerá no dia 13 de abril, no Parque de Exposição João Humberto Andrade de Carvalho, a partir das 19h. • Sábado, dia 31 de março, aconteceu na Escola Januário Pereira de Araújo, no Jardim Itália, a segunda Ação Social Comunitária organizada pela Prefeitura Municipal com a parceria da UNIGRAN. A comunidade pode se beneficiar dos serviços de saúde, beleza, além das atividades esportivas. Parabéns pela a iniciativa.


08

Cidade

06 a 12 de abril de 2012

Jardim Oliveira ii

Da ReDação

Moradores acionam Ministério Público Federal arquivo

Comunidade quer esclarecimento sobre implantação do asfalto comunitário em bairro que conta recursos federais garantidos

Moradores do Jardim Oliveira II estão recorrendo ao Ministério Público Federal para esclarecer sobre a cobrança da pavimentação no bairro. De acordo com a comunidade existe impasse em relação a implantação do asfalto na modalidade comunitária (em que a população paga). Isto se deve ao fato de que se por um lado a população tem o conhecimento sobre uma verba garantida ao bairro no valor de R$ 3,5 milhões, por outro, representantes da Prefeitura afirmam que os recursos não seriam válidos. Os valores são provenientes de uma emenda do deputado federal Geraldo Resende (PMDB) empenhada (garantia de pagamento por parte do governo federal) no final do ano passado. De acordo com Marcos de Souza, morador no bairro, em relação a verba, ele recebeu informações que de como os recursos já estão empenhados, bastava apenas a Prefeitura enviar os licenciamentos e projetos ao Governo do Estado, para que este, que neste caso é o executivo, possa dar os encaminhamentos em Brasília pela liberação dos recursos e início das

Jiu-Jitsu

MPF foi acionado por se tratar de verba do Governo Federal obras. “A nossa dúvida de Campos Simões Freitas, é, se existe um recurso, diz que não gostaria de porque nós moradores te- pagar pelo asfalto comunimos que pagar pelo asfal- tário caso exista uma verba to? Aqui a população está para custear a obra. “Seria dividida porque alguns um absurdo os moradores acreditam que o asfalto co- pagarem pela pavimentamunitário sairia mais rápi- ção. Já pagamos o IPTU do. Por outro lado somente e demais impostos anuuma parcela almente para dos moradoobter benefíSeria res pode arcar cios no bairjusto abrir com mais esta ro. Tá certo despesa”, desque estamos mão destes taca. sofrendo muirecursos Marcos já to em dias de procurou inchuva, quando federais? formações no a lama toma Ministério da conta do bairIntegração sobre a verba ro, mas não podemos agir garantida pelo deputado no impulso”, destaca. Geraldo Resende. “Que os recursos existem e estão RECURSOS a disposição de Dourados Os recursos federais isto é incontestável. Temos em que os moradores se documentos que provam referem são de uma emenisto. Queremos saber ape- da viabilizada pelo depunas o porque da Prefeitura tado Geraldo Resende no não utilizá-los ao invés da valor de R$ 10 milhões, população ter que pagar. empenhada no dia 30 de Seria justo abrir mão des- dezembro do ano passado, tes recursos federais?”, à qual será acrescentada destaca . a contrapartida do goverA dona-de-casa Sônia no do Estado, no valor

R$ 2.061.524,42 para pavimentação e drenagem nos bairros: Vila São Braz e Parque das Nações II – setor 1 (R$ 2.204.127,03), residenciais Oliveira I e II, vilas Martins, Industrial, Vieira, Santa Catarina e corredor público (R$ 3.509.245,22) e Altos do Indaiá (R$ 6.348.152,17). Segundo Geraldo Resende, esta emenda foi a única, das 15 propostas de ban cada federal apresentadas ao Orçamento Geral da União/2011, que acabou empenhada pelo Ministério da Integração NacionalSUDECO no final do ano passado, após constantes interlocuções do parlamentar naquele ministério. Procurado pela folha de dourados, o deputado diz que a população douradense não pode ser prejudicada por uma possível disputa eleitoral que está se aproximando. Ele se diz preocupado com os atrasos da Prefeitura em projetos já garantidos para a cidade, somente pelo fato de que os recursos foram viabilizados por eventuais candidatos nas eleições deste ano. O alerta, segundo Geraldo Resende, se dá pelo fato de que Dourados pode perder recursos federais já garantidos para asfalto em diversos bairros. Isto porque a Prefeitura não encaminhou ao governo do Estado, providências relacionadas a licenciamento ambiental e projetos executivos, solicitados há mais de três meses.

Da ReDação

Chega a Dourados o Centro de Treinamento Ninenine Dourados agora conta com uma Franquia o novo Centro de Treinamento de Lutas Ninenine que tem sua filial estabelecida em São Paulo. A Ninenine conta com as seguintes modalidades: Jiu-Jitsu adulto e infantil e MMA masculino e feminino (Mixed Martial Arts) essa última que vem ganhando espaço na mídia e em Dourados o Esporte é na atualidade um dos que mais cresce no País e mescla força física e técnicas dos lutadores. O empresário Fernando Walevein lutador profis-

sional Faixa preta e campeão do mundo no Jiu-Jitsu e campeão de MMA trouxe a Dourados a Franquia Ninenine pensando no bem estar de seus alunos. A Ninenine vem com um espírito de união entre seus alunos e com uma filosofia de corpo e mente unidas para um equilíbrio de vida. Fernando tem um currículo invejado entre todas as lutas disputadas existem algumas em especial a Copa do Mundo de Jiu-Jitsu, o Asiático disputado no Japão e o estadual que aconteceu em novem-

bro passado em campo Grande sendo campeão em todas as lutas. As aulas acontecem de segunda à sábado em vários horários com turmas separadas para crianças, adolescentes,mulheres e homens. “Temos um espaço bastante amplo com todos os equipamentos necessários para a prática de esporte” mencionou o professor. O centro de Treinamento fica localizado na rua dos Missionários,1150, telefone para contato (67) 9634-1283.

arquivo

Coluna

reflexão Pastor Sérgio Nogueira (*) prsergionogueira@hotmail.com

JESUS, o mestre diferente “…, concluindo Jesus este discurso, a multidão se admirou da sua doutrina; porquanto os ensinava como tendo autoridade; e não como os escribas” Mt. 7:28, 29. No olhar dos autores dos evangelhos, Jesus foi um mestre diferente dos demais da sua época. Um mestre que venceu os paradigmas e deu início a uma nova forma de ensino. Um revolucionário no ensino quanto ao conteúdo e à sua metodologia. Sua didática é estudada por pesquisadores, mencionada em livros e aplicada com muita freqüência. Enquanto os rabinos contemporâneos de Jesus permaneciam enclausurados em uma mesmice religiosa e presos a um sistema religioso falido, permeado por uma disputa política no sinédrio, Jesus apresenta-se com uma alternativa para os interessados em questões concernentes às cousas de Deus. Jesus é diferente por escolher como local para suas aulas as praias, as margens dos lagos e dos rios, as encostas dos morros, as praças, os campos, sem desprezar os ambientes domésticos e até mesmo as sinagogas e o templo. Jesus é diferente por não fazer acepção de pessoas, possuindo um auditório eclético e heterogêneo. Constantemente notamos que parte de seus ouvintes era de religiosos judaicos (escribas, fariseus, saduceus, herodianos, zelotes e essênios), de gregos, soldados romanos. Jesus é diferente pela opção de aproximar sua mensagem dos ouvintes tornando-a compreensível dos excluídos de sua época como as crianças, mulheres, prostitutas, samaritanos, publicanos, coxos, aleijados, surdos-mudos, leprosos e tantos outros. Jesus é diferente por sua diversidade de ilustrações e facilidade de compreensão, usando figuras do cotidiano como o sal, o pão, o corpo, a luz, a casa, a semente, os pássaros, as plantas, os animais. Jesus é diferente porque não fez do ensino um instrumento para atrair a atenção política, para arrecadar aplausos ou para viver da exploração financeira e mercadológica. Jesus é diferente por não permitir que o relacionamento com seus alunos fosse afetado por sua popularidade. Jesus é diferente porque embora não tenha deixado sequer um livro escrito, sua vida tem sido objeto de obras literárias, filmes, e suas palavras permanecem vivas até hoje. Jesus é diferente porque tratava de muitos assuntos sem esquivar-se, tais como o tributo a César, o dízimo, a esmola, o divórcio, a morte, o amor, o ódio, o perdão, a oração, a fé. Jesus é diferente por sua autoridade em dizer: “Ouvistes o que foi dito:..., porém eu vos digo:...”. Jesus é diferente pelo conteúdo de sua mensagem, pois apresenta o caminho de volta para o pai, a verdade que liberta e a vida que dura para sempre, em uma dimensão do eterno e transcendente. Uma feliz Páscoa a todos! (*) Diretor da Faculdade Teológica Batista Ana Wollerman e coordenador do curso de Teologia a distância da UNIGRAN. Pastor da Igreja Batista Memorial Charles Compton em Dourados, membro da Mantenedora da Pestalozzi e presidente da OSCIP-ABCDE que mantém 3 CEINs atendendo 341 crianças. Apresentador do Programa Reflexão na TV Grann Dourados.

Empresário Fernando Walevein


Saúde PREVENÇÃO

06 a 12 de abril de 2012

09

DA REDAÇÃO

Saiba mais sobre o diabetes e como evitá-lo O diabetes é uma epidemia que já afeta mais de 200 milhões de pessoas no mundo. Até 2025, a previsão é de que esse número chegue a 380 milhões. A doença apresenta altos índices de novos casos e mortalidade, além de ter significante custo social e financeiro para a sociedade e os sistemas de saúde. • Pessoas com histórico de diabetes na família devem fazer exames regularmente O diabetes mellitus é uma doença de causa múltipla, que ocorre quando o organismo deixa de produzir insulina ou quando a substância deixa de atuar de forma eficaz. Como consequência, há o aumento da taxa de glicose no sangue (hiperglicemia). A insulina, produzida pelo pâncreas, é essencial para que o corpo funcione bem e utilize a glicose (açúcar) como principal fonte de energia. Manter uma alimentação saudável, peso em níveis normais e praticar atividade física regularmente são hábitos que ajudam a prevenir a doença.

de peso durante a gestação.

Tipos mais frequentes de diabetes Tipo1 - diabetes mellitus insulinodependente Geralmente ocorre em crianças, jovens e adultos jovens, que utilizam insulina injetável para o seu controle. Tipo 2 - diabetes mellitus não insulinodependente É o tipo mais frequente de diabetes, aparece geralmente após os 40 anos de idade. Diabetes gestacional - Surge na gravidez, sobretudo em mulheres que têm mais de 30 anos; • que parentes próximos com diabetes; • que já tiveram filhos pesando mais de 4 Kg ao nascer; • que já tiveram abortos ou filhos natimortos; • que são obesas ou aumentaram muito

Fatores de risco O diabetes pode comprometer a saúde sem que surjam sintomas. Pessoas com histórico familiar ou propensas a desenvolver a doença devem ficar atentas e fazer exames regularmente. São fatores de risco: • Ter parentes (pais, irmãos, tios etc.) com diabetes; • Excesso de peso (especialmente do tipo abdominal); • Vida sedentária (não faz atividade física); • Ter mais de 40 anos e fazer tratamento para pressão alta, ter colesterol e triglicerídeos elevados, usar medicamentos diabetogênicos (corticóides, anticoncepcionais etc.), ter dado à luz filhos com mais de 4 kg ou sofrido abortos e/ou natimortos. Fonte: Ministério da Saúde

Principais sintomas Diabetes tipo 1 e tipo 2 descontrolado: fome excessiva Diabetes tipo 1 e tipo 2 descontrolado: perda de peso Diabetes tipo 2: ganho de peso, grande volume de urina, urina doce, desânimo, fraqueza, cansaço físico Estes sintomas são os mais frequentes e não aparecem isolados. No diabetes tipo 1, surgem de maneira rápida e, no diabetes tipo 2, eles podem estar ausentes ou aparecem de forma lenta e gradual junto a outros sintomas, como: • sede excessiva • lesões de difícil cicatrização (principalmente nas pernas ou nos pés) • infecções frequentes (pele, urina e dos órgãos genitais) • alterações visuais

Gripe: vilão de cães e gatos no inverno Assim como os humanos, os cachorros e gatos também precisam de cuidados especiais para ficar protegidos contra as doenças típicas do inverno, como as respiratórias. Os ambientes fechados e sem ventilação facilitam a transmissão de micro-organismos entre os animais. Quem cuida de animais precisa tomar alguns cuidados para evitar a transmissão de várias doenças. É preciso ficar atento aos primeiros sintomas apresentados pelos cães e gatos. Eles podem sofrer de doenças parecidas com a gripe humana, com sintomas como secreção nasal, tosse e espirros. Tanto a gripe canina, conhecida como tosse dos canis ou traqueobronquite infecciosa canina, quanto à gripe dos gatos ou rinotraqueíte felina, são transmitidas de animal para animal por meio de secreções nasais. Nessa época do ano, devido ao frio, os animais são mantidos juntos e em lugares fechados, o que facilita a transmissão dos agentes da gripe. Outra recomendação importante é ficar de olho na evolução dos sintomas da gripe e estar em dia com a vacinação contra essa e outras doenças. Cães com cinomose, doença viral transmitida entre cães e que pode levar à morte, pode apresentar sintomas parecido aos da gripe canina. Por isso, é necessária atenção especial aos animais doentes.

E não é preciso muito para evitar os problemas comuns da época. A vacinação é o melhor método para proteger os animais contra as principais doenças respiratórias, por isso, é importante manter a carteira de vacinação sempre atualizada. Além disso, é sempre bom protegê-los do frio, não os expondo à friagem, ao vento e à chuva e preparar um bom abrigo para a hora de dormir. O uso de roupinhas é variável para cada caso – há animais que já estão bem protegidos dentro de casa e não sentem frio, sendo desnecessário o uso de roupinhas. Dependendo do tamanho do seu animal, aqui vai uma dica, roupinha de bebê, (casaquinhos) vestem muito bem o animal. Outra informação: evite tosar os pelos dos animais de pelo comprido nessa época, e muito cuidado com os banhos semanais, evite-os. Medidas preventivas são sempre melhor do que as curativas. Cuide bem do seu animal e uma boa páscoa.

(*) Anderson Vendruscolo, Carlos Eduardo Zanetti , Creilda Santos Alves, Cristiani Paula Souza, Kcleyr Gonçalves dos Santos, Robson Soares Capecci , Simoni Nunes Amaro, Winnie Batista Gonçalves.

CONSCIÊNCIA CÓSMICA Ademar de Lima

Não se trata de ego, amigos; quando mencionei “se tiverem sorte de ter alguém lá que os ame, para conduzi-los”, referime a inevitável passagem de dimensão que todos nós passaremos um dia. Eu também gostaria muito que fosse verdade que morreu acabou. Acabou aqui para esta dimensão que devido a nossa tradição de cultuar hábitos estamos há cinco gerações sem autoconhecimento, principal “atributo” para nos desvencilharmos dos arreios religiosos e tradicionais. Digo cinco gerações por ter constatado que ressurgimos aqui nesta dimensão da sexta até a décima segunda geração, e desde então esquecemos completamente o autoconhecimento como este: a alma é fragmento do espírito que é fragmento

*Expansionista consciencial & pesquisador

João da Câmara, te amo! II

de Deus-Luz, puríssimo Amor e Energia, neste intermédio existe o que denominamos de Eu Superior, o Deus interno em cada um de nós, Aquele que reconstruiu um corpo orgânico com o “barro” planetário, simbolizando que o corpo orgânico tem todos os elementos químicos minerais e proteicos existentes no planeta. Assim como hoje não tenho como sinonimizar para que você compreenda, sobre outras dimensões e universos – um fato é verdade, talvez a única verdade dos universos, um dia você vai desativar o corpo orgânico e vai para lá somente com o corpo atômico eletrônico de pura consciência. As mochilas que foram retiradas do irmão e amigo Totó foram os lastros energéticos orgânicos e

os referenciais umbilicais, comuns a todos nós, que atrapalham muito as energias conscienciais denominadas de almas de seguirem em frente, fazendo-as permanecer num estado comatoso sem descrição, onde as palavras “sofrimento” e “dor” não traduzem a realidade. Certa vez, João da Câmara mandou buscar de São Paulo seis bolas de futebol oficiais, denominadas na época pela garotada de bola de capotão nº 5, era a bola oficial e ele mandou entregar cinco bolas no Ubiratan e me deu uma de presente. Pensa no guri mais feliz do mundo! O campinho era ao lado de onde morávamos hoje Caixa Econômica Federal, meus amigos Jamari, Djuca (in memoriam), Dinda, Piroti

e eu “jogávamos” bola até não poder enxergar mais todos os dias, às vezes as mães Yeda e Carminha apareciam “armadas de

cintas” e acabavam com a brincadeira. Mais tarde aos quinze anos, Totó me presenteou com todo o material de desenho técnico que um profissional da área na época precisava, eu gostava de desenho fui aprender com o arquiteto Ayr R. Oliveira, o primeiro desenho técnico foi um grande barracão do Tonani, para armazenar soja, milho e trigo, localizado bem após do final da Av. Marcelino Pires. Por 25 anos todo aquele material de desenho me acompanhou. Tornei-me um profissional, fui para Curitiba PR, trabalhei pelo Ministério do Interior na barragem do Rio Passaúna que abastece Curitiba hoje com água potável. Depois por uma década em Campo Grande MS, com muitos projetos e construções, logo após em

Brasília DF no metrô, da Asa Sul à Ceilândia DF. Com os avanços tecnológicos inventaram o auto Cad e todas aquelas canetas, normógrafos, réguas/escalas com todos os tipos de letras, planímetros, gabaritos, escalímetros etc., foram aposentados, porém quarenta e um anos depois tenho todos eles inclusive a régua T e a régua paralela em perfeito estado de conservação. Totó tinha visão de futuro, ele viu que eu tinha dom para desenhos, apesar de desenhar a mão livre preferi o desenho técnico. Não como “moeda de troca” sempre quando terminava um projeto, primeiro agradecia a Deus pelo dom e também em pensamento dizia: João da Câmara te amo! – Deus me deu o dom e João da Câmara as ferramentas.


10

Regional

06 a 12 de abril de 2012

Municípios Em foco Mais cinco Municípios terão urna bioMétrica no Ms O Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS) encerrou no dia 30 de março os trabalhos de revisão eleitoral realizados em Sidrolândia, Ribas do Rio Pardo, Camapuã, Vicentina e Jateí, alcançando um recadastramento superior a 80% do eleitorado destes cinco municípios. Durante o período de revisão eleitoral, que começou no dia 19 de janeiro, em Sidrolândia, foram atendidos mais de 56 mil eleitores. A quantidade de eleitores confirma que estes municípios do estado, e ainda Fátima do Sul, que passou pelo recadastramento em 2008, farão uso das urnas com identificação biométrica já nas eleições municipais de outubro. Assim, serão aproximadamente 73 mil eleitores de MS identificados por meio das impressões digitais. A biometria é uma tecnologia que conferirá ainda mais segurança à identificação do eleitor no momento da votação. O leitor biométrico acoplado à urna eletrônica deve confirmar a identidade de cada eleitor, comparando o dado fornecido (impressões digitais) com todo o banco de dados disponível. A medida torna praticamente inviável a tentativa de fraude na identificação do votante, uma vez que cada pessoa tem impressões digitais únicas. naviraí – A prefeitura abriu as inscrições para o 6º Festival de Música Popular, Sertaneja e Gospel. A organização do evento busca repetir o feito realizado das edições anteriores. Na edição do ano passado o número de inscritos chegou a 81 no total, entre as 3 categorias. O festival, assim como em 2011 ocorrerá simultaneamente a Fejunav – Festa Junina de Naviraí, marcada para os dias 1, 2 e 3 de junho na Praça Euclides Fabris. Será oferecida uma premiação de R$ 7,5 mil para as três categorias. O primeiro colocado levará um cheque no valor de R$ 1.000, segundo R$ 600, terceiro R$ 400, quarto, R$ 300 e quinto R$ 200. Além da premiação em dinheiro, os candidatos vencedores do 1º ao 3º lugar de todas as categorias, receberão troféu, e os vencedores do 4º e 5º medalhas. Segundo o regulamento do Festival de Música Popular, Sertaneja e Gospel, poderão participar apenas moradores residentes nos município. Os interessados em participar do evento deverão comparecer até 30 de abril, na Fundação de Cultura, localizada no terminal rodoviário do município. Para mais informações ligar (67) 3461-3404. itaporã – Prefeitura entregou peixes na quarta-feira (4) no estádio Chavinha. Esta iniciativa acontece pela terceira vez na administração de Marcos Pacco, uma vez que teve inicio em seu primeiro mandato no ano de 2007 e de lá pra cá vem reunindo milhares de pessoas, na sede do município e em todos os distritos. Pacco idealizou esta distribuição com a aprovação por unanimidade da Câmara de vereadores, por entender o propósito da social da ação. Durante a semana todas as gerencias administrativas estarão envolvidas na distribuição dos cupons vale peixe, percorrendo todas as residências da sede e dos distritos. A distribuição já foi feita nos distritos de Carumbé, Santa Terezinha, Piraporã e Montese, e na sede do município. “O nosso propósito sempre foi fazer uma administração que também seja voltada para o social, e isto vem acontecendo desde o inicio da nossa administração de forma satisfatória principalmente para a população de menor poder aquisitivo”, disse Pacco. DouraDina – Os vereadores iniciaram esta semana o desenvolvimento do projeto “Câmara em Ação”, que consiste na visitação aos alunos e professores das escolas das redes municipal e estadual de ensino, e entrega de uma cartilha que apresenta detalhes da real função do vereador, suas responsabilidades e o seu papel junto à sociedade. A primeira escola visitada na segunda-feira (02), foi a Escola Municipal “Mirena Amélia Batista”, onde o presidente do Legislativo, Milton Pires (PR), acompanhado pelos vereadores João Pereira Marques – Gunga (PSDB), Elizeu Maturano Narcizo (PR), Lucilene Kerches de Menezes (PMDB), e Valdeci Locário de Morais (PP), foi recepcionado pela diretora da escola Norma Elizabete Eliceche, e pelos professores do período matutino. MunDo novo – Depois de concluir a pavimentação do Jardim dos Ipês em parceria com o empresário Alberto Canalli, que entrou com os produtos e a prefeitura com a mão de obra e os maquinários, a prefeitura de Mundo Novo volta a realizar ações neste sentido, agora na Avenida Salvador que será ligada até a Avenida Otaviano Correia, também com pavimento. Destacando que a galeria pluvial já foi concluída, e da mesma forma a terraplanagem, restando agora a preparação final para a colocação do Alfalto, em curto tempo será concluído o asfalto tão esperado pela população dos Bairros Coopagril e Universitário, sendo 3.500 metros quadrados de asfalto.

Jardim

Da ReDação

Blasio Gregory empossado na presidência da AEJAR A Associação Empresarial de Jardim (AEJAR) tem um novo presidente desde a noite da última sexta-feira, 30. O empresário Blásio Gregory assumiu a entidade foi presidida pelo contabilista João Julio Arashiro durante o biênio 2010/2012. A solenidade aconteceu no Tatersal do Parque de Exposições da cidade e contou com a presença de cerca de 200 convidados, como o deputado estadual Marcio Campos Monteiro; o prefeito Carlos Américo Grubert; o presidente do legislativo jardinense, Gláucio Cabreira da Costa; o presidente da FAEMS (Federação das Associações Empresariais de Mato Grosso do Sul), Antonio Freire; o representante do SEBRAE/MS, Adelino Costa Marques; além de vereadores, gerentes municipais e presidentes de associações comerciais e empresariais de outros municípios. Em sua última fala como presidente, Julio Arashiro agradeceu também às entidades estaduais que sempre estiveram com a AEJAR e disse que cada uma foi importante nesse processo, contribuindo na divulgação das ações e sempre visando o engrandecimento da entidade empresarial. “É com sensação do dever cumprido que chegamos ao final de nosso mandato, com saldo positivo e marcado por muitos trabalhos. Sabemos que por algumas vezes erramos, na tentativa de acertar. Mas isso foi importante, pois nos serviu de desafios para buscar mais competência e qualidade na tarefa a que fomos confiados”, encerrou o contabilista. Falando com presidente, Blásio Gregory lembrou um pouco da história da AEJAR e enfatizou a passagem dos 21 ex-presidentes que já estiveram a frente da entidade. Ele lembrou também que, junto com crescimento de Jardim, 1291 empresas formais e 256 associados estão incluídos na biografia da AEJAR. Gregory conclamou a sua diretoria para um trabalho diferenciado e agradeceu pela confiança em compor a chapa que opra assume a gestão 2012/2014. “É com muita alegria que assumo a presidência da AEJAR, lembrando que sozinho sou pequeno e fraco, mas com a parceria de todos seremos imbatíveis e vencedores. Temos um grande trabalho pela

MaRCos baRRos

governo

FeRnanDo oRtega

Onevan apresenta indicações de emendas parlamentares

Blásio Gregory e Antônio Freire frente, qualificando ainda mais empresários e funcionários através dos cursos e seminários, além de continuar lutando pela concretização do Projeto Jardim Shopping à Céu Aberto, onde AEJAR, SEBRAE e Prefeitura de Jardim estão empenhados pela revitalização central de nossa cidade, organizando e embelezando este espaço comercial. Conto com cada um para esta gestão que está apenas começando”, finalizou o novo presidente.

O deputado estadual Onevan de Matos apresentou ao Governo do Estado, nesta semana, parte de suas indicações de emendas parlamentares para o ano de 2012. O parlamentar destinou recursos para saúde, educação e assistência social aos municípios de Mato Grosso do Sul. Dentre os municípios beneficiados nesta primeira fase estão Angélica, Bandeirantes, Campo Grande, Jateí, Sete Quedas e Naviraí: “Recebi diversos pedidos de prefeitos, vereadores e de diretores de entidades dos municípios que represento na Assembléia Legislativa. O gabinete está recebendo o restante da documentação para que eu complemente os municípios beneficiados”, explicou. priMeira fase Onevan garantiu recursos para aquisição de

medicamentos para Angélica, veículo para transporte de pacientes da “Unidade João Carneiro de Mendonça” em Bandeirantes (emenda conjunta), uma kombi para Jateí e outra para Sete Quedas, além de integrar duas emendas coletivas em Campo Grande. Após a fase formal da destinação das emendas parlamentares, a equipe do Governo do Estado aprecia a regularidade da documentação das entidades e, posteriormente, agendará solenidade para a assinatura dos convênios que garantem as emendas. “Fico feliz em, mais uma vez, destinar estes recursos que são fundamentais para o desenvolvimento de atividades administrativas e, também, a garantia do bemestar da população”, concluiu o deputado estadual Onevan de Matos.

infoRMe publiCiTáRio

inforMativo

câMara De vereaDores De itaporã Roberto Marsura ouve reivindicações do Conselho Tutelar WalTeR RaMos - asseCoM

Roberto verificando in loco a sede do Conselho Tutelar O vereador e presidente da Câmara de Itaporã Roberto Carlos Marsura esteve visitando a sede do Conselho tutelar de Itaporã onde ouviu dos conselheiros várias reivindicações. O presidente da Câmara se propôs a intervir junto ao executivo, para viabilizar as melhorias que a entidade necessita, ou seja, melhorias estruturais e no que se refere à valorização dos recursos humanos. Os conselheiros pediram ao vereador providências no sentido de melhorias no espaço físico do prédio, reivindicando a instalação de ar condicionado e reparos em alguns setores do prédio. O vereador conversou com todos os conselheiros e se dispôs a intervir para que seja colocada em pauta a necessidade

de um aumento salarial satisfatório, pois segundo Roberto, o trabalho dos conselheiros exige muito do profissional, que sem duvida nenhuma merece uma boa remuneração, dado ao seu importante trabalho social. Roberto e os vereadores estão atentos à buscar entendimento para que as instituições que prestam serviços públicos sejam ouvidas em suas necessidades. “É esse o papel do vereador, ir até as pessoas e ver de perto como as coisas estão funcionando”. “Quanto a nós, fica a certeza que vamos lutar para que as melhorias sejam implantadas, e conseqüentemente ganharmos com a satisfação do profissional, e com a melhoria na qualidade dos serviços prestados.”

Câmara Municipal de Itaporã - Poder Legislativo - Mesa Diretora: Presidente: Roberto Marsura (PMDB) - 1º Secretário: Pedro Bomba (PR) - 2º Secretário: Edvaldo Bezerra (PTB) - Líder do Poder Executivo: Galdino (PSD) - Vereadores: Dico (DEM), Adriano Martins dos Santos (PDT), Gerson Escobar (PPS), Givanildo Rondina (PMDB) e Édio Barreto (PP).


Entretenimento

06 a 12 de abril de 2012

horóscopo da semana Críticas? Elogios? Sugestões?

Amarildoleite2011@live.com SPARKLE Este é o último filme de Whitney Houston. Ela é a mãe solteira de três garotas que tentam formar um trio da década de 50. O filme é um remake do homônimo de 1976 inspirado no grupo musical The Supremes, de Diana Ross. Jordin Sparks, vencedora de uma das edições do reality show American Idol, faz a personagem título. No Brasil no dia 7 de dezembro. No YouTube digite: Sparkle Trailer e veja que promete ser bom. TITANIC Kate Winslet, que todos sabem foi protagonista ao lado de Leonardo Di-Caprio do filme TITANIC de James Cameron, disse em entrevista essa semana que todas vez que ouve a música “My Heart Will Go On” que foi tema do filme tem vontade de vomitar. “Eu não deveria falar isso. Mas eu realmente sinto como se estivesse prestes a vomitar. Queria ser capaz de gritar para todo mundo ouvir a música da Celine Dion, mas não dá. Eu apenas fico sentada e sentindo meu estômago revirando”, e continuou dizendo que toda vez que entra em um hotel ou restaurante que tem pianista ao vivo recebe uma homenagem: “As pessoas acham emocionante me surpreender com a música da Celine Dion”. Você sabia que a menina é cantora? Não? Então ouça ela neste link no YuTube: Kate Winslet - What If - Official Music Video. Se achar que tem semelhança com Celine Dion, você não está sozinho. E já que estamos falando de Titanic, vale a pena avisar aos fãs que a ver-são em 3D estréia em 13 de abril no Brasil. JOBS Ashton Kutcher, o ex-marido de Angelina Jolie, vai interpretar Steve Jobs no cinema. Algumas pessoas duvidam da notícia, porque foi divulgada no dia 1º de abril e por Kutcher costumava apresentar um programa chamado Punk’d, onde fazia várias pegadinhas com seus companheiros de trabalho no cinema e artistas do ramo da música. Já qual relação uma coisa tem com a outra, não me pergunte. Isso é coisa de americano. Só sei que o site Variety afirmou como notícia verdadeira. De acordo com a publicação, que ao contrário da maioria dos veículos espe-

cializados não aproveitou o dia de ontem para brincar com seus leitores, Kutcher será o protagonista de Jobs, de Joshua Michael Stern, uma produção independente que apresentará o começo da carreira de Jobs e como ele se transformou na mente criativa da Apple. Veja a foto do cara e confira. Claro que ele deve mudar o figurino para o papel. Não confunda JOBS com a outra cinebiografia produzida pela Sony Pictu-res. O filme da Sony será baseado na biografia Steve Jobs, de Walter Isaacson.

ÁRIES

A partir do seu aniversário, você sentirá suas energias restauradas e seu vigor renovado. Seu entusiasmo natural, que andava meio murcho, voltará com tudo e de agora em diante você poderá concentrar suas iniciativas para fazer acontecer os milagres que você deseja!

TOURO

Com Júpiter ainda em trânsito em seu signo e em bom aspecto, você está prestes a alcançar um objetivo importante em sua carreira. Nos primeiros dias da semana poderá aparecer uma viagem ao exterior onde seu prestigio pessoal será reconhecido. Tenha confiança!

LEÃO

Os obstáculos que você estava prevendo já há algum tempo estão se delineando com mais precisão neste momento e você terá mais clareza mental para encontrar as soluções adequadas para cada um deles. O seu regente se encontra em alinhamento com Urano.

LIBRA

ESCORPIÃO Apesar de parecer que as

Neste período você precisa concentrar seus esforços para fortalecer o seu campo profissional, por essa razão não desperdice suas energias com tarefas que não lhe dizem respeito. A retrogradação de Saturno nos últimos graus de Libra indica que poderão retornar alguns problemas.

CAPRICÓRNIO Se as coisas não parecem

SUPERMAM – MAN OFF STEEL O novo logotipo do Super Homem já está na rede. É mais escuro e tem alguns detalhes em alto-relevo. Parece que é uma foto tirada depois de uma luta difícil para o Homem de Aço. O filme de Zack Snider com Henry Cavill e Kevin Costner estreia no Brasil em 14 de junho de 2013. Dá uma olhada:

www.somostodosum.com.br

CÂNCER

Os múltiplos desafios que a vida teima em colocar à sua frente o deixam especialmente esgotado neste período. Considere cada pequeno obstáculo como uma oportunidade de crescimento: talvez o Cosmo esteja testando o seu potencial! Não faça tempestades em copo d’ água e, sobretudo, não se queixe da vida.

progredir como você gostaria, precisa encontrar soluções criativas e não jogar a toalha, desistindo de lutar! Plutão, em seu signo, entra em atrito com Urano e essa configuração astrológica é causa de muitas reviravoltas e perturbações em seu dia a dia.

coisas não andam como você havia planejado, nem tudo está dando errado em sua vida; por essa razão, basta mudar o foco e não tentar forçar a barra! Mesmo se alguma circunstância o desapontou, você encontrará formas de superar o momento difícil.

AQUÁRIO

Seu espírito de colaboração será imprescindível para você resolver todos os percalços que o destino continua a colocar em seu caminho. Inúmeros compromissos ao longo do seu dia podem ser adiados ou remanejados e você precisará ter muita adaptabilidade para não se irritar.

palavras cruzadas

11

GÊMEOS

Nesta semana Mercúrio termina a retrogradação no signo de Peixes e pode indicar o fim de seus problemas de saúde e da confusão diária à qual você está sendo submetido. Para obter bons resultados em seus projetos profissionais, você precisa canalizar melhor suas energias.

VIRGEM

Situações inesperadas continuam a atazanar o seu dia-a-dia e você, que gosta de tudo bem programado, pode não conseguir dar conta das tarefas como gostaria. Esta situação caótica é causa de estresse e irritação. A presença de Marte em seu signo pode indicar problemas com empregados.

SAGITÁRIO

Este é um bom momento para o sagitariano, que parece ter encontrado um momento de tranquilidade, inclusive no âmbito financeiro. Aproveite esse bom momento em que seu regente, Júpiter, transita em Touro e pense também em poupar para seu futuro. Não faltarão ótimas oportunidades.

PEIXES

Mercúrio retrogradou nos últimos graus de Peixes, influenciando alguns piscianos que podem sofrer de problemas respiratórios neste período. Este aspecto é também negativo, porque aumenta a confusão mental, atrapalha a concentração, faz perder documentos e chaves.

www.coquetel.com.br

Por enquanto é só, pessoal. Um bom feriado a todos. Você já sabe, mas vale a pena lembrar: SE FOR DIRIGIR NÃO BEBA, porque semana que vem tem mais.

humor

Gaúcho valentão em Minas Gerais Contam que, certa vez, um gaúcho entrou em um boteco numa cidade de Minas Gerais e, ao pedir uma pinga, muito sinicamente, fez a seguinte pergunta ao proprietário: - Escuta aqui tchê, ouvi dizer que aqui em Minas Gerais tem muito valentão!... Quero saber se isso é verdade!... Cadê os valentões daqui?!...

Cadê tchê?! Então, o mineiro respondeu: - Num si amole cum isso não, moço. Isso é tudo invenção di quem num tem o que fazê. Pode ficá trunquilo qui aqui num tem ninhum valentão, não. Di veis in quando, aparece argum, mas nóis mata eli, viu!

Um argentino e um brasileiro encontram uma lâmpada mágica Gênio: vocês agora são meus amos! Cada um tem direito a um desejo. Argentino: quero que faça aparecer uma muralha em volta da Argentina, ninguém vai poder entrar ou sair, nem entrar e cobrar nada e

seremos o país mais rico do Mundo! Então a muralha num estalar de dedos do gênio envolve toda a Argentina. Brasileiro: tem certeza que ninguém pode sair? Gênio: absoluta! Brasileiro: então enche aquilo com água!

Sogra querida Um empregado chega para o Patrão e fala: - Patrão o senhor podia me liberar mais cedo hoje? Minha sogra morreu e eu tenho que

ir ao enterro! Eis que o patrão responde: - Claro que não, né! Diversão é diversão, trabalho e trabalho!

resposta da anterior

Brasil x Argentina

9611-2431


12

Culturalmente Falando Feira Livre, um ponto de cultura e lazer Ilson Boca Venancio

06 a 12 de abril de 2012

ilsonvenancio@hotmail.com

fotos: boca venancio

A cada dia que passa a nossa feira livre tem se tornado um ponto frequente de manifestações artísticas e culturais. No domingo, (25/03), quando eu caminhava por lá me deparei com um grupo de capoeiras de várias cidades do estado, que vieram se juntar ao Mestre Guerreiro para comemorar a conquista do prêmio o “Meu Mestre”. Esse foi oferecido pelo Ministério da Cultura àqueles que como Guerreiro dedicou

uma vida, no seu caso mais de 50 anos, a essa cultura de raiz. A importância deste prêmio deve ser reconhecida por ter sido o único oferecido a um “capoeira” do nosso estado, e é por esse motivo que o Mestre com prazer e humildade, divide este prêmio com todos os mestres do Mato Grosso do Sul. No domingo, (01/04), foi a vez do circo, com uma bela apresentação de palhaços que participavam da Mostra In-

dependente de Teatro com a apresentação do Grupo Exército Contra Nada, com o espetáculo “El General”. Quem estava na feira naquele horário pôde apreciar um bom espetáculo com muitas e boas palhaçadas, e dar muitas e boas gargalhadas. Eu frequentador assíduo da feira livre aos domingos curti muito a apresentação, pois reconheço a capoeira como uma arte e cultura de raiz, e sei

que ela muito contribui para a formação do cidadão, pois prega o compromisso, a ética e o respeito. Eu que amo todas as formas de manifestações artísticas vejo nas artes mais que uma forma de diversão, mas também lazer, educação com consciência, e adoro umas boas palhaçadas, agradeço aos artistas que se dispõe a levar arte cultura e diversão a “Nossa Feira Livre.” Feliz Páscoa a todos.

Poesia

cantinho da

Palhaços Se no mundo existissem Mais palhaços, A vida seria mais alegre, Colorida, leve. Um sorriso inesgotável, Muitas cores no ar, Felicidade em volta, Alegrias sem fim.

sílvia Purper

Levar tudo na brincadeira, Rir das próprias besteiras, Contar suas desventuras, Alegrar-se com detalhes. Sorria, seja mais leve, A vida é tão curta, Que não vale a pena Ser assim tão sério.

Para refletir “Capoeira é arte, sabedoria, conhecimento e cultura de um povo oprimido que encanta tanto aos pobres quantos aos ricos”. 15/06/2005 (Mestre Pastinha)


Edição 177