Page 1

Se a tua mulher for meiga, serás feliz. Se a tua mulher é má, serás um filósofo. Sócrates

WWW.folhadacidadeporangaba.com.br

Porangaba, 28 de outubro de 2013 - Distribuição: Porangaba, Cesário Lange, Bofete, Guareí, Tatui e Torre de Pedra - Edição nº 207 - Ano IX

Evereste é o campeão municipal de futsal Atletas da terceira idade de Porangaba participaram de 3 a 6 de outubro, dos 17° Jogos Regionais do Idoso, na cidade de Cerquilho Página 2

Fórum de Porangaba completa 25 anos. Criado pela lei 6166 em 29/06/88, Página 5 em 2006 foi criada a Comarca através da lei complementar 991/06 Página 5

6

O Natal vem aí!!!

lojas

Preços promocionais em todos os setores da loja

Leia A mais Aleluia

moda infantil e adulto Masculino e Feminino Calçados, brinquedos e ferramentas Crediário Sorocred em até 6 X sem juros Moda de Shopping - Preço de fábrica

Fazenda Porangaba Desde 1912

&

GG

Prefeito DeraldoTrevo anuncia DiaMini-Shopping 31 Luiz tem do megasena da virada nova Secretária de Educação amigos nossos Porangaba

Loja Aleluia I - Cesário Lange

e clientes desejamos Feliz Loja Aleluia II - Bofete Página 4 Ano Rua 4 de junho, 379 - Centro - Porangaba Fone - 3257.1405 Página Natal e Próspero Novo5 PP 15

F a z e n d a J. Campos

Desde 1912

Refrigerante Schin 2L

Desde 1912 1,89

Nova grife de carne na fazenda Porangaba Touros Red Angus em vacas nelores Rodovia Camilo Príncipe de Moraes, Km 73 - Porangaba- SP Ru

Fone - 015 - 3257.6506

Recria e Engorda

(15) 3257.1378 Engorda e Fone recria de gado nelore Porangaba - SP

Rodovia Prefeito Benedito de Oliveira Vaz, Km 66


Página 02 - Folha da Cidade

EXPEDIENTE Redação/Diretor Antonio Carlos Marcelino J o r n a l i s ta R e s p o n s á v e l Antonio Carlos Marcelino MTb: 52.399 Jornalista Responsável (In Memoriam) Regina F. Miranda S. Dores Diagramação Antonio Carlos Marcelino Depto Comercial Rua Ciro Alonso, 312 Jd. São Luis Porangaba -SP Cep. (15) 3257-6437 18260-000

Arte e Impressão: Grafica Ortolan R. Mariano Catalan, 200 - São Manoel - SP Fone (14) 3841-3763 Folha da Cidade - O jornal de Porangaba Ltda CNPJ: 07.384.267/0001-79 E-mail:folhadacidade@fdnet.com.br A s m a t é r i a s a s s i n a d a s s ã o d e r e s p o n s a b i l i d a d e d e s e u s a u t o r e s .

Pedido de demissão (em homenagem ao dia da criança) Venho por meio desta, apresenta r o f i c i a l mente meu pedido de demissão da categoria dos adultos. Resolvi que quero voltar a ter as responsabilidades e as ideias de uma criança de oito anos no máximo. Quero acreditar que o mundo é justo e que todas as pessoas são honestas e boas. Quero acreditar que tudo é possível. Quero que as complexidades da vida passem despercebidas por mim e quero ficar encantado com as pequenas maravilhas deste mundo. Quero de volta uma vida simples e sem complicações. Cansei dos dias cheios de computadores que falham, montanha de papeladas, notícias deprimentes, contas a pagar, fofocas, doenças, necessidade de atribuir um valor monetário a tudo o que existe. Não quero mais ter que inventar jeitos para fazer o dinheiro chegar até o dia do próximo pagamento. Não quero mais ser obrigado a dizer adeus a pessoas queridas e, com elas, a uma parte da minha vida. Quero ter a certeza de que Deus está no céu, e de que por isso, tudo está direitinho nesse mundo. Quero viajar ao redor do mundo no barquinho de papel que vai navegar numa poça deixada pela chuva. Quero jogar pedrinhas na água e ter tempo para olhar as ondas que elas formam. Quero achar que as moedas de chocolate são melhores do que as de verdade, porque podemos comê-las e ficar

com a cara toda lambuzada. Quero ficar feliz quando amadurecer o primeiro caju, a primeira manga ou quando a jabuticabeira ficar pretinha de frutas. Quero poder passar a s ta r d e s d e v e r ã o à sombra de uma árvore, construindo castelos no ar e dividindo-os com meus amigos. Quero voltar a achar que chicletes e picolés são as melhores coisas da vida. Quero que as maiores competições em que eu tenha de entrar sejam um jogo de bola de gude ou uma pelada. Quero voltar ao tempo em que tudo o que eu sabia era o nome das cores, a tabuada, as cantigas de roda, a “batatinha quando nasce...” e que isso não me incomodava nadinha, porque eu não tinha a menor ideia de quantas coisas eu ainda não sabia. Quero voltar ao tempo em que se é feliz, simplesmente porque se vive na bendita ignorância da existência de coisas que podem nos preocupar ou aborrecer. Q u e r o a c r e d i ta r n o poder dos sorrisos, dos abraços, dos agrados, das palavras gentis, da verdade, da justiça, da paz, dos sonhos, da imaginação, dos castelos no ar e na areia. Quero estar convencido de que tudo isso... vale muito mais do que o dinheiro! A partir de hoje, isso é com vocês, porque eu estou me demitindo da vida de adulto. Agora, se você quiser discutir a questão, vai ter de me pegar... PORQUE O PEGADOR ESTÁ COM VOCÊ!

Porangaba, 28 de outubro de 2013

EDITORIAL Baderneiros Mascarados Motivados pela ineficiência ou omissão da polícia os baderneiros mascarados afrontam a população, depredam o patrimônio público, desafiam as autoridades e espanham o medo e o terror nas ruas do Rio de Janeiro, de São Paulo e de algumas outras capitais do Brasil. Tudo começou durante as manifestações que paralisaram o país e, de lá para cá, esse grupo, que se esconde debaixo de máscaras, se infiltra nas manifestações pacíficas e, depois promovem todo tipo de vandalismo, destruição e saques. A mando de quem? A quem servem? Ou são apenas arruaceiros que ficam mais violentos a cada nova manifestação? A televisão esta mostrando todos os dias imagens onde aparecem esses delinquêntes e, com todas as imagens invadindo os lares brasileiros, como pode as autoridades não descobrir quem lidera essa turba ou quem são

esses mascarados? Seria tão difícil a tropa de choque fazer um cerco e deter todos, desmascarando-os e enquadrando-os na forma da lei? Alguns já foram levados às delegacias de polícia e desmascarados, porém, não se sabe porque, são liberados em seguida. Seriam eles de famílias influentes ou são mandados por algum partido político que quer se aproveitar do momento das g r a n d e s m a n i f e s ta ções, e mantê-los intocáveis? Destruir o patrimônio público e lançar coquetéis molotov sobre os policiais não é mais crime? Diante desses maus exemplos recorrentes é que, cada vez mais, os jovens engrossam as fileiras do anarquismo. É a certeza da impunidade que leva a esse estado de coisas. É a inversão da ordem e da ética: Em nome da lei, soltem os criminosos.

Atletas de Porangaba participaram do JORI Uma delegação formada por 24 atletas participou, entre os dias 3 a 6 de outubro, do 17º Jogos Regionais do Idoso, na cidade de Cerquilho/SP. Os porangabenses participaram de seis modalidades: Volei masculino adaptado, Atletismo, Natação, Truco, Malha e Dança de Salão. O JORI é um projeto do Fundo Social de Solidariedade do Governo do Estado realizado em conjunto com os Fundos Sociais dos municípios. Silvia São Pedro, presidente do Fundo Social de Porangaba, junto com a secretaria de promoção social e a secretaria de esportes participou da organização e preparação dos atletas para o

importante evento. A presidente do Fundo de Solidariedade do estado de São Paulo (foto abaixo), Lu Alckmin, compareceu à abertura oficial dos Jogos Regionais dos Idosos. Lu discursou e falou da importância em políticas públicas de auxilio às pessoas da terceira idade, como é o objetivo do JORI, promovendo saúde e lazer.

Falando Sério Causos de nossa terra

Quebrou o pino de centro Dia desses, reunido com um grupo de amigos e bebericando uma “serva” lá em frente ao Bar Esporte, do Zé Machado, filho da Dona Diomar, a conversa, girava em torno da última cavalgada dos tropeiros a Iguape. Comentavam do churrasco, do feijão gordo, das pousadas durante a viagem, daqueles que exageravam na “marvada” e iam dormir em cima dos “bacheiros”, rompendo a lei do silencio com roncos ensurdecedores. As gargalhadas aumentavam quando se recordavam do apanhador de carqueja que fez questão de posar para uma foto com um maço daquela erva amarga que é colocada na pinga. Lembravam-se dos sustos, imprevistos e das belas paisagens na longa caminhada até chegar ao Santuário do Bom Jesus de iguape. O papo seguia interessante até que o Zé da Silva, que mais ria do que falava, mudou o rumo da prosa. Ficou em pé cruzou os braços no peito, olhou para a platéia curiosa e começou a falar. - Eu só não fui nessa viagem a Iguape porque a minha mula tava com um problema que demorei a descobrir o que era. Nisso o Zé Machado,

quase um veterinário, perguntou: - A mula tava doente? - Nãaoo. Eu tava andando nela e quando eu bambiava a rédea ela descambava pro lado esquerdo e andava atravessada. Eu aprumava ela no trilho e depois de andar argum tempo, quando eu bambiava de novo a rédea ela descambava pro lado esquerdo e andava torto. Como já tava escurecendo eu vortei e sortei ela la no sítio. - E o que é que a mula tinha? Perguntou o Adércio, já meio vanzêro com aquela historia. - No outro dia bem cedinho arriei a danada e muntei pra vê se ela tava andano direito. Tava do memo jeito. Quando eu bambiava a rédea ela garrava o barranco do lado esquerdo e seguia andando meio de lado – continuou o Zé da Silva. - Então resorvi examiná os casco da mula – e dando um suspiro para aumentar o suspense arrematou – e daí descobri o que era. - Ela tinha torcido o tornozelo e tava aparpano? – Tentou adivinhar o Zé Machado. - Nãaoo! A mula tinha perdido a ferradura da pata dianteira do lado esquerdo, por isso ela pendia praquele lado, iguar caminhão com o pino de centro quebrado - Arrematou o Zé da Silva, sério, no meio das gargalhadas.

Enterro da sogra O cumpadi vem andando na direção do bar, com o paletó todo rasgado e ensangüentado. O outro cumpadi vê aquela presepada e pergunta: - Cumpadi! O que aconteceu com ocê? - Nada cumpadi, tava no enterro da minha sogra. - Mas cumpadi, cê vorta assim, todo rasgado e melecado de sangue! - É que ela não queria entrar no caixão...

Estrada de Sampa Vai o caipira em seu cavalo baio pela beira da estrada, quando de repente pára um carrão importado ao lado dele. O motorista abre o vidro e pergunta: - Por favor, amigo... Esta estrada vai para São Paulo? - Sei não, Dotô... Mais si ela fô vai fazê uma farta danada pra nóis!

Cumbispo O caipira vira-se para o compadre e pergunta: - Ô cumpadre, é verdade que bispo é muito mais importante que padre? - É, sim! - Entonce a partir de agora eu vô chamá ôcê de cumbispo! ACM


Página 03 - Folha da Cidade

Porangaba, 28 de outubro de 2013

PORANGABA - SUA HISTÓRIA Por Julio Manoel Domingues

www.porangabasuahistoria.com

POR AQUI, NO TEMPO ANTIG0, SE FALAVA ASSIM ...! Toda língua possui variações no palavreado ; elas podem ser entendidas por meio de sua história no tempo (variação histórica) e no espaço (variação regional). (www.educaçao.uol.com.br) Antigamente, o jeito de falar do porangabense não era muito diferente dos demais moradores da região sob a influência de Sorocaba e, notadamente, de Tatuí. Predominava o “erre” carregado e expressões antigas, ficando caracterizado o “linguajar caipira”, com sotaques curiosos, palavras e expressões estranhas. Aliás, isso sempre chamou a atenção e nos diferenciava, mas trazia muito orgulho. (Foto – Vadô da Serrinha) O escritor e jornalista Cecílio Elias Netto, autor do “Dicionário do Dialeto Piracicabano”, ao pesquisar a linguagem encontrada em Piracicaba, concluiu que o modo de falar ali observado era característico dos habitantes de povoações do Tietê-Piracicaba, sendo o dialeto caipira muito dinâmico. Essa dedução justifica a existência de uma série de palavras e expressões, hoje tidas como “caipiracicabanas”, que aqui eram comuns; faladas e ouvidas na zona rural, não faz muito tempo e, mesmo, hoje, ainda são usadas pelas pessoas mais idosas. Por exemplo: a maioria dos porangabenses mais velhos, certamente ouviu dizer: 1 • deixar de bobice (bobagem); a mordeFoto (de modo) preparar um café; dar trela (atenção) prá prosa; torná vorta otra veiz de novo (retornar); intortá o pote (embriagar-se); desdá (retomar); cuvitera (fofoqueira); amigá (concubinato); apitô (morreu); já que tá que fique (expressão que equivale a uma interjeição de conformação); apeá (descer); morfioso (serve para ofender ou agradar); nem num vô (certo que irei); cabrero (desconfiado); matar o bicho (tomar uma bebida alcoólica); sabeime lá (expressão de dúvida); doquequeade (impossível); doquequeavede ( impossível) ; inté ta bão (até que está bom) ; um mé de muié ( mulher bonita); etc. • catinga (mau cheiro ); cucuia (tombo ); jururú ( triste, bravo ); nhenhenhém (falante ); pacova ( banana ); peteca (bater de mão aberta ); pixaim ( cabelo crespo, ruim ), etc – palavras adaptadas da língua tupi-guarani.

Aqui, também, foi muito forte a influência gaúcha (no modo de falar), passada naturalmente pelos tropeiros sulistas que vinham comercializar muares no oeste paulista e que costumavam pernoitar no Rio Feio. O bairro era ponto de pouso quase que obrigatório. Então, era comum ouvir palavras e expressões típicas dos gaúchos, incorporadas com o tempo na nossa “fala”, até há pouco tempo, como: entanguido, gurí, barbaridade, bulha, trelento, bicharedo, cancha, bruaca, que esperança, ché, pingo, tá loco, etc. Depois, tivemos a influência das línguas dos imigrantes (predominantemente o português e o italiano), com palavras e expressões facilmente assimiladas. Com o passar do tempo, conseqüentemente, a linguagem oral dos porangabenses tornou-se muito diferenciada em relação aos nossos vizinhos, mais ou menos cantada, com o “erre” menos carregado. Muitos conterrâneos ainda, hoje, chegam a ser confundidos com os gaúchos pela forma de falar. Existiram, também, antigamente, células rurais segregadas, como a do bairro da Serrinha, onde famílias, descendentes de caboclos, negros e mamelucos, viveram durante muitos anos em total isolamento. Ainda hoje podem ser observados sinais desse linguajar diferenciado, ali antes falado e de difícil entendimento, com entonações próprias, características, que dão ao “j”, “ch”, “tcha”, “tchu”, etc., embora já estejam sumindo pela integração e, principalmente, pela morte dos moradores mais idosos. A propósito, além de curiosa, é importante a investigação lingüística feita por Heitor Megale, professor de filologia e da língua portuguesa da USP, conforme publicação do jornalista Reinaldo José Lopes no jornal Folha de São Paulo – Caderno Mais, de 10/03/02: “A língua dos bandeirantes” - Ao contrário do que mostram as pesquisas mais recentes, a língua dos “paulistas”, como era chamada nos documentos da época, não era só a forma adaptada do tupi-guarani, conhecida como “língua geral”, mas uma versão arcaica do português, redescoberta entre os seus descendentes por um grupo de pesquisadores que percorreu seu antigo território durante quatro anos. Traços arcaicos ficaram no idioma dos bandeirantes e de seus descendentes. É difícil afirmar algo sobre o português do século 17 (trazido pelas expedições paulista), mesmo porque nunca foi feita uma descrição exaustiva dele, diz Megale. “Mas dá para perceber que ele é extremamente conservador, muitas vezes medieval, próximo do galegoportuguês ( do século 13 ao 15)”. Esse conservadorismo do português bandeirante se reflete em palavra como “mensonha” (mentira), usada por Gil Vicente (teatrólogo do século 15), ou “mentireiro” em vez de mentiroso. “Mamparra” para alguns entrevistados pelo projeto quer dizer “fingimento”, enquanto as variantes fonéticas arcaicas de palavras comuns, como pessuir (possuir), fruito (fruto) e “frol”( flor), enchem fitas gravadas. ... Perto de Cuiabá, uma pronúncia sabidamente ligada ao português do século 17 permaneceu: “tchapéu”, “tchuva”. (Lembramos que era assim que falavam alguns moradores antigos do bairro da Serrinha!). ... E o “r” caipira arrastado pode ser também a única marca deixada na fonética do português do Brasil por influência indígena”. Concluindo, observamos que estudos recentes sinalizam que a língua portuguesa, tanto na cidade como no campo, tende a se uniformizar pelo extraordinário desenvolvimento das telecomunicações, pelo advento do rádio e da televisão como fatores decisivos na mudança dos usos, costumes, alteração da fala, etc., na rota inevitável da massificação, globalização ou pasteurização da línguagem.

SAÚDE É IMPORTANTE SABER Cobreiro ou Cobrelo Descrição É uma infecção aguda e autolimitada, produzida pela ativação do vírus Herpes zoster, até esse momento latente, que ataca as raízes posteriores dos nervos espinhais (sensitivos) e sua área de inervação. O cobreiro produz dor nevrálgica ao longo desse nervo e uma erupção cutânea na região afetada. Causas O cobreiro é causado pelo mesmo vírus da catapora. Depois de ocorrida a catapora, o vírus permanece em estado latente ou inativo, até o seu reaparecimento muitos anos depois. Não são conhecidos os motivos da reativação. Geralmente ocorre um surto só, sem recidivas. Sintomas O vírus latente fica localizado em algum dos nervos que provém da medula. Quando ocorre a reativação, estende-se ao longo do nervo, produzindo dor e sensação de ardência. A erupção típica aparece dois ou três dias depois de o vírus chegar à pele. A erupção começa com manchas vermelhas com pequenas vesículas ou bolhas. Três ou cinco dias depois, as bolhas se rompem formando úlceras, que vão secar e formar crostas que escamam duas ou três semanas depois. Pode ocorrer inflamação dos gânglios linfáticos da região. As lesões somente aparecem na área inervada por um nervo espinhal e, por conseguinte, são unilaterais, afetando principalmente o tórax, o pescoço e a face e, mais raramente, a genitália e as coxas. Quando o vírus afeta o nervo trigêmeo, cujos ramos inervam a face, podem aparecer lesões na boca ou em um dos olhos. O acometi-

mento do nervo facial pode ativar a síndrome de Ramsay Hunt, que abrange paralisia facial, perda da audição e do paladar. Em certos casos, a dor causada pelas lesões permanece depois da cura. Essa nevralgia pós-herpética pode ser severa e, inclusive, causar incapacidade em pessoas idosas. Diagnósticos Depende da aparência da erupção e dos antecedentes de catapora. Geralmente não é necessário realizar exames laboratoriais, mas podem ser obtidas amostras das lesões para realizar uma cultura viral. Tratamentos O tratamento do cobreiro geralmente é sintomático: o seu objetivo é aliviar os sintomas durante o desenvolvimento do ciclo da doença. A prednisona pode ser utilizada para reduzir a inflamação, mas apresenta a desvantagem de interferir na resposta imune do organismo. Também é possível ministrar um antiviral, que pode diminuir a duração da infecção e reduzir os sintomas e complicações em pacientes idosos ou com imunossupressão. Os analgésicos e os antihistamínico podem aliviar a dor e a coceira, respectivamente. As pessoas acometidas pelo cobreiro geralmente procuram remédios caseiros: panos molhados em água fria para reduzir a dor, banhos de aveia, de amido ou loção de calamina contra a ardência e a coceira. Durante o período de supuração das bolhas, devem ser adotadas precauções com os lençóis e outros objetos de uso pessoal: devem ser lavados com água fervendo para evitar o contágio.

Foto Fábio Fatori – Fato Rural

CETESB diz que local cedido para construção do Fórum invade área de proteção permanente Depois de praticamente consolidada a doação de uma área localizada no condomínio Colina Verde para a construção de um novo Fórum em Porangaba, a prefeitura, através de ofício, comunicou à direção daquela entidade não ser mais possível a doação daquela área. O motivo para essa revogação foi que o departamento jurídico da municipalidade analisou o projeto de implantação daquele condomínio e ficou em dúvida se a área a ser doada seria de proteção permanente ou não. Ao ser co n s u l ta da a CETESB, confirmou que o

terreno em questão realmente tem parte em área de proteção permanente e que ali não pode haver edificação. Nos fundos do terreno existe um corrego intermitente e um lago Diante dessa decisão a municipalidade, reafirmando seu compromisso inicial com o poder Judiciário, esta locando outra área, pública ou particular, para que o projeto de construção do Fórum se torne realidade. Segundo informações da assessoria do prefeito “algumas áreas já estão sendo analisadas pelo departamento de engenharia”.


Página 04 - Folha da Cidade

Porangaba, 28 de outubro de 2013

Evereste foi o campeão do Futsal

Câmara autoriza prefeitura comprar terreno Na sessão ordinária realizada no dia 15 deste mês, a Câmara de Vereadores aprovou, por unanimidade, o projeto de lei que autoriza o poder executivo municipal a comprar uma área de 9.800m2, no bairro dos Nunes. Na área que fica anexa a outra já pertencente ao município o prefeito João Francisco pretende criar um pólo educacional onde funcionarão uma escola de ensino fundamental (EMEF), eu uma escola de educação Infantil EMEI e a cozinha piloto.

O terreno esta sendo comprado com recursos próprios e custará 240 mil reais ao erário público, As tratativas junto ao governo federal já estão adiantadas e recursos na ordem de quatro milhões e quinhentos mil reais deverão ser repassados para realização dessas obras. Na área anexa será construída uma creche, com verba do Governo do Estado, através da Secretaria da Educação, cujo convênio já foi celebrado

Câmara Municipal de Porangaba

O campeonato Municipal de Futsal promovido pela secretaria municipal de esportes de Porangaba foi encerrado com muito brilho. A última e decisiva rodada aconteceu na noite de sexta-feira, 18, no ginásio de esportes Robertinho. O primeiro jogo que definiu o 3º e 4º colocados, foi vencido pelo Bambala por 3 tentos a favor e dois do Hipinoia. Um grande público compareceu ao ginásio para assistir a partida que definiria o campeão. O favorito Quebra-Gelo

entrou na quadra com seus melhores jogadores e, o rival Evereste, com um plantel mais humilde, apostou na garra e disciplina tática para parar o time do adversário. E assim, jogando sério e com marcação forte, o Evereste sapecou 3 gols no Quebra-gelo que não encontrava o caminho do gol. No final o Quebra gelo fez o seu primeiro mas já não tinha mais fôlego para virar o jogo e o placar de 3 a 1 fez jus ao melhor futebol apresentado pelo Evereste que, depois do apito final, comemorou mui-

to o título de campeão. Durante o campeonato foram marcados 166 gols e o artilheiro foi Rafael Melo do Evereste, com 13 gols. O goleiro que menos tomou gol foi o Ian Diniz, que foi buscar a bola no fundo da rede apenas 7 vezes. O prefeito em exercício, João Carlos Kal, e os vereadores Bruno Dentista, Wendell Ribeiro e Robson compareceram ao evento e

entregaram medalhas e troféus aos três primeiros colocados. O campeonato teve o patrocínio do Auto Posto Débora, Valéria Auto Peças, Auto Posto Nova Porangaba e Reinaldo Transportes. A divulgação ficou por conta da FM Porangaba e Jornal Folha da Cidade. Elias Marques, Donizete (Done) e Zé Ricardo foram os organizadores.

EDITAL DE CITAÇÃO DE RÉU(s) EM LUGAR INCERTO E NÃO SABIDO, DE TERCEIROS E DE EVENTUAIS INTERESSADOS, INCLUINDO-SE ALIENANTES E CONDÔMINOS, COM PRAZO DE 30 DIAS, NA AÇÃO DE USUCAPIÃO, PROC. 000334697.2006.8.26.0470, requerida por ANTONIO ANTULINI SOARES e sua mulher CONCEIÇÃO DE MOURA SOARES, no Juízo de Direito da comarca de Porangaba – SP. A Drª. Ana Lucia Granziol, Juíza de Direito, na forma da lei, FAZ SABER aos que o presente edital virem, dele conhecimento tiverem e interessar possam, que neste Juízo e Ofício Cível se processa a ação de usucapião citada, cujo objeto é uma área de 65.632,906 m2, ou 6,5633ha., ou 2,7121 alqueires paulista, e um perímetro de 1.361,644m, situada no Bairro da Serrinha, zona rural do município de PORANGABA - SP, e que se divide: com a Estrada Municipal PGA - 124; com José Carlos de Moura. José Vieira da Silva; com Apparecida Antunes Alfredo; com Aureliano Martins de Almeida; com Lucio José Soares; e com Benedito Antulini Soares. Os autores adquiriram por doação à Alcides Soares e Maria Francisca Antulini Soares, juntamente com 08 irmãos, 12 partes ideais de imóveis rurais, cuja escritura não foi passível de registro na tábua registrária, porquanto todos os títulos são incompletos e imperfeitos, impassíveis de registros; Que possuem a posse mansa, pacífica e contínua, e sem qualquer espécie de molestação, há mais de vinte anos, por si e por seus antecessores, sobredito imóvel, exercendo com “animus domini”. valendo-se da usucapião para confirmar a propriedade e reconhecer o domínio da citada gleba. Pelo presente edital ficam CITADOS, para a ação, os réus, terceiros, interessados, alienantes e condôminos, para que, no prazo de 30 dias edital, contestem, querendo, a demanda, acompanhando o feito até final decisão, sob pena de revelia, cf. dispõe o artigo 285 do CPC. Dado e passado na comarca de Porangaba, em 16 de outubro de 2.013. ( a. ) Ana Lúcia Granziol, Juíza de Direito.

Rene - Chaveiro/Carimbos Manutenção de Roçadeiras

Chaves automotivas e residenciais - Conserto de fechaduras e troca de segredos

Fone: 15 - 32571660 - 97098750 e-mail: renechaveiro@yahoo.com.br

Foto ilustração

Em virtude da publicação do Edital de Vencimento da Câmara de Porangaba - 2012, na edição de 31 de janeiro de 2013 do jornal Folha Regional, o qual trazia erros de digitalização dos valores, faz-se novamente a publicação do presente Edital com as devidas correções, conforme normativa do Auditor do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo.


Página 05 - Folha da Cidade

Turismo Roteiros do Brasil e do Mundo By Vânia Muniz

Copa Verde: Oportunidade de negócio com a Copa Em Seridó (RN), o Arranjo Produtivo Local (APL) da Bonelaria, projeto gerido pelo Sebrae/RN, viu na Copa de 2014 uma oportunidade para ampliar seus negócios junto a grandes compradores patrocinadores do evento da Fifa (ex.: Coca-Cola, Oi e Mac Donald). Identificaram que poderiam aproveitar um nicho de mercado: o de bonés ecologicamente corretos. Com isso, criaram um boné específico para este público: o

tecido é de algodão natural (orgânico); o plástico usado na aba e outras partes é reciclável; aplicaram tecnologia de proteção contra raios ultravioleta; e as linhas não têm corantes artificiais. Os bonés ecológicos serão vendidos para turistas nas 12 cidades-sedes durante o mundial. Será um produto diferenciado fabricado, inicialmente, em quantidade limitada, para ser vendido a um preço diferenciado e com foco na sustentabilidade.

Porangaba, 28 de outubro de 2013

De Foro Distrital, depois Comarca, 25 anos se passaram Ao resgatar as primeiras decisões tomadas para a criação e instalação do Foro Distrital de Porangaba e que, depois, evoluiu para Comarca, constatamos que a movimentação inicial das autoridades locais começou há 25 anos. Não foi uma conquista única, pessoal e o mérito deve ser partilhado igualmente entre os prefeitos envolvidos. Os primeiros passos foram dados em 1987, quando os prefeitos de Porangaba, Guareí e Bofete se reuniram com o Presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo. No início, o enfoque principal era saber em que cidade seria instalado e, então, Porangaba saiu na frente ao comprar o prédio do antigo Cine Santo Agostinho, na zona central, que foi oferecido para as instalações. O fator localização também deve ter influenciado na escolha da cidade. Portanto, foi criado em 1988 e instalado

em 1991. É importante acrescentar que, em se tratando de uma pequeno município, existiram divergências políticas, envolvendo alas antagônicas, alguns munícipes e os próprios governantes, quanto à criação ou a simples subordinação do município à Comarca de Conchas, o que evitaria despesas e a criação. Era a ingerência política negativa que sempre desqualificou e prejudicou as reivindicações de nosso município, mas, felizmente, numa reunião pública realizada com as pessoas envolvidas, no antigo Clube Recreativo XXI de Abril, foi encontrada a solução. Destacou-se, então, a intervenção do prefeito municipal de Porangaba sr. Francisco Alves do Reis – que mandou um projeto à Câmara Municipal dispondo sobre autorização de instalação do Foro no prédio indicado. Foi uma grande conquista.

Comarca de Porangaba A Comarca de Porangaba pertence à 22ª Circunscrição Judiciária. Foi criada como FORO DISTRITAL, classificada em 1ª entrância, pela Lei nº 6166, de 29/06/88 (art. 1º, inciso XXXII); tendo sido instalada em 24/01/1991. Pela Lei Complementar nº 980,

de 21/12/2005 (art. 4º, inciso CLXXXIV), foi reclassificada para entrância inicial. Pela Lei Complementar nº 991/06, de 29/03/2006 (art. 1º, inciso III), o Foro Distrital de Porangaba foi elevado à categoria de COMARCA, de entrância inicial; tendo sido instalada em 21/07/2006.

Fórum Distrital de Porangaba Fórum Distrital de Porangaba Funcionou até meados de 2006, durante 15 anos, o Foro

APAE DE Porangaba divulga seus eventos Dia 02.11.2013 - sábado - a partir das 14 horas 3º LEILÃO BENEFICENTE DE ANIMAIS, NO CENTRO DE EVENTOS VILLA CASTELO, RODOVIA FRANCISCO DE ALMEIDA - KM 2 – BAIRRO DOS LOPES (AO LADO DA BALANÇA MUNICIPAL). Serão leiloados cerca de 65 lotes de animais, sendo: 15 touros nelores PO, doação de criadores de todo Estado de São Paulo; 7 Gir Leiteiro/ gado Guzerá e Brahman; bezerros de corte; novilhas cuha leiteira; Uma Búfala; Carneiros PO Santa Inês; Cavalos e Jumentos.

DIA 03.11.2013 - domingo - a partir das 13 horas GRANDE SHOW DE PRÊMIOS BENEFICENTE, NO CENTRO DE EVENTOS VILLA CASTELO RODOVIA FRANCISCO DE ALMEIDA – KM 2 – BAIRRO DOS LOPES (AO LADO DA BALANÇA MUNICIPAL). PARTICIPE E CONCORRA AOS SEGUINTES PRÊMIOS 1º RODADA - PRÊMIO - R$ 500,00 (QUINHENTOS REAIS). 2º RODADA - PRÊMIO - R$ 1.000,00 (HUM MIL REAIS)

3º RODADA - PRÊMIO R$ 2.000,00 (DOIS MIL REAIS) 4º RODADA - PRÊMIO – 1 MOTO “0” KM 5º RODADA - PRÊMIO –

1 MOTO “0” KM ADQUIRA LOGO A SUA CARTELA E VENHA PARTICIPAR CONOSCO.

fone - 15 - 3257-1177

Distrital de Porangaba, no prédio localizado à rua Braz Gica da Paz, 193. Subordinado à Comarca de Tatuí, atendeu também as causas cíveis dos municípios de Guareí e Torre de Pedra. O Foro Distrital de Porangaba (3ª. Vara da Comarca de Tatuí) foi instalado em 24/01/1991 pelo desembargador Aniceto Lopes e Aliende, DD. Presidente do Egrégio Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, na gestão do prefeito Domingos Diniz Vaz. O primeiro juiz de direito de Porangaba foi o dr. Regis Rodrigues Bonvicino.

Foro da Comarca de Porangaba Através do Projeto de Lei Complementar de nº 10/2005 que tratou da Reorganização do Judiciário ( aprovado pela Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo em 30 de novembro de 2005), Porangaba ganhou a sua COMARCA, como Entrância Inicial.

Opinião

Por Luiz Carlos Amorim – Escritor – Http:// luizcarlosamorim.blogspot.com

LER PARA CRIANÇAS Não é muito comum vermos publicidade honesta, na televisão, mas vi uma que me agradou, hoje, na TV aberta, se não me engano: “Leia para uma criança, isso muda o mundo.” Pois então não é verdade? Numa outra crônica para o Dia da Criança, eu conclamava, esta semana, os pais, avós, tios, padrinhos e madrinhas, a darem livros de presentes para suas crianças, além do brinquedo. E que lessem para aquelas que ainda não sabem ler, pois é só assim, colocando os livros nas mãos e diante dos olhos das crianças desde a mais tenra idade, que podemos ajudar a incutir o gosto pela leitura. Então vejo essa propaganda na televisão e não posso deixar de falar sobre ela. Ler para as nossas crianças pode mudar o mundo, sim, pois se elas crescerem com livros a sua volta, será mais muito mais fácil para elas estudarem. E se forem bons estudantes, terão melhor qualificação para o mercado de trabalho e, consequentemente, te-

rão um padrão de vida melhor. E se tivermos, no futuro, mais pessoas esclarecidas, com boa educação, nossos governantes, empresários, etc. serão melhores do que os que temos hoje, o que pode significar que teremos países melhores, políticos melhores, quem sabe, uma vida melhor. De maneira que aproveito para convidar a todos que passem a ler mais para suas crianças. Pode ser a fábula, daquelas que conhecemos há várias gerações, pode ser gibi, pode ser a nossa boa literatura infanto-juvenil. Mas leiam, leiam muito, leiam sempre. Isso aproxima a família e melhora o desenvolvimento da criança. Ter o hábito da leitura é descobrir o mundo. Se soubermos ler bons livros, saberemos ler o mundo. E, como já disse Affonso Romano de Santana, saber ler o mundo é primordial para cada um de nós e para o resto do mundo.

Notícia publicada no Jornal Integração, edição nº 1394, de 11/12/2005: Reorganização do Judiciário A Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo aprovou no último dia 30 de novembro o Projeto de Lei Complementar de nº 10/2005, que reclassificou Cargos e Comarcas do Poder Judiciário Paulista. Na reestruturação, as entrâncias foram divididas em Entrância Inicial, Entrância Intermediária e Entrância Final. Tatuí passou à categoria de Entrância Intermediária. Algumas novidades vieram na reestruturação, como a criação da Vara Distrital de Cesário Lange e da Vara Distrital de Guareí, ambas classificadas como Entrância Inicial e vinculadas à Comarca de Tatuí, mas Porangaba ganhou a sua Comarca que foi classificada como Entrância Inicial. A nova Comarca deverá assumir a Vara Distrital de Bofete, pois esta se desanexará da Comarca de Conchas. A Comarca de Porangaba foi instalada, oficialmente, no dia 21/06/2006, pelo Dr. Celso Luiz Limongi, Presidente do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.( foto ). A conquista de importância relevante ao município ocorreu na gestão do prefeito Benedito Machado Neto, sendo a concretização de um dos maiores anseios das autoridades locais. Estão vinculados à nova Comarca de Porangaba os municípios de Guareí e Torre de Pedra, desligados da Comarca de Tatuí e, também, Bofete que se separou da Comarca de Conchas. Em 12/09/ 2011, o desembargador José Manoel Ribeiro de Paula, coordenador da 22ª. Circunscrição Judiciária, representando o Presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, instalou o Juizado Especial Cível e Criminal do Fórum da Comarca de Porangaba. A Comarca de Porangaba faz parte da 22ª. Circunscrição Judiciária, que compreende os municípios de Itapetininga ( sede ),Guapiara, Ribeirão Grande, Capão Bonito, São Miguel Arcanjo, Campina do Monte Alegre, Angatuba, Alambari, Sarapuí, Capela do Alto, Tatuí, Guareí, Torre de Pedra, Quadra e Cesário Lange. Fonte: Comunicação Social TJSP-AM.


Página 6

Folha da Cidade

Porangaba, 28 de outubro de 2013

F la g r a n t e s

A família marcelino e amigos reunidos numa chácara em Itapetininga para comemorar mais um aniversário da Professora Isabel. Parabéns e felicidades! I

O grupo da Terceira Idade de Porangaba, participou dos Jogos Regionais do Idoso (JORI), em Cerquilho. O importante é competir!

Parabéns Porangaba Momentos da premiação na final do campeonato municipal de futsal. O Evereste (camiseta azul) foi o campeão. O quebra gelo (camisa vermelha) é o vice-campeão.

Cantina Dom Dado Disque Pizza 15 - 32571599

Tudo em Colchão Box + Base 6 vezes

R$ 790,00 à vista ou 6 de R$ 145,00

Preparativos para a festa que surpreendeu a todos

Padaria S ã o J u d a s Ta d e u

* Ambiente reformado! * Mais conforto! * O melhor atendimento!

Filmes de PVC - Encolhivel, Alimentício e Skin Filme Rigido - Filme Stretch/Paletização Filmes Poliolefínicos - Maquinas para Embalagem Aplicadores Manuais para Stretch

Aceitamos encomendas

(15) 3257-6395 Rua 4 de junho, 337 - Porangaba - SP

Edição 207  

Edição 207 - Folha da Cidade Porangaba

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you