Page 1

quinta-feira

17 de maio de 2018 São Francisco do Sul • Ano 6 • Edição 217 • GRÁTIS

www.folhababitonga.com.br

NA CONTA DOS ESTUDANTES

Subsídio do transporte universitário ainda não foi pago pela Prefeitura de São Francisco do Sul

99118.0540 99964.9362

página 4

!

São Francisco Futsal enfrenta o Joaçaba nesta quinta-feira página 5 Alex Sander Magdyel

Moradores reclamam das condições da estrada geral da Ribeira página 7

NOVO CURSO NO IFC Instituto Federal Catarinense realiza audiência pública sobre o novo curso de Engenharia Elétrica nesta quinta-feira página 3

Programa de Atenção Especializada

Não permita que a exceção se torne uma rotina! Rua Marechal Deodoro 156 | São Francisco do Sul-SC 47 3471-1950 | www.ogmo-sfs.com.br | fb/ogmosfs


quinta-feira, 17 de maio de 2018

Travessia

Editorial

Lancha São Francisco do Sul (Centro Histórico) – Vila da Glória Segunda a Sexta Origem: Vila da Glória Destino: São Francisco Horários: 7h - 9h30 - 12h - 14h - 17h15

Serviço público

O

jornalismo, além de informar com qualidade, tem como papel transformar a sociedade. Os jornalistas mais otimistas acreditam que podem mudar o mundo. Ou pelo menos mudar o de algumas pessoas. Defender o cidadão, fiscalizar o poder público e fortalecer a democracia são algumas das finalidades do jornalismo. É essa a proposta do jornal Folha Babitonga ao publicar reportagens de interesse público, denunciando irregularidades na cidade, dando espaço aos movimentos sociais, sindicatos e associações de moradores, fiscalizando os governantes e cobrando melhorias para a população de São Francisco do Sul. Nas últimas semanas, recebemos uma série de denúncias de leitores que viram no jornal Folha Babitonga uma oportunidade para serem ouvidos. Algumas destas denúncias já podem ser conferidas nesta edição. Moradores nos procuraram para falar sobre as condições da estrada geral da Ribeira e estudantes pediram que ajudássemos a cobrar uma solução para o atraso no repasse do subsídio do transporte universitário. Como bem disse o jornalista Alberto Dines, “jornalismo é serviço público, não espetáculo”. Mas não podemos negar que há espaço sim para as pautas consideradas positivas. Boas iniciativas na área da educação, projetos sociais e demonstrações de solidariedade são bem-vindos. Serviços de saúde também estão na nossa pauta. Entendemos que o jornalismo deve ser feito com e para a comunidade francisquense. Acreditamos num jornalismo pautado na defesa dos direitos humanos e da democracia. Este jornalismo só está sendo feito com a participação fundamental dos diferentes setores da sociedade. Conte conosco.

Origem: São Francisco Destino: Vila da Glória Horários: 7h30 - 11h30 - 12h30 -16h30 - 18h15 Sábado Origem: Vila da Glória Destino: São Francisco Horários: 7h - 17h Origem: São Francisco Destino: Vila da Glória Horários: 7h30 - 17h30 Domingos e Feriados Origem: Vila da Glória Destino: São Francisco Horários: 7h - 17h Origem: São Francisco Destino: Vila da Glória Horários: 7h30 - 17h30 Mais informações pelo telefone (47) 3449-5105 ou pelo site www.gloriatur.com

Aos Domingos e Feriados as viagens são contínuas. Mais Informações pelo telefone (47) 3473-1223 ou pelo site www.andreis.com.br/localizacao.htm

Previsão do tempo amanhã

sábado

18º 26º mIN. MÁX.

17º 26º mIN. MÁX.

12º 24º mIN. MÁX.

Nebulosidade variável e chuva isolada

Sol com chuva no início e final do dia

Chuva, melhorando no decorrer do dia

Fonte: Epagri/sc

hoje29

16h51 20h38

0.5 m 1.3 m

14h04 17h58

17h49 21h47

sexta-feira TARDE manhã

0.5 m 1.3 m

ALTURA HORÁRIO 0.5 m 6h06 1.1 m 9h21

0.6 m 1.7 m

ALTURA HORÁRIO 0.7 m 3h04 0.3 m 9h51

terça-feira TARDE manhã

ALTURA HORÁRIO 0.6 m 5h15 0.5 m 11h43

quinta-feira TARDE manhã

domingo TARDE manhã

Tábua de maré

ALTURA HORÁRIO 1.4 m 5h02 0.1 m 9h

segunda-feira TARDE manhã

ming. 7/5 nova: 15/5 cresc: 22/5 cheia: 29/5

ALTURA HORÁRIO 0.5 m 6h51 10h17 1.2 m

0.5 m 1.6 m

0.7 m 0.5 m

15h 18h49

15h54 18h49

sábado TARDE manhã

Aluguel de sobrado anual em Ubatuba: R$ 1000,00 Dois quartos, uma suíte, churrasqueira, garagem e lavanderia. Tratar com proprietários: (47) 99917-4517. ALTURA HORÁRIO 0.7 m 4h17 0.4 m 10h43

quarta-feira TARDE manhã

2

ALTURA HORÁRIO 0.6 m 7h15 11h09 1.3 m

0.5 m 1.5 m

0.6 m 0.5 m

CNPJ: 23.321.911/0001-16

Saída do Saída de Estaleiro (VG) Laranjeiras (SFS) 7h 8h 9h 10h 11h 12h 13h 14h 15h 16h 17h30 18h30 Vigorelli (Joinville) Vila da Glória Segunda a Sábado Saída do Saída do Vigorelli Gibraltar 6h 6h20 6h30 7h 7h30 8h 8h35 8h50 9h 9h30 10h 10h30 11h 11h30 12h 12h15 12h30 13h 13h15 13h45 14h 14h30 15h 15h30 16h 16h30 17h 17h30 18h 18h30 19h 19h20 19h45 20h 20h20 20h40 21h20 21h40

charge por fritz art

15h54 19h39

15h06 19h51

• Redação: contato@folhababitonga.com.br • Impressão: Gráfica Itapema • Distribuição: São Francisco do Sul • Endereço: Rua Dom Fernando Trejo Y Sanabria, S/Nº - Sala 10 - Centro - São Francisco do Sul são francisco do sul

São Francisco do Sul Vila da Glória Segunda a Domingo e Feriados

www.folhababitonga.com.br

Direção-Geral: Nilson Antonio Comercial: Nilson Antonio (99636 5446) / Guilherme Krüger (98434-1360) * Os artigos publicados com assinaturas no Folha Babitonga são de responsabilidade exclusiva dos autores.

Curta nossa fanpage: facebook.com/folhababitonga


quinta-feira, 17 de maio de 2018

3

IFC terá Engenharia Elétrica Curso superior será oferecido a partir do primeiro semestre de 2019 em São Francisco do Sul Educação Alex Sander Magdyel

O

Instituto Federal Catarinense (IFC) vai oferecer, em São Francisco do Sul, o Curso Superior de Bacharelado em Engenharia Elétrica. O curso é gratuito e tem duração mínima de 10 semestres. Serão 40 vagas por ano e os alunos serão selecionados, prioritariamente, por meio do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A primeira turma inicia as aulas no primeiro semestre de 2019. Haverá audiência pública sobre o curso nesta quinta-feira (17). Uma análise de demanda local e regional foi feita antes da criação do curso, explica o professor Lucas Knebel Centenaro. “O local e a região possuem certa deficiência relacionada a este tipo de formação”, afirma o professor, que coordenará o curso de Engenharia Elétrica. “O engenheiro pode se formar no IFC de

São Francisco do Sul e atuar no âmbito brasileiro. Até porque a deficiência dessa formação de engenheiro eletricista é muito grande”, destaca. O engenheiro eletricista, explica o coordenador, pode atuar nas áreas de sistema de potência, eletrotécnica, eletrônica e microeletrônica, instrumentação e certificação. “Dá pra se dizer também que cerca de 80 a 90% dos formados em Engenharia Elétrica assumem cargos relacionados à administração de empresas. Eles têm todo um know-how associado à parte de gestão e administração de empresas”, explica Lucas. Não haverá, ao menos por enquanto, contratação de novos professores. A contratação nos institutos federais está suspensa, mas o corpo docente do campus de São Francisco é suficiente para o novo curso, garante o coordenador. O curso de Engenharia Elétrica tem como inspiração os cursos oferecidos em Santa Catarina, nos institutos de Videira e Blumenau.

O coordenador do curso garante que a estrutura para receber os novos estudantes já existe. Há um laboratório de eletrônica e um de informática industrial. Um laboratório de instalações elétricas industriais também está sendo montando no campus. Lucas lembra que cartas de apoio ao curso foram enviadas por empresas da região e pela prefeitura e que cerca de 300 alunos já demonstraram interesse por meio de uma consulta pública feita na internet. O professor reforça que o curso é gratuito e que pode contribuir com a situação socioeconômica da cidade. Os estudantes que querem cursar Engenharia Elétrica no IFC têm até sextafeira (18) para inscrever-se no Enem. Se as 40 vagas não forem preenchidas pelo Enem – o que é pouco provável, diz o coordenador -, haverá seleção por meio da análise de histórico escolar. O curso prevê 3.700 horas e estágio obrigatório. Lucas garante que as empresas da região

vão acolher os estudantes, mas não descarta a possibilidade de cumprimento do estágio em outras cidades. O curso, explica Centenaro, cumpre uma das recomendações dos institutos federais, que é a de oferecer a verticalização do ensino, ou seja, dar a possibilidade ao aluno de fazer um curso superior dentro da área em que já estuda. Neste caso, os estudantes que fazem o curso técnico em automação industrial no IFC de São Francisco do Sul podem tentar uma vaga e seguir na área com o curso superior de engenharia elétrica.

Curso é gratuito e alunos são selecionados por meio do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ou pela análise de histórico escolar.

fotos Alex Sander Magdyel

Professores Ubiratan Ramos, Lucas Centenaro e Vitor Moraes se preparam para o novo curso

Cerca de 80 a 90% dos formados em Engenharia Elétrica assumem cargos relacionados à administração de empresas. Eles têm todo um know-how associado à parte de gestão e administração de empresas. Lucas Centenaro, coordenador do curso

Audiência pública Nesta quinta-feira (17), a partir das 19h30, haverá uma audiência pública sobre o novo curso no auditório do IFC, localizado na rodovia Duque de Caxias, no bairro Iperoba, próximo à Polícia Rodoviária. No encontro, detalhes do novo curso

serão apresentados à comunidade. A audiência pública, explica o coordenador do curso, não é uma obrigatoriedade, mas uma recomendação. Já houve, no ano passado, uma audiência para a criação do curso.


4

quinta-feira, 17 de maio de 2018

Alex Sander Magdyel

Pedido de audiência pública

Estudantes reclamam do atraso da prefeitura

Estudantes sem subsídio do transporte universitário Prefeitura de São Francisco do Sul ainda não pagou os estudantes que têm direito ao benefício Educação Alex Sander Magdyel

O

subsídio do transporte universitário que deveria ser concedido pela Prefeitura de São Francisco do Sul ainda não foi pago aos 204 estudantes que têm direito ao benefício. O auxílio de R$ 114,48 é destinado a universitários que fazem cursos em cidades vizinhas que não são oferecidos em São Francisco do Sul. O prefeito Renato Gama Lobo assumiu a culpa e informou que o pagamento será feito assim que um projeto que regulamenta o novo modelo de repasse for votado na Câmara de Vereadores. Antes, o dinheiro era transferido para a Associação dos Universitários de São Francisco do Sul (AUSFS) e agora deve ser depositado na conta dos estudantes. Com a mudança, a prefeitura disse que quer “democratizar o acesso do benefício aos alunos”. No dia 3, ao ser cobrado no Facebook, o prefeito disse que não havia

lei para repasse direto e que o projeto que regulamenta esta prática demorou a ser votado. “Também devemos assumir nossa culpa, pois por problemas orçamentários, advindos da Secretaria de Finanças, tivemos que enviar um novo projeto de lei”. A prefeitura espera que o projeto seja votado na quinta-feira (17). Quem opta pelo transporte oferecido pela AUSFS paga R$ 500 por mês e têm um desconto de R$ 50 quando faz o pagamento antecipado. O subsídio representa em torno de 25% do valor cobrado. Os estudantes têm outras opções de transporte, como vans que oferecem o serviço. No dia 10 de maio, os estudantes que aguardam seus ônibus em frente à Escola Estadual Claurinice Viera Caldeira reclamaram do atraso. De acordo com os alunos, a prefeitura havia prometido o pagamento para 15 de abril e depois para 10 de maio. “Esse ano virou uma bagunça”, disse uma das estudantes entrevistadas. Laysa Cristine Silva e Alexia Carlins Cabral estudam em Joinville e precisam

do ônibus todos os dias. Elas reclamam do atraso da prefeitura e lembram que muitos estudantes estão desempregados e têm dificuldades para pagar a mensalidade do transporte. Alguns alunos afirmaram que não havia esse problema no ano passado, com o antigo modelo. “Talvez para os alunos o modelo antigo não apresentava problema, mas no entendimento da administração, o modelo antigo limitava a capacidade de escolha e a livre concorrência dos fornecedores de serviço de transporte”, informou a prefeitura. O estudante Mateus Nickel, que faz gestão hospitalar no Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) de Joinville, disse que procurou a Secretaria de Educação várias vezes, mas ninguém havia lhe apresentado uma solução. “Deveria ter alguma reunião, algum esclarecimento da prefeitura. Estou desempregado, estava contando com esse dinheiro”, reclamou. A prefeitura informou que a tem respondido os alunos que procuram esclarecimentos.

Ao justificar-se, o prefeito Renato citou a audiência pública solicitada pelo vereador Christopher Camargo Oliveira. “Perdemos tempo com o pedido de audiência pública feito pelo vereador Christopher Camargo”, disse o prefeito. A audiência foi cancelada após uma reunião com vereadores, representantes da prefeitura e estudantes. O vereador, por sua vez, diz que não pode ser responsabilizado. “Solicitei audiência pública para colocar todo mundo no mesmo lugar e debater o assunto. Se isso é motivo para demorar ou atrasar o processo, sinto muito. Acho que é assim que tem que ser trabalhado. Um vereador não pode ser penalizado pela demora e inoperância do governo municipal”.


quinta-feira, 17 de maio de 2018

5

GloriaTur Agência de Turismo e Transporte

Rua: Vicente Souza Olivera, 312 Acaraí - São Francisco do Sul - SC Fone/Fax:3444 4516 Plantão: 47 9189 9448 | 9241 4110

ESQUADRIAS DE MADEIRA VIDRO TEMPERADO ALUMÍNIO - BOX 47 3442 5956 | 3442 2929 RODOVIA DUQUE DE CAXIAS, 7240 SÃO FRANCISCO DO SUL

SÃO FRANCISCO ENFRENTA O JOAÇABA O São Francisco Futsal enfrenta nesta quinta-feira (17) o time de Joaçaba. O jogo, válido pela quinta rodada do Campeonato Catarinense de Futsal, é disputado no Ginásio de Esportes Waldir Quirino da Luz, na rua Flodoaldo Nóbrega, no bairro São José do Acaraí, a partir das 20h30. Após a derrota para o Concórdia na última rodada, o time francisquense caiu para a quarta colocação da divisão especial do campeonato. O Joaçaca Futsal é o sétimo colocado. Os ingressos para a partida desta quinta-feira custam R$ 10. Sócios têm entrada livre.


6

quinta-feira, 17 de maio de 2018

Sabrina deixa o PPS Militante articula criação do diretório municipal do Podemos Política Alex Sander Magdyel

F

iliada há 14 anos, a militante Sabrina Antunes deixou o PPS de São Francisco do Sul na semana passada. Agora, ela articula a criação do diretório municipal do Podemos, antigo PTN. Sabrina deixou o partido depois que não teve apoio da executiva para assumir a Secretaria de Atendimento ao Cidadão, liderada por seu marido, Dorlei Antunes, que estudava a possibilidade de disputar uma vaga na Assembleia Legislativa. Dorlei, que é o primeiro suplente do PPS na Câmara de Vereadores de São Francisco, acabou desistindo da candidatura a deputado estadual, mas o clima no partido já estava instalado e Sabrina optou por encaminhar sua desfiliação. Ela reclama que a decisão da executiva municipal de não indicar seu nome para a

Secretaria de Atendimento ao Cidadão foi feita de forma antidemocrática e que tinha o apoio dos colegas do partido. “Não tem problema não assumir a secretaria, desde que o partido decida isso democraticamente”, defende Sabrina. “Durante todo esse tempo no PPS, o que mais eu gostava, o que mais me chamava a atenção era a democracia do partido. Depois que o partido ganhou a última campanha com o prefeito, as coisas começaram a tomar outro rumo. Agora, dois ou três decidem”, reclamou. Sabrina também reclama da desigualdade entre homens e mulheres no partido. “Nesse momento, as mulheres não têm vez e nem voz. Só servem pra fazer evento. É justamente contra essa desigualdade que eu luto”. Ela afirma que deve ser a presidente do Podemos em São Francisco do Sul e promete novidades. “Na executiva, a maioria

serão mulheres. Queremos fazer o novo, trazer pessoas novas no partido, sem pessoas carimbadas”, defendeu. O partido deve apoiar a delegada Marilisa Boehm, que é pré-candidata a deputada estadual.

Dorlei fica

Após a saída de sua esposa do partido, Dorlei Antunes afirmou que não pretende deixar o PPS. Ele disse que estava confiante com a possibilidade de disputar uma vaga na Assembleia Legislativa, mas que não queria correr o risco de perder a Secretaria de Atendimento ao Cidadão. Dorlei considera que foi “uma injustiça muito grande” o que fizeram com sua esposa. “Ninguém apoiou ela para assumir a secretaria no meu lugar. Ela se sentiu desvalorizada”. Dorlei é secretário desde maio de 2017, foi vereador entre 2001 e 2008 e vice-prefeito entre 2009 e 2012.

publicações legais

FEIRA DAS NAÇÕES Os alunos da Escola Estadual Engenheiro Annes Gualberto se apresentaram na semana passada no São Francisco Shopping. A tarde de apresentações era um convite para a Feira das Nações, evento realizado nesta quarta-feira (16) na escola. Marcelo Roberto Vieira Braga, diretor do colégio, explica que cada turma ficou responsável por preparar apresentações de um país diferente. Na quarta-feira, além das apresentações artísticas, os estudantes receberam a comunidade com estandes decorados tematicamente e gastronomia típica dos países estudados. Participaram do projeto estudantes do primeiro ao nono ano.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO

Contato dos vereadores Álvaro José Siebers (PPS) Gabinete: 3471-2711 Particular: 9 9181-8062 vereador.alvaro@csfs.sc.gov.br

Edson Eduardo Rita (PP) Gabinete: 3471-2719 Particular: 9 9919-5060 vereador.duca@csfs.sc.gov.br

Odair José de Carvalho (PSD) Gabinete: 3471-2711 Particular: não disponível vereador.odair@csfs.sc.gov.br

Christopher Camargo Oliveira (PMDB) Gabinete: 3471-2712 Particular: 9 9712-9966 vereador.chris-manao@csfs.sc.gov.br

Edson Luiz Duarte (PSD) Gabinete: 3471-2730 Celular: 9 9648-7374 vereador.edinho@csfs.sc.gov.br

Salvador Luiz Gomes (PMDB) Gabinete: 3471-2718 Particular: 9 9652-4803 vereador.salvador@csfs.sc.gov.br

João Carlos de Miranda (PSC) Gabinete: 3471-2714 Particular: 9 9652-4788 vereador.joaomiranda@csfs.sc.gov.br

Wilson Ledoux Batista (PP) Gabinete: 3471-2713 Particular: 9 99158713 vereador.tuta@csfs.sc.gov.br

Dioclésio Izidoro Antunes (PP) Gabinete: 3471-2713 Particular: 9 8428-6204 vereador.dioclesio@csfs.sc.gov.br

A ASSOCIAÇAO DOS PESCADORES DE TAINHA DE REDE DE ARRASTO DA PRAIA DE ENSEADA DE SÃO FRANCISCO DO SUL, cumprindo o estatutariamente disposto no ART 14º § 1º, CONVOCA, todos os sócios, para reunirem-se em Assembléia Geral Ordinária que se realizará no dia 23 de Maio de 2018, às 10:00 horas. (dez horas) em 1ª convocação e em 2ª convocação às 11:00 horas (onze horas) nas dependências do Clube sito ao final da Av. Atlântica bairro Enseada, nesta cidade, para deliberar a Assembleia Geral Ordinária com a seguinte “ORDEM DO DIA”: 1º - APRESENTAÇAO BALANÇO ANUAL DO EXERCICIO 2017 E PARCECER DO CONSELHO FISCAL 2º - ASSUNTOS DIVERSOS. São Francisco do Sul, 15 de maio de 2018. FRANCISCO BUDAL Presidente


quinta-feira, 17 de maio de 2018

Moradores reclamam de estrada danificada Situação da estrada geral da Ribeira incomoda moradores. CMO diz que tem feito reparos

7

Só vejo os empreiteiros levar o lucro daqui e deixar a comunidade abandonada, com lama, sujeira, estrada intransitável, estragando o carro. Nelson Waldir, presidente da associação de moradores fotos Alex Sander Magdyel

geral Alex Sander Magdyel

A

s condições da estrada geral da Ribeira têm incomodado moradores da região. O porta-voz da comunidade, o presidente da Associação de Moradores da Ribeira, Nelson Waldir Feder, é quem puxa as reclamações e cobra melhorias. Ele conta que os caminhões que trafegam ali têm danificado a estrada. Em dias chuvosos, a situação é ainda pior. Em alguns pontos da estrada, os moradores têm dificuldades de transitar com seus carros, como pôde ser constatado no dia 10 de maio. Sabe-se que alguns caminhões são de uma empreiteira contratada pela Construção e Montagem Offshore (CMO), empresa que vai construir um estaleiro em São Francisco do Sul. Há também a denúncia de que outra empresa estaria fazendo a supressão vegetal na região. Os caminhões utilizados por esta empresa também estariam danificando a estrada. Um dos pontos danificados fica bem em frente ao portão do morador Fabiano Antunes Kürten, que reclama que a situação em dias de chuva é ainda mais grave. Outra reclamação dos moradores é em relação ao encanamento, que teria sido danificado pelos caminhões. Antes da chegada da CMO, diz Nelson, a estrada estava em “perfeitas condições”. “Com o peso dos caminhões, eles começaram a destruir a rua. Temos encanamento de água feito e pago pela comunidade e estão estourando toda a tubulação”, reclama Nelson. “Só vejo os empreiteiros levar o lucro daqui e deixar a comunidade abandonada, com lama, sujeira, estrada intransitável, estragando o carro, estragando luz”, desabafa o presidente da associação de moradores, que diz que não se opõe à instalação do estaleiro. A CMO anunciou que deve gerar duas mil vagas de emprego na fase de instalação do estaleiro e mais 2.500 na etapa operacional. No dia 10 de maio, acompanhando da equipe de reportagem da Folha Babitonga, Nelson foi mais uma vez cobrar melhorias dos funcionários que trabalham para a CMO, no portão de entrada do terreno da empresa. Os trabalhadores reconhecem que os trabalhos no local têm gerado transtornos para a comunidade, mas alegam que têm trabalhado para resolver a questão. Vizinho do terreno da CMO, Claudecir do Nascimento diz que a situação é mais complicada quando chove e reconhece que a empresa não tem medido esforços para reparar os danos.

Em dias chuvosos, a situação da estrada é ainda pior. Em alguns pontos, os moradores têm dificuldades para transitar com seus carros, como pôde ser constatado no dia 10 de maio.

Condições da estrada incomodam Fabiano Antunes Kürten (acima) e o presidente da associação de moradores, Nelson Waldir (abaixo). Caminhões entram e saem diariamente do terreno da CMO (direita)

O OUTRO LADO Procurada, a assessora de comunicação da CMO em São Francisco do Sul, Luciane Fachini de Araújo, afirmou que a manutenção na estrada tem sido feita frequentemente. “Sabemos que numa estrada de terra, com caminhões trafegando, não vai ficar perfeita. Ela já é uma estrada que frequentemente tem que fazer manutenção. A gente entende que o tráfego de caminhões gera um transtorno e essa é uma preocupação que tivemos desde o inicio do serviço”, afirma. Luciane diz que a CMO fez reparos na estrada depois das fortes chuvas no início do mês e que os serviços de manutenção continuarão sendo feitos sempre que identificados. Ela explica que a empresa está em fase de construção da estrada de acesso interno e que essa etapa deve ser concluída em uma semana. “Aí não vamos mais ter esse inconveniente”, garante a assessora. Ela diz que o maior movimento registrado foi o de 20

caminhões por dia transitando na estrada. Em nota, a Prefeitura de São Francisco do Sul informou estar ciente dos problemas na estrada e que tem trabalhado em parceria com a CMO para amenizar os efeitos. “A empresa fornece o material e a Secretaria de Obras a mão de obra e maquinário para recuperação. A última manutenção realizada foi na semana passada”, informou a prefeitura. “A empresa tem feito pontualmente essa manutenção por sua conta também, inclusive, mantém um caminhão pipa molhando a rua para não gerar poeira, tanto que não houve reclamação desse tipo até então. O trabalho está em fase final, após quase dois meses de obra e ocorreu essa reclamação somente agora, ao menos que tenha chegado a nós. A chuva é um fator determinante para a situação da rua”, diz a nota. A Prefeitura de São Francisco do Sul não comentou a denúncia de supressão vegetal na região.


8

quinta-feira, 17 de maio de 2018

EstĂŁo chegando

empregos

Folha Babitonga 217  
Folha Babitonga 217  
Advertisement