Issuu on Google+

NO

www.folhanoroeste.com.br

Ano X - Nº 202 1ª quinzena Dezembro 2016

PG. 26 e 27

IMÓVEIS & CLASSIFICADOS Mais de 100 oportunidades de negócios de imóveis

LEOPOLDINA  LAPA  PIRITUBA  FREGUESIA DO Ó  JARAGUÁ  TAIPAS

SAÚDE PG. 10

GASTRONOMIA PG. 20

A+mor Bancos de sangue precisam de reforço extra no fim do ano. Veja se você pode ser um doador

O Melhor do Natal

Foto: Arquivo/Folha Noroeste

Com a família na mesa, três receitas deixarão sua ceia ainda mais gostosa

Empreendedorismo – Pg. 6

Visão de Jogo Em clima de crise, empresários arriscam em novos negócios para conquistar mercado


NO

02

1ª Quinzena de Dezembro 2016

www.folhanoroeste.com.br

EDITORIAL

Confira a matéria na íntegra e fotos exclusivas em nosso portal www.folhanoroeste.com.br

Ronald Gimenez EXPEDIENTE

é jornalista e Editor-executivo da Rádio Trânsito ronald.gimenez@terra.com.br

Diretor responsável

Edson Vieira

Jornalista responsável

Ronald Gimenez – MTB 23.373

REDAÇÃO Editora e redatora

Miriã Arruda Assistentes de Noticiário

Gabriel Cabral e Miriã Arruda Repórteres

Anderson Silva e Cristina Braga

CRIAÇÃO Fotógrafo e Web Designer

Eugênio Pacceli Designer Gráfico

Gabriela Campagnoli Diagramação

Dorival Lopes Júnior

ADMINISTRATIVO/FINANCEIRO

Rosângela Códolo IMPRESSÃO:

S.A. O Estado de São Paulo (Tel: 3856-2424/2401)

Tels: (11) 3904-7081 Comercial: 3902-2747 / 3904-7085 Site: www.folhanoroeste.com.br e-mail: contato@folhanoroeste.com.br Curta nossa página www.facebook.com/folha.noroeste Artigos assinados são de responsabilidade de seus autores.

Só a tragédia aproxima De que forma a tragédia com brasileiros na Colômbia mostra que somos uma sociedade pouco evoluída?

N

os últimos dias, viramos especialistas em aviação comercial, rotas, como se posicionar no avião antes de um impacto e mais um monte de decorrências da maior tragédia do esporte e do jornalismo brasileiro, com a queda da aeronave que levava atletas e outros profissionais para Medellín, na Colômbia. Apoio financeiro, empréstimo de jogadores e até a vaga na Libertadores do próximo ano entraram na pauta. Isso tudo é muito louvável. Foram tantas manifestações de pesar e apoio, que algo passou pela minha cabeça. Por que não somos assim sempre? Porque apenas as tragédias provocam reações em cadeia. Quando eu digo que as pessoas não estão preocupadas em ouvir, mas sim em falar, percebo que essa máxima vale para atitudes mais densas. Estamos loucos da vida com a possível imprudência do piloto do voo da LaMia, que não tinha autonomia de sobra para ir de Santa Cruz de La Sierra até Medellín. Porém, não nos mobilizamos quando vemos um amigo sair de um bar dirigindo após ter consumido álcool. Não ligamos quando um hospital do nordeste registra a morte de vários recém-nascidos por um tipo de infecção. Não nos mobilizamos para ajudar refugiados de países em guerra. A queda do avião que matou 71 pessoas na Colômbia é uma das páginas mais trágicas da história brasileira e as manifestações fo-

Foto: Xinhua/REX/Shutterstock

DEPARTAMENTO COMERCIAL

Ricardo Lobo e Cláudio Nunes

ram incríveis. Mostra que temos um imenso potencial de solidariedade. Mas é nada, diante de uma sociedade que é pouco amistosa nas rotinas da vida. Podemos muito mais. O trânsito mata 110 pessoas por dia; a gripe comum outros cinco; por arma de fogo, mais 105 vítimas. Números que nos acostumamos a ouvir e ser indiferentes. Gostamos

de tragédias grandes. Com elas, abrimos a carteira, manifestamos pesar nas redes sociais e até revemos conceitos. Mas dura pouco e só voltamos a ser solidários no próximo grande desastre. Enquanto isso, vamos continuar achar espantoso que um jogo na Europa tenha um minuto de silêncio, em absoluto silêncio. Reflexo do que somos.


04

www.folhanoroeste.com.br

1ª Quinzena de Dezembro 2016

CONEXÃO NOROESTE – VEREADOR ELISEU GABRIEL

ELISEU GABRIEL E-mail: vereador@eliseugabriel.com.br

Cia Ballet de Cegos

Associação Parque Domitila

Prestigiando a Cia Ballet de Cegos, criada pela bailarina Fernanda Bianchinni, com metodologia pioneira para o ensino da dança e referência mundial por seu valor artístico e inclusivo. Na foto, Eliseu ao lado das bailarinas Geyze, Fernanda e Marina, durante a apresentação do documentário “Olhando pras Estrelas”, que fez parte da 40ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. A Associação Fernanda Bianchini é mantida por meio de doações de pessoas físicas e apresentações motivacionais. Vale a pena conhecer: www.associacaofernandabianchini.org. Mais informações pelo telefone (11) 5084-8542.

ACONTECE

Vereador Eliseu Gabriel participou da comemoração do Jubileu de Ouro da Associação Comunitária Parque Maria Domitila, que, hoje, tem à frente como presidente a Sra. Neide Sagioro (foto). Durante o evento, o vereador participou da entrega das homenagens aos moradores que, nesses 50 anos, se empenharam pelo bairro e ajudaram a consolidar a Associação, dentre eles o Sr. Luiz Peixoto Soares (foto).

Foto: Gabriel CabraL/Folha Noroeste

Terças-feiras de hip hop

ACONTECE

da casa. Quando: nos dias 6, 13 e 20 de dezembro, das 16h às 23h30. Onde: na Casa da Árvore, na Avenida Doutor Felipe Pinel, 305B – Pirituba.

BARRA FUNDA

Nostalgia e novidade Na última sexta-feira, 2/12, quem passou pela Gambiarra - a Festa, que ocorreu na Lapa, foi a cantora Fernanda Abreu. Já nos dias 13 e 14, quem levantará a região é a banda Blitz, comandada pelo cantor e ator Evandro Mesquita. No show, é comemorado o

Está concluída a instalação do corrimão na viela que liga a Avenida do Anastácio à Rua Waltrudes Correa, no Parque São Domingos. Essa é mais uma obra realizada com recursos obtidos pelo vereador Eliseu.

Acompanhe: www.eliseugabriel.com.br | facebook.com/vereadoreliseugabriel

PIRITUBA

A Casa da Árvore, em Pirituba, recebe em três terças-feiras de dezembro eventos que celebrarão o melhor do hip hop da região. Quem dará a letra nas noites será Sandrão RZO e demais convidados especiais. O espaço gastrocultural já se consagrou na região como um dos principais pontos de encontro para quem é apaixonado por hambúrguer, gastronomia e cultura. O bar “good vibes” ainda é uma excelente dica para quem quer comemorar aquele happy hour épico de fim de ano. A entrada é de R$ 10, mais o consumo. Confira horários e dias de funcionamento na página do Facebook

A comunidade pediu e, mais uma vez, o vereador Eliseu conseguiu

lançamento do álbum “Blitz - Aventuras II”. Entre os ritmos, além do clássico pop e rock, a banda mergulha no reggae, samba, blues e mais. Os ingressos custam de R$60 a R$180. Quando: terça e quarta, 13 e 14/12, às 21h30. Onde: Rua Josef Kryss, 318 – Barra Funda.

Informe Publicitário

VEREADOR ELISEU SEMPRE PRESENTE


1ÂŞ Quinzena de Dezembro 2016

www.folhanoroeste.com.br

05


NO

06

www.folhanoroeste.com.br

1ª Quinzena de Dezembro 2016

EMPREENDEDORISMO

por Cristina Braga

Empreendedorismo em tempos de crise: necessidade ou oportunidade?

N

Apesar das previsões sombrias para 2017, investidores confiam em dias melhores Foto: Arquivo/Folha Noroeste

ão há quem não tenha sentido no bolso os efeitos da crise econômica, em 2016. Mais do que nunca, as previsões financeiras para o próximo ano costumam ser avaliadas e o governo já trabalha com taxa de crescimento de apenas 1%. O cenário desfavorável de recessão atual, segundo os economistas, deve começar a sumir no retrovisor em cerca de dois anos. São especulações, mas é partir delas que os empresários retomam a confiança no futuro. O gerenciamento de seu próprio negócio virou uma opção ‘forçada’ para muita gente. A consultora de marketing do Sebrae norte, Carolina Minucci, percebe a mudança de um ano para cá. “Vimos crescer a abertura de MEIs – Microemprendedores Individuais, empresário que fatura anualmente até R$ 60 mil, nas áreas de prestação de serviços ou comércio eletrônico, porque são atividades que não têm grande investimento”, diz. Tornar-se um microempreendedor “faz com que a própria pessoa gerencie seu fluxo e pagamento de impostos”, afirma. Porém, ela adverte que 97% das empresas morrem, independente do que alegam, sempre por falta de planejamento.

Necessidade e vontade

A jovem empreendedora, de 37 anos, Camilla Formagio, acabou de inaugurar um pet shop dentro de um shopping na região noroeste. É o segundo ponto comercial que ela abre, antes, uma loja de acessórios para celular. “O pet shop veio da observação do fluxo de pessoas que pediam uma loja deste tipo, “além disso, gosto muito de animais”, justifica, porém, “tem que ter pé no chão, preparo e reserva financeira”. Camilla projeta uma visão futurista, apostando no crescimento da região e em novos condomínios que serão erguidos na Avenida Raimundo Pereira de Magalhães, em Pirituba: “daqui a quatro ou cinco anos, este bairro estará no auge”. Não é todo mundo que se prepara para a empreitada, avalia o educador financeiro Edward Claudio Jr., muitos empreendedores acabam, por necessidade, abrindo as portas para um ramo que não domina, correndo um risco maior de seu negócio desabar. É fundamental pesquisar sobre o que se pretende abrir e conhecer o local. “Para chegar a um preço justo, tem que buscar informação, capacitar-se e procurar entidades do segmento, além de monitorar os resultados.” Segundo pesquisa do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos – Dieese, a taxa de desemprego para o mês de setembro ficou em 17,5% para o município de São Paulo. Neste contingente

de pessoas sem ocupação, algumas se aventuram em novos negócios, como os aplicativos Uber, regulamentado por decreto, embora muitos motoristas reclamem que seus ganhos foram reduzidos pela grande quantidade de descontos nas viagens. Hoje, as empresas de aplicativos pagam à cidade, atualmente, R$ 0,10 a cada quilômetro rodado. O economista Emílio Alfieri, da Associação Comercial de São Paulo, pondera que, de fato, o brasileiro é criativo: “quem perde o emprego recebe indenização e acaba optando por outra forma de renda”, mas é necessário conhecer a área de gestão. Outra dica preciosa é não misturar o rendimento da empresa com o da pessoa física. “Acredito que, gradualmente, a crise vá perdendo a intensidade e melhorar mesmo daqui a dois anos”.

Visão e oportunidade

Para quem pensa em ter pouco trabalho e resultados mais imediatos, a franquia é a melhor opção, em contrapartida, “tem que gostar da atividade, ter prazer pelo produto ou serviço”. O educador financeiro, Edward Claudio, ressalta sobre negócios da ‘moda’: “lembra-se das paletas mexicanas?” Muitas falharam, é verdade”.

comer por nada, provam e volUm ramo que sempre pola- Tem que ter tam toda semana para se deliciarizou as atenções é o da alimenrem”, analisa. tação. Os food trucks são uma pé no chão, Com a falência de planos alternativa. Vendedor de comida preparo de saúde e a demanda na fila de rua é uma das profissões mais e reserva de espera nos postos do SUS, populares em países em desenconsultórios mais populares volvimento, segundo a descrição financeira.” viram um filão a ser conquisda autora Bianca Chaer, no livro Camilla Formagio tado na prestação de serviços. ‘Comida de Rua, o melhor da A biomédica, Luanna Saraiva, franqueou, baixa gastronomia paulistana’. Os trabalhana Freguesia do Ó, uma clínica médica que dores desse ramo já representam, aproximaoferece consultas e exames de laboratório. damente, 2% da população. O investimento “Tinha vontade de abrir uma clínica e vi pode variar de R$ 50 mil a R$ 70 mil ou cheuma lacuna nos serviços de saúde pública; gar a montantes mais altos, em torno de R$ percebi nesta franquia, modelo testado em 200 mil, dependendo da tecnologia utilizada, Curitiba, oferecer serviços de qualidade das adequações de suspensão e freios para e consultas para população que espera há tolerar o peso da cozinha e os equipamentos meses para ser atendida”. O investimento, instalados, segundo o próprio Sebrae. aqui, neste caso, foi alto: R$ 1 milhão, entre Ainda neste setor, as charmosas hamburequipamento e reforma do prédio. guerias, muitas temáticas, tiveram destaque. Em um mês de atividade, a clínica já atenA jovem administradora Michelle Barduch de entre 20 e 30 pacientes por dia, garantindo e outros três sócios, que já são empresários, a sustentabilidade. “E, já pensamos em exinvestiram R$ 2,3 milhões na filial para a repandir para outro bairro da região noroeste.” gião noroeste. O restaurante que remete a uma Luanna não esperou a crise passar, investiu nave espacial intergaláctica é sucesso na zona num nicho de mercado frágil e que necessita sul da São Paulo. Ela confia que não seja temde pronto atendimento, o verdadeiro encontro poral e que vai passar, “porque os clientes que da necessidade com a oportunidade. amam hambúrguer ‘gourmet’ não deixam de


NO

1ª Quinzena de Dezembro 2016

www.folhanoroeste.com.br

07

Saúde Feliz Natal e um próspero Ano Novo

GEOS  GRUPOS DE ESTUDOS ODONTOLÓGICOS E SERVIÇOS CROSP 3.692 Cd responsável: Prof. Dr. João Bausells CROSP 4328. Reconhecido pelo MEC portaria 965 – DOU 15/10/07

Está chegando o Natal e, com ele, o final de mais um ano de trabalho. Gostaríamos de manifestar a todos que conviveram conosco nesse período, o nosso mais profundo agradecimento, principalmente, pela amizade - sentimento que o mundo se ressente de sua falta nos dias de hoje. Essa amizade foi demonstrada, largamente, no decorrer do ano de 2016, tanto por aqueles com os quais mantivemos relações profissionais quanto com outras pessoas cujos laços são outros que não ditados pela necessidade profissional. Aos nossos funcionários e colaboradores, que se empenharam cada vez mais para elevar nossa credibilidade junto aos nossos clientes e, apesar das grandes dificuldades enfrentadas por todos nós, estamos certos de termos cumprido nosso dever e animados a prosseguir nessa meta no próximo ano, convictos de um trabalho honesto e sinceridade de propósitos, e, sobretudo, com confiança em Deus e nosso país. Muito obrigado a todos e Boas Festas! Prof Dr. João Bausells – diretor do GEOS CROSP 4328

Temos também atendimento com médico clínico geral e pediatra. Agende sua consulta e cuide de sua saúde!

INFORMAÇÕES E CONSULTAS site: www.clinicageos.com.br e-mail: odontogeos@yahoo.com.br Rua Luiz Elias Attie, 489 - Parque São Domingos - São Paulo/SP - Fones/fax: 3904.4774 / 3906.0736 / 3904.6649


www.folhanoroeste.com.br

1ª Quinzena de Dezembro 2016

Saúde

SAÚDE | por Cristina Braga

FIQUE SABENDO...

Faltam medicamentos em UBS da zona noroeste

CAMPANHA DEZEMBRO VERMELHO ALERTA SOBRE A PREVENÇÃO DA AIDS

A escassez de remédios gera transtornos para pacientes

s Unidades Básicas de Saúde – UBS estão desabastecidas de remédios para doenças crônicas, como hipertensão (Losartana), ou mesmo para tratamento gástrico (Omeprazol), há, pelo menos, três meses, entre outros listados e mais procurados nas unidades pelos pacientes do Sistema Único de Saúde - SUS. Os dois citados acima estão em ‘processo de compra’, segundo nota divulgada pela Secretaria Municipal da Saúde – SMS. A SMS possui uma rede de 570 farmácias e mais de 270 itens na lista de medicamentos dispensados. No site da Prefeitura, a pasta explica que há casos em que os fabricantes não conseguem produzir a quantidade necessária para suprir a demanda da rede do município de São Paulo e reconhece que gera transtornos aos pacientes. Ainda segundo a pasta, não é possível dizer quando os medicamentos retornarão às unidades, porque existem ‘várias etapas’ no processo de aquisição. Para saber onde o remédio está disponível, a SMS dispõe de site/aplicativo ‘Aqui Tem Remédio’ (aquitemremedio.prefeitura.sp.gov. br/#/), que pode ser baixado, gratuitamente, pelo serviço de compras do celular, atualiza-

Foto: Divulgação

A

do, diariamente, ao fim do dia, de acordo com a movimentação de estoque das unidades. Segundo a secretaria, os dados do aplicativo são uma fotografia do dia anterior. “São visualizados apenas quando o estoque está acima de 35% da capacidade das unidades, para evitar que chegue ao fim”. Os medicamentos com status ‘em processo de distribuição’ são recebidos na Central de Distribuição de Medicamentos e Correlatos – CDMEC e comporão as próximas entregas no cronograma. Veja esta e outras matérias em nosso portal: www.folhanoroeste.com.br

Primeiro de dezembro é comemorado o Dia Mundial de Luta Contra a Aids A data 1º de dezembro é constituída pela Organização Mundial de Saúde – OMS como o Dia Mundial de Luta Contra a Aids, assim como as campanhas do Outubro Rosa e Novembro Azul, essa é marcada pelo laço vermelho, símbolo internacional da consciência sobre o HIV e a Aids. A campanha Dezembro Vermelho, durante todo o mês, é para lembrar o mundo sobre a prevenção e o combate à doença. Postos de saúde e outras entidades costumam distribuir preservativos para conscientizar a população sobre a possível transmissão do vírus. A Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo e o Programa Municipal DST/Aids realizaram, no último dia 1º, o seminário ‘#SampaContraAids – Balanço e Perspectivas da Resposta à Epidemia’. “O objetivo é orientar a população sobre a importância do sexo seguro e do diagnóstico precoce, que reduz os riscos e melhora a qualidade

Foto: Reprodução

NO

08

de vida das pessoas vivendo com o HIV/ Aids”, explica a Dra. Eliana Gutierrez, coordenadora do programa. Entre janeiro de 2013 e agosto deste ano, cerca de 35 mil pessoas entraram na Rede Municipal Especializada (RME), das quais 14 mil receberam tratamento de HIV/Aids. No período, foram realizados 2,8 milhões de testes para HIV. Em nossa região, o teste pode ser realizado no SAE Paulo César Bomfin, na Rua Tomé de Souza, 30 – Lapa; em Pirituba, na Av. Dr. Felipe Pinel, 12; e na Freguesia do Ó, na Av. Itaberaba, 1.377. Previna-se!


www.folhanoroeste.com.br

1ª Quinzena de Dezembro 2016

Saúde

SAÚDE | por Miriã Arruda

Procura-se doador de sangue Foto: Reprodução

Saiba como ser um voluntário e salvar vidas

N

o último dia 25 de novembro, foi comemorado o Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue, porém a conscientização para novos doadores não tem data. Os estoques dos bancos de sangue são instáveis e os pacientes precisando de doadores são frequentes. Na Fundação Pró-Sangue, os tipos sanguíneos O+, A- e AB- estão em estado crítico e os O- e B- já em alerta. Isso ocorre, também, em outras instituições, que sofrem do mesmo problema: falta de voluntários. A doação é um ato muito importante. Um procedimento simples e de fácil acesso que pode salvar vidas. Para ser um doador, é necessário estar em boas condições de saúde, ter entre 16 e 69 anos, pesar no mínimo 50 kg, ter dor-

mindo pelo menos seis horas nas últimas 24h, estar alimentado e apresentar documento original com foto. Tendo um intervalo de 60 dias – máximo de quatro doações nos últimos 12 meses – para homens e 90 dias – máximo de três doações nos últimos 12 meses – para mulheres. Em caso de resfriado, o voluntário deverá aguardar sete dias após o desaparecimento dos sintomas. Mulheres gestantes, com menos de 90 dias do parto normal ou 180 de cesariana e amamentando há menos de 12 meses não poderão doar. Assim como pessoas que tenham ingerido bebidas alcoólicas nas últimas 12 horas, feito tatuagem nos últimos 12 meses ou em situações nas quais há maior risco de adquirir doenças sexualmente transmissíveis e quem esteve nos estados do Acre, Amapé, Amazonas, Rondônia, Roraima, Maranhão, Mato Grosso, Pará e Tocantins, onde há alta prevalência de malária, devem aguardar 12 meses. Em outros casos, há impedimento definitivo de doar para quem teve hepatite após os 11 anos de idade; evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças infecciosas transmissíveis pelo sangue: hepatites B e C, Aids (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I e II e Doença de Chagas; uso de drogas ilícitas injetáveis e; malária. Veja esta e outras matérias em nosso portal: www.folhanoroeste.com.br

FIQUE SABENDO...

ABAIXOASSINADO PEDE A REABERTURA DO HOSPITAL SOROCABANA Meta é alcançar cinco mil assinaturas até 18 de dezembro A Comissão de Idosos da Lapa – ComidLapa está empenhada, junto com a comunidade da região, na divulgação do abaixo-assinado pela reabertura do Hospital Sorocabana, fechado há seis anos. Marcia Lucchesi, integrante da comissão, enfatiza que até o dia 20 de novembro já foram colhidas 2.557 assinaturas, “mas a meta é alcançar cinco mil até o dia 18 de dezembro”. O distrito da Lapa abrange seis bairros com uma população de cerca de 300 mil pessoas e não possui nenhum leito para internação. O objetivo é entregar a petição pública ao médico Wilson Pollara, que assume

Foto: Reprodução

NO

10

o comando da Secretária Municipal da Saúde, na gestão João Doria (PSDB). Quem quiser apoiar a causa poderá deixar sua assinatura na OAB Lapa, na Rua Afonso Sardinha, 13, ou no restaurante da Rua Antônio Raposo, 278.


12

www.folhanoroeste.com.br

1ª Quinzena de Dezembro 2016

SUSTENTABILIDADE | por Cristina Braga

Projeto Descarte ON fica até final de dezembro na Lapa

Foto: Reprodução

A iniciativa é inédita na reciclagem de resíduos eletroeletrônicos

P

rojeto pioneiro de logística reversa de resíduos eletroeletrônicos (REEE) tem os dias contados na Lapa. Resultado de parceria entre os governos do Japão e do Brasil conta com a participação de varejistas, associações e empresas de reciclagem desde abril. O bairro foi escolhido como ‘piloto’ para o descarte de resíduos eletroeletrônicos até o dia 31 de dezembro. Liquidificadores, espremedores, ferros de passar, aparelhos de áudio e vídeo, câmeras fotográficas e filmadoras, além de computadores, laptops e celulares; e os de grande porte, como TVs e eletrodomésticos da linha branca, podem ser descartados. Não estão incluídos itens como baterias, pilhas, lâmpadas fluorescentes e toners de impressora. Há dois tipos para descarte: Coleta nas Lojas, voltada para itens de pequeno e médio porte, onde o próprio consumidor poderá depositar esses resíduos em caixas de coleta especiais e, devidamente, identificadas no interior dos estabelecimentos participantes, e, de grande porte, como TV, geladeira, máquina

de lavar e secadora de roupas, fogão e aparelho de ar condicionado, funciona quando o consumidor comprar qualquer um dos tipos de eletroeletrônicos citados. Coleta na sua Casa, caso queira descartar o aparelho antigo, solicitando em domicílio que tem o valor simbólico de R$ 10,00 por unidade.

Locais

As lojas disponíveis para o descarte são as Casas Bahia, nas ruas Doze de Outubro, 436, e Dr. Cincinato Pomponet, 161, na Lapa, o Extra Jaguaré e Extra Hiper Anhanguera, Lojas Americanas, na Rua Doze de Outubro, 92, Pernambucanas, na Rua Dr. Cincinato Pomponet, 11, Ponto Frio da Avenida Embaixador Macedo Soares, 9.157, e Rua Nossa Senhora da Lapa, 76, e nos Walmart Pacaembu e Leopoldina. Mais informações sobre o projeto acesse ao site http:// descarteon.jica.eco.br/ e o Facebook https://www.facebook.com/descarteon/. Veja esta e outras matérias em nosso portal: www.folhanoroeste.com.br

ACONTECE

ÁGUA BRANCA

1ª edição Dots Market acontece na Casa das Caldeiras Nos dias 10 e 11 de dezembro, a Casa das Caldeiras, na Água Branca, estará com as portas abertas para mostrar as obras de 125 expositores artesãos, estilistas, artistas plásticos e fotógrafos, além de atrações culturais, artísticas e gastronômicas para todas as idades. Os expositores fazem parte da RedeDots, comunidade colaborativa que reúne mais de 60 mil integrantes, a imensa maioria de pequenos e médios empreendedores nas áreas da moda, gastronomia, arte, design, decoração, audiovisual, terapias alternativas, entre outras. O evento tem como objetivo divulgar, proteger e incentivar a nova economia, circular e criativa, movida por empreendedores que atuam com um propósito transformador e respeito à ética e sustentabilidade.

Entre os destaques do encontro, está a organização não governamental dedicada ao resgate e adoção de cães de rua e/ou vítimas de maus tratos. Durante o evento, as crianças poderão personalizar vestidos ou camisetas pela internet, imprimir o molde em casa, colorir a peça e enviá-la para confecção de um modelo exclusivo. E contará com praça gastronômica, que oferecerá cozinha árabe, italiana, vegetariana e vegana. Haverá, também, uma área especial, onde serão realizadas oficinas de arte, contação de histórias e atividades com monitores e brinquedos educativos. Quando: no dia 10, das 13h às 22h, e lounge com música e show ao vivo, das 18h às 24h. E no dia 11, das 10h às 20h. Onde: na Av. Francisco Matarazzo, 2.000 – Água Branca. Entrada gratuita.


NO

14

www.folhanoroeste.com.br

1ª Quinzena de Dezembro 2016

EDUCAÇÃO

EDUCAÇÃO | por Miriã Arruda

Fotógrafa cria evento de Boards Games para melhorar comunicação e relacionamentos Foto: Divulgação

Centro Esportivo Pirituba recebe projeto no dia 10, das 13h às 20h

D

esconectar as crianças de seus computadores e celulares já virou uma tarefa difícil, mas a fotógrafa Ly Pucca encontrou nos jogos de tabuleiro uma saída para essa situação. Enquanto reunia a família e amigos para um encontro de jogos, com dados, estratégias, interação e pipoca, ela percebeu a conexão entre seus convidados de diferentes idades, e nasceu o Projeto Lúdico Jovens e Crianças Offline. “Sem contar com o lado pedagógico, ajudando no raciocínio, na lógica, na competitividade, na diversidade, agregando a cultura e a retomada ao mundo real, com o respeito que as relações humanas exigem”, completa Ly. Nos Boards Games, como são chamados os jogos de tabuleiros modernos, existe ainda a possibilidade de introduzir disciplinas esco-

lares e outra infinidade de assuntos, como já vem ocorrendo em algumas escolas da região. A intenção é expandir o projeto para que atenda às crianças, jovens e mulheres, com a ajuda de voluntários, a fim de dar orientação sexual, psicológica, jurídica, obstétrica por meio de workshop e palestras. Em Pirituba, o evento para divulgação e participação acontece no dia 10 de dezembro, das 13h às 20h, no Centro Esportivo, na Avenida Agenor Couto de Magalhães, 32, com entrada gratuita. Interessados em fazer parte ou apoiar culturalmente o projeto, devem entrar em contato pelo e-mail offlineprojeto@ gmail.com ou pela página do Facebook Projeto Lúdico Jovens e Crianças Offline. Veja esta e outras matérias em nosso portal: www.folhanoroeste.com.br


16

www.folhanoroeste.com.br

1ª Quinzena de Dezembro 2016

TRÂNSITO | por Cristina Braga

Talões da Zona Azul poderão ser usados somente até 4 de dezembro Foto: Reprodução

CET adota nova forma digital; usuário escolhe o aplicativo

N

a nova modalidade digital, o usuário poderá escolher e baixar um dos seis aplicativos disponíveis da Zona Azul, gratuitamente, nas lojas virtuais e fazer um cadastro, inserindo dados pessoais, como nome, CPF, e-mail, números do celular, do cartão de crédito e das placas dos veículos que usarão o serviço. Os aplicativos disponíveis são: Digipare, Estacionamento Digital, Par Me, Ponto Certo, SP Cartão Azul Digital, Vaga Inteligente, Zazul e Zona Azul Fácil. É possível se cadastrar em quantos aplicativos quiser. Para comprar o Cartão Azul Digital – CAD, pode ser usado cartão de crédito/débito e boleto bancário, dependendo das opções de pagamento que cada empresa oferece, diretamente, no aplicativo ou no site da internet. O pagamento do CAD com dinheiro é possível somente nos Pontos de Venda. O CAD pode ser adquirido com antecedência

ou apenas no momento em que você for estacionar o veículo, pelo valor máximo de R$ 5,00 ou por R$ 45,00, quando comprar um conjunto de 10 CADs, devido ao desconto de 10%. É permitido usar um ou no máximo dois cartões CAD para estacionar na mesma vaga durante o tempo de validade. O aplicativo oferece cronometro regressivo, que indica quanto tempo falta para terminar o tempo de estacionamento, e alarmes que avisam quando o tempo de validade do CAD estiver terminando ou acabar. As empresas credenciadas são obrigadas a manter um canal de relacionamento com o usuário para esclarecer dúvidas, receber sugestões e reclamações. Para saber mais detalhes sobre os aplicativos é só acessar o site da Companhia de Engenharia de Tráfego – CET: www.cetsp.com.br/consultas/zona-azul/ tudo-sobre-zona-azul-digital/como-usar-os-aplicativos.aspx. O motorista que ainda tiver talões e folhas adquiridos poderá pedir reembolso até 30 de dezembro na gerência comercial da CET, na Rua Senador Feijó, 143 - 1º andar, no Centro. O valor máximo para o reembolso em dinheiro é de até R$450, equivalente a dez talões. Para quantidades acima deste limite, o reembolso será efetuado por meio de cheque. Veja esta e outras matérias em nosso portal: www.folhanoroeste.com.br

ACONTECE

LAPA

Teatro Cacilda Becker recebe shows legais e gratuitos Reúna os amigos, a família e vá curtir música boa e de graça. Em dezembro, dois shows ocorrerão nos dias 17 e 18. O primeiro será de Joana Flor e Os Ervas Daninhas, que trará canções autorais do álbum “Indivíduo lugar”. A cantora já se apresentou em programas das TVs Cultura, Gazeta e se apresentou em diversos lugares, entre eles, o SESC Pompeia. O segundo show será o Samba

da Valdinéia, que reúne músicos como Cadu Ribeiro, Gregory Andreas, Renato Enoki, Paulinho Timor e Paula Sanches. Os ingressos devem ser retirados com uma hora de antecedência. Quando: apresentação de Joana Flor ocorre no sábado, 17, às 21h. Já o Samba da Valdinéia, será no domingo, 18, às 19h. Onde: no Teatro Cacilda Becker, na Rua Tito, 295 – Lapa.


1ÂŞ Quinzena de Dezembro 2016

Anuncie: 3902-2747

www.folhanoroeste.com.br

17

comercial@folhanoroeste.com.br


18

www.folhanoroeste.com.br

1ª Quinzena de Dezembro 2016

AMBIENTE | por Cristina Braga

Villa-Lobos e Cândido Portinari ganham abastecimento de energia solar Foto: Divulgação

Postes e placas de captação de energia no estacionamento garantem autossustentabilidade

O

s Parques Villa-Lobos e Cândido Portinari, localizados na zona oeste, desde o mês passado já estão sendo totalmente abastecidos por energia solar. O projeto, liderado pela Companhia Energética de São Paulo Cesp, consumiu R$ 13 milhões na construção de uma microcentral de nove quilowatts-pico (kWp) e na instalação de 40 postes que geram a própria luz no Villa-Lobos, além da cobertura de 264 vagas para veículos com mais de 3 mil placas de captação de energia solar no estacionamento do Parque Cândido Portinari. Esse é o maior projeto de minigeração solar distribuída em um parque do Brasil. O sistema tem capacidade de produção anual de 665 megawatts-hora (MWh) e foi dimensionado para atender a demanda do estacionamento, lanchonete e área de esportes do parque. A energia gerada pelas plantas fo-

tovoltaicas atenderá todo o consumo dos dois parques, tornando-os autossustentáveis, e gerará um excedente que será cedido à Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo para uso em suas instalações. Mesmo autossuficiente, o parque continua conectado à rede de fornecimento de energia elétrica da AES Eletropaulo, no chamado sistema de compensação. Isso porque os Parques consomem a energia solar no momento em que ela é gerada e fornecem para a rede o seu excedente. No momento em que não houver a produção de energia, como, por exemplo, à noite ou em dias com forte nebulosidade, os parques serão abastecidos pela eletricidade da rede. Veja esta e outras matérias em nosso portal: www.folhanoroeste.com.br

ACONTECE

VILA LEOPOLDINA

Festival gastronômico agita fim de ano na CEAGESP Até 18 de dezembro, a Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo - CEAGESP realiza o Festival do Pescado e Frutos do Mar em seu espaço, na Vila Leopoldina. O evento já acontece desde 2013 e é um sucesso, assim como o festival de sopas e outro de massas, que acontecem anualmente. No cardápio, mais de 30 opções de pratos à base de peixes e de frutos do mar à vontade. A cada semana, três peixes ganham

destaque no evento. Além dos camarões servidos às mesas, o festival ainda traz de entrada o autêntico acarajé e casquinha de siri. Para aproveitar tudo isso, o valor é de R$64,90 por pessoa, sendo bebidas e sobremesas cobradas à parte. Quando: de quinta a domingo, até 18 de dezembro, das 18h à meianoite (jantar), e sábados e domingos das 11h30 às 17h (almoço). Onde: Espaço Gastronômico Ceagesp, na Avenida Gastão Vidigal, 1946 – Vila Leopoldina.


www.folhanoroeste.com.br

1ª Quinzena de Dezembro 2016

Gastronomia

Então é Natal Prepare uma ceia completa para celebrar em família

Veja outras receitas de fim de ano em nosso portal www.folhanoroeste.com.br; clique em gastronomia

Frango de Natal

Fotos: Divulgação

NO

20

Ingredientes 1 frango inteiro grande de, aproximadamente, 2 kg 1/2 xícara (chá) de suco de laranja 1 xícara (chá) de maionese

Modo de preparo

Pernil picante com farofa de banana Ingredientes

Modo de preparo

1 pernil de, aproximadamente, 3 kg 2 cebolas grandes raladas 6 dentes de alho picados 3 pimentas dedo de moça vermelha picadas 1 colher (sopa) de pimenta calabresa 1 colher (sopa) de pimenta do reino moída grosseiramente 2 folhas de louro 2 xícaras (chá) de vinho branco e seco 4 bananas nanica maduras e firmes 3 colheres (sopa) de manteiga 1 cebola picada 250 g de farinha de mandioca 250 g de farinha de milho 1 gomo de linguiça calabresa 1 xícara (chá) de salsa picada 100 g de castanha-do-pará picada Sal a gosto

Em uma tigela, misture a cebola ralada, o alho, o sal e as pimentas. Com uma faca, faça furos no pernil e coloque o tempero nos furos, depois, passe um pouco por toda a carne. Coloque em uma assadeira com o louro e regue com o vinho. Cubra o pernil com o papel-alumínio e leve à geladeira, deixando de um dia para o outro. Regue a carne com a marinada de vez em quando. Pré-aqueça o forno a 220 °C e coloque o pernil para assar durante três horas, regando-o a cada hora com o molho formado na assadeira. Retire o papel-alumínio e deixe dourar.

Coloque o frango em uma assadeira grande e faça alguns furos com um garfo. Tempere dentro e fora, espalhando meia xícara (chá) de maionese. Regue com o suco e cubra com papel-alumínio. Leve ao forno pré-aquecido em temperatura média (180° C) e deixe assar por 40 minutos. Retire o papel-alumínio, regue com o caldo da assadeira e volte ao forno por mais uma hora ou até dourar, regando de vez em quando. Retire o frango e reserve. Coloque o molho restante da assadeira em uma panela e misture o restante da maionese. Leve ao fogo médio, mexendo sempre até ficar cremoso. Coloque o frango em uma travessa e decore com as frutas em calda, frutas frescas, batatas e farofa. Sirva em seguida com o molho a parte.

Derreta a manteiga e frite a calabresa. Junte a cebola e deixe dourar. Acrescente as farinhas, o sal, a salsa e mexa bem. Por último, coloque as rodelas de banana, mexendo delicadamente. Coloque o pernil em uma travessa e, ao redor, a farofa salpicada com a castanha-do-pará.

Ingredientes Pão de ló 4 ovos 2 xícaras (chá) de açúcar 1 xícara (chá) de leite fervente 2 xícaras (chá) de farinha de trigo 1 colher (sopa) de fermento em pó Recheio 250 g de doce de leite cremoso 2 litros de sorvete de creme

Modo de preparo Na batedeira, bata os ovos com o açúcar até dobrar de volume e formar um creme esbranquiçado. Adicione o leite, a farinha e o fermento. Bata, rapidamente, apenas para incorporar todos os ingredientes. Coloque a massa em uma assadeira grande untada com manteiga. Asse no forno pré-aquecido a 200°C por 25 minutos ou até dourar. Deixe esfriar e corte o pão-de-ló em cubos.

Montagem

Farofa Modo de preparo

Pavê de Bem Casado

Dica do Chef Ao preparar o frango, lave-o com água e vinagre para tirar o cheiro característico da ave.

Em uma forma grande de bolo inglês, alterne camadas de cubos de bolo, colheradas de doce de leite e de sorvete de creme. Coloque a forma sobre uma superfície firme para que o sorvete se acomode. Cubra com filme plástico e leve ao freezer por seis horas, no mínimo. Desenforme na hora de servir.


1ÂŞ Quinzena de Dezembro 2016

Anuncie: 3902-2747

www.folhanoroeste.com.br

21

comercial@folhanoroeste.com.br


22

www.folhanoroeste.com.br

1ª Quinzena de Dezembro 2016

e-mails do leitor Editorial Quanto ao editorial desta edição de novembro/16, vale ressaltar o lamentável e continuado discurso do ‘nós contra eles’. Como editorialista, deveria ser isento, a não ser que esta seja a linha do jornal? Como o senhor ainda classifica um processo legítimo de golpe, sendo que tudo foi revisto a autorizado pelo Supremo Tribunal Federal – STF, que, aliás, foi em sua maioria indicado pelos seus companheiros, e o presidente deste poder enquanto presidiu a sessão no Senado atentou, descaradamente, contra a Constituição Federal. Portanto, senhor Ronald, mais respeito com seus leitores, tenha a decência de pelo menos declarar suas inclinações políticas e doutrinárias e não ficar usando um veículo de comunicação para fazer política de ódio do ‘nós contra eles’, reflita sobre os últimos treze anos de governo ou vamos achar que este jornal é financiado com dinheiro dos “progressistas”. Obrigado pela oportunidade e ainda bem que não existe “lei da mordaça”, lembra? Seu partido queria aprovar esta ideia. Marcos Ugeda

Resposta Jornal Folha Noroeste Em virtude do recebimento de e-mails de leitores criticando o posicionamento ideológico do jornal, informamos que a Folha Noroeste não se responsabiliza pela opinião do referido editorial. Acompanhamos as críticas realizadas pelos leitores por meio da rede social do veículo, especialmente, as de Marcos Ugeda, Rodolfo Papp e Henrique Alvarez, entre outros, que se manifestaram a respeito. Todas as sugestões e comentários são bem-vindos e acatados de acordo com o nosso critério de avaliação e bom senso. Exatamente, por isso, reproduzimos neste espaço a voz deste leitor, que manifesta indignação com o texto ‘Voltando no tempo’ da edição 201.

Pedido de socorro Na Vila Zatt, em Pirituba, a viela/escadaria, que liga a Rua São Cândido, altura do nº 400, à Praça 25 de Novembro, na Rua Morais Madureira, próximo à igreja católica, está muito suja. E, neste ano, a Prefeitura ainda não fez a limpeza do local. Para ter uma ideia, na viela tem até bichos mortos e está sem condições de passar por lá. O engraçado é que na Praça 25 de Novembro sempre tem equipes trabalhando, porém eles alegam que sem ordem da Prefeitura, não podem executar o serviço na escadaria. Folha Noroeste, nos socorra, por favor. Vanderlei Matowski

Resposta Assessoria de Imprensa Coordenação das Subprefeituras – via Pirituba/Jaraguá A Coordenação das Subprefeituras, por meio da Subprefeitura Pirituba/Jaraguá,

Fale conosco informa que a limpeza da viela citada está na programação da próxima semana. Quanto à Praça 25 de Novembro, a limpeza foi realizada na última segunda-feira (28).

Sujeira de feira Gostaria que soubessem a situação que a Rua Brigadeiro Henrique Fontenelle fica depois da feira, às terças-feiras. Os garis passam varrendo e metade do lixo fica para trás, como se não bastasse, vem o caminhão com água e joga todo o resto do lixo que ficou para dentro dos quintais. Isso é um absurdo, porque sobram restos de frutas esmagadas que vão apodrecendo durante a semana. Por favor, alguém diga a esses profissionais que precisamos de limpeza e não acúmulo de lixo nas calçadas. Luciene Silva

Resposta Assessoria de Imprensa Coordenação das Subprefeituras – via Pirituba/Jaraguá A Coordenação das Subprefeituras, por meio da Subprefeitura Pirituba/Jaraguá, informa que, em atendimento à denúncia, procederá com a limpeza da forma mais cuidadosa possível ao término da feira. É importante salientar que, por vezes, veículos estacionados podem impedir a remoção adequada dos detritos. A limpeza é feita toda terça-feira, após o término da feira livre.

Mudança de nome da estação Domingos de Moraes Saudosista e lapeano de coração, sugerimos ao departamento de patrimônio da CPTM a mudança de nome da estação Domingos de Moraes para City Lapa - Vila Anastácio. Seria uma forma de homenagear esses bairros tradicionais de São Paulo. Lembrando que o senhor Dom. de Moraes já foi homenageado, há muitos anos, com uma rua na zona sul. Walter Sturba e João Felipe

Resposta Assessoria de Imprensa Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos - CPTM informa que mantêm nas estações os nomes de origem, os quais muitas vezes remetem ao século passado. Para alterar a denominação de uma estação é necessária a realização de uma pesquisa de opinião com os moradores da região. Além disso, a lei prevê que a alteração de nome seja aprovada pelo Poder Legislativo e pelo Poder Executivo.

Mudança do itinerário da linha 8677/10 Gostaria de expor minha indignação ao saber que a linha 8677/10 não passa mais nas ruas Ribeirão Vermelho e Itamogi. Os moradores que moram nesse percurso utilizam qual linha, agora? Não fizeram nenhuma pesquisa com os usuários. Eu, por exemplo, saio 5h10 da manhã e terei que andar até a Avenida Mutinga ou descer para

Envie sua demanda para jornalismo@folhanoroeste.com.br ou via WhatsApp (9 9997-1947) com as seguintes informações: nome completo, telefone e endereço. o Monte Alegre. Está acontecendo vários assaltos e é superperigosa a região. Patricia Aparecida de Oliveira Brito

Resposta Assessoria de Imprensa São Paulo Transporte – SPTrans Uma série de medidas vem sendo tomadas para melhorar o transporte público na cidade, entre elas está a readequação de linhas e trajetos, medida que tem como propósito eliminar sobreposição de itinerários, melhorar a fluidez e desempenho dos ônibus nas diferentes regiões em benefício dos usuários com base em estudos realizados pela SPTrans. Assim, as linhas unificadas 8677/10 e 8677/31, ambas denominadas Jardim Líbano – Praça da República, eram sobrepostas em 94% dos seus trajetos. Com a alteração, o atendimento aos usuários é feito por um único trajeto, realizado pela Rua Maria Salina Romeu. As ruas Ribeirão Vermelho e Itamogi integram o itinerário das linhas 8004/10 Sta. Mônica – Term. Lapa e 958P/10 Jd. Nardini – Itaim Bibi. Os usuários podem realizar a integração com a linha 8677/10 no trecho entre a Rua Jurubim e a Estr. Turística do Jaraguá, sem acréscimo de tarifa por meio do Bilhete Único, que dá direito a quatro viagens de ônibus.

Problemas com obras em imóvel Venho por meio desta, informar sobre um problema grave, muito recorrente no bairro. Sou morador da região desde que nasci e, há menos de um ano, me mudei para o nº 436, da Rua D. João V, na Lapa. Sendo que eu, meu irmão e minha mãe nascemos nesta mesma rua em outro logradouro e meus avós e outros parentes nesta rua e quadras adjacentes. No número 432, encostado ao meu, está sendo executada uma reforma sem nenhum tipo de critério. Percebe-se que não há recuo do imóvel, que possui cerca de 10 metros de largura na fachada com cerca de 50 m de fundo. O muro erguido terá mais de oito metros de altura, bloqueando o sol quase que por completo e, também, a ventilação. Não consigo entender onde foi obtida a “aprovação” para tal, mas posso imaginar como. Foi alegado que se trata de um muro e, portanto, pode ser encostado com a altura desejada pelo proprietário do imóvel. Só que como esse muro será coberto até o outro oposto com um telhado, ele deixa de ser muro e passa a ser parede. Portanto, com exigência de recuo de 1,5 m de cada lado. É mais uma obra de construção de “galpão para locação”, neste trecho da rua que em dois quarteirões de cada lado da via, e em menos de um ano, deram um fim a quase todas as casas, sendo que o quarteirão de frente não possui mais nenhuma. A única construção que pode responder como residencial é outro edifício, ou seja, somente a verticalização como opção para moradia. Isso ocorre em ambos os quarteirões. Foi notada no último ano, a construção de mais dois galpões, um de cada lado da rua com o mesmo “padrão de arquitetura”. Foi apurado que a obra encostada em minha residência é

do mesmo proprietário de ambos os galpões e de outro em construção do outro lado da rua. Não entendo como um mesmo proprietário pode comprar quarteirões e fazer quatro obras irregulares, destruindo o perfil do bairro e as residências. O bairro está carente de diversos outros tipos de estabelecimentos comerciais, melhores padarias, por exemplo, locais de entreposto e consumo de alimentos e outros produtos de qualidade e, infelizmente, só esse tipo de “boca de porco” surge e o zoneamento continua a permitir sem nenhum critério de construção. Preciso de providências da Regional em relação às irregularidades de meu vizinho. Também seria interessante saber se não há alguma referência em relação a abusos nesse zoneamento misto. Já era ruim e piorou na última gestão, ele não poderia ser feito para a predominância de armazéns, galpões, depósitos e entrepostos de peças em um trecho do bairro que tem sido residencial há mais de um século. Precisamos dos planos de bairros, nortear a especificidade de cada local, a zona mista para um lugar não pode contemplar outro com tantas diversidades ou a falta delas e muito menos expulsar as residências. Tivemos um movimento pela não verticalização da Pompeia, Pinheiros e outros bairros. Acredito que temos o direito de protestar contra a predominância de construções que, no momento, não servem para nada, pois a maioria dos galpões na Lapa, senão em todo o país, está às moscas nessa crise. Apenas mais um comentário como adendo: sei que isso também está implícito, mas por que não explicitar melhor: não seria também providencial um “Sérgio Moro” para verificar as contas e a contabilidade desses “empreendedores”. Se estivessem em ordem não seria necessário inventar esses galpões para “justificar” o caixa dois. Reclamação registrada na Regional da Lapa SAC Nº 14251536. Renato de Aviz

Resposta Assessoria de Imprensa Coordenação das Subprefeituras – via Pirituba/Jaraguá A Coordenação das Subprefeituras, por meio da Subprefeitura Lapa, informa que, para o local citado na demanda, há os Processos Administrativos n. 2016-01869416 (Alvará de Aprovação de Edificação Nova) e 2016-0195803-6 (Alvará de Execução de Edificação Nova), autuados em 16/08/2016 e 26/08/2016 respectivamente, que estão em análise. Conforme o item 4.2.3 do artigo 1º da Lei 11228 (Código de Obras): “Escoado o prazo para decisão de processo de Alvará de Aprovação, poderá ser requerido Alvará de Execução. Decorridos 30 (trinta) dias deste requerimento, sem decisão no processo de Alvará de Aprovação, a obra poderá ser iniciada, sendo de inteira responsabilidade do proprietário e profissionais envolvidos a eventual adequação da obra às posturas municipais.” Sendo assim, há o direito de início de obra. O local será mantido sob vigilância e serão realizadas vistorias regulares.


1ÂŞ Quinzena de Dezembro 2016

Anuncie: 3902-2747

www.folhanoroeste.com.br

23

comercial@folhanoroeste.com.br


26

www.folhanoroeste.com.br

1ª Quinzena de Dezembro 2016

NO

Imóveis & Classificados

REGIONAL | por Cristina Braga

Campanha visa adoção de animais abandonados na aldeia indígena Fotos: Divulgação

As três comunidades guaranis no Jaraguá enfrentam o despejo de animais em suas áreas

A

questão se agrava na aldeia indígena, próxima ao Pico do Jaraguá, que já abriga 485 cães e 238 gatos, consumindo quase três toneladas e 700 quilos de ração por mês. “Essa quantidade dá para apenas 20 dias”, relata Cida Carvalho idealizadora do ‘Projeto de Adoção dos Cães da Aldeia’, criado por voluntários do bairro. Com a página AnimaisdaAldeia, no Facebook, um pequeno grupo arrecada doações em dinheiro para alimentar os bichinhos que aumentam a cada dia. “É suado para conseguir quase 12 mil reais por mês para comprar ração.” A voluntária, Marcia Fanin, enfatiza que o abandono de animais é crime (art. 164 do Código Penal que prevê multa de detenção). Ainda

Classificados Econômicos comercial@folhanoroeste.com.br PROJETOS CONSTRUÇÕES E REFORMAS Telhados, alvenaria, piso e revestimento, elétrica e hidráulica, textura e pintura, forros e divisórias drywall, impermeabilização e acabamentos em geral. Mão de obra especializada em 6x s/ juros. Tels. (11) 3537-0178 / 96804-3685 ALUGO SANTO ELIAS Casa: 6 cômodos, 3WC’s e quintal grande, 2 vagas. Para casa repouso, creche etc., plano, sem escadas. RS$ 3.300,00 + IPTU. Salão: 130,00 m 2, 1° pavimento. R$ 2.200,00 + IPTU. Tratar Tel. 99794-7362, prop. VENDO  AV. JOÃO PAULO I Galpão c/+- 200m2, entrada p/2 ruas, Ideal p/ oficinas. Fones: (11) 3862-7737 / 99137-5193 CONSÓRCIO CONTEMPLADO Crédito de Imóvel R$ R$ 302.000,00 Vendo. Quero R$ 30.000,00 e passo a dívida. (11) 94320-4667. VENDESE TÍTULO Jaraguá Clube Campestre. Valor: R$ 5.500,00. Telefone (11) 99655-5811. SOBRADO PARQUE SÃO DOMINGOS Vendo – 3 dorms., 1 suíte, escrit., sala estar/jantar. Toda em granito e mármore carrara. Tel. 3834-9666 / 9860-94436 – c/ Nelson

ANUNCIE

3902-2747

segundo ela, o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de São Paulo comparece, periodicamente, e retira alguns filhotes para feira de adoção, dando vacina e castrando, “mesmo assim é insuficiente; chegam animais todos os dias”. Segundo o professor da aldeia Tekoa Pyau, Jurandir Augusto Martim, “tem vezes que os carros param por aqui e atiram pela janela ninhada de cães ou os deixam em caixas de papelão”. As três comunidades indígenas tem uma população de moradores de mais 780 adultos; sendo 350 crianças em geral. “O solo fica contaminado e pode trazer doença para o pessoal da comunidade”, reflete Jurandir preocupado. Para adotar um animal da aldeia – já vacinado e castrado – é preciso fazer um cadastro assinando um termo de adoção. “Temos que doar para quem se comprometer com os animais”. Os interessados devem entrar em contato com as voluntárias Marcia Fanin, pelo 11 97554-0748, e Cida Carvalho, no 99612-9542. Veja esta e outras matérias em nosso portal: www.folhanoroeste.com.br


NO

1ÂŞ Quinzena de Dezembro 2016

ImĂłveis & Classificados

www.folhanoroeste.com.br

27



Folha Noroeste 202