Page 1

Edição Especial de 25 Anos

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2012


RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2012


Estes desenhos , bem como todas ilustrações deste relatório, foram produzidas pelos alunos da Associação Beneficente Santa Zita de Lucca para contar os 25 anos de história da FMSS.

4


5


6


Faz parte da história da nossa família e, por

consequência, da nossa empresa, a vinculação com as questões sociais. Essa postura tem origem na visão de que os veículos de comunicação tem um papel fundamental na sociedade, devendo contribuir para seu desenvolvimento como um todo. Nos 57 anos do Grupo RBS, sempre exercemos o que hoje é um valor da empresa associado à própria evolução das várias formas de governança ou participação social.

A Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho, que

nasceu do desejo de fortalecer as ações do Grupo RBS na área social é um exemplo claro desse movimento. Nestes 25 anos, a Fundação contribuiu solidamente para a própria formulação

deste

exercício

empresarial

socialmente

responsável de maneira individual e coletiva, participando de entidades como o Grupo de Institutos, Fundações e Empresas (Gife) – principal organização do Brasil de fortalecimento político-institucional e de apoio à atuação estratégica dos investidores sociais privados do país.

Comprometida

permanentemente

com

o avanço das comunidades em que atua, a Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho e seus programas colaboram para gerar soluções e contribuir para a transformação social, expressando os valores da família Sirotsky e do Grupo RBS. Nosso objetivo é projetar um futuro sustentável e melhor para a sociedade.

Nelson Sirotsky

Eduardo Sirotsky Melzer

Jayme Sirotsky

Presidente da Fundação

Presidente Executivo do Grupo RBS

Presidente Emérito do Grupo RBS

Maurício Sirotsky Sobrinho Presidente do Conselho de Administração do Grupo RBS

7


8


O Relatório de Atividades da Fundação

Maurício Sirotsky Sobrinho é uma das formas de prestar contas à sociedade, dando transparência às nossas iniciativas. Mas também é um documento que, reeditado ano a ano, registra a evolução do Investimento Social Privado (ISP) em nosso país, desenhando uma trajetória positiva do impacto de instituições como a FMSS, voltada às causas emergentes na comunidade.

Ao longo dos últimos 25 anos, a FMSS tri-

lhou caminhos pioneiros no campo social, seja como articuladora de movimentos em prol do aperfeiçoamento do terceiro setor e de políticas públicas, seja por meio da implementação de projetos para proteger crianças e adolescentes, garantindo seu pleno desenvolvimento. Nascida do histórico compromisso do Grupo RBS com as comunidades em que está inserida, a FMSS moldou sua atuação com a mesma capilaridade da mantenedora, tecendo apoios e parcerias em todas as regiões do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina.

Com este espírito pioneiro, a partir de 2012, a

FMSS passou a renovar o escopo de suas práticas, agora ainda mais focada em Educação e Desenvolvimento Comunitário. Para a equipe da FMSS, vem sendo um período de aprendizado e crescimento, entusiasmados que estamos em cumprir nossa missão de contribuir efetivamente com a comunidade e, assim, atuar para o avanço da agenda social do Brasil.

Lucia Ritzel Gerente Executiva da Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho

9


história da FMSS é construída com projetos e serviços que mobilizam as populações do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, fazendo com que cada programa sirva para renovar os laços com essas comunidades.


Apresentação

História e principais programas..................................................... 14 Projeto O Continente - mediação de leitura........................... 16

Educação

Apresentação.......................................................................................... 18 Bandeira Institucional......................................................................... 21 Voluntariado............................................................................................ 22 Amigos da Escola................................................................................. 25 Rede Parceria Social........................................................................... 27

Desenvolvimento comunitário

Combate à Pobreza.............................................................................. 31 Fundo de Incentivo da Região Nordeste de Porto Alegre..................................................................................... 33 Projeto Casa Amarela.........................................................................34 Projeto Caeira 21................................................................................... 35 Funcriança do Grupo RBS...............................................................36 Jovens de Responsa........................................................................... 37 Fundo da Infância e da Adolescência Santa Catarina........................................................................................38

Relações com a comunidade

Movimento Nós Podemos Santa Catarina............................... 41 Conexão Digital...................................................................................... 41 Prêmio Estadual de Direitos Humanos...................................... 42 Fórum de Prevenção ao Consumo de Álcool........................43 Instituto Crack Nem Pensar............................................................44 Fundação Gerações............................................................................45 Banco de Alimentos............................................................................45 Fundação H P S.....................................................................................45 Grupo de Trabalho do Terceiro Setor........................................ 47 PGQP - Desenvolvimento Social.................................................. 47 Mídia Social..............................................................................................48 Dados Financeiros...............................................................................50


filosofia que implantamos na RBS, ao longo do tempo, foi manter os olhos, os ouvidos e a imaginação abertos a esta evolução tão acelerada. E que não vai parar aqui. Acompanhar passo a passo o desenvolvimento tecnológico, sim. Mas sem nunca perder de vista a dimensão humana e o papel profundamente comunitário, cultural e de responsabilidade social de uma empresa de comunicação.

Pensamos no homem como início e fim de todas as coisas. Por isso queremos que as páginas de nosso perfil

signifiquem muito mais do que o retrato do corpo inteiro de uma organização. Esperamos que elas mostrem que, apesar de todos os grandes problemas conjunturais de nosso tempo, sempre há oportunidade para se crescer, gerar o progresso, criar riquezas e valorizar esta maravilhosa criatura que é o ser humano, mantendo o respeito e a dignidade nas relações entre a empresa e a comunidade. Esta foi, é e será a nossa filosofia”.

Maurício Sirotsky Sobrinho / Fundador do Grupo RBS


Maurício Sirotsky Sobrinho participa de atividade da Fundação RBS – Arquivo FMSS.

Desde a sua fundação há mais de cinco décadas,

são alguns dos temas que mereceram atenção especial.

o Grupo RBS caracteriza-se por uma trajetória de atuação

O apoio social a crianças e adolescentes e projetos voltados

social. Essa vocação foi consolidada com a criação, há

à juventudade continuam entre as nossas prioridades.

25 anos, da Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho, que deixa sua marca como protagonista de ações pioneiras no terceiro setor. Ao longo de sua trajetória, a FMSS tem sua história marcada por projetos e serviços que mobilizam as populações do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina,

Desde a sua criação, a Fundação atendeu a mais

de 404 mil pessoas em projetos próprios ou parcerias com empresas, organizações sociais e poder público. Nossos números de 2012 são igualmente significativos.

fazendo com que cada programa sirva para renovar os

Foram 10.020 beneficiados pelos programas, alcan-

laços com essas comunidades. Ao completar 25 anos, a

çando a mobilização de 136.534 pessoas. Registramos

FMSS começa um novo ciclo, com um olhar no futuro,

também 58 instituições apoiadas e cerca de R$ 2 milhões

mas sempre atenta às demandas atuais da sociedade e

em investimento no ano passado. Em mídia doada pelo

sem se afastar dos ensinamentos de um passado nem tão

Grupo RBS, contabilizamos mais de R$ 17 milhões.

distante, quando Maurício Sirotsky Sobrinho, fundador do

A busca de excelência nas iniciativas próprias e

Grupo RBS, idealizou a entidade.

no compartilhamento e apoio a projetos de terceiros é o

que nos mobiliza a cada dia.

Ao longo desses 25 anos, a Fundação sempre

esteve ligada a iniciativas voltadas à transformação de

realidades por meio da inclusão social. Ações de defesa dos

lho integrado desenvolvido com dedicação pela nossa

direitos das crianças e adolescentes, mobilização social e

equipe em defesa dos direitos sociais.

A gestão qualificada é o que caracteriza o traba-

cooperação técnica e financeira a organizações sociais

13


A família Sirotsky e acionistas da RBS em foto oficial pela criação da FMSS, em 24 de março de 1987.

História e Principais Programas

Criada em 30 de setembro de 1982, sob o nome

de Fundação RBS, a entidade surgiu com a finalidade de centralizar as ações sociais dos veículos de comunicação do Grupo RBS. Em 24 de março de 1987, um ano após a morte de Maurício Sirotsky Sobrinho, a entidade recebeu o seu nome, numa reverência a quem exercitou o ideal de que os empresários devem ter preocupações sociais e jamais se distanciar dos anseios das comunidades das regiões onde atuam.

Com o propósito de interferir proativamente nas

questões sociais a fim de contribuir para o desenvolvimento social, diversos programas foram implementados nesse quarto de século. Na década de 80, por exemplo, vieram os projetos Colibri (de formação profissional e assistência médica para jornaleiros), Geração 21 e Paternidade Consciente (de orientação a famílias sobre paternidade responsável).

Com a aproximação dos movimentos sociais,

a cooperação técnica e financeira ganhou ênfase para viabilizar propostas da comunidade. O projeto Sinal Vermelho para a Esmola (com orientação à população

14


para direcionar a ajuda a entidades sociais) e o apoio

comunitário. Esse é o nosso novo compromisso para que a

ao Fundo do Milênio pela Primeira Infância (em

sociedade reflita sobre o tema e entenda que atitudes são

parceria com o Banco Mundial, a Unesco e o Grupo

capazes de gerar grandes transformações.

Gerdau) são dessa fase.

Lançada em 2012, a campanha A Educação

Em 1999, a FMSS lançou o Programa Arte &

Precisa de Respostas é o mote da nossa nova iniciativa que

Cidadania, com objetivo de reunir projetos com grande

tem como objetivo primordial colaborar para a elevação

potencial artístico e relevante valor social nas regiões

na qualidade da aprendizagem no Rio Grande do Sul e

metropolitanas do Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

em Santa Catarina. Sabemos que nossos Estados têm

O programa foi desenvolvido visando resgatar a cidadania

condições de dar respostas à altura dos questionamentos

de crianças e jovens por meio da arte.

que fizemos, provocando reações construtivas para a

Realizado em 2002, o Projeto Moinhos – Gerando

Empreendedores promoveu a reinserção de jovens entre 16 e 21 anos no mercado de trabalho. No mesmo ano, surgiu o Programa Educação e Mundo do Trabalho. Em parceria com a VITAE – Apoio à Cultura, Educação e Promoção Social, o programa apoiou 10 projetos de

Educação Básica. São grandes temas de um grande desafio que estamos dispostos a enfrentar. O resultado dessas ações irá colaborar no desenvolvimento do ensino e na adoção de estratégias para pôr fim às contradições que acabam limitando o acesso de todos a uma educação de qualidade no nosso País.

educação profissional para adolescentes no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, beneficiando mais de 300 jovens entre 16 e 24 anos.

Sendo uma rede de cooperação que aproxima

pessoas e empresas que desejam ajudar entidades comunitárias,

o

Portal

Social,

em

sete

anos

de

funcionamento, beneficiou 723 instituições gaúchas e catarinenses, impactando mais de 145 mil pessoas.

A Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho também

participa ativamente das campanhas relacionadas às bandeiras institucionais do Grupo RBS. É o caso de O Amor é a Melhor Herança. Cuide das Crianças, que ganhou destaque em 2003 com ampla mobilização de autoridades e da sociedade contra os maus-tratos e o abuso sexual de crianças e adolescentes. Os monstrinhos, representados pela Bicho-Papão, Boi da Cara Preta, Bruxa Malvada, Diabo e Mula Sem Cabeça eram seu principal chamariz. Em 2005 foi a vez da campanha Educar é Tudo alertar que a educação não é tarefa apenas da escola, mas de todos.

A campanha Crack nem Pensar é outro exemplo

de bandeira levada em frente pela FMSS. A iniciativa para prevenção do uso do crack acabou motivando a criação, em 2010, do Instituto Crack Nem Pensar, que se tornou referência nacional no enfrentamento às drogas.

Agora é a vez da educação e do desenvolvimento

2010

criação do Instituto Crack Nem Pensar


Projeto destaque dos 25 anos

O Continente Mediação de Leitura


Homenagear o cinquentenário de publicação de

um dos grandes clássicos da literatura gaúcha por meio da cultura e do incentivo à leitura foi o objetivo do projeto Erico Verissimo – 50 anos de O Tempo e O Vento. Com apoio da FMSS, foram doados 1,6 mil exemplares da obra para escolas de Ensino Médio de oito municípios gaúchos. Também houve apresentações da peça O Sobrado, do Grupo Cerco, lançada no final de agosto, em Porto Alegre. O projeto foi promovido pelo Sistema Fecomércio-RS/Sesc e Associação Lígia Averbuck. O Sobrado é uma adaptação cênica de sete capítulos da obra literária O Continente, que integra a trilogia O Tempo e o Vento, de Erico Verissimo. Além da apresentação em Porto Alegre, cidades do interior do Estado também receberam o espetáculo, com exibições abertas ao público:

Estudantes recriam cenário de O Continente.

“Em comemoração aos 25 anos da FMSS se desenvolveu o projeto 50 anos do Tempo e o Vento”

Cidades: Santa Cruz do Sul Dia 3 de setembro, no Teatro Mauá

Carazinho Dia 4 de setembro, no Colégio Notre Dame Aparecida

Cruz Alta Dia 6 de setembro, na Casa de Cultura Justino Martins

Alegrete Dia 13 de setembro, no Centro Cultural Adão Ortiz

Santa Rosa Dia 14 de setembro, no Centro Antônio Carlos Borges

17


educação é um direito fundamental, e o Grupo RBS tem a convicção de que com um ensino de qualidade é possível transformar as pessoas e tornar o mundo melhor. Para enfrentar o desafio de levar esse tema para debate junto à sociedade, a FMSS está concentrando para área educacional as ações e o direcionamento da aplicação do investimento social da empresa.


Crianças da Escola Básica Simão José Hess participam da atividade de recreação do evento A Educação Precisa de Respostas na Escola.

19


Estudantes, professores e voluntĂĄrios em dia de oficinas no ColĂŠgio Tubino Sampaio, em Porto Alegre.

20


Bandeira Institucional

O lançamento, em agosto de 2012, da bandeira

institucional A Educação Precisa de Respostas deflagrou um amplo processo de mobilização. Campanha publicitária, abordagem editorial e institucional tradicionalmente formam o tripé das bandeiras da empresa, com o objetivo comum de buscar a reflexão sobre assuntos de interesse coletivo, mostrando que todos têm uma parcela de responsabilidade na resolução dos problemas da nossa educação.

Durante a primeira fase da campanha foram vei-

culados 150 anúncios, mais de 12,6 mil inserções de rádio, mais de 4,7 mil inserções na TV e 5 milhões de peças digitais. Para reforçar a bandeira institucional da educação, em três meses foram veiculadas 1,1 mil matérias nos veículos do grupo. Entre notícias e reportagens, os jornais do Grupo publicaram 454 páginas de conteúdo sobre educação. As rádios transmitiram 138 matérias sobre o tema, enquanto as emissoras de televisão veicularam 576 notícias e reportagens abordando o ensino do Brasil, 90 delas estaduais e 486 de abrangência local. Também fizeram parte desse esforço conjunto 60 ações de mobilização e engajamento junto às comunidades no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, com repercussão nos veículos do Grupo RBS.

ações de mobilização e engajamento

21


Voluntariado RBS

As ações de voluntariado nas escolas fizeram parte da bandeira institucional do Grupo RBS A Educação Precisa

de Respostas e tiveram o objetivo de valorizar o ambiente escolar, os professores, os alunos e os gestores de educação. As ações consistiram em eventos de um dia, realizados em escolas públicas gaúchas e catarinenses, onde foram desenvolvidas várias oficinas, ministradas por entidades do terceiro setor, especialistas voluntários e colaboradores e comunicadores da RBS, demonstrando que o engajamento é de todos.

No total, já foram realizadas 100 oficinas e atividades, tais como oficina de jornal, construção de currículos,

redes sociais, palestra “O professor do século XXI”, oficina de TV, fanzine, produção de campanha publicitária, fotografia documental, bate-papo com comunicadores e colaboradores da RBS sobre preferências de leitura, oficina de rádio, oficina de dança, oficina de teatro, vivência de contação de história, aprendizado sobre direitos , fisioterapia na escola, alimentação saudável e sorteio de livros.

O burburinho natural de crianças e adolescentes no ambiente escolar foi ainda mais intenso nos dias de oficinas

e debates em torno dos temas da campanha A Educação Precisa de Respostas. Todos queriam estar presentes, dar opinião e relatar suas experiências e também participar das diversas atividades. Como resultado dessas iniciativas no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, 5.583 alunos e professores foram impactados com a participação de 400 voluntários e de 20 instituições parceiras.

Escolas: Florianópolis Escola de Educação Básica Simão José Hess (27/9)

Joinville Escola de Educação Básica Dom Pio de Freitas (13/11)

Blumenau Escola de Educação Básica Pedro II (20/11)

Santa Maria Colégio Manoel Ribas (30/10)

Caxias do Sul Instituto Estadual de Educação Cristóvão de Mendoza (06/11)

Porto Alegre Colégio Estadual Florinda Tubino Sampaio (05/12)

22


Dia na Escola reuniu profissionais da RBS e estudantes em oficinas de vĂ­deo.

5.583 alunos e professores participaram das oficinas

23


Oficina de teatro na ação dos Amigos da Escola em Florianópolis.

24


Amigos da Escola

O Amigos da Escola foi um projeto criado pela Rede Globo e afiliadas de 1999 a 2012, com o propósito de

sensibilizar a sociedade sobre a valorização da Educação Básica e da escola pública, em seu papel essencial de educação formal e de centro de referência comunitário.

O incentivo à participação da comunidade no ambiente escolar foi um dos pontos fortes do projeto, que pro-

moveu ações de cidadania e voluntariado nas escolas participantes. Direcionado às questões relevantes para a sociedade, a cada ano o projeto definia um tema para ancorar suas ações de comunicação e embasar a realização de ações como o Dia da Família na Escola e os Dias Temáticos, momentos em que a agenda comum sempre foi o reconhecimento da escola como geradora de experiências para toda a família e a comunidade.

Em 2012, o tema foi o Valor da Leitura. Com a atuação voluntária de diversos parceiros, foram realizadas ofici-

nas e palestras visando incentivar o hábito da leitura entre os alunos. Além disso, também foram repassadas dicas de saúde e bem-estar.

Nesses 13 anos, a FMSS participou dos núcleos do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina do Amigos da Escola

em parceria com União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, Grupo Sócio-Cultural Canta Brasil, Instituto Voluntários em Ação, Projeto DC na Sala de Aula, Secretaria de Estado da Educação de Santa Catarina e Secretaria Municipal de Educação de Florianópolis.

Escolas: Escola Básica Municipal Anísio Teixeira – Florianópolis Escola de Educação Básica Aderbal Ramos da Silva – Florianópolis Escola de Educação Básica Rosa Torres de Miranda – Florianópolis Escola Municipal de Ensino Fundamental João Baptista Jaeger – Novo Hamburgo Escola Municipal Mateus Dal Pozzo – Paraí Escola Municipal de Ensino Fundamental Vila Aparecida – Portão

Números: 4.091 pessoas mobilizadas 4 municípios participantes 4 escolas de redes municipais 2 escolas de redes públicas estaduais

25


Instituto Maria Galbusera – beneficiado no Programa de Educação Infantil da RPS.

26

A FMSS atua em parceria com o poder público, gerenciando projetos que recebem fundos da isenção fiscal de iniciativas privadas.


Rede Parceria Social

A Rede Parceria Social é uma iniciativa da

Secretaria do Trabalho e do Desenvolvimento Social do Rio Grande do Sul, com apoio do Conselho Estadual de Assistência Social. É desenvolvido em parceria pelo governo, iniciativa privada e terceiro setor, com foco na descentralização dos recursos do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) captados e na busca de garantia de sustentabilidade para projetos de interesse social. Em 2012, a FMSS finalizou dois programas de financiamento da quarta edição da Rede Parceria Social: Inclusão Digital e Inserção Social na primeira infância, ambos em parceria com o Grupo Gerdau. No total, foram beneficiadas 1.981 pessoas com o repasse de R$ 600 mil a 21 instituições apoiadas. O programa Inclusão Digital é destinado a

instituições privadas sem fins lucrativos, que tenham interesse em propor projetos sociais que atendam às necessidades de populações de baixa renda, em situação de vulnerabilidade social, estando em sintonia com as políticas públicas preconizadas na Lei Orgânica de Assistência Social (LOAS) e contribuindo para garantir a inserção e a promoção social por meio da inclusão digital. Dos 58 projetos inscritos, com a participação de 11 municípios, 11 foram selecionados. Modernização e ampliação dos laboratórios de computação, promoção de oficinas básicas e cursos de informática foram algumas das conquistas alcançadas pelas entidades beneficiadas.

600 mil repassados a

R$

21 instituições

27


Centro de Atendimento Integrado Morro da Cruz - Beneficiado no Programa de Educação Infantil da RPS.

28


INCLUSÃO SOCIAL Pequena Casa da Criança – Porto Alegre Patronato Agrícola e Profissional São José – Erechim Congregação de Nossa Senhora – Passo Fundo APAE – Esteio APAE – Santo Antônio da Patrulha APAE – Palmeira das Missões Círculo Operário Bento Gonçalvense – Bento Gonçalves Instituto Evangélico de Amparo ao Menor – Três Coroas Obra Missionária Siloé – Bento Gonçalves Associação dos Lesados Medulares do RS – Novo Hamburgo Associação Canoense de Deficientes Físicos – Canoas

O programa Desenvolvimento e Inserção Social na Primeira Infância é destinado a instituições privadas de

Educação Infantil, sem fins lucrativos, autoras de projetos voltados à qualificação dos serviços, melhoria de processos administrativos e pedagógicos, além de melhorias na infraestrutura. Foram inscritos 22 projetos de 10 municípios gaúchos, e 10 deles foram selecionados. Com os recursos foi possível construir novas salas, ampliando o número de crianças atendidas, remodelar espaços de convivência e lazer, disseminar hábitos saudáveis, adquirir material pedagógico e equipamentos, além de qualificar educadores e proporcionar novas oportunidades de conhecimento para as crianças.

PRIMEIRA INFÂNCIA Associação de Proteção à Infância – Guaíba Sociedade Literária e Caritativa Santo Agostinho – Porto Alegre Associação Beneficente Evangélica da Floresta Imperial – Novo Hamburgo Obra Social Imaculado Coração de Maria – Porto Alegre Obra Social Nossa Senhora do Trabalho – Santa Maria APAE – Tenente Portela Centro de Atendimento Integrado Morro da Cruz – Porto Alegre Associação Beneficente Amurt Amurtel – Porto Alegre Lar da Criança Menino Jesus de Praga – Porto Alegre Instituto Maria Galbusera – Porto Alegre

29


omentar o desenvolvimento sustentável das comunidades por meio de iniciativas com forte impacto social é um dos objetivos da Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho, orientando o Investimento Social Privado e incentivando seus parceiros e colaboradores a seguirem nessa direção. Entre as ações de 2012, destaca-se o lançamento da primeira edição do programa Estratégias e Iniciativas de Combate à Pobreza em parceria com a Inter-American Foundation (IAF), agência americana independente ligada ao congresso dos Estados Unidos, que apoia programas sociais na América Latina.

Durante o ano também tiveram prosseguimento, entre outras iniciativas, os projetos amparados pelo Funcriança

do Grupo RBS, formado pela doação de parte do imposto de renda devido pelos colaboradores e pelas empresas do Grupo. Mais do que contabilizar recursos, estamos somando esforços e comprometimento pela causa da infância e da adolescência no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina.


Combate à Pobreza

No dia 30 de outubro foi firmada parceria

de renda, inserção no mercado de trabalho, microcrédito e

entre a Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho, a Secretaria

segurança alimentar, entre outras demandas.

do Trabalho e do Desenvolvimento Social do Rio Grande

do Sul, a Inter-American Foundation (IAF) e as empresas

projeto, repassando os recursos às instituições sociais,

Bentec, Lojas Renner, Innova, Artecola e Empresas Ran-

além de monitorar e avaliar a execução das ações. Na

don, que contam com incentivo fiscal da Lei da Solidarie-

ocasião da assinatura da parceria, a representante da IAF

dade, para garantir a aplicação de R$ 900 mil em projetos

no Brasil, Amy Kirschenbaum, disse que a entidade acredi-

de combate à pobreza no Rio Grande do Sul. As propostas

ta que apoiar as próprias pessoas e as agências locais, para

das organizações sociais para se candidatar a uma parcela

que elas se autoajudem, é um mecanismo para superar a

desses recursos foram encaminhadas até o final do ano.

pobreza e a desigualdade que ainda se encontram no país.

O edital de seleção já foi aberto e, para serem

aprovados, os projetos devem ter orçamento de execução

A FMSS responde pelo gerenciamento do

“Nossa principal missão é apoiar esse movi-

mento comunitário”, afirmou Amy.

de no máximo R$ 100 mil e prazo de conclusão de até 10 meses. Entre os possíveis focos das ações estão geração

Assinatura do termo de cooperação técnica entre empresas parceiras e selcionados pelo Edital de Combate à Pobreza.

31


Instituição Canto dos Anjos – Beneficiada pelo Fundo de Incentivo da Região Nordeste.

32


Fundo de Incentivo da Região Nordeste de Porto Alegre

Criado para incentivar o desenvolvimento

da Região Nordeste da capital gaúcha em áreas escolhidas pela comunidade, o Fundo é resultado de uma parceria entre a FMSS, Fundação Avina e Instituto Vonpar. Em 2012, ocorreu a sua terceira edição do Fundo, com a participação de 12 instituições sociais, registra-

93.220

R$

repassados às instituições

das nos conselhos de direito e de assistência social, com atuação nas áreas de Educação Infantil, trabalho socioeducativo, cultura e geração de trabalho e renda. Os recursos para sua formação foram captados junto ao Projeto Alquimia do Ministério Público Estadual. A região tem um dos mais altos índices de vulnerabilidade social da capital. Por meio de ações de combate aos jogos ilícitos, o Ministério Público aplica multas aos contraventores que, por sua vez, são revertidas para instituições sociais. Foram repassados R$ 50 mil pelo MP para a formação do Fundo. Das 12 instituições, oito atingiram 100% da captação, num total de R$ 46.610,10. Com o aporte do Fundo no mesmo valor, foi repassada às instituições a quantia de R$ 93.484,20. No total, foram beneficiadas 2.614 pessoas.

Para estimular a sustentabilidade dos projetos

e a busca sistemática de doações, as organizações beneficiando se inscrevem, também, no Portal Social - ferramenta de financiamento colaborativo da FMSS. O Fundo adota um mecanismo de contrapartida, ou seja, a cada R$ 10 captados pela instituição através do Portal Social as organizações recebem o mesmo valor dos mantenedores do Fundo, até o valor máximo de R$ 5 mil.

33


Oficinas de dança da ONG Canta Brasil, apoiada pela FMSS.

Projeto Casa AmarelaONG Canta Brasil

Do Morro Santa Tereza se avista uma das

mais belas paisagens de Porto Alegre. Quando o olhar recai sobre algumas de suas comunidades, como a da Vila Gaúcha, a visão ainda não é a mais atraente, devido ao grau de carências enfrentadas. Para ajudar a mudar essa realidade, surgiu o projeto Casa Amarela. O objetivo é fazer com que os moradores da Vila Gaúcha tenham a Casa Amarela como referência de espaço sociocultural na região, não só com as atividades do Núcleo do Canta Brasil, mas fazendo a interação entre as manifestações populares da vila. O projeto tem suas atividades focadas no fortalecimento dos direitos da criança e do adolescente, no apoio à educação, no lazer, na qualificação para o trabalho e no desenvolvimento comunitário.

A

Casa

Amarela

conta

com

o

apoio

da Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho, e se tornou um Centro Programa de Oportunidade e Direitos (POD) Juventude por meio de convênio com a Se-cretaria Estadual de Justiça e Direitos Humanos do Rio Grande do Sul. A instituição foi contemplada com R$ 43.918,00 de recursos provenientes do Funcriança Grupo RBS. No local são desenvolvidas oficinas de dança, de aprendizagem de inglês e de esportes destinadas a crianças e adolescentes. Também há cedência de espaço para reuniões e eventos de grupos e associações que tenham ligação com aquela comunidade.

34


77.836

R$

Repassado às duas instituições

Projeto Caeira 21

O Caeira 21 é um projeto mantido pelo Grupo de

Trabalho Comunitário Catarinense (GTCC) com objetivo de divulgar, promover e exercitar a cultura popular, motivando crianças e jovens da comunidade do Caeira do Saco dos Limões, em Florianópolis. Carentes de ações sociais, eles são estimulados para o exercício de cidadania e valorização da identidade brasileira, bem como o reconhecimento das diversas contribuições da arte-educação, metodologia empregada pela ONG Canta Brasil.

Em 2012, a FMSS repassou ao Caeira 21

R$ 33.918,34 por meio do Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Florianópolis. Este recurso possibilitou a manutenção do projeto, cobrindo principalmente os gastos com recursos humanos, materiais e comunicação. Com o aporte, o projeto conseguiu atender 150 crianças e adolescentes por meio das oficinas de capoeira, confecção e teatralização do Boi de Mamão – Boi Folia, dança e esporte, entre outras atividades.

Uma apresentação da bateria mirim do proje-

to Caeira 21 encantou os colaboradores do Grupo RBS em Florianópolis, na demonstração foi no hall da sede da empresa em Santa Catarina. Sob a batuta de Mestre Biscoito, 15 crianças com idade entre 8 e 17 anos deram um show de ritmo e carisma, ao lado do primeiro casal mirim de mestresala e porta-bandeira. Mestre Biscoito foi um dos ritmistas que passaram pela bateria mirim, criada há 22 anos com o Caeira 21.

35


Funcriança do Grupo RBS e a participação dos colaboradores

O Grupo RBS acredita que a mobilização por uma causa ganha ainda mais repercussão quando começa

em casa. Por isto, a empresa estimula cada vez mais seus colaboradores a participar de iniciativas como o Funcriança, constituído pela doação de até 6% do seu imposto de renda devido a projetos sociais cadastrados nos Fundos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente. A FMSS atua como gestora dos recursos, acompanhando o processo desde o início, com a identificação e seleção das entidades aptas a receber os aportes até o monitoramento da aplicação dos repasses. O Grupo RBS faz o adiantamento do valor a ser doado e, após um ano, o colaborador faz a devolução referente ao valor emprestado, em três parcelas.

Em 2012, foram contempladas 11 instituições do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. O número de be-

neficiados chegou a 1910 com os R$ 232.730 repassados.

36

Instituição

Cidade

Centro Infantil Renascer da Esperança

Porto Alegre

Associação Santa Zita de Lucca

Porto Alegre

Centro de Integração da Criança Especial – Kinder

Porto Alegre

ViaVida – Pró-Doações e Transplantes

Porto Alegre

ASAS – Ações Sociais Amigos Solidários

Florianópolis

ABAM – Associação Blumenauense de Amparo ao Menor

Blumenau

Fundo Municipal de Caxias do Sul

Caxias do Sul

Casa da Criança do Morro da Penitenciária

Florianópolis

Patronato Agrícola Santa Rosa

Santa Rosa

Mitra Arquidiocese de Porto Alegre – Centro Social Pe. Pedro Leonardi

Porto Alegre

Centro de Promoção da Criança e do Adolescente (ICSFA)

Porto Alegre


810

pessoas beneficiadas em Viamão

Jovens de Responsa

Prevenir o uso indevido de álcool por menores de 18 anos é o foco do programa Jovens de Responsa, de-

senvolvido pela Ambev, e que tem a FMSS como uma de suas parceiras. Nas campanhas de sensibilização da sociedade, são desenvolvidas atividades de inclusão social, cultural e esportiva, de acordo com a realidade local. A metodologia inclui ainda o compartilhamento de experiência e resultados entre as entidades apoiadoras do programa.

Por meio do Funcriança, foram repassados R$ 100 mil a três instituições, beneficiando 810 pessoas que

vão atuar como multiplicadores da metodologia em Viamão, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Novo Lar, Bom Samaritano e Assistência Social Santa Isabel (Assi) foram as entidades beneficiadas, desenvolvendo projetos de ação integrada. A Assi, por exemplo, realiza a capacitação dos educadores, enquanto a Bom Samaritano promove eventos, desenvolve programas e estimula a participação dos adolescentes em oficinas, o mesmo ocorrendo na Novo Lar, sempre com ênfase no protagonismo juvenil. Os jovens criaram slogans e imagens para colaborar na campanha de prevenção ao uso de álcool e também participaram de oficinas de produção semi-industrial de chinelos, além de estamparia de camisetas e personalização de canecas, abordando temas ligados ao projeto.

37


FIA Santa Catarina

A mobilização também envolveu Santa Ca-

tarina na doação de parte do imposto de renda para projetos cadastrados pelo Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (FIA). Em 2012, iniciaram os cinco projetos aprovados pelo edital especial Funcriança de Florianópolis. Quatro deles já foram encerrados e há um em andamento, previsto para ser executado até agosto de 2013.

Os projetos são realizados por organizações

sem fins lucrativos, cadastradas no Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Florianópolis, e beneficiam, diretamente, 467 crianças e adolescentes moradoras de comunidades de alta vulnerabilidade e risco social. Além dos recursos repassados por meio do FIA, cada um dos projetos ganhou uma página no Portal Social, para visibilidade e captação de recursos por meio de doações diretas. Durante o ano, as instituições receberam capacitação técnica por meio de encontros mensais com temas como Redes Sociais, Construção de Planos de Ação, entre outros.

38


Instituição

Projeto Faixa Etária

Beneficiados

Casa São José

Sorriso Cidadão

146 – 06 a 14 anos

Instituto Engevix

Cultura de Rua

96 – 07 a 15 anos

Ação Social Paroquial de Inglese

Revitalização Casa e Computadores

50 – 06 a 13 anos

Cevahumos – Proj. Família Saudável

Brinquedoteca

120 – 06 a 14 anos

Sociedade Alfa Gente

Transpondo Olhar

55 – 06 a 12 anos

No dia da Família, um evento realizado anualmente pelo Grupo RBS para celebrar a integração das famílias

dos seus colaboradores com o ambiente de trabalho, a FMSS promoveu em Santa Catarina a apresentação cultural de duas instituições beneficiadas pelo Grupo RBS via FIA: coral Vozes da Esperança, do Bairro da Juventude, de Criciúma, e Boi de Mamão – Boi Folia, do Projeto Caeira 21.

39


m um mundo globalizado, a ação em rede entre parceiros públicos, privados e o terceiro setor favorece a busca de alternativas para inclusão social. A FMSS é uma das protagonistas deste círculo virtuoso com o compromisso de qualificar a mobilização e o engajamento junto às comunidades para que os programas e iniciativas alcancem o impacto social desejado.


Movimento Nós Podemos Santa Catarina

Com a principal meta de envolver municípios,

empresas privadas, organizações não governamentais, grupos e movimentos populares para o alcance dos Oito Objetivos do Milênio até 2015, foi criado o Movimento Nós Podemos Santa Catarina, que atua de forma contínua e estruturada desde janeiro de 2009.

A Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho faz

parte da Coordenação Estadual e do Comitê Editorial responsável pela publicação do Boletim Informativo Mensal do movimento.

Conexão Digital

Para discutir o uso de tecnologias para o terceiro

setor foi realizado em abril de 2012, no salão nobre da Federasul, em Porto Alegre, o evento Conexão Digital, promovido pela Associação Telecentro de Informação e Negócios (ATN), ONG Parceiros Voluntários, Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho e Microsoft. Representantes de várias ONGs e telecentros do Rio Grande do Sul participaram do encontro que debateu soluções em tecnologia que podem melhorar o desempenho das organizações sociais. Mais de 40 instituições estiveram presentes.

41


Prêmio Estadual de Direitos Humanos – RS

Iniciativa consagrada no Rio Grande do Sul, o

Prêmio Estadual Direitos Humanos teve sua 13ª edição realizada em 2012. Promovido pela Secretaria Estadual da Justiça e dos Direitos Humanos, Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul e Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho, o prêmio destaca entidades, empresas e pessoas físicas que trabalharam na promoção e defesa dos direitos humanos no Estado. A 13ª edição recebeu 63 indicações, divididas em 12 categorias.

63

indicações

12 categorias premiadas

42


Fórum de Prevenção ao Consumo de Álcool

to Alegre. Seis Grupos de Trabalho foram constituídos para desenvolver ações nas áreas da Comunicação, das Escolas, da Fiscalização, da Legislação, da Interiorização e da Família.

O Ministério Público do Rio Grande do Sul

instituiu em outubro de 2011 o Fórum Permanente de Prevenção à Venda e ao Consumo de Bebidas Alcoólicas por Crianças e Adolescentes, com o objetivo de mobilizar as instituições públicas e privadas, bem como o poder público e a comunidade em torno do tema, visando desenvolver ações voltadas, em especial, à prevenção.

Em janeiro de 2012, o procurador-geral de Justiça, Eduardo de Lima Veiga, expediu recomendação aos promotores e procuradores de Justiça do Rio Grande do Sul, reforçando que a venda, o fornecimento e a entrega, de qualquer forma, ainda que gratuitamente, de bebida alcoólica a crianças e adolescentes, constitui o crime previsto no artigo 243 do Estatuto da Criança e do

Desde a assinatura do termo, o Grupo de Trabalho

Adolescente. Reuniões periódicas com diferentes agen-

realiza reuniões mensalmente, debatendo com especia-

tes integrantes da rede de proteção da criança e do ado-

listas da saúde e da educação, Conselhos Tutelares, pais,

lescente já ocorreram em municípios como Santa Maria,

escolas, Polícia Civil, Brigada Militar, Tribunal de Contas,

Passo Fundo, Santo Ângelo, Lajeado, Capão da Canoa,

além de órgãos da fiscalização municipal, como a Secre-

Rio Grande, São Francisco de Assis, Marcelino Ramos,

taria Municipal da Indústria e Comércio (SMIC) e a Em-

Bento Gonçalves, Fre-derico Westphalen, São Gabriel,

presa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) de Por-

Venâncio Aires, Rosário do Sul.

43


Instituto Crack Nem Pensar

O Instituto foi fundado em 2010 a partir da cam-

No dia primeiro de dezembro, no Palácio do Minis-

panha institucional do Grupo RBS, Crack Nem Pensar. É

tério Público, em Porto Alegre, um grupo de especialistas

uma organização sem fins lucrativos que tem o objetivo

reuniu-se para debater um tema que está mobilizando a

de produzir e disseminar o conhecimento e a capacitação

opinião pública: se a internação compulsória de depen-

de profissionais que atuam na prevenção e atendimento

dentes de crack deve ser usada no enfrentamento desta

de usuários de drogas nos Estados do Rio Grande do Sul

epidemia. Foi apresentado o exemplo do Rio de Janeiro,

e de Santa Catarina.

pioneiro na internação compulsória, e também a posição

Com aliados importantes como o Conselho

de São Paulo, favorável à adoção dessa medida.

Nacional de Justiça, o Instituto Crack Nem Pensar

manteve em 2012 a sua missão de difusor da prevenção

à interação compulsória, por envolver direitos humanos e

ao uso de drogas, principalmente entre a população mais

civis. Independentemente dos pontos de vista adotados,

jovem.

o evento, com apoio da FMSS, serviu para promover a dis-

São fundadores do Instituto: Fundação Maurício

Sirotsky Sobrinho, Associação do Ministério Público do RS, Associação do Ministério Público de SC, Associação dos Juízes do RS, Associação Catarinense de Magistrados, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Também foram apresentadas opiniões contrárias

cussão em torno de iniciativas da sociedade no enfrentamento ao crack e outras drogas, além de informar e fomentar políticas públicas. O crack não traz apenas malefícios físicos e psíquicos, mas também transtornos sociais e de segurança.

e Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Ação de divulgação da campanha Crack, Nem Pensar, que deu origem ao ICNP.

44


Fundação Gerações

Criada em 2008, a Fundação tem o objetivo de qualificar os gestores de entidades do terceiro setor, e a FMSS

é uma de suas instituidoras. A Fundação Gerações também foi a primeira entidade no Rio Grande do Sul a constituir um fundo permanente estatutário. Com seu exemplo, procura incentivar as organizações sociais a formar seus próprios fundos permanentes, com o objetivo de assegurar a perenidade de sua atuação.

Banco de Alimentos

O primeiro Banco de Alimentos do Brasil foi criado no Rio Grande do Sul e tem a FMSS entre seus fundadores.

O Banco atua como um gerenciador de desperdícios, administrando três pontas: coleta, armazenamento e distribuição qualificada de alimentos, efetivadas por meio de uma bem articulada operação logística.

Milhões de quilos de alimentos já foram arrecadados e distribuídos ao longo desses anos, beneficiando centenas

de instituições e milhares de famílias. Além de ajudar no combate à fome, o Banco de Alimentos garante a segurança alimentar e promove campanhas para evitar o desperdício de alimentos.

Fundação HPS

Com o objetivo de auxiliar na qualificação de serviços, a FMSS integra o Conselho Curador da Fundação Pró-HPS

do Rio Grande do Sul. A entidade reúne empresas e fundações interessadas em humanizar o atendimento e aperfeiçoar a infraestrutura do Hospital de Pronto Socorro.

Os recursos arrecadados pela Fundação Pró-HPS são aplicados na compra de equipamentos, modernização de

serviços, treinamento de pessoal e na realização de obras necessárias para ampliação do atendimento à população.

45


Aluna da Escola Municipal An铆sio Teixeira, em Florian贸polis, participando de atividade promovida pela FMSS.

46


Grupo de Trabalho para o Desenvolvimento do TerceiroSetor

O Grupo foi criado em 2000 e é coordenado pela Fundação Irmão José Otão. O foco é o estudo de temas

relacionados ao terceiro setor, bem como a mobilizações em busca de propostas mais modernas de incentivos fiscais e também de iniciativas para fomentar a troca de experiências e conhecimento em torno da qualificação das organizações sociais.

Em 2012, o Grupo lançou a terceira cartilha de sustentabilidade das organizações do terceiro setor, com o

tema A Relação entre o Estado e a Sociedade Civil.

PGQP Desenvolvimento Social

A FMSS faz parte do Programa Gaúcho de Qualidade e Produtividade de Desenvolvimento Social.

A fundação apoia e estimula a difusão da cultura da gestão pela qualidade. Uma das fundadoras e integrantes do Comitê Estadual, a FMSS igualmente contribui na elaboração de estratégias e disseminação dos fundamentos da qualidade na gestão para as organizações da sociedade civil sem fins lucrativos.

47


ropulsora e articuladora de programas sociais, a FMSS é o braço do Grupo RBS para o direcionamento das ações de Investimento Social Privado, canalizando a doação de espaços comerciais para causas que efetivamente sejam comprometidas com o fortalecimento da cidadania e com a geração de ambientes inclusivos.


17

R$

milhões em doação de mídia

143

instituições beneficiadas

Resultados

Campanhas sem fins lucrativos e que estejam

afinadas com os princípios do Grupo RBS e sua política de sustentabilidade empresarial costumam ser apoiadas não só institucionalmente, mas também por meio da doação de espaços comerciais nas diferentes mídias gerenciadas pela empresa.

Essa prática ganha a cada ano contornos

mais profissionais sob a supervisão da FMSS, responsável pela seleção e encaminhamento das solicitações do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina que também se avolumam a cada exercício. Entre outros critérios, são analisados o objetivo da campanha, público-alvo e tempo de veiculação e também o conteúdo das campanhas do ponto de vista legal, moral e ético.

Para melhor avaliar o impacto da doação do

espaço comercial, a FMSS orienta as entidades beneficiadas a adotarem o hábito de elaboração e encaminhamento de relatório com dados sobre o resultado da ação.

Em 2012 foram doados mais de R$ 17 milhões

em espaços comerciais para veiculação de campanhas de instituições sem fins lucrativos. Neste ano 143 instituições foram bonificadas.

49


o longo de seus 25 anos, a FMSS desenvolveu um padrão rigoroso de prestação de contas e divulgação de seus resultados financeiros, por acreditar que, além de sua responsabilidade com a transparência, presta um serviço para o desenvolvimento e qualificação do Investimento Social Privado no Brasil.


CONSOLIDADO FMSS 2012 RECURSOS PRÓPRIOS Programas

Valores em R$

Projetos de desenvolvimento comunitário

30.214,23

Apoio à leitura – O Continente

59.400,00

Apoio institucional

22.800,00

Comunicação

40.971,28

Prêmio RBS de Educação

153.104,90

Campanha Institucional – Educação

164.000,00

Despesas Gerais e Administrativas

745.801,34

Total

1.216.291,75

RECURSOS DE PARCEIROS Programas

Valores em R$

93.220,00

Portal Social – Região Nordeste

55.218,00

Portal Social – doação espontânea Funcriança Colaboradores Grupo RBS

232.730,00

Jovens de Responsa (Ambev)

100.000,00

Rede Parceria Social (Gerdau)

600.000,00

Total

1.081.168,00

Total Geral (recursos próprios + recursos de parceiros)

2.297.459,75

51


Os desenhos usados nesta edição foram feitos pelas crianças da Associação Santa Zita de Lucca. Os desenhos fazem alusão aos 25 anos da Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho.

52


Expediente

Relatório de Atividades 2012

Conselho de Curadores Textos Presidente de Honra

Angela Caporal

Ione Pacheco Sirotsky Criação e Diagramação Presidente Emérito

Duas Designers

Jayme Sirotsky Desenhos Conselheiros

Alunos da Associação Santa Zita de Lucca

Nelson Pacheco Sirotsky Eduardo Sirotsky Melzer

Revisão

Pedro Pacheco Sirotsky

Diogo Reck Figueiredo

Marina Sirotsky Elaine Axelrud Alexandre Jobim Marcelo Rech Lúcia Dellagnelo Mozart Ramos Neves Viviane Senna

Fotos Arquivo FMSS Franco Rodrigues/Glow Press Vanessa Wigger Sirlei Freitas Mauricio Vieira Roni Rigon

Diretoria

José Doval Marina Kerber

Presidente Nelson Pacheco Sirotsky

Rodrigo Fiatt José Luiz Somenesi Nilson Bastian

Gerente Executiva Lucia Ritzel

Gustavo Ruviaro Ricardo Silva Jonas Ramos

Coordenador de Cooperação Técnica Jéferson Weber dos Santos

Amaralina Xavier Alice Castiel Sílvio Willams

Coordenador Administrativo-Financeiro Rafael Piccoli

Coordenação Amaralina Xavier

Coordenador Escritório de Santa Catarina Cheila Zortéa

Desenhos Ana Kailane Guedes Juliana Barreto Giovannna Reis Oliverio Giovanna Peserico Lucas Santana Jeniffer Monteiro Milena Scheidt Rhuan Reis Oliverio Débora Eduarda Martins Jackson Franco Jeniffer Monteiro Pinto Luis Henrique Guterres Lucas Correa Matheus Santana 53


25


ANOS


1982

EM 30 DE SETEMBRO DE 1982 FOI CRIADA A FUNDAÇÃO RBS. • PROJETOS COLIBRI • GERAÇÃO 21

1987 EM 24 DE MARÇO RECEBE O NOME DE FUNDAÇÃO MAURÍCIO SIROTSKY SOBRINHO. DESTACA-SE O MEMÓRIA RBS, NA LINHA DOS PROGRAMAS CULTURAIS. • MEMÓRIA RBS • PATERNIDADE CONSCIENTE • VALORIZAÇÃO DA VIDA

1995

AÇÕES VOLTADAS AO FORTALECIMENTO DA REDE DE ATENDIMENTO SOCIAL, ATRAVÉS DO PROGRAMA DE COOPERAÇÃO TÉCNICA E FINANCEIRA E GRANDES CAMPANHAS DE MOBILIZAÇÃO SOCIAL.


1999 LANÇA O PROGRAMA ARTE&CIDADANIA.

1996 A FMSS DEIXA DE SER EXECUTORA E PASSA A ATUAR NA COOPERAÇÃO TÉCNICA E FINACEIRA. • PROJETO MOINHOS – GERANDO EMPREENDEDORES • O MOVIMENTO O DIREITO É APRENDER


LANÇA A CAMPANHA INSTITUCIONAL “O AMOR É A MELHOR HERANÇA. CUIDE DAS CRIANÇAS” FOI NESTE ANO QUE O GRUPO RBS PASSOU A ADOTAR AS BANDEIRAS SOCIAIS, NOME DADO PARA AS AÇÕES DE MOBILIZAÇÃO REALIZADAS PELA EMPRESA.

2003

• FUNDO DO MILÊNIO PARA A PRIMEIRA INFÂNCIA

2005 REFORMULA MISSÃO, VISÃO E VALORES. LANÇA O PORTAL SOCIAL – PRIMEIRA INICIATIVA DE CROWDFUNDING PARA PROJETOS SOCIAIS DO BRASIL. • MOBILIZAÇÃO SOCIAL • REDE PARCERIA SOCIAL • PRÊMIO EXEMPLO VOLUNTÁRIO

2008 LANÇA O PARCEIROS DA EDUCAÇÃO, QUE BUSCA FAZER COM QUE ESCOLAS MELHOREM SEUS INDICADORES DE APRENDIZAGEM POR MEIO DE UMA GESTÃO ESCOLAR EFICIENTE.

• FUNCRIANÇA RBS • CAMPANHA EDUCAR É TUDO


2012

LANÇA A BANDEIRA INSTITUCIONAL “A EDUCAÇÃO PRECISA DE RESPOSTAS”, COM GRANDE REPERCUSÃO NA SOCIEDADE E NA COMUNIDADE ESCOLAR.

2011 FOCA SUA ATUAÇÃO EM EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO.

2010 CRIAÇÃO DO INSTITUTO CRACK NEM PENSAR. TORNA-SE SIGNATÁRIA DAS METAS DO MOVIMENTO TODOS PELA EDUCAÇÃO.


www.fmss.org.br Av. Erico Verissimo, 400 – 5º andar Porto Alegre – RS Cep: 90160-180 Fone: (51) 3218-6024 Fax: (51) 3218-5035 Rodovia SC, 401, 4190 - Torre A Florianópolis - SC Cep: 88032-005 Fone/Fax: (48) 3216-3090

Relatório de Atividades Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho 2012  

Conheça os principais projetos desenvolvidos e apoiados pela FMSS em 2012, além de nossos dados financeiros. A edição de 2012 é comemorativ...

Advertisement