Page 1

Soluções de qualidade

Kelapril Comprimidos para administração oral em cães e gatos. Comprimidos doseados a 2.5mg, 5mg ou 20 mg de hidrocloreto de benazepril Comprimidos revestidos para uma administração facilitada Para o tratamento da insuficiência cardíaca congestiva (nos cães) e da insuficiência renal (nos gatos) Boa tolerância

Responsável pela comercialização em Portugal: Flyingvet Lda


Kelapril 2.5 mg / 5 mg / 20 mg

comprimidos revestidos para cães e gatos Os inibidores da enzima de conversão da angiotensina (ECA) são altamente benéficos na manutenção e no tratamento da insuficiência cardíaca congestiva em cães, melhorando os sintomas e a tolerância ao exercício e contribuindo para aumentar a esperança de vida. Em gatos com insuficência renal crónica os inibidores da ECA diminuem a proteinúria, a tensão arterial sistémica, atrasando deste modo a progressão na doença.

O Sistema Renina Angiotensina Sendo um percursor, o angiontensinogénio é produzido ao nível do fígado e metabilizado em angiotensina I por acção da renina, uma enzima libertada pelas células justaglomerulares. A angiontensina I é por sua vez convertida em Angiotensina II a qual é posteriormente catalizada pela enzima conversora de angiotensina (ECA), ao nível do endotélio pulmonar e renal. O Benazepril bloqueia a conversão da Angiontensina I em Angiontensina II, inibindo desta forma a sua resposta lenta, assim como as reacções morfológicas. ANGIOTENSINOGÉNIO RENINA

BENAZEPRIL

ANGIOTENSINA I ENZIMA CONVERSORA DA ANGIOTENSINA

ANGIOTENSINA II

Resposta rápida

Vasoconstrição Aumento da resistência vascular periférica

Resposta lenta

Alteração da função renal: aumento da retenção de fluidos + + o Directa: Na e K reabsorção nos túbulos proximais + o Indirecta: secreção de aldosterona: Na reabsorção

Reacção morfológica

Hipertrofia vascular e cardíaca o Aumento da produção de factores de crescimento o Síntese da matriz extracelular

Farmacocinética Depois da administração oral, o benazepril é rapidamente absorvido ao nível do tracto gastrointestinal, sendo hidrolisado pelas células hepáticas para dar origem à forma activa, o benazeprilato. O pico da concentração sérica da forma activa é atingido 1,43 horas (Tmax) nos cães e 1,91 horas nos gatos, após a toma oral do KELAPRIL

Insuficiência cardíaca congestiva nos cães Em caso de insuficiência cardíaca congestiva, o coração torna-se incapaz de assegurar uma circulação sanguínea adequada face às necessidades do organismo. A doença valvular crónica nas raças pequenas e a cardiomiopatia dilatada nas restantes, são as causas mais comuns de insuficiência cardíaca congestiva. Devido ao aumento da pressão sanguínea ao nível do sistema venoso, verifica-se uma fuga de fluidos ao nível dos pulmões (edema pulmonar) e da cavidade peritoneal (ascite). Os primeiros sinais não são específicos, mas à medida que a ICC evolui, sintomas específicos como: respiração rápida/ofegante, tosse, inchaço/distenção abdominal e uma acentuada perda de peso tornam-se visíveis e evidentes. Num estádio mais avançado da doença ocorrem dificuldades respiratórias, cianose e finalmente síncope. Eficácia clínica 1162 cães com insuficiência cardíaca congestiva(1) foram tratados com 0,25 - 0,5 mg de benazepril por kg/p.v.. O benzapepril aumentou significativamente a esperança de vida de 158 no grupo placebo, para 428 dias no grupo tratado. Tempo de sobrevivência em dias

benazepril

placebo

Inibição da ECA O benazepril actua por inibição da Enzima Conversora da Angiontensina (ECA), daí resultando uma redução da taxa de conversão da Angiotensina I em Angiotensina II. O benazepril irá consequentemente induzir uma vasodilatação e uma diminuinuição da retenção de fluidos.

0

50

100

150

200

250

300

400

% Taxa de Sobrevivência 70 60 50 40

Placebo

30

Benazepril

20 10 0 0,5

Em consequência o sangue circula mais livremente pelos vasos (efeito vasodilatador), reduzindo o esforço exigido ao músculo cardíaco para assegurar a circulação sanguinea.

350

1

2

450


Passado 1 ano, 49% dos cães tratados com benazepril sobreviveram, comparado com os apenas 20% no grupo placebo. Os resultados indicaram igualmente que o prognóstico melhora tanto mais significativamente, quanto mais precocemente for implementada a terapia por benazepril relativamente ao início da doença. O benazepril atrasou o tempo de progressão da insuficiência cardíaca, de moderada (classe II) para avançada (classe III), por um factor de 2, quando comparado com o placebo: 394 dias em vez de 209. 28 dias após o início do tratamento constatou-se a existência de um número significativamente maior de cães que apresentaram uma maior tolerância ao exercício (57%) e um incremento da condição geral (61%), quando comparados com os animais tratados com placebo (34% e 33% respectivamente). Tolerância nos cães A percentagem de cães que apresentaram episódios indesejáveis não foi significativamente diferente entre o grupo tratado com benazepril e o grupo placebo.

Insuficiência renal crónica nos gatos A insuficiência renal crónica é caracterizada por um decréscimo gradual e irreversível da taxa de filtração glomerular, resultante de uma perda gradual da massa renal funcional (2). Numa tentativa de compensação os restantes nefrónios sofrem mudanças estrutrais e funcionais de modo a garantir uma taxa de filtração constante. Estas adaptações funcionais originam uma hiperfiltração, a qual é conseguida através de um incremento do volume de sangue circulante e da pressão sanguínea ao nível dos capilares glomerulares. Este aumento da pressão intraglomerular é a longo prazo lesivo para o rim. Uma vez que conduz a uma proteinúria e a uma consequente inflamação local responsavel pela progressão dos danos renais. O benazepril reduz a pressão intraglomerular diminuindo a pressão sanguínea sistémica bem como a vasoconstrição das arteríolas eferentes. Nos gatos um rácio de proteína / creatinina na urina (UPC) > 0.5 é indicativo de uma proteinúria renal persistente. Em animais com insuficiência renal crónica espontânea e apresentando um rácio urinário de proteína/ creatinina (UPC) > 1.0, foram evidentes tempos de sobrevivência significativamente superiores: 402 dias no grupo benazepril vs. 149 dias no grupo placebo. O efeito benéfico sobre o apetite foi observado inclusive nos gatos com proteinúria mais pronunciada (UPC >1.0).

Tolerância em gatos A segurança de utilização do benazepril em gatos com insuficiência renal crónica, está confirmada e deve-se ao facto de a parte activa da molécula, o benazeprilato, ser maioritariamente (85%) eliminada através da bílis, não se acumulando no organismo dos animais com doença renal.

Posologia KELAPRIL deve ser administrado oralmente 1 vez por dia, com ou sem alimento. A duração do tratamento é ilimitada. Cães Uma dose mínima é de 0.25 mg (podendo variar entre 0.25 e 0.5) de benazepril HCL, por kg de peso corporal, uma vez ao dia. Se considerado clinicamente necessário e sempre sob vigilância de um médico veterinário, esta dose pode ser duplicada, continuando a ser administrada uma vez ao dia, (dose mínima de 0.5 mg/kg), podendo variar entre 0.5 e 1.0 mg. Peso do KELAPRIL 2.5 mg cão Dose Dose (kg) normal dupla

KELAPRIL 5 mg

KELAPRIL 20 mg

Dose normal

Dose dupla

Dose normal

Dose dupla

2.5 - 5

0.5 cp

1 cp

˃ 5 - 10

1 cp

2 cp

0.5 cp

1 cp

˃ 10 - 20

1 cp

2 cp

˃ 20 - 40

0.5 cp

1 cp

˃ 40 - 80

1 cp

2 cp

Gatos KELAPRIL 2.5 mg ou 5 mg deve ser administrado oralmente numa dose mínima de 0.5 mg (podendo variar entre 0.5-1.0) de benazepril HCL por kg de peso corporal, uma vez por dia de acordo com a tabela: Peso do gato (kg)

KELAPRIL 2.5 mg

KELAPRIL 5 mg

2.5 - 5

1 comprimido

0.5 comprimido

˃ 5 - 10

2 comprimido

1 comprimido

Referências bibliográficas 1. The BENCH STUDY GROUP The effect of benazpril on survival times and clinical signs in dogs with congestive heart failure: Results of a multicenter, prospective, randomized, double-blinded, placebo-controlled, long-term clinical trial. Journal of Veterinary Cardiology, Vol. 1, No. 1, May 1999. 2. KING J.N., GUNN-MOORE D.A., TASKER S., GLEADHILL A., STREHLAU G., BENRIC STUDY GROUP. Tolerability and efficacy of Benazepril in cats with chronic kidney disease. J. Vet. Intern. Med. 20:1054-1064 – 2006.

Vantangens de Kelapril ✔ eficaz em cães e gatos ✔ trata a insuficiência cardíaca (nos cães) e também a insuficiência renal (nos gatos) ✔ muito bem tolerado


NOME DO MEDICAMENTO VETERINÁRIO: KELAPRIL® 2,5 mg, comprimidos revestidos por película para cães e gatos; KELAPRIL® 5 mg, comprimidos revestidos por película para cães e gatos; KELAPRIL® 20 mg, comprimidos revestidos por película para cães; RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO: NOME DO MEDICAMENTO VETERINÁRIO: KELAPRIL® 2,5 mg, comprimidos revestidos por película para cães e gatos; KELAPRIL® 5 mg, comprimidos revestidos por película para cães e gatos; KELAPRIL® 20 mg, comprimidos revestidos por película para cães; COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA: Substância(s) activa(s): KELAPRIL® 2,5 mg: benazepril 2,3 mg (equivalente a 2,5 mg de benazepril HCL); KELAPRIL® 5 mg: Benazepril 4,6 mg (equivalente a 5 mg de benazepril HCL); KELAPRIL® 20 mg: Benazepril 18,4 mg (equivalente a 20 mg de benazepril HCL); Adjuvante(s): n.a.; Excipientes: Mono-hidrato de lactose, Celulose microcristalina, Amido pré-gelatinizado, Óleo de rícino hidrogenado, Crospovidona, Sílica coloidal anidra; Revestimento: Copolímero enxertado de macrogol poli, Silica coloidal anidra, Talco, Macrogol 6000, Dióxido de titânio (E-171)- (KELAPRIL® 2,5 mg), Óxido de ferro (amarelo) (E-172)- (KELAPRIL® 5 mg), Óxido de ferro (vermelho) (E-172)- (KELAPRIL® 20 mg) q.b. 1 comprimido; FORMA FARMACÊUTICA: KELAPRIL® 2,5 mg, comprimidos divisíveis brancos, ovais e com entalhe dos dois lados; KELAPRIL® 5 mg, comprimidos divisíveis, amarelo-claro, ovais e com entalhe dos dois lados; KELAPRIL® 20 mg, comprimidos divisíveis vermelho-claro, ovais e com entalhe dos dois lados; INFORMAÇÕES CLÍNICAS: Espécie(s) alvo: KELAPRIL® 2,5 mg e KELAPRIL® 5 mg - Cães e gatos; KELAPRIL® 20 mg - Cães; Indicações de utilização, especificando as espécies-alvo: Cães – tratamento da insuficiência cardíaca congestiva; Gatos: redução da proteinúria associada à Insuficiência renal crónica (IRC); Contra-indicações – Não administrar em caso de hipersensibilidade à substancia activa ou a algum dos excipientes. Não administrar em caso de hipotensão, hipovolémia, hiponatrémia ou de insuficiência renal aguda. Não administrar em caso de insuficiência do débito cardíaco devida a estenose aórtica ou pulmonar. Não administrar durante a gestação ou lactação; Advertências especiais para cada espécie-alvo - Não foram assinaladas; Precauções especiais de utilização em animais - Durante os ensaios clínicos, não se observou nenhuma evidencia de toxicidade renal do medicamento veterinário em cães e em gatos; no entanto e de acordo com o procedimento de rotina em casos de doença renal crónica, recomenda-se a monitorização da creatinina e da ureia plasmática e da contagem dos eritrócitos durante a terapêutica. Não foi estabelecida a eficácia e segurança do medicamento veterinário em cães e gatos com peso corporal inferior a 2,5 kg; Precauções especiais que devem ser tomadas pela pessoa que administra o medicamento aos animais – Lavar as mãos após a administração. Em caso de ingestão acidental, dirija-se imediatamente a um médico e mostre-lhe o folheto informativo ou o rótulo. As mulheres grávidas devem ter especial atenção de forma a evitar a exposição oral acidental, pois os inibidores da enzima de conversão da angiotensina (ECA) revelaram afectar o nascituro durante a gestação em humanos; Reacções adversas (frequência e gravidade) – Em ensaios clínicos duplamente cegos em cães com insuficiência cardíaca congestiva, o medicamento veterinário foi bem tolerado, com uma incidência de reacções adversas inferior à observada em cães tratados com placebo. Um pequeno número de cães poderá manifestar sintomas transitórios de vómito, incoordenação ou sinais de fadiga. Em cães com doença renal crónica, o medicamento pode aumentar as concentrações plasmáticas de creatinina, no início da terapêutica. Um aumento moderado das concentrações de plasmáticas de creatinina, na sequência da administração de inibidores da ECA, é compatível com a redução da hipertensão glomerular induzida por estes agentes, pelo que não constitui necessariamente razão para parar a terapêutica na ausência de outros sinais. O medicamento veterinário pode aumentar o consumo de alimentos e o peso corporal em gatos. Registaram-se casos raros de emése, anorexia, desidratação, letargia e diarreia em gatos; Utilização durante a gestação e a lactação – Não administrar durante a gestação ou lactação. A segurança do medicamento veterinário não foi determinada em cães e gatos reprodutores, gestantes ou lactantes. O benazepril reduziu o peso ovário/oviduto em gatas, quando administrado diariamente na dose de 10 mg/kg do peso corporal durante 52 semanas. Foram observados efeitos embriotóxicos (malformação do trato urinário do feto) em ensaios com animais de laboratório (ratos) com doses não maternotóxicas; Interacções medicamentosas e outras formas de interacção – Em cães com insuficiência cardíaca congestiva, o medicamento foi administrado em combinação com digoxina, diuréticos, pimobendan e medicamentos veterinários contra arritmias, sem manifestação de interacções adversas. Em humanos, a combinação de inibidores da ECA com Anti Inflamatórios Não Esteróides (AINE) pode provocar diminuição da eficácia anti-hipertensiva ou deterioração da função renal. A combinação do medicamento veterinário com outros agentes contra a hipertensão (por exemplo, bloqueadores do canal de cálcio, bloqueadores  ou diuréticos), anestésicos ou sedativos pode potenciar os efeitos hipotensivos. Por conseguinte, a administração concomitante de AINE ou outros medicamentos com efeito hipotensor deve ser considerada com precaução. A função renal e os sinais de hipotensão (letargia, debilidade, etc.) devem ser monitorizados assiduamente e tratados conforme necessário. Não se podem excluir possíveis interacções com diuréticos poupadores de potássio, como espironolactona, triamtereno ou amilorida. Recomenda-se a monotorização dos níveis de potássio plasmático quando o medicamento veterinário for administrado em combinação com um diurético poupador de potássio, devido ao risco de hipercalemia; Posologia e via de administração – Cães: administração oral, o medicamento veterinário deve ser administrada por via oral, uma vez ao dia, na dose mínima de 0,25 mg (intervalo 0,25-0,5 mg) de hidrocloreto de benazepril/kg de peso corporal, uma vez ao dia, de acordo com a tabela seguinte: KELAPRIL 2.5 mg Peso do cão(kg) 2.5 - 5 ˃ 5 - 10 ˃ 10 - 20 ˃ 20 - 40 ˃ 40 - 80

KELAPRIL 5 mg

KELAPRIL 20 mg

Dose normal Dose dupla Dose normal Dose dupla Dose normal Dose dupla 1/2 cp 1 cp – – –

1 cp 2 cp – – –

– 1/2 cp 1 cp – –

– 1 cp 2 cp – –

– – – 1/2 cp 1 cp

– – – 1 cp 2 cp

Se considerado clinicamente necessário e sempre sob vigilância de um médico veterinário, esta dose pode ser duplicada, continuando a ser administrada uma vez ao dia, dose mínima de 0.5mg/kg (podendo variar entre 0.5 e 1.0). Gatos: o medicamento veterinário deve ser administrado oralmente numa dose mínima

TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO: KELA N.V., St. Lenaartseweg 48, 2320 Hoogstraten, Bélgica

de 0.5 mg (podendo variar entre 0.5-1.0) de benazepril HCL por kg de peso corporal, uma vez por dia de acordo com a tabela: Peso do gato (kg) 2.5 - 5 ˃ 5 - 10

KELAPRIL 2.5 mg 1 comprimido 2 comprimidos

KELAPRIL 5 mg 0.5 comprimido 1 comprimido

Sobredosagem (sintomas, procedimentos de emergência, antídotos), (se necessário): O medicamento veterinário reduziu as contagens de eritrócitos em cães normais, quando administrado em doses de 150 mg/kg uma vez ao dia, durante 12 meses, mas não se observou este efeito na dose recomendada durante os ensaios clínicos realizados em cães. De igual modo o medicamento veterinário reduziu as contagens de eritrócitos em gatos normais, quando administrado em doses de 10 mg/kg uma vez ao dia, durante 12 meses, mas não se observou este efeito na dose recomendada durante os ensaios clínicos realizados em gatos. Em caso de sobredosagem acidental, pode ocorrer hipotensão reversível transitória. A terapêutica deve consistir na infusão intravenosa de soro fisiológico isotónico aquecido; Intervalo(s) de segurança: Não aplicável; PROPRIEDADES FARMACOLÓGICAS: Grupo farmacoterapêutico: Inibidores da ECA, simples, código ATCVet: QC09AA07; Propriedades farmacodinâmicas – o benazepril HCL é um pró-fármaco hidrolisado in vivo até ao seu metabolito activo, o benazeprilato. O benazeprilato é um potente e selectivo inibidor da ECA, pelo que evita a conversão da angiotensina I inactiva em angiotensina II activa, reduzindo assim a síntese da aldosterona. Por conseguinte, bloqueia o efeito mediado pela angiotensina II e a aldosterona, incluindo a vasoconstrição de artérias e veias, a retenção de sódio e água pelo rim e os efeitos da remodelação (incluindo hipertrofia cardíaca patológica e alterações renais degenerativas). O medicamento veterinário provoca a inibição prolongada da actividade da ECA do plasma, com mais de 95% de inibição no pico do efeito e actividade significativa (>80% nos cães e >90% nos gatos) durante 24 horas após a administração da dose. O medicamento veterinário reduz a tensão arterial e a carga volumétrica no coração, em cães com insuficiência cardíaca congestiva. Em gatos com insuficiência renal induzida, o medicamento normalizou uma pressão sanguínea capilar elevada e diminuiu a pressão arterial sistémica. A redução da hipertensão glomerular pode atrasar a evolução da doença renal ao inibir a continuação do efeito lesivo sobre o rim. Ensaios de campo controlados por placebo levados a cabo em gatos com Doença Renal Crónica (CKD) demonstraram que o medicamento reduz significativamente os níveis de proteína na urina e do rácio proteína/ creatina na urina (UPC); sendo provavelmente este efeito mediado via redução da hipertensão glomerular e do efeito benéfico sobre a membrana basal glomerular. Não ficou demonstrado qualquer efeito sobre a taxa de sobrevivência em gatos com (CKD), mas o produto induziu um aumento do apetite nos gatos tratados, em particular nos casos mais avançados; Propriedades farmacocinéticas – Após a administração oral de hidrocloreto de benazepril, são rapidamente atingidos os níveis máximos de benazepril (Tmax 0,58 horas nos cães) e (0,43 horas nos gatos), declinando rapidamente à medida que as enzimas do fígado metabolizam parcialmente o fármaco em benazeprilato. A biodisponibilidade sistémica é incompleta (~ 13% nos cães), devido à absorção incompleta (38% nos cães e < 30% nos gatos) e ao metabolismo de primeiro passo. Em cães, as concentrações máximas de benazeprilato (Cmax de 39,4 ng/ml após uma dose de 0,40 mg/kg de hidrocloreto de benazepril) são atingidas com um Tmax de 1,43 h. Nos gatos, as concentrações máximas de benazeprilato (Cmax de 479,2 ng/ml após uma dose de 0,95 mg/kg de hidrocloreto de benazepril) são atingidas com um Tmáx de 1,91 h. As concentrações de benazeprilato declinam em duas fases: a fase inicial rápida (t1/2=1,7 horas nos cães) e (t1/2=2,4 horas nos gatos) representa a eliminação do fármaco livre, enquanto a fase terminal (t1/2=19 horas nos cães e t1/2=29 horas nos gatos) reflecte a libertação do benazeprilato que estava ligado à ECA, principalmente nos tecidos. O benazepril e o benazeprilato ligam-se em grande extensão às proteínas do plasma (85-90%) e, nos tecidos, encontram-se principalmente no fígado e nos rins. Não existe diferença significativa na farmacocinética do benazeprilato, quando se administra hidrocloreto de benazepril a cães alimentados ou em jejum. A administração repetida do medicamento veterinário conduz à bioacumulação do benazeprilato (R=1,47 em cães e R=1,36 em gatos, com 0,5mg/kg), sendo a estabilização atingida em poucos dias (4 dias nos cães). O benazeprilato é excretado 54% por via biliar e 46% por via urinária, nos cães, e 85% por via biliar e 15% por via urinária, nos gatos. A clearance (depuração) do benazeprilato não é afectada em cães e em gatos, com a função renal comprometida, pelo que não é necessário ajustar a dose do medicamento veterinário nos casos de insuficiência renal; Impacto ambiental - Não mencionado; Incompatibilidades - Desconhecidas; Prazo de validade Prazo de validade do medicamento veterinário tal como embalado para venda: Kelapril 2,5 mg: 24 meses, Kelapril 5 mg: 30 meses; Kelapril 20 mg: 36 meses. As metades de cada comprimido, devem ser administradas no prazo de 2 dias; Precauções especiais de conservação - Conservar a temperatura inferior a 25 °C, na embalagem de origem. Conservar em local seco. Sempre que seja conservada uma metade de comprimido não administrado, deve repor-se no espaço aberto no blister e introduzir este na caixa de cartão. MANTER FORA DO ALCANCE E DA VISTA DAS CRIANÇAS; Natureza e composição do acondicionamento primário: O produto apresenta-se acondicionado em blister PVC/ PCTFE (Kelapril 2,5 mg / Kelapril 5 mg) e PVC/PVDC (Kelapril 20 mg) – blister de alumínio, contendo 14 comprimidos revestidos por película, acondicionados em cartonagem apropriada, contendo 2 blisters (2x14 comprimidos) ou 7 blisters (7x14 comprimidos). É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações; Precauções especiais para a eliminação de medicamentos veterinários não utilizados ou de desperdícios derivados da utilização desses medicamentos: O medicamento veterinário não utilizado ou os seus desperdícios devem ser eliminados de acordo com os requisitos nacionais; TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO: KELA N.V., St. Lenaartseweg 48, 2320 Hoogstraten, BÉLGICA; NÚMERO(S) DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO - AIM: KELAPRIL 2,5 mg, comprimidos revestidos por película para cães e gatos - 592/01/12DFVPT, KELAPRIL 5 mg, comprimidos revestidos por película para cães e gatos - 592/02/12DFVPT, KELAPRIL 20 mg, comprimidos revestidos por película para cães - 592/03/12DFVPT; DATA DA PRIMEIRA AUTORIZAÇÃO/RENOVAÇÃO DA AUTORIZAÇÃO – 08/2012; DATA DA REVISÃO DO TEXTO – 12/07/2013; PROIBIÇÃO DE VENDA, FORNECIMENTO E/OU UTILIZAÇÃO: Só pode ser vendido mediante receita médico-veterinária.

Responsável pela comercialização em Portugal:

Zona Norte: Arnaldo Gomes: 917 349 032; Lino Gimarães: 913 323 532 Zona Sul: Eunice Marques: 915 065 414; Ana Hipólito: 914 365 507 www.flyingvet.pt


Kelapril  

Novidade

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you