Page 1

Contando hist贸rias para valorizar culturas


RESUMO EXECUTIVO

Durante três semanas, 30 voluntários do CISV Internacional, provenientes de pelo menos dez países, em parceria com a FAS Fundação Amazonas Sustentável, aplicarão suas habilidades e conhecimentos no projeto IPP Amazônia – Raízes da Floresta. Serão realizadas atividades educacionais com jovens, a partir de 12 anos, das comunidades da Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Rio Negro a fim de trabalhar o reconhecimento e valorização da cultura local, através da inclusão digital e social de forma a promovê-la para o mundo.


APRESENTAÇÃO O IPP Amazônia acontecerá no período de 1 a 23 de julho de 2011, na Comunidade de Tumbiras no Rio Negro, distante de Manaus, 1h15de de voadeira. A comunidade é foco de atuação da parceira do projeto a FAS – Fundação Amazonas Sustentável, que dentre os seus diferentes projetos realiza o Programa Bolsa Floresta Social, mantendo nesta comunidade uma escola de ensino fundamental de segundo ciclo, ou seja, do 5º ao 9º ano e também realizando educação de Jovens e Adultos. A comunidade faz parte da RDS Rio do Negro – Reserva de Desenvolvimento Sustentável, junto com mais 18 comunidades, todas representadas por líderes locais e também por uma associação formalizada da reserva presidida pelo Sr. Doca. Na comunidade de Tumbiras, vivem 30 famílias ribeirinhas. Como meios de subsistência realizam atividade de agricultura, pesca, produção de farinha d’água (mandioca) e também produção de artesanato. As famílias são caracterizadas por possuírem uma média de 3 filhos sendo que a sua grande maioria acaba iniciando o trabalho já jovem ajudando seus pais no sustento familiar. Quando maiores, a partir dos 17 ou 18 anos, é comum tentarem a vida em Manaus, cidade de grande porte na região norte com promessas de melhores condições de vida e trabalho que acabam não se concretizando por causa do baixo rendimento escolar e também pelas grandes dificuldades que uma vida em cidade grande promove.


MOTIVAÇÃO/JUSTIFICATIVA O projeto surge do confronto direto da comunicação de massa com a realidade local dos povos ribeirinhos da Amazônia. A facilidade da energia elétrica, assim como o acesso à informação, seja por telefone, rádio, televisão e ou internet, mostram novas oportunidades e possibilidades para os jovens. No entanto, entram em confronto direto com a realidade cotidiana das comunidades. O veiculo de comunicação deixa de ser um mediador de processo de emancipação passando a ter uma posição apenas de informe e homogeneizando costumes, valores e questões. Uma característica da região é que os horários dos programas de rádio e TV levam em conta a programação da região sudeste do Brasil, nos meses de horário de verão, uma programação que em São Paulo tem início as 21h, é exibida na região norte às 19h onde os critérios de classificação indicativa para faixa etária são totalmente questionáveis em relação ao horário e duração dos programas. Diante dessa realidade a motivação é poder utilizar os meios de comunicação como mediadores do fortalecimento cultural desmistificando as ferramentas e aproximando as mesmas dos jovens para que possam confrontar as realidades culturais, valorizar e divulgar suas riquezas locais. Voluntários do CISV, uma organização internacional que visa atividades educativas e de valorização cultural para o desenvolvimento do processo de paz e cidadãos conscientes, serão responsáveis pelas atividades de interação e troca cultural.


OBJETIVO GERAL O projeto tem como objetivo trabalhar o reconhecimento da cultura local, valorizando as práticas de trabalho e as tradições locais, as lendas e as relações estabelecidas com a floresta. O projeto promove o debate sobre cultura e busca a formação e instrumentação em ferramentas de comunicação para assim dar voz e visibilidade às riquezas tradicionais e culturais. O envolvimento direto dos jovens da comunidade, na produção dos registros e na comunicação geram o valor principal do projeto e a sua relevância em termos de mapeamento cultural. São os olhos dos que vivem o dia-a-dia da comunidade que são os responsáveis por mapear e trabalhar a cultura local utilizando os voluntários internacionais como mediadores desse processo. Estabelecidos em forma de objetivos, iniciaremos o projeto com as atividades de integração e valorização cultural, sendo já nesse momento trabalhados conceitos iniciais de comunicação, passando então a registrar todo o processo e a produzir materiais com o que foi pesquisado e levantado nesta primeira fase. O segundo momento é de registro digital e comunicação, passando então para a terceira etapa do projeto que realizaremos junto com os jovens a edição de um documentário através de capacitação e criação de estruturas para uma plataforma virtual possibilitando a continuidade e disseminação do que foi construído durante o projeto e da cultura tradicional ribeirinha.


OBJETIVOS ESPECÍFICOS Despertar a valorização da cultura e as raízes das comunidades ribeiros do Rio Negro - Amazonas, por meio de intercâmbio cultural e inclusão digital

• Promover a amazonidade, reconhecimento cultural e natural das comunidades do Rio Negro • Fortalecer a Base da RDS do Rio Negro, como ponto de encontro e troca de conhecimento entre as 19 comunidades pertencentes da reserva. • Facilitar o processo de transição cultural entre gerações, valorizando a cultura e a prática como formas legitimas e dignas • Promover a RDS do Rio Negro através da comunicação via internet ou outros meios como fotografia, vídeo documentário, escritas produzidos pelos próprios jovens e moradores das comunidades.


ESPECTATIVAS E RESULTADOS Três ações educativas e culturais são a base do projeto, sendo que essas estão diretamente conectadas, possuindo fluxos diferentes: Amazonidade: por meio de atividades recreativas que promovam a importância da floresta e o reconhecimento da cultura tradicional, apreciando as semelhanças e valorizando as diferenças. Vozes da Floresta: com recursos audio-visuais e entrevistas, os jovens da comunidade poderão documentar as pessoas, lugares, praticas de trabalho, lendas e sonhos, produzindo materiais, fotos ou vídeos. A Floresta do Mundo: criação de uma plataforma virtual para divulgação deste material, capacitação dos estudantes com ferramentas de comunicação e atualização contínua pela comunidade a fim de disseminarem sua amazonidade.


1ª Etapa (4 dias)

2ª Etapa (8 dias)

3ª Etapa (5 dias)

Amazonidade

Atividades de troca e valorização cultural

Continuação das atividades com foco no segundo pilar

Passar a experiência adiante

Vozes da Floresta

Primeira formação

Período de documentação

Edição

A Floresta do Mundo

Primeira formação

Formação e Produção

Implementação da Plataforma Virtual

Os produtos resultados do projeto serão apresentados primeiro em uma Mostra a ser realizada na Comunidade de Tumbiras, onde serão convidadas todas as comunidades da RDS do Rio Negro que poderá ser transmitida ao vivo, via internet, onde será divulgada para todas as comunidades e parceiros envolvidos.. Poderão, ainda, ser realizadas outras 2 Mostras, em Manaus e São Paulo respectivamente. Após a intervenção do IPP, a comunidade possuirá ferramentas, conhecimento e o suporte constante da FAS para continuar gerando materiais sobre suas riquezas e promovendo sua cultura, seus valores e modo de vida por meio da internet e registros digitais.


CARACTERÍSTICAS DA COMUNIDADE DE TUMBIRAS RDS do Rio Negro abrange três municípios: Novo Airão, Manacapuru e Iranduba em um território de 554.334 hectares. Atende diretamente 19 comunidades ribeirinhas, das quais apenas 10 tem acesso à escola proposta pela FAZ, devido à distância entre as comunidades e a base. Tumbiras é a comunidade base da RDS Rio Negro, por estar no ponto mais central da Reserva. A estrutura da base é formada por escola, biblioteca, sala de informática com 11 computadores conectados à internet, biblioteca, posto de saúde, alojamento e barco de apoio. Tumbiras é formada por 30 famílias, em sua grande maioria formada por casais e filhos. A média de filhos na comunidade é de 3 por família. A renda destas famílias está ligada a diferentes fontes: benefícios governamentais, salário (esse para funcionários públicos), extração de madeira, agricultura e pescaria. A comunidade conta com água de posso e a energia é garantida em alguns horas do dia com o gerador à diesel. O acesso à Manaus é feito somente por barco, dependendo geralmente de chegar com pequenas rabetas a pontos específicos para poderem contar com barcos maiores que podem fazer o trajeto a um preço mais acessível.


IMPACTO SOCIAL As comunidades estarão conectadas pelo canal virtual aberto com os jovens.

O envolvimento da comunidade escolar nesse projeto é indispensável e irá ocorrer naturalmente com a construção de atividades e projetos entre professores da escola e organizadores do projeto. O projeto possui três frentes de atuação. O primeiro será realizado através de atividades de integração e valorização cultural, sendo já nesse momento trabalhados com os jovens conceitos iniciais de comunicação, passando então a registrar todo o processo e produzir materiais com o que foi pesquisado. O segundo é o registro digital e a comunicação junto ao povo local, passando então para a terceira etapa do projeto na qual realizaremos junto com os jovens a edição de um documentário através de capacitação e criação de estruturas para uma plataforma virtual possibilitando a continuidade e disseminação do que foi construído durante o projeto e da cultura tradicional ribeirinha.

Outro momento de envolvimento comunitário ocorre na Mostra de encerramento do projeto. Importante para apresentar o que foi produzido pelos jovens de maneira a validar com a comunidade da RDS Rio Negro a possibilidade de continuidade do projeto. 450 famílias pertencentes à RDS Rio Negro, poderão se beneficiar do projeto de forma indireta, desenvolvendo novas ações e colaborando diretamente com as pesquisas e trocas, fazendo parte direta da continuidade do projeto. Em São Paulo, aproximadamente, 100 famílias do CISV participarão dos eventos e atividades locais. Outro ponto importante de considerar é a permeabilidade desse projeto nos outros países, pois os participantes voluntários são responsáveis por levar os resultados do projeto para outras localidades.


PÚBLICO ALVO E BENEFICIADO 30 jovens da comunidade de Tumbiras, 30 voluntários do CISV e envolvimento comunitário 30 jovens a partir dos 12 anos, moradores de 10 comunidades pertencentes à RDS - Rio Negro, possuem dificuldade escolar, por não terem acesso a escola em suas próprias comunidades ou por já estarem trabalhando com os pais nas lavouras ou pesca, a maioria cursando as aulas da 6ª e 7ª série. 30 voluntários filiados ao CISV, vindo de diferentes países, sendo estes: Argentina, Bélgica, Brasil, Guatemala, Noruega, Portugal, Suécia, Estados Unidos e Holanda. Possuem diferentes experiências profissionais e habilidades e se dedicarão inteiramente às tarefas e ao projeto. O envolvimento comunitário acontece diretamente com a facilitação da FAS, parceira do projeto. Nesse primeiro momento o projeto se envolveu diretamente com os lideres comunitários e com os agentes sociais e pedagógicos da escola. Nas próximas etapas, o projeto passa a ter interação direta com os jovens, público alvo do projeto. Em fevereiro, está prevista a primeira atividade de interação dos jovens com o projeto, onde serão desenvolvidas as questões de comunicação e os primeiros debates e registros sobre a cultura local. Nesta mesma época, acontecerá a primeira reunião com os adultos responsáveis pelos jovens, pois parte do processo visa o questionamento familiar sobre culturas e tradições.


QUEM SOMOS Fundado em 1951 por Doris Allen, o CISV é uma organização sem fins lucrativos, independente, apartidária e voluntária, que promove a educação para a paz e a amizade intercultural. Tem como propósito educar e inspirar ações para um mundo mais justo e pacífico, tornando seus participantes Cidadãos Globais Participativos. O CISV oferece atividades locais, programas e acampamentos internacionais, organizados todos os anos para jovens e adultos a partir de 11 anos de idade em mais de 70 países. A organização possui sede na Inglaterra e é filiada à UNESCO. O IPP (International People’s Project) é um programa oficial do CISV, com duração de três semanas, atuando de forma intensiva sobre o tema escolhido. Os resultados de um IPP tem como objetivo impactar positivamente uma determinada comunidade por meio da troca de experiências e do esforço conjunto de seus participantes voluntários maiores de 19 anos, de diferentes nacionalidades, junto à uma organização parceira já atuante no desenvolvimento social dessa comunidade.


ONG PARCEIRA FAS - Fundação Amazonas Sustentável tem a missão de promover o envolvimento sustentável, conservação ambiental e melhoria da qualidade de vida das comunidades moradoras e usuárias das unidades de conservação no Estado do Amazonas”. Por envolvimento sustentável entendemos o conjunto de processos participativos direcionados para a melhoria da qualidade de vida e fortalecimento das relações da sociedade com os ecossistemas locais, reconhecendo e expandindo seus laços e compromissos sociais, culturais, econômicos, espirituais e ecológicos com o objetivo de buscar a sustentabilidade em todas as suas dimensões. A FAS tem compromisso com a conservação das florestas e a melhoria da qualidade de vida das populações que nela vivem. A Fundação está aberta para a participação de empresas, pessoas e instituições comprometidas com a promoção da sustentabilidade do Amazonas. É a oportunidade para concretizar ações que garantam um futuro melhor para o planeta, para nossos filhos e netos. As ações da Fundação Amazonas Sustentável estão voltadas para: • Redução do desmatamento • Conservação da biodiversidade; • Erradicação da pobreza; • Apoio à organização social; • Melhoria dos indicadores sociais; • Geração de renda baseada em atividades sustentáveis dentro de unidades de conservação do Amazonas; • Disseminação de tecnologias inovadoras.


PARCEIROS Hospital Tropical Tipo de parceria: de capacitação Envolvimento: Treinamento dos organizadores em doenças e animais tropicais IBM Tipo de parceria – Tecnológica Envolvimento: Software de animação. Turismo Consciente Tipo de parceria – logística Envolvimento – Logística de transporte e locomoção local. Lou Deroualle Tipo de parceria - apoio na captação de recursos Envolvimento: Doação de peças de cerâmica – muiraquitãs


INOVAÇÕES A inovação está em juntar pessoas diferentes, em seus conhecimentos e trajetórias e com isso possibilitar o reconhecimento e valorização cultural. Há mais de 60 anos o CISV promove educação para a paz através de programas e atividades que exploram a cultura local em conjunto com outras. Voluntários internacionais irão lidar diretamente com os jovens das comunidades ribeirinhas, promovendo atividades que discutirão a cultura local através de outras culturas, ou seja, aproximando as realidades e também identificando as diferenças, certificando-se que cada jovem reconheça e registre o que é seu, podendo assim divulgar e mostrar para o mundo a sua história. O registro e a comunicação permitirão a tomada de decisão e também o conhecimento que passará a circular e não mais a ficar concentrado em uma ou outra pessoa, permitindo assim:  A transição de tradições: jovens conscientes de seus valores e histórias, se conectando com o local.  Transferência de poder: jovens com capacidade de opinar e discutir questões sociais das comunidades

 Divulgar as comunidades: inserindo-as no mapa da diversidade brasileira.  Reconhecimento de autores: jovens e adultos como produtores e promotores da cultura local, identificando lideres e reconhecendo seus feitos.

Outro ponto importante do projeto é o registro proposto das culturas e práticas locais com a produção direta dos jovens, ou seja, o material será o reflexo daquilo que eles próprios terão oportunidade de observar e através das ferramentas digitais, encantar as pessoas que ainda não conheçam o Rio Negro.


DESAFIOS Trabalhar em conjunto com o grupo de voluntários de diferentes nacionalidade e localidades, formando um grupo consciente das ações que irão se desenvolver ao longo do projeto.  Manaus é um cidade grande do Norte do Brasil, mas não possui base de atuação do CISV. Essa dificuldade será suprida com o envolvimento direto do parceiro de execução local - FAs Fundação Amazonas Sustentável.  Abastecimento da base do projeto que fica distante1h30 de Manaus. É necessário montar um esquema de logística que permite o giro de água, comida e suplementos de apoio  Envolvimento comunitário, estaremos lidando com jovens vindos de diferentes comunidades da RDS Rio Negro. Em alguns momentos as atividades serão realizadas fora do horário da escola e será necessário envolver os pais e lideres locais para poder legitimar isso.  O grupo de voluntários irá morar no meio da floresta por 20 dias, local que para eles ainda não é conhecido.


CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO

Detalhamento do Cronograma

Nome da Etapa

Data de início e término

Descrição e investimento previsto por etapa

1ª Etapa

Pré-Projeto

11/2010 a 6/2011

Planejamento, captação de recursos, seleção de voluntários, estrutura local, viagens explorativas, atividades pré, eventos e treinamentos.

2ª Etapa

Projeto

7/2011

Realizar o projeto junto com os voluntários e os jovens da comunidade

8/2011 a 11/2011

Avaliação do projeto, emissão de relatórios, finalização dos produtos, realização das mostras culturais, atividades complementares e prestação de contas.

3ª Etapa

Pós-Projeto


RESULTADOS DO PROJEO IMPACTO SOCIAL Promover o desenvolvimento humano dos participantes do projeto (jovens e voluntários), realizando trocas culturais e o convívio direto em uma realidade que põe em prova os conhecimentos e habilidades de pessoas urbanizadas. Promover a valorização cultural da comunidade, como proposta de desenvolvimento comunitário, quando fortalecido localmente pode reconhecer o que é importante ou não para a comunidade. Jovens e Comunidade  Reconhecimento e valorização da cultura tradicional. Troca de cultura e respeito às diferenças.  Desenvolvimento de novas habilidades de comunicação e verbalização de ideias e desejos. Voluntários CISV  Troca de cultura e respeito às diferenças.  Trabalho de reconhecimento e valorização da cultura local e global.  Entendimento do desenvolvimento do projeto, seus resultados e replicabilidade.  O projeto também busca autonomia e responsabilidades dos jovens da comunidade, que estarão capacitados para desenvolver produtos de comunicação mesmo depois que o projeto estiver terminado. PRODUTOS Plataforma virtual de comunicação da Comunidade de Tumbiras. Registros e Documentários audio-visuais. Mostra Cultural Itinerante - Tumbiras, Manaus e São Paulo.


TIC – TECNOLOGIAS ESCOLHIDAS O projeto prevê grande utilização de tecnologias da informação e comunicação. Essa é a base do projeto e de seu desenvolvimento, onde aproveitaremos a chegada da internet à base da FAS, instalada há apenas 2 meses, para promover o acesso e também a produção de comunicação local como ferramenta de desenvolvimento humano. Está previsto para o projeto a utilização de equipamento eletrônico, tais como câmeras fotográficas e de vídeo. Está incluso nesse processo o aprendizado para utilização das máquinas de maneira eficientes e consciente da intenção com os produtos finais. Serão utilizados no projeto, programas open source de edição de texto, imagem, desenhos e vídeos para que possam trabalhar o senso criativo e cuidar dos resultados finais dos produtos. O projeto passa na última semana de realização a utilizar ferramentas de comunicação da internet, tais como blog e redes sociais, criando assim canais de comunicação da Comunidade.

O acesso a essas ferramentas de internet e também aos programas de edição buscam o desenvolvimento do senso criativo e também a inclusão digital dos jovens e das comunidades. A intenção direta do projeto é promover a comunicação como mediador dos processos de emancipação dos jovens e das comunidades, podendo assim responder a questionamentos diretos impostos pela mídia de massa. Outra característica importante para a utilização de TIC nesse projeto é a promoção dos jovens e adultos a produtores e promotores dos processos de comunicação local. Empoderam os líderes e permitem a divulgação direta dos costumes e tradições apresentando e aproximando do mundo sua cultura local valorizada. Avaliação, medidas, parâmetros e ferramentas que iremos utilizar para poder fazer a avaliação e medição dos resultados esperados


CAPACIDADE DE ESCALA E REPLICAÇÃO O potencial de disseminação e replicação do projeto é grande. O formato de trabalho voluntário, junto com comunicação e atividades educativas esta montado com base no histórico das instituições parceiras que estão desenvolvendo o projeto. A ideia é poder espalhar o projeto para as outras Reservas de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas, no total 34. Para isso o projeto conta com o registro por parte dos organizadores de cada passo desenvolvido e também com processos de avaliação do projeto e também dos resultados.


PREVISÃO DE CUSTO DO PROJETO REALIZAÇÃO DESCRIÇÃO

PLANEJADO

OBSERVAÇÃO

Estrutura do Projeto

R$ 39.800,00

Hospedagem dos staffs e voluntários internacionais do CISV em Manaus. Alimentação dos voluntários do CISV. Aluguel de Barco e transporte terrestre para traslados

Preparação do Programa

R$ 10.080,00

Passagens aéreas para treinamentos e viagens a Manaus do grupo de Staffs/organizadores

Equipamentos

R$ 22.200,00

Audio Visual, Informática e apoio. Material de artes, farmácia, lavanderia, correio, camisetas, gráfica, entre outros

Despesas Administrativas

R$ 5.500,00

Taxas e impostos

TOTAL

R$ 77.580,00


PRODUTOS

DESCRIÇÃO

PLANEJADO

OBSERVAÇÃO

Mostra Itinerante de Cinema na Comunidade de Tumbiras | Manaus | São Paulo

R$ 22.200,00

Preparação e Montagem Voluntária. Possibilidade de transmissão ao-vivo pela internet. Material de apoio e comunicação (convite, folder, banner). Abertura da Mostra - vernissage

Participação do Staff na Mostra Itinerante de Cinema – Manaus

R$ 4.500,00

Viagem a Manaus. Preparação e montagem voluntária. Estadia e alimentação.

Making Of e Documentário

R$ 8.500,00

Pós-Produção do Making off e Documentário do Projeto.

Publicação de Livro de Fotos

R$ 12.800,00

Impressão 4 x 4 cores – 1000 unidades

Acompanhamento do Projeto posteriormente

R$ 9.000,00

Passagens aéreas, transporte e articulações com a comunidade. Possibilidade de realização de uma 2ª Edição.

Despesas Administrativas

R$ 4.350,00

Taxas e impostos

TOTAL

R$ 61.350,00


VALOR TOTAL DO PROJETO R$ 138.930,00

CONTRAPARTIDAS Utilização de Logomarca em toda a comunicação oficial do projeto (Banner, website, material impresso e material audiovisual). Sendo diferenciado espaços e tamanhos de acordo com a cota escolhida. PLANO DE COMUNICAÇÃO  Lançamento do projeto - e-mail marketing.  Site próprio do projeto.  Ativação de redes sociais a partir de Twitter, Facebook e Youtube.  Trabalho em conjunto com assessoria de imprensa do patrocinador para comunicação interna e externa.  Utilização de mailing do CISV, composto de mais de 4000 famílias caracterizadas pelo alto poder de decisão e influência.  Realização de eventos próprios, como jantares, workshops e mostra cultural tanto em Manaus, quanto em São Paulo.  Produção de material impresso: convites, folder, banner  Divulgação nos eventos nacionais e internacionais do CISV para apresentação do projeto.


CONTATOS Staff IPP AMAZÔNIA ippsao@cisv.org.br Tobia Ferraro tobia.ferraro@cisv.org.br 11 – 8337-5426 Bruno Andreoni brunoandreoni@yahoo.com.br 11 – 9587-7727

ippamazonia.wordpress.com twiter.com/ippamazonia facebook.com – IPP Amazônia

Rua Fidalga, 154, cj 4 São Paulo/SP - 05432-000 Tel/Fax: (11) 3037-7767 communicationsao@cisv.org.br http://www.cisv.org.br

IPP Amazonia  

Livrinho sobre o projeto IPP Amazonia

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you