Page 1

N

Chefs renomados elaboram cardápios para atiçar a gula de espectadores durante As sessões

o mês de outubro, o CineSesc volta a encantar amantes de cinema e de boa gastronomia. Após se inspirar na Itália em 2011, a programação do Mesa no Cinema/Menu CineSesc deste ano vai se ater ao nosso próprio continente, a América (veja boxe Cozinha da América). Na segunda edição da atividade, os chefs Marcos Livi, Viko Tangoda, João Belezia e Neka Mena Barreto serão os responsáveis por atiçar a experiência gustativa dos espectadores enquanto os filmes estiverem sendo exibidos. A ideia é que cada chef convidado interprete um filme a sua maneira, ainda que tais obras sejam dissociadas de temáticas gastronômicas. Em parceria com o Senac (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial) e com a Editora Quatro Capas, que edita a revista Prazeres da Mesa, a programação especial do CineSesc integra a grade da 9ª Semana da Mesa SP, que ocorre de 5 a 9 de novembro de 2012, no Centro Universitário Senac – Campus Santo Amaro. “Descobrindo as Américas: Seus Ingredientes e Sua Cultura” é o tema central desta edição, que terá a atividade Mesa no Cinema como prévia. A presença confirmada de grandes chefs a fim de participar de diversos eventos ligados à gastronomia promete mostrar a cozinha internacional encontrada em São Paulo. A origem da parceria se deu em 2011, quando o Sesc foi procurado pelo Senac para acrescentar um olhar cinematográfico ao já tradicional evento. O coordenador do projeto e da equipe de programação do CineSesc, Adolfo Mazzarini Filho, expôs sua vontade de transpor a relação que há entre o cinema e a gastronomia. “Nós nos propusemos a

34

fugir desse lugar comum, de uma mostra de cinema que falasse só sobre alimentação”, diz. “Dessa forma, a proposta surgiu: escolher filmes que não tivessem a ver diretamente com gastronomia, mas que inspirassem os chefs, ao verem o filme, a criar um menu degustação.” Durante a programação especial, a sala de cinema recebe adaptações. Para começar, somente 50% de sua capacidade é preenchida, intercalando-se fileiras ocupadas com livres – zonas estas destinadas à circulação dos garçons. O bar que fica dentro da sala de exibição se transforma em cozinha, para que o chef prepare seu cardápio durante a sessão. Além disso, bandejas almofadadas confeccionadas pela equipe do CineSesc são distribuídas durante o filme nos momentos em que são servidos


os pratos, com o detalhe da luz que fica parcialmente acesa, permitindo que o público não se atrapalhe ao longo da degustação e que os garçons enxerguem silhuetas, evitando acidentes de percurso. “No ano passado foi ótimo, pois alguns chefs conseguiram compreender mesmo o espírito. Conforme se passava a cena, você estava comendo, bebendo alguma coisa que tinha ligação com o filme. A proposta é mostrar a inspiração que o cinema gera no chef”, explica Mazzarini. A originalidade da programação durante a primeira edição do Mesa no Cinema acabou acarretando grande procura. Visto isso, a novidade ficou por conta do número dobrado de sessões a ser oferecido em 2012. “O público se encantou. Como é tudo feito com parcerias, os valores se tornam acessíveis e os filmes se esgotam rapidamente”, acrescenta. “Em função disso, agora estamos fazendo duas sessões com o mesmo chef. No último dia do ano passado eram dois filmes diferentes, com dois chefs e menus diferentes. Agora vamos manter os cardápios do dia, mas duplicar o número de sessões.”

Papo de panela

Interpretando o musical italiano O Baile (Ettore Scola), o renomado chef Viko Tangoda estreou o Mesa no Cinema de 2011 proporcionando ares de sofisticação aos espectadores. Ao

entrar no ambiente, as pessoas eram recebidas com uma taça de martini com azeitona, servida por um garçom estilizado. “Na ocasião, tive a oportunidade de juntar a gastronomia com um pouco de teatro, interpretando um filme em uma sala de cinema. Não é um privilégio?”, relembra Viko. O cardápio do chef incluiu desde petit gateau de salmão defumado com chèvre e sformatti de legumes e purê trufado de grão de bico até algodão doce. Este ano, ele volta a conduzir a atividade, com o filme O Palhaço (Selton Mello). “É um filme que tem muito terreno para ter coisas legais”, afirma o chef. “Quando você vai fazer isso, é preciso parar e assistir várias vezes, colhendo detalhes e buscando uma ótica que não só o entretenimento.” A chef Neka Mena Barreto também retorna à programação especial do Cinesesc com um menu degustação inédito para o filme Medianeras (Gustavo Taretto). No ano passado, a banqueteira gaúcha assinou o cardápio do faroeste Por um Punhado de Dólares (Sergio Leone), que incluiu whisky, chili com guacamole e delícia de chocolate, servidos durante as cenas de bang bang. “Interpretar um filme é uma atividade maravilhosa, adoraria fazer isso uma vez por semana. A proposta de criação é muito gostosa. Um trabalho desses me renova cinco anos; é muito legal e todas as ideias vieram espontaneamente”, informa Neka. Já o chef Marcus Livi não só foi convidado a estrear no evento como também a abri-lo. A liberdade para dar o seu toque ao filme Amores Imaginários (Xavier Dolan) deixou-o bastante empolgado. “As pessoas não estão indo só pela experiência gastronômica, também estão indo pelo filme; portanto, tudo depende do ambiente que você cria para aquela ocasião”, diz. “Se você vai fazer um show de jazz, ter um lugar intimista, uma luz baixa, um som adequado, uma bebida na temperatura certa... Tudo conspira a favor. Então eu tenho que ter muito cuidado para a gastronomia não sobressair ao filme nem vice-versa. Acho que o resultado vai ser bom e que vai ter algumas surpresinhas”, acrescenta.

Cozinha da América Programação oferece opções de filmes com pratos para todos os gostos A diversidade temática marca os filmes da programação especial do Mesa no Cinema/Menu CineSesc, que ocorre entre 15 e 18 de outubro, em duas sessões diárias, às 19h e às 21h30. O banqueteiro Marcus Livi abre a programação no dia 15 com o canadense Amores Imaginários, de Xavier Dolan. O filme trata do jogo de desejo que se estabelece entre dois amigos e um jovem charmoso do interior que acaba de chegar a Montreal. No dia 16, é a vez do brasileiro O Palhaço (foto), de Selton Mello, que navega no lúdico mundo circense dos palhaços Pangaré e Puro Sangue. O olhar gastronômico fica por conta do veterano Viko Tangoda. No dia 17, o chef João Belezia fica responsável pela interpretação de Quanto Mais Quente Melhor, de Billy Wilder, comédia musical do final dos anos de 1950 em que a diva Marilyn Monroe representa a essência dos Estados Unidos. E, para finalizar, Neka Mena Barreto mergulhará nas sutilezas de uma delicada história de amor virtual que se passa na Argentina, em Medianeras, de Gustavo Taretto.

35

Revista E (185)  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you