Page 1

Módulos móveis que oferecem interação

Flávia de Pinho


Centro de Tecnologia da Indústria Química e Têxtil Faculdade SENAI/CETIQT Curso de Bacharelado em Design - Habilitação em Superfície

Módulos móveis que oferecem interação Flávia de Pinho

Rio de Janeiro 2013


Figura 01: estampa de Flรกvia de Pinho


Centro de Tecnologia da Indústria Química e Têxtil Faculdade SENAI/CETIQT Curso de Bacharelado em Design - Habilitação em Superfície

Flávia de Pinho

Módulos móveis que oferecem interação

Projeto de Conclusão para Graduação a ser submetida à Comissão Examinadora do Curso de Bacharelado em Design, da Faculdade SENAI-CETIQT, como parte dos requisitos necessários à obtenção do grau de Bacharel em Design Habilitação em Superfície

Prof° Gabriel Netto orientador Prof° Sergio Sudsilowsky orientador

Rio de Janeiro 2013


Ficha Catalográfica PINHO, Flávia de Design de Superfície: Módulos móveis que oferecem interação/ Flávia de Pinho. - Rio de Janeiro, 2013. 125 p.

Monografia para Graduação a ser submetida à Comissão Examinadora do Curso de Bacharelado em Design – Habilitação em Superfície, da Faculdade SENAI-CETIQT, como parte dos requisitos necessários à obtenção do grau de Bacharel em Design – Habilitação em Superfície. 1. Design de superfície. 2. Interatividade. 3. Criatividade. I. Design de superfície: Módulos móveis que oferecem interação.


Flávia de Pinho

Módulos móveis que oferecem interação Projeto de Conclusão para Graduação a ser submetida à Comissão Examinadora do Curso de Bacharelado em Design – Habilitação em Superfície, da Faculdade SENAI-CETIQT, como parte dos requisitos necessários à obtenção do grau de Bacharel em Design – Habilitação em Superfície. Data de Aprovação:

/

/ 2013

Banca Examinadora: ________________________________________________________ nome completo título, área do título, instituição que conferiu o título cargo / função, instituição / empresa a qual pertence

________________________________________________________ nome completo título, área do título, instituição que conferiu o título cargo / função, instituição / empresa a qual pertence

________________________________________________________ nome completo título, área do título, instituição que conferiu o título cargo / função, instituição / empresa a qual pertence

_________________________________________ Sergio Sudsilowsky Coordenador do Bacharelado em Design – Habilitação Moda


Dedicatória Dedico este trabalho a minha amada família, Licinio, Bruno e Eduardo, que sempre estão ao meu lado e me fazem ser uma pessoa melhor a cada dia. A minha mãe que sempre me insentivou, à memória do meu pai que me proporcionou tudo isso e que, junto com minha mãe, sempre acreditaram no meu trabalho.


Agradecimentos Primeiramente agradeço ao meu orientador e professor Gabriel Netto pela sua dedicação e ao coordenador Sérgio Sudsilowsky. À professora Paola Vichy que muito contribui para este trabalho, à professora Gisela Monteiro por compartilhar seu conhecimento em design gráfico, à professora Sônia Volpine que contribui com seu tempo e pesquisa, e um agradecimento especial ao professor Anael Alves pela dedicação e conhecimento técnico em design de produto. Agradecimentos finais à companheira da primeira turma de Design de Superfície, Luciana Pelizare e à querida amiga Fernanda Studart que me inspirou a iniciar esta graduação. E a todos aqueles que contribuiram de alguma forma para este projeto, muito obrigada !


Epígrafe Superfícies interativas provocam reações diversas nas pessoas, oferecem experiência criativa e podem personalizar o espaço que ocupa.


Resumo Este texto descreve um projeto que teve como objetivo elaborar um revestimento prático, inovador e sustentável, que estimula a interação do usuário. A superfície dos módulos móveis que o compõem varia em cores, estampas e texturas, que são combinadas pelo usuário em experimentações criativas e lúdicas, permitindo assim a personalização do espaço que ocupa.

Palavras - chave: Design de superfície; interatividade; criatividade.


Figura 02: estampa de Flรกvia de Pinho


Sumário 1. Introdução................................................................................. 19 1.1. O homem como foco 22 1.2. O Projeto 23 1.3. Metodologia 25 2. Fundamentação......................................................................... 27 2.1. Design de Superfície 29 2.2. As superfícies ao longo da história: Painéis e Murais 30 2.3. Interferência urbana 32 3. Conceito do projeto................................................................... 37 3.1. Contexto 38 3.2. Mercado – casos 40 3.3. Ideias preliminares 44 3.4. Conceito adotado 49 4. Público Alvo............................................................................... 51 4.1. Perfil e comportamento 52 5. Desenvolvimento do produto....................................................59 5.1. Matriz conceitual 60 5.2. Materiais e processos de fabricação 61 5.3. Cor, forma, estampa 65 5.4. Desenho técnico 92 5.5. Sustentabilidade 107 5.6. Protótipo 109 5.7. Simulação 110 6. Conclusão................................................................................. 114 Referências...................................................................................118 Apêndices................................................................................... 120 Índice Iconográfico...................................................................... 125


Figura 03: estampa Flรกvia de Pinho


1•

INTRODUÇÃO A capacidade de uma superfície possibilitar uma experiência interativa do usuário que resulta numa mensagem particular e representativa do desejo deste individuo, é o estudo e a inspiração deste projeto.


Figura 04: Tela plástica para piso. Foto arquivo pessoal

Apresenta-se a seguir o primeiro TCC em design de superfície do Brasil, em um texto que contextualiza e descreve o projeto de um revestimento interativo, desde sua inspiração inicial até a etapa de prototipagem. Observando os grandes espaços, sua função e como sofrem manifestações estéticas, teve início uma pesquisa das padronagens em grandes escalas. Inicialmente, o foco foram os grandes painéis e murais. O trabalho de artistas e movimentos socioculturais, como o movimento muralista mexicano, fez a pintura se expandir, saindo da tela, atribuindo sentido democrático à arte, colocando suas formas e cores em lugares de livre acesso. As obras provocam reações diversas nas pessoas, as superfícies são capazes de criar uma ligação afetiva entre o usuário e os espaços. 20

A partir de um breve levantamento histórico, o enfoque da pesquisa voltou-separa a análise das interferências urbanas: sua diversidade material, aspéctos processuais e fruição. Segundo Macieira e Ribeiro, “A superfície da cidade é a pele da cidade, onde está marcada sua identidade como a nossa impressão digital.” (MACIEIRA; RIBEIRO, 2007, p. 148). As interferências nas cidades oferecem um trabalho colaborativo e uma prática participativa, ou seja, incentivam a participação do observador. Assim como a superfície urbana manifesta, expõe e revela as características de uma sociedade, a superfície de um ambiente específico, como uma residência, também é capaz de refletir e transmitir mensagens dos indivídus que lá habitam. A capacidade de uma superfície possibilitar Design de Superfície - Módulos móveis que oferecem interação


uma experiência interativa do usuário é o estudo e a inspiração deste projeto. Assim, o projeto buscou a elaboração de um revestimento para paredes prático, inovador e sustentável, que estimula a interação do usuário. É composto de duas partes: a primeira, chamada de primeira pele, é fixa, vazada e serve de base para os módulos móveis. A segunda parte do revestimento, denominada segunda pele, é móvel e dá liberdade ao usuário para encaixa-los da forma que lhe convir. A superfície dos módulos varia em cores, estampas e texturas, que, combinadas pelo usuário, permite a personalização do espaço que habita. A pesquisa indicou que o revestimento planejado poderia ser aplicado em diferentes situações e ambientes. Inicialmente pensado para o espaço residencial, por se tratar de ambiente mais particular. O revestimento ganhou mais funções como a terapéutica e a educacional. Isso será mais bem detalhado a seguir. Ao longo do trabalho será mostrado um breve panorama do contexto em que o projeto se insere, assim como uma breve apresentação do design de superfície, seu conceito e aplicações. O processo criativo, as inspirações, as soluções estéticas, práticas e funcionais desenvolvidas também serão pormenorizadas ao longo do texto.

Figura 05: Placa plástica .Foto arquivo pessoal

Introdução.

21


“O cenário contemporâneo é dinâmico, têm demandas distintas, necessidades e expectativas diversas, ele é mutante e híbrido.” Dijon Morais

Figura 06: Esboço de superfícies.

1.1. O

Homem como foco

Segundo Morais o cenário contemporâneo é dinâmico, têm demandas distintas, necessidades e expectativas diversas. Sua caracteristica fundamental é ser mutante e híbrido (MORAIS, 2010). Frente a isso, fez-se necessário um novo movimento, em que o designer pense de forma mais ampla vários aspectos que diretamente, ou indiretamente, vão influenciar na elaboração do novo produto. Nosso tempo se caracteriza pela velocidade da informação. O mundo pode passar em instantes a nossa frente, através da web 22

e da quantidade expressiva de canais de televisão. Toda essa globalização, massificante, se coloca em oposição à valorização do homem, do seu pensamento próprio, sua individualização, e, em última instância, do seu bem-estar. Em contra partida à massificação, percebe-se uma necessidade crescente de personalização daquilo que rodeia o sugeito, para que se crie uma identidade. Personalizar é uma palavra importante nos dias de hoje, o homem busca este sentimento. É preciso repensar o que traz satisfação ao homem de hoje, como é o ambiente que se vive e o que e como consome. Consumir com qualidade se opõe ao consumir com quantidade, gerando um consumo mais coincidente e parceiro dos Design de Superfície - Módulos móveis que oferecem interação


princípios da sustentabilidade. Segundo o Manzine, como podemos nos encaminhar rumo a uma sociedade onde as expectativas de bem-estar não sejam mais associadas às aquisições de novos artefatos? (MANZINI, 2010, p.103). A partir da observação do mercado atual de revestimentos, com olhar influenciado pelas prostas de Dijon Morais e Manzini, no que diz respeito ao cenário contemporâneo percebeu-se certa busca pela interatividade, por parte de uma audiência ávida pela personalização de seus ambientes. Manipular, de forma participativa, atuar, e dar seu próprio significado ao novo produto, são ações interativas presentes no conceito de alguns revestimentos disponíveis no mecado estudado, como se verá mais adiante,nos estudos de caso.

1.2 Projeto O presente estudo, inscrevendo-se no âmbito do design de superfície, propõe responder a questão de como um revestimento pode gerar e oferecer uma experiência criadora e participativa ao usuário? Faz parte do conceito do projeto a busca por uma superfície que atenda aos anseios contemporâneos pela personalização, onde o produto trancende a questão estético/ funcional, motivando a interação. Elaborar um revestimento que mude sem precisar ser descartado para a compra de um outro novo e sem a necessidade de uma obra, que acarreta desconforto e sugeira. Introdução.

O objetivo traçado a partir desse questionamento é projetar uma superfície que através da interferência do usuário, o leve ao exercício do pensamento, transformando-o de um agente passivo a um agente ativo da trasnformação, que tem como consequência a personalização dos ambientes. Ou seja, criar um produto que provoque no usuário uma experiência particular, atestando a importância da relação entre usuário e objeto. A solução proposta são módulos cambiáveis, com as superfícies distintas pelas cores e estampas, que permitem trocar o revestimento de um determinado ambiente apenas invertendo a ordem e movimentando os módulos, sem a necessidade de uma nova compra, aumentando o tempo de vida e evitando a obsolescência do produto. O tratamento dado à superfície dos módulos proporcionará produtos finais distintos e personalizados. O contexto, o mercado e o público se juntam às informações técnicas para um projeto de design completo. O presente projeto pretende elaborar superfícies criativas e dinâmicas, inscreve-se na categoria dos “revestimentos”, pois, tem a finalidade de revestir paredes, mesmo que, nem sempre, de forma integral. Contudo, seu objetivo maior não é apenas revestir. Pretende-se inspirar o usuário a estabelecer uma relação criativa com a superfície, através da interação e da ludicidade.

23


Figura 07: Colagem para estudo de superfícies.

24

Design de Superfície - Módulos móveis que oferecem interação


1.3. Metodologia O projeto baseou-se em metodologias como o MetaProjeto (MORAIS, 2010), o Human Centered Design (CITAR) e metodologias do Design de Superfície encontradas nas obras de autores como Rüthschilling, Rubim, Sudsilowski, Freitas e Rinaldi. A seguir, elabora-se uma breve cronologia das etapas desenvolvidas.

• Definir e estudar o público alvo, seus hábitos, necessidades e desejos. • Elaborar matriz conceitual. • A partir dos dados da matriz conceitual, fazer um estudos dos matérias, formas, texturas, estampas, acabamentos e processos de fabricação.

• O ponto de partida foi o estudo de grandes padronagens em espaços estendidos. Entender como estas intervenções influenciam e despertam sensações distintas em cada individuo que transita pela cidade.

• Desenvolver desenho técnico preliminar.

• Pesquisa para mapear o contexto contemporâneo, o comportamento humano e a relação entre usuário e produto.

• Desenvolver desenho técnico definitivo.

• Criação de mapa mental para definições mais especificas do novo projeto para gerar estudos de possibilidades e soluções. Definição dos conceitos.

• Elaborar alternativas através dos mockups.

• Elaborar o protótipo.

• Estudo do mercado, características de consumo do mercado nacional e pesquisa de projetos similares ao conceito adotado para o projeto.

Introdução.

25

Indesigngisela flaviadepinho  

surface design - part I

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you