Issuu on Google+

Maken

Vestibulando

www.revistavestibulando.com.br

Resenhas: Obras que marcam presença nas provas são dicas desta edicação

z ie? São Judas? FAAP? FAAP? M a São Judas? k São Judas? enzie? MakenUNE zieU?SNPE?SP? ☑☑ Internet ☑☑ Para desencanar... UNiCAMP? Anhanguera? para estudos Maken São Judas? Anhanguera? zie? ☑☑ Necessidade UNiCAMP? USP? ou Pressão? Metodista? Judas? UNESão SP? Qual profissão FAAP? escolher? Metodi sta? São Marcos? E agora!? Anhanguera? qual universidade escolher? Veja as principais diferenças entre FAAP? as instituições públicas e privadas USP? Ano I • Número 02 • Novembro 2010 • www.revistavestibulando.com.br

Confira dicas de sites para seus estudos e pesquisas

Livros, filmes, museus e teatros são algumas das opções para relaxar e não perder o foco

testes vocacionais ajudam na escolha do curso certo

Ano I • Nº 02 R$ 9,90

Ano I  •   Número  02  •  Novembro  2010

Jovens que fazem de tudo na tentativa de passar no vestibular

Papo-cabeça: Professor dá dicas de como se dar bem nos estudos


ȇȇ editorial   o mestre

Inovação na maneira de suprir

D

evido à falta de informações que auxiliem no preparo dos estudantes recém saídos do ensino médio, as pessoas que pretendem alçar voos mais altos sofrem para decidir qual universidade e curso corresponderá com suas necessidades e expectativas. O nervosismo e a tensão, aliados a essa lacuna de informações prejudicam os vestibulandos desde quando se organizam para os estudos, até o momento em que esperam o resultado do exame. Mesmo as pessoas mais decididas, que já escolheramseu curso e em que universidade dará sequência aos estudos, nãoficam tranquilas ao ver que esse sonho pode ser interrompido, caso não faça uma boa prova.

Procuramos então, produzir uma revista que auxilie na tomada de decisões das pessoas que pretendem cursar uma universidade. Temos como destaques a reportagem sobre os novos modelos de escolas, já adaptados à grande tendência mundial de proteção ao meio ambiente. A matéria de capa mostra ao leitor como deve ser baseada sua escolha sobre qual instituição de ensino escolher. Além das reportagens, temos as crônicas de Júlia Maria da Silva, que conta de forma divertida as sensações mais esquisitas vividas por quem ingressa no ensino superior. Tivemos a colaboração de Fernando Albregard, psicólogo analítico-comportamental, especialista em Psicologia Experimental, Márcia Osório que é professora de Língua Portuguesa do ensino médio e fundamental. Além de Aparecida Leonel, professora de cursinho pré-vestibular.

Boa leitura! Felipe Neves Editor

ȇȇ expediente Redação

Chanceler: Profª Alzira Altenfelder Silva Mesquita Reitor: Prof° José Cristiano Altenfelder Silva Mesquita Pró-Reitor de Graduação: Profº José Reinaldo Altenfelder Silva Mesquita Coordenador do Curso de Comunicação Social: Prof° Anderson Fazzoli Professor de disciplina e Processo de Captação e Edição em Jornalismo: Moisés Barel

Editor Chefe: Moisés Barel Sub-Editor: Felipe das Neves Editor de Texto: Anderson Ferreira Sub-editor de Texto: Vilcilene Fernandes Editor de Imagem: Guilherme Abambres Sub-editor de Imagem: Gabriela Faile

Secretária de Redação: Bruna Ribeiro Repórteres: Carla Feranda Clodonelson Torres Daniel Nunes Guilherme Queiroz José Jackson Tatieli Rodrigues Arte e Publicidade Agência XII Av. Andrômeda, nº 3509 Bosque dos Eucaliptos – São José dos Campos/SP Cep.: 12233-000 – Tel.: (12) 3916-6100 Diagramação e Projeto Gráfico: Flávia Gonzales Correia


ȇȇ Sumário 06 Cartas Posso falar, professor? - Prepare-se 08 Coluna Aprovados na prova - Vida de Calouro 09 Crônica O primeiro semestre Sustentável 10 Ensino A conscientização do meio ambiente na grade curricular 14 Resenha Aproveite para pensar 15 Artigo Notas sobre o momento, o vestibular e a escolha profissional Certa 16 Escolha Ser ou não ser …Eis a questão? 20 Desencana A hora de relaxar antes do vestibular - Tome nota 24 Coluna Neuras e estresses = Bom vestibulando 26 Especial Diversos caminhos para buscar o conhecimento 33 Comentário É justo? hora do intervalo 34 Na Universitários que fazem da universidade um lazer 38 Papo-cabeça Dicas de estudo 45 Resenha Não é romântico e muito menos realista... - E agora? 46 Crônica Pensador... E agora? Nisso... 47 Pense Internet: a nova maneira de estudar 52 Artigo Cinema e suas possibilidades 53 Neuras Estudos excessivos: Necessidade ou pressão? 58 Artigo Por que os jovens têm bebido cada vez mais e mais cedo?


ȇȇ cartas   posso falar, professor!? Jogos universitários

A revista Vestibulando tem me ajudado bastante com meus estudos. Achei  que seria interessante, em especial, uma matéria sobre” Universitários que fazem da universidade um lazer” onde destacaria os jogos universitários, mostrando que é possível conciliar estudos e lazer e aprender e se divertir ao mesmo tempo. Concordo plenamente com isso, afinal faço faculdade de educação física. Me divido todos os dias, entre o aprender e o lazer e quando se sabe fazer isso, o resultado é gratificante. Na revista também pude encontrar dicas de estudo e até de como elaborar uma boa redação. Está perfeita!É uma maneira de nos auxiliar de forma descontraída e tão fatigante!

Franceline Pires, 20 anos São Paulo/SP. Por e-mail

novembro  2010

Agradecimentos

vestibulando

6

Como professor do ensino médio, tenho que agradecer a iniciativa de vocês, de inovarem o mercado de revistas voltadas ao vestibular. As matérias publicadas são de grande ajuda na hora de preparar os futuros universitários, pois a linguagem que utilizada é muito informal, isso facilita ainda mais a compreensão dos alunos em sala de aula e deixa o horário de estudo com um clima mais leve e chamativo. Comprarei sempre todas as edições, que sempre me ajudaram a aumentar não só meu conhecimento, mais sim o de todos ao meu redor.

Claudio dos Santos, 47 anos Professor de Lingua Portuguesa São Paulo/SP. Por e-mail

Parabéns

Olá pessoal, Essa revista é demais, conta tudo que eu preciso saber para me preparar corretamente pro vestibular. Temas atuais, abordados com muita descontração, deixando a leitura mais suave e interessante. Todos estão de parabéns, é uma revista inovadora para todos os estudantes, que buscam novas formas de estudar e se manter atualizado sobre todos os assuntos. Grande beijo!

Mayara Falcon, 17 anos São Paulo/SP. Por e-mail

Universidades Particulares

Na edição anterior do vestibulando, teve uma reportagem muito legal sobre as universidades particulares, nossa não sabia que era tão fácil assim de entrar em uma universidade particular, mais como foi citado também, entrar é fácil o difícil é sair. O pessoal da revista esta de parabéns, estão ajudando muitas pessoas nesta época nas escolhas de universidades.

Igor Dias, 18 anos São Paulo/SP. Por e-mail

Perfil dos Cursos e Bolsas de Estudo

Seria possível vocês indicarem mais sites, instituições que possam nos dar mais informações sobre o perfil dos cursos, do profissional e do mercado de trabalho de todas as profissões ou pelo menos das mais concorridas. E gostaria também de saber se existem programas de bolsa de estudo não só para alunos de renda baixa em instituições privadas de nível superior, quais os tipos de bolsas que estas fornecem e quais faculdades possuem parceria com empresas.

Maria Nicole Silva São Caetano/SP. Por e-mail


Dicas

A melhor opção de revista voltada para o publico de vestibulandos. Matérias ligadas ao meio ambiente, que é um tema muito importante atualmente, aumentam nosso conhecimento e nos facilita na hora da redação. Tudo que eu procuro encontro aqui. Gostaria de ver mais dicas de filmes que podem nos ajudar a estudar descontraindo. Continuem sempre aumentando o nosso conhecimento, de uma maneira diferente.

Beatriz Pereira, 18 anos São Paulo/SP. Por e-mail

Gostaria de ver uma matéria sobre como é entrar na faculdade no segundo semestre, vou cursar engenharia civil no segundo semestre , mas eu fiquei sabendo que se eu entrar na faculdade neste período eu irei entrar com uma turma que já faz o curso, tipo eu vou entrar na mesma sala que esses alunos, será que vai ser ruim pra mim, terei muita dificuldade ou devo esperar o começo do ano para que eu possa ter uma noção, iria me ajudar muito, pois ficaria mais preparado... saberia o que vem pela frente.

Luiz Dantas Santo André/SP. Por e-mail

A revista vestibulando esta me ajudando bastante, estou cursando o 2° ano do ensino médio, e depois que comprei a revista tive uma visão melhor das universidades e vi que existem coisas nas faculdades que eu nem imaginava que teria. Antes eu achava que somente as universidades particulares que eram boas, mais vejo que a concorrência esta muito grande entre as particular e as publicas.Uma ótema revista.

7

Enem

Vou prestar o Enem este ano de 2010 e gostei bastante de saber que posso usar a nota para o Prouni e que existem universidades particulares que aceitam esta nota para os alunos poderem usar como bolsa, a revista vestibulando sempre trás uma novidade para nos leitores, conseguimos descobrir cada coisa que nem imaginava que existia.

Giovani Melo, 16 anos São Paulo/SP, Por e-mail

Renato Luca, 17 anos São Paulo/SP. Por e-mail

Temas atuais

Temas atuais abordados de uma maneira diferente que chamam a atenção de muitos, mesmo depois de conseguir passar no vestibular, ela continua nos mantendo informados. Não existe no mercado nada igual a VESTIBULANDO, é uma inovação no ramo universitário. Até alguns professores da faculdade indicam a leitura desse material, que continua nos instruindo cada vez mais. Gostaria de ler mais coisas sobre o meio ambiente, que é super importante nos dias de hoje, um foco bem legal seria a reciclagem que movimenta cada vez mais a economia dos países que se preocupam com isso. Parabéns pela qualidade da revista!

Fernanda Ferreira, 20 anos São Paulo/SP. Por e-mail

vestibulando

Grande ajuda

novembro  2010

Segundo Semestre


ȇȇ prepare-se 

! a v o r p ados na

Aprov

la Faile

a lista dos aprovados? Que dúvida. A lista de aprovados tem dois dilemas, te passa pra segunda fase e lá você realmente é aprovado e parabéns, bem vindo ao mundo universitário ou te reprova, mas se isso acontecer nada de decepções, combinado? No próximo ano você pode tentar novamente. Agora, pra fazer a prova tem que respirar fundo e não pensar em coisas negativas, na verdade, não pensa em nada pra não esquecer tudo porque a frase que mais se ouve depois da prova é: “deu branco”. Mas eu sei que você esta estudando e vai ser aprovado, irá fazer a matricula e ainda vai ter que arcar com os trotes universitários. Se acha

que sofreu com o vestibular espere pra ver como será as suas boasvindas a faculdade pelos queridos amigos veteranos. Caras pintadas, pedir esmolas no farol fazem parte de umas das brincadeiras do trote, vai fundo, pensa que no ano seguinte poderá ser sua vez de dar o troco. Trotes saudáveis criam amizades duráveis e pode render muita ajuda durante o ano. Portanto, nada de nervosismo, pensa positivo, você estudou, você consegue. Dica aos homens: se quiserem cortar o cabelo após a prova, pode ser uma tortura a menos na hora do trote e meninas, esqueçam o salto alto e roupas novas, pode ser que elas nunca mais sejam recuperadas. Boa Sorte! 

g

vestibulando

8

V

estibular é a fase dos estudos que mais causam perturbações e acumulam um turbilhão de sentimentos entre os estudantes. Aí a gente se pergunta, porque tanto nervosismo e ansiedade na hora de fazer a prova? Faculdades com vestibulares difíceis descabelam os estudantes e, se cabeleiras bagunçadas valerem a pena, eu prometo que nem reparo! Crises de choros, enjôos, tremedeiras são sintomas de ansiedade. Uns comem pouco outros comem demais quando estão nervosos. Agradeça ao bom senhor que criou o cursinho pré-vestibular para aplicar aulas com temas exatos sobre as provas. A vontade de passar em uma faculdade pública é tanta que alguns alunos começam a fazer o curso desde o primeiro ano do ensino médio, ou tem aqueles que já terminam o ensino médio e começam com o cursinho para prestar o vestibular só no ano seguinte. Esforço e muito estudo para realizar um sonho. Acredito que esse sonho alcança mais da metade da mente de todos os estudantes do Brasil. Mais só passam aqueles que realmente se esforçam e conseguem ter um bom controle emocional na hora da prova. O que dá mais ansiedade, fazer a prova ou esperar

stock.xchn

novembro  2010

Por Gabrie

Papel e caneta sempre a mão


ȇȇ Vida de calouro  Julia Maria da Silva em:

O primeiro semestre com a minha personalidade, menina meiga, que fala sem parar, precisa de atenção e esta sempre de olho nos vertêramos, criamos até um ranking os meninos do nosso corredor.

Cada história maluca pra contar, a primeira prova, por exemplo, acho que nunca suei tanto na vinha longa vida de 19 anos. E o medo de tirar um 0 bem redondo, meu pai ia cortar gastos, e o primeiro seria a minha vida com certeza. Estudei horas, e quando peguei na prova parecia que o professor havia escrito tudo em grego, não entendia nada. O tempo começou a ficar curto e as idéias também. Respondi como pude e quando a nota saiu, opa um 6, acima da mé-

dia 5, até não fui tão mal assim. Mari já não me agüentava escutar meu choro na espera pelo resultado, tadinha, se ela soubesse que eu era assim antes de me jurar amizade eterna... Tem hora que a fome bate você olha para todas as cantinas e é tudo muito caro, tem dia que você fica com fome, tem dia que conta moedas, já outros que seus grandes amigos dividem seu lanche, esse é um dos grandes problemas enfrentados por estudantes, a falta de dinheiro. O semestre começa a chegar ao fim, às datas de entrega dos trabalhos cada vez mais próximas, e você já não sabe o que fazer para achar tempo suficiente pra tantas tarefas. Esta certo que os trabalhos foram passados no primeiro dia de aula, mas é mal de brasileiro, tudo em é resolvido em cima da hora. Nessas horas queria ser britânica, pelo menos não teria que ficar mais doida do que já que sou. Mas no final tudo da certo, e pelo menos consegui sobreviver ao primeiro semestre, estudei mais do que achei que alguém fosse capaz de estudar e fiz muitos amigos. Espero que o próximo semestre seja ainda melhor, valeu a pena tudo que passei, por que eu adoro ser universitária. 

9

vestibulando

F

aculdade, depois de tentar esperar chegou o grande dia de conhecê-la. Acordar cedo, passar horas na frente do guarda roupa escolhendo a roupa perfeita para o dia que tem que ser perfeito. Só de imaginar como vai ser já me deixa arrepiada. Eu, Julia Maria, arrepiada só de pensar em um dia de aula?! Acho que essa sensação é aquele famoso medo do desconhecido. Essa sensação aconteceu durante os três primeiros dias, depois comecei a ficar com mais medo ainda, ninguém falava comigo, achava que estava no meio de um monte de ETs verdes e eu era a única azul da turma. E a coisa ficava cada vez pior, livros e mais livros pra ler, trabalhos pra fazer. Caramba esses professores acham que o dia tem quantas horas? Com o tempo começou a diminuir, acabou que conheci algumas pessoas, talvez elas me conheceram forçadas nas atividades em grupo, mais prefiro não pensar nessa hipótese, elas gostaram de mim como eu sou. Marieta se tornou minha melhor amiga em apenas duas semanas, já sabe tudo da minha vida, e olha que eu nem ia com a cara dela. Aos poucos fui encontrei gente que combinava

novembro  2010

Por Bruna Ribeiro


ȇȇ ensino sustentável 

A conscientização do meio ambiente na grade curricular Ensino ambiental é tratado com seriedade por educadores que buscam formar cidadãos conscientes Por Anderson Ferreira da Silva e Bruna Ribeiro

novembro  2010

E

nquanto o mundo evolui explorado por diversos setores como a tecnologia, o combustível e até na busca pela paz, o meio ambiente ganhou seu espaço e, agora, passa a conscientizar a população de um modo geral, principalmente na área educação. Parcela significativa das escolas brasileiras vem adotando sistemas e métodos de

vestibulando

10

g

.xchn

stock

O planeta está em nossas mãos, portanto devemos cuidar bem dele

ensino sócio-ambientais para que os alunos, desde a etapa infantil, preocupem-se com o planeta. Devido a mudanças climáticas, problemas envolvendo calamidades públicas em diversos lugares e divulgação em massa nos meios de comunicação, educadores promovem projetos ambientais como forma de resolver esta situação.


novembro  2010

Panoramio/Gerson

das enchentes é consequência da má educação das pessoas e da falta de infra-estrutura do município”, relata Tamires. Se ainda pensarmos na questão ambiental, outra campanha de grande sucesso que algumas escolas promovem é a de arrecadação de pilha e baterias.

“A utilização de cestos recicláveis é importante não só nas escolas, mas em qualquer lugar”

“São materiais que prejudicam muito nosso planeta, levam cerca de 40 anos para se decompor e suas substâncias químicas são altamente perigosas a saúde humana”, diz a diretora pedagógica Márcia Fernandes, 46. Foi depois de uma fase de conscientização e educação sobre o assunto, que o Co-

11

vestibulando

Como ponto de partida, a coleta seletiva de lixo, princípio básico para o início do processo de reciclagem é visto como opção rápida dentro e fora dos limites das escolas. Inicialmente, há um custo com as latas de lixo sinalizadas que pode variar entre R$ 30,00 e R$ 800,00, conforme as empresas fornecedoras e das necessidades de cada cliente. Após adquirir estes utensílios, será importante a contratação de uma cooperativa para a retirada destes recicláveis. Outra possibilidade é a utilização dos caminhões de coleta seletiva disponibilizados pela prefeitura, que envia toda semana, um veículo para a retirada do material em horários pré-determinados. A assistente de relacionamento Tamires Regina, 26, do Colégio Marista Nossa Senhora da Glória afirma que os problemas de alagamento no município de São Paulo, ora é causado pela população ora pelo local, que necessita de lixeiras. “A utilização de cestos recicláveis é importante não só nas escolas, mas em qualquer lugar. Os problemas que temos, principalmente na cidade de São Paulo por causa

Plantio de mudas ONG Bicho do Mato de Mineiros do Tiete


Crianças visitam e colaboram em horta comunitária, um exemplo pra muitos

vestibulando

12

Crianças participando do plantio de mudas de árvores

légio Marista junto com seus alunos conseguiu arrecadar quase 500 kg desse material em sua ultima campanha neste ano. A participação de jovens nesse tipo de programa é cada vez maior, a preocupação com o futuro do planeta meche com o pensamento deles. “Claro que o incentivo que par-

te das escolas, como algum tipo de premiação, influencia muito a cooperação dos estudantes nas campanhas”, completa Márcia. A EMEF Profª Esmeralda Salles Pereira Ramos, localizada da zona norte de São Paulo, trabalha com o projeto “sequestro do gás carbônico”. Criado em 1997 pela professora Wilma Helena Francisco Penna Sallovitz, o projeto conta com a ajuda da prefeitura. Com cerca de 40 alunos participantes em cada edição, o projeto incentiva os alunos a plantarem árvores para que a limpeza do ar seja feita naturalmente por meio de fotossíntese, onde as plantas recolhem o ar, retiram o gás carbônico e só devolvem para a atmosfera o oxigênio. “Busquei informações em sites para poder colocar em pratica o projeto, tive ajuda da professora de matemática para bolar as fórmulas que seriam usadas para saber a quantidade de mudas a serem plantadas por cada aluno”, diz Sallovitz. Com esses dados em mãos foi o momento da prefeitura entrar em ação e liberar um terreno para que as plantações acontecessem. Outro fator que contribui para a educação ambiental é o auxilio da prefeitura de São Paulo. A Secretaria Municipal do Verde Divuçgação/Changemakers

novembro  2010

Divuçgação/Embrapa

ȇȇ ensino sustentável    A conscientização do meio ambiente na grade curricular


novembro  2010

Divulgação/UFPI

“São Materiais (pilhas e baterias) que prejudicam muito nosso planeta”

Alguns dos temas abordados são: biodiversidade conservação e uso do solo, resíduos sólidos, derretimento das geleiras, tratamento de água e consumo consciente, entre outros.

Longe do meio ambiente

Não é só pensando na conscientização baseada em reciclagem desde pequeno que um jovem vai se tornar uma pessoa melhor perante a sociedade. Trabalhos que ajudem na preparação de um caráter são muito importantes. Trabalhos voluntários, como arrecadação de alimentos são os mais encontrados por todo o país, mas não são os únicos. A escola que trabalha com base de formar cidadãos, coloca seus alunos para vivenciarem as dificuldades enfrentadas por uma população menos favorecida. Varias são as formas de mostrar isso a eles como arrecadação de livros, trabalho voluntário em creches e associações, podem também surtir o efeito desejado. Existem projetos que fogem do âmbito acadêmico, como as hortas comunitárias, onde não só os jovens são responsáveis pela manutenção e toda a comunidade pode usufruir de seus benefícios. Aluno do 3º ano do ensino médio, Danilo Alencar acredita que isso modifica a cabeça dos adolescentes. “Esse tipo de tarefa faz você pensar na construção de um lugar melhor para viver”, relata o garoto. 

13

vestibulando

e do Meio Ambiente incentiva escolas com informações e projetos sobre a biodiversidade e sustentabilidade. O Seminário de Áreas Verdes está em sua 3ª edição e é um evento voltado à pratica e conscientização ambiental. Ele ocorre geralmente em Novembro e atrai um grande público de estudantes e pessoas ligadas a programas ecológicos.

Cestos de coleta seletiva em fácil acesso auxiliam na reciclagem


ȇȇ resenha    hora da mudança Sociedade dos Poetas Mortos (Dead Poets Society)

Aproveite para pensar

Por Anderson Ferreira da Silva

novembro  2010

T

vestibulando

14

radição! Honra! Disciplina! Excelência! Esses são os quatro pilares exclamados por todos os novos alunos no primeiro dia do ano letivo do tradicional colégio preparató rio Welton Academy. Apreensivos, curiosos e, ao mesmo tempo, sem saber o que fazer, os alunos são surpreendidos por professores renomados e que moldam o dia a dia com seu estilo conservador, exceto um, o professor John Keating. O educador, interpretado pelo brilhante ator Robin Willians, surge assobiando na sala de aula por uma porta e encaminha-se diretamente para a outra. Ninguém entende. Rapidamente ele volta e faz um sinal para que o acompanhem. Quando chegam à sala de troféus, O educador pede que olhem atentamente para as fotografias de antigos alunos. Várias perguntas são lançadas como: O que fizeram de suas vidas? Para onde foram? O que aconteceu com eles? Então, com a atenção de todos, ele provocou suas mentes com o termo “Carpe Diem”, que significa, aproveitem suas vidas. Pediu para que aproximassem seus ouvidos do mural e que prestassem atenção ao sussurro. Repete, “Carpe Diem. Aproveitem o dia rapazes, tornem suas vidas extraordinárias.” Para um longa metragem de 1989, ele ainda continua muito atual, afinal, o elenco retratado no filme existe em muitas instituições de ensino que teimam em treinar alunos, com métodos de ensino fracos moldados a partir da conhecida “decoreba” sem qualquer tipo de reflexão. Números mostrados ao governo, puramente para colher verba pública cria ainda mais nas estatísticas, um produto cultural de fácil dominação. A mudança de comportamento de alguns alunos cria um desconforto para a instituição

Ficha Técnica País /Ano de Produção: EUA, 1989 Duração / Gênero: 128 min., drama Distribuição: Abril Vídeo Direção: Peter Weir Elenco: Robin Williams, Robert Sean ­Leonard, Ethan Hawke e Josh Charles

e também para outros alunos, principalmente quando é encontrado um anuário onde Keating aparece com o termo “sociedade dos poetas mortos”. Após a descoberta de que se tratava de uma turma de alunos que se reunia para ler poesia e trocar experiências, eles decidem retomar as atividades da “Sociedade”. Todos os alunos começam a perceber mudanças em suas vidas, seus modos de ser e de pensar são influenciados por essa nova etapa. Uma renovação por assim dizer. Eles descobrem talentos, criam expectativas, saboreiam a ideia de que a vida é uma só. A semente plantada pelo professor trouxe-lhes de volta o prazer de aprender e de viver intensamente. A busca por fazer valer o momento chegou, mas não veio sozinha, trouxe consigo a opressão dos mais velhos, assim como acontece hoje em dia. Muitos dos “grandes” vêem experiência traduzida como sabedoria única, acreditando que a verdade seja o saber racional sem se importar em sentir e no que Onde Encontrar os mais novos podem nos oferecer. “Sociedade dos Poetas Mortos” é um filme surpreendente, emocionante e com um profundo respeito pela educação, ele alimenta não somente sonhos, mas ideais da juventude com que trabalhamos. Discutir estes assuntos, modificar nossas atitudes, refletir sobre condutas e, principalmente, voltar os olhares para nós mesmos R$ 19,90 na Livraria é o que o longa proporciona. Separe a Saraiva pipoca e “Carpe Diem”! 

Divulgação/ Walt Disney

Ele foi a inspiração que tornou suas vidas algo extraordinário


ȇȇ artigo    opinião

Arquivo pessoal

Notas sobre o momento o vestibular e a escolha profissional Fernando Albregard Cassas Psicólogo Analítico-Comportamental, doutorando em Psicologia Experimental: Análise do Comportamento pela PUC/SP

novembro  2010

E

15

vestibulando

scolhas difíceis permeiam toda a nos- lhe a profissão correta ou ele será infeliz. sa vida desde escolhas simples (o que Sendo assim, o aluno tem a decisão da vida comer no almoço), até escolhas difí- dele nas mãos. ceis (casar ou não casar, mudar de cidade, Sabemos que essa visão é equivocaterminar um relacionamento, se aventurar da. O fato de fazer uma escolha agora não em uma viagem diferente). Talvez uma das implica que teremos que sofrer com ela escolhas mais difíceis que realizamos é a es- para o resto de nossas vidas. Escolhemos colha profissional. Depois de mais de uma com as ferramentas que temos naquele década de escola – sempre seguindo aquele momento. Portanto, o aluno não precisará padrão, fazendo as matérias que nos obri- necessariamente ficar naquele curso ou gam, etc. –, nos deparamos com um momen- trabalhar com o que ele definiu no vestito em que temos de fazer uma escolha: qual bular. Ele pode mudar ir para outro curso, é a profissão que eu quero? testar novas profissões até escolher aquilo Isso faz do momento do vestibular algo que o faz feliz. tão temido e tão estressante. É muito coOutro fator de muito estresse são as mum ouvirmos que o aluno em época de pressões que o aluno sofre na escolha. Em muitos casos o aluno vestibular é estressado ou está sempre nervoso. escolhe não por decisão própria, mas, sim, Corriqueiramente tenpara ‘fazer a vontade’ demos a compreender Escolhemos com dos pais ou amigos. que isso ocorre por moas ferramentas Ou seja, existe uma tivos da prova, pela tenque temos pressão para que ele são do momento. Essas naquele momento... explicações pouco nos tome um caminho que pode suprimir a vonauxiliam a entender, do ponto de vista do alutade dele. no, o momento que ele Soma-se a isso uma passa. A prova é sim um grande quantidade de momento tenso (pelo tempo, pela dificulda- matéria que o aluno tem de dar conta para de), mas existem outros fatores que deixam uma única prova, criamos uma situação de esse momento estressante. tensão muito grande. Sendo assim, o aluno Um primeiro fator é uma idéia de que lida, durante o ano de vestibular e na hora uma escolha acertada no vestibular deter- da prova, com todos esses ‘fantasmas’. Por minará a felicidade ou infelicidade de uma isso, podemos entender que nada mais napessoa ao longo da vida. Isso coloca uma tural do que um jovem ser estressado dupressão sobre o aluno de que ou ele esco- rante esse período. 

Fernando Albregard Cassas fala sobre temido e estressante momento do vestibular


ȇȇ escolha certa 

Ser ou não ser … Eis a questão?

novembro  2010

O teste vocacional pode ajudar os jovens na difícil escolha da profissão

vestibulando

16

Todos os dias milhões de jovens vivenciam esse dilema


O Teste

Tipos de orientação

Existem inúmeros testes para orientaMas o que seria um teste vocacional? Não ção profissional, uma opção rápida e bem é apenas um simples exame, mas uma forma conhecida é o mapeamento de carreira. de mensurar quais são as áreas de interesse, Este exame não leva mais de 15 minutos e aptidões e habilidades do sujeito, porém, consiste em 40 frases que tem como intuito, muitas vezes, o individuo que se submete a atribuir uma pontuação de 1 a 6, de acordo determinados tipos de avaliação, se sente per- com a afinidade do candidato. A interpretação do resultado é feito dido ao fazê-lo. Portanto por um psicólogo. Os é necessária uma orien“Hoje em dia, testes mais elaborados tação, onde o estudante só podem ser aplicados terá uma atenção mais essa escolha por especialistas em individualizada, através pode ser orientação e os preços de algumas perguntas trabalhada a variam de R$ 70.00 a sobre diversos assunpartir do primeiro 3.000 reais. tos, o que torna possível ano do ensino médio...” Há questões imreunir pistas que podem portantes que devem levar à escolha de um ser levadas em consicampo profissional. Para o vestibulando Ricardo de Lima, deração. A primeira delas é pesquisar muito 17 anos, o exame foi de grande importância, bem a instituição onde será feita a avaliação. pois indicou mais opções para a área que Segundo a executiva de RH Tânia Fonseca

A sua escolha pode salvar vidas

novembro  2010

deseja seguir, farmácia. “A avaliação me deu outra visão sobre aquilo que eu quero”, declara. Os testes ajudam a identificar motivações, valores e características para direcioná-lo a uma área. Mas de acordo com a Psicóloga Maria Gabriela Monteiro da Silva CRP 6/94281, formada pela Universidade de Guarulhos, o ideal é não deixar tudo para a última hora. “Hoje em dia, essa escolha pode ser trabalhada a partir do primeiro ano do ensino médio com informações sobre a área profissional e o mercado de trabalho”. Deste modo, os alunos teriam mais tempo para analisar, pesquisar as profissões de interesse, instituições que oferecem o curso, preços, qual é a grade curricular e várias outras questões.

17

vestibulando

T

odo ano é a mesma coisa, os estudantes que estão no último ano do ensino médio ficam ansiosos e nervosos só de imaginar como serão os preparativos ao longo do ano para o vestibular. Mas antes eles se depararam com uma questão de maior importância em suas vidas:. qual profissão escolher? De fato, decidir uma carreira para seguir por toda a vida, não é uma tarefa fácil para a maioria dos adolescentes. O resultado são noites mal dormidas, pois o jovem se vê dividido entre fazer o que seria “mais rentável” ou que os pais sonham, ou ainda, o que garante uma melhor vaga no mercado de trabalho. Muitas dúvidas surgem principalmente por ser um período de transformações, muita pressão e pouca experiência de vida. Os testes vocacionais podem auxiliar os jovens na penosa escolha por um ofício. Mas para isso é necessário compreender alguns aspectos deste. Questões como a instituição onde avaliação será realizada e o tipo de exame a ser aplicado, devem ser levados em consideração para se ter um bom resultado e ajudar na hora de preencher o cupom de inscrição dos processos seletivos.

stock.xchng/kurhan

Por Daniel Campos Dias Nunes e Vilcilene Fernandes


novembro  2010

stock.xchng

ȇȇ escolha certa   Ser ou não ser …Eis a questão?

O outro lado da moeda Arquiteto, economista ou cantor? O teste vocacional pode ajudá-lo a encontrar seus talentos ocultos

18

vestibulando

é importante saber qual a base teórica que envolve o exame, ou seja, “se o teste é bem fundamentado”, afirma. Outro aspecto a ser analisado é o fato do jovem não ter disponibilidade de buscar uma ajuda profissional que o oriente neste processo, devido a sua condição socioeconômica. Nesta situação, é preciso saber qual área o estudante gosta mais ou que tem mais facilidade. A partir disto, o individuo escolhe os ofícios com as quais tem mais interesse, afinidade e começa a pesquisar sobre as mesmas. Conversar com profissionais sobre o seu dia a dia, mercado de trabalho, salário, pontos positivos e negativos da área, pode ser de grande ajuda para aqueles que não escolheram qual carreira a seguir.

Para saber mais … Listamos algumas alternativas de instituições que oferecem orientação vocacional gratuita para os estudantes: Universidade Mackenzie Orientação Vocacional do Departamento de Psicologia R. Itambé, 45, Prédio 16, 1º andar, Higienópolis, São Paulo (SP), CEP 01239-902, tel.: (11) 3236-8342 Site: www.mackenzie.com.br/universidade/psico Universidade Estadual Paulista (Unesp-Assis) Setor de Orientação Profissional do Centro de Pesquisa e Psicologia Aplicada Av. Dom Antônio, 2100, Parque Universitário, CEP 19806-900, Assis (SP), Tel.: (18) 322-2933, ramal 248 Universidade de São Paulo (USP) Serviço de Orientação Profissional do Instituto de Psicologia Av. Prof Mello Moraes, 1721, Bloco D, Cidade Universitária, São Paulo (SP), CEP 05508-900, tel.: (11) 3091-4174 Site: www.usp.br/ip/laborprof E-mail: sopi@edu.usp.br

O resultado do teste vocacional não é uma garantia de resposta certa, inquestionável. , trata-se apenas de uma orientação, pois de fato, o que funciona para alguns estudantes pode não dar certo para outros. É o caso do vestibulando Ricardo Lima, 19, que fez a avaliação e não obteve êxito. “O exame não deu certo... o resultado foi a área de contábeis, o que não bateu nada com o meu perfil”, explica. Em situações como essa na qual o resultado não combina com o perfil do candidato, é de extrema importância para o jovem refletir, pedir a ajuda dos pais e amigos. É preciso levar em consideração outros contextos na escolha da profissão, uma delas é a sua realidade, se possui condições de pagar o curso, ou de passar em uma universidade pública, gastos com transporte, lanche e material escolar. Para a psicóloga Maria Gabriela da Silva, muitas vezes nossos sonhos e habilidades são uma coisa, mas a realidade é outra completamente diferente. “Não quero dizer que por isso jovem deve desistir do seu sonho, mas que talvez tenha que percorrer outro caminho para chegar lá, por exemplo, o estudante deseja seguir enfermagem, mas suas condições financeiras não lhe permitem bancar o curso, ele pode optar em iniciar um curso técnico , e posteriormente, arrumar um emprego na área e depois começar a faculdade”, conclui.


A importância dos pais na escolha da profissão

novembro  2010

stock.xchng

A orientação da família pode ajudar os filhos na hora de decidir a carreira

S

em dúvida os pais têm papel fundamental na formação dos jovens e não poderia ser diferente na escolha profissional, pois desde pequenos a família transmitiu a eles valores, normas e crenças que no futuro serão referenciais da escolha. Neste período de pressão e indefinição é importante a família ter uma conversa franca, sempre com cautela para não desrespeitar as opções dos filhos. O resultado será estudantes mais seguros, pois se sentem apoiados no momento da escolha. Para Maria Gabriela Monteiro da Silva os pais querem deixar o seu legado aos filhos, por desejar que estes sigam a mesma profissão ou que façam aquilo que não conseguiram fazer, e por este motivo esperam

que os jovens os obedeçam cegamente. O resultado na maioria dos casos: são adolescentes que escolhem baseado nas expectativas dos familiares. “Porém o mais importante é que, a família oriente e apoie seus filhos, independente de suas escolhas”. Dúvidas e fatores como dinheiro, status e principalmente a pressão da carreira dos pais , não devem ser decisivos para que os jovens decidam a carreira a seguir. Há outros contextos envolvidos como o mercado de trabalho, habilidades, as perspectivas de crescimento e a realidade social, politica e econômica têm que ser levados em consideração na hora da escolha. Essa decisão definirá o que ser, o que fazer e o futuro que gostaria de construir. 

Os pais devem explicitar sua visão , mas não esperar que os filhos as obedeçam cegamente .

“Porém o mais importante é que, a família oriente e apoie seus filhos, independente de suas escolhas”

vestibulando

19


A hora de relaxar antes do vestibular

novembro  2010

Após um cansativo período de estudos, futuros universitários tranqüilizam a mente sem perder o foco na prova

Por Guilherme Abambres e Guilherme Queiroz

N

em só de estudo se vive uma época prévestibular, muitos cursos preparatórios orientam seus alunos que a neura do excesso dos estudos no ultimo ano do colegial, também prejudicam os candidatos ao ensino superior, e é por isso que os famosos cursinhos preparam algumas aulas diferentes das tradicionais, como encontros que acontecem em bares próximos as faculdades ou os Corujões.

vestibulando

20

Leituras ao ar livre são uma excelente forma de descontração

stock.xchng

ȇȇ desencana 


“Consegui tirar as minhas ultimas duvidas e relaxar com o show super engraçado que os professores fizeram” ografia, ciências, língua portuguesa e artes, além de facilitar a compreensão daquilo que é apresentado e não tirar o foco do principal objetivo: o vestibular. O Museu da Língua da Portuguesa, localizado na Estação da Luz, expõe o idioma

21

vestibulando

vas com histórias muito interessantes como “Memórias de um sargento de milícias” de Manuel Antônio de Almeida, “Dom Casmurro” de Machado de Assis ou um ótimo livro de literatura brasileira de Jorge Amado, como, por exemplo, o clássico “Dona Flor e seus dois maridos”. Para aqueles que não conseguem relaxar com a leitura de livros, visitar museus torna-se uma alternativa interessante na busca de conhecimento sobre história, ge-

novembro  2010

Guilherme Abambres

Na aula bar que o Hexag, curso preparatório para a Universidade Presbiteriana Mackenzie, promove, os alunos de diversas áreas se encontram na Rua Maria Antonia no bairro de Higienópolis, para que os professores de Português e Matemática, possam fazer uma integração maior entre o aluno, o professor e a matéria. Já o Corujão, costuma acontecer na última semana antes do vestibular, onde a aula acontece durante a madrugada para que as dúvidas finais sejam tiradas, após um semestre inteiro de estudos. Os professores que possuíam um grupo musical fizeram um show, e a noite se encerrou com uma balada no Teatro Gazeta afim de que os pré-universitários esquecessem um pouco da tensão da prova e relaxarem. “O Corujão aconteceu alguns dias antes do vestibular, eu estava super nervosa, pois o meu curso é um dos mais concorridos do Mackenzie, já que quero fazer Direito, mas consegui tirar as minhas ultimas duvidas e relaxar com o show super engraçado que os professores fizeram naquela madrugada” Diz Jéssica Grecco, estudante de 19 anos. Ainda com foco na prova, outra maneira de relaxar é ler um bom livro, e alguns deles estão na listas de textos utilizados nas pro-

Professores dão aula em bar próximo a Universidade Presbiteriana Mackenzie


novembro  2010

Guilherme Abambres

ȇȇ desencana    A hora de relaxar antes do vestibular

Banda The Pros agita o Corujão do cursinho Hexag

te aquelas que possuem alguma relação com a Independência do Brasil e o período histórico correspondente. Um dos principais objetivos do museu é mostrar aos visitantes o protagonismo do povo paulista na História do Brasil. “O quadro ‘Independência ou Morte’, de Pedro Américo, é a maior referência da libertação do Brasil e o objeto que mais se destaca no museu, pois ilustra Dom Pedro e seus homens às margens do rio Ipiranga no dia do grito da Independência” conta o estudante Antonio Augusto dos Reis.

Guilherme Abambres

vestibulando

22

nacional, onde são apresentadas as origens, história e influências sofridas ao longo dos séculos. Também são promovidos lá cursos, palestras e seminários a respeito da Língua Portuguesa, assim como intercâmbio e disseminação da cultura brasileira, para aproximar o cidadão do seu idioma oficial com o intuito de valorizá-lo. Outro museu famoso e com bastante conteúdo para os vestibulares é o Museu do Ipiranga, que é responsável por um vasto acervo de móveis, documentos e obras de artes com relevância histórica, especialmen-

Alunos assistem ao Corujão do Curso Hexag e tiram as últimas dúvidas


Filmes também auxiliam na descontração

novembro  2010

Divulgação/Globo Filmes

Obras cinematográficas além de distrair complementam os estudos

M

uitas obras de cinema também auxiliam o estudante a conhecer o contexto e as características de uma época, o que pode ajudá-lo a ter uma visão histórica abrangente. A atividade solitária de estudar História pode se transformar em momentos de prazer ao assistir a filmes que retratam episódios que mudaram o curso das civilizações. O futuro estudante de Direito, Dadson Rodrigues, conta que o filme “A Lista de Schindler” ajudou-o a entender o contexto exposto com riqueza de detalhes daquela época. “O que mais me chamou atenção no filme foi que existiam alemães que eram contra o regime totalitário de Hitler e tentavam ajudar os judeus a não serem capturados pela Gestapo” diz o jovem de 20 anos. Como exemplos de filmes que retratam temas pertinentes ao vestibular estão: Operação Valquíria, do diretor Bryan Singer; Bastardos Inglórios, de Quentin Tarantino; Pearl Harbor, de Michael Bay; Olga, de Jayme Monjardim;

O Menino do pijama listrado, de Mark Herman; Hotel Ruanda, de Terry George; Sobrevivendo com lobos, de Véra Belmont; Adeus Meninos, de Louis Malle; e muitos outros. “Os filmes são recursos auxiliares e não devem substituir, de modo algum, a leitura dos livros recomendados ou obrigatórios das escolas e demais instituições de ensino, pois eles não têm a mesma profundidade do material didático utilizado. Deste modo eles servem para complementar o aprendizado do conteúdo das aulas”, explica o psicólogo Felipe Rocha. Portanto, recomenda-se que o vestibulando não deixe para estudar um dia antes da prova, uma vez que esse dia deve ser reservado para descanso, lazer e entretenimento a fim de que o futuro universitário consiga realizar a prova com maior destreza, sem, contudo, perder o foco do vestibular. Todo tipo de aborrecimento deve ser evitado durante essa data, para isso o apoio e incentivo da família se tornam algo fundamental. 

Cena do filme Olga, do diretor Jayme Monjardim

“Os filmes são recursos auxiliares e não devem substituir, de modo algum a leitura”

vestibulando

23


ȇȇ Tome Nota

= s e s s e r t s e e s a r o u d e n N a l u b i t s e v m o B s Correia

kson Alve

vestibulando

24

A

cada começo de semestre os milhares de jovens preparam-se para enfrentar uma batalha muito temida: O Vestibular. A meta é conseguir uma vaga na faculdade, vaga na qual esta muito concorrida. Hoje são quatro candidatos para cada vaga oferecida pelas universidades. Mas, o que é motivo de assunto é o pré-vestibular. Nele a jovem passa por tensão, nervosismo, angustia, pressão, rotina alterada e meses e mais meses de estudos para se dar bem na prova. Esse é o momento de devorar os livros, fazer do Google sua página inicial no computador, torrar a paciência e o tempo livre de professores para tirar dúvidas, e tudo isso ainda parece pouco. Os vestibulandos parecem estar cada vez mais cientes de que, enquanto mais estudar melhor. Porém, uma forma de aliviar toda essa tortuosa preparação para o futuro, os jovens se vêem com um grande inimigo que pode destruir com todas essas atividades: O sofá, a televisão, o MSN, Orkut, baladas no final de semana. Tudo isso são obstáculos que podem acabar com a concentração de qualquer um. Visto por muitos como um modo de relaxar um pouco e tirar o estresse emocional, esse inimigos nume-

ro 1 de quem estuda pode deixar de ser uma “pauzinha” para esfriar a cabeça e acaba de vez com a jornada de estudo, até então cansativa e longa, pois muitos não voltam mais as suas atividades de pesquisas e acabam por aderir um desses itens citados sua maior companheira em um intervalo que se prolongou, um pouco “sem querer”, como muitos costumam de desculpar. Estudar muito é certeza de estresse, não que eu queira que você vestibulando estude pouco para a prova. Mas o certo não é estudar desesperadamente e muito de forma que ao final do dia, quando você já tenha lido dezenas de livros, consultado inúmeros sites e enciclopédias e acabado os estudo falando “Ufa acabei!” e ao se dar conta milhões de informação estão misturadas na cabeça de forma a não associar nada com nada. O certo, e pesquisasas mostram isso, é que o vestibulando Estresse e nervosismo nos estudos

deve é estudar “BEM” e não necessariamente estudar muito. Em um artigo, o Portal G1 dá um conselho e diz para os jovens não se desesperar, não obrigatoriamente estudar 18 horas por dia para ver toda a matéria e sim procurar uma estrutura e se organizar, como por exemplo, procurar ver em que assunto tem mais dificuldades e qual o anima mais. Enfim, caros vestibulando, com todo conselhos que alguém que já passou por isso, professores, sites especializados e, em alguns casos como alguns fazem, procurar orientação de psicólogos, uma coisa é certa: você não pode escapar dos estudos desesperados para se preparado para o vestibular. Neuras, estresses, raiva, desespero e outras séries de sintomas virão e são inevitáveis, até porque se não lhe ocorrer isso há algo de errado e você não é um vestibulando.  stock.xchng/skaletto

novembro  2010

a Por José J


ȇȇ especial 

Diversos caminhos para buscar o conhecimento

novembro  2010

As principais diferenças entre as instituições públicas e privadas e o que fazer para não errar na escolha da universidade

Por Carla Fernanda, Felipe Neves e Guilherme Abambres

N

vestibulando

26

Estudante segura seus cadernos e livros para estudos

stock.xchng

ão há dúvidas de que a infraestrutura da maioria das universidades privadas da grande São Paulo é de melhor qualidade em relação ás da rede pública. A principal desigualdade é o fato de que se estudar em uma pública, não precisará pagar mensalidade, que em algumas instituições pode chegar a cerca de três salários mínimos. Isso não quer dizer que as particulares sejam destinadas somente para quem possa pagar, haja vista os sistemas de bolsas que existem hoje, como por exemplo, o Prouni.


novembro  2010

stock.xchng

27

vestibulando

Também não podemos afirmar que Outro aspecto essencial é checar a relaos estudantes das públicas, só ingressam ção de convênios da instituição com centros nestas porque não possam pagar uma par- de pesquisa, empresas e outros estabeleciticular de melhor qualidade. Uma simples mentos de ensino no Brasil e no mundo. visita aos estacionamentos de alguns campi A problemática de muitos jovens, ainda é facilmente comprovaria este fato. a carreira a seguir. Já que a cada ano as opções Mas o estudante não de cursos e os campos pode se prender somende mercado são maiote à questão financeira. res, os poucos alunos A razão de ser Uma prova disso é terque já terminam o Enda universidade mos a USP, como melhor sino Médio com uma está na sua universidade da América decisão do que fará, aincapacidade Latina, segundo a revisda não sabem onde vão de aliar o ensino à ta inglesa Times Higher cursar sua faculdade. pesquisa Education. A concorrência e a Para decidir qual dificuldade de ingresa instituição de ensino sar em uma universique mais lhe favoreça, o dade pública já fazem estudante deve fazer uma visita ao local para alguns jovens desistirem antes mesmo de conhecer espaços como bibliotecas, labora- fazer a inscrição para o vestibular. tórios, salas de aula e áreas comuns. Já que Já os altos valores das mensalidades de a qualidade das instalações pode influir no instituições de ensino superior particulares processo de aprendizagem. também fazem com que algumas pessoas A visibilidade no mercado de trabalho deixem de lado o sonho da faculdade por que a instituição lhe proporcionará, a qua- impossibilidade do pagamento. lidade dos professores que participarão da formação do aluno, a quantidade de aulas Qualidade dos professores práticas e teóricas dos cursos e, até mesmo, A razão de ser da universidade está na as possibilidades de acesso ao exterior, tam- sua capacidade de aliar o ensino à pesquibém devem ser levadas em conta. sa. Não basta ser apenas o espaço onde se

Preparação: Candidata se prepara através de apostilas com atividades.


novembro  2010

Divulgação/Descolando

ȇȇ especial    Diversos caminhos para buscar o conhecimento

Recém-aprovados fazem a festa na avenida Paulista.

dos apenas pelas horas trabalhadas em sala de aula) em docentes contratados por 40 horas semanais dedicadas a uma só instituição”, afirma. Inúmeras universidades particulares têm procurado exibir corpos docentes devidamente qualificados, ou seja, com mestrado e doutorado, com a finalidade de comprovar a qualidade do ensino praticado em sala de aula. O próprio Ministério da Educação passou a exigir o percentual mínimo de um terço dos professores com essa qualificação.

stock.xchng

vestibulando

28

faz somente uma reprodução do conhecimento, é indispensável que também seja capaz de construí-lo. Neste ponto, possivelmente, nos deparamos com uma das principais diferenças entre os centros de estudos públicos e particulares. Segundo o historiador e professor da UFPI (Universidade Federal do Piauí), Denilson Botelho, os professores deveriam se dedicar exclusivamente a uma única instituição. “Basta que as faculdades reformulem o regime de contratação de seus professores, para transformá-los de horistas (remunera-

Professora de cursinho pré-vestibular ao auxiliar seus alunos.


29

vestibulando

A crescente demanda das universidades Para concorrer a uma bolsa, uma das pela escolha do Enem como forma de vestiopções mais procuradas é o Exame Nacio- bular, tem elevado a possibilidade de utilinal do Ensino Médio (Enem). O MEC de- zação da prova como único meio de seleção termina uma nota mínima para quem quer dos alunos de todo o Brasil. ingressar no ensino superior. Porém, alguns fatos fizeram com que Geralmente, o Enem é procurado por essa adesão ao Enem tenha diminuído a vealunos que não têm condições de pagar uma locidade do seu crescimento. universidade privada, mas ao que tudo indiNo último dia 03 de agosto, foi descoca, essa situação sofrerá mudanças. berto o vazamento de dados dos alunos que O bolsista Thiago José, 22, estudante de participaram da prova nos anos de 2007, ciências contábeis, só conseguiu uma bolsa 2008 e 2009. na Uninove por que seus No ano passado, ao pais o remanejaram do iniciar o processo de colégio particular no enimpressão das provas, “Não importa sino fundamental, para um funcionário mal quantos anos eu uma escola pública. intencionado roubou faça cursinho, Ele acredita que os uma edição da provou entrar pais “usam estratégias” va, o que provocou o no curso que eu que favoreçam seus fimaior escândalo com o realmente quero” envolvimento do Milhos quando chegam ao Ensino Médio, com nistério da Educação. Na época, algumas o pensamento voltado ao Enem. “As pessoas estudam em escola instituições que utilizariam a nota do Enem particular para poder entrar em uma fa- para ingresso dos alunos desistiram da adoculdade pública, por causa da concorrên- ção. O que resultou no ano em que ocorrecia no vestibular. E estudam em escola pú- ram mais desistências de candidatos. blica para poder cursar uma universidade Porém, em meio a escândalos e confuparticular, devido à exigência do ProUni” sões, o Enem tende a ser o principal vestiafirma o estudante. bular para ingressar no ensino superior. O

novembro  2010

stock.xchng

ProUni

Alunos em aula fora de sala. Inovação é a principal arma das universidades.


novembro  2010

stock.xchng

ȇȇ especial    Diversos caminhos para buscar o conhecimento

vestibulando

30

Vestibulando se prepara. Quando chega a hora do vestibular, qualquer canto é lugar para estudos.

MEC já estuda essa hipótese em conjunto com as principais universidades do Brasil. As faculdades também têm suas vantagens ao utilizar o Enem como forma de vestibular. De acordo com o site do Ministério da Educação, a adesão ao ProUni isenta as instituições de ensino superior do pagamento de quatro tributos: Imposto de Renda das Pessoas Jurídicas (IRPJ), Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), Contribuição Social para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e Contribuição para o Programa de Integração Social (PIS).

Preparação

A desigualdade da educação, não só no Estado de São Paulo, mas no Brasil inteiro, é um grande enigma. Colégios particulares bem avaliados no Enem tendem a tentar se superar na prova a cada ano, enquanto alguns colégios públicos parecem não se importar com os resultados. No último resultado do Enem, nove dos dez colégios com maior nota são privados. Fato que ilustra a desigualdade na educação do brasileiro.Algumas escolas não dão a importância devida ao Enem, o que defasa a preparação do aluno, que se vê obrigado a procurar o melhor

preparo de forma independente, através dos cursinhos pré-vestibulares. Débora Medeiros, 17, estudante do 3º ano do ensino médio no colégio Albert Sabin, não sofre com isso. Para ela o problema é a pressão que o professor impõe, já que o colégio está entre os dez melhores do Enem e busca sempre uma posição melhor. Mas mesmo assim, optou pelo cursinho para se preparar melhor, pois prestará vestibular para medicina. “A concorrência em medicina me desanimou. Procurei alguma alternativa mais fácil como fisioterapia, mas desisti com medo da desilusão, então decidi que não importa quantos anos eu faça cursinho, vou entrar no curso que eu realmente quero”, exclama.

“Eles podem não admitir, mas sempre escolhem o estagiário de acordo com a universidade”


stock.xchng/bobotheking

O apoio da família também é extremamente necessário neste momento de tantas indecisões do jovem, a pressão não é a melhor forma de estimular o aluno a estudar para a prova. A casa toda tem que entrar em um clima de hábito de estudo diário para que no momento do vestibular o futuro universitário tenha conseguido adquirir conhecimento necessário para um bom desempenho no teste.

Aula na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

“Eles podem não admitir, mas sempre escolhem o estagiário de acordo com a universidade”, afirma. Essa polarização de concorrência só dificulta ainda mais a decisão do vestibulando, que não pode se limitar a escolher apenas uma universidade pública ou privada, ela tem que ser reconhecida e ter créditos com as empresas que possivelmente irá trabalhar.

vestibulando

31

Divulagação/Anhanguera

Para conseguir um bom emprego, a depender da área a qual irá seguir, já está descartado o fato do candidato ter apenas o ensino médio, as grandes empresas exigem, na maioria das vezes, uma graduação e cursos extras curriculares. Geralmente as empresas que se destacam no mercado, levam em consideração, a faculdade que o candidato cursou ou cursa. Uma universidade concorrida e com altos níveis de avaliação sempre é vista com preferência pelos recrutadores. Para Andrea Aparecida, 42, responsável pelo recrutamento de estagiários da agência de empregos Talentos, as grandes empresas preferem universitários matriculados em instituições reconhecidas e que se destacam das demais.

novembro  2010

Mercado de Trabalho

Trote solidário na Faculdade Anhanguera de Indaiatuba.


ȇȇ especial    Diversos caminhos para buscar o conhecimento

Ranking de revista inglesa ganha notoriedade

novembro  2010

stock.xchng

USP é a melhor colocada da América Latina, mas ainda não está entre as 200 melhores do mundo

vestibulando

32

Sala de aula da USP. Universidade coloca o Brasil no topo, mas da América Latina.

Pelo Mundo

Recentemente, foi divulgado pelo jornal Folha de S. Paulo, o Ranking Mundial de Universidades 2010-11 da revista inglesa Times Higher Education, que avalia as universidades do mundo. A divulgação do resultado tornou-se importantíssima para os estudantes escolherem as melhores instituições e universidades se motivarem para melhorar sempre.

Liderado pela Universidade de Harvard, dos EUA, o Ranking conta com a grande maioria americana, tendo 72 representantes entre as 200 melhores colocadas. Sendo que entre as 20 melhores, 15 são dos EUA. O Brasil só é representado nas 232ª e 248ª posições, com a USP e UNICAMP, respectivamente. Nenhuma universidade da América Latina ficou entre as 200 melhores. O método de classificação das universidades, além das visitas frequentes a cada instituição do mundo todo, tem por base cinco fatores diferenciais, cada um representa uma parcela da pontuação. Ensino: O ambiente favorável ao aprendizado foi responsável por até 30% do desempenho das universidades no ranking; Citações: A influência das pesquisas desenvolvidas pelas universidades, medida pela quantidade de citações em artigos de outros autores, respondeu por até 32,5% do desempenho de cada uma; Reputação: O volume e a reputação das pesquisas de cada universidade compuseram até 30% do resultado; Internacionalização: A capacidade de atrair alunos e professores de outros países foi avaliada como um indicador da importância da universidade e foi responsável por até 5% do desempenho de cada uma delas; Inovação: O desempenho no desenvolvimento de novas tecnologias e inovações foi responsável por até 2,5% do desempenho das universidades. A metodologia utilizada pela revista pode servir de guia para as universidades aprimorarem sua administração. Assim como serve também para os estudantes avaliarem as instituições de ensino que desejam ingressar. 


ȇȇ Comentário 

É justo?

Mudam os políticos, mas a forma de fazer política continua a mesma

novembro  2010

Por Daniel Dias

N

o Brasil convivemos com sérios problemas cotidianos, direitos que nos são garantidos pela constituição acabam sendo deturpados pela quase inexistente política pública de nosso país, necessidades básicas que deveriam ser garantidas pelo governo são simplesmente disfarçadas e jogadas para debaixo do tapete, ou a progressão continuada não é isso? A maior evidência dessa disparidade em nossa educação está no resultado do Exame nacional do ensino médio (ENEM), que hoje é muito procurado por quem quer ingressar no ensino superior e por conta disso cresce em importância a cada ano; das 20 melhores escolas do país 18 são particulares e 12 estão na região Sudeste. Vivemos então uma deturpação ainda maior em nossas universidades públicas, uma vez que o vestibular é muito concorrido e acabam passando em sua grande maioria os alunos que estudaram nas melhores escolas, ou seja, nas particulares. Logo somos levados a acreditar que no Brasil as universidades públicas são para os filhos dos ricos, que durante a vida inteira tiveram a oportunidade de obter uma educação de qualidade.

Já o filho do pobre, que dependeu a vida inteira das migalhas do governo, que se preocupou não em ensiná-lo, mas em mantê-lo matriculado se vê obrigado a apelar para uma universidade particular, ou seja, vivemos uma grande contradição em que o governo auxilia os estudantes das classes A e B a ingressarem na USP por exemplo, e empurra as outras classes para as particulares. O governo tenta diminuir essa situação vergonhosa com programas como o Prouni, que acaba servindo muito mais como uma medida de emergência, pois acaba auxiliando o aluno apenas a ingressar mais facilmente no ensino superior, mas não mexe no alicerce, nos ensinos fundamental e médio, onde se consegue a maior oportunidade de todas, a de se ter uma boa base para o ingresso em uma universidade pública. 

vestibulando

33


ȇȇ Na hora do intervalo 

novembro  2010

Universitários que fazem da universidade um lazer Alunos que fazem parte do time da faculdade mostram que é possível aprender e se divertir ao mesmo tempo e no mesmo ambiente

vestibulando

34

Disputa acirrada no Garrafão


novembro  2010

Divulgação/Player Brasil

vestibulando

35

Por Carla Fernanda Luz Mendes

O

s jogos universitários são disputados por diversas faculdades. È uma oportunidade que os alunos encontram em demonstrar suas habilidades esportivas, fugindo um pouco da rotina da sala de aula. Esse tipo de competição também é uma espécie de “vitrine” para os universitários. As maiorias das faculdades dão este apoio para os alunos, com treinamentos, monitoramentos, jogos internos entre outros. Hoje na maioria das universidades, os alunos que participam destes jogos têm uma porcenta-

gem de desconto na mensalidade, isso serve como um incentivo para o aluno. Existe a competição chamada Jogos Universitários Brasileiros, o qual é disputado por várias instituições de ensino superior desde 1968, nesta época as competições eram disputadas bienalmente, com o começo da década de 90 passam a ser disputados anualmente. Nas universidades encontramos a chamada atlética, uma “área” que cuida desses jogos. Existem as que cuidam dos jogos de todos os cursos e as que cuidam de cada curso, como atlética de direito, comunicação, turismo e outras.


novembro  2010

Divulgação/Esporte Transforma

ȇȇ Na hora do intervalo    Universitários que fazem da universidade um lazer

Equipe feminina de futsal da Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC) comemora o título dos Jogos Universitários da Bahia (Juba)

Existem vários tipos de modalidades como atletismo, natação, handebol, futsal, futebol e vôlei a qual as equipes se inscrevem com um limite mínimo e máximo de participantes por equipe e cada equipe pode escrever um time masculino e um feminino por modalidade. De acordo com Regiane Tadeu Souza, competições ajudam os alunos, “a maioria deles passa grande parte das horas dos seus dias na universidade, então dentro da faculdade eles conseguem treinar e montar times para competir, o que torna o tempo de sobra

Divulgação/Paraná Esporte

vestibulando

36

O Atletismo nos Jogos Universitários

mais produtivo”, diz a ex-jogadora de handebol da FMU que teve que parar de jogar por ter lesionado o joelho esquerdo, após uma semifinal disputada pela faculdade. Além de montar as equipes, as faculdades também fornecem o transporte para os atletas e para as torcidas, esses alunos vão para os locais que serão realizados os jogos e onde eles passam a noite, na maioria das vezes ficam em colégio e acampam dentro dele. Cátia de Moura Assis, joga a três anos no time de vôlei do Mackenzie, “quando disse para minhas amigas que ia me inscrever para participar da seletiva e tentar entrar no time da universidade elas diziam que estava louca, que eu como uma psicóloga, jamais ia conseguir competir com as meninas de educação física, foi ai que tentei e consegui e já estou a três anos jogando pela universidade”, diz ela com felicidade e orgulho de si própria. Os jogos universitários servem de fonte entre alunos e universidades, além de ser uma forma de se exercitar, é uma forma encontrada pelos alunos de se distrair e relaxar para continuar na correria dos estudos, hoje com mais de dez universidades participantes desses jogos, temos uma percepção que eles não atrapalham nos estudos, só ajudam, um momento de lazer mais ligado com a universidade.


O desejo dos alunos e das universidades Campeonato onde todos querem participar e sair vencedor, pois vale classificação para os jogos Sulamericanos

Divulgação/Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação de São Paulo

novembro  2010

o desenvolvimento de adolescentes e jovens paulistanos, investe na reconstrução do Esporte Universitário em São Paulo é trabalhar para o fortalecimento da educação e da amizade dos alunos. A cidade de São Paulo abriga 430.000 estudantes universitários espalhados pelos 157 estabelecimentos de ensino superior que se transformam em um espaço de intensa convivência entre jovens de 17 a 29 anos dos mais diversos segmentos sociais. É esperado em média de 2.670 estudantes por IES, estimamos atingir 340.000 estudantes nas instituições convidadas e a participação de 4.000 estudantes praticando alguma modalidade nos JUP. O objetivo do campeonato não se restringe apenas aos jogos e aos estudantes das universidades. A intenção é envolver as comunidades acadêmicas, familiares e entusiastas. As universidades participantes são: Anhembi Morumbi; Mackenzie; PUCSP; São Judas; SENAC; UNIBAN; Unicsul; Unip; UniSant’anna; USP. 

37

vestibulando

O

s Jogos Universitários Paulistanos (JUP) é um evento organizado anualmente pela Secretaria de Esportes, Lazer e Recreação da Prefeitura da cidade de São Paulo o qual o resultado também serve como classificatórios para os Jogos Universitários Sul-Americanos e para os Jogos Universitários Mundiais - a Universíada. Para Lucas Alves Leite Cunha, as competições não são apenas um jogo, “fazemos várias amizades e às vezes até mais que amizade, conheço pessoal que se casou depois de se conhecer nos jogos e ate mesmo abriram empresas juntos depois dos jogos, pois temos vários dias de festa e um contato muito grande um com o outro” diz o jogador de futsal da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul). A primeira edição do JUP foi realizada em 2008 e promoveu 193 dias de competições esportivas para as 161 Instituições de Ensino Superior de São Paulo. A JUP foca na atividade educacional e ferramenta para

Equipe da USP vence a final do futebol de campo do JUP


stock.xchng

ȇȇ Papo-cabeça 

Dicas de estudo

novembro  2010

Professor dá dicas de como estudar com consciência e se dar bem no vestibular

vestibulando

38

Por Tatieli Rodrigues

G É difícil saber por onde começar...

eraldo Covre é professor de química, também formado em engenharia, mas nunca exerceu a profissão. Leciona há cinquenta anos em cursinhos preparatórios e trabalha no ramo universitário há quarenta e oito. Ele nos mostra o que é importante para quem vai prestar vestibular, dando dicas de estudos, maneiras de como se deve estudar e se comportar diante de uma prova e o que fazer e o que não fazer no dia da prova.Experiente aos 69 anos, Geraldo mostrará que o vestibular é um problema extremamente sério. Confira nessa entrevista exclusiva:


máximo por aula, mas se o aluno deixa para estudar minha aula daqui uma semana, ele vai ter que se lembrar de que pelo menos trinta conceitos, e se ele estudar hoje a matéria dada hoje que fica mais fácil para fixar e para não esquecer os detalhes. TR: Fazer provas de vestibulares passados faz com que o estudante tenha certa familiarização com o tipo de prova da universidade que pretende prestar? GC: Claro, sem dúvida nenhuma e ele vai verificar que não é a prova do João é uma prova que alguém elaborou que pode ter perguntas que não são aquelas que ele vê normalmente. Quando ele vai fazer um vestibular ele vai num lugar que tem pelo menos cinquenta mil pessoas que ele não conhece, num horário diferente do que ele está acostumado. O problema emocional é muito sério, isso significa que o vestibular não mede só o conhecimento, mede preparo emocional e físico. TR: Praticar algum tipo de atividade física, alimentação ajuda o estudante a se concentrar nos estudos e a ter uma boa disposição? GC: Evidentemente que sim, imagina um fato que é muito comum um aluno de cursinho de a noite entrar num curso que

39

vestibulando

Tatieli Rodrigues: Muitos jovens falam: estudo para todas as matérias, mas mesmo ele estudando tudo ele deixa de estudar algumas, menospreza a e só se preocupa caso ele passe para a segunda fase do vestibular. É correto estudar mais para as matérias que domina e deixar as outras de lado? Geraldo Cowre: Primeira coisa: todas as disciplinas são importantes. Segunda: não se estuda no vestibular para a prova de amanhã, eu estudo para a prova de daqui dez meses, é diferente no colégio onde eu estudo para a prova da semana que vem só que eu estou tendo uma aula que vou estudar hoje para fazer uma prova daqui dez meses. TR: Qual a maneira para o estudante organizar todas as informações, sem se esquecer dos detalhes? GC: Claro, não se estuda para a prova de “fulano” o aluno estuda e fala amanhã eu tenho prova do João, ele não fala prova de matemática, ele diz que a prova é do professor. No vestibular não é isso, então veja, o aluno tem que estudar para apreender a matéria não é para fazer a prova de tal pessoa, na aula ele deve fazer toda a parte teórica, tem que entender a teoria para em casa fazer os exercícios. Agora ele tem que estudar hoje a matéria dada hoje, porque quando dou aula eu passo três, quatro conceitos no

novembro  2010

Crédito de foto

Professor Geraldo Covre


ȇȇ Papo-cabeça   geraldo covre

vestibulando

40

Cuidado para não se sobrecarregar

GC: Continua do mesmo jeito achando que ele é um zero a esquerda, acho isso péssimo, o jovem se denigre muito, quando o exigido é um cara que dá retorno, você sabe como sou uma pessoa extremamente exigente em sala, mas sou um cara que respeito muito as dificuldades dos alunos e sempre elogio as qualidades deles, porque a gente precisa dizer para eles que têm muito mais qualidades do que pensam que claro que ele tem “vagabundisses”, mas o jovem não é só isso ele é muito mais do que ser um cara chato que denigre a imagem do professor. TR: O que fazer para evitar os famosos “brancos” na hora da prova? GC: Relaxar. Eu aconselho, sempre que não souber uma questão, pular para a próxima. Se preocupar com o que você sabe por enquanto, não com o que você não sabe e quando você vai ficar preocupado com o que não sabe. Jamais se entrega uma prova antes do tempo final. Conforme você faz a prova, vai deixar de fazer uma série de questões que não sabe, isso é normal, porque você não precisa saber tudo, mas se ler uma questão e não saber, leia mais uma vez, na terceira vez anota lá não sei, quando chegar lá por umas três horas e meia vai dar uma olhada naquela

stock.xchng

novembro  2010

o aluno da manhã não entra, porque o aluno da noite provavelmente já foi testado na vida, ele trabalha, depende do chefe, ele tem uma estrutura emocional melhor que de um aluno da manhã. TR: Uma boa alimentação e uma boa noite de sono são fundamentais para um desenvolvimento positivo no vestibular, mas porque a maioria dos estudantes não segue isso? GC: Não fazem porque o jovem diz: deixa que na hora eu resolvo as coisas, jovem tem essa prepotência deixa comigo na hora eu resolvo, por exemplo, quando eu falo para ele: o dia que você for um profissional e alguém chegar a você e falar amanhã tem uma reunião às dez horas, antes de desligar você pergunta com quem, sobre o que, ele não pode entrar com o peito aberto tem que se preparar para isso. Normalmente o jovem diz que vestibular não é nada, mas é um problema extremamente sério, o jovem vai para o vestibular achando que ele precisa acertar tudo, na cabeça dele quando ele deixa de fazer uma questão ele acha que é burro. TR: Qual é o perfil dos jovens que vão prestar vestibular hoje em dia, principalmente aqueles que querem entrar numa universidade pública/federal?


novembro  2010

stock.xchng

ȇȇ Papo-cabeça   geraldo covre

Anotaçõe em sala de aula podem ajudar nos estudos

questão, provavelmente vai verificar que a questão é babaca. TR: Como se preparar para os diversos e mais concorridos vestibulares? GC: Não é saber a matéria, mas como se comportar, por exemplo, não se briga com o namorado (a) na semana do vestibular, porque ele (a) vai ficar tenso deixa para resolver

stock.xchng/alesia

vestibulando

42

Procure um lugar tranquilo para estudar

o problema depois, na semana do vestibular não vai chegar ao namorado (a) e falar o seguinte: olha vamos decidir a nossa situação. TR: A ansiedade e a angústia prejudicam muitos alunos na hora de prestar atenção nas aulas perto dos dias de realizar o vestibular? GC: Tudo tem que ser levado em consideração. Imagina este número que quando eu falo as pessoas acham estranho, depois as meninas levam a sério: pensa na menstruação das meninas, é um caso sério, pois tem muitas garotas que sofrem fisicamente e ela vai ser testada naquele dia e isso vai ser muito comum, pois a tensão do momento pode afetar na tensão menstrual. Por isso, tudo tem que ser pensado, por exemplo, se ela conseguir adiantar ou postergar a menstruação faça. TR: O aluno de escola particular tem mais vantagens do que os de escola pública, na hora de prestar um vestibular? GC: Teoricamente teria pelo conhecimento, só que comparar um aluno do cursinho já diferencia, pois ele está se nivelando, só que tem um detalhe: um garoto de colégio particular pode ter o “narizinho


“ A aula mais importante que existe é dá matéria que esta tendo aula...”

TR: Qual a melhor maneira de estudar sozinho ou em grupo, com os amigos trocando informações? GC: Acho ótimo estudar em grupo, mas acho bom estudar sozinho, quando se estuda em grupo se decide coisas, porque quando

novembro  2010

stock.xchng

em pé” e no colégio público o cara pode ser mais simples e o mais simples não se rebaixa ele sabe das coisas boas e ruins, e via de regra as pessoas do colégio público são mais receptivos á crescimento do que de um colégio particular. TR: Criar uma programação de estudos de acordo com suas necessidades e possibilidades ajuda para obter um bom desempenho na prova? GC: Faça um planejamento, eu sou escravo dele, melhor planejamento que existe é aquele que você faz para você e leva a sério, porque você planeja com o seu conhecimento sobre quem é você, suas dificuldades, quais as suas qualidades, você faz um projeto e durante ele você vê o que deu e o que não deu certo e reformula, nunca tenha medo de falar que acertou ou que errou, afinal você é uma pessoa multiflacietária. TR: Ficar trancado no quarto o dia inteiro estudando sem sair só porque quer entrar numa universidade pública/federal é correto? GC: Não acho correto, muitos jovens fazem isso e é uma loucura uma coisa é você se dedicar e você passar a ser estudante, você não é estudante e sim uma pessoa que estuda é diferente, você tem necessidades sócias, biológicas e culturais, pois entre outras coisas que faz é estudar o que não pode é deixar de fazer as coisas, em certo momento da vida dele a principal coisa é estudar você vai passar seis meses estudando, ele tem que ter tempo para ser uma pessoa primeiramente. alguém for explicar química precisa se organizar, imagina se a gente faz uma mesa redonda batendo papo, e você diz como um jornalista funciona, quando se organiza se aprende a matéria. Agora pode ser que ele precise estudar sozinho para verificar que está sozinho e precisa se virar, não dá para pedir para outro fazer, não há regra de estudar sozinho ou em grupo. TR: O que você acha daqueles estudantes que consomem café, mate, guaraná natural e estimulante para conseguirem virar a noite estudando?Essa é correta ou não? Por quê? GC: Não tem necessidade não se faz isso porque o cara que faz isso está fazendo uma coisa para desespero para cobrir, então ele já erro muito antes. Então é melhor consertar

Estudar em grupo é sempre uma boa opção

vestibulando

43


novembro  2010

stock.xchng/danjaeger

ȇȇ Papo-cabeça   geraldo covre

vestibulando

44

Bibliotecas são um lugar tranquilo para estudar

a forma de ação do que agir de forma desesperada, agora é claro que de repente alguém chega à semana anterior ao vestibular e ele fica sabendo que tem três livros novos para estudar bom ele vai sentar e fazer, mas isso é uma coisa episódica não é uma coisa normal o normal é ele se preparar durante anos. TR: Estudar na véspera da prova atrapalha o aluno faz com que ele fique com várias dúvidas, você acha que com isso o estudante acaba ficando mais nervoso e isso prejudica

“Eu não tenho medo do conhecido, eu tenho medo do desconhecido”

o desenvolvimento dele durante a prova? GC: O cara que estuda na véspera da prova sabe o que ele está dizendo eu não estudei até agora direito, olha o problema emocional você tem um projeto de estudar

todos os dias e naquele dia você não estudou que culpa eu tenho se a prova é amanhã, meu projeto eu não deixo para última hora eu dou um tempo pra ser realizado. TR: O que fazer e o que não fazer no dia e durante a prova? GC: Primeiro na prova ele vai conhecer o ambiente antes da prova, porque se ele tem uma prova há uma hora ele vai chegar ao meio dia sem saber, pois tudo é novo ele vai chegar lá já tenso. Agora se ele for ao dia anterior conhecer onde é o local, ele já está se preparando. É sempre bom chegar antes, pois um grande vestibular tem o problema emocional como ENEM, FUVEST tem cobranças. TR: O que você recomenda para os alunos fazerem na véspera da prova? GC: No dia da prova não sei, mas que ele se prepare antes. No dia anterior o estudante deve relaxar, mas será que ele consegue, pensando que a prova é amanhã? Ele só vai conseguir preparando-se durante anos. Estudar na última hora é dizer que não está preparado, quando vejo alguém estudando na última hora penso: coitado, o cara que não está confiando nele só vai ficar mais tenso. 


ȇȇ resenha   bagagem Memórias de um Sargento de Milícias de Manuel Antônio de Almeida

Não é romântico e muito menos realista...

envolve com a mulher de Toma-largura, apelido que se dava aos criados do rei e após algumas confusões é despedido. Finalmente é capturado pelo Major, que o transforma em soldado. Apesar de ser bem sucedido em sua profissão é preso novamente pelo o Major, por traí-lo. No entanto se liberta com a ajuda de Maria Regalada , antiga amante do Vindigal. José Manuel morre e Leonardo casa-se com Luisinha, após se tornar um Sargento de Milícias. A trama da história é bastante conturbada, dinâmica, repleta de reviravoltas e transformações. Há uma preocupação do autor, não apenas em colocar o leitor diante de uma experiência renovada, mas de representar pessoas de uma camada popular, até então, marginalizadas na literatura. Há uma fragilidade na obra no que diz respeito ao romantismo e o realismo, este possui uma mescla de ambos, porém não é romântico muito menos realista, ele subverte esta categorização. É o exemplo de romance que desrespeita o ímpeto da classificaOnde Encontrar ção, por se tratar de um texto original, ainda que seja colocado ao tempo que ele é retratado. É um enredo que se diferencia na literatura romântica do século XIX pela capacidade do autor, em construir o ambiente da corte portuguesa no Brasil com a presença de relatos a respeito da vida no início do século no Rio de Janeiro, ridicularizando o real, e os seus personagens, nos coloca diante de questões que materializa aspectos R$ 11,00 na Livraria Saraiva essenciais do ser humano. 

novembro  2010

O

autor, filho de portugueses, nasceu em 17 de novembro de 1831 no Rio de janeiro. Ingressou na Faculdade de medicina no mesmo período em que escrevia no Correio Mercantil e em 1852 escreveu as Memórias de um Sargento de Milícias com o pseudônimo “um brasileiro”. Em 1854 e 1855, o texto foi publicado em forma de livro. Faleceu aos 30 anos no navio “Hermes”, em 1861. Em linhas gerais, o livro retrata o inicio do século XIX o período em que a Família Real Portuguesa se instala no Brasil. Nasce Leonardo, fruto de um encontro com o mascate Leonardo Pataca e uma quitandeira Maria da Hortalícia. Leonardo é batizado pelo vizinho, o barbeiro e a parteira, revelando-se muito travesso em sua infância. Após Leonardo Pataca, o pai, ser traído e abandonado pela esposa, a criança passa a ser criada pelo o compadre que o mima e o defende a todo custo. Leonardo Filho torna-se um vadio mestre, “um malandro”. Frustra os planos de seu padrinho que desejava que Leonardo se tornasse padre, e os de sua madrinha que era a possibilidade de este ter uma profissão, ser um artesão. Leonardo se apaixona por Luisinha, órfã e afilhada de Dona Maria. Neste momento surge José Manuel, uns dos antagonistas da história, que deseja se casar com Luisinha para conseguir o dinheiro da sua herança. Após a morte de seu padrinho, Leonardo vai à casa do seu pai, mas não se entende com sua madrasta e passa a viver agregado no lar de um velho amigo de travessuras da igreja. Apaixona-se por Vidinha e Luisinha casa-se com José Manuel. Leonardo Filho é preso por Major Vindigal, representante da justiça e poder, mas foge. Consegue emprego na dispensa Real, mas se

Título: Memórias de um Sargento de Milícias Autor: Manuel Antônio de Almeida Livro: português / brochura Editora: L e Pm editores Edição: 1° edição/ 1997 Gênero: Literatura Brasileira/ Romances

45

vestibulando

Por Vilcilene Fernandes

Ficha Técnica

Divulgação

A obra de Manuel Almeida possui uma mescla de ambos, porém subverte esta categorização


ȇȇ E agora?!  Lucas Barbosa em:

Pensador... Por Clodonelson Torres

vestibulando

46

São tantas opções... tantas profissões... e somente uma escolha

simples idéia de cobrar por isso me arrepia. Cada vez que faço um destes testes vocacionais que se encontram por aí, fico ainda mais confuso do que antes de fazê-los. Sempre minhas respostas ficam empatadas nas três áreas de estudo e acaba me indicando um monte de opções para que eu decida justamente aquilo que eu queria em que me ajudassem. Ata, porque eu gosto de desenhar nas horas vagas poderia trabalhar na área de design, hummm, porque gosto de discutir sobre política e desenvolvimento deveria trabalhar com sociologia? Quando toco meu violão fica claro que eu deveria fazer música... e tantas outras escolhas poderiam ser feitas. Poxa isso realmente me tira o sono, mais até do que estudar, disso nem vejo problema, só que toda vez que alguém me pergunta qual curso penso em fazer na universidade, começo as suar por todos os poros,

gente como fico tenso! Qual assunto poderia me apavorar tanto? Você acha que devo procurar um psicólogo? Mas como? Será que estou ficando perturbado com isso? Jogar futebol ou ensinar matemática? Cozinhar para um grande restaurante ou construir robôs para as grandes indústrias? É acho que realmente vou seguir seu conselho e procurar acompanhamento de quem entende. - E aí Lucas quanto tempo? Decidiu o vai fazer na facul? Claro demorei algum tempo, mas já decidi. - E o que foi então? Vou ser pensador! - Que legal, vai fazer filosofia então? Não, que isso olha pra mim , filosofia... aiaiaai - Ué!!? O que vai ser oras? Vou continuar pensando o que posso estudar, mas que pergunta meu Deus!!!! 

stock.xchng/moossa

novembro  2010

E

ntão, está tudo acertado para o ingresso na universidade. A conta universidade já se encontra bem abastecida, os locais onde posso estudar foram devidamente analisados e até os materiais básicos estão em meu poder... Porém falta uma escolha que vem sendo a mais difícil até agora, quem agradar mamãe ou meu pai? Como assim? Deve estar me perguntando você. Bem simples, minha mãe disse que o sonho dela de infância era ver um filho engenheiro, já papai me disse para ser médico, que seria o orgulho da família, mas pensando bem não me daria bem em nenhuma das duas carreiras. É amigos o medo de desapontar os meus pais e grande, mas o que posso fazer? - Você deveria fazer psicologia Lucas, você é tão bom em ouvir os problemas dos outros! Que é isso. Faço isso com toda a satisfação desse mundo que a


ȇȇ pense nisso... 

Internet: a nova maneira de estudar

novembro  2010

stock.xchng

Para muitos, a Internet é a melhor opção para quem quer estudar e hoje é a ferramenta mais procuradas pelos alunos

vestibulando

47

Por Jackson Alves e Tatieli Rodrigues

A Cada vez mais a web ocupa o lugar dos métodos tradicionais de estudo

Internet é o meio de comunicação mais usado pela nova geração, e cada dia mais adeptos utilizam desse meio. Orkut, Twitter, Facebook, Google, MSN, sites e outras mídias fazem sucesso e bilhões de pessoas em todo mundo possui, pelo menos, um perfil em uma dessas redes. Se por um lado essa nova tendência de mídia veio pra ficar e disponibilizar o entretenimento e a comunicação mais instantânea, por outro é visto como a melhor e mais eficiente plataforma de estudo. É comum um pai de família falar que quer muito comprar um computador para seu filho estudar, mesmo as escolas e faculdades contarem com laboratórios de informática, e grande acervos com os tradicionais livros.


Com os computadores portáteis, pode-se estudar aonde quiser

vestibulando

48

E-readers facilitam a leitura de livros

O professor de Informática e Web Designer da (Escola Técnica) ETEC, do Centro Paula Souza, Fernando Senna, afirma que cada dia mais a rede mundial de computadores vão crescer de forma assustadora. “A população, e principalmente os jovens que querem estudar e ter uma boa vida acadêmica, vão buscar na Internet tudo o que procura” diz Fernando, “Nos dias atuais o tempo é muito precioso e os jovens entendem isso, ocupando suas horas do dia o máximo possível, e a rede os ajuda há ganhar esse tempo; suas pesquisas são feitas mais rápidas, em forma mais dinâmicas e prática”. Se essa mídia atinge os mais jovens isso é indiscutível. Hoje quase todos os adoles-

stock.xchng

novembro  2010

stock.xchng/juliaf

ȇȇ pense nisso...    Internet: a nova maneira de estudar

centes possuem mais de um e-mail pessoal e pelo menos dois perfis em diferentes mídias sociais, como revela uma pesquisa na revista americana The New York Times do mês de Setembro. Aqui no Brasil o site de relacionamento Orkut é o mais utilizado, com mais de 23 milhões de usuários, o que deixa o país em primeiro lugar no ranking mundial, seguido de Índia com 39,2% de contas e EUA 2,2%. “Sabemos que a Internet proporciona uma interatividade e um modo de comunicação nunca antes vista, e essas mídias chamam muito a atenção desses jovens. Mas quando o assunto é estudar, o computador continua sendo a melhor ferramenta para todos. Eles sentem prazer de estudar na Internet”, defende o professor de informática. “Eu, como um Web Designer, sei que as páginas na Internet são bonitas, chamam atenção, fica prazeroso passar o olhar em toda a tela do PC. O estudo fica inovador, prático e com uma legibilidade que um livro não consegue proporcionar”. Os sites de buscas mais acessados são provas de que todo tipo de duvidas é tirado em modo on-line. O Google, Wikipédia e Yahoo são os mais procurados por quem quer fazer sua pesquisa e esses sites tornamse, em muitos casos, página principal em vários computadores. Hoje o Google tem mais


stock.xchng

de 10,6 bilhões de solicitações de pesquisas por dia, disparado na frente de seu concorrente, o Yahoo, que fica em segundo lugar com um total de 2,7 bilhões de busca diárias, seguido do Bing, da Microsoft, com 1,8 bilhões de acessos. Além de buscas de assuntos por áreas de conhecimentos, esses sites oferecem dicionários ortográficos, de idiomas, notícias e ainda traduzem páginas de outros línguas para o português.

49 É possível acessar qualquer conteúdo até por aparelhos de celular

vestibulando

Se a Internet hoje é considerada a principal ferramenta para estudos, pesquisas e buscas, por causa de sua velocidade e interatividade, ainda para um pequeno público esse opção não é válida. Um bom livro ainda continua a ser a melhor escolha na hora de estudar, como é o caso de Raphael Agostinho, estudante de Letras (Português/Alemão), da USP. Quando se preparava para enfrentar o concorrido vestibular da FUVEST, Raphael não pensou duas vezes e devorou os livros. Leu dezenas de enciclopédias, autores consagrados da literatura brasileira e tirou duvidas em dicionários. E na Internet? “Passei longe de Internet” conta, “Procurava nem ligar O aluno de letras já está em seu segundo meu computador para fazer meus textos, faano de faculdade e diz que ainda continua zia tudo manuscrito em um caderno”. Para Raphael e esse seleto grupo de a buscar seus conhecimentos nos livros e pessoas que não usam muito, ou nem usam não pretende mudar seus hábitos no moa Internet, como é seu caso, a rede mun- mento. “Eu sei que o mundo hoje pedi para dial de computadores faz com que o usu- que você seja um internauta, e temos que ário perca a concentração e foco quando evoluir e nos adaptar a essas tendências que surgem. Não sou cono assunto é estudo. As tra a Internet; tenho mídias sociais, chats, “Quando o minhas páginas nela vídeos, sites de grande assunto é também, mas ainda não interatividade torna um estudar, o encontrei na rede uma vilão na hora em que facomputador vantagem para estudar zer suas pesquisas. como encontro nos li“Não existe concencontinua sendo a vros. Quem sabe mais tração na frente do commelhor ferramenta” no futuro haja uma putador para estudar”, mudança e eu mude continua Raphael, “Você de idéia, não é?”. pode até fazer uma busca, Se a web vai mudar ou não sua forma de mas sempre vai querer acabar logo para ver seu Orkut, Twitter, ou ver um vídeo que ta como estudar é outro assunto, mas no mo“bombando” no Youtube. Ou seja, na Internet mento Raphael é uma das poucas exceções muitas coisas te puxam para o entretenimento, sobre o modo de usá-la para esses fins. O caso é que essa nova mídia é o ponto de partida e o estudo é coisa maçante e cansativa”.

novembro  2010

Longe da Internet e mais próximos dos livros


novembro  2010

stock.xchng

ȇȇ pense nisso...    Internet: a nova maneira de estudar

vestibulando

50

Mesmo com toda a facilidade da internet, ainda há estudantes que preferem os meios tradicionais

de conclusão para muitos estudantes e pessoas que buscam informações e conhecimentos, e que vem crescendo a cada dia mais.

diz que a Internet nos ajuda, que ela é um grande apoio, que nos mostra saídas e disponibiliza informações segmentadas onde é possível se aprofundar em qualquer tipo de E em contrapartida... assunto. Mas ressalta que ela sozinha não dá A febre da Internet pode ser de grande conta da complexidade do aprender. utilidade na hora dos estudos. “É no com“Sempre que estou lendo um livro técniputador que busco a informação que ficou co, o computador fica ligado e com a página do faltando na aula, que o professor não pas- Google aberta, porque sempre surgem dúvisou, esqueceu ou até não sabia”, conta Tiago das. A Internet é uma ótima aliada e um granBellon, do curso de radiologia da FMU. de suporte para tirar dúvidas”, diz Tiago. Para estudo ou apenas tirar pequenas Para o estudante, pesquisas on-line sempre são o seu “salva-vidas” quando não en- dúvidas, se relacionar com varias pessoas tendeu um tópico nas de todo o mundo ou aulas de anatomia, “A apenas passar o temprofessora fala vários po, o caso é que a In“Não existe nomes científicos que ternet virou o melhor concentração não conhecemos, então amigo da população. na frente eu marco todos e depois No trabalho, no celudo computador jogo tudo no Google lar, nas escolas e em para estudar” onde passo a saber o que casa, onde quer que a é cada um e onde fica”. pessoa vá sempre há Em entrevista ao um computador coPortal Educacional, José nectado na rede. E é Manuel Moran, Doutor em Comunicação na fase do vestibular, onde vários jovens pela USP e especialista em projetos inova- buscam tirar suas duvidas e ficar por dendores na educação presencial e a distância, tro de todos os assuntos.


Os melhores e mais acessados sites para estudar

vestibulando

51

Portais de estudos e notícias

ão

Além desses sites com texto que o ajude a estudar para o vestibular, a Internet dispõe de milhares de livros que podem ser baixados por pessoas que procuram praticidade e agilidade quando procuram um título. “Temos que ter cuidado ao baixar livros on-line porque muitas vezes à obra esta corrompida” alerta Fernando, que dá dicas de como baixar e postar texto em suas aulas de Web Designer. E os mais confiáveis, que dispõem de obras completas e em formatos de qualidade, são: Projeto Gunteberg (www.gutenberg.org. br): o site, que tem versão em português, é pioneiro em livros eletrônicos, e trazem vários formatos, como ePub (usado no Kindle, por exemplo), PDF, HTML e Mobipocket (para celulares). Google Livros (www.books. google.com.br): dispõe de obras da literatura mundial, em versão parcial ou integral. Tem também uma boa versão em português do livro A Metamorfose, de Franz Kafka. Domínio Público (www.dominiopublico.gov.br): nele o internauta encontra obras de Machado de Assis e Fernando Pessoa; e, também, A Divina Comédia, em português. E há também o projeto Livro Falado, que lançou na internet um site onde podem ser encontrados mais de 350 livros gravados, de cerca de 280 autores brasileiro no www.livrofalado.pro.br. 

Divulgaç

O

modo de estudar mudou muito com a chegada da Internet, e na rede já é possível encontrar milhares de títulos de livros, sites com dicionários de idiomas e enciclopédias virtuais. Confira alguns sites indicados por professores de colégios e cursos pré-vestibulares como confiáveis: No site do “Brasil Escola” (http://www. brasilescola.com) encontram-se artigos de ensino médio, além de dicas sobre os vestibulares de algumas universidades. Sites como o “Eureka” (www.eureka. pucpr.br) e “BioMania” (www.biomania. com.br) é possível baixar apostilas de varias disciplina e assistir a vídeosaulas. No site da Revista Química Nova Escola (www.qnesc. sbq.org.br), da Sociedade Brasileira de Química, estão publicados todos os artigos científicos que saem na revista. No www.chargeonline.com.br estão algumas charges que são as propostas de redação e as questões de interpretação dos vestibulares da UFPR. Além do www. feiradeciencias.com.br, com texto sobre ciências e invenções, www.wikipédia.com, a enciclopédia virtual e o www.uol.com.br/ vestibular, onde é dado dicas de vestibulares, universidades e resenhas de livros solicitados nas provas.

novembro  2010

Sites Brasil Escola, Eureka e Biomania ajudam os jovens que procuram por conteúdo na internet


ȇȇ artigo    opinião

Arquivo pessoal

Cinema e suas possibilidades Por Márcia Osório Faculdade Interação Americana FIAN

novembro  2010

I

vestibulando

52

nvestindo nos mais diferentes gêneros de filmes, a indústria cinematográfica arrebata multidões em todo o mundo, romances, suspenses, desenhos animados, ação aventura, filmes históricos, épicos, perseguições fantásticas, explosões, carros em alta velocidade, vidros que se quebram, tiros, efeitos especiais, vampiros, mulheres e homens bonitos, são ingredientes fundamentais para atrair o grande público, difícil quem viveu nesse século, que não saiba quem foi Harrison Ford, Mel Gibson, Julia Robert, Silvester Stalone, Edward Cullen e Bela Swan , James Bonde, Shrek, Et , e tantos outros. Filmes como Harry Potter, O Senhor dos anéis, Matrix, A Era do Gelo, Shrek, Titanic, Crepúsculo entre outros levam milhões de pessoas a lotarem as salas de cinemas. Nota-se que hoje em dia, a tecnologia do cinema impressiona pelas inúmeras super produções, criadas de formas cada vez mais realistas com seus efeitos visuais de computação gráfica pode se dizer que realizam verdadeiros milagres, e fascinam o público do mundo inteiro, O cinema faz parte do dia-a a dia de todos nós, trazendo possibilidades infinitas, no sentido de promover a contemplação de valores tanto do ponto de vista político como estético. O cinema, com suas superproduções que se consagraram, conquistou o respeito de muitos artistas, escritores e intelectuais em todo o mundo. Assim, não poderia ser diferente com os educadores. Atentos aos novos comportamentos e valores em que o cinema está inserido por ser um meio de comunicação de massa, le-

vando crianças, jovens e adultos a lotarem as salas de cinema, muitos educadores tem ampliado ainda mais este espaço fazendo que o filme participe também no processo de Educação. Porém observamos que o cinema não tem só caráter de divertir, ele também contém o valor de informar o espectador, seja para refletir os fenômenos sociais, seja para observar o mecanismo da tragédia: os filmes O 11 de Setembro: World Trade Center, Carandiru, Cidade de Deus, ou filmes com caráter documentários, como Crianças Invisíveis, impõem a verdade ao espectador. Em alguns filmes, não deixamos de reconhecer certas críticas às relações familiares, preconceitos e aos avanços científicos, filmes como Inteligência Artificial, A Guerra dos Mundos, ou Matrix, nos questiona em relação aos próprios impulsos de autodestruição da humanidade, apesar de se tratarem de ficções, os três levam os espectadores à reflexão do futuro da sociedade. No plano concreto da ciência, o cinema tem um papel fundamental, ou seja, grandes feitos do homem já foram retratados por esta arte, de forma ficcional, ou por meio de sua vertente documental. Atualmente estudar para o vestibular, pode também, ser sinônimo de sessão de cinema, pois são inúmeros livros adaptados, como Vidas Secas, A Hora da Estrela, entre outros. Assim percebemos que o cinema, nos dias atuais tem uma grande função, não só de ser apenas um buraco na parede, pois seu papel é bem maior.-ser uma janela para o mundo.

Atualmente estudar para o vestibular, pode também, ser sinônimo de sessão de cinema


ȇȇ NEURAs 

Estudos excessivos: Necessidade ou pressão?

novembro  2010

Jovens estudam até 12 horas por dia para conseguir a aprovação no vestibular

vestibulando

53

Por Clodonelson Torres e Gabriela Faile

Virar a noite estudando é prática comum entre muitos vestibulandos

stock.xchgn/twinkledee

A

s universidades consideradas difíceis pelos estudantes necessitam que eles tenham total empenho e dedicação na hora de estudar. Por isso muitos desses alunos procuram o cursinho pré-vestibular antes mesmo de terminarem o ensino médio para terem maior segurança na hora de fazer a prova. Alguns outros terminam o colégio e continuam por mais um ano no cursinho ou então só começam após o terceiro ano. Os cursos preparatórios oferecem aulas específicas e totalmente focadas em questões que caem no vestibular.


ȇȇ NEURAs  Estudos excessivos: Necessidade ou pressão?

novembro  2010

stock.xchng

“Eu preciso passar no vestibular para continuar com a tradição da família, minhas irmãs mais velhas já passaram, então a pressão para eu passar é enorme, reprovação é a palavra que não pode existir no meu vocabulário porque se acontecer, eu ficarei eternamente de castigo, serei a ovelha negra da família”, diz Marília Andrade, 17 anos, aluna do cursinho preparatório Objetivo. O que pais e mães precisam entender é que o melhor jeito de ajudar seus filhos é não atrapalhar. Cobranças excessivas por notas, exigir que o filho fique horas por dia debruçado sobre os livros e escolher o curso que ele deve fazer só prejudicará o desempenho do jovem que pode interpretar tanta pressão como se ele não pudesse falhar o que nessa etapa da vida de um jovem, é completamente normal. E se falharem, os mesmos poderão sentir-se fracassado, o que gera até problemas de saúde.

Sentimento de estudante

vestibulando

54 Ler e decorar, rotina diária de uma estudante

Alunos que levam os estudos muito a sério, normalmente dedicam a maior parte do dia para focar nas aulas, então eles não conseguem tempo para trabalhar e com são obrigados a contar com a ajuda dos pais para pagar o curso preparatório e as despesas que eles têm com os materiais. Só que em troca, os pais cobram resultados positivos depois de diversos investimentos que foram feitos.

Castigar os filhos por não terem alcançado de imediato os objetivos que foram impostos resulta em decepções, conflitos com familiares, e revolta por parte dos estudantes por se sentirem incapazes de realizar a prova. Durante esse período de vestibulares, estudos, os jovens sentemse frágeis e com as emoções a flor da pele, qualquer desaforo que lhe for dito pode ser motivo de desistência.

“reprovação é a palavra que não pode existir no meu vocabulário”

Pressão dos pais

Com tanta cobrança e pressão que os pais impõem aos filhos, estes se sentem na obrigação de estudar cada vez mais, o que resulta em uma concentração que chega a ser absurda. Muitos alunos ficam horas ou até mesmo o dia inteiro sem comer, devido à grande carga horária de estudos. As maiorias desses estudantes ocupam mais de 12 horas do dia, sem parar, no meio dos livros, cadernos e apostilas.

Alguns pais ao verem a fragilidade nos sentimentos dos filhos fazem chantagem em troca de boas notas ou da aprovação no vestibular. Carros, viagens, roupas, tênis, tudo o que é sonho de consumo dos filhos. Os pais precisam ensinar aos filhos que o único prêmio para quem passa no vestibular é a vaga em uma boa universidade, que lhe


Em outros casos os pais é que se preocupam demais com determinados objetivos que os filhos traçam, como, estudar demais pode ser prejudicial à saúde, devida a má alimentação, a ausência da vida social o que mais tarde pode trazer frustrações a esses jovens. Nesse caso os filhos não deixam que os pais se envolvam ou tentem controlar os estudos, eles fazem isso para alcançar a satisfação pessoal. Traçam uma meta que é conseguir determinado vestibular e não param até conseguirem, talvez isso dure 3 ou 4 anos tentando.

stock.xchng

Necessidade dos alunos

55

vestibulando

É uma necessidade que o aluno sente em dar a si próprio a prova de que é capaz de conseguir, e cada vez que tenta e obtêm resultados negativos a fúria da decepção o toma cada vez mais o que faz com que aumente duas vezes mais a dedicação tornando-se completamente compulsivo por aquilo. Sempre tem uma faculdade que seja o foco, então até estes conseguirem não dão ouvidos a opinião e conselhos dos pais quando os mesmos dizem que estão estudando demais.

novembro  2010

stock.xchng

garantirá um futuro melhor. Passar segurança nessas horas é o que certamente todos os jovens precisam. Apoio e motivação. Os estudos têm que ser encarados como horas de prazer não como obrigação, cumprimento de regras, ou chantagem. Com isso o índice de estresse só aumenta o que gera um mau desempenho na hora de estudar. Não deixar os filhos sobrecarregados de estudos por tanto tempo para eles terem um momento de relaxamento, como deixá-lo sair com os amigos, ter um pouco de distração, o torna mais descontraído e com o apoio da família ele se sente mais motivado o que com certeza é fundamental na hora da prova.

Muitos pais sabem com as escolhas dos filhos neste momento

Alunos buscam traquilidade para estudar fora de casa


ȇȇ NEURAs  Estudos excessivos: Necessidade ou pressão? Visão de profissionais

novembro  2010

Terapias servem como refúgio dos estuAlunos que sentem muito a pressão dos, é o momento em que podem se expresdo vestibular têm como refúgio a terapia. sar e falar os sentimentos que estes têm. É Consultas com psicólogos podem ajudar uma pausa que muitos jovens sentem necesa tirar o estresse que causam nos alunos. sidade de fazer. Para a psicóloga Patrícia Ganen: “Faço as Já a professora de português do curminhas consultas de sinho preparatório da terapias em grupo soPolli, Thereza Oliveimente com estudantes ra, 48 anos, disse que: que estão nessa fase de “Faz 25 anos que eu “Nós professores, tensão, porque acresou professora, mas temos que saber dito que em quando dou aula em cursinho lidar com cada um deles fala, sempre há exatos 8 anos, nuntem outra pessoa que ca vi tanta gente junum dos sentimentos consegue se encaixar ta com sentimentos e dos alunos” e perceber que não é a depressões tão afloraúnica pessoa no mundo das. Nós professores, a sentir a pressão, que temos que saber lidar são normais, o que traz conforto e os deixa com cada um dos sentimentos dos alunos, mais seguros para o dia-a-dia. É uma for- pois sabemos que eles estão totalmente ma de resolver.” angustiados e ansiosos.”

Pesquisa apura que índice de trauma pós-vestibular é motivo de preocupação

vestibulando

56

Secretária de Saúde e Bem-estar apura que índice de trauma pós-vestibular é motivo de preocupação stock.xchng

O O resultado aponta que 10% dos casos que precisam de acompanhamento

índice de desespero de alunos em tratamento psicológico após o trauma de não passar no vestibular é cada vez maior. Segundo dados da Secretária de Saúde e Bem-estar, a cada 10 alunos reprovados nestes testes pelo menos 1 tem crise psicológicas e precisa de tratamento especializado. Após este caso ser divulgado vai ser realizado um estudo para avaliar a pressão que os jovens sofrem e um modo para que dentro dos cursinhos pré-vestibulares os pretendentes as vagas tenham m acompanhamento específico para se preparar a este tipo de choque traumático. O medo é que o Brasil chegue a ficar como no Japão onde o índice de jovens que cometem suicídio depois de serem reprovados nas universidades é muito alto. 


ȇȇ resenha   antigamente... Joana D’Arc (The Messenger: The Store of Joan of Arc)

A história que não foi esquecida

ça a receber mensagens do inconsciente. Numa época em que as mulheres sofriam grandemente com o preconceito e a submissão aos homens, a garota santa encarnava papéis que seriam exclusivamente reservados a homens, quando cortava seu cabelo curto, empunhava espada, falava como comandante e vestia armadura para proteger seu “frágil” corpo de mulher. Nas batalhas, Joana deposita sua fé apenas em Deus e em seu nome promove matanças, derramando-se em lágrimas diante dos cadáveres de seus inimigos. O filme chega a sugerir que sua fixação bélica seria produto da sexualidade reprimida na infância e nesse sentido suas tensões passam a ser direcionadas para a guerra e para religião. Traída e aprisionada em sua própria terra, Joana, aos 19 anos, é vendida aos ingleses e acusada de heresia e bruxaria, quando é condenada pela Igreja e queimada Onde Encontrar viva em Ruão, no ano de 1431. O longa é uma face interessante da mística história sobre a heroína francesa que enfrentou a tudo e a todos, e acabou morta na fogueira por traição do seu próprio reino. O fato de ter sido declarada bruxa, queimada, inocentada e quase 500 anos depois, canonizada, são apenas alguns dos dados que dão um panorama, um tanto quanto antagônico, dos atos da Igreja R$ 19,90 na Livraria Saraiva Católica ao longo dos anos. 

novembro  2010

O

filme retrata a figura de Joana D’Arc através de uma aventura estilizada e uma versão mais moderna do mito que se tornou a jovem de apenas 17 anos e origem camponesa, que conseguiu exaltar o nacionalismo francês na luta contra os ingleses durante a Guerra dos 100 Anos (13371453). Criada em família religiosa, Joana é retratada desde sua infância, quando já apresentava um comportamento estranho, tendo visões e ouvindo vozes, além de freqüentar regularmente o confessionário. Os principais motivos da Guerra dos 100 anos que o filme aborda são: a intenção do rei da Inglaterra em ocupar o trono francês e a disputa franco-britânica pela ordem econômica caracterizada pela região de Flandres, rica na produção de tecidos. Essa guerra provocou profundas transformações na vida econômica, social e política da Europa Ocidental, no século XIV. Depois de testemunhar o estupro e assassinato de sua irmã por um guerreiro inglês, Joana vai até o rei da França para levar-lhe uma mensagem divina, na qual dizia que ele deveria atribuí-la um exército e que em nome de Deus ela libertaria Orléans dos ingleses. Após contar com o apoio de Delfim, personagem que no futuro torna-se rei da França, a virgem consegue uma verdadeira façanha em meio às guerras que se passam no reinado, pois derrota exércitos e cativa o povo. O filme abusa de cenas fortes e impactantes, como durante as guerras onde mostram pessoas sendo degoladas e jorros de sangue e principalmente no começo do enredo, quando Joana ainda é criança, e come-

Título: Joana D’Arc (The Messenger: The Store of Joan of Arc) Diretor: Luc Besson Gênero: Épico Lançamento: 1999 Elenco: Milla Jovovich, Dustin Hoffman, Faye Dunaway, John Malkovich

57

vestibulando

Por Guilherme Queiroz

Ficha Técnica

Divulgação/ Gaumont

Filme aborda guerra dos 100 anos e canonização de heroína


ȇȇ artigo    opinião

Arquivo pessoal

Por que os jovens têm bebido cada vez mais e mais cedo? Por Flávia Gonzales Correia Designer Gráfico, Graduanda em Educação Artística, Habilitação em Artes Plásticas pela Faculdade Paulista de Artes

novembro  2010

S

vestibulando

58

e você chegar ao portão de qualquer escola (publica ou particular) e perguntar a um adolescente se ele já consumiu alguma bebida alcoólica a resposta será afirmativa. Alguns até já foram pegos com bebidas dentro das mochilas. Pesquisas recentes constatam que o álcool é a droga mais usada por adolescentes, e o consumo só vem aumentando, principalmente entre os mais novos e as meninas: Quase metade dos jovens de 12 a 17 já usou bebida alcoólica. A presença de bebidas alcoólicas no dia-a-dia das crianças e adolescentes é tida como normal e inofensiva. Há uma aceitação social muito grande (e errônea) para o álcool. Muitos pais acham que não há problema algum em oferecer bebida aos filhos em casa, nas festas familiares ou até mesmo em festas para os menores. A bebida alcoólica só é considerada um problema quando consumida demasiadamente. Contribui muito para essa visão distorcida de normalidade o modo como as bebidas são divulgadas pelos meios de comunicação, que vendem muito mais do que o produto dentro das garrafas: vendem um estilo de vida cheio de beleza, alegria, diversão, popularidade e paquera. O que todos se “esquecem” é que o álcool é uma droga com diversos efeitos nocivos, especialmente para crianças e adolescentes, além de causar dependência. Para os adolescentes consumir bebidas alcoólicas é uma forma de se inserir no mundo dos adultos, transgredir regras e “sair do controle”. O desejo de ser aceito no grupo, aliado a ilusão de que o consumo de bebidas alcoólicas pode ajudar a resolver suas dificuldades de convívio social (como a timidez e o medo de tomar iniciativas), faz com que muitos adolescentes consumam cada vez mais bebidas alcoólicas, e se comportem de forma imprudente devido a embriaguez, que provoca euforia e desinibição, mas depois afeta a coordenação motora, os reflexos e o sono, além de interferir na percepção do que o jovem conside-

ra certo e errado, diminuindo a possibilidade de sexo seguro ou se envolvendo em acidentes. Os adolescentes sempre encontrarão maneiras de transgredir as proibições para o uso de bebida alcoólica. Entretanto, a sociedade tem ajudado para que eles não vejam isso como uma transgressão. E, talvez, esse seja o maior equívoco. É fundamental mudar essa cultura e restabelecer regras de convivência. Proibir o uso de bebidas alcoólicas por adolescentes não é “caretice”, nem simplesmente por uma situação de repressão, é para garantir que o cérebro se organize de forma coerente, porque os adolescentes estão em formação ainda, eles vão terminar de formar seu sistema nervoso central. A sociedade deve retirar a venda colocada pela mídia do “aprecie com moderação”, enxergar que consumo de bebidas alcoólicas por adolescentes é um problema grave e cobrar das entidades governamentais a revisão da legislação sobre a divulgação comercial de bebidas alcoólicas. A família deve se conscientizar da grande influencia que exerce nos adolescentes, pois é no ambiente familiar que o adolescente vai ser caracterizado, conhecendo o caminho que deverá seguir, seja correto ou não. São medidas essenciais: acompanhar o dia a dia dos filhos, conhecer os seus amigos e manter o diálogo. A escola também tem seu papel nessa luta, pois a complexidade da sociedade se reflete na escola, o que compromete sua função de transmitir conhecimentos, habilidades, competências e reforçar os valores aprendidos no grupo familiar. A escola, como local de convívio social deve estabelecer programas educacionais destinados tanto para os adolescentes quanto para seus pais ou responsáveis, visando à conscientização e aos esclarecimentos necessários sobre os efeitos nocivos que o consumo exagerado de bebidas alcoólicas pode causar. Somente por meio da educação é que se pode conscientizar os adolescentes e a sociedade que o álcool não faz bem. Pelo contrário, destrói. 

Devemos retirar a venda do “aprecie com moderação”, e enxergar o consumo de bebidas alcoólicas como um problema grave



Revista Vestibulando - Novembro 2010