Issuu on Google+

1 GOVERNO DE MINAS

A P R E S E N TA M

26 OUT>>4 NOV BRASIL

BÉLGICA

ÁUSTRIA

SeGuInDo eM   FrEnTe cOnTrA A CoRrEnTe

FRANÇA


Programação 26 OUT

bh nova lima Piracema

FIDinho Neto Machado (PR, BA)

> > > > > >

19h

Izabel Stewart e Tana Guimarães (BH)

>

Solo(s)

29 OUT

20h

Quik Cia de Dança (Nova Lima)

>

de nós dois. Só.

30 OUT

20h

Emmanuelle Huynh / Centre National de Danse Contemporaine - Angers (França)

>

MÚA

21h

Quik Cia de Dança (Nova Lima)

de nós dois. Só.

20h

Emmanuelle Huynh / Centre National de Danse Contemporaine - Angers (França)

> >

21h

Meg Stuart/ Damaged Goods (EUA, Bélgica)

>

Violet

19h e 22h

Meg Stuart, Philipp Gehmacher, Vladimir Miller (EUA, Áustria, Alemanha), Damaged Goods & Mumbling Fish (Bélgica, Áustria)

>

The Fault Lines

Quik Cia de Dança (Nova Lima)

>

de nós dois. Só.

Meg Stuart, Philipp Gehmacher, Vladimir Miller (EUA, Áustria, Alemanha), Damaged Goods & Mumbling Fish (Bélgica, Áustria)

>

The Fault Lines

> > >

Swingnificado

>

Têtes à Têtes

>

The Hot One Hundred Choreographers

> >

Quadronegro

>

Têtes à Têtes Quadronegro

sexta

27 OUT sábado

28 OUT domingo

segunda terça

31 OUT

21h

Lia Rodrigues Cia de Danças (RJ)

21h

Cris Oliveira (BH)

16h

FIDinho Neto Machado (PR, BA)

19h

Izabel Stewart e Tana Guimarães (BH)

21h

Lia Rodrigues Cia de Danças (RJ)

16h

quarta

1º NOV quinta

21h

2 NOV sexta

3 NOV sábado

4 NOV domingo

19h e 22h

Espaço para dança Kodak Solo(s) Piracema Kodak

MÚA

20h

Entretantas Conexão em Dança (PR)

21h

Companhia Suspensa (BH, Nova Lima)

21h

Quik Cia de Dança (Nova Lima)

16h

FIDinho Maria Clara Villa Lobos / XL Productions (Bélgica, Brasil)

19h

Cristian Duarte (SP)

21h

Companhia Suspensa (BH, Nova Lima)

21h

Entretantas Conexão em Dança (PR)

16h

FIDinho Maria Clara Villa Lobos / XL Productions (Bélgica, Brasil)

17h

Companhia Suspensa (BH, Nova Lima)

18h

Entretantas Conexão em Dança (PR)

> >

19h

Cristian Duarte (SP)

>

The Hot One Hundred Choreographers

20h

Emmanuelle Huynh / Centre National de Danse Contemporaine - Angers (França)

>

Cribles Live

teatro oi futuro kLauss Vianna

espaço CuLturaL amBiente

teatro marÍLia

Quik espaço CuLturaL

funarte mg

granDe teatro sesC paLLaDium

Quadronegro de nós dois. Só.

swingnificado

Swingnificado

sexta na feira, praça Da matriz em frente ao teatro muniCipaL De noVa Lima

teatro muniCipaL manoeL franzen De Lima / noVa Lima


d

d

riz De

a

seguindo em frente O FID compartilha com Lia Rodrigues a metáfora da Piracema, título da obra que apresenta nesta edição de 2012. Mesmo em condições desfavoráveis da contracorrenteza, alguns peixes, no período de sua fecundação, nadam rio acima em prol da sua continuidade. É do esforço em nadar contra a corrente que o corpo dos peixes se nutre, desenvolvendo-se sexualmente e tornando-os aptos para a reprodução. Muitos nadam até 600 km para chegar a um ambiente favorável para a desova e o transforma no nascedouro-berçário das novas gerações. Essa descrição se aplica ao FID, desde seu nascimento, em 1996. São 16 anos nadando contra a correnteza e, a cada um desses 16 anos, descobrindo como ser um nascedouro-berçário. Nessa correnteza estava o entendimento de que os intercâmbios internacionais e o financiamento à cultura continuariam sempre a se concentrar somente no circuito SPRJ; estava também a aceitação de que dança acontecia apenas com

Espetáculos Bolsa de Pesquisa Coprodução FIDinho FID Editorial FIDoteca

contra a corrente certos tipos de dança e de corpos (e o Terceira Dança está aí como afirmação de outro caminho possível). As nossas piracemas também são permanentes. Investimos na produção artística local praticando uma epistemologia SULREAL contra os reacionarismos estéticos, valorizando a produção interna e horizontalizando o diálogo com as pessoas que fazem e as que assistem. Nunca subestimamos o público, oferecendo programações ousadas e inaugurais. O FID teve e tem a coragem de investir em propostas inovadoras (programa Circulando Grande BH, FIDinho, Território Minas, FID Editorial). Enfrenta a endêmica falta de verba (toda edição é como um começar do zero). Espelhando em cada uma de suas edições que as condições de produção podem mexer no seu tamanho, mas não no seu compromisso com a qualidade da informação que oferece. Resistência, existência!


Cristian Duarte (São Paulo - SP)

Orientado pelos estudos de Umberto Eco em seu livro “A vertigem das listas”, que reflete sobre como a ideia dos catálogos, listas, enumerações e inventários mudou ao longo dos séculos e como essa mudança foi expressa por meio da literatura e das artes visuais, conferindo outros entendimentos organizacionais e perceptivos às listas se propõe realizar uma troca entre lista e forma. A lista proposta nesta peça coreográfica não garante lugar fixo e nem valoração por números do conteúdo selecionado para estudo e criação. A peça recorta ao mesmo tempo que solicita uma série de et ceteras, pois navega por um turbilhão de referências fragmentadas. (Confira a lista dos coreógrafos e obras em www.lote24hs.net) 3 e 4 NOV, 19h  Funarte MG / BH duração 50’  classificação indicativa: livre

Lia Rodrigues Cia de Danças (Rio de Janeiro - RJ) Piracema (2011) Contra a corrente, o movimento é de avançar. Algo dispara em todos e em cada um. Viajar sempre próximos e sozinhos. Subir, não ser vencido pela fadiga, ora dentro, ora fora, continuar até o fim, até o início. As águas quentes e turvas indicam que a hora chegou. Piracema. O ciclo recomeça. Na língua tupi, a palavra “piracema” significa a árdua viagem dos cardumes para a desova, sempre contra a correnteza. Designa também a dança e o rumor que fazem os peixes ao subirem para a nascente, em ciclos que se repetem a cada ano. 26 e 27 OUT, 21h  Teatro Oi Futuro Klauss Vianna / BH duração 60’  classificação indicativa: 12 anos

foto | carol mendonça

The Hot One Hundred Choreographers (2011)


5

Essa é a linha de ações do FID dedicadas ao fomento e promoção da dança brasileira e às relações entre o Brasil e os outros países. O FID se posiciona como SULREAL – Por epistemologias do Sul, isto é, a favor da produção de conhecimentos e por uma ecologia de saberes múltiplos pautados pela autonomia do pensar e ser independente.

Entretantas Conexão em Dança (Curitiba - PR)

foto | Lú Martins

Swingnificado  

(2011)

Como se dá o significado em dança? Divertida e leve, a peça trata desse assunto complicado e central tanto para as artes quanto para diversas outras áreas de conhecimento e para o nosso cotidiano. Toda a coreografia, incluindo os jogos com o público, vão, ao longo da peça, sinalizando que a significação (não verbal e verbal) é um processo de construção coletiva. O público vai precisar de muito swing, de sacudir seu corpo, ou já dança o entendimento que sinaliza essa peça? De que os significados em dança ou no domínio do verbal são tão públicos (não são privados), relacionais (não relativos) e que existem em contextualizados? Não há significado sem swing. 2 NOV, 20h  >>  4 NOV, 18h  Funarte MG/BH 3 NOV, 21h  Teatro Municipal Manoel Franzen de Lima / Nova Lima

foto | sammi landweer

duração 45’  classificação indicativa: livre


foto | marc domage

Cribles Live

Emmanuelle Huynh / Centre National de Danse Contemporaine - Angers (França)

O público tem a oportunidade de acompanhar a trajetória de Emmanuelle que já esteve no FID em 2007 com “A Vida Enorme” e também “Múa”. E, em 2010, coordenou um encontro com diversos artistas brasileiros.

Cribles Live (2009)

Múa (1995)

participação do grupo de percussão da UFMG (BH-MG)

Pensar o mundo diferente, encontrar soluções para problemas que aparentemente não existem, surgir possibilidades nunca antes sonhadas podem se realizar um dia, e mudar a percepção é condição para isso. Múa é isso…exercício sensorial explícito potente em expandir nossos corpos e mundos. “Múa é para ser experienciada em um espaço no qual a escuridão/luz, aparecimento/ desaparecimento, silêncio/música e dança/ imobilidade são interfaces de uma única ideia: movendo em si e para o mundo.” Emmanuelle Huynh. Apresentada no FID 2007, a peça teve todas suas sessões esgotadas, não podendo ter sido vista pela quantidade de público que o desejou fazer. Agora, a pedido de seu público, o FID reapresenta Múa.

Sob nossos pés e entre nossos braços, a história é escrita no presente, oscilando entre júbilo e medo. Cribles Live pergunta sobre o sentido de comunidade hoje e para isso utiliza a figura da roda, forma ritual e também milenar. Nela aparecem as singularidades de seus indivíduos e da relação de uns com os outros onde emerge algo maior que a soma de suas partes: a comunidade. Persephassa de Iannis Xenakis, peça musical para seis percussionistas, destaca-se no repertório do século XX pelo entendimento de que o som constrói espaço (que nunca está pronto) e que também é corpo. A música é apresentada ao vivo, em Belo Horizonte, pelo Grupo de Percussão da UFMG. A figura da roda em Cribles é dinâmica, atualizando-se incessantemente. Nós é que produzimos os nossos ritos do hoje. Cribles Live embaralha, ampliando nossos sentidos quando a dança passa a ser escutada e a música passa a ser vista. 4 NOV, 20h  Grande Teatro Sesc Palladium / BH

30 e 31 OUT, 20h  Funarte MG / BH duração 30’  classificação indicativa: 16 anos

→ Entrada proibida após o início do espetáculo. Não recomendável para pessoas com fobia à escuridão. Não será permitida a entrada com celulares e quaisquer outros aparelhos e objetos que emitam luz e som.

Múa

foto | jean baptiste huynh

duração 50’  classificação indicativa: livre


7

Meg Stuart / Damaged Goods (EUA, Bélgica)

foto | Chris Van der Burght

Violet (2011) Com música eletrônica e percussão ao vivo, Violet é um mergulho em um turbilhão, um redemoinho de padrões energéticos e esculturas cinéticas plenas de detalhes. O público é convidado a testemunhar corpos em transbordamento. Cinco dançarinos não param nunca, vertiginosamente transformando-se pela intensificação de seus movimentos. Quando o FID 1997 apresentou Meg Stuart ao Brasil pela primeira vez (com a participação do videoartista Gary Hill) seu trabalho impactou o público pela sua radicalidade, estranhamento e sua afeição a não fazer concessões. 31 OUT, 21h  Teatro Oi Futuro Klauss Vianna / BH duração 80’  classificação indicativa: 12 anos

→ A pedido do grupo, é expressamente proibida a entrada após o início do espetáculo.

MEG STUART, PHILIPP GEHMACHER, VLADIMIR MILLER (EUA, Áustria, Alemanha), DAMAGED GOODS & MUMBLING FISH (Bélgica, Áustria)

foto | nina gundlaCh

The Fault Lines (2010) Meg Stuart e Philipp Gehmacher começam sua segunda colaboração artística com um intenso confrontamento, como uma luta livre controlada, entre os dois. Eles se manipulam, se cuidam também. Fascinados sobre a vunerabilidade de um e do outro buscam seus pontos fracos e os limites de seus corpos. Aos poucos, eles são integrados ao mundo das imagens do videoartista Vladimir Miller. Seus filmes retrabalham, filtram, exageram e editam o vídeo ao vivo até que os acontecimentos e a projeção do vídeo visivelmente divergem. O que começa como intensa interação física move-se quase que sem ser percebido, a uma fascinante instalação de vídeo. 1 NOV, 19h e 22h 2 NOV, 19h e 22h  Espaço Cultural Ambiente / BH duração 50’  classificação indicativa: 12 anos

→ A pedido do grupo, é expressamente proibida a entrada após o início do espetáculo.


É a linha de atuação do FID que age diretamente para fomentar a dança em Minas Gerais. Suas ações abrangem: bolsas de pesquisa, oficinas, imersões, apoio para apresentações, coproduções, intercâmbio entre grupos e artistas, laboratórios, entre outros.

Companhia Suspensa (BH, Nova Lima) Quadronegro (estreia)

foto | Julia Panadés

coprodução FID 2012

A peça dá continuidade à pesquisa de uma dança vertical do grupo: por meio do uso de cordas e suportes, os planos se confundem, a parede se transforma em chão, e o chão, em parede. Com direção de Eid Ribeiro e colaboração coreográfica de Tuca Pinheiro, o trabalho oscila entre estruturas de construção dramatúrgica do teatro e da dança. “O pensamento cênico de nosso grupo vem operando sob a perspectiva de modificar as relações que estabelecemos com o mundo que nos cerca. Entendendo a arte como um campo aberto a leituras e diferenças; jogar com a estabilidade de nossos corpos, oferecer pulso aos objetos, suspender o chão, e habitar o avesso do habitual. Sobre o ar – os pés – levantar todo um jogo infinito de limites, vertigens, estranhezas, deslocamentos e encontros.” — Companhia Suspensa 2 e 3 NOV, 21h  >>  4 NOV, 17h  Teatro Marília / BH duração 50’  classificação indicativa: 12 anos

Izabel Stewart e Tana Guimarães (BH) Solo(s) (estreia) Solo(s) aborda duas instâncias da palavra “solo”: uma relativa ao espaço, como substantivo solo=chão, e outra que trata da situação desacompanhada, como adjetivo solo=solitário. O trabalho partiu da investigação de tipos de terreno, geografias e modos de ocupação, provocando a elaboração de uma cartografia cênica e de seus possíveis habitantes. 27 e 28 OUT, 19h  Funarte MG / BH

foto | alexandre pires

duração 40’  classificação indicativa: livre


9

Cris Oliveira (BH) Essa dança acontece em espaços públicos como praças, shoppings e rodoviárias e como coautores da obra, os transeuntes são convidados a escolher um figurino, uma música e propor ao performer uma ideia, um contexto para o improviso de dança. Ao criar um espaço coletivo e compartilhado para a dança, Cris Oliveira colabora para expandir os domínios espaciais da dança e o entendimento de dança urbana. 26 OUT, 21h  Sexta na Feira, Praça da Matriz em frente ao Teatro Municipal / Nova Lima duração 40’  classificação indicativa: livre

foto | paulo Lacerda

Espaço pra Dança (2009)

Quik Cia de Dança (Nova Lima) Em um relacionamento onde se compartilha há 25 anos arte e vida, Letícia e Rodrigo trazem neste trabalho afetos, desafetos, fragilidades, tensões, simbioses, permanências e solidão. Memórias são revisitadas e atualizadas por meio dos registros da própria companhia e no diálogo reflexivo com os movimentos de tradição e de invenção do que foi vivido na dança em cada um. Novos olhares, entendimentos e possibilidades são construídos numa dramaturgia da relação. É exatamente isso que faz o amor: destaca um outro de “todo mundo” e por meio desse ato remodela “um” outro transformando-o num “alguém bem definido”, dotado de uma boca que se pode ouvir e com quem é possível conversar de modo a que alguma coisa seja capaz de acontecer (Zygmunt Bauman). 29 OUT, 20h  >>  30 OUT, 21h  Teatro Marília / BH 1 e 2 NOV, 21h  Quik Espaço Cultural / Nova Lima duração 75’  classificação indicativa: 16 anos

foto | Ilana Lansky

de nós dois. só. (estreia)


A crescente adesão do público infantil à programação do FID impulsionou a criação deste espaço dedicado especialmente às crianças.

maria CLara ViLLa LoBos / xL proDuCtions (Bélgica, Brasil)

foto | charlotte sampermans

Têtes à Têtes

(2011)

A peça é como uma imersão em um desenho animado, um convite para seguirmos as aventuras e desventuras de um personagem, com uma cabeça enorme, indo de seu nascimento à sua vida adulta. Através da interação desse personagem com desenhos animados projetados no palco são construídas diversas cenas. De forma muito visual e colorida, a peça nos leva do espaço cósmico ao confinamento de um útero aquecido e, então, a espaços imaginários onde tudo é possível… 3 e 4 NOV, 16h Teatro Oi Futuro Klauss Vianna / BH duração 45’

classificação indicativa: 3 anos

neto maCHaDo (Curitiba - PR, Salvador - BA)

foto | tiago lima

Kodak

(2011)

Em cena, 70 caixas de arquivo coloridas, abertas, amassadas estão sempre sendo rearranjadas como peças de lego. Surgem centros urbanos, filmes de catástrofe, um número musical, videogames, desenho animado e em quadrinhos, séries de heróis japoneses e tantas outras referências à cultura pop. Dança que usa a técnica de animação (stop motion) ao contrário. Ao invés de criar a ilusão de movimento transformando os quadros fotográficos em imagem dinâmica, os movimentos são feitos em quadros descontínuos. 27 e 28 OUT,16h Espaço Cultural Ambiente / BH duração 55’

classificação indicativa: livre


11

FIDoteca

  Por lidar com uma arte basicamente existente em apresen-

tações ao vivo, o FID percebeu o potencial educacional de seu acervo em um país marcado pela injusta distribuição de informação como o nosso. Para colaborar com o processo de educação em dança, a partir de 2007, o FID passou a disponibilizar um dos mais ricos acervos do país, que permanece carente da preciosa informação sobre os espetáculos apresentados em todas as edições do FID. Esse material se destina à pesquisa e estimula a produção de conhecimento e estará disponibilizado gratuitamente. 19 OUT a 3 NOV, terças e quartas das 10h às 20h, quintas e sextas das 10h às 21h, sábados das 10h às 18h, feriados das 12h às 18h Acervo Artístico e Literário do Sesc Palladium / Avenida Augusto de Lima, 420, Centro / BH

Venda de Ingressos Nas bilheterias dos teatros a partir de 19/10, exceto na Funarte MG (apenas nos dias de espetáculo), Teatro Marília e Quik Espaço Cultural (a partir de 22/10).

Teatro Klauss Vianna Oi Futuro Av. Afonso Pena, 4001, Mangabeiras >> BH >> 3229 3131 Bilheteria: Terça a sábado - das 15h às 21h | Domingo - das 13h às 19h Teatro Marília Av. Professor Alfredo Balena, 586, Centro >> BH >> 3277 4697 Bilheteria: Segunda a sexta - das 10h às 13h e das 14h às 17h | nos dias 29 e 30/10 e 2, 3 e 4/11 a partir das 15h FUNARTE MG Rua Januária, 68, Floresta >> BH >> 3213 7112 Bilheteria: nos dias das apresentações a partir das 14h Espaço Cultural Ambiente Rua Grão Pará, 185, Santa Efigênia >> BH >> 3241 2020 Bilheteria: Terça e sexta - das 10h às 12h e das 13h às 18h | Quarta - das 19h às 21h | Quinta - das 14h às 20h | nos dias: 27 e 28/10 e 1 e 2/11 a partir das 9h. Quik Espaço Cultural Rua Vancouver, 344, Jd. Canadá >> Nova Lima >> 3581 3503 Bilheteria: Segunda a sexta - das 9h às 12h e das 13h às 18h.

Meia*R$2 Inteira R$4 TODOS OS INGRESSOS LIMITADOS À CAPACIDADE DE CADA LOCAL.

Grande Teatro - SESC Palladium Rua Rio de Janeiro, 1046, Centro >> BH >> 3214 5350 Bilheteria: Segunda a segunda - das 9h às 21h Teatro Municipal Manoel Franzen de Lima Praça Bernardino Lima, Centro >> Nova Lima >> 3541 4426 Bilheteria: Segunda a sexta - das 13h às 18h

O valor reduzido do ingresso faz parte da política de relacionamento do FID com o seu público: deixa claro, na forma de um ingresso acessível, que seu custo real já foi pago com recurso público por meio de patrocínios via leis de incentivo à cultura e convênios com órgãos públicos. * Meia-entrada >> maiores de 60 anos, com carteira de identidade; estudantes (1º, 2º e 3º graus e pré-vestibular credenciado à UNE, UBES, UEE/MG e UCMG), com carteira estudantil e comprovante de matrícula atualizado; para menores de 21 anos, com carteira de identidade de seus pais.


www.FID.COM.BR 31 3225 5070

BELO HORIZONTE NOVA LIMA

MINAS GERAIS BRASIL

A p r e s e n ta ç ã o

GOVernO de MinaS

pat r o c í n i o

A p o i o c u lt u r a l

pa r c e i r o s

Correalização

realização

incentivo


FID 2013