Page 1

PORTFÓLIO FILIPA PORTO 2018


FILIPA PORTO

Olá! Sou arquiteta formada pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro em 2017. Durante a faculdade estagiei por nove meses em um esritório de interiores fazendo desenhos técnicos e maquetes 3D, e até hoje sigo fazendo trabalhos freelancer para as arquitetas de lá. Estaigiei também em um escritório com uma área de atuação mais abrangente por seis meses, trabalhando com projetos residenciais, de transporte viário e urbanismo. Atualmente trabalho em um escritório especialmente voltado para branding experience, eventos e interiores. Minhas principais funções incluem participar de reuniões com clientes e fornecedores, da direção criativa de cada projeto, fazer desenhos técnicos e maquetes 3D e coordenar os projetos. Ao longo do último ano aprendi a lidar com a pressão de prazos apertados e clientes indecisos e a tomar decisões rápidas para resolver problemas.

• (11) 94577 2762 • fibscporto@gmail.com

ÍNDICE

CURRICULUM VITAE

____________________________________________________ 04

PROJETOS AGÊNCIA DE MARKETING

____________________________________________________ 08

QUARTO DE ADOLESCENTE

____________________________________________________ 12

QUARTO DE MULHER JOVEM

____________________________________________________ 14

SUÍTE DE CASAL

____________________________________________________ 16

DESIGN GRÁFICO DE EBOOK BILÍNGUE

____________________________________________________ 18

PROJETOS ACADÊMICOS: DAS ARTES

____________________________________________________ 24

DA MÚSICA

____________________________________________________ 30

DA NATUREZA E INTEGRAÇÃO SOCIAL

____________________________________________________ 38

CARTAS DE RECOMENDAÇÃO

____________________________________________________ 44

Também atuo como freelancer nas áreas de representação digital 2D e 3D, design de interiores, design gráfico e fotografia. Este portfólio reúne CV, alguns projetos realizados como freelancer ou com o escritório onde estou atualmente e outros que fiz ao longo do curso de graduação, cartas de recomendação e fotografias focadas em arquitetura e na interação das pessoas com a cidade - um interesse pessoal que recentemente tenho buscado aprimorar. Desde já, agradeço a atenção. _Filipa Porto

I

II


LEGENDA atribuições estágios: BRAINSTORMING LEVANTAMENTO DESENHO TÉCNICO 2D MAQUETE 3D COORDENAÇÃO DE PROJETOS

FILIPA PORTO

FORMAÇÃO ACADÊMICA

CURRICULUM VITAE

2017 • Gradução Arquitetura & Urbanismo PUC-Rio _Rio de Janeiro 2010 • Ensino Médio Colégio St. Patrick’s

_Rio de Janeiro

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL [legenda no topo]

AGO/17 – [atualmente] • Arquiteta _Atmozz Studio MAR/15

– [atualmente] • Freelancer • _Beatrice Goldfeld | Arquitetura e Design FEV/16

– AGO/16 • Estagiária • _Mayerhofer & Toledo Arquitetura MAR/15 – JUL/15 • Assistente de fotografia _Ricardo Martins JUN/14 – FEV/15 • Estagiária • _Beatrice Goldfeld | Arquitetura e Design

SOFTWARE Autodesk AutoCad • Revit • Google SketchUp •  Adobe Photoshop • Illustrator • InDesign • Lightroom • Office Word •  Power Point • Excel • 4

DIAGRAMAÇÃO E CONTEÚDO DE WEBSITE

IDIOMAS Português • [língua materna] Inglês • Italiano •

CURSOS E WORKSHOPS 2017 • Architectural Imagination HarvardX _[online _ edX]

(cursando)

TOEFL Prep. Ibeu _Rio de Janeiro Revit Módulo I Impacta _São Paulo 2016 • Princípios e Práticas do Projeto de Restauração do Patrimônio Cultural CCE PUC-Rio _Rio de Janeiro 2015 • Oficina de Medidas Eletroacústicas IATEC (Instituto de Artes e Técnicas em Comunicação) _Rio de Janeiro 2014 • Workshop de Fotografia para Moda POP (Polo de Pensamento Contemporâneo) _Rio de Janeiro AutoCAD 2014 2D Instituto Bramante

_Rio de Janeiro

2013 • Italiano Básico I e II CCE PUC-Rio _Rio de Janeiro 2010 • Bio-Arquitetura TIBÁ _Nova Friburgo 2009 • Fotografia Contemporânea EAV Parque Lage _Rio de Janeiro

5


PROJETOS


Trabalho realizado pela Atmozz Studio. BRAINSTORMING LEVANTAMENTO DESENHO TÉCNICO 2D MAQUETE 3D COORDENAÇÃO DE PROJETO

AGÊNCIA DE MARKETING

TÉRREO

A agência para a qual esse projeto foi realizado tem como principal pilar o pricípio da inteligência coletiva - um conceito que defende que somos mais fortes quando compartilhamos nossos conhecimentos individuais com o todo. Quando nos chamaram para projetar o novo escritório deles, em um galpão no Butantã (São Paulo), pediram que esse conceito estivesse presente no espaço. Além disso, nos deram um prazo muito curto - dois meses para fazer o levantamento, criar o projeto e executá-lo.

8

Para conseguirmos atender o prazo, precisávamos de um projeto simples. Assim, seguindo o conceito de inteligência coletiva, criamos uma grande estante que atravessa todo o andar térreo do edifício, funcionando como uma parede conceito que atendia todas as necessidades da equipe como um todo: espaços de armazenamento, disponibilização de livros para consulta, um balanço para descontração, bancos e bancadas para reuniões rápidas, mini estúdio para fotos de produtos etc.

MEZANINO

9


DETALHAMENTO NICHO MINI ESTÚDIO FOTOGRÁFICO

10

11


Trabalho realizado como freelancer para o escritório Beatrice Goldfeld Arquitetura e Design

DESENHO TÉCNICO

QUARTO DE ADOLESCENTE

12

MAQUETE 3D E RENDERIZAÇÃO

13


Trabalho realizado como freelancer para o escritório Beatrice Goldfeld Arquitetura e Design

DESENHO TÉCNICO

QUARTO DE MULHER JOVEM

14

MAQUETE 3D E RENDERIZAÇÃO

15


Trabalho realizado como freelancer para o escritório Beatrice Goldfeld Arquitetura e Design

REPRESENTAÇÃO GRÁFICA 2D

SUÍTE DE CASAL

16

MAQUETE 3D E RENDERIZAÇÃO

17


“Criando e Implementando Políticas de Acervo EBOOK BILÍNGUE _Colecionar o Contemporâneo” _[lançamento jun/2017]

DESIGN GRÁFICO

18

19


20

21


PROJETOS ACADÊMICOS


LOCAL: LAPA _Rio de Janeiro

DAS ARTES

Este projeto foi implantado em um terreno pré definido, localizado na Lapa, Rio de Janeiro. O lote de quase 1.000 m² atualmente é utilizado como um estacionamento. O bairro atrai muitos turistas e é conhecido principalmente pelos Arcos da Lapa, o Circo Voador e pela grande quantidade de bares que abriga.

24

O programa, também pré definido, consiste em uma galeria de artes, sala de administração, depósito, banheiros para visitantes e para funcionários, vestiários e quatro ateliês. A este programa foram acrescentados uma sala de reuniões e um café, para complementar o comércio diurno da região e atrair mais visitantes.

25


SEGUNDO PAVIMENTO

PRIMEIRO PAVIMENTO

A volumetria do edifício abre uma passagem da Rua da Lapa para a Rua Morais e Vale, sem haver necessidade de adentrá-lo. De um lado desta passagem está a entrada para a galeria; do outro, o café e a entrada para a área privada, apenas para os funcionários, artistas e convidados. Como esta passagem é independente do edifício, fica aberta 24 horas.

TÉRREO

26

27


Um elemento de grande imporância que se destaca é o cobogó, muito característico da arquitetura brasileira, aplicado para dar certo nível de privacidade e ao mesmo tempo possibilitar a entrada de luz natural e ventilação. Os cobogós são complementados por portas de treliça de madeira, com inpiração nos muxarabis árabes, também muito utilizados no Brasil.

28

A galeria possui uma grande área com pé direito duplo, apropriado para todos os tipos de obra de arte. Uma rampa, suspensa por tirantes, leva ao mezanino. Essa rampa se projeta, durante um trecho, para fora do edifício, como forma de atrair atenção dos passantes para o que ocorre do lado de dentro e, ao mesmo tempo, tornando as atividades que acontecem na rua parte das exposições.

Todo o projeto é permeado por coberturas verdes, destinadas a trazer um pouco mais de natureza para o bairro. A principal é o grande terraço que conecta os quatro ateliês, com a intenção de inspirar e integrar os artistas que trabalham no espaço. Essa área pode ser utilizada para relaxar, criar projetos em conjunto ou apenas interagir uns com os outros.

O café, voltado para a Rua Morais e Vale, se abre para uma pequena praça, aproveitando a árvore que já existe ali para sombreamento, e pode ficar aberto além dos horários de funcionamento da galeria, atendendo não só aos visitantes como também aos moradores e trabalhadores do local e aos artistas que chegarem cedo ou trabalharem até mais tarde.

29


LOCAL: PRAÇA TIRADENTES _Rio de Janeiro

DA MÚSICA

Este projeto é um complexo dedicado às bandas de rock independente cariocas, com intenção de incentivar a cultura, focando na cena underground, e de revitalizr imóveis abandonados no Centro do Rio Janeiro. O imóvel escolhido se localiza na Praça Tiradentes, que tem uma forte ligação com cultura, cercada por teatros, casas de show e ligada à Rua da Carioca, conhecida por suas muitas lojas tradicionais de instrumentos musicais. Além disso, é próxima à Lapa, uma forte referência da cultura underground na cidade. É também um local de fácil acesso por transporte público.

01

04

03

02 05

06

08

07

Praça Tiradentes, nº 73/75

Praça Tiradentes, nº 73/75 Centro, Rio de Janeiro.

30

Teatro João Caetano

01

Teatro Carlos Gomes

05

Estudantina Musical

02

Fundição Progresso

06

Espaço Acústica

03

Teatro Odisséia

07

Rua da Carioca

04

Circo Voador

08

31


“Underground” é um termo utilizado para definir diversas subculturas consideradas fora dos padrões da sociedade (chamados de mainstream). A cultura underground é marcada por desprezo aos padrões comerciais e busca por liberdade, sendo frequentemente relacionada à rebeldia. Dentro da cena underground, as bandas independentes se caracterizam por se dissociarem das grandes gravadoras, mantendo distância dos padrões comerciais e buscando o máximo de controle sobre suas próprias carreiras. Além disso, costumam ter uma verba baixa para produção e ensaios.

The mainstream comes to you, but you have to go to the underground.

“O mainstream vem até você, mas você tem que ir até o undergound.” Frank Zappa.

Do imóvel escolhido resta apenas a fachada frontal – histórica, tombada e já integrada à paisagem do local, ela se encaixa perfeitamente com a idéia de protesto e rebeldia, funcionando como uma máscara – um portal para algo escondido e inesperado. O fato de restar apenas a fachada permite uma revitalização com maior liberdade construtiva quanto às questões acústicas necessárias para o projeto em questão.

32

} O programa, formado a partir de entrevistas com diversas bandas independentes, busca suprir as principais necessidades identificadas: • casa de shows de médio porte; • estúdios de ensaio com bom custo-benefício; • assistência e orientação profissional destinada aos músicos; • local para divulgação e venda dos produtos das próprias bandas.

casa de shows +300 pessoas bar

loja

salas multiuso

estúdios +ensaio +gravação

Para atender a essas necessidades, o programa inclui casa de show, bar, café, loja, estúdios, sala multiuso para exposições, workshops, cursos e palestras e diversos espaços de convivência internos e externos. O projeto se eleva como um novo edifício, conectado à fachada original por passarelas. Os estúdios são blocos soltos uns dos outros, intercalados com vãos que proporcionam visibilidade de um piso para os outros.

33


PRIMEIRO PAVIMENTO

TERCEIRO PAVIMENTO

TÉRREO

SEGUNDO PAVIMENTO

ENTRADA

CIRCULAÇÃO

34

35


LOJA/ CAFÉ

O foco principal do projeto são os estúdios, de quatro tipos diferentes: • locação por hora - pequeno; • locação por hora - grande; • locação por mês; • gravação. Para resolver a questão de isolamento acústico, foi escolhida a técnica construtiva box in a box, na qual um ambiente é construído dentro de outro, suspenso, evitando assim que a vibração sonora se propague por todo o edifício ou para os edifícios vizinhos.

Com a opção de estúdios para locação mensal, abertos 24 horas, muitas possibilidades se abrem para os músicos. Comparativamente, o aluguel se torna mais barato, pois os custos do estúdio com manutenção de equipamentos é menor e o espaço pode ser dividido por bandas com horários de ensaio diferentes. Os ensaios podem ocorrer a qualquer momento e durar quanto tempo seja necessário, pois não há necessidade de marcar com antecedência ou sair porque há outra banda agendada. Por último, esse espaço pode e deve, também, guardar os instrumentos e equipamentos dos músicos, aliviando as costumeiras dificuldades de transportar cargas grandes, pesadas e valiosas cada vez que há um ensaio.

CASA DE SHOWS/ BAR

Ao criar um local que atenda às principais necessidades básicas dos músicos, o projeto busca não apenas facilitar seu trabalho como incentivar ainda mais a grande união que já existe das bandas independentes do país entre si mesmas e com o público.

PRAÇA TIRADENTES

36

37


LOCAL: QUINTA DA BOA VISTA _Rio de Janeiro

DA NATUREZA E INTEGRAÇÃO SOCIAL

METRÔ linha 1

TREM

METRÔ linha 2

QUINTA da Boa Vista

Apesar de São Cristóvão e Maracanã serem bairros vizinhos, as linhas de trem e metrô fragmentam essa região. A conexão entre os dois bairros se dá principalmente pelas estações de metrô do Maracanã de São Cristóvão. Essa fragmentação determina grande parte dos fluxos de pedestres. A Quinta da Boa Vista é usada, com frequência, como forma de encurtar o percurso entre os bairros. Os percursos do parque, porém, estão deteriorados, são pouco arborizados e têm uma tipologia voltada mais para os carros do que para os pedestres. Com a perspectiva de implantação do Parque Glaziou, exatamente ao lado, o fluxo de pessoas na região aumentará. O novo parque poderia facilitar ainda mais o trajeto entre os dois bairros, graças à ligação com a estação de metrô Maracanã, mas, apesar dos parques fazerem fronteira um com o outro, não há indicação alguma de conexão entre eles.

QUINTA DA BOA VISTA

PARQUE GLAZIOU

38

39


Outro elemento importante do entorno imediato é a Favela da Mangueira. Apesar de sua proximidade e de um grande número de potenciais usuários, nenhum dos projetos atuais dos parques indica uma intenção de ligação direta com ela. Assim, para chegar à Quinta, o morador da Mangueira precisaria contorná-la por inteiro. Este projeto tem como objetivos eliminar as barreiras entre parques e entre bairros, propondo conexões articuladas que atendam às necessidades específicas de cada percurso. Para isso, são criados dois eixos principais que se conectam em um ponto central. O primeiro liga Maracanã a São Cristóvão e o Parque Glaziou à Quinta da Boa Vista, e o segundo atravessa o Parque Glaziou até a Favela da Mangueira, com a intenção conectar a comunidade com os bairros e atrair novos usuários para os parques.

MANGUEIRA QUINTA da Boa Vista

CONCEITO

O centro do projeto abrigará um anfiteatro e uma grande praça, onde poderão acontecer exposições, apresentações e shows, exibição de filmes ao ar livre e até mesmo pequenos eventos organizados espontaneamente pelo público do parque. Será construído, também, um centro cultural, mesclado com a topografia, que dispõe de um espaço para exposições e de salas de aula destinadas a cursos de arte e de história. Sua cobertura verde também pode ser aproveitada, com intervenções ou como área de estar e mirante.

CORTE - ANFITEATRO

CORTE - CENTRO CULTURAL

40

CORTE - QUIOSQUES

41


O eixo [Centro Cultural – Mangueira] é o principal do projeto e tem como proposta ser um “caminhar cultural” e de apreciação, com diversas áreas arborizadas, atrativos voltados para cultura, e módulos que possuem uma tipologia que permite que sejam usados para diversas finalidades, como alimentação, ateliês, e exposições. O mobiliário urbano é uma analogia com a Favela da Mangueira. Trechos do pavimento se elevam, de forma irregular, formando bancos, mesas e espaços que podem ser aproveitados da forma que o usuário preferir.

Ao final deste percurso há mais uma praça; essa aberta 24h, com a intenção de fornecer um pouco do espaço livre que falta nas favelas. Possui um palco aberto e uma horta comunitária. Serve, também, como um estímulo para que os habitantes da comunidade se sintam convidados a entrar no parque.

CORTE - LIGAÇÃO COM MANGUEIRA

CORTE - PRAÇA MANGUEIRA

42

43


CARTAS DE RECOMENDAÇÃO


Beatrice Goldfeld | Arquitetura e Design

BEATRICE GOLDFELD ARQUITETURA E DESIGN

46

47


Mayerhofer & Toledo Arquitetura

MAYERHOFER & TOLEDO ARQUITETURA

49


OBRIGADA PELA ATENÇÃO!

(11) 94577 2762 fibscporto@gmail.com @fibsphoto

Filipa Porto_Portfolio Arquitetura e Design_2018  
Filipa Porto_Portfolio Arquitetura e Design_2018  
Advertisement