Page 55

02 - TEMA: FIDELIDADE À VOCAÇÃO Tratando-se do seguimento de Jesus, a vida consagrada ou sacerdotal, toda pessoa chamada, seja ela qual for, no mais profundo do seu ser, sente-se inquieta porque o chamado a coloca diante dos desafios, do novo, do medo, da insegurança, etc. Surgem os questionamentos, as dúvidas e os apegos às coisas materiais. Perante tantos obstáculos, o vocacionado precisa ser forte e autêntico para tomar suas decisões, e para isso é importante espelhar-se nas grandes figuras bíblicas, como por exemplo, Isaías (Is 6, 8): “Ouvi a voz do Senhor que dizia: quem é que vou enviar? Quem irá de nossa parte? Eu respondi: Aqui estou, envia-me.”. Percebe-se que o profeta nem se quer pensou, o seu sim foi imediato, isso porque Isaías em si já havia dado a sua resposta generosa e fiel, abrindo seu coração, confiando totalmente em Javé. A vocação de Samuel: “Javé chamou: Samuel, Samuel. Ele respondeu: estou aqui. Ele foi correndo para junto de Eli e disse: Estou aqui, o Senhor me Chamou. Eli Respondeu: não, eu não chamei você. Vá se deitar. Samuel foi se deitar.” (I Samuel 3, 4-5). O pequeno Samuel estava atento ao chamado, enquanto que Eli só percebeu que era Javé que chamava o menino, após sua insistência. No capítulo 3 do Êxodo Deus chama Moisés para libertar seu povo oprimido. ”O clamor dos filhos de Israel chegou até mim e eu estou vendo a opressão com que os egípcios os tormentam, vá, eu envio você ao Faraó para tirar do Egito o meu povo, os filhos de Israel. Moisés reclama, parece não aceitar a proposta de Javé, sentindo-se limitado, incapaz de libertar o povo que estava sob o poder de um rei dominador. Meu senhor, eu não tenho facilidade para falar... Minha boca e minha língua são pesadas” (Êxodos 4, l0). Maria também é exemplo maior de fidelidade ao chamado de Deus, pois ao ser comunicada pelo anjo Gabriel, ela não fez nenhum questionamento, nem criou obstáculos, simplesmente disse como está no Evangelho de São Lucas (Lc 1,37): “Eis a escrava do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra”. Os exemplos dos patriarcas e profetas, de total aceitação ao chamado do Senhor, devem servir de direcionamento para que também nós

estejamos atentos e disponíveis para o chamamento de Deus. Com certeza, todos eles também entoaram o Magnificat da sua maneira. Para nós, Filhas do Divino Zelo, Nossa Senhora do Rogate é o exemplo maior de: dedicação, serviço, submissão e fidelidade a Deus. Devemos ver nela como espelho e estímulo para seguirmos fiéis à nossa vocação, obedientes ao chamado. Seguindo os ensinamentos do nosso fundador, Santo

Aníbal Maria Di Francia, e nossa cofundadora, Madre Maria Nazarena Majone, ambos defensores incansáveis da oração pelas vocações, devemos nos sentir cada vez mais responsáveis por esta grande missão que nos foi confiada de zelar sempre pelas vocações, para que haja mais operários e operárias na messe do Senhor, e nós, como discípulas do Zelo e do Rogate, devemos ser presenças vivas do Reino de Deus na Igreja. Povoado Mocambo - Frei Paulo (SE) Irmãs Geralda e Helena Francisca

55

Manual vocacional fdz  
Manual vocacional fdz  
Advertisement