Issuu on Google+

PROVÍNCIA NOSSA SENHORA DO ROGATE Filhas do Divino Zelo

Ano Vocacional FDZ - 2008


APRESENTAÇÃO O conteúdo deste manual é fruto do entusiasmo e do trabalho das Irmãs Amélia e Izabel, responsáveis pelo Setor do Rogate, e de todas as Irmãs da Animação Vocacional. Foi grande o empenho para que o Ano Vocacional - FDZ seja promissor e sua mensagem chegue a todas as realidades por onde passar algum membro da Família do Rogate. “Cada missão assumida com fé, amor e numa atitude serviçal frente à comunidade continua revelando ao mundo a imagem do Deus que nos quis e nos quer muito bem, como filhos e filhas muito queridos”. Sabemos que não será pelos frutos que colheremos a medida do sucesso e da felicidade, mas pelo empenho na preparação do terreno, na semente que será lançada e no grau de amor do nosso coração. As realidades são desafiadoras, mas sentindo-nos coresponsáveis estaremos unidas e empenhadas para atingir os objetivos propostos por este Ano Vocacional das Filhas do Divino Zelo. Com certeza os frutos virão sob a forma de pessoas felizes e realizadas em sua vocação! Agradecendo a parcela de contribuição de cada uma e o comprometimento com a Igreja, com o Instituto e com a juventude, messe tantas vezes desorientada e sedenta, imploro a bênção e a companhia amiga de Santo Aníbal Maria, nosso Fundador, o Santo do “Rogate”, que nos animará no desempenho desta missão. Portanto, façamos o melhor que pudermos com entusiasmo e confiança! Madre M Inez Rosso Superiora Provincial Rio de Janeiro, janeiro de 2008

2


INTRODUÇÃO A idéia de lançar este material surgiu da necessidade imediata de se ter algo mais específico para trabalhar o Ano Vocacional-FDZ em nossas Comunidades educativas e paroquiais. Esse pequeno trabalho foi feito em mutirão pelas animadoras vocacionais, aspirantes, alunos, professores - FDZ, membros da Família do Rogate. Servirá para os momentos formativos: retiros, encontros, catequese, grupos juvenis, celebrações vocacionais e outros, segundo a criatividade de cada animador/a vocacional-FDZ/RCJ ou membro da família do Rogate. Para facilitar dividimos em blocos de: - aulas - cantos - celebrações; - orações; - encontros; - estórias; - fábulas; - gincanas; - maratonas; - palestras; - retiros; - teatros; Que cada Filha do Divino Zelo possa se sentir mais renovada e que o ardor, zelo e paixão pelo Rogate chegue a todos aqueles que comungam do nosso Carisma direta ou indiretamente no despertar e avivar o chamado do Senhor, que envia a cada um, a cada uma, à messe, sobretudo a menos favorecida e abandonada. Com carinho: A Equipe de Animação Vocacional-FDZ

3


PROVINCIA NOSSA SENHORA DO ROGATE Filhas do Divino Zelo

Manual Vocacional

Ano Vocacional FDZ - 2008

4


ILUSTRAÇÃO ANO VOCACIONAL - FDZ Ir. Anderson Augusto - MSC

A base, o chão de toda a dinâmica da ilustração é a Palavra de Deus, uma das fontes fundamentais da Revelação Cristã. No centro e origem de todo o movimento, está o sol e a cruz, símbolos de Jesus Cristo, encarnado e ressuscitado. O “Sol da Justiça” ilumina toda a realidade, mas denuncia elementos em cores diferentes. Algumas pessoas se encontram em tons azuis, cores frias, mostrando a frieza em que se encontram diante da sociedade, vítimas de todo processo de exclusão. Estão com as mãos estendidas e abertas, como se gritassem através desse gesto. Percebemos a ternura de Deus representada pela mão que acolhe essas pessoas e as aproxima do calor da solidariedade e da vida que vem das novas relações. Por isso, a outra mão de Deus aponta para essa mesma realidade, que se torna o chão da vida a partir do qual brotam as orações a Deus, estabelecendo, assim, uma aliança de compromisso com o povo de Deus, simbolizado pela criança no colo da mãe que estende o braço. A semente da vivência do Reino é que faz nascer, como trigo, mulheres e homens novos, ajoelhados implorando o “Rogate...”, de braços erguidos, louvando a Deus, o Dono da Messe e comprometidos com a vida em dignidade, com a messe já dourada. Tudo isso num movimento missionário que nos lança ao futuro, nos colocando diante do horizonte de novos desafios.

5


PROVÍNCIA NOSSA SENHORA DO ROGATE

FDZ

FDZ

Tema: Discípulos - Operários na messe Lema: Quem tem Compaixão: Roga - Anuncia - Testemunha Comemorando o centenário de fundação da Pia União de Oração pelas Vocações, solenemente fazemos a abertura do Ano Vocacional na Província Nossa Senhora do Rogate, e o lançamento da Associação da União de Oração pelas Vocações. Felizes e gratas ao Senhor da messe que nos chamou para servir como discípulas-operárias na messe, queremos com toda a Igreja elevar e louvar o carisma do Rogate e suplicar ao dono da messe que não cesse de enviar operários e operárias. O nosso objetivo de fazer o ano vocacional na Província é para animar as Filhas do Divino Zelo e todos os cristãos leigos e leigas que conosco atuam em nossas paróquias, escolas e obras sociais, para que juntos possamos suscitar novos operários e operárias segundo o carisma específico do ROGATE. Temos como objetivos específicos: 1. Levar a conscientização de que Deus é o sujeito da vocação e que chama todos a uma missão. 2. Refletir, enquanto FDZ, a vocação como um dom de Deus e agir em conseqüência disso. 3. Despertar para todas as vocações mediante as quais a Igreja realiza sua missão de evangelizar. 4.Ajudar os vocacionados(as) e suas famílias a perceberem que a vocação não é para eles, mas para a Igreja. 5. Ajudar o jovem a descobrir que Deus usa de mediações~ (acontecimentos, fatos e pessoas) para chamar-nos. 6. Ajudar a olhar e a criar sensibilidade diante da messe abandonada para que todos possam descobrir o chamado de Deus à liberdade e à comunhão. 7. Motivar as famílias para valorizar as vocações. Quem envolver?  Todas as Filhas do Divino Zelo;  Os educadores, especialmente os da formação humana e cristã;  Os sacerdotes de nossas paróquias;  Os grupos de oração vocacional; catequistas e leigos que conosco atuam em todos os setores.

ORAÇÃO DO ANO VOCACIONAL Santíssima Trindade, somos teus discípulos-operários e te suplicamos: - que as crianças, adolescentes e jovens descubram a alegria de servir; - que os vocacionados se enamorem de Jesus ao segui-lo. - que os teus ministros e consagrados sejam sinais de esperança para a Igreja. - que todos os batizados possam viver sua missão na solidariedade e ardor de irmãos e irmãs semfronteiras. - que os idosos gozem de tua sabedoria. - que os enfermos sublimem suas dores e sofrimentos. Como família do Rogate, neste Ano Vocacional, queremos pedir, por intercessão de Maria a mãe de Jesus, que envie muitos e santos operários e operárias à messe. Amém.

6


TRÍDUO DE ABERTURA AO ANO VOCACIONAL – FDZ

1º DIA: QUEM TEM COMPAIXÃO: “ROGA” MANTRA:

Oh, luz do Senhor,/ que vem sobre a

terra,/ inunda meu ser,/ permanece em nós

AMBIENTE: (uma imagem de Nossa Senhora; o cartaz do Ano Vocacional “Província Nossa Senhora do Rogate”; gravuras de pessoas em oração e uma faixa com a frase: QUEM TEM COMPAIXÃO: “ ROGA”.) ACOLHIDA E MOTIVAÇÃO: ANIMADOR: Comemorando o centenário de fundação da Pia União de Oração pelas Vocações, solenemente fazemos a abertura do Ano Vocacional na Província Nossa Senhora do Rogate, e o lançamento da Associação da União de Oração pelas Vocações. Reunidos em nome da Santíssima Trindade, que nos chamou para servir como discípulos-operários na messe, queremos com toda a Igreja elevar um hino de louvor ao Autor da vida. Queremos, em especial, louvar pelo carisma do Rogate e suplicar ao Dono da messe que não cesse de enviar operários e operárias que vivam segundo o coração do Mestre Jesus. Iniciemos invocando a presença da Santíssima Trindade, cantando: ♫ Em nome do Pai, em nome do Filho em nome do Espírito Santo. Amém. - A graça do Pai, o amor de Deus Filho, o Espírito Santo com a gente. Amém - Amém, aleluia, amém, aleluia; AMÉM ALELUIA,ALELUIA, AMÉM, ♫ RECORDAÇÃO DA VIDA: (Convidar a comunidade a lembrar de fatos e pessoas significativas da caminhada da Igreja e da Congregação). ORAÇÃO INICIAL (para todos os dias) TODOS: Santíssima Trindade, somos teus discípulos-operários e te suplicamos: - que as crianças, adolescentes e jovens descubram a alegria de servir; - que os vocacionados se enamorem de Jesus ao segui-lo. - que os teus ministros e consagrados sejam sinais de esperança para a Igreja.

- que todos os batizados possam viver sua missão na solidariedade e ardor de irmãos e irmãs semfronteiras. - que os idosos gozem de tua sabedoria. - que os enfermos sublimem suas dores e sofrimentos. Como família do Rogate, neste Ano Vocacional, queremos pedir, por intercessão de Maria a mãe de Jesus, que envie muitos e santos operários e operárias à messe. Amém. DIRIGENTE: Senhor da messe e pastor do rebanho, movido pela Vossa imensa compaixão, olhaste para a messe abandonada e, com um olhar cheio de ternura e amor, disseste: “A colheita é grande, mas os trabalhadores são poucos! Pedi ao dono da colheita que mande trabalhadores para colheita!” (Lc 10,2). TODOS: ♫ Envia, envia, Senhor,/ operários para a messe./ Escuta, escuta esta prece,/ multidões te esperam, Senhor! ♫ DIRIGENTE: A vocação é um dom, um presente de Deus ao ser humano. Deus quer precisar de cada um de nós para difundir o Evangelho. Essa tarefa é condicionada ao número de trabalhadores e a santidade dos chamados que não cessam de rogar. TODOS: ♫ Envia, envia, Senhor,/ operários para a messe./ Escuta, escuta esta prece,/ multidões te esperam Senhor! ♫ DIRIGENTE: Quem tem compaixão, percebe as necessidades dos irmãos e irmãs, tem sensibilidade e se coloca a serviço. Ouçamos a palavra de Deus, onde Jesus nos dá o exemplo: TEXTO BÍBLICO: (Mt 9,35-38) A: Proclamemos a leitura do Evangelho de Mateus, que inspirou Santo Aníbal a divulgar o carisma do Rogate. L1: Jesus percorria todas as cidades e povoados, ensinando nas sinagogas, pregando a boa notícia do Reino, e curando todo tipo de doença e enfermidade.

7


L2: Vendo as multidões, Jesus teve compaixão, porque estavam cansadas e abatidas, como ovelhas que não têm pastor.

para entender alguém que decide entregar-se totalmente ao serviço do Reino e não tenha intimidade com o Senhor.

A: Então, Jesus disse aos seus discípulos: T: A messe é grande, mas os operários são poucos. Por isso, peçam ao dono da messe que envie operários à sua messe.

L1: “Jesus se retirava para lugares desertos e se entregava à oração”.(Lc 5,16). Peçamos ao Senhor que nos ensine a rezar no mais profundo do nosso coração:

DIRIGENTE: Os enviados do Senhor devem ser instrumentos de paz e promotores de vida. Ouçamos o testemunho de uma religiosa que vai nos mostrar a importância de se rezar pelas vocações:

T: Ensina teu povo a rezar, Maria, mãe de Jesus, que um dia teu povo desperta e na certa vai ver a luz.

L1: Minha família era muito católica e devota de Nossa Senhora. Todas as noites, rezávamos o rosário e a cada mistério colocávamos uma intenção. Era uma prática diária rezar pelas vocações, em especial pelos sacerdotes e consagrados. E eu, criança, dizia a meus pais: rezar pelos padres e irmãs, não! Eles não precisam, estão muito perto de Deus, e já são santos. Depois de muita resistência, eu disse: rezemos pelos pobres, pelos que sofrem, pelos presos. Então, meu pai disse: L1: Filha, não queres que rezemos nesta intenção? Mas quem vai cuidar dessas pessoas? Quem vai ajudá-las a serem melhores, e estarem mais perto de Deus? Não são os consagrados, os sacerdotes, os missionários, que se dedicam totalmente a esta causa? L2: Desde aquele momento, nunca mais os contestei e entendi que era uma oração muito importante. Hoje, na Congregação das Filhas do Divino Zelo, sou uma irmã que não só reza pelas vocações, mas tenta ser uma boa operária divulgando a todos o mandamento de Jesus: “Rogai ao Senhor da messe que mande operários para sua messe”. REFLEXÃO E PARTILHA - Você, como cristão atuante motiva as pessoas a rezarem pelas vocações? - Santo Aníbal nos diz que o remédio para a escassez de vocações está no Rogate, isto é, no pedido de Jesus: “Rogai ao Senhor da messe que envie operários à sua messe.” Na sua oração pessoal, você reza pelas vocações?

L2: “Jesus não ia sozinho. “Levava consigo seus discípulos” (Lc9, 18.28). Que aprendamos com Jesus a rezar em comunidade. T: Ensina teu povo a rezar, Maria, mãe de Jesus, que um dia teu povo se anima e caminha com teu Jesus. A: Jesus fazia de Sua oração momentos de profunda intimidade com o Pai. Peçamos a Jesus que nos ensine a entrar na intimidade do Pai. T: //Contigo, Deus de Amor, eu quero caminhar / e assim, por onde eu for, irás me acompanhar.// L3: Jesus condenou duramente a oração autosuficiente e hipócrita do fariseu. Num dia de sábado, em plena oração na sinagoga, ficou furioso ao assistir um culto tão desligado das dores de um povo. Que nossa oração seja libertadora, atenta às realidades do nosso cotidiano. T: //Contigo, Deus de Amor, eu quero caminhar/ e assim, por onde eu for, irás me acompanhar.// L4: Jesus rezava muito. Isso foi despertando pouco a pouco, o interesse dos discípulos, até que um dia, vendo-o rezar sozinho, mais de uma vez, um discípulo pediu: L5: “Senhor, ensina-nos a rezar”. Então, Jesus revelou em poucas palavras o conteúdo de sua oração e ensinando o Pai-Nosso, chamou a Deus de Pai. T: //Pai nosso, que estás no céu, Pai nosso que estás aqui! //

ORAÇÃO DE SÚPLICA: A: Toda temática do Ano Vocacional nos leva a concluir que o discípulo é um operário e que todo operário é um discípulo e apaixonado pelo Mestre; pois não dá

L6: Jesus nos ensina que a fidelidade ao projeto do Pai exige coragem para fazer o Reino acontecer para todos e todas. Nos ensina a rezar de uma maneira sempre nova, íntima e muito filial. T: //Pai nosso, que estás no céu, Pai nosso que estás aqui! //

8


L7.: Esta belíssima oração foi perdendo seu caráter profético. Quanta gente reza “o pão nosso de cada dia, nos dai hoje”, mas deixa o alimento estragar e o pobre morrer de fome. L1: Rezamos: “Venha a nós o vosso Reino”, mas na maioria das vezes, queremos que as coisas sejam do nosso jeito. Assim como Jesus ensinou seus discípulos, rezemos o Pai Nosso: T: Pai nosso que estás no céu... L2: A oração ajuda a nos mantermos fiéis na caminhada. Realmente, pela experiência de tantos cristãos missionários, não há seguimento de Jesus sem oração, tanto pessoal, como comunitária. T: É seguindo Jesus que aprendemos o sentido, a importância e a beleza da oração. L3: Sem oração nossa luta vai esfriando, vamos cochilando, perdendo de vista o rumo a seguir.

o Evangelho do Reino a todas as nações. (Mt 28,19). Lado 1.: Por isso, todo discípulo é missionário, pois, Jesus nos faz partícipe de sua missão, ao mesmo tempo, nos vincula a Ele como amigos, como irmãos. T: O Senhor me chamou a trabalhar, a messe é grande a ceifar; a ceifar o Senhor me chamou, Senhor, aqui estou!  Lado 2.: Dessa mesma maneira, testemunhas de Jesus, como Ele foi do Pai.

somos

A.: Cumprir a missão não é tarefa opcional, mas parte integrante da identidade cristã, extensão testemunhal da própria vocação. Ouçamos atentamente: TEXTO BÍBLICO ( Lc 4, 16-21)

L4: A oração não é um privilégio de alguns, mas uma necessidade para todo seguidor, toda seguidora de Jesus. L5: Peçamos a Maria que nos ajude a rezar e nos aproximar cada vez mais de Jesus. T: Ave Maria... ORAÇÃO FINAL: Senhor, Pai Santo, nós vos damos graças por terdes suscitado na Igreja tantos animadores e animadoras vocacionais, que se dedicam ao trabalho de vosso Reino, na vossa Messe, sendo verdadeiros modelos de santidade e inspiradores de um novo dinamismo apostólico para evangelização do mundo. Tornai-os sempre disponíveis e audazes na obediência ao mandamento evangélico do vosso Filho, Jesus: “Rogai ao dono da messe”... para que os operários sejam numerosos e santos. Amém. CANTO FINAL: A TI MEU DEUS... 2º DIA: QUEM TEM COMPAIXÃO: “ANUNCIA” AMBIENTE: (imagem de N. Senhora; cartaz do Ano Vocacional “Província Nossa Senhora do Rogate”; gravuras de pessoas em missão e uma faixa com a frase: QUEM TEM COMPAIXÃO: “ANUNCIA”.) ORAÇÃO INICIAL (rezar a oração inicial do 1º dia) A: Ao chamar os seus discípulos; Jesus lhes dá uma missão muito precisa: anunciar

ACLAMAÇÃO: Pela Palavra de Deus saberemos por onde andar/ ela é luz e verdade/ precisamos acreditar.  REFLEXÃO E PARTILHA ANIMADOR: Quando o Espírito do Senhor repousa sobre nós, nos enche de coragem e entusiasmo e nos impulsiona para a missão: - Quando o Espírito do Senhor repousa sobre nós? - O que me impulsiona a anunciar a mensagem de Jesus? - O que é preciso para tocar os corações e libertá-los? ORAÇÃO DE SÚPLICA: Lado 1.: Quando cresce no cristão a consciência de pertencer a Cristo, em razão da gratuidade e alegria que produz, cresce também o ímpeto de anunciar a todos o dom desse encontro com Ele. Lado 2.: Nossa missão não se limita a um programa ou projeto, mas é um compartilhar a experiência do acontecimento no encontro com Cristo, testemunhá-lo e anunciá-lo de pessoa para pessoa, de comunidade a comunidade e da Igreja a todos os confins do mundo. (cf At 1,8) T.: E pelo mundo eu vou, cantando o teu amor,/ pois disponível estou para servir-te, Senhor!  Lado 1.: Quando o discípulo está apaixonado por Cristo, não deixa de anunciar ao mundo a Boa Nova a todos; anuncia o amor, a esperança, o futuro.

9


T.: E pelo mundo eu vou, cantando o teu amor,/ pois disponível estou para servir-te, Senhor! 

medo, pelos caminhos da justiça e da solidariedade, a serviço da vida e da esperança, na busca do Reino definitivo. Amém.

A.: Essa é a tarefa essencial da evangelização: a opção preferencial pelos pobres, a promoção humana integral e a autêntica libertação cristã.

ORAÇÃO FINAL (rezar a oração final do 1º dia) CANTO FINAL: LANCEM AS REDES

T.:  Javé, o Deus dos pobres, do povo sofredor,/ aqui nos reuniu pra cantar o seu louvor/ pra nos dar esperança e contar com Sua mão/ na construção do Reino, Reino novo, povo irmão.  Lado 1.: Jesus saiu ao encontro de pessoas em situações bem diversas: homens, mulheres, pobres, ricos, judeus e estrangeiros, justos e pecadores... convidando-os a segui-lo. T.: Vem, eu te chamo./ Vai, eu te envio, // rumo ao mundo novo leva o meu povo.//

3º DIA: QUEM TESTEMUNHA

TEM

COMPAIXÃO:

AMBIENTE: (cartaz do Ano Vocacional “Província Nossa Senhora do Rogate”; cartaz da união de oração pelas vocações; sandálias, alianças, talhas crucifixo; gravuras de pessoas felizes e uma faixa com a frase: QUEM TEM COMPAIXÃO: “TESTEMUNHA”.

Lado 2.: Hoje, Jesus continua nos convidando a encontrar Nele o amor do Pai. Por isso mesmo, o discípulo missionário há de ser uma pessoa humana que torna visível o amor do Pai, especialmente para com os pobres e pecadores. Dir: Supliquemos ao Pai que nos ajude a sermos autênticos discípulos e operários. A messe é abundante. Respondamos a este mandamento de Jesus: T.: Trindade amada, Pai, Filho e Espírito Santo, vós chamais os homens e as mulheres para serem santos e santas, no amor. L1: Fazei brotar em nossas comunidades aquela variedade de vocações, de serviços e de ministérios, segundo a riqueza da graça recebida no batismo. L2: Que a Igreja, povo de Deus, assembléia dos chamados, seja fiel à sua vocação. T.: Envia, Senhor, operários e operárias, segundo o teu coração! L3: Animai vocacionadas.

os

jovens

vocacionados

e

L4: Às irmãs e irmãos de vida consagrada, dai coerência e transparência, para serem, nesta terra, sinal do amor da Trindade. L5: Olhai para os nossos diáconos; sejam eles imagens vivas do Cristo Servo. Que os nossos padres e bispos, segundo o exemplo de Cristo, bom pastor, cuidem, com carinho e amor, de todas as pessoas a eles confiadas. T: Fazei, enfim, que todos os batizados, sob o olhar carinhoso de Maria, a vocacionada do Pai, com renovado ardor missionário, avancem sem

A: Neste terceiro dia, voltemos nossa atenção para os diferentes modos de como se pode participar da vida da Igreja, de sermos testemunhas do Senhor da messe. Em outras palavras: os diferentes caminhos pelos quais se pode chegar à santidade, servindo e amando os irmãos e irmãs. T: Javé, o Deus dos pobres, do povo sofredor,/ aqui nos reuniu pra cantar o seu louvor,/ pra nos dar esperança e contar com Sua mão/ na construção do Reino, Reino novo, povo irmão.  A: A Igreja é um povo convocado pela Trindade. Também foi Deus que nos chamou a participar deste encontro. Estamos aqui reunidos em seu nome. Por isso, expressemos esta verdade com o sinal da cruz. T: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém. ORAÇÃO INICIAL (rezar a oração inicial do 1º dia) L1: Jesus saiu ao encontro de pessoas em situações muito diferentes: homens e mulheres, pobres e ricos, judeus e estrangeiros, justos e pecadores e convidando-os a segui-lo. T://Contigo, Deus de amor, eu quero caminhar / e assim, por onde eu for, irás me acompanhar.// L1.: Hoje, Jesus continua convidando todos a encontrar Nele o amor de Deus Pai. Por isso

10


mesmo, o discípulo missionário há de ser uma pessoa bem humana que torna visível o amor misericordioso do Pai em especial aos mais pobres e pecadores. T://Contigo, Deus de amor eu quero caminhar / e assim por onde eu for, irás me acompanhar.// A: Senhor da messe, tu nos chamas desde a eternidade, a participar de teu infinito amor. Lado1: Suscita no coração de nossos jovens, o ardente desejo à vida consagrada e ao sacerdócio. Lado2: Desperta os que estão adormecidos, ilumina os que estão indecisos. Lado1: Sustenta os que já optaram. T: Torna nossas comunidades fontes vivas de vocações e dá força à tua Igreja para que as acolha, oriente e as oferte no altar da consagração. Amém. A: No Evangelho de João, o episódio de Caná é uma espécie de resumo daquilo que vai acontecer através de toda atividade de Jesus: com sua palavra e ação, Jesus transforma as relações dos homens com Deus e dos homens entre si. TEXTO BIBLICO ( Jo 2,1-11) ALELUIA, ALELUIA, ALELUIA, ALELUIA! Alguém do povo exclama:/ como é grande, ó Senhor,/ quem te gerou e alimentou!/ Jesus responde: ó mulher, pra mim é feliz/ quem soube ouvir a voz de Deus e tudo guardou. L1: “Naquele tempo, ouve uma festa de casamento em Caná da Galiléia, e a mãe de Jesus estava lá. Também Jesus e seus discípulos foram convidados para o casamento. Faltando vinho, a Mãe de Jesus lhe disse: T: Eles não têm vinho! L2: Jesus lhe respondeu: “Que é isso para ti e para mim, mulher? Minha hora ainda não chegou”. L3: Sua mãe disse aos que estavam servindo: T: Fazei tudo o que Ele vos disser! L4: Estavam ali seis talhas de pedra, de quase cem litros cada, destinadas às purificações rituais dos judeus. Jesus disse aos que estavam servindo: T: Enchei as talhas de água! L1: E eles a encheram até à borda. Então disse: “Agora, tirai e levai ao encarregado da festa”. L2: E eles levaram. O encarregado da festa provou da água mudada em vinho, sem saber de

onde viesse, embora os serventes que tiraram a água o soubessem. L3: Então chamou o noivo e disse-lhe: “todo mundo serve primeiro o vinho bom e, quando os convidados já beberam bastante, servem o menos bom. Tu guardaste o vinho bom até agora.” L4: Este início dos sinais, Jesus o realizou em Caná da Galiléia. Manifestou sua glória e os seus discípulos creram nele.” T.: Como Maria, somos chamados a ROGAR ANUNCIAR - TESTEMUNHAR, através de uma vida de oração e ação. T:  Enviai, Senhor...  A: Hoje, véspera da solenidade de Nossa Senhora, Imaculada Conceição, imploremos com as mesmas palavras de Santo Aníbal: T: “Maria, apressa-te em suscitar no meio do povo os bons operários e operárias de que a Igreja necessita. Apressa-te a visitar nossos lares, nossas comunidades, e desperta nos jovens o gosto por uma vida de total entrega, especialmente à messe mais sofrida e abandonada. Pede a teu Filho, Jesus, para que saibamos escutá-lo e testemunhá-lo”. Amém. CANTO: ENVIAI, SENHOR... - Enviai, Senhor, muitos operários/ para a vossa Messe; pois a Messe é grande Senhor, e os operários são poucos. - conservai Senhor/ na perseverança vossos os sacerdotes, religiosos e leigos, Senhor, pra construir vosso Reino. ORAÇÃO FINAL (rezar a oração final do 1º dia) CANTO:

ROGAI POR NÓS, Ó MÃE TÃO PIA

Rogai por nós, ó mãe tão pia/ Einos aqui pra te louvar/ Piedosa virgem, ó Maria/ Pra lhe pedir e suplicar/ Ó infeliz que não te conhece/ Padece em vão, sem consolo e demais/ Mas teu amor por nós não desfalece/ Não nos deixará jamais Não nos deixará jamais, jamais, jamais... Celebração feita por Ir. Izabel

11


ROSÁRIOS VOCACIONAIS MISIONÁRIOS

“mistérios luminosos”, que dão especial relevo à vida pública de Jesus. Hoje, portanto, contemplando os quatro mistérios, rezando para cada mistério 50 avemarias, somando os quatro mistérios teremos 200 ave-marias; que seria ¼; portanto não se pode dizer vamos rezar um terço, porque não são mais 150 ave-marias. O correto seria dizer: vamos rezar o Rosário (contemplando o mistério: gozoso, glorioso, doloroso ou da luz). ROSÁRIO MISSIONÁRIO

Nossa Senhora do Rogate SIGNIFICADO DO ROSÁRIO: Rosário vem de rosa. Cada ave-maria bem rezada é uma rosa, uma flor que vai formando o buquê que entregamos à nossa Mãe. HISTÓRIA DO ROSÁRIO No século XII, nos mosteiros católicos, em diferentes horas do dia, costumava-se rezar os 150 salmos bíblicos. Alguns monges, por serem analfabetos, substituíam os salmos por 150 avemarias, dividindo-as em três grupos de cinqüenta e contando as ave-marias em nós feitos nos cordões. O Papa Pio V, em 1569, definiu o rosário com a estrutura que tivemos até nossos dias, isto é, 15 mistérios, dezenas de ave-marias e pai-nosso... Leão XIII, no século XIX, promoveu a devoção do rosário e dedicou o mês de outubro a Nossa Senhora do Rosário. João Paulo II no dia 16 de outubro de 2002 quando completava o 24.º aniversário de pontificado, deu à Igreja um grande presente: a Carta Apostólica sobre o Rosário da Virgem Maria, propondo que de outubro de 2002 a outubro de 2003 se celebrasse o Ano do Rosário. Em sua estrutura tradicional, contemplava três séries de mistérios: mistérios da alegria (gozosos), da glória (gloriosos) e da dor (dolorosos). Quando rezávamos uma série desses mistérios, dizíamos que tínhamos rezado “um terço”. Em outubro de 2002, completou a reflexão dos mistérios, acrescentando os

Animador: Rezaremos o rosário contemplando o mistério da luz, rezando pelos cinco continentes, pelos missionários que lá trabalham e pelos povos que mais precisam da ajuda de Maria. As cinco cores do rosário missionário simbolizam os cinco continentes. Rezar o rosário missionário é dar à oração um sentido universal, pois rezamos por todas as pessoas, sem distinção. Todos: Senhor Jesus, reunidos em teu nome, oferecemos este rosário missionário pela intercessão da tua e nossa querida mãe, abençoa e protege a todos que trabalham nas missões. Pedimos também que inspires a nossa Igreja para que se torne cada vez mais missionária. Leitor 1: Neste primeiro mistério luminoso contemplamos o batismo de Jesus (Mt 3,13-17). (ÁFRICA - cor verde) Rezemos esta dezena pela África, terra das verdes florestas. É a terra mãe dos negros, inclusive dos antepassados, maioria de nós brasileiros. O povo da África está sofrendo terrivelmente pela miséria, fome, doenças e guerras entre as tribos. PAI-NOSSO 10 AVE-MARIAS... GLÓRIA AO PAI... TODOS: Envia, envia, Senhor/ operários para a messe./ Escuta, escuta esta prece,/ multidões te esperam, Senhor. 

12


Leitor 2: Neste 2º mistério luminoso contemplamos a auto-revelação de Jesus nas bodas de Caná (Jo 2, 1-11). (AMÉRICA - cor vermelha) rezemos pelas Américas. É a terra-mãe dos índios, terra vermelha de sangue de muitos genocídios e de muita opressão. Peçamos a Maria luzes para que sejam encontradas formas mais apropriadas para anunciar o Evangelho às diferentes raças deste continente e para que haja mais justiça social. PAI-NOSSO 10 AVE-MARIAS... GLÓRIA AO PAI... TODOS: Envia, envia, Senhor,/ operários para a messe./ Escuta, escuta esta prece,/ multidões te esperam, Senhor.  Leitor 3: Neste terceiro mistério luminoso, Jesus anuncia o Reino de Deus com o convite à conversão (Mc 1, 14-15). (EUROPA - cor branca) Rezemos pela Europa. Deste continente vieram muitos dos nossos antepassados. Rezemos pelo papa e para que os católicos desse continente assumam com novo ardor evangelização destes povos. PAI-NOSSO 10 AVE-MARIAS... GLÓRIA AO PAI... TODOS: ♫ Envia, envia, Senhor♫ Leitor 4: Neste quarto mistério luminoso contemplamos a transfiguração de Jesus (Lc 9, 28-36). (OCEANIA - cor azul) Rezemos pela Oceania, o continente formado por milhares de ilhas. Rezemos para que no mundo haja respeito, fraternidade e diálogo entre os cristãos e nãocristãos. PAI-NOSSO 10 AVE-MARIAS... GLÓRIA AO PAI... TODOS: ♫ Envia, envia, Senhor... ♫ Leitor 5: Neste quinto mistério luminoso, contemplamos a instituição da Eucaristia (Mt 26, 26-28). (ÁSIA - cor amarela) Rezemos pela Ásia, berço de grandes culturas e religiões. Neste continente encontra-se mais da metade da população do

planeta, mas pouquíssimos são católicos. O nosso pensamento e a nossa oração vão também a todas as pessoas que consagraram sua vida para o anúncio da boa nova nos cinco continentes. PAI-NOSSO 10 AVE-MARIAS... GLÓRIA AO PAI... TODOS: ♫ Envia, envia, Senhor♫ SALVE RAINHA... ROSÁRIO VOCACIONAL - I AMBIENTE: Imagem de Nossa Senhora rodeada de ilustrações de pessoas de diversas raças, em situações difíceis, com a frase: “Maria: a Primeira Missionária”; mapamúndi, faixa com o nome de cada continente com suas respectivas cores. Animador: Sejam todos bem-vindos a esta celebração! Neste mês de outubro, mês do rosário e mês dedicado às missões, por intercessão de Nossa Senhora Aparecida, nossa querida mãe e padroeira, vamos pedir que os missionários e missionárias que estão a serviço da evangelização e missão esparramados nos cinco continentes, sintam a sua companhia e proteção maternal onde atuam. Que este mesmo espírito de doação marque também a nossa vida e a de nossas comunidades. Animador: Enquanto as pessoas entram em procissão com os símbolos; iniciemos nossa celebração cantando: CANTO: NÓS QUEREMOS OPERÁRIOS! 1. Nossos corações em festa, / Se revestem de louvor, / Pois, aqui se manifesta a vontade do Senhor,/ Que nos quer um povo unido/ A serviço da missão, animado e destemido,/ Por amor e vocação! Cristo, Mestre e Senhor/ Pois, eterno é seu amor/ Nesta fonte de água viva/ Somos hoje seus convivas. 2. Nós queremos operários,/ Mensageiros do Senhor, / Que nos façam solidários,/A serviço do amor!/Construtores da justiça,/ empenhados na missão/ Contra toda injustiça/ Por amor e vocação!

13


3. Nossa Igreja necessita / De mais fibra e mais vigor/ E de gente que acredita/ no chamado do Senhor./ Que dê pão a quem tem fome / E justiça a quem tem pão e bendiga o seu nome/ Por amor e vocação! Leitor 1: É impressionante como as pessoas, dirigindo-se a Maria com fé, confiança e muito carinho, chamam-na com os mais diversos nomes: Nossa Senhora Aparecida, de Fátima, de Guadalupe, Nossa Senhora do Rogate, do Perpétuo Socorro, da Penha, da Luz, da Guia, da Conceição; a Mãe da Igreja, dos aflitos, dos doentes, dos pobres, dos perseguidos, Peregrina, Companheira em nossa missão. TESTEMUNHOS Animador: Sempre houve cristãos particularmente devotos de Maria e que cultivaram sua espiritualidade através da reza do rosário. Os testemunhos, que agora ouviremos, nos falam da importância do rosário em nossa vida. Leitor 1: Santo Aníbal Maria Di Francia ao falar da devoção a Nossa Senhora dizia: “o nosso coração é formado por dois corações: o de Maria e o de seu Filho. Quer ser feliz? Ame a Maria, invoque-a, confie porque Deus Pai concederá por meio dela graça sobre graça. Quem não tem devoção a Maria, não terá o que esperar”. Leitor 2: O Papa Pio XII afirmou: “O santo rosário é o compêndio de todo o Evangelho. Quem conhece o rosário, conhece o Evangelho, conhece a vida de Jesus e de Maria, conhece o próprio caminho que conduz ao destino eterno”. Leitor 3: Em sua simplicidade, Santa Teresinha assegura que a reza do rosário “é como o fermento que faz crescer a massa e que pode transformar os corações”. Todos: Ensina teu povo a rezar; Maria, mãe de Jesus, que um dia teu povo desperta e na certa vai ver a luz.  Leitor 4: Lúcia, a vidente de Fátima, chega a dizer: “Se neste mundo atormentado todos recitassem diariamente o rosário, Nossa Senhora faria maravilhas na vida de cada um”.

clamor. De teu coração sempre aberto, nos manda Jesus redentor. 3. Contigo a esperança da paz floriu, nos passos do povo que vês caminhar neste chão. Maria, tu és a alegria dos pobres sem voz e sem vez, plantaste confiança na gente, mostrando o teu modo de ser. ROSÁRIO VOCACIONAL - II

N

este Rosário

Vocacional, queremos meditar os diferentes momentos do itinerário vocacional. Confiamos a Maria todas as pessoas, a fim de que sintam a beleza de uma vida entregue ao Senhor, aos irmãos e às irmãs, e sejam abertas a dizer um SIM generoso ao mestre que chama. Primeiro Mistério: A Busca: Então Jesus voltou-se para eles e, vendo que o seguiam, perguntoulhes: 'A quem procurais? “Responderam-lhe: “Rabi – que quer dizer Mestre – onde moras”? Ele disse: “Vinde e vede”. Eles foram, viram onde morava e ficaram com ele aquele dia. Eram quase quatro horas da tarde' (Jo1,38-39). Segundo Mistério: O Chamado: E Jesus lhes disse: “Vinde comigo, e eu farei de vós pescadores de gente.” “Deixando imediatamente as redes, eles o seguiram.” (Mc 1,17-18) Terceiro Mistério: O Seguimento: “Então Jesus disse aos discípulos: se alguém quiser vir após mim, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e me siga. Pois quem quiser salvar a sua vida, vai perdê-la; mas quem perder a sua vida por amor de mim, há de encontrá-la.” (Mt16,24-25)

Leitor 5: E João Paulo II um dia exclamou: “Quem dera renascesse o belo costume da reza do rosário em família”.

Quarto Mistério: A Missão: “Ide, eu vos envio como cordeiros para o meio de lobos. [...] Quando entrardes numa cidade e vos receberem, comei do que vos for servido, curai os enfermos que nela houver e dizei-lhes: ‘O Reino de Deus está próximo de vós.’ (Cfr. Lc 10, 3-9)

Canto: A AURORA PRECEDE 1. A aurora precede o nascer do sol, que vem trazer luz e calor pra semente brotar. Maria, tu és a aurora, Jesus é o sol e o calor e o meu coração é a semente que vai germinar, neste amor.

Quinto Mistério: A Fidelidade Radical: “[...] As raposas têm tocas e os pássaros do céu, ninhos, mas o Filho do homem não tem onde repousar a cabeça”. [...] “Deixa que os mortos enterrem os seus mortos. [...] “Quem põe a mão no arado e olha para trás não é digno de mim” cfr.Lc57-62

2. Não deixes o teu povo esperar em vão um mundo sem ódio e rancor onde reina o perdão. Maria do amém, do aleluia, escuta do povo o

ROSÁRIO VOCACIONAL - III

14


Primeiro Mistério: Vocação Cristã: Viver a vocação humana à luz da fé e da mensagem de Cristo. Consiste sobretudo em dar continuidade à missão do Senhor, assumindo o batismo nos seus traços de chamamento à santidade e em ser membro ativo da comunidade, dando testemunho do Reino. Meditação do 1º Mistério Canto: Senhor, se tu me chamas Segundo Mistério: Vocação Laical: Cristão que vive sua vocação batismal, integrando evangelização e libertação, anúncio profético do Reino e transformação da sociedade. Cabe ao leigo construir o Reino de Cristo no mundo, transformando as estruturas injustas, pela presença dos valores evangélicos no âmbito da família, da escola, da política etc, e sentir-se coresponsável no serviço da comunidade eclesial. Meditação do 2º Mistério - Canto: Quero ouvir teu apelo, Senhor Terceiro Mistério: Vocação Sacerdotal: O sacerdote é o cristão assinalado pelo sacramento da Ordem, que o põe a serviço do povo de Deus. Cabe a ele, como ministro, servo, pastor e mediador, articular e dinamizar comunidades vivas de fé, de evangelização, de testemunho e de espírito missionário, em comunhão com os fiéis e seus pastores. Meditação do 3º Mistério Canto: Vem, eu te chamo. Quarto Mistério: Vocação Religiosa: O religioso é o cristão consagrado a Deus pelos votos. Vive em comunidade. Compromete-se a seguir radicalmente o Senhor e se põe a serviço da Igreja e do mundo com total gratuidade, de acordo com o carisma da congregação. Cabe a ele testemunhar profética e comunitariamente o Deus vivo e o Reino de Cristo como valores absolutos e definitivos. Meditação do 4º Mistério - Canto: Te amarei, Senhor. Quinto Mistério: Vocação Missionária: é o cristão que, como leigo, sacerdote ou religioso, consagra sua vida à obra do Evangelho dispondo-se a transmitir aos outros a luz e a alegria da fé. Cabe ao missionário fazer chegar o Evangelho a todos os homens e a todos os povos pelo testemunho e a palavra, num contexto de respeito e amor pelas culturas locais. Meditação do 5º Mistério - Canto Final: Imaculada CANTO: ENVIAI, SENHOR... - Enviai, Senhor, muitos operários/ para a vossa Messe; pois a Messe é grande Senhor, e os operários são poucos. - conservai Senhor/ na perseverança vossos os sacerdotes, religiosos e leigos, Senhor, pra construir vosso Reino.

Dinâmicas: Acender uma Vela a cada mistério ou a cada Ave-Maria - Faixas com nomes das vocações ROSÁRIO VOCACIONAL - IV DIRIGENTE: Iniciemos esse momento vocacional, invocando a presença da Santíssima Trindade cantando: ♫ Em nome do Pai, em nome do Filho em nome do Espírito Santo. Amém. - A graça do Pai, o amor de Deus Filho, o Espírito Santo com a gente. Amém - Amém, aleluia, amém, aleluia; AMÉM ALELUIA,ALELUIA, AMÉM, ♫ DIRIGENTE: Oferecemos este rosário vocacional para pedir ao Senhor da messe, numerosas e santas vocações. TODOS: Queremos fazer de vossas palavras o nosso pedido, o nosso apelo: ”a messe é verdadeiramente grande e os operários são poucos” (Lc 10,2); por intercessão de tua e nossa mãe concede-nos este grande pedido: TODOS: ♫ Envia, envia, Senhor,/operários para a messe./ Escuta, escuta esta prece,/ multidões te esperam Senhor. ♫ ROSÁRIO VOCACIONAL - V MISTÉRIOS GOZOSOS DIRIGENTE: Neste rosário vocacional vamos seguir este EXEMPLO e a nossa criatividade. 1º MISTÉRIO: (segundas-feiras e sábados) Primeiro Mistério Vocacional: A anunciação do arcanjo Gabriel à Nossa Senhora: “Entrando onde Maria estava, o arcanjo anunciou 'Ave, cheia de graça, bendita és tu entre as mulheres'” (Lc 1,28). DIRIGENTE: O Senhor da messe nos convida a implorar ao Pai por mais operários(as) à sua messe. Digamos juntos: Pai-nosso... VOCAÇÃO MATRIMONIAL 1. Que a família de Nazaré seja espelho para todas as famílias. Ave-Maria... 2 . Que o pai carregue nos ombros a graça da missão paterna. Ave-Maria...

15


3. Que a mãe seja toda ternura e aconchego. Ave-Maria... 4. A família é a Igreja doméstica. Ave-Maria... 5. pela palavra e exemplo os pais favorecem a vocação de seus filhos. Ave-Maria... 6. A família é guardiã dos valores de um povo. Ave-Maria... 7. A família é fonte e celeiro de vocações. Ave-Maria... 8. A família é patrimônio da humanidade. Ave-Maria... 9. A família é o berço das vocações. Ave-Maria... 10. os pais são os primeiros mestres na fé. Ave-Maria... DIRIGENTE: Glória ao Pai... TODOS: Como era no principio agora e sempre. Amém. ♫ Envia, envia, Senhor/ operários para a messe./ Escuta, escuta esta prece,/ multidões te esperam, Senhor. ♫ Segundo Mistério Vocacional: A visita de Nossa Senhora a Santa Isabel: “Logo que Isabel ouviu a saudação de Maria, o menino saltou em seu ventre, e Isabel ficou cheia do Espírito Santo e exclamou em alta voz: 'Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre'” (Lc 1,41-42). VOCAÇÃO SACERDOTAL Terceiro Mistério Vocacional: O nascimento de Jesus em Belém: “Maria deu à luz seu filho primogênito, envolveu-o em faixas e o reclinou em uma manjedoura, porque não havia lugar para eles na hospedaria” (Lc 2, 7). VOCAÇÃO À VIDA CONSAGRADA Quarto Mistério Vocacional: A apresentação do menino Jesus no templo: “José e Maria levaram o menino a Jerusalém para o apresentarem ao Senhor, em obediência ao que está prescrito na lei do Senhor: 'Todo primogênito masculino será consagrado ao Senhor” (Lc 2, 22-28). VOCAÇÃO LEIGA CONSAGRADA Quinto Mistério Vocacional: O reencontro de Jesus no templo entre os doutores da Lei: “Depois de três dias o encontraram no templo, assentado no meio dos doutores, ouvindo-os e interrogando-os. Todos os que o ouviam estavam maravilhados com sua sabedoria e com suas respostas” (Lc 2, 46)

ROSÁRIO VOCACIONAL - VI DIRIGENTE: Neste rosário vocacional vamos seguir este EXEMPLO e a nossa criatividade. A cada dezena as ave-marias podem ser rezadas da seguinte maneira: AVE, MARIA, CHEIA DE GRAÇA! O SENHOR É CONVOSCO. BENDITA SOIS VÓS ENTRE OS JOVENS QUE ESTÃO DISCERNINDO SUA VOCAÇÃO E BENDITO É O FRUTO DO TEU VENTRE, JESUS. SANTA MARIA, MÃE DE DEUS, ROGAI POR NÓS PECADORES, AGORA E NA HORA DE NOSSA MORTE. AMÉM. 1 – Ave, Maria, cheia de graça! O Senhor é convosco. Bendita sois vós entre os jovens que estão discernindo sua vocação e bendito é o fruto do teu ventre, Jesus. Santa Maria, mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém. – Ave, Maria, cheia de graça! O Senhor é convosco. Bendita sois vós entre (colocar a intenção que segue a baixo) e bendito é o fruto do teu ventre, Jesus. 2. os jovens que optaram por uma vida de total entrega. 3. as famílias que acolheram como dom de Deus a possível vocação sacerdotal ou vida consagrada de seus filhos. 4. os voluntários/as em missão sem fronteiras. 5. os educadores que fazem de sua profissão uma missão. 6. os governantes das nações 7. os agentes da pastoral da sobriedade. 8. os agentes da Pastoral da criança. 9. os jovens que estão discernindo sua vocação. 10. os jovens que se consagram ao sacerdócio e vida consagrada este ano. DIRIGENTE: Glória ao Pai... TODOS: Como era no priníipio agora e sempre. Amém. TODOS: ♫ Envia, envia, Senhor,/ operários para a messe./ Escuta, escuta esta prece,/ multidões te esperam, Senhor. ♫

VOCAÇÃO MISSIONARIA

16


RETIRO VOCACIONAL TEMA: AO CHAMADO DE DEUS, DIGO SIM (Mt 4,18- 22) 1. PREPARANDO O AMBIENTE Panos com a cor do Tempo Litúrgico ao centro, em uma mesa ou no chão; faixa com o tema; 03 velas (simbolizando a Santíssima Trindade); jarro ou bacia com água (vida e batismo); estola (vocação presbiterial); sandálias (vocação da vida consagrada); alianças, ou símbolo delas (vocação matrimonial); Bíblia (ministérios leigos); espigas de trigo; plantas ou flores. (8:30) 2. ACOLHIDA AOS PARTICIPANTES a) Querida irmã, querido irmão de caminhada, chegamos aqui para fazermos uma experiência de Deus, segundo o seu misericordioso amor que se deixa encontrar (cfr.Is 55,6). Ouvimos do Evangelho de Mt 4,18-22, o chamado e o envio, hoje dirigido também a você. À luz deste Evangelho procuramos fazer-renovar nosso pedido de graça para este tempo - kairós! É o próprio companheiro de viagem que nos diz: “Vem e segue-me”, “Eu envio você”. A experiência Pascal lhe dará a graça de reconhecer na caminhada o amor Trinitário de Deus; o Pai escolhe, o Filho chama e o Espírito envia. Esta graça terá o poder de aquecer o seu coração, abrir os seus olhos. Ela o/a fará retomar o caminho da comunidade, da família, do estudo, do trabalho, da vocação para que na força da Palavra, aconteça o Reino de Deus por intermédio de você, discípulo/a – missionário/a de Jesus Cristo. OU b) As manifestações de Deus são tantas que corremos o risco de nos acostumar com elas. O retiro é um tempo de graça, tempo favorável para que possamos “saborear” e vivenciar o amor-misericordioso-compassivo de Deus. Peça ao Espírito de Jesus que o introduza cada vez mais ao interior do “Deserto”: “Eu vou seduzi-lo; leva-lo para o deserto e falar-lhe ao coração” (Os 2,16). O nome de Deus é sempre aliado com a vida do povo, com a vida de mulheres e homens que se deixaram seduzir por Ele. O nome de Deus está aliado a você, na gratuidade e em favor do povo. Hoje, Javé nos convida a descer do monte

Horeb e peregrinar com Ezequiel até um grande campo. É um deserto sem oásis. Somente Javé pode nos levar a este lugar. “Deixe-se conduzir” (Ez 37,1-14). (8:40) 3. DINÂMICA – APRESENTAÇÃO “Disponível como a argila”- Anexo 01  Narrar a história e, de acordo com a narração, cada um vai pegar e modelar sua argila;  Convidar cada um para colocar seu “vaso” ao centro, falando seu nome e dizendo uma de suas motivações para este retiro. (9:10) 4. MOTIVAÇÃO Mantra (“Desde a manhã, preparo uma oferenda...” ; “Onde reina o amor...”) “Ó luz do Senhor, que vem sobre a terra...”; Todos: Oração à Santíssima Trindade Trindade Santíssima, Pai, Filho e Espírito Santo, presente e atuante na Igreja e na profundidade do meu ser, eu te adoro, te agradeço, te amo! Pai celeste, a ti me ofereço, entrego e consagro como filho/filha. Jesus mestre, a ti me ofereço, entrego e consagro como irmão/irmã e discípulo/discípula. Espírito Santo, a ti me ofereço, entrego e consagro como “templo vivo” para ser santificado/santificada. Maria, mãe da Igreja, e minha mãe, tu que estás em íntima união com a Santíssima Trindade, ensina-me a viver em comunhão com as três pessoas divinas, a fim de que toda a minha vida seja um canto de glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Amém. OU SALMO 138 (podendo ao final, cada um repetir o que mais lhe tocou, do salmo, fazendo relação com sua vida) Passos para Interiorização:  Escolha uma posição que mais lhe ajude a rezar;

17


    

Faça um breve exercício de relaxamento para aquietar-se e concentrar-se; Respire lenta e naturalmente; Repita uma palavra ou frase inspiradora, um refrão, ou contemple uma paisagem, um símbolo, uma imagem... Situe-se no seu santuário interior; Invoque o Espírito Santo para iluminar, ungir e conduzir a sua experiência de oração; procure ouvir a voz terna, segura e única do Bom Pastor e deixe-se cuidar, proteger e guiar por Ele.

permita que ela passe por você “sem deixar um sinal”; Leia o texto várias vezes (Mt 4,18-22); Repita as palavras e expressões que mais lhe tocaram; Converse com o Espírito Santo que levou você para o meio desta realidade (a pesca, o barco, as redes, o encontro com o Mestre); Ouça com o seu coração esta palavra e apelo de Deus: (“Sigam-me, e eu farei de vocês pescadores de homens”); Contemple o amor e a confiança de Deus Pai que escolhe, Deus Filho que chama, Deus Espírito Santo que envia você para a nova pesca; Contemple e reze esta realidade em você, na sua família, comunidade, congregação, na Igreja e no mundo;

  

 

(9:30) 5. REFLEXÃO  Apresentação do tema;  Na estrada de Jesus, sigo o seu itinerário: do deserto às multidões e das multidões ao deserto. Em meio a tantos relacionamentos, Ele faz perguntas que me levam aprofundar a qualidade do meu discipulado: “A Quem buscas?” ... “Quem sou eu para você?” “Você também queres ir embora?” ... “Você quer ficar curado?” ... “Onde vamos comprar pão para eles comerem?” ... “Faz tanto tempo que eu estou no meio de vocês, e você não me conhece?” ... “Mulher, por que choras?” ... “Você me ama?”  O retiro é um tempo propício para rezar estas questões, pois respondê-las é entrar no mistério da vida de Jesus e no meu próprio mistério.  Deus é a fonte da vocação: o Pai chama para a missão; o Filho, servidor do Pai, exprime esse chamado, nos envia; e o Espírito Santo faz ecoar a palavra em vista do bem de todos.  Em Jesus Cristo, o Filho de Deus feito carne, encontra-se o fascínio para penetrar no mistério trinitário e responder à vocação.  A vocação é amar. A pessoa humana é um ser no amor e para o amor. O fundamental da vocação é o ser pessoa humana e cristã, forjada por uma autêntica espiritualidade evangélica.  Todo cristão é um vocacionado, chamado a dar testemunho do Evangelho.

a) > Vá acompanhando todos os movimentos do texto, desde o encontro, o chamado e o envio para a missão. Como o discípulo ouve a voz do mestre? E você? > Converse com o Pai e exponha para Ele a necessidade que você tem de atender ao chamado que Ele lhe faz. Oferte em suas mãos o que ainda é obstáculo. > Quais as vocações na Sagrada Escritura que lhe chamam a atenção? Que relação elas têm com sua vida? Que apelos elas lhe fazem? > Ouça o que a Trindade Santa tem a dizer para você. Quais os apelos que lhe faz? b) Diante destes e outros questionamentos, trace uma Linha do Tempo onde estejam presentes os fatos mais marcantes de sua história, e busque olhá-los à luz do amor misericordioso de Deus, reconhecendo e registrando todos os momentos em que Ele se manifesta em sua história (Teografia). (11:15 ou 13:30- se for até a tarde) 7. PARTILHA (com Dinâmica do Cego)  

(9:45) INTERVALO / CAFEZINHO 6. DESERTO – MOMENTO PESSOAL bíblicos e questionamentos)

(textos

Ez 37,1-14 ; Salmo 138 ; Mt 4,18-22 ; 5,13-16  Escolha a Palavra (texto bíblico) e peça o Espírito do Pai e do Filho que não

 

Motivar para formarem duplas; no primeiro momento, um será o CEGO e o outro o GUIA (ambos em total silêncio); Depois de um tempo, quem era CEGO troca, tornando-se GUIA; (Quem orienta o retiro, usando apenas gesto, poderá solicitar que sejam trocadas as pessoas- GUIAS, dos pares, sendo que, quem está sendo o CEGO não saberá da troca) Ao sinal de quem está orientando o retiro, todos se reúnem; Cada um expressa o que sentiu durante a dinâmica;

18


 Fazer relação com o tema refletido, contemplado durante o retiro;  Quem desejar, também poderá apresentar sua Teografia;  Encerrar com refrão de ação de graças ou vocacional (Ex: “Eis-me aqui, Senhor”; “A tua ternura, Senhor, vem me abraçar”; “O Deus que me criou, me quis, me consagrou para anunciar o seu amor”; “Lá na praia eu larguei o meu barco; junto a ti, buscarei outro mar” ;“Envia, Senhor, operários à messe, foi tua oração, tua prece”...) (12:00 ou 14:00 - se for até a tarde)

Fez ainda outras operações, que eu não compreendia, nem podia compreender: L1: “Pode, por acaso, um vaso dizer ao oleiro: eu entendo disso mais que você?” (Is 29,16) A: Eu nada perguntei. Oferecia simplesmente o meu ser em disponibilidade de amor. Deixava-me trabalhar. Deixava que Ele me fizesse. Porque eu sabia que era obra Sua e que Ele me transformava com amor. De fato, fui tomando forma. Uma forma à sua maneira, à sua imagem! Para que eu haveria de servir no futuro? Eu não o sabia. L2: “Como a argila nas mãos de um oleiro, assim estava eu em suas mãos.” (Jr 18,1-6) A: E fui me tornando obra de Deus. L1: “E Ele, aplicava seu coração em aperfeiçoarme, pondo cuidado vigilante em tornar-me belo e perfeito.” (Eclo 38,31)

8. MOMENTO ORANTE COMUNITÁRIO Canto (ação de graças ou vocacional) Salmo do Seguimento - Anexo 02 (proclamado em 02 grupos ou outra maneira criativa) Preces espontâneas/ Pai Nosso / Oração Vocacional (se achar oportuno) Texto “Vai e Anuncia”- Anexo 03 Canto Final/ Abraço da Paz ANEXO I DISPONÍVEL COMO A ARGILA  Fundo Musical  Leitura Bíblica (Jo 1,1-5) A: Eu, naquele entardecer da criação, senti os passos no jardim. Era Ele, o senhor da criação. Aconteceu que nesse entardecer Ele parou, inclinou-se com um olhar carregado de amor. E, de repente, juntou-me do chão. A mim, pobre e pequeno punhado de terra; e ficou a me olhar pensativo... Remexeume, longamente... com todo carinho! E então, começou a me amassar. Primeiro, retirou de mim uma porção de impurezas que o atrapalhavam: pedrinhas, pedacinhos de pau, ciscos. E eu fui ficando terra pura, do seu gosto.

A: Depois veio uma etapa difícil. Porque foi um forno aquecido que ao barro veio dar forma e consistência. É o calor e o valor de minha vida que leva a bom termo a obra de suas mãos, o Senhor e Criador. A cada vaso muito querido, Ele dá contornos de eternidade. Então, comecei a olhar em torno de mim. E descobri outros vasos que suas mãos talentosas e cheias de amor haviam amassado e modelado artisticamente. Somos vasos de barro. Somos preciosos, porém frágeis. Somos vasos belos, mas às vezes também rachados, trincados quando temos medo, não olhamos e deixamos de cultivar a planta de Deus que está em nós; quando desanimamos; quando só pedimos e não agradecemos; quando reclamamos; quando não repartimos nossos dons com os irmãos. Mas, em seu amor e misericórdia, Deus nos ama e nos chama. Ele envia seu Filho Salvador. Ele nos perdoa e nos reconstrói. Ele junta nossos caquinhos, pedacinho por pedacinho e nos acolhe para fazer de nós um vaso novo. Porque todos somos preciosos a seus olhos.

L2: “Ó oleiro divino, Criador e Pai, permite que se cumpra em mim a obra que começaste. Seja meu projeto o teu projeto sobre mim!” NAR.- Somos o barro nas mãos do oleiro. Ele faz de nós obras especiais em sua criação. Vamos nos sentir nas mãos do oleiro, que dá forma e sentido à vida de cada um de nós. Cada um, ao receber um pedaço de argila, procure imaginar a obra que Deus fez em sua vida e também procure lembrar se alguma vez deixou o seu vaso trincar. Vamos passar isso para o barro, fazendo algo que mostre aquilo que refletiu.

19


ANEXO II SALMO DO SEGUIMENTO 1.Senhor, abriste caminho a nossa frente. 2. Anunciaste a verdade vivendo a transparência. 3. Comunicaste vida, comunicando a vida de Deus. 1. Fizeste de tua vida uma bandeira desfraldada aos quatro ventos. Fizeste do teu jeito de viver, sinal de contradição. Chegaste ao coração das pessoas como espada. Convidaste-nos a partilhar tua vida, seguindo-te!

Todos - És o Caminho. Todos - És a Verdade. Todos - És a Vida.

2. Tu nos chamas a seguir-te. Tu nos chamas a seguir-te. Tu nos chamas a seguir-te. Tu nos chamas a seguir-te.

Todos - Arrancas as pessoas do calor de suas casas. Todos - E pedes vender tudo “a troco de nada”. Todos - E exiges perder a vida, perdê-la toda. Todos - Carregando tua cruz de revolucionário do amor entre a humanidade; teu chamado é radical.

3. Tu me chamas pelo nome. Tu me chamas pelo nome. Tu me chamas pelo nome.

Todos - E queres apossar-te de mim, para sempre! Todos - E me incendeias com o fogo do teu amparo. Todos - E me envias a ser comunhão, porque me amaste por primeiro. Todos - E queres que faça de minha vida uma festa, a festa das bem aventuranças. Todos - E me colocas cara a cara com o Pai. Todos - E queres que te siga só na liberdade.

Tu me chamas pelo nome. Tu me chamas pelo nome. Tu me chamas pelo nome 4.Eis-me aqui, Senhor. Eis-me aqui, Senhor. seguidor(a). Eis-me aqui, Senhor. Eis-me aqui, Senhor.

Todos - Quero seguir-te com meu coração fragmentado. Todos - Quero mudar sendo teu/tua discípulo(a), teu/tua

5.Quero ser luz. Quero ser palavra. Quero ser água fresca. Quero ser pão partido. Quero ser taça. Quero ser uva. Quero ser manancial. Quero ser raiz.

Todos - Na noite de cada pessoa. Todos - Que acorde a pessoa dormindo. Todos - Que renove as forças do ser humano fatigado e oprimido. Todos - E doado em abundância. Todos - Que transborde no íntimo do meu ser. Todos - Pisada no lagar. Todos - Para doar-me sem medida. Todos - Que sustenta a força dos pequenos.

6.Que teu Espírito, Senhor Que teu Espírito, Senhor Que teu Espírito, Senhor Que teu Espírito, Senhor

Todos - Inunde meu ser. Todos - Marque-me, unja-me, faça-me todo teu/ toda tua. Todos - Seja força na fraqueza. Todos - Leve-me aos homens e mulheres oprimidos.

7.Com teu Espírito, Senhor Com teu Espírito, Senhor Com teu Espírito, Senhor Com teu Espírito, Senhor Com teu Espírito, Senhor

Todos - Hei de ajudar as pessoas a libertarem-se de suas amarras. Todos - Hei de ajudar a arrancar as mordaças dos lábios. Todos - Hei de ajudar a tirar as vendas dos olhos. Todos - Hei de ajudar a quebrar as cadeias dos pés. Todos - Hei de ser livre para anunciar a todos um ano de graça.

Todos - Imprime um ritmo novo em minha vida. Todos - Porque é uma graça ser chamado(a) por ti!

8.Senhor, quero ser e fazer caminho em teu caminho! Senhor, quero ser e fazer a verdade em tua verdade! Senhor, quero ser e fazer vida em tua vida! Senhor, quero ser operário/a na tua messe necessitada! Senhor, eis-me aqui respondendo ao teu chamado! Todos - FAZ-ME UM INSTRUMENTO A SERVIÇO DO TEU EVANGELHO!

20


ANEXO III VAI E ANUNCIA ESTOU CONTIGO Por isso, vai e anuncia. Deus não abandona seu povo E caminha com ele nos passos da história. ESTOU CONTIGO Por isso, não temas anunciar-me Na gratuidade dos teus gestos, Por mais simples que sejam. Eles testemunham a vida que dás Ao envio que recebeste. VAI, ESTOU CONTIGO. Onde estiveres, lá estarei Para que tenhas forças de ser anúncio Da aliança que fiz com o meu povo. ESTOU CONTIGO Anuncia-me como o Deus fiel Na fidelidade do teu serviço, Na coerência do que és, E daquilo que fazes. VAI E ANUNCIA Dize com a tua vida que estou contigo E não me ausentarei jamais Da vida de meus irmãos. VAI, ESTOU CONTIGO A minha bondade deve tornar-se transparente em tua vida. Anuncia-me na alegria E na simplicidade do teu modo de ser. Conta com minha graça presente e atuante Na vivência da tarefa que assumes. ESTOU CONTIGO Vai, não tenhas medo de abandonar-te em minhas mãos. A minha vontade é mais universal Do que o restrito mundo dos teus projetos. ESTOU CONTIGO POR ISSO, VAI E ANUNCIA. SÊ PROFETA, PELA VIDA. Atualiza, diariamente o teu SIM Na alegria de poder estar a serviço. Retiro organizado por Ir. Eliane

21


CELEBRAÇÃO VOCACIONAL Rezemos pelas vocações para um mundo de paz 1. ACOLHIDA Dirigente - Sejam todos (as) bem-vindos (as), em nome do nosso Deus que traz vida nova para a humanidade: Pai, Filho e Espírito Santo.

Lado B - O homem e a mulher são filhos de Deus, irmãos dos outros e administradores da criação; e o mundo deve ser a casa da grande família de Deus, onde todos se sintam bem.

Todos - Amém! Comentarista - Nesta Celebração Vocacional somos convidados a recordar, refletir e celebrar a vocação de todas as pessoas que se colocam a serviço da vida e da esperança. Chamado este, percebido, ouvido e assumido por mulheres e homens de ontem e hoje. Nos unimos especialmente à juventude, interpelada pelo Senhor que chama, e desafiada pela sociedade, a fazer seu discernimento e a dizer o seu Sim. Lado A - Vivemos numa sociedade marcada pelo pecado e pela injustiça. É um sistema baseado em estruturas que já caducaram, mas que continuam vigorando. É o velho que não dá espaço à renovação, à novidade. Lado B - A abertura ao novo é uma característica da juventude. Os jovens falam do “novo”, sonham com uma “nova sociedade”, novo homem e nova mulher, nova Igreja. Todos - O “novo” sonhado pelos jovens é o sonho de todos e o sonho de Deus. 3. RECORDAÇÃO DA VIDA  Quem desejar, poderá trazer para esta celebração, pessoas ou situações com as quais podemos estar unidos. 4. Canto a escolha Comentarista - Diante dos desafios dos novos tempos, cabe-nos a tarefa de sermos discípulosmissionários do Reino de Deus, capazes de tirar do nosso “tesouro” coisas novas e velhas. Deixar penetrar em nós e anunciar, a boa nova do Reino, numa Evangelização comprometida e transformadora. Lado A - Mas qual é o “novo” a ser anunciado e construído? Jesus revelou como devem ser a mulher e o homem e como o Pai quer o mundo.

Lado A - Portanto, o projeto do Pai é a comunhão com Ele, a fraternidade entre todos e a participação igualitária nos bens da criação. Esse sonho de Deus torna-se nossa missão. Todos - A mulher nova e o homem novo têm os traços de Jesus. Lado B - Mulher e homem livres de si mesmos e dos esquemas e ilusões impostos pelos sistemas e ideologias, para serem sujeitos da história. Lado A - Mulher e homem solidários, abertos e disponíveis para os outros, que fazem suas as lutas de todos e que estão dispostos a morrer como testemunhas da justiça do Reino. Lado B - Mulher e homem comunitários, abertos à comunidade e à convivência, à participação e à partilha, ao compromisso e à generosidade. Lado A - Mulher e homem proféticos, capazes de compreender a realidade onde vivem, denunciar com lucidez crítica os mecanismos de opressão e anunciar, com sua palavra e vida, o ideal de uma sociedade de irmãos e de iguais. Lado B - Mulher e homem joviais, capazes de receber e dar carinho, de assumir com serenidade as tensões e conflitos pessoais e sociais, mantendo a alegria, a gratuidade. Mulher e homem capazes de unir em si, a coragem e firmeza do militante com a ternura da criança. Lado A - Mulher e homem contemplativos, que sabem recolher-se para rezar, capazes de descobrir a presença de Deus na vida e na história, de celebrar com seus irmãos os mistérios do Reino. De dar as razões de sua esperança e de revisar continuamente sua vida e sua prática à luz do Evangelho. Lado B - Mulher e homem de esperança, que buscam, em primeiro lugar, o Reino de Deus e sua

22


justiça, porque sabem que Deus fará mesmo “um novo céu e uma nova terra”. Que não desanimam com os fracassos nem descansam com os sucessos. Lado A - Que são capazes de traduzir a esperança do Reino em esperanças históricas concretas e de ver nas pequenas vitórias rumo a uma sociedade sem exploração, os sinais do Reino definitivo. Lado B - Mulher e homem de ação, engajados em seu ambiente e em sua comunidade concreta, buscando descobrir e atender às necessidades de transformação, junto com seus companheiros. Que são capazes de refletir sobre essa ação, unindo teoria e prática. Lado A - Enquanto promovemos a mulher e o homem novos, queremos construir uma sociedade nova. Lado B - Para nós, essa sociedade se funda nos valores da comunhão e da participação, da verdade e da justiça, da liberdade e da igualdade, do amor e da paz.

Leitor 2: Foi pela fé que Abraão, respondendo ao chamado, obedeceu e partiu para uma terra que devia receber como herança e partiu sem saber para onde ia. (Gn 12,1-4). E Abraão partiu como o Senhor lhe havia dito. Todos (cantando) - “Creio Senhor, mas aumentai minha fé”. Leitor 1: Foi pela fé que Moisés aproximou-se da sarça ardente para saber o que o Senhor queria dele. O Senhor lhe disse que viu a opressão e ouviu o grito do seu povo no Egito; e o enviava: “Vai, pois. Eu te envio.” (Ex 3,7-10). E Moisés pôs-se a caminho Todos (cantando) - “Creio Senhor mas aumentai minha fé”. Leitor 2: Foi pela fé que muitos profetas ouviram o chamado do Senhor, como Isaías que ouviu Ele dizer “A quem enviarei? Quem irá por nós?” E ele respondeu “Aqui estou; envia-me.” E o Senhor disse “Vai!” (Is 6,8-9). E Isaías foi.

Todos - Essa sociedade é possível porque é promessa de Deus.

Todos (cantando) - “Creio Senhor, mas aumentai minha fé”.

Leitor 1: Foi pela fé que Maria, chamada por Deus para a grande missão de ser a mãe do Salvador, respondeu prontamente, dizendo: “Eis aqui a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a vossa palavra.” (Lc 1,13-38). E Maria disse: “faça-se”.

6. SALMODIA - Salmos do dia da semana

7. ESCUTA DA PALAVRA 

Leitura Bíblica: Mt. 4,18-22 - Breve Pausa para Oração Pessoal

8. REFLETINDO A PALAVRA Todos (cantando) - Há um barco esquecido na praia,/ Já não leva ninguém a pescar./ É o barco de André e de Pedro,/ Que partiram pra não mais voltar... Comentarista - Deus nunca chama alguém só por chamar, mas sempre o faz em vista de uma missão, de uma tarefa que quer confiar. Todo jovem, como todo cristão, através do batismo, é chamado por Deus a uma missão; mas seguir não é fácil, exige que o vocacionado tenha perseverança e fé, como foi com nossos antepassados. Leitor 1: Foi pela fé que Noé, avisado divinamente daquilo que não se via, levou a sério a palavra e construiu uma arca para salvar a sua família e tornar possível a nova humanidade. (Gn 6,13-22; 7,1-5). E Noé fez tudo como o Senhor tinha dito. Todos (cantando) - “Creio Senhor, mas aumentai minha fé”.

Todos (cantando) - “Creio, Senhor, mas aumentai minha fé”. Leitor 2: Foi pela fé que os apóstolos e os discípulos ouviram o chamado do Senhor que os enviou por todo o mundo, como o Pai o havia enviado. (Jo 20,21; Lc 10,1). E eles foram. Todos (cantando) - “Creio, Senhor, mas aumentai minha fé”. Comentarista - Como acabamos de recordar, a nossa fé não pode ser desligada da vida. Ela deve nos impulsionar a um compromisso maior. Dirigente - Em silêncio vamos meditar (Ler com voz pausada):  Qual tem sido nossa resposta diante do chamado de Deus que nos questiona dizendo: Quem enviarei? Quem irá por nós? (Is 6, 8b)  Deus não fica indiferente ao ouvir os clamores de tantos oprimidos que bradam aos céus. Mas Ele conta conosco na realização desta missão libertadora. Estou assumindo meu compromisso? De que forma?

23


 Jesus, vendo a necessidade do povo, chama discípulos-missionários e os envia dois a dois como mensageiros da paz. O que estamos fazendo para combater a miséria, a violência, e a injustiça, que impedem a edificação da paz? Você é chamado. Qual a sua resposta? 9. CÂNTICO EVANGÉLICO (Benedictus ou Magnificat) 10. PRECES Comentarista - A Igreja sofre ainda hoje da mesma necessidade que Jesus sentiu quando de seus lábios brotou o grito angustiante: “A colheita é grande, mas poucos os operários”. Obedientes a seu divino mandamento, aqui estamos agora para pedir ao Senhor que inspire pessoas no meio do povo, que lute por uma sociedade de paz, mais humana e cristã e sejam verdadeiros “operários para a sua colheita”: Portanto, vamos juntos rezar e cantar: 

Para que possamos assumir nossa missão de evangelizadores, discípulos-missionários a qual recebemos em nosso batismo; cantemos:

Todos (cantando) Vem Senhor, vem nos salvar, com teu povo, vem caminhar. (ou Envia, Senhor, operários à messe. Foi tua oração, tua prece. Envia, Senhor, operários sensíveis à dor, repletos de amor) 

Por todos aqueles que se sentem chamados à vocação de missionários/as, de leigos/as consagrados, engajados na Igreja de Cristo, cantemos:

Para que os sacerdotes tenham muita fé, saúde e coragem para trabalhar e testemunhar o Cristo em suas paróquias e comunidades; cantemos:

Para que todas as pessoas batizadas em Cristo possam testemunhar sua vocação cristã; cantemos:

Pelo papa e pelos bispos, que sejam fielmente representantes de Cristo, no meio de suas ovelhas como bom pastor; cantemos:

Para que as religiosas e os religiosos assumam cada vez mais o seu papel de servidores consagrados e profetas na Igreja de Jesus; cantemos:

Para que a Igreja de Cristo, tenha muitas e santas vocações sacerdotais, religiosas, missionárias e ministros leigos; cantemos:

PAI NOSSO Dirigente - Os sinais de morte que dominam nossa sociedade devem ser superados com a partilha, solidariedade e esperança cristã, sinais do Reino de Deus aqui e agora. É o novo a ser construído. Rezemos, confiantes no Pai que é nosso, a oração que Jesus nos ensinou: 

PAI NOSSO DAS VOCAÇÕES

Dirigente - Pai nosso, que estais no céu, Todos - Dai-nos santos agentes de pastorais, Dirigente - Para que seja santificado vosso nome. Todos - Dai-nos santos diáconos, Dirigente - Para que venha a nós o vosso Reino. Todos - Dai-nos santos leigos, Dirigente - Para que seja feita a vossa vontade assim na terra como no céu. Todos - Dai-nos santas missionárias e missionários, Dirigente - Para que tenhamos o pão nosso de cada dia. Todos - Dai-nos santos sacerdotes, Dirigente - Para que sejam perdoadas as nossas ofensas. Todos - Dai-nos santos bispos, Dirigente - Para que não nos deixeis cair em tentação. Todos - Dai-nos santas religiosas e religiosos, Dirigente - Para que sejamos livres de todos os males. Todos - Dai-nos santos catequistas. ORAÇÃO DO DIA - CANTO FINAL Celebração organizada por Ir. Eliane

24


CULTO VOCACIONAL 01 . ACOLHIDA “Quem tem compaixão: Roga-Anuncia-Testemunha”. (A equipe providencia 4 pessoas vestidas com túnicas e quatro velas grandes.) Comentarista: (Acolhe carinhosamente as pessoas e convida todos a repetirem): “Quem tem compaixão: Roga-Testemunha –Anuncia” D: “A vocação de cada um de nós está mergulhada no mistério da Trindade: Pai, Filho e Espírito Santo, que formam a comunidade perfeita”. Se Deus é comunidade de amor Ele quer que nossa vocação também seja comunitária. Nesta celebração vamos refletir sobre a dimensão trinitária da nossa vocação, ouvindo atentamente os apelos que o Senhor hoje nos faz. CANTO: A: Invoquemos a presença da Trindade que nos escolhe, nos chama e nos envia, cantando e traçando sobre nós o sinal da cruz.

Em nome do Pai, em nome do Filho em nome do Espírito Santo. Amém. - A graça do Pai, o amor de Deus Filho, o Espírito Santo com a gente. Amém - Amém, aleluia, amém, aleluia; AMÉM ALELUIA,ALELUIA, AMÉM,

02. ATO PENITENCIAL Comentarista: O mundo globalizado, muitas vezes nos faz perceber e valorizar mais o visível, o palpável, o imediato, e nos faz cegos, surdos e com o coração fechado ao mistério do amor de Deus em nossa vida. Assim influenciados, fugimos ao apelo de Deus e tomamos um caminho mais cômodo, descomprometido com a justiça, a dignidade e a paz. Deus nos ama e por isso nos escolhe, ou nos escolhe porque nos ama. Porque nem sempre somos fiéis a este amor de Deus, pedimos perdão: (As quatro pessoas com velas anunciam bem alto, um a um):

1. Senhor, Deus de amor e bondade, que nos escolhestes antes mesmo de nascermos, perdoai nossas infidelidades e tende piedade de nós. T.: Senhor, tende piedade! 2. Cristo, que nos chamais a promover a vida plena, perdoai nossas fraquezas e tende piedade de nós. T.: Cristo, tende piedade! 3. Senhor, que pela ação do Espírito de Deus nos enviais a levar a boa nova a todos, perdoai nosso comodismo e indiferença e tende piedade de nós. T.: Senhor, tende piedade! Deus todo poderoso, tenha compaixão de nós... 03 GLÓRIA Comentarista: A certeza de que Deus caminha conosco em todos os momentos da vida nos anima e nos dá segurança. Por isso, nosso coração e nossa vida devem estar numa contínua atitude de louvor a Deus. Louvar a Deus pelo calor da chama da nossa vocação que ilumina, aponta caminhos e nos garante que o novo milênio vai ser melhor se todos assumirem a sua vocação. Louvemos a Deus cantando... Canto... 04 ACOLHIDA DA PALAVRA Comentarista: Nossa vocação cristã tem origem em nosso batismo. Jesus Cristo quis ser batizado para nos mostrar a importância deste momento para a vida cristã. Ele veio para cumprir toda a justiça e pede o mesmo de nós. Aclamemos a Palavra de Deus cantando... Canto de aclamação:

25


Leitura: Mt 3, 13 17 05 FATO DA VIDA O rapaz era destes "ratos de computador", que não saía de frente da tela nem mesmo para as refeições. Também, pudera, seu pai viajava e somente estava em casa aos domingos e sua mãe saía pela manhã e voltava tarde da noite, gastando o tempo na administração de uma conceituada empresa da cidade. Então, para não deixarem o filho sozinho em casa, resolveram comprar um computador com tudo o que existe de mais moderno, inclusive internet. Era o único filho da família. Esta máquina de fabricar sonhos mudou a vida do rapaz. Chegava à aula "em cima da hora" e, mal batia o último sinal, corria para casa, quando não saía antes de acabar a aula. Sentia se feliz e importante viajando pelo mundo sem sair de casa, conhecendo coisas que nem mesmo os professores sabiam. Até aí, tudo bem! Mas abandonou os amigos e passou a viver isolado. Aliás, não bem sozinho! Acreditava estar acompanhado: ele e seu computador. Não saía mais para festas, jogos e já não sabia mais o caminho da igreja, que, após o crisma, abandonou. Os pais pareciam felizes porque assim estariam espantados os perigos das más companhias, das drogas, da violência urbana, e outros pequenos e grandes males da vida. O computador era sua festa, seu jogo, seu amigo, seu amor, seu Deus... Poucos estavam percebendo que ele estava ficando indiferente ao real e apaixonado pelo virtual. Bem perto das nuvens, bem longe da terra! Comentarista: O que significa esta história para nossa vida? Existe indiferença em nossa comunidade? O que podemos fazer para que as pessoas tenham mais amor pela comunidade? Como andam os compromissos e serviços comunitários? Estamos assumindo os compromissos do nosso batismo? 06 PRECES DA COMUNIDADE Dirigente: Ninguém pode viver sozinho. Deus se revela a nós comunitariamente. Espontaneamente façamos nossas preces, cantando após cada uma: R. Envia, envia Senhor, operários para a messe. Escuta, escuta esta prece, multidões te esperam, Senhor.

agora na comunhão eucarística. Que esta comunhão fortaleça nossa vocação e nos faça seguidores dos passos do mestre. Canto... 08 AÇÃO DE GRAÇAS E GESTO CONCRETO Comentarista: (as 4 quatro pessoas vestidas com túnicas voltam a acender as quatro velas) Num instante de silêncio e reflexão, de olhos fechados, vamos pensar em nossa vocação. Em nosso dia-a-dia, como estamos assumindo nosso batismo, nosso empenho pela comunidade? (Pausa) Nossa vida como estas velas., vão se gastando, se doando para poder iluminar, mostrar o caminho. Durante este mês de agosto, vamos assumir o compromisso de irmos buscar algum irmão que foi batizado mas que não está participando da comunidade. Vamos apontar uma luz para sua vida, trazendo-o de volta à comunidade. (O comentarista pode provocar este compromisso falando com palavras próprias, sem ler o texto). 09 ORAÇÃO PELAS VOCAÇÕES (Com a mão estendida para as velas) Jesus, mestre divino, que chamastes os apóstolos a vos seguirem, continuai a passar pelos nossos caminhos, pelas nossas famílias, pelas nossas escolas e continuai a repetir o convite a muitos de nossos jovens. Daí coragem às pessoas convidadas. Dai força para que vos sejam fiéis como apóstolos leigos, como sacerdotes, como religiosos e religiosas, para o bem do povo de Deus e de toda a humanidade. Amém! 10 BÊNÇÃO FINAL "Senhor, tu puseste em nossas mãos a construção do teu Reino; tu nos confiaste o anúncio do teu Evangelho e nos aguardas sempre na pessoa dos pobres, dos sofredores, em todos os irmãos e irmãs. O teu chamado é um convite forte. Não permitas que pessoas, idéias ou acontecimentos impeçam nossas escolhas e decisões. Torna ainda maior nossa generosidade para que cada um de nós, no seu lugar, se doe com amor". Que o Senhor nos abençoe: Pai, Filho e Espírito Santo. Amém ( Organizado por Irmã Amélia)

07 COMUNHÃO Comentarista: Encontramos Jesus Cristo no rosto e na pessoa de todos aqueles com quem conversamos. Nem sempre conseguimos perceber. Mas o encontro íntimo e pessoal com Ele se dá

26


“Depois de terem reconhecido o Senhor; partiram sem demora”. (Lc 24,33)

“Ide pelo mundo inteiro e anunciai a boa notícia para todas as criaturas.” Mc 16,15

27


Animador: Estamos reunidos para celebrar o triunfo glorioso de nosso Senhor Jesus Cristo. E como comunidade fazemos o eco do grito da Páscoa: Aleluia! E até hoje se ecoa por todos os confins da Terra. O Espírito do Senhor Ressuscitado está conosco, suscitando alegria e esperança. Deixemo-nos levar por este caminho pascoal e vivamos como filhos/as da Luz. O caminho da Luz (Via Luz) é uma oração que passa as quinze estações do Cristo triunfante, desde a Ressurreição a Pentecostes, seguindo os relatos do Evangelho. Todos: Senhor Jesus ressuscitado, que para salvar e ensinar a amar sem reservas morreste numa cruz, ressuscitaste e te fizeste Eucaristia para estar conosco; faz com que meditando os teus passos, possamos crescer no amor e na entrega, respondendo com generosidade, convicção e alegria à proposta de Deus Pai que nos chama e nos envia em missão. 1ª ESTAÇÃO Jesus ressuscita da morte.

Todos: Porque por sua Páscoa destes vida ao mundo! L1: “Então o outro discípulo que tinha chegado primeiro ao túmulo, entrou também. Ele viu e acreditou”. (Jo 20,8) Todos: Senhor Jesus ressuscitado, que com amor carregaste a cruz, ajudai-nos também a carregar a nossa cruz e a ressuscitar contigo, cada dia a uma vida nova. Canto:  Por sua morte a morte viu o fim, do sangue derramado a vida renasceu. Seu pé ferido nova estrada abriu e, neste Homem, o homem enfim se descobriu.// Meu coração me diz: o amor me amou e se entregou por mim, Jesus ressuscitou! Passou a escuridão, o sol nasceu, a vida triunfou, Jesus ressuscitou//. Glória ao Pai... Envia, Senhor, operários e operárias à messe, segundo o Teu coração!

3ª ESTAÇÃO Jesus ressuscitado se manifesta a Maria Madalena.

Animador: Nós vos adoramos e bendizemos, Senhor ressuscitado! Todos: Porque por sua Páscoa destes vida ao mundo!

Animador: Nós vos adoramos e bendizemos, Senhor ressuscitado! Todos: Porque por sua Páscoa destes vida ao mundo!

L1: “Então o anjo disse às mulheres: não tenham medo, eu sei que vocês estão procurando Jesus que foi crucificado. Ele não está aqui, ressuscitou como havia dito! Venham ver o lugar onde ele estava.”

L1: “Então, Jesus disse: “Maria”! Ela virou e exclamou em hebraico: “Rabuni” (que quer dizer: mestre) (Jo 20,16)

Todos: Senhor Jesus ressuscitado, graças por ressuscitar-nos a uma vida nova, queremos seguir-Te, caminhar contigo sendo os bons operários e operárias na messe, anunciando a Tua palavra, testemunhando Teu grande amor, compaixão e ternura pela messe. Glória ao Pai... Canto: Ao celebrar nossa Páscoa/ e ao os trazer nossa oferta,/ Fazei de nós, ó Deus de amor/ imitadores do Redentor. A nossa Igreja que é mãe deseja,/ que a consciência do gesto de ofertar,/ se atualize durante toda a vida,/ como o Cristo se imola sobre o altar. Glória ao Pai... Envia, Senhor, operários e operárias à messe, segundo o Teu coração!

2ª ESTAÇÃO Os discípulos encontram o sepulcro vazio. Animador: Nós vos adoramos e bendizemos, Senhor ressuscitado!

Todos: Senhor Jesus ressuscitado, que possamos reconhecer-Te hoje em nossos irmãos e irmãs. Que todos os vocacionados e vocacionadas tenham ânimo, coragem e esperança na vida nova que brota do compromisso e da escuta ao Teu chamado. Canto: O amor de Deus cobriu rios e mares, no princípio. Foi assim que a Terra viu desabrochar o colorido festival de flores mil. Vós sois Amor e Vida, por isso a vida só vale no amor, no Amor! O amor de Deus desceu bem no fundo das pessoas. Foi assim que o mundo viu gente sorrir, e muita gente se encontrar num doce olhar.  Glória ao Pai... Envia, Senhor, operários e operárias à messe, segundo o Teu coração!

4ª ESTAÇÃO Jesus ressuscitado no caminho de Emaús. Animador: Nós vos adoramos e bendizemos, Senhor ressuscitado! Todos: Porque por sua Páscoa destes vida ao mundo!

28


L1: “Então, Jesus disse a eles: “Como vocês custam para entender, e como demoram para acreditar em tudo o que os profetas falaram. Será que o messias não devia sofrer tudo isso, para entrar na sua glória?” (Lc 24,25-26) L2: Os dois discípulos de Emaús, depois de terem reconhecido o Senhor, ‘partiram sem demora’ (Lc 24,33) para comunicar o que tinham visto e ouvido. Quando se fez uma experiência verdadeira do ressuscitado, nutrindo-se do seu corpo e do seu sangue, não se pode reter apenas para si a alegria experimentada. “O encontro com Cristo, aprofundado de modo contínuo na intimidade eucarística, suscita, na Igreja e em cada cristão, a urgência de testemunhar e de evangelizar..." Todos: Senhor Jesus ressuscitado, rompe nossos esquemas e acende em nós o amor à Tua Palavra. Canto: Antes da morte e ressurreição de Jesus,/ Ele, na ceia, quis se entregar: / deu-Se em comida e bebida pra nos salvar.  Glória ao Pai... Envia, Senhor, operários e operárias à messe, segundo o teu coração!

5ª ESTAÇÃO Jesus ressuscitado se manifesta ao partir o Pão. Animador: Nós vos adoramos e bendizemos, Senhor ressuscitado! Todos: Porque por sua Páscoa destes vida ao mundo! L1: “Depois que se sentou à mesa com eles, tomou o pão, pronunciou a benção, partiu e deu a eles. Neste momento seus olhos se abriram e eles o reconheceram. (Lc 24,30-31) Todos: Senhor, graças por ser alimento de nossa vida, porque podemos ser pão partido e partilhado ao irmão que anda não Te reconhece. Canto: . Andavam pensando tão tristes, / de Jerusalém a Emaús / os dois seguidores de Cristo, / logo após o episódio da cruz. / Enquanto assim vão conversando, / Jesus se achegou devagar: “De que vocês vão palestrando?”/ E ao Senhor não puderam enxergar. FICA CONOSCO, SENHOR,/ É TARDE E A NOITE JÁ VEM! / FICA CONOSCO, SENHOR, SOMOS TEUS SEGUIDORES TAMBÉM! / - Chegando, afinal, ao destino,/ Jesus fez que ia passar. / Mas eles demais insistiram:/ “Vem, Senhor, vem conosco ficar!” / Sentado com eles à mesa, deu graças e o pão repartiu;/ dos dois

foi tão grande a surpresa: “Jesus Cristo, o Senhor, ressurgiu!” L: Senhor Ressuscitado que tocaste de forma terna e muito acolhedora aos discípulos de Emaús; continua tocando o coração de tantos jovens para Te seguir; e dá a graça de serem homens e mulheres cheios de Tua nova vida. Amém. Glória ao Pai... Envia, Senhor, operários e operárias à messe, segundo o Teu coração!

6ª ESTAÇÃO Jesus ressuscitado apresenta-se a seus discípulos. Animador: Nós vos adoramos e bendizemos, Senhor ressuscitado! Todos: Porque por sua Páscoa destes vida ao mundo! L: Jesus começa perguntando. “O que andais conversando pelo caminho?“ Eles respondem tristes, nervosos, irritados: “Você não sabe o que aconteceu em Jerusalém, nestes dias?” – “Que foi?” – “A morte de Jesus, o Nazareno... E nós que esperávamos que fosse Ele o libertador de Israel!” – “Como sois lentos para crer o que os profetas falaram! Acaso não era necessário que o Cristo sofresse, para entrar na Glória?” Jesus perguntou por que estão preocupados e por que vocês têm dúvidas nos seus corações? Vejam minhas mãos e meus pés: sou eu mesmo! Toquem e vejam! (Lucas 24,38-39) Onde encontramos, hoje, a presença de Jesus? Na Palavra, nos sacramentos, na comunidade, no serviço aos mais necessitados (pobres, doentes, crianças, idosos...). Recado para desolados(as): não afastar-se da comunidade. Ficar lá buscando Jesus com simplicidade. No apostolado, no serviço fraterno, somos um sopro de esperança para os outros, especialmente o povo mais sofrido. Jesus consola os seus discípulos. Nós o que buscamos: “consolar” ou “ser consolados”? Canto:  E quando amanhecer / o dia eterno a plena visão, / ressurgiremos por crer / nesta vida escondida no pão. Para lembrarmos a morte, a cruz do Senhor, / nós repetimos como ele fez, / gestos, palavras, até que volte outra vez.  Todos: Senhor, concede-nos a alegria verdadeira, dá-nos olhos novos para encontrarTe nos irmãos e irmãs. Que eu veja, à luz da Páscoa, o que queres de mim. Que os outros possam encontrar-Te no nosso ser e no nosso agir. Glória ao Pai... Envia, Senhor, operários e operárias à messe, segundo o Teu coração!

29


7ª ESTAÇÃO Jesus ressuscitado dá o poder de perdoar os pecados.

restaurar coração. Fonte de vida no altar a brotar a nos alimentar. 

Animador: Nós vos adoramos e bendizemos, Senhor ressuscitado! Todos: Porque por sua Páscoa destes vida ao mundo!

Glória ao Pai... Envia, Senhor, operários e operárias à messe, segundo o Teu coração!

Leitor7: Jesus soprou sobre eles e falou: “recebei o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados; a quem os retiverdes, serão retidos.” (Jo 20,22-23) Canto:Vem dar-nos Teu Filho, Senhor, sustento no pão e no vinho, e a força do Espírito Santo. Unindo Teu povo a caminho! Viver o perdão sem medida, servir sem jamais condenar: missão do Teu povo escolhido, Senhor, vem conosco ficar!  Todos: Obrigado, Senhor, por este sopro divino, pelo perdão que nos renova, nos transforma e nos santifica. Ajuda-nos a prosseguir firmes em direção à vocação para qual fomos chamados. Glória ao Pai... Envia, Senhor, operários e operárias à messe, segundo o Teu coração!

8ª ESTAÇÃO Jesus ressuscitado confirma a fé de Tomé. Animador: Nós vos adoramos e bendizemos, Senhor ressuscitado! Todos: Porque por sua Páscoa destes vida ao mundo! Leitor8: Jesus disse a Tomé: “Põe o teu dedo aqui e olha as minhas mãos. Estende a tua mão e coloca-a no meu lado e não sejas incrédulo, mas crê. Tomé respondeu: meu Senhor e meu Deus!” (Jo 20,27-28) Todos: Sentimos arder nosso coração por Tua presença viva. Meu Senhor e nosso Deus, aumenta em nós a fé e ensina-nos a sermos os bons operários e operárias na messe. Canto:Vou cantar Teu amor, ser no mundo um farol. Eis me aqui, Senhor, vem abrir as janelas do meu coração. E então, falarei, imitando Tua voz. Creio em Ti, Senhor! Nas pegadas deixadas por Ti vou andar. Vou falar do Teu coração, com ternura nas mãos e na voz, proclamar que a vida é bem mais do aquilo que o mundo ensina e cantar... Cantar o canto ensinado por Deus com poesia ensinar nossa fé. Plantar o chão, cultivar o amor como poetas que querem sonhar. Para realizar o que o Mestre ensinou viemos cear,

9ª ESTAÇÃO Jesus ressuscitado encontra os seus no Lago de Tibiríades. Animador: Nós vos adoramos e bendizemos, Senhor ressuscitado! Todos: Porque por sua Páscoa destes vida ao mundo! Leitor1: “O discípulo que Jesus mais amava disse a Pedro: “É o Senhor!” Simão Pedro ouvindo dizer que era o Senhor, vestiu e arregaçou a túnica e lançou-se ao mar. Jesus disse: ‘trazei alguns peixes que apanhaste’. Então Simão Pedro subiu e arrastou a rede para a terra. Jesus aproximou-se, tomou o pão e deu a eles. E fez a mesma coisa com o peixe. Nenhum dos discípulos se atrevia a perguntar quem era ele, pois sabiam que era o Senhor.” (Jo 21,7.10.13) Todos: Senhor, que possamos ver-te no dia-adia de nosso viver. Dá-nos a graça de perceberte e lançar as redes nas águas mais profundas do nosso coração em atenção à tua Palavra. Amém. Canto:Antes da morte e ressurreição de Jesus,/ Ele na ceia quis se entregar: / deu-se em comida e bebida para nos salvar. E quando amanhecer ,/ o dia eterno, a plena visão,/ ressurgiremos por crer / nesta vida escondida no pão. Glória ao Pai... Envia, Senhor, operários e operárias à messe, segundo o Teu coração!

10ª ESTAÇÃO Jesus ressuscitado confirma o primado a Pedro. Animador: Nós vos adoramos e bendizemos, Senhor ressuscitado! Todos: Porque por sua Páscoa destes vida ao mundo! Leitor1: – “Simão, filho de João, tu me amas mais do que estes? – Sim, Senhor, tu sabes que te amo! – Sê pastor das minhas ovelhas...” (Jo 21,15-16) Todos: Senhor, sabes que Te amamos! Dá-nos coragem para superar os nossos medos, vaidades; e na integridade do coração testemunhar-Te na oração e missão. Amém.

30


Canto: Celebrar meu viver pra no mundo ser mais feliz. Faz de mim, Senhor, aprendiz da verdade, justiça e da paz. Comungar Teu viver neste vinho, neste pão; quero ser, Senhor, novo homem, nascido do Teu coração. Vou falar do Teu coração, com ternura nas mãos e na voz, proclamar que a vida é bem mais do que aquilo que o mundo ensina e cantar... Cantar o canto ensinado por Deus com poesia, ensinar nossa fé. Plantar o chão, cultivar o amor como poetas que querem sonhar. Para realizar o que o Mestre ensinou viemos cear, restaurar coração. Fonte de vida no altar a brotar a nos alimentar.  Glória ao Pai... Envia, Senhor, operários e operárias à messe, segundo o Teu coração!

11ª ESTAÇÃO Jesus ressuscitado envia seus discípulos à missão. Animador: Nós vos adoramos e bendizemos, Senhor ressuscitado! Todos: Porque por sua Páscoa destes vida ao mundo! Leitor1: Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, os discípulos estavam reunidos, com as portas fechadas por medo dos judeus. Jesus entrou e pôs-se no meio deles. Disse: “A paz esteja com vocês!” Dito isso, mostrou-lhes as mãos e o lado. Os discípulos, então, se alegraram por verem o Senhor. Jesus disse de novo: “A paz esteja com vocês! Como o Pai me enviou assim também eu vos envio.” (Jo 20,19-20) Todos: Queremos seguir-te! Podemos beber Teu cálice. Prosseguiremos Tua missão: de anunciar a Boa Nova aos pobres; de libertar os cativos; de abrir os olhos dos cegos; proclamar para todos o tempo novo da graça. Como o Pai te enviou, envia-nos! À glória do próprio Pai e na comunhão do Espírito, para a salvação do mundo. Amém. (Dom Pedro Casaldáliga)

Glória ao Pai... Envia, Senhor, operários e operárias à messe, segundo o Teu coração!

12ª ESTAÇÃO Jesus ressuscitado aparece a Paulo de Tarso Animador: Nós vos adoramos e bendizemos, Senhor ressuscitado! Todos: Porque por sua Páscoa destes vida ao mundo! Glória ao Pai...

Leitor1: E, por último de todos, apareceu também a mim, como um abortivo. Porque eu sou o menor dos apóstolos, e não sou digno de ser chamado apóstolo, porque persegui a Igreja de Deus. Mas pela graça de Deus sou o que sou. E a graça que ele reservou para mim não foi estéril; a prova é que tenho trabalhado mais que todos eles, não propriamente eu, mas a graça de Deus comigo. (1 Cor 15, 8-10) Todos: Senhor, continua fazendo ressoar Tua voz no mais profundo de nosso ser. E como Paulo queremos também dizer: “Sou o que sou e a graça de Deus não foi estéril em mim.” Amém. Canto:És, Senhor, o Deus da vida, és a festa,

és a dança. No banquete de Tua casa somos povo da aliança.  Glória ao Pai... Envia, Senhor, operários e operárias à messe, segundo o Teu coração!

13ª ESTAÇÃO com Maria à espera do Espírito Santo. Animador: Nós vos adoramos e bendizemos, Senhor ressuscitado! Todos: Porque por sua Páscoa destes vida ao mundo! Glória ao Pai... Envia, Senhor, operários e operárias à messe, segundo o Teu coração!

Leitor1: “Todos ele perseveravam na oração em comum, junto com algumas mulheres, entre elas, Maria, mãe de Jesus e com os irmãos dele.” (At 1,14) O amor de Deus cobriu rios e mares, no princípio. Foi assim que a terra viu desabrochar o colorido festival de flores mil. Vós sois Amor e Vida, por isso a vida só vale no amor, no Amor! 2. O amor de Deus desceu bem no fundo das pessoas. Foi assim que o mundo viu gente sorrir, e muita gente se encontrar num doce olhar. 3. O amor de Deus brilhou bem no centro, em nossa história. Foi assim que se entendeu – só é feliz, e só tem glória e tem poder quem sabe amar. Todos: Senhor, dá a todos os que te seguem a disposição para amar sem medo e sem reservas; sendo os profetas no nosso tempo. Amém. Glória ao Pai... Envia, Senhor, operários e operárias à messe, segundo o Teu coração!

31


14ª ESTAÇÃO Jesus ressuscitado ascende aos céus.

CANTOS

Animador: Nós vos adoramos e bendizemos, Senhor ressuscitado! Todos: Porque por sua Páscoa destes vida ao mundo! Leitor1: “Homens da Galiléia, por que ficais aqui, parados, olhando para o céu? Esse Jesus que, do meio de vós, foi elevado ao céu, virá assim, do mesmo modo como o vistes partir para o céu.” At 1,11 Todos: Senhor Jesus, que todos os vocacionados sejam despertados para a missão de amar e servir sem medidas na alegria e na ternura segundo o Teu coração. E a exemplo de Maria permaneçamos unidos a Ti, testemunhando Teu amor por toda a humanidade. Canto:  Para lembrarmos a morte, a cruz do Senhor, / nós repetimos como Ele fez, / gestos, palavras, até que volte outra vez. E quando amanhecer ,/ o dia eterno, a plena visão, / ressurgiremos por crer / nesta vida escondida no pão.(bis)  Glória ao Pai... Envia, Senhor, operários e operárias à messe, segundo o Teu coração!

15ª ESTAÇÃO Jesus ressuscitado envia o Espírito Santo aos seus seguidores. Animador: Nós vos adoramos e bendizemos, Senhor ressuscitado! Todos: Porque por sua Páscoa destes vida ao mundo! Leitor1: “Homens da Galiléia, escutem o que vou dizer: Está acontecendo o que foi anunciado pelo profeta Daniel: assim diz o Senhor: “derramarei o meu Espírito sobre todas as pessoas. Os filhos de vocês vão profetizar, os jovens terão visões e os anciãos terão sonhos.” (At 2, 2-4) Todos: Senhor ressuscitado, queremos seguir-Te! Podemos beber teu cálice. Prosseguiremos Tua missão: de anunciar a Boa Nova aos pobres; de libertar os cativos. Canto: Sim, eu quero que a luz de Deus, que um dia em mim brilhou, jamais se esconda e não se apague em mim o seu fulgor. Sim, eu quero que o meu amor ajude o meu irmão a caminhar guiado por Tua mão. Em Tua lei, em Tua luz, Senhor! 

1) O AMOR DE DEUS COBRIU O Amor de Deus cobriu rios e mares, no principio. Foi assim que a terra viu desabrochar o colorido festival de flores mil. Vós sois Amor e Vida, por isso a vida só vale no amor, no Amor!!! 2. O Amor de Deus desceu bem no fundo das pessoas. Foi assim que o mundo viu gente sorrir, e muita gente se encontrar num doce olhar. 2) A NÓS DESCEI DIVINA LUZ A nós descei divina luz/ Em nossas almas acendei, o amor, o amor de Jesus. 1.Vós sois a alma da Igreja. Vós sois a vida, sois o amor/ Vós sois a graça benfazeja. Que nos irmana no Senhor. 2.Divino Espírito descei. Os corações vinde inflamar e as nossas almas preparar. Para o que Deus nos quer falar. 3) SEQÜÊNCIA A nós descei, divina Luz!/ Em nossas almas acendei/ O amor, o amor de Jesus/ O amor, o amor de Jesus/ 1. Vinde, Santo Espírito/ e do céu mandai/ da tua luz um raio./ Vinde, Pai dos pobres/ doador dos dons/ luz dos corações./ 2. Grão Consolador/ nossa alma habitais/ e nos confortais./ Na fadiga, pouso/ no ardor, brandura:/ e na dor, ternura. 3. O Luz venturosa,/ que vossos clarões/ encham os corações./ Sem vosso poder, nada há no vivente, nada de inocente. 4. Lavai o impuro e regai o seco curai o enfermo. Dobrai a dureza/ aquecei o frio, livrai do desvio. 5. Aos vossos fiéis que confiantes oram, dai os sete dons. Dai virtude e prêmio e no fim dos dias, eterna alegria. Celebração da Via Luz feita por Ir. Izabel

Glória ao Pai...

32


AULAS FORMAÇÃO HUMANA E CRISTÃ

EDUCAÇÃO INFANTIL

e

1º ANO

TEMA: DEUS ME CRIOU PARA SER FELIZ OBJETIVO: Ajudar as crianças a descobrirem valores que as torna felizes. DESENVOLVIMENTO: A gente não compra a felicidade nas lojas ou supermercados. A felicidade é a gente que constrói. A gente tem que procurar ser feliz. Para ser feliz, devemos ser amigos de Deus, ser bons, cuidar dos animais, respeitar os outros, ter amigos, aprender as coisas, amar o pai e a mãe e rezar. Sebe quem era feliz e muito bom? Santo Aníbal. Olha ele aqui. (mostrar seu retrato) Ele gostava de rezar, gostava de dar comida para os pobres. Não gostava que maltratasse as pessoas. Santo Aníbal era preocupado com as crianças que estavam passando fome, frio, não tinham família e muitas vezes viviam na rua. E fez uma casa para elas, dava comida e cuidava com muito carinho, como se ele fosse o pai delas. O que podemos fazer de bom para as pessoas? Pai, mãe, amiguinhos e para o nosso mundo? (Conversar com as crianças. Deixar que elas falem.) ATIVIDADES: 1. Colocar as crianças em círculo e pedir que se dêem as mãos. Rezar por todas as pessoas (deixar que citem o nome... pai,mãe, amiguinhos) 2. Pedir que citem o nome de pessoas boas que elas conhecem. 3. Colocar as mãozinhas das crianças sobre uma cartolina e fazer o contorno. Dentro de cada uma escrever o que eu preciso para ser feliz. (Aula organizada por Ir. Amélia)

33


SEGUNDO AO QUARTO ANO TEMA: DEUS ME CRIOU PARA SER FELIZ

Deus viu que tudo era muito bom. Então pediu às pessoas que cuidassem com muito carinho de tudo o que Ele fez. Mas as pessoas se esqueceram e começaram matar os animais, destruir as matas, jogar lixo no mar e nos rios, queimar e destruir, fazer maldade com as pessoas Então veio o “aquecimento global,” e a vida humana corre perigo, está ameaçada. O que podemos fazer para reverter esta situação? Dinâmica: Ler um trecho do Capítulo 1 do Gêneses e comentar com as crianças. Levá-las para dar um passeio no quintal ou em outros locais onde existem plantas e animais e juntos ver as coisas bonitas que Deus criou. 1) Desenhar as coisas bonitas que você viu. 2) Escreva o que podemos fazer para cuidar melhor das coisas que Deus fez para nós. 3) Vamos procurar no diagrama as coisas bonitas que Deus fez quando criou o mundo: alimento animais – oceano – árvore – flores – montanhas

OBJETIVO: Ajudar as crianças a descobrirem valores que as torna felizes. DESENVOLVIMENTO: A gente não compra a felicidade nas lojas ou supermercados. A felicidade é a gente que constrói. A gente tem que procurar ser feliz. Para ser feliz, devemos ser amigos de Deus, ser bons, cuidar dos animais, respeitar os outros, ter amigos, aprender as coisas, amar o pai e a mãe e rezar. Sabe quem era feliz e muito bom? Santo Aníbal. Olha ele aqui. (mostrar seu retrato) Ele gostava de rezar, gostava de dar comida para os pobres. Não gostava que maltratasse as pessoas. Santo Aníbal era preocupado com as crianças que estavam passando fome, frio, não tinham família e muitas vezes viviam na rua. E fez uma casa para elas, dava comida e cuidava com muito carinho, como se ele fosse o pai delas. TEMA: CRIANÇAS DESCOBRINDO A VIDA OBJETIVO: Valorizar a vida e suas manifestações Desenvolvimento do tema: No princípio Deus criou o céu e a terra, e tudo o que existe sobre a terra: os pássaros, as árvores, os animais, os peixes... E por fim criou o homem e a mulher. E

A D O O O C E A N O D

N E E R S E I M K D F

I P R S I F G O N D A

M U L Ç A J I N M F L

A T K F R U L T L G I

I A J L V I T A Ç H M

S C G O O F D N F J E

A D G R R K G H G K N

Ç R O E E K H A H L T

à P O S S O J S A N O

O E G E F L J L F L F

T R H R V K H K D S K

CANTO: QUE BOM A GENTE VER 1 -Que bom a gente ver,/ As coisas que Deus fez Pra nós com tanto amor, /Muito obrigado, meu Senhor. 2 - Que bom a gente ver/ O sol no céu brilhar No infinito azul/ A nuvem branca a passear 3 - Que bom a gente ver / A lua lá no céu/ Em volta as estrelinhas/ A piscar, sempre a piscar. 4 - Que bom a gente ver / O pássaro pousar No galho do arvoredo/ Pra seu ninho preparar 5 - Que bom a gente ver/ O riacho a correr/ E no fundo entre as pedrinhas/ Um peixinho a se esconder. Conclusão: Colocar as crianças em círculo; dar uma semente cada, ou uma flor ou uma fruta e fazer uma oração agradecendo a Deus as coisas bonitas que Ele criou para nós. (Aula organizada por Ir. Amélia)

34


QUINTA A SETIMA SÉRIE

Tema: VENHA, DIGA SIM À VIDA. Objetivo: Perceber a grandeza e o valor da VIDA. Desenvolvimento do tema: Se eu não existisse, ninguém iria notar minha ausência; nem notaria a ausência de qualquer outro ou outra que existisse. ] Mas, antes de eu existir, Deus já me conhecia e amava; por isso me chamou à vida: sou criatura sua. Cada pessoa é criatura de Deus, amada e convidada por Ele ao banquete da vida. A vida é, assim, o primeiro chamado de Deus, a primeira vocação. Se a vida já é vocação, devo-lhe uma resposta. Qual será a resposta que Deus espera de mim? Certamente a vida tem um sentido a descobrir, uma obra a realizar. E ninguém o faz em meu lugar. Ninguém nasceu porque decidiu nascer, porque quis nascer, mas a vida nos foi dada pelo encontro de uma mulher e de um homem. Portanto, a primeira vocação é a vocação à vida. A nós cabe a responsabilidade de saber ministrar a vida que recebemos como dom. Como é bom viver, como é lindo, apesar das dificuldades, das lutas, dos desacertos e desesperos, poder levantar os olhos para o céu, todos os dias, e dizer a Deus: "obrigado porque me destes a vida". E como é maravilhoso poder dizer ao homem e à mulher que nos deram a vida e que chamamos de pai e mãe: "Obrigado porque me deram a vida". Mas a nós cabe viver a vida, dar sentido, dar rumo à existência. Jesus é o centro da vida. “Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância” (Jo 10,10), Ele é a própria vida. “Eu sou o caminho, a verdade e a vida” (Jo14,6). Ele chama a todos, especialmente aos adolescentes e jovens, a dizerem sim à vida mediante sua presença e participação ativa na família, na comunidade, na escola, no mundo do trabalho e na sociedade. Por meio de sua alegria, espontaneidade, vigor, entusiasmo.

Pare e pense!

1) Que significado tem a vida para você? 2) Quais são os reais valores que nos levam a ter mais vida? 3) O que você mais valoriza como adolescente ou jovem? 4) O que se deveria mudar, para ter uma vida mais humana? 5) O que é vocação? Dinâmica: Distribuir para cada aluno um balão, e dentro de cada balão uma pergunta. Os mesmos devem encher e amarrar os balões, e num circulo, após um sinal dado pelo professor, jogar todos para cima e brincar misturando-os. Num segundo sinal cada um pega um balão e estoura. Abre os papéis e se reúnam em grupos para responder. (Se houver trinta alunos, cada pergunta deverá ser escrita 6 vezes, formando 6 grupos de cinco). Socialização das perguntas Conclusão: Fechar os olhos e fazer uma oração agradecendo a Deus o dom de sua vida. Peça a Jesus por todos aqueles que, por vários motivos não tem vida em abundância. O que posso fazer para que haja mais vida no planeta? Gesto concreto: Procurar uma pessoa que precisa de sua ajuda e prestar solidariedade. Depois escrever os sentimentos vividos pelo gesto realizado e entregar ao professor.

“Escolhe, pois, a vida!” Dt 30,19

(Aula organizada por Ir. Amélia)

35


8ª SÉRIE E MEDIO

Tema: JOVENS CONSTRUINDO UM MUNDO NOVO Objetivo: Assumir a vida como instrumento de transformação. Desenvolvimento do tema: “O Papa Bento XVI disse aos jovens em São Paulo: Podeis ser protagonistas de uma sociedade nova se procurais pôr em prática uma vivência real inspirada nos valores morais universais, mas também um empenho pessoal de formação humana e espiritual de vital importância. Um jovem ou uma jovem despreparado para enfrentar os desafios reais de uma correta interpretação da vida cristã, do seu meio ambiente será presa fácil a todos os assaltos do materialismo, sempre mais atuante em todos os níveis”. Sedes jovens livres e responsáveis; fazei da família um foco irradiador de paz e de alegria; sede promotores da vida, do início ao seu natural declínio; amparai os anciãos, pois eles merecem respeito e admiração pelo bem que vos fizeram. O Papa também espera que saibam ser protagonistas de uma sociedade mais justa e mais fraterna, cumprindo as obrigações frente ao Estado: respeitando as suas leis; não se deixando levar pelo ódio e pela violência; sendo exemplo de conduta cristã no ambiente escolar e social, distinguindo-se pela honestidade nas relações sociais e profissionais. Tenham em conta que a ambição desmedida de riqueza e de poder leva à corrupção pessoal e alheia; não existem motivos para fazer prevalecer as próprias aspirações humanas, sejam elas econômicas ou políticas, com a fraude e o engano.

Definitivamente, existe um imenso panorama de ação nos quais as questões de ordem social, econômica e política ganham um particular relevo, sempre que haurirem sua fonte de inspiração no Evangelho e na Doutrina Social da Igreja. A construção de uma sociedade mais justa e solidária, reconciliada e pacífica; a contenção da violência e as iniciativas que promovam a vida plena, a ordem democrática e o bem comum e, especialmente, aquelas que visem eliminar certas discriminações existentes nas sociedades latinoamericanas e não é motivo de exclusão, mas de recíproco enriquecimento”. Os jovem procura, estar em busca do novo. E essa busca gera frequentemente, sérios conflitos. Pois os adultos vêem o mundo com os olhos muito racionais e não com os da ternura; e os jovens querem tudo logo pronto, são impacientes e não assumem as pequenas realizações, que são a base para a vida que procuram construir.

Dinâmica: Montar um painel com gravuras (que demonstram sinais de vida e morte). Rever os sinais de vida que existem no mundo e que, por vezes, não são mostrados e valorizados pela Mídia. Há um desejo grande que aconteça algo de novo, de transformador. Atividades em grupo 1) Verificar o que existe na turma/escola que precisa ser mudado para melhor. - Que meios podemos usar para esta mudança? 2) Que atitudes vamos cultivar para ajudarmos a construir um mundo novo? 3) Ler e encenar: Mt 7,24-27 ou Mt 25, 14-30 4) - Montar o painel com as gravuras. - Socialização das Reflexões. CONCLUSÃO: Pedir a Deus por todos os jovens que são protagonistas de mudanças na sociedade. Você também pode ser protagonista de um mundo melhor. Então, mãos a obra! Cristo espera de você uma resposta! (Aula organizada por Ir. Amélia) 36


ENCONTROS CATEQUÉTICOS

1 - PRÉ-CATEQUESE Tema: Saber crescer como pessoa. Objetivo: Valorizar a capacidade que as crianças têm de saber cuidar da vida e zelar por ela. DINÂMICA Colocar figuras em forma de mosaicos, quebra-cabeça incompleto. DESENVOLVIMENTO: Deus criou o que existe na terra e de presente nos deu sua criação porque nos ama muito! Nós, seres humanos, somos diferentes dos animais. Temos inteligência, podemos pensar e criar novas coisas. Somos capazes de estudar, ajudar os outros, trabalhar... As criaturas mais importantes de Deus são as pessoas; homens e mulheres todos somos criados à imagem e semelhança de Deus. Usando a inteligência para o bem, podemos construir um mundo melhor. Somos criados para sermos felizes. DIALOGAR COM AS CRIANÇAS: O que mais gostaram; a importância de um estar ajudando o outro, e assim como as figuras nós também somos seres incompletos. faltando uma peça no quebra-cabeça, ele estará sempre incompleto... fazer esta reflexão. CANTO (com a música Asa Branca) Como é bom a gente ver/ as pessoas se amando! //Trazendo vida e alegria, Um mundo novo vai se formando// Como é bom a gente ver/ as pessoas em oração // Fazendo preces e agradecendo/ suplicando mais vocação//. Como é bom a gente ver/ as pessoas trabalhando // Bem unidas e de mãos dadas; o nosso mundo vão transformando. ORAÇÃO FINAL Obrigado, Senhor, pelo dia de hoje. Obrigado, por meus pais, meus amigos, catequistas e colegas. Obrigado, porque eu posso agradecer o dom da minha vida. Ajuda-me a agradecer sempre. Amém. ATIVIDADES: Pinte os personagens desta gravura. (Encontro organizado por Ir. Cleusa e Ir. Izabel)

37


PRE - EUCARISTIA TEMA: Discípulos-operários cuidando da vida OBJETIVO: Despertar nas crianças o valor pela vida como o maior presente de Deus. DESENVOLVIMENTO: Não nascemos prontos. Toda pessoa cresce cada dia um pouquinho. Crescemos no tamanho, no saber, na amizade, na inteligência; aprendemos coisas novas em casa, na escola, na rua, com as pessoas que vivem perto de nós; quando prestamos atenção nas coisas, nos acontecimentos, quando lemos e estudamos estamos aprendendo e crescendo ao mesmo tempo. Deus vai nos chamando nos mínimos detalhes de cada dia. Como criaturas amadas e queridas por Ele; somos chamados a participar de seu projeto; a trabalhar em sua messe que é grande e os operários poucos. Conversar com as crianças a questão: Deus optou por precisar de nós. Como podemos colaborar, cuidar, zelar a vida como o maior presente de Deus? DINÂMICA: DA SEMENTINHA Entregar uma sementinha para cada um e dizer: Esta sementinha tem um ideal, um sonho a realizar. 1 - Quando ela crescer, que vai ser? 2 - O que ela necessita para ser uma bela árvore e dar flores e frutos? (deixar espaço aberto para a partilha) Canto: UMA SEMENTE LANÇADA ♫ Uma semente lançada / uma explosão de amor/ foi assim que eu nasci / pra viver minha vocação/ Deus me olhou com carinho/ pelo nome me chamou / muitos dons recebi / fui chamado pra ser feliz / Lá lá ra vem comigo, vem construir a paz / Lá ra o reino de justiça / na partilha é que se faz (bis) Então vem. ♫ ATIVIDADES: 1. Descubra no quadro cinco valores que nos ajudam a responder o projeto que Deus tem para cada um de nós. E O  D A T E

S R A I M D S

C A J A I V T

U Ç U L Z F U

T A D O A N D

A O A G D X A

D  R O E M R

2. Pedir que as crianças recortem de revistas e jornais, figuras que são sinais de vida e de morte. 3. Propor que cada criança plante, em sua casa, num copinho descartável, a semente que recebeu neste encontro. Lembrando que cada um de nós tem a sementinha da vocação e que deve cultivá-la, cuidar e zelar por ela. (Encontro organizado por Ir. Cleusa)

ORAÇÃO DA CRIANÇA PELAS VOCAÇÕES Jesus, que foste pequenino como eu, ajuda-me a escutar o que meus pais e educadores me ensinam. Olha com carinho as crianças do mundo inteiro e desperta em nós o desejo de sermos bons ajudantes de teu projeto de vida. Protege minha família, meus coleguinhas e amigos. Maria, que é tua mãe e minha também, acompanha meus passos. Envia, Jesus, muitas vocações, capazes de fazer de nós teus verdadeiros amigos. Amém.

38


3. EUCARISTIA TEMA: Crescer como discípulo-operário na messe. Objetivo: Incentivar o catequizando a participar ativamente da comunidade. ACOLHIDA: Entregar para cada criança um desenho de peixinho com o seu nome que será o crachá durante o encontro. DESENVOLVIMENTO: Somos chamados à vida. E, pelo batismo, chamados a sermos filhos de Deus. Isto é, a ser Igreja, fazendo parte da família de Deus. Como batizados e discípulos de Jesus somos convidados a assumir nosso compromisso, respondendo sim ao chamado de Jesus para trabalhar na messe. Na medida em que vamos crescendo, vamos conhecendo nossos dons e talentos, descobrindo nossa missão. Percebendo este amor, somos capazes de nos doar a todos como verdadeiros irmãos, valorizando a dignidade de cada pessoa. É através da Palavra de Deus, da oração, da escuta, do diálogo, que vamos descobrindo a sua presença amiga e gratuita e experimentamos o seu amor libertador. REFLETINDO A PALAVRA (LC 5,1-11) Vamos aclamar o evangelho, cantando: Buscai primeiro o Reino de Deus. DINÂMICA: DA REDE - Construir uma rede de papel ou barbante. - contar a história que Jesus pede para lançar as redes ao mar. No final, cada criança deve colocar nela seu crachá de peixinhos, lembrando que Jesus nos chama para a vida e convida a assumir a missão de pescadores. ATIVIDADES: 1. Fazer um barquinho em dobradura de papel, e escrever três compromissos que quer assumir como discípulos e operário/a na messe. 2. rezar todos os dias, esta oração vocacional a tal ponto de decorá-la .

Encontro organizado por Ir. Cleusa

ORAÇÃO DA CRIANÇA PELAS VOCAÇÕES Jesus, que foste pequenino igual a mim, ajuda-me a escutar o que meus pais e educadores me ensinam. Olha com carinho e desperta em nós o desejo de sermos bons ajudantes de teu projeto de vida. Protege minha família, meus coleguinhas e amigos. Maria, que é tua mãe e minha também, acompanha meus passos. Envia, Jesus, muitas vocações, capazes de fazer de nós teus verdadeiros amigos. Amém.

39


4. PERSEVERANÇA E CONFIRMAÇÃO

TEMA: Perseverar como discípulo-operário.

A formação do discípulo e a sua ativa participação na vida da comunidade, só acontece na participação dos encontros de catequese, nos grupos de jovens, grupos de reflexão e nas diversas pastorais existentes na paróquia. A comunidade toda precisa ser ‘Boa Samaritana’, acolhendo a todos os que dela precisam. DINÂMICA: (DO SONRISAL) 3 sonrisais - 3 copos de água - 3 jovens

O primeiro participante coloca o sonrisal perto copo; o segundo coloca o sonrisal com o envelope dentro do copo e o terceiro abre o envelope e OBJETIVO:. Conscientizar os jovens que são as (os) coloca o sonrisal dentro da água. E peça que todos discípulas (os), a quem Jesus entregou a “missão de observam a atitude e o que acontece... testemunhar e anunciar o amor de Deus até os ATIVIDADES: confins da terra”. 1. Relacionando o texto com a dinâmica qual é SÍMBOLOS: A palavra de Deus, flores, vela e a sua mensagem para o grupo e o que você pode símbolos que lembram o serviço, compaixão, o fazer em sua casa, comunidade ou paróquia? testemunho e o anúncio da Boa Nova. 2. Quais os sinais de carinho o samaritano deu ACOLHIDA: àquele homem caído à beira da estrada? Sejam todos bem vindos a este encontro em que E o que você pode fazer hoje em prol do cada um de nós é chamado a viver a Santidade! próximo numa sociedade consumista e indiferente? Eis a graça e a meta de todos os cristãos e cristãs batizados e batizadas. Como discípulas (os) e 3. Para sermos uma Igreja Samaritana, o quê operárias (os) reunidos pela unidade da trindade, se exige de nós JOVENS CONFIRMANDOS? a Igreja traz em si o mistério do Pai, que nos chama e nos convida ao seu seguimento e a ORAÇÃO PELA VOCAÇÃO anunciar o seu Reino. Trindade Santa, sou um jovem de hoje, Canto: Vamos ficar em pé e invocar a Santíssima agradam-me as comodidades, as opções fáceis me atraem, sou filho de meu tempo. Trindade cantando. Porém, entre as mil vozes escuto também a tua Catequista: Sabemos que é através da Igreja, e de modo inconfundível: "A messe é grande... e todos os cristãos se ajudam mutuamente a poucos são os operários". descobrir e realizar a própria vocação, através da escuta da Palavra - na oração - na assídua Isso me deixa inquieto e com vontade de participação dos sacramentos e na busca constante responder: “Estou aqui, Senhor, envia-me!” da face de Cristo em cada Irmão. Eu quero servir-te, servir ao povo em suas DESENVOLVIMENTO: necessidades. Os discípulos de Cristo são pessoas que servem, se identificam com aquele “O Bom Samaritano”, que Dá-me tua luz para descobrir o teu chamado. socorre a vítima do assaltante, símbolo de toda vítima inocente dos males do nosso mundo, sem Dá-me coragem para deixar minha família, perguntar sobre a raça, classe ou credo. Ouçamos! meu trabalho, casa e amigos. TEXTO BÍBLICO: Lucas 10,25-37 Maria, Mãe e modelo de todas as vocações, Canto de aclamação: Buscai primeiro o Reino... ensina-me a cumprir a vontade de Deus, agora e por toda a vida. Amém. REFLEXÃO: Percebemos que, o levita e o sacerdote passam longe do próximo, daquele que necessita Canto final (a escolher) de ajuda. Vemos também o testemunho do (Encontro organizado por Ir. Cleusa) samaritano, seu gesto de ternura de compaixão e zelo por aquele que sofre. Ser samaritano é devolver ao ser humano a sua dignidade.

40


ENCONTROS PARA JOVENS

INTRODUÇÃO

* Vocação é o chamado de Deus que tem como finalidade a realização plena da pessoa humana. * É um gesto gracioso de Deus que visa a plena humanização do homem. * É dom, é graça, é eleição cuidadosa, visando a construção do Reino de Deus. * É um chamado para fazer algo, para cumprir uma missão. * Toda pessoa é vocacionada, é eleita por Deus. * Deus elege por causa de alguns (comunidade) e esta eleição se manifesta no nosso dia-a-dia. A mensagem do Evangelho é um convite contínuo a seguir Jesus Cristo. Vem e segue-me. (Mt 9,9; Mc 8,34; Lc 18,22; Jo 8,12). VEM-CHAMADO: é um convite pessoal dirigido por Deus a uma pessoa.

SEGUE-ME – MISSÃO: é o seguimento da prática de Jesus. É uma iniciativa gratuita, proposta que parte de Deus (dimensão teológica). Impulso interior de cada pessoa onde conscientemente responde ao plano de amor de Deus (dimensão antropológica). DISTINÇÃO: Para compreendermos em profundidade o significado da vocação, precisamos fazer a distinção entre: Vocação Fundamental e Vocação Específica. a) Vocação Fundamental: Entendemos por vocação fundamental o chamado de cada pessoa: à vida, a ser Filho de Deus, a ser cristão, a ser Igreja. A tomar consciência de que todos somos irmãos e fazemos parte do Reino de Deus. Pela revelação sabemos que todos os homens foram chamados por Deus à santidade (Gn 1,26; 2,7); é um chamado a desenvolvermos plenamente todas as nossas potencialidades. Todas as vocações específicas derivam desta vocação fundamental. Pelo batismo todos fomos chamados a viver a santidade. b) Vocação Específica: entendemos por vocação específica a maneira própria como cada pessoa realiza a sua vocação fundamental, como leigo, sacerdote ou religioso. As vocações específicas são três: LAICAL – RELIGIOSA - SACERDOTAL A VOCAÇÃO DOS CRISTÃOS LEIGOS E LEIGAS Leigo é toda pessoa batizada que segue Jesus Cristo na Igreja e escolhe viver e testemunhar sua fé no mundo secular: na família, na escola, nas profissões, na política etc. O cristão leigo quer viver no mundo à maneira de Jesus Cristo e transformar o mundo à maneira de Jesus Cristo. Ele atua não de fora, mas de dentro das várias

41


instituições do mundo, como o fermento, a luz, o sal (Mt 5,13-16; 13,33)."O Reino dos Céus é semelhante a um tesouro escondido no campo. Um homem o acha e torna a esconder e, na sua alegria, vai e vende tudo o que possui e compra aquele campo"(Mt 13,44). BATE-PAPO DINÃMICA: Desenvolvimento: Primeiro se lê o texto base do evangelho: a cura do paralítico que é levado pelos seus amigos. (Lc 5,17-26: Mc 2,1-12; Mt 9,1-8). Assim o coordenador distribui a folha e caneta para todos, e pede para que cada um desenhe uma maca em sua folha e na ponta de cada braço cada um deve escrever o nome de um amigo que nos levaria a Jesus. Depois, pede-se para desenhar outra maca e no meio dela colocar o nome de quatro amigos que levaríamos para Jesus. Há quatro pessoas que sabem serem mais importantes para mim, que meu trabalho, descanso ou planos? No trecho do evangelho observamos alguma coisas como: - lugar onde uns necessitam ajuda e outros prestam o serviço necessário; onde os amigos carregam o mais necessitado que não pode caminhar por si mesmo. - os amigos se comprometem a ir juntos a Jesus, conduzindo o enfermo para que seja curado por ele. - deixar-se servir pelos irmãos. - uma vez curado, carregar o peso da responsabilidade. PARA PLENÁRIO: Assumimos nossa condição de amigo de levar nossos amigos até Jesus? Existem quatro amigos verdadeiros que se tenham comprometido a suportar-me sempre? Conto incondicionalmente com quatro pessoas para as quais eu sou mais importante do que qualquer coisa? Tenho quatro pessoas que me levantam, se caio, e corrigem, quando erro que me animam quando desanimo? Tenho quatro confidentes, aos quais posso compartilhar minhas lutas, êxitos, fracassos e tentações? Existem quatro pessoas com quem eu não divido um trabalho e sim uma vida? Posso contar com quatro amigos verdadeiros, que não me abandonariam nos momentos difíceis, pois não me amam pelo que faço, mas, pelo que sou? Sou incondicional de quatro pessoas? Há quatro pessoas que podem tocar na porta da minha casa a qualquer hora? Há quatro pessoas que, em dificuldades econômicas, recorreriam a mim?

CANTO: NÓS QUEREMOS OPERÁRIOS 1. Nossos corações em festa, se revestem de louvor. Pois, aqui se manifesta a vontade do Senhor. Que nos quer um povo unido a serviço da missão animado e destemido, por amor e vocação. Cristo, Mestre e Senhor. / Pois eterno é seu amor. Nesta fonte de água viva / Somos hoje seus convivas. 2. Nossos passos já se encontram a caminho do altar. Nossas vozes já decantam o que vimos proclamar. Neste mundo tão bonito, mas que pede redenção, nosso “sim” ao Deus bendito, por amor e vocação. 3. Nós queremos operários, mensageiros do Senhor. Que nos façam solidários a serviço do amor. Construtores da justiça empenhados na missão. Contra toda injustiça por amor e vocação! 4. Nossa Igreja necessita, de mais fibra e mais vigor. E de gente que acredita no chamado do Senhor. Que dê pão a quem tem fome e justiça a quem tem pão. E bendiga o seu nome por amor e vocação. 2) JAVÉ, O DEUS DOS POBRES Javé o Deus dos pobres, do povo sofredor, aqui nos reuniu pra cantar o seu louvor. Pra nos dar a esperança e contar com sua mão na construção do Reino, Reino novo, povo irmão. 1.Sua mão sustenta o pobre, ninguém fica ao desabrigo/ Dá sustento a quem tem fome, com a fina flor do trigo. 2.Alimenta os nossos sonhos, mesmo dentro da prisão/ Ouve o grito do oprimido, que lhe toca o coração. 3.Cura os corações feridos, mostra ao forte seu poder/ Dos pequenos é a defesa, deixa a vida florescer. (Encontro organizado por Priscila, ex- aspirante, Içara-SC)

42


Quantidade de Participantes: 30 pessoas Desenvolvimento: O coordenador explica os objetivos do exercício. A seguir distribuirá uma cópia do "abrigo subterrâneo" a todos os participantes, para que façam uma decisão individual, escolhendo as seis pessoas de sua preferência. Organizar, a seguir, subgrupos de 5 pessoas. Para realizar a decisão grupal, procurando-se alcançar um consenso. Forma-se novamente o grupo maior, para que cada subgrupo possa relatar o resultado da decisão grupal. Segue-se um debate sobre a experiência vivida. Abrigo subterrâneo

O casamento é uma vocação bem definida dentro da Igreja. Os esposos são chamados a viver uma espiritualidade característica. Instituído pelo próprio Cristo, o matrimônio é uma íntima comunidade de vida e de amor. O amor conjugal é um caminho para Deus e ajuda os esposos na sublime missão da maternidad e e paternidade. O sentido do matrimônio é viver a caridade cristã na sua forma conjugal e viver a responsabilidade humana e cristã de transmitir a vida e educar os filhos. Além disso, os esposos ajudam-se mutuamente, sendo um para o outro e para os filhos, testemunho da fé e do amor de Cristo. A família cristã é como uma Igreja em miniatura: está a serviço da evangelização dos homens. É sensível às necessidades do mundo. "Ide e fazei que todas as nações se tornem discípulas, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo e ensinando-as a observar tudo quanto vos ordenei. E eis que estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos" (Mt 28,19-20). DINÃMICA: A DIFICULDADE DE UM CONSENSO Objetivos: a) esclarecer valores da Família e do sacramento matrimonial. b) provocar um exercício de consenso, a fim de demonstrar sua dificuldade, principalmente quando os valores e conceitos morais estão em jogo.

Imaginem que nossa cidade está sob ameaça de um bombardeio. Aproxima-se um homem e lhes solicita uma decisão imediata. Existe um abrigo subterrâneo que só pode acomodar seis pessoas. Há doze pessoas interessadas a entrar no abrigo. Faça sua escolha, destacando seis somente. - Um violinista, com 40 anos de idade, narcótico viciado; - Um advogado, com 25 anos de idade; - A mulher do advogado, com 24 anos de idade, que acaba de sair do manicômio. Ambos preferem ou ficar juntos no abrigo, ou fora dele; - Um sacerdote, com a idade de setenta e cinco anos; - Uma prostituta, com 34 anos de idade; - Um ateu, com 20 anos de idade, autor de vários assassinatos; - Uma universitária que fez voto de castidade; - Um físico, com 28 anos de idade, que só aceita entrar no abrigo se puder levar consigo sua arma; - Um declamador fanático, com 21 anos de idade; - Uma menina com 12 anos e baixo Q.I.; - Um homossexual, com 47 anos de idade; - Um débil mental, com 32 anos de idade, que sofre de ataques epilépticos. Encontros organizados por Priscila, ex- aspirante, Içara-SC

Material: Lápis, papel e uma cópia do texto "Abrigo Subterrâneo" Tempo estimado: 1 hora

43


“Deixar-se modelar pela Palavra de Deus traduzindo-a em testemunho para todos: é a raiz e a missão da vida consagrada.” Bento XVI. Congregações, Institutos, Sociedades de Vida Apostólica e Novas Formas de Vida Consagrada, constitui o Corpo místico de Cristo; por sua natureza definitiva, incondicionada e apaixonada de total adesão a Deus. (cf. Vita consecrata, 17). Os Consagrados/as testemunham o fascínio da verdade de Cristo e a alegria que brota do amor por Ele. Na contemplação e na atividade, na solidão e na fraternidade, no serviço aos pobres e aos últimos, no acompanhamento pessoal e nos areópagos modernos, estão prontos para proclamar e testemunhar que Deus é Amor e como é agradável amá-lo.

O Consagrado/a não se distingue pela sua ação, mas pela sua vida vivida na radicalidade dos Conselhos Evangélicos; onde convivem em fraternidade com pessoas diferentes - idade, nação, personalidade. Os Consagrados/as criam novo jeito de estar no meio do povo. A opção pelos mais pobres e pela sua libertação, é um desafio das periferias e do campo. Na inserção, adotam uma postura de compaixão, paciência, presença, modéstia, flexibilidade e criatividade, que por vezes, desafiada na tolerância e no cotidiano da vida dos excluídos. É uma graça do Espírito Santo, partilhar da vida dos “últimos”. Amam os pobres, não por serem pobres, mas por serem pessoas humanas, “Preferidas do Pai”. Daí a gratuidade do amor, vivendo assim, uma vida profética e missionária.

OS VOTOS Os votos de Castidade - Pobreza Obediência, são como que sinais visualizadores de uma realidade futura não como sonho, mas presente e real. O carisma da Vida Consagrada é um dom para Igreja e um sinal para o mundo. Não é fuga de uma realidade, mas compromisso com o mundo. Enfatiza o contraste do Evangelho com a sociedade materialista. Renunciam a tudo para seguir Cristo, dão o que possui de mais precioso enfrentando qualquer sacrifício, para seguir seus passos e se tornam"sinal de contradição", pelo simples modo de pensar e de viver que muitas vezes está em contraste com a lógica do mundo, apresentada nos meios de comunicação social.

DINÂMICA: - Partilhar em grupo quem são as irmãs, os irmãos para mim? - Já passou pela minha cabeça de ser irmã, ser irmão? - Que valor eu minha família damos aos Irmãos/as de Vida Consagrada? - Se alguém de minha família quer ser irmão/a, qual a minha reação? Encontro elaborado por Ir. Izabel

44


OBJETIVO: Valorizar a vocação sacerdotal, como dom para a Comunidade.

O PADRE é alguém escolhido do meio do povo e consagrado por Deus para o serviço deste mesmo povo nas coisas que se referem a Deus (Hb 5,1). Seu papel é continuar a missão de Jesus Cristo, o único e eterno sacerdote. Ele continua a missão de Cristo mediador entre Deus e os homens, sendo representante de Deus junto ao povo e do povo junto de Deus. Continua também a missão de Cristo cabeça da Igreja: O Padre é alguém compreensivo, paciente, amigo, reconciliador, preocupado com a humanidade, com as injustiças, entusiasmado por Jesus Cristo e o seu Reino: - Constrói comunidades como Jesus construía. - Perdoa os pecados como Jesus perdoava. - Prega a Palavra de Deus como Jesus pregava. - Une e alimenta a comunidade pela eucaristia. Se compararmos a Igreja a um rebanho, o padre continua a missão de Cristo pastor desse rebanho. Como o bom pastor, ele defende o seu rebanho do lobo e do ladrão, chegando ao ponto de dar a vida pelo rebanho, se necessário for. O padre não só anuncia a verdade, mas denuncia a mentira e a

injustiça. Por isso, freqüentemente é perseguido. Ele tem especial cuidado pelos: - pobres - doentes - marginalizados - oprimidos. O cristão torna-se padre através do sacramento da ordem que tem três graus: - o diaconato: torna o cristão diácono. - o presbiterado: torna o diácono padre, ou sacerdote, ou presbítero. - o episcopado: torna o padre bispo. "Ide, e fazei que todas as nações se tornem discípulas, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo e ensinando-as a observar tudo quanto vos ordenei. E eis que estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos". (Mt 28,19-20).

DINÂMICA: Partilhar em grupo quem foi o padre que fez: - casamento dos pais, meu batismo, 1ª Eucaristia... - que valor minha família e eu damos ao sacerdócio? - se alguém de minha família quer ser um padre, qual a minha reação?

Encontro elaborado por Ir. Izabel

45


como um dom de Deus, por isso todos têm o compromisso de respeitá-la e defendê-la.

TEMA: A VIDA É UM DOM A SER PARTILHADO OBJETIVO: § Perceber que a vida é um presente de Deus; § Levar a juventude a cuidar e defender a vida; § Desafiar a juventude a perceber seus dons e colocá-los a serviço; § Cultivar o valor da família em nossa vida. CONTEÚDO: Há vida em toda a natureza. Há vida nas ruas, nos campos, nas fábricas, nas praças, nas escolas... Há pessoas dando vida para que haja mais vida, mais justiça, mais fraternidade, mais pão, mais conforto e mais amor. Há uma vida que não vemos, mas que a sentimos em toda a natureza e em todos os seres: Deus. Infelizmente, porém, constatamos que a vida está sendo ameaçada e até destruída: poluição das águas e do ar, vidas humanas desrespeitadas e destruídas pelas guerras, pelas drogas, pela violência, pelas injustiças, pelo egoísmo, pela ganância, pela bebida, pelo abandono de crianças e de idosos, pelas famílias desunidas, pelo analfabetismo, pelas doenças... Todos querem viver, mas a vida corre perigo. Deus é a vida. Ele criou a vida. Toda a pessoa tem a vida

Foi Deus que nos chamou à vida, depois nossos pais que nos aceitaram, nos acolheram, nos amaram. Cada pessoa é um ser único, com dons, capacidades e preferências diferentes dos outros, com a sua própria história, com um nome só seu, mas, ao mesmo tempo, sozinho não é ninguém. Viver é estar a caminho. Para dar sentido à nossa vida, precisamos conscientizar-nos que somos gente, não “coisa”, que fomos criados por amor e para uma missão muito especial e que somos livres para escolher o melhor caminho que conduz à felicidade. Portanto, devemos ter claro dentro de nós que viver é estar a caminho. A vida é uma viagem. Olhe ao seu redor, observe a natureza e perceba a lição que se vê nas coisas simples. Os minerais não têm vida. Por exemplo, a água. Se estiver num balde vai apodrecer sem servir para nada, mas ela vai buscar vida, acha um jeito de viver dando vida aos vegetais e vivendo dentro deles. Os vegetais servem-se da água, mas têm pouca vida. Não andam, não falam, e vão buscar mais vida alimentando os animais e vivendo deles. Os animais servem-se da água e dos vegetais, mas têm vida limitada. Não falam, nem pensam, mas doam-se em forma de alimento ao homem e neles vivem. O ser humano serve-se da natureza inteira para viver, mas só terá vida plena se vive ligado a Deus. A única maneira de viver ligado a Ele é servir: Colocar essa vida toda a serviço dos outros que são nossos irmãos. O que Deus quer de você? Você entendeu o que é dar sentido à vida? Você sabe o que é que Deus quer de você? Todas as pessoas que estão no seu caminho, todos os fatos que acontecem ao seu redor, todas as mãos que se estendem para você são desafios à sua coragem e são convites de Deus para servi-lo. Se disser “sim” sem fugir, sem fazer de conta que não viu, você vai sentir brotar dentro de si mesmo uma alegria que não se descreve em palavras. Não tenha medo de sofrer, pois por medo de sofrer muitas vezes você deixa de ser feliz. O final do caminho onde se faz o bem nunca decepciona e a parte deste caminho se abre com uma pequena chave que se chama fé. Confie em Deus, coloque seus dons a serviço de modo simples e natural 46


e assim terá a chave para abrir as mais pesadas portas que encontrar pela frente. Sugestão de filme: PALAVRA DE DEUS: Mt 25, 14-30: Os talentos DINÂMICA: Casa da Minha Vida

- Sociedade dos Poetas Mortos - Minha vida! - A vida é bela ORAÇÃO DO PAI NOSSO PELAS VOCAÇÕES (S.Aníbal M. Di Francia)

§ 1º passo: Distribuir uma folha para cada participante e convidá-los a desenhar uma casa: a sua casa. Dividir os cômodos: sala, quartos, dispensa, banheiro, varanda, garagem, porão, chaminé, cozinha, árvores, piscina, horta,... § 2º passo: Pedir a cada participante que se coloque em um dos cômodos. Escolher cômodos para cada integrante de sua família: pai, mãe, irmãos, avó, ... e Jesus Cristo.

Pai Nosso que estais no Céu, Suscitai santa vocações sacerdotais! Para que seja santificado o vosso nome, Enviai operários para a vossa messe! Para que venha o vosso reino, Enviai vossos apóstolos! Para que seja feita a vossa vontade, assim na terra, como no céu. Dai-nos muitos e santos ministros! Dai-nos hoje o pão de cada dia, Pelas mãos dos vossos escolhidos. Perdoai-nos as nossas ofensas, Pelo ministério dos vossos sacerdotes! Não nos deixeis cair em tentação, Mas livrai-nos do mal. Amém. GESTO DE SOLIDARIEDADE § Desafiar os jovens a realizar um gesto concreto a partir do tema proposto;

§ 3º passo: Partilhar com todo o grupo sobre seus sentimentos e suas escolhas dentro de sua casa. (onde colocou seu pai, sua mãe, Jesus Cristo)

§ Fazer uma auto-avaliação das próprias atitudes: preservando o que está bom e transformando o que ainda precisa ser melhorado.

§ 4º passo: Refletir sobre a dinâmica e como ela nos faz olhar para dentro de nós mesmos e ao nosso redor (sociedade, família, comunidade,...). O que falta para podermos construir a nossa casa?

“A messe verdadeiramente é grande, e os operários são poucos. Rogai, pois ao Senhor da messe que envie operários”. (Lc 10,2)

Sugestões de músicas: CDs: - Buscando Resposta (Rogate) - É Preciso Saber Viver (Titãs) - Certas coisas pra dizer (Jorge Trevisol, - Amor, Mística e Angústia (Jorge Trevisol, - Tocando em Frente (Almir Sater) - Pais e filhos (Legião Urbana) Canção da família (Pe. Zezinho)

Encontro organizado por Ir. Izabel

47


§ 3º passo: Em grupos, fazer uma partilha dos sonhos de cada um. § 4º passo: Elaborar juntos, cinco maiores sonhos em relação à vida, em relação ao presente e a futuro... Colocar os cinco sonhos em ordem de importância e explicar o porquê da ordem.

Tema: Sonhando Juntos, Contribuiremos para um Novo Amanhecer! OBJETIVO: Despertar na juventude a importância do sonho, não somente individual, mas em grupo, para assim consolidá-lo e torná-lo realidade.

§ 5º passo: Cada grupo escolhe uma forma criativa de apresentar esses sonhos (teatro, coreografia, música,...) PALAVRA DE DEUS: 1Cor. 12, 12-26: A Comunidade é o corpo de Cristo

CONTEÚDO: Um dia o líder negro Martin Luther King disse para as multidões que caminhavam, pedindo a igualdade do negro com as demais raças: Ø “Tive um sonho: sonhei que um dia esta nação acordará e viverá conforme o verdadeiro sentido do seu credo, que confessa que todos os homens foram criados iguais; Ø Tive um sonho: sonhei que um dia os filhos dos antigos escravos e os filhos dos senhores sentariam juntos numa mesa fraternal; Ø Tive um sonho: sonhei que meus quatro filhinhos viveriam um dia numa nação onde não serão julgados pela cor da sua pele, mas pelas virtudes de seu caráter; Ø Tive um sonho: sonhei que um dia as crianças negras entrelaçariam suas mãos com as crianças brancas, como irmãos. Ø E quando isso acontecer, uniremos nossas mãos, uniremos nossas vozes, partilharemos nossas culturas e juntos sentaremos na mesma mesa e faremos a festa da fraternidade.” DINÂMICA: Os Sonhos § 1º passo: Fazer apontamentos e destacando idéias-chave sobre o relato de Martin L.King. § 2º passo: Conceder um tempo para que cada um reflita sobre os seus maiores sonhos:

O sol brilhará, Senhor, tua presença amiga e respeitosa faz olhar para os lados, nos faz unir as mãos e sentir tua presença viva. Amigo, não tenha medo de entrar nesta roda amiga, de voar nas asas destes novos horizontes, pois a sua presença e o toque de sua mão amiga faz-nos mais fortes, faz-nos abrir caminhos novos, faz-nos caminhar com perseverança e teimosia faznos plantar belos sonhos em muitos corações. Amigo, venha e uniremos as mãos, pois sozinhos não seremos felizes. De mãos dadas, irrigaremos nosso chão; de mãos dadas, perfumaremos o caminho; de mãos dadas, nosso coração bate mais forte; de mãos dadas, nossos passos são mais confiantes. De mão na mão, faremos pulsar a vida; de mão na mão, dançamos uma messe nova; de mão na mão, professamos que o dia vai nascer; de mão na mão, vemos um novo olhar, olhar que brilha e que faz o sonho novo. Amigo, venha cantar e morar nesta canção, estenda as mãos, e juntos alargaremos corações, venha sonhar a paz da justiça, o prazer no caminhar juntos. 48


Venha escrever seus versos na areia, na terra firme, nas estrelas... nos corações. Subamos ao altar da vida, ao altar da liberdade, ao altar da luz. Traga suas flores, seu perfume e acenda velas pelo caminho, façamos juntos a glória de Deus brilhar. GESTO DE SOLIDARIEDADE § A partir da dinâmica dos sonhos, escolher um deles (que seja comum entre os integrantes do grupo) para ser concretizado. § Assumir o compromisso de convidar outros jovens para participar do grupo. § Pode-se organizar, para a acolhida de novos membros, um “sarau”confraternização com músicas, poesias, danças, lanche fraterno. Sugestões de músicas: - Buscando Resposta (CD Rogate) Ø Dancin’days (Lulu Santos) Ø Eu creio na semente (CD: Ele te chama - Osmar Coppi) Ø Senhor, que queres de mim? (CD: Ele te chama – Jorge Trevisol e Osmar Coppi)

SE OUVISSE A VOZ DO VENTO Se ouvisse a voz do vento e soubesse cantar com ele, sua vida assumiria a dimensão do infinito... Quando a gente ama é capaz de sentir as coisas que não sentíamos, e dar vida ao que não tem sinal Que o infinito começa a crescer dentro de nós, é hora de acreditar que o amor existe !!! Por isso ame !!! Faça de sua vida um jogo de futebol, CHUTE as tristezas, DRIBLE as alegrias e marque um GOL na felicidade, e eu daqui da arquibancada estarei torcendo por você...

Ø Deus chama a gente pra um momento novo (Zé Vicente) Ø Eu quero ver acontecer (Zé Vicente) Ø Quando o sol bater na janela do teu quarto (Legião Urbana) “A messe verdadeiramente é grande, e os operários são poucos. Rogai, pois ao Senhor da messe que envie operários”. (Lc 10,2) Encontro organizado por Ir. Izabel

49


Madre Nazarena Majone foi sua fiel colaboradora, a Pia união de orações pelas vocações (Grupos Vocacionais) e a Sagrada aliança - Bispos e Padres para que o Rogate, ou seja, a oração ao Senhor da Messe pelo aumento dos operários na messe, se tornasse conhecido e implorado por todas as partes do mundo. Santo Aníbal Di Francia conseguiu dar um novo colorido à messe; onde fez do Rogate o seu décimo primeiro 11º Mandamento. Este sonho continua a ser realizado através da Família do Rogate: pessoas que se dedicam a propagar o mandamento de Jesus: “Rogai ao Senhor da Messe que envie operários à sua Messe”. (Lc 10,2). TEMA: ABRA SEU CORAÇÃO: A MESSSE É IMENSA E POUCOS SÃO OS OPERÁRIOS! OBJETIVO:

§ Provocar o jovem a buscar e aprofundar o conhecimento sobre a pessoa do Cristo do Rogate. § Envolver a juventude na missão da Messe. CONTEÚDO: Todos nós somos chamados a realizar uma missão neste mundo. Jesus também foi chamado e assumiu a missão de estar ao lado dos mais empobrecidos da sociedade, e isso o levou à cruz. Como jovens sonhadores somos convocados à mesma missão de Jesus: levar a Boa Nova a todas as pessoas e de diversas maneiras. Acompanhemos o texto bíblico que apresenta a missão de Jesus: PALAVRA DE DEUS: Mt 9, 35-38 Aníbal Di Francia, era um garoto inquieto e sonhador. Cresceu buscando um mundo mais justo e solidário. Quando ainda muito jovem realizou este sonho. Ordenado padre, fundou duas Congregações com o intuito de rezar e trabalhar na messe, pedindo incessantemente “operários à sua messe”. (cf. Mt 9, 38). Nasce assim, o sonho da FAMÍLIA DO ROGATE! Envolveu muitas pessoas neste sonho, fundou as Filhas do Divino Zelo - FDZ e os Rogacionistas do Coração de Jesus - RCJ,

DINÂMICA: Pesquisa de Campo § 1º passo: A partir do tema refletido sobre a missão do Rogate, motivar os participantes a saberem o que as pessoas pensam sobre Jesus, o Mestre que se compadece pela multidão cansada e abatida como ovelhas sem pastor. § 2º passo: De dois em dois, caminhar pelas ruas da cidade, fazendo uma pesquisa com a seguinte pergunta: Quem é Jesus para você? § 3º passo: Organizar as respostas dadas para ser apresentado no grande grupo. § 4º passo: Apresentação em plenário. § 5º passo: Encaminhar propostas sobre o que os jovens podem fazer para que o Rogate seja mais conhecido e a proposta do Senhor da Messe seja assumida por todos com ardor.

50


ORAÇÃO ROGACIONISTA Santo Aníbal Di Francia

Senhor Jesus, que nos mandastes pedir operários para a messe; cheios de confiança, recorremos à vossa bondade: enviai à vossa messe muitos e santos sacerdotes, dedicados leigos e numerosos religiosos(as) para a propagação do Reino e a salvação da humanidade. Senhor da messe, não tardeis a mandar os vossos operários; e assim, todos teremos a alegria de conhecer-vos e amarvos melhor. Nós imploramos: enviai, Senhor, operários e operárias à messe! SUGESTÕES DE MÚSICAS: - Buscando Resposta (CD Rogate) SUGESTÃO DE FILME: - ROGATE Vocação e Missão das FDZ e RCJ; - Viver a Vocação (II Cong. Vocacional do Brasil); - O Rio - O quarto sábio - A Missão - Jesus de Nazaré GESTO DE SOLIDARIEDADE § Dar continuidade no conhecimento da pessoa do Cristo do Rogate (encontros de jovens, vocacionais, celebrações,

VOCÊ QUE CHEGOU... - Você que chegou ao seu trabalho ora e peça iluminação... Isso se chama meditação. - Faça a agenda e programe o seu dia. Isso se chama organização. - Agora tudo planejado comece a trabalhar. Isso se chama ação. - acredite que tudo vai dar certo. Isso se chama fé. - faça tudo com alegria. Isso se chama entusiasmo. - Dê o melhor de si. Isso se chama santidade. - Ofereça tudo pelo aumento e santificação dos operários e operárias na Messe. Isso se chama:

§ leituras de livros, revistas formativas da Família do Rogate e aprofundamento da bíblia). § Procurar se envolver nas atividades e missão da família do Rogate. Encontro organizado por Ir. Izabel

51


PALESTRAS VOCACIONAIS

1 - A VIDA HUMANA “A colheita é grande, mas os trabalhadores são poucos. Pedi, pois, ao Senhor da colheita que envie trabalhadores para sua colheita!” (Mt 9, 37-38). Os trabalhadores para a colheita continuam escassos. O problema vocacional continua a ser um “caso sério”. Sério porque as vocações são um sinal indicador da vitalidade e da espiritualidade de uma comunidade cristã. Por outro lado, o que mais nos preocupa, não é a escassez de vocações em si, mas a mentalidade e o modo de conceber e viver a própria existência. A interpretação cristã da vida, como resposta ao chamado de Deus e ao encontro pessoal com Ele, choca-se com uma cultura que enfatiza a primazia da decisão e da escolha subjetiva, individual, eliminando-se assim a iniciativa de Deus e o diálogo com Ele. Segundo este modo de conceber a existência, a perspectiva de um “chamado divino” torna-se completamente estranho ao horizonte da existência. Portanto, antes ainda de falarmos de “vocações”, é preciso encontrar caminhos para uma evangelização da vida, pois um dos maiores desafios da evangelização hoje consiste em restituir à vida a sua intocável sacralidade de dom. Dom maior que deve ser acolhido, respeitado, amado, conduzido e orientado segundo o autor da vida. Além de evangelizar a vida, somos convocados a evangelizar a liberdade e, com ela, a própria pessoa, que projeta a vida sobre esta mesma liberdade. Aliás, a liberdade é o lugar misterioso onde Deus mais intensa e eficazmente está presente em nós e, ao mesmo tempo, onde reside nossa irrepetível originalidade. Acolher e seguir o próprio chamado quer dizer, então, tornar-se autenticamente livre. Assim, a Pastoral Vocacional é uma escola de promoção da liberdade humana.

Convém, portanto, não perder de vista que Deus é quem põe no coração humano as questões mais cruciais sobre o sentido da vida, e não o ser humano. Não é o ser humano que chama Deus, mas é Deus quem toma a iniciativa de chamar, em primeiro lugar, à vida e, depois, a uma vocação específica. Ao chamar alguém, Deus mesmo se oferece como resposta a quem busca sua realização pessoal. Toda vida humana é vocação, e não mero acaso ou destino cego, mas vocação, isto é, “Deus nos chamou com uma vocação santa, não por causa de nossas obras, mas por causa do seu plano salvífico e da sua graça, que nos foi dada em Cristo Jesus antes de todos os tempos” (2 Tm 1,9-10). Assim, a vida não é solitária aventura, mas diálogo, dom que se torna tarefa, dever, missão... Criado à imagem e semelhança de Deus, o ser humano é chamado a dialogar com seu criador, a conhecê-Lo, encontrá-lo, amá-lo, para partilhar da sua vida na eternidade. Pois “a razão mais alta da dignidade humana consiste na sua vocação na comunhão com Deus” (GS, 19). Por outro lado, a oração pelas vocações é indispensável. A oração liberta a pessoa. É o único instrumento capaz de agir simultaneamente sobre a graça e a liberdade. É a oração que faz confrontar a nossa liberdade com a liberdade de Deus. Alimentada pela Palavra do Senhor, a oração abre o coração do crente à descoberta da verdade no mais íntimo de si mesmo. Inserida no caminho da fé, a oração ajuda a “entregar-se” ante as exigências e propostas de Deus, dando-lhe uma resposta concreta. As comunidades que rezam e fazem experiência de oração, amadurecem, colocando no centro de suas intenções as exigências do Reino, pedindo ao Senhor da messe numerosas e santas vocações. Assim, “a cultura da oração gera uma cultura vocacional”. Diariamente somos convidados a responder à nossa vocação, não nos esquecendo que todas as vocações têm um só e mesmo objetivo: anunciar o Reino de Deus na história. A Pastoral Vocacional, por exemplo, ajuda a pessoa a buscar uma resposta para a sua vida. Ajuda os membros da comunidade eclesial a crescerem na maturidade da fé, tornando-os capazes de descobrir e discernir a própria vocação e missão a serviço da comunidade. A primeira condição da Pastoral

52


Vocacional é conhecer, deixar-se seduzir, amar apaixonadamente a pessoa de Jesus, fazer a experiência do encontro vivo, transformador com Cristo, tornar-se discípulo(a), seguidor de Jesus, para levar outros a Cristo. Ninguém se exclua da Pastoral Vocacional! Ela é essencial na Igreja. Engajemonos na animação vocacional e sejamos presença marcante no despertar, discernir, cultivar e no acompanhar os vocacionados/as a um serviço na Igreja e no mundo. Nas dioceses que têm um trabalho organizado de animação vocacional ou de Pastoral Vocacional, não faltam vocações. Fazer animação vocacional é ajudar os vocacionados(as) a perceber que Deus é amor – é comunicar-lhes a experiência de amor e ajudálos a serem pessoas que amem e sejam amadas. Dom Nelson Westrupp, SCJ SER CRISTÃO É SENTIR O CONVITE À SANTIDADE Convidar à santidade é um dos grandes objetivos da pregação de Jesus que freqüentemente apela à conversão, à perfeição e à santificação de todos aqueles que querem entrar no Reino: Eu, porém, digo-vos: amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem. Fazendo assim, tornar-vos-eis filhos do vosso Pai que está no céu, pois Ele faz com que o sol se levante sobre os bons e os maus e faz cair a chuva sobre os justos e os pecadores. Porque se amais os que vos amam, que recompensa haveis de ter? Não fazem já isso os cobradores de impostos? E, se saudais somente os vossos irmãos, que fazeis de extraordinário? Não o fazem também os pagãos? Portanto, sede perfeitos como é perfeito o vosso pai celeste. (Mt. 5, 43-48) O mesmo nos diz S. Paulo: Esta é, na verdade, a vontade de Deus: a vossa santificação: que vos afasteis da devassidão, que cada um de vós saiba possuir o seu corpo em santidade e honra... Deus chamou-nos à santidade. (1Ts4,1-4) Muitos outros textos, tanto do Antigo como do Novo testamento, poderiam servir como base para a nossa reflexão sobre a santidade e perfeição que são pedidas a cada um de nós. No entanto, gostaríamos de salientar como Secretariado Diocesano da Pastoral Vocacional

que ser “santo” é ser fiel à vocação que Deus confiou a cada um de nós. Chegados aqui, uma pergunta se coloca: “Que é a vocação?” Vamos procurar a resposta na origem da palavra. Vocação tem a ver com a palavra “voz”, que vem do verbo latino “vocare”, isto é, “chamar”. Como se vê, há uma intervenção de alguém que convoca, convida e está à espera que a sua proposta seja aceita. Logo existe uma proposta, que implica uma opção, resposta e caminho a percorrer. Voltando à Bíblia e lendo os relatos das diversas vocações encontramos uma idéia comum a todas elas: deixar qualquer e partir. E isto não é fácil, pois sabemos que vamos arriscar em algo desconhecido que nos poderá tirar do comodismo e da vida mais ou menos programada que idealizamos. E depois surge uma nova questão: Vou deixar isto e aquilo... e o que é que vou adquirir em troca? Nesta viagem pelos textos bíblicos encontramos sempre três elementos-base: “Deixar” uma situação, “assumir” uma missão, “viver” uma aliança. E, para que isto aconteça tem que existir sempre uma atitude de abertura, disponibilidade e diálogo. Jesus usa frases simples para chamar os seus discípulos: “Vem e segue-me”; “Vinde e vede”; “Deixa as redes e segue-me”. Ele dirige-se sempre a pessoas concretas, com nome próprio, que são “escolhidas”. Nós somos pessoas concretas. chama-nos:

essas Jesus

A sermos homens e mulheres Em primeiro lugar, somos chamados à vida, desafiados a viver de maneira a nos sentirmos realizados e satisfeitos com o que fazemos por nós e pelos outros. Pobre é aquele que não sente alegria no seu viver, respirar... É desperdiçar uma dádiva que Deus nos dá. À santificação Todos somos convidados a ser felizes e quem é que o não deseja? Só que esta felicidade implica uma caminhada em que somos capazes de corrigir defeitos e potencializar as nossas qualidades. Não nos

53


fechemos em nós próprios e no nosso mundo. É necessário partilhar, dialogar, colocar em comum todos os talentos que Deus nos deu para fazer render.

por Deus: “como criadores” e “educadores da vida” de maneira a serem obreiros da obra do tal sonho... Chamado ao sacramento da Ordem

A ser cristãos no mundo de hoje

Temos que assumir que a nossa identidade traduz-se por ser configurado com a imagem de Cristo, ser outro Cristo. Isto é, a ser cristão em toda a sua plenitude participando em tudo o que ajudar para o crescimento do Reino de Deus. Aqui poderíamos apontar para a nossa responsabilidade e participação em todas as atividades das nossas comunidades cristãs...  A viver de uma forma específica A nossa condição de cristãos leva-nos a optar por várias vocações que Deus coloca à nossa frente. Cada um de nós é único e, por isso, é chamado a percorrer o seu caminho, mediante a resposta que deu ao Espírito que chamou. Es te caminho tem que ser vivido em Igreja, em comunhão com todos os irmãos que procuram o mesmo ideal: viver de acordo com a Boa Nova de modo a concretizar a realização do “sonho” de Jesus que já tem 2001 anos: “que todos sejam um, como nós somos um”. Aqui chegados nova pergunta pode ser colocada: Quais as vocações a que Deus pode nos chamar? Atenção: Para este “convite” Ele nunca usa a internet, telefone, televisão, jornal, carta pessoal ou... Ele serve-se das pessoas, dos acontecimentos, da natureza, da nossa vida e de tudo o mais que possa tocar o coração da criatura por Ele amada. Fazendo uma leitura sobre o Concílio Vaticano II observamos que nos surgem três grandes grupos de vocação na Igreja (que somos todos nós): o clero, os religiosos (as) e os leigos. No entanto, achamos oportuno, neste momento, de forma simples e resumida, salientar os vários tipos de vocação:  Chamado ao sacramento do Matrimônio

Este sacramento leva duas pessoas (um homem e uma mulher) a tomarem consciência de que “foram chamadas” por Cristo a viver uma vida em comum para participarem e viverem tudo o que nos é dado

Tantas vezes incompreendido! Ele convida à disponibilidade e vontade de estar o tempo inteiro ao serviço da comunidade para a qual se é enviado. Chamado à vida missionária Convida todos, sem exceção, a anunciarem a Boa Nova de Jesus Cristo em todos os povos. Este apelo missionário deve ser vivido pessoalmente através do testemunho e das ações.  Chamado à vida consagrada Este convite pode ser endereçado de duas maneiras distintas: Vida Religiosa Contemplativa São aqueles irmão e irmãs que na solidão e no silêncio, mediante a escuta da Palavra de Deus, procuram a realização do culto divino, a ascese pessoal, a oração, a mortificação e a comunhão do amor fraterno e orientam toda a sua vida e atividade para a contemplação de Deus. Vida Religiosa Apostólica Os irmãos ou irmãs que aceitam este desafio desejam ser testemunho da multiplicidade dos dons dispensados, por Deus, aos seus fundadores(as) e, assim interpretarem os sinais dos tempos e responder, de forma esclarecida, às novidades e exigências que vão aparecendo em cada dia que passa... Institutos Seculares Quem é chamado a esta vocação é convidado a viver a Consagração a Deus no mundo, através dos Conselhos Evangélicos. Eles são fermento de prudência sabedoria e testemunhas da graça no contexto da vida cultural econômica e política Sociedades de Vida Apostólica Estas Sociedades de Vida Apostólica ou de vida comum dedicam-se com o seu estilo próprio a um fim especificamente apostólico e missionário. (Pe. José Manuel, SCJ)

54


02 - TEMA: FIDELIDADE À VOCAÇÃO Tratando-se do seguimento de Jesus, a vida consagrada ou sacerdotal, toda pessoa chamada, seja ela qual for, no mais profundo do seu ser, sente-se inquieta porque o chamado a coloca diante dos desafios, do novo, do medo, da insegurança, etc. Surgem os questionamentos, as dúvidas e os apegos às coisas materiais. Perante tantos obstáculos, o vocacionado precisa ser forte e autêntico para tomar suas decisões, e para isso é importante espelhar-se nas grandes figuras bíblicas, como por exemplo, Isaías (Is 6, 8): “Ouvi a voz do Senhor que dizia: quem é que vou enviar? Quem irá de nossa parte? Eu respondi: Aqui estou, envia-me.”. Percebe-se que o profeta nem se quer pensou, o seu sim foi imediato, isso porque Isaías em si já havia dado a sua resposta generosa e fiel, abrindo seu coração, confiando totalmente em Javé. A vocação de Samuel: “Javé chamou: Samuel, Samuel. Ele respondeu: estou aqui. Ele foi correndo para junto de Eli e disse: Estou aqui, o Senhor me Chamou. Eli Respondeu: não, eu não chamei você. Vá se deitar. Samuel foi se deitar.” (I Samuel 3, 4-5). O pequeno Samuel estava atento ao chamado, enquanto que Eli só percebeu que era Javé que chamava o menino, após sua insistência. No capítulo 3 do Êxodo Deus chama Moisés para libertar seu povo oprimido. ”O clamor dos filhos de Israel chegou até mim e eu estou vendo a opressão com que os egípcios os tormentam, vá, eu envio você ao Faraó para tirar do Egito o meu povo, os filhos de Israel. Moisés reclama, parece não aceitar a proposta de Javé, sentindo-se limitado, incapaz de libertar o povo que estava sob o poder de um rei dominador. Meu senhor, eu não tenho facilidade para falar... Minha boca e minha língua são pesadas” (Êxodos 4, l0). Maria também é exemplo maior de fidelidade ao chamado de Deus, pois ao ser comunicada pelo anjo Gabriel, ela não fez nenhum questionamento, nem criou obstáculos, simplesmente disse como está no Evangelho de São Lucas (Lc 1,37): “Eis a escrava do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra”. Os exemplos dos patriarcas e profetas, de total aceitação ao chamado do Senhor, devem servir de direcionamento para que também nós

estejamos atentos e disponíveis para o chamamento de Deus. Com certeza, todos eles também entoaram o Magnificat da sua maneira. Para nós, Filhas do Divino Zelo, Nossa Senhora do Rogate é o exemplo maior de: dedicação, serviço, submissão e fidelidade a Deus. Devemos ver nela como espelho e estímulo para seguirmos fiéis à nossa vocação, obedientes ao chamado. Seguindo os ensinamentos do nosso fundador, Santo

Aníbal Maria Di Francia, e nossa cofundadora, Madre Maria Nazarena Majone, ambos defensores incansáveis da oração pelas vocações, devemos nos sentir cada vez mais responsáveis por esta grande missão que nos foi confiada de zelar sempre pelas vocações, para que haja mais operários e operárias na messe do Senhor, e nós, como discípulas do Zelo e do Rogate, devemos ser presenças vivas do Reino de Deus na Igreja. Povoado Mocambo - Frei Paulo (SE) Irmãs Geralda e Helena Francisca

55


03 – PALESTRAS PARA CASAIS Oração Inicial Dinâmica da flor: Cada membro do grupo recebe um copo com água e uma flor de papel. Dentro de cada flor está escrito um valor familiar: respeito, amor, diálogo, união, carinho e zelo. Esperar que o animador peça para colocar a flor dentro do copo. Após abertas, deixar que cada um partilhe sobre sua palavra. Encerrando com a leitura do evangelho de São Mateus 9,35-38, enfatizando que toda família é chamada a ser boa operária na sociedade em que vive. Canto: Oração da família. Exposição do tema: Dinâmica do balão: Com um fundo musical cada casal movimenta o balão sem deixá-lo cair, enquanto isso, o animador fala sobre a importância e o cuidado com os filhos, o cuidado com o lar representado pelo balão. Em seguida o casal passa a partilhar o balão com outros casais, sem deixá-lo cair ou estourar. Mais uma vez o animador fala da importância das famílias valorizarem o diálogo e a partilha no meio em que vivem. Reflexão A família tem múltiplas significações, em ordem natural significa grupos de gênero, que vivem em um mesmo ambiente.

Historicamente é no quadro da família que ocorre a função de reprodução da espécie humana, a produção econômica, a transmissão de conhecimentos e técnicas e a conformação aos valores sociais. Um ambiente cheio de amor a Deus a ao próximo favorece a educação dos filhos. Os pais que dão aos filhos: afeto, confiança, respeito, liberdade, responsabilidade, despertam neles

inteligência, vontade, consciência, amizade, solidariedade e generosidade para responder e descobrir sua vocação, o seu ideal. A família estruturada ajuda o filho a crescer na fé e na graça. Onde existe amor, ai está Deus. A família é a primeira Igreja, o alicerce da sociedade. No exemplo e nas palavras do pai e da mãe, os filhos aprendem a doutrina e as virtudes cristãs. Os filhos educados enfrentam os desafios da vida. No trabalho e na participação com justiça, se constrói uma sociedade mais humana, mais solidária. Diante deste contexto, não devemos desanimar, desacreditar, pois “a família é ainda o lugar seguro, ao qual ninguém quer renunciar. Ela é amada, sonhada e desejada por homens, mulheres e crianças de todas as idades”. (Roudinesco). PARA PARTILHAR: 1. Qual o alicerce da família? 2. A família é a base da Igreja e da sociedade? 3. Sua família está cumprindo a missão de educar seus filhos na fé? Como? 4. Troque opiniões e debata sobre o valor e a importância da família na nossa vida. Oração Final; Cristo Senhor da messe e da Igreja, muito abrigado pelos padres que nos destes. Ele nos batizaram e nos deram a primeira comunhão. Tantas vezes na confissão nos perdoaram em vosso nome. E sempre de novo nos alimentam com a palavra e com os sacramentos. Mas se estamos felizes com tudo isso, também estamos preocupados. Pois são tantas as pessoas que ainda não tem sacerdote. Bairros imensos das grandes cidades estão abandonados. Cidades e vilas do interior; povos inteiros e até continentes em terras distantes não vos conhecem. Quem irá levar o evangelho a essas pessoas? Ficaram abandonadas sem a presença da Igreja? Senhor Jesus, também a eles mandai sacerdotes, religiosos e missionários, como os enviastes a nós. Para isso chamai vós mesmos os novos apóstolos, como chamastes Pedro e Tiago, João e André e todos os outros. Chamai-os de nossa paróquia. Chamai os de nossas famílias, chamai alguém de nossos parentes. Chamai alguém de nossos vizinhos. E se for do vosso agrado, lembrai-vos também de nossa casa. Vinde a nós. Batei à nossa porta. Dai-nos a honra de vossa visita. Chamai algum filho para ser sacerdote, religioso ou missionário, alguma filha para ser religiosa ou missionária. Iremos apóia-los, iremos ajudá-los. Dai-nos, Senhor, essa graça e alegria. Amém. (Palestra organizada por Ir. Magna)

56


ESTÓRIA – 1 NÓS FAZEMOS DIFERENÇA NO MUNDO! Era uma vez uma fazenda onde existiam diversas plantações, mas lá no cantinho, bem no cantinho, tinha uma plantação de trigo onde moravam Julieta e Pedrinho, duas sementinhas de trigo: _ Olá Julieta, olha que lindo dia! _ Ham... _ O que foi? Não acha um lindo dia para brincar? _ Não é isso Pedrinho, é que o que uma sementinha como eu pode fazer no mundo? _ Tudo! Olha! Uma semente de trigo não serve somente para fazer o pão, mas sim para modificar as coisas mais importantes da vida! _ Como assim? A vida não muda com a minha ajuda! Claro! Se você souber aproveitar as coisas mais importantes dela, poderá mudar o seu coração! _ Mas o que tem a ver com a minha importância no mundo? _ Eu tenho um livrinho que diz sua importância, quer ver? _ Sim. _ A fé é a força da vida, e se um grãozinho de trigo vive é porque acredita em alguma coisa. (Por alguns momentos os dois grãozinhos ficam em silêncio). _ Pedrinho, você é o melhor amigo do mundo! Obrigada! _ Lembre-se: Cada um tem uma vocação. _ É isso mesmo e eu acho que a vocação está dentro de nós e que, de qualquer forma, fazemos diferença no mundo pelos olhos de Deus! Agora está tarde, tenho que ir para casa. _ Não tenho dúvida! A fé move montanhas, Julieta! Tchau! Os dois então terminam a conversa, mas anos depois, quando ficaram adultos, viraram pão, o pão mais gostoso que existia, o pão da fé. Pois eles fazem a diferença no mundo! (Aluna: Nicole Piazza Ferrari 4ª série – Içara – SC)

57


ESTÓRIA - 2 SER FRATERNO É REPARTIR O PÃO

Neste momento, uma forte rajada de vento os apanha de surpresa. Elizabete perdeu o equilíbrio e seu galho de sustentação curvou-se até o chão. Muito assustada não tinha forças para se levantar novamente, durante vários dias permaneceu ali imóvel. A umidade já estava prejudicando sua qualidade e poderia causar o chamado “mofo”! Preocupado, Trigolito se esforçava para acalmá-la e tentar ao mesmo tempo erguer sua amiga até a posição correta. Com muita dedicação, após dois dias, já fragilizados com tanto esforço, finalmente conseguiu alcançar a amiga e salvá-la. Depois disso, ele percebeu que sua vocação não era chegar ao mercado como um produto especial e caro, mas sim, ajudar as pessoas. Naquele mesmo instante sentiu que aquele vazio em seu coração havia se preenchido! No dia seguinte, os caminhões de colheita chegaram de diferentes lugares à procura de bons trigos para a fabricação dos produtos. Neste momento Trigolito pensou: “chegou a hora de me doar para ajudar alguém. Durante muito tempo esta plantação vem sendo preparada e pelo mundo será distribuída, outras crianças de rua, prisioneiros, animais, enfim, muitos precisarão de alimentos.” Com um suspiro profundo, seu coração se encheu de emoção quando pensou: “não me importa a classe social ou o modo de vida daqueles que de mim necessitam”. Num pulo bem alto, com os olhos fechados e muita satisfação, entrou em uma cesta de vime, que para algum destino o levou. Trigolito pode estar em qualquer lugar nesse momento, num mercado, numa padaria, em forma de hóstia sagrada ou até mesmo na sua casa. Porém, não mais sentindo aquele vazio, mas sim, feliz porque finalmente chegou o momento dele! E aprendeu que para se sentir importante não é necessário um título ou ser multimilionário, basta viver com fé e poder sempre contar com a ajuda dos amigos!

Era uma vez uma fazenda repleta de belos vales, animais, cachoeiras; lá no fim após um grande percurso se encontrava uma enorme plantação, havia diversos tipos de hortaliças e sementes. Existia uma família nobre, a dos trigos, que eram utilizados para produzir apenas os produtos mais especiais, como panetones, pães variados, farinha, massas, bolos, biscoitos, entre outros. Eram tratados como autoridades, todas as manhãs os trabalhadores passavam para examinar a qualidade de cada um. Aconteciam também excursões escolares, que era ensinado como o trigo se tornava um produto para ser vendido ao mercado, explorando suas qualidades e nutrientes. Entre milhões deles viviam Elizabete e Trigolito, amigos inseparáveis que eram como irmãos, muitos sinceros um com o outro. Num certo dia, ao amanhecer, o Trigolito disse à amiga: - Bom dia, amiga! Gostaria de sua ajuda, concedeme um tempinho? - Claro querido, sempre estarei disposta a ajudá-lo, pois como disse Aristóteles: “Um amigo é uma única alma habitando dois corpos”, filosofou Elizabete. - Preciso contar algo, um sentimento ruim que me incomoda, deixa-me muitas vezes inquieto e sem descanso. Sinto um vazio em meu corpo como se estivesse no caminho errado à beira de um precipício; parece que isso quer me avisar algo! Percebo que estou de braços cruzados enquanto alguém precisa de minha ajuda. Carinhosamente Elizabete, respondeu: - Na minha opinião, todos somos importantes e para algum oficio fomos preparados, devemos ser confiantes e nunca desistirmos! Em qualquer circunstância temos de ultrapassar todas as barreiras, independente de sermos pobres ou ricos, humanos ou não. Você deve compreender que ainda não pode se manifestar, porém em breve acontecerá a colheita e Autora: Larissa Gabriel Bitencout só assim poderá fazer algo para ajudar o mundo. - 4ª série – Içara-SC

58


TERCEIRA – ESTÓRIA CADA UM TEM SEU VALOR Certo dia... No paiol da fazenda Luz da Vida, encontravam-se vários sacos de trigo. Existiam milhões deles, pois a terra era fértil e possuía bastante espaço para o plantio. Como eles ficavam bastante tempo juntos até chegar ao mercado, faziam amigos, pois ninguém é de ferro, neste caso, até o trigo. Havia dois milhos inseparáveis; chamavam-se: Trigolina e Triguito. Só que Triguito tinha uma deficiência, nasceu com uma mancha, o que fazia com que na hora dos homens do mercado virem buscá-los para o comércio, nenhum o escolhia. Triste, Triguito disse à Trigolina: - Estou tão triste, sei que não tenho culpa de ter nascido com um problema, porém me sinto infeliz; há dois meses estou aqui dentro, agüentando humilhações e vendo os meus amigos partirem e eu permanecer. Com um tom de voz dócil, Trigolina respondeu: - Não se preocupe, amigo, todos somos importantes e para algum ofício viemos ao mundo. O que não podemos fazer é desistir, pois devemos ser humildes e termos fé de que um dia conseguiremos conquistar o nosso espaço. Triguito não ficou satisfeito com as palavras de Trigolina, pois era consciente de que quem deveria realmente ouvir aquilo era o pessoal do mercado. Porém, ficou grato pelo carinho que recebeu. Após algum tempo se despediram e cada um foi para o seu lado. Anoiteceu. O silêncio reinava no paiol. Todos os trigos estavam repousando, após um dia cansativo sem ter o que fazer dentro daquele pequeno saco, repleto de grãos de trigo inquietos esperando sua vez. Apenas um deles ainda estava acordado, pensando nas palavras de trigolina, e se um dia teria o privilégio de representar a sua terra no comércio.

A lua começou a se esconder, o sol ainda não aparecia por completo, mas a correria no paiol já havia começado há muito tempo. De repente ouviu-se o trote de um animal, e apareceu uma bela moça sobre um cavalo branco, que logo disse aos trabalhadores: - Com licença, sou uma artesã e estou à procura de lascas de madeira e sementes diferenciadas para um novo trabalho. Será que posso procurar por aqui? Eles apenas disseram que sim, através de um gesto, e voltaram ao trabalho. A artesã passou horas coletando diversos materiais para a sua obra. Quando voltou ao paiol, os trabalhadores permitiram que ela olhasse os sacos, procurou até chegar ao último, o de trigos. Já sem esperança, examinou um por um, até que percebeu lá no fundo um pequeno grão de trigo com uma mancha verde sobre o amarelo; além de representar as cores da pátria, ainda possuía um tom sobrenatural. Rapidamente o pegou; o mais especial, que o trigo escolhido era Triguito, que sentiu tamanha alegria. E não foi apenas ele que ficou feliz, também Trigolina, pela conquista do amigo, e a artesã, que havia encontrado o que faltava em sua obra. Triguito ainda comovido pelo o acontecimento, foi dentro de uma maleta até o ateliê da artista. Lá conheceu gente nova e ainda pôde observar como é belo o mundo da arte. Ele foi bem tratado, puseram vários produtos para que ficasse impecável. Passaram três semanas até que Triguito fosse colocado na tela. Na festa de inauguração ele era a atração! A obra foi comprada por um museu muito famoso e reconhecida por anos e anos. Foi assim que aquele triguinho mudou não só a vida da artesã, como a das futuras gerações, que aprenderam uma lição de vida com sua história. Autora: Larissa Gabriel Bitencout ( 4ª série – Içara-SC

59


MARATONA VOCACIONAL I OBJETIVO: Favorecer a formação humana e cristã dos pré-adolescentes e adolescentes, cultivando neles o espírito Rogacionista num clima de oração, profunda amizade, alegria, solidariedade, dentro do projeto de Jesus Cristo: O grande animador vocacional do Pai. DESTINATÁRIOS: Poderá ser aplicada nas escolas, nos grupos de pré-adolescentes, adolescentes e outros grupos de catequese. Trata-se de uma maneira gostosa de estudar e refletir sobre dois temas da mais extrema importância nas nossas vidas: Vocação e missão. 1.Escreva no diagrama abaixo palavras deste texto: Um elemento fundamental para a vitalidade da Igreja é a convicção de que todos os batizados, sem exceção, são responsáveis pelo cuidado das vocações. Mais concretamente ainda, podemos afirmar que o protagonismo, o sujeito ativo da animação vocacional é a própria comunidade eclesial enquanto tal, e não apenas algumas pessoas. É a comunidade e na comunidade que deve-se criar o clima necessário para que brotem e se firmem as diversas vocações.

2.º Copie os seguintes versículos da Bíblia: Ex 3,4 - ____________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________ Jr 1,5 ______________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________ Lc 1, 28 -___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________ Lc 5,4 -_____________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________ Gl 3,26-27 __________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________ 3.º Qual das passagens da questão anterior mais lhe chamou a atenção? Por quê?

60


4.º Descubra alguns vocacionados da Bíblia. Para isso basta que você pesquise na Bíblia as passagens abaixo e escreva no diagrama o nome do vocacionado correspondente a cada passagem.

5.º Você deve ter percebido que temos muitos exemplos de vocacionados e vocacionadas na Bíblia. Então escreva aqui o nome de um vocacionado ou vocacionada da Bíblia que não está citado no diagrama da questão anterior. Escreva também um trecho da bíblia que descreve a vocação. NOME:_____________________________________________________________________________ LOCALIZAÇÃO NA BÍBLIA:____________________________________________________________ DESCRIÇÃO DA VOCAÇÃO:___________________________________________________________ 6.º Descubra qual é o tema e o lema do Ano Vocacional. Para isso, basta colocar sobre o número a letra correspondente.

A= 1 B= 2 C= 3 D= 4 E= 5 F= 6

G= 7 H= 8 I= 9 J= 10 K= 11 L= 12

M= 13 N= 14 O= 15 P= 16 Q= 17 R= 18

S= 19 T= 20 U= 21 V= 22 X= 23 Z= 24

Ã= 25 Ç= 26 Õ= 27 Á= 28

Tema: __ __ __ __ __ __ __, __ __ __ __ __ __ __ __ 04 09 19 03 09 16 21, 12 15 19 05 13 09 15 19 __ __ __ __ __ __ __ 14 01 13 05 19 19 05 Lema: __ __ __ __ __ __ __ __ __ __ __ __ __ __ __ 17 21 05 13 20 05 04 15 13 16 01 09 23 28 27 __ __ __ __ __ __ __ __ __ __ __ __ __ __ __ ___ ___ __ 18 15 07 01 01 14 21 14 03 09 01 20 05 19 20 05 13 14 01 7.º Relacione a segunda coluna de acordo com a primeira:

61


1. Vocação humana 2. Vocação cristã

( df ) Na Igreja, todos são chamados a um determinado serviço ao mundo. ( df

3. Animação 4. Toda a comunidade

) Chamamento à existência. Deus nos chama antes de tudo a sermos pessoas humanas realizadas e felizes. Este é um aspecto do chamado que diz respeito a toda a humanidade. ( f ) Todos os membros da comunidade vocacional são animadores vocacionais, ou seja uns pela vocação dos outros.

( df

) Começa com o despertar para a vivência plena da natureza social do ser humano em todas as suas manifestações e exigências

8.º Procure, no diagrama, as palavras destacadas no texto. Aos CRISTÃOS de hoje, além de uma experiência do SAGRADO, precisamos propor uma autêntica ESPIRITUALIDADE, capaz de lhes dar ÂNIMO e CORAGEM para continuar firmes na MISSÃO, mesmo diante dos inúmeros DESAFIOS que aparecem. Nos tempos atuais, não é possível seguir JESUS CRISTO sem contarmos quotidianamente com a sua GRAÇA e sem o ESFORÇO para permanecermos COERENTES com as exigências do DISCIPULADO.

62


MARATONA VOCACIONAL II Esta maratona destina-se a crianças de 8 a 12 anos. Pode ser aplicada às crianças das escolas e Catequese. Pinte: de amarelo o nome do santo que fundou as duas congregações: Filhas do Divino Zelo e dos Rogacionistas. De azul: O nome da irmã que o ajudou De vermelho: o lugar, onde nasceram as congregações De verde: O carisma das congregações

2. Faça um círculo em torno das palavras que têm muito a ver com vocação Casamento

Amor

Desunião

Cristã

Exploração

Sacerdote

Libertação

Profeta

Irmão

Esperança

Preguiça

Missionário

Vida

Morte

desamor

3. Assinale com a letra “V”, se for verdadeiro, e com a letra “F”, se for falso ( ( ( ( ( ( ( ( ( (

) ) ) ) ) ) ) ) ) )

Viver é crescer como gente. Viver é amar e cultivar a vida. Viver é fazer só o que se gosta. Viver é escutar e seguir o chamado de Deus. Viver é querer somente a própria felicidade. Viver é ajudar o necessitado. Viver é conhecer e amar a Deus. Viver é não ajudar a família. Viver é pensar só em dinheiro. Viver é amar e servir os irmãos, como Jesus.

4. Coloque em ordem de importância as palavras abaixo, segundo a numeração: ALIMENTO FAMÍLIA JESUS DINHEIRO SAÚDE

AMOR

SERVIR

PRAZER

AMIGOS

VOCAÇÃO

PERDÃO

MISSÃO

1.___________________

2. _____________________

63


3.___________________

4. _____________________

5. __________________

6. _____________________

7. ___________________

8. _____________________

9. ___________________

10. ____________________

11. __________________

12. ____________________

13. __________________ 6. Há vários vocacionados na Bíblia. O nome de 10 deles se encontra no diagrama. Tente encontrá-los. Pode pesquisar na Bíblia: ( Jr 1.1-9; Is 6,1-8; Lc 1, 26-36; Lc 4, 14-21; Jo 1,35-51; Atos 9,1-19 ) E D

E

U T

J

E

A

A De qual desses amigos de Jesus você gostou mais? Por que? ______________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________ 6. Escreva abaixo o que precisamos para ser feliz na nossa vocação 7. :

7. Completar com as palavras: amigo - crianças – pobres – Maria – órfãos – perdoar vocaçõe s- chama – Jesus – rezar a) Filho de Deus e nosso melhor amigo________________________________ b) Jesus é o maior _______________das _____________________________ c) ________________________é mãe de Jesus e nossa mãe.

64


d) Santo Aníbal era amigo dos ___________ e dos ______________________ e) Rezar pelas_____________________________ é nosso compromisso diário. f) Devemos ___________________________ à noite para Jesus nos abençoar. g) Quando alguém nos ofende devemos _______________________________ h) Quando Jesus nos ___________________________devemos responder sim.

Organizada por Ir Amélia

ROGAI AO SENHOR DA MESSE QUE MANDE OPERÁRIOS! - A Messe é grande, operários são poucos./ Rogai ao Senhor da messe que mande operários!

- Quem tem compaixão: Roga - Anuncia - Testemunha! Era uma vez....

65


MARATONA VOCACIONAL II Maratona elaborada por Ir. Izabel OBJETIVO: Tornar conhecido o carisma do Rogate, o cultivo pelo espírito e missão Rogacionista. DESTINATÁRIOS: Poderá ser aplicada nas escolas, nos grupos de pré-adolescentes, adolescentes e outros grupos de catequese, grupos vocacionais, etc. Trata-se de uma maneira gostosa de conhecer o nosso carisma e a família do Rogate.

I - CONHECENDO UM POUCO MAIS DA HISTÓRIA DO APÓSTOLO DA ORAÇÃO PELAS VOCAÇÕES. 1) Complete as frases abaixo e escreva na cruzadinha as palavras correspondentes à trajetória deste magnífico operário da messe.

A N I B A L

-

D I F R A N C I A 1. No dia 16 de maio de 1897, fundou a congregação dos __________ do Coração de Jesus. 2. Nasceu no dia 05 de julho de 1851, na cidade de _______________, Itália. 3. Sua preocupação por mais ____________ na messe, era uma súplica que fazia diariamente. 4. O Papa ____________, ao perceber o ardor de Santo Aníbal pelo Rogate, disse: “Eu sou o 1º Rogacionista”. 5. O Rogate é o ___________, a Identidade das Filhas do Divino Zelo do Coração de Jesus - FDZ e dos Padres Rogacionistas do Coração de Jesus - RCJ. 6. No dia 1º de __________de 1886, Jesus Sacramentado tomou posse do Primeiro Sacrário da obra no bairro de Avignone. 7. No dia 19 de março de 1887, fundou a Congregação das Filhas do Divino Zelo. (sigla) 8. Para a divulgação do Rogate, formação e informação dos amigos e benfeitores, em 1908, funda a revista “DEUS E O __________”. 9. Seu pai se chamava __________ Di Francia. 10. O ___________ foi o projeto de sua vida, a obra de suas obras; hoje, é o carisma específico da família do Rogate. 11. O __________ foi o primeiro país a receber as FDZ e os RCJ.

66


12. Sua mãe se chamava ____________Toscano. 13. O encontro com o pobre cego _____________ foi a inspiração para começar sua obra apostólica, ainda antes de sua ordenação sacerdotal. 14. ______________ foi seu “Sinai”, sua “tenda”, “areópago”, lugar onde Santo Aníbal começou sua missão. 15. Como apóstolo da oração pelas vocações, para difundir o mandamento de Jesus, isto é, o “ROGATE” funda a Sagrada Aliança para o clero e a _______ ____________ de Oração pelas Vocações para todos os cristãos. 2) Fazem parte da FAMÍLIA DO ROGATE as Filhas do Divino Zelo, os Rogacionistas do Coração de Jesus, as Missionárias Rogacionistas, as Famílias Rog, a União de Oração pelas Vocações, os GOVs, e os TRIGUITOS. Escreva as letras de acordo com os números correspondentes e saberás as três dimensões do carisma e missão desta família. 1

2

3

4

5

6

7

8

28

9

27

27

3

4

O

4

G 25

26

10

8

22

N

9

E

23 25

10

13 11

11

C

20 16

6

12

I 24

17

U

7

A

21

M

24

19 1

H

S 5

R 14

12

18

T

13

28 15

26

23

14

22

21

20

19

18

17

16

15

ANO VOCACIONAL – FDZ 3) Este ano de 2008, nós, Filhas do Divino Zelo, celebramos o Ano Vocacional na Província Nossa Senhora do Rogate. Com o tema: Discípulos e operários na messe. Com o lema: “Quem tem compaixão: ___________________________________________________________. Continua a frase, saltando sempre uma letra e descobrirás, o lema.

C I I

M

A

N

X

A

U

T

U

O

M

N 

E

A

E

N

C E

A

H

P T

M

A

U

R

A

C

O

E

z

T

w

S G O

67


4) OPÇÃO DE VIDA Na vida, o mais importante não é o que tens, nem o que fazes ou queres fazer. O importante é a tua própria pessoa. Quando tens um objetivo, um ideal na vida deves pensar no que és, em teus gostos, em teus sonhos, porém, sempre em sintonia com o projeto que Deus tem para ti.

Coloca as consoantes na frase abaixo e saberás o que se precisa para realizar e perseverar na e opção vocacional feita. E E

I I

I E

U I

A

I A

E

A 

E ♫

Procure no caça-palavra as cidades onde atuam as FDZ e os RCJ no Brasil; e com o restante das letras encontrarás uma linda frase de Santo Aníbal. I A R T A A A B L J C J 3 O

A Ç I I L G B A P A O A R B

T A O Ç P N I U I C R N I M

A O D A I I T R D A A I O A

V D E R N T I U A R Ç O S C

A O J A O E R A S E A Q V O

R S A O P A U L O P H U A M

G R N D O M C I S A N A L A

A O E E L E S S S G I D E O

C R I C I U M A A U J R N 

O G R V S R C R P A A O Ç 

R A O E S E U B N O L S A 

68


TEATRO VOCACIONAL CATEQUÉTICO Teatro organizado por Ir. Maria José Costa Objetivo Descobrir a real possibilidade de viver a vocação cristã Personagens: Algumas crianças; uma catequista; Joãozinho; mendigo; padeiro; padre; professora; idoso. Material/ figurino: roupas comuns, exceto o mendigo , padeiro, padre, professor e o idoso. Um livro de catequese/Bíblia/ caderno/ estojo/ lápis. Cartaz com a palavra vocação e outro cartaz coma frase principal (“ A vocação é um chamado de Deus para servir aos irmãos”); um quadro e um dicionário. Cenário: Uma sala de encontros (onde se reúnem grupos de catequese) e uma rua (proposta já feita na peça anterior). (A cena começa com as crianças e a catequista chegando na sal de encontro.) ( segue-se aquela bagunça.) Catequista – Boa- tarde, crianças! Crianças – Boa –tarde! Catequista – Estão animadas para o nosso encontro de hoje? Todas – SIM. Catequista – Que bom, pois hoje falaremos sobre a vocação (anota num quadro negro ou em um papel bem

Joãzinho – Ah, não, por favor! Não tenho tempo, tenho que jogar bola, soltar pipa e, se sobrar um tempinho, ainda fazer os deveres da escola... Catequista – Isso. Quando você for fazer os deveres da escola, faça este também... E garanto que este será mais fácil do que o da escola! Joãozinho – ( injuriado) Esta não! Catequista – Bom, crianças, vocês irão pesquisar onde e com quem quiserem sobre o que é vocação! E até semana que vem! (Saem todos) (Agora Joãozinho aparece em uma rua com outra roupa para simbolizar que seja outro dia) Joãozinho – Ai, meu Deus, onde eu vou descobrir o que quer dizer vocação (fica pensando)? Bom, acho que vou perguntar pra quem passar por aqui. (Entra um mendigo) Joãozinho – Oh, moço, o senhor sabe o que é vocação? Mendigo – Bom, se é que ainda me lembro é... é... um chamado! Joãzinho – Um chamado? Bom, obrigado! (O mendigo sai, e Joãzinho fica pensativo.) (Entra um padeiro.) Joãzinho – Ei, moço, o senhor sabe me responder o que é vocação?

grande). Joãzinho – Como é? Vocação? Isto é um avô grandão? (Risada geral.) Catequista – Não , Joãozinho...(risos) Hoje eu vou tentar ensinar o que é vocação... Joãozinho – No dicionário, a palavra vocação significa (ler num dicionário): ato de chamar, escolha, chamamento, talento, aptidão etc. Na nossa Igreja ela também tem um significado muito especial. Mas eu não vou dizer não, vocês levarão para casa e tentarão me trazer na próxima semana o que significa vocação para nós cristãos.

Padeiro – Hum... é um chamado! Joãzinho – Vixi...de novo? Tá bem, valeu, obrigado! (O padeiro sai e entra um padre.) Joãzinho – Oba, um padre, ele vai saber me responder. Senhor padre, por favor, o senhor sabe me responder o que é vocação? Padre – Vocação é um chamado de Deus. Joãzinho – Hum...um chamado de Deus, legal. Bom, agora já melhorou bastante. Obrigado, seu padre. (O padre sai e entra uma professora.)

69


Joãzinho – Professora! Sabe me dizer o que é vocação, na Igreja? Professora – Acho que é um serviço! Joãzinho – Ops, agora complicou tudo, serviço? Bom, obrigado! ( A professora sai e entra o idoso.) Joãzinho – Ah, meu Deus, agora será o último, senão eu vou ficar doido, eu não estou entendendo nada... Moço, o senhor pode me dar uma ajudazinha? Idoso – Oh, eu filho, acho que é um serviço prestado ao povo. Joãzinho – É... tá bem, muito obrigado! ( o idoso sai.) (Joãzinho senta na beira da calçada e fica pensando e anotando tudo.) Joãzinho – Bom, sabe de uma coisa? Vou juntar tudo o que me disseram, quem sabe desta salada não sai alguma coisa...? Primeiro me disseram que: Vocação é um chamado; De novo um chamado; Depois um chamado de Deus; E também que é um serviço; E por último um serviço ao povo.

Catequista – Bom, então vamos lá, diga-nos o que você descobriu então! Joãzinho – Tive cinco respostas. Elas são: Primeiro me disseram que: Vocação é um chamado; De novo um chamado; Depois um chamado de Deus; E também que é um serviço; E por último um serviço ao povo. (isto pode ser lido num pequeno papel) Mas como a senhora sempre nos falou que Deus é nosso Pai, então somos todos irmãos e assim eu cheguei à conclusão que: “ A vocação é um chamado de Deus para servir aos irmãos.” Catequista – (admirada) Muito bem, Joãzinho.(abraça) Parabéns, e acho que assim você encontrou também sua vocação. A de detetive...(risos) Cada um tem sua vocação que nos é dada por Deus, e na Igreja elas podem ser: A vocação leiga, da vida religiosa, do matrimônio, sacerdotal, e muitas outras. Joãzinho- Isto, e cabe a cada um de nós ficarmos atentos a nossa ... TODOS – VOCAÇÃO!

(Fica pensativo)

SUGESTÕES DE ATIVIDADES

Joãzinho – Ah! Já sei. Domingo levarei para a minha catequista o que descobri.

1ª- Em grupos: fazer uma lista com as diversas vocações que foram seguidas na família, isto é, pais, avós, tios irmãos.

(Sai da rua e entra na sala com outra roupa, juntamente com as outras crianças – como no início junto com a catequista) Catequista – Olá, crianças, como foi a semana de vocês? Fizeram a tarefa que mandei para casa? Todos – Sim. Catequista – Quem será o felizardo a começar nos dizendo o que é vocação? Joãzinho- (se levanta animado) Eu! Catequista – (admirada) Você? Mas que bom! Vamos lá! Joãzinho – Bom, eu como não sabia o que significava vocação perguntei pra um monte de pessoas que passaram na rua lá perto de casa. Catequista – É mesmo? E elas sabiam? Joãzinho – Na verdade sabiam em partes, eu juntei tudo o que elas me disseram.

2ª- Em grupos: em uma cartolina, cada grupo escreve as vocações que acha mais interessantes e admiráveis. 3ª- O que você vai querer ser na vida? Cada um faz uma lista de cominhos que gostaria de seguir na vida. Depois, a coordenação pode pedir que cada qual diga um caminho que gostaria de seguir e o que precisa fazer para seguir este caminho. 4ª- Solicitar aos grupos para que façam o planejamento de atitudes e ações cristãs que precisam ser mantidas na preparação para o exercício de sua profissão, escolha e depois de estarem preparados para assumir a sua vocação na experiência profissional. 5ª- Organizar o planejamento em forma de “corrente de mensagem” a ser enviada por correio ou e-mail para pessoas que conhecem, relembrando –as da importância de terem assumido uma vocação que é serviço aos irmãos. Aproveite para explorar a criatividade de seu grupo de catequese!

70


TEATRO VOCACIONAL INFANTIL ANIBAL AMIGO DE TODOS

- Aníbal, vendo seus colegas fazerem tamanha maldade com aquele pobre mendigo, sente seu coração apertar. Sente-se triste e diz: Aníbal: - Parem! Parem com isso! Não façam isso com ele! Contador de histórias: - E pegando uma cesta vazia, foi enchendo de frutas e de comidas que havia recolhido nas mesas e, num gesto nobre, bonito e de tamanha alegria, entregou ao mendigo com um afetuoso abraço. As crianças que faziam algazarra, por um momento, silenciaram com as lágrimas do mendigo, ao receber a cesta e o abraço. Criança 1: - Sinto-me envergonhado com o que fiz. Criança 2: - Nossa! Olhem! Ele está ajudando o mendigo!

Cenário: Refeitório infantil – Grupo de crianças sentadas no chão ouvindo um contador de histórias. Enquanto o contador de histórias relata, as cenas vão acontecendo. ♫ Eu creio na semente lançada na terra, na vida da gente, Eu creio no amor. ♫ Contador de histórias: - O que iremos ouvir é uma história muito legal, que aconteceu há muito tempo, em Messina - Itália, por volta do ano de 1858. - Era uma vez um menino chamado Aníbal Di Francia que, com a idade de 7 anos, estudava no colégio São Nicolau, onde aprendeu muitas coisas, entre elas, a caridade... Estando no refeitório com seus colegas, entra um mendigo, sujo, humilde e faminto. Vejamos o que aconteceu: (algumas crianças que estão ouvindo, entram em cena). Mendigo: - Estou com fome! Alguém me dê um pouco de comida! Contador de histórias: - As crianças vendo aquela cena, debocharam, riram daquele homem faminto não só de comida, mas de amor, de ternura e de atenção, jogavam restos de comida nele e diziam: Crianças: - Pega, coma isso, parece que não vê comida há muito tempo. Contador de histórias:

Aníbal: - Peço desculpas pelos meus colegas. Tome, aqui tem um pouco de tudo. Não é muito, mas é o que temos aqui. Mendigo: - Muito obrigado, meu filho, você tem um coração bom. Vejo em você o rosto de Deus... Qual é o seu nome? Aníbal: - Eu me chamo Aníbal, e sou seu amigo. Contador de histórias: - Não tinha como não se emocionar diante dessa cena. Aconteceu há muito tempo, mas hoje, Jesus convida a mim, a você, a cada um de nós, a fazermos do nosso jeito, esse exemplo de vida, de sensibilidade para com aqueles que precisam da nossa ajuda. (Canta-se, com gestos, o refrão: Eu creio na semente/ lançada na terra, /na vida da gente, /eu creio no amor. (CD Ele te chama faixa 1 Propostas: Após terem escutado e assistido às cenas, incentivá-los para que narrem o que viram e o que sentiram; em seguida, expressar através do desenho o que mais gostaram. Elaborado por Ir. Érica e Aspirantes: Carine, Carolina, Josiele, Lílian e Zuleide.

71


Tudo na força do amor se faz luz e simplicidade. “Vem comigo!”, diz Jesus, “no caminho eu explico”. TEATRO VOCACIONAL JUVENIL

1ª voz: - Às vezes, não entendemos porque algo muito forte , nos pede, questiona o que estamos fazendo. 2ª voz: - É uma voz interior que, de repente, chega e desmorona o que eu já havia planejado, me aponta outros caminhos, conduz o coração a ver outros amores, outras belezas. Não mais importantes, mas ampliam, alargam o coração. 3ª voz: - Sabe que falando desse jeito, me encontrei na sua fala !? Sinto-me assim... Sabe como é, até se encontrar com um tipo de vida, sei lá, já escutei sobre Pe. Aníbal, Santa Paulina, Madre Nazarena, e tantos outros. Admiro muito! Mexe comigo, ao mesmo tempo sinto medo e vergonha. 4ª voz: - Pára lá !!! Não entendi !!! Te encanta, é uma vida que, de repente, te atrai e sentes medo? Como assim?

(“Grupo de jovens sentados em uma lanchonete, batendo papo e tocando violão”). *Entra uma pessoa com um cartaz e cola-o na parede da lanchonete. Isso chama a atenção dos jovens e os mesmos ficam se questionando. *O cartaz convida para um show vocacional. VOCAÇÃO? SIM! MAS PARA ONDE? (cartaz) *Sendo que, no mesmo data e local serão de acordo com sua cidade. *Enquanto o narrador diz o texto da introdução, os jovens ficam “congelados”. Introdução: Quando nos deparamos com esta palavra VOCAÇÃO, o que passa em nossa mente? E em nosso coração? Talvez... , talvez... Ah! Isso não é para mim, é para os outros... Ser padre?! freira?! casar? São tantas as coisas que não podemos entender porque são maiores e mais profundas do que a nossa inteligência. Ninguém pode dispensar a ajuda dos outros para clarear os mistérios da vida. Servimo-nos da experiência de nossos antepassados e cada um acrescenta sua pequena parcela na história, uma pedrinha, pequena na verdade, mas importante para o nosso futuro. Quando amamos de verdade não fazemos muitas perguntas, porque não necessita de perguntas, nem de respostas: simplesmente a gente ama.

3ª voz: - Puxa é difícil expressar! Pra começar, é motivo de deboche, piadinhas, ter alguém assim como um “ídolo”, digamos. Eu mesmo(a) sinto que minha voz custou pra sair, todo mundo espera que admiremos um cara que tá no pódio, que dita moda, que curte balada diferente... 5ª voz: - Oh galera, quem diria que o nosso papo hoje fosse em torno da vida da gente. De algo que nos faz feliz. Não de momentos que passam... É isso. Ídolo, pódio, fama são momentos. Esses amigos de quem você falou, trazem nova direção para o que nos espera. Olha só a música...

Quem espera que a vida seja feita de ilusão, pode até ficar maluco ou morrer na solidão, é

72


preciso ter cuidado pra mais tarde não sofrer, é preciso saber viver. Toda pedra no caminho, você pode retirar, numa flor que tem espinhos você pode se arranhar, se o bem e o mal existem você pode escolher, é preciso saber viver. Refrão: É preciso saber viver, é preciso saber viver. {2x} (cantar ou tocar o CD, música do grupo Titãs, é preciso saber viver). 1ª voz: - Eu acredito que Deus desconcerta os esquemas mentais das pessoas. Ele surpreende, acredita na gente, em nossas fragilidades, mas também faz a gente amar muito mais. 2ª voz: - Estamos aqui há um tempão, e olha o que tem aqui: (apontar o cartaz) Vocação? Sim! Mas para onde? É isto! Vocação é um chamado, é uma voz forte como aquela de que tu falavas... E se é chamado, também exige uma resposta. 3ª voz: - Já que a coragem tá tomando conta, deixa-me falar um trecho da história de Santo Aníbal. Bom, acho que tenho um livro que conta esse trecho. Deixa-me ver... Assim diz, aos 18 anos, ocorre um “chamamento” repentino, que dá nova orientação à sua existência. Ele próprio revela isso... “A minha vocação teve três qualidades: foi repentina, irresistível e certíssima; estava totalmente certo de que Deus me chamava; de forma alguma poderia duvidar de que o Senhor me chamava por aquele caminho”.

1- Se ouvires a voz do vento, chamando sem cessar. Se ouvires a voz do tempo, mandando esperar. ♫A decisão é tua, a decisão tua. São muitos os convidados, são muitos os convidados. Quase ninguém tem tempo, quase ninguém tem tempo. ♫ 2- Se ouvires a voz de Deus chamando sem cessar. Se ouvires a voz do mundo querendo te enganar. O trigo já se perdeu. Cresceu, ninguém colheu. E o mundo passando fome, passando fome de Deus. Elaborado por Ir. Érica e Aspirantes: Carine, Carolina, Josiele, Lílian e Zuleide.

A MARIA PELAS VOCAÇÕES Santo Aníbal Di Francia

2ª voz: - Legal! Nossa! já imaginou como poderia ser a minha, a sua? 3ª voz: - Precisamos assumir a aventura de viajar pra dentro de nós e sentir onde nosso coração bate mais forte, descobrir a nossa verdade e ser feliz. 4ª voz: - Pra mim, vocação é isso: estar feliz assumindo o que abracei, porque na verdade recebemos ajuda, mas a liberdade de opção é minha. 5ª voz: - E quando escolho algo, vem como um pacote, tudo está junto, alegria e tristezas, sonhos, utopias, desafios, mas acima de tudo, sabendo que “o que faz girar a vida é a força do amor”. 1ª voz: E aí galera, vamos para o show? (canta-se a música e saem para o show) Canto:

Maria, apressa-te em suscitar no meio do povo os bons operários e operárias de que a Igreja necessita. Apressa-te a visitar nossos lares, nossas comunidades, e desperta nos jovens o gosto por uma vida de total entrega, especialmente à messe mais sofrida e abandonada. Pede a teu Filho, Jesus, para que saibamos escutá-lo e testemunhá-lo”. Amém.

73


TEATRO VOCACIONAL ADULTOS

5-(Paula entra com um grupo de amigos conversando) sem voz. NARRADOR: O grupo de amigos está conversando, e entre eles há uma jovem com idéias diferentes. Cada um, a seu modo, partilha suas experiências. Paula, diz que participou de um encontro vocacional e sente inquietude em relação à vida consagrada. Seus amigos não concordam com suas idéias e lhe dizem: Amigos: - Você ta louca! Já imaginou? Se você for irmã, não pode se casar, sair pras baladas e não pode fazer o que você quiser! E eu vejo que você é uma jovem alegre, disposta e animada. Paula!!! O que você viu nelas que te levou a pensar nisso?

Cenário: No centro da sala, pano colorido, vela, Bíblia, flores e um caminho feito de areia. 2 faixas: Vocação é dom de Deus a serviço da comunidade. Vocação é um chamado de Deus a ser feliz. Personagens: Jesus, Paula, seus pais, amigos e religiosas. Introdução: Todos nós somos chamados por Jesus para viver uma vocação, não importa qual. O importante é que nos realizemos enquanto pessoas onde Ele nos chamou, e que sejamos felizes. Jesus aponta vários caminhos. A alguns chama para a vida matrimonial, a outros, para vida consagrada, padres e também cristãs e cristãos, leigos para serem, no mundo, sal da terra. Através de nossa caminhada, cada passo que damos, somos inspirados e iluminados pela palavra de Jesus que nos desperta, nos ACORDA a darmos sentido ao nosso viver. 1-(Paula está sozinha no palco diante do caminho de areia) fundo musical 2-(Jesus aparece no ambiente com um olhar de ternura e compaixão, apenas Paula o vê). 3-(entram dois jovens com uma Irmã, e Paula vai ao encontro delas) elas conversam, mas os que assistem ouvem a conversa. Narrador: Paula conhece as Irmãs de sua comunidade e partilha com elas que sente algumas inclinações para a vida consagrada. Escutando-a, as Irmãs a convidam para participar de um encontro vocacional.

Narrador: Enquanto os amigos questionam, Paula pensa e sente que precisa ter coragem para dar esse passo em sua vida. Amigos: - Como você sente que quer seguir esse caminho? (congela-se a cena). 6-(Jesus vem novamente, apenas Paula olha para ele, e vira-se novamente para os amigos e responde). Paula: - Eu sinto algo diferente dentro de mim, que me chama a seguir esse caminho que me leva ser feliz. 7-(os amigos a seguem com o olhar e saem pensativos). 8-(os pais de Paula aparecem e ela vai ao encontro deles). Narrador: Paula fala com seus pais que quer fazer uma experiência na casa das irmãs, mas seus pais não concordam, dizendo: Pais: -Filha, não é bem por aí, nós queremos que você estude e que seja alguém na vida. Paula: - Eu já decidi que vou fazer a experiência esse mês. 9-(Paula sai andando pelo caminho de areia em direção a Jesus que a espera de braços abertos).

4-(Paula sai com as irmãs)

74


Narrador: Seus pais ficam preocupados enquanto ela parte para fazer a experiência.

ela quer para sua vida. Seus pais a acolhem com alegria, pois sentem que Paula está muito feliz. 10-(os pais entram em cena, e Paula vai ao encontro deles e, ao vê-los, abraça-os).

10-(todos saem de cena) Narrador: Após um mês, Paula volta para casa de seus pais muito feliz e decidida que é realmente isso que ela quer para sua vida. Seus pais a acolhem com alegria, pois sentem que Paula está muito feliz.

11-(ao final os questionamentos).

pais

fazem

alguns

Elaborado por Ir. Érica e aspirantes: Carine, Carolina, Josiele, Lílian e Zuleide.

10-(os pais entram em cena, e Paula vai ao encontro deles e, ao vê-los, abraça-os).

7-(os amigos a seguem com o olhar e saem pensativos).

SENHOR, PAI SANTO, Senhor, Pai Santo, nós vos damos graças por terdes suscitado na Igreja tantos animadores e animadoras vocacionais, que se dedicam ao trabalho de vosso Reino, na vossa Messe, sendo verdadeiros modelos de santidade e inspiradores de um novo dinamismo apostólico para evangelização do mundo. Tornaios sempre disponíveis e audazes na obediência ao mandamento evangélico do vosso Filho, Jesus: “Rogai ao dono da messe”...para que os operários sejam numerosos e santos. Amém.

8-(os pais de Paula aparecem e ela vai ao encontro deles).

ORAÇÃO ANO VOCACIONAL – FDZ

11- (ao final questionamentos).

os

pais

fazem

alguns

Amigos: - Como você sente que quer seguir esse caminho? (congela-se a cena). 6-(Jesus vem novamente, apenas Paula olha para ele, e vira-se novamente para os amigos e responde). Paula: - Eu sinto algo diferente dentro de mim, que me chama a seguir esse caminho que me leva a ser feliz.

Narrador: Paula fala com seus pais que quer fazer uma experiência na casa das irmãs, mas seus pais não concordam, dizendo: Pai s: -Filha, não é bem por aí, nós queremos que você estude e que seja alguém na vida. Paula: - Eu já decidi que vou fazer a experiência esse mês. 9-(Paula sai andando pelo caminho de areia em direção a Jesus que a espera de braços abertos). Narrador: Seus pais ficam preocupados enquanto ela parte para fazer a experiência. 10-(todos saem de cena) Narrador: Após um mês, Paula volta para casa de seus pais muito feliz e decidida que é realmente isso que

75


2 - Quando ela crescer que vai ser?

TEATRO A ESTORIA DO LÁPIS Comentarista: Catequista: Avó: Menino: Mão: Apontador: Borracha: Grafite: Marcas: Cenário: sala catequética com crianças na sala brincando e outras chegando. Catequista recebendo e acolhendo com muito carinho. Ao iniciar o encontro a catequista convida a fazer um círculo para fazer o momento de oração inicial. Catequista: Quem já sabe de cor a oração pelas vocações? Todos: Eu, eu, eu também, tia! Invocamos a presença da Santíssima Trindade dizendo: em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém. Todos: ORAÇÃO DA CRIANÇA PELAS VOCAÇÕES Jesus, que fostes pequenino como eu, ajudame a escutar o que meus pais e educadores me ensinam. Olha com carinho às crianças do mundo inteiro e suscita em nós o desejo de sermos bons operários e operárias na tua messe. Protege minha família, meus coleguinhas e amigos. Que Maria, tua mãe e minha também acompanhe meus passos. Envia, muitas vocações, capazes de fazer de nós teus verdadeiros amigos. Amém. Ave Maria... Canto: ♫ Nossos corações em festa / Se revestem de louvor / Pois, aqui se manifesta a vontade do Senhor/ Que nos quer um povo unido/ A serviço da missão Animado e destemido/ Por amor e vocação! ♫ Catequista: Muito bem, criança! (Começa explicando sobre as variedades de vocações entrega uma sementinha para cada um e diz: essa sementinha tem um ideal, um sonho que quer realizá-la. 1 - Quais são os passos que ela tem que dar?

3 - Quais os passos para ela ser uma plantinha, crescer dar flores e frutos? (pedir às crianças que falem. Depois da partilha). Canto: UMA SEMENTE LANÇADA ♫ Uma semente lançada / uma explosão de amor/ foi assim que eu nasci / pra viver minha vocação/ Deus me olhou com carinho/ pelo nome me chamou / muitos dons recebi / fui chamado pra ser feliz / Lá lá ra vem comigo, vem construir a paz / Lá ra o reino de justiça / na partilha é que se faz (bis) Então vem. ♫ Catequista: Agora vamos ver “a historinha do lápis”. Niqueli: Um belo dia Dodô um netinho coruja de sua vovó Lilá, olhava a avó atentamente escrevendo uma carta. A certa altura, perguntou: Douglas: Você está escrevendo uma história que aconteceu conosco, vovó? E, por acaso, é uma história sobre mim? Niqueli: A avó parou a carta, sorriu, e comentou com o neto. VÓ: Estou escrevendo sobre você, é verdade. Entretanto, mais importante do que as palavras, é o lápis que estou usando. Gostaria que você fosse como ele, quando crescesse. Niqueli: O menino olhou para o lápis, intrigado, e não viu nada de especial. Douglas: Mas ele é igual a todos os lápis que vi em minha vida, vovó! VÓ: Tudo depende do modo como você olha as coisas. Há cinco qualidades nele que, se você conseguir mantê-las, será sempre uma pessoa em paz com o mundo. Vander: A primeira qualidade: você pode fazer grandes coisas, mas não deve esquecer nunca que existe uma mão que guia seus passos. Esta mão nós chamamos de Deus, e Ele deve sempre conduzi-lo em direção a sua vontade. ♫ Eis me aqui, Senhor/ Pra fazer Sua vontade/ pra viver do teu amor./ Eis me aqui, Senhor. ♫

76


Tania - Segunda qualidade: de vez em quando eu preciso parar o que estou escrevendo, e usar o apontador. Isso faz com que o lápis sofra um pouco, mas, no final, ele está mais afiado. Portanto, saiba suportar algumas dores, porque elas o farão ser uma pessoa melhor. ♫ A vida é servir, doar, repartir, alegre ou na dor/ O que Ele quiser e tudo disser, fazei-o com amor! ♫ Tais: - Terceira qualidade: o lápis sempre permite que usemos uma borracha para apagar aquilo que estava errado. Entenda que corrigir uma coisa que fizemos não é necessariamente algo mau, mas algo importante para nos manter no caminho da justiça. ♫ Como posso não sorrir, se Deus me ama? Como posso, não seguir, se ele me chama? Ele é tudo que eu sou! Ele é a força do amor! ♫ Beatriz: - Quarta qualidade: o que realmente importa no lápis não é a madeira ou sua forma exterior, mas o grafite que está dentro. Portanto, sempre cuide daquilo que acontece dentro de você.

Saiba que tudo que você fizer na vida, deixará traços, e procure ser consciente de cada ação.

♫ A vida é servir, doar, repartir, alegre ou na dor/ O que Ele quiser e tudo disser, fazei-o com amor! ♫ Laiana: - Finalmente, a quinta qualidade do lápis: ele sempre deixa uma marca. Da mesma maneira, saiba que tudo que você fizer na vida, deixará traços, e procure ser consciente de cada ação. CANTO: ♫ Esse amor que a gente tem/ que nos faz gostar de alguém/ no desejo de viver e ser feliz/ despertou no coração/ Já bem antes de eu nascer/ é uma luz que nunca mais vou esquecer. ♫ ♫ Como posso não sorrir, se Deus me ama? Como posso, não seguir, se ele me chama? Ele é tudo que eu sou! Ele é a força do amor! ♫

Organizado por Ir. Izabel

77


2 - PARÁBOLA O PODER DA LÍNGUA FÁBULAS E PARÁBOLAS

1 - FÁBULA DA RAPOSA

Adaptado de “A raposa e as uvas”, peça teatral de Guilherme de Figueiredo.

Moral da História: Nunca tome decisões precipitadas. Pe. Lucas de Paula Almeida, CM Existia um lenhador que acordava às 6 horas da manhã e trabalhava o dia inteiro cortando lenha e só parava tarde da noite. Esse lenhador tinha um filho, lindo, de poucos meses e uma raposa, sua amiga, tratada como bicho de estimação e de sua total confiança. Todos os dias o lenhador ia trabalhar e deixava a raposa cuidando de seu filho. Todas as noites ao retomar do trabalho, a raposa ficava feliz com sua chegada. Os vizinhos do lenhador alertavam que a raposa era um bicho, um animal selvagem e, portanto, não era confiável. Quando ela sentisse fome, comeria a criança. O lenhador sempre argumentando com os vizinhos falava que isso era uma grande bobagem. A raposa era sua amiga e jamais faria isso. Os vizinhos insistiam: "Lenhador, abra os olhos! A Raposa vai comer seu filho. Quando sentir fome, comerá seu filho!” Um dia, o lenhador muito exausto do trabalho e muito cansado desses comentários, ao chegar em casa viu a raposa sorrindo como sempre e sua boca totalmente ensangiientada. O lenhador suou frio e sem pensar duas vezes acertou o machado na cabeça da raposa. Ao entrar no quarto, desesperado, encontrou seu filho no berço dormindo tranqüilamente e, ao lado do berço, uma cobra morta. O lenhador enterrou o machado e a raposa juntos. MORAL DA HISTÓRIA Se você confia em alguém, não importa o que os outros pensem a respeito, siga sempre o seu caminho e não se deixe influenciar..., mas principalmente nunca tome decisões precipitadas... "

Há mais de dois mil anos, um rico mercador grego tinha um escravo chamado Esopo. Um escravo corcunda, feio, mas de sabedoria única no mundo. Certa vez, para provar as qualidades de seu escravo, o mercador ordenou: - Toma, Esopo. Aqui está este saco de moedas. Corre no mercado. Compra lá o que houver de melhor para um banquete. A melhor comida do mundo! Pouco tempo depois, Esopo voltou do mercado e colocou sobre a mesa um prato coberto por fino linho. O mercador levantou o paninho e ficou surpreso: - Ah! Língua? Nada como a boa língua que os pastores gregos sabem tão bem preparar. Mas por que escolheste exatamente a língua como a melhor comida do mundo? O escravo, de olhos baixos, explicou sua escolha: - O que há de melhor do que a língua, senhor? A língua é que nos une a todos, quando falamos. Sem a língua não poderíamos nos entender. Através da língua é que se constroem as cidades, graças à língua podemos dizer o nosso amor. A língua é o órgão do carinho, da ternura, da compreensão. É a língua que torna eterno os versos dos grandes poetas, a idéia dos grandes escritores. Com a língua se ensina, se persuade, se instrui, se reza, se explica, se encanta, se descreve, se elogia, se demonstra, se afirma. Com a língua dizemos “mãe” e “querida” e “Deus”. Com a língua dizemos “sim”. Com a língua “eu te amo”! O que pode haver melhor do que a língua, senhor? O mercador levantou-se, entusiasmado: - Muito bem, Esopo! Realmente tu me trouxeste o que há de melhor. Toma agora esta outra sacola de moedas. Vai de novo ao mercado e traze o

78


que houver de pior, pois quero ver a tua sabedoria.

3 - UM CONVITE À ALEGRIA

Mais uma vez, depois de algum tempo, o escravo Esopo voltou do mercado trazendo um prato coberto por um pano. O mercador recebeu-o com um sorriso: - Hum... já sei o que há de melhor. Vejamos agora o que há de pior... O mercador descobriu o prato e ficou indignado: - O quê? Língua? Língua outra vez? Língua? Não disseste que a língua era o que havia de melhor? Queres ser açoitado? - A língua, senhor, é o que há de pior no mundo. É a fonte de todas a intrigas, o início de todos os processos, a mãe de todas as discussões. É a língua que separa a humanidade, que divide os povos. É a língua que usa os maus políticos quando querem nos enganar com suas falsas promessas. É a língua, que usam os vigaristas quando querem trapacear. A língua é o órgão da mentira, da discórdia, dos desentendimentos, das guerras, da exploração. É a língua que mente, que esconde, que engana, que explora, que blasfema, que insulta, que se acovarda, que mendiga, que xinga, que bajula, que destrói, que calunia, que vende, que seduz, que corrompe. Com a língua dizemos “morre” e “canalha” e “demônio”. Com a língua dizemos “não”! Com a língua dizemos “eu te odeio”! Aí está senhor, porque a língua é a pior e a melhor de todas as coisas.

A questão levantada pelos discípulos de João sobre os modos festivos de Jesus e seus discípulos num tempo que eles viam como cheio de tragédia (Mateus 9; Marcos 2; Lucas 5) mais tarde apareceu numa inquirição queixosa do próprio prisioneiro João: "És tu aquele que estava para vir ou havemos de esperar outro?" (Mateus 11:3). Era o grito ansioso de alguém cujos sofrimentos tinham-no aparentemente feito duvidar por um momento do próprio rei e do reino que ele próprio tinha proclamado. Depois de responder a pergunta de João, Jesus falou de sua incomparável grandeza à multidão reunida e então, a repreendeu, observando que eram pessoas como crianças teimosas em seus jogos, que se recusavam a brincar de casamento ou de funeral (Mateus 11:16-19). João vinha jejuando e vivendo isolado e eles tinham dito que ele era possuído por um demônio. Jesus veio festejando e vivendo livremente entre eles, e tinham se queixado que ele era glutão e comparsa de pecadores! É inquestionável que Jesus identificava sua missão e sua mensagem como sendo de alegria. Ele é o verdadeiro noivo que nos convidou para uma festa de casamento. Ele veio trazer paz aos perturbados, perdão para os culpados, alegria para os abatidos, liberdade para os escravizados (Isaías 61:1-3). A mensagem e o jejum de João e seus discípulos tinham sido inteiramente apropriados ao tempo -- e ainda são -- quando homens e mulheres, em sua teimosia e orgulho, precisam arrepender-se e humilhar-se diante de um santo e justo Deus. Mas não faz sentido para aqueles que se arrependeram em profundo remorso continuar o funeral quando "... o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo" chegou (João 1:29). É irônico que foi o próprio João Batista que antes tinha dito, "Eu não sou o Cristo... o amigo do noivo que está presente e o ouve muito se regozija por causa da voz do noivo. Pois esta alegria já se cumpriu em mim. Convém que ele cresça e que eu

79


diminua" (João 3:28-30). Por que estavam os discípulos deste próprio João jejuando e lastimando? Porque ainda não tinham crido que Jesus era o Cristo de Deus. Em suas mentes duvidosas, o "noivo" ainda não estava com eles. Diferindo do seu mestre, ainda não tinham chegado a saber e regozijar nele. Ainda há pessoas que têm dificuldade para passar de João a Jesus. É certamente verdade quanto aos membros do partido "Batista", que defendem seu nome e espírito sectário apelando para João Batista, ao invés de Cristo. Pode ter sido apropriado ser um discípulo do Batista mas, agora que o próprio Filho de Deus veio, isso é totalmente sem justificação (Atos 19:1-5). João teria sido o primeiro a reprová-lo. Atos 11:26 diz: "foram os discípulos... chamados cristãos". O mesmo é verdade quanto a todos os que reverenciam homens que falam de Cristo, acima do próprio Cristo. Não há, absolutamente, nenhuma defesa para homens que alegremente denominam-se luteranos ou wesleyanos, e outras coisas, ou, mais sutilmente, que tranqüilamente estimam pregadores contemporâneos e seus julgamentos acima da pessoa e vontade de Deus. "Aquele que se gloria, glorie-se no Senhor" (1 Coríntios 1:31; veja 1:11-13). Mas há um problema, ainda mais fundamental, abordado na resposta de Jesus aos discípulos de João. Jesus disse que estar com ele era ter alegria. Contudo, há cristãos que aceitaram o convite para a festa de casamento do Senhor, mas parece que não estão querendo sair da marcha fúnebre. Eles parecem determinados a viver em perpétua aflição e desespero pelas suas imperfeições e fracassos. O convite do Senhor para comemorar e exultar em sua misericórdia certamente não é chamar para viver com ocasional indiferença pelo pecado, nem é também um chamado para um perpétuo bater nos peitos, uma vez que nos arrependemos e buscamos seu magnânimo amor.

Pode não ser possível, na verdade, dominar uma emoção, mas é possível decidir olhar sinceramente para as grandes verdades sobre Deus que, se assim fizermos, nos trarão alegria inevitável. Assim Paulo diz aos filipenses, "Alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo: alegrai-vos" (Filipenses 4:4). Simplesmente, não é certo para os cristãos estarem perpetuamente tristes e desconsolados, quaisquer que sejam suas cargas. Paulo está certo em dizer que há bastante alegria em Cristo para suplantar completamente todas as nossas tristezas. Como o próprio nosso Senhor disse, há algumas coisas que justamente não são adequadas quando estamos vivendo na amável companhia do Rei do universo. Paul Earnhart

Rezar pelas vocações um mandamento de Jesus

Não é adequado que cristãos vivam na presença do próprio Senhor como povo derrotado e desesperado. Tal comportamento se torna uma injúria contra sua benignidade. Não é adequado também que o povo de Deus tenha que servi-lo como "escravos indo açoitados para o seu calabouço", cumprindo seu serviço a Ele como um dever oneroso e opressivo. Tal conduta é uma difamação de sua graça, uma acusação que desonra seu amor. Para viver verdadeiramente na feliz companhia do Filho de Deus terá de saber que seu jugo é suave e seu fardo é leve (Mateus 11:30).

80


4 O REINO DOS CÉUS QUAL O TAMANHO DA ÁRVORE?

No relato de Lucas da parábola do grão de mostarda, Jesus diz que o grão de mostarda "cresceu e fez-se árvore..." (Lucas 13:19). Já observamos que esta parábola ressalta mais o contraste entre semente e árvore do que a imensidão de seu crescimento final. Como A. B. Bruce observou, a parábola parece chamar mais a atenção para a pequenez do começo do reino do que para a grandeza do seu fim. Tão grande árvore como a que possa crescer de um grão de mostarda, ela nunca rivalizará com as verdadeiras árvores que sobressairão acima dela. As parábolas emparelhadas do grão de mostarda e do fermento parecem ser ambas destinadas a ilustrar o crescimento futuro e a influência do reino. Uma fala de seu crescimento extenso e visível, a outra da mudança espiritual intensa. Mas a questão que permanece é se Jesus está olhando para a parábola do grão de mostarda no vitorioso destino final de seu reino ou simplesmente para a crescente e visível influência espiritual do evangelho na História. A escolha de Jesus da árvore de mostarda para ilustração do futuro do reino parece ser uma metáfora improvável com a qual descrever sua glória final. Parece ter sido escolhida de propósito para ressaltar a grande influência espiritual que o reino de Deus exerceria no mundo e na história, apesar de seu pequeno começo, e ainda não dar a seus discípulos nenhuma visão de glória mundana. Dentro do âmbito da geração deles o evangelho deveria ser "pregado a toda criatura debaixo do céu" (Cl 1:23) e tocar os corações dos homens desde Jerusalém "até aos confins da terra" (At 1:8). Mas seria a árvore de mostarda concebida para falar do crescimento da igreja até ser uma instituição de tal poder mundano que a sociedade dos homens ímpios tremesse diante dela? Esta visão parece mais afinada com a teologia católica romana ou com as especulações pré-milenares. O que as parábolas precedentes do semeador e do joio já disseram claramente é que o reino do céu é destinado a ser rejeitado pela vasta maioria dos homens e a estar em guerra com os filhos do diabo enquanto o mundo durar. Não há lugar nas parábolas para a igreja

de Deus dominar suprema em algum renovado Santo Império Romano ou presidir sobre a absoluta paz e justiça de um milênio terreal. Haverá, sem dúvida, tempos quando o evangelho será mais "oportuno" do que em outros (2 Tm 4:2), mas tais tempos de paz e maior "crescimento em número" (Atos 9:31) são provavelmente sempre seguidos por períodos de oposição, retração e apostasia (1 Tm 4:1; 2 Tm 3:1-5; 4:3-4). Pessoas justas não são nunca destinadas a escapar da perseguição nesta vida (2 Tm 3:12). A parábola do joio nos diz francamente que o tempo de glória final e triunfo para o reino virá "na consumação do século" (Mateus 13:39) quando o Filho do Homem enviar seus anjos, e eles "ajuntarão do seu reino [todos os homens vivos e mortos, Romanos 14:9, PE] todos os escândalos e os que praticam a iniqüidade" (Mateus 13:41). Será então, e não antes, que ao mesmo tempo os perversos serão lançados na fornalha acesa, e "os justos resplandecerão como o sol, no reino de seu Pai" (Mateus 13:42-43). Será então que o reino de Deus encherá toda a terra, e o Senhor e seu Ungido, sempre tendo soberania absoluta, porão os reis da terra em completo ridículo e os destroçarão como um vaso de oleiro (Salmo 2). É o modo do Senhor operar suas maravilhas por meio das mais humildes pessoas e circunstâncias e assim evidenciar que somente Deus poderia tê-las feito acontecer. Paulo diz do evangelho que "Deus ... escolheu as coisas fracas do mundo para envergonhar as fortes.... a fim de que ninguém se vanglorie na presença de Deus" (1 Cor 1:27,29). O Senhor conduziu Israel através de um deserto sem trilhas, sem mais coisa alguma a não ser sua promessa de sustentá-los, de modo que, na necessidade deles, ele pudesse conhecer o que estava em seus corações e eles pudessem saber que o homem não vive somente de pão, mas da palavra de Deus (Deuteronômio 8:2-3). Seremos, provavelmente sempre, um "pequenino rebanho" (Lc 12:32) enviado pelo Senhor "como ovelhas para o meio de lobos" (Mateus 10:16), de modo que somente nele confiaremos. Enquanto isso, o reino do céu será sempre uma árvore bastante grande para abrigar cada coração verdadeiramente arrependido que busque refúgio em seu Senhor, e uma árvore suficientemente despida de atrações mundanas para não ter encantos para os comedores de carniça que possam buscar abrigo em seus ramos para suas próprias sombrias e carnais razões. (Paul Earnhart)

81


5 - ENCONTRANDO O MÁXIMO Novamente, "O reino do céu é também semelhante a um que negocia e procura boas pérolas; e tendo achado uma pérola de grande valor, vendeu tudo o que possuía e a comprou" (Mt 13:45-46). Os antigos consideravam as pérolas como extremamente preciosas e ficavam fascinados por elas, como os modernos ficam com grandes diamantes. Explicações misteriosas eram dadas para sua formação e somas fabulosas eram pagas para possuí-las. Por esta razão os mercadores dos tempos antigos esquadrinhavam o mundo em busca dos mais belos espécimes e, conseqüentemente, proveram Jesus com uma ilustração muito irresistível da busca pelo máximo, o mais alto bem. A mensagem da parábola do grande preço e a do tesouro escondido no campo são claramente a mesma. Os homens, em ambas as parábolas, reconhecem o valor do que encontraram e não hesitaram em vender tudo o que tinham para possuí-lo. Nenhum deles teve que ser seduzido ou engambelado para agir. Eles se movimentaram com alegre abandono. Assim, diz Jesus, é o reino do céu. Ele custa tudo o que possuímos, mas é o bem de mais alto valor, o tesouro incomparável e a alegria de obtê-lo suplantará qualquer sentimento de perda. O custo do discipulado era um tema freqüente com o Senhor. Ele não queria nenhuma desilusão (Lucas 9:57-62). Sua linguagem era freqüentemente pitoresca. "Se alguém vem a mim e não aborrece seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs e ainda a sua própria vida, não pode ser meu discípulo" (Lucas 14:26). Tais afirmações eram a expressão prática de sua exigência de absoluta lealdade. Aqueles que o seguiam tinham de ser preparados para abandonar tudo por amor a ele (Mt 16:24-25). Como é, alguém pergunta, que um reino dado pela graça de Deus tem que ser comprado a um preço tão alto? Primeiro de tudo, o valor incomparável do reino do céu coloca-o além da possibilidade de compra. Quando Deus dá a pessoas pecadoras o que elas não têm absolutamente nem direito nem capacidade de obter, isso tem que ser uma doação. Mas, por definição, o dom do reino ou do domínio de Deus não pode ser possuído por aqueles que não se entregarem totalmente a ele. O preço que pagamos para sermos seguidores de Cristo não é em coisas, mas em nossa avassaladora afeição por elas; não em pessoas, mas em nosso preeminente compromisso com elas; e não em

posição ou prazer, mas em nosso amor primordial por eles. O reino de Deus é encontrado onde "Cristo é tudo" (Col 3:11). Tudo o que somos e temos precisa ser usado para servi-lo. Mas se Jesus, nestas duas parábolas, fala do custo do reino, isso não é seu impulso principal. Nosso Senhor não nos chama pelo custo do discipulado, e sim pelas alegrias transcendentes de segui-lo. Não podemos persuadir um homem a atear fogo em sua casa dizendo-lhe como isso é deplorável. Se for uma pocilga, é a única que ele tem. Mas se lhe garantirmos alguma coisa muito melhor, ele alegremente a queimará e dançará em volta das chamas. Os dois homens desta parábola não abandonam tudo por causa de algum ascetismo perverso, mas porque encontram alguma coisa tão superior que faz com que aquilo que eles têm agora pareça nada. Assim, Paulo, ao jogar fora como lixo tudo o que ele anteriormente tanto estimava, não fez um exercício de rilhar os dentes em negação de si mesmo, mas reagiu ao transcendente valor de Cristo (Filipenses 3:8-10). Como ele escreveu tão vigorosamente em Colossenses, "Cristo é tudo" (3:11), "a plenitude da Divindade" (2:9), aquele "em quem todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento estão ocultos" (2:3). Quando os homens verdadeiramente vêem "a Glória de Deus na face de Cristo" (2 Coríntios 4:6), não podem mais ficar contentes com as fumaças e espelhos deste mundo. "Não é louco aquele que dá o que não pode ter para ganhar o que não pode perder" Mas, como foi observado antes, há alguma diferença entre estas duas parábolas semelhantes. O homem que encontrou o tesouro escondido descobriu-o totalmente por acidente. Ele ficou surpreso e tomado pela alegria. O comerciante, por outro lado, tinha uma questão séria. Se houvesse alguma surpresa, foi porque ele encontrou o que estava buscando em uma única pérola. Freqüentemente nós imaginamos onde poderemos encontrar pessoas potencialmente adequadas para o reino. Estas duas parábolas nos dão a resposta. Elas aparecerão na forma de almas sinceras como a do nobre etíope ou a do soldado italiano, Cornélio, que estavam conscientemente procurando o reino. E serão encontradas entre aqueles como a mulher samaritana, cujas vidas estão ocupadas com o mundano e o imoral e não dão sinal de preocupação espiritual. Estes aguardam apenas a aproximação preocupada de um discípulo daquele que veio buscar e salvar os perdidos. ( Paul Earnhart ) Colecionado por Ir. Aparecida

82


6 - APRENDENDO A TOMAR CUIDADO A história do Bom Samaritano, contada por Jesus (Lucas 10:25-37), contém em si todo os ingredientes obrigatórios do moderno jornalismo: cobi��a, crime, violência, sofrimento, ódio racial, indiferença social, amor e compaixão. O que, afinal, há de novo nela? O evangelho fala bem ao homem moderno. Esta história foi contada por Jesus porque algumas vezes, durante o final do ano, antes de ele morrer, um advogado (perito na lei judaica) interrogou-o sobre a maneira de se ganhar a vida eterna. Ele não estava pedindo informação, mas verificando para ver se o Senhor realmente conhecesse a lei. Estamos inclinados a imaginar seus motivos. Estava ele apenas tentando ser esperto e expor este “inculto” rabi? Estava ele impaciente sob os severos ataques que Jesus tinha lançado contra a hipocrisia e a ignorância de homens desta classe? Ou isso seria um esforço honesto para experimentar as declarações do Senhor? Para tais homens a lei era usualmente mais uma matéria de disputa do que um guia para a vida. Ele sabia bem o que ela dizia e respondeu rapidamente quando Jesus devolveu a questão ao “perito”. “Ame a Deus com todo o teu coração, alma e força, e mente, e a teu próximo como a ti mesmo”, ele disse. Rapidamente assim, Jesus situou o assunto onde deveria estar: “Você conhece a verdade, mas a vida vem por vivê-la”. O advogado, deixado parecer um pouco tolo por perguntar uma questão tão óbvia, tenta recuperar-se por ter perdido um argumento, levantando outro problema. “Isto tudo está bem e é bom,” ele parece dizer, “mas como saber quem é meu próximo?” Os escribas judeus faziam distinções muito cuidadosas entre “próximos” e “estranhos”. Jesus responde esta questão, com uma história penetrante. O cenário era familiar: a estrada de Jerusalém descendo até Jericó, uma descida íngreme que em 35 quilômetros desce 1000 metros através de uma desolação rochosa recortada por centenas de ravinas e despenhadeiros.

desafortunada. “Um certo homem” que foi ferido seriamente, despido de suas roupas, e deixado pelos ladrões semimorto no deserto. Sem ajuda, ele estava destinado a morrer sozinho neste ermo árido. Ele poderia ser um homem qualquer, alto ou baixo, rico ou pobre. Pensamos nele como sendo um judeu, mas isso não é afirmado nem mesmo implicado. O SACERDOTE E O LEVITA Os homens que o roubaram, tendo uma só coisa em mente, eram tão descuidados como uma alcatéia de lobos rosnando. Eles o usaram como a uma toalha de papel e o atiraram fora quando não teve mais utilidade. Nós não parecemos ser tão brutais, mas todavia usamos as pessoas, até mesmo em cenários religiosos. Usamo-las para alimentar nossos egos ou para satisfazer nossos próprios propósitos egoístas, e quando elas não mais nos servem, afastamo-las para o lado. É um tipo sofisticado de crueldade. Nesta esta cena patética aparecem primeiro um sacerdote e um levita, homens notáveis sobre os demais por sua piedade religiosa. Sua presença nesta estrada não seria incomum, uma vez que estes servos de Deus especiais, duas vezes por ano, tinham que servir uma semana no Templo (1 Cr 24) e tinham que viajar de Jericó, uma cidade de sacerdotes, ou da Galiléia, através de Jericó, de modo a evitar Samaria. Destes homens, cuja tarefa era abençoar e servir seu povo, havia toda razão para se esperar compaixão. Não houve nenhuma. Eles passaram pelo “outro lado”. Esta parte da história pode ter sido dirigida ao advogado, com sua religiosidade fria, didática; mas quem, entre nós, não se arriscou quando foi subitamente confrontado pela miséria física ou espiritual de outros? Somos afastados pelo risco que corremos, ou pela inconveniência de nosso horário, ou pela dor do sofrimento compartilhado ou pela simples demanda de tempo e dinheiro. Nós, também, podemos falar loquazmente sobre amar os outros, mas muito freqüentemente isso não tem significado. (Paul Earnhart)

A lição é levada pelo jogo dos caracteres que Jesus escolheu a se encontrarem “por acaso” naquele trecho desolado. Há, primeiro, a vítima

83


TEXTOS À escuta... A juventude, um "bom terreno" para uma “cultura vocacional”.

Olhando a "messe humana", verificamos que é grande o terreno ainda por semear. Há terreno bom e humanamente fértil, onde a semente ainda não caiu e já vai dando muito fruto. Há terreno onde a semente já caiu, a água do batismo já regou e já produz consciência de "Povo" numa mesma fé, espalhando o perfume da esperança e do amor no mundo sob a luz de Cristo Ressuscitado. Há outro terreno - o da juventude onde a semente já caiu, e continua a cair, mas ainda não produz fruto que corresponda à qualidade da semente. O mundo em que vivemos, a forma como construímos a realidade, os valores que defendemos e os ideais que pautam a nossa vida, não são os melhores "fertilizantes" humanos e divinos para que o terreno possa produzir "cem por um". O momento histórico é de "cultura global": uniformiza comportamentos, tarefas e valores, esquecendo uma "cultura vocacional" como resposta ao dom da vida e à missão que Deus confia a cada pessoa na construção do Reino. Tarefa confiada também aos jovens, que, no dizer de João Paulo II, devem evangelizar os outros jovens.

do seu batismo, devem sentir-se convocados e animadores da procura de sentido e plenitude de vida para os jovens no dia-a-dia. A missão, a Pastoral de conjunto realizada por leigos e religiosos é, sem dúvida, o caminho para criar essa "cultura vocacional". O "vinho" que dá calor, cor e sabor à vida é Jesus de Nazaré. O de ontem, de hoje e de sempre. É a Ele que temos de levar como Boa-Nova à vida dos jovens, partilhando a nossa aventura vocacional, a nossa vida enxertada n'Ele. Pais, mães, leigos e religiosos, catequistas e párocos, jovens e adultos todos precisamos de marcar a nossa ação pastoral em Igreja, sobretudo com os jovens, pela consciência vocacional. Se fizéssemos isto, chegariam ao final do curso tantos jovens sem saída profissional, continuando a engrossar as fileiras do desemprego? Não haveria outras opções, que poderiam realizar plenamente a sua vida? OBJETIVO: Favorecer a formação humana e cristã dos pré-adolescentes e adolescentes, cultivando o espírito missionário, em um clima de profunda amizade, alegria, solidariedade, pela quais gera a presença de Jesus entre nós.

Há um confronto direto entre o sistema de valores oferecido pela sociedade de consumo através dos media, e os valores evangélicos que pretendemos que sejam a espinha dorsal dos adolescentes e jovens, "terreno favorável" para uma cultura vocacional. É preciso unir esforços para levar o Evangelho aos diferentes meios educativos dos jovens: :: O primeiro é a Família, nela pode nascer a inquietação vocacional, sobretudo a vocação cristã pelo batismo; nela se alimentam as raízes mais profundas numa dinâmica de amor e de solidariedade, que pode levar os jovens a abrirem-se aos outros e à fraternidade, e a interrogarem-se diante do projeto de seguir a Cristo no sacerdócio, na vida consagrada e missionária. :: Nos centros de Ensino e nas Paróquias, todos os educadores cristãos, a partir da responsabilidade

84


 Envolvendo os leigos das paróquias, o SAV em cada comunidade,  Com os catequistas  Com outras congregações que queiram colaborar  Dentro das dioceses nos organismos próprios do SAV I.

GINCANA VOCACIONAL - I Tema: Discípulos - Operários na messe Lema: Quem tem Compaixão: Roga - Anuncia – Testemunha

Organização: 

A organização da gincana será por equipes previamente formadas e inscritas e que cumpram as tarefas preparatórias da gincana, que serão feitas nas próprias escolas, paróquias e comunidades das equipes; 

As equipes da gincana devem ser compostas de 08 a 12 adolescentes e jovens, dentre os quais, dois serão escolhidos para serem os responsáveis pela equipe (os líderes de equipe); 

Uma paróquia ou escola pode ter uma ou mais equipes participando da gincana. 

Cada equipe vai escolher um nome para a mesma, e com o qual será identificada. OBJETIVO GERAL: Animar vocacionalmente nossos colégios, as nossas paróquias e as dioceses em que estamos, para suscitar vocações segundo o nosso carisma específico “Rogate”.

No dia da reunião de organização, serão atribuídas cores diversificadas às equipes, para serem facilmente identificadas no dia da gincana

Objetivos específicos: 1. Refletir através de diversas atividades culturais e brincadeiras a nossa busca em sermos mais discípulos-missionários de Jesus Cristo; 2. Dar a conhecer a importância do SAV-PV para a vida da Igreja diocesana; 3. Divulgar e valorizar a importância de todas as vocações e ministérios (ordenados e não-ordenados) dentro da Igreja. 4. Tornar conhecido e visível o carisma das Irmãs do Divino Zelo 5. Ser incentivo aos jovens na busca do discernimento da sua vocação.

A gincana vai ser divulgada neste mês... o mês de preparação e realização das atividades prévias da mesma nas diferentes escolas, comunidades e paróquias da diocese, para que no dia... todas as equipes estejam com as tarefas prévias prontas e reunidas para a realização da gincana vocacional. 

As equipes poderão fazer a inscrição até o dia... e entregues a ..... 

O trabalho prévio, através do qual as equipes vão preparar e celebrar a gincana, são quatro: TAREFAS:

RESPONSÁVEIS: Professores de formação humana e cristã e catequistas. 1.

Juntar a maior quantidade de alimentos não perecíveis a serem entregues no colégio onde se realizará a Gincana, no dia... onde será feita a contagem e pontuação desta tarefa.

2.

Procurar o nome, sobrenome e data de ordenação de dois padres e nome, sobrenome e

PARA QUEM: Jovens, adolescentes e crianças QUANDO: Na data programada pela equipe do SAV das paróquias, dioceses ou professores de formação humana. COM QUEM:

85


data de votos perpétuos de duas religiosas que moram na diocese, paróquia ou comunidade.. 3. Responder às perguntas que serão enviadas às equipes, sobre o tema e lema do Ano Vocacional FDZ. Para esta atividade será necessária a leitura prévia do texto que será disponibilizado às equipes.

4. Carisma das Irmãs do Divino Zelo e Padres Rogacionistas? 5. Quem fundou as duas Congregações e em que data? 6. Cite cinco países onde eles atuam. 7. Em que cidade e bairro da Itália teve origem as 2 congregações?

4. Preparação de uma atividade cultural (teatro, jogral, música, dança, etc.), de 5 a 10 minutos aproximadamente, para apresentação nas comunidades, escolas e paróquias das equipes. É necessário avisar com antecedência à comissão, para que no dia da apresentação na comunidade ou escola seja enviado um jurado para avaliar a tarefa. 5. .Responder as perguntas dadas previamente. 6. Fazer um cartaz com uma frase vocacional (tamanho de uma cartolina) 7. Organizar uma torcida grande e bem animada. Observações Finais:   

Determinar horário de início e fim da gincana O local onde será realizada É importante destacar que esta gincana visa aumentar a participação da juventude na comunidade e conviver em harmonia e no respeito aos irmãos, cada líder de equipe deve orientar a sua equipe para que não haja espírito de rivalidade entre as equipes, já que o que se quer destacar é a comunhão e a participação de todos.  Os alimentos arrecadados na gincana serão redistribuídos entre os trabalhos sociais de nossa diocese ou paróquia. Horários da Gincana: 08:00 h - Acolhida das equipes 08:30 h - Momento de espiritualidade 09:00 h - Início das tarefas da gincana 12:00 h - Almoço (Lanche Comunitário) 12:45 h - Animação e brincadeiras 13:00 h - Recomeço das tarefas da gincana 15:00 h - Premiação e considerações finais 16:00 h - Celebração final - encerrando a gincana Perguntas sobre o tema e lema 1. Lugar e data da realização da última Conferência Latino Americana? 2. Lema e tema da Conferência? 3. Quantos bispos participaram da Conferência?

86


Tarefas da Manhã

GINCANA VOCACIONAL - II Regulamento da Gincana Vocacional Diocesana de Santo André. 1) As equipes devem respeitar o limite de idade; 2) As tarefas devem ser entregues no dia ... das 14h às 17h; 3) A equipe que não entregar até esse horário perderá pontos;

1ª – PERSONALIDADES DA IGREJA Cada equipe terá que descobrir o nome da personalidade, tendo como auxílio cinco dicas. CRITÉRIOS: * Só poderá responder uma pessoa da equipe * Poderá responder sem o auxílio das cinco chances. *Só pontuará quem acertar de que personalidade se trata TEMPO: 2 minutos. PONTUAÇÃO: A mesa julgadora dará nota de 1 a 10. 2ª Campanha da Fraternidade - 2008 Baseado na campanha da fraternidade deste ano que tem como tema: Fraternidade e defesa da vida e o Lema: “Escolhe, pois, a vida”. Cada equipe deverá montar um símbolo vocacional com materiais reciclados. Critérios: Criatividade Tamanho mínimo de 01 metro de tamanho ou comprimento. Originalidade Fidelidade ao tema

4) A não apresentação cultural na comunidade de origem acarretará em perda de pontos; o mesmo apresentado na comunidade valerá 50 pontos;

    

5) Não será permitida a participação de um mesmo membro em mais de uma atividade no dia da gincana, de forma que todos participem;

Tempo: 03 minutos para apresentar. Pontuação: A mesa julgadora dará a nota de 01 a 10.

6) As equipes deverão respeitar e participar ativamente dos momentos próprios no desenrolar da gincana (espiritualidade, silêncio, escuta dos outros, missa, etc).

3ª – CAÇA PALAVRAS

7) A premiação da gincana será por valores (respeito, limpeza, animação etc);

CRITÉRIO:  A frase deve ter 8 palavras  Poderá utilizar: preposições, artigos e numeral, porém não contará pontos.

8) Na tarefa de arrecadação de alimentos cada quilo valerá um ponto; 9) A tarefa de pesquisa de nomes dos padres e irmãs valerá dez pontos; 10) As outras tarefas relacionadas valerão 50 pontos;

Cada equipe deverá formar uma frase vocacional utilizando algumas palavras do pacote.

TEMPO: 5 minutos. 4ª - Paródia Vocacional Cada equipe deve apresentar uma paródia vocacional com o tema: Discípulosoperários na messe. Critérios: a) Originalidade e criatividade. b) Deverá ser entregue a mesa julgadora uma cópia da música que foi parodiada. c) Cada equipe deverá apresentar à mesa julgadora cinco cópias da paródia.

87


Pontuação: A mesa julgadora dará a nota de 01 a 10, levando em consideração a letra da paródia e sua ligação com o tema proposto.

c) As equipes que trouxerem quantidades menores não serão pontuadas. TAREFAS DA TARDE

Tempo: 05 minutos para apresentação.

1ª – TAREFA DUPLA

PONTUAÇÃO: A mesa julgadora dará nota de 1 a 10.

As equipes deverão mostrar agilidade tendo que executar duas tarefas ao mesmo tempo.

5ª – PROPAGANDA VOCACIONAL

PONTUAÇÃO: 10 pontos para equipe que responder corretamente as perguntas e executar a outra tarefa no tempo determinado. TEMPO: 3 minutos. 2 ª- PESQUISA BÍBLICA Para o ano de 2008, o Papa Bento XVI convocou um Sínodo sobre a Palavra de Deus. Tema: A PALAVRA DE DEUS NA VIDA E NA MISSÃO DA IGREJA O Sínodo é eminentemente pastoral e tem por finalidade: “Apresentar brevemente o estado da questão sobre o importante tema da Palavra de Deus; reforçar a prática de encontro com a Palavra de Deus como fonte de vida;

As equipes deverão produzir uma propaganda que despertem nos jovens o desejo de seguir uma vocação. CRITÉRIO: Criatividade e Originalidade TEMPO: 5 minutos para planejar e 5 para apresentar. PONTUAÇÃO: A mesa julgadora dará nota de 1 a 10.

CRITÉRIO:  Criatividade  Originalidade  Conteúdo vocacional da apresentação sobre a temática que o sínodo trata. TEMPO: 12 minutos para preparar e 5 para apresentar. PONTUAÇÃO: A mesa julgadora dará nota de 1 a 10.

6ª - Teatro Vocacional Cada equipe deverá apresentar de forma teatral a vida de Santo Aníbal Di Francia. Critérios: a) Destacar o carisma do Rogate, algumas cenas com crianças ou pobres. b) Criatividade c) Fidelidade ao que está sendo pedido Pontuação: A mesa julgadora dará a nota de 01 a 10. Tempo: 08 minutos para apresentação. 7ª - Campanha dos Alimentos Cada equipe deverá apresentara o maior número em quilos de alimentos não perecíveis. Critérios: a) A cada quilo, 01 ponto b) A cada 15 itens, 150 pontos

3 ª– COREOGRAFIA VOCACIONAL Cada equipe deverá coreografar uma música vocacional que será escolhida pela equipe de coordenação da gincana. CRITÉRIOS:  Harmonia  Criatividade  Originalidade TEMPO: 5 minutos para preparar a tarefa e a apresentação será a duração da música. PONTUAÇÃO: A mesa julgadora dará nota de 1 a 10. 4 ª– ENVELOPE SURPRESA

88


A equipe escolherá um envelope e executará a tarefa surpresa que está no envelope. CRITÉRIO:  Executar o que está sendo pedido TEMPO: 5 minutos.

Cada equipe deverá criar três frases vocacionais de mensagens vocacionais. CRITÉRIO:  Não poderão ser frases da bíblia e nem de algum santo.  Criatividade  Originalidade

PONTUAÇÃO: 10 pontos para equipe que desempenhar o que está sendo pedido.

TEMPO: 6 minutos.

5ª - Poesia Vocacional

PONTUAÇÃO: Ganhará 10 pontos a equipe que fizer as 3 frases.

Cada equipe deverá compor uma poesia vocacional com o tema: Juventude e missão. Critérios: a) Originalidade e criatividade b) Rima c) Musicalidade

Adaptada por Ir. Izabel com a colaboração da Comunidade dos Vocacionistas Parada de Lucas - RJ

Pontuação: A mesa julgadora dará a nota de 01 a 10. 6 ª QUEBRA-CABEÇA VOCACIONAL

As equipes terão que montar o desenho vocacional sem o auxílio de um desenho pronto. Critério:  cumprir a tarefa no tempo determinado TEMPO: 10 minutos. PONTUAÇÃO: 10 pontos para equipe que montar corretamente. 7ª HOMENAGEM A SANTO ANÍBAL MARIA DI FRANCIA O que Santo Aníbal representa para vocês, faça uma homenagem a ele. CRITÉRIO:  Criatividade  Originalidade TEMPO: 10 para preparar e 5 para apresentar. PONTUAÇÃO: A mesa julgadora dará nota de 1 a 10. 8 ª– FRASE VOCACIONAL

89


- Ao Pai criador do mundo, ao Filho redentor dos homens/ Ao Espírito de amor demos sempre, glória. CANTOS VOCACIONAIS

04) TUA PALAVRA É (Cd - Dádivas- Zé Vicente) Tua palavra é luz no meu caminho/ luz do meu caminho, meu Deus, tua Palavra é! . Tua palavra está nas ondas do mar/ Tua palavra está no sol a brilhar/ Tua palavra está no pensamento/ no sentimento tua Palavra está!

01)NOSSOS CORAÇÕES... 1. Nossos corações em festa/ Se revestem de louvor / Pois, aqui se manifesta a vontade do Senhor/ Que nos quer um povo unido/ A serviço da missão Animado e destemido/ Por amor e vocação!

05) EIS-ME AQUI SENHOR Eis me aqui Senhor/ Pra fazer Sua vontade , pra viver do teu amor. Eis me aqui Senhor. 1.O Senhor é meu Pastor e me conduz/ por caminhos nunca vistos me enviou./ Sou chamado a ser fermento, sal e luz e por isso aqui estou, aqui estou.

Cristo, Mestre e Senhor/ Pois, eterno é seu amor/ Nesta fonte de água viva/ Somos hoje seus convivas. 2. Nós queremos operários/ Mensageiros Senhor / Que nos façam solidários/A serviço amor/Construtores da justiça/ empenhados missão/ Contra toda injustiça/ Por amor vocação!

. Tua palavra está na beleza da flor/ Tua palavra está na grandeza do amor/ Tua Palavra está na liberdade/ na amizade tua palavra está.

do do na e

3. Nossa Igreja necessita / de mais fibra e mais vigor/ e de gente que acredita/ no chamado do Senhor/ Que dê pão a quem tem fome/ E justiça a quem tem pão e bendiga o seu nome/ Por amor e vocação! 02) A TI MEU DEUS 1. A ti meu Deus, elevo meu coração, elevo as minhas mãos, meu olhar minha voz! A ti meu Deus, eu quero oferecer, meus passos e meu viver, meus caminhos, meu sofrer! A tua ternura, Senhor, vem me abraçar/. E a tua bondade infinita me perdoar./ Vou ser o teu seguidor e te dar o meu coração, / Eu quero sentir o calor de tuas mãos! 2-A ti, meu Deus, que és bom e que tens amor, ao pobre e ao sofredor vou servir e esperar. Em ti, Senhor, humilde se alegraram cantando a nova canção de esperança e de paz 03) GLÓRIA, GLÓRIA/ Ao Pai criador, ao Filho redentor, e ao Espírito glória./

2. Ele pôs em minha boca uma canção,/ me ungiu como profeta e trovador/ da história e da vida do meu povo/ e por isso respondi aqui estou. 06) VOU TE OFERECER A VIDA 1) Vou te oferecer a vida, e tudo que eu já sei viver: tempo e trabalho, amor que eu espalho: coisas que me fazem crer. 2) Vou te oferecer o pranto, aquilo que é meu sofrer: paz que ainda não sei, e tudo que errei: são coisas que me fazem crer. 3) pão e vinho são sinais de teu amor; nele eu vou saber viver: alegria e dor eu vou te oferecer: são coisas que me fazem crer (bis). 07) DESAMARREM AS SANDÁLIAS 1. Ao recebermos, Senhor, tua presença sagrada, pra confirmar teu amor, faz de nós tua morada. Surge um sincero louvor, brota a semente plantada, faz-nos seguir teu caminho, sempre trilhar tua estrada. DESAMARREM AS SANDÁLIAS E DESCANSEM, ESTE CHÃO É TERRA SANTA, IRMÃOS MEUS! VENHAM, OREM, COMAM, CANTEM, VENHAM TODOS E RENOVEM A ESPERANÇA NO SENHOR. 2. O Filho de Deus com o Pai e o Espírito Santo: nesta Trindade um só Ser, que pede a nós sermos

90


santos. Dá-nos, Jesus, teu poder de se doar sem medida, deixa que compreendamos que este é o sentido da vida. 3. Ao virmos te receber, nós te pedimos, ó Cristo, faze vibrar nosso ser, indo ao encontro do Pai Santo sem descuidar dos irmãos, mil faces da tua face. Faze que o coração sinta a força da caridade.

2.Senhor, às vezes me ponho a rezar, e peço a você pra que fique mais perto de mim./ Senhor, às vezes me ponho a chorar e não compreendo porque o mundo sofre sem fim. 3.Senhor, às vezes me ponho a cantar e canto as palavras de amor, de um livro que li./ Senhor, eu vejo criança a brincar e não compreendo porque os adultos não brincam também. 12) BENDITO POÇO

08) TOMAI, SENHOR E RECEBEI Tomai, Senhor, e recebei, toda a minha liberdade, a minha memória também, o meu entendimento, e toda a minha vontade. Tudo o que tenho e possuo, vós me deste com amor. Todos os dons que me deste, com gratidão vos devolvo, disponde deles, Senhor, segundo a vossa vontade. Dai-me somente o vosso amor a vossa graça. Isto me basta, nada mais quero pedir. 09) MESA PRONTA 1. Mesa pronta, toalha limpa, flores, luzes e canções./ Nos olhares um sorriso, muita paz nos corações./ É a ceia partilhada nesta casa de irmãos, Páscoa sempre renovada, recriando a comunhão. És, Senhor, o Deus da vida, és a festa, és a dança. No banquete de tua casa somos povo da aliança.(bis) 1. Somos povo em travessia, no deserto a caminhar,/ Revestidos de esperança, contra o mal vamos lutar./ Na montanha contemplamos na sua glória e esplendor, Jesus Cristo – nosso Guia, companheiro sofredor. 4. Quem partilha esta Ceia, solidário vai firmar/ O direito de ser gente, de ter casa onde morar./ Não nos deixe indiferentes a injustiça, a exploração. É Jesus quem defendemos no mais pobre, nosso irmão. 11 ) EU QUERO TE AGRADECER 1.Senhor, eu quero te agradecer de todos os dias a gente poder conversar. /Senhor, o mundo precisa Te conhecer, mas eu Te prometo que vou evangelizar. EU QUERO TE DIZER AGORA QUE EU JÁ VOU EMBORA EVANGELIZAR.

1. Bendito Poço, na beira da estrada/ Que aproxima a quem está cansado E quem busca água. / Bendita hora, do meio dia,hora na vida daquela mulher da Samaria/ Bendito Moço, que pede água, / Embora ela tente um jeito de desconversar, Passo a passo, momento a momento,/ Oferta da água que jorra de dentro/ E se faz fonte a transbordar. (bis)/ Quando se desce às águas profundas do coração/ Falham-se sistemas, rompe-se esquemas, discriminação/ E acontece a beleza suprema da comunhão/ Fonte de vida eterna alegria da Salvação 2. Bendito balde, ficou na saudade,/ pois a mulher agora encontrou, a sua verdade./ Bendito Mestre, ternura e perdão./ Cria, renova, e devolve alegria ao coração./ Bendito anúncio, venham pra ver./ Disse-me tudo o que eu fiz com tanto amor./ Foram e viram, e acreditaram/ Fica conosco, ficou confirmaram/ Ele é mesmo o Salvador. (bis)

13) 10) VOU CANTAR TEU AMOR 1.Vou cantar teu amor, ser no mundo um farol. Eisme aqui Senhor, vem abrir as janelas do meu coração. E então falarei, imitando tua voz. Creio em Ti, Senhor, nas pegadas deixadas por Ti vou andar. Vou falar do teu coração, com ternura nas mãos e na voz, proclamar que a vida é bem mais do que aquilo que o mundo ensina e cantar. - Cantar o canto ensinado por Deus. Com poesia ensinar nossa fé. Plantar o chão cultivar o amor, como poetas que querem sonhar/ Pra realizar o que o Mestre ensinou viemos cear, restaurar o coração/ Fonte de vida no altar a brotar, a nos

91


alimentar. Celebrar meu viver pra no mundo ser mais. Faz de mim Senhor, aprendiz da verdade, justiça e da paz. Comungar teu viver neste vinho neste pão. Quero ser Senhor, novo homem nascido do teu coração.

14) LANCEM AS REDES (Pe. O. Coppi) 1. Muitos passos já foram dados./ muitas vidas também dadas/ mas estamos só no começo de uma nova e longa jornada/ recebemos o Espírito Santo/ É o amor que habita entre nós/ Ele é a força, vida e coragem/ faz vibrar bem viva nossa voz. O amor de Jesus faz sorrir e cantar/ É a força que leva quem vai ao seu povo/ A vida doar semblante feliz/ mais vida a brilhar/ É fruto e semente de quem leva em frente/ O sonho da paz. 2. “Em alto mar lancem as redes”/o Mestre Jesus nos convida/novo tempo de fé e esperança/onde todos terão nova vida/A dor da noite já vai passando/nova aurora começa a brilhar/A luz do sol, um momento novo/Vai mostrar o encanto desse mar. 3. Somos povo de Deus, missionário/ profetas da paz e comunhão/ A história que reunidos buscamos/ é de Deus um sonho de amor/ Pão na mesa da comunidade/ festa caminho de luz/ Ternura da Mãe Maria/ Faz amar o Reino de Jesus. 15) COMO POSSO NÃO SEGUIR... 1.Esse amor que a gente tem/ que nos faz gostar de alguém/ no desejo de viver e ser feliz/ despertou no coração/ Já bem antes de eu nascer/ é uma luz que nunca mais vou esquecer. 2. Se eu quisesse não me ouvir/ e até mesmo me esconder/ ela vai me procurar lá onde estou/ tenho medo de sentir/ eu conheço seu calor/ é uma força que não dá pra resistir. Como posso não sorrir, se Deus me ama? Como posso, não seguir, se ele me chama? Ele é tudo que eu sou! Ele é a força do amor! 3.Esta estrada eu bem sei/ não suporta a solidão/ tenho amigos que comigo também vão/ nosso jeito de falar/ de amar e de servir/ é o jeito de Jesus que faz feliz. 15) SENHORA DE TODOS OS CAMINHOS 1. Senhora de todos os caminhos, senhora da esperança. Estrela que é luz pra caminhada! Vem mostrar-nos, ó Mãe a estrada!

Maria, mãe de Deus e nossa mãe! caminhaste rumo ao teu senhor! vem olhar nosso caminho para que ninguém ande sozinho! 2. Maria, modelo dos chamados, queremos dizer o "sim"! Contigo plantar o Reino novo; Ó Maria, caminha com teu povo! 16) JAVÉ, O DEUS DOS POBRES Javé o Deus dos pobres, do povo sofredor, aqui nos reuniu pra cantar o seu louvor. Pra nos dar a esperança e contar com sua mão na construção do Reino, Reino novo, povo irmão. 1.Sua mão sustenta o pobre, ninguém fica ao desabrigo/ Dá sustento a quem tem fome, com a fina flor do trigo. 2.Alimenta os nossos sonhos, mesmo dentro da prisão/ Ouve o grito do oprimido, que lhe toca o coração. 3.Cura os corações feridos, mostra ao forte seu poder/ Dos pequenos é a defesa, deixa a vida florescer. 17) COMO MEMBRO DESTA IGREJA 1.Como membro desta Igreja peregrina, recebi de Jesus Cristo uma missão/ De levar a boa nova a toda gente, a verdade, a paz e o perdão. Envia, envia, Senhor, operários para a messe./ Escuta, escuta esta prece, multidões te esperam, Senhor! 2.Por caminhos tão difíceis muita gente vai andando sem ter rumo e direção./ Não conhecem a verdade do Evangelho, que liberta e dá força ao coração. 3.A missão nos acompanha dia a dia, na escola, no trabalho e no lar./ Precisamos ser no mundo testemunhas, pra que Deus possa em nós se revelar. 18) PELOS PECADOS (Ré) 1. Pelos pecados, erros passados, por divisões na tua Igreja, ó Jesus. Senhor Piedade! (3 vezes) Piedade de nós. 2. Quem não aceita, quem te rejeita, pode não crer por ver cristãos que vivem mal!Cristo Piedade (3x )Piedade de nós.

92


3. Hoje se a vida é tão ferida, deve-se a culpa, à indiferença dos cristãos. Senhor Piedade! 19) SENHOR QUE VIESTES (Ré) 1. Senhor que viestes salvar os corações arrependidos: Piedade, piedade, piedade de nós! 2. Ó Cristo que viestes chamar os pecadores humilhados: Piedade, piedade, piedade de nós! 3. Senhor que intercedeis por nós junto a Deus Pai que nos perdoa: Piedade, piedade, piedade de nós! 20) SENHOR, TENDE PIEDADE (Ré) Senhor, tende piedade e perdoai a nossa culpa. E perdoai a nossa culpa, porque nós somos vosso Povo, que vem pedir vosso perdão. Cristo, tende piedade e perdoai a nossa culpa. Senhor, tende piedade e perdoai a nossa culpa. 21) A PALAVRA COMO SEMENTE (Salmo de resposta) 1. É a palavra como semente na terra/ morre e renasce/ toda a riqueza que encerra/ e os seus frutos/ são justiça e verdade//volta ao Senhor/ vida no amor construindo a unidade. 2. Pelo batismo/ somos de Deus missionários/ A Messe é grande/ faltam porém, operários. Todos os homens/ cheguem a ter vida plena// povos, nações/ num coração/ sejam famílias unidas//. 22) UMA SEMENTE LANÇADA Uma semente lançada / uma explosão de amor/ foi assim que eu nasci / pra viver minha vocação/ Deus me olhou com carinho/ pelo nome me chamou / muitos dons recebi / fui chamado pra ser feliz / Lá lá ra vem comigo vem construir a paz / Lá ra o reino de justiça / na partilha é que se faz (bis) Então vem. 23) FALA, SENHOR! Fala Senhor, fala da vida!/ Só Tu tens palavras eternas, queremos ouvir! 24) OFERTAR NOSSA VIDA . Ofertar nossa vida queremos,/ como gesto de amor, doação./ Procuramos criar mundo novo,/ trazer para o povo a libertação. De braços erguidos, a Deus ofertamos: aquilo que somos e tudo o que amamos. Os dons que nós temos compartilharemos, aqueles que sofrem, sorrir os faremos.

2. Como o pão e o vinho se tornam corpo e sangue de Cristo Jesus. Transformemos em realidade pra ser de verdade esperança e luz. 3. Juventude, milhões pelo mundo, tanto anseio de libertação! Gente nova, sem cercas e muros, constrói seu futuro, liberta o irmão. 25. NESTA MESA DA IRMANDADE 1.Nesta mesa da irmandade, a nossa comunidade se oferece a ti, Senhor. / Nosso sonho e nossa luta, nossa fé, nossa conduta te entregamos com amor. Novo jeito de sermos igreja, nós buscamos, Senhor, na tua mesa. (bis) 2. Neste pão te oferecemos, os mutirões que fazemos, a partilha e a produção. / Neste vinho a alegria, que floresce a cada dia dentro de nossa união. 26) A MESA SANTA 1. A mesa santa que preparamos,/ mãos que se elevam a Ti, ó Senhor./ O pão e o vinho, frutos da terra, duro trabalho, carinho e amor: Ô, ô, ô, recebe, Senhor! Ô, ô, recebe, Senhor! 2. Flores, espinhos, dor e alegria,/ pais, mães e filhos diante do altar./ A nossa oferta em nova festa,/ a nossa dor vem, Senhor, transformar! 3. A vida nova, nova família,/ que celebramos aqui tem lugar./ Tua bondade vem com fartura/ é só saber, reunir, partilhar. 27) PAI NOSSO DOS TRABALHADORES Pai Nosso, que estas nos céus/ Santificado seja vosso nome/ Venha a nós, o Vosso reino/ Seja feito vossos projetos/ Aqui na terra, assim na terra/ antecipando o que será viver no céu. O pão nosso de cada dia dai a nós e a nosso irmão/ Como fruto de quem trabalha e constrói esta nação/ E perdoai os nossos egoísmos/ E prometemos perdoar também/ a quem nos ofendeu/ Pra não sermos/ instrumentos de egoísmos e opressão/ Libertai-nos o coração. Pois teu é o poder: Livrai- nos do mal. Meu Pai também trabalha/ Livrai-nos do ma/ E nós trabalharemos pra fazer um mundo mais igual. Livrai-nos do mal 28) MARIA DAS VOCAÇÕES - Nunca me esqueço Maria, seu jeito sereno de ser./Recordo seu Sim generoso olhar gracioso de Mãe e Mulher./ Bem aventurada Maria, contigo aprendi a viver, e hoje eu respondo o meu sim e sem medo eis- me aqui pra viver só de amor! - Vocação é sem medo dizer sempre Sim,/é gritar que o amor não tem fim,/ sendo fiel a sua missão./

93


Vocação é deixar tudo, tudo e partir,/ é tomar sua cruz e seguir na paz infinita do Cristo Jesus. - Te vejo bendita Maria, tão pura e tão cheia de luz/ Rainha da Paz, MÃE da Igreja, amor e beleza,/ de um Deus Salvado, Humilde e serena Maria ,contigo aprendi a viver,/ e hoje encontrei na verdade a felicidade de amar e servir. 29) DAI-NOS A BÊNÇÃO Dai-nos a bênção, ó mãe querida,/ Nossa Senhora Aparecida! - Sob esse manto, do azul dos céus,/ guardai-nos sempre no amor de Deus! - Eu me consagro ao vosso amor,/ ó Mãe querida do Salvador! 30) MAGNIFICAT, MAGNIFICAT é o canto de amor. Minha alma engrandece a Deus, meu salvador. - Canta coração, alegre e feliz com gratidão a Deus bendiz - Santo é o seu nome que está me toda a terra; puro é seu amor que alegria encerra. - Deus é um Pai fiel, de ninguém esquece; obrigado, Deus, ouve esta prece. 31) VIRGEN MORENITA

L.M: Jorge Cafrune

Virgen morenita/ Virgen milagrosa, /Virgen morenita/ te elevo mi cantar./ Son todos mis hermanos/ devotos de tus ruegos/ hoy todos son tus hijos/ Madre del Salvador. Así será, Virgen mía/ mereces el respeto/ y la veneración/ Por eso yo te canto/ y te elevo mis plegarias/ te pido que escuches/ mis ruegos por favor. 2. Virgen morenita/ india fue tu cuna/ porque india tú naciste/ por la gracia de Dios/ Así somos esclavos/ de tu bondad divina/ Así somos esclavos/ de tu infinito amor . 3. Virgen morenita/ Santa, Inmaculada/ Virgen morenita/ Madre del Salvador/ Tú gozas del respeto/ y cariño de tus hijos/ así los peregrinos/ te rezan en tu altar. 32) A AURORA PRECEDE O NASCER DO SOL 1. A aurora precede o nascer do sol, que vem trazer luz e calor pra semente brotar. Maria, tu és a aurora, Jesus é o sol e o calor e o meu coração é a semente que vai germinar, neste amor.

2. Não deixes o teu povo esperar em vão um mundo sem ódio e rancor onde reina o perdão. Maria do amém, do aleluia, escuta do povo o clamor. De teu coração sempre aberto, nos manda Jesus redentor. 3. Contigo a esperança da paz floriu, nos passos do povo que vês caminhar neste chão. Maria, tu és a alegria dos pobres sem voz e sem vez, plantaste confiança na gente, mostrando o teu modo de ser. 33) SENHORA DA DIVINA ROGAÇÃO 1. Lembrai-vos, ó Senhora da Divina Rogação / que sois a Mãe de Deus, a esperança e proteção / do povo que implora vossa graça, vossa luz / dos filhos que desejam imitar sempre Jesus. AVE MARIA! AVE MARIA! De Deus as maravilhas publicastes sem cessar./Bendita entre as mulheres, Isabel quis voz saudar/ O Espírito vos fez Templo santo do Amor./ Vós sois Mãe de Jesus e Mãe do Povo do Senhor. 34) ESCUTEI TEU CHAMADO Um dia escutei teu chamado/ divino recado batendo no coração./ Deixei deste mundo as promessas/ e fui bem depressa no rumo da Tua Mão. Tu és a razão da jornada/ Tu és minha estrada, meu guia e meu fim./ No grito que sai do meu povo/ te escuto de novo chamando por mim. Os anos passaram ligeiro/ me fiz um obreiro do reino de paz e amor./ Nos mares do mundo eu navego/ e às redes me entrego/ tornei-me teu pescador. 35) PORQUE ES SENHOR... - Porque és, Senhor, o caminho, que devemos nós seguir. - Porque és, Senhor, a verdade, que devemos aceitar: - Porque és, Senhor, plena vida, que devemos nós viver. Nós te damos, hoje e sempre, toda glória e louvor. 36) CHEGOU A HORA DA ALEGRIA Chegou a hora da alegria, vamos ouvir esta palavra que nos guia 1. Tua palavra vem chegando bem veloz, por todo canto hoje se escuta a tua voz. (bis) Aleluia. 2. Nada se cria sem a força e o calor que sai da boca de Deus, nosso criador. (bis) Aleluia (4x) 37) É PRECISO CUIDAR

94


- Enquanto caminho no tempo que tenho/ na história que faço, em meu viver e sonhar/ contemplo a vida que Deus semeou/ E em todo o universo e que é pra gente cuidar/ o mar e as estrelas as aves que voam, a planta e a flor, no ar que respiro/a ternura e o sorriso me falam do amor. ♫ Que saibamos cuidar da vida que há dentro da gente e em todo lugar.// Que saibamos cuidar da vida que há na terra e no mar//♫ - Enquanto caminho no meio do povo/ nos campos e ruas de nossas cidades/ eu vejo no rosto de tantos pequenos/as marcas da dor e que é preciso curar/ estendendo as mãos como fez o mestre que e paz nos deixou/ levar a esperança, unindo as vozes, num mesmo cantar. 38) GRACIAS A LA VIDA Gracias a la vida, que me ha dado tanto/ me dio dos luceros que cuando los abro/ perfecto distingo, lo negro del blanco/ y en el alto cielo su fondo estrellado/ y en las multitudes al hombre que yo amo. Gracias a la vida, que me ha dado tanto/ me ha dado el oído que extiendo su ancho/ graba noche y día/ martillos, turbinas, ladridos, chubascos/ y la voz tan tierna de mi buen amado. Gracias a la vida, que ha dado tanto/ me ha dado el sonido y el abecedario/ con él las palabras que pienso y declaro/ madre, amigo, hermano y luz alumbrando/ la ruta del alma del que estoy amando.

caminar./Han pasados los años/ y, aunque aprieta el cansancio,/ paso a paso te sigo sin mirar hacia atrás. 3. Qué alegría yo siento/ cuando sigo tu nombre!/Qué sosiego me inunda/ Cuando oigo tu voz!/ Qué emoción me estremece/ Cuando escucho en silencio/ Tu palabra me aviva/ mi silencio interior! 41) PRECE CANTADA - I //ROGAI AO SENHOR DA MESSE QUE MANDE OPERÁRIOS// - A Messe é grande, operários são poucos. Rogai ao Senhor da messe que mande operários! - Quem tem compaixão: Roga - Anuncia - Testemunha. (bis) - Discípulos-operários em prece, que têm coração segundo o Mestre. (bis) 42) PRECE CANTADA – II - Enviai, Senhor, muitos operários para vossa Messe, pois, a messe é grande, Senhor// e os operários são poucos.// - Conservai, Senhor, na perseverança/ vossos sacerdotes, religiosos e leigos, Senhor// pra construir vosso Reino.// 43) Manda Senhor, operários à tua Messe/ A messe é realmente grande e os operários poucos/ E os operários poucos!

39) SÉ QUE VOY CONTIGO Sé que voy Contigo, sé que me acompañas. Sé que tu me quieres, haga lo que haga. En tu presencia yo andaré todos los días de mi vida y con gozo sentiré que tú jamás me olvidas. Quiero ser tu amigo, quiero ser tu casa, ser tu confidente, ser de ti Palabra. Confiando siempre en Ti sabiendo que nunca fallas y me trajiste a la vida tan sólo porque me amas. 40) QUÉ DETALLE! Qué detalle, Señor, haz tenido conmigo/ Cuando me llamaste, cuando me elegiste, cuando me dijiste, que Tú eras mi amigo/ Qué detalle, Señor, haz tenido conmigo! 1.Te acercaste a mi puerta,/ pronunciaste mi nombre: yo temblando, te dije:”aquí estoy, Señor”.Tu me hablaste de un Reino de un Tesoro escondido, de un mensaje fraterno que encendió mi ilusión. 2. Yo dejé casa y pueblo/ por seguir tu aventura./ Codo a codo contigo/ comencé a

95


ORAÇÕES VOCACIONAIS

1 - PRECE CANTADA

Nossa Igreja necessita / de mais fibra e mais vigor/ e de gente que acredita/ no chamado do Senhor/ Que dê pão a quem tem fome/ E justiça a quem tem pão/ e bendiga o seu nome/ Por amor e vocação! Cristo, Mestre e Senhor/ Pois, eterno é seu amor/ Nesta fonte de água viva/ Somos hoje seus convivas.

Rogai ao Senhor da Messe que mande operários! - A Messe é grande, operários são poucos. Rogai ao Senhor da messe que mande operários! - Quem tem compaixão: Roga - Anuncia - Testemunha. (bis) - Discípulos-operários em prece, que têm coração segundo o Mestre. (bis) 2 - PRECE CANTADA Manda Senhor, operários a tua Messe! A Messe é realmente grande, // mas operários poucos! // 3 - PRECE CANTADA - Enviai, Senhor, muitos operários para vossa Messe, pois, a messe é grande, Senhor// e os operários são poucos.// - Conservai, Senhor, na perseverança/ vossos sacerdotes, religiosos e leigos, Senhor// pra construir vosso Reino.// 4 - PRECE CANTADA Envia, envia, Senhor!/ operários para a Messe./ Escuta, escuta esta prece multidões te esperam, Senhor! 5 - PRECE CANTADA Nós queremos operários/ Mensageiros do Senhor / Que nos façam solidários/ A serviço do amor/ Construtores da justiça/ empenhados na missão/ Contra toda injustiça/ Por amor e vocação! Cristo, Mestre e Senhor/ Pois, eterno é seu amor/ Nesta fonte de água viva/ Somos hoje seus convivas. 6 - PRECE CANTADA

ORAÇÃO DO ANO VOCACIONAL – FDZ Santíssima Trindade, somos teus discípulosoperários e te suplicamos: - que as crianças, adolescentes e jovens descubram a alegria de servir; - que os vocacionados se enamorem de Jesus ao segui-lo. - que os teus ministros e consagrados sejam sinais de esperança para a Igreja. - que todos os batizados possam viver sua missão na solidariedade e ardor de irmãos e irmãs sem-fronteiras. - que os idosos gozem de tua sabedoria. - que os enfermos sublimem suas dores e sofrimentos. Como família do Rogate, neste Ano Vocacional, queremos pedir, por intercessão de Maria a mãe de Jesus, que envie muitos e santos operários e operárias à messe. Amém. 9) ORAÇÃO VOCACIONAL Senhor, Pai Santo, nós vos damos graças por terdes suscitado na Igreja tantos animadores e animadoras vocacionais, que se dedicam ao trabalho de vosso Reino, na vossa Messe, sendo verdadeiros modelos de santidade e inspiradores de um novo dinamismo apostólico para evangelização do mundo. Tornai-os sempre disponíveis e audazes na obediência ao mandamento evangélico do vosso Filho, Jesus: “Rogai ao dono da messe...” para que os operários sejam numerosos e santos. Amém. 96


10) Senhor, Mestre e Companheiro, Jesus de Nazaré, Filho de Deus e Filho de Maria: escutanos! Tu que chamaste os Doze, na hora primeira da Igreja e nos ensinaste a pedir mais braços para a messe, que é muita; Que não se diga que já não tens palavra de vida eterna! Que não se diga que já não vale a pena perder por Ti a vida! Escuta-nos e chama! Convoca-nos, Jesus! Ainda há juventude em nossa Pátria Grande. Ainda não acabou em nosso meio a raça dos profetas e dos mártires. Ainda temos sede do Amor maior. Ainda somos capazes de viver teu Evangelho. Queremos seguir-te! Podemos beber teu cálice. Prosseguiremos tua Missão: — de anunciar a Boa Nova aos pobres; — de libertar os cativos; — de abrir os olhos dos cegos; — proclamar para todos o Tempo Novo da Graça. Como o Pai te enviou, envia-nos! À glória do próprio Pai e na comunhão do Espírito, para a salvação do Mundo. Amém. (Dom Pedro Casaldáliga)

11) ORAÇÃO VOCACIONAL Trindade Santa, Animaste a Comunidade dos primeiros cristãos e continuas entre nós, até hoje. Renova teu povo através do batismo e faz de nós, teu Templo. Ilumina, encoraja e defende os que vivem conosco em comum união! Conforta os doentes, os fracos e os tristes. Arranja trabalho para quem o procura. Chama mais gente para trabalhar na messe do Pai, para anunciar a Palavra e partilhar o Pão. Defende os pequenos do mal; dá aos jovens, sentimentos iguais aos de Cristo Jesus; aos pais inspira atitudes de amor. Converte os que oprimem o teu povo e a mim próprio, liberta da pretensão de querer ser mais que os outros. Dá-me ternura para acolher e escutar os que vêm à minha procura; humildade para atendê-los com respeito, e sabedoria para animá-los.

Por ti animados, seguir-te-emos, Caminho Verdade e Vida que conduz ao Pai. Amém. (Dom Quirino Schimitz)

12) ORAÇÃO AO ESPÍRITO SANTO Espírito de Amor Eterno, que procedes do Pai e do Filho, nós Te agradecemos por todas as vocações, de operários e operárias que fecundaram a messe. Nós te suplicamos: continua ainda a tua obra! Recorda-te de quando no dia de Pentecostes, descestes sobre os apóstolos, reunidos em oração com Maria, Mãe de Jesus e olha para a Igreja que hoje tem especial necessidade de sacerdotes santos, de testemunhas fiéis e legítimas da tua graça ela precisa de consagrados e Do coração da Igreja que sofre e luta pelo Evangelho, sobem ao Pai os Teus “gemidos inexprimíveis”: abre os corações e as mentes dos jovens para que um novo florescer de santas vocações. Amém. (João Paulo II- 1997) 13) AO SENHOR DA MESSE Senhor Jesus Cristo, irmão nosso, cumprimos a tua ordem de rezar, para que tenhamos sempre muitos e bons operários e operárias segundo o teu coração: envia operários e operárias à tua Messe! Eles darão a alegria da tua Presença, o ensino da tua Palavra, o auxílio da tua graças e o estímulo para nossas vidas. Reconhecemos que a semente da Vocação que vem de ti, exige que a cultivemos em nós, na família, na comunidade e na sociedade. Escuta-nos, Senhor, por meio da tua e nossa Mãe, para a glória do teu nome e para o nosso bem, no tempo e na eternidade. Amém! (D. Vicente Scherer)

14) DOS JOVENS PELAS VOCAÇÕES Trindade Santa, sou um jovem de hoje, me agradam as comodidades, as opções fáceis me atraem, sou filho de meu tempo. Porém, entre as mil vozes escuto também a tua e de modo inconfundível: "A messe é grande... e poucos são os operários". Eis-me aqui, Senhor, envia-me! Eu quero servir-te, servir ao povo, em suas necessidades. Dá-me tua luz para descobrir o teu chamado. Dá-me coragem para deixar minha família, meu trabalho, casa, e amigos. Maria, Mãe e modelo de todas as vocações, ensina-me a cumprir a vontade de Deus, agora e por toda a vida. Amém.

97


15) DAS JOVENS PELAS VOCAÇÕES Senhor, Tu me deste a vida e me chamaste pelo nome. Em meio a tantas vozes e apelos do mundo eu quero ouvir a tua voz de modo inconfundível: "A messe é grande... e poucos são os operários". Tens sobre mim um apelo de amor. Tu me conheces a fundo e sabes o que mais me convém. Ilumina-me, Senhor, com teu Espírito e mostrame o caminho que devo seguir. Dá-me coragem para deixar minha família, meu trabalho, minha casa e amigos. Dá-me força, para assumir a minha vocação. Eu quero viver, do jeito de Maria: "Faça-se em mim, Senhor, segundo a tua Palavra."Amém. 16) OFERECIMENTO DO DIA Ó Maria, Mãe do Verbo Encarnado e minha Mãe dulcíssima, estou aqui a teus pés, enquanto desponta um novo dia, outro grande dom do Senhor. Deponho-me em tuas mãos e no teu coração todo o meu ser. Serei tua na vontade, no pensamento e no coração. Forma em mim com maternal bondade, uma vida nova, a vida do teu Jesus. Previne e acompanha, ó Rainha do Rogate, também as minhas pequenas ações, afim de que eu possa corresponder alegremente. Torna-me santa, santa como Jesus quer, como o teu coração deseja. Dai-me um coração aberto para seguir com zelo, ternura e paixão os passos de teu Filho. Ofereço a ele meu estudo, trabalho e oração deste dia, para o aumento e santificação dos operários e operárias na Messe. Amém. 17) ORAÇÃO DA FAMILIA PELAS VOCAÇÕES Senhor Jesus, que nos ensinastes a pedir ao Pai que mande operários à sua Messe. Estamos aqui reunidos para fazer este pedido. Que nossa família seja verdadeiramente cristã, lar de fé, cenáculo de oração por novas e santas vocações. Despert a em nossos filhos e filhas, o ideal de seguir seus passos. Volta seu olhar de amor e convida-os a dedicarem-se totalmente à causa do Evangelho. Não permitas que a humanidade se perca por falta de irmãs, irmãos, sacerdotes e leigos e leigas, que generosamente dêem testemunho com a palavra e com a vida; sejam sal da terra e luz do mundo.

Nossa Senhora do Rogate, modelo de todas as vocações, acompanhe também nossos trabalhos deste dia. Tudo o que fizermos hoje, seja para o aumento e santificação dos operários e operárias na vossa Messe. Confiamos estes grandes interesses ao Coração do seu Filho, que por nós se entregou a si mesmo. Amém. 18) ORAÇÃO DO PAI NOSSO PELAS VOCAÇÕES (Santo Aníbal Di Francia)

Ó Coração dulcíssimo de Jesus, ao dizer: “Rogai ao Senhor da messe que envie operários à sua messe”, nos destes a confiança de nos atender quando vos pedimos esta grande graça, para obedecer a este vosso mandamento, suplicamos com a mais eficaz de todas as orações que vós mesmo nos ensinastes: Pai nosso... 19) ORAÇÃO DA CRIANÇA PELAS VOCAÇÕES Jesus, que foste pequenino como eu, ajuda-me a escutar o que meus pais e educadores me ensinam. Olha com carinho às crianças do mundo inteiro e suscita em nós o desejo de sermos bons operários e operárias na tua Messe. Protege minha família, meus coleguinhas e amigos. Maria, tua mãe e minha também, acompanhe meus passos. Envia, muitas vocações, capazes de fazer de nós teus verdadeiros amigos. Amém. 20) DOS EDUCADORES PELAS VOCAÇÕES Senhor Jesus, nos ensinastes a pedir ao Pai que mande operários à sua Messe; neste novo dia que amanhece, estou aqui para fazer este pedido. Que meu coração seja um cenáculo de oração por novas e santas vocações. Desperta nos educandos(as), o ideal de seguir seus passos. Volta seu olhar de amor e convida-os a dedicarem-se à causa do Evangelho. Quero fazer de minha matéria, ciência que vai além dos meros conteúdos dados. Que minha aula provoque no coração do educando, interesse em corresponder à sua busca vocacional. Não permitas que a humanidade se perca por falta de consagrados(as), sacerdotes, educadores(as), e pastores que generosamente dêem testemunho com a palavra e com a vida e sejam sal da terra e luz do mundo. Nossa Senhora do Rogate, modelo de todas as vocações, acompanhe também meus trabalhos

98


deste dia. Tudo o que eu fizer hoje, seja para o aumento e santificação dos operários e operárias na Messe. Confio estes grandes interesses ao coração de seu Filho, que por nós se entregou a si mesmo. Amém. 21) A MARIA PELAS VOCAÇÕES

Dirigente: Coração de Jesus, chegue à vossa presença a nossa súplica: enviai operários segundo o teu coração a todos os povos! Todos: Jesus, cheio de compaixão, passastes a suspirar, pelas cidades da Judéia. Vendo aquela multidão abandonada, dissestes: “A messe é grande, mas os operários são poucos: rogai, pois, ao Senhor da messe que envie operários à messe”

Santo Aníbal Di Francia

Dir.: Vós sois o Senhor da Messe, o Místico Jardineiro, que plantastes o jardim das searas. Todos: Formates a vossa Igreja como um jardim florido, onde vos aprazeis colher flores das nossas boas obras e esses frutos vos agradam. Dir.: Senhor Jesus, é insuficiente o número de operários na Messe, por isso, a luz do mundo se eclipsa. Todos Por isso, muitos povos permanecem no erro. Muitas pessoas estão confusas. As crianças pedem o Pão da Vida e não há quem as satisfaça. Maria, apressa-te em suscitar os bons operários e operárias, na messe. Apressa-te assim como foste à casa de sua prima Isabel, levando teu Filho no ventre. Apressa-te a visitar nossos lares, nossas Comunidades e desperta nos jovens, o gosto por uma vida de total entrega, à messe mais sofrida e abandonada. Pede a teu Filho para que saibamos escutá-lo e testemunhá-lo. Amém.

Dir.: Ó Deus, compadecei-vos de tão miserável estado a que se reduziram tantas cidades e lugarejos, por falta de bons operários do Evangelho. Todos: Por amor de Maria Santíssima, por amor a vós mesmo, concedei-nos e apressai-vos. Amém.

Nossa Senhora do Rogate, rogai por nós e intercedei muitos operários (as) na messe, segundo o coração de teu Filho! 22) GRAÇAS, SENHOR! porque enquanto vou fazendo caminho, descubro ao andar, que a vida está cheia de pequenos chamados para estar onde faço falta, a ser refugio, a ser família, a ser comunidade. Graças, Senhor, porque hoje mais que nunca, tuas palavras me convidam a seguir andando este caminho de amor, capaz de ir além das modas, capaz de entregar-se além das eficiências, capaz de fazer oportunidades das contrariedades que geram obstáculos. Graças, Senhor, porque me animas a olhar em profundidade, a compreender e partilhar as diferenças; a descobrir na entrega, um rosto de um Deus que me olha ternamente, me ama e me desafia aos seus apelos. Amém. 23) SÚPLICA AO CORAÇÃO DE JESUS PARA OBTER BONS OPERÁRIOS

24) PAI NOSSO PARA OPERÁRIOS Anibal Di Francia

OBTER

BONS

Pai Nosso que estais nos céus. Vós nos prometestes que não nos deixaríeis sozinhos: enviai os vossos ministros, segundo o teu coração. Santificado seja o vosso Nome... Pelo ministério dos vossos escolhidos, que cheios do vosso Espírito Santo, vos tornem conhecido e amado por todos os povos da terra. Venha a nós o vosso Reino. E seja edificado pelos operários e operárias, com o testemunho de suas vidas. Que repletos de

99


Zelo, possam conduzir a todos à uma vida mais fraterna. Seja feita a vossa vontade assim na Terra como no Céu. Pai eterno não cesseis de prover à vossa Igreja, ministros fervorosos, humanos e conhecedor profundo da sua Palavra, para que todos os povos sigam os vossos mandamentos. Dai-nos hoje o nosso Pão quotidiano. O pão da vossa graça, que alimenta as pessoas com o dom dos sacramentos. Vos suplicamos que enriqueçais à vossa Igreja com o dom de ministros escolhidos, que comuniquem a todos a vossa graça. Perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido. Enviai entre nós, Senhor, moças e rapazes dispostos a entregarem suas vidas totalmente ao serviço do Reino. Não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal. Se os nossos pecados nos privam da vossa misericórdia, nós vos suplicamos: enviai ministros que sejam conforme o vosso coração. Amém.

25) A MARIA PELAS VOCAÇÕES (S. Aníbal Maria Di Francia)

Ó Maria, Rainha dos Apóstolos, ajudai-nos a cultivar e formar grande número de vocações para o Reino. Encorajai os vocacionandos, consagrados/ a padres, diáconos e leigos, para que Evangelho seja anunciado e acolhido por todos. Que os jovens sintam-se atraídos e animados pelo espírito missionário. Despertai corações generosos, capazes de se consagrarem inteiramente ao serviço de Deus e dos irmãos, mediante o apostolado do testemunho, da palavra, da oração, da imprensa, do cinema, do rádio, da televisão e de todos os meios de comunicação social. Ouvi a nossa prece, ó Mãe, e rogai a Deus por nós. Amém.

ANTIGA BÊNÇÃO IRLANDESA Que o caminho seja brando a teus pés, o vento sopre leve em teus ombros. Que o sol brilhe cálido sobre tua face, Que as chuvas caiam serenas em teus campos. E até que eu de novo te veja, Deus te guarde na palma de sua mão. Envia, Senhor, operários e operárias segundo o seu Coração!

100


ORAÇÃO DO CATEQUISTA PELAS VOCAÇÕES Senhor Jesus, sou teu discípulo-operário e quero acolher a tua graça para colaborar contigo. Que meu coração seja um cenáculo de oração por novas e santas vocações. Quero fazer dos encontros catequéticos, algo que vá além dos meros conteúdos dados e que provoque no coração dos catequisandos, interesse em corresponder sua vocação com generosidade. Volta teu olhar de amor e convida-os a dedicarem-se à causa do Evangelho. Desperta neles o ideal de seguir teus passos, segundo o teu coração. Amém.

Senhor Jesus, nos ensinaste a pedir ao Pai que mande operários na sua Messe. Neste novo dia que amanhece, estou aqui para expor este desejo:fazer este pedido: que meu coração seja um cenáculo de oração por novas e santas vocações. Quero fazer das aulas, algo que vá além dos meros conteúdos dados e que provoque no coração dos educandos, interesse em corresponder sua vocação com paixão. Tu ollas o todo com Volta teu olhar de amor e convida-os a dedicarem-se à causa do Evangelho. Queres despertar Desperta neles o ideal de seguir teus passos, segundo o teu coração. Amém Ir. Izabel - FDZ

Ir. Izabel Bittencourt - FDZ

OFERECIMENTO DO DIA DO EDUCADOR PELAS VOCAÇÕES Senhor Jesus, nos ensinaste a pedir ao Pai que mande operários na sua Messe. Neste novo dia que amanhece, estou aqui para fazer este pedido: que meu coração seja um cenáculo de oração por novas e santas vocações. Quero fazer das aulas, algo que vá além dos meros conteúdos dados e que provoque no coração dos educandos, interesse em corresponder sua vocação com paixão. Volta teu olhar de amor e convida-os a dedicarem-se à causa do Evangelho.

ORAÇÃO VOCACIONAL Senhor da Messe, somos teus discípulos operários e queremos acolher a tua graça para colaborar contigo. Inspirados por ti queremos: - que os vocacionados se enamorem de Jesus ao segui-lo, - que os teus ministros e consagrados sejam sinais de esperança para a Igreja. que todos os batizados possam viver sua missão na solidariedade e ardor de irmãos e irmãs sem-fronteiras, seguindo o exemplo de Maria tua mãe, dispostos a rogar e trabalhar pelo aumento e santificação dos operários e operárias na tua messe. Amém. Ir. Izabel Bittencourt – FDZ

Desperta neles o ideal de seguir teus passos, segundo o teu coração. Amém Ir. Izabel Bittencourt - FDZ

OFERECIMENTO DO DIA DO EDUCADOR PELAS VOCAÇÕES

ORAÇÃO VOCACIONAL Senhor da Messe, somos teus discípulos operários e queremos acolher a tua graça para colaborar contigo. Inspirados por ti queremos: 101


- que os vocacionados se enamorem de Jesus ao segui-lo, - que os teus ministros e consagrados sejam sinais de esperança para a Igreja. - que os enfermos, sublimem seus sofrimentos - que os idosos gozem de sua sabedoria. - que todos os batizados possam viver sua missão na solidariedade e ardor de irmãos e irmãs sem-fronteiras, - seguindo o exemplo de Maria tua mãe, dispostos a rogar, anunciar e testemunhar pelo aumento e santificação dos operários e operárias na tua messe. Amém.

102


Manual vocacional fdz