Page 1


ORAÇÃO VOCACIONAL PASCAL - Nas pegadas do Ressuscitado Oração Coral - Da Carta de São Paulo aos Filipenses 2,5-11 5

Tenhais em vós os mesmos sentimentos que experimentou Cristo Jesus, que embora sendo de natureza divina, não fez alarde de ser igual a Deus; 7 mas esvaziou-se de si assumindo a condição de servo e fazendo-se semelhante aos homens; mostrou-se em forma humana, 8 humilhou-se fazendo-se obediente até a morte, e morte de cruz. 9 Por isso Deus o exaltou e lhe deu o nome gli ha dato il nome que está acima de qualquer outro nome; 10 para que diante do nome de Jesus todo joelho se dobre nos céus, na terra e abaixo da terra; 11 e toda língua proclame que Jesus Cristo é o Senhor para a glória de Deus Pai. 6

Breve silêncio e oração pessoal

A missão de Padre Aníbal Evangelho de Mateus (9,35-38) Jesus percorria todas as cidades e povoados, ensinando nas sinagogas deles, anunciando o evangelho do reino e curando todas as enfermidades. Vendo as multidões, teve compaixão, porque estavam cansadas e abatidas como ovelhas que não tem pastor. Então disse aos seus discípulos: "A lavoura é grande mas os operários são poucos. Peçam, portanto, ao dono da plantação, para que envie operários na sua lavoura!". Leitor: “a página evangélica que acabamos de ler, tem para nós um grande significado: nela nos é apresentado Jesus que ensina, anuncia a alegre notícia do reino, cura dos males que afligem o corpo e o espírito e, diante da multidão dispersa e cansada como um rebanho sem pastor, ordena de pedir: quatro aspectos do ministério de Jesus que indicam a atenção do seu coração misericordioso pela pobreza e o abandono nos quais está merguilhada a humanidade. Padre Aníbale viveu em primeira pessoa essa dinâmica. Ele acolheu com fé a ordem de Cristo “Rogate” e, como consequência fez escolhas de vida que o tornaram “Padre” de tantos homens e mulheres, de jovens e crianças que ainda hoje se referem a ele à sua paternidade espiritual. Ele se torna “o Pa” porque sentiu que não podia viver por si mesmo” Linhas guias da missão educativa, pag. 9;11 Breve silêncio e reflexão pessoal


A nossa missão Leitor: Ensinar, anunciar, cuidar e rezar exprimem a peculiaridade do nosso zelo pastoral. Só a partir da convicção que tudo inicia e tudo se conclui com a oração e na oração ao Senhor da Messe, podemos ser nós, por primeiro, “bons operários e operárias que pedimos na oração, exercitando também, de fato, uma atenção educativa, particularmente para com os pequeninos e os jovens, “grande messe das futuras gerações”. Linhas guias da missão educativa, pag.10

Coragem, Deus está com vocês!!! L. Ser educadores e educadoras é muito mais que “fazer qualquer coisa” pelas crianças e jovens. Não é uma simples “prestação de serviço” mas um modo de ser: um modo de testemunhar a fé, um modo para viver a caridade, ou seja, o amor de Deus por cada pessoa, um modo de manifestar a esperança em um futuro que é o desenvolvimento do projeto de Deus sobre a história da humanidade. Ser educadores e educadoras é então, uma escolha muito séria e empenhativa que cresce e amadurece em um caminho pessoal e comunitário: um caminho com etapas que outras pessoas, antes de nós, executaram na consciência de que o Senhor Ressuscitado não nos deixa sós mas continuamente está ao nosso lado.

Evangelho de Mateus (28,16-20) Os onze apóstolos, no entanto, foram para a Galiléia, sobre o monte que Jesus lhes havia indicado. Quando o viram, se prostraram. Alguns, porém, duvidaram. Jesus se aproximou e disse-lhes: “A mim foi dado todo o poder no céu e sobre a terra. Ide, portanto, e fazei discípulos meus todos os povos, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a observar tudo o que vos ordenei. Eis que eu estarei convosco todos os dias, até o fim do mundo”. Rezemos juntos Senhor, tantas vezes me vem a tentação de deixar que os outros “se virem” sem mim. Sinto o cansaço de dever frear-me para esperar quem caminha lentamente ou bate em retirada, enquanto eu devo ir adiante. A estrada a ser percorrida é longa, não vejo a hora de chegar, e preciso “perder” tempo com quem não tem vontade de caminhar. Mas tu, Senhor, faze-me compreender que estou enganada/o. Sozinha/o poderei chegar antes, mas tu me pedirás contas dos meus irmãos, e então deverei retornar ao último lugar. Ensina-me, Senhor, a paciência de esperar, a generosidade de ajudar os outros a descobrir a beleza do caminho, a humildade para não considerar-me melhor. Não é mais importante alguém chegar primeiro, mas que o último de nós possa encontrar o olhar sustentado por uma comunidade de irmãos e irmãs. Na estrada não estamos sós, não podemos estar sós, porque tu caminhas conosco, como fizestes com os discípulos de Emaús, e nos ensinas a repartir o pão com os irmãos e irmãs, para retomar a estrada com entusiasmo e esperança renovada. Amém.

CELEBRAÇÃO 31 - PASCAL  

CELEBRAÇÃO PASCAL

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you