Issuu on Google+

JORNAL CFIC LIGADO - DEZEMBRO 2016

CFIC LIGADO

ANO 1 NÚMERO 1 - JORNAL DOS ALUNOS DO 5O ANO DO COLÉGIO FRANCISCANO IMACULADA CONCEIÇÃO

GOVERNADOR VALADARES - MG - DEZEMBRO DE 2016

LEIA NESTA EDIÇÃO

Alunos descobrem um mundo fascinante por meio dos livros da Biblioteca do CFIC PÁGINA 12

A professora Sayonara Márcia Santos conversa com nossa equipe de reportagem. PÁGINA 11

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

O Ererré foi uma experiência muito importante para o aprimoramento do meu conhecimento diante da importância dos indígenas para a cultura brasileira.

Fique ligado nos classificados poéticos

Arthur Távora, 11 anos

PÁGINA 6

PÁGINA 6

1


2

JORNAL CFIC LIGADO - DEZEMBRO 2016

EDITORIAL

JOVENS CHARGISTAS

Aprendendo com os jornais Todos os dias são publicados, em jornais e revistas, matérias com os últimos acontecimentos que fazem parte de nosso cotidiano. A maioria publica fatos de origem regional, nacional e internacional e nas mais diversas áreas: política, esporte, economia, ciências, artes e cultura, classificados, moda, clima. Há, também, noticiários sobre crimes, catástrofes, acidentes e acontecimentos diversos que abalam e/ou modificam a sociedade. A partir desses fatores citados, é de suma importância que esse gênero seja abordado nas escolas, pois é fonte inesgotável de possibilidades que abrangem todas as áreas do conhecimento. A aprendizagem deve acontecer, então, de modo reflexivo, expondo o aluno a variados tipos de material escrito e visual para que o mesmo tenha a oportunidade de se encontrar, seja na leitura ou na escrita. Trabalhar com o jornal em sala de aula oportuniza a apropriação de um texto verídico, do cotidiano de todos os alunos, da escola e da sociedade. Assim, utilizá-lo como ferramenta de aprendizagem propicia uma leitura de mundo, em que o aluno se coloca como agente do processo e como um cidadão crítico e modificador do espaço em que vive. Neste contexto, os alunos do 5º ano, durante o ano de 2016,foram percorrendo caminhos e construindo variados textos, de diferentes gêneros, pensando na elaboração de um jornal. O fato de oferecer a oportunidade para que realizassem tal tarefa se tornou um desafio, além de um momento para mostrarem que são capazes de contribuir, como cidadãos participantes para a melhoria da sociedade, apresentando opiniões, senso crítico e, principalmente, interesse pela informação. A criação do jornal despertou nos estudantes o desejo derelatar fatos do cotidiano que aconteceram no colégio, destacando a comemoração pelos 75 anos da instituição. Assim, realizaram pesquisas, gráficos, produziram classificados poéticos, desenhos, charges, histórias em quadrinhos, dentre outros. As turmas foram divididas, para que todos tivessem a oportunidade de participar da elaboração do jornal, agregando todas as disciplinas. Desta forma, apresentamos, agora, o resultado de tudo o que produziram e desejamos a todos uma excelente leitura. Professoras do 5° Ano - CFIC

EXPEDIENTE Jornal CFIC LIGADO

Publicação dos alunos do 5o ano do Colégio Franciscano Imaculada Conceição. Rua Tiradentes, 312, centro Governador Valadares - MG Telefone: 3271. 6227 E-mail: faleconosco@cfimaculadaconceição.com.br Diretora: Maria Aparecida Nóbrega Coordenadora Pedagógica: Sabrina Rosa Editoras: Janúlia Távora, Patrícia Leles, Sabrina Lopes e Zélia Spínola. Diagramação: Tim Filho Impressão: Gráfica Arco-Íris

Charges de Ivan Patto e Fernanda, da turma do 5o ano

Artigo de opinião

Articulista: Ana Clara Carvalho Silva

Meninas podem fazer o mesmo que os meninos? Desde muito tempo, alguns homens machistas defendem que as mulheres não podem fazer o mesmo que eles. Essa situação, infelizmente, ainda acontece, na atualidade, como por exemplo, nas escolas, onde, no horário do intervalo, muitas garotas querem jogar futebol com os colegas, mas como de costume, a resposta é sempre: “Futebol é jogo para meninos e meninas não podem jogar.” No Colégio Franciscano Imaculada Conceição, essa situação é bem diferente, pois meninas podem jogar bola e outras brincadeiras com os meninos não importando se elas sabem ou não. Todos trabalham em equipe e aproveitam para desenvolver suas habilidades. O que percebemos é que a mulher atual está exercendo muitas funções na sociedade, superando dificuldades e alcançando novas posições. Enfim, nós, mulheres, podemos e devemos fazer qualquer coisa que desejarmos, pois os tempos mudaram!


JORNAL CFIC LIGADO - DEZEMBRO 2016

Artigo de opinião

Articulista: Roger Ferreira – 503

3

CHARGE DO TIM

Trabalho Infantil Tomando conhecimento desse tema polêmico sobre o trabalho infantil e, também, sendo criança, tenho minhas ideias próprias sobre o assunto. Trabalho infantil deve ser, apenas, poder participar dos deveres da família:estendendo a cama; juntando objetos e brinquedos; guardando roupas; deixando o quarto sempre limpo, fazendo os deveres escolares; estudando as lições da escola, entre outras atividades próprias da infância. Triste é perder a infância tendo que enfrentar o trabalho para sobreviver. É inadmissível uma criança trabalhar e não ter tempo para o lazer, ir à escola, aprender a ler e escrever, ter uma convivência sadia jogando futebol oupraticar outros esportes com crianças da mesma idade. O trabalho infantil, em sua maioria, tem como resultado a frustração dos sonhos de milhares de crianças, por isso, deve ser combatido. Assim,os governantes devem tomar medidas que resultem numa condição de vida melhor para que os pais possam criar seus filhos com dignidade. Afinal, a criança tem o direito de ser amada, viver e crescer em um país que lhe dê condições para ser feliz.

Artigo de opinião

Articulista: Letícia Dias de Freitas – 503

Menores de 16 anos trabalham

Aluno destaque em leitura

De acordo com o censo do IBGE, no Brasil, mais de três milhões de crianças e adolescentes trabalham, sendo que mais de 1 milhão e 600 mil deles possuem menos de 16 anos de idade. É horrível quando uma criança pequena começa a trabalhar. Se ela ajuda a mãe e o pai a lavar a garagem ou limpar a casa, levar o lixo para fora, fazer tarefas domésticas, tudo bem, mas outro tipo de trabalho não é para crianças. Elas foram feitas para brincar, estudar e serem felizes. Isso ébem simples de entender porque é um período de crescimento e aprendizagem, em que a criança precisa, realmente, estudar e aproveitar a infância, para aumentar a sua capacidade de relacionamento, além do raciocínio. Se a criança usa sua infância para trabalhar e não para estudar e brincar, ela pode ter seu desenvolvimento comprometido. Então, é melhor deixar que nós, crianças, sejamos felizes e aproveitemos essa oportunidade incrível que temos em nossa vida. É precisoque nos deixem crescer e sermos responsáveis para estudarmos, arranjarmos um bom emprego e sermos felizes. Isso tudo é importante para que, depois, a criança, quando se tornar um adulto possa pensar, com tranquilidade, no que já passou, no que vai passar e, ainda, no que vai guardar na memória.

Durante o ano letivo de 2016, o aluno Samuel Batista Mendonça, da turma 503, se destacou no processo de evolução da leitura, mergulhando nesse universo saudável. Abaixo, os livros lidos por ele: Eu (não) sou um bocó. O menino que virou passarinho. Viagem ao centro da Terra. O grande combate. Ratoburguer. Vovó Vigarista. Tom Sawyer. A máquina fantabulástica. O agente secreto no deserto Assassinato no avião da meia noite. Nate dá um show. O dia em que Nate entrou para a história. Guardachuvando doideiras. Romeu e Julieta em quadrinhos. Ficam as sugestões de obras, deixadas por um aluno igual a vocês, que gostam de ler. Disponível em: Jonas Ribeiro. Dez motivos para amar os livros. São Paulo: Elementar, 2009


4

JORNAL CFIC LIGADO - DEZEMBRO 2016

PASTORAL ESCOLAR Na semana da criança, o 5º ano, vivenciando os DIAS INCRÍVEIS, teve a iniciativa de arrecadar brinquedos e roupas para serem doados a crianças carentes de nosso município. O Colégio assiste a uma instituição no bairro Turmalina há mais de 30 anos. Em um dia muito especial, as crianças, professoras e a Irmã Andrea foram levar as doações e fizeram a festa com a criançada da instituição Brilho de Turmalina. DEPOIMENTOS A possibilidade de realizar a visita missionária na Creche Brilho de Turmalina faz parte de nossa missão como Escola em Pastoral. A experiência foi positiva, a partir do momento em que as crianças promoveram a iniciativa dessa missão. Os estudantes do quinto ano se envolveram com muita naturalidade, carinho e cuidado extremos com cada criança da creche. O fato de partir deles a proposição para partilhar seus brinquedos com outras crianças foi o grande salto qualitativo dessa turma. Da minha parte, foi uma alegria imensa poder apoiar e promover um momento como este. Uma escola em pastoral não se realiza em atividades isoladas, mas com iniciativas como essas.

SORVETE DELICIUS Rua Oiti, 100 Cardo - 3221.9030 Rua Peçanha, 159 Centro - 3082.3444

Constatamos, assim, que nossos alunos estão sendo formados para a vida em sociedade e para a construção de um mundo mais humano e fraterno. (Irmã Andrea) No dia em que visitamos a creche Brilho de Turmalina todos ficamos chocados com as crianças muito simples e, quando entramos nas salas, percebemos que eram mais simples, ainda. Com essa visita, eu aprendi que não devemos reclamar de nada, pois temos tudo e, quando não queremos mais um brinquedo, e ele está em boas condições, devemos doá-lo a quem não tem. Aqui na escola, aprendemos bastante sobre ajudar o próximo. A escola costuma festejar a semana da criança com jogos, brincadeiras, mas neste ano, também, fizemos doações à Creche Brilho de Turmalina. Foi muito bom, pois conseguimos ver como a vida dessas crianças é diferente da nossa. Lá, brincamos com elas e, assim, tanto elas quanto nós, nos sentimos especiais. No dia em que fui à creche, fiquei muito feliz por ver as crianças e, ainda, quando entregamos os brinquedos, pois percebi a alegria delas. Cantamos cantigas de roda, visitamos as salas e pude ver como a pastoral é importante em nossa formação. Ver aquelas crianças rindo, brincando, nos fez sentir bem e nos deixou emocionados. (Turma 501)

Terra Branca Marechal Floriano, 2123 Bairro de Lourdes 3221.2512


JORNAL CFIC LIGADO - DEZEMBRO 2016

Oração de São Francisco de Assis

5

Senhor faça-me instrumento de vossa paz. Onde houver ódio, que eu leve o amor; Onde houver ofensa, que eu leve o perdão; Onde houver discórdia, que eu leve a união; Onde houver dúvida, que eu leve a fé; Onde houver erro, que eu leve a verdade; Onde houver desespero, que eu leve a esperança; Onde houver tristeza, que eu leve a alegria; Onde houver trevas, que eu leve a luz. Ó Mestre, Fazei que eu procure mais Consolar, que ser consolado; compreender, que ser compreendido; amar, que ser amado. Pois é dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado, e é morrendo que se vive para a vida eterna. Amém.

Minha história guardada na memória... Meu nome é Kariny Peçanha Coelho, sou funcionária do Colégio Franciscano Imaculada Conceição há, aproximadamente, 27 anos. Minha história de vida dialoga com a história desta escola que, com todo o seu carisma, contribuiu para minha formação pessoal e profissional. Iniciei, aqui, minha trajetória acadêmica, aos 04 anos de idade, no antigo Jardim da Infância, onde fui acolhida pelo corpo docente com muito carinho e atenção. Durante a infância, experimentei brincadeiras, muitas descobertas e um grande incentivo em relação ao universo das letras e dos números. O tempo passou, fui crescendo e, juntamente com os conhecimentos adquiridos, foi plantado em meu coração os ensinamentos de São Francisco e Santa Clara, bem como o desejo de espalhar, sempre, a Paz e o Bem, por onde passava. Concluí, assim, o Curso Normal, neste ambiente enriquecedor, onde os ensinamentos adquiridos transformaram e enriqueceram minha vida, tornando-me um sujeito que pensa, questiona e se posiciona. Após a formação como docente, fui contratada para trabalhar como professora do Ensino Fundamental, Anos Iniciais; depois, professora do Curso Normal; Orientadora Educacional e, por fim, Psicóloga Escolar e Gestora de Pessoas. O sentimento, hoje, é de gratidão, por fazer parte desses 75 anos e, ao olhar para trás, perceber o quanto o CFIC contribuiu e, ainda, contribui para minhas experiências como filha, mãe, esposa e profissional. As marcas de uma educação de qualidade, de uma formação integral e de todo o legado que uma escola pode deixar na vida de um sujeito, estão inscritas em minha existência e posso afirmar que: “Imaculada é para a vida toda...” É, foi e sempre será! Kariny Peçanha Coelho Coordenadora do Setor de Psicologia

O sentimento, hoje, é de gratidão, por fazer parte desses 75 anos e, ao olhar para trás, perceber o quanto o CFIC contribuiu e, ainda, contribui para minhas experiências como filha, mãe, esposa e profissional.

Depoimento de pais de alunos A escolha da escola onde nossos filhos irão estudar é realizada por nós pais. Ao escolher o Colégio Franciscano Imaculada Conceição, não só fizemos a escolha de uma escola de ensino de qualidade, mas também, de uma escola que trabalha com os valores morais e éticos, principalmente, sobre a importância da família. Temos dois filhos, Bárbara e Mateus, que são apaixonados pela escola, pelas amizades, pelos professores e funcionários. Eles respeitam e são respeitados e têm, nesse espaço, o prazer em aprender. Educação é isto: buscar o saber, de forma prazerosa e duradoura, com lições que serão levadas por toda a vida. Depoimento dos Pais: Simone Nogueira Correia Pimenta e Adair da Paixão Pimenta Júnior. (Alunos: Bárbara Correia Pimenta e Mateus Correia Pimenta)


6

JORNAL CFIC LIGADO - DEZEMBRO 2016

CLASSIFICADOS POÉTICOS

Escola

Igor Lage e Matheus Braga -502 Procura-se uma escola Que tenha educação garantida Que seja divertida Com alunos felizes E com professores sorridentes. Uma escola especial, muito radical Com ensinamentos cheios de animação e efeitos especiais.

TURMA 502/503

Que tenha atividades e amizades Para um futuro brilhante de seus alunos Uma escola que tenha, também Sabedoria, respeito e felicidade Que possa influenciar outras pessoas E, assim, melhorar a humanidade.

Com brincadeiras prazerosas.

Escola Amada

Procura-se...

Vende-se uma escola triste Desorganizada e mal educada.

Por favor, reserve dois lugares Em uma escola boa e tranquila Para mim e meu amigo.

Henrique e Pedro -503

Uma escola onde o mundo Torna-se um lugar cheio de alegria Que faz bem ao nosso coração.

Caio e Davi - 503

Um colégio que tenha respeito De uns para com os outros Uma escola que seja sempre O desejo de todo aluno.

Onde os alunos não são solidários Uns com os outros. Procura-se uma escola boa Organizada, como o Imaculada

Uma escola grande, espaçosa como o Imaculada Onde se tenha muitos amigos, todos geniais.

Encontra-se uma escola

Thamara e Maria Eduarda Spínola -502

Onde os alunos são geniais, falam a verdade E têm solidariedade.

Onde há muitas quadras, muitos esportistas Que mostram suas habilidades.

Encontra-se uma escola bonita Com alunos alegres e sorridentes Com diretora boa e responsável E um recreio longo e divertido.

Professores gentis e especiais Que respeitam os alunos Tendo igualdade e amizade Sendo sinceros e ensinando a veracidade.

Nessa escola aprende-se A amar e respeitar o próximo Com conhecimento e jeito divertido Para aprender.

Escola Encantada

Uma escola que tenha bons estudos Com professores especiais Que nos ensinam matérias geniais. Colégio Franciscano Imaculada Conceição É essa a nossa escola do coração.

Há professores competentes e especiais Há alegria e harmonia todo dia Além de felicidade e energia. Nessa escola, tenho muito que aprender. Imaculada é a escola Que todos gostariam de ter.

Troca-se uma escola Carlos Eduardo e Jônata - 502

Troca-se uma escola de solidão Por uma escola cheia de paixão. Troca-se trabalho infantil Por educação. Troca-se uma escola com bullying Por uma escola cheia de união. Troca-se uma escola com vícios Por uma escola de qualidade. Troca-se uma escola com maus tratos Por minha escola, onde há respeito!

Iolanda e Isabela - 503

Procura-se uma escola Como o Imaculada Conceição Que tenha alunos bons Divertidos e amigos. Professores sorridentes E também inteligentes Jardins coloridos Passarinhos bonitos Alegremente cantando. Procura-se Uma escola como o Imaculada Com esportes radicais e um pouco mais Pois esta escola é demais! Um lugar para visitar, estudar E, depois, os sonhos alcançar...

Escola perfeita Vitor e Luis – 503

Escola

Procura-se em algum lugar do planeta Uma escola que seja como o Imaculada Conceição Que sempre seja uma festa E que tenha um recreio tranquilo Com perfeição e diversão Onde todos falam e opinam.

Precisa- se de uma escola Que seja destaque nos estudos

Um lugar onde sempre aconteça a alegria E que o estudo seja com dedicação Onde se possa prezar a amizade

Samuel e Davi Magalhães -502


JORNAL CFIC LIGADO - DEZEMBRO 2016

7

PROJETO ERERRÉ

Conhecendo a cultura dos nossos indígenas Os alunos do 6º ano, Ensino Fundamental, do Colégio Franciscano Imaculada Conceição, participaram do Projeto Ererré. O nome é, na língua indígena Krenak, uma saudação que significa um elogio, um desejar tudo de bom a alguém. O projeto é interdisciplinar e tem como objetivo proporcionar aos alunos um conhecimento sobre a cultura indígena, tirar preconceitos e reconhecer a pluralidade da identidade brasileira. O Ererré iniciou em abril de 2015, com a participação da índia, Shirley Krenak, realizando vários encontros, oficinas, debates, reflexões baseadas em vídeos, no colégio. Já em 2016, houve a participação de Kaína, índia da tribo Pataxó, que, juntamente com a Krenak, ampliou ainda mais o conhecimento dos alunos. O símbolo do projeto é uma onça, Cuparaque, que, segundo a lenda, é protetora dos índios. Os alunos tiveram a oportunidade de conhecer a cultura indígena mais de perto com a visita à tribo Pataxó, localizada em Açucena, Minas Gerais. O projeto foi tão significativo que os alunos, como forma de agradecimento, apresentaram uma dança indígena, na Festa Cultural, promovida em julho, pelo Colégio. O encerramento do Projeto aconteceu no dia 24/09/2016 com apresentações, concurso de fotografias, exposições, alimentação tí-

Av. Santos Dumont nº715 Lourdes - 3271.4903

pica do povo indígena e artesanato. Segundo o aluno, Arthur Távora, 11 anos: “o Erreré foi uma experiência muito importante para o aprimoramento do meu conhecimento diante da importância dos indígenas para a cultura brasileira.” A grande idealizadora desse projeto, professora de História, Ivy Denadai, dos alunos do 6º ano, nos revela: “Eu penso que o projeto está evoluindo bastante. O Ererré, além de atender à exigência legal do ensino sobre a História e cultura Indígena, nasceu da necessidade de fomentar a pesquisa e o conhecimento sobre os contributos das etnias indígenas como elemento essencial do olhar pluralista que o cidadão deve possuir sobre a sua identidade brasileira. Desejamos que os educandos, de fato, ao longo de sua formação, se tornem cidadãos respeitosos para com a cultura alheia e incorporem a ideia de relacionar-se, de forma sustentável, com o planeta, carregando valores que admiramos no tocante à cultura indígena como um todo e por toda a vida”. Para 2017, já se pode perceber nos alunos do 5º ano uma grande expectativa para o III Projeto Ererré. “Já estou até imaginando como será essa aventura de conhecer de perto a cultura indígena”, confidencia-nos a estudante Milena Máxima, 10 anos. (Produção: alunos da 501).


8

JORNAL CFIC LIGADO - DEZEMBRO 2016

SARAU 2016

A grande noite dos alunos pela arte

O mês de Outubro foi muito esperado pelos alunos do 9º ano. No dia 27 de outubro, aconteceu no auditório do colégio, o XV SARAU. Esse momento é uma noite em que os alunos, por meio da arte, apresentam suas conclusões sobre os conteúdos estudados durante

o ano. Em 2016, abordaram o tema Escravidão Invisível, e criaram o teatro Alice no país do consumo. “A partir de teatro, danças, poemas e outras criações artísticas, eles deram um ótimo recado para todos, conduzindo à reflexão sobre o quanto as nossas práticas de consumo têm impactado o meio ambiente e, até, nossa qualidade de vida”, pontua a coordenadora Adriana Correa. Devido à correria que se vive, no mundo de hoje, esse, sem dúvida, foi um momento importante de reflexão, além de uma parada para pensar sobre as nossas ações. Alessandra Máximo, mãe do aluno Álvaro Máximo, acrescenta “ Foram dias de muita dedicação e interesse, que fez com que nosso filho mergulhasse de cabeça! Esperávamos o dia com muita ansiedade, certos de que seríamos espectadores de um momento muito especial. O que dizer do SARAU? Um projeto muito construtivo, que socializa, educa, sensibiliza e emociona.” Assim, percebe-se o entusiasmo não só dos alunos, mas por parte dos pais e de toda a equipe do colégio, pois, afinal, são 15 anos desse trabalho tão relevante. Enfim, depois de um ano de preparação e estudo, a esperada noite chegou repleta de arte e cultura, lotando o auditório do colégio de alunos, familiares, ex-alunos e amigos que vêm ao colégio para prestigiar o evento. (Turma 501).

Quem disse que ir pra escola não é divertido? Para iniciar as férias, crianças de 4 a 10 anos, alunos do Colégio Franciscano imaculada Conceição, participaram da Noite na Escola, no dia 04 de julho.Eles tiveram várias brincadeiras e gincana, divertindo-se e aproveitando a noite. Após o jantar, nada melhor que um luau e um bom filme. O luau foi conduzido pela professora Taynara e o bibliotecário Luiz Gustavo Rodrigues Rangel. “ Foi muito divertido, pois envolveu interação entre os alunos de diferentes turmas, por meio de brincadeiras, gincana, música e filme, sendo legal até para quem trabalhou,” comentou Luiz. Já na manhã do dia seguinte, todas as crianças tomaram um delicioso café da manhã e, após esse momento, foram ao encontro de seus pais. Para muitos alunos, essa é uma noite esperada e desejada. “Eu gostei porque teve brincadeiras e muita diversão”, disse Clarisse Motta, 10. (Produção alunos da 501).

Móveis Planejados 3279.0040 - 3277.7979


JORNAL CFIC LIGADO - DEZEMBRO 2016

BIBLIOTECA

Uma parceria sensacional! “O importante é motivar a criança para leitura, para a aventura de ler. ”

Ziraldo

Durante o ano de 2016, as turmas do 5º ano e a biblioteca Irmã Efigênia fizeram uma parceria valiosa para a vivência processo educativo e cultural, através da leitura. Conheça algumas obras que foram lidas, listadas e sugeridas pelos alunos: Diário do Lelê A rainha da neve Como ser um pirata Diário de uma garota nada popular Eu (não) sou um bocó Álbum da Catarina O ônibus das estrelas Assassinato na meia noite O diário de Nate Agenda de Carol Diário de uma garota nada popular Diário de Larissa Manoela Diário de um Banana O mundo dos Dinossauros... Fica a dica! Visite a biblioteca da escola e conheça os livros. Você não vai se arrepender.

NOVO espaço da biblioteca Olá, pessoal! Pensando que a leitura é uma grande diversão e que estimula várias áreas do conhecimento, nossa equipe criou um blog para a Biblioteca Ir. Efigênia onde divulgaremos as atividades realizadas, novas aquisições e tudo mais ligado à leitura. Nele também haverá espaço para vlogs, gincanas literárias, produção de textos, dicas, curiosidades e sínteses dos livros lidos por nós e por vocês. É muito fácil acessá-lo: entre no site www.imaculadaconceicao.com.br, vá para a aba “Departamentos” e clique em “Biblioteca”. Pronto! Agora você já poderá navegar pelo conteúdo, fazer comentários, deixar sugestões e dar opiniões para que este nosso projeto seja um sucesso. O que está esperando? Espalhe pra todo mundo esta novidade!

TEM TEXTO?

9


10

JORNAL CFIC LIGADO - DEZEMBRO 2016

Acima, quadra. Abaixo, a biblioteca

Acima, pátio principal e escadaria do auditório. Abaixo, a capela

Lugares inesquecíveis do CFIC As turmas 501, 502 e 503 elaboraram uma enquete e realizaram com as turmas dos Anos Iniciais: “Um lugar inesquecível no CFIC”. Analise o gráfico e descubra os espaços mais curtidos no colégio. Pátio dos Anos Iniciais 62 Biblioteca 30 Capela 5 Pátio da Educação Infantil 22 Jardim 14 Quadras 91 Galpão 5 Auditório 9 Outros 6 E para você, qual o lugar inesquecível aqui no CFIC?

Av. JK, 1065 - Telefone: (33) 3276-7677

R. Nízio Peçanha Barcelos, 117 - Vila Isa - 3278.3333


JORNAL CFIC LIGADO - DEZEMBRO 2016

11

ENTREVISTA

Entrevistando pessoas no CFIC As turmas 501, 502 e 503 realizaram entrevistas com alguns funcionários do CFIC, no intuito de conhecer um pouco da história do nosso colégio. Este trabalho foi associado aos temas discutidos em Geografia, sobre Economia e setores de trabalho. Selecionamos a entrevista de uma funcionária que conhece muito essa instituição e, ainda hoje, atua e encanta com suas habilidades.

Entrevistada: Sayonara Márcia Santos CFIC - Com quantos anos você ingressou no campo de trabalho? Sayonara - Ingressei no campo de trabalho com 17 anos. CFIC - Quantas horas você trabalha, atualmente, por dia? Sayonara - Trabalho 8 horas durante três dias e 4 horas nos outros dois dias. CFIC - Há quanto tempo você trabalha no CFIC? Qual a sua função? Sayonara - Trabalho no CFIC há trinta e quatro anos, sendo trinta e dois anos como professora e dois anos como auxiliar de biblioteca.

a imaginação, pesquisar e formar cidadãos críticos entre outros.

CFIC - Como é para você trabalhar no CFIC, uma escola com 75 anos? Sayonara - É uma experiência maravilhosa trabalhar numa instituição que preserva os valores humanos, formando pessoas que pensam, questionam e se posicionam diante da sociedade. Gratificante, CFIC - Como a sua função ajuda os outros? também, pois aqui foi o lugar onde eu e meu filho tivemos nossa Sayonara - Minha atual função ajuda a formar leitores, desenvolver formação espiritual, científica e pessoal.

DEPOIMENTOS

Além disso, confira depoimentos emocionantes de outros funcionários É um orgulho trabalhar no CFIC porque é a escola onde estudei e acredito na educação de qualidade que oferece, preocupando-se com a formação integral de seus alunos. (Aretuza Nick)

Era um sonho, como professor, trabalhar numa escola tão conceituada. (José Jorge da Silva) É muito gratificante, pois nos torna parte de uma história que faz diferença, contribuindo, cada dia mais, para que se tenha experiências positivas na vida. (Natália de França Pires Cardoso)

Essa escola faz parte da história da minha vida. Tenho muito amor por ela e, mesmo com os desafios da profissão, trabalhar aqui é muito prazeroso. (Greice Ferreira)

É uma honra trabalhar nesta instituição porque, aqui, é possível oferecer um ensino de qualidade sem perder a essência do que é humano. (Elizeth Gonçalves da Silva)

É uma alegria muito grande fazer parte dessa equipe e uma satisfação imensa poder comemorar os 75 anos do CFIC. (Jhennyfer Gonçalves) É um motivo de muito orgulho fazer parte da história desse colégio e contribuir, de alguma maneira, do seu processo educativo. Estar aqui, dentro desses muros, deixa-me muito feliz, pois construí minha vida fazendo parte dessa tão amada instituição. (Jean Carlos Gonçalves de Brito) Trabalhar aqui, sempre foi meu sonho e, hoje, é uma realização, uma alegria. (Simone Moura Rosado)

Era um sonho ser professora no Colégio Imaculada, pois gosto da escola e acredito na proposta de trabalho. (Maria Aparecida da Nóbrega)

Para mim, é uma honra trabalhar na escola onde eu entrei para estudar aos três anos de idade. O Colégio Imaculada é minha segunda casa, onde, também, estudam meus dois filhos, pois acredito nessa escola que forma gerações que fazem diferença. #souimaculada” (Ana Carolina Santiago Gomes Aleixo)

É um aprendizado muito grande. Sinto-me orgulhosa por trabalhar num colégio compromissado com a vida. (Irmã Andrea Cecília Moreno)

Para mim, é minha segunda casa,. É muito gratificante ter contato com pais, alunos e conhecer mais pessoas a cada dia. (Uadima Luiza)


12

JORNAL CFIC LIGADO - DEZEMBRO 2016

4o ANO EM AÇÃO

Eu mudo, juntos mudamos o mundo No primeiro semestre, os alunos do 4º ano, iniciaram o projeto “EU MUDO... JUNTOS MUDAMOS O MUNDO”. O projeto surgiu a partir dos estudos sobre os biomas brasileiros e os impactos do desastre do Rio Doce, fato que aconteceu bem perto da nossa realidade e que afetou a população mineira. O trabalho com o projeto foi desenvolvido por meio de pesquisas, relatos visitas técnicas, palestras, teatro e músicas. No dia 8 de novembro, no auditório do colégio, aconteceu a culminância. Segundo a aluna, Giovanna Souto, “foi muito fácil participar do teatro, devido aos estudos realizados durante o ano de 2016. Eu fiquei um pouco nervosa porque o auditório estava cheio, mas ao final, deu tudo certo”, disse a estudante. Na apresentação, foram abordados os temas discutidos, e as crianças demonstraram seu posicionamento frente às situações que acontecem em nosso cotidiano. Finalizaram com um convite bem atrativo à população para que cada um faça a sua parte, lute pelos seus diretos e busque alternativas a favor da fauna e da flora, fazendo diferença no nosso planeta, diante das situações criadas pelo homem. Percebe-se que o colégio tem afirmado a sua proposta pedagógica de ser considerada uma escola sustentável, fazendo, também, diferença na vida de aluno, abordando temas importantes para que possam refletir sobre suas ações e consequências. (Turma 501).

Crianças protagonistas: Construindo saberes, significando a vida! As turmas do 5º ano/2016, produtoras do Jornal CFIC Ligado


CFIC LIGADO Dezembro 2016