{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade.

Page 1

04 05 ABR Allegro

Vivace

FORTISSIMO Nยบ 4 / 2019


Ministério da Cidadania e Governo de Minas Gerais A P R E S E N TA M

Allegro

04/04

Vivace

05/04

MARCOS ARAKAKI, REGENTE MICHAEL BARENBOIM, VIOLINO


PROGRAMA

JOHANNES BRAHMS Abertura Festival Acadêmico, op. 80

ALEKSANDR GLAZUNOV Concerto para violino em lá menor, op. 82

Moderato

Andante

Allegro

a execução dos movimentos é contínua

I N T E R VA L O

FRANZ SCHUBERT Sinfonia nº 5 em Si bemol maior, D. 485

Allegro

Andante con moto

Minueto: Allegro molto

Allegro vivace


CAROS AMIGOS E AMIGAS, Sob a regência de nosso Regente

Recebemos pela primeira vez o vio-

A ss o c i a d o M a rco s A ra k a k i , a

linista Michael Barenboim, que nos

Filarmônica apresenta nesta noite

traz o melodioso, lírico e expan-

obras de grande beleza e contraste.

sivo Concerto para violino do russo

Do classicismo revelado na Quinta

Glazunov. Contrariamente às influên-

Sinfonia de Schubert e na expansão

cias nacionalistas que predominavam

desse estilo na obra de Brahms,

na época, Glazunov se manteve fiel

teremos a oportunidade de vivenciar

à universalidade romântica. Essa

momentos de pura beleza, alegria

característica se manifesta em toda

e celebração destes que são dois

a sua plenitude neste belo Concerto.

monumentos da música sinfônica universal.

Um ótimo concerto a todos.

FOTO: RAFAEL MOTTA

FA B I O M E C H E T T I


FABIO MECHETTI DIRETOR ARTÍSTICO E REGENTE TITULAR

Diretor Artístico e Regente Titular

sua estreia no Carnegie Hall de Nova

da Orquestra Filarmônica de Minas

York conduzindo a Sinfônica de Nova

Gerais desde sua criação, em 2008,

Jersey. Continua dirigindo inúmeras

Fabio Mechetti posicionou a orques-

orquestras norte-americanas e é

tra mineira no cenário mundial da

convidado frequente dos festivais

música erudita. Além dos prêmios

de verão norte-americanos, entre

conquistados, levou a Filarmônica

eles os de Grant Park em Chicago

a quinze capitais brasileiras, a uma

e Chautauqua em Nova York.

turnê pela Argentina e Uruguai e realizou a gravação de nove álbuns,

Igualmente aclamado como regente

sendo quatro para o selo interna-

de ópera, estreou nos Estados Unidos

cional Naxos. Natural de São Paulo,

dirigindo a Ópera de Washington. No

Mechetti serviu recentemente como

seu repertório destacam-se produções

Regente Principal da Filarmônica

de Tosca, Turandot, Carmem, Don

da Malásia, tornando-se o primeiro

Giovanni, Così fan tutte, La Bohème,

regente brasileiro a ser titular de

Madame Butterfly, O barbeiro de

uma orquestra asiática.

Sevilha, La Traviata e Otello.

Nos Estados Unidos, Mechetti esteve

Suas apresentações se estendem

quatorze anos à frente da Orquestra

ao Canadá, Costa Rica, Dinamarca,

Sinfônica de Jacksonville e, atual-

Escócia, Espanha, Finlândia, Itá-

mente, é seu Regente Titular Emérito.

lia, Japão, México, Nova Zelândia,

Foi também Regente Titular das sin-

Suécia e Venezuela. No Brasil, re-

fônicas de Syracuse e de Spokane,

geu todas as importantes orques-

da qual hoje é Regente Emérito.

tras brasileiras.

Regente Associado de Mstislav Rostropovich na Orquestra Sinfônica

Fabio Mechetti é Mestre em Regência

Nacional de Washington, com ela

e em Composição pela Juilliard

dirigiu concertos no Kennedy Center

School de Nova York e vencedor do

e no Capitólio. Da Sinfônica de San

Concurso Internacional de Regência

Diego, foi Regente Residente. Fez

Nicolai Malko, da Dinamarca.


MARCOS ARAKAKI

Sofya Gulyak, Ricardo Castro, Pinchas Zukerman, Rachel Barton Pine, Chloë Hanslip, Luíz Fílip, Victor JulienLaferrière, Günter Klaus, Eddie Daniels,

Marcos Arakaki teve seu talento reco-

David Gérrier e Yamandu Costa.

nhecido a partir de 2001, quando venceu o I Concurso Nacional Eleazar

Desenvolve atividades como coorde-

de Carvalho para Jovens Regentes,

nador pedagógico, professor e pales-

promovido pela Orquestra Petrobras

trante em projetos culturais, univer-

Sinfônica. Desde então, tem dirigido as

sidades e conservatórios. Professor

principais orquestras brasileiras, além

visitante da Universidade Federal da

da Filarmônica de Buenos Aires, de

Paraíba por dois anos, contribuiu

Karkhiv na Ucrânia, a Boshlav Martinu

para a consolidação da recém-criada

na República Tcheca, a Sinfônica de

Orquestra Sinfônica da UFPB.

Xalapa e da Universidade Autônoma do México. Concluiu bacharelado em

Marcos Arakaki é regente associado

Música pela Universidade Estadual

da Filarmônica de Minas Gerais e

Paulista (Unesp) e mestrado em

colabora com a Orquestra desde 2011,

Regência Orquestral pela University

com destacada atuação nos concer-

of Massachusetts. No Aspen Music

tos para formação de público. É autor

Festival and School, Estados Unidos,

do livro A História da Música Clássica

recebeu orientações de David Zinman,

Através da Linha do Tempo, lançado

Kurt Masur, Charles Dutoit e Sir Neville

em 2019.

Marriner. Atuou como regente titular da Orquestra Sinfônica da Paraíba e assistente da Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB). Como regente titular, promoveu uma elogiada reestruturação na Orquestra Sinfônica Brasileira Jovem. Recebeu o Prêmio Camargo Guarnieri, concedido pelo Festival Internacional de Campos do Jordão, e gravou com a OSB a trilha do filme Nosso Lar, composta por Philip Glass. Arakaki tem acompanhado importantero, Sergio Tiempo, Anna Vinnitiskaya,

FOTO: RAFAEL MOTTA

tes artistas, tais como Gabriela Mon-


MICHAEL BARENBOIM

pai, Daniel Barenboim, e o violoncelista Kian Soltani em um novo Piano Trio. Como recitalista, Michael apresentou-se nas salas Royal Albert Hall (Proms),

Michael Barenboim deixa a música

Wigmore Hall, Barbican Centre, Carnegie

falar por si mesma através de seu

Hall, Elbphilharmonie, Dortmund Konzer-

violino. “Deslumbrante”, “emocionante”,

thaus, Melbourne Recital Centre, Sydney

“totalmente persuasivo e de tirar o

Opera, Teatro San Carlo di Napoli, Teatro

fôlego” são alguns elogios feitos pela

Comunale di Bologna e Kumho Art Hall.

crítica às suas apresentações. Michael colabora regularmente com sua Ao lado do compromisso com o clássico

mãe, a pianista Elena Bashkirova, e com

e o romântico, Michael é reconhecido

Franz Helmerson, Julian Steckel, Guy

pelas suas performances do repertório

Braunstein, Denis Kozhukhin, Andras

contemporâneo e do século XX. Em uma

Schiff e Martha Argerich, entre outros

longa colaboração, interpreta obras do

artistas. É fundador do Erlenbusch Quartet.

falecido Pierre Boulez em recitais solo e com o Boulez Ensemble e gravou

Barenboim é spalla da West-Eastern

Anthèmes 1 & 2 pelo selo Accentus Music.

Divan Orchestra e dedica-se a atividades educacionais. Ele coordena a

Recentemente, estreou com a Filarmônica

Música de Câmara na recém-criada

de Berlim e Vasily Petrenko, Filarmônica

Academia Barenboim-Said e realiza

de Viena e Daniel Barenboim, Sinfônica

masterclasses em todo o mundo.

de Chicago e Asher Fisch e Filarmônica de Israel e Zubin Mehta. Na temporada 2018/2019 ele estreia com a Filarmônica de Los Angeles e Gustavo Dudamel. Barenboim toca o Concerto de Glazunov com a Sinfônica de San Diego, Filarmônica de Dresden, Sinfônica de Tenerife e com a Filarmônica de Minas Gerais. Estreia obras de J. Widmann e de Kareem Roustom e realiza recitais solo nas salas Paris Philharmonie, Boulez Festival, Rosengarten Manheim e Cal Performances. Apresenta-se com seu

FOTO: YANNICK PERRIN

Saal, Gulbenkian Auditorium, Monteverdi


Johannes

BRAHMS HAMBURGO, ALEMANHA, 1833

V I E N A , ÁUST R I A , 1 897

Entre a segunda e a terceira de suas quatro sinfonias, Brahms compôs duas aberturas orquestrais de caracI N S T R U M E N TA Ç Ã O

Piccolo, 2 flautas, 2 oboés, 2 clarinetes, 2 fagotes, contrafagote, 4 trompas, 3 trompetes, 3 trombones, tuba, tímpanos, percussão, cordas. EDITORA

Breitkopf & Härtel

terísticas opostas. Sobre elas, ele dizia: uma ri e a outra chora. Obras complementares entre si, a Abertura Festival Acadêmico e a Abertura Trágica foram escritas para a Universidade de Breslau como agradecimento pelo título honoris causa oferecido ao compositor – “hoje, o primeiro da grande música alemã”, conforme o documento assinado pelo reitor em 11 de março de 1879. Sempre dedicado à música, Brahms nunca fez estudos escolares regulares. Ainda criança começou a

PA R A O U V I R

trabalhar com o pai, músico humilde que tocava trompa

CD Brahms – The Symphonies; Academic Festival Overture – Chicago Symphony Orchestra – Sir Georg Solti, regente – London/Decca – 1992 (4 CDs)

e contrabaixo em tabernas e outros ambientes impróprios para o menino. Orgulhoso do talento do filho, Jakob Brahms convenceu o notável professor de piano Otto Cossel a aceitá-lo como aluno. Conseguiu ainda que o fabricante Baumgartner autorizasse o pequeno Johannes a praticar nos pianos de seu estabelecimento.

PA R A A S S I S T I R

Assim, a partir dos sete anos, Brahms já se dedicava ao

Orchestre de Paris – Paavo Järvi, regente Acesse: fil.mg/bfestival

aprendizado musical com seriedade e constância. Aos

PA R A L E R

José Bruyr – Brahms – Collections Solfèges – Éditions du Seuil – 1965

dez anos, seu primeiro concerto público atraiu a atenção de Eduard Marxsen, homem de grande prestígio artístico. Excelente professor de piano e teoria, ele incentivou o novo aluno com o estudo metódico dos antigos mestres do contraponto (Lassus, Palestrina, Bach) e a prática dos modelos formais do Classicismo vienense (Haydn, Mozart, Beethoven).

François-René Tranchefort – Guia da Música Sinfônica – Nova Fronteira – 1990


Abertura Festival Acadêmico, op. 80 1880

Última apresentação: 7 de agosto / 2008 Roberto Tibiriçá, regente convidado

10 MINUTOS

Por volta de seus vinte anos, Brahms

sua fidelidade aos modelos do Clas-

passou a realizar turnês com músicos

sicismo vienense e o seu papel de

de renome, entre outros os violinistas

indicador de novos caminhos para

Reményi e Joachim, que o levaram

a modernidade. Quanto às duas

até Liszt e Schumann. O generoso

Aberturas, devem ser apreciadas em

Liszt recebeu-o com cordialidade, mas

seu contexto de obras circunstanciais.

Brahms mostrou-se intimidado pelo

Se a Abertura Trágica, construída em

sofisticado cerimonial em torno do

forma sonata, segue impulsos mais

poderoso artista na corte de Weimar

íntimos do compositor, a Abertura

e, simplesmente, desconsiderou seu

Festival Acadêmico faz referência

convite para integrar a “nova escola

explícita à sua gênese, ao retrabalhar

alemã”. Ao contrário, uma amizade

contrapontisticamente variações so-

inquebrantável se estabeleceu por

bre um pot-pourri de quatro conhecidas

toda vida entre Brahms e o casal

canções de estudantes. A primeira

Clara e Robert Schumann – este lhe

é solene; a segunda, sentimental; a

dedicou um artigo na influente revista

terceira, anunciada pelos fagotes, é

que dirigia. Na sequência, outros

cômica; e a quarta, com seu título

importantes músicos contemporâ-

latino Gaudeamus igitur, gaudeamus,

neos – como o teórico Hanslick –,

fecha a obra com pomposa alegria.

preocupados com a tradição musical alemã, elegeram Brahms como a fi-

PA U L O S É R G I O

gura emblemática do movimento de

MALHEIROS DOS SANTOS

reação à “música do futuro”, preconi-

Pianista, Doutor em Letras, professor na

zada pelos poemas sinfônicos de Liszt

UEMG, autor dos livros Músico, doce

e pelo drama musical wagneriano.

músico e O grão perfumado – Mário de Andrade e a arte do inacabado.

A avaliação da obra de Brahms ainda

Apresenta o programa semanal Recitais

hoje oscila entre a valorização de

Brasileiros, pela Rádio Inconfidência.


Aleksandr

GLAZUNOV SÃO PE TERSBURGO, RÚSSIA, 1865

PA R I S , F R A N Ç A , 1 9 3 6

Aleksandr Glazunov representa a continuidade da tradição musical russa de Tchaikovsky e Rimsky-Korsakov I N S T R U M E N TA Ç Ã O

Piccolo, 2 flautas, 2 oboés, 2 clarinetes, 2 fagotes, 4 trompas, 2 trompetes, 3 trombones, tímpanos, percussão, harpa, cordas. EDITORA

Balaieff

e, ao mesmo tempo, o elo com a nova música soviética de Prokofiev e Shostakovich. Glazunov começou seus estudos de piano aos nove anos de idade e, aos onze, escrevia suas primeiras composições. Aos quatorze tornou-se aluno de Rimsky-Korsakov e, três anos mais tarde, estreava com sucesso sua primeira sinfonia. A promessa de uma carreira brilhante se concretizaria logo em seguida, graças a Mitrofan Belyayev, rico comerciante e editor de São Petersburgo que publi-

PA R A O U V I R

cava e divulgava, na Rússia e no Ocidente, as obras

CD Heifetz – Concertos – RCA Victor Symphony Orchestra – Walter Hendl, regente – Jascha Heifetz, violino –– RCA – 2005

dos jovens compositores russos. Glazunov foi sua

PA R A A S S I S T I R

Orchestre National de France – Vassily Sinaisky, regente – Vadim Gluzman, violino Acesse: fil.mg/gviolino

maior aposta. Contava dezenove anos quando Belyayev levou-o em viagem à Europa ocidental para divulgar sua música. Consagrado internacionalmente aos vinte e quatro anos de idade, o jovem Glazunov tratou logo de compor algumas sinfonias, quartetos de cordas e balés, para fazer jus à fama. Em 1899 tornou-se professor do Conservatório de São Petersburgo e, em seguida, seu diretor. Respeitado pe-

PA R A L E R

Richard Taruskin – On Russian music – University of California Press – 2010

las autoridades soviéticas, conservou o posto de diretor do Conservatório até 1930. Dedicou-se a revitalizar o Conservatório: modernizou o currículo, contratou novos professores, protegeu os alunos e empenhou-se

Stuart Campbell (ed.) – Russians on Russian music: 1880-1917, an anthology – Cambridge University Press – 2003

profundamente em minimizar a influência do Estado na instituição. Entre seus protegidos estavam Shostakovich


Última apresentação: 15 de agosto / 2013 Fabio Mechetti, regente Chee-Yun, violino

Concerto para violino em lá menor, op. 82 1904

21 MINUTOS

e Prokofiev. Em 1928, desiludido com

cada vez mais agitada para, pouco

os rumos de seu país, aproveitou

a pouco, retornar à tranquilidade do

uma viagem a Viena e nunca mais

início. A volta do Moderato nos remete

retornou, alegando problemas de

à primeira parte, com a diferença

saúde para justificar sua demora.

que, desta vez, somos logo surpre-

No Ocidente, Glazunov continuou a

endidos pelo segundo tema, pronta-

apresentar sua música, embora já

mente variado por toda a orquestra.

compusesse muito pouco. Faleceu

A música do solista – que, desde o

em Neuilly-sur-Seine, nos subúr-

início da segunda parte, tornara-se

bios de Paris, em 1936, aos setenta

cada vez mais complexa – atinge

anos de idade.

o extremo da dificuldade técnica, com uma longa cadência escrita

Seu Concerto para violino foi com-

pelo próprio compositor. O caráter

posto em 1904 e dedicado ao célebre

improvisatório da cadência nos con-

violinista Leopold Auer. A estreia se

duz à terceira parte (Allegro), inici-

deu no início de 1905 pela Sociedade

ada por uma fanfarra dos trompetes,

Musical Russa, em São Petersburgo,

logo imitada pelo violino solista. O

com Leopold Auer ao violino e direção

Concerto atinge o auge de seu brilho

do compositor. O Concerto foi escrito

num jogo de perguntas e respostas

em um único movimento, embora se

entre o solista e a orquestra, até o

estruture em três partes. A primeira

final cheio de vitalidade.

(Moderato) inicia-se com um tema de caráter russo, no violino solista.

GUILHERME

Violino e orquestra nos conduzem ao

NASCIMENTO

segundo tema, uma melodia doce e

Doutor em Música pela Unicamp,

tranquila. A segunda parte (Andante)

professor na Escola de Música da UEMG,

apresenta uma melodia derivada do

autor dos livros Os sapatos floridos

primeiro tema. A música torna-se

não voam e Música menor.

Compositor,


Franz

SCHUBERT V I E N A , ÁU S T R I A , 1 7 9 7

1828

Franz Schubert não fez carreira como grande intérprete, nunca ocupou cargos musicais oficiais e, contrariando a vontade do pai, abandonou a segurança profissional do magistério para dedicar-se exclusivamente à composição, em uma rotina de muito trabalho e pouco reconhecimento público. Sua genialidade acompanhou-se do prodigioso dom de descobrir, na simplicidade do ambiente em que viveu, um rico e inesgotável manancial de poesia. Se I N S T R U M E N TA Ç Ã O

algum drama profundo marcou-lhe a existência, ele o

Flauta, 2 oboés, 2 fagotes, 2 trompas, cordas.

confiou somente ao coração e à música. Sem residência fixa, Schubert hospedava-se alternadamente na casa

EDITORA

do pai, do irmão e de amigos fiéis que procuraram

Breitkopf & Härtel

amenizar suas dificuldades financeiras. As reuniões desses jovens artistas, poetas, pintores e cantores,

PA R A O U V I R

que tinham como centro a música do compositor,

CD Schubert – Symphonies Nos. 5 & 8 – Wiener Philharmoniker – Claudio Abbado, regente – Deutsche Grammophon – 2018

celebrizaram-se como as “schubertíades”. Viveu apenas trinta e um anos e compôs mais de seiscentas canções, quinze quartetos de cordas, dezessete óperas, sete missas, cantatas, motetos, hinos, coros, música de

PA R A A S S I S T I R

câmara e grande variedade de peças para piano – fantasias,

Bavarian RSO – Lorin Maazel, regente Acesse: fil.mg/ssinf5si

improvisos, momentos musicais, valsas, danças e sonatas.

PA R A L E R

Marcel Schneider – Schubert – Solfèges – Éditions du Seuil – 1994

Quanto às suas sinfonias, oito delas estão definitivamente incorporadas ao repertório das grandes orquestras: as seis primeiras, compostas quando o compositor tinha entre dezesseis e 21 anos; a Sinfonia nº 8, a “Inacabada” (1822); e a Sinfonia nº 9, a “Grande” (1828). Nessa trajetória, Schubert teve que se moldar à grande

François-René Tranchefort – Guia da Música Sinfônica – Nova Fronteira – 1990


Sinfonia nº 5 em Si bemol maior, D. 485 1816

Última apresentação: 3 de setembro / 2009 Fabio Mechetti, regente

27 MINUTOS

forma sonata orquestral, uma vez que

O tema do Andante con moto tem

as principais características de seu

um caráter pastoral e traz um ines-

gênio predispunham-no às pequenas

quecível dueto entre as cordas e as

peças, sobretudo para a canção. Sua

madeiras. O vigoroso Minueto é uma

linguagem caracteriza-se pela beleza

evidente homenagem ao terceiro

melódica e pelo poder emotivo das

movimento da Sinfonia nº 40 de

modulações harmônicas, capazes

Mozart, uma das obras preferidas

de criar, em poucos compassos, um

de Schubert. No Allegro vivace final,

drama; ou de introduzir, rapidamente,

o desenvolvimento estabelece um

um novo sentimento poético. À exce-

contraponto das cordas com os

ção das obras juvenis, interpretadas

sopros. Composta aos dezenove

pela pequena orquestra de colegas

anos, essa sinfonia sintetiza as

estudantes do Stadtkonvikt de Viena,

aquisições técnicas anteriores do

o compositor jamais pôde ouvir suas

compositor – clareza formal, arte

sinfonias – o que torna ainda mais

contrapontística e transparência

admirável o prodigioso senso de

de orquestração, além da habitual

colorido orquestral e as gradações

riqueza melódica. Sua primeira

sonoras dessas obras.

audição pública ocorreu em Viena, a 17 de outubro de 1841, treze anos

Ao contrário das duas últimas sinfo-

após a morte de Schubert.

nias de Schubert, as seis primeiras só recentemente tornaram-se mais conhe-

PA U L O S É R G I O

cidas, quando execuções de importantes

MALHEIROS DOS SANTOS

orquestras e maestros revelaram o

Pianista, Doutor em Letras, professor na

frescor e o encanto dessas partituras.

UEMG, autor dos livros Músico, doce músico e O grão perfumado – Mário

A Sinfonia nº 5 divide-se em quatro

de Andrade e a arte do inacabado.

movimentos: o Allegro apresenta

Apresenta o programa semanal Recitais

interessante jogo contrapontístico.

Brasileiros, pela Rádio Inconfidência.


APROVEITE A NOITE PARA JANTAR EM UM DE NOSSOS RESTAURANTES PARCEIROS

FOTO: JAKU B DZI UBAK — U NS P L AS H

Confira os benefícios para o público da Filarmônica


R. Rio de Janeiro, 2076 — Lourdes — Tel: 3292-6221

• Segundo prato de cortesia (de igual ou menor valor) PROGRAMA AMIGOS E ASSINANTES:

válido para todos os dias PÚBLICO DO DIA:

válido para a data do concerto

R. Pium-í, 229 — Cruzeiro — Tel: 3227-7764

PROGRAMA AMIGOS E ASSINANTES:

válido para todos os dias • 15% de desconto para o titular do cartão e acompanhante • uma taça de vinho ou espumante (até R$ 25) ou uma sobremesa • possibilidade de reserva tardia (após 22h15) para mesa de até 4 pessoas PÚBLICO DO DIA:

válido para a data do concerto • 15% de desconto para o titular do cartão e acompanhante

Necessária a apresentação do cartão de Amigo ou Assinante ou, no caso de público do dia do concerto, a apresentação do ingresso.


ORQUESTRA FILARMÔNICA DE MINAS GERAIS

Diretor Artístico e Regente Titular FABIO MECHETTI Regente Associado MARCOS ARAKAKI

PRIMEIROS VIOLINOS

Mikhail Bugaev

FAGOTES

HARPA

Anthony Flint – Spalla

Nathan Medina

Catherine Carignan *

Clémence Boinot *

Rommel Fernandes –

Victor Morais ***

Spalla associado

VIOLONCELOS

Andrew Huntriss

TECLADOS

Ara Harutyunyan –

Philip Hansen *

Francisco Silva

Ayumi Shigeta *

Spalla assistente

Robson Fonseca ***

Ana Paula Schmidt

Camila Pacífico

TROMPAS

Ana Zivkovic

Camilla Ribeiro

Alma Maria Liebrecht *

GERENTE

Arthur Vieira Terto

Eduardo Swerts

Evgueni Gerassimov ***

Jussan Fernandes

Joanna Bello

Emília Neves

Gustavo Garcia Trindade

Luis Andrés Moncada

Lina Radovanovic

José Francisco dos Santos

INSPETORA

Roberta Arruda

Lucas Barros

Lucas Filho

Karolina Lima

Rodrigo Bustamante

William Neres

Fabio Ogata

Rodrigo de Oliveira

CONTRABAIXOS

TROMPETES

ASSISTENTE ADMINISTRATIVO

Wesley Prates

Nilson Bellotto *

Marlon Humphreys *

Risbleiz Aguiar

André Geiger ***

Érico Fonseca **

SEGUNDOS VIOLINOS

Marcelo Cunha

Daniel Leal ***

ARQUIVISTA

Frank Haemmer *

Marcos Lemes

Tássio Furtado

Ana Lúcia Kobayashi

Hyu-Kyung Jung ****

Pablo Guiñez

Gideôni Loamir

Rossini Parucci

TROMBONES

ASSISTENTES

Jovana Trifunovic

Walace Mariano

Mark John Mulley *

Claudio Starlino

Diego Ribeiro **

Jônatas Reis

Rodrigo M. Braga

Laura Von Atzingen Luka Milanovic

FLAUTAS

Wagner Mayer ***

Martha de Moura Pacífico

Cássia Lima *

Renato Lisboa

Matheus Braga

Renata Xavier ***

SUPERVISOR DE MONTAGEM

Radmila Bocev

Alexandre Braga

TUBA

Rodrigo Castro

Rodolfo Toffolo

Elena Suchkova

Eleilton Cruz *

OBOÉS

TÍMPANOS

Hélio Sardinha

Alexandre Barros *

Patricio Hernández

Klênio Carvalho

VIOLAS

Públio Silva ***

Pradenas *

João Carlos Ferreira *

Israel Muniz

Roberto Papi ***

Maria Fernanda Gonçalves

MONTADORES

Tiago Ellwanger Valentina Gostilovitch

Flávia Motta

PERCUSSÃO Rafael Alberto *

Gerry Varona

CLARINETES

Daniel Lemos ***

Gilberto Paganini

Marcus Julius Lander *

Sérgio Aluotto

Katarzyna Druzd

Jonatas Bueno ***

Werner Silveira

Luciano Gatelli

Ney Franco

Marcelo Nébias

Alexandre Silva

* principal

** principal associado

**** principal / assistente substituta

*** principal assistente


INSTITUTO CULTURAL FILARMÔNICA CONSELHO ADMINISTRATIVO

Oscip — Organização da Sociedade Civil de Interesse Público Lei 14.870 / Dez 2003

OS — Organização Social Lei 23.081 / Ago 2018

EQUIPE TÉCNICA

Presidente Emérito

Gerente de Comunicação

Jacques Schwartzman

Merrina Godinho Delgado

Gonçalves Soares Filho

Conselheiros

Douglas Conrado

Jovem Aprendiz Sunamita Souza

SALA MINAS GERAIS

Gerente de Produção Musical

Gerente Contábil

Claudia da Silva

Graziela Coelho

Guimarães

Angela Gutierrez Arquimedes Brandão

Gerente Administrativofinanceira

Mensageiro

Ana Lúcia Carvalho

Presidente Roberto Mário

EQUIPE ADMINISTRATIVA

Berenice Menegale

Assessora de Programação Musical

Bruno Volpini

Gabriela de Souza

Celina Szrvinsk

Gerente de Infraestrutura Renato Bretas

Gerente de Recursos Humanos

Gerente de Operações

Quézia Macedo Silva

Jorge Correia

Fernando de Almeida

Produtor

Analistas Administrativos

Técnicos de Áudio e de Iluminação

Ítalo Gaetani

Luis Otávio Rezende

João Paulo de Oliveira

Diano Carvalho

Paulo Baraldi

Rafael Franca

Cunha Castello Branco

Analistas de Comunicação

Secretária Executiva

Assistente Operacional

Mauricio Freire

Fernando Dornas

Flaviana Mendes

Rodrigo Brandão

Octávio Elísio

Lívia Aguiar

Sérgio Pena

Renata Gibson

Assistente Administrativa

FORTISSIMO

Cristiane Reis

Abril nº 4 / 2019

Marco Antônio Pepino Marco Antônio Soares da

Renata Romeiro

DIRETORIA EXECUTIVA Diretor Presidente Diomar Silveira

Analista de Marketing de Relacionamento Mônica Moreira

ISSN 2357-7258

Assistente de Recursos Humanos

Editora Merrina

Jessica Nascimento

Edição de texto

Godinho Delgado

Diretor Administrativofinanceiro

Analistas de Marketing e Projetos

Recepcionistas

Capa

Joaquim Barreto

Itamara Kelly

Meire Gonçalves

Schubert —

Lilian Sette

Vivian Figueiredo

Gábor Melegh

Assistente de Produção

Auxiliar Contábil

O Fortissimo está indexado aos sistemas nacionais e internacionais de pesquisa. Você pode acessá-lo também em nosso site.

Diretor de Comunicação Agenor Carvalho

Berenice Menegale

Pedro Almeida

Rildo Lopez

Diretora de Marketing e Projetos Zilka Caribé

Auxiliares de Produção

Auxiliar Administrativa Geovana Benicio

André Barbosa

Diretor de Operações Ivar Siewers

Jeferson Silva

Auxiliares de Serviços Gerais Ailda Conceição Rose Mary de Castro

Este programa foi impresso em papel doado pela Resma Papéis.


INGRESSO SOLIDÁRIO Algo aconteceu e você não pode ir a um concerto? A P R O V E I T E PA R A A P R E S E N TA R A F I L A R M Ô N I C A A O S A M I G O S , PA R E N T E S O U ESTUDANTES DE MÚSICA. O Assinante pode doar seu ingresso pelo aplicativo da Filarmônica até 30 minutos antes do concerto. Pode também falar com a Assessoria de Relacionamento até 2 horas antes do concerto. O aplicativo é compatível com Android e IOS. No seu celular, baixe-o na Google Play ou na App Store.

PARA USAR, BAIXE O APP GRATUITAMENTE NO SEU CELULAR

Assessoria de Relacionamento de segunda a sexta, das 9h às 18h (31) 3219-9009 assinatura@filarmonica.art.br


NO CONCERTO SEJA PONTUAL.

TRAGA SEU INGRESSO O U C A R TÃ O D E ASSINANTE. DESLIGUE

CUIDE DA SAL A MINAS GERAIS.

NÃO COMA OU BEBA.

D E I X E PA R A

O CELULAR (SOM E LUZ).

NÃO FOTOGRAFE O U G R AV E E M ÁUDIO / VÍDEO.

FA Ç A S I L Ê N C I O E EVITE TOSSIR.

APL AUDIR AO F IM DE CADA OBRA.

S E P U D E R , D E V O L VA SEU PROGRAMA DE CONCERTO. EVITE TRAZER CRIANÇAS MENORES DE 8 ANOS.

EM ABRIL

4 E 5 Allegro e Vivace 11 E 12 Presto e Veloce 14 Juventude 25 E 26 Presto e Veloce 30 Filarmônica em Câmara 20h30

20h30

11h

R I T M O S L AT I N O - A M E R I C A N O S

20h30

20h30


MANTENEDOR

DIVULGAÇÃO

PAT R O C Í N I O

REALIZAÇÃO

www.filarmonica.art.br / FILARMONICAMG

RUA T E N E N T E B R I TO M E LO , 1. 090 — BA R RO PR E TO C E P 3 0 .1 8 0 - 0 7 0

|

T E L : ( 3 1 ) 3 2 1 9. 9 0 0 0

BELO HORIZONTE – MG |

FA X : ( 3 1 ) 3 2 1 9. 9 0 3 0

COMU NI CA ÇÃO IC F / 20 19

Sala Minas Gerais

Profile for Orquestra Filarmônica de Minas Gerais

Abril de 2019 | Allegro e Vivace 3  

Marcos Arakaki, regente Michael Barenboim, violino BRAHMS | Abertura Festival Acadêmico, op. 80 GLAZUNOV | Concerto para violino em lá meno...

Abril de 2019 | Allegro e Vivace 3  

Marcos Arakaki, regente Michael Barenboim, violino BRAHMS | Abertura Festival Acadêmico, op. 80 GLAZUNOV | Concerto para violino em lá meno...

Advertisement