Page 1


«O objectivo da arte não é representar a aparência exterior das coisas, mas o seu significado interior.» Aristóteles


Câmara obscura que eu e o meu grupo (André Martins e Raul Faria), criámos na cadeira de Laboratório de Fotografia.


Sequência #1, 5120x3840 pp, 2012. © Filipa Fonseca


Corpo encontrado numa floresta em Montalegre No decorrer das buscas, dois homens dizem ter visto o idoso na floresta perto da localidade de Castanheira da Chã, local onde apareceu o cadáver. JN

Vectorização #2, 850x601 pp, 2012.© Filipa Fonseca


O Fantasma Misterioso

Fantasma #3, 3072x2304 pp, 2012. Š Filipa Fonseca


High - Key

O meu anjo #4, 1285x1480/2000x2375 pp, 2012. Š Filipa Fonseca


Profundidade de campo

Nenúfar #5, 4288x3216 pp, 2012, f 3/9 - 1/500seg. © Filipa Fonseca


Gotas #6, 3072x2304 pp, 2012, f 2/8 – 1/200seg. © Filipa Fonseca


Esta é daquela fotografias especiais que me fazem sempre sonhar. Relembra-me o Natal, os momentos dessa altura e o amor que costuma pairar no ar. Tirada no Porto, numa noite fria, em que as mãos de tão frias que estavam, quase ou nada conseguiam agarrar na máquina. Mas, depois de algum tempo de esforço para me tentar posicionar, lá consegui que algo saísse. Existe sempre algo brilhante que nos faz parar e pensar em tudo o que temos e a que, por vezes, não damos valor.

Luzes #7, 3216x4288 pp, 2012, f 2/8 – 1/20seg. © Filipa Fonseca


Sobre - Exposição

As estátuas dos Senhores #8, 2560x1920 pp, 2012, f 4/3 – 1/500seg. © Filipa Fonseca


Sub - Exposição

Portugal #9, 2560x1920 pp, 2012, f 5/9 – 1/250seg. © Filipa Fonseca


Velocidade Alta de Obturador

Nesta fotografia, não sei se sou eu apenas que vejo, mas parece que um pequeno homenzinho está a querer saltar do chafariz. A água parou ali no cimo, no momento em que disparei o obturador, e o pequeno homem deve ter visto ali a sua escapatória. A imaginação leva-nos a todos os sítios, por isso precisamos dela para concretizar coisas irreais.

O Sr. Água #10, 4288x3216 pp, 2012, f 5/1 – 1/500seg. © Filipa Fonseca


Com significado #11, 2048x1536 pp, 2012, f 2/8 – 1/2seg. © Filipa Fonseca


Velocidade Baixa de Obturador

Lençol de Água #12, 4288x3216 pp, 2012, f /10 – 1/250seg. © Filipa Fonseca


The train #13, 1600x1200 pp, 2012, f 5/7 – 1/60seg. © Filipa Fonseca


Uma parte de mim nova e outra velha. Com as ferramentas do Photoshop, consegui envelhecer-me e dar uma pequena ideia daquilo que serei daqui a muitos anos. Não está perfeita, mas aparenta o sugerido.

The younger and the older me #14, 512x629 pp, 2012. © Filipa Fonseca


Neste exercício, foi-nos pedido que desfocássemos o fundo da fotografia e que realçássemos o que estava focado. Optei por uma fotografia que já tinha parte do fundo desfocado, coloquei a fotografia a p&b e dei cor ao boneco verde do semáforo. Visto que é o ponto principal da foto, é o que merece ter toda a atenção desta.

O Sr. Verde #15, 3605x2928 pp, 2012. © Filipa Fonseca


Amarelo

O meu Sol #16, 3072x2304 pp, 2012. Š Filipa Fonseca


A pequena Luz #17, 3072x2304 pp, 2012. Š Filipa Fonseca


Capicua

Hour #18, 2640x1282 pp, 2012. Š Filipa Fonseca


Equilíbrio

Este senhor entrou no recorde do Guiness com o maior tempo de equilibrismo em cima de um pau de ferro. Não sei ao certo, quantas horas aguentou, mas sei que, o tempo que ali estive e presenciei um pouco da sua performance, percebi que este homem consegue fazer de tudo ali em cima. Ele fumou, bebeu e até ouviu música, e mudava de música no seu mp4, sem ser preciso que ninguém o ajudasse em nada. Este homem é português e podemos tê-lo como privilégio, de ser o recordista mundial de equilibrismo. Rossio, 1 de Setembro de 2011.

O Equilibrista #19, 2717x4157pp, 2012. © Filipa Fonseca


Longitude

1+1=1 #20, 2304x3072 pp, 2012. Š Filipa Fonseca


Mise en Abyme

S贸sias #21, 3216x4288 pp, 2012. 漏 Filipa Fonseca


Número 1

Desenhado numa árvore #22, 1832x3264 pp, 2012. © Filipa Fonseca


Profissões

Don’t Lie – Fergie #23, 3072x2304 pp, 2012. © Filipa Fonseca


Rihanna (Love The Way You Lie) #24, 4288x3216 pp, 2012. Š Filipa Fonseca


Talvez não entendida como uma profissão para uns, mas para outros tantos não só uma forma de arte como também isso mesmo, uma profissão. Um artista de rua, ainda nova, que tanta ganhar o seu sustento, com a sua arte. Ainda que pequena, ainda que nada de especial, uma ate. E é este o significado desta: não ostentar beleza, mas representá-la num todo. Sem que seja preciso que todos a admirem, apenas os que a prezam.

Artista de Rua #25, 3216x4288 pp, 2012. © Filipa Fonseca


Ritmo

A dança dos golfinhos #26, 1840x1549 pp, 2012. © Filipa Fonseca


A movimento das nuvens #27, 3264x1832 pp, 2012. Š Filipa Fonseca


Neste exercício, tive como objectivo que, do desenho que havia sido acabado de fazer, emergisse uma mão que avançaria na direcção da outra que desenhava. A mão emerge dum monte de gatafunhos, criados por ela mesma, e tem como objectivo destruir todo o desenho.

Doodle #28, 450x358 pp, 2012. © Filipa Fonseca


Paralimpsesto

Neste exercício, onde a modificação da fotografia ocorreu no Photoshop, foi usado a ferramenta text selection e de seguida, a drop shadow. Com o objectivo de fazer realçar as letras que estão por baixo das palavras que foram escritas por mim.

O pequeno Polegar #29, 3216x4288 pp, 2012. © Filipa Fonseca


Cast Shadow Paralimpsesto Nesta imagem, foi usada, de forma individual, uma fotografia de um livro e outra de uns óculos. De seguida, com o uso o do Photoshop, uni estas duas fotografias, formando assim uma imagem, onde sobrepus os óculos no livro e usei novamente a ferramenta drop shadow para dar a ilusão de sombra nos óculos, como se realmente tivessem sido fotografados em cima do livro.

Conto Infantil #30, 4288x3216 pp, 2012. © Filipa Fonseca


Animais

Framework #31, 3264x1832 pp, 2012. Š Filipa Fonseca


Yellow #32, 2566x1573 pp, 2012. Š Filipa Fonseca


Preferido #33, 3071x 2304 pp, 2012. Š Filipa Fonseca


Speed #34, 3072x2304 pp, 2012. Š Filipa Fonseca


Leão Marinho #35, 1920x 2560 pp, 2012. © Filipa Fonseca

Manos #36, 3216x4288 pp, 2012. © Filipa Fonseca


Metade Homem, Metade Animal #37, 2829x4272 pp, 2012. © Filipa Fonseca

Just a Baby #38, 3216x4288pp, 2012. © Filipa Fonseca


E assim desfrutam da vida, do sol e do mar #39, 4288x3216 pp, 2012. Š Filipa Fonseca


Horas de conversa #40, 4288x3216 pp, 2012. Š Filipa Fonseca


«Espelho meu, espelho meu… Haverá alguma pomba mais bonita do que eu?» Numa tarde ao Sol #41, 3072x1981 pp, 2012. © Filipa Fonseca


Uma pequena sesta à sombra #42, 2560x1920 pp, 2012. © Filipa Fonseca


Novamente, a hora da sesta #43, 4288x3216 pp, 2012. Š Filipa Fonseca


Careta #44, 4288x3216 pp, 2012. Š Filipa Fonseca


Busted #45, 4288x3216 pp, 2012. Š Filipa Fonseca


Aquário Vasco da Gama #46, 3072x2304 pp, 2012. © Filipa Fonseca


Arte Urbana

Olhos de menino #47, 3072x2245 pp, 2012. Š Filipa Fonseca


Ilumina-o! #48, 3072x2304 pp, 2012. Š Filipa Fonseca


Casa dos Artista #49, 4288x3216 pp, 2012. Š Filipa Fonseca


«Hoje riste-te tu, amanhã rir-me-ei eu.» Ahahah #50, 1920x2560 pp, 2012. © Filipa Fonseca


Macro

Trapo #51, 2988x2233 pp, 2012. Š Filipa Fonseca


Em todas as línguas #52, 3072x2304 pp, 2012. © Filipa Fonseca


Perto 2 #54, 2715x1408 pp, 2012. © Filipa Fonseca

Perto #53, 1371x2048 pp, 2012. © Filipa Fonseca


«Enquanto existe vida, existe esperança.» AG #55, 3072x2304 pp, 2012. © Filipa Fonseca


«Para sempre assim. Tu à frente a protegeres-me, e eu sempre perto de ti.» SV #56, 2560x1930 pp, 2012. © Filipa Fonseca


Cactos #57, 3072x2304 pp, 2012. Š Filipa Fonseca


Like everything #58, 3072x2304 pp, 2012. Š Filipa Fonseca


Paisagem Natural Há coisas inexplicáveis. Como esta árvore que fotografei, num fim de tarde, onde o mundo parecia parado, num momento de calma e de beleza. Entre as silhuetas, consigo criar uma história de amizade entre três ramos. Falam entre si, noite após noite, de forma a que nenhum deles se sinta sozinho ou com medo. As amizades devem prevalecer. Confiança, bondade e veracidade devem fazer parte.

Tree #59, 1832x2956 pp, 2012. © Filipa Fonseca


Os deuses desceram à terra #60, 1056x792 pp, 2012. © Filipa Fonseca


Havanna #61, 2560x1920 pp, 2012. Š Filipa Fonseca


«O nosso sempre Paraíso.» AF #62, 3072x2304 pp, 2012. © Filipa Fonseca


O nosso Tejo #63, 3071x2304 pp, 2012. Š Filipa Fonseca


Day #64, 3216x4288 pp, 2012. © Filipa Fonseca

Night #65, 3216x4288 pp, 2012. © Filipa Fonseca


Paisagem Urbana

Parque da Cidade - Beja #66, 5035x3279 pp, 2012. Š Filipa Fonseca


A minha Nova Iorque #67, 3264x1832 pp, 2012. Š Filipa Fonseca


Lisboa #68, 1920x2560 pp, 2012. © Filipa Fonseca

Porto #69, 1832x3264 pp, 2012. © Filipa Fonseca


Turistas e parte de Lisboa #70, 3072x2304 pp, 2012. Š Filipa Fonseca


Day/Right #71, 1071x 1600 pp, 2012. © Filipa Fonseca

Left/Night #72, 1071x1600 pp, 2012. © Filipa Fonseca


Este tipo de situações não me passam ao lado, ou eu é que não as deixo escapar. Deparei-me com este desenho pintado na parede e de seguida reparei que a pomba olhava-o fixamente, e vice-versa. Há coisas que não se explicam, vêem-se, com olhos de ver. Lisboa, 2011 «De olhos em ti» #73, 2136x1284 pp, 2012. © Filipa Fonseca


Sombras & Reflexos

Dois #74, 3216x4288pp, 2012. © Filipa Fonseca

Estrela do Mar #75, 1920x2560 pp, 2012. © Filipa Fonseca


Uma vida, um sonho, duas mudanças #76, 1600x1071 pp, 2012. Š Filipa Fonseca


Antiga #77, 2420x2068 pp , 2012. Š Filipa Fonseca


Retratos

A arte veio de ti. Orgulho. Pai #78, 3072x2304 pp , 2012. Š Filipa Fonseca


Quem mais se não tu? O menino dos meus olhos. Sobrinho #79, 1600x1071 pp , 2012. Š Filipa Fonseca


Longe ou Perto. A distância nada mudou ou mudará.

Melhores #80, 4288x3216 pp, 2012. © Filipa Fonseca


Partilhamos da mesma paixão. Não falhas.

Best #81, 1371x2048 pp, 2012. © Filipa Fonseca

Best #82, 1371x2048 pp, 2012. © Filipa Fonseca


Ternura.

Mini meu #83, 1350x2042 pp, 2012. Š Filipa Fonseca


Descrição Técnica o Filipa Andreia da Conceição Fonseca o 28/05/1992 o Educação e Comunicação Multimédia o Escola Superior de Educação de Beja o 1º ano, 1º semestre – Laboratório de Fotografia o Nokia; Sony DSC –W55; Olympus SP-800UZ; Nikon D3000 e Canon 550D o Adobe Bridge, Adobe Illustrator e Adobe Photoshop. A Fotografia, é parte de mim. Se não um todo. Represento-a, e vice-versa. Poderia escrever aqui imensas coisas acerca desta arte, mas a verdade, é que nunca conseguiria dizer tudo aquilo que realmente sinto. É uma forma de expressão. As fotografias que capto, são as minhas palavras. Através da lente da máquina, consigo ver um mundo diferente deste em que vivemos. E é nesse mundo que passo a maior parte do meu tempo. Eu costumo dizer que, não é a máquina que faz o fotógrafo, somos nós que concretizamos a fotografia.


Portfólio de Fotografia  

Este portfólio foi feito no ãmbito da disciplina de Laboratório de Fotografia, no curso de Educação e Comunicação Multimédia.

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you