Issuu on Google+

FOTOS:: DIVULGAÇÃO

1999

2014

2015

2016

Falência decretada

Fechamento das portas

NSA Invest compra imóveis, máquinas e marca

Reinício das atividades

ário, com o objetivo de que a empresa continuasse funcionando para manter parte dos empregos e honrar suas dívidas. “Com todas as restrições que a empresa enfrentava, como a dificuldade para ter crédito, a gestão foi muita adequada ao longo desses 15 anos”, reconhece Rafael. Durante a preparação para disputar o leilão, ele conheceu o futuro sócio, de idade semelhante e que também vinha de um grupo familiar. “Houve uma identificação imediata de conceitos sobre a vida e o trabalho. Mas a verdade é que, quando a gente se decidiu pela sociedade, mal conhecíamos um ao outro. Felizmente a impressão inicial se confirmou e a amizade se consolidou”, descreve.

Controle diário Com base na tradição e no carisma da marca Sulfabril, a aposta dos novos proprietários é de uma demanda regular e crescente pelos produtos. Em vez de lojas próprias e de marcar presença nas grandes redes varejistas, a estratégia é ganhar espaço nas lojas multimarcas de pequeno e médio

porte espalhadas pelo País – missão a cargo de 70 representantes comerciais já selecionados em todas as regiões. “Esses parceiros vão recolhendo os pedidos e a produção será definida com base no controle diário da demanda”, explica a diretora de Marketing e Vendas Cristina Otte. A mesma lógica será aplicada às exportações, com foco inicial nos países da América do Sul. Com a soma desses esforços, a meta é faturar R$ 100 milhões no primeiro ano e depois crescer pelo menos 20% ao ano. Outra diferença em relação ao passado é que os consumidores não verão a marca anunciando novamente em veículos de grande circulação, como a TV. Os grandes investimentos em publicidade tornaram a Sulfabril conhecida em todo o País nas décadas de 1970 e 1980, mas não se repetirão na nova gestão, mesmo porque os tempos são outros: a ideia é utilizar as redes sociais para estabelecer uma relação mais próxima com os consumidores, dando a eles até a oportunidade de opinar na fase de desenvolvimento das coleções. As linhas iniciais da nova fase são três – Casualwear (despojada, para quem quer seguir a moda sem

Indústria & Competitividade 65


Revista Indústria e Competitividade - FIESC 11° Edição