Issuu on Google+

das com serenidade. “São acontecimentos inesperados e indesejáveis, como sofrer um acidenEMPRESA E OPEROU NO PREJUÍZO te ou ficar doente. Ninguém quer, mas quando DURANTE CINCO ANOS, COM acontece algo assim é preciso lidar da melhor A CERTEZA DE QUE OS VENTOS forma, com perseverança e otimismo”, compara. Graças à experiência semelhante vivida pela emSOPRARIAM NOVAMENTE A SEU presa à época do Plano Real, em 1994, quando já FAVOR. FOI RECOMPENSADO era predominantemente exportadora, a Rohden estava melhor preparada desta vez para enfrentar Por Maurício Oliveira uma crise forte e prolongada. Uma das decisões mais importantes naquele momento foi reduzir a dependência dos fornecedores de matéria-prima epois de enfrentar fortes turbulências por – hoje a floresta própria de pinus soma 1.500 hecconta do estouro da bolha imobiliária nos tares, suficiente para suprir 40% da produção. OuEstados Unidos e do câmbio desfavorá- tra aposta fundamental foi na melhoria contínua vel, circunstâncias que a fizeram operar durante dos processos, em busca de qualidade e redução cinco anos no negativo, a Rohden Portas e Ar- de custos. Símbolo disso é a equipe de oito protefatos de Madeira está dando a volta por cima. fissionais voltada exclusivamente ao desenvolviProjeta para este ano um faturamento de R$ mento e construção de máquinas customizadas 150 milhões, 25% maior que o de às necessidades da empresa. 2015 e três vezes superior ao de O que já se contou até aqui 2011, auge da crise. “Foi mesmo sintetiza as duas grandes lições uma situação muito difícil, mas que Lino aprendeu com o pai, não desistimos. Havia a convicSamuel, que fundou a Rohden ábricas ção de que em algum momento em 1938 e faleceu em 2008, aos 3 (Salete, Pouso os ventos mudariam de direção, 88 anos: ter garra para superar as Redondo e Taió) como de fato mudaram”, afirma dificuldades e tentar ser sempre o proprietário e presidente Lino um pouco melhor que ontem. rea florestal Rohden, 64 anos, referindo-se à Aos 17 anos, Samuel passou um 1.500 hectares valorização do dólar ante o real a ano trabalhando de graça para partir do final de 2014 (apesar do aprender o ofício de marceneiro, uncionários cenário de instabilidade cambial, abrindo na sequência a própria 900 que prejudica o planejamento), marcenaria na pequena Salee ao reaquecimento gradual do te. Ele queria ter uma profissão aturamento mercado imobiliário nos Estados que o livrasse do destino de ser Unidos, destino de 35% da produagricultor como os pais, descenR$ 150 milhões (projeção para 2016) ção da empresa. dentes de alemães que penaram Homem de gestos contidos e bastante nos primeiros tempos xportações fala tranquila, Lino considera que em Santa Catarina – os Rohden dificuldades fazem parte da vida chegaram a São Pedro de Alcân60% do faturamento empresarial e devem ser encaratara, a primeira colônia alemã no

LINO ROHDEN ENXUGOU SUA

D

F

Á

F

F

E

Indústria & Competitividade 53


Revista Indústria e Competitividade - FIESC 11° Edição