Issuu on Google+

PREVIDÊNCIA

EDSON JUNKES

te ou invalidez. Os fundos de pensão organizam-se sob a forma de entidades civis sem fins lucrativos acessíveis a grupos específicos de trabalhadores, sejam eles vinculados a empregadores (planos patrocinados) ou a entidades representativas de classe (planos instituídos). Contudo, as pequenas e médias empresas sempre tiveram dificuldades com estes modelos, seja por não poder arcar com os custos de manter um plano patrocinado – dentre outras coisas, sua administração implica manter toda uma estrutura atuarial e financeira própria –, seja pelo fato dos planos instituídos serem vinculados a determinadas categorias profissionais.

Decisões técnicas A situação começou a mudar em 2015, quando a Sociedade de Previdência Complementar do Sistema FIESC (Previsc) lançou o Indústriaprev, o primeiro plano instituído de caráter setorial no mercado brasileiro. Desenvolvido especificamente para trabalhadores e empresários da indústria catarinense, o plano tem como instituidor o Centro das Indústrias do Estado de Santa Catarina (CIESC) e oferece grande flexibilidade quanto às contribuições das empresas, que não precisam ser feitas regularmente e não possuem valores fixos. O plano é aberto não apenas a todo tipo de indústria, mas também à adesão individual de industriários e seus familiares, mesmo que o empregador não ofereça o plano. “A diferença nesse caso é que o trabalhador será o único responsável pelos aportes”, explica Regídia Frantz, superintendente da Previsc, entidade que tem 29 anos de atuação, conta com 14,3 mil participantes e patrimônio de R$ 1,04 bilhão. 48 Santa Catarina > Novembro > 2016

Regídia, da Previsc: Entre as vantagens plano pode ser para o trabalhador está a utilizado para aprimorar política de possibilidade de criar sua recursos humanos própria poupança previdenciária com 100% da rentabilidade líquida sobre o saldo da conta, taxa de administração de 0,95% ao ano e a ausência de taxa de carregamento. “Por sermos uma entidade fechada, sem fins lucrativos, é possível oferecer condições diferenciadas do sistema bancário”, observa Regídia. Na comparação com as taxas médias aplicadas por bancos e seguradoras, por exemplo, uma contribuição mensal de R$ 200 pelo período de 32 anos geraria um saldo acumulado de pouco mais de R$ 204 mil em um plano PGBL, enquanto a mesma contribuição pelo plano Indústriaprev gera uma reserva de R$ 277,2 mil, resultando em ganho de quase 36% no saldo final. Há três perfis de investimento: o conservador (com 100% do patrimônio aplicado em renda fixa), o moderado (com 15% em renda variável) e o arrojado (com 30% em renda variável). Os recursos administrados são avaliados mensalmente por um Comitê de Investimentos, que propõe normas e padrões técnicos para orientar as decisões. Para as indústrias, a flexibilidade do plano também pode ser utilizada como uma ferramenta


Revista Indústria e Competitividade - FIESC 11° Edição