Issuu on Google+

MÓVEIS

TARLA WOLSKI

móveis em madeira maciça e em chapas, além de colchões. Em 2012, passou por reformulação estratégica e dividiu a produção em três linhas. A marca Serpil continuou como carro-chefe, na produção de móveis de madeira, e foram criadas duas marcas: a Serflex, que produz colchões e tem fábrica no município de São João do Polesine (RS), e a Denken, com uma unidade própria, junto à sede da empresa, especializada em estofados. A Serpil voltou-se ao design e desenvolvimento de produto, procurando destacar-se em meio à concorrência acirrada do segmento. “Hoje existem em torno de 20 mil fábricas de móveis no Brasil e se você não fizer um produto diferenciado, com valor agregado, simplesmente não tem como competir”, avalia o diretor-presidente Waldemar Schmitz. Segundo ele, um problema enfrentado no mercado nacional é a cópia de ideias por concorrentes, principalmente nas linhas mais populares. “Por isso investimos em um centro de prototipagem onde desenvolvemos produtos novos e diferentes, que possam ser patenteados, além de buscar nichos onde a concorrência é menor”, acrescenta. Da marca principal, há dois tipos de produtos: um mais popular, com base em quadros de madeira e almofadas de compensado, e outro com características mais sofisticadas, que passam por processos de tingimento e jateamento. “São produtos mesclados, que precisam de duas ou três fábricas. Se você tem uma fábrica só de móveis de madeira, não consegue fazer peças que agregam painéis e partes estofadas,

dutiva. No ajuste do final da década passada, a empresa reduziu seu quadro de 400 para 200 contratados. “Como temos mais interesse em explorar as vendas internas, até agora não aumentamos o número de funcionários, aguardando o momento em que o mercado comece a reagir. Quando isso acontecer, teremos fábrica para empregar e produzir mais.”

Schmitz: centro de prototipagem cria produto que pode ser patenteado

Cópia de ideias Com a queda do poder aquisitivo e a retração no consumo das classes mais populares, muitas indústrias buscam novos nichos de atuação, com investimentos em design e marketing para qualificar produtos e reforçar a presença das marcas no varejo. É o caso da Serpil, que começou a produzir estofados populares em 1987 na cidade de Pinhalzinho, no Oeste catarinense. Com o passar dos anos foi ampliando seu portfólio para incluir 20 Santa Catarina > Novembro > 2016

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K


Revista Indústria e Competitividade - FIESC 11° Edição