Issuu on Google+

Federação em expansão A FIESC cria o Consórcio Catarinense de Exportação (Concatex), que propunha novas estratégias para ingresso no mercado internacional.

Bernardo Wolfgang Werner é eleito presidente da FIESC, cargo que exerceria por 15 anos.

Implantação do núcleo regional do Instituto Euvaldo Lodi (IEL/SC). Fundação do Centro das Indústrias de Santa Catarina (CIESC).

Carlos Cid Renaux é eleito presidente da FIESC.

1967

1968

1969

1970

FIESC propõe a criação da Secretaria Estadual de Indústria e Comércio, responsável pela formulação da política de desenvolvimento do setor produtivo. Federação, por meio do IEL/SC, firma importantes contratos de concessão de estágio com empresas como Tupy , Consul , Hering, Electro Aço Altona e Artex.

1971

1972

1973

1974

Aumento das exportações catarinenses graças a novas plantas industriais, parcerias tecnológicas e melhorias na infraestrutura.

1975

1976

Indústrias catarinen ses conquistam liderança nacional em segmentos como aves e suínos, tubos e conexões, cerâmi ca, refrigeradores, compressores e motores elétricos.

1977

1978

CARLOS CID RENAUX

BERNARDO WERNER

Nascido em Brusque, em 1920, Carlos Cid Renaux atuou como presidente dos Conselhos de Administração da Fábrica de Tecidos Carlos Renaux e das Indústrias Têxteis Renaux. Antes de chegar à presidência da FIESC, liderou diversas entidades representativas da classe empresarial, como o Sindicato do Comércio Varejista de Brusque e o Sindicato das Indústrias da Fiação e Tecelagem de Brusque e Itajaí. Eleito presidente da FIESC em 1968, focou o trabalho da Federação no crescimento das exportações catarinenses. Em 1995, foi condecorado pela CNI com a Ordem do Mérito Industrial. Faleceu em 2002.

Bernardo Wolfgang Werner foi o dirigente que mais tempo esteve à frente da FIESC: 15 anos. Nascido em Blumenau, em 1927, formou-se em Direito e Administração e trabalhou na Electro Aço Altona, empresa criada pelo pai, Paul Werner. Em 1954, ingressou na Câmara de Vereadores de Blumenau, onde liderou o movimento para criação da atual Universidade Regional de Blumenau (FURB). Com a morte do pai, em 1970, assumiu o cargo de diretor-superintendente da Altona. No ano seguinte, foi eleito presidente da FIESC, dando início ao período de maior expansão da Federação, com ampliação da rede física de SESI e SENAI, uma das grandes marcas de sua gestão. Faleceu em 2008, aos 81 anos.

(Presidente entre 1968 e 1971)

56

Inauguradas escolas do SENAI em Itajaí e São Bento do Sul e começam as obras de centros de ensino em São José e Rio do Sul.

Crise internacional do petróleo abala política econômica calcada no investimento externo, prejudicando a indústria.

(Presidente entre 1971 e 1986)


Ebook FIESC 65 anos