Page 100

MUNDO AFORA O processo de internacionalização da indústria catarinense iniciado nos anos 80-90, com empresas como a Sadia, cuja foto ilustra a distribuição de produtos no Barein, registrou um grande salto na primeira década do século XXI. Ele contou com a liderança da FIESC e foi marcado por uma ampla diversificação na abertura de mercados.

Porto de Nansha: um dos locais visitados por missão empresarial à China liderada pela FIESC.

Presença em feiras de negócios deu suporte ao avanço das exportações catarinenses à China.

Alcantaro Corrêa em missão à Coreia do Sul, que se consolidou como novo mercado catarinense.

Oportunidades de negócios com a Polônia foram tema de seminário promovido pela FIESC em 2008.

NOVOS TERRITÓRIOS Glauco José Côrte, então vice-presidente da FIESC, em missão aos Emirados Árabes Unidos que rendeu a assinatura de um acordo com a Câmara de Comércio e Indústria de Dubai. O protagonismo da Federação com a realização de missões empresariais a partir de 2006 expandiu as relações comerciais de Santa Catarina com a Liga Árabe e viabilizou o estabelecimento de protocolos de cooperação e a abertura de mercados como Kwait e Irã.

96

Ebook FIESC 65 anos  

Este livro é balanço, celebração e proposta. Pertence à indústria catarinense, razão de ser da FIESC.

Ebook FIESC 65 anos  

Este livro é balanço, celebração e proposta. Pertence à indústria catarinense, razão de ser da FIESC.

Advertisement