Page 45

A f loresta n egra “Por

que até então nunca fomos assunto principal na história da arte ?”

parecem perguntar os meninos - personagens do artista

Ruud van

Empel por

Quando Johannes Vermeer pintou, entre 1665 e 1666, a tela Moça com Brinco de Pérola, ele sabia do poder em retratar um grande olhar. Era de se esperar: o holandês já tinha visto e revisto a Mona Lisa, de Leonardo da Vinci. Por isso, em sua mais conhecida obra, pintou a moça com um olhar tão enigmático quanto o da Gioconda do pintor italiano. Hoje, após mais de três séculos, outro holandês também chama a atenção ao produzir retratos de pessoas com olhares chamativos. Entretanto, os trabalhos de Ruud van Empel têm um detalhe sutil – e que faz uma imensa diferença. Em suas colagens fotográficas, os retratos não são de meninos e

B runo M oreschi

meninas brancos vindos da fidalguia. As crianças escolhidas pelo pintor são negras. Nascido em Breda, uma pequena cidade do sul da Holanda na qual estudou artes plásticas, Van Empel mora há anos em Amsterdã, local que considera bem mais tolerante se comparado a outras regiões de seu país. Os trabalhos do pintor já viajaram o mundo e foram expostos em cidades como Nova York, Paris, Tóquio e Tel-Aviv. Em entrevistas, em um primeiro momento, seu discurso costuma ser do tipo “faço arte, não crítica social” – postura que evita que sua arte estacione no falatório político e a torna ainda mais complexa. ffwmag! nº 26 2011

FFW26_Ruud-RF-V1.indd 45

45

6/3/11 11:58 AM

ffwMag # 26 Holanda  

OLHOS NOVOS PARA O NOVO [ Brazillian magazine about fashion, culture and lifestyle ]