Page 1

Pompoarismo: a arte para tornar mulheres inesquecĂ­veis

9


POMPOAR

Ginástica que fortalece os músculos genitais, proporcionando uma vida sexual muito mais prazerosa para o casal.

SOBRE O POMPOARISMO “SUGAR O PÊNIS COM A VAGINA” Essa é a sensação, que o homem sente enquanto a mulher movimenta sua vagina treinada, sentindo que a musculatura vaginal puxa o pênis para dentro, empurrando-o com seus anéis, movimentando cada parte de sua anatomia, separadamente. Seguindo uma vertente mais popular, o pompoarismo é uma “arte” antiga, conhecida pelas mulheres Orientais, que aprendiam gerações pós gerações. Consiste em treinar a musculatura vaginal, o que elas faziam usando contrações e objetos, como as contas de seus colares. O objetivo era dotar a vagina da capacidade de massagear o pênis de seus amantes com a vulva, o que elas conseguiam pelo treinamento constante. Em 1976 o mundo viu a cena em que uma mulher sugava e expulsava um ovo cozido, usando sua força muscular vaginal, no filme “Império dos Sentidos”, um clássico erótico. Recentemente, em 1994, na comédia Priscilla, a Rainha do Deserto, foi apresentada uma cena em que uma mulher atira na platéia uma bolinha de ping pong. Tenho certeza, porém, que, pelo menos, para a maioria de nós, o objetivo não é esse e sim melhorarmos nosso desempenho sexual, sentirmos 9


maior prazer e conquistarmos uma saúde genital invejável. Esse conhecimento hoje já se encontra ao alcance das mulheres contemporâneas, vindo através de pouca literatura, muitas citações, muitas das quais, até há bem pouco tempo, somente se encontraria ligadas ao restrito mundo da pornografia. A prática protege contra a flacidez normal dos músculos, modificação que ocorre com todas as mulheres a partir de uma certa idade, sendo fato comprovado pela ciência e em nossa vida diária. A idade em que se começa a perder o tônus muscular da vagina varia de mulher para mulher, podendo ser agravada por ocorrências como partos naturais, muitas doenças inflamatórias, entre outros. As modificações no tônus muscular, ocorrem em média em torno dos trinta anos, portanto, quanto mais cedo começarmos o treinamento, maior será o nosso benefício. Seguindo o nosso passo a passo, você sentirá a diferença em pouco tempo. Cada mulher tem seu próprio ritmo. Uma aluna me confidenciou ter sido elogiada pelo parceiro, surpreso pela modificação que sentiu ao praticarem o sexo, após quinze dias de treinamento. A MULHER ATUAL A mulher atual é segura e quer ser capaz de sentir, dar e receber muito mais prazer. O treinamento, seguindo fielmente as orientações desta apostila, é seguro, não causa dor nem desconforto; ao contrário, é prazeroso e fácil de seguir. Você vai se deparar com práticas que talvez até já tenha feito ou faça parte de sua vida. Agora, porém, você irá seguir um ritmo de treino, com a atenção voltada ao resultado.

9


INICIANDO O TREINAMENTO Vamos começar? Antes, certifique-se que irá dispor de pelo menos vinte minutos para você, sem que haja interrupções. Escolha um local agradável, leve um espelho pequeno e deixe ao seu lado, dispa-se ,deite e relaxe por alguns minutos. Talvez você pense nem ser necessário todo esse preparativo, mas pode ter certeza de que é sim. É preciso que você realmente se conheça, para poder dirigir o seu aprendizado com segurança. ANATOMIA EXTERNA DA VAGINA

Monte de Vênus = denominação usada para a proeminência da região púbica, e é a região onde se tem maior quantidade de pelos. Clitóris = abrindo-se os lábios da vulva, em cima, na frente, veremos o clitóris, normalmente se parece com um botão rosado, é pequeno e macio quando se toca e extremamente sensível. 9


É o órgão responsável por grande parte do prazer sexual da mulher. Vulva = É o ponto que melhor responde à estimulação direta. Na masturbação, a manipulação da vulva como um todo e o toque no clitóris, são os responsáveis diretos pelo orgasmo. Pequenos lábios = são como duas pequenas abas finas lisas. Durante o processo de excitação eles ficam intumescidos, aumentando sensivelmente durante a penetração. Glândula de Bartholin = situada nos pequenos lábios, uma de cada lado. Durante o processo de excitação esta glândula segrega um fluido que facilita a lubrificação e a penetração. Grandes lábios = são como duas abas maiores, sobrepostas aos pequenos lábios. Começam no monte de Vênus e terminam no períneo. Com o decorrer do treinamento, você estará exercendo controle também sobre os pequenos e os grandes lábios, além de controlar os músculos puboccígeos e os músculos circunvaginais . São a parte mais externa da vulva e são cobertos de pelos. Períneo = é o espaço entre o orifício anal e a vulva. Uretra: canal por onde se conduz a urina da bexiga para fora. É um pequeno orifício encontrado entre a entrada vaginal e o clitóris. Hímen = é uma pequena dobra de pele que fecha, parcialmente, a entrada da vagina.

TIPOS DE HÍMEM

Existem muitos tipos de hímen e o mais comum é o chamado anelar, por ser semelhante a um anel. Pelo orifício do hímen são eliminadas as secreções internas e, após a puberdade, a menstruação. 9


Normalmente o hímen se rompe durante a primeira relação sexual, mas isto pode ocorrer acidentalmente sem que a mulher tenha tido alguma experiência sexual. Existem tipos de hímen que são denominados “ complacentes “ e não se rompem facilmente durante uma ação sexual, pois são constituídos de fibras mais elásticas que permitem a penetração sem que haja o rompimento. O fato de não sangrar durante um primeiro contato não é indício de que a mulher já teve contato anterior (conforme se pensava antigamente). A penetração fácil em um primeiro contato também não é indicativo de que já houve contato anterior. Para as virgens que vão fazer o nosso treinamento, é importante que se diga, que os exercícios em que há a introdução profunda do dedo, ou do vibrador, não deve ser efetuado, mas apenas os exercícios de contração, em todas as suas variações.

Anatomia Interna da Vagina

Conduto vaginal = começa após os pequenos lábios e termina junto ao cólon do útero. 9


Possui uma variação em tamanho, de mulher para mulher, que vai de 7 a 15 cm de comprimento. Sendo que até o seu meio existe maior enervação, essa é uma região de maior prazer para a mulher.

“ Ponto G “ Ainda está em estudos tanto a existência quanto a função do ponto “G”, em inglês, G-spot ou Grafenberg spot. É mais ou menos equivalente à próstata masculina, consistindo em uma região, não um ponto, onde se situam as glândulas de Skene, que cercam a uretra. Invisível aos olhos e não muito fácil ao tato, situa-se logo abaixo do osso púbico, profundamente na parede anterior da vagina, entre sua abertura e o colo do útero. Na prática, é alcançado e passível de estimulação, ao se introduzir toda a extensão do dedo indicador na vagina, ou com o pênis em algumas posições sexuais favoráveis. Cerca de 80% das mulheres em quem a estimulação do ponto “G” foi tentada, relatou-o como uma área bastante sensível e, quando estimulada, poderia leválas a experimentar um orgasmo bastante intenso. O outro grupo de 20% das mulheres, nada sentiram, e inclusive relataram que a estimulação despertou vontade de urinar (talvez pela proximidade com a uretra). Ao ponto “G”, é atribuído a capacidade de induzir a uma “ejaculação feminina” , o que seria como um orgasmo de intensidade muito grande, ou uma série de orgasmos (ORGASMOS MÚLTIPLOS), mas não existe comprovação científica a esse respeito. No homem, o equivalente ao ponto G feminino, é a próstata.

9


EXPLORANDO O PONTO G Fica a critério do casal estudar bastante esse ponto e fazer muitas incursões à procura de um maior conhecimento. Vale a pena tentar. O CONDUTO VAGINAL O conduto vaginal tem a forma de um tubo achatado, pois as paredes se tocam. A sua elasticidade tem uma capacidade de expansão que permite receber o pênis, durante a penetração, independente seja qual for a sua espessura. Em sua grande maioria as mulheres adultas tem atrofiada essa musculatura pela falta de exercícios, mas isso é algo que pode ser plenamente revertido, e todas terão sucesso, embora algumas mulheres possam demorar um pouco mais que outras. O segredo é não desistir dos exercícios. Sua expansão maior ocorre durante o parto e após algum tempo ela retorna ao estado anterior. Esse tubo tem uma forma rugosa (como anéis) e são esses anéis, que treinados, exercem a pressão sobre o pênis, durante a execução dos movimentos do Pompoar, além de serem eles os responsáveis pelo fortalecimento da capacidade muscular, que vai dotála de maior saúde genital. Durante a excitação aparecem pequenas gotas de fluido lubrificante sobre a parede vaginal. Estas gotas são um indício de excitação e ocorrem no sentido de facilitar o processo de penetração. A lubrificação diminui com a idade, pois cai a fabricação de hormônios. E esse líquido diminui e por isso deve ser usado um lubrificante, á base de água, para evitar que se sinta dor durante a penetração. Insisto para que toda mulher, independente da idade, consulte o Ginecologista regularmente. Em estado de excitação, os vasos sangüíneos das paredes vaginais enchem-se de sangue, aumentando

9


sua sensibilidade e possibilitando a resposta de prazer aos estímulos. O conduto vaginal possui a propriedade de limpar-se por si mesmo, sendo as lavagens regulares dispensáveis ( a não ser quando indicadas pelo médico ) pois eliminam as substâncias naturais que protegem e mantém a vagina limpa . Colo do útero = é a parte mais estreita do útero, localizada e em contato com a extremidade final do conduto vaginal. Possui uma abertura muito pequena por onde passa o fluido menstrual, mas sua elasticidade permite que se estenda o suficiente para a saída do bebê durante o parto. Por esta abertura é que os espermatozóides passam, na tentativa de fecundação. Útero = tem o formato de uma pêra com a parte mais estreita voltada para baixo. Mede de 7,5 a l0 cm de comprimento por mais ou menos 7,5 cm de largura. Durante a gravidez chega a medir 27 a 30 cm de comprimento. As paredes uterinas são muito espessas e de grande elasticidade pois elas abrigam o feto durante seu crescimento e após o parto retomam suas medidas anteriores. Orgasmos Algumas pessoas afirmam que não existe diferença entre os orgasmos pela estimulação do clitóris ou da vagina. Isso se dá pela diferença individual de cada mulher. Mesmo quando ocorre a penetração, o clítoris é estimulado pela fricção do pênis e o repuxamento da mucosa que envolve o clitóris. Não creio que as mulheres se importem de onde vem e como está 10


classificado o seu orgasmo e a questão se ele é clitoridiano ou vaginal fica secundária. O equivalente ao clitóris no homem é a cabeça do pênis. A fricção do clitóris com a língua produz uma sensação que todas as mulheres classificam como excelente. Afirmam que o resultado é bem melhor e mais rápido que com a ponta do dedo. No homem a fricção da ponta da língua na cabeça do pênis produz uma sensação boa e aumenta muito o padrão de excitação. Mas isso já não faz parte desse nosso estudo atual e existe farta literatura a respeito, partindo-se do princípio que tudo que um casal possa fazer em sua intimidade deve ser prazeroso aos dois. Orgasmo é a mais intensa sensação de prazer que uma pessoa pode ter. É o mesmo que clímax, gozo, êxtase. Na hora do clímax os músculos se contraem e a respiração fica mais acelerada. Nos homens ocorre a ejaculação. Há quem diga que o orgasmo é, na verdade, muito mais intenso que a própria ejaculação masculina .Como se o corpo perdesse seu peso, flutuasse, dura apenas alguns segundos, mas dá a impressão de durar horas. É muito comum a mulher fingir ter orgasmo. Isto geralmente ocorre em função da falta de atenção dos homens com suas parceiras e à vergonha destas de falar sobre o que mais gostam de fazer na cama. Hoje, porém ( ainda bem!) as mulheres já estão revertendo isso, ficando mais abertas e colocando para os parceiros sua preferência de carícias, que, 11


quando praticadas, aumenta ainda mais a compreensão, o carinho e o respeito entre os parceiros, unidos pela cumplicidade de seus momentos de amor. Na verdade as mulheres são capazes de ter mais orgasmos que os homens. Isso já foi provado através de pesquisa feita pelos sexólogos Masters e Johnson que observaram o orgasmo de várias pessoas em laboratório onde registraram o recorde de 50 orgasmos obtidos por uma mulher. Além do fato de que uma musculatura vaginal bem desenvolvida, entre todos os benefícios já apresentados e outros que você irá conhecer ainda, está a capacidade de conseguir orgasmos múltiplos, o que só ocorre normalmente com um número muito pequeno de mulheres. E para as mulheres que tem dificuldade em ter orgasmos? Com certeza esse treinamento irá sanar esse problema, ressalvando-se o fato de que, em alguns casos (raros), o problema está em um nível psicológico e é necessário o acompanhamento de profissionais especializados, mas mesmo uma pessoa que tenha esse problema, ganharia muito com o aprendizado, porque estaria trabalhando com atenção uma região que, em virtude de sua dificuldade, teria procurado deixar abandonada. Tenha em mente que só porque uma mulher conseguiu ter 50 orgasmos não quer dizer que você terá que conseguir o mesmo. Não se esqueça que uma pessoa é diferente da outra. Podem existir vários fatores que impeçam o seu orgasmo como pressa, medo, sentimento de culpa, vergonha e falta de conhecimento do próprio corpo, entre outras coisas. Zonas Erógenas 12


São partes do corpo onde você tem prazer quando é tocada(o): Seios, mamilos, virilha, coxa, barriga, nuca e em algumas pessoas, os pés, mesmo o queixo (quando mordiscado), orelha e outros pontos particulares e diferenciados em cada pessoa. Outro bom aprendizado para se fazer a dois; descubra os pontos em que ele gosta de ser tocado e mostre-lhe os seus, ou incentive-o a descobri-los. Como curiosidade, saiba que a discussão entre os dois caminhos para se chegar ao orgasmo é originária das teorias de Sigmund Freud que defendia que o orgasmo clitoriano ou clitorídeo ou clitoridiano, dependendo do autor, era o obtido durante a masturbação na infância, e o vaginal estaria relacionado ao conseguido através da penetração, na fase adulta. Hoje se reconhece que não é bem assim, mas insisto que não há nenhum tipo de diferença relevante entre um orgasmo vindo somente pela estimulação do clitóris ou vaginal, mesmo porque, nunca poderá existir uma penetração sem que haja uma estimulação no clitóris, pelo repuxamento dos pequenos lábios e sendo assim essa discussão se torna sem sentido. Durante nosso treinamento você verá que alguns exercícios, poderão ser feitos até mesmo em meio á multidão, em um engarrafamento ou na fila do banco. O que não deixa de ser divertido, porque enquanto todos estiverem com aquelas caras “de fila de banco”, você estará, calmamente, treinando sua técnica de prazer. Você não vai sentir uma certa ponta de orgulho infantil, do tipo “eu sou mais eu”? Bem, você já relaxou. Sente-se, pegue o espelho e olhe a sua vagina com bastante atenção.

13


É preciso que você a conheça muito bem. Veja os grandes lábios. Eles são parte do anel muscular ligado aos músculos puboccígeos. São esses músculos que você irá trabalhar para fortalecer a parede vaginal. Nesse primeiro momento você apenas tocará toda a região, fazendo uma auto massagem, suave e ampla, envolvendo toda a vagina, de um lado ao outro, pegando a parte interna das coxas, como se estivesse efetuando uma varredura. Faça isso por alguns minutos. Agora, toque suavemente a região do clítoris, empurrando um pouco. Sinta a sensação que esse toque oferece. Você consegue sentir, como se ele, o clítoris, fosse algo arredondado, que tivesse sua ponta externa , mas que se aprofundasse, levando essa sensação para o interior de seu corpo? Agora você já sabe que é exatamente isso que acontece, o seu clítoris tem a sua maior parte internalizada (como um pênis) só que sua maior parte fica dentro, ao contrário do masculino. O conhecimento perfeito do seu clítoris, pela observação, além de ajudar muito em nosso trabalho, vai dota-la de um grande subsídio, para que em seus melhores momentos você e seu parceiro possam usufruir de um enorme manancial de prazer. Como disse, seu clítoris se internaliza, com ramificações capazes de provocar e manter o desejo e desencadear um prazer em alguns casos bem maior e duradouro do que o dos homens, além de facilitar orgasmos múltiplos. Falar exaustivamente sobre isso é importante, porque por vezes nos esquecemos de nos tocar e conhecer nosso corpo como devemos. Isso é necessário para que saibamos exatamente o que está acontecendo, durante o nosso treinamento.

14


Massageie suavemente em torno do clítoris, tocandoum pouco mais forte a seguir.

Essa auto massagem não deve ser confundida com a masturbação, porque a masturbação é o ato de se chegar ao prazer, e essa massagem é parte de nosso treinamento para se conseguir maior capacidade muscular vaginal, para um prazer muito maior ainda, para você e seu parceiro.

Se acontecer porém de em algum momento do o de leve, aplique tapinhas com os dedos, levemente e treinamento você chegar ao prazer, não se preocupe, mas tenha em mente, que se for possível evitar o clímax, melhor, porque a excitação controlada, vai ajudar bastante o seu trabalho. Mantenha uma posição reclinada, bastante confortável para essa auto massagem.

1ª Série de exercícios

Você já se massageou, massageou o clítoris por alguns minutos, agora, ainda reclinada, inspire, apertando vigorosamente o canal vaginal com a ajuda das coxas, sinta nessa posição a pressão exercida no interior. Relaxe expirando.

Repita algumas vezes, inspire contraindo os músculos vaginais com o auxílio das coxas e expire, relaxando. Repita por uns dez minutos.

15


Observe a figura:

Sente-se comodamente em uma cadeira, apoie as mãos nas coxas, pés paralelos e ligeiramente distante um do outro. Inspire contraindo os músculos da vagina, como se segurasse algo dentro dela, conte até 30 e relaxe, expirando. Repita esse exercício por mais 10 minutos.

Agora, fique de pé, pés ligeiramente separados, repita o exercício, inspire, contraindo a musculatura da vagina. Agora, sem o auxílio das coxas, tente conseguir a mesma pressão anterior. Expire relaxando, tentando manter o ritmo, fazendo repetições desse exercício por mais dez minutos. Nos dias que se seguirem, repita essa série . 16


Esses são exercícios que você irá repetir para sempre, porque eles são a base e a manutenção do fortalecimento muscular vaginal. Variação:

De pé, braços ao longo do corpo, mantenha os pés paralelos e ligeiramente separados. Contraia as nádegas e tente uni-las o máximo que puder, conte até 10 e relaxe.

Outra variação:

Na mesma posição, contraia e relaxe os músculos vaginais intensa e rapidamente, como se estivesse acompanhando uma respiração ofegante. Cada movimento deve demorar mais ou menos 8 a dez segundos e você vai repetir por 10 minutos, nunca menos. Depois de uma semana, você já pode deixar de praticar a posição reclinada e continuar somente com as séries sentada e de pé.

Os exercícios em pé, você pode praticá-los também quando estiver em lugares públicos. Porque ninguém, a não ser você, saberá que está se exercitando.

17


Variação:

Em pé, pernas semi-flexionadas, mãos na cintura. Mantenha os pés separados, porém paralelos, distantes mais ou menos 20 centímetros um do outro. Inspire, contraia a vagina movendo a pélvis para traz, traga a pélvis para a frente e para cima, expirando e relaxando. Repita por 10 minutos. Outra Variação: Na mesma posição, faça um movimento circular, em quatro tempos. Mova a pélvis para cima e para a frente. Mova o quadril para a esquerda. Leve as nádegas para traz. Mova o quadril para a direita. Faça umas vinte vezes para um lado e inverta, repetindo para o outro lado. Faça esse movimento de forma contínua , respire normalmente. Repita esse exercício por 15 minutos, ou menos, se achar muito 18


cansativo, mas aumente o tempo conforme for se aprimorando. Esse exercício é fantástico para eliminar dores lombares, além de dar maior flexibilidade ao conduto vaginal. Quando você já estiver com a musculatura mais fortalecida, pode acrescentar uma variação desse exercício, que consiste em contrair os anéis vaginais, de fora para dentro alternadamente. Esse treino vai possibilitar, posteriormente, á mulher aplicar no parceiro, um movimento de pompoarismo dos mais prazerosos, que se chama ordenhar ou dedilhar.

2ª SÉRIE DE EXERCÍCIOS

Recoste-se em uma cama, ou almofadas em um tapete, deixe as pernas separadas, como na figura acima. Introduza o dedo na vagina, aperte-o e solte-o alternadamente, com as contrações vaginais. Se sentir que está difícil sentir bem esse “pulsar” no seu dedo, use dois dedos e repita o exercício. Logo você estará fazendo esse exercício utilizando um só dedo, eu garanto. 19


Tente apertá-lo o máximo que puder. Repita por vinte minutos esse exercício, procurando manter um ritmo que pode ser conseguido, usando a respiração. Inspirar e apertar o dedo, prender por mais ou menos 10 segundos. Afrouxar, expirando para em seguida voltar a repetir. Cuidado para não usar um tempo muito acelerado, o que pode causar incômodo e até mesmo uma leve falta de ar. Pare um pouco se isso acontecer e ajuste seu tempo. O exercício, como todos os exercícios de nosso curso, deve ser relaxante e muito prazeroso. Faça algumas variações ao exercício base. Se ainda for necessário usar os dois dedos, pode fazêlo, até que já consiga sentir a sensação de apertar apenas com um dedo. Tente sugar o dedo com a vagina. Faça isso colocando a ponta do dedo na abertura vaginal e tente com os músculos puxar o dedo para o interior. No início você sentirá uma sensação quase imperceptível. É assim mesmo; com o passar do tempo você começará a sentir realmente como isso acontece. Faça as duas séries durante duas semanas. É natural sentir algum grau de dificuldade nesse começo. Não desanime porque os resultados irão compensar o esforço. Depois de duas semanas, praticando as duas séries de exercícios, você irá colocar um vibrador no seu treino. Tente adaptar a você os exercícios que ensino, porque os mesmos não devem causar dor nem desconforto.

Lembre-se que o treinamento da Arte de Amar é antes de tudo PRAZER para você e isso inclui os exercícios.

20


Após cinco dias você já pode acrescentar um vibrador ao seu treino. Adquira um vibrador de tamanho médio, com três centímetros de largura e 15 centímetro de comprimento, sendo ideal que seja um vibrador elétrico. Você irá usá-lo desligado, mas com as pilhas para que haja peso.

Compre também um gel á base de água (anti alérgico). Use sempre no vibrador, para facilitar a penetração. Você usará esse gel, também nas bolinhas Ben Wa, posteriormente. Você vai chegar lá, acredite!

21


Sobre o gel, existe nas farmácias o KY, por mais ou menos R$ 8,00. É excelente e, como já disse, não causa alergias. Em Sex shoppings, existe outros similares, até mesmo com sabores. Sobre vibradores, existem tipos variados, coloridos, com ou sem vibração, mas o importante para o nosso treinamento, repito, é um que obedeça às dimensões dadas, três centímetros de largura por 15 de comprimento. Se por uma questão financeira, você não puder comprar um vibrador com vibro, use um comum, bem mais barato, mas NUNCA, NUNCA MESMO, USE QUALQUER OUTRA COISA PARA SUBSTITUÍ-LO. Não importa se leu ou ouviu algo em contrário, mas o uso de material impróprio pode machucá-la e pôr a perder todo o seu trabalho de treinamento, danificando a musculatura. Fique atenta também, para quando estiver fazendo os exercícios mais profundos, não deixar que o vibrador force a parede do útero. Como disse, nenhum exercício deve causar dor ou incômodo nunca. Na mesma posição da figura, introduza a ponta do vibrador (com gel) na entrada da vagina, faça 22


movimentos de vai e vem, levemente e somente na entrada. Repita 10 vezes. Coloque a ponta do vibrador no começo do canal vaginal e aperte-o com a vagina. Repita por 10 vezes, apertando e soltando. ( a repetição é o segredo do sucesso.) Coloque-o mais para dentro e tente apertá-lo com a parte do meio da vagina. Repita 15 vezes. Encerre. Repita essa série por cinco dias. Variações: Varie um pouco para não ficar cansativo. Coloque o vibrador na entrada do canal e tente sugá-lo e depois tente expeli-lo. Repita mais no meio do canal, tentando sugá-lo e expeli-lo. Repita algumas vezes. Importante: não introduza nesse momento o vibrador todo. Somente até o meio, pegando o meio do canal vaginal. Isso é importante para que mais tarde você tenha o controle de sua vagina como um todo e POR PARTES. E você entenderá porquê, na prática. Após cinco dias, ao praticar essa série, você já poderá levar o vibrador até a parte mais profunda da vagina. Nesse momento repita os passos do último exercício. Faça agora em três tempos: Coloque o vibrador na entrada, tentando sugá-lo. Empurre até o meio, fazendo um movimento com a musculatura, puxando-o ainda para o interior e leve-o até o final do canal (tendo cuidado com o colon do útero). Nessa parte do exercício, aperte o vibrador o máximo que puder com a vagina e, a seguir, tente a expulsão. Repita o exercício de 10 a 15 minutos. Faça essa série por mais duas semanas. 3ª SÉRIE DE EXERCÍCIOS

23


BOLINHAS ORIENTAIS BEN WA As bolinhas Ben Wa são encontradas em conjunto de duas ou mais, feitas de PVC ou Silicone. Pesam, em média, vinte gramas cada uma, são lisas ou com saliências que estimulam a região e tornam o treino ainda mais prazeroso. Devem ser usadas apenas depois que você já treinou as outras duas séries de exercícios, porque é preciso que seus músculos estejam já fortalecidos. A ilustração mostra um conjunto de bolinhas, mas você começará com os modelos mais simples. Eles têm duas bolinhas apenas, unidas por um cordão macio, tendo na ponta uma alça do mesmo cordão, para retirá-las da vagina. Sentada sobre a cama ou um tapete, pegue a bolinha, passe nela um pouco do gel lubrificante e introduza na vagina, tentando sugar a outra, com movimentos dos anéis musculares. No início você ajudará com a mão, mas como falo em outra parte dessa apostila, o movimento de sugar é um dos mais difíceis do aprendizado, mas com certeza você chegará la, perseverância. Variação:

24


Mantenha as duas bolinhas no interior da vagina por alguns minutos (máximo de 15 minutos), caminhe mantendo-as no interior. Isso fará uma tonificação maior, por força do esforço para mantê-las no interior da vagina. Um exercício ótimo e bastante prazeroso. Para retirá-las, tente sempre expulsá-las, mas ajude enquanto não estiver conseguindo. É questão de tempo. PESINHOS OU CONES Se parecem com absorventes internos, em formato de cones e presos por um cordão. Vem em um conjunto com 5 unidades de pesos diferentes. Vendidos em consultórios médicos, que orientam o seu uso, evitando que mulheres desavisadas aumentem o peso sem estarem preparadas e, com isso, prejudiquem a sua musculatura. Para você que está fazendo o nosso treinamento, não é necessário o seu uso, estou informando para que você os conheça, ou mesmo, se for da sua vontade, escolha fazer uso. São feitos de PVC e pesam de vinte a setenta gramas e custam em média R$ 240,00. O Exercício: Introduza o mais leve, como se fosse um absorvente interno e mantenha-o no interior da vagina por 15 minutos. Nas semanas seguintes aumente o peso até chegar a de 70 gramas, observando uma semana de distância, entre um peso e outro, e aplicando-os em exercícios diários. Após esse tempo, quando você já estiver usando o mais pesado, pode aumentar o tempo de uso para 20 minutos, nunca ultrapassando, e pode usá-lo 25


diariamente ou de dois em dois dias. Para musculaturas treinadas esse é um exercício muito bom de tonificação. Insisto porém, principalmente para você que está começando seu treinamento agora, que não há necessidade dos pesinhos. Você pode deixar isso para um segundo momento. O POMPOAR GANHA AS RUAS... Uma série de exercícios para você fazer enquanto: Caminha: Alterne as contrações vaginais e anais com o movimento de sucção/ expulsão. Parada e em pé: Contraia e relaxe a vagina. Contraia e relaxe o ânus. Contraia e relaxe ambos e perceba a diferença entre esse exercício e os dois anteriores. “Pulse” a vagina, contraindo e soltando rapidamente a musculatura. Quando mais adiantada, aproveite esses momentos para movimentar os anéis individualmente, de fora para dentro e vice versa. Pratique os exercícios regularmente. Os primeiros meses (cinco) são os mais importantes, porque você estará começando a fortalecer os seus músculos vaginais. Não pratique os exercícios com instrumentos, durante a menstruação. Observe a mais completa higiene de seu material. Insisto que em nenhum momento, qualquer dos exercícios aqui apresentados, causam dor, se isso 26


acontecer, tente ver se não está fazendo algo errado ou se existe algum tipo de inflamação em sua vagina. Os exercícios devem parar, caso haja algum tipo de problema ginecológico e recomeçar logo que tudo estiver bem. Consulte sempre um ginecologista.

PROGRESSO NO APRENDIZADO Os exercícios de pompoarismo resultam sempre em um aproveitamento grande, respeitando-se as diferenças pessoais, idade, etc. Algumas mulheres evoluem muito rapidamente, outras levam maior tempo, mas todas saem ganhando com o aprendizado. Obedecendo ao treinamento, com o passar dos meses, você poderá observar que sua capacidade muscular vai se tornando maior. A tabela abaixo não é conclusiva e pode ser diferente de mulher para mulher, e foi elaborada com o intuito de oferecer uma tabela de progresso, para você se auto analisar. No segundo mês de treinamento você será capaz de obter orgasmos mais fáceis e intensos. Aperta levemente o pênis do parceiro. Tem o desejo sexual mais aguçado. Expulsa as bolinhas. Com cinco meses de treino, você: Estará com o desejo muito mais aflorado. Poderá estar vivenciando multi-orgasmos. Será capaz de sugar e expulsar o vibrador com facilidade. Segurar as bolinhas firmemente.

27


Expulsar com maior força. Apertar mais fortemente o pênis. Conseguir sugar (ainda brandamente) o pênis do parceiro. Mordiscar o pênis do parceiro. Sugar a segunda bolinha. Após oito meses, dia a dia você obterá maior controle muscular e você irá observar que será capaz de:

Segurar o vibrador. Mantém com maior facilidade as bolinhas ben wa, no interior da vagina. Sugar as duas bolinhas. Expulsar com maior vigor. Ordenhar o pênis. Chupitar o pênis. Morder o pênis. A partir daí, você irá cada dia descobrir de que você se tornou capaz.

TORCENDO...

Torcendo? Calma. Não se assuste, afinal, você não está se exercitando para ter músculos vaginais fortes e poderosos? Então, é chegada a hora de saber do que sua vagina será capaz.

28


CHUPITAR: Você sugará o pênis, como uma chupeta, com movimentos vaginais constantes, soltar, sugar, soltar, sugar. APERTAR: Apertar a cabeça do pênis, como anel vaginal que estiver melhor posicionado. EXPELIR: Forçar a saída do pênis. ORDENHAR: Apertar em toda a estenção do conduto vaginal, o pênis, por partes, do primeiro anel até o ultimo, chamado por alguns autores como dedilhar, porque é esse o movimento que lembra. REVIRGINAR: Manter os lábios e o primeiro anel fechados, no inicio do ato sexual, para dificultar a entrada do pênis, causando para o parceiro a sensação de uma vagina virgem (não deve causar dor, nem para você, nem para ele). SUGAR: O pênis é colocado somente na entrada da vagina e somente com os movimentos musculares, a mulher o introduz. TORCER: Essa é a sensação que o parceiro sente, enquanto a mulher movimenta seus anéis centrais de um lado para o outro. TRAVAR: Manter o pênis no interior da vagina, preso pelos anéis musculares.

Após os oito meses, você pode fazer dois testes, para saber como está a sua capacidade de pompoar. Deitada, tente cortar uma banana descascada com a vagina. Introduza metade da banana e solte, tente cortar e expulsar os dois pedaços. Uma variação, mas faça apenas quando se sentir mais segura. Introduza uma banana descascada, e expulse com violência.

29


32

Faça o mesmo com uma bolinha de ping pong. A partir desse momento você pode ficar tranquila. Você conseguiu o seu objetivo. Mas não deixe de exercitar-se. Use os exercícios que mais gostar e monte seu treinamento particular. O treinamento deverá ser para sempre, para manter a capacidade muscular alcançada. Lembre-se que relações sexuais demoradas são a sua conquista e ao mesmo tempo um meio de exercitar-se prático e muito agradável. TERMINANDO

Nestas páginas estão os ingredientes para efetuar uma mudança em sua vida sexual, revigorando seu casamento e a vida a dois. Seja feliz!

32

Pompoarismo  

Técnicas para malhação íntima da genitália feminina e masculina

Pompoarismo  

Técnicas para malhação íntima da genitália feminina e masculina

Advertisement