Page 1

O Jornal da Colônia Tirolesa de Santa Olímpia ‐ Piracicaba ‐ São Paulo ‐ Brasil

Trentino

CUCAGNA 2014

Março / 2014 Edição Nº XXVII

Foto: Rodrigo Passarin

A Cucagna de 2014 resgatou as tradições e envolveu as crianças. PERSONALIDADE

Nona Carolina, simplicidade e felicidade Nossa história contadas em miúdos. Contando o que nos contam. Por Dorival Correr

P. 02

Foto: Rodrigo Passarin Santa Olímpia

História do Tirol

Carnaval 2014 de Santa Olímpia

41° Salão de Humor de Piracicaba

P. 08

Em memória de Andreas Hofer

Torneio da Amizade

P. 11

Fotos da Cucagna 2014


Por Dorival Correr

Trentino

Contando o que nos contam

Cantinho do Dízimo Era uma vê um homem que não tinha absolutamente nada. Então Deus deu a ele dez maças Três maças para ele se alimentar. Três para vender e comprar uma casa, três para vender e comprar roupas e uma maça era sobra. Se o homem quisesse, poderia devolvê-la em agradecimento pelas outras nove. O homem comeu as três maças. Vendeu três e comprou uma casa para se abrigar das intempéries e vendeu as outras três para se vestir. Então ele olhou para a décima maçã e viu que ela parecia maior e mais deliciosa do que as outras. O homem sabia que Deus tinha dado a décima maça para que ele pudesse devolvê-la em sinal de gratidão, mas a décima maça, como você já sabe, parecia maior e mais deliciosa do que as outras. Ai ele pensou: Deus tem todas as maças do mundo. Então o homem comeu a décima maça e devolveu para Deus só o talo. Deus deu a você maças suficientes para suprir todas as suas necessidades. E mais uma, que você deveria devolver a Ele em sinal de gratidão. A escolha é sua. Você irá devolver a Deus a maça maior e mais deliciosa, ou somente o talo ?

PRD6 UM PREFIXO INESQUECIVEL No meu tempo de criança existiam poucos rádios receptores em nossa região. Um dos principais motivos era a falta de energia elétrica, melhoramento que passamos a usufruir somente na década dos anos sessenta do ultimo século. A rigor, bem poucas residências possuíam rádio. Hoje me ponho a imaginar como foi que as pessoas daquele tempo tiveram acesso as musicas conhecidas na época. O que mais se cantava por aqui eram as musicas sertanejas de Tonico e Tinoco, algumas marchinhas de Carnaval, as musicas conhecidas do repertório tirolês e nada mais. Porém, sem o rádio para fazer a divulgação foi realmente uma proeza o aprendizado da maioria dessas musicas. O alto-falante surgiu em nosso bairro nos anos cinqüenta. Sempre que havia festa da igreja era preciso alugar esse serviço. Em algumas ocasiões mais importantes convidava-se a banda de Santana para abrilhantar o acontecimento. Em uma das casas de Santa Olímpia existia um radio receptor, modelo bastante complicado que utilizava uma bateria de 12 pilhas elétricas. Sempre que eu passava em frente a essa casa, em companhia de minha mãe, insistia para que ela pedisse para que ligassem o aparelho mesmo que fosse por pouco tempo para que eu pudesse ouvir. Em minha curiosidade de criança eu me perguntava como o locutor se espremia dentro daquela caixa, ou então como era possível que ao girar de um simples botão ele viesse correndo da cidade para atender a nossa curiosidade. Foi assim que pela primeira vez em minha vida eu ouvi: sintonizam a Rádio Difusora de Piracicaba. Mais tarde, prestando melhor atenção, aprendi com mais detalhes a identificação: PRD6, Rádio Difusora de Piracicaba, 820 kilohertz, ondas medias. Ao som desse prefixo passamos muitas manhãs de domingo ouvindo nossos repentistas cururueiros: Parafuso, Nhô Serra, Pedro Chiquito, Horácio Neto acompanhados por Manézinho na viola. Havia também um programa de calouros que era apresentado no auditório da Rádio que atraía com empolgação a juventude. Outro horário legal era um programa musical apresentado aos domingos de manhã que era feito pelos próprios ouvintes que escolhiam as musicas e as ofereciam para os amigos ou seus entes queridos. Ás sextas-feiras, a partir das vinte horas, Craveiro e Cravinho no inicio de sua trajetória de sucesso apresentavam o seu programa . Ainda nos domingos á tarde podíamos ouvir na voz poderosa de Ary Pedroso a narração dos jogos do E.C.XV de NOVEMBRO DE PIRACICABA Ao passar pela Praça José Bonifácio quem prestar atenção verá ainda, na entrada do edifício n° 815, o garboso prefixo PRD6. Dorival Correr

Expediente

O Tirolês Trentino jornalotiroles@gmail.com

02

Uma das coisas que mais apreciávamos no passado era quando chegava a época das compras. Esse período coincidia sempre com o inicio do ano. Isto porque era nessa ocasião que a Usina pagava o valor correspondente ao fornecimento da cana. Todo o pagamento era feito de uma só vez, por causa disso também todos aproveitavam a oportunidade para comprar o que era necessário em casa. Tecidos para a confecção das nossas roupas, sapatos para toda a família, chapéus para os mais idosos, utensílios de cozinha e outras necessidades. O sistema social era patriarcal, o chefe de família era quem dirigia as compras, nem sempre perguntava sobre gostos e preferências. A escolha era sua, mesmo quando se tratasse da compra para os filhos casados. Todos deviam aceitar aquilo que o chefe determinava. Assim era que frequentemente a família se vestia de maneira uniforme, principalmente no tocante à roupa que era usada nos trabalhos da roça. Geralmente os homens vestiam calças de brim aço e as mulheres vestidos de algodão. As decisões do pai eram sempre aceitas e respeitadas, dificilmente havia discordâncias, com excessão de um ou outro inconformado. Nessas ocasiões os pequenos sempre iam com os pais, pois precisavam estar presentes para calçarem os sapatos cuja numeração ainda não estavam habituados. Era uma grande alegria, uma algazarra de tiroleses adultos e crianças no interior dos ônibus e trens. Era uma das raras ocasiões que se tinha de ir á cidade. Grande curiosidade para meninos e meninas daquela época era observar o rio Piracicaba transbordante devido as copiosas chuvas que caíam nessa época do ano. Feitas as compras, outro prazeroso momento era quando nos dirigíamos para almoçar. Eram diversos os restaurantes freqüentados pelos tiroleses: bar do Ponto, bar Santa Helena, bar São Benedito, bar Santa Terezinha, Café Vaz. Havia ainda a opção de outros dois endereços na Vila Rezende: bar do Grisotto e bar do Galhardo. Para tanto era preciso servir-se dos bondes que circulavam sobre trilhos subindo e descendo pela Avenida Rui Barbosa. O cardápio era constituído por comida caseira que nos permitia sentirmo-nos plenamente à vontade. Poda-se ainda ver pelas lojas da cidade, apesar do calendário adiantado, algumas reminiscências de Natal e Ano Novo com o comércio procurando liquidar seus estoques de mercadoria. Não faltavam nessas ocasiões as freqüentes visitas às igrejas da cidade, destacando-se a Catedral, a igreja dos Frades e a igreja da Imaculada Conceição da Vila Rezende de qual éramos paroquianos. Quando se achava tempo, ainda parávamos para observar o rio Piracicaba com seu grande volume de águas barrentas. Lá no salto podia-se observar uma quantidade de peixes saltando fora d'água na tentativa de transporem o paredão de pedras. Foi assim que muitos de nós passamos nossa infância. Relembro aqui uma musica da época: dia que vem, dia que vai, o tempo da infância não volta mais! Dorival Correr

Jornalista Responsável Fernando Galvão MTB 58854/SP 19 - 99677-3808 Arte Final & Diagramação Rodrigo D. Passarin 19-99358-2747

Colaboração: Ivanete Stenico, Everton Altmayer, Isadora Stenico, Patricia Degasperi, Dorival Correr, Douglas S. Rafael Bittencourt, Gilmar Custodio.

O MORRO DO GATO AINDA ESTÁ EM NOSSA IMAGINAÇÃO Era um domingo de outono, um pouco cinzento, de sol entre nuvens, temperatura agradável. Como de praxe, após a reza do terço ao meio-dia, fizemos um lanche rápido de pão caseiro e café e a seguir nos dirigimos para o rancho que servia de garagem para o caminhão. Lá passamos o resto da tarde revezando-nos em vários brinquedos. Brincamos num balanço instalado numa das travessas de madeira do velho rancho, brincamos com nossos caminhões feitos de madeira que usavam carretéis de linha de costura vazios para simular os pneus, rodamos arcos de metal acionados por um cabo que nos permitia guiá-los por nossas estradas, corremos pelo campo empunhando hélices de papa-vento que giravam freneticamente. Aproveitamos ainda o tempo para rever nossas lições da Escola, pois era uso em nosso tempo de crianças os professores determinarem tarefas para casa que deveriam ser apresentadas no retorno ás aulas. Foi dessa forma que passamos a maior parte da tarde desse domingo. Em breve retornaríamos a nossas casas para o jantar, rumando mais tarde para a igreja, onde participaríamos do terço da noite. Quando nos preparávamos para deixar o lazer, a mãe de meu amigo nos chamou. Mostrando preocupação, com a voz denotando tristeza ela nos comunicou que o gatinho de estimação acabava de morrer. Com grade desolação meu amigo ficou olhando para o bichinho morto que era uma de suas raras alegrias; costumava brincar com o animalzinho correndo pela casa, puxando-o pelo rabo, aninhando-o em seu colo, ás vezes até levando-o consigo para a cama. Jamais tomava as refeições deixando de alimentar também o bichano. Aquela situação de morte, mesmo sendo de um animal, causou em nós uma sensação de perda irreparável. Passados alguns momentos sem saber o que fazer ele me pediu: vamos comigo enterrar o meu gatinho? Foi assim que saímos à procura de um lugar decente para sepultar o animal. Seguíamos tristes, em silêncio, como convinha ao funeral de um gato. Depois de andar por meia hora chegamos a um local elevado de onde se podia ver boa parte do bairro Santa Olímpia de então. Absorvidos na pungente missão de sepultar um bem tão precioso, lembro-me que fizemos nossas despedidas, sendo que meu amigo até proferiu um breve discurso de amor a seu gatinho de estimação. Naquele momento, revestindo-se de imaginária autoridade, ele exclamou solenemente: em homenagem a este importante ser que acabamos de sepultar, este local de hoje em diante passará a chamar-se Morro do Gato. E é claro que esse destacado acidente geográfico só existe no registro de um passado que teima permanecer em nossa imaginação.

As matérias assinadas são de inteira responsabilidade do autor. O conteúdo dos anúncios publicados são de inteira responsabilidade das empresas que os

Curta e compartilhe informações atualizadas de Santa Olímpia

Dorival Correr Impressão: A Tribuna Distribuição: Direcionada Tiragem: 1000 exemplares Ano III Edição XXV Janeiro / 2014


03

Trentino

Natureza

Parabéns!!! Giovana Christofolletti 04 anos Nossa querida filha vai completar mais um aninho de vida no dia 22 de março. Parabéns de seus pais Rinaldo e Elisandra.

Bodas de Prata No último dia 14 de janeiro, José Dairson Stenico e Janete Stenico completaram mais um ano de casado. Muitas felicidades ao casal. Rudinei Stenico completou mais um ano de vida neste dia 15 de março de 2014. Parabéns a uma das pessoas mais empenhadas a perpetuar a cultura de nosso bairro. Um grande exemplo a ser seguido, pois ele mostra para seus filhos a importância de ser Tirolês.

ERRATA CALENDÁRIO

X

A equipe de produção do Calendário de Santa Olímpia 2014 informa que no mês de Julho, ocorreu um erro de diagramação. Existe dois dias ``23´´, o que altera a data da Festa da Polenta em nosso calendário, ficando então programada para os dias 25, 26 e 27 de julho de 2014.

Haroldo e Priscila completam 35 anos de casados no próximo dia 01 de abril de 2014 Hoje vocês estão comemorando um dia muito especial, daqueles que nunca se esquece… Nunca se apaga da memória… O aniversário de casamento… Muita dificuldade vocês enfrentaram na vida… Muita luta vocês venceram juntos; isso é uma demonstração de amor, carinho, perseverança… Foi preciso ter muita coragem para vencer tudo que vocês venceram, tudo que passaram… Isso tudo é um grande exemplo de vida, de verdadeiro sentimento que vocês têm, um pelo outro… E neste dia bonito e alegre, que vocês estão comemorando aniversário de casamento, queremos desejar tudo de mais excelente em suas vidas, muito sucesso, e que este casamento dure por muitas eternidades… Parabéns… É o nosso desejo mais sincero… Parabéns pelo aniversário de casamento… Muitas Felicidades... Esses são os votos mais sinceros de seu filhos: Mirene, Neimar e Giovani e suas noras Lilian e Fran e seu genro Neto... E seus netos: Francisco, Enzo, Priscila e Angelina.

Solicitamos desculpas pelo ocorrido.

COUPEC COUPEC - Usinagem de Peças coupec@ig.com.br (19) 3425-0044

Urutau O Urutau parece gostar de Santa Olímpia. Mais um está visitando o nosso bairro. Ele pode ser visto em uma das árvores do estádio Simão Stenico.

Apoio

Rifa XV A sorteada deste mês da rifa da camisa do XV de Piracicaba foi a jovem Pamela Forti do Nascimento. A Rifa continua sendo oferecida aos moradores do bairro através da Isadora. Não deixe de ajudar o jornal do seu bairro.

CONVITE

Jantar da Escola de Pais do Brasil

Cardápio Macarronada a Bolognesa - Polenta com Frango - Saladas - Sobremesas e Café Bebidas à parte

João de Barro “Triplex” Santa Olímpia tem suas curiosidades e particularidades. Em um poste próximo ao campo de futebol, encontramos um João de Barro que construiu três casas uma em cima da outra. Os moradores brincam que o pássaro está alugando as duas de baixo e está lançando o projeto “Minha casa de barro, minha vida”

Convite Individual R$ 30,00 Dia 05/04/2014 às 20:30hs Salão Paroquial de Santa Olímpia Contatos: Lurdes / Valdomiro: 3425-0684 Daniela / Julio: 3425-0504 Ana / Leopoldo: 3425-0028


04

Trentino

Vida

CUCAGNA 2014

Podemos fazer mais do que isso Por Gilmar Custódio Havia naquele hospital um paciente que encantava a todos, era um garoto de seis anos de idade que com sua simpatia, sua tagarelice fazia com que médicos enfermeiros estagiários todos que conviviam com ele ficassem apaixonados. Aquele garoto que se expressava como adulto, apesar de sua doença incurável era a alegria em pessoa, apesar das dores que tratamento quimioterapêutico pode trazer, ele tinha sempre um sorriso, uma palavra amiga e estava sempre disposto a uma brincadeira com um brilho encantador no olhar. O garoto tinha o sonho em ser bombeiro, salvar vidas, resgatar animais, apagar incêndios quando ele falava sobre isso se expressava com tanta eloquência que Por ficavam Adrianoadmirados. Perina Havia entre os estagiários um bombeiro que, em todos conversa com o chefe de enfermagem, outro extremamente dedicado ao pequeno paciente, passou o telefone do comandante do batalhão, um jovem Momento especial na cucagna foi quando as bateria “Loucos por Lama” entrou na casa da Tia Maria e do Cláudio tenente amável gentil, que assim que foi contatado ficou admirado com que o Stenico. O rosto de alegria dos dois valeu por toda a festa. Esse é o verdadeiro espírito da nossa Festa! Parabéns ! enfermeiro lhe relatou, pois o jovem tenente também tinha um filhinho nesta idade que compactuava do mesmo sonho. Cucagna dei Mateloti Foi ordenado para que alguns soldados da corporação fizessem uma visita ao garoto, juntamente com o comandante, que se encantou com tudo que o menino falava sobre o sonho em ser bombeiro, nos corredores daquele hospital lagrimas foram derramadas por estes homens que sabiam se tratar de um câncer terminal. O enfermeiro pediu para os militares que, se possível, fizessem mais visitas, pois isso fazia um bem enorme aquele pequeno. O comandante então disse: Podemos fazer mais que isso. No outro dia, o comandante apareceu com um pequeno uniforme completo, farda, coturno, capacete, cinto, tudo do tamanho do menino. Ao ver aquilo seus olhos se iluminaram e a alegria contagiou aquele quarto e então o comandante Outro destaque foi a criação da Cucagna dei Mateloti. Onde as crianças produziram suas roupas e falou: “Assim que você sair desta cama vou te levar para trabalhar com a gente”. Aquelas palavras deram um ânimo ao pequeno que em poucos dias o mesmo aprenderam os motivos pela qual a Cucagna é realizada, sua cultura, tradição e importância para o bairro. apresentou acentuada melhora tendo alta médica. Então colocou com orgulho No dia da Festa foram na frente de todos, acompanhados de seus pais, e curtiram um dia diferente e de muita seu uniforme e foi para o batalhão onde passou todo dia. Participou dos alegria. treinamentos, fez refeições e ainda participou de ocorrência com ambulância e caminhão sendo o dia mais feliz da sua vida, sua alegria dizia tudo. Ao menos uma vez por mês o garoto participava da vida daqueles militares, sendo o mascote da corporação. No entanto, certo dia, a corporação recebeu um telefonema avisava que o garoto estava internado passando muito mal e queria muito ver todos seus amigos de farda. A doença se agravara existia pouco tempo de vida. “Venha visitá-lo! E tragam seus companheiros”, pediu o enfermeiro. O comandante então respondeu “Posso fazer mais do que isso”. Naquela tarde de inverno um caminhão composto por uma escada magirus se posicionou na rua em frente quarto do menino. A escada foi içada com precisão ate a sua janela entrando por ela o comandante e todos os bombeiros que estavam de plantão naquele dia. Ao ver a cena, o garoto se emocionou e apesar de toda a dor sorriu e disse : “Obrigado pela visita eu sempre sonhei em ver uma escadona dessa sendo usada em operação. Vocês se preocupam comigo então posso dizer que sou um bombeiro?” “Você é sim, e um dos melhores”, falou o comandante. Na despedida, um a um prestou continência ao pequeno bombeiro, no outro dia o jovenzinho veio a falecer vencido pela doença, mas no seu rosto não estampava uma expressão agônica mais sim uma face angelical e em seu enterro honrarias foram feitas e o cortejo foi acompanhado por varias viaturas oficiais. Esta historia e real e aconteceu no Hospital dos Fornecedores Cana no ano em que estagiei lá. ORÇAMENTO SEM COMPROMISSO MELHOR PREÇO DA REGIÃO

CONSTRUCARD

AMARAL AÇO PRONTO

SAPATAS - BARRAS - ESTRIBOS MALHAS - ARAMES - GAIOLAS PREGOS - VIGAS SOB MEDIDA

Construa, reforme ou amplie seu imóvel

Rua Nilo Peçanha, 636 - Vila Sônia - Piracicaba - São Paulo

3425-3809 / 3374-6269 amaralacopronto@hotmail.com www.amaralacopronto.com.br Rua José Palmieri Filho, 88 - Conceição Santa Terezinha - Piracicaba - SP


05

Nona Carolina

Por Fernado Galvão Fotos Fernando Galvão

O Jornal “O Tirolês” foi até a vizinha Santana para conhecer provavelmente a pessoa mais idosa de Piracicaba. Segundo o seu CPF, ela nasceu no dia 06 de maio de 1901. Dona Carolina Zambon Geraldini, carinhosamente chamada de Nona Carolina completa no próximo dia 03 de junho 113 anos. Ao chegar à residência de Nona Carolina fomos recebidos com muita educação e carinho pela sua Nora Elza Geraldini. Carolina estava na cama, embora não esteja doente, os 112 anos pesam e ela fica pouco em pé. Sua dificuldade de falar, ouvir e enxergar não foi obstáculo para ela ir até o sofá da casa e conversar com a gente. A casa é simples e deve ter mais de 100 anos, mas o carinho que ela recebe dos seus dois filhos, sete netos, 13 bisnetos e dois tataranetos (serão três agora no mês de março) faz a casa parecer uma mansão. “Somos pessoas simples, mas aqui o amor pela família e principalmente pela nona é muito rico”, diz um dos filhos, José Geraldini. Contrariando qualquer regra de dieta médica, a Nona sempre se alimentou de aves, porco e boi, cozido na banha do porco, mas tudo natural e cultivado no próprio sítio. Como de costume, a religiosidade está presente. Sempre acordou com seus irmãos para ir às missas. Alias, ela também tinha a fama de ajudar as pessoas a achar objetos, através da reza. “Ela é uma pessoa de fé. Reza acreditando que o objeto será encontrado. As pessoas vinham aqui e sempre pediam sua reza”, lembra Elza.

Encontro de catequistas 2014

PORTÕES AUTOMÁTICOS - ALARMES - CERCAS ELÉTRICAS - CIRCUITO FECHADO DE TV

Fone: (19) 3927.3929 / 3035-3929 - Cel: (19) 9781.6527 Rua Dona Eugênia, 511 - São Dimas betoportao@hotmail.com

Nona Geraldini teve sua infância na Fazenda Tamadupá e até os oito anos cuidou de crianças dos vizinhos de sua casa. Quando cresceu e teve força de pegar na inchada foi para roça. Com muito trabalho, não teve tempo de ir para escola e ser alfabetizada. Após apenas cinco meses de namoro, casou-se com Antônio Pedro Geraldini. No matrimônio foram três filhos, mas um morreu ainda bebe com problemas de saúde. Vingaram dois que moram até hoje com ela. José e Luiz Geraldini. Nona Carolina, como tantos nonos que vivem, com saúde, em Santana e Santa Olímpia são exemplos de como a vida no sítio, com a calmaria e natureza fazem bem ao corpo e alma. Que os dois bairros consigam manter esse caráter rural. Os moradores agradecem.

Grupo de Danças Edivaldo Stenico (Diva) e Jessika Correr estiveram presentes no início de janeiro na cidade de Gramado-RS para um curso de qualificação de instrutores de Danças Folclóricas. O evento foi organizado pela a Associação Cultural Gramado / Casa da Juventude. E durou uma semana. Diva lembrou que a ida para o sul só foi possível devido à ajuda da Associação de Santa Olímpia e o Circolo Trentino di Santa Olímpia. Estiveram presentes vários coordenadores de grupos de diversas partes do país. O curso foi ministrado pelo Sr. Erwin Eickhoff da cidade de Sauensiek e a dançarina Birgit Kleinekampmann da cidade de Hollenstedt, ambos do estado de Niedersachsen, Alemanha. Diva explica a importância do curso para a comunidade de Santa Olímpia. “Todos os anos temos a oportunidade de aprender novas danças de nossa região, além de conhecer pessoas de regiões próximas a nossa e com outros costumes”, finalizou.

Confiantes e decididos a abraçar a pastoral da catequese com amor, foi que no dia 09 de março – domingo, tivemos um encontro com os catequistas de Santa Olímpia e Santana. Foram algumas horas de reflexão e meditação sobre “Como ser um bom catequista”. Tivemos a participação de todos, onde confirmaram seu “sim” a esta bela missão. Nossas comunidades só precisam agradecer pelo empenho e dedicação destas pessoas que estão se preparando para instruir nossos filhos na caminhada que os leva a serem imagem e semelhança de Deus. Que nossa Senhora, a primeira catequista, os cubra de bênçãos e lhes dê força nesta nova caminhada. Coordenação da catequese de Santa Olímpia


08

Trentino

Cultura

Por Rafael Bitencourt

Roma muda governo. E a autonomia trentina?

Salão de Humor lança cartaz e apresenta comissão da 41ª edição Catálogo da edição 2013 também foi lançado no CEDHU Os trabalhos para a realização de um dos principais eventos da agenda cultural anual da cidade já estão a todo vapor. Foi apresentado oficialmente no final de fevereiro, em coletiva de imprensa no CEDHU (Centro Nacional do Humor Gráfico), localizado no Engenho Central, o cartaz da 41ª edição do Salão Internacional de Humor de Piracicaba, produzido pelo cartunista Erasmo Spadotto. Foram apresentados ainda os nomes dos membros que compõem a Comissão Organizadora da mesma 41º edição do Salão de Humor, que acontecerá em 2014, além do catálogo da 40ª edição do grande evento, que aconteceu em 2013. A secretária municipal da Ação Cultural, Rosângela Camolese, ressaltou o fato do cartaz ter sido produzido por um artista local. “Buscamos constantemente valorizar os artistas locais diante da organização do Salão de Humor. Trata-se de uma homenagem justa e merecida a um profissional que tem atuado há 20 anos no mercado editorial da cidade”, afirmou a secretária, que ainda avaliou o material. “Gostei muito do cartaz, um homem sem sorriso que procura um entre os muitos distribuídos. Uma ideia original que certamente provocará bom impacto”, opinou. Os membros que compõem a comissão organizadora do 41º Salão Internacional de Humor de Piracicaba são: Rosângela Rizzolo Camolese, Evaldo Vicente, Carlos Eduardo Gaiad, Carolina Ferraz Perencin, Dermival da Silva Pinto, Edson Rontani Júnior, Eduardo Ferreira Grosso, Eliane Sabino Marcondes, Felipe Rodrigues, Jairo Meireles de Matos, José de Arimatéia Júnior, José Pedro Soares

Cartaz do Salão de Humor 2014 produzido por Erasmo Spadotto

Notícias de Trento

Adolpho Queiroz, Evaldo Vicente, Ro Camolese e Erasmo Spadotto durante coletiva Martins, Maria Teresa Carnio Coletti, Romualdo Cruz Filho, Rubens Vitti Júnior e Valéria Maluf Vergal. Apresentado na mesma ocasião, o catálogo do 40º Salão de Humor, que aconteceu em 2013, já está sendo distribuído para os artistas, parceiros, colaboradores e patrocinadores. 41ª EDIÇÃO – O 41º Salão Internacional de Humor de Piracicaba acontecerá entre os dias 23 de agosto e 12 de outubro de 2014. O presidente da edição, já anunciado em 2013, será o jornalista e empresário Evaldo Vicente. A escolha foi exaltada pelo presidente do Conselho Consultivo do Salão, Adolpho Queiroz. “A liderança de Evaldo no meio empresarial e jornalístico da cidade pode ser verificada pelos contatos realizados, por suas iniciativas para estabelecer parcerias, por sua presença forte na região, onde faremos várias paralelas e por seus contatos fora de Piracicaba, abrindo novos espaços de diálogo e divulgação do Salão”, opinou. “A expectativa é de darmos continuidade a um trabalho histórico de Piracicaba com visibilidade internacional. Juntamente com a comissão organizadora vamos nos esforçar ao máximo para otimizarmos cada vez mais o salão”, disse Evaldo Vicente.

Na Itália, o cargo de presidente é quase que honorário e quem acumula as responsabilidades do governo é o primeiro ministro. Novamente, Roma assistiu à troca de seu primeiro ministro. Novamente, sem eleições. Renzi assume o governo tendo o mesmo voto di fiduccia (“voto de fidelidade”) que o senado havia dado ao seu antecessor. A crise financeira na Itália preocupa toda a União Europeia, que não quer pagar dívidas como fez com a Grécia e como tem feito com a Espanha. O que esperar do novo primeiro-ministro italiano? “Pouco” dizem os jornais. O jovem ex-prefeito de Florença está com pressa para mudar as coisas, mas não se sabe exatamente o quê... Mas o que as províncias autônomas de Trento e Bolzano, com estatuto especial, têm a esperar? Está em moda atacar Trento e Bolzano, seja na mídia italiana (como fizeram os programas “Porta a Porta” e “Balarò”. O apresentador Bruno Vespa entrevistou o governador de Bolzano em rede nacional, ridicularizou seu sobrenome e disse que os habitantes de Trento e Bolzano têm “vantagens” porque vivem em províncias ricas e autônomas. No dia seguinte, Ugo Rossi (governador do Trentino), disse que o problema não é viver nas províncias mais ricas da Itália, mas trabalhar direito e honestamente para que as províncias italianas se tornem ricas e com um governo que funcione. O histórico de corrupção da Itália é bastante semelhante ao do Brasil. Qualquer semelhança no sistema de impostos deles com o do nosso Brasil, ou semelhanças entre as diferenças de funcionamento do Sul e do Norte não são mera coincidência. E a fila da cidadania italiana? Continua loooonga...

SERVIÇO O 41º Salão Internacional de Humor de Piracicaba acontecerá entre os dias 23 de agosto e 12 de outubro de 2014. A abertura oficial será no dia 23 de agosto, no Engenho Central. Mais informações podem ser obtidas no site do salão: www.salaodehumor.piracicaba.sp.gov.br

Matteo Renzi. Fonte: www.vita.it

Programação Cultural de Piracicaba ‐ MARÇO 2014 Dia 07, sexta-feira Exposição. “Desbravadora...um olhar sobre as mulheres no final do século XIX”. Local: Museu Prudente de Moraes. Horário: de terça a domingo das 9h às 17h. Visitação: até 06/04 Dia 08, sábado Exposição. Obras do Acervo da Pinacoteca – Mulheres. Local: Pinacoteca Municipal. Horário: de segunda a sexta das 8h às 17h; sábados, domingos e feriados das 14h às 17h. Visitação: até 27/03 Dia 14, sexta-feira Som do Meio Dia. Patrícia Aguiar. Local: Coreto da Praça José Bonifácio. Horário: 12h Dia 18, terça-feira Sarau Literário Piracicabano. Homenagem a Pixinguinha e Maestro Marco Antonio Abreu Moraes. Local: Museu Prudente de Moraes. Horário: 19h30 Dia 21, sexta-feira Música. Noite das Tradições. Local: Largo dos Pescadores. Horário: 21h De 27 a 30 de março Teatro. 14ª Mosquete (Mostra de Esquetes). Local: Ponto de Cultura Garapa. Horário: 20h Confira a programação completa no site www.piracicaba.sp.gov.br

Cucagna Secos & Molhados

Rua Santa Olímpia, 140 ‐ Piracicaba ‐ SP


09

Trentino

História do Tirol Em memória do herói tirolês Andreas Hofer... Napoleão é considerado um dos “fundadores” do sistema atual de governar, aquele que conhecemos: baseado na burocracia, no jogo de interesses e na expeculação financeira. Ávido por poder, Napoleão liderou um dos mais temidos exércitos da Europa e, de forma brilhante (ainda que perversa), conseguiu dominar vários países pois queria criar um grande império centralizado na França. Acontece que, com suas tropas, não chegavam apenas soldados, mas também novos conceitos sobre a religião cristã, sobre a autoridade do Christopher von Spaur papa e sobre a administração pública. Em 1809, Napoleão tinha o controle da França, da Espanha, de Portugal (e, por isso, D. João partiu para o Brasil), de países alemães e da Áustria. Ao invadir esta, ele não imaginava que encontraria resistência no Tirol. Na verdade, nem os demais países da Europa imaginariam que o ano de 1809 seria lembrado por causa de um taberneiro tirolês que mobilizou toda a população desde o Lago de Garda até Kufstein, para lutar em defesa de sua terra contra o invasor francês. Napoleão não conseguiu entender como em tão pouco tempo um taberneiro, com sua longa barba e sua profunda fé católica, seria tão carismático a ponto de chamar a atenção do imperador austríaco e do papa que se encorajaram a favor da liberdade. Por 3 vezes, os tiroleses venceram as tropas napoleônicas e, mesmo com a Áustria invadida, o Tirol permaneceu livre por algum tempo, como uma “ilha”. Os jornais da Inglaterra publicavam poemas em homenagem ao “bravo povo tirolês”, mas isso não duraria muito. Napoleão enviou então mais tropas para a região e, assim como nos tempos evangélicos, também um “Judas” traiu o líder da revolta, entregando-o aos soldados franceses por uma soma em dinheiro. Andreas Hofer aceitou a prisão sem resistir. Já estava profundamente cansado e sem forças para continuar em sua luta. Seria uma luta inútil? O que mais lhe doeu foi ver pessoas morrendo para defender sua terra e sua cultura enquanto mais soldados

Prof. Everton Altmayer inimigos chegavam ao Tirol. O capitan barbon (“capitão barbudo”), como era chamado pelos tiroleses trentinos, era amado pelo povo e elogiado pelo clero. Ao ser preso, alguns de seus “fieis escudeiros” quiseram acompanhá-lo. Mas a guerra havia

Archivio Storico di Trento

desgastado a tudo e a todos. O Tirol já não tinha mais quem o defendesse, estava invadido e dividido, com uma parte sob o controle do então Reino da Baviera (aliado de Napoleão) e outra sob o controle do Reino da Itália (controlado pelo próprio Napolão). Após a prisão, ocorrida em sua casa, Hofer foi levado para a cidade de Arco, no Tirol Italiano, e ali ficou com dois guardas franceses plantados em frente ao cárcere. Ali, aguardava o seu julgamento. Seu crime: ter liderado uma resistência popular contra tropas estrangeiras em seu amado Tirol. Querer ser livre era um crime. Hofer falava bem o italiano, pois durante a infância trabalhou em Ballino e em Val di Non. Essa boa recordação do Tirol Italiano jamais o abandonara e, após a primeira vitória contra os franceses, fez questão de organizar uma peregrinação até o Santuário de São Romédio, em Val di Non, em agradecimento à proteção divina. Em Arco, recebeu frequentemente a visita de um padre; confessava-se e comungava. Uma noite, houve um início um incêndio naquela prisão. O fogo rapidamente se alastrou pela ala onde se encontrava o prisioneiro Hofer. Um dos

soldados que estava à porta do cárcere desmaiou por causa da fumaça. Era uma grande oportunidade para fugir! Mas, ao invés disso, Hofer pegou a chave do soldado, abriu sua cela e correu em seu socorro, retirando-o dali. Após terem apagado o incêndio, retornou para a cela e continuou a aguardar a sua pena. Dali, Hofer foi transferido para a cidade de Mântova. Seu julgamente não seria feito dentro do Tirol. Era o ano de 1810 quando, após um julgamento bastante teatral, Andreas Hofer foi condenado à morte. Na verdade, o próprio ditador francês havia dado ordens diretas sobre qual deveria ser a punição ao taberneiro tirolês que ousou desafiá-lo: fuzilamento. Hofer não resistiu, embora a população de Mântova soube do ocorrido e tentou pagar um advogado que amenizasse a pena. Tudo em vão. Chega o fatídico dia 20 de fevereiro de 1810. Hofer parecia tranquilo e seu último pedido foi confessar-se na presença de um padre e comungar. Aquele padre escreveria mais tarde que estava diante de um exemplo de “herói cristão”. Hofer seria fuzilado no paredão, mas não queria ter os olhos vendados. Suas últimas palavras foram: “Viva o imperador austríaco! Viva o Tiro!” Logo após ter levado os tiros, teve forças ainda para permenecer em pé e dizer: “vocês atiram muito mal!”. Recebeu mais tiros para, finalmente, morrer como um criminoso. Após a queda de Napoleão, em 1815, o Tirol retornou para a Áustria e o corpo de Andreas Hofer foi levado para Innsbruck, onde ocorreu um solene sepultamento na igreja imperial da cidade. Ali, naquela igreja onde 400 anos antes o Imperador Maximiliano havia mandado construir um dos mausoléus mais belos e artísticos da Europa, foi devidamente sepultado um taberneiro simples que acreditou em seus ideais. Acima do túmulo encontra-se a estátua de Andreas Hofer, esculpida em mármore branco, segurando nas mãos uma bandeira negra, em eterno luto por sua triste morte. A “Canção de Andreas Hofer”, escrita poucos anos depois,, é atualmente o hino do estado do Tirol.

Notícias de Trento Governo da Região Trentino‐Südtirol em homenagem a Andreas Hofer Anualmente, os governadores e autoridades de Innsbruck, Bolzano e Trento participam do ato solene que se realiza em Mântova (Itália) em memória de Andreas Hofer. Juntamente com os Sìzzeri (Schützen) e populares, recorda-se a bravura dos tiroleses em 1809 e a morte de seu herói em 2010.

Companhias Schützen de Trento, Arco, Vezzano e Bolzano e Corpo da Polícia de Mântova.

La nossa parlada... La zitadinanza... (Everton Altmayer) Vara ben che l'è passà en bel pez de temp, ne si? alor? e quei li che la aspetava l'era perché saria n'onor. Perché “adès sen n'altra roba” E ei n'ha dit che l'è en regal quela carta la cambia tüt Come l'osèl deventa en gal... Ma no ariva “quela letera” e de aspetar 'i èi bèi che stufi ei g'ha dit che l'èi “taliani” ma sto no l'è onor per tüti: Per i trentini, oh no! quelli? sono venuti di terre... di altri! lasciamo aspettare i poverelli giàcche non sono come i nostri! E se lori ei aspeta, l'èi perché ei völ almanco gaver vergot coi noni co la tèra tirolesa de la so zent anca se l'è ruà el govern dei bòni.

CALHAS ‐ CONDUTORES ‐ COIFAS

Fone: (19)

3402.6199

Rua São José, 477 - Centro terraplena.eng@terra.com.br

3421‐1648 / 99466‐2229 LOCAÇÃO DE MÁQUINAS E CAMINHÕES BASCULANTE

Av. Cristovão Colombo, 2148 - São Vicente - Piracicaba - SP ( Em frente ao portão da Klabin)


10

Trentino

Turismo

Núcleo Comercial Tirolês

VINHOS

DESCOBRINDO ILHAS Thaís M. Stenico

CRONOGRAMA DE REUNIÕES DO NÚCLEO COMERCIAL TIROLÊS- 2014

DATA - LOCAL 03/02/14- Pizzaria Nonno Giotti 17/02/14- Cucagna Secos & Molhados 17/03/14- Casa da Solange Stenico 14/04/14- Cantina Tirolesa (Adriano) 19/05/14- Café Tirol 16/06/14- Pesqueiro Priscila/ Neimar 21/07/14- Rodrigo Passarim 18/08/14- Lanchonete Léo 15/09/14- Casa Reina Degasperi 20/10/14- Pizzaria NonnoGiotti 17/11/14- Cucagna Secos & Molhados

Quer conhecer a cidade mais meridional do mundo? Então, pegue seus casacos mais pesados e siga em direção a Ushuaia, a capital da Província da Terra do Fogo, na Patagônia. Com uma beleza natural indescritível, infraestrutura completa para receber visitantes e passeios para todos os gostos, a “capital do fim do As reuniões extraordinárias serão realizadas mundo” é garantia de diversão. As excursões lacustres de turismo em Ushuaia na Pizzaria Nonno Giotti. percorrem o Canal de Beagle até El Faro, Ilha dos Lobos, La Pinguinera e Estância Harberton. O Parque Nacional Terra do Fogo é a principal CIRCOLO TRENTINO atração turística de Ushuaia. Lá se tem um contato direto com a flora e fauna local, tudo aliado à belíssima paisagem austral. Bahia Lapataia e oTrem do Fim do Mundo são passeios favoritos de visita dentro do Parque. Embarcar noTrem do Fim do Mundo e percorrer 7 km do parque é uma sensação única, que apesar de sua triste história tem de quebra ao fundo a ASSOCIAZIONE Cordilheira, uma visão exuberante. A quem preferir explorar a cidade, nada como uma boa caminhada pelo calçadão à beira-mar e pelo centro da cidade, observando o movimento dos navios e as antigas casas construídas com madeira recoberta com chapas de zinco. Estas são atividades indispensáveis para quem visita a capital argentina da Terra do Fogo o que torna Ushuaia

um

show

a

parte!

Fundada em 1927 El Calafate, cujo nome vem do bravo arbusto que sobrevive nessas paragens, esta pequena e simpática cidade localizada às margens do Lago Argentino, conta

Trentini nel mondo O.N.L.U.S.

CONVOCAÇÃO

Quando tudo começou? Por Marcelo Copello www.simplismentevinho.terra.com.br

O vinho acompanha o homem desde seus primórdios. Descobertas arqueológicas no Irã mostraram, após testes feitos com carbono 14, que o vinho já existia há 7400 anos! O interessante é a maneira como foram descobertos estes vestígios ancestrais de vinho, no que seria a cozinha de uma caverna, junto com utensílios, o que nos leva a crer que ele já era utilizado na culinária. Conclusão dos arqueólogos e não minha. Curiosamente, hoje no Irã é proibido o consumo de vinho assim como de qualquer outra bebida alcoólica. Começaram cedo, já beberam o suficiente… O vinho então foi descoberto na Mesopotâmia há 7400 anos e saiu caminhando pelo mundo. O vinho vem de muito antes da linguagem escrita. É citado no primeiro escrito que se tem notícia, que conta a história do Rei Sumério Gilgamesh. Em 6000 a.c. os Egípcios e Fenícios já o cultivavam. São inúmeras as referências ao vinho gravadas nos muros dos palácios e tumbas egípcias. O Antigo Egito louvou o deus supremo Osíris, que também era o deus do vinho e da vida após a morte. Os egípcios davam tanto valor ao vinho que um grande número de jarros cheios de vinho foram colocado nas tumbas dos faraós, para acompanhá-los em suas viagens espirituais ao paraíso.

A diretoria do Circolo Trentino di Santa Olímpia, atendendo o Capitulo IV, artigo 9 do Estatuto, convoca todos os seus associados para participarem da Assembleia Geral ordinária, no dia 15/03/2014 (sábado), às 20h30, no salão de festas, onde será Escritos ancestrais da Índia, de cerca de 2000a.c. - 1000d.c., mencionam que o vinho deliberado os seguintes assuntos: era louvado tanto como deus como remédio. Na China antiga, escritos descobertos descrevem o vinho sendo usado como remédio, - Demonstrativo Financeiro e contábil - Atualização das parcerias e utilização do assim como em rituais de sacrifício durante as dinastias Chang e Chou, cerca de 1100-250a.c. cartão Os chineses conheceram o vinho antes do - Atividades que serão desenvolvidas saquê e no taoísmo o elixir da imortalidade levava entre outras coisas ouro e vinho. durante o ano de 2014 - Bolsas de Estudo em Trento (a explicação será dada pela Sra Antonella Giordani – serviço de imigrazione da Província) - Viagem a Trento 2015

Todo ser humano se comporta como uma Ilha… Autossuficientes, desconfiados, isolados em seu próprio mundo, como se apenas importasse o que acontece há alguns poucos metros de seu umbigo. Se todas as outras ilhas explodirem, que se dane! O problema dos outros não é seu problema, enquanto não o afetar… Tanta beleza a ser descoberta, explorada. Por que, então, esconder-se do mundo, isolar-se num cantinho vazio de oceano, criar barreiras para que nunca saibam de sua existência? Não se pode ser uma ilha, não num mundo onde há tanta desgraça, tanta injustiça… Será que o ser humano tornou-se tão frio, a ponto de ficar alheio ao sofrimento dos seus semelhantes? Qualquer coisa que afete nossos planos, torna-se notícia, e nos sentimos rejeitados quando não obtemos ajudas para nossos poucos problemas, enquanto há milhares de crianças morrendo de fome em diversos países, enquanto há milhões de mulheres sendo violentadas por homens sem alma, enquanto tantas novas doenças afetam a humanidade, enquanto há países em guerras sem objetivos, enquanto há tantos seres humanos vivendo como animais silvestres, sem chance de educação, sem qualquer perspectiva de futuro. E se as ilhas, finalmente, fossem descobertas? E se fosse tirado o melhor de cada uma delas para a formação de um novo continente? Não posso dizer que tudo seria perfeito, mas sei que as coisas poderiam melhorar bastante, pois os problemas seriam, enfim, compartilhados, todos se ajudariam mutuamente, e algumas desgraças teriam - quem sabe - uma solução? Acredito que está na hora de pegarmos nossa bagagem, sairmos de nosso mundinho isolado, e buscarmos por todos os mares… Está mais do que na hora de descobrirmos novas ilhas.

Tradição, Sabor e Cultura

com excelente estrutura. A cidade serve como ponto de partida para visitar o principal símbolo natural da região, o Glaciar Perito Moreno.

Contamos com a presença de todos. A diretoria

Parece longe chegar ao Fin del Mundo, mas não é, pois a paisagem é surpreendente,compensa – e muito!

Salientamos que na Assembleia poderão

País: Argentina

participar também aqueles que

Língua: espanhol

quiserem conhecer o trabalho e/ou fazer

Moeda: peso

a adesão ao Circolo. A presença de todos

Visto: não é necessário

muito nos honrará!

(19) 99185.8268 (19) 98191.9172

www.cafetirol.com.br


11

Trentino

Esporte

Carnaval 2014

Fotos: Rodrigo Passarin

O primeiro torneio de futebol realizado em 2014 pelo bairro “Copa da Amizade” teve um PoroAdriano Perina time tirolês campeão. Na final, Boca Junior venceu o Maceió por 3 a 1. Outro time tirolês ficou na terceira colocação. O Santa Olímpia bateu o Guerreiros do Monte (2 x 1). Parabéns ao Departamento de Esportes da Associação de Moradores do bairro, pela organização do evento. Poucas brigas e muito futebol, esse é o espírito. Vem ai a “II Copa da Amizade”. Aguardem!

Moda Masculina, Feminina & Infantil Brinquedos, Bijuterias & Papelaria

(19) 3435-9457 | 3435-9443 deffende@deffende.com.br

Rua Visconde do Rio Branco, 801 Bairro Alto - Piracicaba / SP

(19) 3425-0640 (19) 3425-0188

Confira nossas Promoções

Bele Modas Confecção

Malharia & Uniformes


12

Trentino

Cucagna 2014

Fotos: Rodrigo Passarin

Principe e Princesa da Cucagna 2014

Principe e Princesa da Cucagna dei Mateloti Rei e Rainha da Cucagna 2014

www.viacaostenico.com.br

Santa OlĂ­mpia - Piracicaba - SĂŁo Paulo

Edição de março 2014  

Jornal mensal da Colônia Tirolesa de Santa Olímpia, Piracicaba-SP

Advertisement