Page 1

Nยบ20 | setembro 2012


GESTÃO UM NOVO TEMPO Responsabilidade com Competência 2010/2014 Presidente Dr. Ricardo Lotif Araújo Crefito - 33481- F (CE) Vice Presidente Dra. Luzianne Feijó A. Paiva Crefito 6662-TO (CE) Diretora Secretária Dra. Ana Lívia Cartaxo B. M. Ribeiro Crefito 6930-TO (CE) Diretor Tesoureiro Dr. Flávio Feitosa Pessoa de Carvalho Crefito 3840-F (CE) Conselheiros Efetivos: Dra. Ana Cristhina de Oliveira Brasil Crefito 8839-F (CE) Dr. Paulo Henrique Palácio Duarte Fernandes Crefito 42997-F (CE) Dra. Mylza Carvalho Rosado de Oliveira Crefito 187-F (CE) Dr. Olavo Pereira Ximenes Júnior Crefito 10788-F (CE) Dra. Arismênia Maria Almeida Lima Crefito 7542-TO (CE) Conselheiros Suplentes; Dra. Maura Cristina Porto Feitosa Crefito 74608-F (PI) Dra. Maria Ester Ibiapina Mendes de Carvalho Crefito 1600-F (PI) Dra. Antoniana Teixeira de Siqueira Frota Crefito 5050-TO (PI) Dr. Igor Fernandes Maia Gomes do Nascimento Crefito 52337-F (CE) Dra. Ana Karine Castelo Branco de Paula Crefito 21629-F (CE) Dra. Tatiany Coutinho Cajazeiras Bezerra Crefito 10131-TO (CE) Dr. Alessandro Ádamo Gonçalves Oliveira Crefito 67208-F (CE) Dr. Marcelo Memória Lopes Crefito 8843-F (CE) Sede Fortaleza Av. Rogaciano Leite, 432 - Salinas - CEP: 60810-786 Fortaleza/CE - Tel: (85) 3241-1456 crefito6@crefito6.org.br Subsede Piauí Av. Jóquei Clube, Ed. Empresarial Euro Business, 299 Sala 609, Jóquei - CEP 64049-240 - Teresina, PI Tel (86) 3216.6030 subsedepi@crefito6.org.br Subsede Sobral Rua Eurípedes Ferreira Gomes, 556 - Bairro Pedrinhas CEP 62040-750 - Tel (88) 8811.0249 | (88) 9962.5833 subsedesobral@crefito6.org.br

85 3241.1456 86 3216.6030 Coordenação dos Editoriais VP Comunicação Jornalistas Responsáveis Flávio Assunção Filho (2123 JP-CE) e Viviane Prado (2106 JP-CE) | Coordenação de Arte Primeiro Plano | Diretor de Arte Fernando Sales Gerente Comercial Cristina Loiola | Consultoria de Negócios Marisa Alves | Projeto Gráfico Dhara Sena Diagramação Dhara Sena e Fernando Sales

Rua Barão de Aratanha, 1485 - Sala 6 José Bonifácio | CEP: 60050-071 Tel. 85 3046.2287 ou 8666.1544 aprimeiroplano@gmail.com Rua Luiz Torres, 451 Bairro: Maraponga Tel. 85 3495.6512 vpcomunicacao@hotmail.com www.vpcomunicacao.com.br A Revista Saúde em Movimento - Crefito-6 é uma publicação trimestral

palavra do presidente

Editorial

Caros co legas, A Re vista do Crefi to-6 c hega a sua 20ª edição e n ela focamos os p repara t ivos para nossa ca mpa nha d e 2012, q u e visa hom enagea r, e m ou t u bro, os fi s iot era p eutas e t era p eutas oc upacionais do Ceará e do Pia u í . Est e ano p reparamos d i v ersas novidades, como a v eic ulação d e VTs nos c i n emas das ca pitais e d e outdoors e m vá rias cidades, a lé m dos com erciais na TV Verdes Ma res, e m Fort a l eza, e TV Cl u b e, e m Te res ina; dos a n úncios nos Jo rnais Diá rio do Nordest e e O Dia; e i n ú m eras ações d e rua para d i vulgação das profi ssões . Destaq u e ta m bé m para a mat é ria so b re ma rke t ing profissiona l com a t era p euta oc upaciona l, Dra . Ju nia Jorge, q u e visa nortea r es tudantes e profissionais já a tuantes a a m p lia r s eus ho rizontes com o vasto ca mpo d e a tuação nas profi ssões d e t era pia oc upaciona l e fis iot era pia . Nesta mat é ria mos tra remos casos d e sucesso, profissionais q u e s e destacara m e m suas profi ssões e fora m a lé m do com u m, s eja na gestão p ú b lica, como e m p resá rios, na ge rência d e c l í nicas, na educação. Para a b ri r os casos d e sucesso, t emos uma en t re vista com o fi s iot era p euta, Dr. Fá bio Land i m, a tua l m ent e no Mi nist é rio da Saúd e, a lé m d e da r dicas d e como obt e r sucesso na vida profissiona l . Vamos fala r so b re o Ou t u bro Rosa, q u e visa consc i en t iza r as m ul h e res quanto à p re v enção do cânc e r d e mama . Aprov eitamos ta mbé m para fala r so b re a a tuação da fi s iot era pia e t era pia oc upaciona l na oncologia . Aborda remos so b re o Congresso Cea rens e d e Cardiologia, aond e acontec e u os Si mpósios d e Fis iot era pia e Tera pia Oc upoaciona l; traz emos a inda u m balanço da a tuação do Depart a m ento d e Fisca l ização ness e p ri m e iro s e mes t re; e m uito mais ... Es p ero q u e gost e m! Um fort e a braço e q u e Deus nos i l u m i n e s e m p re! Dr. Ricardo Lotif Ara újo Presid ent e do CREFITO-6 (Gestão 2010-2014 ) Fa l e d i reto com o p resid ent e (85) 9994-8289

Sumário 4 8 18 22

Crefito-6 no Congresso de Cardiologia Fisioterapia e Terapia Ocupacional na Luta Contra o Câncer Campanha do dia 13 de outubro Como Trilhar uma Carreira de Sucesso?


cardiologia

Congresso Cearense de Cardiologia recebe

Simpósios de Fisioterapia e de Terapia Ocupacional

Dr. Ricardo Lotif, presidente do CREFITO-6, participa da abertura oficial do Simpósio de Fisioterapia

As terapeutas ocupacionais: Dra. Mary Helena Vasconcelos, Dra. Tânia Lopes, Dra. Arismênia Lima e Dra. Junia Jorge

Aconteceu no período de 8 a 10 de agosto, em Fortaleza, o XVIII Congresso Cearense de Cardiologia, que reuniu aproximadamente 700 profissionais da área da saúde no Hotel Praia Centro e contou com convidados do Brasil e do exterior. Duas grandes novidades foram a realização do Simpósio de Fisioterapia, inserido dentro do evento a partir do convite feito pelo Dr. Eduardo Arrais, presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia, com a coordenação da Dra. Mylza Rosado e da Dra. Daniela Gardano; e do II Simpósio de Terapia Ocupacional, que contou com profissionais com vasta experiência na área.

presidente do Crefito-6, que falou sobre a importância da inserção da Fisioterapia e da Terapia Ocupacional no Congresso. A Dra. Ana Cristhina Brasil também esteve presente e ministrou palestra sobre a Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF) na Fisioterapia Cardiológica. O evento contou com a participação de um público seleto e grandes referências profissionais na área, como os palestrantes: Dr. George Jerre Vieira Sarmento(RJ), Dra. Daisy Satomi Ykedal (SP), Dra. Iracema Umeda (SP) e Dra. Maria do Socorro Quintino Farias (CE). A Fisioterapia nos pacientes com doença cardiovascular é indicada nos casos de portadores de doenças como insuficiência coronária, na insuficiência cardíaca, no pré e pós-operatório de cirurgias cardíacas (revascularização miocárdica, valvopatias, cardiopatias congênitas, pós-transplante cardíaco, entre outros) e nos fatores de risco de doenças cardiovasculares (hipertensão arterial, dislipidemia,

A Fisioterapia na Cardiologia Com extensa programação sobre Fisioterapia Cardiovascular, o Simpósio aconteceu com a exposição de painéis, debates e palestras. A abertura oficial do simpósio foi realizada pelo Dr. Ricardo Lotif, 4

Crefito-6 | Saúde em Movimento


diabetes, e tabagismo). A integração saudável entre os sistemas cardiovascular, respiratório e musculoesquelético é garantida pela assistência fisioterapêutica, alcançando ganhos maiores da capacidade aeróbica e maior tolerância ao esforço físico.

A Terapia Ocupacional na Cardiologia

Já o Simpósio de Terapia Ocupacional contou com a participação de diversos profissionais com vasta experiência clinica, cientifica e acadêmica na cardiologia, como a Dra. Junia Jorge Rjeille Cordeiro (SP); Dra. Mary Helena Vasconcelos (Unifor); Dra. Arismênia Lima Gois (Crefito-6) e Dra. Rita de Cássia, do Hospital de Messejana, considerado referência no tratamento de cardiologia no Ceará. No Simpósio, foram realizadas palestras, mesas redondas e apresentações de trabalhos científicos.

A Dra. Arismênia Lima conta que ao todo foram apresentados seis temas livres, divididos em oral e pôster. “Destaco ainda o Crefito-6, que teve participação efetiva no congresso, contribuindo para valorização das profissões e possibilitando aos profissionais e estudantes espaço de reflexão, discussão e troca de saberes na área da cardiologia”, afirma. A Terapia Ocupacional em cardiologia vem oferecendo importante contribuição na independência dos pacientes na execução de suas atividades da vida diária (alimentação, vestuário, higiene, locomoção) e instrumentais (brincar, lazer e trabalho). O objetivo é devolver o potencial de desempenho funcional do indivíduo, já que um problema cardíaco diminui bastante essa capacidade, bem como no período pós-operatório e de reabilitação. A atuação acontece tanto em pediatria como em adultos.


Sinfito-CE

Valorize-se

Exija sua carteira assinada Na tentativa de burlar a Lei, algumas empresas se usam da boa-fé dos profissionais para não assinar sua Carteira de Trabalho. Essas empresas tentam de todas as formas ludibriar os trabalhadores, firmando contratos de prestação de serviços, pagando um percentual por atendimento, impondo uma jornada de trabalho duas ou três vezes por semana e até mesmo criando empresas de fachada e se associando aos seus empregados para que ao sair da empresa o trabalhador não possa exigir seus direitos trabalhistas. No atual momento que vivemos, com o crescimento econômico do nosso país, o número de trabalhadores com carteira assinada vem alcançando números nunca antes atingidos, o governo brasileiro vem batalhando para que esse número continue aumentando, de forma a coibir o descumprimento da legislação trabalhista e a sonegação fiscal. O empregador que deixa de reconhecer o vínculo empregatício de seus empregados lucra com a sonegação fiscal e trabalhista, praticando uma concorrência desleal com outras empresas do ramo que cumprem, regularmente, com suas obriga6

Crefito-6 | Saúde em Movimento

ções e precisam repassar esses custos para seus clientes. O trabalhador sem carteira assinada deixa de gozar de vários direitos trabalhistas como férias remuneradas, 13º salário, depósitos de FGTS, Direitos previdenciários (auxílios acidentário, maternidade, paternidade e pensões, entre outros), garantia de emprego em caso de acidente ou doença, aposentadoria, seguro desemprego, aviso prévio, gratificações pactuadas em Convenção Coletiva, dentre outros. Dessa forma, o Fisioterapeuta ou Terapeuta Ocupacional, somente poderá trabalhar em uma das modalidades que veremos a seguir: EMPREGADO Empregado é todo trabalhador que prestar serviços de natureza não eventual a empregador, sob a dependência deste e mediante, conforme o art. 3º da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Portanto, EMPREGADO é toda pessoa física que prestar serviços de natureza não eventual a empregador, de forma pessoal, sob a dependência deste e mediante salário. TRABALHADOR COOPERADO Será considerado cooperado aquele trabalhador associado à cooperativa, que adere aos propósitos sociais e preenche as condições estabelecidas em estatuto de cooperativa. Assim, o trabalhador de cooperativa não será considerado empregado, conforme a CLT em seu

artigo 442: “Qualquer que seja o ramo de atividade da sociedade cooperativa, não existe vínculo empregatício entre ela e seus associados, nem entre estes e os tomadores de serviços daquelas.” TRABALHADOR AUTÔNOMO E o trabalhador autônomo é todo aquele que exerce sua atividade profissional por conta própria e com assunção de seus próprios riscos. Se prestar serviços a outrem deve ser de forma eventual e não habitual.

Assim, todo Fisioterapeuta ou Terapeuta Ocupacional que prestar serviços de natureza não eventual a empregador, de forma pessoal (não pode mandar um colega em seu lugar), cumprindo horário determinado por este, podendo até mesmo ser uma vez por semana, contanto que não seja esporadicamente, sob a dependência e subordinação do empregador é considerado empregado. Se você conhece casos de contratações fraudulentas na categoria, ou vive essa situação, deve denunciar. Não é necessário se identificar. O Sindicato manterá o anonimato do denunciante. Envie uma mensagem pelo endereço sinfito.ce@gmail.com Eugênio Pacelli D. Simões Filho Presidente do Sinfito-Ce


prevenção

Outubro Rosa

e a atuação da Fisioterapia e da Terapia Ocupacional em pacientes com câncer

um fisioterapeuta desempenhando suas funções específicas, colabora de forma benéfica na recuperação funcional do paciente com câncer 8

Crefito-6 | Saúde em Movimento

Comemorado em todo o mundo com a finalidade de chamar a atenção para a realidade atual do câncer de mama e a importância do diagnóstico precoce, o movimento Outubro Rosa chega a sua terceira edição em 2012. Juntos na luta por esse ideal, o Crefito-6 apoia o evento e fala sobre a atuação das profissões de Fisioterapia e Terapia Ocupacional na oncologia.

A atuação da Fisioterapia na oncologia Por muito tempo, a preocupação médica em relação ao câncer era essencialmente voltada à sobrevivência dos pacientes. Mas, atualmente, a questão mudou em decorrência dos avanços da medicina

no diagnóstico e tratamento, com a utilização de novas drogas quimioterápicas, dos avanços na biologia molecular, da eficácia das novas técnicas cirúrgicas, e com o advento do linfonodo sentinela (o exame é capaz de informar com alto grau de certeza o estado dos outros linfonodos da região linfática estudada), tem aumentado substancialmente os índices de sobrevivência dos pacientes. Quem fala sobre isso é a Dra. Jaqueline Braga, Graduada em Fisioterapia (Unifor), Especialista em Fisioterapia em Cancerologia pela Sociedade Brasileira de Fisioterapia em Cancerologia (SBFC), Especialista em Fisioterapia Cardiorrespiratória (Unifor) e Mestre em Saúde da Criança e do Adolescente (UECE), que ressalta que a partir disso o


tratamento tem sido direcionado à prevenção das limitações físicofuncionais tanto no pré como no pós-cirúrgico, assim como na radioterapia e da quimioterapia. Ou seja, durante toda a trajetória do tratamento, proporcionando, consequentemente, melhor qualidade de vida ao paciente.

“Esta evolução histórica no tratamento do câncer ampliou fronteiras e despertou a necessidade do envolvimento ativo de uma equipe multidisciplinar em cancerologia, o que aumentou a importância e a responsabilidade da atuação do profissional fisioterapeuta no atendimento aos pacientes oncológicos, que está presente em todas as etapas do tratamento e atuando em todos os níveis de atenção à saúde”, explica. Segundo a Dra. Jaqueline, a familiaridade da equipe de saúde para com o potencial das atividades desenvolvidas pelo profissional fisioterapeuta-oncológico na área de prevenção, promoção, tratamento e recuperação funcional do paciente com câncer ainda está no início. “As instituições hospitalares e/ou serviços especializados em oncologia apresentam um diferencial, quando em sua equipe médica integra um fisioterapeuta desempenhando suas funções específicas, colaborando de forma benéfica na recuperação funcional do paciente com câncer”, avalia.

Tratamentos

O fisioterapeuta deve conhecer as principais alterações de cada etapa do tratamento, a exemplo das limitações físico-funcionais ocasionadas pelo processo cirúrgico, atuando na prevenção das complicações pulmonares, ortopédicas, circulatórias e linfáticas. Os efeitos decorrentes da radio-

terapia, por exemplo, tais como diminuição da vascularização tecidual local, perda da elasticidade, contratilidade tecidual, encurtamentos severos e fibroses, dentre outras alterações, resultam na incapacidade funcional no membro irradiado. “Durante a radioterapia, a fisioterapia contribui efetivamente na prevenção e/ou minimização das complicações, através de protocolo específico”, explica a Dra. Jaqueline. Já a quimioterapia pode causar neuropatias periféricas, levando o paciente a apresentar uma incapacidade funcional motora de forma global, como perda de força muscular, atrofias, fadiga muscular generalizada e alterações de coordenação. “Nesses casos, a assistência fisioterapêutica direciona-se às disfunções específicas visando devolver sua funcionalidade”, explica. A fisioterapeuta lembra que o tratamento oncológico modifica a imunidade do paciente. Desta forma, terapias que envolvem cirurgia, radioterapia e quimioterapia aumentam o risco de infecções pulmonares, principalmente em pacientes imunocomprometidos, evoluindo para insuficiência respiratória. Nestes casos, o profissional atua com recursos e técnicas pneumo-funcionais, prevenindo e tratando as complicações pulmonares. “A condução do paciente ao tratamento fisioterapêutico é determinada pelas disfunções oncológicas advindas do tratamento, seja ele cirúrgico, quimioterápico e/ou radioterápico. Portanto, é fundamental a realização de um diagnóstico cinesiológicofuncional (baseado em evidências) específico, contribuindo na aplicabilidade e efetividade dos

recursos e técnicas adequadas, possibilitando a prevenção de complicações e/ou sequelas e melhoria da funcionalidade do paciente com câncer”, conta a Dra. Jaqueline Braga “Em síntese, a intervenção fisioterapêutica em cancerologia não é dimensionada pelos índices de sobrevivência ou pela ausência de sintomatologia, mas sim pela efetividade do tratamento quanto ao grau de funcionalidade alcançada durante e pós-tratamento do câncer. Para tanto, deve-se observar as necessidades dos pacientes, conduzindo-os para sua máxima funcionalidade tanto no campo profissional como no doméstico”, alerta. A atuação da Terapia Ocupacional na oncologia O câncer traz mudanças significativas na vida da pessoa que adoece e também na de seus familiares. Por isso, o tratamento passa a ocupar posição central no cotidiano, quando a rotina se transforma e alguns projetos precisam ser adiados. O diagnóstico gera uma condição de instabilidade, fragilidade e desorganização da vida cotidiana laboral e familiar. Nesse contexto é necessária a intervenção de uma equipe multiprofissional que possa cuidar do paciente e da família, de maneira integral, para promover o alívio do sofrimento e atender às diversas necessidades individuais. É o que explica a Dra. Daniele Castelo Branco, Terapeuta Ocupacional do Centro Regional Integrado de Oncologia (CRIO), Vice-Presidente da Associação dos Amigos do CRIO (ASSOCRIO), Especialista em Gerontologia pela UNIFOR e Especialista em Oncologia pela FIC. “O papel do terapeuta ocupacional enfoca o uso de atividades baseadas no fazer humano, intervindo em prevenção e promoção da saúde, recuperação, Saúde em Movimento | Crefito-6

9


entrevista

reabilitação, cuidados paliativos e humanização”, explica a Dra. Daniele. A fim de criar possibilidades para que o paciente tenha condições físicas e emocionais na manutenção e execução de atividades da vida diária, essa ação proporciona a descoberta de novos projetos de vida frente às dificuldades. “Por meio de atendimentos individuais ou em grupo, o terapeuta ocupacional atuará para que o paciente possa manterse ativo, ajudando-o na adaptação às mudanças trazidas pela doença,

no controle de sintomas desagradáveis e também na manutenção de suas capacidades e potencialidades. É importante lembrar que a atuação pode englobar diversos aspectos, ora relacionados com o a reabilitação física, ora mais envolvidos com a saúde mental do paciente, ou com o impacto da hospitalização, que atinge o paciente e sua família”, diz. Segundo a Dra. Daniele, na oncologia o terapeuta ocupacional tem um vasto campo de atuação, e pode estar em diversos contextos da

prática: unidades básicas de saúde, hospitais, ambulatórios, serviços de radioterapia e quimioterapia, brinquedotecas , casas de apoio, domicílio, entre outros. Englobando desde a população pediátrica até o idoso. As atribuições do terapeuta ocupacional, os objetivos a serem alcançados e os recursos utilizados irão variar de acordo com o campo de atuação, o referencial teórico e a população atendida, porém o objetivo maior sempre será a melhoria da qualidade de vida do paciente com câncer.

Entrevista Dra. Mônica Cavalcante

A fisioterapeuta fala do tratamento de pacientes com câncer no pós-cirúrgico e acompanhamento. Como a Fisioterapia atua no tratamento de pacientes com Câncer? Trabalho com pacientes em póscirúrgico e acompanhamento de câncer há 19 anos. Nesses casos, a Fisioterapia atua na recuperação funcional, prevenção e tratamento de linfedema. E, como tratamento de reeducação complementar, associo ao atendimento o RPG.

10

Crefito-6 | Saúde em Movimento

Quando a Fisioterapia é indicada? Há alguma restrição?

Como a fisioterapia ajuda na qualidade de vida do paciente?

É indicado em pacientes submetidos à quadrantectomia (cirurgia com retirada de um quadrante da mama), mastectomia (cirurgia com retirada total da mama), com ou sem esvaziamento axilar (linfonodectomia). Há restrições, quando há a necessidade de a cirurgia evoluir para o esvaziamento axilar onde os comprometimentos são maiores.

Posso afirmar com toda certeza que a Fisioterapia é um instrumento de fundamental importância na qualidade de vida dessas pacientes, uma vez que após a cirurgia, dado não só pela limitação de amplitude articular, como pelo bloqueio antálgico, a paciente se sente insegura não só para realização dos movimentos, bem como para as AVDs, e a Fisio-


terapia promovendo a recuperação dessa paciente devolve a ela a segurança necessária para o retorno à normalidade da sua vida.

Quais são as expectativas do paciente? Geralmente, ao chegar ao consultório essa paciente chega com o nível de expectativas pouco otimistas, mas logo que inicia o tratamento fisioterapêutico e percebe sua eficácia, resgata a autoconfiança e a resposta é sempre muito positiva, e acima de tudo muito gratificante principalmente para nós, profissionais de Fisioterapia.

Considerações sobre a Fisioterapia na Oncologia. O que tenho a dizer sobre minha experiência no atendimento fisioterapêutico às pacientes mastectomizadas é da grande satisfação não só profissional como também pessoal, que esssa prática me presenteia diaa-dia durante tantos anos, enriquecendo-me com a bravura dessas mulheres, a dedicação dos médicos mastologistas e cirurgiões plásticos e o apoio dos familiares, proporcionando-me a oportunidade de poder participar dessa luta. Sinceramente só tenho a agradecer.


entrevista

Entrevista Dra. Patrícia Citó

A terapeuta ocupacional, especialista em Oncologia fala sobre a atuação da Terapia Ocupacional nos pacientes com câncer.

Como a Terapia Ocupacional atua no tratamento de pacientes com câncer? A Terapia Ocupacional tem a prática voltada para o resgate da autonomia e da independência do paciente em todas as atividades do cotidiano, proporcionando uma melhor condição para recuperar-se ou para enfrentar situações cirúrgicas, sessões de radioterapia/quimioterapia, e o tempo de convalescença; bem como no processo de reabilitação em sequelas motora, psíquica e/ou social.

Quais as técnicas utilizadas? O método de intervenção se dá através da atividade. Esta pode ser terapêutica, laborativa, lúdica, condicionamento funcional, socializantes, tais como: oficinas produtivas, passeios, contoterapia, atividades de vida diária, dentre outras.

Como a Terapia Ocupacional ajuda na qualidade de vida do paciente? A Terapia Ocupacional proporciona um equilíbrio entre os aspectos biopsicossociais e o processo de en-

12

Crefito-6 | Saúde em Movimento

fermidade nos portadores de câncer. Através da atividade visamos fundamentalmente elevar a autoestima e a autoconfiança, promover reinserção social, minimizar pensamentos mórbidos do enfermo, favorecer exploração, conhecimento, domínio e compreensão do paciente acerca da patologia; restaurar, manter ou evitar perdas motoras, sensoriais e/ou cognitivas que possam resultar da doença ou de tratamentos necessários; promover independência nas AVD’s, estimular, desenvolver e/ou reforçar amplitude articular e força muscular; além da orientação familiar.

Você poderia dar um exemplo de algum paciente e como foi este processo? O projeto Criança Bem Vinda, que tem o objetivo de amenizar, de forma significativa, o sofrimento das crianças atendidas, tanto pelo seu bem estar, como pelo êxito no tratamento. Elas se mostravam apreensivas, ansiosas, apáticas e, muitas vezes, apresentavam crises de choro. Mantinham resistência em realizar os procedimentos necessários ao

tratamento. O projeto desenvolve ações, tais como: a troca do tradicional jaleco branco por um avental colorido e decorado com personagens infantis; criação de uma miniatura do equipamento de radioterapia; centro de tratamento de brinquedo, dentre outros. Somando estes recursos ao universo mágico do brincar, conseguimos mostrar à criança, antes de iniciar o tratamento, todas as fases que ela irá vivenciar até sua primeira sessão de radioterapia. Os resultados têm sido extremamente gratificantes.

Considerações sobre a atuação da Terapia Ocupacional na Oncologia. A implantação do serviço de Terapia Ocupacional no CRIO permitiu a visibilidade da ação profissional na área da oncologia e o reconhecimento do serviço pela equipe. O uso de atividades humanas sejam elas as artes, o trabalho, o lazer, o autocuidado e a participação social são os eixos norteadores da intervenção, com vista a contribuir para a melhoria da qualidade de vida.


planejamento

ABRATO-PI

Traça planos para sua gestão

Reunião Semanal de Planejamento da Abrato-Pi

Com a finalidade de divulgar a Terapia Ocupacional e conquistar espaços políticos e inserções de profissionais nas áreas da saúde, educação e assistência social, a Associação Brasileira dos Terapeutas Ocupacioanais do Estado do Piauí (ABRATO-PI) vem desde sua fundação, em 26 de maio de 2012, desenvolvendo semanalmente uma série de reuniões para traçar planos de ações para sua gestão. A presidente da ABRATO – PI, Dra. Nívea Rocha explica que a Terapia Ocupacional no estado do Piauí tem como marco atual sua presença nos Centros de Saúde e Educação, e vêm buscando inserção na assistência social. Além disso, o órgão tem sido representado em diversos eventos importantes da área. Dentre eles, o Congresso Norte Nordeste de Terapia Ocupacional (CONNTO/2012), através do Grupo Nacional de Terapia Ocupacional em Saúde Mental (GNTOSM) que terá um espaço de encontro no evento, na pessoa da própria Dra. Nivea, para contextualizar a atuação da Terapia Ocupacional e traçar novas metas para a prática clínica; e no Fórum Estadual dos Trabalhadores (as) do Sistema Único da Assistência Social (FETSUAS), 14

Crefito-6 | Saúde em Movimento

Participação da Abrato-Pi no Fetsuas

tendo como representante a Drª Leila Mendes e a Drª Kátia Savioli. “O Fórum é um grande passo para ressaltar a importância da Terapia Ocupacional nas instâncias do SUAS e poder construir junto com os demais profissionais os princípios e regimentos do SUAS no Piauí”, explica Dra. Nívea. FUNDAÇÃO DA ABRATO-PI A primeira diretoria da Associação Brasileira dos Terapeutas Ocupacionais/Regional Piauí (Abrato-PI) tomou posse, em maio, durante o I Encontro Interdisciplinar, com o tema “Discutindo o processo de humanização da saúde”, realizado no auditório do Hotel Água Limpa, com a presença do Dr. Ricardo Lotif e da Dra. Luzianne Feijó, presidente e vicepresidente do Crefito-6, respectivamente. Segundo a presidente da ABRATO-PI, o número de profissionais terapeutas ocupacionais no estado do Piauí é considerado insuficiente para atender à demanda crescente da sociedade. A profissão é considerada nova, existindo 43 terapeutas ocupacionais no Estado do Piauí . “Já estamos fomentando a abertura de um curso de graduação em terapia ocupacional”, informa Dra.Nívea.


simpósio

Pesquisa científica impulsiona a

Terapia Ocupacional Trabalhos científicos:

Dra Luzianne Feijó, vice-presidente do Crefito-6, Dra. Noomi Katz - palestrante internacional - Israel; Dra. Luziana Maranhão - vice presidente do COFFITO

O 2º Simpósio Internacional de Terapia Ocupacional ocorreu dias 10 e 11 de agosto com diversos trabalhos científicos na programação, provindos de dissertações de mestrado e teses de doutorado de terapeutas ocupacionais de todo Brasil. Para fazer jus ao título de Simpósio, a comissão organizadora sempre nos premia com a vinda de terapeutas ocupacionais renomadas mundialmente. A convidada do evento foi a Dra. Noomi Katz, terapeuta ocupacional, PHD, diretora, Reasearch Institute for Health and Medical Professions, Ono Academic College, Israel. Autora da bateria neuropsicológica para terapeutas ocupacionais LOTCA e DLOTCA, entre outros protocolos de avaliação e atendimento.

O Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da sexta Região – Ceará e Piauí -(Crefito-6) esteve representado pela vice-presidente, Dra. Luzianne Feijó - “Este evento caracteriza um marco histórico para a Terapia ocupacional do Brasil devido a sua magnitude, excelência e seriedade na escolha dos temas e dos profissionais a serem apresentados, proporcionando a nós terapeutas ocupacionais um momento de engrandecimento pessoal e profissional, um despertar para o mundo da pesquisa e consequentemente o fortalecimento e avanço da Terapia Ocupacional. Parabenizo a iniciativa da equipe de Terapia ocupacional do IPQ do Hospital das Clínicas pela brilhante ideia”.

Noomi Katz, PHD, OTR (Research Institute for Health and Medical Professions (RIHMP), Ono Academic College, Israel) - “Reabilitação Cognitiva, funções-executivas e participação” / “Projeto de reabilitação profissional na comunidade para pessoas com transtornos mentais” / “Método OGI: Occupational Goal Intervention (OGI)” / “Terapia Ocupacional e fatores que contribuem para a participação e retorno ao trabalho de adultos após Acidente Vascular Cerebral leve” / “Avaliação Cognitivo Funcional (CFE): avaliação processual para indivíduos com déficits cognitivos”. “Terapia Ocupacional e o uso de recursos tecnológicos em crianças com deficiência física”. - Renata Cristina Bertolozzi Varela. “O brincar como método de intervenção de Terapia Ocupacional: enfoque nas crianças com lesões neurológicas” - Dra. Marisa Takatori. “Estudo randomizado e controlado da eficácia da Terapia Ocupacional na reabilitação de funções executivas em pacientes portadores de esquizofrenia refratária” - Adriana Dias Barbosa Vizzotto. “A investigação do raciocínio clínico e sua relevância para a clínica e para a formação de terapeutas ocupacionais” – Drª. Taís Quevedo Marcolino. “Utilização do CICAc : classificação de idosos quanto à capacidade para o autocuidado pelo terapeuta ocupacional, na área de gerontologia” - Profª Drª Maria Helena Morgani de Almeida. Saúde em Movimento | Crefito-6

15


13 de outubro

Homenagem ao

Dia do Fisioterapeuta e do Terapeuta Ocupacional O Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da Sexta Região (CREFITO-6) se prepara para mais uma grande campanha em homenagem ao dia do Fisioterapeuta e do Terapeuta Ocupacional, que acontece no dia 13 de outubro. Durante todo o mês de comemoração, serão realizadas diversas ações por todo o estado do Ceará e do Piauí.

Mobilização

A organização da campanha teve início no último dia 25 de agosto, quando os conselheiros dos estados do Ceará e do Piauí, bem como os delegados das cidades de Sobral, Juazeiro, Iguatu e Parnaíba, se reuniram na sede do Crefito-6, em Fortaleza, estabelecendo metas e planejando como cada responsável realizará as ações em sua cidade. A partir disso, receberam o material de divulgação para desenvolvimento do projeto em suas localidades. Foram distribuídos folders, panfletos, adesivos e camisas, além de cartilhas, pastas, cartazes, banners e faixas. 18

Crefito-6 | Saúde em Movimento

“Esperamos fazer mais uma grande homenagem aos profissionais de Fisioterapia e Terapia Ocupacional, bem como divulgar as duas profissões, seja através de ações de rua, solenidades e cobertura da mídia”, conta o Dr. Ricardo Lotif, presidente do Crefito-6. “Claro que tudo isso só pode ser realizado a partir do apoio forte de nossos profissionais, acadêmicos, delegados e conselheiros”, ressalta.

Ações

As diversas ações planejadas terão início no dia 8 de outubro, em Fortaleza, na Praça do Ferreira, quando o Crefito-6 promoverá uma grande ação com estandes de atendimento ao público, das 6h às 10h, com vários serviços, como: avaliação postural, orientação para combate ao fumo, verificação de pressão arterial, orientação sobre câncer de mama e avaliação de disfunções têmporo-mandibulares, na área de Fisioterapia; Já no âmbito da Terapia Ocupacional terão: aplicação de testes de estresse

e de memória, atividades para trabalhar a memória, exposição e explicações sobre adaptações e tecnologia assistiva para as atividades de vida diária. Também será ofertado um nutritivo café da manhã, além da distribuição de materiais educativos sobre onde e quando se deve procurar um fisioterapeuta ou um terapeuta ocupacional. No dia 14 de outubro, uma blitz será montada junto à rádio Mix, a partir das 8h, na Av. Dioguinho, na Praia do Futuro. Na ocasião, serão distribuídos materiais informativos sobre as profissões, adesivos, além de entrega de camisas aos primeiros profissionais e acadêmicos com identificação. No dia 18 de outubro, em Teresina, a ação será realizada no Teresina Shopping, onde acontecerá uma ação de promoção e divulgação das profissões. O mesmo acontece em Parnaíba, onde uma ação será realizada na Praça da Graça, um dos locais mais movimentos da cidade.


Em Sobral, Juazeiro, Iguatu e Parnaíba também serão realizadas diversas ações a partir de programação desenvolvida pelos conselheiros e delegados dessas localidades. Dentre o que foi planejado, estão ações de rua, jantares em comemoração ao Dia do Fisioterapeuta e Terapeuta Ocupacional e muito mais.

a solenidade será realizada em data ainda não definida. (acompanhar data pelo site do Crefito-6 – www.crefito6.org.br). No Piauí as solenidades ocorrerão no dia 16 de outubro, às 10h, na Assembleia Legislativa do Estado do Piauí, e no dia 17 de outubro, às 9h, na Câmara Municipal de Teresina.

Homenagens

Mídia

Nas Assembleias e Câmaras do Ceará e do Piauí, serão prestadas homenagens aos profissionais. Na Assembleia Legislativa do Estado do Ceará, a solenidade acontecerá no dia 11 de outubro, às 15h, por iniciativa da deputada estadual Bethrose. Por iniciativa do vereador Machadinho, na Câmara Municipal de Fortaleza,

O Crefito-6 também investiu bastante em mídia para homenagear as duas profissões. Na televisão, por exemplo, um vídeo de um minuto (30 segundos para cada profissão) será veiculado na TV Verdes Mares, afiliada à Rede Globo, no dia 13 de outubro, no intervalo do CETV 1ª Edição,

Jornal Hoje, CETV 2ª Edição e Caldeirão do Huck. Os vídeos também serão rodados nos cinemas do Via Sul Shopping, North Shopping e Shopping Teresina. Nos principais jornais do Ceará (Diário do Nordeste) e do Piauí (O Dia) serão publicados anúncios parabenizando o dia do Fisioterapeuta e do Terapeuta Ocupacional, além de lançarem a programação oficial das ações do mês de outubro. Para este ano o Conselho terá uma novidade: aproximadamente 20 outdoors estarão espalhados por várias cidades do Ceará e do Piauí, dentre elas: Cariri, Sobral, Teresina, Parnaíba, Iguatu, Crato, Barbalha, Aracati, Floriano, Juazeiro.

PROGRAMAÇÃO DATA

HORÁRIO

01 a 13/10

manhã e tarde

05 a 13/10 05 a 13/10 08/10

LOCAL

AÇÃO

Rádio Mix (95,5)

Anúncio de Divulgação da Fisioterapia e Terapia Ocupacional

-

Cariri, Sobral, Teresina, Parnaíba, Iguatu, Crato, Barbalha, Aracati, Floriano, Juazeiro.

Outdoor com homenagem aos fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais

A cada sessão (em uma sala)

Via Sul Shopping e North Shopping (CE) Shopping Teresina (PI)

Vídeo em Homenagem aos Profissionais

06:00 às 10:00 Praça do Ferreira

11/10

15:00

13/10

12:00, 16:00 e 19:00

13/10

-

14/10

10:00 às 12:00

16/10

Atendimento a População

Assembleia Legislativa do Ceará

Solenidade em Homenagem ao Fisioterapeuta e Terapeuta Ocupacional

TV Verdes Mares (CE) / TV Clube (PI)

Vídeo de Divulgação da Fisioterapia e Terapia Ocupacional

Jornal Diário do Nordeste (CE) e Jornal Anúncios em Homenagem aos Fisioterapeutas e O Dia (PI) Terapeutas Ocupacionais Av. Dioguinho

Blitz da Saúde: Homenagem aos Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais

10:00

Assembleia Legislativa do Piauí

Solenidade em Homenagem ao Fisioterapeuta e Terapeuta Ocupacional

17/10

9:00

Câmara Municipal de Teresina

Solenidade em Homenagem ao Fisioterapeuta e Terapeuta Ocupacional

18/10

10:00

Shopping Teresina

Atendimento à População

a definir

a definir

Câmara Municipal de Fortaleza

Solenidade em Homenagem ao Fisioterapeuta e Terapeuta Ocupacional

20/10

a definir

Câmara Municipal de Aracati

Solenidade em Homenagem ao Fisioterapeuta e Terapeuta Ocupacional Saúde em Movimento | Crefito-6

19


ACTO

Conheça a

ACTO

Por Vanina Tereza Barbosa Lopes da Silva

Participantes do curso de Marketing em Terapia Ocupacional, ocorrido na sede do Crefito-6

A Associação Cearense de Terapia Ocupacional (ACTO) é uma entidade representativa de classe que tem como objetivo o progresso cientifico da Terapia Ocupacional, por meio de aprimoramento e atualização de seus associados e não associados. Propõe tornar a Terapia Ocupacional sempre valorizada e reconhecida em seus diversos campos de atuação profissional. Diante de seu objetivo maior, que é a educação continuada dos terapeutas ocupacionais, a Diretoria do Biênio 20

Crefito-6 | Saúde em Movimento

2012/2013 vem mostrar os resultados deste primeiro semestre: Curso de Método Mitchel de Relaxamento Fisiológico, realizado em 10 de Agosto, na sede do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (CREFITO-6), ministrado pela Dra. Junia Jorge Rjeille Cordeiro. Em parceria com o CREFITO-6 foi organizado o II Simpósio de Terapia Ocupacional em Cardiologia, evento inserido no XVIII Congresso Cearense de Cardiologia, realizado dia 10 de agosto, na

Fábrica de Eventos do Hotel Praia Centro. Participação das Dras. Junia Jorge Rjeille Cordeiro (São Paulo); Dra. Mary Helena Vasconcelos (Unifor); Dra. Arismênia Lima Goes (Crefito-6) e Dra. Rita de Cássia Bezerra (Hospital de Messejana) e com apresentação de temas livres na categoria pôster e comunicação oral (Fortaleza, Alagoas, Paraíba e Rio de Janeiro), demonstrando que o evento ultrapassou as fronteiras do Ceará. - Evento com troca de conhecimentos e experiências na cardio-


logia e com demonstração de importância da Terapia Ocupacional na área de Cardiologia. O curso de Marketing em Terapia Ocupacional aconteceu no dia 11 de Agosto de 2012 na sede do Crefito-6. Ministrado pela Dra. Junia Jorge Rjeille Cordeiro, abordou como o terapeuta ocupacional se posiciona no mercado de trabalho.

Eventos que vem por aí...

- Curso de Aprimoramento em Terapia Ocupacional com ênfase na assistência social. - Neuroreabilitação Cognitiva Dia 22/09 - Combinando abordagens em reabilitação neuropediátrica Dia 24/10

Associe-se à ACTO

Contribua com o fortalecimento e valorização profissional e política da Terapia Ocupacional.

Além desta contribuição como associado você tem as seguintes vantagens: Sorteios de participação gratuita para eventos realizados pela ACTO ou vinculados à mesma;   Descontos em cursos, palestras, seminários e congressos realizados pela ACTO ou vinculados à mesma e à ABRATO;  Recebimento de informações sobre concursos, cursos, palestras, seminários e congressos, através de mailing;    Possibilidade de ministrar cursos, palestras e seminários realizados ou apoiados pela ACTO;   Possibilidade de ser indicado pela ACTO a palestrar em congressos e seminários ou a ministrar cursos;    Possibilidade de indicação a estágios e empregos, quando assim for solicitado à ACTO.

Para se associar é fácil:

Envie os seguintes dados para o email: acto@gmail.com Nome Completo / Cópia da Carteira de Identidade Profissional (CREFITO) ou do Comprovante de Matrícula (se estudante de graduação em TO) / Endereço Completo / E-mails e Redes Sociais (Facebook, Orkut, Linkedin) / Telefones / Local de Trabalho / Áreas de Atuação e Interesse / Titulações Acadêmicas / Cópia do Comprovante de Depósito na Conta da ACTO*: Observações: Para mais informações, entre em contato com a ACTO. Banco: Caixa Econômica Federal Agência: 1956 Conta Corrente: 2219 – 0 Operação: 003 CNPJ: 05.222.286/0001-73 Valores: R$ 100,00 (profissional) e R$ 50,00 (estudante de graduação)


carreira

Como trilhar uma carreira de sucesso?

Muitos estudantes quando ainda estão na faculdade não sabem ao certo que caminhos trilhar. Na área da saúde, existe um vasto mundo a ser percorrido nos campos da gestão, educação, pesquisa, empreendedorismo. São tantas as opções que o profissional pode sentir-se perdido. Mas então o que fazer? Por onde seguir? A terapeuta ocupacional, Mestre em Ciências pela Universidade Federal e São Paulo e MBA em Gestão de Saúde (Insper), Dra. Junia Jorge Rjeille Cordeiro, em entrevista à Revista Saúde em Movimento dá algumas dicas sobre como investir no marketing pessoal e o que é preciso para se ter sucesso.

Dra. Junia Jorge Rjeille Cordeiro Terapeuta Ocupacional

Fale-nos sobre o marketing profissional. Como ele é aplicado na vida do profissional de saúde? Marketing se refere ao planejamento, à implementação do serviço. Que chegue na hora certa no lugar certo, estando o cliente bem informado. O Marketing se baseia em 4 P’s (Produto, Praça, Preço e Promoção). Já o Marketing de serviços se baseia em 7 P’s, além dos 4 anteriores estão: Pessoas, Processo, Physical.

22

Crefito-6 | Saúde em Movimento

Produto – o serviço tem que estar baseado em algo científico bem formatado para atender às necessidades do cliente. Praça – distribuição (aonde vão levar esse serviço), – hospitais, domicílios, centros públicos, política, etc. Preço – cobrar preço adequado – seguir a tabela e depois fazer um preço adequado ao contexto (clínica, gestão de custos); Promoção – é a propaganda em si (desde o currículo, folder de apresentação, site, divulgação, do serviço que a pessoa presta; comunicação com a equipe multiprofissional, com os leigos, outros profissionais de saúde; como contribuir em jornais, publicações, matérias com temas que domine. Mas esse marketing deve estar embasado nos princípios do Coffito (código de ética). Pessoas – saber qual o perfil do profissional que vai contratar, treinar, comportamento, o próprio desenvolvimento pessoal e da sua equipe.

Processo - Como o serviço funciona; definição do fluxo das rotinas, procedimentos; organização do seu serviço; padronização da equipe e processo de qualidade. Physical (ambiente físico) – considerar a experiência da pessoa no ambiente terapêutico, segurança, sentirse num lugar acolhedor; segurança patrimonial e física; acessibilidade do local (escada, banheiro, elevador, cheiro, limpeza – cuidado com o local em si).

O que um profissional da área de saúde precisa ter ou fazer para trilhar uma carreira de sucesso? Precisa ter brilho no olho pela carreira e pela área. Acreditar muito no que faz. Saber que ele faz diferença na vida do outro. Ter resiliência (capacidade de se manter de pé mesmo diante das dificuldades que vão surgir). Atualização constante; estar conectado com o mercado, com o colega, ter uma abertura de mente, ser criativo, reiventar a profissão.


O que diria aos novos profissionais que estão querendo entrar no mercado de trabalho? Que estejam bem abertos às oportunidades para aproveitá-las da melhor forma possível de uma maneira criativa, usando todos os recursos que eles aprenderam na faculdade.. Às vezes quando entram no mercado eles tendem a achar que não estão prontos. Então é hora de respirar fundo, ter calma, ver o que aprenderam e usar isso nessas primeiras oportunidades. Isso lhes dará experiência para galgar outras maiores.

Existem outros nichos de atuação além dos tradicionais. Mas o que é necessário para se ingressar nestas áreas? Precisa de um pouco de conhecimento de negócios e administração, consultoria técnica, consultoria para produtos, empreendedorismo, formatar a oferta de serviço; consultoria

de negócios, vendas. MBA’s ajudam bastante na gestão de saúde, gestão pública, de políticos.

Como trilhar uma carreira de sucesso?

Nesta entrevista exclusiva, ele nos conta como foi esse caminho e dá dicas de como se diferenciar no mercado de trabalho e na vida.

Eu diria como Charles Chaplin: “Lute com determinação, abrace a vida com paixão, perca com classe e vença com ousadia, porque o mundo pertence a quem se atreve e a vida é muito para ser insignificante.” Sejam pessoas que tenham profundidade e consistência em tudo que fazem, vivendo intensamente a busca pela competência profissional e as relações com pacientes ou outro tipo de clientela, e equipe multiprofissional.

O fisioterapeuta Dr. Fábio Landim Campos, atualmente na Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde em Brasília, também foi além dos campos de atuação tradicionais da profissão e foi ao encontro da gestão pública.

Dr. Fábio Landim Campos Fisioterapeuta

O que o fez procurar outro nicho de atuação além do tradicional (atendimento)? A saúde pública não era uma área que imaginava atuar quando da con-


clusão do curso de graduação, no entanto, surgiu o convite para trabalhar nesta área e decidi aproveitar ao máximo aquela oportunidade, decidindo por investir em cursos, treinamentos e demais aperfeiçoamentos nesta área.

O que diria aos estudantes ou novos profissionais a diferenciarem-se de alguma forma? Aconselho aos estudantes e novos profissionais que nunca desistam de seus sonhos e procurem sempre ser o melhor no que fizerem, foi assim que consegui chegar ao Ministério da Saúde!

Que dicas daria para quem já é profissional atuante e gostaria

de ampliar seus horizontes para outras áreas de atuação? Acho que é fundamental darmos foco e investirmos naquilo que realmente queremos, não considero interessante sair “atirando para todos os lados”. Ao mesmo tempo, o profissional precisa sentir-se realizado no que faz, logo, se há insatisfação é importante identificar outras possibilidades de atuação até “se encontrar” profissionalmente, mesmo que isto signifique atuar em uma área não correlacionada à sua formação.

Existem outros nichos de atuação além dos tradicionais (clínica e atendimento). Mas o que é preciso para ingressar nestas outras áreas? Em qualquer que seja a área que se

queira ingressar, é preciso inicialmente tomar a decisão por fazê-lo, com convicção, e, além disto, investir em conhecimento.

Como trilhar uma carreira de sucesso? Uma carreira de sucesso é pautada por inúmeros desafios. Neste sentido, é importante não temê-los e se preparar para superá-los, crendo em você mesmo e trabalhando com determinação, e, acima de tudo, com humildade, ninguém sabe tudo, mas tem-se que buscar o máximo de conhecimento. Os bons poderão ser lembrados, mas os melhores serão disputados! Outro aspecto importante de âmbito pessoal é ter uma boa base familiar, e graças a Deus, isto nunca me faltou!

Depoimentos

Casos de Sucesso – Profissionais que se destacaram em suas profissões contam como chegaram até onde estão e não querem parar por aí.

Dr. Helder Montenegro - CE (F)

“Depois de me formar em fisioterapia fui para São Paulo, em 1985. Neste período poucos colegas tinham possibilidade e coragem de sair do Ceará para investir na profissão. Tive a oportunidade de estudar e acompanhar o trabalho dos mais

24

Crefito-6 | Saúde em Movimento

renomados especialistas em ombro, joelho. Ao retornar para Fortaleza tive um grande apoio dos médicos ortopedistas, principalmente dos que tinham especialidades nestas áreas. Este foi o meu primeiro diferencial como fisioterapeuta. Fiquei conhecido na cidade como fisioterapeuta do Joelho”. Dica: Estude, tenha foco no que quer e faça um planejamento. Muitas vezes a solução está no próprio negócio, não havendo a necessidade de procurar em outras áreas. Frase: Inovar é a palavra de ordem!

Dra. Daniela Mont’alverne - CE (F)

Formada em Fisioterapia pela Universidade Estadual de Londrina (PR), com Especialização em Fisioterapia Cardiorrespiratória pelo Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de São Paulo. Apaixonou-se pela pesqui-


sa, aprovada em processo seletivo, foi efetivada como Fisioterapeuta do InCor e contratada pelo Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia para ser Fisioterapeuta e Professora do Programa de Aprimoramento em Fisioterapia Cardiorrespiratória. Em 2003, já em Fortaleza, iniciou a vida docente na Unifor. Começou um programa de reabilitação pulmonar com crianças asmáticas e conseguiu a primeira bolsa de iniciação científica pela Funcap. Em 2010 foi convidada a ser Chefe da Divisão de Pesquisa da Universidade e responsável pelo programa de Iniciação Científica. “Sempre gostei muito de pesquisa, e tinha certa inquietação em ver uma profissão tão linda ser muitas vezes

questionada pela falta de comprovação científica”. Frase: “Nunca é tarde para buscar novos desafios”.

Dr. Jorge Brandão - CE (F)

Conheceu a Fisioterapia em 1994. Estava prestando vestibular para Medicina, em Campina Grande, quando recebeu o convite para conhecer a faculdade de Fisioterapia. Ficou en-

cantado e, desde então, decidiu que seria a profissão que gostaria de exercer. Fez cursos de Osteopatia, RPG, Método de Facilitação Neuromuscular, Quiropraxia, especialização em Gerência Executiva de Marketing e MBA em Negócios, entre muitos outros. Em 2012, comemora 18 anos de formado e 14 anos à frente de um projeto: sua clínica Fisio Vida, em Fortaleza. Também foi autor do projeto do curso de Fisioterapia da FANOR, além de ter participado de mais de 80 eventos como professor, palestrante e conferencista em 16 estados do Brasil. “Sinto-me um aprendiz nesses 18 anos de formado. Saber que não só recuperamos ou evitamos perdas de funções humanas, mas transforma-


mos vidas é inevitavelmente engrandecedor”. Frase: A Fisioterapia me ensinou algo importantíssimo: GENEROSIDADE, fiz desse valor meu trabalho, minha religião e minha vida”.

Dra. Marilene Munguba - CE (TO)

Dra. Mônica Lima - CE (F)

Fisioterapeuta formada pela Universidade de Fortaleza (Unifor), desde 1990, com especialização em Gestão de Sistemas e Serviços de Saúde pela Universidade Federal do Ceará (UFC), durante dez anos dedicou-se somente à assistência e a partir do ano 2000 dividiu seu tempo também com a gestão. A primeira experiência nesta área foi gerenciando a Policlínica Municipal de Cascavel, onde permaneceu por quatro anos. “Passei pela coordenação da Atenção Secundária por um ano no município de Maranguape e em 2005, fui convidada para trabalhar no município de Sobral e coordenar o Controle, Regulação, Avaliação e Auditoria de lá”. Hoje é Secretária de Saúde de Sobral.

Formou-se em Fisioterapia (1979) e Terapia Ocupacional (1981) pela Unifor. Como recém-formada, fundou uma instituição filantrópica sem fins lucrativos, voltada à reabilitação de crianças e adolescentes com necessidades especiais, e recuperação nutricional de crianças desnutridas graves. Fez mestrado em Educação Especial pela Universidade Estadual do Ceará (UECE), em convênio SELAE (Cuba)/UECE, que a motivou a cursar o doutorado em Ciências da Saúde pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Cursou várias especialidades: Psicomotricidade, Nutrição e Dietoterapia, Docência de Libras, e está cursando o Pós-doutorado em Terapia Ocupacional Social. Frase: “Estudar a aprendizagem e o desenvolvimento infantil, e sua relação com aspectos nutricionais é parte importante da minha trajetória acadêmica”.

“Há duas coisas que fazem um profissional seguir em frente no seu campo de trabalho: a escolha da profissão e a sua vocação. Se o profissional conseguir unir os dois será bem sucedido em qualquer área que atue. Felizmente eu tive essa sorte”. Frase: “Atualizar-se sempre!”.

Crefito-6 | Saúde em Movimento

Frase: “Atenda com AMOR. Dinheiro e reconhecimento são apenas consequências de um trabalho bem feito”.

Dra. Eloá Freire - PI (TO)

Dra. Danielle Arruda - CE (TO) Aos 17 anos cuidava do avô que sofria de Parkinson com evolução a

26

um quadro demencial. Era ela, juntamente de um primo, que trocava os curativos, dava banho e o alimentava. Por conta desta experiência buscou a Terapia Ocupacional, graduou-se e foi contemplada com uma bolsa da Unifor para trabalhar no NAMI. Sentindo que a evolução dos pacientes era lenta, devido à falta de acompanhamento familiar, especializou-se em Família. Trabalhou com crianças autistas, fez atendimentos domiciliares em gerontologia e montou seu consultório. Fez vários trabalhos voluntários com idosos; Especialização em Gerontologia, Mestrado em Saúde Pública e hoje é a sexta titulada pela Sociedade Brasileira de Gerontologia e Geriatria. Lecionou na Universidade Estadual Vale do Acaraú e desenvolveu projetos com idosos na região. Hoje é presidente da Associação Brasileira de Alzheimer-Regional Ceará, conselheira nata do Departamento de Gerontologia da SBGG/Seção Ceará e realiza acompanhamento terapêutico, onde oferece aos idosos a oportunidade de quebrar preconceitos, reivindicando seu espaço de direito e vivenciando atividades de lazer; e acompanhamento familiar.

Formou-se em São Paulo (1984), pela Universidade Metodista de Piracicaba, e logo foi trabalhar. Na época cursou Hansenologia e no


mesmo ano foi para Teresina (PI), onde atuou na Secretaria de Saúde, e na APAE. Em 1986 voltou à São Paulo para acompanhar o tratamento do filho. Lá, fez atualizações, dentre elas: Estimulação Precoce e Psicopedagogia e passou na especialização em Saúde Pública da UFSCar como bolsista CAPES. Voltou à Teresina e iniciou atendimento em consultório e atuou no hospital Infantil Lucídio Portela. Em 2000 iniciou estimulação cognitiva em idosos, com patologias neurológicas ligadas à memória. Fez Neuropsicologia pelo IBPEX. Voltou a São Paulo para atualizar-se no curso de Técnicas em Reabilitação Cognitiva. Hoje trabalha com patologias neurológicas degenerativas (Alzheimer, Parkinson, AVC, TCE). Frase: “Conhecer e acreditar no que se

faz, já nos torna um profissional diferenciado”.

Dra. Samara Barros Soares - PI (TO) Cursou Terapia Ocupacional pela UFPE, foi monitora de anatomia I, estagiária do Núcleo de Saúde Pública e bolsista da Agência de Cooperação Internacional do Japão, monitora e bolsista do projeto de extensão em Traumato-ortopedia no Hospital das Clínicas, e do projeto

de extensão em Educação e Saúde com crianças de risco no lixão de Olinda e estagiária da Secretaria de Saúde de Pernambuco em saúde mental. Participou de jornadas científicas, palestras, congressos, investiu em cursos e muito estudo. Recentemente assumiu a convocação da Fundação Municipal de Saúde de Teresina e está instalando o serviço de Terapia Ocupacional no Centro de Convivência da Terceira Idade. “Certa vez, uma professora disse que a Universidade é um grande fazer de malas para viagem. Que a vida profissional depende da bagagem que você leva. E acreditei piamente nisso. Assim fui construindo minha vida acadêmica”. Frase: “Tenho prazer de fazer meu trabalho e ainda sou remunerada para isto”.


congresso

Crefito-6 e C&B

acompanham Afb em visita técnica a Fortaleza

A Federação Brasileira de Convention & Visitors Bureaux (FC&VB) e o Crefito-6 receberam no último mês de agosto a comitiva da Associação dos Fisioterapeutas do Brasil (AFB) para uma visita técnica do XX Congresso Brasileiro de Fisioterapia, que será realizado em Fortaleza, de 16 a 19 de outubro de 2013, com expectativa de mais de 3000 participantes. Na agenda, constou visita ao Centro de Eventos do Ceará e verificação in loco da moderna infraestrutura da cidade,além de reunião na sede do Crefito-6 para tratar de assuntos no âmbito científico e organizacional do evento. O Dr. Flávio Feitosa, Diretor Tesoureiro do Conselho, foi quem acompanhou a comitiva. 28

Crefito-6 | Saúde em Movimento


fiscalização

Defis Fecha Balanço do

Primeiro Semestre de 2012 Com a finalidade de combater as irregularidades que atingem o mercado de trabalho e o exercício profissional da Fisioterapia e da Terapia Ocupacional, o Departamento de Fiscalização do Crefito-6 (Defis) teve uma participação bastante ativa nesse primeiro semestre de 2012. Após a aquisição das duas novas viaturas e a convocação dos dois agentes fiscais, o Departamento incrementou as visitas a partir de denúncias e ações preventivas. Ao todo, foram fiscalizados quase 600 estabelecimentos, 1417 fisioterapeutas e 220 terapeutas ocupacionais durante esse semestre. Dentre as irregularidades encontradas a maioria envolve infrações éticas como a divulgação de serviços em site de compra coletiva, profissionais sem inscrição no Crefito ou exercendo a profissão com licença temporária de trabalho vencida e ausência de registro de clínica e consultório. 30

Crefito-6 | Saúde em Movimento

Pela necessidade de orientar e organizar o estágio não obrigatório, o Crefito-6 promoveu um encontro entre os coordenadores e grupo gestor dos cursos de Fisioterapia do Estado do Ceará, para debater o assunto, solicitar a colaboração das instituições de ensino e discutir as penalidades a serem aplicadas aos acadêmicos

por ocasião da prática do estágio irregular, assim como a abertura do processo ético disciplinar para o profissional que facilitar o exercício ilegal da profissão através da utilização da mão-de-obra acadêmica. Ao final foi revisto termo de ciência que deverá ser

assinado pelo aluno declarando ser conhecedor da ilegalidade do estágio sem regulamentação, ficando a instituição de ensino isenta de envolvimento com as infrações cometidas pelo seu corpo discente. A título de informação seguem alguns casos mais graves envolvendo alunos e a justiça criminal: abertura de clínica e realização de atendimentos, falsificação de carimbo; falsificação de documento da faculdade; atendimento em Studios de Pilates; atendimento domiciliar, distribuição de cartão de visita, além dos casos de envolvimento com droga e furtos que denigrem a imagem da profissão. Nesse segundo semestre, o Defis dará continuidade ao árduo trabalho de fiscalização e controle em prol da valorização da Fisioterapia e da Terapia Ocupacional.


Revista Saúde em Movimento Crefito-6  

Revista do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da Sexta Região

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you