Issuu on Google+

Refugiado re·fu·gi·a·do adj sm Que ou aquele que se refugiou. EXPRESSÕES Refugiado político: indivíduo que, por motivos de perseguição política ou ideológica em seu próprio país, procura asilo em país estrangeiro. ETIMOLOGIA part de refugiar, como fr réfugié. NA LINGUAGEM POPULAR Pessoas que necessitam de amor!


VIVER

SEM FUGIR

&

DOAR

SEM DOER

FERNANDA QUINTERO E TATIANE FERREIRA

Guerras civis na Síria, Congo, Egito, Israel e Islã estão gerando uma grande crise de refugiados e imigrantes ao redor do mundo todo e um de seus principais destinos é o Brasil. Sem nada além das roupas do corpo e o que, no sufoco, conseguiram levar consigo, a única preocupação que essas pessoas possuem é de chegar em paz e não ver mais os horrores causados pela guerra. Mas, quando chegam encontram países estranhos e culturas diferentes, onde dificilmente, no ínico de sua inserção na sociedade, conseguem um trabalho. É nesse momento então que os refugiados são acolhidos por ONG´s e dependem unica e exclusivamente das doações.

O Brasil é um dos pontos mais cobiçados pelos refugiados, por se tratar de um país híbrido, com uma cultura diversificada e acolhedora, que está sempre em busca de ajudar e auxiliar os que precisam. Uma das grandes ajudas dadas pelos brasileiros são as doações de roupas e alimentos, que geram um número significativo de arrecadações, mas nem sempre são produtos que estão em bom estado ou em condições de serem usadas, muitas vezes nem chegam a ser entregues para aqueles que precisam. A expressão ONG (Organização Não‐Governamental) foi criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1940, para formar enti-

dades não‐oficiais que recebiam ajuda financeira para executar projetos sociais, dentro de uma linha de trabalho determinada como “desenvolvimento de comunidade”. Essa atividade surgiu na América Latina como parte de uma estratégia do sistema capitalista, que buscava a superação da pobreza, do atraso e subdesenvolvimento do chamado “Terceiro Mundo”. Uma das estratégias foi financiar ações comunitárias e incentivar movimentos sociais nos países com mais carência. No Brasil, as ONGs são um fenômeno mais recente. Embora essas entidades de assistência estivessem presentes entre os anos de 1960 e 1970, não se autodenominassem ONGs, muitas delas foram se reconhecendo como organização

marco histórico do Terceiro Setor no Brasil aconteceu a partir de 1980 com a diminuição da intervenção do Estado nas questões sociais do país e com a redemocratização do mesmo. Com isso, a questão da cidadania e dos direitos fundamentais pas-

A Primavera Árabe, o levante popular na África do Norte e Oriente Médio teve como estopim, um ato de um vendedor que se tornou mártir. As redes sociais tiveram um papel fundamental, disseminando o movimento por todo continente. Se alastrando por outros países, como Líbia, Egito, Marrocos, Iêmen e a Síria. Em movimentos de revolta contra ditadores e governos autoritários. Os governos passaram a entrar em crise, o povo começou a realizar protestos e movimentos contrários ao que era imposto. Os países que tem essa guerra civil, não tem uma identidade cultura solidificada, são várias tribos dentro de um único território. Após a saída de um governo central e forte, a guerra civil entre as tribos se intensifica, lutando por um espaço dentro do país, isso ocorreu na Líbia e na Síria. A violência, fome e perigo surgem dentro desse contexto e leva as pessoas a fugirem desses locais, para buscar um território seguro.

não‐governamental. As primeiras ONGs surgiram no Brasil ainda no início de 1960, ligadas a educação e à Igreja. Logo após essa fase inicial, as ONGs começaram a ganhar força nas décadas de 70 e 80, no contexto da ditadura militar, com os objetivos principais de defender direitos humanos e políticos e lutar pela democracia. Porém, um

sou a ser o foco das organizações sem fins lucrativos. Aqui entramos em um outro aspecto da parte das doações, a parte do apego das pessoas com seus objetos e roupas. É muito comum a característica do apego nas pessoas, afinal, a tarefa de desapegar nem sempre é fácil, é, inclusive, uma verdadeira dificuldade para alguns. Porém, o ato de acumular pode ser prejudicial para sua saúde mental e emocional, pois se apegar

de coisas, ideias e pessoas, quando em excesso, nos mantém reféns da vida, fazendo com que o dia a dia se torne pesado e sem alegria. Segundo médicos, o ato de desapegar pode significar não ter mais controle de algo, ou para alguns, de tudo. E isto, além de um sofrimento, é um aumento no nível de ansiedade.


O excesso de apego pode trazer sérias consequências ao nosso sistema nervoso, principalmente quando a posse se torna dependência emocional, alienação, fixação e sofrimento. De acordo com o psicólogo Paulo Kautz de Erechim, precisamos aprender a desapegar daquilo que não é mais importante em nossas vidas, pois essa atitude se torna uma nova liberdade, com novas condições, pessoas e objetos que realmente sejam necessários, que possam nos fazer bem. Diversos psicólogos já afirmaram que o primeiro beneficiado por um ato de solidariedade é o próprio doador. Pois isso traz uma sensação agradável e boa, logo, quem começa a fazer essas ações beneficentes procura cada vez mais fazer isso. Em uma entrevista para o portal da Rede Globo, o G1,

Com toda essa fragmentação dos territórios, o Estado Islâmico (ISIS) passa a conquistar espaço e reservas de petróleo. Com esse poder, passam a assolar as regiões e ter poder. Da Líbia, o grupo terrorista passa a chegar na Síria. Porém, na Síria é mais problemático, pois o governo de Bashar Al Assad tem o apoio do Irã e Rússia, sendo um conflito mais amarrado. O conflito, então é entre o governo e os rebeldes, ambos com apoio militar. Além de ter a intervenção do Estado Islâmico.

o psicólogo Agostinho José Caporali afirmou que para o doador, a solidariedade é uma coisa positiva porque há uma recompensa ao saber que foi

bom para alguém e que a sua ação ajudou alguém de certa forma. Em outros casos a vida do doador está sem sentido e fazer parte dessa corrente do bem o ajuda a dar outro significado em sua jornada. O número de interessados em ajudar vem aumentando com o passar do tempo, as pessoas sempre procuram ajudar as outras para se sentirem melhor. Entretanto, muitos acreditam que doação de roupa é qualquer uma que não use mais, além de ser algo que não vai fazer falta em sua vida e, muitas vezes, acabam chegando doações de roupas que estão furadas ou em péssimo estado. Porém, em uma entrevista com Tatiane, responsável pela ONG Fraternidade Sem Fronteiras, a mesma disse que todas as peças de roupas que recebem são feitas à mão por pessoas que querem amenizar o sofrimento das crianças das quais eles atendem, sem deixar que isso pareça um ato de “descarte” das roupas velhas. De outro ponto de vista das doações, recentemente saiu um vídeo nas redes sociais feito por voluntários em um campo de refugiados onde desfilavam com as roupas que doadas, dentre elas, algumas eram vestidos longos, salto alto, pantufas extravagantes, bolsas de luxo, entre outros. Tatiane, por sua vez, nos contou que doações de todo o tipo são aceitas e nos contou, inclusive, nos contou sobrea história de uma senhora de 70 anos, que escreveu para eles através do Facebook da neta, avisando que ela não teria como arcar com um apadrinhamento mensal (valor de R$50,00),

mas que estavam recolhendo retalhos que não estão em estado de dode lojas de camisetas e lojas de tecido, e ações e a resposta é triste, porém, assim estava costurando vestidos. Uma inevitável. As roupas que não tem atitude e tanto que a ONG presenciou. condições, que chegam sujas em É claro que não podemos deixar de pen- demasia, mofadas, rasgadas, eles sar na alegria das crianças ao receber infelizmente, precisam descartar, a doação e Tatiane nos contou que na pois não servem nem para as criÁfrica eles são gratos por tudo, inclusive anças vestirem e nem para bazar”. se acontece de ser A maior curiosiuma família de 5 Desde o início de 2015, a Acnur (Agência dade é que, muitas crianças, e ape- das Nações Unidas para refugiados) estima doações de apanas uma ganha que mais de 300 mil imigrantes tenham relhos de limpeza qualquer coisa que cruzado o Mediterrâneo para chegar ao de pele, pernas seja, é uma alegria continente europeu. Principais pontos de ortopédicas, narsem fim. Além de entrada, Grécia e Itália receberam neste guilé, filmadora, que os que não recâmera fotográano, respectivamente, 200 mil e 110 mil cebem não guarfica antiga, compessoas, segundo os últimos números dam remorso. “É putadores antigos divulgados. Relatórios anteriores também lindo de ver a reetc, são encontraapontavam que 1.953 imigrantes se dirigi- dos e doados. E, siliência deles!”, acrescentou ela. ram à Espanha, e 94, a Malta. Os números geralmente, quanEm uma segunda são muito maiores, pois não há um número do é brinquedo, as

efetivo daqueles que não entram pelas

entrevista com a barreiras. A partir disso, surgem os Campos crianças ficam feONG Vó Benedi- de refugiados, hoje 14,4 milhões de pessoas lizes, porém, quanta, a responsável vivem nessas condições, segundo a ACNUR. do são adolesBeth declarou que A ONU auxilia e organiza para que funcione centes, preferem a crise também perfeitamente. Ao chegar em um campo, as roupas e bijuterias. interessante pegou essa área. pessoas cadastram seus nomes, profissão e É as O número de pes- idade por um sistema de biometria. Segundo analisarmos soas colaborando dados do Comitê Nacional para Refugiados duas entrevistas, das ONG’s de uma neste período di(Conare), foram concedidos 2.077 vistos maneira positiva, minuiu bastante, a para os refugiados, número que é superior já que podemos média arrecadaaos EUA e muitos países da Europa e o notar que, ainda pelo telemarprincipal destino para os sírios. da com a crise e keting da ONG é a diminuição de de R$60.000/mês. “Culpamos a crise que assola nosso país”, doações, elas não param e ainda disse ela. Porém, as doações de roupas e há muitas pessoas que procuram utensílios continuam na média esperada. exercer o bem ao próximo. No fim, Analisando o outro lado das doações, é incrível podermos fazer uma dotrazendo a questão das roupas que são ação e receber um lindo olhar, um doadas em péssimo estado, pergunta- belo sorrido como agradecimento. mos o que eles costumam fazer com as


AMOR!


Reportagem - Refugiados