Page 1


Uma breve introdução O Fórum Mundial de Jovens Escoteiros é uma ferramenta educacional que dá apoio ao processo de desenvolvimento da participação juvenil em parceria com os adultos, um evento que capacita e inspira os jovens através da abordagem participativa, os ajudando a desenvolver habilidades em tomada de decisão que podem ser utilizadas dentro do Movimento Escoteiro e na sociedade. Sendo trienal e ocorrendo na mesma época da Conferência Escoteira Mundial, sendo realizado de maneira prévia e no mesmo país sede. Cada país, através de sua Organização Escoteira Nacional poderá enviar uma delegação de no máximo cinco participantes, onde desses, dois serão os delegados e os outros participarão como observadores.

Bom, agora que já sabemos o que é o Evento que tal um pouco mais de informação? Nos últimos dezessete anos o Escotismo Mundial viveu grandes avanços na questão do envolvimento dos jovens. Os Fóruns foram remodelados, resoluções de apoio a participação juvenil foram adotadas, mecanismos constituídos, dado apoio aos jovens de 18 a 25 anos e, principalmente, o amplo reconhecimento da necessidade de envolver os jovens. Desde a Conferência Mundial de Bangkok em 1993, quando foram adotados os primeiros esforços para a inserção dos jovens nos processos decisórios, ainda de caráter eminentemente institucional, até a Conferência Mundial de Tessalônica, quando este conceito evolui para o completo envolvimento dos jovens, a participação juvenil é a prioridade estratégica de número 1.

A herança destes dezessete anos de discussões e trabalhos é a atual Política Mundial de Envolvimento dos Jovens. Hoje, além de ser a prioridade estratégica mundial, recomenda-se que o envolvimento dos jovens seja o referencial de desenvolvimento do escotismo nos seus diversos países, usando desta parceria entre “experiência e entusiasmo” para tornar o escotismo cada vez mais atraente, impactante e relevante para a juventude. Neste meio tempo, os Jovens Líderes brasileiros e a UEB também lograram de seus avanços. Foram instituídos os Fóruns de Jovens e criada a Rede Nacional de Jovens, que hoje acumula nove anos de trabalho, projetos realizados e reconhecimento institucional. Muito já foi feito, mas ainda há muito o que se fazer!! Nos últimos dezessete anos o Escotismo Mundial viveu grandes avanços na questão do envolvimento dos jovens. Os Fóruns foram remodelados, resoluções de apoio a participação juvenil foram adotadas, mecanismos constituídos, dado apoio aos jovens de 18 a 25 anos e, principalmente, o amplo reconhecimento da necessidade de envolver os jovens. Desde a Conferência Mundial de Bangkok em 1993, quando foram adotados os primeiros esforços para a inserção dos jovens nos processos decisórios, ainda de caráter eminentemente institucional, até a Conferência Mundial de Tessalônica, quando este conceito evolui para o completo envolvimento dos jovens, a participação juvenil é a prioridade estratégica de número 1. Como parte dessa estratégia, a Organização Mundial do Movimento Escoteiro – OMME possui três linhas de ação, correspondente aos três níveis de envolvimento juvenil: no nível da Seção - programa de revitalização do método, com bases no MACPRO; no nível da Organização - apoio e fomento a criação de mecanismos de participação, como as Rede de Jovens; e no


nível da Sociedade - Projeto Scouts of the World. Seus objetivos são, a cada nível, promover o empoderamento e o protagonismo juvenil. Em 2004, a OMME lançou um novo documento com a Estratégia Mundial de Participação Juvenil e revalidou o Fórum Mundial de Jovens, dando-lhe novas atribuições e perspectivas, além de criar a função dos Conselheiros Juvenis. Antes mesmo do Fórum Mundial de Hamamet, foram indicados seis jovens, um de cada região mundial, segundo seu próprio sistema de representação juvenil, que no caso da Região Interamericana é a “Red de Jovenes”. Já em Hamamet foram eleitos outros seis jovens para a função de Conselheiros Juvenis, independente da sua região de origem. Assim, formou-se a primeira geração de Conselheiros Juvenis, que tinham a responsabilidade de trabalhar diretamente com o Comitê Mundial e o Bureau Mundial, com o objetivo de desenvolver as estratégias de envolvimento juvenil. Estes jovens têm o apoio técnico, financeiro (em parte das reuniões) e material da OMME, para que seus membros realizem as viagens para participar das reuniões (geralmente em Genebra), desenvolvam projetos com orçamento próprio e participem também de outros comitês estratégicos. Em 2008, na Coréia, firmou-se o conceito dos Conselheiros Juvenis, com a eleição de uma segunda geração, incluindo uma jovem brasileira, Fernanda Soares, que cumpriu suas responsabilidades terminou seu mandato em 2011. A experiência da representação internacional desta Rede Nacional, principalmente desde 2004, na reunião da Red Interamericana em El Salvador, nos evidencia o potencial e a referência que poucos outros países da Região Interamericana representam. São poucos os modelos de participação juvenil que gozem do estágio de evolução e da experiência acumulada dos Jovens Líderes brasileiros. São poucos os países da Região Interamericana, portanto, que possuem organização, preparo e maturidade para se colocar a prova deste desafio, com qualidade e responsabilidade. Isso então nos estimula a

explorar esta possibilidade e organizar uma delegação de jovens ao Fórum Mundial de Jovens, em 2011, no Brasil. Além disso, nos estimula também a manter um parâmetro para nossas representações internacionais juvenis. Esse relatório tem como objetivo divulgar nossa atuação como representantes dos Escoteiros do Brasil nesse evento, conforme acordado e estabelecido no Processo de Seleção dos participantes, decidimos que a melhor forma para divulgar esses resultados seria na forma de um diário, explicando o dia-a-dia do Fórum,

Pegue seu passaporte e venha carimbar ele com jovens de todo o planeta!


Preparação e Checklist da Viagem O processo de seleção consistiu de inúmeras fases. Após escolhidos os representantes, foi iniciada a etapa de capacitação onde, além de aprendermos sobre a política e funcionamento do Fórum, trabalhamos na elaboração dos projetos que iríamos apresentar na Feira Internacional, materiais para o Coffee-break da Região Interamericana e até mesmo questões do dia-a-dia, como a ordem de trajes e camisetas que iríamos usar. Foram inúmeras reuniões online, onde tivemos a oportunidade de conversar, debater os principais temas e documentos do Fórum Mundial, estreitar os laços entre os membros da delegação e outros pontos. Além disso, discutimos como deveríamos nos posicionar nas plenárias, aspectos culturais e de operação de cada delegação. Por último, também definimos que iríamos apresentar um candidato à posição de Conselheiro Juvenil, no caso Felipe de Paulo.

Anexado no final desse documento, segue o texto da Feira de Projetos (em inglês), juntamente com as recomendações aprovadas e traduzidas para o nosso idioma. Nossa delegação foi composta pelas seguintes pessoas: Delegados: -­‐Fernanda  Vogt -­‐Felipe  de  Paulo     Observadores: -­‐Louise  Vendramini -­‐Tiago  Carvalho -­‐Cris9ne  Ri;

Antes de partilhamos essa grande experiência com vocês, gostaríamos de registrar o nosso agradecimento a todos os Escoteiros do Brasil, mas de uma maneira especial, ao nosso Comissário Internacional, Ricardo Stuber e Melissa Casagrande, membro da Comissão Nacional de Relações Internacionais, pela ajuda e apoio em todas as fases do Evento, mas em especial por tudo durante nossa capacitação.

Na foto com a Conselheira Juvenil, também brasileira, Fernanda Soares.


Diário de Bordo SEGUNDA-FEIRA, 3 DE JANEIRO DE 2011 “EXPLORAÇÃO” Explicação do sistema de tradução simultânea e processos de votação • Boas vindas pela Milena Pecarski, Presidente do 11o Fórum Mundial de Jovens Escoteiros • Momento de Votação, a favor- Apresentação e adoção da agenda • Apresentação dos objetivos, conteúdos e método de trabalho do fórum • Momento de Votação, a favor- Adoção das Regras de Procedimento. Estas estão publicadas no Documento 2 do Fórum e qualquer emenda será submetida a aprovação dos delegados. • Momento de Votação, a favor- Escolha do Comitê de Recomendações e dos responsáveis pela contagem dos votos • Palavras de introdução do Dr. Mario Diaz Martinez, VicePresidente do Comitê Mundial • Apresentação do Comitê Local • Chamada para tópicos de discusão para o Fórum Aberto •

09.40 Relatório de acompanhamento das Recomendações do 10˚ Fórum Mundial de Jovens Escoteiros - Karin Ahlback, Conselheira Juvenil do Comitê Mundial 09.55 Relatório dos Conselheiros Juvenis do 11o Fórum Mundial de Jovens Escoteiros para o Comitê Escoteiro Mundial (2008-2011) - Jaemin Choi, Conselheiro Juvenil do Comitê Escoteiro Mundial. As Recomendações do 10˚ Fórum de Jovens Mundial foram apresentadas ao Comitê Mundial em novembro de 2008 na

primeira reunião do Comitê Mundial após o Fórum. Algumas atividades foram incluídas no planejamento trienal do Comitê para seguir as recomendações do Fórum da Coréia. O progresso foi avaliado na reunião de março de 2010. Ao final do período a maior parte das recomendações foi implementada por alguns países. Porém, faltam indicadores concretos deste desenvolvimento, que na maior parte varia significativamente de país para país. As recomendações eram: A: Delegados Jovens na Conferência Mundial Escoteira B: Envolvimento Juvenil nos processos de decisão - Uma abordagem estratégica C:Envolvimento Juvenil nos processos de decisão - Boas Práticas D: Conselheiros Juvenis Regionais E: The Scouts of the World Award F: Dia Mundial de Meio Ambiente G: Impacto ambiental em Eventos Mundiais H: Hora da Terra I: World Scout Moot J: Crescimento K: Liderança L: Governança na Organização Mundial Escoteira Para maiores detalhes, acesse o Documento 3

http://www.scout.org/en/information_events/events/world_events/ world_youth_forum/11th_world_scout_youth_forum/forum_documents


10.10 Apresentações dos representantes das Regiões Os Representantes das 6 regiões ofereceram breve relato sobre seus trabalhos. Nossa região teve seu relatório conduzido pela coordenadora da Rede Regional, Beatrice Fernandez, de El Salvador, explicando a situação da Rede Interamericana desde 2008, o Fórum Regional da Costa Rica, reunião no Panamá entre outras ações. 11.00 Sessão 1: “Exploração” – Empoderamento Juvenil Introdução e explicação da sessão pela Karin Ahlback • Introdução do Empoderamento Juvenil O tema central deste Fórum foi “Paddle your own canoe” (“Remando sua própria canoa”), que nada mais é do que o envolvimento direto do jovem na criação de um mundo melhor e

tomada de decisão, começa na resolução de 93 da Tailândia e se dá através da consulta por meio dos Fóruns de Jovens, por exemplo e da tomada de decisão direta onde os jovens fazem parte dos órgãos de decisão. Hoje o envolvimento do jovem é a Prioridade Estratégica número 1 do Movimento Escoteiro, mas a participação é definida de forma bem vaga na Constituição Escoteira. O Fórum Mundial, por exemplo, não está descrito lá, por ser entendido como uma medida provisória, e os Conselheiros Juvenis (Youth Advisors) não são membros oficiais do Comitê Mundial, hoje são apenas convidados para suas reuniões e atuam dentro dos sub-comitês e forças tarefas. 13.30 Sessão 2: “Explorando” o Movimento Escoteiro Mundial. Introdução e explicação pela Nadia Morrone, Conselheira Juvenil do Comitê Mundial Revitalização do Programa de Jovens Adultos – Orientações para o Ramo Pioneiro Depois da breve explicação das novas orientações para o Programa Pioneiro os participantes foram separados em grupos de trabalho para debater como o ramo pioneiro, em seu programa, deve propiciar a gestão de liderança e outras características. 14:00 Escotismo Internacional – Estrutura da WOSM Os participantes tiveram a oportunidade de aprender como a estrutura do Escotismo Mundial funciona, o trabalho do Bureau Mundial e Comitê Mundial, seus diversos sub-comitês e equipes de trabalho.

especificamente nos processos de tomada de decisão. No nível local isso é trabalhado no sistema de patrulhas onde o grau de responsabilidade e de autonomia para a tomada de decisão cresce desde o Ramo Lobinho até o Sênior e Pioneiro. No nível institucional a história da participação do jovem no processo de

14:10 Tópicos da Agenda da 39˚ Conferência Mundial Escoteira Foram apresentados os métodos de trabalho, formato e uma introdução aos principais temas a serem discutidos na Conferência. 14:30 Escotismo Internacional – A Estratégia do Escotismo


Através da participação em workshops sobre as Prioridades Estratégicas, os participantes tiveram a oportunidade de analisar as conquistas feitas em cada uma delas. Prioridade estratégica número 4: Crescimento O objetivo dessa prioridade estratégica é ajudar as Associações Nacionais a identificar e responder as necessidades dos jovens e adultos na sociedade onde o Escotismo ainda não tem um impacto. Com isso busca-se o crescimento e um impacto maior na sociedade. Muitos participantes contaram de experiências nacionais, tanto de levar o Escotismo a públicos não atingidos no país, quanto da realização de projetos sociais por meio do Escotismo. Ficou evidente neste tópico como as realidades de inclusão são diferentes em cada região e portanto a dificuldade de elaborar materiais a nível mundial. 16:10 Sessão 2 (continuação): “Exploração” – Escotismo Mundial – Revisão de Governança

Os tópicos da Agenda foram apresentados aos participantes e depois divididos em grupos de discussão no Documento de Revisão de Governança (especialmente na participação dos Conselheiros Juvenis e do Fórum Mundial de Jovens Escoteiros). 17:45 Introdução dos Candidatos a Conselheiros Juvenis - Uma breve apresentação de cada candidato Com uma simbólica capa para a identificação é dada a largada da corrida... 20:30 Cerimônia de Abertura, Teatro Carlos Gomes Uma apresentação de capoeira e de dança de salão, além de choro e forró animaram nossos convidados de todo o planeta, além de inaugurarem oficialmente esse Evento, ao fim um coquetel para confraternizar. TERÇA-FEIRA 4 DE JANEIRO DE 2011 – “EXPLORAÇÃO” PARA “DESENVOLVIMENTO” 09.00 Sessão 3: “Exploração” – Empoderamento Juvenil Introdução e explicação - Karin Ahlback


Este tema, o mais debatido durante o Fórum, encontrou como consenso a importância da participação do jovem e a necessidade de garantir a qualidade dessa participação. A forma, a definição de jovem, a função dos fóruns só trouxeram a tona uma série de ricas reflexões. Em primeiro lugar é evidente a diferença entre os países. Na Europa principalmente, os jovens já estão inseridos nos processos de decisão e por isso se questionam se o Fórum Mundial, no formato de “mini conferência”, o que o torna um evento paralelo com objetivos semelhastes aos da Conferência, é necessário. Chega a ser engraçado a forma com que eles não entendem a necessidade de um espaço assim para que os jovens tenham condições de participar dos debates atuais e contribuir em suas Organizações Escoteiras Nacionais. Boas notícias pra quem vê o Fórum como uma medida passageira, não? E daí surge uma série de novas idéias, como baixar a idade, mudar o objetivo do Fórum para que se tenha mais troca de experiências, etc. Por outro lado esta não é a realidade de muitos países. Um país africano, por exemplo, sugeriu que a idade de participação pudesse ser maior, porque para eles, em alguns casos, uma pessoa de 26 anos ainda não está preparada para o nível do debate. Também surgem algumas perguntas fundamentais: o fato de que essa geração de jovens esta inserida nos ambientes de decisão garante que as próximas também estejam? Não seria um ciclo que precisa continuamente ser alimentado? Apesar da polêmica, várias recomendações sobre Participação Juvenil e o Fórum Mundial de Jovens foram aprovadas e podem ser visualisadas no final do documento. 11:30 Sessão 3 (continuação): “Exploração” – Empoderamento Juvenil Introdução e explicação da sessão - Milena Pecarski

Envolvimento Juvenil na Sociedade: Direitos dos Jovens Os documentos referentes aos Direitos dos Jovens foram apresentados e discutidos, seguidos de uma avaliação do progresso em certos países/regiões. O que nós, membros do Movimento Escoteiro, fazemos para a melhoria dos Direitos dos Jovens? Esta discussão resultou na Recomendação mais secundada deste Fórum, Recomendação P: Organização Mundial Escoteira e a Declaração Universal dos Direitos Humanos - Crescendo, Criando um Mundo Melhor.


14.30 Sessão 4: “Desenvolvimento” Escotismo Mundial – “De uma idéia para uma Recomendação” Introdução e explicação do processo de como escrever e propor recomendações/resoluções - Milena Pecarski Além das eleições, uma importante parte do Fórum é o processo de elaboração e aprovação de Recomendações ao Comitê Mundial Escoteiro. Neste Fórum as Recomendações abordaram os seguintes temas: Participação Juvenil em todos os níveis; Comunicação e Cooperação; Representantes, Parcerias, Relações Públicas e Política de Marca; Alcançando nossas Metas; Meio-Ambiente e; Fórum Mundial de Jovens Escoteiros. A delegação brasileira propôs a Recomendação Q: Provisão para o suporte de membros com deficiência no Escotismo e secundou a Recomendação J: Tradução Linguística para a OMME. 15.00 Apresentação dos Candidatos Explicação do processo de eleição dos Conselheiros Juvenis para o Comitê Escoteiro Mundial (2011-2014). Os Conselheiros Juvenis eleitos no Fórum Mundial de Jovens Escoteiros farão parte do Comitê de Planejamento do 12º Fórum Mundial de Jovens. • Apresentação dos Candidatos Esse Fórum, não só contou com um maior número de candidatos a posição de Youth Advisor (Conselheiros Juvenis), como também de posturas mais agressivas que o Fórum anterior. Alguns candidatos entregaram folhetos com suas campanhas e detalhando seu perfil, por exemplo. Houveram campanhas de várias formas diferentes. Uns apelaram para a parte mais emocional entregando folhetinhos que terminavam com a expressão “with love” (“com amor”), ou recorrendo a ajuda de ursinhos de pelúcia fofinhos para serem lembrados. Outros fizeram discursos muito bons e sérios sobre a opinião dos candidatos quanto ao Escotismo.

Pudemos observar ainda que, o famoso discurso “Close your eyes and imagine the Scouting in the future” (“Feche os olhos e Imagine o Escotismo no futuro”), que a então Conselheira Juvenil Fernanda Soares utilizou no fórum da Coréia, foi um caso de sucesso, reaparecendo neste Fórum em termos muito semelhantes.


O nosso candidato fez a seguinte apresentação:

“Ooooooooooi

Hoje eu estou honrado de estar aqui com todos vocês, meus colegas. Meu nome é Felipe de Paulo, membro da União dos Escoteiros do Brasil no Rio de Janeiro, assistente de Tropa Escoteira e Cordenador do Núcleo Nacional de Jovens. Neste momento eu deveria repetir cada posição ou tarefa que eu realizei em minha Associação, meu currículo, minhas aspirações, meu perfil...mas, desta vez, eu vou fazer um pouco diferente. Eu estou aqui para fazer um convite...um convite ao trabalho. Nós não podemos perder a esperança de que os jovens podem fazer a diferença. Nós somos o que a sociedade nos chama de geração Y. Não há nome que nos defina, mas a nossa responsabilidade está pronta, esperando por mim, esperando por todos vocês, pelos nossos amigos que não puderam vir para o Brasil e pelo Movimento Escoteiro. Nós somos os catalizadores das grandes mudanças. Nós somos confiantes. Nós somos conectados..Nós somos pragmáticos e algumas vezes multi-tarefas. Nós somos abertos à mudanças.

O Escotismo do passado foi escrito em livros e guias, mas nós temos que olhar para o nosso futuro como Organização. Nós temos a obrigação de escrever esse caminho porque nós estamos aqui agora. Como B-P disse, somente com uma ativa cidadania, somente sendo o ator principal dessa mudança, somente remando nossa própria canoa nós vamos conseguir alcançar a nossa missão. Sendo um Escoteiro, eu peço à vocês para se juntarem a mim e divider algumas experiências com outros Escoteiros, e juntos vamos criar a mudança para atingir a nossa missão…criar um mundo melhor. Para maiores informações ou dúvidas, por favor sinta-se a vontade para me contactar.

Obrigado! “


17:00 Sessão 4 (continuação): “Desenvolvimento” Escotismo Mundial “Contando a História” Introdução e explicação - Nadia Morrone Para que tenhamos sucesso na popularização do Escotismo e para explicar o valor que isso tem na vida das pessoas, a habilidade de contar a história é necessária. Os participantes tiveram a oportunidade de debater em como fazer isso e aprender com o que está sendo feito. 18:00 Feira de Projetos “Impacto na Sociedade” Os participantes tiveram a oportunidade de exibir seus projetos e iniciativas nacionais (especialmente ligados ao Scouts of the World Award, Educação para a Paz, Educação Ambiental ou Desenvolvimento Comunitário), mostrar como os Escoteiros podem fazer mudanças positivas na sociedade e também aprender a partir de outras experiências. 20:00 Jantar – Menus de Discussão Introdução e explicação da sessão - Nadia Morrone e Mario Diaz Martinez, Os menus de discussões da janta foram Tópicos da 39a Conferência Mundial Escoteira. Através desse menu especial, os participantes tiveram a oportunidade de discutir um grande número de temas da Agenda da Conferência. As discussões se realizaram informalmente, sem nenhum tipo de relatório para a WOSM. O jantar funcionou da seguinte forma: O participante entrava no restaurante e escolhia uma mesa, esperando até completá-la. Ao completar a mesa, os participantes se serviam e voltavam à mesma para a discussão do primeiro assunto do menu. Assim prosseguia-se o jantar até a sobremesa, onde os participantes retornavam ao buffet e posteriormente à mesa para a discussão do último tema. Abaixo, seguem as perguntas do Menu de discussões

Entrada: . Na Conferência Mundial Escoteira, os países deveriam ter diferentes números de votos dependendo do seu censo e das taxas de adesão que pagam, e não todos possuírem os mesmos números de votos. Prato principal: . Quando assumindo posições de alta responsabilidade nas Organizações Escoteiras, as mulheres não deveriam ter as mesmas oportunidades que os homens. Sobremesa: . Deveria-se haver um certo limite de idade, por exemplo 50 anos, para poder se tornar um cadidato ao Comitê Mundial.


QUARTA-FEIRA 5 DE JANEIRO DE 2011 “DESENVOLVIMENTO” - “RESPOSTA” 09.00 Sessão 4 (continuação): “Desenvolvimento” Empoderamento Juvenil Introdução e explicação - Milena Pecarski O objetivo da sessão foi apresentar e explorar o conceito de habilidades para a vida e identificar as habilidades essenciais para a vida necessárias para desempenhar um papel ativo e significativo na sociedade. Os participantes foram convidados a desafiar uma abordagem existente na educação baseada em habilidades. Nesta sessão fomos convidados a fazer uma reflexão sobre as habilidades necessárias para a vida, no sentido de avaliar se o Movimento Escoteiro vem contribuindo ou não para o seu desenvolvimento. A maior parte das habilidades comentadas foram: o bom gerenciamento do tempo, habilidades de comunicação e trabalho em equipe, criatividade na resolução de problemas, entre outras. De uma forma geral a vivência do Método Escoteiro auxilia no desenvolvimento de tais habilidades. 11.30 Fórum Aberto/ Workshops Introdução e explicação da sessã - Fernanda Soares Conselheira Juvenil do Comitê Mundial Os participante debateram durante o Fórum Aberto temas propostos por eles mesmos. O Comitê Organizador e organizações convidadas também puderam propor tópicos para o Fórum Aberto e coordenar a discução desses temas. 14.30 Eleição dos Conselheiros Juvenis Momento de Votação, Eleição dos Conselheiros Juvenis do Comitê Mundial do Escotismo (2011-2014)

Os delegados do Fórum elegeram seis Conselheiros Juvenis entre os presentes na lista de candidatos a Conselheiros Juvenis distribuídos no Documento 7, essa lista foi enviada a todas as Organizações Escoteiras Nacionais antes do Fórum. Cartões de voto foram distribuídos no início do fórum para cada delegação com direito a voto. Cada delegação tem 30 votos para distribuir entre, obrigatoriamente no mínimo, 6 candidatos. Os cartões de voto não deveriam conter nada além do número de votos para cada candidato. Os Conselheiros Juvenis eleitos irão atuar no Comitê de Planejamento do 12º Fórum Mundial de Jovens Escoteiros. 15.00 Eventos Escoteiros Mundiais e apresentação de boas práticas, (Jamboree Mundial do Escotismo 2011 na Suécia, Multirão Mundial do Escotismo, Apoio ao Haiti). 15.30 Resultado da eleição para Conselheiros Juvenis Anúncio do resultado Felipe de Paulo(Brasil) - 94 Votos Esben Holager (Dinamarca) - 89 Votos Sarah Rita Kattan (Líbano) - 81  Votos Doina Postica (Moldávia) - 77  Votos Vermund Ovesen (Dinamarca) - 67  Votos Muath Zmaili (Jordania) - 65 Votos Grace Lawlor (Irlanda) - 56 Votos Zachariah Obati Munayi (Quenia) - 54 Votos Ilyas Ismayilli (Azerbaijão) - 52 Votos Edieusdi Bin Ahmad (Singapura) - 50 Votos Richard Do-Hyun Kim (Coréia) - 44 Votos Kwok-hei Dicky Lam (Hong Kong) - 39 Votos


Os 6 novos Coselheros Juvenis pelos próximos 3 anos são: Felipe de Paulo(Brasil) Esben Holager (Dinamarca) Sarah Rita Kattan (Líbano) Doina Postica (Moldávia) Vermund Ovesen (Dinamarca) Muath Zmaili (Jordania) Os 6 novos conselheiros decidiram por consenso unânime que Felipe de Paulo será o Presidente do 12˚ Fórum Mundial de Jovens, em 2014 na Eslovênia.

15:40 Sessão 5: “Resposta” - O Movimento Escoteiro Mundial Revitalizando o Programa Escoteiro Introdução e explicação da sessão - Fernanda Soares Os participantes foram divididos entre os ramos do Programa Escoteiro, para trocar experiências em ações para crescer. 17:00 Sessão 5 (continuação): “Resposta” - Movimento Escoteiro Mundial Introdução e explicação da sessão - Nadia Morrone Introdução e explicação do exercício - Mario Diaz Martinez Os participantes serão desafiados através de um exercício a desenvolver a visão para a futura Estratégia para o Escotismo. QUINTA-FEIRA 6 DE JANEIRO DE 2011 “RESPOSTA” 09:00 Sessão 6: “Resposta” - Empoderamento Juvenil Compromisso Pessoal Introdução e explicação da sessão - Fernanda Soares É importante que os participantes aprendam a traçar eles mesmos objetivos de curto e longo prazo, para colocar em prática um quadro de compreensão, suas intenções para atingir esses objetivos, bem como seu papel nas mudanças que eles desejam ver. 10:00 Encontros Regionais Introdução e explicação - Fernanda Soares Momento onde cada Região teve espaço para realizar encontros formais de seus participantes.Um ponto importante nas próximas edições seria espalhar os membros da delegação em outros encontros.


11:30 Sessão de Recomendações Introdução e explicação da sessão - Milena Pecarski • Apresentação das recomendações • Discussão das recomendações Momento de Votação - Adoção das recomendações O Brasil apresentou junto com a Irlanda uma recomendação sobre deficiência e inclusão. Além disso, participou de uma recomendação em conjunto com toda a Região Interamericana referente a tradução em eventos escoteiros, em especial o Fórum Mundial. Foram aprovadas ao total 25 recomendações: -­‐Par0cipação Juvenil  em  todos  os  níveis Recomendações  A,  B,  C,  D,  E,  F,  G  e  H

A fim de permitir que os participantes do Fórum Mundial de Jovens Escoteiros estejam em contato antes, durante e depois do Fórum, uma página de discussões foi criada na Internet, com o nome de ScoutPost 17:30 Discurso do Secretário-Geral Posse dos novos Conselheiros Jovens, apresentação e discurso do presidente do próximo Fórum Mundial, Felipe de Paulo. SEXTA-FEIRA 7 DE JANEIRO DE 2011 - “RESPOSTA” Partida: para aqueles que iriam a Curitiba alguns dias de descanso em Florianópolis para recarregar as baterias para mais um desafio a Conferência Escoteira Mundial.

-­‐Comunicação e  Cooperação Recomendações  I,  J  e  K -Representantes,  Parcerias,  relações  públicas  e  Polí0ca  de  Marca  Recomendações  L,  M  e  N -­‐Alcançando  nossas  metas Recomendações  O,  P,  Q  e  R -­‐Meio-­‐Ambiente   Recomendações  S  e  T -­‐Fórum  Mundial  de  Jovens Recomendações  U,  V,  W,  X  e  Y   16:30 Avaliação do 11º Fórum Mundial de Jovens Escoteiros 17:15 Usando o ScoutPost

Nos vemos na Eslovênia!


Anexos 1) RECOMENDAÇÕES DO 11º FÓRUM MUNDIAL DE JOVENS ESCOTEIROS AO COMITÊ MUNDIAL ESCOTEIRO

juntos para proposcionar um Escotismo melhor para mais pessoas;

ENVOLVIMENTO JUVENIL E EMPODERAMENTO JUVENIL NOS NÍVEIS NACIONAIS, REGIONAIS E MUNDIAIS

• Encoraje as Associações Nacionais a criar e identificar oportunidades para os jovens se envolverem nas tomadas de decisão em nível local, institucional e na comunidade; • Recomende que cada Associação Nacional estabeleça objetivos para o envolvimento juvenil de forma que o progresso e as conquistas possam ser mensuradas; • Estabeleça objetivos para o envolvimento juvenil dentro da estrutura da WOSM de forma que o progresso e as conquistas sejam mensuráveis; • Crie um plano de implementação para que os objetivos sejam atingidos durante o próximo triênio; • Relate a próxima Conferência o progresso feito na busca da visão para o envolvimento juvenil nas tomadas de decisão dentro da estrutura da WOSM e como continuar o progresso; • Desenvolva ferramentas de suporte para o envolvimento juvenil nas Associações Nacionais; • Monitore o progresso do envolvimento juvenil nas Associações Nacionais; • Foque no envolvimento juvenil e suas comunicações.

Recomendação A: ENVOLVIMENTO JUVENIL NOS PROCESSOS DE DECISÃO

O 11º Fórum Mundial de Jovens Escoteiros: • Reconhecendo a importância dos jovens no processo de decisão como uma parte chave do Método Escoteiro; • Considerando as diversas Resoluções sobre o envolvimento juvenil (2/93, 10-13/99, 6/02, 11/05, 14/08) e a necessidade de ações concretas para atingir o progresso; • Reconhecendo que os jovens são cidadãos de hoje e que eles tem o direito de estarem envolvidos nos processos de decisão que afetam as suas vidas; • Reconhecendo o progresso no envolvimento juvenil através da adoção das Prioridades Estratégicas e particularmente da Prioridade Estratégica 1: Envolvimento Juvenil; • Reconhecendo que muitas Associações Nacionais tiveram um grande progresso no envolvimento dos jovens nos processos de tomada de decisão em nível local, institucional e dentro das comunidades locais; • Pedindo que as Associações Nacionais adotem a visão para o envolvimento juvenil estabelecida no Documento número 14 da Conferência; • Desejando um objetivo final onde os Escoteiros não são julgados pela idade mas por sua habilidade e experiência, resultando em Escoteiros de todas as idades trabalhando

Recomenda ao Comitê Escoteiro Mundial:

Recomendação B: GARANTINDO O ENVOLVIMENTO JUVENIL NO COMITÊ MUNDIAL O 11º Fórum Mundial de Jovens Escoteiros: • Reconhecendo os esforços passados com o objetivo do envolvimento juvenil em todos os níveis de governança no Movimento Escoteiro;


• Notando com pesar que o objetivo de envolver o jovem no Comitê Mundial Escoteiro e nos Comitês Regionais não foi atingido; • Profundamente preocupados com o fato das recomendações e resoluções passadas não levaram ao atingimento do objetivo mencionado acima; • Dando as boas vindas a emenda proposta no Artigo XIII 2a da Constituição do Comitê Mundial Escoteiro como uma medida provisória para atingir um maior envolvimento juvenil a nível mundial; Recomenda que: • As Associações Nacionais considerem fortemente apoiar as propostas de emenda da Constituição, Artigo XIII 2a, do Comitê Escoteiro Mundial; • O Comitê Mundial empenhe-se ainda mais para garantir o envolvimento juvenil em todos os níveis do Movimento Escoteiro. Recomendação C: NOMINANDO CANDIDATOS JOVENS AO COMITÊ MUNDIAL ESCOTEIRO O 11º Fórum Mundial de Jovens Escoteiros: • Preocupado com a falta de candidatos juvenis para o Comitê Mundial Escoteiro; • Reafirmando que o Fórum Mundial de Jovens Escoteiros é uma medida provisória; • Considerando que o atingir o envolvimento juvenil legitimo na WOSM irá necessitar uma mudança de cultura; • Considerando que os movimentos propostos pelo Comitê Escoteiro Mundial para aumentar o nível de participação juvenil na 39ª Conferência Mundial Escoteira podem não ter acontecido e que novas medidas são necessárias; • Lembrando que os Conselheiros Juvenis podem ser considerados os representantes mais legitimos dos membro juvenis da WOSM;

Recomenda que: • Se as medidas propostas pelo Comitê Mundial Escoteiro para aumentar o nível de participação juvenil não forem aprovadas na 39ª Conferência Mundial Escoteira, o Comitê Mundial Escoteiro explore em quais circunstâncias a idéia de que os Coselheiros Juvenis tem o direito de nomear candidatos para a eleição do Comitê Mundial Escoteiro seriam confiáveis; • O Comitê Mundial Escoteiro proponha a 40ª Conferência Mundial Escoteira as medidas relevantes necessárias para atingir este objetivo; • O Comitê Mundial Escoteiro continue a explorar outras opções. Recomendação D: NOMEANDO CANDIDATOS JOVENS AO COMITÊ MUNDIAL ESCOTEIRO O 11º Fórum Mundial de Jovens Escoteiros: • Reafirmando a Recomendação B/08; • Reconhecendo que o Fórum Mundial de Jovens Escoteiros é uma medida provisória para alcançar o envolvimento juvenil; • Convencido que as Organizações Escoteiras Nacionais por falta de motivação ou de meios para propor candidatos jovens para o comitê Escoteiro Mundial; • Acreditando que há um “Glass Ceiling” para a participação juvenil na governança da WOSM; • Convencido que o envolvimento dos jovens na WOSM ainda requer uma mudança na cultura organizacional sobre as relações percebidas entre idade e competência; Recomenda que: • As Organizações Escoteiras Nacionais nomeiem candidatos jovens a posições de responsabilidades em todos os níveis; • O Comitê Mundial Escoteiro enfatize, particulamente na Conferência Escoteira Mundial, que haja um leque de jovens


candidatos na eleição para o Comitê Mundial Escoteiro;

O 11º Fórum Mundial de Jovens Escoteiro:

• O Comitê Mundial Escotiero desenvolva novas ações e medidas para garantir a eleição de jovens candidatos ao Comitê Mundial Escoteiro..

• Afirmando os passos concretos que foram tomados ao nível mundial no campo do envolvimento juvenil na tomada de decisões através da Prioridade Estratégica numero um “Envolvmento Juvenil” e o Processo dos Conselheiros Juvenis; • Notando o limitado Envolvimento Juvenil nos níveis Regional e Nacional, que é menos que o esperado considerando todos os esforços nesse campo; • Acreditando plenamente que o Empoderamento Juvenil ainda não está no patamar desejado, mesmo com toda a orientação e conhecimentos ministrados

R e c o m e n d a ç ã o E : D E L E G A D O S J O V E N S PA R A A CONFERÊNCIA ESCOTEIRA MUNDIAL O 11º Fórum Mundial de Jovens Escoteiros: • Apreciando os esforços do Comitê Escoteiro Mundial para encorajar as Organizações Escoteiras Nacionais para incluirem jovens nas suas delegações para a Conferência Mundial Escoteira; • Observando que, apesar de numerosas recomendações e resoluções, a questão ainda não foi totalmente implementada por todas as Organizações Escoterias Nacionais: • Percebendo que alguns países ainda não incluem jovens em suas dlegações para a Conferências Muindial Escoteira; • Percebendo que enquanto muitos países incluem jovens nas suas delegações para a Conferência Mundial Escoteira, não dão a eles a posição de delegados mas sim de observadores; Recomenda que: • O Comitê Mundial Escoteiro incentive as Organizações Escoteiras Nacionais para incluirem jovnes nas suas delegações para a Conferência Mundial Escoteira; • O Comitê Mundial Escoteiro comprometa-se a analizar a atual situação e que baseado nessa desenvolva metodos contitucionais para garantir que jovens estejam inclusos nas delegações e garanta que eles tenham a posição de delegados; R e c o m e n d a ç ã o F : E N V O LV I M E N T O J U V E N I L E EMPODERAMENTO JUVENIL NO NIVEL REGIONAL

Recomenda que: • O Comitê Mundial Escoteiro encoraje os comitês Escoteiros Regionais em cada Região para mudar o sistema de eleição dos comitês Escoteiros Regionais para que haja pelo menos um eleito com menos de 30 anos na data da eleição, e recomenda fortemente que as Regiões envolvam pelo menos um jovem em cada sub-comitê regional Recomendação G: DIREITOS DOS JOVENS O 11º Fórum Mundial de Jovens Escoteiros: • Percebendo que muitos jovens não tem consciência de seus direitos e deveres em posições de liderança; Recomenda que: • Treinamentos devem ser realizados nos termos de referência, descrição de cargos, política organizacional e regras, e, acima de tudo, na constituição funcional existente da WOSM; • Toda esta informação deve ser facilmente acessível aos jovens. Recomendação H: PLATAFORMA ONLINE DO ESCOTISMO MUNDIAL O 11º Fórum de Jovens Escoteiros:


• Relembrando a Prioridade Estratégica número 1: Envolvimento Juvenil; • Tendo em mente que a prática leva ao bom trabalho; • Notando que a contribuição de ambos adultos e jovens são importantes para o sucesso nas tomadas de decisão; • Considerando que o Movimento precisa de uma comunicação mais eficiente entre os membros afim de implementar projetos inovadores alinhados com o espírito do Movimento; • Considerando o direiro de expressão; • Notando que o ScoutPost é uma ferramenta limitada aos participantes futuros e passados dos Fóruns; Recomenda que: • O processo de coleta de boas práticas seja mais dinâmico; • Que o Comitê Mundial Escoteiro estabeleça um grupo de trabalho para desenvolver uma plataforma online, em colaboração com os Conselheiros Juvenis eleitos no 11º Fórum Mundial Escoteiro, pronta para ser utilizada na próxima Conferência Mundial Escoteira; • Esta plataforma deve facilitar o alcance dos seguintes objetivos: o Debates das questões atuais de nosso Movimento; o Lançamento de projetos inovadores alinhados com a visão do Movimento Escoteiro; o Facilitar a promação e comunicação de eventos internacionais; o Seja acessível a todos os Escoteiros; • Fundos suficientes sejam alocados afim de permitir e garantir a criação e manutenção desta plataforma online; • A WOSM deve encorajar as Associações Nacionais para divulgar a existência desta plataforma; • Um Termo de Utilização contendo as regras de polidez e atitudes aceitáveis deve ser definido; • Um time de moderação neutro deve ser definido para: o Manter a plataforma durante o tempo; o Garantir a realização de um relatório trimestral sobre os tópicos levantados através da plataforma e um resumo de suas conclusões;

o

Distribuir um newsletter para os Escoteiros listando as questões atuais, projetos e eventos discutidos na plataforma.

COMUNICAÇÃO E COOPERAÇÃO Recomendação I: COMPARTILHAMENTO DE MELHORES PRÁTICAS NO CAMPO DE MATEIRAIS DE PROMOÇÃO O 11º Fórum Mundail Escoteiro: • Fazendo referência a Prioridade Estratégica número 1, Fortalecendo a Marca do Movimento Escoteiro Mundial como proposto pelo Comitê Mundial no Documento da Conferência número 8 da 39ª Conferência Mundial Escoteira: “Para melhorar a imagem do Movimento Escoteiro e fortalecer o sentimento de pertencimento entre seus membros”; • Apreciando os esforços de muitas Associações Nacionais para promover o Escotismo como um Movimento da juventude e moderno através da produção de materiais como chamadas de TV, campanhas em posters, cartões postais , roupas e muitos outros; • Lamentando o fato de que a troca de melhores práticas na área mencionada acima é limitada; • Notando que as campanhas promocionais são altamente intensivos de recursos; • Convencido que muitos materiais de divulgação local podem ser facilmente adaptados para países e regiões além do país de origem; • Convencido profundamente da veontade de muitos Escoteiros de adquirir produtos de vestuário de outros países para demonstrar a dimensão internacional do Escotismo; • Estando ciente que uma seção de compra no Escotismo Mundial de coleções internas ao invés de materiais de promoção; Recomenda que:


• O Comitê Mundial Escoteiro facilite a troca entre materiais de promoção das Associações Nacionais pela introdução de uma plataforma compartilhada de fácil acesso a todos os Escoteiros de todos os níveis dentro do Movimento Escoteiro; • O Comitê Mundial Escoteiro apoie as Associações Nacionais a compatilhar suas melhores práticas no campo de merchandising e materiais promocionais contribuindo com esta plataforma; • O Comitê Mundial Escoteiro trabalhe no lançamento de uma seção dentro da área de compras da Loja Mundial Escoteira onde roupas nacionais de sucesso possam ser adquiridas. Recomendação J: TRADUÇÃO LINGÜÍSTICA PARA A WOSM O 11 Fórum Escoteiro Mundial de Jovens: • Em virtude da diversidade cultural e lingüística inerente aos participantes do Fórum Escoteiro Mundial de Jóvens e o nível de participação necessária para cumprir plenamente as discussões do Fórum; • Reconhecendo que o Inglês e o Francês como línguas oficias da WOSM (Por-Lei I) são insuficientes para dar voz de forma adequada aos Escoteiros no mundo; • Reconhecendo que muitos Escoteiros que não falam Inglês ou Francês fluentemente o fazem com desvantagem para os seus colegas que falam fluentemente Inglês e Francês (coloquei aqui o fluente ao invés de nativo – depois deem uma olhada nesse ponto para mim); • Reconhecendo que a maioria dos Escoteiros que não falam Inglês ou Francês são severamente limitados a participarem do mundo Escoteiro; • Reconhecendo que tais inadequações linguísticas foram feitas durante o 9 Fórum Escoteiro Mundial de Jovens na Tunísia em 2005; • Reconhecendo que o uso de uma lingua própria é inerente ao direito humano, habilitando-o como indivíduo; Recomenda que:

• O Comitê Mundial Escoteiro conduza um estudo, e o resultado do mesmo deverá ser apresentado na 40 Conferência Escoteira Mundial, na possibilidade da WOSM Pela-Lei IV parágrafo I seja emendada como: “As línguas oficiais da Organização Mundial são o Inglês e Francês, e que os documentos da WOSM sejam também disponíveis em Espanhol, Árabe e Russo.” Estas são as cinco línguas da Conferência de acordo com a Resolução 9/99; • Tendo em mente o enorme custo de tradução e a falta do uso de tradução simultânea no Fórum, os estudo deverá focar primeiramente na tradução das publicações e no papel que as Regiões e Organizações Nacionais do Escotismo podem desempenhar no processo de tradução; • Que o Comitê Escoteiro Mundial discuta a implementação do Espanhol como tradução simultânea oferecida ao Fórum Escoteiro Mundial de Jovens, em ordem a ter um melhor envolvimento dos jovens participantes, que não o podem integralmente fazê-lo em Inglês ou Francês; • Que o Comitê Escoteiro Mundial reconheça o valor de cada língua nativa Escoteira e o seu direito de falá-la, e promova a utilização das referidas línguas em cada país e no nível mundial, tendo em consideração que na próxima Conferência Escoteira Mundial seja feita a adição de um terceiro parágrafo Pela-Lei IV considerando, “Todas as línguas faladas pelos Escoteiros são respeitadas e valorizadas pela Organização Mundial, e que a mesma irá promover e facilitar seu uso sempre que possível.” Recomendação K: DIVERSIDADE DE ESCOTEIROS AO NIVEL NACIONAL O 11º Fórum Mundial de Jovens Escoteiros: • Observando que o diálogo espiritual e inter-religioso(não sei se inter-crenças existe em português) é difícil de se estabelecer e geralmente cria tensões entre diferentes Associações Escoteiras Nacionais dentro de um país;


• Apreciando os esforços apresentados pela WOSM para encorajar um melhor diálogo entre diferentes Associações Escoteiras Nacionais dentro de um país; Recomenda ao Comitê Mundial Escoteiro: • Que continue encorajando as Associações Escoteiras Nacionais dentro de uma Federação a se cooperarem e trabalharem ainda mais juntas, particulamente aos niveis nacional e local; • A encorajar Associações Escoteiras Nacionais dentro de uma Federação a reconhecer o fato de que os jovens querem maior comunicação entre AENs e facilitar essa comunicação. REPRESENTAÇÃO EXTERNA, PARCERIAS, IMAGEM E MARCA Remomendação L: RELAÇÕES EXTERNAS E PORTA-VOZES JOVENS O 11º Fórum Mundial de Jovens Escoteiros: • Considerando que o Escotismo não é separado do resto sociedade; • Reafirmando que o Escotismo é uma movimento para jovens apoiado por adultos e assim sendo o Escotismo deve ser representado por jovens; • Reconhecendo a demanda das OENs para apoio da WOSM para suporte no trabalho com relações externas; • Notando que representação extrena por jovens e envolvimento juvenil na comunidade são boas ferramentas para educação cívica; • Notando com prazer o grande sucesso da iniciativa de Jovens Porta-vozes em muitas OENs em aumentar a participação juvenil e que levou a criar uma imajem juvenil; Recomenda que : • Essas OENs, os comitês Regionais e o Mundial usem mais jovens Escoteiros nas suas representações Externas;

• O Comitê Mundial Escoteiro adote o conceito de Jovens Portavozes e crie linhas gerais para a iniciativa, dando assim um exemplo para a OENs fazerem o mesmo; • Essas OENs e o comitê Mundial Escoteiro facilitem a cooperação entre e orientção para jovens Escoteiros trabalharem em relações externas e como porta-vozes • O Comitê Mundial Escoteiro reconheça e ativamente promova um impacto maior que os Jovens Porta-vozes possam ter na participação juvenil, defesa e engajamento na comunidade e que os Jovens Porta-vozes possam atualizar nossa marca e desenvolver mais a imagem juvenil do movimento. Recomendação M: REPRESENTANDO O ESCOTISMO MUNDIAL O 11º Fórum Mundial de Jovens Escoteiros: • Aplaudindo a iciativa de ver o Escotismo Mundial como um Movimento atrativo e retendo mais e mais jovens(especialmente adolecentes) de ambos os sexos e vindos dos vários segmentos da sociedade; • Felicitando o Bureau Mundial Escoteiro e o comitê Mundial Escoteiro pelo seu suporte e interesse em representação jovem em Eventos Internacionais; • Reconhencendo a necessidade de desenvolver o total potencial dos jovens, suportado por adultos que estão dispostos e aptos a desempenharem o seu papel educativo; • Valorizando as oportunidades que exsistem para o Escotismo ser representado em Conferências globais e eventos relacionados a sociedade civil; Recomenda ao comitê Mundial Escoteiro: • O Escotismo seja representado nas principais conferências Globais, para incrementar seu perfil e contribuir na tomada de decisões na sociedade em geral; • Que recrute delegados entre os jovens com as habilidades e experiência necessária para contribuir nesses eventos;


• Que suporte humano e financeiro seja fornecido para garantir que a delegação esteja inteiramente treinada e apoiada em suas funções; • Envolva-se com as Organizações Escoteiras Nacionais locais no planejamento e entrega das modalidades práticas para apoiar esses eventos. R e c o m e n d a ç ã o N : PA R C E R I A W O S M / G R U P O S COMUNITÁRIOS, NAÇÕES UNIDAS E ONGs O 11º Fórum Mundial de Jovens Escoteiros: • Constatando o pedido formulado pelas Organizações Escoteiras Nacionais (OENs) de apoio para a Organização Mundial do Movimento Escoteiro (OMME) na construção de parcerias com grupos comunitários, Organizações Não Governamentais (ONGs) e a Organização das Nações Unidas (ONU); • Acreditando na utilidade para as OENs se beneficiarem das experiências, as competências, habilidades, treinamento e profisionalismo de outros grupos da comunidade e ONGs a fim de alcançar e cumprir os objetivos de crescimento e diversidade estabelecida no plano estratégico de 2002; • Reconhencendo a necessidade de reforçar parcerias entre a OMME e a esfera de grupos comunitários e ONGs externas ao Movimento; Recomenda ao Comite Mundial Escoteiro que: • OENs e o Comitê Mundial Escoteiro audaciosamente considerem a formação de relações com outras ONGs que partilham os valores do Escotismo a fim de proporcionar novas propostas educaionais, tais como a Insígnia Mundial do Meio Ambiente e a Hora do Planeta, especialmente em redes com os jovens escoteiros que já estão ativos em outras ONGs, assim como as Nações Unidas; • Fortaleça suas relações com diferentes ONGs a fim de facilitar ativamente melhores projetos escoteiros e parcerias de longoprazo entre ONGs e OENs;

• Uma forte consideração das competencias específicas e profissionais dos grupos comunitários, ONGs e das Nações Unidas ao nosso Movimento; competências essa que podem trazer ajuda concreta e recursos úteis para as OENs e seus membros; • A idéia de um Movimento Escoteiro Mundial que é aberto pela primeira vez a competências e habilidades de outras organizações e gruopos comunitários, para, em seguida, juntos garantir uma maior e forte abertura, diversidade e impacto (minorias étnicas, diferentes niveis de riqueza, diferentes culturas, diferentes religiões, abertura a pessoas com deficiência física...). CRESCIMENTO Recomendação O: Organização Mundial do Movimento Escoteiro e a Declaração Universal dos Direitos Humanos Crescendo, Criando um Mundo Melhor. O 11˚ Fórum Mundial de Jovens Escoteiros: • Reafirmando a Declaração dos Direitos Humanos da ONU, a Convenção dos Direitos das Crianças, o Pacto Econômico Internacional, os Direitos Culturais e Sociais, a Convenção Internacional de Eliminação de qualquer forma de Discriminação das Mulheres, a Convenção Contra Tortura e outras Crueldades, a Punição pelo Tratamento Desumano ou Degradante, o Pacto Internacional nos Direitos Cívicos e Políticos e a Convenção Internacional de Eliminação de todas as Formas de Discriminação Racial, e considerando que o Escotismo ainda tem o propósito de fazer parte do trabalho internacional que precisa ser feito para proteger os direitos humanos e cívicos no mundo; • Reafirmando a Recomendação J/08 e a 4a prioridade estratégica “Crescimento”, vários desafios estratégicos foram identificados por um número de delegados durante o 11˚ Fórum Mundial de Jovens Escoteiros;


• Notando que o Artigo 2 da Declaração Universal dos Direitos Humanos afirma: “Cada pessoa possui todos os direitos de liberdade descritos nesta Declaração, sem distinção alguma, como raça, cor, sexo, idioma, religião, política ou outra opinião, origem nacional ou social, propriedade, nascimento ou outra situação”; • Reafirmando que o reconhecimento da dignidade inerente e dos direitos de igualdade e inegáveis de todos os membros da família humana é a base da liberdade, justiça e paz no mundo; • Reafirmando que a Declaração Universal dos Direitos Humanos aborda o princípio da inadmissibilidade da discriminação e proclama que todos os seres humanos nascem livres, igualmente dignos e dotados dos mesmos direitos e liberdades, estabelecidos sem nenhuma distinção; • Afirmando que a educação dos direitos humanos é chave para a mudança de atitudes e comportamento para promover o respeito às diversidades na sociedade, Recomenda que: • A Organização Mundial Escoteira deve lutar por esses direitos humanos e cívicos. A decisão é necessária para que o Comitê Mundial tenha como objetivo trabalhar para assegurar que todos os membros do Movimento Escoteiro possuam todos os direitos e liberdades descritos na Declaração Universal dos Direitos Humanos, sem distinção alguma como raça, cor, sexo, língua, religião, política ou outro tipo de opinião, origem nacional ou social, propriedade, orientação sexual, identidade de gênero, nascimento ou outra situação; • O Comitê Mundial: o Expresse a preocupação profunda na ocorrência de violações e discriminações dos direitos humanos no mundo devido a questões de raça, cor, sexo, língua, religião, política ou outra opinião, origem social ou nacional, propriedade, orientação sexual, identidade de gênero, nascimento ou outra situação; o Saliente que os direitos humanos e as liberdades fundamentais são os direitos de todos os seres humanos a partir de seu nascimento, que a natureza universal destes direitos e liberdades está fora de questão e que a sua prática não deve ser

dificultada de maneira alguma por questões de raça, cor, sexo, língua, religião, política ou outro tipo de opinião, origem nacional ou social, propriedade, orientação sexual, identidade de gênero, nascimento ou outra situação; o Reafirma que os objetivos da Prioridade Estratégica número 4 “Crescimento”, focam no Movimento Escoteiro ser uma força na sociedade através do impacto nos processos de decisão relacionados a diversidade, direitos cívicos e humanos e no trabalho de atingir diferentes segmentos da sociedade; o Identificar as necessidades de desenvolvimento de parcerias com outras organizações não-governamentais para auxiliar o Movimento Escoteiro a ter um maior impacto na sociedade; o Identificar a necessidade de uma estrutura mais definida em cada área, com uma estratégia clara, para dar suporte as Associações Nacionais frente ao trabalho com as diversidades, direitos cívicos e humanos e no atingimento de diferentes segmentos da sociedade; o Identificar as necessidades que precisam ser trabalhadas, por exermplo aspectos culturais e religiosos, nas quais existe a necessidade de que as Associações Nacionais desenvolvam suas próprias estratégias baseadas na missão definida pela Organização Mundial Escoteira, e considerando que o crescimento se trata principalmente de integração e assimilação; o Identificar a necessidade da Organização Mundial do Movimento Escoteiro coletar e distribuir melhores práticas de Associações Nacionais, fornecendo inspiração e ajuda na criação de estratégias para Associações Nacionais para focar o trabalho na diversidade, direitos humanos e cívicos, e o crescimento nos diferentes setores da sociedade dentro da perspectiva nacional e local; o Identificar a necessidade da Organização Mundial Escoteira implementar trabalhos na educação dos direitos humanos como uma parte das orientações do Programa Escoteiro para todos os grupos de idade;


o Salienta que a chave do sucesso é garantir que o Escotismo não possua nenhum tipo de discriminação e que a Organização Mundial Escoteira estar trabalhando no apoio às Associações Nacionais para trabalhar diretamente nas questões de diversidade, direitos humanos e cívicos e no atingimento de diferentes setores sociais.

• Que o Comitê Escoteiro Mundial siga esses princípios na condução de futuros Eventos Mundiais • Que o Comite Escoteiro Mundial trabalhe no sentido de reconhecimento geral do papel dos jovens na construção da paz pela comunidade internacional.

Recomendação P: JUVENTUDE, PAZ E SEGURANÇA

Recomendação Q: PROVISÃO PARA O SUPORTE DE JOVENS MEMBROS COM DEFICIÊNCIA NO ESCOTISMO

O 11º Fórum Mundial de Jovens Escoteiros:

O 11º Fórum Mundial de Jovens Escoteiros:

• Inspirado nas Resoluções 1325(Mulheres, paz e segurança) e 1612(Crianças afetadas pela guerra) do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas; • Reafirmando a Recomendação E/08 do Fórum Mundial de Jovens Escoteiros sobre o Premio Escoteiros do Mundo; • Reconhecendo a responsabilidade do Escotismo em responder as necessidades e desafios do mundo atual e da juventude; • Atento ao fato que crianças e jovens abaixo de 25 anos constituem mais da metade da população mundial • Apontando o fato de que 1,3 bilhões de jovens entrarão no mercado de trabalho nos próximos 10 anos e se espera que apenas 0,3 bilhões vão encontrar um trabalho; • Considerando que esses jovens são a construtores de pontes de hoje e lideres da comunidade e construtores do amanhã, tem portanto um papel crucial na construção de uma paz global sustentável; • Reconhecendo a importante papel dos jovens na construção da paz;

• Considerando que a deficiência é uma condição de saúde, imparidade ou problema funcional que pode dificultar a participação de um jovem nas atividades Escoteiras; • Entendendo que as consequências culturais, sociais e/ou econômicas destas dificuldades variam de acordo com as perspectivas históricas, do país, ou localidade; • Entendendo que sem assistência e atenção, as pessoas com deficiência podem ser marginalizadas e excluídas das atividades Escoteiras; • Reconhecendo a importância da inclusão no Escotismo como uma importante forma de modificação das atitudes na sociedade e comportamentos relacionados aos jovens com deficiência, e assim criando novas parcerias e alistando a coperação na comunidade na integração e suporte de tais pessoas; • Compreendendo que culturalmente o Escotismo contribui para construir comunidades que reconheçam e valorizem a diversidade onde existe espaço para todos;

Recomenda que:

Recomenda que:

• O Comitê Mundial Escoteiro reafirme seu compromisso com o Prêmio Escoteiros do Mundo e outras iniciativas de educação para a paz; • O Comitê Organizador do Jamboree Mundial Escoteiro continue com o bom trabalho de garantir um ambiente seguro para compreensão inter-cultural e educação para a paz no Jamboree Mundial Escoteiro de 2011;

• O Comitê Escoteiro Mundial priorize a inclusão de pessoas com deficiência para as Associações Nacionais. Devem haver iniciativas para promover treinamentos e materiais de suporte para os chefes das Associações Nacionais para incentivar a participação de jovens com deficiência.


Recomendação R: DIÁLOGO ESPIRITUAL E INTERRELIGIOSO O 11º Fórum Mundial de Jovens Escoteiros: • Afirmando o desenvolvimeto espiritual como uma parte fundamental do Programa Escoteiro criado por Baden-Powell; • Acreditando completamente que nossa diversidade de crenças nos torna mais fortes; • Notando com uma grande preocupação que a falta de diálogo inter-religioso no mundo é uma fonte de conflito; Recomenda que o Comitê Escoteiro Mundial: • Convide as Associações e Organizações Nacionais a realizar diferentes iniciativas para promover o diálogo espiritual e interreligioso; • Encorage as Associações e Organizações Nacionais a estabelecer orientações específicas para promover o desenvolvimento espiritual e inter-religioso. Recomendação S: DIÁLOGO INTER-RELIGIOSO E ESPIRITUAL O 11º Fórum Mundial de Jovens Escoteiros: • Afirmando que o desenvolvimento espiritual é uma parte fundamental no Programa do Movimento Escoteiro criado por Baden-Powell; • Acreditando realmente que nossas diferenças e crenças nos faça fortes; • Notando com profunda preocupação que a falta de diálogos inter-religioso através do mundo seja fonte de conflitos; Recomenda ao Comitê Escoteiro Mundial que: • Convide as OENs e as AENs a realizarem diferentes iniciativas de promoverem diálogos inter-religioso e espirituais;

• Encoraje as OENs e as AENs a estabelecerem linhas gerais específicas para desenvolver o diálogo inter-religioso e espiritual. MEIO-AMBIENTE Recomendação T: MEIO-AMBIENTE O 11º Fórum Mundial de Jovens Escoteiros: • Considerando o relatório de 2005 da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) que estima que a área total de florestas da Terra continue a diminuir 13 milhões de hectares por ano; • Reconhecendo que meio-ambiente é um tema central no Programa Escoteiro e que é o elemento chave para o desenvolvimento de bons cidadãos para o mundo; • Notando a importância do Meio-Ambiente para o Escotismo foi apontada na 37ª Conferência Mundial Escoteira com resoluções de educação ambiental e desenvolvimento sustentável, 18/05 e 20/05; • Notando o Programa Ambiental Mundial do Escotismo que foi publicado na 38ª Conferência Mundial Escoteira • Reconhecendo que uma quantidade significativa de papel é produzido e consumido para a produção e fornecimento de documentos para eventos mundiais escoteiros, como exemplo o Fórum Mundial de Jovens Escoteiros e a Conferência Mundial Escoteira; Recomenda que: • O Comitê Escoteiro Mundial encoraje ativamente Eventos Escoteiros Mundiais a providenciarem, quando possível, publicações e documentos em formato digital a fim de reduzir o impacto ambiental do evento. Recomendação U: FAZENDO BOAS AÇÕES PARA A NATUREZA


O 11º Fórum Mundial de jovens Escoteiros: • Reconhecendo que a vida selvagem como um dos maiores recursos que a Mãe Natureza nos proporciona; • Reconhecendo que os problemas ecológicos é a muito tempo uma consequência da ação humana; • Notando que apesar de estar mencionado na Lei Escoteira, “O Escoteiro é amigo dos animais”, pouca preocupação sobre a vida selvagem nativa pode ser observada; • Acreditando que este problema necessita nossa atenção dedicada; • Acreditando que isto é vital para ações pragmáticas a serem implementadas no Escotismo afim de sustentar a taxa atual de desenvolvimento; • Acreditando que a estabilidade ambiental deve ser uma de nossas maiores preocupações, que necessita atenção instantânea; • Notando que a Insígnia do Conservacionismo cobre uma série de áreas, como a avaliação do impacto ambiental e a preocupação com a poluição; • Notando com pesar que existem pequenas ações dos mambros Escoteiros apesar das campanhas: citando a Hora da Terra, o Dia Mundial de Meio Ambiente e uma avaliação do impacto ambiental dos eventos mundiais; • Compreendendo que o cumprimento dessas atividades não é o suficiente; Recomenda que: • • • •

As orientações sobre os problemas ambientais fornecidas pela WOSM incluam principalmente exemplos de diferentes possibilidades de programas; As orientações referentes aos problemas ambientais devem ser orientadas por metas para informar os Escoteiros sobre o que eles podem mudar; O cálculo do carbono deve ser conduzido ao mesmo tempo da avaliação dos impactos ambientais; A observação das habilidades na vida selvagem e práticas ambientais sejam encorajadas;

• Parcerias entre os Escoteiros e especialistas sejam estabelecidas. FÓRUM MUNDIAL DE JOVENS ESCOTEIROS Recomendação V: MELHORIA DO FÓRUM MUNDIAL DE JOVENS ESCOTEIROS O 11º Fórum Mundial de Jovens Escoteiros: • Reconhecendo a necessidade de rever constantemente os propósitos e valores do FMJE; • Tendo em mente o crescente número de jovens delegados que participam tanto do FMJE como da Conferência Mundial Escoteira; • Respeitando o valor de partilhar ideias, experiências e melhores práticas assim como aprender um dos outros no FMJE; • Reconhecendo a importância de um quadro de trabalho educativo para o Fórum; • Reconhecendo que o maior impacto que os membros do Fórum de Jovens podem ter sobre o Escotismo Mundial é através da elaboração de recomendações, tanto em tópicos levantados pela agenda do Fórum como em tópicos sugeridos por eles mesmos; • Reconhecendo também que os delegados do Fórum d eJoven são mais motivados pale elaboração de recomendações; Recomenda: • Mudanças entre o balanço das seções de preparação para a Conferência, assuntos mundiais, conhecimento sobre as OENs e compartilhamento de experiências, e recomendações; • A redução das seções de preparação para a Conferência, particularmente aquelas que serão repetidas durante a seção de treinos para a Conferência para pessoas que vem pela primeira vez a conferência e aquelas em que a voz da juventude possa ser ouvida suficientemente através da participação dos jovens na seções de discussão da Conferência;


um aumento no compartilhamento de experiência, conhecimento e melhores práticas nas OENs, assim como tempo para colaboração de OENs em temas que as afetem; • Um aumento na ênfase dada às recomendações e sua elaboração. Recomendação W: CULTURA DE TRABALHO E METAS DO FÓRUM O 11º Fórum Mundial de Jovens Escoteiros: • Reconhecendo que uma cultura contínua e coerente no Fórum Mundial de Jovens Escoteiros é pré-requisito para uma cultura sustentável e responsável de envolvimento juvenil; • Salientando que a cultura só pode ser alimentada através de melhorias contínuas; • Levando em conta que os participantes de cada Fórum Mundial de Jovens Escoteiros devem ter a chance de tomarem as decisões que eles consideram importantes enquanto mantem a coerência e continuidade do Fórum; • Acreditando que muitos dos tópicos de interesse ao jovens são complexos e a realização das aspirações dos jovens em relação a esses temas pode levar vários triênios e Fóruns para serem completados; Recomenda que: • O próximo Fórum Mundial de Jovens Escoteiros estabeleça claros objetivos de longo prazo para o Fórum e seus objetivos educacionais para os próximos três triênios e que esses objetivos sejam revistos no começo de cada Fórum; • O Comitê Escoteiro Mundial leve em conta esses objetivos quando tomarem decisões sobre as Orientações do Fórum Mundial de Jovens Escoteiros; • Que o Comitê Organizador do FMJE e o Comitê Escoteiro Mundial aloquem espaço suficiente no programa do Fórum Mundial de Jovens Escoteiros para considerações de longo prazo, relatórios e conclusões do Fórum.

Recomendação X: CONTINUIDADE NO FÓRUM MUNDIAL DE JOVENS ESCOTEIROS O 11º Fórum Mundial de Jovens Escoteiros: • Reconhecendo que o Relatório Final do FMJE é um canal de comunicação de um Fórum para outro; • Reconhecendo que o acompanhamento das questões e a ideias consideradas durante o Fórum são uma importante parte da criação de uma continuidade e coesão no Fórum; • Notando que os relatórios no momento não dão informação suficiente para uma avaliação crítica das ideias e realizações do Fórum anterior; • Enfatizando que muitas das recomendações são de longoprazo e estrategicamente orientadas; Recomenda que: • O Comitê Organizador do FMJE e o Comitê Escoteiro Mundial garante que haja espaço suficiente no Fórum para refletir e avaliar as Recomendações e conclusões do Fórum Anterior; • O Comitê Organizador do FMJE avalie antes do Fórum de Jovens se as Recomendações e conclusões do Fórum anterior foram alcançadas, e se isso não ocorreu, botar em discussão no próximo Fórum. Recomendação Y: OS CONSELHEIROS JUVENIS DEVEM SER CAPASES DE APRESENTAR RECOMENDAÇÕES O 11º Fórum Mundial de Jovens Escoteiros: • Reconhecendo que o Fórum de Jovens representa os jovens na OMME e que deve ter a melhor informação de fundo para fazer recomendações; • Tendo em mente que os Conselheiros Juvenis são escolhidos pelo Fórum Mundial de Jovens Escoteiros para representarem a juventude em reuniões do Comitê Escoteiro Mundial, e devido a essa experiência ele são os mais capazes de ligarem ideias e identificar áreas de melhorias no Escotismo Mundial;


Recomenda que: • O Comitê Escoteiro Mundial mude as orientações para permitir que os Conselheiros Juvenis tenham a oportunidade de proporem recomendações ao Fórum; • Entretanto os Conselheiros Juvenis não podem secundar nenhuma recomendação e que recomendações devem ser secundadas por nada menos que 2 OENs. Recomendação Z: PREPARAÇÃO PARA OS PARTICIPANTES DO FÓRUM MUNDIAL DE JOVENS ESCOTEIROS O 11º Fórum Mundial de Jovens Escoteiros: • Reconhecendo a importância do Fórum Mundial de Jovens Escoteiros em permitir que jovens no Escotismo discutam assuntos de importância no Escotismo a nível mundial; • Afirmando a meta do Escotismo global para envolvimento juvenil e tomada de decisões no Escotismo; • Reconhecendo a importância da preparação dos delegados para esse importante evento mundial; Recomenda que: • Seja dada a delegados jovens e delegações do Fórum a oportunidade de enviarem ao Comitê Organizador temas para discussão, antes do Fórum; • Que comunicados e documentos sejam enviados diretamente por e-mail para delegados jovens pré-registrados, com cópia para as OENs; • Uma estrutura de orientação seja estabelecida no Fórum, onde delegados que foram ao Fórum anterior, orientem e guiem os novos delegados e delegações; • OENs devem certificar-se através de reuniões de preparação que os participantes do FMJE estejam bem preparados com relação a materiais, documentos e assuntos tanto do Fórum como da Conferência.


report wsyf  

report do world scout youth forum

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you