Page 1

FACULDADE DE ECONOMIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO # 28 | JANEIRO-ABRIL 2013

FEP vence de novo competição internacional na área da gestão

UP CONQUISTA CAMPEONATO MUNDIAL DE DEBATE UNIVERSITÁRIO EM BERLIM Equipa constituída por Tiago Laranjeiro, estudante da FEP e Ary Ferreira da Cunha, estudante da FDUP, foram os grandes vencedores


JANEIRO | ABRIL 2013

DESTAQUE

Governador do Banco de Portugal defendeu na FEP reforma do setor do Estado

A habitual sessão solene de Abertura do Ano letivo da FEP voltou a contar com a presença de uma figura pública de relevo, ligada à área da Economia e das Finanças. O Governador do Banco de Portugal, Carlos da Silva Costa, foi o orador convidado e deixou algumas reflexões importantes e orientações estratégicas para o país, no atual contexto económico, excedendo mesmo as melhores expetativas em torno do seu discurso.

O Governador do Banco de Portugal afirmou na FEP ser necessária uma “reflexão profunda” acerca da organização e gestão do setor público, que tenha como objetivo aumentar a sua “eficiência”. Carlos Costa acrescentou ainda que “a prioridade “o maior para um país como Portugal deve ser o desafio que ajustamento orçamental, que incida na sua enfrentamos é maioria sobre a despesa”. Entre os grandes tornar Portugal desafios que Portugal tem pela frente, Carlos Costa diz que “o maior desafio que um país mais enfrentamos é tornar Portugal um país mais produtivo e produtivo e mais gerador de emprego”. mais gerador Estas declarações foram alvo de um forte de emprego”. tratamento na imprensa uma vez que Carlos Costa raramente faz discursos púbicos tão impulsionaram muitas das atitudes que contundentes, enquanto representante do então tomou. Banco de Portugal. O atual Presidente da CMP foi Presidente Durante a sessão de Abertura do Ano letivo da Associação de Estudantes da Faculdade foi ainda anunciado o vencedor do Prémio de Economia e a sua eleição representou Careira FEP 2012, que este ano distinguiu uma viragem “política” nos movimentos Rui Rio, Alumni da FEP e Presidente da estudantis existentes na época. Câmara Municipal do Porto. Os outros concorrentes ao prémio 2012 eram Ana Maria Fernandes, Presidente da EDP Brasil “NUNCA ABANDONE A PROFISSÃO” e o ex-ministro das Finanças, Fernando No seu discurso, Rui Rio deixou, no entanto Teixeira dos Santos. uma mensagem a toda assistência, em Rui Rio lembrou os tempos de estudante na particular aos jovens estudantes, apelando FEP e a sua influência na carreira política para que participem na vida pública e que acabou de seguir, o que em parte se política do país, mas que nunca deixem de ficou a dever aos momentos conturbados exercer a sua profissão. Rio lembrou que que Portugal vivia naquela altura e que

“a redução da dependência do financiamento público, para além de desejável, é imprescindível no atual contexto económico do país …” apesar de ter entrado ainda jovem para a política “nunca abandonou a profissão”, o que considera hoje uma mais-valia e um sinal de independência, importante para exercer qualquer cargo. “FAZER MAIS COM MUITO MENOS” O Diretor da Faculdade de Economia João F. Proença deu as boas vindas a toda a comunidade académica e aproveitou a ocasião para fazer um balanço do trabalho desenvolvido e dos projetos que a FEP continuará a perseguir, no sentido de manter a sua imagem de prestígio, qualidade, internacionalização e inovação, cujos resultados são hoje bem visíveis.

Ficha Técnica: Diretor: João F. Proença; Coordenação Redatorial: Gabinete de Marketing e Comunicação; Tiragem: 3500 exemplares; Periodicidade: Quadrimestral; Contactos: NotíciasFEP, Gabinete de Marketing e Comunicação da Faculdade de Economia da Universidade do Porto, Rua Dr. Roberto Frias, 4200-464 Porto; Tel.: 225 571 100; Fax: 225 505 050; E-mail: gmc@fep.up.pt Textos escritos ao abrigo do novo acordo ortográfico.

2


editorial

“… participem na vida pública e política do país, mas que nunca deixem de exercer a sua profissão…”

João F. Proença lembrou que os cortes e os ajustamentos a que o Ensino superior tem estado sujeito são muito dolorosos. “E é muito doloroso porque temos sido eficientes na Gestão”, rematou. O Diretor da FEP não resistiu a apresentar alguns resultados que demonstram essa eficiência: “Em 2010 apenas 38% das receitas da FEP eram receitas próprias. Estimamos que, em 2012, as receitas próprias da Faculdade sejam superiores a 50% do total. João F. Proença acrescentou ainda que “a redução da dependência do financiamento público, para além de desejável, é imprescindível no atual contexto económico do país para salvaguarda da capacidade de desenvolvimento da missão da FEP”. E sublinhou que “2012 será o primeiro ano da história recente da FEP que o financiamento por via do Orçamento de Estado é inferior a 50% do nosso Orçamento global. Ou seja a maioria do financiamento da nossa atividade já é resultado de receitas próprias da Faculdade”. Para além da questão financeira, o Diretor da FEP destacou ainda outras apostas estratégicas da Faculdade, nomeadamente a internacionalização da Escola, com dois cursos de mestrado lecionados integralmente inglês, as parcerias com Escolas internacionais e o aumento de estudantes estrangeiros. Os números da empregabilidade e a aproximação cada vez maior ao meio empresarial e ao mercado de trabalho foram outras das mensagens deixadas no seu discurso. O Reitor da Universidade do Porto, José Marques dos Santos, dirigiu-se aos

“…os esforços na vida académica vão ser no final recompensados, quer em termos de enriquecimento intelectual, quer em termos de competências científicas…”

estudantes dizendo estar certo que “os esforços na vida académica vão ser no final recompensados, quer em termos de enriquecimento intelectual, quer em termos de competências científicas, culturais e técnicas, quer ainda em termos de comportamento ético e cívico para fazer face às exigências do mercado de trabalho”. Por fim, o Presidente da AEFEP, Duarte Magalhães, destacou a existência de inúmeros organismos estudantis que enaltecem o nome da Faculdade, desenvolvendo um trabalho de estudantes para estudantes, com sentido de partilha, dedicação e empenho. “Espero que este ano, à semelhança dos anteriores, os organismos façam mais e melhor e que no final deste mandato possamos dizer que todos crescemos como pessoas, como cidadãos, como estudantes e sobretudo como futuros profissionais”.

“Espero que este ano, à semelhança dos anteriores, os organismos façam mais e melhor e que no final deste mandato possamos dizer que todos crescemos como pessoas…”

João F. Proença, Diretor e Presidente do Conselho Científico

No início do Ano Novo interessa refletir sobre 2012 e perspetivar 2013. Vivemos um período muito difícil. A dotação do Orçamento de Estado para as Universidades portuguesas tem-se reduzido substancialmente, colocando em causa a sustentabilidade das instituições de ensino superior portuguesas. Por isso, antes de mais, pretendo sublinhar o esforço que as Universidades públicas portuguesas e, em particular, os seus dirigentes, docentes, colaboradores não docentes e estudantes têm desenvolvido para garantir a manutenção da sua missão: ensino superior de qualidade, investigação de nível internacional e aplicação de conhecimentos através prestação de serviços ao exterior. Apesar do ciclo muito negativo que vivemos, a FEP tem demonstrado um grande dinamismo. Implementamos uma estratégia de afirmação nacional e internacional, racionalizamos custos e desenvolvemos as receitas próprias. Desde 2010, o corte do financiamento estatal à FEP atingiu mais de 2,5 milhões de euros (um corte superior a 32%), o que nos obrigou a desenvolver as receitas próprias e a obter ganhos de eficiência, em sintonia com o que o país nos exige. Nesse seguimento, 2012 será o primeiro ano em que as receitas próprias da faculdade serão superiores a 50% do seu orçamento. De salientar que apenas 65% dos custos com pessoal da Faculdade foram suportados pelo Orçamento do Estado, o que significa que as nossas receitas próprias já financiam a atividade da Escola e uma parte substancial dos seus custos com pessoal. Interessa pois continuar a desenvolver atividades que aumentem as receitas próprias e garantam a sustentabilidade da Escola num contexto crescentemente adverso. Temos dinamizado múltiplas iniciativas que se têm revelado determinantes para nos situarmos entre as melhores escolas de Economia e Gestão do país. (Continua na pág. 5)

3


JANEIRO | ABRIL 2013

DESTAQUE

POLITICAMente discutiu o Estado do regime e deixou reflexões para os mais jovens

O ciclo de conferências foi promovido pela FEP em colaboração com a Academia Política Apartidária (APA), constituída por jovens universitários da Faculdade de Direito, da Universidade Católica e da Faculdade de Economia interessados em participar e envolver os mais novos na vida política nacional. Esta iniciativa estendeu-se por três conferências e contou com a presença de prestigiadas figuras públicas como a exdeputada do Bloco de Esquerda, Joana Amaral Dias, Marcelo Rebelo de Sousa, a Presidente e deputada do partido Socialista Maria de Belém Roseira, o Presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Rio, e ainda Jaime Nogueira Pinto, Pacheco Pereira e o Bastonário da Ordem os Advogados, António Marinho Pinto. A última conferência teve a colaboração do jornal Expresso, e contemplou um espaço de debate conduzido pelo Diretor do Jornal, Ricardo Costa. Englobado no tema principal “POLITICAMente”, cada uma das conferências esteve subordinada à discussão de uma área específica. A primeira conferência, protagonizada por Marcelo Rebelo de Sousa e Joana Amaral Dias foi a mais participada, o que obrigou a FEP a improvisar novos espaços para todos os participantes poderem assistir ao debate. Uma situação que foi recebida com entusiasmo pelos oradores e elogiada pelo interesse suscitado junto dos jovens. Aliás esta foi uma das principais marcas deste ciclo, que terminou no passado dia 28 de novembro. Intitulada “Do Estado Constitucional ao Estado Inorgânico” foi o tema debatido pelos dois primeiros oradores que em plena discussão do Orçamento de Estado para 2013, não escaparam à “perseguição” dos jornalistas para se pronunciarem sobre a atualidade. No seu discurso, Joana Amaral Dias traçou

4

Entre outubro e novembro a Faculdade e Economia da Universidade do Porto voltou a ser o palco para mais um ciclo de conferências desta vez intitulado “POLITICAMente, cujo principal objetivo se centralizou na discussão e reflexão dos principais temas relacionados com o atual regime político e a situação do país, no contexto global. uma evolução histórica sobre o papel do Estado, referiu-se ao poder das manifestações, mas deixou uma reflexão: “Neste momento o Estado tal como o conhecemos encontra-se ameaçado”. Já Marcelo Rebelo de Sousa mostrou-se otimista e acredita que as situações de crise ajudam a desenvolver novos mecanismos políticos e jurídicos e que os ajustamentos acabam por aparecer. No entanto, sempre foi lembrando que “o problema é a rapidez dos ajustamentos” acrescentando que “as estruturas estão concebidas para um tempo e ajustamento muito lento e muitas vezes para um não ajustamento por causa de um fenómeno de inércia do próprio Governo”. O Professor universitário e comentador político do PSD concluiu que “o país está dividido em dois países, em dois tempos diferentes”. E aponta o problema do desemprego, a frustração de uma democracia falhada e um país mais novo que quer algo diferente, que reage, e que se encontra noutro tempo. “Há um deslaçar do tecido social, provocado pela crise e pelo desemprego”, concluiu, partilhando esta preocupação com a assistência que se espalhou por várias salas improvisadas para assistir a esta conferência. Rui Rio defendeu que os políticos têm de saber dizer “Não” Outro momento forte deste ciclo de conferências coincidiu com a participação de Maria de Belém Roseira e Rui Rio, a 14 de novembro. A deputada socialista e o socialdemocrata Rui Rio debateram o tema “Do Estado Social ao Estado Liberal”. Maria de Belém Roseira começou por lembrar que “o investimento na inteligência e no pensamento é muito importante para cada um poder exercer a sua cidadania”. Para a deputada do PS, o “Estado deve concentrar-se nas intervenções direcionadas para as pessoas e para os problemas reais da sociedade”, em


(Continuação da pág. 3)

vez de se desgastar em discussões que não apresentam resultados práticos para os reais problemas das pessoas. “Nós não nos podemos esquecer que a pobreza força o homem livre a agir como um escravo. Se o que se promete é o empobrecimento não podemos querer um país livre”, alertou Maria de Belém, citando Vítor Hugo quando este escreveu que “nenhuma política que não contenha o sonho tem capacidade de ter sucesso”. O Presidente da Câmara do Porto, Rui Rio centralizou o seu discurso na crise política. Para o economista, “os principais erros que levaram a esta situação não foram erros de natureza financeira e económica, mas sim erros de natureza política”. Na sua opinião, “foram as diversas políticas seguidas ao logo dos anos que nos levaram a tomar opções financeiras e que são hoje responsáveis pelo estado em que nos encontramos”. Reafirmando a sua convicção, segundo a qual a “origem da atual situação está na política do regime”, Rui Rio aponta vários problemas de ingovernabilidade. O Presidente da Câmara do Porto começa por lembrar que os partidos estão “desacreditados”, acrescentando que a classe política está “enfraquecida” e que existe uma “incapacidade política” para resolver os problemas, em face de um poder “cada vez mais frágil e desacreditado”. Neste enquadramento, Rui Rio deixou uma reflexão ao público presente: “Um poder político fraco, tem dificuldade em dizer não. E esta é que é a verdadeira essência do problema. Quando o poder político não tem força para dizer não e quando o interesse público o exige, é isso que vai ditar mais tarde ou mais cedo o crescimento da despesa pública”.

Para tal, contribuiu a entrada em funcionamento dos novos planos de estudo das Licenciaturas, melhor adaptados a Bolonha e articulados com os novos Mestrados de Continuidade da Faculdade. Criamos os dois primeiros Mestrados Internacionais da UPorto totalmente lecionados em inglês, o que mostra o nosso interesse na estratégia de internacionalização da Universidade. De sublinhar que estes dois Mestrados tiveram, na sua primeira edição, 25 e 18% de estudantes estrangeiros dos cinco continentes, indicadores que são idênticos aos das melhores Escolas portuguesas elencadas no exigente ranking do Financial Times. Temos as melhores médias de acesso ao Ensino Superior, mas decidimos que não pretendíamos recrutar apenas no nosso país e, por isso, os novos Programas Internacionais de Pós-Graduação permitem-nos agora também recrutar estudantes estrangeiros de elevada qualidade. Ainda, em 2012, a FEP foi considerada elegível para a acreditação EQUIS, que é a certificação internacional mais exigente na nossa área de intervenção. Trata-se do sistema de avaliação e melhoria contínua líder na Europa nas áreas da Economia e da Gestão, apenas ao alcance das melhores Escolas do mundo. Em 2013, este será um dos maiores desafios da FEP. A acreditação EQUIS tem como principal objetivo a melhoria contínua dos processos existentes, em todas as vertentes - ensino, investigação e prestação de serviços -, sendo uma peça fundamental na aferição da qualidade da Escola sobretudo a nível internacional. Consideramos que só haverá um ensino superior português de qualidade, se estivermos conectados e em interação com as melhores Escolas internacionais da nossa área. Por isso, em 2013, pretendemos afirmar, cada vez mais, a nossa dimensão internacional. A nossa investigação já está internacionalizada há muito tempo, sendo o nosso corpo docente composto por mais de 90% de doutorados que realizaram doutoramentos em universidades de todo o Mundo. A exposição e mobilidade internacional de docentes, investigadores e discentes faz parte da filosofia da FEP. Incentivamos cada vez mais os nossos estudantes a adquirirem experiências além-fronteiras, oferecemos num dos Mestrados Internacionais da FEP a dupla titulação com uma escola europeia muito reputada na área da gestão e detentora da tripla acreditação internacional (EQUIS, AACSB e AMBA) e temos vindo a desenvolver parcerias com instituições de muita qualidade e diversidade geográfica. Acresce ainda que a nossa comunidade de Alumni está muito dispersa além-fronteiras, o que nos confere uma rede vasta de contactos com empresas e outras organizações internacionais. Todo este esforço tem permitido obter excelentes resultados. Entre eles vale a pena destacar os indicadores de empregabilidade da FEP. Os níveis de empregabilidade dos estudantes da FEP ronda os 100%, o que é notável quando, como sabemos, infelizmente cerca de um terço dos jovens portugueses licenciados estão desempregados. Os indicadores da empregabilidade da nossa Escola contrastam com a realidade nacional. Muitos dos nossos estudantes integram-se no mercado de trabalho ainda antes de terminarem os seus cursos, sendo que 63% e 46% dos nossos estudantes de Mestrado e de Licenciatura, respetivamente, conseguem emprego antes de concluírem os seus cursos. Para alcançar estes indicadores tem contribuído, indubitavelmente, a forte interligação da nossa instituição com o mercado de trabalho. Trabalhamos com as empresas e outras organizações a vários níveis: no desenvolvimento de programas e estágios, na deteção de talentos e ainda na discussão de estratégias. Criamos uma Task Force que agrega docentes, não docentes, alumni e um conjunto de empresários que refletem e implementam connosco a estratégia da Faculdade, o que é uma iniciativa inédita e inovadora no meio académico e que está a dar excelentes resultados. Concluindo, apesar do ciclo recessivo e deprimente que o país atravessa, os resultados alcançados na FEP são um excelente prémio e recompensa para quem acredita, se esforça e responde aos desafios diários com dedicação e profissionalismo. Destaco por isso, em particular, todos aqueles que têm trabalhado muito com cada vez menos rendimentos em virtude dos sucessivos cortes salariais e da crescente carga tributária. Agradeço o enorme esforço de todos - professores e investigadores, colaboradores não docentes, estudantes, alumni - que connosco assumiram este enorme desafio de desenvolver a FEP e criar valor para a Universidade do Porto. No momento em que se começa a discutir o futuro da nossa Universidade, interessa exaltar que é possível. É possível desenvolver a nossa instituição com menos recursos à disposição, sempre no respeito pelo nosso património histórico. É possível desenvolver a Escola através da colegialidade universitária e da interação com as outras Faculdades, Institutos e outros parceiros. É possível implementar uma estratégia que conta com larga participação da Academia e da comunidade que nos rodeia. Vale a pena continuar este esforço. É neste contexto que desejo a todos um excelente Ano Novo, apesar de saber que 2013 será novamente um ano muito exigente.

5


JANEIRO | ABRIL 2013

DESTAQUE

Rejeitar telemóveis com geoposicionamento: uma reflexão deixada por Pacheco Pereira A última conferência discutiu os problemas do Estado de Direito e do estado da Inovação. A discussão contou com a presença de Jaime Nogueira Pinto, Pacheco Pereira, António Marinho e com o próprio Diretor da FEP, João F. Proença, tendo o debate sido moderado pelo Diretor do Expresso, que se associou a esta conferência através do “Momento Expresso”. Jaime Nogueira Pinto apontou alguns ameaças relacionadas com as novas tecnologias, ao afirmar que “hoje os pequenos grupos, os grupos organizados têm muitos recursos à sua disposição”. E lembrou que “até aos nossos dias a Humanidade soube sempre domesticar a tecnologia”, deixando a pergunta: “Será que daqui para a frente o vamos saber fazer?”. António Marinho Pinto orientou o debate, como seria de esperar, para os problemas da justiça no atual momento que o país atravessa. Para o Bastonário da Ordem os Advogados “era necessário acabar com os magistrados feitos em laboratório e acabar com a sindicalização da justiça”. Marinho Pinto defendeu ainda incentivos económicos para os magistrados, por cada sentença produzida. O Bastonário diz que o principal problema da justiça é “o cancro da corrupção” e defende que esta deveria funcionar “como um serviço público e não tanto como um poder do Estado”. Por seu lado, Pacheco Pereira, um dos primeiros a dominar e a utilizar as novas tecnologias para intervir na vida política, encontra-se hoje mais reticente e até preocupado. Defende o social-democrata,

6

referindo-se às novas tecnologias, que “com menos palavras, menos vocábulos, menos ideias, conhecimento e sem história somos hoje mais facilmente manipuláveis, mais pobres e menos autónomos, portanto, com menos domínio, sobre o poder político e os chamados poderes fáticos”. Já no final da sua intervenção, Pacheco Pereira deixou um alerta importante: “Temos obrigação de discutir e recusar telemóveis com geoposicionamento”, excecionando casos em que este seja determinante para facilitar uma operação de salvamento ou algo semelhante. APA SATISFEITA COM OS RESULTADOS Em todos os debates, a APA teve um papel estratégico, cabendo-lhe sempre a tarefa

de serem os primeiros a questionarem os oradores sobre os temas em discussão. A sua participação foi muito elogiada pela generalidade dos convidados, que incentivaram os jovens a promover mais debates e a participarem cada vez na vida pública. No final da última conferência, um dos dirigentes da APA, estudante da Faculdade de Economia, André Anjo, fez um balanço muito positivo da iniciativa. “Acho que estamos todos de parabéns. Verificamos, sobretudo através da adesão às conferências que foi bom para a Faculdade e também para a nossa organização, uma vez que se tratou do evento inaugural da nossa atividade. Foi histórico e representa um grande incentivo”.

Diretor da FEP, João F. Proença

A Faculdade de Economia abriu-se ao exterior para ajudar a contribuir a refletir sobre momentos tão difíceis do nosso país, para sairmos da crise em que estamos, que é não só económica, mas também social. Presidente da APA, Rosina Pereira

As pessoas gostaram de estar aqui, colocaram imensas questões, quiseram saber mais sobre a APA. Foi importante os jovens perceberam que estávamos a proporcionar um espaço onde poderiam fazer questões, onde ficaram mais próximos daqueles que gostariam de questionar. Vice-Presidente da APA, André Anjo

Tanto a Faculdade de Economia da Universidade do Porto como a Academia de Política Apartidária estão de parabéns pela organização deste ciclo de conferências. Este ciclo foi o evento inaugural da APA e logo na primeira conferência tivemos cerca de mil pessoas presentes, uma lotação extraordinária que foi histórica para a Faculdade de Economia.


PRÉMIOS

Rui Rio vence Prémio Carreira Fep 2012

Hugo Abreu vence concurso da ERNST & YOUNG Hugo Abreu, estudante do mestrado em Finanças e Fiscalidade da FEP, venceu o concurso da “Young Tax Professional of the Year 2012” da Ernst & Young. Como prémio receberá uma viagem a Boston, onde irá representar a Ernst & Young Portugal na final internacional do YTPY 2012, um prémio de 3 mil euros e um estágio na Ernst & Young Portugal.

“Fiscal Consequences of a Portuguese euro zone exit” é o título do trabalho que mereceu o prémio. O autor expõe e analisa os impactos de curto prazo para as receitas fiscais do Estado, bem como para a fiscalidade das empresas não-financeiras a operar em Portugal, decorrentes de uma saída de Portugal da moeda única europeia, quer num cenário de saída unilateral, quer num O Presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Rio, cenário de colapso generalizado da Zona Euro, tomando também em conta as foi distinguido com o Prémio Carreira FEP 2012. O consequências de uma possível desagregação da União Europeia. anúncio foi feito na cerimónia de Abertura do Ano Letivo Elaborado durante as semanas de maior tensão da presente crise, aquando da Faculdade de Economia da Universidade do Porto, das eleições na Grécia, este estudo explora os contextos político, económico realizada no passado dia 31 de outubro. e social que poderiam levar ao abandono da moeda única, não para discutir O prémio, que resulta da escolha dos Alumni da FEP, tinha as vantagens ou desvantagens de tais cenários, mas para, num contexto de ainda como nomeados Ana Maria Fernandes, Presidente grande incerteza, compreender que efeitos fiscais decorreriam desses mesmos da EDP Brasil, e Fernando Teixeira dos Santos, excenários. Segundo o autor “é uma espécie de pequeno manual de emergência a ministro e professor universitário. utilizar por decisores políticos, responsáveis da administração fiscal e gestores, O Prémio Carreira tem como objetivo homenagear que sistematiza o que deve ser feito, ou pelo menos considerado, nesses anualmente um diplomado da FEP que se tenha cenários”. distinguido ao longo da sua carreira e que constitua uma referência profissional para os seus pares e para a comunidade. A FEP pretende assim destacar quem promove, pelo seu mérito, a imagem da Faculdade enquanto instituição de excelência no ensino e investigação da Economia e da Gestão.

SdDUP sagra-se campeã mundial de debate universitário em Berlim

FEP e FDUP foram as grandes vencedoras

Perfil Rui Rio nasceu, em Agosto de 1957, no Porto. Iniciou a sua vida académica no Colégio Alemão, tendo-se licenciado em Economia na Faculdade de Economia da Universidade do Porto. Enquanto estudante, foi Presidente da Associação de Estudantes da FEP e membro do Conselho Pedagógico desta faculdade. Presidente da Câmara Municipal do Porto desde 2002 é também Presidente da Junta Metropolitana do Porto desde 2005, sendo ainda de referir que entre 2002 e 2010 foi também administrador não executivo da Metro do Porto. Foi condecorado pelo Presidente da República Portuguesa, Aníbal Cavaco Silva, com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique e por Sua Santidade, o Papa Bento XVI, com a Grã-Cruz da Ordem de S. Gregório Magno. Foi ainda agraciado com a GrãCruz das Ordens do Mérito da Hungria e do Reino da Noruega, com a Grã-Cruz com placa da Ordem da Honra da República da Áustria, com a Grã-Cruz de Primeira Classe da Ordem da Estrela Branca da República da Estónia e com a Cruz de Comendador da Ordem de Mérito da República a Polónia. Em Outubro de 2012 recebeu o Prémio Carreira FEP.

Dois estudantes da Universidade do Porto venceram o Campeonato Mundial de Debate Universitário após a vitória na final dos World Universities Debating Championships (WUDC), que decorreu em Berlim e contou com mais de 400 equipas de universidades de todo o mundo. Na final, Tiago Laranjeiro, estudante da Faculdade de Economia(FEP) e Ary Ferreira da Cunha, estudante da Faculade de Direito (FDUP), venceram as equipas de Tóquio, ALU Freiburg e Bucareste. O sorteio colocou os portugueses na “segunda posição”, com a responsabilidade de encerrar o debate que tinha como tema principal “This House welcomes the decline of the United States of America as the sole global super power”, uma prestação que acabou por colocar estes estudantes no primeiro lugar do pódio. Esta foi a segunda participação da Sociedade de Debates da Universidade do Porto nesta competição a nível mundial (depois da presença em Manila, no ano passado), contando já com participações em dois Campeonatos da Europa (Belgrado e Galway) e em várias competições internacionais (Cambridge, Oxford, Budapeste, Pequim, Ljubljana, Viena, Londres e Eilat). No torneio Oxford Inter-Varsity 2012, na Universidade de Oxford, a mesma equipa de estudantes chegou à final na categoria de English as Second Language. No final defrontaram-se com equipas das Universidades BabesBolyai (Roménia), Belgrado (Sérvia) e Leiden (Holanda), tendo deixado para trás cerca de 40 equipas de diferentes nacionalidades, entra as quais estavam algumas das mais prestigiadas universidade de todo o mundo. Participaram ainda nesta competição os estudantes da FEP Ângelo João Teles, Francisco Amaral e Francisco Nunes Pereira. (Notícia alargada na próxima edição da NotíciasFEP)

7


JANEIRO | ABRIL 2013

PRÉMIOS OS NOSSOS ESTUDANTES

Aurora Teixeira integra Conselho Editorial do Journal of Academic Ethics A professora Aurora Teixeira foi convidada para fazer parte do Conselho Editorial da revista Internacional Journal of Academic Ethics, publicada pela editora Springer. O Journal of Academic Ethics é uma revista interdisciplinar, criada em 2003, dedicada ao estudo de questões éticas que surgem em todos os aspetos da educação póssecundária, principalmente no contexto universitário. A publicação pode ser consultada online em: http://link.springer.com/journal/10805.

Fep lança Pool de Talentos 2013 As candidaturas para a POOL DE TALENTOS FEP 2013 arrancaram no dia 12 de novembro, com uma sessão de apresentação da nova edição, seguida de um workshop de comunicação ministrado pela Mckinsey & Company, o qual pretende funcionar como preparação dos candidatos para esta iniciativa. Ultrapassadas as primeiras duas fases do concurso, que correspondem à candidatura e audição individual, aproxima-se agora a terceira fase, que acontece nos dias 25 e 26 de fevereiro e compreende um Workshop de Técnicas Básicas de Consultoria (1 dia) que culminará numa apresentação, em grupo, da resolução de um case study a uma equipa de executivos (elementos do júri). O júri da POOL DE TALENTOS FEP 2013 é composto por dois professores da FEP e representantes de sete empresas parceiras: BPI, Galp Energia, Hay Group, Mckinsey & Company, PT, PwC e Sonae. A Pool de Talentos FEP é uma iniciativa

composta por diferentes provas, que se desenrolam em quatro fases. É destinada a estudantes finalistas de licenciatura e a estudantes de mestrado, pretendendo-se que o feedback recebido pelas prestações constitua um processo formativo ao nível do desenvolvimento pessoal de cada participante. É também uma oportunidade para os estudantes se darem a conhecer junto de entidades empregadoras de excelência. Bruno Bessa, Diogo Guerra, Diogo Ramalheira, Inês Fontoura, Manuel Oliveira, Maria João Ferreira e Rita Sapage foram os vencedores da Pool de Talentos FEP 2012.

Testemunhos

Em 2013 a FEP faz 60 anos.

Parabéns à FEP!

“A Pool de Talentos é uma oportunidade única (pelo menos não tenho conhecimento de iniciativa semelhante no país) para expor os estudantes ao mercado de trabalho e para estes se desenvolverem enquanto pessoas e profissionais. É única por testar as nossas capacidades a um nível geral, por valorizar as nossas competências sociais, comportamentais (intrínsecas) e técnicas (adquiridas), e finalmente por os estudantes poderem receber feedback diretamente de quem tem experiência no mercado de trabalho e por quem está habituado a avaliar tais competências no seu dia-a-dia.” Bruno Bessa, talento FEP 2012, atualmente a trabalhar na Deloitte

“Saber falar e interagir são valências tão importantes como a capacidade de trabalho que nos incute a FEP. Neste sentido, a Pool de Talentos é uma ótima iniciativa para podermos desafiar as soft skills tanto num contexto individual como em grupo.” Rita Sapage, talento FEP 2012, atualmente Trainee no Council of Europe

Faculdade acolhe novos estudantes dos diferentes ciclos de estudos No passado dia 6 de setembro a FEP realizou uma Sessão de Boas-Vindas com uma versão em inglês, destinada aos estudantes estrangeiros dos diferentes ciclos de estudos (licenciatura, mestrado e doutoramento), e uma sessão em português para os estudantes de mestrado e doutoramento. Este ano estudantes estrangeiros da Europa, América, África, Ásia e Oceânia candidataram-se aos mestrados de continuidade e mestrados de banda larga e especializados da FEP, sendo os candidatos oriundos de países e regiões muito diversificadas como a Alemanha, Angola, Bélgica, Brasil, Cabo Verde, Espanha, França, Holanda, Irão, Lituânia, Moçambique, Nigéria, Polónia, Fiji, Belize, Laos, India e Timor.

8


TESTEMUNHOS

Fep vence de novo competição internacional na área da gestão A equipa da FEP constituída pelos estudantes Miguel Lopes, Miguel Trêpa, Rui Calvo e José Maria Antunes, acompanhada pela Faculty Advisor, Renata Blanc, foi a grande vencedora da Asian Business Case Competition 2012, que decorreu de 1 a 4 de outubro em Singapura. Organizada pela Nanyang Business School, a ABCC é uma das competições da área gestão mais conceituada no âmbito das Business Case Competition e contou com a participação de reputadas Universidades e Business Schools de todo o mundo, bem colocadas no QS Top Universities Ranking, um dos mais importantes rankings mundiais do ensino universitário. O facto das outras escolas concorrentes se encontrarem melhor colocadas do que a Universidade do Porto não intimidou – antes pelo contrário – os estudantes da FEP, dignificando ainda mais a brilhante vitória que obtiveram. O caso que a equipa da FEP resolveu incidia sobre a empresa CBM (City Building Management), que se dedica à prestação de serviços de manutenção e gestão de edifícios, estando integrada num dos maiores grupos imobiliários de Singapura. Pedia-se às equipas participantes que ajudassem a definir uma estratégia de crescimento para a empresa, tendo em conta as tendências e desafios correntes do mercado imobiliário em Singapura. A equipa da FEP apontou como recomendações uma estratégia mista, assente num plano de redução de custos e na alavancagem de proveitos. Entre as recomendações constava, por exemplo, a definição de um novo modelo de remunerações e incentivos, estabelecimento de uma parceria tecnológica, a expansão para o Vietname e uma aposta estratégica em edifícios com certificação green mark. Veja aqui o ranking das escolas que participaram na competição, de acordo com o QS Top Universities Ranking: University of Queensland (Austrália) - 46º Nanyang Technological University (Singapura) - 47º University of Copenhagen (Dinamarca) - 51º University of New South Wales (Austrália) - 52º University of Auckland (Nova Zelândia) - 83º Maastricht University (Holanda) - 107º University of Otago (Nova Zelândia) - 133º University of Florida (Estados Unidos) - 169º UPorto - 401º a 450º (a partir da posição 300, o ranking apresenta blocos de 50 universidades)

Em 2013 a Fep vai marcar presença na McGill Management International Case Competition 2013, de 18 a 23 de março, e na International Case Competion @ Maastricht, de 21 a 27 de abril.

“Foi uma semana diferente, atípica, e sobretudo extremamente enriquecedora. Estivemos em contacto com uma cultura diferente, de raízes distintas, e foi possível crescer e aprender em todos os sentidos. Naturalmente, a competição em si revelou-se como expoente máximo de toda esta aprendizagem. O facto de esta nos ter permitido contactar com experientes e reconhecidos empresários, aliado ao contínuo estímulo de uma competição saudável com algumas das melhores universidades do mundo, em situações e num formato que em muito se relacionará com o nosso futuro profissional, é sem dúvida motivo para que esta participação seja sempre uma imperdível oportunidade para qualquer estudante universitário. Gostaria de agradecer à Faculdade de Economia da Universidade do Porto por todo o apoio dado e por ter tornado possível a nossa participação nesta competição, e também à Professora Renata Blanc, cujo empenho e contributo foram absolutamente vitais para o sucesso da FEP International Case Team além fronteiras.” Miguel Trêpa

“A participação no ABCC foi uma experiência inesquecível, não só pelo espírito competitivo, mas também por ser uma enorme plataforma de aprendizagem cultural. O facto de juntar estudantes de todo o mundo, escolhidos pelas suas capacidades de resolver e apresentar casos empresariais, permitiu-nos não só abrir os nossos horizontes, como também testar as nossas capacidades. Apesar de termos ganho, saímos de lá com inúmeras ideias e sugestões de melhoria, que temos a certeza que iremos explorar nos próximos tempos. Seria injusto não agradecer o trabalho e dedicação da Professora Renata Blanc, que, quer através da coordenação do FICT (FEP International Case Team) quer através da disciplina de Business Case Analysis, muito batalhou para que o nosso desempenho estivesse ao nível de uma competição mundial. Por último, fica uma nota de agradecimento à Faculdade de Economia da Universidade do Porto, não só por ter criado as condições base para que a nossa presença no ABCC fosse possível, mas também por apostar nesta vertente mais centrada em soft-skills.” Miguel Lopes

“Vencer a Asian Business Case Competition 2012 foi, sem dúvida, uma experiência inesquecível. Ter a oportunidade de contactar com diversas equipas internacionais e com um painel de júris excecional, tornaram a participação nesta competição algo marcante. Mais do que nunca é necessário investir na nossa imagem junto das melhores escolas internacionais, apostando naquilo em que Portugal é, verdadeiramente, o melhor. Acima de tudo, competições como esta são uma oportunidade para representar a UP, e em especial a FEP, ao mais alto nível!” Rui Calvo

“Gostei imenso de participar na competição. Foi uma honra poder representar a FEP, uma experiência que dificilmente terei outra vez. Contactar diretamente com alunos desde a Flórida à Nova Zelândia, poder falar diretamente com personalidades como o Diretor da Microsoft de Singapura e aprender diretamente com eles foi de facto único. Ganhar o ABCC é prestigiante, não só para nós, mas para toda a FEP, a quem agradeço desde já. Sinto, de facto, imensa alegria em podermos partilhar com toda a faculdade o trabalho de todos, as oportunidades que nos têm sido oferecidas e a aposta neste tipo de iniciativas. Um especial agradecimento à Professora Renata Blanc, que tanto nos transmitiu e ensinou, e sem a qual nada disto seria realizável. A todos, um grande obrigado por todo o apoio demonstrado durante a competição.” José Maria Antunes

9


JANEIRO | ABRIL 2013

OS NOSSOS ESTUDANTES INTERNACIONALIZAÇÃO

Estudantes da Fep ganham experiência nas Startups do Uptec

Trinta estudantes da Faculdade de Economia da Universidade do Porto (FEP) começaram no dia 22 de outubro um período de estágio nas startups do UPTEC. Durante 8 semanas, os universitários tiveram a oportunidade de complementar a sua formação académica, pondo em prática os fundamentos teóricos aprendidos. O programa “StartUp Internship” resulta de uma parceria entre o Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto (UPTEC), a Faculdade de Economia da Universidade do Porto (FEP) e a associação estudantil StartUp BUZZ. O projeto pretende conjugar tecnologia e gestão proporcionando aos estudantes uma experiência no mercado do trabalho, conciliável com as exigências da frequência universitária.

9 desafios de política monetária No passado mês de novembro a ShARE-UP promoveu um seminário sobre desafios de política monetária que contou com a presença dos docentes da FEP Abel Fernandes e Paulo Mota. Esta iniciativa está englobada num ciclo de seminários que teve início a 29 de outubro, com o seminário “POOR tugal: o caminho do Orçamento do Estado”, o qual contou com a participação dos docentes José Costa e Álvaro Almeida. A ShARE-UP é a equipa da Universidade do Porto da rede internacional ShARE, um think-tank internacional de estudantes, com mais de 30 equipas em 15 países de 5 continentes, cujo objetivo é aplicar o conhecimento no desenvolvimento socioeconómico das regiões.

Um em cada quatro estudantes do Master in Management da fep é estrangeiro Um em cada quatro estudantes do recém-criado Master in Management (MIM) da FEP é estrangeiro. Trata-se da primeira edição deste mestrado internacional que permite a dupla titulação com a Euromed Management de Marseille, uma das escolas europeias mais reputadas na área da gestão, de acordo com o ranking do Financial Times e detentora da tripla acreditação internacional (EQUIS, AACSB e AMBA), a classificação mais exigente na área da gestão, apenas detida por 57 escolas em todo o mundo. Também no Master in Finance (MIF), que à semelhança do MIM é lecionado integralmente em inglês, os estudantes estrangeiros, oriundos dos 5 continentes, têm uma alta representatividade, fixando-se nos 18,3%. Vale a pena sublinhar que estas percentagens são idênticas e melhores que as dos mestrados das outras escolas portuguesas referidas no ranking do Financial Times. Refira-se ainda que o Master in Management e o Master in Finance da FEP são os primeiros mestrados da Universidade do Porto totalmente lecionados integralmente em inglês. Para além da forte participação de estrangeiros, estes dois cursos contam ainda com estudantes que concluíram as suas licenciaturas noutras reputadas escolas do país, nomeadamente da Universidade Nova de Lisboa e da Universidade Católica, e que decidiram continuar os seus estudos na FEP.

“Depois de fazer alguns cursos em Finanças no meu país – Belize – e fazer uma licenciatura em gestão numa das melhores universidades em Taiwan, percebi que tinha interesse em fazer uma especialização em Finanças. Graças ao programa ERASMUS MUNDUS, consegui concretizar esse objetivo. No início não sabia qual Universidade deveria escolher, mas depois de fazer uma ampla pesquisa a Universidade do Porto foi a única universidade selecionada. Além de ser a maior Universidade portuguesa é também uma das 100 melhores universidades da Europa e leciona o Master in Finance integralmente em inglês.” Beatriz Chicas

Silvana Pintão

Estudante Estrangeira

Licenciada em Gestão pela Nova School of Business and Economics

Bolsa de Emprego On-Line da Fep (www.fep.up.pt/bolsadeemprego) 10

“O que me levou a escolher o Master in Management na Faculdade de Economia da Universidade do Porto foi a vontade de querer continuar os meus estudos em inglês e a oportunidade de realizar o programa de mobilidade (Double Degree). A internacionalização é cada vez mais constante no mundo empresarial, e o desenvolvimento de conhecimentos neste sentido é fundamental. Na minha escolha ponderei ainda a possibilidade de escolher uma instituição que me oferecesse qualidade e rigor no ensino.”


Novas parcerias internacionais A FEP assinou este mês mais um acordo de parceria com uma escola estrangeira de grande prestígio – a Faculty of Economics da Universidade de Ljubljana, na Eslovénia – a qual detém duas importantes acreditações internacionais: EQUIS e AACSB. Este acordo enquadra-se no esforço que a FEP tem levado a cabo para alargar a sua rede de parcerias com escolas internacionais de excelência, as quais permitem que os estudantes da FEP realizem mobilidades de estudo e, desta forma, valorizem o seu percurso de ensino. Em 2012, a FEP alargou as suas parcerias a dois novos destinos: a Coreia, numa parceria com a Kaist College of Business, e o Canadá, numa parceria com a École de Sciences de la Gestion de l’Université du Québec à Montréal, ambas com a acreditação EQUIS. Celebrou também parcerias com duas escolas incluídas nos rankings do Financial Times: a Warsaw School of Economics, na Polónia, e a Prague School of Economics, na República Checa. A estas escolas juntam-se ainda a IESEG School of Management, em França, detentora da acreditação EQUIS, a Universidade de Bilkent na Turquia, detentora da acreditação AACSB, e a Universidade de Kozminski, na Polónia, detentora da distinção Triple Crown (acreditação EQUIS, AACSB e AMBA), uma classificação apenas atribuída a 58 escolas a nível mundial.

Master Class do Ie no Porto contou com o apoio da Fep A FEP associou-se ao IE Business School na divulgação de uma master class dirigida a antigos estudantes que esta escola realizou no Porto com o Professor Lee Newman. Nesta ocasião os estudantes e Alumni da FEP tiveram a possibilidade de assistir a uma aula, lecionada por um professor de renome mundial, e conhecer estudantes e representantes regionais do IE Business School. Importa salientar que esta escola foi

recentemente considerada pelo Financial Times como a melhor escola de gestão da Europa. Esta nova posição relegou a HEC (École des Hautes Études Commerciales) de Paris que assegurava o primeiro lugar desde 2010 para a segunda posição no ranking. Devido à qualidade e prestígio do IE, vários Alumni da FEP têm frequentado cursos de pós-graduação complementar nesta instituição, entre os quais o próprio Diretor da FEP, que fez lá o seu mestrado.

ALUMNI

Fep aproxima-se dos seus Alumni através da realização de eventos No âmbito da estratégia de aproximação aos seus diplomados, a FEP promoveu nos últimos meses diferentes iniciativas Alumni que visavam, por um lado, comemorar o aniversário de entrada na faculdade (10, 15 e 20 anos) e, por outro, promover o network entre os presentes (Evento Alumni em Lisboa e em Londres). Durante estes encontros, diferentes gerações de FEPianos trocaram experiências e ficaram a conhecer o trabalho atualmente realizado na FEP e as suas principais opções estratégicas, através do Diretor da escola, João F. Proença. É objetivo da faculdade realizar anualmente eventos nacionais e internacionais que

têm como principal objetivo acompanhar a carreira dos diplomados da FEP, de várias gerações, tendo em vista a criação de sinergias quer profissionais, quer pessoais. Foi também neste sentido que surgiu a iniciativa FEPianos no Mundo (englobada no Portal Alumni), que pretende localizar os diferentes diplomados da FEP, potenciando futuramente oportunidades de networking. Para 2013 está prevista a realização de eventos comemorativos de entrada na FEP com as gerações FEP 93, 98 e 2003, assim como um evento Alumni em Madrid, que acontecerá no próximo dia 20 de fevereiro.

Evento Alumni @ Madrid, dia 20 de fevereiro

Curso Business English Terminou no dia 18 de dezembro a primeira edição do curso Business English da FEP, frequentado por estudantes dos 3 ciclos de ensino. A organização deste curso evidencia a prioridade da escola de promover uma política de língua que apoie a aprendizagem da língua inglesa pelos estudantes da FEP que, desta forma, estarão mais capacitados para frequentar os seus cursos e também enveredar por experiências internacionais.

11


JANEIRO | ABRIL 2013

EM DIA

Ministro da Saúde na Fep para falar sobre Orçamento do Estado para 2013 O Ministro da Saúde, Paulo Macedo, esteve na FEP no âmbito de um seminário sobre “Saúde e economia”. Na sua comunicação, o Ministro da Saúde abordou temas como a política económica e o setor da saúde, o papel da inovação na internacionalização e competitividade do setor da saúde e o Orçamento do Estado para 2013. Nesta ocasião o Ministro referiu que o Orçamento do Estado para 2013 privilegia a Saúde, uma área que o Governo decidiu proteger, sendo aquela que tem um menor decréscimo de verbas.

À intervenção do Ministro da Saúde seguiuse um debate com um painel de convidados composto pelo Diretor da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, Agostinho Marques, e pela CEO e Diretora Clínica da CGC Genetics, Purificação Tavares, com a moderação do Diretor do Mestrado em Gestão e Economia de Serviços de Saúde da FEP, Álvaro Almeida.

NIFIP promove segunda Conferência Internacional Nos dias 6 e 7 de dezembro, o NIFIP (Núcleo de Investigação em Finanças Públicas e Política Monetária) levou a cabo a sua 2ª Conferência Internacional, subordinada ao tema “The Present Economic and Sovereign Debt Crisis: Evaluation and the Way-Out”. Nesta conferência foram debatidos temas como a política económica, a dinâmica da dívida pública, o mercado de emprego na

Europa, os mercados financeiros, de liquidez e de crescimento económico, entre outros. Matti Viren, Jérome Créel, João Ferreira do Amaral, Abel Costa Fernandes, António Afonso, Rui Henrique Alves, Francisco Veiga, Linda Veiga e João Sousa Andrade foram alguns dos oradores desta conferência internacional.

Esfep desenvolve estudos de grande impacto público

A Faculdade de Economia da Universidade do Porto tem vindo a ser amplamente citada nos órgãos de comunicação social pelas iniciativas que está a promover, nomeadamente pelos estudos realizados para o Governo de Portugal em áreas consideradas estratégicas para o futuro do país. Recentemente, através do seu Diretor, a FEP integrou a comitiva que reuniu com o Ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, em Lisboa, sobre o futuro do aeroporto do Porto no âmbito da privatização da Ana. Em causa está o estudo encomendado pela Junta Metropolitana do Porto à FEP, com o objetivo de analisar o impacto do aeroporto

12

do Porto na economia da região e do país, e apontar as principais funções e serviços que devem permanecer no âmbito da gestão desta infraestrutura aeroportuária. Além deste projeto, o Centro de Estudos e Sondagens da FEP – ES FEP – tem em mãos outros projetos, como a avaliação das medidas ativas de emprego, um estudo que está a ser desenvolvido para o IEFP, a organização administrativa da Área Metropolitana do Porto e um estudo e livro branco da Internacionalização do sector do Mobiliário, que está a ser desenvolvido para a Associação Portuguesa das Indústrias de Mobiliário e Afins (APIMA). Há ainda a

Docente da Fep apresenta estudo de avaliação das políticas ativas de emprego O docente da FEP, José Varejão, apresentou recentemente um estudo de avaliação das políticas ativas de emprego, que elaborou em conjunto com Mónica Costa Dias, investigadora da FEP. Uma das principais conclusões deste trabalho é a de que os participantes abrangidos pelas políticas ativas de emprego (PAE) têm uma probabilidade superior de 10 a 25 pontos percentuais de encontrar um posto de trabalho ao fim de um ano, comparando com não-participantes. Os apoios ao empreendedorismo, os estágios e os apoios à contratação são as medidas que apresentam maiores taxas de empregabilidade após o início da participação. Pelo contrário, as medidas de formação, “com exceção das medidas de formação contínua e modular, exibem efeitos negativos ou nulos sobre a probabilidade de emprego dos participantes no período após o início da participação”. Para obter estes resultados, os autores analisaram um vasto conjunto de programas de emprego e formação, desenvolvidos entre 2004 e 2011, e cruzaram informação proveniente de diferentes fontes sobre os participantes. referir o desenvolvimento de um estudo encomendado pelo Governo para a Direção-Geral das Artes e um projeto no âmbito da valorimetria da vinha para a Associação para o Desenvolvimento da Viticultura Duriense (ADVID).

Joaquim Barreiros | jbarreiros@fep.up.pt Paulo Teles | pteles@fep.up.pt Rui Couto Viana | coutoviana@fep.up.pt Tel.: +351 225 571 100 Fax: +351 225 505 050


Exposição “Literacia Financeira” A FEP.UP associa-se ao Plano Nacional de Formação Financeira (PNFF) organizando no Porto, em conjunto com a Fundação Dr. António Cupertino de Miranda, as iniciativas do Dia da Formação Financeira que decorreram no passado dia 31 de outubro. As iniciativas decorreram na Fundação Dr. António Cupertino de Miranda e na Faculdade de Economia da Universidade do Porto, onde o Governador do Banco de Portugal assinalou a efeméride com uma comunicação e onde também esteve patente a Exposição ‘Literacia Financeira’. A mostra contou com a presença não só dos três supervisores financeiros – Banco de Portugal, Comissão do Mercado de Valores Mobiliários e Instituto de Seguros de Portugal – mas também da DECO, da Junior Achievment, do FEP Finance Club, entre outros parceiros do PNFF. O dia foi ainda marcado pela apresentação do Programa €ducar na U.Porto, promovido pela U.Porto por intermédio da sua Faculdade de Economia, vocacionado para a promoção da literacia financeira em toda a comunidade académica. O Dia da Formação Financeira é uma ocasião em que as entidades parceiras do PNFF se juntam para sensibilizar a população para a importância da literacia financeira.

Um guia cuidadosamente preparado para ajudar o estudante da FEP a integrar-se e a usufruir de todos os serviços disponíveis na Faculdade. No Guia do Estudante encontra informações sobre a história, os cursos e as principais apostas da Faculdade de Economia, reconhecida pela sua qualidade de ensino e investigação e pelo seu prestígio nacional e internacional. Este novo manual do estudante foi estruturado de forma intuitiva, a pensar nas principais necessidades dos estudantes ao longo do seu percurso na FEP. O estudante encontra informações sobre as matrículas e outros procedimentos administrativos, como é estudar e viver no Porto, e ainda os principais recursos ao dispor e outras informações académicas. O prestígio da FEP resulta do contributo de todos, pelo que contamos agora também com o seu em http://guia.fep.up.pt/. (ver caixa). O programa conta ainda com a colaboração estreita do Museu do Papel Moeda / Fundação Dr. António Cupertino de Miranda, do FEP Finance Club e do EXUP – Experience Upgrade Program FEP.

€ducar na U.Porto

Concurso de Ideias para Projetos de Promoção da Literacia Financeira a decorrer

A Universidade do Porto, através da Faculdade de Economia está desenvolver um Programa de Promoção da Literacia Financeira, designado €ducar na U.Porto. O programa pretende sensibilizar toda a comunidade académica, e a população em geral, para a relevância da temática e contribuir para a capacitação dos indivíduos no sentido de tornar mais informados os seus processos de decisão quotidianos. O Programa integra várias dimensões, de entre as quais se destacam a promoção da Educação Financeira junto das escolas

Guia do Estudante da FEP

básicas e secundárias da Região, a realização de ciclos de conferências e workshops e a promoção de programas de formação e de investigação sobre estas temáticas. As diferentes ações serão divulgadas num portal online, disponível em http://literaciafinanceira.fep.up.pt/, que também inclui informação relevante especialmente dirigida à comunidade académica. A mais recente iniciativa consistiu no lançamento de um concurso de ideias para projetos de promoção da literacia financeira no seio académico

Uma das iniciativas previstas no âmbito deste Programa, e que poderá ser encontrada neste novo Portal, consiste no lançamento do primeiro Concurso de Ideias para Projetos de Promoção da Literacia Financeira em ambiente académico. Este concurso surge como um veículo fundamental para promover no âmbito da Universidade a educação, a formação e a investigação nestes domínios. O período para receção de candidaturas decorrerá até ao dia 29 de março de 2013.

Principais Parceiros da FEP

13


JANEIRO | ABRIL 2013

EM DIA

FEP passa teste exigente na acreditação internacional EQUIS A FEP foi considerada elegível à acreditação internacional EQUIS, atribuída pela European Foundation for Management Development (EFMD). Esta acreditação internacional, que tem como principal objetivo a melhoria contínua dos processos existentes, em todas as vertentes – ensino, investigação e prestação de serviços –, é uma peça fundamental na aferição da qualidade da Escola a nível nacional mas sobretudo a nível internacional. Trata-se do sistema de avaliação e melhoria contínua líder na Europa nas áreas da Economia e Gestão, sendo, simultaneamente, o mais exigente. “As melhores Business Schools do mundo têm esta acreditação internacional, por isso para que a FEP firme a sua posição como uma Escola Internacional em Economia e em Gestão é importante que tenha este reconhecimento. Saliento que antes de uma escola ser considerada elegível são avaliados um conjunto de critérios rigorosos e exigentes, pelo que a elegibilidade concedida à FEP é já um indicador de que a instituição reúne as condições necessárias para estar neste lote reduzido das melhores escolas do mundo”, salienta a Subdiretora da FEP, Ana Paula Africano. Existem dois vetores transversais para este processo de acreditação: a internacionalização e a ligação aos meios económico e empresarial, sendo que entre os múltiplos critérios aplicados se incluem a qualificação dos docentes, a oferta formativa, os estudantes admitidos, os Alumni, a investigação e os recursos próprios da faculdade, entre outros. O balanço da estratégia de internacionalização da FEP é, de acordo com a Subdiretora da instituição extremamente positivo. “Num curto espaço de tempo conseguimos lançar dois mestrados lecionados integralmente em inglês (Master in Management e Master in Finance), um dos quais (MIM) com dupla titulação com a Euromed Management de Marseille, uma das escolas europeias mais reputadas na área da gestão, detentora da tripla acreditação internacional

Fep marca presença em Feiras de Formação e Emprego do Colégio Luso-Francês e do Colégio Alemão do Porto A FEP esteve presente na segunda Feira de Formação e Emprego do Colégio Alemão do Porto e dinamizou uma palestra para os estudantes do 11° e 12° ano do Colégio Francês. Consciente da importância das feiras de orientação vocacional realizadas pelas escolas secundárias e colégios, a FEP pretende assim reforçar a sua relação com estas instituições, captar estudantes de elevado potencial e facilitar a integração académica dos futuros estudantes, através de uma abordagem mais personalizada.

14

(EQUIS, AACSB e AMBA). Além disso, temos vindo a desenvolver parcerias com instituições de muita qualidade, privilegiando também a diversidade geográfica para a mobilidade internacional de estudantes em que o enfoque tem sido desenvolver a mobilidade Erasmus de 2º ciclo”, salienta Ana Paula Africano. Por todos estes motivos a FEP tem conseguido já resultados muito importantes, como o número de estudantes estrangeiros que foi capaz de atrair, os quais se fixaram nos 25% e 18% no Master in Management e Master in Finance, respetivamente, e ainda, no caso dos mestrados lecionados em português, na captação de um número interessante de estudantes estrangeiros, em particular oriundos dos países lusófonos. O futuro da escola em termos de estratégia de internacionalização passa por conseguir obter novas duplas titulações, consolidando as redes de parceiros internacionais de elevado prestígio, o que deve passar não só pelas redes de escolas, mas também pelos centros de investigação. A Escola pretende ainda continuar a trabalhar para obter outros reconhecimentos internacionais.

Stata Econometrics Winter School using 22 a 25 janeiro

organizar um conjunto de cursos O CEF.UP, em parceria com a Timberlake, está a 22 a 25 de janeiro. Estes cursos, de FEP na ados lecion serão que de econometria, amento com conhecimentos doutor de ntes idealizados para docentes e estuda rizar os participantes com as familia visam etria, econom e tica estatís em s básico das em pesquisa aplicada. utiliza mente vulgar , étricas ferramentas básicas econom

| 11 a 14 março PORTO DE EMPREGO | feira de mestrados sediada na toria consul de júnior sa empre Consulting (FJC),

A FEP Junior (FEP), está a organizar a 13ª Faculdade de Economia da Universidade do Porto 2013. O desenvolvimento de março de 14 a 11 de go, edição do Porto de Empre es Externas e Relaçõ de o Serviç deste projeto conta com a colaboração do ver o contacto das promo o objetiv como tem e IA) (SERE mica Integração Acadé s, estimulando sidade Univer as divers de tas empresas com pré-finalistas e finalis de do Mercado de trabalho. Desta realida a e ntes estuda os entre ligação de elo um ação na área de emprego e da forma, permite às empresas divulgar toda a inform s, ações de formação e estágio de s formação profissional, nomeadamente oferta “Feira de Mestrados da a er decorr vai PE o com âneo simult Em o. recrutament cer os programas, contactar FEP”. Os candidatos poderão assim, além de conhe e ainda assistir a aulas. dos mestra vários dos tes docen e res direto os com

gy & Environment: “1st International Congress on Ener g” Engineerin and Economics her toget bringing 9 e 10 de maio mia

o CEF.UP, Centro de Econo A Faculdade de Economia da Universidade do Porto, de Gestão Industrial e da Centro CGIT, o e Porto e Finanças da Universidade do do Minho, vão realizar nos Tecnologia, da Escola de Engenharia da Universidade st ss on Energy & Environment: dias 9 e 10 de maio de 2013 o “1 International Congre ência pretende reunir confer Esta bringing together Economics and Engineering”. cia das áreas da Economia, referên de s alidade person e s gadore investi especialistas, ados keynote speakers confirm já Estão nte. Ambie do e a Gestão e Tecnologia da Energi Anil Markandya, Fehr, der von de grande prestígio internacional: Henrik Lund, Niels ser consultadas em: podem ações inform outras e ma progra O y. Henk Sol e E. O’Kell http://www.fep.up.pt/conferences/icee/.

Concurso Gestão de Ideias para Economizar Candidaturas até 18 janeiro para a quinta edição do

aturas Até ao dia 18 de janeiro 2013 estão abertas as candid iniciativa organizada pela Faculdade concurso Gestão de Ideias para Economizar, uma da aos estudantes do 11º ou o 12º de Economia da Universidade do Porto (FEP) destina . Mais informações em www.fep.up.pt. Gestão e ia Econom de áreas nas se interes com ano


ENTREVISTA

Quem é o Presidente da AEFEP? Descreva-nos sucintamente quem é o Duarte Magalhães (percurso de vida, académico e profissional)

Antes de mais gostaria de agradecer e enaltecer este tipo de iniciativa que a FEP tem vindo a realizar e que tão bem ilustra o excelente momento que a faculdade atravessa. Começaria por dizer que nasci no dia 16 de Julho de 1991, sou natural do Porto, mais concretamente de Miragaia onde vivo atualmente. Frequentei a escola de Nevogilde ao nível de ensino primário, posteriormente a escola básica Francisco Torrinha (2° e 3° ciclo) tendo prosseguido na escola secundária Garcia de Orta de onde saí para ingressar nesta magnífica Faculdade que é a FEP. Tenho uma grande paixão que é o andebol, desporto que pratico desde os 7 ou 8 anos, sempre no mesmo clube, Boavista F.C. sendo que concilio com a Seleção da FEP que represento desde a minha entrada nesta grande instituição. Considero que em muito contribuiu para que fosse quem sou hoje, com um elevado espírito de grupo, de liderança, de convívio e que me tornou mais capaz de estar onde estou na AEFEP.

Por que motivo se decidiu candidatar a Presidente da AEFEP? Primeiro queria referir que já no ano anterior fazia parte da Direção da AEFEP, como vogal no departamento desportivo. Depois saliento também que sempre demonstrei alguma curiosidade em saber como é que os assuntos, eventos e atividades funcionavam e desenrolavam bem como me questionava sobre a verdadeira importância do cargo que cada elemento ocupa, defendendo diariamente os interesses dos estudantes e trabalhando para um mundo académico melhor e mais consistente. Achei também que a AEFEP precisava de continuar o bom trabalho que estava a ser feito e que em muito ganharia se fosse um elemento interno, da “casa” a tomar posse e a seguir o caminho traçado.

O que representa para si ser presidente da Associação de Estudantes da FEP? Representa acima de tudo um enorme orgulho. Sei que é um cargo de elevado prestígio onde já passaram pessoas que hoje são importantes na nossa sociedade mas o que realmente me faz sentir bem é saber que estou neste lugar e com este tipo de estudantes tão carismático, dinâmico e ativo. Sei também que contrariamente a outras faculdades onde as AE’s não têm tanta importância muitas vezes estamos a ser controlados e que esperam sempre mais e mais de nós mas vemos essa atitude dos estudantes como uma motivação extra para cada dia sermos mais fortes e melhores naquilo que fazemos que é principalmente defender os interesses dos estudantes.

Edifício da Fep em vias de ser classificado como Monumento de Interesse Público

Quais são os seus principais objetivos para este mandato? Os principais objetivos para este mandato são conseguir fazer mais e melhor. Representar todos os estudantes da Faculdade de Economia da Universidade do Porto zelando pelos seus interesses, defendendo-os interna e externamente. Conseguir oferecer um leque de atividades o mais diversificado possível, passando pela cultura, desporto, solidariedade e todas as outras que complementem a formação académica. Todas elas para promover a integração dos estudantes como um todo, assim como, o enriquecimento individual.

A Direção Geral do Património Cultural propôs à Secretaria de Estado da Cultura a classificação como Monumento de Interesse Público (MIP) do edifício principal da Faculdade de Economia da Universidade do Porto. Foi já publicado em Diário da República o projeto de decisão relativo a esta classificação, que se encontra em consulta pública durante 30 dias úteis, findos os quais a classificação se tornará efetiva.

15


JANEIRO | ABRIL 2013

ESTANTE

Livro de Suzana Cavaco foi distinguido pela Fundação Calouste Gulbenkian

‘Extração de Conhecimento de Dados - Data Mining’, de João Gama

O livro “Mercado Media em Portugal no Período Marcelista: os media no cruzamento de interesses políticos e negócios privados”, da docente da FEP Suzana Cavaco, acaba de ser distinguido com o Prémio Fundação Calouste Gulbenkian, História Moderna e Contemporânea de Portugal – Prémios da Academia Portuguesa de História.

“Acabou-se a Festa”, de Pedro Cosme ‘Acabou-se a Festa: Soluções ousadas para reerguer Portugal’, da autoria do professor da FEP Pedro Cosme Vieira, teve origem num projeto na blogosfera em resposta a um desafio do amigo do autor, Pedro Araújo, www. economicofinanceiro. Lançado em outubro de 2011, esta obra é agora citada no último livro de José Rodrigues dos Santos, ‘A mão do diabo’, como uma das suas fontes de informação. No livro de Pedro Cosme pode ler-se, “Portugal chegou a um beco sem saída. As nossas finanças e a economia enfrentam uma crise profunda, por todos reconhecida, cuja origem tem razões complexas e muitos responsáveis. É urgente clarificar a origem dos problemas e definir as reformas e medidas necessárias. É esta lacuna que ‘Acabou-se a Festa: Soluções Ousadas para Reerguer Portugal’ vem colmatar”.

O livro ‘Extração de Conhecimento de Dados – Data Mining’, da autoria de João Gama, Professor da FEP e investigador no LIAAD-INESC TEC, apresenta os temas clássicos e as tendências atuais nas áreas de aprendizagem automática, reconhecimento de padrões e análise de dados, oferecendo uma perspetiva abrangente dos principais aspetos destas áreas. A obra tem ainda como autores André C. Ponte, da Universidade de São Paulo, Katti Faceli, da Universidade Federal de São Carlos, Ana Carolina Lorena, do Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT) da Universidade Federal de São Paulo, e Márcia Oliveira, estudante de Doutoramento na FEP e investigadora no LIAAD-INESC TEC. Em ‘Extração de Conhecimento de Dados’, os autores combinam as suas experiências no ensino e na investigação para apresentar os principais conceitos assim como a sua utilização em problemas reais. A obra tem um caracter didático. Pode ser adotada como livrotexto ou material de apoio para estudantes de mestrado e doutoramento nas áreas de inteligência artificial, aprendizagem automática, análise de dados e sistemas inteligentes.

Formação contínua na FEP cursos com inÍcio em fevereiro/março Curso de Preparação para o Graduate Management Admission Test (GMAT) Cursos de Preparação para os Mestrados:

. Finanças . Instrumentos Básicos de Gestão . Macroeconomia . Microeconomia . Princípios de Econometria . Técnicas de Análise de Dados Advanced English for Master Programs

Licenciaturas Mestrados Doutoramentos

16

. Análise de Dados e Data-Mining . Curso Avançado de Internacionalização de Empresas . Economia e Políticas da União Europeia . Economia para Atividades Turísticas . Economia para Não Economistas . Iniciação à Internacionalização de Empresas . Work(ing) Soft Skills (I e II)

Informações e Candidaturas em: www.fep.up.pt Faculdade de Economia da Universidade do Porto Rua Dr. Roberto Frias | 4200-464 Porto | T. +351 225 571 100, +351 220 426 000 www.fep.up.pt

NotíciasFEP nº 28  

Publicação quadrimestral | Janeiro a Abrl de 2013