Issuu on Google+

Grupo de pesquisa busca melhorias no padrão alimentar e estado nutricional Vinculado ao NUPEB e à Escola de Nutrição, o NUTRIGEN realiza estudos animadores sobre a nutrição e genômica nutricional e fatores de risco para doenças crônicas O grupo de pesquisa “Nutrição e Genômica Nutricional”, NUTRIGEN, desenvolve estudos sobre as interações entre fatores nutricionais, ambientais, genes e fatores de risco para as doenças crônicas não transmissíveis (câncer, doenças cardiovasculares, hipertensão e diabetes). O objetivo é identificar populações ou grupos de indivíduos expostos a esses fatores e propor uma prevenção ou tratamento por meio de mudanças de padrão alimentar e estilo de vida. Atualmente a equipe desenvolve estudos de base populacional observacional nos escolares de 10 a 14 anos dos municípios de Ouro Preto (MG) e Alegre (ES). O projeto conta com financiamentos do CNPq e FAPEMIG. A obesidade está associada a alterações clínicas e metabólicas que aumentam as chances de doenças como diabetes, ataques cardíacos e derrames. O conjunto dessas alterações (identificadas pelo aumento da circunferência da cintura, pressão arterial elevada, baixo colesterol HDL e altas taxas de glicose, triacilgliceróis e colesterol LDL) é conhecido como “Síndrome Metabólica” e pode ser observado já nas crianças e adolescentes. “Os estudos atuais verificam que um estado inflamatório subclínico pode permear os mecanismos patogênicos que ligam a obesidade a essas alterações. Assim, identificamos na população infanto-juvenil a associação dos biomarcadores inflamatórios com componentes da Síndrome Metabólica”, afirma a professora Renata Nascimentos de Freitas, coordenadora do NUTRIGEN. Vinculado ao NUPEB e à Escola de Nutrição (ENUT), o NUTRIGEN conta com a participação de pesquisadores dos Programas de Pós-graduação em Ciências Biológicas e em Saúde e Nutrição, além da colaboração das universidades federais de Minas Gerais (UFMG) e do Espírito Santo (UFES). A FEOP colabora com o grupo na gestão dos recursos financeiros aprovados pela

Vem aí o XX Seminário de Iniciação Científica

O Festival de Inverno escreveu mais um capítulo de sucesso no circuito cultural brasileiro. As cidades Ouro Preto e Mariana e distritos vivenciaram, no mês de julho, uma variedade de atrações artísticas e culturais de alta qualidade com a inédita internacionalização do evento por meio de uma reflexão pertinente sobre nossa identidade latino-americana. As atividades atraíram mais 240 mil visitantes às cidades históricas.

Estudantes de iniciação científica de todo o país se reúnem em Ouro Preto, entre os dias 7 e 9 de novembro, para o XX Seminário de Iniciação Científica (SEIC), que acontece em conjunto com o XIII Seminário de Extensão e a V Mostra de Trabalhos do Programa Pro-ativa. A FEOP está mais uma vez envolvida na operacionalização das atividades, oferecendo o apoio financeiro e logístico necessário à produção do evento e às comissões organizadoras. O envolvimento significativo da comunidade acadêmica marcou a edição de 2011, com 1.700 participantes e 1.259 trabalhos apresentados. “Nesta edição introduziremos o controle de frequência automatizado, induziremos alguns minicursos com temas importantes para a carreira dos alunos e procuraremos dar a devida publicidade aos resultados das pesquisas desenvolvidas em nossa instituição”, destaca o coordenador do SEIC e dos Programas de Iniciação Científica da UFOP, professor Marcone Jamilson Freitas Souza. O evento contará com um sistema facilitado e interativo de submissão e análise de trabalhos, assim como de geração de certificados e anais. Outra novidade será a apresentação dos depoimentos de alunos que estão em mobilidade acadêmica internacional, em especial, de participantes do Programa Ciência sem Fronteiras (CsF). “O SEIC tem de tudo para manter e superar o nível de sucesso dos anos anteriores, consolidando-se no calendário da UFOP”, conclui o professsor Marcone.

FAPEMIG. “A Fundação gerencia a compra de equipamentos, reagentes, contratação de terceiros e serviços especiais que requerem um suporte especializado e técnico”, afirma a professora Renata. Duas dissertações de mestrado foram defendidas em abril e uma tese de doutorado em agosto deste ano sobre os estudos observacionais em crianças e adolescentes. Outra vertente das pesquisas, que também recebe o apoio da FEOP, diz respeito a estudos intervencionais, em que se que investiga a relação entre dieta ou alimentos sobre o risco ou fatores de risco de doenças crônicas. Nesse sentido foi aprovado recentemente um projeto pela FAPEMIG cujo objetivo é desenvolver um ensaio clínico com mulheres obesas e não obesas visando à introdução da polpa de açaí na dieta habitual. Segundo a professora da Escola de Nutrição, Ana Carolina Pinheiro Volp, essa fruta apresenta componentes com efeitos antiinflamatórios e anti-oxidantes. “Investigaremos alterações no metabolismo de lipídeos, glicose, marcadores inflamatórios e do estresse oxidativo. Além disso, avançando com estudos

de genômica nutricional, investigaremos também o efeito da intervenção com açaí sobre a expressão de genes relacionados ao metabolismo, inflamação e estado oxidativo”, explica a pesquisadora, que ainda ressalta que “o projeto permitirá embasar cientificamente o estímulo à consumo de alimentos tipicamente brasileiros que melhorem o padrão alimentar dos indivíduos com ganhos para a saúde”.

FEOP intensifica parcerias de desenvolvimento institucional Visando construir iniciativas de desenvolvimento, a FEOP e o Banco do Brasil se articulam para viabilizarem ações de cooperação mútua. As instituições discutem a construção de uma estrutura física que, além de abrigar a nova sede da Fundação, proporcionará a disponibilização de espaços para o desenvolvimento de projetos gerenciados pela FEOP e a instalação da nova agência do banco em Ouro Preto. Outra ação que visa a finalidades importantes é o convênio com o Instituto Federal de Minas Gerais – campus Ouro Preto (antigo CEFET) - a fim de viabilizar projetos científicos do IFMG por meio da gestão financeira e administrativa de ações financiadas pela FAPEMIG. Além de reforçar relações estratégicas, essas parceriras visam fortalecer a FEOP enquanto fundação de apoio de reconhecida eficácia, sustentabilidade e valorização de seu corpo técnico, a exemplo da implantação recente do Plano de Cargo e Salários, a restruturação organizacional e a recuperação do equilíbrio financeiro e fiscal da instituição.

3

Informativo FEOP

Festival de Inverno 2012 reedita sucesso

O balanço positivo é fruto de um intenso e dinâmico trabalho de organização. Em 2012, a Pró-reitoria de Extensão (PROEX) convidou a equipe do Centro de Artes e Convenções a assumir a coordenação do evento,

Criado em 2009 para reunir mostras de trabalhos de pesquisa (PROPP), Extensão (PROEX) e graduação (PROGRAD), o “Encontro de Saberes” acontece com apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), da Fundação de Amparo à Pesquisa no Estado de Minas Gerais (FAPEMIG), da Fundação Gorceix e da Fundação Educativa Ouro Preto (FEOP). “Uma grande oportunidade de troca de experiências e divulgação de conhecimentos”, afirma o pró-Reitor de Pesquisa e PósGraduação, Tanus Jorge Nagem. Inscrições e mais informações em www. seic.ufop.br

INTERCOM Sudeste é sucesso em Ouro Preto

O XVII Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste – INTERCOM Sudeste – se realizou entre os dias 28 a 30 de junho, em Ouro Preto, superando todas as expectativas quanto ao número de inscrições, que se encerraram um mês antes da data prevista e atingiu cerca de 2.800 inscritos, a maior participação na história do INTERCOM. O Congresso foi realizado pelo curso de Jornalismo da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) e teve como tema central “Esportes na Idade Mídia – diversão, informação e educação”, em alusão aos grandes eventos esportivos que acontecem no país. Atraiu interessados de diversos estados como Paraná, Bahia, Pará, Tocantins, Rios Grande do Norte e Distrito Federal. Os comunicólogos

Informativo FEOP

6

participaram de 35 minicursos, 2 painéis, 11 oficinas e 11 mesas, além de lançamento de 18 produtos científicos na Exposição de Pesquisa Experimental em Comunicação – EXPOCOM –, que premia os trabalhos realizados por alunos da região sudeste com temas que variam de cinema e audiovisual a produção editorial. A abertura do evento contou com uma homenagem ao pesquisador e professor José Marques de Melo e apresentações dos Catitões Zé Pereira da Chácara de Mariana e da banda Groove de Vinil. “A cerimônia de abertura foi uma das mais bonitas que já vi em Congressos. O mito da caverna, encenado durante a homenagem ao José Marques de Melo, teve muito em comum com o INTERCOM, uma vez que significa novas luzes para um mundo novo, inexplorado,” afirmou Joyce Afonso, estudante do 5° período do curso de jornalismo da UFOP. Entre os temas bem explorados pelas atrações exclusivas do Congresso, estavam as mesas sobre jornalismo popular, homofobia na mídia e nos processos políticos eleitorais, que foram ministradas por professores e pesquisadores de todo país. Uma das atrações mais esperadas pelos congressistas foi a palestra de Emanuel Castro, diretor de Novas Mídias da TV Globo. Ele

explanou sobre portabilidade e interatividade, explicando como o cenário jornalístico tem sido modificado com o avanço das tecnologias midiáticas. O Curso de Jornalismo da UFOP se volta agora para a organização do IX Encontro Nacional de História da Mídia, que acontecerá entre os dias 29 e 31 de maio de 2013, em Ouro Preto.

F E 0 P

estreitando a relação de parceria da FEOP com o Festival. “Procuramos trazer a FEOP para mais próxima do Festival, e a resposta foi extremamente positiva. Constatamos um envolvimento significativo por meio de uma gestão especializada que requer eventos dessa magnitude, além da contribuição importante para o maior envolvimento de todos os parceiros,” destaca a coordenadora executiva do Festival, Júlia Mitraud. O evento demandou uma preparação ao longo do ano por meio do trabalho da apresentação do projeto junto às empresas patrocinadoras, bem como às leis federal e estadual de incentivo à cultura. Além de proponente, coube à Fundação

a adminstração das atividades, como o acompanhamento dos patrocínios, pagamentos, realização de processos licitatórios, compra de materiais e equipamentos, formalização de contratos, transporte de artistas, oficineiros e participantes. “A FEOP se sente engrandecida pela parceria junto à UFOP e prefeituras de Ouro Preto e Mariana. O Festival se destaca a cada edição pelo alcance sociocultural e, ao mesmo tempo, por sua representatividade e integração. Parabenizamos a todos os envolvidos pelo empenho e dedicação”, afirma a gerente de projetos da FEOP, Núbia Assis. É a Fundação contribuindo com o principal projeto de extensão da Universidade Federal de Ouro Preto.

UFOP apresenta resultados do PROAPE União e Integração de parceiros permite o desenvolvimento de diagnóstico geoambiental que subsidiará o IBAMA na gestão, preservação e valorização das cavernas do município de Pains, Minas Gerais

Empresas, poder público, pesquisadores, ambientalistas e a sociedade em geral contam com uma visão mais abrangente e integrada sobre as cavidades naturais subterrâneas do centro-oeste de Minas Gerais. No dia 10 de agosto, a Sociedade Excursionista Espeleológica (SSE/UFOP) apresentou os resultados do Projeto “Arcos Pains Espeleologia”, o PROAPE, bem como o principal produto das pesquisas, um amplo e rico diagnóstico acerca das potencialidades geológicas, biológicas, arqueológicas e turísticas, que agora atuará no desenvolvimento sustentável da região. A cerimônia coroou a integração de esforços que possibilitou retomar o projeto, em setembro de 2010, por meio da assinatura do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público Federal (MPF).

Nesses dois anos, a FEOP esteve na gestão dos recursos advindos de compensação financeira ambiental e no apoio às atividades de escritório e de campo desenvolvidas pelos técnicos, estudantes e pesquisadores do Departamento de Geologia (DEGEO), Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) e da Fundação Estadual de Meio Ambiente (FEAM). “Obtivemos um retorno muio importante, com a Fundação atendendo a todas as nossas demandas; um trabalho que foi fundamental para o resultado final e êxito do PROAPE”, destaca a analista ambiental do IBAMA, Ubaldina da Costa Isaac. O evento contou com a participação de representantes de todas as instituições parceiras: da procuradora do MPF, Dr. Zane Cajueiro, do superintendente do IBAMA, Marco Túlio Coelho, do vice-presidente da FEAM, Aline Faria de Souza, do representante do Departamento Nacional de Produção Mineral, (DNPM) Paulo Almeida, do representante da Gerdau, Walmir Braga,

além do diretor do DEGEO, professor Issamu Endo e do pró-reitor Adjunto de Pesquisa e Pós-Graduação (PROPP), professor André Barros Cota. Durante a cerimônia, o presidente da FEOP, professor Rogelio Lopes Brandão, agradeceu o reconhecimento e confiança depositada na instituição. “A FEOP nunca se furtará de particiupar de projetos dessa envergadura, dada a relevância da iniciativa para a pesquisa, ensino e extensão e para o desenvolvimento sustentável”. Em nome dos colaboradores presentes - os gestores de projetos Maria do Carmo e Keizo Shima - o presidente agradeceu a toda a equipe da Fundação a dedicação e comprometimento com o PROAPE.

Vem aí a 20ª edição do Seminário de Iniciação Científica da UFOP - Pág. 06 Ouro Preto recebe Encontro Internacional sobre leishmanioses e vacinas - Pág. 05 Pesquisa demonstra o papel das plantas nativas na recuperação de áreas degradadas - Pág. 05 Agosto 2012 - edição 12 - www.feop.com.br


História da Saúde e das Doenças em Minas Gerais Projeto de pesquisa alia história à medicina ao estudar a relação da população do século XVIII com o corpo, a saúde e as doenças eram os pacientes, etc. Foi possível, por exemplo, conhecer as práticas que eram adotadas pelos escravos, assim como pelos boticários, termo utilizado para se referir à época aos farmacêuticos.

A fim de compreender a História das Ciências da Saúde e da Doença, preenchendo uma lacuna acadêmico-científica, o Núcleo de Estudos sobre o Corpo (NEC) lança o “Catálogo de Fontes: História da Saúde e das Doenças na Comarca de Vila Rica”, um dos principais produtos da pesquisa “Levantamento e Catalogação de fontes para estudo da História dos Corpos na Comarca de Vila Rica (1700-1808)”. Com base na “varredura” de arquivos históricos de Ouro Preto e Mariana, constituiu-se um catálogo amplo e minucioso sobre a cultura medicinal, entre 1700 a 1808, na então antiga Comarca de Vila Rica, região do apogeu do Ciclo do Ouro.

Realizaram-se catalogações de inventários do Arquivo Histórico da Casa Setecentista de Mariana e fontes secundárias, como teses, dissertações, monografias e livros de medicina, farmácia, cirurgia e botânica produzidos no período estudado. Posteriormente, ações cíveis, devassas eclesiásticas e assentos de óbitos também serão catalogados. “Essa potencialidade material se transformou num rico banco de dados sobre História da Saúde e das Doenças na América Portuguesa, a partir do qual podem ser traçados costumes e um quadro nosológico, em

Financiado pela FAPEMIG, consistiu em conhecer práticas e saberes dos agentes de saúde da época, quem eram eles e como viviam; compreender como eram as formas de se cuidar dos corpos; remédios e compostos farmacêuticos; procedimentos de curas, quem que são descritas e classificadas as doenças. Além disso, elaboramos fichas de coleta de dados de todos os documentos catalogados, contribuindo para a consulta e surgimento de novos trabalhos”, destaca a coordenadora do projeto, Maria Cristina Rosa, professora do Centro Desportivo (CEDUFOP).

Expediente Informativo FEOP Agosto/2012 - edição 12 Publicação bimestral Fundação Educativa Ouro Preto Rua Benedito Valadares, 241 Bairro Pilar – Ouro Preto, MG (31) 3559-3450 Conselho Curador João Luiz Martins – Reitor Rogelio Brandão - Presidente FEOP Lisiane da Silveira - Pró-Reitora de Planejamento Armando Maia Wood - Pró-Reitor de Extensão William Augusto Menezes - Diretor ICHS Guilherme Paoliello - Diretor IFAC Antonio Claret Soares Sabioni - Diretor ICEB José Artur dos Santos Ferreira - Diretor ICSA Glauco Ferreira Gazel Yared - Diretor ICEA José Geraldo Arantes Azevedo Brito - Diretor Escola de Minas Marta de Lana - Diretora Escola de Farmácia Marcelo Eustáquio Silva - Diretor Escola de Nutrição Luiza de Marillac dos Reis – Presidente ASSUFOP Carlos Frederico Cavalcanti - Pró-Reitor de Projetos Especiais Jaime Antonio Sardi Diretor - CEAD Produção: Fundação Educativa Ouro Preto - FEOP Jornalista responsável: Eduardo Maia – MTB/MG13035 Projeto gráfico: Núcleo Gestão da Informação (NGI/FEOP) Diagramação: Rayana Almeida e Flávio Fagundes Impressão: Gráfica Formato Tiragem: 1800 exemplares

Informativo FEOP

2

Palavra do Presidente Nesta edição de agosto de 2012 quero chamar a atenção dos nossos leitores para uma característica marcante do conteúdo do Informativo FEOP: o pluralismo dos temas que demonstra quão vigorosa é a nossa instituição apoiada, a UFOP. Nossa linha editorial se fundamenta na divulgação de projetos que contam com a participação da FEOP como gestora ou proponente, dando ênfase aos diferentes setores da Universidade. Mais uma vez, procuramos demonstrar a qualidade dos trabalhos desenvolvidos na UFOP; qualidade esta que coloca a nossa instituição em evidência nacional e internacional. Como exemplo desta nova face da UFOP citamos a realização do Intercom Sudeste, organizado por professores do curso de Jornalismo. Na área biológica, a realização em setembro do 2º Simpósio Internacional de Vacinas para Leishmanioses. Também em setembro temos o 3º Encontro Brasileiro de Purinas. Aos organizadores destes eventos, os nossos mais sinceros parabéns. Nossos leitores encontrarão ainda matérias sobre projetos em diversas áreas do conhecimento, tais como: história, meio ambiente e nutrição. Chamamos a atenção também para o XX Seminário de Iniciação Científica, que acontecerá em novembro. Internamente, iniciamos o processo de digitalização de documentos relativos à Prestação de Contas e estamos estreitando nossas relações com instituições como o Banco do Brasil para poder melhorar ainda mais a qualidade dos serviços da Fundação. Graças ao contínuo apoio que temos recebido dos nossos usuários, a FEOP começa ser lembrada para a gestão e execução de projetos de maior envergadura, tal como aquele que revitaliza e restaura o Museu de Ciências da Terra do Rio de Janeiro. No último dia 06/08, na sede da CPRM na capital fluminense, a FEOP foi formalmente convidada a apresentar uma proposta para a execução da segunda fase desse projeto.

O estudante do curso de História da UFOP, Lucas Quadros, participante do projeto como bolsista do Programa de Iniciação Científica, ressalta a contribuição do trabalho. “Temos agora uma fonte privilegiada para vislumbramos novos projetos acerca de um tema pouco privilegiado pela academia”. Já o bolsista Vinícius Gelape, também da História, aponta “a experiência enriquecedora ao atuar em congressos e ao lado de outros pesquisadores da área”.

Temos colocado aqui neste espaço a idéia de construção de uma sede própria da FEOP. Passos nessa direção continuam sendo dados, mas a prudência e a seriedade dos nossos propósitos ainda nos impedem de dar maior divulgação sobre os detalhes desta negociação. O que posso dizer hoje é que estamos cada vez mais próximos de atingir este objetivo que se alcançado representará mais uma etapa na consolidação da FEOP como uma verdadeira Fundação de Apoio.

O “Catálogo de Fontes: História da Saúde e das Doenças na Comarca de Vila Rica” está disponível para consulta em www.nec.ufop.br/ catalogo

Todas estas notícias somente têm sido possível graças ao apoio contínuo que a Fundação tem recebido de seus usuários. É óbvio que precisamos melhorar ainda mais, e para tanto contamos com as críticas construtivas de todos aqueles que querem que FEOP seja uma instituição sempre forte e confiável. Boa leitura! Prof. Rogelio Brandão Presidente da FEOP

O poder das plantas na recuperação de áreas degradadas Trabalho de análise e levantamento de espécies nativas do Quadrilátero Ferrífero busca procedimentos mais eficazes de revegetação e contenção de processos erosivos provocados por atividades antrópicas Conhecer a capacidade biotécnica das plantas é um dos grandes desafios do país. Em relação ao Quadrilátero Ferrífero (QF) - região de intensa mineração e geologia singular – a recuperação de áreas degradadas envolve estudos sobre as plantas nativas. O Departamento de Biodiversidade, Evolução e Meio Ambiente (DEBIO), em parceria com o Departamento de Geologia (DEGEO), realiza um levantamento, fruto de projeto de pesquisa, sobre o potencial biotécnico da vegetação dos ecossistemas do QF, cujo principal objetivo é aprimorar as ações de estabilização dos processos erosivos provocados pela mineração e uso do solo. Busca-se elaborar protocolos de divulgação das espécies mais adequadas e indicadas para ações de revegetação, recomposição e projetos de bioengenharia. Entre as caraterísticas das plantas do Quadrilátero Ferrífero estão a alta capacidade de concentrar metais pesados, o rápido enraizamento e crescimento, a capacidade de nucleação de novas espécies e, especialmente, o potencial de rebrota por estaquia, um método de reprodução

que vem sendo testado pelos pesquisadores nas Casas de Vegetação do Horto Botânico da UFOP. As mudas que melhor rebrotarem são avaliadas quanto a características de elasticidade mecânica do caule e, em seguida, levadas para análise de concentração de metais em folhas, caules e raízes no Laboratório de Geoquímica. “Hoje as espécies exóticas (de outros ambientes) são equivocadamente introduzidas e utilizadas na recuperação de áreas degradadas, ainda que não apresentem caraterísticas biotécnicas adequadas e, quase sempre, alteram funcionamento dos ecossistemas nativos”, aponta a professora do DEBIO e coordenadora do projeto, Alessandra Kozovits. A pesquisa é financiada pela FAPEMIG por meio do Edital “Pesquisador Mineiro” (2011-2013) no âmbito da linha de pesquisa sobre recuperação de áreas degradadas do Laboratório de Ecofisiologia Vegetal. Conta com a participação de alunos de doutorado, mestrado, iniciação científica e colaboração de pesquisadores das universidades federais de Minas Gerais (UFMG) e de Santa

Maria (UFSM). “Por trás das atividades está a gestão financeira da FEOP, que nos garante a compra do melhor equipamento e materiais com o menor custo, realiza a prestações de contas e o controle de prazos e gastos. Concentramo-nos única e exclusivamente na pesquisa”, destaca a pesquisadora. O projeto faz testes de estaquia com espécies de matas ciliares das bacias do rio Doce e do rio Maracujá. Outro importante espaço de experimentação é a Serra da Brígida, que integra a Área de Proteção Ambiental (APA) das Andorinhas, localizada no município de Ouro Preto, em que 120 mudas de candeia foram plantadas em antiga área de mineração de bauxita. Dissertações de metrado na UFOP já comprovaram o alto potencial dessa planta na contenção de processos erosivos, como a capacidade de acúmulo de metais pesados em seus tecidos a custos financeiros reduzidos, visto que seu cultivo em campo dispensa tratos culturais, como irrigação, correção de solo, fertilização, etc.

UFOP recebe encontro internacional sobre leishmanioses e vacinas O 2º Simpósio Internacional de Vacinas para Leishmanioses - “The International Symposium on Leishmaniasis Vaccines” - acontece no Centro de Artes e Convenções de Ouro Preto, entre os dias 1 e 6 de Setembro. Reunirá pesquisadores em torno da temática “Vacinas para Leishmanioses – Tegumentar e Visceral, Humanas e Caninas, Velho e Novo Mundo”. O objetivo principal é gerar, ao final do evento, uma agenda mundial que orquestrará as pesquisas no desenvolvimento de vacinas. Realizado sob a égide da Sociedade Brasileira

A UFOP recebeu, nos dias 24 a 27 de julho, o XVIII encontro regional da Associação Nacional de História (ANPUH) – seção Minas Gerais. O evento foi realizado no Instituto de Ciências Humanas (ICHS), em Mariana, e contou com a presença de cerca de 800 estudantes inscritos

atividades científicas inerentes ao planejamento de novos candidatos vacinais”, aponta. O público-alvo do Leishvaccines 2012 são pesquisadores, professores, alunos de pósgraduação e profissionais da indústria farmacêutica e afins. As áreas de interesse são a Vacinologia, Biotecnologia, Biologia Molecular, Biologia, Bioquímica, Biofísica, Farmácia, Química, Ciências Farmacêuticas, Bioinformática, Imunologia, Parasitologia, Medicina Tropical e áreas relacionadas. Mais informações em www.leishvaccines2012.ufop.br.

FEOP no apoio ao 3º Encontro Brasileiro de Purinas De 22 a 24 de setembro, será realizado o “3º Encontro Brasileiro de Purinas”, no Centro de Artes e Convenções de Ouro Preto, que contará com a participação de mais de 160 pesquisadores nacionais e estrangeiros. A FEOP desenvolveu o website e a arte do cartaz do congresso, permitindo que a Comissão Organizadora o divulgasse no Congresso Internacional de Purinas, que se realizou em maio, no Japão. A instituição também está à frente do pagamento de serviços por meio da gestão financeira dos recursos liberados pela FAPEMIG. “Contar com esse suporte em um congresso científico de caráter internacional é imprescindível para

a viabilização e mobilização dos pesquisadores”, destaca o professor do NUPEP/UFOP e integrante da Comissão organizadora, Luís Carlos Crocco Afonso (foto). Realizado pelo Clube Brasileiro de Purinas, o “3º Encontro Brasileiro de Purinas” tem como tema “Sinalização Purinérgica: Implicações Biológicas e Terapêuticas”. A programação conta com conferências, simpósios e apresentação de painéis com a presença de 19 convidados de outros países. “Será uma grande oportunidade de integração entre as pesquisas, intercâmbio e colaboração entre os diversos grupos de pesquisa e laboratórios, garantindo, ao mesmo tempo, a visibilidade dos trabalhos já desenvolvidos pela UFOP”, finaliza o professor Luís Carlos. Confira a programação completa: www.purinas2012.com.br

XVIII encontro regional da Associação Nacional de História vindos de todo Brasil. Como uma bienal que acontece simultaneamente às demais regionais no Brasil, o encontro trouxe historiadores renomados como Carlos Fico (UFRJ), Júnia Furtado (UFMG), Caio Boschi (PUC-MG), María Elena Barral (Universidade de Luján) e Hendrik Kraay (University of Calgary). A diretoria do evento, composta por professores e alunos da UFOP, destaca o sucesso do congresso: “Pelos números apresentados, temos a certeza de que este foi um dos maiores Encontros Regionais da ANPUH-MG, ressaltando não somente a importância da nossa seção, mas também a nossa capacidade de organização e o potencial de nossos programas de pósgraduação e instituições de pesquisa.”, afirma Fernanda Póvoa, aluna do curso de História da UFOP.

de Medicina Tropical (SBMT), o encontro é presidido pelo pesquisador do Laboratório de Imunopatologia do NUPEB/UFOP, professor Alexandre Reis. Segundo o pesquisador, além de fortalecer a integração entre os grupos de pesquisa, o simpósio será uma grande oportunidade de discussão das tecnologias avançadas empregadas pela academia, institutos de pesquisa e Indústria Farmacêutica, com ênfase em suas aplicações em pesquisas por novos imunobiológicos. “A proposta é contribuir para o avanço contínuo da vacinologia em nosso país, esperando-se que novos conhecimentos resultem na ampliação das

Prestação de contas digitalizada A FEOP iniciou o processo de digitalização dos documentos relativos às Prestações de Contas. Além de garantir mais organização, eficácia e economia no ambiente organizacional, o novo método permitirá o encaminhamento rápido do documento quando requisitado pelo usuário ou órgãos de fomento. O coordenador do Núcleo de Prestação de Contas e Documentação da FEOP, Luciano Bento, ressalta as vantagens e benefícios da iniciativa. “Os ganhos são consideráveis tanto para o colaborador quanto para o pesquisador, uma vez que o meio de armazenamento e pesquisa digitais agilizam os procedimentos

internos e disponibilidade do material”, afirma. As prestações de contas realizadas a partir de 6 de agosto estão disponíveis para visualização. O objetivo da FEOP é efetuar a digitalização completa de seu arquivo. As atividades do Núcleo de Prestação de Contas da Fundação incluem a organização de relação de documentos, relatórios e afins que refletem os aspectos financeiro, contábil e documental, assegurando aplicação legal e correta dos recursos destinados aos projetos. Mais informações: (31) 3559-3453.

5

Informativo FEOP


Informativo FEOP 12