Page 1

UFOP elege novos reitor e vice-reitor Professor do Departamento de Computação (DECOM) assume compromissos com uma gestão plural e democrática, e traça ações estruturantes com vistas ao fortalecimento institucional da Universidade A comunidade acadêmica elegeu, entre os dias 5 e 6 de dezembro, o professor do Departamento de Computação (DECOM), Marcone Jamilson Freitas Souza, o próximo reitor da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). A partir de fevereiro de 2013, ele administrará a Universidade (2013-2016) ao lado da professora do Departamento de Educação (DEEDU), Célia Maria Fernandes Nunes, eleita vice-reitora. A proposta da chapa vencedora para o quadriênio 2013-2016 se sustentou em quatro eixos programáticos.

F E 0 P

A nova administração pretende acelerar o desenvolvimento da Universidade por meio de um planejamento com ações e metas claras. Nesse sentido, destacam-se algumas propostas, como o novo Estatuto da UFOP, com a formação do Congresso Estatuinte que será representado por todos os setores e segmentos da Universidade; a produção de conhecimento acadêmico e científico concomitante à interação com a sociedade; a eficácia administrativa por meio da desburocratização e modernização de procedimentos internos; cursos de metodologia de ensino para os docentes; reforço no aprendizado de alunos e estímulo à criação de espaços físicos e iniciativas de sociabilidade, difusão e apoio à cultura e ao esporte. “Nossa proposta buscou representar bem a universidade que defendemos: plural e democrática em todas as dimensões, alinhando-a aos desafios e realidade atuais”, avalia o reitor eleito. Em relação às fundações de apoio, o professor Marcone Jamilson entende que não cabe à UFOP nenhum tipo de ingerência nessas instituições. Entretanto, segundo ele, as parcerias e diálogo construídos com as fundações representam um grande avanço e impacto para o desenvolvimento acadêmico. “São parcerias de grande impacto para o fortalecimento de nossa UFOP ao estimular a interação de nossos cursos com o mundo produtivo, trazer propostas que permitam que a vida acadêmica seja arejada e provocada por novos desafios, vindos de fora da Universidade, melhorar a oferta dos cursos, a formação dos nossos alunos e estimular novas pesquisas, desenvolvimento e inovação. Caminharemos juntos para acelerar a execução de nosso planejamento”, destaca. A continuidade e apoio a projetos gerenciados pela FEOP são fundamentais para Universidade, no entendimento do professor Marcone, a exemplo do Festival de Inverno de Ouro Preto e Mariana e o Fórum das Letras. Ele ainda propõe uma maior planejamento na aplicação dos recursos das leis de incentivo. “É preciso aprofundar o planejamento para que os investimentos conseguidos com a Lei de Incentivo à Cultura possam servir também para financiar ações estruturantes, beneficiando especialmente os cursos mais ligados a essa área do conhecimento, assim como o uso das leis de incentivo à pesquisa e ao desenvolvimento por parte das empresas. Todas essas ações devem ser pensadas de forma articulada e com maior institucionalização”, afirma. Os professores Marcone Jamilson e Célia Maria se elegeram pela chapa 4 com uma média de 53,14% dos votos proporcionais dos docentes, técnicos e estudantes.

Literatura em cena em Ouro Preto A cidade se transformou em um grande polo cultural entre os 22 e 25 de novembro A oitava edição do Fórum das Letras reforçou importância do evento como palco de discussões e análises sobre a literatura, com o tema “Como se faz um livro?”. Contou com mais de 50 convidados para os debates acerca das etapas de produção literária, homenagens a autores como Affonso Ávila e Lúcio Cardoso, exposições e cortejos pela cidade histórica. Para a coordenadora Guiomar de Grammont, “o encontro atingiu-se seus objetivos ao prezar pela gratuidade de acesso, a liberdade temática e, o mais importante, com a sensibilidade para abordar temas que nos são caros, como a relação entre a poesia, a filosofia, a busca de inspiração por parte dos autores, entre outros”, afirma. Já o Fórum das Letrinhas cumpriu seu papel de estimular o hábito da leitura, atingindo cerca de mil crianças de quase 30 escolas da rede pública e privada de ensino. O público infanto-juvenil participou de debates, apresentações teatrais, musicais e exposição. O Fórum das Letras é uma promoção da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Como proponente e organizadora, a Fundação Educativa Ouro Preto (FEOP) contribuiu para que o Fórum superasse as expectativas em relação ao processo de produção literária e à formação de público. A FEOP é proponente do evento, que teve como patrocinadores os governos federal e estadual, Vale, CEMIG, Samarco e Petrobras. A intenção para o próximo ano é expandir a atuação das atividades. Entre as novidades e estratégias já definidas para a próxima edição está sua transferência para o mês de maio de 2013.

Programa de Pós-graduação em Biotecnologia do NUPEB/UFOP seleciona doutorandos - Pág. 3 Estudiosos do direito discutem o contexto constitucional da América Latina - Pág. 6 Pós-graduação em Citologia Clínica prepara profissionais para o mercado de trabalho - Pág. 5 Dezembro 2012 - edição 14 - www.feop.com.br


20ª edição do Seminário de Iniciação Científica O Centro de Artes e Convenções da Universidade Federal de Ouro Preto recebeu, entre os dias 7 e 9 de novembro, o XX Seminário de Iniciação Científica (SEIC). O evento acontece no âmbito do IV Encontro dos Saberes, que também agrega o XIII Seminário de Extensão e a V Mostra Pró-Ativa, cujo objetivo é promover o intercâmbio entre estudantes de graduação e professores que atuam nas áreas de pesquisa, ensino e extensão das Pró-Reitorias de Pesquisa e Pós-Graduação (PROPP), de Extensão (PROEX) e da Graduação (PROGRAD). Foram apresentados cerca de 1300 trabalhos vinculados aos diversos Programas de Iniciação Científica financiados pelo CNPq, FAPEMIG, UFOP e Fundação Gorceix e relacionados às áreas de Ciências Exatas e da Terra; Ciências Sociais e Aplicadas; Ciências Humanas, Letras e Artes; Ciências da Vida e Engenharias. Eles passaram por um processo de avalição no qual foram concedidos prêmios de melhores trabalhos e menções honrosas. A V Mostra Pró-Ativa conciliou 80 trabalhos esse ano, e teve como ponto central o desenvolvimento das atividades de ensino de graduação através de projetos de apoio e organização didáticos utilizados nas disciplinas dos professores envolvidos. Já o XIII Seminário de Extensão exibiu os projetos que aproximam a sociedade e a Universidade a fim de incentivar o crescimento desse tipo de pesquisa que auxilia nas carências das comunidades em que a UFOP está inserida. Foram realizados 23 minicursos ao longo dos três dias, com temas que variaram de direitos homoafetivos até os fundamentos de engenharia e refino de petróleo e gás natural.

UFOP recebe Prêmio de Destaque do Ano na Iniciação Científica e Tecnológica do CNPq O estudante de medicina Diógenes Coelho Junior conquistou o primeiro lugar na área de Ciências da Vida com o projeto “Estudo da variabilidade genética do Trypanosoma Cruzi no desenvolvimento das lesões ateroscleróticas coronarianas dependentes de apoliproteína-E”. O projeto, que contou com a orientação do professor André Talvani e a coorientação de Vivian Paulino Figueiredo, estuda a interferência da apoliproteína E (apoE) na resposta inflamatória de camundongos (C57BL/6 apoE-/-) infectados por cepas distintas do Trypanosoma cruzi. A ausência da apoE, segundo o estudo, parece interferir e agravar o processo inflamatório responsável pelo desenvolvimento da aterosclerose em Expediente animais infectados pelo T. cruzi, sendo cepaInformativo FEOP dependente. Desta forma, além de ampliar Dezembro/2012 - edição 14 o entendimento de como a infecção pelo Publicação bimestral T. cruzi pode interferir no perfil patológico Fundação Educativa Ouro Preto da aterosclerose, o projeto permite também Rua Benedito Valadares, 241 Bairro Pilar – Ouro Preto, MG compreender a interferência da variabilidade (31) 3559-3450 genética do parasito junto a seu hospedeiro, elementos essenciais para estudos futuros Conselho Curador envolvendo a resposta inflamatória João Luiz Martins – Reitor Rogelio Brandão - Presidente FEOP cardiovascular. Mais informações em: Lisiane da Silveira - Pró-Reitora de Planejamento http://www.destaqueict.cnpq.br/ Armando Maia Wood - Pró-Reitor de Extensão William Augusto Menezes - Diretor ICHS Guilherme Paoliello - Diretor IFAC Antonio Claret Soares Sabioni - Diretor ICEB José Artur dos Santos Ferreira - Diretor ICSA Glauco Ferreira Gazel Yared - Diretor ICEA José Geraldo Arantes Azevedo Brito - Diretor Escola de Minas Marta de Lana - Diretora Escola de Farmácia Marcelo Eustáquio Silva - Diretor Escola de Nutrição Luiza de Marillac dos Reis – Presidente ASSUFOP Carlos Frederico Cavalcanti - Pró-Reitor de Projetos Especiais Jaime Antonio Sardi Diretor - CEAD Produção: Núcleo Gestão da Informação - FEOP Jornalista responsável: Eduardo Maia – MTB/MG13035 Projeto gráfico: Rayana Almeida e Flávio Fagundes Redação e edição: Eduardo Maia e Rayana Almeida Impressão: Gráfica Formato Tiragem: 1800 exemplares

Informativo FEOP

2

Palavra do Presidente Mais um ano sendo finalizado e a sensação permanente de estar fazendo bem o seu papel é predominante no seio da FEOP. Como temos insistido nas nossas declarações públicas, os avanços que estão sendo consolidados na FEOP têm duas razões principais: a confiança crescente dos nossos usuários que continuam acreditando na Fundação e no seu modus operandis atual e a inesgotável dedicação dos nossos colaboradores. Recentemente, em evento comemorativo dos 19 anos desta instituição disse aos presentes que a FEOP hoje é praticamente administrada por seu corpo técnico que atingiu grande nível de maturidade ao perceber que os maiores interessados no bom funcionamento da instituição são eles próprios! Estou certo que criamos aqui um ciclo virtuoso, onde a eficiência das ações da FEOP impulsiona e anima a nossa comunidade acadêmica a continuar prestigiando a FEOP como gestora de seus projetos. Mas o ano termina com a notícia que dominou o cenário da UFOP nos últimos meses: a eleição do novo Reitor. Nesse momento cabem duas colocações da Presidência da FEOP: a primeira delas é de agradecimento aos professores João Luiz Martins e Antenor Barbosa Jr, Reitor e Vice-reitor da UFOP, que contribuíram durante oito anos para que a UFOP continuasse seu desenvolvimento institucional. A ambos o nosso reconhecimento pelo desprendimento e o alto senso público sacrificando suas carreiras acadêmicas em prol da nossa Universidade. O outro aspecto importante é saudarmos a eleição do Prof. Marcone e da Profª Célia para os cargos de Reitor e Vice-reitora. Ao desejar a ambos a melhor sorte do mundo nesta nova empreitada, a FEOP se coloca à disposição para continuar contribuindo no fortalecimento da UFOP, esperando que o relacionamento entre ambas as instituições continue sendo fortalecido e novas ações possam ser estruturadas para permitir um melhor aproveitamento da energia humana existente na FEOP, sempre a serviço da instituição que apoiamos! Dirijo-me de forma especial aos usuários da FEOP, e muito particularmente também àqueles que tem nos enviado mensagens de apoio pelo trabalho que realizamos aqui na FEOP. Como disse acima, este crédito deve ser dado aos nossos colaboradores que com sua entrega ao trabalho contribuem para o crescimento desta instituição. Por fim gostaria de desejar a todos um Natal repleto de alegria e paz e ao mesmo tempo que os festejos de final de ano sejam inspiradores de novos tempos onde cada um possa continuar dando o seu melhor, não somente para que tenhamos sempre um bom ambiente de trabalho, mas para que possamos todos desfrutar de um mundo melhor, mais justo e mais fraterno.

Boa leitura! Prof. Rogelio Brandão Presidente da FEOP


UFOP é pioneira em Minas na criação de doutorado em Biotecnologia Aprovação do novo curso atesta a qualidade do Programa de Biotecnologia da Universidade, que é o primeiro em nível de doutorado no Estado

As inscrições para o novo curso de doutorado em biotecnologia da UFOP encontram-se abertas até 20 de fevereiro de 2013. Uma conquista importante do Núcleo de Pesquisa em Ciências Biológicas (NUPEB), que obteve, em outubro, a aprovação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) para a criação primeiro doutorado em biotecnologia de Minas Gerais. O curso consolida o trabalho de formação de pós-graduandos para atuarem em pesquisas e no setor produtivo, iniciado em 2008, com a implantação do Programa de Pós-graduação através do curso de Mestrado. O curso também está estruturado em três áreas de concentração: Biotecnologia Industrial; Biotecnologia Aplicada à Saúde Humana e Animal e Genômica e Proteômica. Entre os fatores que foram decisivos estão a estrutura de excelência do Programa, a série de publicações científicas obtidas nos últimos anos, a geração de produtos, como patentes de software depositadas, vacinas (leishmaniose), enzimas, bebidas fermentáveis, peptídeos bioativas, bem como processos, como o desenvolvimento de monopartículas e kit diagnóstico (leishmaniose). Destacam-se ainda parcerias com o setor produtivo (Ouro Fino Negócios, Hemominas, Sebrae, entre outras), o estabelecimento de redes de pesquisa em âmbito nacional e as cooperações internacionais. A biotecnologia é uma área de desenvolvimento e inovação considerada prioritária para o governo, tendo em vista o número reduzido de empresas que atuam no setor, dentro do país. Segundo o professor e pesquisador do NUPEB, Ieso de Miranda Castro,

o curso demonstra que o Programa está no caminho certo. “Quatro anos após a aprovação do mestrado aprovamos o doutorado com nota 4, sabendo que essa é uma área nova na CAPES e que os programas de biotecnologia normalmente recebem cursos com notas de 3 a 5”, explica. O doutorado oferece uma gama de disciplinas adequadas à área que será fundamental para formação dos alunos. “O aspecto teórico e científico da pós-graduação terá uma aplicabilidade muito grande, com o objetivo de formar pesquisadores empreendedores em biotecnologia, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida no Estado e no país”, avalia a coordenadora do curso, a professora Renta Guerra de Sá Cota. O Programa apresenta 12 laboratórios que dispõem de equipamentos que permitem o pleno desenvolvimento de suas diversificadas linhas de pesquisa e auditório com capacidade para cerca de 60 pessoas e equipado com recursos audiovisuais. Na linha de frente da gestão administrativa, a FEOP continuará apoiando as atividades da pós-graduação, buscando a cada dia uma inserção e participação maior no desenvolvimento dos 15 professores permanentes, 2 professores colaboradores, pesquisadores estrangeiros e dos diversos departamentos da UFOP. O objetivo é realizar uma administração eficiente de parte dos projetos de pesquisa que são financiados pela CAPES, FAPEMIG, FINEP, entre outas agências, atuando para que este e outros programas da UFOP atinjam suas premissas de fortalecimento, possibilitando a incorporação de outros docentes, obtenção de novos alunos, maior aporte de recursos, transferência de tecnologia para o setor produtivo e a excelência na pós-graduação e na pesquisa nos próximos anos. O edital para o processo seletivo 2013 está disponível em www.nupeb.ufop.br/biotec/

O professor do Departamento de Filosofia da UFOP, Desidério Murcho, lançou o livro “Filosofia Ao Vivo”, no dia 9 de novembro, na Livraria Cultural da FIEMG, em Ouro Preto. Com edição da Editora Raquel (RJ), a obra torna acessível e divulga a filosofia a todos os públicos e pessoas, além do meio acadêmico. “Não é um livro escolar, e não tem por isso um tom didático (...). O objetivo principal é fazer o leitor assistir ao vivo, pela força do exemplo e sem mediações históricas nem academismos, ao raciocínio filosófico intenso” afirma o autor. Já lançado em Portugal, em 2007, país de origem do autor, rendeu naquele país 20 mil cópias logo no primeiro ano de lançamento. Outro acadêmico da Universidade a enveredar-se no mercado editorial é a professora Nair Prata, do departamento de jornalismo/UFOP, que no dia 24 de outubro lançou “Enciclopédia do Rádio Esportivo Brasileiro”, cuja organização divide com a repórter da Rádio Itatiaia, Maria Cláudia Santos.

3

Informativo FEOP


Professores elaboram equipamento para o Laboratório de Modelagem Tectônica Com o objetivo de modernizar o Laboratório de Modelagem Tectônica do Departamento de Geologia da UFOP, a Petrobrás, através da Rede de Estudos Geotectônicos e com o apoio da FEOP, financiou a aquisição/construção de equipamentos que permitem o desenvolvimento de pesquisas científicas de alto padrão. O carro-chefe, entre os novos equipamentos, é um ‘aparelho de deformação’ (na literatura, também conhecido como ‘sandbox’) empregado para a simulação de estruturas geológicas com materiais equivalentes, em escala. Os ensaios permitem testar a aplicabilidade mecânica e cinemática de modelos tectônicos teóricos, estudar mecanismos de deformação, ilustrar a evolução progressiva da deformação e indicar estruturas ainda não descobertas no terreno. Desde a criação do laboratório, há cerca de 15 anos, os pesquisadores que atuam dentro das linhas de pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Evolução Crustal e Recursos Naturais trabalham com um ‘aparelho de deformação’ rústico, pesado e de poucas funções. Este tipo de aparelho não existe à venda no mercado, e todos os laboratórios similares, só existem mais dois no Brasil, projetam e constroem os seus próprios aparatos. O projeto de um aparato desse tipo exige conhecimento nas áreas de Modelamento 3D, Simulação Computacional, Engenharia de Materiais, Mecânica, Controle e Automação e Softwares, tendo o mesmo ficado sob a coordenação do MSc. Robson Nunes Dal Col, professor credenciado do DECAT (foto). Os subsistemas que compõem o equipamento foram desenvolvidos e prototipados no LPDNT – Laboratório de Protótipos e Desenvolvimento de Novas Tecnologias do DECAT. “Este laboratório nos permite hoje o projeto e prototipagem de sistemas com alto valor tecnológico agregado”, ressalta o MSc Robson. Robson e sua equipe também estão encarregados da montagem do equipamento, que está sendo feita nos novos laboratórios do DECAT. O equipamento oferecerá uma grande versatilidade e novas possibilidades para as pesquisas, permitindo variar, entre outros, o ângulo, o sentido e a

Imagem 3D Virtual do Novo Equipamento (Render 3800x2000)

velocidade da deformação assim como o comprimento e a largura da caixa dos experimentos, de forma automatizada, tendo ainda a capacidade de registro de dados e imagens durante todo o experimento que pode durar até quatro dias, com a emissão automática do relatório com os dados e as imagens do experimento ao final. “Nada disso era possível com o equipamento antigo, o equipamento projetado é inédito e abarca elevada gama de possibilidades de estudos”, conclui a professora Caroline Janette Souza Gomes, coordenadora geral do projeto (foto). Entre os outros aparelhos financiados pela Rede de Estudos Geotectônicos da Petrobrás, têm destaque um ringshear tester, que mede as propriedades friccionais de materiais granulares e um viscosímetro, que foi construído em Uppsala, na Suécia.

Equipamento antigo, pesado e rústico

Integração de sistemas otimiza gestão de projetos Buscando excelência na prestação de serviços e atendimento aos seus usuários, a FEOP conta hoje com uma maior integração entre os seus sistemas online de gestão de projetos. Isso porque os dados financeiros do software Prosoft foram migrados para o software Conveniar, possibilitando que os usuários e os gestores de projetos acompanhem em tempo real as movimentações de recursos, situação de pagamentos e demais informações financeiras de cada projeto. Antes, esses dados eram solicitados diretamente ao Núcleo de Financeiro e Contábil que, com a medida, também passou a ter maior eficiência na organização da contabilidade interna. Segundo a gerente financeira da FEOP, Luzia Delunardo, a eficácia no gerenciamento de recursos é uma busca permanente da Fundação. “Além de melhorar nossos procedimentos contábeis e reduzir o retrabalho, a integração entre os sistemas beneficiará diretamente nossos usuários, na medida em que acompanharão com maior transparência, segurança e agilidade a aplicação e movimentações financeiras de seus projetos”, afirma. O objetivo da FEOP agora é realizar a integração do Conveniar com os sistemas utilizados pelo Núcleo de Recursos Humanos.

Informativo FEOP

4


Pós-graduação em Citologia Clínica prepara profissionais para o mercado de trabalho O Programa de Pós-Graduação Lato Sensu em Citologia Clínica da Escola de Farmácia da UFOP tem como proposta a formação científica dos profissionais legalmente habilitados ao exercício da citopatologia, visando à capacitação para a realização de exames citopatológicos. Fundado em 1998, o curso apresenta uma carga horária de 900 horas distribuídas em 18 módulos, sendo ministradas por profissionais biomédicos, farmacêuticos e médicos de todo país, bem como da própria UFOP. Segundo a coordenadora Científica do Programa, professora Cláudia Martins Carneiro, o projeto tem em média 15 alunos por turma, ocorre a cada dois anos, e os participantes tem como foco principal a habilitação para a realização do exame preventivo do câncer do colo do útero (Papanicolaou). “Também são abordados os exames citopatológicos da mama, do pulmão e dos líquidos cavitários nas aulas teóricas, práticas e nos módulos de estágio realizados durante o curso” completa. Cerca de 130 pessoas já foram capacitadas ao exercício da profissão de Citopatologista através desse projeto.

heres tenham acesso a um diagnóstico precoce e preciso, além de um tratamento adequado. Mais informações sobre o Programa em Citologia Clínica podem ser encontradas em www.propp.ufop.br ou pelo e-mail citologia@ef.ufop.br.

Sistema de coloração automatizado – Laboratório de Imunopatologia

A Fundação Educativa Ouro Preto faz parte dessa trajetória de destaque desde 2006, contribuindo com a coordenação administrativa. A FEOP disponibiliza o material necessário e o devido apoio aos alunos e professores envolvidos. Paralelamente a esse curso, os alunos e professores participam de pesquisas relacionadas ao câncer do colo do útero junto à população da cidade de Ouro Preto. O Setor de Citologia Clínica do LAPAC, Laboratório Piloto de Análises Clínicas da Escola de Farmácia da UFOP, é constituído por 5 citopatologistas e desde fevereiro de 2012 vem realizando os exames preventivos vinculados à Prefeitura Municipal de Ouro Preto avaliando a presença de processos inflamatórios, do papiloma vírus humano (HPV) e de lesões pré-neoplásicas, precursoras do câncer do colo do útero. O objetivo maior desse projeto é identificar em mulheres de 25 a 64 anos a presença de alterações sugestivas de anormalidades, para que essas mul-

FEOP é reconhecida como entidade de utilidade pública A Fundação Educativa Ouro Preto (FEOP) foi declarada, no dia 9 de novembro, como instituição de utilidade pública municipal. O reconhecimento devese aos serviços prestados pela FEOP em favor do desenvolvimento tecno-científico, social, cultural e econômico no âmbito do município de Ouro Preto. A iniciativa é fruto de Projeto de Lei de autoria do vereador Flávio Andrade, que foi aprovado por unanimidades pela Câmara Municipal. Após a sanção do prefeito Angelo Oswaldo, a lei 814/2012 que dispõe sobre o assunto foi pulicada no dia 9 de novembro. “É uma demonstração de reconhecimento da sociedade à importância da FEOP para a Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) e para toda a comunidade”, destaca Flávio Andrade. O título é emblemático na conjuntura atual da FEOP, e traduz a inserção maior da instituição no contexto de suas finalidades, assim como o certificado para busca de novos incentivos, projetos e recursos, visando a autossustentabildiade e consolidação da instituição. O reconhecimento acontece no ano em que a Fundação completa 19 anos atuando na gestão de projetos que alcançam diversas localidades do Estado e do país.

FEOP INFORMA Papelaria - artigos para presentes - Utilidades - Impressos Fiscais - Xerox - Perfumaria - Brinquedos - Suprimentos para informática Referência em Ouro Preto e toda a Região dos Inconfidentes na diversidade de opções, melhor preço e atendimento. São mais de 30 anos fornecendo uma gama de produtos que vão da linha convencional em papelaria às mais surpreendentes mercadorias. Nossa empresa também está antenada às novas tendências ao oferecer as melhores condições de pagamento, atendimento às necessidades dos clientes e artigos de última geração.

Receba nossas novidades em seu e-mail Envie uma mensagem para comunicacao@feop.com.br e fique por dentro das oportunidades em aberto e notícias de seu interesse

Afinal, nossa missão é tradicionalmente servir com qualidade e de forma diferenciada! Praça Monsenhor Castilho Barbosa, n° 7 Telefax: (31) 3551 1146 - Ouro Preto - MG

Informativo FEOP

5


Pesquisadores comprovam ação anti-inflamatória e analgésica da gabirobeira Laboratório de Plantas Medicinais do CIPHARMA desenvolve pesquisas com extratos de planta nativa do cerrado mineiro As qualidades medicinais da gabirobeira (Campomanesia, Myrtaceae) – planta que dá a saborosa gabiroba – levam pesquisadores do Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas (CIPHARMA) da UFOP a investigar o poder da espécie no tratamento de dor e inflamações. Ao avaliar diferentes extratos, incluindo os aquosos, de duas espécies, eles confirmaram as atividades anti-inflamatórias e analgésicas (antinociceptiva) das plantas. Tais atividades são atribuídas, tradicionalmente, pela cultura popular. O trabalho é fruto de projeto, gerido pela FEOP, desenvolvido no Laboratório de Plantas Medicinais (LAPLAMED) da Escola de Farmácia. Realizaram-se testes em animais e in vitro dos extratos das folhas de duas espécies de Campomanesia. Em seguida, foram realizados estudos fitoquímicos com o objetivo de isolar e caracterizar a estrutura química das substâncias ativas. A coordenadora das pesquisas, professora Dênia Antunes Saúde Guimarães, destaca a importância desse trabalho para o desenvolvimento de medicamentos fitoterápicos. “Os estudos pré-clínicos que envolvem, além dos experimentos in vitro, o desenvolvimento de metodologias para controlar a qualidade dos extratos e de formulações farmacêuticas dos mesmos, são importantes etapas no desenvolvimento de medicamentos fitoterápicos com os extratos das plantas”, explica a pesquisadora. Novas frentes de pesquisa serão desenvolvidas no Laboratório, como a que avaliará, por meio de testes em animais, se o extrato confere alguma toxicidade à saúde. A gabiroba é uma planta típica do cerrado mineiro. Apesar de sua vasta biodiversidade, o Brasil faz uso limitado de fitoterápicos produzidos com plantas nativas. “Ao elucidar as atividades biológicas, os constituintes químicos ativos e os mecanismos de ação anti-inflamatório e analgésico dos extratos da gabirobeira, damos um importante passo científico-acadêmico ao fazer frente à ausência de estudos sobre o assunto”, afirma a professora Dênia. A gabirobeira é ainda usada pela população nos tratamentos de problemas gastrointestinais, como a diarréia, ou dos males do trato urinário, como a cistite e a uretrite. Seus frutos são ricos em vitamina C. A FEOP mantém uma relação de parceria com os pesquisadores do CIPHARMA. No âmbito do projeto, realiza a gestão administrativa dos recursos financeiros repassados pela FAPEMIG, CNPQ e UFOP. “A presteza no atendimento, na compra de equipamentos e material de consumo nos conferem segurança e tranquilidade para desenvolvermos as atividades”, diz a professora. O projeto conta com a colaboração das professoras Carmem Aparecida de Paula, Andrea Grabe Guimarães, Simone Aparecida Resende, além das mestrandas Marcela Carolina de Paula Michel, Leidiane Cristina Ferreira e estudantes de Iniciação Científica.

Ouro Preto sedia congresso internacional de direito Entre os dias 30 novembro a 3 de dezembro, aconteceu o II Congresso Internacional Constitucionalismo e Democracia. Uma realização da Departamento de Direito (DEDIR) da UFOP e dos programas de pós-graduação em Direito da UFMG e da PUC-Minas, por meio da Rede pelo Constitucionalismo Democrático. Os painéis temáticos tiveram a participação de 50 palestrantes de destaque internacional na área, entre eles a professora homenageada, Miracy Barbosa de Sousa (UFMG), Menelick Carvalho Netto (UNB), Ricardo Sanin Restrepo (Universidad de Caldas- Colômbia) e David Sanches Rubio (Universidad de Sevilha-Espanha). O evento também foi marcado pelo I Congresso de Teses, que recebeu 250 inscritos, apresentações de 20 teses de pós-graduação e 46 trabalhos. As atividades foram realizadas no Cine Teatro Vila Rica (foto) e na Escola de Minas/UFOP (Antigo Palácio dos Governadores). O objetivo foi voltar o olhar dos estudiosos para a integração da América Latina e o seu novo contexto constitucional. Proporcionou análises profundas sobre as atuais transformações jurídicas e políticas do continente à luz do reconhecimento de seus direitos, diversidade cultural, peculiaridades e transformação social democrática, justa e livre de países que, historicamente, se submeteram a um sistema político elitista europeu. “A 2ª edição do congresso mostrou sua força em Ouro Preto ao reunir especialistas em direito e representantes de universidades nacionais e internacionais em torno de debates e trabalhos científicos sobre um tema que está na ordem do dia e assume uma importância cada vez maior”, avalia professora do DEDIR/UFOP, Flaviane de Magalhães Barros, que é membro da Comissão Organizadora e da Rede Brasileira pelo Constitucionalismo Democrático. Os cinco eixos temáticos do evento foram os seguintes: Processo de descolonização do saber e pluralismo epistemológico; Novas institucionalidades, direitos, subjetividades e territorialidades: “Estado Plurinacional, Pluralismo Jurídico, Sujeitos e Democracia”; “Constitucionalismo transformador e processos de integração Latino-Americana”; ”Para além do Universalismo e do Culturalismo e Ativismo judicial, formação dos Juízes e organização judiciária” . Inserindo-se no apoio a eventos que vêm se consolidando no calendário acadêmico, a FEOP ficou responsável pela gestão administrativo-financeira do Congresso, por meio dos recursos repassados pelos patrocinadores, como a FAPEMIG, Itaipu Binacional, Caixa Econômica Federal, entre outros. “O trabalho da FEOP foi extremamente importante ao tornar viável a logística que contribuiu para que alcançássemos um êxito surpreendente”, destaca a professora Flaviane. O Congresso Internacional contou ainda com o apoio do Núcleo Jurídico de Políticas Públicas (NUJUP) e do Instituto de Hermenêutica Jurídica. A próxima edição, programada para outubro de 2013, será realizada na Universidade Federal de Goiás (UFG).

6

Informativo FEOP

Informativo 14  

Informativo 14

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you