Page 1


CONTACTO FENOID - 914 452 005 OU 965 428 444


Ficha técnica Proprietário: FENOID - Electronic Live Act Data: jan 2013 Contacto: 914 452 005 ou 965 428 444

fotografia: Pedro Desterro

Design: Trinchas


fotografia: Almaphotografica

Índice Ficha técnica Índice Introdução, Quem são? e O que são? Como surgiram? Como surgiu o nome? Quando começaram a atuar ao vivo? Têm tido reações? Que software utilizam? Têm vídeo background? O que aconselham? Links

2 4 6 8 10 12 14


fotografia: Soraia Nascimento

Introdução

Quem são ? São dois amigos de longa data, quase familiares, e por isso mesmo os FENOID existem porque tinham de existir. Trinchas e Gefits, são os nomes sociais dos dois elementos pertencentes aos FENOID. O destino foi implacável e orientou as escolhas musicais, técnicas, pessoais e até as próprias vidas individuais de modo a criar os FENOID. O Trinchas participou em inúmeros projetos musicais, entre eles, os Nostrodamos/ Imune, os 100Nom, os Apart, os Catalépsia, os Nada, os Take Take My Beautiful e ao longo de vários anos participa ativamente na cultura da região onde vive, embora também tenha levado a sua música para outras zonas do país, incluindo os Açores, mantendo assim a sua forma de estar nesta área artística. O Gefits, baterista desde jovem, continua nos FENOID na área da percussão, ritmos e efeitos sonoros. Fez parte dos Nome, dos Nostrodamos/ Imune e dos Jamaniacs e por vezes atua numa vertente jazzística por diversos palcos da região com músicos das mais variadas áreas de arte.

Este livro refere-se não somente ao duo musical FENOID mas também a toda uma envolvência existencial de duas pessoas que por modos diversos se encontrou nesta nova forma de estar. É um trabalho sobre música, sobre arte, sobre cultura e principalmente um modo de vida criativa e com grande vertente participativa na nossa sociedade que cada vez mais se fecha sobre si própria e que cada vez mais se ostraciza pelas mais variadas razões sejam elas tecnológicas, económicas ou outras. Este livro fala de um caso de pessoas que remam contra a maré e que no seu íntimo têm o desejo de crescer constantemente.

O que são ?

Um duo de música eletrónica que cria ambientes libertos de cânones musicais e formais. De um lado, originais computorizados e do outro lado sons originais “disparados” humanamente. Sem regras de composição à procura do que gostam de fazer. Música aleatória, ambientes diversos, dispersos, sensações sonoras e momentos sonoros. Os resultados obtidos pelo surgimento desta técnica criativa que os FENOID utilizam foram o clique para avançarem para mais e melhor. Uma nova capacidade de atuação, uma situação útil e quase dinamizadora das vidas envolvidas que sentiram o abalo da oportunidade de criarem música como nunca fizeram. Há uma surpresa contínua e uma cumplicidade variável entre os elementos. Como projeto musical evoluem para uma constante incerteza com base eletrónica, sendo essa a norma que os torna diferentes. Pessoas com larga experiência em bandas rock e pop e todas as aventuras que isso proporciona. Situações de grande diversidade, tanto em ensaios, concertos pelo país todo, telediscos, entrevistas e toda a parte administrativa de um grupo. Os conhecimentos que acompanham os FENOID provam a sua independência a nível criativo, formal e teórico e deixam uma larga margem de manobra para as suas divagações.


Como surgiram ? Como possível experiência, pensando em nada, apareceu a ideia de um ensaio/ reunião para se divertirem os dois, o Trinchas (Luís Trincheiras) e o Gefits (Paulo Franco), querendo principalmente, existir de um novo modo e com uma abordagem desafiadora dos próprios, foram para a quinta (local de ensaio) e montaram o que era necessário para a aventura. A quinta é no campo, perto da Conceição de Faro. Um anexo improvisado, emprestado pela família Murta que com muita amabilidade ajudou, e ajuda, à continuidade deste projeto. Têm a ideia que, mais cedo ou mais tarde, teriam de se juntar para fazer música mas não sabiam qual seria o modo embora estivessem já quase encaminhados na procura de ambientes eletrónicos e novas abordagens com base computurizada.

Quando começaram a atuar ao vivo ? O primeiro concerto sob o nome MAYBE (futuros FENOID) aconteceu em Agosto de 2011. Aconteceu no bar Aqui há Praia integrado no evento Riafest 2011. Um sunset descontraído, embora o concerto tenha tido partes bem ativas e com ambientes dançantes. Contaram, como sempre, com a presença de muitos amigos e conhecidos. Também tem sido importante a colaboração de quem nos tem contratado pois acreditam no projeto e dão-nos força para acreditar e seguir com o trabalho efetuado.

Após uma noite carregada de várias formas de divertimento, entre as quais, álcool em quantidades anormais, coisas que acontecem por vezes, surgiu uma pergunta mais ou menos assim: “…etc e tal… foi de noite?”, a a outra pessoa retorquiu: “FENOID?” e riram-se muito pela questão em causa. Adormeceram... A história ficou na mente e foi contada posteriormente e absorvida pela sociedade como algo que define qualquer coisa. “Tou cá com um FENOID!”, “Tás armado em FENOID?”, “Vamos FENOIDar?”, “Grande FENOID que tu me saíste!”. Tal situação despoletava risos e risos mas com o passar dos anos, desapareceu. Reapareceu para substituir o primeiro nome da dupla. MAYBE. Porque como o som produzido era indefinido e mesmo difícil de rotular, daí… MAYBE. Após uma consulta na internet, mas de modo exaustivo, verificámos que já existiam bandas com esse nome e mudámos para FENOID.

fotografia: Pedro Desterro

Como surgiu o nome ?


Têm tido reações ?

Que software utilizam?

O Reason da empresa propellerheads. Tentaram e experimentaram diversos programas para criação de música e escolheram o Reason por este ter uma semelhança muito grande com a montagem e assemblagem de maquinaria real. Embora, reconheçam grandes qualidades em outros, este, sem dúvida preenche as necessidades e garante a operacionalidade dos FENOID. Têm, mesmo assim, a noção que ainda há muito a descobrir neste software. É um programa profissional com características muito próprias que garantem qualidade em todas as áreas. Gravação, edição, construção e montagem de grande fluidez e quase intuitivo para o normal utilizador e com níveis avançados para pessoas que dediquem mais tempo ao mesmo. Caso estejam a ver os FENOID, ao vivo, irão verificar o programa a funcionar e também poderão ver a interação entre homem e máquina ao mesmo tempo que ouvem os resultados. O outro software que utilizam é parte integrante do hardware usado pelo Gefits. Nada é estanque nos FENOID. Hoje assim, amanhã, talvez diferente.

fotografia: Pedro Desterro

Têm obtido reações calorosas, incentivos e votos de boa continuação na criação de música e vídeo. Têm achado que são um projeto a manter e a disseminar. Com contatos vários e opiniões construtivas a nível das redes sociais e pessoalmente. Tal situação reforça as estruturas do conjunto a cada atuação e anseiam por mais a nível das suas realizações pessoais. Com objetivos diferentes, outrora, certamente, mas com vontade e exigência de novos públicos e desafios. Têm em mente a realização de mais vídeos musicais, mais vídeos background e mais música afim de continuar a criação e crescimentos dos FENOID. Um longo caminho de trabalho pela frente é uma das situações que os FENOID já sabem e têm como certas, mas com dedicação e gosto os resultados esperados serão mais fáceis de alcançar. “ Quem corre por gosto não cansa!“.


Sim. Editados pelos próprios e aparecem com a utilização de vários programas técnicos sempre na procura de efeitos que acompanham a vertente experimental dos FENOID e com reprodução aleatória, contínua. Por enquanto continuam com novas soluções de vídeo e efeitos de imagem que pautem pela mesma diferença até agora conseguida, no entanto, um artista com uma base de dados de vídeo própria ou composta para os FENOID é um objetivo a conseguir.

Façam uma banda, façam música, inventem uma forma de cultura artística, criem algo vosso e se possível original. Há muitas formas de se ser criativo e não tendo preconceitos podem em primeiro lugar começar por vocês próprios na vossa mente. Sabendo que irá dar trabalho e que quase nunca, de início, serão recompensados monetariamente pelo vosso esforço. É uma verdade que existe há anos e continuará a ser assim pela lógica do mercado na questão da procura e oferta. As mentalidades dos contratantes, por vezes, colidem com as expectativas dos artistas. Por vezes os artistas precisam mais dos negociantes e outras vezes é ao contrário. Mesmo assim aconselham persistência, capacidade de luta e gestão de recursos adequada aquando da montagem de um espetáculo ou evento.

fotografia: Pedro Desterro

O que aconselham ?

fotografia: Miguel Tavares

Têm vídeo background ?


fotografia: Pedro Desterro

Links www.facebook.com/fenoid www.youtube.com/user/fenoidlive fenoidliveact.wix.com/we www.myspace.com/fenoid grooveshark.com/#/fenoidliveact/music

Folheto promocional FENOID 2013  

Live act eletrizante com caraterísticas próprias e sempre com resultados diferentes, por vezes antagónicos, por vezes dentro de outros estil...

Advertisement