Page 1

Ano 03 - Nº09 - Abril 2016

FEDERAÇÃO NACIONAL DAS ASSOCIAÇÕES DOS REVENDEDORES DE VEÍCULOS AUTOMOTORES

Vem aí o 5º Congresso FENAUTO

SUCESSO DE PAI PARA FILHO Como passar o negócio para um familiar sem traumas e estresse.

Conheça o nosso novo portal: www.fenauto.org.br


kwarup.com

www.bancopan.com.br Facebook.com/BancoPan

Segurança, velocidade, inovação. O que determina a escolha do carro também vale para o parceiro de negócio. Escolha o Banco PAN.

O Banco PAN, que tem como acionistas o BTG e a CAIXA, é o parceiro ideal para potencializar suas vendas de seminovos. Com produtos desenvolvidos exclusivamente para o setor, atendimento diferenciado e estrutura dedicada, você tem todo apoio que necessita para aumentar as suas vendas, e seu cliente conta com mais facilidades para financiar seu novo veículo. Tenha o Banco PAN e suas coligadas como parceiros e acelere os seus negócios. Entre em contato com o representante do PAN* responsável pelo atendimento da sua região: RJ / ES / BA / SE: antonio.cunha@pansolucoes.com NE / NO (exceto BA / SE): gerson.biral@pansolucoes.com GO / DF / MG: hercilio.soares@pansolucoes.com SP Interior: luis.venancio@pansolucoes.com SP Lojas / Litoral / Vale: marcelo.mortatti@pansolucoes.com MT / MS / PR / Noroeste SP: marcelo.romeu@pansolucoes.com SP Dealers / RS / SC: mauricio.menezes@pansolucoes.com Central de Atendimento Financeira Grandes Centros: 4002-1687 | Demais Localidades: 0800-775-8686 | SAC: 0800-776-8000 Deficiente Auditivo e de Fala: 0800-776-2200 | Ouvidoria: 0800-776-9595

2

/ Revista

*PAN Soluções Para Sua Vida é marca de PANSERV Prestadora de Serviços - CNPJ nº 13.258.615/0001-64, que é correspondente no país do Banco PAN S.A., nos moldes da Resolução CMN nº 3.954/11. Informações adicionais poderão ser obtidas por meio do site www.bancopan.com.br.


/ EDITORIAL

Persistência e foco

O

ano de 2016 já está praticamente em sua metade e prosseguimos trabalhando intensamente para colocar em prática os projetos planejados para o nosso setor. Para mantermos os objetivos que traçamos para este ano, precisamos manter firmes o trabalho persistente e o foco.

Apesar do clima de cautela que toma conta dos consumidores brasileiros, desaquecendo a procura por veículos, acreditamos que o mercado sempre apresentará boas oportunidades de negócios. Quem estiver preparado para “enxergar” essas “janelas de oportunidades”, sempre poderá contar com um diferencial e sair na frente dos concorrentes. As constantes mudanças que ocorrem em um mercado altamente competitivo como o nosso obrigam a FENAUTO e suas Associações Regionais a estarem preparadas para enfrentar as dificuldades que surgem, oferecendo ao nosso time de Associados, todas as ferramentas possíveis e opções para deixá-los preparados e motivados para o dia a dia. Essa é nossa missão e dela não abrimos mão! Prosseguindo com o esforço para auxiliar nosso segmento a unir forças em prol desses objetivos, realizamos mais uma edição de nossa Convenção (a 50ª), na Região de Itupeva, em abril, onde discutimos temas de alta relevância para o nosso setor e afinamos o planejamento de nossas ações para os próximos meses. A ocasião serviu, também, para o lançamento das bases de mais uma edição do nosso Congresso FENAUTO. O evento, que está sendo pensado e planejado sob uma nova visão, mais objetiva e totalmente voltada ao momento em que vivemos, será, com certeza, mais uma excelente oportunidade para que os profissionais da área encontrem ideias que possam auxiliá-los no desenvolvimento de novas estratégias para seus negócios. Paralelamente ao nosso Congresso estaremos, mais uma vez, abrindo espaço para a apresentação de serviços, realização de contatos e experimentação de produtos, com a nossa ExpoFENAUTO, um evento que já tem seu sucesso comprovado no mercado. Tenho a certeza de que, mais uma vez, provaremos o acerto de realizarmos esses eventos, com a presença maciça de representantes de nosso segmento, vindos de todo o país. Espero por todos!

Ilídio Gonçalves dos Santos Presidente FENAUTO

Revista

/

3


/ SUMÁRIO

13

21

SUMÁRIO 06

VENDEDOR SNIPER

21

CONGRESSO

08

NOSSO MERCADO

23

ASSOCIAÇÃO EM DESTAQUE

10

TERMÔMETRO

25

LOJISTA EM DESTAQUE

11

EDUCAÇÃO

27

PORTA LUVAS

13

OPINIÃO

29

QUEM É QUEM

14

CAPA

31

GPS

17

ARTIGO

34

EM FOCO

19

CONVENÇÃO

4

Nailor Marques Jr. escreve sobre Estratégia e Dinheiro Vendas de veículos diminuem em abril Enilson dá dicas de relatórios gerenciais. Os 10 Mandamentos do tempo por Cida Smidt Seminovo, a compra inteligente por Joel Leite De pai para filho

Seu ponto vale ouro!

50ª Convenção FENAUTO

/ Revista

Vem aí o 5º Congresso FENAUTO

Uma mulher especial

Um lojista Vice-Presidente

Carros e futebol

Simplesmente Aldo

ExpoFENAUTO uma vitrine para os negócios Anfavea com novo Presidente


FEDERAÇÃO NACIONAL DAS ASSOCIAÇÕES DOS REVENDEDORES DE VEÍCULOS AUTOMOTORES

Conselho Editorial:

23

Ilídio Gonçalves, Enilson Sales, Elis Maurício Siqueira, Maria Aparecida Smidt e Fáres Darwiche. Editor e Jornalista Responsável: Jorge Luiz Mussolin (MTB 15.978) e-mail: mussa@fenauto.org.br Projeto Gráfico: Felipe Nani Impressão: Nywgraf Ltda Redes Sociais: Maná Publicidade Fotos: Arquivo FENAUTO / Divulgação Endereço: R. Deputado João Sussumu Hirata, 940 Cj. 21 - The Hill Office - Vila Andrade - São Paulo, SP CEP: 05715-010 - www.fenauto.org.br fenauto@fenauto.org.br – Tel.: 11 - 4119.8586 e 2592.2326 As matérias assinadas nesta revista são de responsabilidade do autor não representando, necessariamente, a opinião da FENAUTO. Autorizada a reprodução total ou parcial das matérias, fotos e imagens sem assinatura, desde que mencionada a fonte. A reprodução de matérias e artigos assinados devem contemplar autorização prévia e por escrito do autor.

Conselho Deliberativo do QUADRIÊNIO 2013/2017

25

34

Presidente do Conselho: ILÍDIO GONÇALVES DOS SANTOS; 1º Vice-Presidente (SINDIVEL/CE): JOSÉ EVERTONFERNANDES;2º Vice-Presidente, (AGENCIAUTO/PI):DOUGLAS ALEXANDRE MARTINS LEITE; Vice-Presidente Financeiro (AAVURJ/RJ): ISIO KELNER; Vice-Presidente Financeiro Adjunto (ARVIESP/SP): LUIZ ANTONIO DE OLIVEIRA; Vice-Presidente Administrativo (AVESE/ SE): JOSÉ AUGUSTO DOS SANTOS; Vice-Presidente Administrativo Adjunto (SINDIVEL/CE):ROBERTO JOSÉ TEIXEIRA; Vice-Presidente Secretário (ASSOVEPA): ANTONIO DOS SANTOS GOMES; Vice-Presidente Secretario Adjunto(SINDIVEL/CE): JOSÉ AUGUSTO TÁVORA DA SILVA; Vice–Presidente de Marketing (AGENCIAUTO/ DF): PAULO HENRIQUE MAGALHÃES POLI; Vice-Presidente de Marketing Adjunto (SINVEP/PB): WALDECK PINHEIRO COELHO; Vice-Presidente Assuntos Jurídicos (ASSOVEMG/ MG): MARLON JOSÉ VIEIRA; Vice-Presidente Assuntos Jurídicos Adjunto (AGENCIAUTO/AL): VANDERLEI PRIETO; Vice-Presidente de Relações Públicas (AGENCIAUTO/DF): FERNANDO VILLELA TOLEDO; Vice-Presidente de Relações Públicas Adjunto (ASSOVEPAR/PR): SILVAN SABAINI DAL BELLO; Vice-Presidente de Assuntos Econômicos e Mercadológicos Adjunto (SINDIREVE/ RN): JOSÉ GEORGE GONÇALVES BARBOSA; Vice-Presidente de Assuntos do Quadro Associativo (AGENCIAUTO/MT): ISNEL LEITE ALMEIDA; Vice-Presidente de Assuntos do Quadro Associativo Adjunto (ASSOVEBA/BA): PAULO CESAR MASCARENHAS DE OLIVEIRA; Vice-Presidente de Relações Internas (ASSOVEMG/ MG):SERGIO BATISTA COELHO; Vice-Presidente Relações Internas Adjunto (ARIVES/ES):PAULO CESAR MARTINELLI SEPULCRI; Diretor Executivo da FENAUTO:Fáres Darwiche

Revista

/

5


/ VENDEDOR SNIPER

ESTRATÉGIA E DINHEIRO Por Nailor Marques Jr

T

oda vez que me deparo com um problema cujo “responsável” é a crise ou a falta de dinheiro, eu sempre me lembro de uma daquelas colocações lapidares de Jim Collins: “A grandeza de uma empresa não está diretamente ligada ao lucro. Empresas grandiosas têm propósitos que vão além do lucro. Steve Jobs é um exemplo de paixão. Ele não voltou para a Apple para ganhar mais dinheiro, mas para criar inovações e com o propósito de durar e manter uma resistência. Ninguém consegue ser realmente grandioso quando só o dinheiro é a medida do sucesso”. Notem, meus amigos vendedores de automóveis, que estamos vi-

6

/ Revista

vendo um momento assim: a “culpa” dos nossos negócios não irem bem, de faltar dinheiro na empresa e, consequentemente, para nós, é da crise ou das crises (política, moral, econômica). Bom, diante do pensamento de Collins, do cenário que temos e do comportamento que muitos de nós costumam ter, eu gostaria de fazer algumas reflexões. Primeira, diante de um cenário de crise verdadeira (as vendas estão caindo sem parar há muitos meses e não parece que o mercado vai reagir tão rápido), o que podemos fazer: a) estancar os problemas com as nossas mãos? Óbvio que não. Então vale a máxima: se eu não posso mover uma montanha,

eu desvio dela, o destino de um rio é chegar ao mar e não derrubar ou furar montanhas; b) fechar a empresa e fugir? Sempre é uma opção, mas o que fará com o seu estoque e da sua vida depois?; c) encontrar caminhos diferentes para colocar seu produto no mercado? Isso me parece o lógico, já que, por mais que o mercado esteja ruim, pessoas ainda continuam vendendo e comprando carros. Segunda, se você não pode mudar os outros, se não pode mudar o mercado, mude você. Como é que a gente muda? Essa é a grande pergunta. E a resposta, apesar de não ser simples, existe. Eu diria mesmo que há mais de uma saída para essa questão: a) você quer


VENDEDOR SNIPER

mesmo mudar ou vai esperar as coisas se ajeitarem? Se quer mesmo mudar, comece por pensar que estratégias sempre usou para fazer o que faz. Seus clientes vinham sozinhos ou você é que ia atrás deles? Se não ia terá de ir e se ia terá de pensar sobre quais estratégias davam certo e quais não. Terceira, última e mais importante, se você vai mesmo mudar e a regra é essa (mude com as mudanças, o mercado não vai se ajeitar sozinho e, se o fizer, pode ser que você não esteja mais nele para usufruir disso), vamos pensar em algumas estratégias: a) redes sociais podem ser usadas quase de graça, convide pessoas de várias comunidades para elas, principalmente pessoas jurídicas que não rejeitam convites, seja agente e não paciente das redes sociais; b) delimite uma área de

abrangência que queira atacar, é mais barato e mais assertivo, p. ex.: 200 km em torno do meu endereço e estabeleça um perfil de público para impulsionar seus anúncios; c) crie na sua página conteúdos atrativos para gerar busca espontânea, a propaganda está entre os conteúdos de interesse geral que são

buscados; e d) deixe o dinheiro ser consequência de sua estratégia, porque senão ela nascerá morta. Collins e eu agradeceríamos. Nailor Marques Jr é professor, escritor, palestrante, especialista em comunicação com o cliente e diretor do IMPCOACH. www.impcoach.com.br

Revista

/

7


/ O NOSSO MERCADO

Vendas de veículos Seminovos diminuem em Abril Dados mostram que mercado ainda está cauteloso para assumir financiamentos de veículos

A

Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores - FENAUTO – divulgou os resultados da comercialização de veículos seminovos e usados no mês de abril de 2016. Segundo o relatório, o resultado, em comparação com o mês de março deste ano, teve uma diminuição de 5,1%. Em abril foram comercializados 1.030.288, contra 1.085.495 veículos em março. A comparação entre abril de 2015 e abril de 2016 teve um resultado negativo de 3,3%. Os dados comparativos entre o volume de vendas acumulado do período até abril de 2016 (em comparação com o mesmo período de 2015), foi 8

/ Revista

negativo em 4,1%. Nos primeiros 4 meses deste ano foram comercializados 4.000.955 veículos, contra 4.174.092 no mesmo período em 2015. A Fenauto, através do seu presidente, Ilídio dos Santos, reiterou sua análise da situação, considerando “que o consumidor ainda se mostra cauteloso em assumir um financiamento com a compra de um veículo seminovo ou usado. Essa situação ainda pode perdurar por algum tempo tendo em vista a indefinição do cenário da economia brasileira.”


O NOSSO MERCADO

Evolução das Vendas - Segmento (Só Semi-novos e Usados)

2016 Segmento

Abril

2016 X 2015

Março

%

Abril de 2016

Abril de 2015

%

Acum 2016

Auto*

651.366

686.720

-5,1

651.366

681.830

-4,5

2.558.046

Comercial Leve*

110.786

114.867

-3,6

110.786

111.954

-1,0

419.128

Com. Pesado Motos Outros

Total Brasil

Acum 2015

%

2.549.984

0,3

584.877 -28,3

27.370

28.801

-5,0

27.370

27.720

-1,3

102.185

102.920

-0,7

227.819

241.238

-5,6

227.819

233.075

-2,3

872.932

894.277

-2,4

42.034

15,8

12.947

13.869

-6,6

12.947

11.074

16,9

48.664

1.030.288

1.085.495

-5,1

1.030.288

1.065.653

-3,3

4.000.955

4.174.092 -4,1

51.514

49.341

4,4

51.514

53.283

-3,3

49.395

52.176 -5,3

Evolução das Vendas - Região (Só Semi-novos e Usados)

2016 Abril

Total Brasil

2016 X 2015

Março

%

Abril de 2016

Abril de 2015

%

Acum 2016

Acum 2015

%

230.998

244.260

-5,4

230.998

247.291

-6,6

911.158

951.793

-4,3

521.468

556.599

-6,3

521.468

531.447

-1,9

2.023.932

2.095.731

-3,4 4,8

86.790

96.890

-10,4

86.790

90.626

-4,2

347.216

331.457

151.245

143.643

5,3

151.245

155.377

-2,7

564.291

633.984 -11,0

39.787

44.103

-9,8

39.787

40.912

-2,7

154.358

161.127

1.030.288

1.085.495

-5,1

1.030.288

1.065.653

-3,3

4.000.955

-4,2

4.174.092 -4,1

Evolução das Vendas - Tempo de Uso (Só Semi-novos e Usados)

2016 Tempo de Uso

Abril

2016 X 2015

Março

%

Abril de 2016

Abril de 2015

%

Acum 2016

Acum 2015

%

Semi-novos (0 a 3 anos)

382.487

395.242

-3,2

382.487

308.741

23,9

1.444.238

1.166.672

Usados Jovens (4 a 8 anos)

338.474

361.188

-6,3

338.474

388.489

-12,9

1.337.558

1.558.186 -14,2

Usados Maduros (9 a 12 anos)

114.317

121.175

-5,7

114.317

130.750

-12,6

449.687

518.740 -13,3

Velhinhos (13 e + anos)

195.010

207.890

-6,2

195.010

237.673

-18,0

769.472

930.494 -17,3

1.030.288

1.085.495

-5,1

1.030.288

1.065.653

-3,3

4.000.955

4.174.092 -4,1

Total Brasil

Evolução das Vendas - Auto

23,8

Evolução das Vendas - Comerciais Leves

(Só Semi-novos e Usados)

(Só Semi-novos e Usados)

Abril de 2016

% s/ Total

Ranking

Abril de 2016

% s/ Total

1

GOL

74.489

11,44

1

STRADA

20.589

18,58

2

UNO

47.349

7,27

2

SAVEIRO

15.491

13,98

3

PALIO

43.058

6,61

3

HILUX

11.016

9,94

4

CELTA

27.584

4,23

4

S10

10.132

9,15

5

CORSA

23.232

3,57

5

MONTANA

7.446

6,72

6

FIESTA

20.299

3,12

6

KOMBI

5.589

5,04

7

FOX

19.244

2,95

7

FIORINO

4.508

4,07

8

SIENA

17.787

2,73

8

RANGER

4.420

3,99

9

COROLLA

14.188

2,18

9

L200

4.291

3,87

KA

12.956

1,99

10

DOBLO

2.634

2,38

Outros

351.180

53,91

Outros

24.670

22,27

Total

651.366

100,00

Total

110.786

100,00

Ranking

10

Modelo

Modelo

Revista

/

9


/ TERMÔMETRO

OLHO NO PAINEL DE INSTRUMENTOS

E

m tempos difíceis como o que estamos vivendo, algumas reflexões e decisões devem ser tratadas como prioridade. Seguem alguns tópicos para sensibilizar o caro leitor e, quem sabe, ajudá-lo. Muitas vezes, abordar o óbvio não necessariamente nos conduz a uma efetiva tomada de decisão e muito menos à implementação de uma alteração de rumo, por mais sutil que pareça. Mesmo assim, arriscaremos algumas sugestões com a pretensão de contribuir. Você já avaliou se os seus relatórios gerenciais espelham a exata dimensão de como gerir o seu negócio? Você consegue visualizar seu empreendimento sob as óticas: Financeira, Contábil, Patrimonial, Gestão de Pessoas, DataBase de clientes etc? Ao olhar para esses instrumentos de controle, você consegue estabelecer uma visão completa e ficar satisfeito com o acompanhamento que faz de seus negócios? Aprofundando um pouco mais cada conceito descrito acima, vamos pensar juntos. Seu relatório financeiro espelha a realidade do seu fluxo de caixa? Mesmo sabendo que quem trabalha com vendas sofre com o imponderável, determinado pelo fluxo de clientes e negócios fechados, você consegue estabelecer um fluxo de compras de estoque perfeitamente ajustado ao movimento de oscilação das vendas? Se assim o fizer, você estará sempre em equilíbrio, usando menos suas reservas, cheque especial ou crédito rotativo. É sabido que o bom controle financeiro se baseia em bons relatórios de compra e de venda. Atrelado aos conceitos do seu caixa, e tão importante quanto a boa gestão dele, temos os relatórios de estoque. Na gestão dos estoques, você deve ter um relatório sintético que basicamente informe a posição em número de unidades e valores. Além dele, o ideal é ter também um relatório analítico que ofereça dados

10 / Revista

Por Enilson Sales

como a ano, cor, classificação do modelo, unidades em manutenção etc. Assim, você estará sempre atualizado quanto ao seu patrimônio/mercadoria. E tão importante quanto os relatórios Financeiro e Estoques, os relatórios Contábeis oferecerão uma boa visão e oportunidade de gestão de seu negócio. Em tempos difíceis, um planejamento tributário eficaz, e um controle contábil eficiente, podem estabelecer a diferença entre manter vivo e saudável o seu negócio ou fechar as portas. Sem ser alarmista, lembro que um descontrole fiscal pode significar o fechamento de sua loja em uma simples fiscalização de rotina. E, como sabemos que o nosso segmento ainda não tem a maturidade das grandes empresas, uma derrapada neste item pode ser fatal. Portanto, todo o cuidado com esses detalhes é muito importante. Finalmente, e não menos importante, abordaremos a gestão do “Data Base de Clientes”. Você já se preocupou em ter uma gestão eficiente da sua carteira de clientes? Por acaso você tem os dados completos como nome, telefone, e-mail, endereço, histórico de negócios com você, tempo de troca, datas importantes do cliente e familiares, perfil de consumo, preferências etc. Os seus relatórios mostram a periodicidade de contatos feitos para uma análise de negócios no momento oportuno para o cliente? Esses dados oferecem uma boa oportunidade para fidelizar seu cliente e não perder uma oportunidade de negócios? Usar todos esses relatórios gerenciais pode ser comparado a usar o painel de instrumentos de um carro em uma viagem. Em nenhum momento você não pode dirigir sem saber a velocidade, o consumo, a temperatura do motor, luzes, etc. Eles são parte fundamental do “cockpit” do seu negócio. Olho neles! Enilson Sales – Membro do Conselho da FENAUTO


/ EDUCAÇÃO

OS 10 MANDAMENTOS DO TEMPO

A

falta de tempo é característica marcante dos tempos modernos. Pelo menos é do que as pessoas mais reclamam nos dias de hoje. Alguns chegam a achar que dizer “não tenho tempo”, dá status, ou a impressão de “ser” muito importante. Esta é uma boa reflexão! O Tempo. Sabemos que o tempo é uma das únicas coisas realmente democráticas. As suas 24 horas passam na mesma velocidade que as 24 horas de Mark Zuckerberg ou de Usain Bolt. Logo, não é uma questão de Ter tempo e sim de Aproveitá-lo. O tempo é distribuído entre as pessoas de forma bem mais democrática que muitos outros recursos dos quais nós dependemos (ex.: a inteligência). Todos os dias cada um de nós recebe exatamente as mesmas 24 horas: nem mais, nem menos. Entretanto, diante desse igualitarismo, alguns conseguem realizar uma grande quantidade de coisas em um dia, sendo que outros, ao final do dia, têm a sensação de que o dia acabou e não fizeram nada. A diferença é que uns percebem que o tempo, apesar de democraticamente distribuído, é um recurso altamente perecível. Diante disso, faço aqui uma provocação ao leitor: - Será que as coisas as quais atualmente dedicamos nosso tempo são mesmo prioritárias? Muitas vezes ouvimos algumas pessoas dizerem: “Gostaria que o dia tivesse 48 horas para dar conta de tudo que tenho de fazer” Ou então: “Não tenho tempo, estou muito ocupado”. Será? Porém, nunca ouvimos seres evoluídos dizerem que não têm tempo para resolver alguma coisa. Por quê? Esta é uma boa reflexão para todos nós fazermos. Assim, deixo aqui uma pequena lista de coisas que valem a pena pensarmos para realizar a gestão do nosso tempo!

Por Cida Smidt

Os 10 Mandamentos da gestão do tempo:

1

Cuide da escassez do seu Tempo: Há os que afirmam, que o recurso mais escasso na nossa sociedade, hoje, não é dinheiro, não são matérias primas, não é energia, não é nem mesmo a inteligência, mas sim o tempo. Lembre-se que o tempo se ganha, ou se faz. Como? Deixando de fazer coisas que não são nem importantes nem urgentes e sabendo priorizar aquelas que que realmente são importantes e urgentes.

2

Administre o seu tempo: Não é uma questão de ficar contando os minutos dedicados a cada atividade: é uma questão de saber definir as prioridades. Numa sociedade complexa como a nossa, NUNCA vamos ter tempo para fazer tudo o que precisamos e desejamos fazer. Saber administrar o tempo é ter clareza sobre o que, para nós, é mais prioritário dentre as várias coisas que precisamos e desejamos fazer - e tomar providências para que as maiores prioridades sejam feitas, sabendo que as outras provavelmente nunca serão realizadas - mas tudo bem, elas não são prioritárias.

3

Ter Autonomia do seu tempo: Administrar o tempo é ganhar autonomia sobre a sua vida e não ficar escravo do relógio. Se você quer ter a liberdade de passar mais tempo com a família, ou sem fazer nada, você tem que ganhar esse tempo deixando de fazer outras atividades que são menos importantes para você. Dentre as atividades que vamos listar como prioritárias, algumas estarão ali porque são importantes, outras porque são urgentes. Imagino que algo que não é importante e NEM é urgente não estará na lista de ninguém. E também sei que na lista de todo mundo haverá coisas que são IMPORTANTES E URGENTES. O problema surge com o que consideramos importante, mas não urgente, e com o que é urgente, Revista

/ 11


EDUCAÇÃO

mas que não damos muita importância.

4

Ter Disciplina é fundamental: Termine o que começou, não deixe coisas inacabadas, ou serviços pela metade. Pessoas dependem de você, não as decepcione porque está com preguiça. Se você não completar as suas tarefas, outras pessoas sofrerão as consequências e você também sofrerá.

5

Esteja preparado: Nenhum instrumento irá ajudá -lo caso você não saiba onde quer chegar. Defina o que você vai fazer para chegar lá e também o que você não vai fazer. O planejamento é a ferramenta mais importante para quem quer se organizar.

6

Fazer o que deve ser feito. Durante todo o processo, precisamos avaliar, constantemente, os meios que estamos usando para verificar se estão nos levando para mais perto de onde queremos ou vamos querer estar ao final do processo. Se não estiverem funcionando, troquemos de meios (procuremos outro emprego, por exemplo). “Se você não sabe aonde quer chegar, provavelmente nunca chegará a lugar algum - por mais tempo que tenha.”

7

Planejar: Ocupe-se com a administração de seu tempo, ou seja, planeje estrategicamente sua vida. Defina seus objetivos. Onde quer estar, o que quer ser, daqui a 5,10, 25, 50 anos? Comece com as estratégias: transformar estes objetivos em metas (com prazos) e decidir, em linhas gerais, como serão alcançadas. Crie planos táticos: explore as alternativas específicas disponíveis para se chegar onde deseja, escolher e verificar os recursos necessários para atingir seus objetivos. Eventualmente rever os objetivos e ajustá-los. Talvez nem todos sejam possíveis ou talvez não sejam possíveis no prazo estipulado.

8

Tempo e Produtividade: Quem tem tempo não é quem não faz nada: é quem consegue administrar o tempo que tem, de modo a poder fazer aquilo que quer. Ser produtivo não é equivalente a estar ocupado, pois existem muitas pessoas que estão o tempo todo ocupadas exatamente porque são improdutivas não sabem onde concentrar seus esforços e, por isso, ciscam aqui, ciscam ali, mas nunca produzem nada. Ser produtivo é, em primeiro lugar, saber administrar o tempo, ter sentido de direção, saber aonde se vai. Com foco sempre.

9

Tempo é Vida: Quando o nosso tempo termina, acaba a nossa vida. Não há maneira de obter mais. Por isso, tempo é vida. Quem administra o tempo ganha vida, mesmo vivendo o mesmo tempo. Prolongar a duração de nossa vida não é algo sobre o qual te-

12 / Revista

nhamos muito controle. Aumentar a nossa vida ganhando tempo dentro da duração que ela tem é algo, porém, que está ao alcance de todos. Basta um pouco de esforço e determinação.

10

Tenha foco: É muito tentador tentar abraçar o mundo, mas se você quer alcançar resultados satisfatórios sem se matar de trabalhar, saiba escolher suas batalhas. Fuja dos vilões da produtividade: e-mail, MSN, Twitter, etc. Use-os a seu favor, com consciência e consistência. Faça uma coisa de cada vez e seja mais feliz. O tempo tem várias dimensões. Existe a dimensão material, do relógio, do calendário, das agendas, que podemos chamar de tempo externo. E existem outras, internas, imateriais. Por exemplo, quando estamos no meio de um engarrafamento de trânsito numa cidade grande, cinco minutos se arrastam e parecem um tempo muito longo, mas quando estamos contemplando um pôr-do-sol, esses mesmos cinco minutos têm valor completamente diferente. Vê-se então que, para a percepção subjetiva, o tempo pode se contrair ou expandir, conforme nosso estado de espírito. Enquanto o tempo do relógio é linear e está fora de nós, esse outro tempo está dentro de nós e depende da nossa sintonia. Se pensamos não ter tempo para nada é sinal de que ainda estamos presos ao esquema material das coisas e situações e de que não permitimos à energia da alma fluir em nós e por nosso intermédio. Não ter tempo é ser escravo de ritmos alheios, de condicionamentos, de programas. Mas podemos liberar-nos disso sem deixar de cumprir nossas tarefas. A primeira providência a tomar é a de planejar o dia, a semana e, em alguns casos, o mês. Precisamos nos perguntar: “Qual é a prioridade da semana? E a de hoje? O que preciso alcançar? O que estou buscando? Qual é a minha meta?” Ao procurar gerenciar o tempo da melhor forma possível, vamos ver que, conforme nossa meta há atividades mais importantes e outras menos importantes. Algumas são urgentes, enquanto outras não. Estudos sobre este tema mostram que se desempenhamos só as atividades urgentes e importantes, se ficamos o tempo todo resolvendo crises e problemas, é sinal de que nos está faltando planejamento.

Cida Smidt Especialista em Business & Life Coaching e parceira da Fenauto


/ OPINIÃO

SEMINOVO, A COMPRA INTELIGENTE Por Joel Leite

D

ois sedãs médios, o Toyota Corolla e o Honda Civic, são os carros mais procurados pelo comprador de carro usado. A pesquisa, feita com base na procura no site Webmotors, confirma a tendência do consumidor de trocar o carro zero pelo sedã seminovo nesse momento de falta de confiança na economia: o Ford Focus também entrou na lista dos dez seminovos mais procurados. Em 2015, as vendas de seminovos tiveram crescimento recorde, com alta de 33,6%, isso num período em que as vendas de novos caíram 25,6%. Também os usados mais velhos (com mais de três anos),

tiveram queda no ano passado, o que indica claramente que o fenômeno ocorre pontualmente no segmento de seminovos. Essa tendência está se confirmando este ano. Nos dois primeiros meses do ano as vendas de carros com menos de três anos cresceram 24,2%, contra uma queda de 33% nas vendas de novos. Comprar um seminovo é uma decisão inteligente: em vez de investir, digamos, R$ 40 mil num carro zero, o consumidor compra pelo mesmo valor um carro maior, mais potente, mais equipado com três ou quatro anos de uso. Um Corolla 2014 pode ser encontrado por menos de R$ 50 mil e um

Civic 2013 vale em torno de R$ 48 mil. Um carro menor, como o Palio 2014, é ofertado por R$ 20 mil e um Gol 2013 por R$ 19 mil. Além disso, ao comprar um seminovo o consumidor leva a grande vantagem de ter um produto já depreciado e, portanto, vai perder menos na hora da revenda: os primeiros três anos é o período em que o carro sofre a maior depreciação. Segundo o Estudo de Depreciação da Agência Autoinforme, o carro perde, na média, 13% no primeiro ano de vida e em torno de 10% em cada um dos dois anos seguintes. O mercado de usados é um mundo muitas vezes desconhecido do consumidor. Ao buscar informações sobre preço ele vai encontrar grandes oportunidades e descobre que com o dinheiro que tem, pode se aventurar em busca de segmentos e modelos que nunca havia imaginado. Ao informar e oferecer as oportunidades do mercado, você estará proporcionando ao seu cliente a realização de uma boa compra e fazendo um bom negócio. Joel Silveira Leite é jornalista. Diretor da Agência AutoInforme, responde pelos sites AutoInforme e EcoInforme. Apresenta o Boletim AutoInforme nas rádios Bandeirantes, Band News e Sulamérica Trânsito.

Revista

/ 13


/ CAPA

DE PAI PARA FILHO Quem é que nunca prestou atenção a uma fachada de um comércio onde uma placa ou uma faixa anuncia com orgulho a origem do negócio, afirmando “de pai para filho desde...”

P

ois é. Faz parte da nossa cultura uma pessoa erguer um empreendimento e desejar deixar essa conquista para seus filhos darem prosseguimento ao seu sonho. Empresas que perpetuam seus negócios com filhos e, muitas vezes, netos, não são tão raras de serem encontradas em qualquer ramo da nossa economia. Pesquisas recentes realizadas aqui no Brasil indicam que 95% das trezentas maiores empresas ainda são controladas por famílias. Se esse número é representativo em termos de grandes empresas, saiba que a força dos pequenos empreendimentos (ou microempresas), atualmente, embora não pareça, é tão grande que as empresas familiares já constituem uma parcela significativa da base de negócios no Brasil. Essa relevância garante ao pequeno empreendedor familiar um lugar de destaque quando falamos em mercados promissores e de alta importância para o giro da economia. Mas, em um ambiente de negócios onde a competitividade cresce assustadoramente a cada dia, novas preocupações surgem à cada momento, criando dúvidas de “como” e “quando” realmente entregar o leme dos negócios às gerações mais novas.

14 / Revista

É natural entender que cada elemento da família enxerga o DNA da empresa de uma forma diferente e, justamente por isso, pode criar uma realidade conflitante com um pai ou outro familiar responsável pelo negócio. É comum que muitos familiares, embora se mantenham no negócio, não entendam perfeitamente como ele funciona e qual a sua finalidade, sem se entusiasmar ou mesmo se apaixonar a ponto de desejarem assumir o comando da empresa. Por isso, muitas vezes, é necessário e vital que se inicie a profissionalização para abrir caminho para um processo sucessório sem traumas. Você sabe como conduzir um processo de sucessão familiar? A administração de pequena revenda de veículos seminovos ou usados não difere muito da de uma grande empresa. Em qualquer caso sempre serão necessários alguns tópicos como: 1) Definição clara dos objetivos da empresa. 2) Estabelecimento de metas e planejamento adequado para alcançá-las.


CAPA

Crie Regras claras: iniciar um negócio e não saber quem vai dirigir esta ou aquela área é muito complicado. Seu sucessor, seja ele seu filho ou outro parente, deve saber quem realmente está gerenciando as coisas, a função que deverá assumir na empresa e, principalmente, suas responsabilidades diante dos negócios. Ou seja, não é porque é filho ou parente que não será cobrado ou terá privilégios diante dos demais colaboradores. Defina de acordo com as habilidades, competência e talentos do sucessor, sua área de atuação e o quanto ele receberá mensalmente pelo trabalho que irá realizar. Analise suas especialidades e discuta com ele onde ele poderá ser mais útil na estrutura da empresa. Entenda também que nem sempre o seu sucessor familiar terá o perfil ou vocação para dar continuidade ao seu sonho. Essa é uma questão que você deve analisar com muito rigor, embora possa doer entender que seu filho ou outro parente não seja a pessoa mais qualificada para tal trabalho.

3) Entendimento de todos os envolvidos de seu papel dentro da empresa e como devem agir para tal.

Separe as contas: um fato muito comum nos pequenos negócios familiares é a não separação de contas da família e contas da empresa. Ou seja, você nunca deve usar recursos de uma para saldar problemas da outra. O sucessor responsável por essa área deve estar ciente desse cuidado para que o planejamento

4) Encarar o desafio desse empreendimento como o de uma grande empresa e se dedicar ao mesmo de corpo e alma. O lado positivo de se preparar um familiar para a sucessão do negócio é a do elo de confiança muito forte que já é natural, mas em contrapartida o que pode ser um lado negativo no processo é a falta de definição clara da hierarquia na condução dos negócios. Aqui vão algumas recomendações para você que deseja passar o negócio para um familiar, sem crise e estresse. Planeje antes: não existe negócio de sucesso sem um planejamento bem feito anteriormente, a não ser que você seja um cara de muita sorte e trombe, literalmente, com uma boa oportunidade. Com um planejamento adequado você estabelece metas, mensura seu possível crescimento, calcula o investimento, prevê alguns empecilhos e monta planos alternativos se for o caso. Sente-se com o candidato a sucessor e converse muito com ele sobre como fazer esse planejamento, detalhando qual o foco do negócio para que não haja “ruído” no processo.

Revista

/ 15


CAPA

financeiro que você fez lá no começo não seja prejudicado. Comportamento igualitário: Ser pai ou parente do sucessor não significa que você deva tratá-lo de forma diferente dos demais colaboradores da empresa. Aliás, isso não deve acontecer pois além de constranger os demais, pode prejudicar seu juízo no momento de fazer as cobranças que devem ser feitas no âmbito de gerenciamento do negócio.

Entendimento, tolerância e paciência: Você já tem anos de experiência, de vivência no negócio e domina todos os trâmites e segredos do mesmo. Não espere, no entanto, que seu filho ou o parente sucessor, desenvolva essas mesmas qualidades do dia para a noite. Vai ser necessário o seu acompanhamento, o esclarecimento no momento certo, a orientação sempre presente, paciência e tolerância com os eventuais equívocos que cometerem. A vida é assim.

Reflita bem antes das decisões: ter seu filho ou outro parente próximo na mesma empresa como comandado ou sócio, implica no fato de que você deverá tomar mais cuidados nas suas decisões. Jamais misture assuntos familiares com os profissionais para não correr o risco de contaminar suas decisões emoções que possam distorcer o resultado final. Converse muito com seu sucessor: Se você tem o interesse de perpetuar sua empresa, saiba realmente se seu filho ou parente sucessor também o tem. É comum os pais colocarem nos ombros de seus filhos o sonho que gostariam de realizar, sem, contudo, saber sequer se eles realmente querem tocar esse desejo.

Entrega gradativa: Sim. Nós sabemos que você ama o que faz e que é muito difícil abrir mão da direção do mesmo, das decisões, das estratégias e do dia a dia da loja. Mas, seu filho ou sucessor está sendo preparado para assumir tudo isso e você deve aprender a se desapegar. Planeje a transmissão das responsabilidades e deveres para que sejam feitas de forma gradual, sempre acompanhando tudo. Que tal fazer isso em um prazo de dois a três anos e depois só acompanhar o seu filho ou parente deslanchar na nova carreira.

16 / Revista

Com certeza você ficará muito feliz e orgulhoso com isso!


/ ARTIGO

SEU PONTO VALE OURO

E

scolher o melhor local para montar sua revenda de veículos é, sem dúvida, um dos principais desafios de quem deseja iniciar um empreendimento de sucesso.

É consenso entre especialistas a escolha e a exploração adequada de um ponto comercial é determinante para o sucesso de um empreendimento em qualquer área de negócios. Deixemos de lado fatores como “eu acho que aqui é um bom lugar”, ou “meus amigos me indicaram um bom local”. Planejamento, análise adequada, checagem de fluxo de público, entorno e outros fatores que devem ser levados em alta consideração para se dar o primeiro passo. Logo em seguida à abertura, a principal questão a ser posta na mesa é a forma que você deve adotar para gestão do empreendimento para aumentar o faturamento. No mercado atual, os consumidores mudaram de postura deixando de comprar um produto ou serviço apenas pelas suas qualidades. Agora o consumidor opta pela credibilidade de um fornecedor, pela comodidade que ele oferece e pela variada gama de serviços ou produtos que podem escolher facilmente e sem burocracia ou complicações. Ele quer agilidade, facilidade para decidir e opções. Não esqueça que sua revenda está inserida em um mercado dinâmico e altamente competitivo e, justamente por isso, deve agregar um

valor maior ao produto básico que oferece. Pesquisas mostram que aproximadamente 8 em cada 10 consumidores escolhem o que vão comprar quando já estão dentro da loja, ou seja, no ponto de venda (ou seja, 80% das decisões de compra). É justamente nesse momento e nesse local que se criam os vínculos permanentes de sua loja com o comprador (seja ele um novo cliente ou um já fiel). Portanto, se bem explorado e maximizado, o ponto de venda, se torna o maior aliado na conquista de clientes. Que tal, então, analisar a possibilidade de rever toda a mecânica de vendas de sua revenda, avaliando, também, a possibilidade de abrir seu espaço para acolher novos produtos e serviços que fazem parte do universo automotivo? Faça de seu ponto de venda uma alavanca para maximizar seus lucros com medidas simples que podem ajudar a fidelizar seus clientes. Veja algumas dicas:

1

Espaço para novos negócios Seu ponto de venda está perfeitamente dimensionado para oferecer apenas a compra e venda de veículos, ou ele tem espaço para oferecer outros benefícios? É importante lembrar que se o seu ponto de venda não estiver devidamente adaptado, todo planejamento para agregar ações que atraiam eventuais consumidoRevista

/ 17


ARTIGO

res poderão não dar certo. Então, analise com cuidado se é viável a instalação de novos atrativos para os clientes em potencial.

2

Vamos melhorar o seu ponto de venda Antes de decidir sobre como melhorar o ambiente de sua revenda, não comece pensando coisas do tipo “preciso melhorar a revenda, mas isso implica em gastos extras”. Benfeitorias no ambiente não implicam, necessariamente, em investir grandes somas de dinheiro. Ideias simples que agregam qualidade ao ambiente podem valer muito. Um espaço para a colocação de uma máquina de café, um frigobar, uma tela de TV e outros pequenos mimos ajudam a manter o cliente entretido enquanto você realiza o negócio.

3

Analisando quem vem à sua loja e o que procuram Abrir uma loja implica em pensar em todas as etapas que compõem a sua venda. Pense no passo a passo que seu cliente faz quando chega à sua loja. Como está a sua recepção (recebem com atenção e boa vontade seus clientes)? Como é a sua equipe de vendas (estão atentos à chegada de clientes)? Quem é o seu cliente (é um novo comprador ou é um cliente tradicional, ou ambos)? Como ele chega à sua loja e o que procuram (tem histórico de compras na loja ou já vem com todas as informações na palma da mão para discutirem com seus vendedores)? Cada etapa de um negócio deve ser analisada com rigor para eventuais correções e preparo de sua equipe sempre que necessário.

4

Favorecendo o consumo Analise com cuidado se o ambiente de sua loja favorece o consumo não apenas do seu principal produto, mas, eventualmente, de outros serviços ou benefícios. Lembre-se de que você vende um produto que conta com dezenas de outros que giram em torno dele. Hoje em dia, o consumidor quer facilidades e comodidade. Por que então não oferecer o máximo de derivados para ele no momento em que ele se encontra na loja? Ele precisa de seguros? Ele gosta de acessórios no veículo? Ele pode ter uma vantagem na compra de produtos que irão ajudar na conservação do veículo que acaba de adquirir? Que tal um desconto no balanceamento de pneus? Ou um tratamento especial para a pintura? Pense na infinidade de serviços e produtos que você pode oferecer a ele para conquistar sua simpatia e confiança. Para concretizar isso, faça uma lista de possíveis parceiros comerciais que poderão se valer do seu ponto de venda para oferecerem mais vantagens ao cliente final.

18 / Revista

Tenha em mente que seu ponto de venda vale ouro e, sendo bem explorado com serviços ligados ao seu foco principal, pode muito bem multiplicar as oportunidades de se obter um lucro extra com isso.


50

/ CONVENÇÃO

ITUPEVA - SP / ABRIL 2016

S

ucesso absoluto! Esse foi o resultado da 50ª Convenção da FENAUTO, realizada no começo do mês de abril. A presença maciça dos Presidentes das entidades estaduais e a pauta de discussões desenvolvidas mostraram a força que nossa entidade tem e quantos projetos importantes estão sendo desenvolvidos em benefício da categoria. Acompanhe aqui os principais assuntos tratados durante o evento: A abertura do evento foi feita pelo presidente da FENAUTO, Ilídio dos Santos, que ressaltou sua alegria em ver o grande número de Presidentes regionais reunido para a discussão de assuntos de alta relevância para a categoria. Webmotors Thiago Andrade e Rodrigo Borer, da Webmotors, apresentaram o novo momento da empresa na internet e os novos padrões que ela deve adotar com os lojistas. O chamado “Plano Performance – o novo jeito de anunciar na Webmotors”, altera as formas de contato entre comprador e vendedor, ampliando as ferramentas de controle que o lojista possui para acompanhar o processo. Isso se deve à mudança de comportamento do consumidor atual. “O segredo das grandes empresas que operam pela internet com compra e venda é a conexão que elas têm com seus consumidores. Assim, vamos juntar os melhores vendedores com os melhores compradores”, resumiu. Sebrae A apresentação de Maria Aparecida Smidt mostrou o início da parceria do Espaço Educação FENAUTO com o Sebrae, buscando incentivar o associativismo, ampliando, assim, significativamente, o universo de revendedores que podem se beneficiar das vantagens do ensino à distância. O representante do Sebrae, Frederico Lopes Cabaleiro, fez uma apresentação da entidade e como ela poderá com a FENAUTO nessa ação, oferecendo o suporte necessário em várias áreas. “A troca de expe-

riências, o acesso a linhas de crédito mais vantajosas, o apoio na sedimentação de uma melhor imagem negocial e outros pontos importantes poderão ser muito melhor explorados neste trabalho que iniciamos agora”, explicou Frederico. Análise de Alternativas Tributárias e Fiscais Antônio Carlos Lanna Ferreira, da Takara Contabilidade, apresentou uma visão jurídica e contábil para as revendas, realizando diversas simulações e comparando as vantagens e desvantagens de opções para a classificação das revendas junto à Receita Federal. Foram dadas explicações detalhadas sobre cada regime, apontando as alíquotas, regulamentos e procedimentos adotados pela Receita para as categorias de taxação entre Lucro Presumido e o Simples. Segundo o especialista, o Sistema de Lucro Presumido permite uma maior margem de manobra para as revendas, sugerindo que as mesmas adotem esse padrão em suas atividades. Renave Elis Siqueira apresentou uma linha de tempo, entre 2011 e 2015, mostrando os principais fatos e avanços na ideia da montagem do Renave, culminando com o anúncio oficial do programa durante a realização do 1º Fórum de Lideranças do Setor Automotivo, promovido em agosto de 2015. Segundo ele, o programa atende, até o momento, cerca de 50% a 60% das reivindicações feitas não só pela Fenauto, mas também pela Anfavea e Fenabrave. Com o anúncio oficial realizado no começo deste ano, Siqueira afirmou que ainda se negociam ajustes para o processo de transferência de veículos venha a ser mais aprimorado. Nosso momento O jornalista Joel Leite, especializado no setor automotivo, foi apresentado como novo colunista da Revista Fenauto e fez uma apresentação sobre o novo consumidor. Sua palestra mostrou os novos hábitos dos consumidores de veículos e as tendências do mercado Revista

/ 19


Edson Alves de Souza

CONVENÇÃO

de compra e venda. “A geração Y conta com mais informação, questiona, se informa, compara. Portanto, as revendas deverão estar preparadas para atender a esse consumidor antenado, já que gasta 7 vezes mais para conquistar um cliente do que para mantê-lo fidelizado.” Outro ponto destacado por Joel foi o fato de que as revendas pouco trabalham no pós-venda. Segundo ele, “70% das lojas perdem clientes por eles não estarem satisfeitos com o atendimento prestado. Não há tecnologia que substitua a qualidade do relacionamento.” GBA – Garantia de Benefícios Associados Nuno Fanhais apresentou o projeto GBA – Garantia de Benefícios Associados, que está em fase de implementação na Fenauto. O projeto piloto já passou por vários testes no site da Assovesc, em uma parceria com a entidade. Segundo a avaliação dos envolvidos no projeto, os primeiros resultados são fantásticos já que o sistema trabalha praticamente sozinho, dispensando a mão de obra para o controle de pagamentos na Associação Regional. O próximo passo é continuar trabalhando para melhorar ainda mais a performance do mesmo. Congresso e ExpoFenauto Carlos Laroca explicou que, doravante, a empresa C2 Comunicação será a responsável por toda a comunicação e contato com empresas interessadas em participar do Congresso e ExpoFenauto. O executivo da empresa detalhou seu planejamento para a continuidade do sucesso desses eventos, expandindo o universo de participantes e difundindo os temas discutidos no encontro. A empresa C2 Comunicação conta com uma experiência de 21 anos na produção e logística de eventos, convenções e congressos e trabalhará em conjunto com a Procópio Ferraz Construção de Eventos para oferecer o melhor evento já realizado para esse setor. Portal Fenauto Felipe Nani fez uma apresentação de como será o novo 20 / Revista

modelo de site da Fenauto com a navegação melhorada, e desenvolvido a partir dos mais modernos conceitos adotados para a internet. Será uma plataforma totalmente integrada com as mídias sociais, contendo uma Central de Relacionamento com o mercado e um espaço dedicado ao projeto educacional da Fenauto. Banco Pan Wilson Diniz, Superintendente de Veículos do Banco Pan prestigiou o evento lembrando o sucesso alcançado no 4º Congresso Fenauto. O executivo afirmou que, com a receptividade que obtiveram de lojistas que manifestaram o interesse em participar, a próxima edição deverá repetir o sucesso dos anos anteriores. “Divulgaremos com muita força o novo Congresso e aproveitaremos os Encontros Regionais para obter o máximo de inscrições. Estamos apoiando a Fenauto e construindo um relacionamento forte passo a passo”, finalizou. Outras discussões Após as apresentações programadas aconteceu uma rodada de comentários onde foram colhidas as impressões pessoais sobre o evento e os resultados obtidos. Na avaliação geral, todos os temas apresentados foram muito pertinentes e auxiliarão muito as entidades regionais a se organizarem melhor para um trabalho conjunto mais proveitoso. Ainda durante a realização do evento, dois pontos importantes discutidos devem ser destacados. O primeiro foi a ideia para a criação de uma Associação Regional que congregue os lojistas da área Metropolitana de São Paulo com o objetivo de defender os interesses da categoria. O segundo ponto foi a notícia dada pelo Sr. Enilson Sales sobre a depuração do cadastro a ser utilizado pela Fenauto para contato com seu universo de lojistas, o que deverá abrir um novo canal de comunicação entre a entidade e seu mercado. O evento contou com um almoço e jantar de confraternização reunindo os participantes para a troca de informações e experiências.


/ CONGRESSO

Vem aí o 5º Congresso

FENAUTO

O maior e mais produtivo encontro do setor de Seminovos e Usados deve repetir o sucesso de anos anteriores

E

le está de volta. O 5º Congresso FENAUTO, evento repleto de palestras especiais e atividades de interação e relacionamento, vai reunir centenas de participantes em busca de conhecimento e alternativas para superar os novos desafios do setor. Isso mesmo, o que já era muito bom será ainda melhor. Essa é a expectativa para mais uma edição a ser realizada entre os dias 8 e 9 de novembro, no Espaço Immensità, em São Paulo (SP) - um local moderno e acolhedor, preparado para receber a todos os convidados com uma excelente estrutura operacional.

Amplamente reconhecido no mercado, o evento já se consolidou como o maior e melhor encontro para quem busca ampliar seu círculo de relacionamento, know how, alternativas e soluções para melhorar seus negócios dentro setor automotivo. Para este ano, são esperadas cerca de 800 pessoas, dentre revendedores, empresários, executivos, concessionários, profissionais de vendas e gerentes. O grande destaque desta edição será a programação, focada para o momento atual do mercado. O conteúdo foi totalmente pensado para surpreender positivamente os presentes com palestras incríveis de profissionais renomados do segmento automotivo e familiarizados com as mais diversas áreas do mundo corporativo. Também estão previstas inúmeras atividades e momentos de descontração. Outro ponto positivo é a realização simultânea da ExpoFENAUTO, uma exposição de produtos e serviços específicos para as revendas de veículos automotores. A ocasião serve para que empresas fornecedoras se aproximem de seus clientes, expondo novas tendências e tecnologias. Para o presidente da FENAUTO, Ilídio dos Santos, “é uma enorme satisfação podermos realizar mais uma edição desse evento que já se tornou referência no setor automotivo. Ano após ano melhoramos mais a organização e conteúdo, promovendo a integração dos profissionais da área, apreRevista

/ 21


CONGRESSO

sentando soluções e tendências para auxiliar o seu dia a dia, e oferecendo alternativas para a realização de negócios.” A diretoria da FENAUTO também ressalta a importância de uma mobilização mútua das Associações Regionais, associados e empresas do segmento automotivo para prestigiarem este grande encontro do setor automotivo. A organização do evento agregou mais opções de lazer para os participantes, além dos tradicionais atrativos da cidade de São Paulo. Os participantes poderão contar com pacotes especiais para visitarem o Salão do Automóvel e também torcer durante a realização do GP Brasil de Fórmula 1. O Congresso Serão dois dias de uma programação de qualidade, que vai reunir palestrantes importantes no cenário brasileiro. Veja quem já confirmou sua apresentação no evento:

L

Luiz Moan Yabiku

Ex-presidente da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) que reúne 29 empresas produtoras de automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus e máquinas agrícolas e rodoviárias. Economista e com mais de 30 anos de experiência no setor automotivo, o executivo já atuou na Volkswagen, na General Motors e na própria Anfavea como diretor executivo. As seis palestras que completam a programação serão ministradas por profissionais altamente conceituados e preparados para gerar uma grande reflexão sobre diversos temas como gestão, mercado automotivo, economia, inovação, além de dicas, informações e exemplos que podem de fato mudar a maneira de pensar e agir, potencializando os negócios.

Mario Sergio Cortella

Filósofo, escritor, educador, palestrante e professor universitário brasileiro, com Mestrado e Doutorado em Educação. Foi Secretário Municipal de Educação de São Paulo (1991-1992), tendo antes sido Assessor Especial e Chefe de Gabinete do Prof. Paulo Freire. É autor de diversos livros nas áreas de educação, filosofia, teologia e motivação e carreira. 22 / Revista

Confirme agora mesmo sua participação no 5º Congresso FENAUTO para não perder essa oportunidade! Maiores informações sobre inscrições, hospedagem e pacotes para visitação ao Salão do Automóvel e GP Brasil de Fórmula 1 poderão ser obtidas no site: www.congressofenauto.com.br


/ ASSOCIAÇÃO EM DESTAQUE

UMA MULHER ESPECIAL Edson Alves de Souza

E

la é a primeira mulher a assumir a Presidência de uma Associação Regional. Ativa, sempre colaborando para a categoria, Francisca Verônica Silva fala um pouco sobre sua carreira e como desejou e alcançou o cargo que atualmente ocupa no Sindicato dos Revendedores de Veículos do Rio Grande do Norte. Verônica é bacharel em contabilidade com pós-graduação em auditoria e perícia contábil, e atua como contadora há 25 anos. Hoje possui uma revenda de veículos como um complemento, atuando mais como Presidente e contadora do que como revendedora. Para começar nossa conversa, Verônica lembra que o começo de sua carreira na área de veículos foi em 1999 com a abertura de sua empresa, a Sena Veículos Ltda., onde participa, ainda, como sócia administradora. Segundo ela, entrar para esse segmento de trabalho teve um atrativo especial: o tipo de produto de fácil controle e pela carga tributária relativamente baixa. Nesse segmento enxergou boas perspectivas de crescimento profissional. Verônica lembra que “apesar dos atrativos do segmento, um dos desafios é justamente permanecer na ativa no comércio, pois, temos um estoque com valor altíssimo e hoje com lucros baixíssimos e uma concorrência desleal entre o vendedor particular e o lojista que tem que pagar seus impostos. Isso sem falar das fiscalizações que são bastante rigorosas e a questão de qualificação dos profissionais da área.” Mas se manter um negócio lucrativo com tantas dificul-

“Apesar dos atrativos do segmento, um dos desafios é justamente permanecer na ativa no comércio” Revista

/ 23


ASSOCIAÇÃO EM DESTAQUE

dades já é complicado, por que então partir para a Presidência de uma entidade representativa da categoria? Quais os motivos que levaram Verônica a assumir a Associação? Um convite? O desejo de ajudar ativamente com o setor? “A decisão de assumir o Sindireve veio de um convite feito pelos próprios lojistas que conhecem meu envolvimento de muitos anos nesta área, não apenas como empresária, mas também como contadora. Confesso que pensei muito no assunto antes, mas decidi assumir o cargo para ajudar a categoria a reivindicar o que é justo e proveitoso para o meio”, afirma a Presidente. Assumir uma função dessas para representar a categoria inteira no Estado, além de zelar pelos negócios do dia a dia é, com certeza, uma tarefa que consome tempo e energia. Mas, Verônica sabe dividir bem o seu tempo para dar atenção a todos os aspectos. Ela mes-

mo afirma que é bem organizada nesse sentido. “Tenho um cronograma de visita aos lojistas feito de maneira organizada para não abandonar meus negócios e poder cumprir esta missão de orientar e contribuir com a categoria. No lado pessoal, eu estou divorciada há 6 anos, tenho um casal de filhos já formados e casados e um neto de 5 anos, prezo muito pela união desta família que é meu maior tesouro. Como sou extremamente independente e decidida eles apenas acompanham e apoiam, mas não participam. Eles são tranquilos com relação a tudo que faço.” Para finalizar a conversa, Verônica completa, com convicção, que todo o seu empenho, atualmente, está focado no auxílio da categoria. “Toda a minha experiência nesse mercado deve auxiliar a transferência de conhecimento para o lojista. E conhecimento sempre será fundamental para quem deseja superar as dificuldades.”

“Toda a minha experiência nesse mercado deve auxiliar a transferência de conhecimento para o lojista”

24 / Revista


/ LOJISTA EM DESTAQUE

Um Lojista Vice-Presidente unidades comerciais na região norte e nordeste do Brasil pela Sharp e, depois, em Curitiba, pela Refripar (Grupo Prosdócimo/ hoje Electrolux do Brasil SA), com produtos eletrônicos e produtos de linha branca, entre os anos de 1971 a 1998. Revista Fenauto: Como era esse mercado nessa época? O que mudou? Como é o mercado hoje? Antonio Gilberto Deggerone: Naquela época era bastante diferente. Percebia-se que o mercado era administrado por pessoas sem experiência, que eram vendedores e se transformaram em proprietários de suas lojas. Os trabalhos de preparação de mão de obra deste segmento eram muito incipientes. Atualmente o segmento se transformou em empresas bem profissionais, pois hoje existem ferramentas e conteúdos atualizados proporcionando recursos para excelentes compras, excelentes vendas e por consequência uma excelente preparação de mão de obra também. Revista Fenauto: A evolução do profissional de revenda de automóveis é clara? O que mudou nele? Antonio Gilberto Deggerone: Sim, mudou positivamente, em decorrência da modernidade, da tecnologia e do uso dessas ferramentas disponíveis na mão do comprador e do vendedor.

A

ntonio Gilberto Deggerone é lojista da Exclusiva Veículos, vice-presidente da Assovepar (Associação de Revendedores de Veículos Automotores no Estado do Paraná), coordenador do conselho deliberativo da ACP (Associação Comercial do Paraná) e membro da Câmara Setorial de Veículos ACP. Quer mais? O profissional que atua intensamente em prol do setor, conversou com a Revista Fenauto para que todos possam conhecer melhor essa pessoa e sua história. Revista Fenauto: Conte um pouco sobre sua carreira no segmento e como você começou nesse segmento? Antonio Gilberto Deggerone: Atuo nessa área desde de 1998. Fui executivo comercial respondendo por

Revista Fenauto: Qual é a revenda onde atua? Possui filiais? Qual a sua média de negócios? Antonio Gilberto Deggerone: Atuo na Exclusiva Veículos, tendo como sócios-proprietários dois filhos. A equipe é de três vendedores, e mais o pessoal de apoio para a preparação e funcionamento da loja. A média de negócios é de 35 carros/mês. Não temos filiais.

“Atualmente o segmento se transformou em empresas bem profissionais” Revista

/ 25


LOJISTA EM DESTAQUE

Revista Fenauto: Em sua opinião, qual é maior desafio para o segmento hoje? Antonio Gilberto Deggerone: Manter boas fontes e fornecedores de compra, ter um bom relacionamento com financeiras, despachantes e prestadores de serviços (oficinas mecânicas, latoeiros etc). Deve-se mantê-los sempre bem preparados, em atualização e modernidade de técnicas, e na gestão dos seus negócios, pois eles fazem parte dos nossos resultados. Acredito que também é muito importante nunca deixar de oferecer o melhor preparo técnico e tecnológico para toda a equipe que compõe o quadro colaborativo da loja, para que possam oferecer bons negócios que resultem em satisfação ao consumidor final. Revista Fenauto: Além de lojista e vice-presidente de uma entidade representativa de um Estado, que outras atividades desenvolve? Antonio Gilberto Deggerone: Acredito na força associativa e, por isso, me dedico à Assovepar (Associação de Revendedores de Veículos Automotores no Estado do Paraná), da qual faço parte desde 2002, a convite do lojista e atual vice-presidente da entidade também, Cesar Lançoni dos Santos (Cabral Automóveis). Desde então venho me dedicando a diferentes fren-

26 / Revista

tes de atuação, já que a entidade atua há 25 anos no Estado do Paraná para fortalecer e aprimorar o segmento de seminovos e usados. Além disso, participo ativamente na ACP (Associação Comercial do Paraná) como coordenador do conselho deliberativo, tendo lá 28 pessoas que compõem o meu grupo de trabalho, junto com empresários de alto nível, executivos e funcionários do escalão do Governo Estadual. Também faço parte da Câmara Setorial de Veículos da ACP, composto por seis lojistas que são diretores da Assovepar, coordenada por Hernani Navarrete de Andrade (HN Multimarcas). Acreditamos na importância e no orgulho de pertencer a associação com 126 anos de atividade voltada ao mercado de todos os tipos de vendas e serviços.

“Acredito na força associativa e, por isso, me dedico à Assovepar ”


/ PORTA LUVAS

Carros e Futebol Edson Alves de Souza

A

revista FENAUTO entrevistou um bom baiano: Paulo Mascarenhas. Esse profissional destacado, um dos grandes profissionais de nossa entidade, contou um pouco de sua história para nossa reportagem, revelando seus “segredos” de vendedor.

Revista FENAUTO: Como foi o começo de sua carreira na área de veículos? Há quanto tempo trabalha nesse segmento? Paulo Mascarenhas: Comecei nessa área há 23 anos. Na ocasião, eu tinha um restaurante e precisava comprar um carro pois, minha primeira filha estava para nascer. Fui em busca de um carro “bom” como seu costuma falar, e acabei comprando um Chevette vermelho, ano 1977, que era uma coisa de cinema, um carro realmente muito bom. Esse foi meu primeiro carro de quem lembro com saudades, pois passados aproximadamente uns 2 anos precisei vender o mesmo para comprar um utilitário. E fui novamente em busca de um outro veículo que preenchesse minhas expectativas. Encontrei um que me interessava, preenchi a documentação e a pessoa foi fazer a transferência, mas quando chegou no Departamento de Trânsito, o carro não passou na vistoria pelo fato do chassi estar adulterado. O resultado disso tudo foi que fiquei sem o carro e sem poder falar com o responsável que me vendera pois ele desapareceu. No final da história fui obrigado a comprar um outro carro por um valor menor já que minhas economias não eram suficientes para com-

Revista

/ 27


PORTA LUVAS

“Tenho muita confiança nesse tipo de trabalho pois sei das dificuldades que enfrentamos para unificar nossa categoria e fortalecer a FENAUTO” prar aquele que eu pretendia. Foi dessa forma que começou a minha identificação com a profissão. Comprando carro, arrumando e vendendo para diminuir o prejuízo que tive nesse negócio. Acabei desistindo do restaurante e fui me dedicar exclusivamente ao ramo automotivo. Revista FENAUTO: O que mais o atrai nessa carreira? Qual o seu principal desafio nela? Paulo Mascarenhas: Quando vendo um veículo e meu cliente retorna à loja para me agradecer, fico muito feliz. Fico tranquilo pela certeza do “dever cumprido”. Isso para mim é uma realização pessoal. Já o meu principal desafio foi e sempre será o de vender veículos para as mulheres, pois são mais exigentes e detalhistas. E isso, sem dúvida nenhuma, se torna um grande desafio para mim, pois me obriga a pensar em estratégias e argumentos específicos para elas. Revista FENAUTO: Além da paixão pela revenda de automóveis, quais suas outras paixões ou hobbies? Paulo Mascarenhas: Essa pergunta é fácil de responder. Futebol! Essa é minha paixão, pois além de assistir, sou um excelente jogador, na medida do possível, é claro! Revista FENAUTO: Como você divide seu tempo para atender não apenas o aspecto profissional, mas também a essa outra paixão? Paulo Mascarenhas: Às vezes o tempo é escasso mas temos que ter um bom jogo de cintura já que a nossa atividade requer muito e cobra muito 28 / Revista

da gente em termos de dedicação para obtermos o sucesso que pretendemos. Revista FENAUTO: Qual é o seu estado civil? Tem filhos? Como é sua família? Eles participam de suas atividades profissionais? Paulo Mascarenhas: Sou casado há vinte cinco anos e pai de duas filhas, sendo uma com 24 anos e a outra com 10. A mais velha atualmente está se formando em medicina veterinária, mas sempre esteve ao meu lado quando podia, me dando todo o seu apoio. Minha esposa tem a atividade dela, e atualmente trabalha com eventos. Sempre que me perguntam sobre isso, digo com alegria que somos uma família muito unida. Revista FENAUTO: Qual é sua formação acadêmica? Paulo Mascarenhas: Em termos de estudos formais tenho o segundo grau completo. Tentei seguir estudando, mas as responsabilidades familiares não me permitiram prosseguir. Revista FENAUTO: Como você pode sintetizar sua trajetória na Assoveba? O que gostaria de ressaltar nesse trabalho tão importante pelo segmento? Paulo Mascarenhas: Como todos sabem, estou à frente da Associação Estadual há 9 anos e sempre atuando de forma a contribuir com crescimento e a profissionalização da nossa categoria. Tenho muita confiança nesse tipo de trabalho pois sei das dificuldades que enfrentamos para unificar nossa categoria e fortalecer a FENAUTO. Por isso estou sempre disposto a contribuir com o que for necessário.

“Quando vendo um veículo e meu cliente retorna à loja para me agradecer, fico muito feliz”


/ QUEM É QUEM

Simplesmente Aldo Hoje, além de uma loja de Seminovos e Usados, ele comanda a Associação dos Revendedores de Veículos Automotor – ASSOVEPA, no Estado do Pará. Seu nome é Mudualdo M. Oliveira, mas podem chamá-lo simplesmente de Aldo.

D

e office boy a dono de empresa e presidente de uma entidade, Aldo tem muitas histórias para contar e sempre transmite muito entusiasmo quando fala sobre seu trabalho e atividades que pretende desenvolver.

Edson Alves de Souza

Sua trajetória profissional começa há mais de trinta anos, quando um primo abriu uma loja de revenda de veículos e chamou Aldo para trabalhar com ele como office boy. O aprendiz se apaixonou tanto pela atividade de compra e venda de veículos que acabou chamando a atenção pelo seu desempenho. O primo então, decidiu colocá-lo na área de vendas de sua revendedora e, desde então, Aldo não parou mais. Ou seja, já está no ramo há mais de 30 anos. As dificuldades no começo da carreira obrigaram Aldo a deixar seus estudos. “Tenho o curso de Administração incompleto. Quando surgiu a oportunidade de trabalhar, agarrei a chance e me encantei com essa vida, muitas vezes, se não a maior parte dela, corrida e de muito trabalho. Não me arrependo de minhas decisões, pois gosto de ver meus clientes satisfeitos e me empenho muito para isso.” Aldo confessa que atuar nesse segmento tem um atrativo especial: o fato de lidar com pessoas diferentes que chegam à empresa querendo realizar um sonho de ter um carro e que esse veículo vai mudar de alguma forma a vida daquela pessoa ou daquela família. Para ele “isso é maravilhoso. E levando em consideração que foi um sonho que eu ajudei a realizar, é melhor ainda. Gosto de ver meus clientes satisfeitos. Agora o principal desafio é não deixar o cliente sair da loja sem levar o veículo”, pondera Aldo.

os dias, à frente de sua Revenda, Aldo confessa seu segredo para não deixar os negócios esfriarem. “Nunca desistir, sempre lutar, acreditar e confiar em Deus, principalmente. E, claro, trabalhar de forma honesta e sincera. Manter uma boa relação com os clientes, passando confiança, pois, com isso, eles acabam se tornando fiéis à sua empresa. Hoje ter um cadastro de clientes é muito importante, pois eles sempre voltam para trocar de carro com você e o indicam para outras pessoas, e essa é a melhor propaganda que existe, o famoso boca a boca.”

Com relação a esse desafio que ele se impõe todos Revista

/ 29


QUEM É QUEM

“Atuar nesse segmento tem um atrativo especial: o fato de lidar com pessoas diferentes que chegam à empresa querendo realizar um sonho de ter um carro”

Os principais benefícios do seguro

Ricardo José de Souza, Diretor comercial responsável pelo Canal Concessionárias/Locadoras e Consórcios e Canais Estratégicos do Grupo Segurador MAPFRE - Brasil, é especialista do mercado segurador e relata como o Seguro de Automóvel Mapfre é sempre uma boa opção para quem não quer ter dores de cabeça com seu veículo.

30 / Revista

À frente de seu empreendimento há mais de 30 anos não abalaram sua vida pessoal. Ao contrário, Aldo é casado e tem 2 filhos e 2 netos. Aliás, o sonho acabou sendo ampliado e contagiou o restante da família, já que seus dois filhos e sua esposa trabalham com ele na empresa. Apesar de estar sentindo uma queda acentuada nas vendas em sua região, desde o início do ano, provocando o fechamento de lojas e a mudança de ramo para alguns comerciantes do setor, Aldo não desanima. “A Associação, junto com a FENAUTO, está realizando um esforço muito grande para auxiliar os Revendedores a encontrarem alternativas para criarem oportunidades de negócios. Temos muito trabalho pela frente e sei que poderemos superar os obstáculos”, conclui Aldo.

O

seguro de automóvel MAPFRE, é uma excelente opção para ser distribuído através das lojas de seminovos ligadas a FENAUTO e suas associações regionais, já que temos 130 sucursais/escritórios distribuídos pelo Brasil, onde conseguimos prestar um atendimento presencial diferenciado juntos aos revendedores. Somos reconhecidos no mercado pelos excelentes diferencias em nossos produtos de automóvel, onde cito alguns deles: desconto de até 40% na franquia no momento do sinistro e a possibilidade do pagamento em até 6 vezes sem juros nas apólices com vigência anual. Temos também a possibilidade de contratação do seguro plurianual e, para essa modalidade de contratação, oferecemos um desconto competitivo no custo, podendo dividir o valor à vista em 10 vezes. Oferecemos cobertura exclusiva para danos à pintura, desde que haja o atingimento da franquia, estendendo gratuitamente a cobertura do veiculo segurado para o carro reserva quando contratado na apólice. Quando o segurado for atendido como terceiro, autorizamos o carro reserva para o segurado sem penalizar o bônus da apólice, entre tantos outros diferencias. A grande novidade do momento, que entendemos ter uma excelente aderência pelo mercado de seminovos, foi um pedido da FENAUTO para MAPFRE. Trata-se do seguro por 6 meses, onde o pagamento pode ser feito em até 5 vezes sem juros. Acreditamos que, com essa modalidade, podemos ajudar o lojista a comercializar mais veículos pela facilidade e custo benéfico que o seguro oferece. Vale à pena conferir.


/ GPS

ExpoFENAUTO Uma vitrine para negócios

A

ExpoFENAUTO, exposição de produtos e serviços dirigida aos revendedores de veículos automotores, deve repetir o sucesso de anos anteriores e agregar ainda mais valor ao próximo Congresso FENAUTO. O evento é considerado pelo mercado como uma ocasião especial e oportuna para empresas fornecedoras e patrocinadoras se aproximarem de seus clientes, expondo novas tendências e tecnologias. Durante o evento, o expositor terá um dia a mais de visibilidade, já que a exposição começará no dia 7 de novembro, com o 52ª Convenção FENAUTO, evento direcionado às Associações estaduais. A ExpoFENAUTO ganhará, ainda, maior importância com a realização de duas palestras do Congresso em seu espaço.

Procópio Ferraz

Atrelada a um evento de sucesso

A ExpoFenauto conta com um grande atrativo que é sua realização atrelada a um evento de sucesso: o Congresso FENAUTO. Após quatro edições dedicadas aos profissionais do setor automotivo, pesquisas internas sobre os resultados do Congresso FENAUTO revelaram uma média de aprovação superior a 90%. Na próxima edição do evento, a ser realizado paralelamente à ExpoFENAUTO, são esperados 800 participantes, superando os resultados do ano passado. Além disso, a estruturação do Congresso FENAUTO privilegiou um novo local, com estrutura adequada para a acomodação de um maior número de participantes, definindo sua data para coincidir com a realização de dois grandes eventos na cidade de São Paulo (Salão

Revista

/ 31


GPS

do Automóvel e GP Brasil de Fórmula 1) e, com isso, agregar mais opções de lazer aos participantes. Com tantos atrativos e oportunidades de contatos e troca de experiências, tanto o Congresso FENAUTO como a ExpoFENAUTO tem a garantia de sucesso absoluto. Se você tem uma empresa ou produto direcionado ao setor automotivo e gostaria de ter a oportunidade de divulgar o mesmo entre centenas de profissionais da área, não pode ficar fora desse evento. Conheça, então, as opções para ampliar a visibilidade da sua empresa e ampliar seus resultados participando desses eventos de sucesso. Acesse agora mesmo:

www.congressofenauto.com.br

32 / Revista


GPS Procรณpio Ferraz

Procรณpio Ferraz

Procรณpio Ferraz

Revista

/ 33


/EM FOCO

Anfavea com novo Presidente

A

Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, Anfavea, e o Sindicato Nacional da Indústria de Tratores, Caminhões, Automóveis e Veículos Similares, Sinfavea, anunciaram suas novas diretorias para a gestão 2016-2019. Antonio Carlos Botelho Megale, 59 anos, será o presidente de ambas as entidades. O executivo é graduado em engenharia mecânica automotiva pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, pós-graduado em administração de empresas pela Fundação Getúlio Vargas de São Paulo e é diretor de assuntos governamentais da Volkswagen do Brasil. Com mais de 35 anos de experiência no setor automotivo, Megale já exerceu funções por diversas montadoras em várias áreas de atuação. Foi ainda presidente da Associação Brasileira de Engenharia Automotiva, AEA, em duas gestões consecutivas – 2011/2012 e 2013/2014 – e nos últimos três anos foi o 1º vice-presidente da Anfavea e do Sinfavea. Para Antonio Megale, “ser presidente da Anfavea e do Sinfavea é motivo de orgulho e representa um grande desafio, especialmente pelo contexto econômico e político que estamos vivendo. O Brasil possui grande potencial de desenvolvimento com números extremamente motivadores”. O novo presidente avalia que sua gestão será de continuidade: “Daremos sequência ao esforço de unir todos os elos que formam a cadeia automotiva, pois isto é fundamental para fortalecer a indústria automobilística nacional. Buscaremos também ampliar nossas exportações e promover uma nova política industrial que contemple eficiência energética, fortalecimento da cadeia produtiva e pensamento de mobilidade”.

34 / Revista

Divulgação


Revista

/ 35


CETIP

MAIS PRESENTE DO QUE VOCÊ IMAGINA

A Cetip cria soluções inovadoras e eficientes para todas as etapas do ciclo de financiamento de veículos. Beneficia as instituições financeiras, revendas e compradores. É ela quem opera o Sistema Nacional de Gravames (SNG). As soluções da Cetip colaboram para tornar a concessão de crédito ainda mais ágil e segura. www.cetip.com.br/financiamentos.

Revista fenauto  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you