Issuu on Google+

FENADVB o ã ç em a

FENADVB em ação ABRIL 2008 ANO XX – Nº 9

P u bli c a ç ã o da F edera ç ã o N a c ional da s A s s o c ia ç õ e s do s D iri g en t e s de V enda s e M ar k e t in g do bra s il

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

32

33

34

35

36

37

38

39

40

41

42

UMA PODEROSA REDE 43

45

DE RELACIONAMENTOS E OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS

46

47

48

49

44

50

1

51


2


FENADVB em ação

FENADVB em ação

O papel do maestro na orquesta do século XXI......................6 O fluxo de caixa e sua importância na gestão........................9

Brasil vive momento de expectativa de

crescimento para o agronegócio

16

Um grande exemplo de governança corporativa...................10 O papel de vanguarda realizado pelo nosso empresariado .....11 Potencial do Brasil atrai investimentos estrangeiros............12 Sustentabilidade. Bom negócio ou prejuízo para as empresas?.....13

Liderança hoje

Educação, genialidade e inovação ..................................14

22

Sustentabilidade do crescimento do mercado de capitais.......18 Sustentabilidade e competitividade.................................20 Eventos realizados......................................................26 Publicidade no mercado imobiliário.................................34 Dia de fazer a Diferença Brasil.......................................35 Já está muito devagar.................................................36 Depoimentos............................................................38

Eventos

realizados

26

Endereços ADVBs.......................................................46

Rede Tropical de Hotéis, 50 anos de sucesso

30 PERSONALIDADES DA CAPA. Jorge Johanespeter Gerdau (GERDAU); 2. Aleksander Santos (Presidente ADVB RJ); 3. Victoriano Garrido (Presidente ADVB BA); 4. Claudio Goldzstein (Presidente ADVB RS); 5. Germano Rigotto (Ex-Governador RS); 6. José Artur (Presidente ADVB PE); 7. Roger Agnelli (Presidente da VALE); 8. Paulo Okamotto (Presidente do SEBRAE); 9. Eduardo Cop (Presidente da ADVB PB); 10. Antonio Koerich (Grupo Koerich); 11. Alencar Burti (Presidente da ACSP); 12. José Carlos de Pinheiro Neto (GM); 13. Fabio Racy (ABRAMET); 14. Ozires Silva (Presidente Fórum de Líderes); 15. Paulo Sérgio Barbanti (Presidente do Grupo Notre Dame – Intermédica); 16. Marcos da Silveira (Presidente da Pele Nova); 17. Luiz Figueiredo (Presidente da ADVB AC); 18. Ricardo Santos Neto (Empresário); 19. Luis Henrique da Silveira (Governador do Estado de Santa Catarina); 20. João carlos Martins (Maestro); 21. Newton de Oliveira (Presidente ADVB DF); 22. Romeu Chap Chap (SECOVI); 23. Liliam Valadão (Presidente ADVB GO); 24. Ronald Carvalho (Presidente ADVB ES); 25. José Ronoel Piccin (ANEFAC); 26. Fabio Salles Meirelles (Presidente FAESP-SENAR, SEBRAE-SP e CNA); 27. Marcos Aurélio de Oliveira (Presidente ADVB PA); 28. Roberto Lima (Presidente VIVO); 29. Antonio Saraiva (Presidente ADVP – Lisboa, Portugal); 30. Carlos Amaral (Presidente ADVB SC); 31. Paulo Miranda (Presidente ADVB USA); 32. Gilton Almeida (Presidente ADVB MS); 33. Gisele Lisboa (Presidente ADVB MG); 34. Gilberto Kassab (Prefeito de São Paulo); 35. Paulo Skaf (Presidente FIESP/CIESP); 36. Rodrigo Florenzano (Presidente ADVB PR); 37. Sérgio Tinen (Presidente ADVB Japan); 38. Marcelo Miranda (Governador do Estado do Tocantins); 39. Luciano Coutinho (Presidente do BNDES); 40. Elcio Anibal de Lucca (Experian/SERASA); 41. Sérgio Cabral (Governador do Rio de Janeiro); 42. Geraldo Alckmin (Ex-Governador do Estado de São Paulo); 43. Miguel Ignatios (Presidente ADVB SP); 44. Agostinho Turbian (Presidente da FENADVB); 45. Abram Szajman (Presidente FECOMERCIO); 46. Alberto Goldman (Vice-Governador do Estado de São Paulo); 47. Chieko Aoki (Presidente do Conselho ADVB Japan e Presidente do Grupo Blue Tree Hotels); 48. Luiz Marinho (Ministro da Previdencia); 49. André Puccinelli (Governador do Estado do Mato Grosso do Sul); 50. Ivan Zurita (Presidente da NESTLÉ); 51. 3 Nubia Lentz (Presidente ADVB AM)


E d i t o r i a l

FENADVB Rede de negócios Uma rede de relacionamentos no mundo moderno, ou “networking”, como dizem os cunhadores dessa expressão, originariamente em inglês, os norte-americanos, e que sabem muito bem o que querem dizer com isso, é como se fosse uma via de duas mãos. Uma grande e longa via que precisa ser recapeada e muito bem cuidada o tempo todo, porque um simples buraco ou pequeno ruído de comunicação, por menor e aparentemente mais desprezível que possa parecer, é capaz de provocar enormes acidentes de percurso e literalmente de, até mesmo, ser capaz de tirar uma grande carreta dessa estrada sem voltas. O cultivo de um relacionamento, o estímulo para que ele seja duradouro e fiel entre todas as partes envolvidas e comprometidas (Platão) com os melhores e mais autênticos resultados, que brote negócios prósperos e vigorosos e que alimente uma cadeia enorme de empresas, empresários e executivos bem-sucedidos e muito bem relacionados entre si, é o que tem buscado a FENADVB. Uma instituição séria, uma ONG que, como o próprio nome diz, não tem fins lucrativos e que, por meio de seu braço mais forte e verdadeiro sustentáculo deste gigantesco sistema de excelentes relacionamentos – as ADVBs –, tem sido uma força motriz sem precedentes na história econômico-financeira-social e ambiental desta imensa nação. Um “brasilzão” que a cada dia se agiganta e se posiciona cada vez mais como parte integrante do mundo globalizado e não mais, apenas, um simples e réles ator coadjuvante, pobre e reclamão, diante de um cenário de riqueza sem igual, que é o que se transforma cada dia mais o mundo da economia universal. Nós, como líderes de um sistema de relacionamento tão sedimentado, abundante, próspero e repleto de tantas iniciativas de incentivo ao fortalecimento dessa pujante economia que se presencia no Brasil de hoje, só poderíamos nos sentir extremamente orgulhosos. E para quem possa eventualmente duvidar dessa nossa enorme satisfação de contribuir para o crescimento e fortalecimento constante de uma rede de negócios de tamanha envergadura, basta voltar uma ou duas páginas, fechar este primeiro número da revista que daqui para a frente falará periodicamente por todos nós, fixar seus olhos na capa e observar a grandeza de tantas personalidades, celebridades empresários, empresárias e estrelas da maior grandeza, que no decorrer das próximas páginas estarão fazendo análises contundentes do momento sócio-econômico-financeiro e ambiental do planeta e fazem parte, também, diuturnamente, desse cenário emoldurado pelo gigantesco sistema Fenadvb/Advb. Entidades estas que, assim como o próprio Brasil, a cada dia mais ramifica relações em diferentes estados da nação e em diferentes países. Parabéns a nossos colaboradores e parceiros de negócios de tantos anos, com os votos de que essa parceria se renove, se multiplique e se torne cada vez mais vigorosa e punjante para todos nós que sabemos respeitar e entendemos a importância de se construir vias de idas e vindas tão poderosas e auto-sustentáveis.

“Nosso

conhecimento

é ínfimo se

comparado

com o que

ignoramos.”

4

Agostinho Turbian Presidente da Federação das Associações dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil (FENADVB)


Lançamento Nacional FENADVB Barretos está ganhando um empreendimento de tirar o chapéu.

em ação

Barretos Thermas Park, o único empreendimento dentro do parque de eventos mais visitado do país.

Seja dono de uma unidade do empreendimento mais disputado do Brasil e ainda ganhe de presente um dos maiores eventos de rodeio do mundo . Mais de 1 milhão de visitantes por ano | Melhor oportunidade de investimento da região | Único hotel dentro do Parque do Peão | Preços e condições de pagamento excepcionais | 1 e 2 dormitórios com suíte ou suíte master | Infra-estrutura integrada para turismo de lazer e negócios | Mais de 20 piscinas termais em parque aquático com 78.000 m2 | Fitness | Heliponto

Fotomontagem aérea do empreendimento

5

TIPOS DE

PLANTAS

VISITE UNIDADE DECORADA Informações: 0800 770 72 82 www.barretosthermaspark.com.br

Comercialização:

Realização e Construção:

55


A

r

t

i

g

o

O papel do maestro na orquesta do século XXI Costumo classificar a liderança como uma questão de escolha e não de posição. O que diferencia a figura de um líder do passado com o da atualidade é sua capacidade não só de gerenciar uma equipe, mas de influenciá-la positivamente, de modo com que todos os envolvidos enxerguem a empresa em que trabalham como se fosse sua. Essa nova liderança, essencial no modelo de gestão do século XXI, exige dos executivos uma visão muito mais ampla de seus funcionários. Não basta enxergá-los como gerentes ou coordenadores de sua organização, mas como pessoas completas que possuem corpo, mente, coração e espírito.

Paulo Kretly é presidente da FranklinCovey Brasil e autor de Deixe um Legado

O líder eficaz é aquele que se preocupa com o legado que deixará para seus funcionários e aposta no talento de cada executivo. Seu grande papel é comunicar às pessoas seu valor e seu potencial de forma tão claras

Sua força gira em torno de unir os profissionais, num esfor-

que elas acabem por vê-lo em si mesmas. Ele disponibi-

ço de aumentar a influência e o impacto da organização e

liza recursos e alinha sistemas para que cada indivíduo

das causas importantes das quais fazem parte. O executivo

utilize sua proatividade e competência para gerar resul-

da nova liderança forma equipes vencedoras, das quais

tados, assumindo uma posição de intra-empreendedor.

as forças individuais se tornam produtivas e as fraquezas passam a sem irrelevantes porque são compensadas pelas forças dos demais.

O livro Deixe um Legado, de Paulo V. Kretly, relata histórias de pessoas que romperam padrões negativos, tornaram-se figuras de transição e mudaram gerações. Este livro o ajudará a entender a importância de como seus atos podem influenciar as pessoas positivamente. Contém um DVD. Deixe um Legado pode ser adquirido no site da FranklinCovey Brasil (www.franklincovey.com.br) e no FranklinCovey Business Store Rua Flórida, 1568 – Brooklin – 11 5105 4402 6

O grande diferencial do líder moderno está em compartilhar méritos e apoiar idéias inovadoras. A escala hierárquica do passado não justifica mais as glórias de uma organização. Uma companhia bem-sucedida, hoje, é regida por um maestro que compreende que uma orquestra jamais funcionará se não houver colaboração múltipla. Entende que se estimular o potencial de cada indivíduo que vive os valores da empresa, o resultado tende a ser muito superior e o sucesso torna-se inevitável.


FENADVB em ação

Miguel Ignatios, Presidente do Conselho da GOLDEN CROSS e Presidente da ADVB-SP. Eleito Membro Permanente do Fórum de Líderes Empresariais. Obteve a maior votação como Líder Setorial SAÚDE.

7


7 200 ho Jun VB AD

1 1 de

mercado

. 007 O 2 ISM UR E T D : OP TO A O T JEI O . NACIONAL DE LĂ?DER CID A D OR UL OR LH PA ED ME Ăƒ O RESPONSABILIDADE NC DO M S VE E E R SETOR PĂšBLICO MO DIA ME UM CO IS MA UE Q I F

07 0 2

,

P TOde

RH

6%

e

"!

.

#

/

-

"

2

%,

2

-

$

#

5

2

2

)#

e om

%)

2

!.

4%

. %

%2

'

)!

3

$

/

!0

&2

5

2

/

3

!

!

s

"

2

!3

),

# s

/

,'

!4

%

, 0!

-

/

-

,)

6%

!0

&2

# s

%

5

3

2

2

)#

AOP

A U LO

.C O

V E JA M E

rç a fo u s tra mos o m ris o tu

a

ĂŠ.

SSE

W WW

.C ID

ADE

!0,

' 

 

1)1

'4

2

' 4

1 '

 



/2007



 

, )! # %nta2da.indd 1

6 6)

5

,5

/

s

FINAL

-

33

!

/

#

)!

SOCIA

#

L.pmd

/

-

"

2

s

Âą

'

°/

%,

#

2



$

%

-mo Capa /

% 1

s

-

!0

&2

%

19/6/200

7, 23:4

%'

5

2

/

3

s

3



%2

!3

!

s

6)

5

6/





Revistas Mercado/Marketing 8

ADVB

:39

15:46

23/11

           

               

CAPA

a ni a a d v da rati inho i C po am r rc co lho

s

r mp

se

-

'

s

%'

!3

DES

VOC

ka w

 

15 )5 *, ! ('# 1,  ! *,   ,  , )' ,), , ,15,  , , *,.  '

1# '/  ! 1  ,

  *, 5 *' # *' - 4 , '/, ,  ' / )1&  '

,  , / )1#  ,5,   ,  , , +

4  *, ' ' (+5 # ) ,  '5 1*' '4+5  ' 4 ,/1  4', 44 * '   * ' 4  *,1' ' ,  1,   ,   '* , 1 351 

4',2   %2 "5  -$, *, ,2 15/02/2008 18:43:15 ,)  , , *, ., *'  *1., )1*' ' 5'1   , ' * *,

ACE

do

%2

a

POR

s H ira

2007

,)

5

,5

s

%

3 %

3 s

pu er

ERA

ar co

do

)!

!5

Ib ira ue do

ESP

ris /M

merca

°/

#

0

Pa rq e do

QUE O O

SP Tu

Top So cial – Junho

,-

Âą

%2

/

!.

Fo nt

TUD

iv o

2007

0!

/

)!

-

3°

"

2

)

Ar qu

mbro nove

%

#

/

%

s

%)

'

2

a

o

!

/ 33

#

$

,/

$

%2

"

urism de T Top

o 2007

%.

/

SOCIAL

do

outubr

!.

4%

$

PRĂŠMIO ADVB MARCELO MIRANDA

/

!3

O.

ca mer

#

UL

2007

GOVERNADOR DO TOCANTINS

PRÊMIO ADVB L�DER NACIONAL DE RESPONSABILIDADE SOCIAL – SETOR PÚBLICO – fevereiro 2008

°/

A O P

SĂƒ

DE DE

merca

!3

Âą

mbro

nove

AR PER OS E U S UL DE RTE BSTĂ C METAS AA O AR IST QU N CO

)!

10:0

05x2

R DE O AN SC NT DE A E SA RA VID CIA CO S, B CO M - M, B TE IL, AN RO ES , B GU AD L, C YS AS A NO SE BR RA D S BR EL , CA DE IA, EDE AR DO CYR AE , I C F BR IO ER A -C L R O M HI ĂŠN CA SU NA RIA SE ED Ă‡Ăƒ C OR HA E, NA AN VID MI PA MP RE NĂ” SS, L, J EN ĂšD NIM RU P O CO O RE IA NG SA , U ST C E C E P E N AN UTO OS A E EX ENC JZ S D SAS CO B , R X IA O A GU AI CK SID LI, R NO PRE A E Ă”N SC SE L, C HE RE EL LA EM ARI AZ DE CO ASI A, C SSI OZ IL P A NH AM BRA ES BR Ă?DI RO P, P MC NIC GE D A , A MS TIM A E OR , SA EFĂ” EN D C US R CO PL , B DA UL REL AY .A. TEL RRE N M O Y A S , L Y TO BA ON Ă‡Ăƒ RY DE , C , P EN OS T ,W U V, , B ZA A BR AS K BE PA ALI ADB EIR M. BR HOS MO SIL L AM NES PIT , C SI .CO TRO O WN BRA A M H O A A A E L I R O B C B LU , P A ND D C U ĂŠN LÉ ARV SU EM IC ST ID , RR NE Y-C CA AG EV PR CU R, ALT ÉRI SW E E K M L L L R A O UE SIL UL , V M A ,S O BR SA VIV RA SE

#

2007

14,

25 75_3

30_2

0049

3/

m

4:28

mber

Nove

.pdf

o d a erc


A

r

t

i

FENADVB em ação

g

o

O fluxo de caixa e sua importância na gestão Essas vantagens são: 1. Redução do custo financeiro pela redução da necessidade do Capital de giro; Augusto Paes Barreto

Dentre os instrumentos de grande relevância na chamada gestão financeira, ou na administração de um modo geral, há que se destacar o Fluxo de Caixa (“Cash-Flow”). Partindo-se de um pressuposto nem sempre facilmente visualizável, é interessante enfatizar que a gestão financeira é basicamente uma atividade reflexa, isto é, vem de refletir as demais atividades de uma empresa como compras, produção, vendas, cobrança, entre outros. Dentro desta visão, o Fluxo de Caixa é, por assim dizer, o instrumento operacional por excelência de que se vale a administração – por oportuno, a elaboração do Fluxo de Caixa pode ser levada a efeito de forma direta pela reunião de elementos patrimoniais e redituais, como pode ser obtido a partir de peças contábeis, como balanços. É digno de destaque que, para uma empresa razoavelmente organizada e que se subordina a uma peça orçamentária, torna-se o Fluxo de Caixa o instrumento ideal do controle daquilo que foi orçado e daquilo que efeti-

2. Relação entre os ingressos financeiros e respectivas saídas em um determinado intervalo e tempo; 3. Permite pelo dimensionamento pretérito as aquisições à vista, com significativa redução de custos; 4. Facilita sobremaneira a identificação daqueles créditos (normalmente de fornecedores), viáveis ou não, em função de seus custos; 5. Permite a justaposição entre níveis elevados de caixa e compatibilização de volumes de investimento geradores de rentabilidade interessante; 6. Análise pormenorizada dos ciclos operacionais, mormente, com o concurso de uma contabilidade de custos bem estruturada; 7. Faculta a empresa liqüidar seus compromissos de modo a dispor permanentemente de uma boa política de crédito; Por fim, por tudo que acima foi destacado, é fácil a percepção de que este instrumento de gestão aplica-se praticamente a toda modalidade de empreendimento, tornando-se mais interessante quanto mais complexa for a atividade ou mais delicada seja a situação financeira da empresa.

vamente teve ocorrência. O Fluxo de Caixa permite um grande elenco de vantagens na gestão como um todo.

Augusto Paes Barreto é economista e sócio-diretor da Consultoria Siegen, especializada em recuperação de empresas em crise financeira e sucessão familiar. Site: www.siegen.com.br 9


A

r

t

i

g

o

Um grande exemplo de governança corporativa Tocantins experimenta hoje um dos mais arrojados períodos de industrialização desse jovem e destemido Estado e que mobiliza a força empresarial estadual de tal forma

Marcelo Miranda Governador do Tocantins

que já é possível contabilizar nada menos do que doze fortes cadeias produtivas no Estado. E que têm, além da Federação das Indústrias do Estado do Tocantins (FIETO), na figura de seu principal mandatário, o governador Marcelo Miranda, um de seus mais consistentes pilares.

Dessa forma, o Governo de Marcelo Miranda procura

O mais jovem governador do Brasil é também um

oferecer bem-estar à população e alia crescimento econômi-

dos mais articulados políticos do momento histórico do

co com a preservação ambiental, de modo a demonstrar que

país, assim como um dos mais inovadores em gestão

as ações são planejadas de forma integrada para maximizar

pública, tornando absolutamente transparente toda a

os benefícios. Portanto, quando se faz o bem, esse tipo de

sua preocupação com o social por meio de mecanismos

iniciativa não escapa da observação de ninguém. E não é

inéditos no setor público, como a publicação de balan-

por outra razão que Marcelo Miranda, com seu exemplo de

ços e relatórios sociais.

disciplina e cuidado rigoroso com a coisa pública, acaba de

A visão de Marcelo Miranda é impressa com todas as letras, por exemplo, no Balanço Social Tocantins 2006,

ser reconhecido nesta sua primeira edição com o Prêmio ADVB SP Líder Nacional do Setor Público.

onde diz, na sua apresentação, que “melhorar a qualidade

Parabéns, governador Marcelo Miranda e equipe de Go-

de vida dos tocantinenses é objetivo permanente” em seu

verno que, com comportamento e iniciativas como essas,

governo. E diz que os bons resultados na educação, saúde,

têm dado um verdadeiro exemplo de governança corpora-

geração de emprego e renda, segurança pública, esporte,

tiva no setor público, ao adotar de forma tão extensiva e

lazer, infra-estrutura, política tributária, atração de novos

transparente todo um corolário de processos, costumes, po-

investimentos etc., refletem a seriedade e transparência

líticas, leis, regulamentos e instituições que regulam a ma-

que norteiam a gestão dos recursos públicos no Estado.

neira de dirigir sua administração de forma tão controlada.  Agostinho Turbian Presidente da FENADVB

10


A

r

t

i

FENADVB em ação

g

o

O papel de vanguarda realizado Paulo Bastos Diretor da ADVB SP

Cristaliza-se cada vez mais na consciência corporativa que práticas ambientais corretas são pré-requisitos para uma inserção competitiva das empresas nos merca-

pelo nosso empresariado

dos nacional e internacional. O que, em um país como o nosso, que tem uma política ambiental desastrosa, mostra o papel de vanguarda desempenhado pelas organizações privadas e públicas. Nossos rios são verdadeiros esgotos a céu aberto. As florestas e matas ciliares foram devastadas. Os aterros sanitários contaminam os lençóis freáticos. O ar que respiramos é de péssima qualidade.

O papel da revista Mercado é divulgar essas boas

E mesmo assim, nesses meus 43 anos de ativis-

práticas ambientais. Mais do que isso: o reconhecimento

mo ambiental, vejo sempre novos exemplos de empre-

da ADVB SP - com a sua credibilidade construída ao

sas que adotam práticas ambientais corretas, que não

longo de 51 anos - a essas práticas são, para as empre-

comprometem no presente recursos naturais que serão

sas premiadas, um atestado de boa conduta ambiental,

essenciais no futuro. E fazem isso sem abrir mão de

que reduz a sua vulnerabilidade jurídica. Além disso, da

vendas crescentes e de lucros apropriados para os seus

premiação e da ampla divulgação dos seus cases, as pre-

acionistas.

miadas têm benefícios diretos, como aumento de vendas

Os cases premiados nessa edição do Top Ambiental ADVB SP, que nasceu em 1993, são um exemplo claro

e acesso facilitado a créditos (Princípios do Equador).  

do que pode fazer a união de postura ambiental correta, marketing e vendas. Nossas empresas já descobriram que não pode haver sustentabilidade ambiental sem sustentabilidade econômico-financeira. E vice-versa.

* Paulo Bastos é diretor da ADVB SP – Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil e diretor de Meio Ambiente da Fiesp – Federação das Indústrias do Estado de São Paulo e presidente da UCEBEU – União Cultural Brasil Estados Unidos, www.uniao.com.br

11


A

r

t

i

g

o

Potencial do Brasil atrai investimentos estrangeiros Romeu Chap Chap *

Nos últimos meses, rara é a semana em que não recebo representantes de grupos estrangeiros interessados em investir no mercado imobiliário brasileiro. Naturalmente, eles não vêm até mim pelos meus belos olhos, mas sim em busca de elementos complementares às informações que já possuem sobre o potencial do setor e suas oportunidades. Nesse vai-e-vem desfilam diferentes bandeiras: Espanha, Portugal, Estados Unidos, França, Itália, Jamaica, África do Sul, Irlanda e assim por diante. Países que desejam dar um destino produtivo e lucrativo ao capital que hoje sobra no mundo e nos quais pouco existe a se fazer em termos de novos empreendimentos, quer pela indisponibilidade de áreas, quer por questões demográficas, entre outras. Saliente-se que, atualmente, o investimento estrangeiro no mercado de imóveis nacional conta com segurança jurídica muito mais consistente. O novo arcabouço institucional, resultante de marco regulatório mais adequado às operações de crédito, e a competência de nossas empresas incorporadoras e construtoras se constituem em convite irresistível a esses capitais. Num primeiro momento, as consultas que recebo estão mais concentradas no segmento de hotelaria e também nas áreas de shopping centers e edifícios comerciais – caso de Samuel Zell, maior investidor imobiliário dos EUA e o 112º homem mais rico do mundo, que já criou uma empresa no Brasil (a Bracor) e afirmou que o Pais é sua grande aposta depois do México, onde entrou em 2002 ao comprar uma participação da Homex. 12

Espanha e Portugal, por sua vez, estão investindo massiçamente em complexos hoteleiros, principalmente na região Nordeste. Segundo dados divulgados pelo Ministério do Turismo, oito grupos portugueses e sete espanhóis lideram, com R$ 1,5 bilhão, os investimentos de R$ 3,6 bilhões em 140 novos meios de hospedagem no Brasil, com previsão para início de operação até 2009. A Espanha é um caso particularmente interessante. Em abril deste ano, tive a oportunidade de participar de seminários em Madri, dentre eles, um workshop integralmente dedicado ao Brasil. A ‘armada espanhola’ está desembarcando fortemente no País. E isto está ocorrendo não apenas no segmento turístico-hoteleiro nacional, mas nos setores financeiro e de infra-estrutura. E o apetite dos grupos espanhóis só está crescendo, haja vista o grande potencial para investimentos que oferecemos. O mais importante nesse processo é que estamos recebendo divisas. No caso do turismo, esse investimento vai além da instalação do hotel em si. Muitos desses empreendimentos atrelam operação hoteleira e área de segunda residência (casa de praia), e potencializam o desenvolvimento imobiliário, social e ambiental. Estamos num momento particularmente especial. O Brasil é a bola da vez e já há indícios de que teremos muito capital externo também no segmento residencial, onde a esses grupos tendem a atuar em parceria com incorporadoras e construtoras nacionais, uma vez que, nesse campo, o domínio de aspectos culturais e legais é imperioso. Abre-se, pois, mais uma porta para se construir num país que ainda está por construir, dadas suas dimensões continentais e diferentes necessidades. Que não se perca essa oportunidade e que se ofereça a esse capital produtivo a segurança indispensável para que ele venha e permaneça. * Romeu Chap Chap é presidente do Conselho Consultivo Secovi-SP, o Sindicato da Habitação, da Romeu Chap Chap Desenvolvimento e Consultoria Imobiliária S/C Ltda. e Fundador e Coordenador do NAT – Núcleo de Altos Temas.


A

r

t

i

FENADVB em ação

g

o

Sustentabilidade. Bom negócio ou prejuízo para as empresas?

Hiran Castello Branco Diretor ADVB SP Conselheiro ESPM Sáocio-diretor da Giacometti

Sustentabilidade tornou-se a palavra da moda no universo empresarial. Esse termo – que ensaiou seus primeiros passos nos anos 1990, sendo consagrado na Rio 92, mas na prática ignorado pela maioria das empresas e mesmo pela maioria dos países – passou agora a dominar a comunicação de grandes empresas, indústrias e do setor de serviços, em especial os grandes bancos. Todos tornaram-se o banco da sustentabilidade. Mas, afinal, o que é sustentabilidade? Muitos entendem que sustentabilidade é atuar tendo sempre em conta que é necessário manter o equilíbrio do sistema, não se retirando do meio ambiente mais do que ele é capaz de repor. Mas, em sentido mais amplo, aceita-se a idéia do assim denominado “triple botton line”. Esse conceito implica em considerar a sustentabilidade no plano social, econômico e ambiental. As organizações, empresas e países que adotam essa filosofia em suas ações cotidianas orientam-se pela chamada Agenda 21, da ONU, que estabeleceu as metas do milênio em vários setores. Uma organização legitimamente pioneira na adoção dessa filosofia foi sem dúvida o Banco Real ABN/Amro, que chegou a colocar um quadro com as metas do milênio na entrada de seu edifício-sede na avenida Paulista. A postura da organização, inspirada em seu líder e presidente Fabio Barbosa, permeou para a matriz e o Brasil tornouse referência. A estratégia de comunicação do banco passou a refletir essa comunicação tanto para o público interno como para o público externo e foi diferenciadora, até todos “tornaremse” bancos da sustentabilidade, posto que sustentabilidade dei-

xou de ser diferenciação para se tornar obrigação. Hoje, os meios massivos, a internet e os telefones celulares atingem a população com ondas ininterruptas de informação. O público não é mais só um receptor, mas também um difusor de informações. Muitos consumidores-cidadãos vão além e tornaramse produtores de conteúdo que distribuem nos seus blogs, no “You Tube”, nos “e-mails” que enviam às centenas para todas as partes do planeta e sobre todos os temas. Da política à religião, dos costumes à prática de consumo, envolvendo produtos, marcas e empresas. Falam de sua experiência na interface cotidiana com marcas e produtos. Constroem e destroem reputações. Os sociólogos, antropólogos e estudiosos da comunicação no mundo de hoje, como Michel Maffesoli, afirmam que a característica da comunicação na pós-modernidade é o caos. As informações vêm de todos os lados e vão em todas as direções. Repletas de conteúdos contraditórios que não podem ser controlados. É nesse contexto que a comunicação de interesse público passa a ter como emissor não só o Estado, mas também ONGs e empresas. A transparência se torna fundamental à segurança e à sustentabilidade da empresa. Comunicação de interesse público são ações de comunicação que oferecem ao cidadão maneiras participativas de melhorar a sua qualidade de vida e a da comunidade na qual se insere. A comunicação de interesse público pode ser um instrumento valioso para as empresas se aproximarem do cidadão-consumidor. Não se trata de mostrar as “boas ações” da empresa, como se faz em um balanço social (ótica do emissor). Trata-se de oferecer conteúdos de comunicação ao público, que contenham benefícios ao cidadão-consumidor (ótica do receptor participativo). A comunicação de interesse público passa a ser estratégica para o desenvolvimento sustentável dos negócios na sociedade pós-moderna. E pode ser exercida com legitimidade por empresas do setor de saúde e alimentação que desejam promover estilos de vida saudável, por instituições financeiras que não queiram ver seus clientes endividados e até por empresas de bebidas que, com sinceridade, desejam que seus produtos sejam consumidos com moderação e que seus consumidores não exponham a riscos ao consumi-los. Hiran Castello Branco, Presidente do Conselho Nacional de Propaganda (CNP). Conselheiro da Associação Comercial de São Paulo, da ADVB SP, da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) e do CENP (Conselho Executivo das Normas-Padrão). Ex-presidente da APP e do Sindicato das Agências de Propaganda do Estado de São Paulo. 13


A

r

t

i

g

o Em 1876, Nikolas August Otto, alemão de nascimento, conseguiu fazer funcionar e demonstrar pela primeira vez a idéia de usar ciclos de combustão interna para a produção de energia. Usando uma mistura bem dosada de combustível e ar, produzindo explosões em câmaras fechadas, conseguiu provocar deslocamentos que, acoplados a um eixo-manivela, produziu potência. Estava inventado um dispositivo que revolucionou a propulsão mecânica em praticamente todos os veículos de hoje, o motor a explosão. No final dos anos 90, Alberto Santos Dumont, um genial brasileiro, viu um exemplar desse motor numa exposição em Paris e imaginou que aquela pequena máquina, relativamente leve, poderia ser instalada em balões. Projetou uma hélice que, instalada no eixo, permitiu propelir no ar uma máquina aérea. A partir dessa criativa idéia, em 19 de outubro de 1901 e pela primeira vez no mundo, Santos Dumont ganhou o Prêmio Deutsch, decolando com seu Dirigível VI, de Saint Cloud - Paris, circulando a Torre Eiffel e retornando ao ponto de partida num tempo inferior a 30 minutos. Estava inventada a dirigibilidade aérea. Albert Sabin, russo de nascimento e vivendo nos Estados Unidos, em 1955 e trabalhando com Jonas Salk, descobriu que usando vírus inativados ou mortos poderia produzir uma vacina capaz de prevenir ou amenizar a poliomielite, que ameaçava se transformar numa peste mundial. Cinco anos mais de trabalho, Sabin criou sua vacina, usando vírus vivos atenuados, praticamente eliminando a ameaça da doença. No final dos anos 1930, os ingleses tinham descoberto a utilidade do radar. Usaram o princípio físico do eco que, extrapolado do som, pôde encontrar uso no reflexo das ondas magnéticas emi-

Educação, ge Ozires Silva Presidente do Fórum de Líderes Empresariais Conselheiro da ADVB - SP e da FENADVB

14


FENADVB em ação tidas no espaço. Todavia, para fazer o magnetron, a alma

de trabalho permitiram a identificação do princípio ativo,

do equipamento, atingindo razoável escala industrial,

extraído do látex, responsável por essa ação fisiológica.

tiveram ajuda de Percy Lebaron Spencer, americano e

Os estudos e pesquisas ainda prosseguem, contudo os

projetista de válvulas de rádio, da Raytheon dos Estados

horizontes criados por essa descoberta mostram um fu-

Unidos. Terminada a Segunda Guerra Mundial, Spencer

turo realmente impressionante para a melhoria da saúde

observou acidentalmente que uma barra de chocolate

humana.

submetida aos raios eletro-magnéticos derretia rapida-

Valem perguntas! O que move estes homens, mulhe-

mente. Movido por um impulso, pensou que algo estaria

res – simples pessoas, pesquisadores e inventores - que,

gerando calor. Logo em seguida descobriu que a freqü-

estimulados pela busca do desconhecido, tornam-se ca-

ência de emissão do magnetron entrava em ressonân-

pazes de criar, produzir novos conhecimentos e chegar a

cia com a molécula da água. Mais ou menos como uma

descobertas que mudam nossas vidas?

criança num balanço, cuja amplitude do deslocamento

Estamos em pleno Século do Conhecimento. Novi-

pode ser aumentada a cada empurrão. Estava sendo in-

dades e inovações alternativas “aparecem” a todo mo-

ventado o forno de micro-ondas, hoje uma utilidade que

mento. Elas são criadas por pessoas inquietas, capazes e

se encontra em todas as cozinhas do mundo.

observadoras, gerando resultados imensos e capazes de

Em meados dos anos 1960, no Brasil, um grupo

influenciar toda uma região, país ou mesmo o mundo.

de engenheiros do ITA - Instituto Tecnológico, no Brasil,

O importante é que essas pessoas precisam existir e

imaginou que aviões menores e mais robustos poderiam

ter sucesso nos seus trabalhos. Para que elas existam e

ocupar o espaço deixado para trás pelas novas aeronaves,

se projetem parece que, pelo menos, dois requisitos bá-

cada vez maiores. Criaram um avião, o BANDEIRANTE,

sicos sejam necessários: uma sólida e competente base

que se tornou uma prova do conceito para a aviação de

educacional e ambientes econômicos favoráveis, porém,

transporte regional do mundo. Hoje, a indústria aeronáu-

constituídos de centros de pesquisas e de conhecimento,

tica brasileira, com base de concepção e tecnologias lo-

desenvolvidos e equipados, de maneira a criar possibili-

cais, exporta para todo o mundo, tornando o Brasil um

dades para que os produtos de laboratório possam che-

dos importantes países que fabricam aviões comerciais.

gar ao consumo da população mundial.

No começo dos anos 1990, Joaquim Coutinho Neto

Hoje, quando se identifica os surtos de desenvolvi-

e Fátima Mrue, brasileiros de São Paulo e de Goiás, bus-

mento de regiões e de países, vemos que o denomina-

cavam selecionar um tipo de matéria-prima para fazer

dor é sempre o mesmo. Sociedades abertas, livres para

próteses artificiais que pudessem substituir esôfagos hu-

pensar e para construir, apoiadas por mecanismos que

manos naturais, removendo ameaças e doenças do apa-

possam gerar recursos financeiros e capitais de risco,

relho digestivo. Tentaram o látex, seiva das seringueiras

buscando perscrutar o futuro. E que têm como base de

produtoras de borracha quando, por acidente, descobri-

sustentação, conhecimentos crescentes para abrir pers-

ram que era possível intensificar a vascularização san-

pectivas para a melhoria da vida de imensos contingen-

guínea nas áreas aonde o produto era aplicado, abrindo

tes humanos, infelizmente ainda em grande quantidade,

espaço para regenerações celulares ou teciduais. Anos

vivendo abaixo da linha de pobreza.

enialidade e inovação 15


A

r

t

i

g

o

Safra inédita de 130 milhões de toneladas de grãos, produção de 9,2 milhões de toneladas de carne bovina, bons preços internos, estimulados pela demanda interna, além de preços internacionais favoráveis, elevaram as expectativas de crescimento da agropecuária brasileira. Tudo indica que os preços internacionais para o próximo ano continuarão firmes. O mercado comprador se manterá impulsionado pelas importações de soja em grão, do complexo carnes (bovina, frango e suína) e de algodão pela China, cuja economia deve permanecer crescendo próximo a 10% ao ano. Outro fator importante é a redução da oferta de soja e algodão por parte dos Estados Unidos, em função da ampliação das áreas de milho para atender à nova demanda por etanol. Essa mudança na matriz energética norte-americana, somada aos preços internos favoráveis e ao aumento das vendas de veículos bicombustíveis, gera projeções de crescimento de 8% a 10% da demanda brasileira por etanol. A sustentabilidade da economia brasileira se baseia na geração de empregos e novas atividades econômicas, no fortalecimento das técnicas no setor produtivo rural e na abertura constante do mercado externo. Além da expectativa favorável para as commodities tradicionais, quanto mais rápido o mercado de biocombustíveis se consolidar, melhor será para o Brasil. Somos líderes em

Fábio de Salles Meirelles Presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA)

Brasil vive momento de exp crescimento para o termos de competitividade e custo na produção de etanol e também estaremos no topo da produção de biodiesel. Portanto, teremos condições de ter uma participação considerável no mercado de biocombustíveis. O Brasil tem vocação para isso e está muito avançado em termos tecnológicos. A iniciativa de se buscar, juntamente com os Estados Unidos, a organização do mercado de etanol é, sem dúvida, importante e estratégica para o futuro de nossas exportações. Mas precisamos buscar a abertura de novos mercados, maiores investimentos em P&D (Pesquisa e Desenvolvimento) e infra-estrutura logística, além de uma taxa de câmbio mais realista, que preserve a rentabilidade das exportações do setor. Durante sua visita ao Brasil, conversei sobre o comércio de etanol com a Comissária Européia para Agricultura e

16


FENADVB em ação

Desenvolvimento Rural, Marianne Fischer Boël. Ela afirmou que é adepta da extinção da tarifa de importação imposta ao etanol brasileiro. Na realidade, a isenção deverá ocorrer em função da pressão interna do mercado europeu, que necessita de uma oferta de etanol superior ao volume produzido pelos países da região. Apesar de não ter confirmado uma data para iniciar a isenção, a Comissária revelou que a movimentação se deve ao aumento da demanda por etanol que a União Européia terá até 2020, quando os países da União Européia serão obrigados a adicionar percentual de etanol à gasolina, como já acontece no Brasil. Nossas estimativas são de que as exportações do agronegócio cresçam 13,4% em 2007, totalizando US$ 56 bilhões, frente aos US$ 49,4 bilhões de 2006. O conjunto das carnes e o complexo soja foram os principais responsáveis pelo saldo recorde da balança comercial do agronegócio, registrando US$ 36,64 bilhões até setembro deste ano. O milho também passou a ser um item representativo da pauta exportadora agrícola brasileira. O produto registrou aumento de 252,3% das exportações, nos nove primeiros meses do ano, alcançando o inédito resultado de US$ 1,14 bilhão no período. Na realidade, o aumento do consumo interno de milho nos Estados Unidos para a produção de etanol e a conseqüente redução das suas exportações abriram espaço para o milho

pectativa de agronegócio

brasileiro no mercado internacional. A aceleração da abertura de novos mercados para a exportação brasileira depende, no entanto, de uma conclusão favorável das atuais negociações da Rodada Doha, da Organização Mundial do Comércio (OMC). Nossas expectativas são de que contemple uma redução de tarifas por parte do nosso principal mercado consumidor, a União Européia, e os subsídios domésticos distorcidos do maior concorrente do Brasil, os Estados Unidos. Além disso, o setor apóia as ações de defesa comercial conduzidas pelo Governo brasileiro junto ao órgão de Soluções de Controvérsias, da OMC, contra os países que estão desrespeitando o limite de gastos acordado na última rodada de negociações da OMC, a Rodada Uruguai.

Fábio de Salles Meirelles, Presidente do Sistema FAESP-SENAR e Presidente do SEBRAE-SP

17


A

r

t

i

g

o

Sustentabilidade do do mercado de capitais O I Fórum de Mercado de capitais, realizado em setembro último por iniciativa do Instituto Brasileiro do Mercado de Capitais (IBMEC), teve por objetivo avaliar o desempenho do mercado de capitais brasileiro, em especial quanto ao seu crescimento, funcionalidade e sustentabilidade, levando em conta, inclusive, a recente turbulência internacional. Participaram do fórum alguns dos melhores especialistas e profissionais brasileiros, além de economistas seniores do Banco Mundial. Os trabalhos apresentados levam à conclusão de que o forte crescimento do mercado de capitais brasileiro nos últimos anos não se limita a uma dinamização do mercado secundário de ações, mas tem cumprido sua missão de financiar a economia real. Essa funcionalidade se manifesta por um aumento significativo de sua participação na mobilização de recursos de poupança e seu direcionamento para o financiamento da economia brasileira, este por meio de emissões primárias de ações, de títulos de dívida e de quotas de fundos de investimento. O volume de recursos mobilizados pelos veículos do mercado de capitais, tais como fundos de Carlos Antonio Rocca, professor doutor da fea-usp; consultor técnico do ibmec; sócio-diretor da Consultoria Risk Office

investimento, fundos de pensão, planos de previdência aberta e companhias de seguros, e aqueles captados diretamente por instrumentos de mercado (ações, debêntures etc.) representam atualmente mais de 80%

dos saldos de poupança financeira, cabendo aos depósitos bancários o saldo remanescente. Do outro lado, estima-se que 30% do total dos recursos de dívida que financiam as empresas brasileiras vêm do mercado de capitais, enquanto os outros 70% se originam de recursos livres do sistema bancário, do BNDES, crédito rural e do exterior. A sustentabilidade do crescimento recente tem por base o grande avanço no ambiente institucional do mercado de capitais, seja pela dinamização da atividade dos órgãos reguladores e iniciativas de auto-regulação de entidades privadas, seja no salto de quantidade observado no posicionamento na atuação das companhias de capital aberto, dos agentes e demais participantes do mercado. Dentre as muitas inovações implementadas por iniciativas de autoregulação no período, destacam-se a criação do Novo Mercado da Bovespa, do Bovespa FIX, os novos sistemas da Cetip, e dos códigos de emissões primárias da Anbid. No campo da regulação, destacam-se a criação dos Fundos de investimento em Direitos, Creditórios (FIDCs), a regulamentação dos Fundos de Investimentos em Participações (ven-

18


FENADVB em ação

crescimento ture capital private equiy), a centralização na CVM da regulação de todos os fundos de investimento, além da adoção de medidas voltadas à preservação da solvência e aperfeiçoamento da gestão de riscos de Fundos de Pensão e Planos de Previdência Aberta, adotadas pelo CMN, Secretaria de Previdência Complementar e Susep. O avanço da securitização de recebíveis originados de crédito ao consumidor bem como de financiamento habitacional (CRIs) representa a inovação de maior impacto nesse segmento, introduzindo, inclusive, maior competição nesse mercado. Ao mesmo tempo, foram reduzidos consideravelmente os obstáculos de natureza tributária ao desenvolvimento, destacando-se com a eliminação da incidência da CPMF nas transações da Bolsa, a criação das contas de investimento e os ajustes na tributação dos impostos de renda nas operações dos fundos de pensão e no favorecimento de operações de prazo mais longo, além da moderação do “come quotas”. Deve-se registrar que esse avanço institucional tem sido acompanhado por mudanças qualitativas de grande importância nas práticas do mercado. Por exemplo, a grande maioria das dezenas de empresas que abriram seu capital (IPO) optou por se ajustar no nível mais elevado de governança corporativa do Novo Mercado. Dentre outras razões, esse movimento tem uma razão econômica que garante também sua permanência, na medida em que o mercado valoriza mais as empresas com padrões mais elevados de governança, como, aliás, demonstram vários estudos acadêmicos realizados recentemente. É evidente que o cenário macroeconômico contribuiu de modo significativo para o crescimento do mercado, seja pelo controle da inflação, a queda das taxas de juros ou a aceleração do crescimento, observados nos últimos anos na economia brasileira, beneficiada também pela conjuntura externa de crescimento acelerado, alta liquidez e baixos índices de inflação. Entretanto, desde que seja mantido pelo menos um quadro macroeconômico de estabilização e taxas de juros “civilizadas”, os principais fatores que podem assegurar a sustentabilidade do crescimento do mercado de capitais e sua funcionalidade estão ligados ao quadro institucional: transparência,

respeito a contratos e baixos custos de transação. Desse modo, pode-se concluir que se avançou nos últimos anos exatamente na criação dessas condições. O Plano Diretor do Mercado de Capitais, que está completando agora cinco anos (é de 2002), tinha cerca de 50 ações recomendadas e cerca de três quartos delas já foram executadas, com elevado nível de cooperação entre o setor público e o setor privado, que foi, inclusive, elogiado por Patrick Conroy, diretor e assessor sênior do Banco Mundial presente ao fórum. A recente turbulência que atingiu o mercado financeiro internacional encontrou a economia brasileira em condições muito melhores do que em outras crises anteriores, especialmente pela solidez das contas externas, e não representa ameaça ao crescimento de médio e longo prazo do mercado. A sustentação do crescimento do mercado de capitais brasileiro está condicionada, na verdade, à manutenção dos esforços, visando ao aperfeiçoamento do quadro institucional, com adequada proteção aos investidores, tarefa que será perseguida, inclusive, com a continuidade de atualização e implementação do Plano Diretor do Mercado de Capitais, ao lado da criação de condições para a manutenção da estabilidade e do crescimento sustentado da economia brasileira. Dentre essas, é indispensável promover as reformas que assegurem a elevação dos investimentos públicos e privados, o que requer o ajuste fiscal de longo prazo, com a reversão, em caráter definitivo, do crescimento das despesas públicas decorrentes acima do próprio crescimento do PIB, além de se prover a segurança jurídica para os investimentos privados em infra-estrutura. Trata-se também da condição necessária para a progressiva redução da carga tributária, cuja exacerbação é o principal indutor da economia informal, que, por suas características, constitui uma das principais limitações ao crescimento do mercado de capitais brasileiro. Olhos internos Estima-se que 30% do total dos recursos de dívida que financia as empresas brasileiras vêm do mercado de capitais. A sustentação do crescimento do mercado de capitais está condicionada à manutenção dos esforços, visando ao aperfeiçoamento do quadro institucional, com adequada proteção aos investidores.

19


A

r

t

i

g

o

Sustentabilidade A sustentabillidade está deixando aos poucos de ser apenas uma palavra da moda para se incorporar ao conjunto dos valores universais da humanidade, tal como a liberdade, a democracia e a paz. A responsabilidade pelo desenvolvimento sustentável não reside apenas nos ombros do governo: ela envolve igualmente empresas, entidades em geral e cidadãos interessados na construção de um país melhor. Desenvolvimento é muito diferente de crescimento. Ao simplesmente crescer, uma nação não assume um compromisso permanente com a qualidade de vida sustentável de sua gente, que pode ser medida pelos indicadores sociais, ambientais e econômicos, o consagrado Tripple Botton Line. O crescimento apenas eleva as estatísticas econômicas. O desenvolvimento é algo mais consistente. Pode ser descrito como um xadrez que mescla peças políticas, econômicas, sociais, culturais e físicas, de forma que o movimento sustentável de cada uma seja feito em harmonia com as demais, assegurando a sustentabilidade do todo. Os negócios têm uma importância fundamental nesse jogo simbólico, na medida em que geram condições para o zigue-zague das peças no tabuleiro. De nada adianta, contudo, que os negócios apenas funcionem, eles têm que funcionar bem. É aí que o quesito da competitividade torna-se um componente estratégico para a sustentabilidade dos negócios das empresas de todos os segmentos. Sem excelência de gestão não se chega à competitividade. Na Serasa, os aspectos sociais e ambienElcio Anibal de Lucca Vice-presidente Experian Latin America, Presidente de Assuntos Corporativos para América Latina EXPERIAN e Vice-presidente do Conselho de Administração da SERASA

20

tais são tratados da mesma forma estratégica que o econômico, com indicadores, metas, estratégias, pro-


FENADVB em ação

e competitividade cessos etc.. Em poucas palavras, a gestão circunscreve e

Em termos de gastos governamentais ineficientes, es-

dá consistência aos componentes do Triplle Botton Line.

tamos na 127a posição. Quanto à burocracia, nossa posi-

Em um mundo globalizado e veloz, impulsionado

ção é a 128a. Nas medições do Relatório, a qualidade da

pelas novas tecnologias, mas em degradação ambiental

saúde e da educação básica do Brasil está em 84º lugar.

assustadora, como anda o Brasil em competitividade?

São alertas claros de que temos muito a fazer em termos

O “Relatório Global de Competividade 2007-2008” do

de gestão das políticas públicas, o que certamente con-

Fórum Econômico Mundial, recém divulgado, coloca o

tribui para o indicador que nos coloca entre os seis países

país no 72º lugar entre os 131 listados.

com menor índice de confiança em seus políticos.

O ranking é feito com base em dados de domínio

No cômputo geral, na América Latina estamos atrás

público e na percepção dos principais tomadores de de-

do Chile, do México, de Porto Rico, do Panamá, da Costa

cisão mundiais. Segundo o documento, o Brasil tem a

Rica e da Colômbia. Mais: perdemos de todos os demais

mais elevada carga tributária dentre todos os 131 países

países que formam conosco o chamado BRIC: Brasil,

avaliados. O spread das taxas de juros só perde para o

Rússia, Índia e China.

Zimbábue. Mesmo a economia, apesar da estabilidade

Nem tudo é negativo. Estamos na 44ª posição em

atual, tem sua eficácia questionada por causa de itens

inovação, na 55ª na velocidade para aumentar a produ-

como a alta dívida pública.

tividade e, no campo da sofisticação dos negócios, ficamos em 39º lugar. São itens que revelam a qualidade da gestão e das estratégias empresariais em um cenário de tantos desconfortos. O empresariado também tem colaborado em geral com meritórias iniciativas da sociedade que visam abrandar alguns de nossos gargalos. O expressivo trabalho da ADVB e da FENADVB no fomento das atividades de venda e marketing no Brasil conferem a essas entidades uma liderança incontestável no setor. Formadoras e incentivadoras de profissionais competitivos, elas são um importante canal apartidário de diálogo do empresariado com outras entidades, sindicatos, lideranças, formadores de opinião e governantes. ADVB e FENADVB, estou certo, saberão propagar pelo Brasil os valores da sustentabilidade dos negócios, a partir da excelência da gestão, colaborando para garantir um horizonte melhor para o país. Elcio Anibal de Lucca

21


Almoçoxdexidéias A literatura sobre a liderança é extensa. Não vem ao caso resumi-la. Apenas, como ponto de partida e referindo-me a um clássico na sociologia, apontarei a contribuição de Max Weber. São mais do que conhecidas as análises de Weber. Nele é difícil distinguir as formas de liderança das formas de dominação. Esta quase justaposição aparece mais nitidamente na qualificação de uma das três formas básicas de dominação, a chamada carismática. Weber mostra como, em certas circunstâncias, uma ordem muito tradicional pode ser rompida pela ação transformadora de algum líder (religioso, político etc.) que por suas qualidades pessoais tiver o dom (o carisma) de, empolgando seus seguidores, renovar uma organização (e até mesmo uma sociedade).

Liderança hoje A relação de dominação que a partir daí se estabelece é pessoal. O líder no caso possui qualidades intrínse-

Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente da República por dois mandatos consecutivos (de 01/01/1995 a 01/01/2003), vencendo os respectivos pleitos por maioria absoluta de votos

cas a ele, que o tornam um condutor, por exemplo, pela fé, pela visão, e assim por diante. Mas todo este carisma pode rotinizar-se e confundir-se com outra forma de dominação, a tradicional. Nesta última forma, as pessoas aceitam o comando,

Neste sentido, a liderança se exerce sempre em um contexto relacional. E este é tanto mais variável quanto mais dinâmica é a organização ou a própria sociedade global.

obedecem, pela “santidade da tradição”, ou seja, porque

Sendo assim, a liderança requer flexibilidade, capa-

sempre foi assim. O líder (às vezes o mais velho, o chefe

cidade de ouvir o outro (pelo caráter relacional e demo-

da família, o rei etc.) legitima-se por estes critérios roti-

crático do mundo atual) e, ao mesmo tempo, uma visão

neiros de “respeito à ordem estabelecida”.

a ser proposta, embasada em valores que cimentem a

No mundo contemporâneo (a Weber) surgirá já outra forma de dominação, que ele chamou de “racional-legal”. O

22

cação, do convencimento, em uma relação social.

relação entre líderes e liderados, e a determinação de perseguir objetivos.

mando (às vezes o comando, a liderança) pode ser exercido

Não se trata tanto do carisma, como da capacitação,

por uma pessoa ou por uma burocracia, por representantes

da competência para, em sociedades complexas, apon-

eleitos ou por delegados de corporações. Em qualquer caso

tar rumos, motivar, aceitar a divergência e convencer.

há regras (“racionais”) legais que delimitam o poder e que

Etimológicamente convencer quer dizer “vencer juntos”.

obrigam o líder (que seja o presidente da República, eleito)

O líder, portanto, tem que se fazer sentir, até certo

a justificar-se: de acordo com a lei tal, ou com o ordena-

ponto, como um companheiro (etimológicamente, “que

mento Constitucional x ou y, decido tal coisa.

reparte o pão” ou “come o mesmo pão”). Digo até certo

Ora, todas estas distinções podem inspirar a com-

ponto porque, ao mesmo tempo, precisa diferenciar-se por

preensão do exercício da liderança. No mundo de hoje,

ter maior percepção, maior preparo, melhor “visão”, para

porém, sem minimizar atributos pessoais do líder, a lide-

entusiasmar seus seguidores e conduzir os seus (pilotar,

rança é exercida fundamentalmente através da comuni-

melhor dizendo) na direção de seus valores e objetivos.


Personalidades ADVBs Acari Menestrina,

Personalidade de Vendas 2008 ADVB-SC

Roger Agnelli

Personalidade de Vendas 2008 ADVB-SP

Presidente da CEDRENSE

Presidente da VALE

Antônio Koerich,

Antônio Carlos Romanoski

Personalidade de Vendas 2007 ADVB-SC

O empresário Antônio Koerich, da Eugênio Raulino Koerich S/A

Edson de Godoy Bueno

Personalidade de Vendas 2005 ADVB-SP

Presidente da AMIL

Personalidade de Vendas 2006 ADVB-SP

Ex-presidente da SUNDOWN MOTOS

Heloísa Assis - Zica Personalidade Empreendedora Empresarial

Presidente da BELEZA NATURAL

Paulo Haddad

Orlando Diniz

Presidente do ESTALEIRO ATLÂNTICO SUL

Presidente da FECOMERCIO

Personalidade Empresarial da Indústria Naval ADVB-RJ

FENADVB em ação

Personalidade Liderança Empresarial ADVB-RJ

23


FENADVB

O espelho de um projeto sustent谩vel para o Brasil Com s贸lidas bases regionais,sistema ADVB entra nos 40 anos com musculatura internacional e proposta real de desenvolvimento 24


FENADVB em ação

Vice-presidentes e Diretores ADVBs ADVP – Vice-Presidentes: João Torres Pereira, Peter Higgs, Jorge Fonseca, Paulo Nuguês, Fernando Santos, Alvaro Dias, Paulo Costa, Julio Lucca (Diretor-geral) ADVB PB – Vice-presidentes: Fábio Rodrigo Carneiro dos Santos (Administrativo e Financeiro) Josicleide Campos Barbosa (Marketing e Comunicação) Márcia Maria Leite Barreiros Visani (Projetos) ADVB AM – Vice-presidentes: Lucio Flávio Moraes de Oliveira (Administrativo e Financeiro) Roberto Garcia (Planejamento),Valmir Franco (Relações Internacionais), Renato de Souza (Relações com o Mercado) Rodrigo Cunha (Relações Internacionais), Tadeu Ferraz (Projetos). Diretoria de Negócios: Paulo Radtke. ADVB PR – Vice-presidentes : Julio Sampaio (Executivo), Caio Barsoti Comunicação e Expansão) Aldo Malucelli (Planejamento e Eventos) César Aymoré ( Institucional e de Desenvolvimento) e Adriano Lunardon (Administrativo e Financeiro) ADVB DF – Vice-presidentes: Cecili Padovan Bontempo, Vicente Estevanato, José Humberto Pires, Moisés do Espírito Santo Jr. Diretores: Antonio Augusto Moraes, Cristiane Mardine, Edgar Eichler, Gabriel Aquino, Gisele Oliveira, Jaime Araújo, Joel Jorge Filho, Luiz Lacombe, Marco Antônio Demartini, Pedro Abelha e Rogério Avelar. ADVB BA – Vice-presidentes: Agostinho Turbian, Altamiro Castilho de Almeida Filho, Ana Helena Lima Santana, Ana Marta Carvalho Garcia, André Passos, Carolina Caldas Manciola, Cláudio Santos Silva, Cristina Maslowsky, Fernando Passos, Gabriel Brandão Correia, Guilherme Marback, Guy Ferreira, Helaine Schindler, Helide Borges, Ivana Fadul, João Gomes, José Ailton de Lira, José Renato Mendonça Barreto, Luis Henrique Mendonça Barreto, Maria de Fátima A. Frazão, Maria Inês Carvalho, Roberto Marin, Silvia Russo, Virna Miranda. ADVB PA – Vice-presidentes: Roberto Russel da Cunha (Administrativo), Maria Oslecy Rocha Garcia (Desenvolvimento) ADVB SP – Vice-presidentes: Eduardo Carlos Pereira Magalhães, Gilmar Pinto Caldeira, Latif Abrão Júnior, Luiz Fernando Furquim de Campos, Oscar Mattos. Vice-presidentes nomeados: Amaury Jr, Livio Antonio Giosa, Luiz de Alencar Lara, Milton Longobardi, Paulo Roberto de Campos Castro, Sebastião Bonfá, Sebastião Misiara, Sérgio B. Chaia, Valentim Germano Bruno Sola. Diretores: André Magalhães Pinto, Farid Murad, Faustino Albano Pereira Jr., Gilberto Kfouri, Giovanni Santinni, Guilherme Sztutman, José Carlos Pedreira de Freitas, José Luiz Seraphico de Assis Carvalho, Luiz Eduardo Reis de Magalhães, Silvério José Avóglio Dias e Tallulah Kobayashi de Andrade Carvalho. ADVB MS – Vice-presidentes: Edna Abss Duarte e José Chadid. Manoel Soares Dias (Administrativo); João Rees Dias (Planejamento) Jorge Elias Salomão (Promoções) Fábio Vinhas (Comunicação) Adhemar Manchester (Desenvolvimento Profissional), Álvaro Miranda (Expansão Social) Manoel Rodrigues de Lima Jr. (Franchising), Alexandre Calarge (Agronegócios) ADVB RS – Vice-presdientes: Arthur Bender (Planejamento), Gabriel Casara (Marketing e Vendas) Guilherme Bastos Heitmann (Jurídico) Sergio Fioravante (Administrativo e Financeiro) Silvana Goulart (Capacitação e Desenvolvimento) ADVB USA – Vice-presidentes: Agostinho Turbian, Jairo Flor, Julio Mendoza, Ricardo Bellino, Marta Ware, Mauro Santos, Rosana Bowman, Silvia Miranda. ADVB SC – Vice-presidentes: Augusto Dalçoquio, Guiliano Donini, Nelson Füchter Filho, Carlos Roberto Girolla (Blumenau), Auro Antônio Pinto (Chapecó), Renato Pieri (Criciúma) Glauco José Corte Filho (Grande Florianópolis), Raulino Kreis Jr. (Jaraguá do Sul),Stefan Bogo (Joinville), Maria Elizabeth Medeiros Neves (Lages) e Glauco Caporal Fernandes (Tubarão) ADBV ES – Vice-presidentes: Mauricio Costa Medeiros (Executivo), Ada Alcinéia B. Mota (Institucional e Desenvolvimento), Eurípides dos Santos Pedrinha Filho (Vice-presidente de Planejamento e Eventos), Maria da Graça de Souza Lima Pinheiro (Administrativo e Financeiro) Flávia C. Rodrigues (Comunicação e Expansão) ADBV RJ – 26 entre diretoria e Vice-presidência ADBV PE – Vice-presidente executivo: José Jayme de Miranda Vita ADBV GO – Vice-Presidente: Laerte Campos, Presidente do Conselho: Heno Jacomo Perillo, Diretoria Executiva: Cláudia Maria Campos Macedo de Queiróz Eva Maria Perillo Cardoso, Wellington Teixeira Soares

ADBV Japan – Vice-presidente: Agostinho Turbian ADBV MG – Diretoria sendo formada 25


ADVB EVENTOS REALIZADOS E

v

e

n

t

o

s

1 2

3 4

5 6

1 – Claudio Gol-

Vila Nova de Gaia -

dzstein (Presidente

Porto – Portugal; 5 –

ADVB RS) - Embai-

Solenidade na ADVB

xador Geraldo Afonso

Japan; 6 – Agostinho

Muzzi, Consul Geral

Turbian e Claudio

do Brasil no Japão

Goldzstein - em visita

(Nagoya) – Agostinho

a Kioto; 7 – Depu-

Turbian- Presidente

tado Walter Yoshio

da FENADVB - Sergio

– Agostinho Turbian

Tinen presidente

- Antonio Carlos

ADVB Japão; 2 – Gi-

Franchini - Claudio

sele Lisboa (VP ADVB

Goldzstein -Diretor

Rio) – Agostinho

da NHK - Geraldo

Turbian - Miguel Igna-

Afonso Muzzi - Sergio

tios - Paulo Miranda

Tinen em visita a

(Presidente ADVB

NHK - Tokio – Japão;

USA) - Ricardo San-

8 – Agostinho Tur-

tos Neto (Presidente

bian - Sergio Tinen

do IMA) - Claudio

- Claudio Goldzstein

Goldzstein - Norman

- visita a Expo

Arruda de Paula

Business - Nagoya –

(ADVB PR) - Nata-

Japão; 9 – Antonio

nael Santos de Souza

Saraiva - Livio Giosa

(ADVB SC) Camacol

- Ministro Roberto

- Miami - FL - USA;

Rodrigues – Agosti-

3 – XV Congresso de

nho Turbian - Forum

Marketing e Ven-

de Debates - Cas-

das no Rio Grande

cais – Portugal; 10 –

do Sul; 4 – Vice

Comandante da Base

presidente de VIla

Aérea de Cumbica,

Nova de Gaia (Porto)

Brigadeiro Mendes,

Portugal - Antonio

Agostinho Turbian,

Saraiva - Marcelo Mi-

Brigadeiro Eduardo

randa (Governador do

Aprigio de Azevedo

Estado do Tocantins)

- Comandante do

Agostinho Turbian -

IV COMAR e João

Visita à Prefeitura de

Turbian.

7 8

26

9

10

Agradecimento especial ao empresário Ricardo Santos Neto, que além de apoiar a FENADVB desde a sua criação teve um papel fundamental na criação da ADVB-USA e especialmente nesta edição.


FENADVB em ação

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

1 – Agostinho Turbian - Francisco Soeltl (Mipropower) Miguel

sc; 6 – Palestra Fórum Permanente do Desenvolvimento no

Ignatios - Decio Manso (Maxpress) Norman Arruda de Paula

DF na ADVB DF com o Ex-Governador Germano Rigotto; 7 –

(ADVB PR/FGV) - Visita a sede da FGV em Curitiba/PR; 2 –

Presidentes de ADVBs visitam Governador do Estado de São

Victoriano Garrido (Presidente ADVB BA) - Sra. Imaculada de

Paulo Geraldo Alckmin; 8 – Presidente a Advb Rj Aleksander

Lucca e Sr. Elcio Aníbal de Lucca (Vice Presidente de Assun-

Santos e Presidente da Advb-Ba Victoriano Garrido (Costa

tos Institucionais para a América Latina da Expirian) e Vice

do Sauípe); 9 – Abidias José de Sousa Junior - Presidente

presidente do conselho da SERASA - Agostinho Turbian - Fo-

do Basa - Banco da Amazônia; 10 – Evento de 1 ano ADVB

rum de debates ADVB BA de sustentabilidade (Salvador BA);

DF,

3 – Natanel Santos de Souza (Presidente da FIRST) - Silvia

Vice-presidente e Newton Garcia, Presidente ADVB DF; 11

Miranda (VIce presidente ADVB USA) - Governador do Esta-

– Agostinho Turbian - Senador Alfredo Cotait (Secretário de

do de Santa Catarina Luis Henrique da Silveira - Agostinho

Assuntos Internacionais da Pref. Munic de SP, Miguel Igna-

Turbian; 4 – Agostinho Turbian - Presidente da Fenadvb e

tios - Newton Garcia (Presidente advb df); 12 – Ex-ministro

Chieko Aoki - Presidente - Blue Tree Hotels no Encontro Em-

Luiz Fernando Furlan, Roger Agnelli (VALE), Miguel Ignatios

presarial Brasil-Peru no Hotel Intercontental; 5 – Governador

(ADVB SP) e Antonio Carlos Romanoski - Personalidade de

Geraldo Alckmin durante palestra - Almoço de Ideias - advb

Vendas ADVB SP 2007 – Monte Líbano - SP.

Nicolau Vergueiro, Diretor executivo; Cecili Padovan,

27


ADVB E

v

e

n

t

o

s

Mais de 680 eventos no ano

ADVB LATIN AMERICA - USA

, 2007 12:00 pm y Coral Gables Plaza

iranda, t of ADVB Latin America - USA invites you to a luncheon to be held at Hyatt Coral Gables on November 1st 2007 at 12:00 pm, in honor of the

or of Santa Catarina, Luiz Henrique Silveira.

.S.V.P. at your earliest convenience with Martha Ware at 305 299 8396 or @advlapusa.com. nt will have limited seating and we may not be able to accommodate the late

ponsored by:

Florianopolis

ne Southeast Third Avenue 28th Floor ami, FL 33131 : 305 2998396 mail: info@advblause.com

680 EVENTOS

28

FENADVB - 980.000.000 de vezes em 2007


FENADVB em ação

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

Consciência Social é o ingresso para um mundo melhor.

Realização:

2007/08 Mais de 8,6 mil eventos com a assinatura ADVB e FENADVB

29


E n t r e v i s t a

Adenias Gonçalves Filho, Diretor presidente da Tropical Hotels & Resorts Brasil

Formado em Administração de Empresas com especialização em Gestão de Finanças pelo IBMEC e pós-graduado em Finanças pela Fundação Getúlio Vargas-RJ, Adenias Gonçalves Filho assumiu o cargo de diretor presidente da Rede Tropical Hotels & Resorts, em setembro de 2007, comanda hoje cerca de 1,3 mil funcionários e administra 1,4 mil apartamentos em hotéis localizados em João Pessoa (Tropical Hotel Tambaú), Salvador (Tropical Hotel da Bahia), Porto Seguro (Tropical Oceano Praia), além de dois empreendimentos em Manaus (Tropical Manaus Business e Tropical Hotel Manaus), este último, o maior resort da região Norte.

Revista FENADVB EM AÇÃO - Fale um pouco sobre a Rede Tropical de Hotéis, quanto ao seu posicionamento. Adenias Gonçalves Filho - É uma empresa genuinamente brasileira, que está próxima de completar 50 anos de atividades e que foi responsável por administrar empreendimentos únicos no Brasil. Nós formamos destinos e criamos o nosso maior patrimônio que é administrar empreendimentos em destinos turísticos exóticos, diferenciados e com serviços e experiência únicas. Foi assim por mais de 48 anos com o Tropical das Cataratas em Foz do Iguaçu, que recentemente deixamos de administrar, assim como em Santarém, no oeste do Pará, onde tivemos um empreendimento por mais de 20 anos e fomos responsáveis pela divulgação de Alter do Chão, a praia mais linda do rio Solimões, em todo o mundo. Nossos dois empreendimentos de Manaus ficam às margens do Rio Negro, e temos ainda o Tropical Tambaú em João Pessoa onde a praia de mesmo nome é reconhecida mundialmente pela forte presença da Rede Tropical. Além disso, administramos os atuais hotéis de Salvador onde participamos ativamente do processo de revitalização do centro histórico da cidade e onde nossa participação no carnaval é super-marcante, pois fazemos parte do circuito mais importante dos trios elétricos. Temos também o hotel de Porto Seguro, onde através de uma administração pontual, forte e inovadora, contribuímos consideravelmente para tornar a hotelaria da praia mais importante do sul da Bahia uma referência em serviços. FENADVB EM AÇÃO - Como a rede está se posicionando frente ao mercado extremamente competitivo no Brasil? Adenias Gonçalves Filho - Atualmente, a Tropical passa por um processo contínuo de investimentos em treinamento. Além disso, temos procurado extrair de nossos funcionários o que eles têm de melhor para contribuir com a organização. A hotelaria é acima de tudo, serviço, atendimento e humanidade. E é isso que oferecemos aos hóspedes: o acolhimento, o sabor e a sensação única de ter sua hospedagem inserida num contexto regional e numa experiência local, tornando o Tropical um diferencial inesquecível. Por exemplo, em Salvador, o abrecamas de boa noite é finalizado com uma lembrancinha única: uma cocada embrulhada pela fitinha de Nosso Senhor do Bonfin. Queremos intensificar o misticismo da religiosidade baiana e dar um sabor de côco ao hóspe-

Rede Tropical de Hotéis, 50 anos de sucesso 30


FENADVB em ação de, já que é importante iguaria da culinária baiana. Em Manaus, os chocolates são recheados com castanha que remetem à Amazônia. Os drinks de boas vindas são de graviola, cupuaçu e taperebá para proporcionar ao turista a sensação de acolhimento e de experiência única em hospedagem. FENADVB EM AÇÃO - Quais ações, desde a sua entrada na rede, foram tomadas no redirecionamento dos negócios? Adenias Gonçalves Filho - Primeiro, conversar bastante internamente, conhecer de perto cada produto, hotel, gerente e sua equipe. Depois interagir como hóspede em nossos empreendimentos e passar a perceber a experiência de nossos visitantes em cada lugar onde a Tropical está inserida. A partir daí começamos a criar um conceito mais forte de brasilidade e levar essa experiência para ser aprofundada por nossos colaboradores. FENADVB EM AÇÃO - Há perspectivas de participação em novos empreendimentos e em quais regiões? Adenias Gonçalves Filho - A Tropical está aberta a administrar e desenvolver trabalho de co-gestão em empreendimentos de grande porte. Nossa expertise nos motiva em breve a estarmos duplicando a quantidade de empreendimentos no leque de produtos hoteleiros da empresa. Nosso principal foco é administrar hotéis que tenham o binômio turismo de lazer e eventos. Estamos estudando propostas nas principais capitais do Nordeste e queremos voltar a ter presença em Foz do Iguaçu, pois lá fomos co-responsáveis pela criação do destino para o Brasil e para o mundo. Temos total interesse em conversar com investidores de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Brasília e Curitiba, além de continuarmos a lançar novos destinos exclusivos por meio da nossa rede de relacionamento. FENADVB EM AÇÃO - Qual sua visão de relações humanas no âmbito do trabalho, neste mundo em transformação? Adenias Gonçalves Filho - Tanto o turismo de lazer como o de eventos ou corporativo merecem atenção especial. Para isso, treinamos nossos colaboradores na intenção de sempre superar as expectativas. Nosso lema é servir sempre, focando a tropicalidade e a essência de Brasil, fazendo com que a estadia de nossos clientes seja sempre uma experiência única e prazerosa. Investimentos em tecnologia, em comunicação, em serviços e em novos equipamentos. Estes também são objetivos freqüentes em nossa administração.

FENADVB EM AÇÃO - Como está a divulgação dos hotéis da Tropical nas feiras e eventos em geral? Adenias Gonçalves Filho - Participamos de feiras internacionais. Primeiro, em função da necessidade de mostrarmos que o Brasil tem uma hotelaria de vanguarda e expertise para receber os diversos mercados. Neste caso, temos ido a Madrid, Lisboa, Utrecht (Holanda), Copenhagem (Dinamarca) e em Berlim. Nos eventos nacionais participamos através de nossos gerentes comerciais nas principais capitais do Brasil. E também de eventos relacionados a RH. FENADVB EM AÇÃO - Qual a nova filosofia de administração que está sendo adotada principalmente entre os funcionários? Adenias Gonçalves Filho - Mostramos a cada um que a sua contribuição tem de ser a mais expressiva possível. Não queremos trabalhos mecânicos com resultados óbvios. Fazemos palestras e procuramos impactar nossos funcionários, incentivando o crescimento humano e profissional. FENADVB EM AÇÃO - A respeito do binômio crescimento sustentável e preservação ecológica, qual é a postura? Adenias Gonçalves Filho - A Tropical sempre foi referência nas questões ambientais. Em Manaus criamos o sistema de efluentes de água e esgoto. Essa estação de tratamento é até hoje a maior obra de saneamento do Bairro de Ponta Negra. Além de ser utilizada pelos nossos hotéis Tropical Manaus e Tropical Manaus Business, ela atende de forma gratuita mais de 50 empreendimentos comerciais do mesmo bairro. No Tropical das Cataratas, onde a empresa esteve à frente de sua gestão por quase meio século, conseguimos contribuir para a implantação do ISO 14001- Sistema de Gestão Ambiental; ISO 9001 – Sistema de Gestão da Qualidade e, também, com a certificação AS 8000 na área de Responsabilidade Social. A Tropical foi e é a primeira empresa de hotelaria a conseguir essa importantíssima certificação. No Tropical Manaus, o maior resort da região amazônica, a empresa mantém um zoológico em parceria com o Ibama. São mais de 150 espécimes num espaço de mais de 20 mil metros quadrados onde mantemos uma bióloga que recebe os animais de apreensão e maus tratos recuperando-os e inclusive promovendo reproduções inéditas em cativeiro, muitos em vias de extinção. Recentemente, os cinco hotéis da rede receberam do Instituto Chico Mendes o selo verde de preservação sócio-ambiental.

31


FENADVB EM AÇÃO - Como está o planejamento de comunicação da Rede Tropical de Hotéis? Adenias Gonçalves Filho - Ultimamente, temos realizado entrevistas coletivas nas localidades onde estamos presentes. Iniciamos esse processo em dezembro passado, conversando com a imprensa paraibana. No início de março deste ano foi a vez de Manaus, onde realizamos uma mega-entrevista coletiva com a participação de mais de trinta jornalistas. No final de março promovemos entrevista coletiva em Salvador e em abril em Porto Seguro. Nesse bate-papo franco e aberto com a imprensa, estamos mostrando a nossa intenção contínua e pontual de estarmos afinados com a necessidade da comunidade social e empresarial de cada um de nossos destinos. Nessas coletivas de imprensa podemos mostrar de maneira direta a nossa proposta administrativa e anunciar nossas parcerias. como o apoio à instalação das ADVBs em João Pessoa e, mais recentemente, em Manaus. Além disso, temos feito parcerias, realizado Press Trips – Viagens com a Imprensa – com o intuito de mostrar e difundir as potencialidades de cada destino turístico onde atuamos. A partir de maio, estaremos conversando com a imprensa das principais capitais brasileiras, para mostrar a nossa organização e contribuir, assim, para potencializar novos negócios e oportunidades.

Adenias Gonçalves Filho - No âmbito comportamental podemos citar os treinamentos ministrados pela Signature, empresa especializada em desenvolver as mais modernas técnicas de venda qualitativa, o chamado Up Selling, incutindo em seus colaboradores a importância em saber oferecer nossos produtos de forma clara e objetiva. Através de treinamentos comportamentais especificos ministrados em reuniões gerenciais, procuramos dotar nosso corpo diretivo (estratégico/tático) com  uma nova visão de energia empresarial, buscando direcionar  todos para uma visão sistêmica dos negócios da empresa, criando condições e situações para uma maior interação e participação de todos na definição dos novos rumos a serem seguidos, de acordo com as metas estabelecidas pela diretoria e com as constantes mudanças que ocorrem no mercado. O novo momento pode ser definido como “Energia Tropical”, que passa necessariamente pela requalificação de nossos quadros direcionados para um novo conceito de hospitalidade, temperada com o sabor Tropical. A Rede Tropical de Hotéis, via de regra, na maioria das vezes, adotou o treinamento técnico do Senac. Durante muitos anos estes treinamentos foram anuais e sempre no período de baixa ocupação, compreendido entre abril e junho.

FENADVB EM AÇÃO - Como manter a liderança em segmento tão acirradamente disputado e tão pulverizado em todo o país, como é a rede hoteleira? Adenias Gonçalves Filho - A Tropical, como uma empresa genuinamente brasileira e com forte atuação no mercado, ao longo de seus 48 anos de história, sempre procurou dotar sua mão-de-obra com as mais atualizadas  metodologias de treinamento técnico e comportamental disponiveis no mercado. Para isto, utilizamos o prestígio e experiência de entidades de renome como o SENAC/CEATEL, para difundir pela rede conhecimentos e técnicas de atendimento inerentes à prestação de serviços com qualidade e incutindo em nossos colaboradores a importância do “bem servir”  com a marca Tropical, sempre caracterizada pela regionalidade onde possui seus empreendimentos.

FENADVB EM AÇÃO - Quais aspectos têm sido mais abordados nesses treinamentos e por quê? Adenias Gonçalves Filho - No aspecto comportamental podemos citar, como já enfatizamos antes, o treinamento desenvolvido com a Signature, especializada em dotar as equipes de reservas e recepção com a expertise de se fazer o up sale. Todos os Hotéis já foram treinados com esta metodologia. Além destes casos, que são os mais marcantes em relação aos treinamentos aplicados, há ainda casos pontuais nos quais o treinamento pode estar direcionado para o técnico bem como também para o comportamental, normalmente ministrado por empresas locais especializadas.

FENADVB EM AÇÃO - Qual o sistema de treinamento adotado pela rede? Ou seja, por meio de capacitação nas localidades em que atua ou à distância? De que forma são feitos esses treinamentos e quais os profissionais especializados do mercado que têm mais contribuído para os cursos?

32

“É uma empresa genuinamente brasileira que está próxima de completar 50 anos de atividades...”


FENADVB em ação

33


A

r

t

i

g

o Um exemplo dessa prosperidade é a verba recorde, que ultrapassa os R$ 20 milhões, com que a Eugenio Publicidade está trabalhando para divulgar um condomínio residencial na zona Lleste de São Paulo. Outro é a campanha que a agência criou no ano passado para divulgar um empreendimento localizado no bairro carioca da Lapa. O resultado fabuloso foi a venda de mais de 600 unidades em menos de duas horas. Enfim, o que se vê é que o setor está aquecido como nunca e que a publicidade consolida uma missão fundamental: ajudar a vender. Sim, porque na Eugenio não ficamos chateados se um anúncio, criado com tanto esmero, fica obsoleto em poucos dias, ou Maurício Eugenio Presidente do Grupo Eugenio

poucas horas. Pelo contrário, nos sentimos orgulhosos com o sucesso das vendas de nossos clientes. E é aí que está a inovação do modelo de negócios que

Publicidade no mercado imobiliário

adotamos. A Eugenio Publicidade ganha conforme os ganhos de seus clientes.

34

Há 20 anos, quando minha agência funcionava na

Períodos como este de tanta oferta e tanta con-

minha própria casa, o setor imobiliário era visto como

corrência trazem ainda o desafio da inovação. Para

o patinho feio pelo meio publicitário. Na verdade, ha-

se destacar no mercado, é preciso muito mais que a

via um certo descaso de mão dupla: para as agências –

tradicional panfletagem, a distribuição de folhetos nos

desenvolver campanhas para divulgar lançamentos não

semáforos. Uma de nossas apostas mais ousadas foi

tinha nenhum prestígio – e para o anunciante – os inves-

utilizar a televisão, onde raramente se via comercial

timentos em marketing e publicidade não eram, nem de

de imóveis. Lançamos o programa Imóvel na TV, em

longe, uma prioridade. O cenário atual é muito diferente.

2006. Nossa mais atual empreitada foi a organização,

Graças às baixas taxas de juros e às facilidades conce-

junto com o Secovi e Fiabci-Brasil, da presença brasi-

didas no financiamento, que favorecem o aumento da

leira no SIMA, o maior salão imobiliário do mundo que

demanda, o mercado imobiliário brasileiro passa por um

acontece todo ano em Madri. Nossa missão foi tornar

momento excelente. O consumidor tem melhores condi-

a presença do Brasil mais profissional e organizada,

ções de comprar. As incorporadoras e construtoras têm

para apresentar internacionalmente o potencial e as

mais disposição para investir.

oportunidades que afloram em nosso País.


FENADVB em ação

DIFERENÇA QUE FAZ A DIFERENÇA

Lívio Giosa

Dia de fazer a Diferença

Brasil Lívio Giosa é um dos Coordenadores do evento, junto com João Francisco Carvalho Pinto dos Santos e Magdiel Unglab, Ex-deputado Estadual (PSDB-SP), Vice-presidente FENADVB-SP, Coordenador do IRES - Instituto ADVB de Responsabilidade Sócio-Ambiental, Presidente do CENAN – Centro Nacional de Modernização e Diretor da ADVB-SP

É o maior evento de mobilização para ações sociais simultâneas do mundo, com a participação de mais de 3 milhões de voluntários. É um dia no ano em que o mundo se une para realizar ações sociais e melhorar a vida das pessoas que mais necessitam de ajuda, realizando milhares de projetos em centenas de cidades. O Dia de Fazer a Diferença surgiu em 1992, nos Estados Unidos, através do jornal USA Weekend, em parceria com a Points of Light Foundation, maior organização voltada ao voluntariado do mundo. No Brasil, desde 1999, já foram mobilizados cerca de 1 milhão de voluntários em mais de 300 cidades. A SIFE Brasil é a organização que trouxe o Dia de Fazer a Diferença para o Brasil. Trata-se de uma das organizações sem fins lucrativos de maior crescimento em nível mundial e foi fundada nos Estados Unidos, em 1975. Atualmente, mais de 1,2 mil equipes SIFE atuam em 31 países, difundindo aos alunos de universidades os benefícios da livre iniciativa, da tática nos negócios, do empreendedorismo e da responsabilidade social, beneficiando 3,5 milhões de pessoas e formando executivos com capacidade de liderança, comunicação e trabalho em equipe. Mais de 100 empresas da revista Fortune 500 apóiam a SIFE Global. Em 2004, o Dia de Fazer a Diferença formou uma parceria com a FENADVB e com o IRES - Instituto ADVB de Responsabilidade Social, com o objetivo de fortalecer ainda mais sua atuação junto às empresas, no sentido de dar ao projeto maior visibilidade e dimensão nacional. Empresas como Folha de S. Paulo, SBT, Grupo Accor, Ticket Serviços, Golden Cross, KPMG, BIC, M.Officer, KLM, entre outras, bem como importantes ONGs, como a Fundação Gol de Letra, a União dos Escoteiros do Brasil e Rotaract já participaram do Dia de Fazer a Diferença, no Brasil. Em 2004, o Dia de Fazer a Diferença será em 28 de novembro, domingo. A FENADVB – Federação Nacional das Associações de Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil está liderando a mobilização em nível nacional em parceria com grandes organizações nacionais e internacionais. Para saber mais sobre o Dia de Fazer a Diferença no Mundo, acesse: www.makeadifferenceday.com www.fazendoadiferenca.com.br 35


O BRASIL TEM PRESSA

Infelizmente, constato que alguns de meus temores em relação à tramitação da reforma tributária no Congresso Nacional parecem estar se confirmando. Alertei, por diversas vezes, que a tarefa do governo federal não se resumia a enviar o projeto ao Parlamento. Era preciso que entrasse em campo com toda sua força política, porque essa é uma condição indispensável para que as coisas andem em nosso regime presidencialista. A base governista deve compreender que o tema é uma prioridade para a Presidência da República, e só então ele irá tramitar e ser aprovado. Isso teria de ocorrer – dizia eu – antes que o país ingressasse no período eleitoral, agora cada vez mais próximo.

Já está muito

devagar Germano Rigoto Ex-governador do Estado do Rio Grande do Sul

O que vemos, no entanto, é um retardamento das etapas que precisam ser vencidas. Parece faltar uma real priorização do assunto, tanto de parte do governo quanto do Congresso. Ora, essa é uma demanda do país, que deve estar acima das cansativas animosidades entre situação e oposição. O acúmulo de Medidas Provisórias também não é desculpa, até porque não representa novidade no cenário político nacional. Há poucos dias, em debate promovido pela revista The Economist, o presidente Lula disse o seguinte em relação à aprovação do projeto: “Estou otimista, mas não sei por quê”. Ora, gostaria de compartilhar desse otimismo com o presidente, mas sua própria dúvida – a falta de porquês – é um claro indicativo de que não há uma mobilização efetiva em favor da proposta. A verdade é que governo e Congresso não têm abordado o tema com a prioridade que ele merece. E a oposição, por sua vez, age como se não tivesse nada a ver com isso. Não há sequer discussão de alternativas destinadas a aperfeiçoar o que foi enviado. A demora na escolha do relator e na instalação da Comissão Especial, que vai discutir o mérito, pode ser fatal. Queria muito estar enganado, mas não sou dado a falsos otimismos. Hoje, a leitura que faço da realidade é precisamente esta que acabei de expor. Ou os homens públicos brasileiros compreendem que a reforma tributária é um dos mais legítimos anseios nacionais, ou teremos perdido mais uma oportunidade histórica de praticar justiça fiscal e de mexer nas arcaicas estruturas tributárias do país.

36


FENADVB em ação

R$ 80.000.000,00 de resultados de mídia espontânea

37


D e p o i m e n t o s A ADVB, com sua presença em importantes regiões do Brasil, representa um excelente canal de integração entre empresas, para troca de conhecimentos e oportunidades. Os trabalhos de divulgação e debates promovidos fazem com que o marketing brasileiro sempre tenha ganhos em vários aspectos. Pedro Coutinho, Vice- Isto promove o crescimento Presidente Santander- de todos, de forma geral. Com Banespa esta linha de trabalho, a ADVB tem muito a contribuir com as inovações neste mercado. Em complemento, a FENADVB tem importante papel na unificação das evoluções conseguidas e na disseminação das melhores práticas apresentadas. Reforçando o estímulo de todos, temos os Prêmios Top de Marketing e Top Social, reconhecidos e com grande valor para nosso país. Para mim, é um orgulho Germano Rigotto, ex-governador do participar deste processo.

Rio Grande do Sul

Tenho acompanhado o trabalho da Federação Nacional das ADVBs com grande satisfação. Acredito que as iniciativas que vêm sendo tomadas são fundamentais para o debate e discussão dos grandes temas nacionais. Venho participando ativamente desse importante processo de conscientização da sociedade a respeito das reformas estruturais que o país precisa. Registro aqui o meu reconhecimento ao trabalho que está sendo feito através dos eventos e debates promovidos na busca da solução de grandes questões, trazendo mais desenvolvimento e crescimento com igualdade em nosso país.

38

A Fenadvb e a Advb têm cumprido importante papel como espaço aberto à discussão das questões nacionais para empresários e executivos com repercussão junto a toda a sociedade. A postura pluralista destas entidades permite o contraditório dandose voz a todas as manifestações de pensamento sem pré-julgamentos e preconceitos, tendo como objetivo o desenvolvimento do país e o crescimento  das empresas e dos mercados com inclusão e sustentabilidade.

Hiran Castello Branco, Sóciodiretor Giacometti

Liderança é a capacidade de transmitir idéias, de reunir idéias e pessoas, de realizar! A ADVB e a FENADVB, através de suas lideranças atuantes e respeitadas, conseguem colocar em pauta de discussão os grandes temas nacionais, com as demais lideranças do país. Divulgam estas idéias com uma visão clara e não partidária e aglutinam forças empresariais, colocando as pessoas que contam juntas. Se internacionalizam, dando uma dimensão ainda maior ao seu papel, o que faz destas entidades um modelo em uma sociedade democrática e progressista como quer ser o nosso país.

José Maria Chapina Alcazar, Presidente do SESCON-SP e da AESCON-SP

Além de representarem com extrema competência as suas categorias, a ADVB e a FENADVB também se notabilizam pelo engajamento em projetos sociais e em assuntos sobre responsabilidade social e sócio-ambiental, temas de absoluta relevância nos dias atuais. Merece destaque, também, na atuação destas duas entidades, a instituição de prêmios em reconhecimento às empresas e aos profissionais que trabalham pelo desenvolvimento do país. Em setembro, o SESCON-SP e a ADVB de Responsabilidade Social firmaram um protocolo de intenções com a finalidade de criar um ambiente propício para a atuação conjunta entre o empresário contábil e empreendedor no diaa-dia. Temos certeza que essa parceria será de grande sucesso e auxiliará o desenvolvimento dos pequenos negócios.

Alida Bellandi, Presidente das Indústrias Guarany e Diretora Abimaq

Fábio Racy, Ex-presidente da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (ABRAMET)

Há anos a Federação Nacional das Associações dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil (FENADVB) vem realizando ações, incentivando os mais importantes profissionais de empresas em todo o país. A realização da Revista FENADVB EM AÇÃO, conduzido com maestria pela entidade, prova que os árduos e longos anos de trabalho foram bem feitos e tendem a ser ainda mais promissores. A ABRAMET deseja que este veículo seja mais uma importante ferramenta de divulgação dos trabalhos realizados e projete ainda mais o nome da entidade, já conhecida no Brasil e em importantes países.


FENADVB em ação

FENADVB em pauta

39


Em sociedades demo-

D e p o i m e n t o s

cráticas como a nossa, estão abertos os espaços para que as dife-

Levar ao conhecimento de quem precisa o que se produz é mais que atender necessidades. É dar vida ao movimento econômico e social. Parabéns à ADVB e à FENADVB pelo empenho no desenvolvimento de nossa sociedade.

rentes entidades representativas suas

apresentem

propostas

sobre

as melhores políticas a serem adotadas. Nesse sentido, a ADVB e a FENADVB têm prestado inestimável contribuição ajudando a difundir as

Terenilton Sousa Santos, Vice-Almirante Comandante do 8° Distrito Naval

Carlos Amaral, presidente da ADVB/SC

Liderança institucional As novas características do mercado globalizado exigem lideranças cada vez mais preparadas para os desafios das constantes evoluções das relações empresariais e institucionais. Por isso, estar na vanguarda  para atender às demandas passou a ser um talento nato de líderes, conscientes de seu papel para a sociedade. Neste sentido, as ADVBs e a FENADVB cumprem sua missão ao promover o debate de idéias e a valorização de práticas vencedoras. Através de seus eventos e prêmios, elas incentivam a formação de lideranças que acabam se transformando em modelo de sucesso. A ADVBSC acredita nesta fórmula de visibilidade das estratégias criativas de marketing, fato que consolida nossa entidade como referência do setor. 40

Sou um crente fiel do entendimento de que juntos se consegue mais e se vai mais longe. Por tal razão, sou entusiasta apoiador dos movimentos associativistas que, congregando talentos diversos, resultam em soma que é maior do que as partes que a compõem. É assim com as nossas ADVBs e FENADVB.  A primeira, atuando no âmbito estudal e a segunda em todo o país, conseguiram ao longo do tempo notáveis realizações. Não são de pouca importância programas que permitem aos empresários o contato permanente com autoridades públicas, em reuniões onde idéias são livremente expressas e trocadas. Agora, com o processo de internacionalização da FENADVB se ampliando, novas portas são abertas em todo o mundo. Aos empresários brasileiros é dada a oportunidade de acesso mais fácil a novos mercados. Aos investidores internacionais o caminho de chegada ao mercado brasileiro para atuação direta ou em associação com empresários do país fica facilitado. E, a força de todos atuando em uníssono, resulta em instrumento de enorme valia. É com orgulho que participo de tal movimento, contribuindo no limite de meus mais de 35 anos de experiência na advocacia empresarial. Luiz Eduardo Lopes da Silva Diretorpresidente Lopes da Silva Advogados Associados

Abram Szajman Presidente FECOMERCIO-SP

propostas dos especialistas sob os pontos de vista social, econômico e político.

João Dória Jr. Presidente Dória Associados

Entidades com história e DNA de vendas, a ADVB Paulo Nathanael Pereira de Souza Presidente do Conselho Nacional - CIEE

e a FENADVB têm ofere-

A ADVB e a FENADVB nasceram no panorama institucional brasileiro como duas ferramentas do futuro, tendo em vista as novas posições conquistadas pelo país no cenário internacional. Dedicadas ao cultivo e à estimulação de lideranças no campo de vendas e marketing, vêm cumprindo o seu papel, mediante desempenho ímpar e competência extrema, devidos a seus dirigentes atuais, Miguel Ignatios e Agostinho Turbian. Que em 2008 se repita, com os acréscimos inevitáveis, o resultado de 2007, sempre com o comando lúcido e criativo desses dois líderes imbatíveis.

o marketing de vendas,

cido contribuições importantes para a promoção e além de estimularem o debate sobre grandes temas empresariais.


FENADVB em ação

ALGUMAS MARCAS ParceirAs DO SISTEMA FENADVB

Câmara de Indústria, Comércio e Turismo Brasil México

GAZETA MERCANTIL

41


A FENADVB possui uma importância estratégica desde

D e p o i m e n t o s

sua criação, quando a federação conseguiu integrar as

Entidades da maior relevância, a ADVB e a FENADVB estão escrevendo a história do segmento de Marketing e Vendas no Brasil. Entidade recente, criada em 2003, a Federação vem dando uma perspectiva de unidade nacional às ADVBs espalhaLuiz Flávio Borges D´Urso, Presidente da OAB SP

das pelos principais Estados brasileiros e com uma sede, também, no Exterior, a demonstrar a visão de futuro de seus dirigentes, a divisar possibilidades que se abrem nos mercados internacionais

ADVBs de todos os estados, articular ações, iniciativas e experiências,

fazendo

com

que a instituição obtivesse uma abrangência nacional. Outro ponto é que essa integração produziu um importante alinhamento, inclusive, dos eventos, dos executivos, dos profissionais, além dos próprios membros das regionais.

Norman de Paula Arruda Filho, Superintendente do Instituto Superior de Administração e Economia (ISAE/FGV)

A criação dessa agenda da Federação resulta em uma estrutura programática que pode dar uma importância maior a cada uma das ADVBs.

para o empreendedor nacional. Com a globalização, a busca de parcerias internacionais e de intercâmbio, Nadyr Buda, do Conselho do Grupo Spread

ADVB E FENADVB! Sob a direção criativa e eficiente do Dr. Miguel Ignatios e Agostinho Turbian, têm promovido desenvolvimento de negócios em escala nacional com a criação das ADVBs regionais, reunindo governo, empresários e sociedade de uma maneira geral, visando o progresso econômico e social do Brasil. Com o arrojo característico da atual diretoria, ampliaram seus horizontes para fora do Brasil. Miami, Tókio e Lisboa já têm escritórios das entidades em operação. E, agora, visando facilitar nossas exportações e ajudando as empresas na expansão de seus negócios e conseqüente criação de empregos no Brasil, a ADVB voltou suas atenções para o gigante que desperta: a China e seu imenso mercado. Temos certeza do sucesso desses empreendimentos.

42

vem se configurando como uma estratégia fundamental

Ives Gandra Martins, da Advocacia Gandra Martins E Rezek

para quem deseja expandir seus negócios. A OABSP, parceira das entidades ADVB e FENADVB em projetos voltados à cidadania, compartilha dos ideais destas organizações que

bem

representam e engrandecem o empresariado brasileiro.

José Carlos Pinheiro Neto, vicepresidente da GM do Brasil

Já há muito tempo venho acompanhando bem de perto o trabalho tanto da ADVB quanto da FENADVB e sei o quanto estas duas instituições têm feito em favor da iniciativa privada aqui no Brasil, contribuindo diretamente para a formação de profissionais cada vez mais qualificados para vencerem os desafios de um mercado extremamente competitivo como o que vemos nos dias de hoje. Pelo trabalho que realizam em favor do desenvolvimento das atividades de vendas, marketing e administração de empresas, a ADVB  e a FENADVB já são reconhecidas como indispensáveis ao fortalecimento das empresas brasileiras e espero que continuem a ser ainda mais atuantes na defesa dos ideais éticos que norteiam o espírito da iniciativa privada.

Conheço a ADVB desde a sua fundação, tendo em começos da década de 1960 proferido palestra, no velho Teatro Cultura Artística, para seus fundadores. É das instituições mais representativas do setor empresarial, colaborando, intensamente, para o desenvolvimento do país através das reflexões de seus membros e do dedicado trabalho setorial que realiza.Orgulha-me, pois, pertencer à associação de tal magnitude. O Brasil muito deve à ADVB.


D e p o i m e n t o s

Wilson Roberto Levorato, Diretor-Geral da Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN)

José Ronoanel Piccin Presidente do Conselho Superior Anefac

A ADVB presta serviços muito valiosos aos seus freqüentadores, desde cursos de atualização profissional, assim como valiosos encontros com autoridades quando até é possível conversar particularmente com eles. Nestes encontros acontece o “networking” tão necessário para nossa vida profissional. A FENADVB, por sua vez, proporciona também a oportunidade da aproximação de empresários e profissionais e recentemente está instalando as ADVBs pelo Brasil afora, assim como no exterior, realizando uma globalização destas excelentes oportunidades.

Sem dúvida, a ADVB e a FENADVB têm contribuído muito e ainda têm muito o que contribuir para o desenvolvimento da livre iniciativa no país. Seus eventos, suas publicações e suas iniciativas, em particular suas parcerias com instituições nacionais e internacionais, são poderosos catalisadores e disseminadores das melhores práticas de marketing e vendas, sem as quais não se pode sequer conceber uma economia de mercado moderna. Suas ações e projetos estimulam as empresas e os profissionais a se superar e dar o melhor de si a fim de atender às demandas da comunidade empresarial e de sua clientela. Nessa trilha, constituem importante fermento para a inovação das práticas de mercado e da renovação dos quadros profissionais e empresariais.

Tenho acompanhado o trabalho da Federação Nacional das ADVBs com grande satisfação. Acredito que as iniciativas que vêm sendo tomadas são fundamentais para o debate e discussão dos grandes temas nacionais. Venho participando ativamente desse importante processo de conscientização da sociedade a respeito das reformas estruturais que o país precisa. Registro aqui o meu reconhecimento ao trabalho que está sendo feito através dos eventos e debates promovidos na busca da solução de grandes questões, trazendo mais desenvolvimento e crescimento com igualdade em nosso país.

Alencar Burti, presidente da CACB, Facesp e ACSP

Depoimentos

FENADVB em ação

Antônio Carlos Romanoski, Ex-presidente da Brasil & Movimento - Sundown

Chieko Aoki Presidente Grupo Blue Tree Hotels

O papel da ADVB e FENADVB é de extrema importância no mercado nacional. São entidades como essa que levam para nossos empresários a reflexão, as soluções, novas formas de enxergar o futuro e atuar no presente. A FENADVB extrapolou tudo isso, no momento em que decidiu se internacionalizar e, dessa forma, proporcionar aos seus associados – mais do que a atualização – uma possibilidade de intercâmbio com outros estilos de administração, cultura e outras formas de atuação, além de facilitar a globalização efetiva. Entidades atentas ao novo mundo humanizado, valorizando o cuidado com o todo nos negócios, incluindo as questões sociais, a sustentabilidade, a globalização, a diversidade. Parabéns a todos os envolvidos, enquanto entidades, ADVB e FENADVB têm sido um estímulo constante para nós, empreendedores brasileiros. Mottainai.

A FENADVB costura interesses com caimento perfeito para o crescimento do país, para a geração de empregos e para a esperança de centenas de jovens que todos os anos entram no mercado de trabalho nos mais diversos segmentos da economia. A habilidade para interligar expectativas, falar sobre temas que afligem empolgam e embalam os empresários, ou ainda sinalizar novas oportunidades de negócios e apontar tendências, arremata o extraordinário trabalho da FENADVB na criação de um modelo de network, forte o suficiente para alinhavar as aspirações dos empresários brasileiros com as questões políticas e mercadológicas do país. É a mais clara demonstração de apoio, uma base firme de sustentação para manter a linha das vendas sempre forte.

43


D e p o i m e n t o s

A FENADVB e a ADVB têm exercido no meio empresarial nacional um importante papel de estímulo à formação de novas lideranças, através de fóruns de debates com palestrantes notórios e do intercâmbio entre seus associados, líderes em suas práticas e indústrias. O ambiente que encontro nas duas instituições tem sido relevante na formação de Marcos Silveira novos líderes em minha organização. Presidente Pela Nova

Se vinte pessoas forem reunidas e a elas perguntado o que é ser um líder, possivelmente teremos vinte respostas diferentes. No entanto, acredito que todas poderão colocar alguns requisitos que possam ser comuns e entre eles certamente estarão a ética, a honradez e a humildade. Poderão também pensar em alguém que nada faça por ambição ou vaidade mas que seja capaz de considerar que o interesse dos outros possam ser superiores aos seus pessoais. E que, com coragem, veja tudo pela ótica da grandeza de princípios e de objetivos maiores da comunidade.

Ozires Silva, Presidente do Fórum de Líderes Empresariais Conselheiro da ADVBSP e da FENADVB

Os líderes, de qualquer setor e âmbito de atuação, exercem hoje uma função Núbia Lentz, Presidente da ADVB Amazonas

Sem dúvida, a ADVB e a FENADVB têm contribuído muito para o desenvolvimento da livre iniciativa no país, através de importantes parcerias com instituições nacionais e internacionais. Seus projetos são poderosos catalisadores e disseminadores das melhores práticas de marketing e vendas. Sua ações são ferramentas importantes para a inovação do mercado e da renovação dos quadros profissionais e empresariais. A ADVB-AM nasce em Manaus como um espaço para a reflexão de práticas, disseminação de conceitos, mobilização de líderes empresariais, educação, formação e capacitação de pessoas para atuar na construção de um Varejo Sustentável e de sua cadeia produtiva, capaz de promover os princípios de consumo consciente, favorecendo o desenvolvimento do processo de gestão responsável para a sustentabilidade dos negócios, do mercado, e do planeta.

44

Aleksander Santos, presidente da ADVBRio de Janeiro

vital para as Organizações, visto que a condução de processos ativos da sociedade

A Associação dos Dirigentes

torna-se

essen-

de Vendas e Marketing do

cial  para o  desenvolvimento

Brasil (ADVB) cumpre um im-

e progresso da humanidade.

portante papel no mercado,

elemento

Para isso, a liderança se reveste de qualidades resultantes das relações do mundo

Paulo Barbanti, Presidente da Intermédica e Grupo Notre Dame

o de destacar e reconhecer grandes nomes e trabalhos dos segmentos empresariais.

globalizado. Neste aspec-

A ADVB e a FENADVB. Ir-

E é responsável por promover

to, precisa estar conectado

manados como nunca, os

atividades que estimulam o

com as novas demandas e

presidentes Miguel Ignatios

setor de marketing e vendas,

exigências do mercado. E o

e Agostinho Turbian, em-

contribuindo diretamente para

Sistema ADVB, capitaneado

prestam as suas lideranças e

o desenvolvimento intelectual,

pela FENADVB, vem de-

capacidades para ampliar a

econômico, político e social

monstrando, através de seus

ação das entidades, qualifi-

do país. A FENADVB é o prin-

líderes, uma perfeita intera-

cá-las ainda mais e transfor-

cipal suporte na execução das

ção social, com uma atua-

má-las num dos principais

ações das ADVBs e trabalha

ção lúcida e inovadora.

pontos de encontro dos em-

ativamente para o fortaleci-

presários paulistas e brasi-

mento destes setores. Juntas,

leiros.

trabalham como um elo para

Natanael Santos de Souza, Ex-presidente da ADVB-SC Presidente do Grupo First

o incentivo ao desenvolvimento empresarial, político e social do país.


FENADVB em ação

45


Endereços

ADVBs FENADVB

FENADVB- Sistema Inteligente de relacionamento de pessoas com foco em negócios. Agostinho Turbian

Tel.: 3663-4242 / 2242 Fax: 3826-0488 Presidente: Agostinho Turbian Email: agostinhoturbian@terra.com.br paulapresidencia@terra.com.br Endereço: Av. Angélica, 688 – cj.1001 - Higienópolis 01228-000 – São Paulo / SP www.fenadvb.org.br

ADVB-SP - São Paulo - SP Esses são os

O exemplo de São Paulo frutificou em muitos estados do Brasil

líderes

e no exterior. Miguel Ignatios

Tel.: (11) 3372-3800 Presidente: Miguel Ignatios Email: miguel@advbfbm.org.br Endereço: Rua 13 de Maio, 1413 01327-001 – São Paulo / SP www.advbfbm.org.br

do sistema O sistema ADVB é muito importante para

FENADVB de

o nosso país. Trabalhamos voltados para proporcionar o estímulo ao desenvolvimento

relacionamentos

ADVB-RIO - Rio de Janeiro - RJ inteligentes

Tel. / fax: (21) 2524-8979 Presidente: Aleksander Santos Email presidência: aleksander@advbrio.com.br / comunicacao@advbibem.com.br Secretária: Lilian Guimarães Email: lilian@advbrio.com.br Endereço: Av. Nilo Peçanha, 50 – grupo 1217 – Edifício Rodolpho de Paoli – Centro – 20020-906 www.advbrio.com.br

social, econômico, político do Brasil. A ADVB RJ aderiu ao ritmo e apenas com seis anos já trabalha como “gente grande”. Muito me orgulha presidir esta entidade, e estaremos sempre contribuindo no que for possível. Aleksander Santos

Em 2007, além das premiações tradicionais do TOP RH e TOP Social e da realização de cursos e palestras, tivemos como eventos especiais na ADVB BA: Realização dos 20 anos da premiação do TOP Marketing, com a presença ilustre do publicitário Nizan Guanaes que levou o nome da premiação especial e do Presidente da FENADVB Agostinho Turbian. O Presidente da ADVB SP MIguel Ignatios foi o presidente do Júri. Realização do Fórum de Marketing e Negócios com palestra de Carlos Alberto Julio e das grandes sacadas de marketing.O evento acontece dias 31.10 e 01.11. Realização de Palestra com James Hunter, autor do Monge e o Executivo,em setembro de 2007. Informo ainda que em 2008, estaremos comemorando nosso jubileu de prata, 25 anos. Victoriano Garrido 46

ADVB-BA - Salvador - BA Tel. / fax: (71) 3451-6663 Presidente: Victoriano Garrido Email: advb@advb-ba.com.br presidencia@advb-ba.com.br Endereço: Av. Antonio Carlos Magalhães, 2.671 - sala 1.102 Loteamento Cidadela - Brotas 40280-000 www.advb-ba.com.br


FENADVB em ação

A ADVB-RS é uma das entidades mais importantes do esta-

ADVB-RS - Porto Alegre - RS

do. Não apenas por suas contribuições nos campos do CO-

Tel. / fax: (51) 3211-0399 Presidente: Cláudio N. Goldztein Email: advb@advb.com.br claudio@embrace.com.br Endereço: Rua Celeste Gobato, s/ nº Praia de Bellas - 90110-160 www.advb.com.br

NHECIMENTO e do RECONHECIMENTO. Mas principalmente por reunir as corporações mais representativos do RS, independente de vinculações ou tendências políticas, jamais dividindo. Apenas somando e multiplicando. Cláudio N. Goldsztein

ADVB-PE - Recife - PE Tel. / fax: (81) 3265-6142 Presidente: José Artur Email: jartur1205@terra.com.br Endereço: Rua Neto de Mendonça, 100/601 - Jaqueira 52050-100 www.advbpe.org.br

Cabe registro que a ADVB PE tem novo presidente, eleito em Assembléia Geral no dia 27 de março. Sucedendo ao Omar Aguiar, assumiu o cargo o empresário e economista, José Artur Paes Vieira de Melo, um dos fundadores da associação em Pernambuco. Com larga experiência em assuntos associativos, porquanto integrou a diretoria do Grupo de Executivos do Recife durante 17 anos, sendo seu presidente em três gestões alternadas, ele declara todo o seu entusiasmo em conduzir os destinos da ADVB do seu estado. “São imensos os horizontes do sistema ADVB, liderado pela FENADVB, porquanto em um regime democrático e capitalista, tudo termina em vendas e todo convencimento é marketing, ou seja, convence-se o filho ao educá-lo tanto quanto ao cliente, ao atiçar-lhe o impulso de compra ou ao fechamento de negócios”, diz o José Artur. A posse da nova diretoria da ADVB PE será no dia 15 de maio, em evento solene que contará com um palestrante de altíssimo nível, conforme sugestão do Presidente Agostinho Turbian. Um dos carros-chefe da nova gestão será a realização do 1º TOP de Turismo do Norte e Nordeste, sediado em Recife e que já conta com o apoio de todas as regionais, capitaneadas pela ADVB São Paulo que realizou, recentemente, um evento idêntico. Omar Gonçalves de Aguiar

As novas características do mercado globalizado exigem lideranças cada vez mais preparadas para os desafios das constantes evoluções das relações empresariais e institucionais. Por isso, estar na vanguarda para atender às demandas passou a ser um talento nato de líderes, conscientes de seu papel para a sociedade. Neste sentido, as ADVBs e a FENADVB cumprem sua missão ao promover o debate de idéias e a valorização de práticas vencedoras. Através de seus eventos e prêmios, elas incentivam a formação de lideranças que acabam se transformando em modelo de sucesso. A ADVB/SC acredita nesta

ADVB-SC - Florianópolis – SC Tel. / fax: (48) 3224-5258 / 3224-0131 / 0464 Presidente: Carlos Amaral Email: carlos@scc.com.br Endereço: Rua Presidente Nereu Ramos, 19 2º andar - Florianópolis / Centro 88015-010 www.advb-sc.org.br

fórmula de visibilidade das estratégias criativas de marketing, fato que consolida nossa entidade como referência do setor. Carlos Amaral

ADVB-PB - João Pessoa - PB Tel.: (83) 3015-7200 Presidente: Eduardo Cop Email: edu.cop@terra.com.br Endereço: Rua Benjamim Rabelo, 205 Bessa - João Pessoa - PB - 58037-275

Trabalhamos pelo conhecimento, reconhecimento e relacionamento, em prol do mercado. Eduardo Cop

47


Endereços

Aqui você pode

ADVBs

Sou ADVB há mais de trinta anos! Orgulho-me disso, e também me encho até hoje de satisfação. Uma das maiores ONGs do Brasil e da América Latina, movimenta toda uma classe de profissionais, cheia de charme e história. Nesta altura de minha vida, depois de ser diretor e vice-presidente da ADVB de São Paulo,e da Fundação Brasileira de Marketing, sou Presidente da ADVB do Espírito Santo. Um veterano, numa ADVB nova e pequena... Ah! E sou também vice-presidente da FENADVB. Um sonho que se tornou realidade, uma ADVB nacional e internacional. Cheio de amigos velhos como Miguel Ignatios, o Mário Ernesto Humberg, o Livio Giosa, tantos outros. E amigos novos como o Agostinho Turbian, o Aleksander Santos, muitos mais. Lutamos pela ética, pela profissão de marketing e vendas e pelo desenvolvimento do Brasil. Precisa mais?

ADVB-ES - Vitória – ES Tel.: (27) 3215-4834 Presidente: Ronald Carvalho Email: ronald@advb-es.com.br; ronald@consultant.com Endereço: Rua Madeira de Freitas, 239 Bairro Praia do Canto 29055-320 www.advb-es.com.br

Ronald Carvalho

encontrar a relação de endereços das ADVBs espalhadas

ADVB-MS– Campo Grande-MS

advb-ms, onde as boas idéias nascem.

Tel.: (67) 3341-4810 Presidente: Gilton Almeida Email: advbms@brturbo.com.br / giltonalmeida@brturbo.com.br Endereço: Rua São Felix, 1205 Jd. Vilas Boas 79051-210

Gilton Almeida

por todo o Brasil.

ADVB-GO - Goiás – GO O nosso objeto tem sido o debate sistêmico entre representantes de setores privados e públicos e instituições que podem promover o crescimento do Estado de Goiás.

Tel.: (62) 3215.3434 / (62) 3215-1701 Presidente: Líliam Valadão Email: liliam.advb@terra.com.br liliamv@gmail.com Endereço: Rua 27, nº 21, Setor Oeste 74125-115

Líliam Valadão

Uma das nossas principais metas para 2008 é realçar

ADVB-AC – Rio Branco - AC Tel.: (68) 3026-1620 Fax: (68) 3026-5563 Presidente: Luiz Figueiredo Email: luizfigueiredoac@gmail.com Endereço: Av. Epaminondas Jacome, 2.792 Galeria Meta – Lj. 120 69908-420 www.advb-acre.com.br

48

nosso envolvimento com a ligação rodoviária ao Peru, enfatizando o aspecto da ADVB-Acre estar fomentando novos negócios Brasileiros no PERU. Luiz Figueiredo


FENADVB em ação Com apenas 6 meses de sua fundação, a ADVB-DF inaugurou seu “ Fórum Permanente de Desenvolvimento no DF” , trazendo o ex-governador do RS, Dr. Germano Rigotto para proferir palestra; “Os Gargalos do Desenvolvimento” ( dia 21/08/07). Nos dias 14 e 15 de setembro promoveu seu primeiro Curso de Capacitação trazendo o Instrutor Alan Schlup Sant`Anna, docente e consultor da UNIVEB, para dar o Curso: “ Estratégias e Técnicas de Negociação”. O Curso teve suas 30 vagas preenchidas e recebeu excelente avaliação de todos os participantes. Já está no ar, em caráter experimental o site da ADVB-DF: www.advbdf.com.br  , aguardando a visita e a participação de todos. No próximo dia 16 de outubro, a ADVB-DF estará recepcionando o sr. Lívio Giosa, vice-Presidente da ADVB-SP e Consultor Geral do IRES - Instituto de Responsabilidade Social - que irá proferir palestra sob o tema: “Sustentabilidade na Gestão de Negócios. Newton Garcia

ADVB-DF– Brasília Tel.: (61) 3321-8719 Presidente: Newton Garcia Email: garcia@grupolabor.com Endereço: SRTVS QD - 701 - Bl. I - sobre loja 112 Centro Empresarial Assis Chateaubriand - Brasília - DF 70340-000

Com as repercussões da crise do sub-prime e

ADVB-Latin American - USA

um ano eleitoral, 2008 será um ano de grandes

Tel.: (305) 448-2400 / fax: (305) 374-5095 Presidente: Dr. Paulo Miranda Email: paulo.miranda@akerman.com Endereço: Two Alhambra Plaza - Suite 102 Miami - Coral Gables - FL 33134 - USA

desafios que entendo poderao se transformar em oportunidades no desenvolvimento dos negociós entre o Brasil e os Estados Unidos. Paulo Miranda

ADVB-PA - Belém - PA ADVB-PA - Mais de 30 anos desenvolvendo o Marketing paraense. Marcos Aurélio Lopes de Oliveira

Tel.: (91) 3224-7163 Fax: (91) 3224-7233 Presidente: Marcos Aurélio Lopes de Oliveira Email: presidencia@advbpa.com.br; mar.aurelio@terra.com.br Endereço: Av. Nazaré, 272 - sala 505 - Nazaré 66035-170 www.advbpa.com.br

São realizados de oito a dez ações por ano entre almoços, pa-

ADVP - Portugal

lestras, fóruns empresariais, formação, recepção dos governos

Tel.: (351) 21 357-0642 Fax: (351) 21 357-0644 Presidente: Antonio Saraiva Email: advp@advp.pt Endereço: Av. Almirante Gago Coutinho, 128 1700-033 – Lisboa – Portugal www.advp.pt

estaduais do Brasil, promovendo intercâmbio empresarial e político e buscando sinergias de investimentos nos respectivos estados. Antonio Saraiva

ADVB-Japan Temos o propósito de gerar negócios e intercâmbio entre o Brasil e Japão. Sergio Tinen

Tel.: +81 52 588-9430 fax: +81 52 588-9431 Presidente: Sergio Tinen Email: sergio@central-trade.com Endereço: Aichi-ken Nagoya-shi Nishi-ku Noritake Shin-machi 1-6-12- 451-0051 – Nagoya – Japão Central Trade Co. Ltd. www.advbjapan.com www.central-trade.com 49


Endereços

ADVBs A ADVB-PR  segue seu Plano de Ação 2010 com a continuidade de ações iniciadas na gestão passada e multiplicadas na atual gestão. Até dezembro

ADVB-PR - Curitiba - PR Tel.: (41) 3264-3123 Presidente: Rodrigo Moreira Florenzano Email: rflorenzano@gppcom.com.br Endereço: Rua Itupava, 1299 sala 108/109 - Hugulange 80040-000 www.advbpr.com.br

último, a ADVB no Paraná deverá realizar vinte eventos nessa gestão, sem considerar homenagens e reuniões executivas e de relacionamento da diretoria. Todos eles prestigiados, com grande presença, pelo mercado local e nacional. Em 2007, o primeiro destaque foi o retorno e consolidação do evento “Estrela da Manhã” que traz empresários, executivos e pessoas que apresentam cases de sucesso de marcas e produtos. Essencialmente focado no mercado privado, a iniciativa é um verdadeiro forum de troca de experiências e das melhores práticas. Nesse ano estiveram presentes Helio Rotemberg, Presidente da Positivo Informática; Ana Amélia Filizola, VP da Rede Paranaense de Comunicação e Pedro Parente, Diretor do Grupo RBS, entre outros. Nesse ano ainda, se consolidou a fórmula de apresentações de cases vencedores do Top de Marketing para alunos universitário do Estado. Após as apresentações os alunos prepararam trabalhos que concorrem a cinco Pós-Graduações, Cursos de Idiomas e a uma viagem de intercâmbio aos EUA. O Top de Universitário chega à sua oitava edição ainda como o único evento desse porte no Brasil entre as associações. O Top de Marketing desse ano passa a ser dividido em 14 categorias e contará com um Grand Prix. A mudança novamente é parte do trabalho de aumento da competitividade, transparência e reconhecimento dos melhores trabalhos. O Top vem baixando seus valores de contribuição para a festa, fazendo assim com que a ADVB-PR procure premiar  e reconheçer os melhores trabalhos, independente da possibilidade de caixa para participação das empresas. Para finalizar o ano, a ADVB-PR, de forma inédita, vai premiar o Personalidade do Ano e mais três categorias: Profissional de Marketing, Profissional de Vendas e Profissional de Comunicação. A votação e a escolha são abertas a toda a diretoria e aos associados da entidade.

A FENADVB é uma federação de extrema importância para a sociedade.

ADVB-MG - Belo Horizonte - MG Presidente: Gisele Lisboa Email: presidencia@advbmg.org.br

O trabalho que desenvolve junto as ADVB’s fortalece e incentiva as atividades que visam o desenvolvimento empresarial dos estados de atuação da entidade. A FENADVB liga o Brasil ao mundo, oferecendo informação, conhecimento e capacitação. Um brilhante trabalho que une forças sempre em busca de contribuir com os diversos segmentos da economia.

Queremos contribuir para a gestão sustentável dos negócios do

ADVB-AM - Manaus - AM

Tel.: (92) 2101-6215 Presidente: Núbia Lentz Email: presidencia.advb.am@gmail.com nubia@vivax.com.br www.advbam.org.br

50

varejo e sua cadeia de suprimentos, apresentando ferramentas capazes de criar um novo modelo de atuação das empresas, comprometido com a preservação do meio ambiente e com a qualidade de vida dos consumidores.


FENADVB em ação

51


52


09 - Revista FENADVB em ação