Issuu on Google+


Associações de Marca filiadas à Fenabrave AUTOS E COMERCIAIS LEVES ABBM – Assoc. Bras. dos Concessionários BMW ABCN – Assoc. Bras. dos Concessionários Nissan ABRAC – Assoc. Bras. dos Concessionários Chevrolet ABRACAF – Assoc. Bras. dos Concessionários de Automóveis Fiat ABRACAM - Assoc. Bras. de Distribuidores de Automóveis Mercedes-Benz ABRACIT – Assoc. Bras. dos Concessionários Citroën ABRACOP - Assoc. Bras. dos Concessionários Peugeot ABRADIF – Assoc. Bras. dos Distribuidores Ford Autos e Caminhões ABRADIT – Assoc. Bras. dos Distribuidores Toyota ABRAHINDRA - Assoc. Bras. dos Concessionários Mahindra ABRAHY – Assoc. Bras. dos Concessionários Hyundai ABRALAND – Assoc. Bras. dos Conc. Land Rover ABRARE – Assoc. Bras. dos Concessionários Renault ABRAV – Assoc. Bras. dos Revendedores de Automóveis Volvo ABRAZUKI – Assoc. Bras. dos Conc. Suzuki Automóveis ASSOAUDI – Assoc. Bras. dos Distribuidores Audi ASSOBRAV – Assoc. Bras. Dos Distribuidores Volkswagen ASSOCHERY - Assoc. Bras. dos Dist. Chery ASSOCN - Assoc. Bras. dos Conc. CN Auto ASSOEFFA - Assoc. Bras. dos Conc. Effa ASSOLIFAN - Assoc. Bras. dos Conc. Lifan ASSOKIA – Assoc. Bras. dos Distribuidores Kia Motors ASSOMIT – Assoc. Bras. dos Concessionários Mitsubishi ASSOYONG - Assoc. Bras. dos Conc. Ssangyong AUTOHONDA – Assoc. Bras. de Conc. Honda de Veícs. Aut. Nac. e Importados

CAMINHÕES ABRADA - Assoc. Bras. dos Distribuidores Agrale ABRADIF - Assoc. Bras. dos Distribuidores Ford Autos e Caminhões ABRAVO – Assoc. Bras. dos Distribuidores Volvo ACAV – Assoc. Bras. dos Concessionários Man Latin América ANCIVE – Assoc. Bras. dos Concessionários Iveco ASSOBENS - Assoc. Bras. dos Concessionários Mercedes-Benz ASSOBRASC – Assoc. Bras. dos Concessionários Scania ASSOINTER - Assoc. Bras. de Dist. International

IMPLEMENTOS RODOVIÁRIOS ABRADIGUE – Assoc. Bras. dos Concessionários Guerra ABRADIR – Assoc. Bras. de Distribuidores Randon ABRALIB - Assoc. Bras. Dos Dist. Librelato ABRANOMA – Assoc. Bras. dos Representantes Noma

MÁQUINAS AGRÍCOLAS ABRACASE – Assoc. Bras. dos Distribuidores Case Ih do Brasil ABRADA – Assoc. Bras. dos Distribuidores Agrale ABRAFORTE – Assoc. Bras. dos Distribuidores New Holland ASSODEERE – Assoc. Bras. dos Distribuidores John Deere ASSOMAR – Assoc. Bras. dos Concessionários Agritech ASSOREVAL – Assoc. Bras. dos Distribuidores Autorizados Valtra UNIMASSEY – Assoc. Nac. dos Distribuidores Massey Ferguson

MOTOCICLETAS ABBM – Assoc. Bras. dos Concessionários BMW ABRACY – Assoc. Bras. de Concessionários Yamaha ABRAKAS - Assoc. Bras. dos concessionários Kasinski ABRASUN – Assoc. Bras. dos Concessionários Sundown Motos ASSODAFRA – Assoc. Bras. dos Conc. Dafra ASSOHONDA – Assoc. Bras. de Distribuidores Honda ASSOKAWA - Assoc. Bras. dos Concessionários Kawasaki ASSUZUKI – Assoc. Bras. dos Concessionários de Motocicletas Suzuki FENABRAVE

2


Considerações Gerais Setor da Distribuição Os dados do primeiro semestre de 2011 apontam para um crescimento de vendas de veículos no País. A evolução do setor como um todo foi de 10,2% totalizando a comercialização de 2,7 milhões de unidades, contra 2,4 milhões em igual período de 2010. Mesmo com as medidas macroprudenciais adotadas pelo Governo Federal, o mercado ainda refletiu o ótimo patamar de emprego, renda e crédito. O único desempenho negativo ocorreu no segmento de máquinas agrícolas, o que não chegou a surpreender em função do excelente desempenho dos anos anteriores e, em especial, de 2010 quando evoluiu 26% no primeiro semestre (2010/2009) e 25% no ano (2010/2009). O mercado de caminhões continuou aquecido, com crescimento de 17% no primeiro semestre deste ano quando comparado com 2010, assim como o segmento de ônibus, cujo crescimento foi de quase 24% em relação a igual período 2010. Automóveis e comerciais leves também tiveram um comportamento favorável, evoluindo 9,5%, com destaque para os comerciais leves, que contou com forte desempenho de vendas (+ 18,7% em relação ao primeiro semestre do ano passado). O mercado de motos se sustentou em um patamar de crescimento de 10,5%, também bastante positivo.

Crescimento da quantidade comercializada em % 1º semestre Automoveis e Comerciais leves

Total

Máquinas Agrícolas Caminhões Ônibus

Motos

Implementos

2010/2009

9,3

7,32

26,3

54,6

30,3

8,6

43,9

2011/2010

10,2

9,5

-7,7

17,0

23,6

10,5

8,6

Fonte: Fenabrave. Elaboração MB Associados

Automóveis O segmento de automóveis apresentou crescimento de 7,2% no primeiro semestre, bastante superior à evolução ocorrida em igual período de 2010, de 3,3%. O resultado mostra a manutenção dos fatores básicos de demanda no período. A expectativa é de que esta taxa de crescimento desacelere no segundo semestre do ano, mas que, ainda assim, seja superior a 5%. Este cenário poderá ser revisto em função das alterações na condução da política monetária, que teve início no mês de setembro, com a queda de 0,5% na taxa básica de juros brasileira.

Comerciais Leves O segmento de comerciais leves segue ampliando a sua participação de mercado, crescendo acima do segmento de automóveis, mas em percentual inferior ao do ano passado. De janeiro a junho as vendas no segmento aumentaram 18,7% (No mesmo período do ano passado, o desempenho foi 26,3%). Neste segmento, a participação dos automóveis importados continua crescendo.

Caminhões As vendas de caminhões continuaram aquecidas, mas em patamar distinto de 2010 quando o crescimento do período foi de quase 55%, percentual praticamente insustentável. Em 2011, até o mês de junho, foram comercializadas 82,2 mil unidades, um crescimento de 17% em relação ao primeiro semestre de 2010. Neste mercado, a presença do financiamento do BNDES (Finame + PSI) é fundamental para a efetivação das vendas.

Ônibus O segmento de ônibus continuou apresentando um crescimento expressivo. Depois de uma expansão de 24% no primeiro semestre de 2010, cresceu mais 24% no primeiro semestre deste ano, totalizando uma comercialização de 16,4 mil unidades.

Motocicletas O segmento de motocicletas que foi bastante afetado pela crise em função da restrição de crédito em 2009. Recuperando-se em 2010 cresceu em percentual superior a um dígito (+10,5%) no primeiro semestre de 2011. A se confirmar a queda esperada de juros para um patamar mais próximo de 11% até o final do ano, o volume de crédito para este segmento poderá se expandir e se refletir em vendas mais elevadas no quarto trimestre.

Implementos Rodoviários O segmento de implementos rodoviários segue apresentando crescimento favorável, embora em patamares inferiores ao de 2010. No primeiro trimestre do ano passado, o segmento apresentou evolução de 44%, desacelerou para um percentual de 8,6%, devendo superar um volume de 30 mil pinos emplacados em 2011. Também neste setor, o papel do BNDES é fundamental no que se refere a recursos para o financiamento das vendas. FENABRAVE

3


Automóveis Evolução dos Emplacamentos Mensais 10 Semestre – 2006, 2007, 2008, 2009, 2010 e 2011

Fonte: DENATRAN

Os emplacamentos no setor de automóveis apresentou crescimento no primeiro semestre de 2011, alcançando 1,27 milhão de unidades no período.Comparando os primeiros seis meses de 2011 com os de 2010, quando foram negociados 1,2 milhão de unidades, o segmento cresceu 7,16%. O patamar é bem superior ao registrado no primeiro semestre de 2010 em relação a 2009, de 3,3%.

Participação Mensal dos Emplacamentos no 10 Semestre 2006, 2007, 2008, 2009, 2010 e 2011

Fonte: DENATRAN

No 1º semestre de 2011, a participação de mercado mensal se manteve estável, entre 14% e 18%, destacando somente o mês de maio, com 18,28%. FENABRAVE

4


Automóveis Série Histórica dos Emplacamentos Mês a Mês – 1997 ao 10 Semestre 2011

4

Fonte: DENATRAN

Mesmo respeitando a sazonalidade de vendas, mais fracas no primeiro semestre, o desempenho do segmento foi o melhor da história, registrando a marca de 1,27 milhão de unidades, frente a 2010 com 1,18 milhão de unidades.

FENABRAVE

5


Automóveis

Fonte: DENATRAN

Evolução dos Automóveis – Bicombustível - Por Montadora - 10 Semestre 2011

Fonte: DENATRAN

No primeiro semestre de 2011, a Fiat assumiu a liderança no segmento de bicombustível, com 287.090 unidades, seguida pela VW, com 279.837 unidades, e GM, com 252.459 unidades. FENABRAVE

6


Automóveis Participação e Volume dos Emplacamentos por Marca no 10 Semestre 2011

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATR AN

FENABRAVE

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATR AN

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATR AN

7


Automóveis Participação dos Emplacamentos por Marca no 10 Semestre 2011

Fonte: DENATR AN

Fonte: DENATRAN

A liderança, no primeiro semestre de 2011, foi conquistada pela FIAT, com 289.749 unidades, representando 22,74% do mercado. A marca liderou em todos os meses, com exceção de janeiro. A VW ficou 0,54 pontos percentuais abaixo da FIAT, com 22,21% do total. A GM ocupou a terceira posição, com 20,02% (atrás da VW 2,19 pontos porcentuais). A FORD manteve o quarto lugar com participação de 9,46%. A RENAULT registrou 6,05% de participação, enquanto a HONDA, 3,45% e a CITROEN, 2,83%. Já a PEUGEOT alcançou 2,82%, a HYUNDAI, 2,38% e a KIA, 2,19%.

FENABRAVE

8


Automóveis Participação dos Emplacamentos por subsegmento em 2011

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

FENABRAVE

9


Automóveis Evolução Percentual por subsegmento 2006 a 2011

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

FENABRAVE

10


Automóveis Evolução Percentual por subsegmento 2006 a 2011

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

FENABRAVE

11


Automóveis Evolução Percentual por subsegmento 2006 a 2011

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

FENABRAVE

12


Automóveis Evolução Percentual por subsegmento 2006 a 2011

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

FENABRAVE

13


Automóveis Frota Circulante, 1º semestre 2011

A frota está concentrada, principalmente, nas regiões Sudeste (56% do total) e Sul (21%). A idade média do segmento está em 13,4 anos.

FENABRAVE

14


Usados Automóveis Proporção entre Vendas de Automóveis Usados e Emplacamentos de Automóveis Novos / por Região Geográfica - 10 Semestre 2011

A proporção de veículos usados para veículos novos negociados é, na média, 2,8, superior ao mesmo período de 2010, com 2,7. A região Sul é a que apresenta maior proporção de usados negociados sobre novos: 3,7. Este número é semelhante ao primeiro semestre de 2010.

Percentual do Volume de Usados Negociados por Idade - 10 Semestre 2011

O gráfico reflete a negociação de automóveis usados considerando a sua idade. Observa-se que o volume de negociações dos automóveis de até 10 anos corresponde a 56,81% do mercado. FENABRAVE

15


Comerciais Leves Evolução dos Emplacamentos Mensais 10 Semestre – 2006, 2007, 2008, 2009, 2010 e 2011

Fonte: DENATRAN

No primeiro semestre de 2011 o crescimento relativo foi de 18,67%, somando 364.160 unidades, aquém do primeiro semestre de 2010, quando o setor registrou evolução nos emplacamentos na ordem de 26,29%.

Participação Mensal dos Emplacamentos nos 10 Semestres 2006, 2007, 2008, 2009, 2010 e 2011

Fonte: DENATRAN

Na distribuição das vendas, mês a mês, neste segmento, após fevereiro, os percentuais foram todos superiores a 16%, com destaque para o mês de maio, com 18,56%.

FENABRAVE

16


Comerciais Leves Série Histórica dos Emplacamentos Mês a Mês – 1997 ao 10 Semestre 2011 ´

Fonte: DENATRAN

O primeiro semestre de 2011 manteve o crescimento do segmento, registrando um percentual aquém de 2010, porém muito significativo.

Evolução dos Comerciais Leves – Bicombustível – por Montadora – 10 Semestre 2011

Fonte: DENATRAN

Observando o gráfico acima, a liderança permanece com a FIAT em comerciais leves, com motorização bicombustível, registrando emplacamentos de 70.160 unidades e participação de 36,43%. FENABRAVE

17


Comerciais Leves Participação e Volume dos Emplacamentos por Marca no 10 Semestre 2011

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

FENABRAVE

Fonte: DENATR AN

Fonte: DENATRAN

18


Comerciais Leves Participação e Volume dos Emplacamentos por Marca no 10 Semestre 2011

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATR AN

A FIAT liderou o segmento de comerciais leves durante todos os meses de 2011, com participação de 21,07% no 1º semestre, com 76.736 unidades emplacadas. Em seguida, a VW obteve uma participação de 15,12%, com 55.066 unidades. A diferença entre as duas montadoras foi de 5,95%. A GM, com 48.259 unidades emplacadas e com participação de 13,25%, ocupou a terceira posição, seguida pela FORD, com 35.455 unidades e participação de 9,74%. A MITSUBISHI apresentou participação de 6,90% no período. A marca HYUNDAI, com 24.202 unidades emplacadas, ficou com 6,65% do mercado. Na sequência, aparecem a TOYOTA, com 5,43%; KIA, com 3,52%; CITROEN, com 2,90% e HAFEI, com 2,20% de participação.

FENABRAVE

19


Comerciais Leves Participação dos Emplacamentos por subsegmento em 2011

Fonte: DENATRAN

Evolução Percentual por subsegmento 2006 a 2011

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

FENABRAVE

20


Comerciais Leves Evolução Percentual por subsegmento 2006 a 2011

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

FENABRAVE

21


Comerciais Leves Frota Circulante

A maior concentração da frota está na região Sudeste, seguida pela região Sul. A idade média deste segmento é de 11,9 anos (ligeiramente inferior aos 12 anos do mesmo período de 2010).

FENABRAVE

22


Usados Comerciais Leves Proporção entre Vendas de Comerciais Leves Usados e Emplacamentos de Comerciais Leves Novos / por Região Geográfica - 10 Semestre 2011

No caso dos comerciais leves, a proporção entre usados e novos é de 1,8 no Brasil, a mesma registrada em 2010. A exemplo dos automóveis, a Região Sul é a que apresenta maior proporção relativa de usados, com 2,2 para cada novo.

Percentual do Volume de Usados Negociados por Idade - 10 Semestre 2011

Em comerciais leves, os maiores volumes de vendas de veículos (com até 10 anos de uso) estão em até 4 anos de uso, com participação de 11,93% do mercado.

FENABRAVE

23


Caminhões Evolução dos Emplacamentos Mensais 10 Semestre –2006, 2007, 2008, 2009, 2010 e 2011

Fonte: DENATRAN

Os caminhões registraram crescimento de 17,02% comparando o primeiro semestre de 2011 com o de 2010. Foram emplacados 82.823 unidades, ante 70.778, respectivamente.

Participação Mensal dos Emplacamentos no 10 Semestre 2006, 2007, 2008, 2009, 2010 e 2011

Fonte: DENATRAN

Como nos demais segmentos, a distribuição dos emplacamentos de caminhões, ao longo do primeiro semestre de 2011, apresentou melhor participação a partir do mês de fevereiro. FENABRAVE

24


Caminhões Série Histórica dos Emplacamentos Mês a Mês – 1997 a 10 Semestre 2011 ´

Fonte: DENATRAN

Tendo como base o período acima analisado, 2011 manteve a curva de crescimento.

FENABRAVE

25


Caminhões Participação e Volume dos Emplacamentos por Marca no 10 Semestre 2011

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

De acordo com os gráficos acima, a VW foi líder do segmento com 30,45% de participação no primeiro semestre de 2011, à frente em todos os meses do período. A MERCEDES-BENZ ocupou o segundo lugar, com participação de 24,76%. Em terceiro lugar, ficou a FORD, com 17,10% do mercado, seguida pela VOLVO, com 10,73%, IVECO, com 8,21% e SCANIA, com 7,72%.

FENABRAVE

26


Caminhões Participação dos Emplacamentos por subsegmento em 2011

Fonte: DENATRAN

Evolução Percentual por subsegmento 2006 a 2011

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

FENABRAVE

27


Caminhões Evolução Percentual por subsegmento 2006 a 2011

Fonte: DENATRAN

SEMI PESADO 1º Sem. 2011 39,07%

1º Sem. 2006 33,21%

1º Sem. 2007 32,31% 1º Sem. 2010 35,42%

Fonte: DENATRAN

1º Sem. 2009 34,98%

1º Sem. 2008 35,23%

Fonte: DENATRAN

FENABRAVE

28


Caminhões Frota Circulante

A idade média do segmento é de 17,6 anos e os caminhões estão distribuídos, principalmente, nas regiões Sudeste e Sul do país.

FENABRAVE

29


Usados Caminhões Proporção entre Vendas de Caminhões Usados e Emplacamentos de Caminhões Novos / por Região Geográfica - 10 Semestre 2011

A proporção de caminhões negociados é de 2,0 usados para cada novo no Brasil. Como destaque, está a região Sul, com 2,3 usados para cada novo. No ano passado, o BRASIL registrou 2,1, e a região Sul, 2,4.

Usados Caminhões Percentual do Volume de Usados Negociados por Idade - 10 Semestre 2011

Os modelos com mais de 10 anos de uso correspondem a 67,47% do volume total negociado.

FENABRAVE

30


Ônibus

13.248 10.139

12.111

10.351

9.546

16.381

Evolução dos Emplacamentos Mensais 10 Semestre – 2006, 2007, 2008, 2009, 2010 e 2011

Fonte: DENATRAN

Acumulado

Mantendo a evolução no segmento o primeiro semestre de 2011 apresentou crescimento de 23,65%, menor que o registrado em 2010, de 30,66%. Todos os meses de 2011 foram superiores a 2010.

Participação Mensal dos Emplacamentos no 10 Semestre 2006, 2007, 2008, 2009, 2010 e 2011

Fonte: DENATRAN

O volume de vendas mês a mês apresentou pouca variação, com destaque para março, com desempenho superior.

FENABRAVE

31


Ônibus Série Histórica dos Emplacamentos Mês a Mês – 1997 ao 10 Semestre 2011 ´

Quando se observa o histórico dos emplacamentos, verifica-se a sustentação do crescimento no primeiro semestre de 2011.

FENABRAVE

32


Ônibus Participação e Volume dos Emplacamentos por Marca no 10 Semestre 2011

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATR AN

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATR AN

No segmento de ônibus, a M. BENZ liderou a comercialização no primeiro semestre, mantendo a primeira posição em todos os meses. A montadora atingiu participação de 42,93%, emplacando 7.033 unidades no período. A VW, segunda colocada, com 5.414 unidades, ficou com 33,05% de participação. A MARCOPOLO emplacou 1.984 ônibus, equivalente a 12,11% e, a IVECO, fechou o semestre representando 4,27% do mercado. A SCANIA ficou com 3,08% e a AGRALE, 2,46%.

FENABRAVE

33


Ônibus Frota Circulante

Em 2011, a idade média da frota de ônibus foi de 14,7 anos (2010 = 14,6). A exemplo dos outros segmentos, a maior concentração de ônibus encontra-se na região Sudeste.

Usados Ônibus Proporção entre Vendas de Ônibus Usados e Emplacamentos de Ônibus Novos / por Região Geográfica - 10 Semestre 2011

A proporção de ônibus negociados, na média, é de 1,4 usados para cada novo. Em 2010, essa proporção era de 1,7 usados. FENABRAVE

34


Usados テ馬ibus Percentual do Volume de Usados Negociados por Idade - 10 Semestre 2011

As vendas de テエnibus usados estテ」o concentradas em modelos com mais de 10 anos, correspondendo a 63,64%.

FENABRAVE

35


Motocicletas Evolução dos Emplacamentos Mensais 10 Semestre – 2006, 2007, 2008, 2009, 2010 e 2011

Fonte: DENATRAN

No primeiro semestre de 2011, o desempenho de vendas de motocicletas manteve o crescimento frente a 2010, registrando 10,47%, percentual maior que em 2010, de 8,56%. Neste período, foram comercializadas 918,2 mil unidades.

Participação Mensal dos Emplacamentos no 10 Semestre 2006, 2007, 2008, 2009, 2010 e 2011

Fonte: DENATRAN

A distribuição das vendas de motocicletas, ao longo do primeiro semestre, não apresentou grandes oscilações. Vale a pena destacar a performance do setor no mês de maio. FENABRAVE

36


Motocicletas Série Histórica dos Emplacamentos Mês a Mês – 1997 a 10 Semestre 2011 ´

Fonte: DENATRAN

Pelo gráfico acima, nota-se queda nos níveis de emplacamentos no segmento de motocicletas.

FENABRAVE

37


Motocicletas Participação e Volume dos Emplacamentos por Marca no 10 Semestre 2011

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATR AN

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

FENABRAVE

Fonte: DENATR AN

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

38


Motocicletas Participação e Volume dos Emplacamentos por Marca no 10 Semestre 2011

Fonte: DENATR AN

Fonte: DENATRAN

A liderança da HONDA se manteve durante o primeiro semestre, registrando, participação de 79,01%. A YAMAHA vem em seguida, com participação 11,61% e 106.623 unidades emplacadas. A DAFRA ocupa a terceira posição, com 2,56%, à frente da SUZUKI, com 2,24%. A KASINSKI apresentou no primeiro semestre participação de 1,41%. A KAWASAKI emplacou 5.134 unidades e ficou com 0,60% do mercado. Em seguida, aparece a SHINERAY, com 4.506 unidades emplacadas e uma participação de 0,49%. A TRAXX registrou participação de 0,48% do mercado, com 4.452 unidades, seguida por SUNDOWN e IROS, com 0,26% e 0,24%, respectivamente.

FENABRAVE

39


Motocicleta Participação dos Emplacamentos por subsegmento em 2011

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

FENABRAVE

40


Motocicleta Evolução Percentual por subsegmento 2006 a 2011

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

FENABRAVE

41


Motocicleta Evolução Percentual por subsegmento 2006 a 2011

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

FENABRAVE

42


Motocicleta Evolução Percentual por subsegmento 2006 a 2011

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

FENABRAVE

43


Motocicletas Frota Circulante

A idade média da motocicleta no Brasil é de 7,4 anos. A Região Sudeste possui a maior frota em circulação ( 6,8 milhões de unidades), com idade média de 8,2 anos.

FENABRAVE

44


Usados Motocicletas Proporção entre Vendas de Motocicletas Usadas e Emplacamentos de Motocicletas Novas / por Região Geográfica - 10 Semestre 2011

A proporção de motocicletas negociadas, em média no Brasil, é de 1,2 usada para cada nova.

Usados Percentual do Volume de Usadas Negociadas por Idade - 10 Semestre 2011

As vendas de motocicletas usadas se concentram em modelos de até 6 anos de fabricação. FENABRAVE

45


Máquinas Agrícolas Evolução dos Emplacamentos Mensais 10 Semestre – 2006, 2007, 2008, 2009, 2010 e 2011

Fonte: DENATRAN

No primeiro semestre 2011, o setor de máquinas agrícolas caiu 23,32%, vindo de um crescimento de 51,75% no mesmo período de 2010. Na verdade, esta queda de comercialização está associada ao desempenho de 2010, quando o setor apresentou resultado acima das expectativas.

Participação Mensal das Vendas nos 10 Semestres - 2006, 2007, 2008, 2009, 2010 e 2011

Fonte: DENATRAN

Houve, a partir de fevereiro de 2011, maior concentração nos emplacamentos.

FENABRAVE

46


Máquinas Agrícolas Série Histórica das Vendas Mês a Mês – 1997 ao 10 Semestre 2011 ´

Fonte: DENATRAN

As vendas de máquinas agrícolas apresentaram, ao longo do primeiro semestre de 2011, uma forte, que no seu volume comercializado.

FENABRAVE

47


Implementos Rodoviários Evolução dos Emplacamentos Mensais 10 Semestre – 2006, 2007, 2008, 2009, 2010 e 2011

Fonte: DENATRAN

Depois de uma recuperação em 2010 em níveis de 44,79% de crescimento, o segmento retorna a patamares menores, mesmo assim, mantém crescimento de 8,57% em 2011.

Participação Mensal dos Emplacamentos no 10 Semestre - 2006, 2007, 2008, 2009, 2010 e 2011

Fonte: DENATRAN

Também nesse segmento, nota-se que a distribuição das vendas, mês a mês e ao longo do semestre, não apresentou grandes oscilações, com destaque para os meses de março, abril e maio.

FENABRAVE

48


Implementos Rodoviários Série Histórica das Vendas Mês a Mês – 1997 ao 10 Semestre 2011 ´

Fonte: DENATRAN

Observa-se nitidamente a recuperação desse segmento em 2011.

FENABRAVE

49


Implementos Rodoviários Participação e Volume dos Emplacamentos por Marca no 10 Semestre 2011

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATRAN

Fonte: DENATR AN

Fonte: DENATR AN

No segmento de implementos rodoviários, a RANDON ficou em primeiro lugar, com 9.634 unidades emplacadas e 33,38% de participação. Em seguida vem a FACCHINI, com 3.808 unidades, refletindo participação de 13,19%. A GUERRA teve participação de 9,68%, com 2.793 unidades emplacadas, enquanto a LIBRELATO ficou com participação de 7,68%, o que representa 2.216 unidades. Na sequência vem a NOMA, com 7,50% e RODOLINE, com 2,86%.

FENABRAVE

50


Implemento Rodoviário Frota Circulante

A idade média dos implementos no Brasil é de 8,5 anos. A Região Sudeste possui a maior frota em circulação (225 mil unidades), com idade média de 8,7 anos.

FENABRAVE

51


Usados Implemento Rodoviário Proporção entre Vendas de Implemento Rodoviário Usados e Emplacamentos de Implemento Rodoviário Novo / por Região Geográfica 10 Semestre 2011

A proporção de implementos negociadas, em média no Brasil, é de 1,0 usado para cada novo.

Usados Percentual do Volume de Usados Negociadas por Idade - 10 Semestre 2011

As vendas de implementos usados se concentram em modelos de até 10 anos de fabricação. FENABRAVE

52


Crescimento do PIB - Oferta e Demanda 2010-2011 (% - Preços de Mercado)

Fonte: IBGE. Elaboração e projeção: MB Associados. (02/09/11)

A economia brasileira está se ajustando a um crescimento próximo a 4% para os próximos dois anos, após ter evoluído 7,5% em 2010, patamar acima do crescimento potencial. Do lado da oferta, o setor que apresentou maior desaceleração foi o da indústria de transformação, que tinha se destacado em termos de crescimento em 2010. Também o setor da construção civil está se ajustando a um novo patamar de demanda. Do lado da demanda, o consumo das famílias e os investimentos seguem se destacando no crescimento brasileiro.

FENABRAVE

53


Inflação (IPCA) em 2010

Após ter se mantido consistentemente próximo à meta nos últimos anos, o IPCA começou a apresentar aceleração no primeiro semestre de 2010. A aceleração da demanda e a elevação dos preços das commodities, tanto agrícolas quanto metálicas deram inicio ao processo de aceleração da inflação no ano passado. Após a aceleração, o índice mudou de patamar e neste ano já superou o teto da meta. A expectativa é de que o IPCA encerre 2011 em 6,5% e, em 2012, com 5,7%, sem, em nenhum momento, buscar o patamar do centro da meta. Estes números poderão ser diferentes em função da nova política monetária adotada pelo Banco Central a partir do mês de setembro, quando iniciou um processo de redução da taxa Selic. A menos de uma crise internacional de liquidez provocada por algum episódio de crédito (onde o maior risco é a Europa), o patamar da inflação poderá se manter ainda bastante elevado. Vale destacar que os preços dos serviços estão crescendo a 8,9% em 12 meses e que devem superar os 9% até o final do ano.

FENABRAVE

54


Massa real de renda e ocupação Crescimento acumulado em 12 meses em %

A massa real de renda vai continuar se expandido acima da inflação como vem ocorrendo desde 2006. Embora não atinja os níveis do ano passado, a renda segue crescendo em patamar próximo a 6%, sinalizando a continuidade do crescimento da demanda. Mesmo em 2011, quando o ritmo de atividade geral desacelerou, o mesmo não aconteceu com a massa de renda, significando que a economia continua aquecida e de forma generalizada.

FENABRAVE

55


Evolução do crédito para veículos (crescimento acumulado em 12 meses)

FENABRAVE

56


Inadimplência acima de 90 dias em relação ao total da modalidade (%)

FENABRAVE

57


Setor da Distribuição As vendas do setor automotivo seguem evoluindo em 2011 e em 2012, com taxas inferiores à media de 2010. Para a consistência do mercado, crescer menos e crescer sempre é o mais razoável, evitando grandes movimentos de stop and go na produção e comercialização dos produtos. O crescimento médio, em 2011, deverá ser de 8,6% (12,4% em 2010). Caminhões e implementos devem continuar se destacando. Automoveis e Comerciais leves

Total

Caminhões

Ônibus

Motos

Implementos

2005

11,3

10,5

-4,3

-13,4

16,4

-11,4

2006

15,7

12,2

-3,9

27,6

23,5

0,9

2007

24,2

22,8

22,0

1,2

26,8

17,5

2008

14,2

14,1

24,9

18,9

12,7

34,3

2009

-0,1

23,6

-11,4

-14,3

-16,4

-10,2

2010

12,4

10,6

44,4

25,3

12,1

46,2

2011

8,6

5,9

17,7

11,4

12,1

18,9

Fonte: IBGE. Elaboração e projeção: MB Associados. (02/09/11)

I.

Automóveis e Comerciais Leves

Os segmentos de automóveis e comerciais leves seguem apresentando desempenhos positivos em função do crescimento da renda e da expansão do crédito. A se confirmar o cenário de queda mais forte da taxa de juros, a evolução das vendas pode ser maior do que as expectativas.

II.

Ônibus

O mercado de ônibus é pequeno em termos de número de unidades, mas tem evoluído positivamente nos últimos 5 anos. A exceção foi o ano de 2009, quando a crise internacional afetou o desempenho da economia brasileira e o setor automotivo como um todo. Além disso, o próximo ano é eleitoral, o que significa gastos, em 2011, nas prefeituras que administram o transporte público. .

III.

Caminhões

O segmento de caminhões, que também vem apresentando resultado muito positivo nos últimos anos, segue com desempenho próximo a 20%. O crescimento do país tem contribuído para que o uso do caminhão não seja apenas na agricultura, mas em outros setores da economia a exemplo da construção civil, mineração, logística, entre outros. Neste segmento, o financiamento do BNDES é fundamental para o mercado.

IV.

Implementos Rodoviários

A exemplo dos caminhões, o segmento vem desempenhando números positivos, apoiado no crescimento dos setores influenciam também no mercado de caminhões.

V.

Motocicletas

As motocicletas estão crescendo pelo segundo ano consecutivo. Com a manutenção de emprego e a queda de juros, este segmento, cuja dependência do crédito é absoluta, vem sustentando patamares bastante satisfatórios de comercialização de produtos.

FENABRAVE

58


Conselho Diretor Presidente dos Conselhos Deliberativo e Diretor – Sergio Antonio Reze

Presidente Executivo – Alarico Assumpção Junior Vice-Presidente – Alarico Assumpção Júnior Vice-Presidente – Aldair Câmara Vice-Presidente – Alencar Burti Vice-Presidente – Apolo Jorge Rizk Vice-Presidente – Edson Luchini Vice-Presidente – Elias dos Santos Monteiro Vice-Presidente – Ênio Sardagna Vice-Presidente – Flávio Meneghetti Vice-Presidente – Glaucio José Geara Vice-Presidente – José Carneiro de Carvalho Neto Vice-Presidente – Mario Orlandi Júnior Vice-Presidente – Mário Sérgio Moreira Franco Vice-Presidente – Mauro De Stefani Vice-Presidente – Octávio Leite Vallejo Vice-Presidente – Ricardo Teixeira de Stefani Vice-Presidente – Waldemar Verdi Júnior

Semestral do Setor de Distribuição de Veículos Automotores no Brasil/2011. Elaborado pela Assessoria Econômica Interna da FENABRAVE Revisado e Complementado por MB Associados Revisão Ortográfica: MCE-Mazzuchini Comunicação e Eventos Outubro / 2011

FENABRAVE

59


Balanço semestral 2011