Page 1

::::

FĂŞ Luz

::::

feluz.liluah@gmail.com artefeluz.wordpress.com 55 48 996617737 / 32049383


Livros

Dormir Pedra Acordar Passarinho, 2000. Escrito com Loren Fischer. Letras Contemporâneas Pequenas Quinquilharias para Colecionadores Precoces, 2002. Edição do Autor Verbalizações do Amor em Transe, 2010. Edição do Autor


Palavra em Fluxo 2017/2016, poesia sonora-videopoesia-objeto (Lisboa, Florianรณpolis) :: https://www.youtube.com/watch?v=lc8RmJUb1OA https://issuu.com/feluz/docs/palavra_em_fluxo


Território Poético 2017/2013, intervenção urbana (Florianópolis, Itajaí, São Paulo)


Território Poético 2016, Mural da Cultura (Mercado Público de Florianópolis)


Territรณrio em Risco 2018/2017, Museu de Arte de Santa Catarina e Faferia (Florianรณpolis)


Vendem-se Frases Avulsas 2017/2009, intervenção urbana/ múltiplo (Florianópolis, São Paulo, Rio de Janeiro, Genebra, Lisboa)


Vendem-se frases avulsas 2017, Galeria da Universidade Federal Fluminense (Niterรณi)

Museu de Arte de Santa Catarina (Florianรณpolis)


Zonas de Acesso 2018, Museu Victor Meirelles e Feira Flamboiรฃ (Florianรณpolis)


Conectivos 2016, instalação sonora, Museu Cruz e Souza (Florianópolis) :: https://soundcloud.com/feluz/conectivos


In Deriva, 2012/2013, Intervenção urbana-vídeo, com Sarah Pusch e participação de Thaís de Carli (Florianópolis) :: https://www.youtube.com/watch?v=zbyVt9O8lTU&list=PLE9dU89jBju_jAAfFIKqwsQ_FJ0veWf9Q&index=11


Impressões na Pedra 2015/2016, intervenção urbana (Florianópolis)


Caos na Margem 2015, instalação, (paisagem sonora-foto-objeto-video) com Lela Martorano (Florianópolis):: https://www.youtube.com/watch?v=shUy5YffNvU&list=PLE9dU89jBju_jAAfFIKqwsQ_FJ0veWf9Q&index=14


De como transportar um ovo na sala de espera 2011/2013, Performance com Renata de Lélis (Florianópolis e Porto Alegre) https://decomotransportarumovonasaladeespera.wordpress.com/ e https://www.youtube.com/watch?v=7-S_fyAV_LA&list=PLE9dU89jBju_jAAfFIKqwsQ_FJ0veWf9Q&index=10


Metade coisa Metade nĂŁo coisa 2013/2014, objeto (FlorianĂłpolis)


Derivações de Ocupação do Objeto Constante 2006, instalação (Florianópolis)


Derivações de Ocupação em 3 Versos 2007, intervenção urbana / múltiplos (Espanha)


Território Andar-Ilha 2003/2005, Desenho-Objeto-Pintura-Instalação-Múltiplos (Florianópolis)


Objetos-Hรกbitos 2005/2003, Objeto-Assemblagem (Florianรณpolis)


Inutilezas 2003/2001, Objeto-Assemblagem (Florianรณpolis, Porto Alegre, Rio de Janeiro)


Objetos-Policombináveis 2002/2000, Intervenção urbana-Desenho-Objeto-Pintura-Gravura-Vídeo (Florianópolis)


Fê Luz – Fernanda Cirimbelli da Luz - Poeta multimídia. Araranguá, Santa Catarina – Brasil, 1976. Reside em Florianópolis desde 1983. Bacharel em Artes Plásticas pela Universidade do Estado de Santa Catarina, 2002. Trabalha com Poesia expandida, produzindo textos, imagens, sons e objetos, em projetos individuais e coletivos. Desenvolve paisagem sonora; vídeo; intervenção urbana; instalação; pintura; desenho e múltiplos. Coletivamente tem trabalhado também, com dança e performance. Autora de três livros de sua autoria com dois deles premiados. Seu trabalho já circulou pelas cidades: Florianópolis, Itajaí, Blumenau, Criciúma, Joinville, Porto Alegre, Londrina, Belo Horizonte, São Paulo, Rio de Janeiro e Ceará, Genebra, Havana, Granada, Barcelona, Málaga, Lisboa e Paris. Livros: - 2010: “Verbalizações do Amor em Transe”, Edição do Autor. / - 2002: “Pequenas Quinquilharias para Colecionadores Precoces”, Edição do Autor / - 2000: “Dormir Pedra / Acordar Passarinho”, com Loren Fischer, Letras Contemporâneas. Prêmios, Editais e Salões: -2017/2018: Edital Elisabeth Anderle. “Qual é o seu cenário?”. Fundação Catarinense de Cultura. Poesia Sonora para dança contemporânea de Zilá Muniz - Grupo Ronda, Florianópolis. Em Processo. -2017: “Bienal Internacional de Curitiba – Polo Santa Catarina”, Museu da Escola Catarinense (MESC) na Mostra “Antípodas Contemporâneas”, com Fotos da série “Território Poético”. - 2015: Edital Fundação Badesc – Espaço 2, “Caos na Margem”, com Lela Martorano. Florianópolis, SC. - 2014: 13º Salão Nacional de Artes de Itajaí, “Território Poético”. Curadoria Josué Mattos. - 2010: Prêmio Artes Cênicas na Rua pela FUNARTE, “Projeto Obra Viva”, com Circoloko Alucinações, SC. - 2002: Edital de Apoio a Criação e Produção - Fundação Catarinense de Cultura, Prêmio Livro “Pequenas Quinquilharias para Colecionadores Precoces”. Independente e 2000, mesmo Edital Prêmio Livro “Dormir Pedra Acordar Passarinho”, Escrito com Loren Fisher. Editora Letras Contemporâneas. - 1999: Prêmio Projetos Culturais Brasiltelecom, “Construção Humana - Mostra Coletiva de Arte”, Florianópolis, SC. Projetos e Exposições Individuais: -2017: “Palavra em Fluxo” – Irreal, Lisboa. -2017: “Território em Risco” – Faferia DNA de Arte, Florianópolis. -2016: “A memória da Linha”, retrospectiva 19 anos – Restaurante Villa do Camarão, Florianópolis. -2016: “Conectivos”, intervenção sonora urbana – Feira Flamboiã no Museu Histórico Cruz e Souza, Florianópolis. - 2016: “Escape” – Mural da Cultura, Fundação Franklin Cascaes. Mercado Publico, Florianópolis. - 2016/ 2015: “Palavra em fluxo”- Museu da Imagem e do Som/SC, Florianópolis. - 2014/ 2013: “Vendem-se Frases Avulsas”, Projeto Território das Artes - Fundação Franklin Cacaes em Florianópolis; Clube Famingo e A Casa Branca em São Paulo e 2009: “Vendem-se Frases Avulsas”, Projeto Enter, SESC-SC. - 2013: “Metade Coisa Metade Não Coisa”, Fundação Cultural Hassis, Fpolis. Curadoria Lela Martorano. - 2007: “Dibujos”, Al Altilho, Granada (Espanha). -2007: “Derivações do Objeto Constante”, Granada, Sevilha, Cádiz e Barcelona (Espanha).


- 2005: “Objetos-Hábitos”, Museu Histórico de Santa Catarina Cruz e Souza, Florianópolis. - 2004: “Inutilezas”, Museu de Arte de Santa Catarina (Florianópolis); Letras e Expressões e Dama de Ferro (Rio de Janeiro); Zelig (Porto Alegre). - 2002: “Objetos Policombináveis”, Galeria Lindolf Bell/ Centro Integrado de Cultura, Florianópolis. Projetos Coletivos e Residências: -2018: “Desterro-Desaterro”. Coletiva 70 anos MASC. Museu de Arte de Santa Catarina. Curadoria Josué Mattos. -2918: “Reunião do Clube do Múltiplo”. Mostra Coletiva. Museu Victor Meireles, Florianópolis. -2018/2017: “homeostase-the wrong new digital art bienalle”. Centro Cultural São Paulo. Curadoria Loveletter. - 2017: “Ale Pow”, tranzinema – filme independente de Pedro Paulo Rocha. Fragmento de Poema Sonoro narrado. São Paulo e Buenos Aires. - 2017: “Projeto Armazém”: Mostra de múltiplos “Anúncios, enunciados e outras palavras” no MASC (Museu de Arte de Santa Catarina)-Florianópolis e na Galeria da UFF – Niterói, através do Projeto Territórios da Arte. Outras Mostras Armazém em: UNESC –Criciúma; Projeto Pretexto, SESC-Joinville; Coletivo Elza edição Cartaz-Florianópolis e Coletivo Nacasa-Florianópolis e Centro de Artes da UDESC (Universidade do Estado de Sta. Catarina)- Florianópolis. -2017: “Ciberyun 17”, revista coletiva. Xll Bienal Internacional do livro de Ceará. -2017: “Longe. Estado Indefinido”, Paisagem Sonora para exposição de Lela Martorano. Galeria Antinoo, Málaga (Espanha) e Galeria Veccetti, Fpolis (Brasil). - 2016: “Vestígio-Contágio”, Residência de escrita coletiva. Curadoria Telma Scherer e Marcos Walickosky. Memorial Meyer Filho, Florianópolis. - 2016: “Aurora”. Edital Elisabeth Anderle, Fundação Catarinense de Cultura. Poesia Sonora para Dança Solo de Egon Seidler. Teatro Sesc Prainha, Igreja de Pedra Rio Tavares e Museu Histórico Cruz e Souza, Florianópolis. - 2016: “Pior de Mim”. Edital Elisabeth Anderle. Fundação Catarinense de Cultura. Poesia Sonora para Performance de Mônica Siedler. Teatro Armação; Fundação Cultural Badesc e UFSC, Florianópolis. - 2016: “Intersecções com a Paisagem”, Mostra de videoarte. Curadoria Juliana Crispe, Museu Victor Meirelles. - 2015: “Eis senão quando...”, Residência no Sítio Arte e Educação Cowork (Florianópolis). Curadoria Kamila Nunes. - 2014 e 2012: “Mostra de videopoema Londrix”. Festival Literário. Londrina, Paraná. - 2013: “Festival dês 4 vents”, Cidade de Genebra/Suíça. Curadoria Garance Zarn. - 2011: “Mostra Nacional de Videoarte”. III Bienal da Escola de Belas Artes”. Casa de Cultura Prof.Almir Paredes. RJ. - 2011: “Obra Viva”. Com Circoloko Alucinações. Prêmio FUNARTE 2010/ Artes Cênicas de Rua. Florianópolis. - 2011 e 2012: “Sala 209 – Usina do Gasômetro”, Residência Artística Porto Alegre, com a performance “ De como transportar um ovo na sala de espera”, com Renata de Lélis. Porto Alegre (Mostra Movimento, Usina do Gasômetro e Galeria La Photo) e Florianópolis (Casa das Máquinas). - 2010: “7º Concurso de Conto e Poesia”, Membro da Comissão Julgadora. Sinergia, Florianópolis. - 2010: “Buskashi”. Com Erro Grupo. Performance/Intervenção Urbana. Projeto Palco Giratório. SESC-SC. -2007;2004; 2003 e 2002: “Pequenas Quinquilharias Para Colecionadores Precoces”. Com Marina Lima e Marcela Reichelt. Trilha sonora para dança contemporânea. Inserções nos lançamentos em Florianópolis, Porto Alegre e RJ. -2006: “Pretexto”. Exposição Coletiva de Arte. Curadoria Fernando Lindote. Sesc Prainha e FFC, Fpolis. -2004: “Pra quem sonha colorido”. Com Zilá Muniz. Vídeo-Cenário de Dança Contemporânea”. Festival de Dança “Conexão Sul”. Teatro da UFSC, Florianópolis. -2003: “Dois” com Loren Fischer. Cenário, Figurino e Sonoplastia. Círculo Ítalo Brasileiro, Florianópolis.


-2002: “Mágicos Navegadores” com Grupo XPTO (Osvaldo Gabrielli, São Paulo). Construção de Objetos Cênicos. Costão do Santinho Resort, Florianópolis. Publicações virtuais: -2016: Entrevistada “La radio poesia”, por Ale Gabeira e Raysa Cury. http://twitcasting.tv/laradiopoesia/movie/333772273 -2016: Poesia Sonora na “Radio Synradio” de Paris, com curadoria de Renata Roman de música experimental latino americana. http://synradio.fr/renata-roman-surwebsynradio-2/ -2016: Ilustração e edição do mês na “Linda – Revista de cultura eletroacústica”. http://linda.nmelindo.com/category/fe-luz/ -2016: Ilustração e texto de Lela Martorano sobre o projeto “Território Poético” na Revista “Interartive – a plataform for contemporany art and trought”. http://interartive.org/2016/05/fe-luz-poetic-territory/ -2016: Texto para videopoesia de Sandra Alves “uma nova morte pra acordar um velho sonho”. https://vimeo.com/channels/vagaluzesfilmes/169332898 - 2015: Poesia Sonora na coletânea “América Latina entre ruídos e ruínas”, Coletânea Musical Dissonance From Hell. Curadoria Jhones Silva. https://dissonancefromhell.bandcamp.com/album/v-a-dissonance-from-hell-america-latina-entre-ru-dos-y-ru-nas - 2015: Poesia Sonora na coletânea “Poliphonias”, Coletânea Poética Farândola Cultural. https://soundcloud.com/farandola/derivacoes-de-ocupacao-do-objeto-fe-luz Publicações impressas: -2017: “Bienal Internacional de Curitiba – Polo Santa Catarina”, Museu da Escola Catarinense (MESC). -2016: Menção no catálogo “Fundação Badesc 2014-2015”, Florianópolis. - 2014: Menção no livro “Construtores das Artes Visuais em Santa Catarina vol2”, Tempo Editorial, Fpolis. - 2013: Revista “Recibo”, texto “Ataque”, Recife. Traplev agenciamentos. - 2010: Livro “Vôo Independente”, texto “Sente na pele da palavra”. Antologia da AGEI, Porto Alegre. - 2009: Catálogo “Tons e Poesias”, letra com Daniel da Luz. Fundação Cultural Hassis, Florianópolis. - 2006: Catálogo “Pretexto”, exposição coletiva de arte. Sesc Prainha; Fundação Franklin Cascaes, Fpolis. - 2005: Jornal “Ô Catarina”, poemas. Fundação Catarinense de Cultura, Florianópolis. - 2004: Catálogo “Transportas”, texto “Restos de Pintura/Traços de Memória” para Lela Martorano. SESC/SC. Feiras de Arte: -2017: “Feira Flamboiã”. Ocupação ruas de Florianópolis. -2017: “FAF (Feira de artes de Florianópolis)”. Faf Stencil e Faf Gravura. Teatro Armação- Florianópolis. -2016: “Feira Flamboiã”. Museu Histórico de Santa Catarina (Cruz e Souza). Florianópolis. -2015: “Feira da Baronesa”. Centro Cultural SESI-Curitiba. -2015: “MOSQ – Feira de Artes Visuais”. Passeio Pedra Branca- Palhoça. -2014:”Projecto Múltiplo #7”. Espaço do Conhecimento, UMFG- Belo Horizonte. -2010 e 2004: Feira do Livro de porto Alegre -2001: Feira do Livro de Havana – Cuba.


Congressos, Worshops, Oficinas e Palestras: -2017: Workshop “Textando” com Fábio Morais. SESC Prainha, Florianópolis. -2017 e 2015: Palestrante em “Raias Poéticas – Afluentes Íbero-Afro-Americanso de Arte e Pensamento”. Casa das Artes-Vila Nova de Famalicão, Portugal. Curador Luís Serguilha. -2010: Oficina “Incursões Urbanas” com Newton Goto. Museu Victor Meirelles, Florianópolis. -2010: Palestrante em “Intervenções Poéticas”, para a disciplina Teoria da Literatura III – Letras, UFSC. Fpolis. -2009: Oficineira em “Oficina de Objetos”. Projeto Imersão das Artes. Escola Sarapiquá. Florianópolis. -2008: Palestrante: “Poesia Interativa”. Fundação Franklin Cascaes, Casa da Memória, Florianópolis. -2008: Oficina “Folia das falas” com Ronald Augusto. SESC Prainha, Florianópolis. -2007: Worshop “Arte Contemporânea” com Tadeu Chiarelli. SESC Prainha, Florianópolis. -2006: Worshop: “Processos contemporâneos” com Iole de Freitas. SESC Prainha , Florianópolis. -2006: Palestrante com Crica Gadotti, Fernando Lindote e Rosângela Cherem: “Interfaces Contemporâneas”. Projeto Assim-Hassis. Museu Victor Meirelles, Florianópolis. -2005: Oficina “Ilustração Poética” com Fernando Lindote. SESC Prainha, Florianópolis. -2005: Oficineira com Crica Gadotti: “Grafite”. APAE, Florianópolis. -2004: Oficina “Grafitti” com Guto Lacaz. Festival de Artes de Palmas, Governador Celso Ramos. -2003: Worshop “A (Des)Construção da crítica estética contemporânea” com Waltércio Caldas. UFSC, Fpolis. -2002: Oficina “Pintura Mural ”com Carlos Mattuck. Centro de Artes da UDESC, Florianópolis. -2000: Oficina “Xilogravura” com Rubem Grillo. Centro Integrado de Cultura, Florianópolis.

Saiba mais em: www.artefeluz.wordpress.com site oficial https://www.youtube.com/c/F%C3%AALuz canal vídeos https://soundcloud.com/feluz canal áudios https://www.facebook.com/featelieshop/ fanpage


Algumas matĂŠrias produzidas sobre a artista


Alguns textos produzidos sobre a artista

Basta acionar um interruptor de tomada para atender ao delírio de Fê Luz. O cotidiano inspira as associações mais curiosas na obra da artista, uma habilidosa catadora de “inutilezas”. Fê resgata e analisa cuidadosamente cada objeto encontrado, rearticula e subverte sua função, criando “zonas de conforto” e de tensão, onde utensílios habituais jogam com universos possíveis e impossíveis, abrindo uma dimensão surpreendente que atravessa a subjetividade, e ao mesmo tempo questiona o nosso entendimento. “Cadeiras-tomada”, torneiras de areia, interruptores desenhados, tomadas duplas, chaves e talheres, que podem revelar-nos detalhes de um universo íntimo e transcedental, onde os delicados limites da palavra se desfazem constantemente e se refazem em novas linguagens. O conjunto de sua obra é resultado de uma incessante pesquisa da “palavra-coisa”, que transita entre as páginas de um livro e os muros da cidade, entre a pintura e o objeto, caminha desde o território fulgaz da performance, da musica e da dança até o registro e suporte do video. Entre encontros casuais e pensamentos profundos, Fê Luz desafia nossa percepção através de seu mundo, ora lúdico, ora lúcido, e alerta: “seu sistema pode estar em risco”. Lela Martorano /artista plástica e mestre em artes visuais, Espanha.

(...) Começando pelo corpo elaborado por Fê Luz para suas reflexões, é possível ingressar aos poucos no universo de sua obra nascente. (...) A base autoral no trabalho de Fê é evidente. Ela articula um repertório que se por um lado se nutre da variada oferta oferecida pela cidade, por outro lado é bastante resumido. (...) Quando resignifica elementos encontrados, em trabalhos de caráter intimista, de forte ressonância confessional, é onde escuto mais generosamente a fala da cidade. É como se ao incorporar esses elementos descartados do coletivo, ela ouvisse a muitos de nós ao ouvir a si mesma.(...) Torna o lixo visual, imagens e objetos da cidade, parte do seu repertório, devolvendo ao corpo social na forma de sua produção no circuito de arte. (...)É evidente, na minha opinião e, neste sentido pressuponho um certo consenso, que o trabalho de Fê Luz elabora com obscessão e profundidade questões do desenho e da escrita, num vocabulário já muito pessoal, restrito e próprio. Ela sabe de sua genealogia e elabora fusões muito ricas, paralela a de outros artistas e escritores que talvez nem conheça. E se escrita e desenho parecem ter para a artista um peso equivalente, não se confundem. Talvez porque desenvolva trabalhos com texto paralelamente à sua produção plástica. Percebo mais uma equivalência, que resguarda, no entanto, o específico de cada linguagem. Se observarmos seu livro de Conclusão de Curso e sua produção literária, poderemos ver um repertório forte, pessoal, obsessivo e cuidadoso, que de tão íntimo e aprofundado em seu processo, rompe as próprias noções teóricas que os justificam conceitualmente, gerando outras tantas possibilidades de reflexão e leitura. Fernando Lindote /artista plástico e curador.


Num tempo onde nossos hábitos são “ditados” ao devir de modelos de consumo e, portanto, rapidamente descartados, o trabalho plástico de Fê Luz transcende essa lógica. A série “Objetos-Hábitos” vem de uma coleta de pensamentos e componentes iniciada em 2003, prática que tem sua raiz na série “Inutilezas” de 2001. A artista requisita e personaliza, em seu cotidiano, elementos dos quais divide em três classes de importância: os divertidos, os sinistros e os preciosos...Congratulando, assim, o casualmente banal em artifício de sua poética. Cada item (a)colhido até então esquecido dentro de um tempo de relógio parado passa da fantasmagoria de resíduo do dia-a-dia para a simbologia do universo da criação, gerindo delicadas obras que resguardam a memória coletiva. Deste modo, Fê Luz restitui significância ao diminuto, ao sem valor aparente, tornando esses subprodutos do evento cotidiano, pequenos tesouros até então perdidos em todos nós. Marília C. Machado /artista plástica e mestre em teoria literária, UFSC.

Tudo se exsolve num theatrum de indeterminações, tudo volta metamorficamente na paleonímia, tudo ressurge-desliza caleidoscopicamente, tudo flutua em movimentos intervalares e exige o recomeço de eclipses vazadoras de infravisualidades, de hiperformas num palco fractalizador-indiscernível, propulsionado pelos milissegundos prolongáveis das estações pansemióticas, pelos blocos de durabilidades-multidimensionalidades acústicas de FÊ-LUZ( rebatidas multímodas-filosóficas constroem multifocalidades, visageidades, expansibilidades explosíveis-gravitacionais adentro de cartografias cataclísmicas): o pensamento do impossível adentra-se nas vizinhanças transbordantes de inseparabilidades a-gramaticais e de des-emaranhamentos súcubos que arruínam tremendamente as permanências das multidões-logocêntricasteleológicas nas esculturas-desterritorializadas, emancipam corporologias sincopadas numa arqueologia-cybermonde, num olhar-háptico-anargânico-caologicamenteestético: FÊ-LUZ transgeografa-se infinitamente nas holopalavras-espectrais acopladas às espécies multiangulares impulsionadoras de zonas cibridas-ondulatóriaspermutatórias( embaralhamentos de códigos-ciborgues-tipográficos-caligráficos): defronte ao seu CAOS-GERME, QUEM somos NÓS ADENTRO de uma GEOMETRIAtranspoética em TRANSFORMAÇÃO de FORMAS VARIÁVEIS-pulveriformes? O que somos NÓS na POTÊNCIA SINESTÉSICA dos desastres-espaço-tempo-arquitecturas-doinverso e da multiplicação prestidigitadora de vazios-a-sígnicos-catastróficos?______a performance da estocástica-boomerangue-acústica é já em si a fulguração, a contaminação do acontecimento polissémico_____ Como somos FALADOS pela guerrilha-usurpadora da LÍNGUA que NÃO PERTENCE a NINGUÉM? SEREMOS uma VOZ ANAMÓRFICA-transcodificadora de outras-verbaizações nos DESACORRENTAMENTOS PROBALÍSTICOS-ALGORÍTMICOS?(...).

Luís Serguilha / escritor,poeta e curador, Portugal/Brasil

Portifolio fê luz 2018  

portifólio de imagens com currículo anexo, mídia impressa e textos críticos sobre a artista

Portifolio fê luz 2018  

portifólio de imagens com currículo anexo, mídia impressa e textos críticos sobre a artista

Advertisement