Issuu on Google+

F.P. MASTRILLO

QUEM

DISSE que

aBÍBLIA

NÃO fala de NAMORO?


SUMÁRIO 0. Big Bang (Introdução) 1. O chefe 2. Ele 3. Era uma vez um contos de fadas 4. Octógono, rounds e luvas 5. Dois não são suficientes 6. Em constante reforma 7. Ao redor 8. Palavras importam 9. O grande sim 10. Marte e Vênus 11. Mas fazer o quê? (Conclusão) 12. Colaboradores

............................................................... 1

.................................................................................................................................................................................. 7

..................................................................................................................................................................................................... 12

........ 17

............................................... 21

................................................................. 26

.............................................................. 30

........................................................................................................................................................................... 35

.................................................................. 43

............................................................................................................................................. 48 .......................................................................................................................... 59

......................... 62

........................................................................................................................ 66


bigBANG


BIG BANG O início Já faz alguns anos que escrevi o texto: “quem disse que a Bíblia não fala de namoro?”. As reações, na maioria dos casos, foram positivas. Outras pessoas já não gostaram tanto. Chamaramme de vários nomes e disseram que o que eu estava fazendo era completamente errado. Mas depois de tanto tempo refletindo, quero novamente começar esse E-book da mesma forma que comecei aquele texto tempos atrás: Eu estou em uma missão. Ela consiste em unir aquilo que Deus jamais separou: o conhecimento e a prática. Deus sempre intentou que pudéssemos a cada dia mais conhecê-lo. Deus deseja que você tenha um conhecimento mais exato da pessoa dele. No entanto, Deus intentou que esse conhecimento fosse prático. Não somente teórico. Deus quer que leiamos, aprendamos e depois arregacemos as mangas e pratiquemos tudo aquilo que está dentro da nossa caixa de marfim. A razão de eu estar começando uma postagem sobre namoro dessa forma é para dizer que o conhecimento bíblico é prático e bastante útil no namoro. Hoje, depois de ler e viver o suficiente, acho quase beirando o ridículo quando alguém fala que a Bíblia não diz nada sobre o namoro. Concordo, mas concordo em parte. Se a pessoa me diz que não existe a palavra namoro e, portanto,

2


chega à conclusão que a Bíblia não fala nada usando essa palavra, digo a ela: “muito bem! Você está certo!” Mas se ela quer dizer com a frase que a Bíblia nos deixa no escuro total, no breu, eu digo: “Não, você está errada”. Aqui quero unir Bíblia e prática, mostrando sua relevância nessa área. Então, digo com convicção: a Bíblia não fala sobre namoro, mas ela não nos deixa totalmente no escuro. Por quê? Porque a Bíblia fala constantemente de relacionamento e do que é ser cristão de verdade. A minha esperança é que, no final desse E-book, você possa se sentir entusiasmado a ter um namoro mais bíblico e mais cristocêntrico. Talvez você fique surpreso com as percepções bíblicas desse livreto. Talvez você pergunte a si mesmo: “como não vi isso antes?”. Eu gostaria de responder desde o início a mesma resposta que dei no meu texto anos atrás: Talvez você “perdeu” tempo demais namorando e esqueceu-se do que é ser cristão e viver completamente uma vida cristocêntrica. Ou talvez você tenha se esquecido de que Deus quer que você tenha pensamentos mais exatos sobre Ele, sobre o mundo, sobre sua vida e sobre você. E que Deus quer que você viva de forma prática aquilo que está na sua caixa de marfim.

3


Quem disse que a Bíblia não fala sobre namoro? Bom, no mínimo, vai ser uma jornada interessante ou um fiasco total! Para descobrir, você terá que ler! Mas antes, permita-me dizer um fato! A trindade se importa Deus não quer que você viva só. Gn 2:18 diz: “Não é bom que o homem esteja só”. Se você perguntar para Jesus Cristo, que é Deus também, ele responderá a mesma coisa. Em uma conversa, os discípulos falaram que era melhor não casar. Jesus respondeu: “Nem todos têm condições de aceitar esta palavra; somente aqueles a quem isso é dado”, Mt 19:11. Se você perguntar ao Espírito Santo, que é Deus também, Ele dirá que quem ensina a solteirice e proíbe o casamento estão “seguindo espíritos enganadores e doutrinas de demônios”, 1 Tm 4:1-3. A trindade diz claramente que não é bom que o homem e a mulher fiquem só. Não é essa a idéia que Deus tem para você. Deus se importa E você precisa saber que Deus se preocupa com essa área da sua vida também. Ele se importa. Deus se importa com o fato de você ficar sozinha no cinema sem com quem possa dividir os seus dentinhos ou apertar a mão quando uma cena for mais tensa. Deus se interessa com suas noites de sexta-feira e sábado. Deus quer ver no seu facebook “em relacionamento sério com” alguém para ele curtir. Deus se importa com o fato

4


de você ter alguém que se preocupa com você, que olha você com outros olhos, que pensa em você durante o dia e que lhe telefone só para dizer: “ei, amor, estou ligando para dizer que estou com saudades... Amor, depois eu te ligo, se não vou perder o ônibus”. Deus se importa e ele se importa tanto que eu não me surpreenderia se ele desejasse para cada um de nós aquela frustração quando você recebe uma mensagem e diz: “É ela. Não, é a oi dizendo que minha fatura veio R$ 4000,00 esse mês”. Alguém para contar as novidades, alguém para ajudar e encorajar, alguém que o ame genuinamente. Quem quer isso para sua vida? O propósito de Deus para o homem e para a mulher não é a solidão nem estar em um relacionamento qualquer. Deus não quer que você viva sozinho, sem com quem rir e chorar; tampouco Deus quer que você viva em um relacionamento no qual não há respeito, dignidade, amor, companheirismo, amizade. Se for assim, o ditado popular se torna verdadeiro. “antes só do que mal acompanhado”. Sim, concordamos. Mas não precisamos viver nem um nem o outro. O que Deus quer para nós é um relacionamento profundo, um relacionamento no qual a amizade é construída; no qual o amor se torna a cada dia mais genuíno, altruísta, abnegado. Um relacionamento no qual Jesus seja o centro e a pessoa mais importante. Um relacionamento custe o que custar. Juntos e tão juntos que um ajuda o outro a superar suas falhas de caráter e a se tornar uma pessoa que agrade a Deus. Deus quer que cada um de nós encontre o

5


homem da nossa vida ou a mulher da nossa vida e viva fielmente até os últimos anos, até as últimas palpitações, até o último respirar. Um resumo do que Deus quer Então, Deus quer que você não fique sozinho, por isso a primeira vez que Deus falou que “algo não era bom” foi em relação à solteirice de Adão. A resposta de Deus foi criar Eva para ser a esposa dele, amada, parceira de adoração, auxiliadora e amiga. Feito isso, Deus estabeleceu que o casamento fosse para um homem e uma mulher em uma aliança que é consumada sexualmente para durar até o final e ser uma constante fonte de alegria e prazer . Quando Deus fez isso, ele criou o relacionamento entre um homem e uma mulher. Por ter feito isso, hoje existe o namoro. Espero que esse E-book ajude vocês no namoro e na grande jornada que os dois tem pela frente! Boa leitura!

Gn 2:18-25 e Mt 19:4-6. Pv 2:17 Gn 2:24,25 e 1 Co 7:3,4 Ml 2:16 Gn 2:25; Dt 24:5; Pv 5:18,19 e Ec 9:9

6


o CHEFE


O CHEFE Quem manda no seu namoro? Não somos donos de ninguém. Quando uso a palavra ninguém significa extrema literalidade, porque eu não sou dono nem de mim mesmo (1 Co 6:19,20). Essa profunda verdade é profundamente negligenciada em muitos namoros, causando tantos problemas, marcas e sofrimentos. As duas lutas mais comuns em relação à falta dessa verdade são o ciúmes e a possessão. Há uma diferença entre os dois, mas que não precisa ser diferenciada aqui. Em outras palavras, você quer ser o dono dela e ela quer ser o seu dono. Não há respeito, confiança, espaço e não existe mais leveza. Só há um jeito para lidar com esse trágico erro: devemos nos arrepender e nos voltar para a doutrina da criação, que ensina que tudo o que existe foi criado por uma pessoa e que tudo, então, pertence exclusivamente a Ele, nosso Criador (Gn 1 e 2). O universo inteiro é dele (Rm 11: 36; Cl 1:16; Hb 11:3), incluindo o seu namoro, namorado ou namorada. Ou seja, é Ele quem manda. Ele manda em nós Na prática, isso significa que temos que fazer o que Deus quer para nossa vida, deixando que Ele direcione cada passo, cada respirar, cada momento. Significa também que se Deus é quem manda e quem criou tudo isso, ele deve ter algum propósito na criação do homem e da mulher. O que significa

8


que precisamos perguntar a Ele o motivo de ter nos criado assim. Homens e mulheres são iguais, mas com papéis diferentes. Assim também a doutrina da criação nos diz que não existe ninguém mais importante que Deus (e acredite, o seu namorado ou namorada não chega aos pés dEle) e que devemos usufruir da vida de maneira saudável sem nos bitolar nela já que se trata de algo criado. Todo bom namoro vive essa verdade que fala que é Deus quem manda. Ele é o Chefe. Nesse aspecto, um namoro bíblico não deixa espaço para manipulação, para regras sem sentido, para “eu não deixo você fazer isso”, para “você não pode sair com seus amigos e amigas”, para “eu não quero você falando com nenhuma mulher ou nenhum homem”. Não, isso não deve fazer parte do namoro. Isso é algo doentio, mas tratável. Diabólico, mas Deus pode tornar em divino. Controlar seu namorado ou namorada não é algo permitido para nós cristãos; é algo extremamente errado. É um grave pecado, porque você se coloca na prerrogativa de ser o criador, o chefão, que manda em tudo. Deus não gosta disso. Ele é quem manda, porque só ele é realmente o Criador de tudo. Ele manda no nosso viver Mas existe outro lado da moeda. Muitos namorados ou namoradas são egoístas, amantes dos prazeres e da falta de respon-

9


sabilidade ou inimigos do amor sacrifical. Eles dizem: “Você não é o meu Deus, você não é o meu Criador”. Soa teologia boa e uma fé firme, mas não passa de uma desculpa religiosa liberal. A doutrina da criação, a qual diz que só existe um Criador, também declara que aquele que criou as estrelas e esse planeta criou também o certo e o errado. Ou seja, ele também criou como devemos viver. Em outras palavras, você não manda em coisa alguma e você não pode viver do jeito que você quer. Deus têm suas próprias “regras” e nós devemos segui-las. O Criador deseja que haja amor, alegria, respeito, compreensão, tolerância, misericórdia em nossos relacionamentos. Se você é do tipo egoísta, então possivelmente, quando seu namorado ou namorada compartilhar uma insegurança ou um ciúmes, você desprezará e continuará com a firme convicção que “você não é meu Deus”, mas vivendo como se você fosse o próprio deus aqui na terra. Nosso dever é amar, conversar, respeitar, tratar, ser tolerante e ser paciente. Conclusão Tanto o ciumento como o inseguro precisa arrepender-se e voltar-se a doutrina que fala que Deus é o nosso Criador, nós somos dele e devemos viver do jeito dele, não nosso. Por favor, namore assim.

10


PERGUNTAS: 1. Como você descreveria seu namoro: repleto de ciúmes e possessão? Ou baseado na doutrina da criação? 2. Você é ciumento? 3. Leia junto com sua namorada Gênesis 1 e 2, conversando sobre o que vocês aprendem na leitura. 4. Há algo que vocês precisam se arrepender? 5. Orem juntos para pedir que o Criador lhes livre desses pecados.

11


ELE


ELE Você já se enganou assim? Uma das grandes mentiras que ouvimos constantemente neste planeta chamado Terra é que essa vida é sobre você, sobre mim, sobre nossa felicidade, sobre nós seres humanos. Você já se enganou assim? Eu já. A verdade é que tudo é sobre Jesus. Durante toda essa vida e no final de tudo isso: é tudo sobre Ele. Nada é mais importante, mais essencial, mais urgente, mais crucial do que a pessoa, a obra e as palavras de Jesus. É sobre isso que essa doutrina fala. Ela nos diz e nos explica a grande insensatez que é colocar qualquer coisa ou pessoa acima de Jesus. No entanto, é exatamente isso que muitos namorados fazem. Eles rebaixam a Jesus, o único que não poderia estar em tal categoria ou situação. Ele deve ser sempre a nossa maior prioridade. Ele e o seu namoro Na prática, essa verdade tem grandes implicações. Antes de tudo, Jesus vem sempre em primeiro lugar. Não importa o quão maravilhoso possa ser seu namorado ou namorada. Jesus está em outro nível, categoria e prioridade. Isso é tão importante para nossa vida e para o bem do nosso relacionamento. A maior prova de amor que podemos dar para pessoa que namoramos é amar a Jesus acima de tudo, ser totalmente devotado a ele e obedecê-lo custe o que custar. Por isso, devemos devotar tempo a Jesus, obedecê-lo sempre e nos apaixonarmos juntos por Ele constantemente.

13


Segundo, a nossa satisfação e felicidade só é encontrada nele. Sim, nosso namoro traz alegrias incontáveis, mas não são suficientes para preencher o nosso coração e o vazio que está lá em nossa alma. Não podemos colocar toda nossa fé em nosso namorado ou namorada. Eles podem ter a incrível capacidade dada por Deus de nos fazer sentir especial, mas não podemos confundir “as coisas”. Eles não são Jesus e não podemos dar a verdadeira satisfação. Terceiro, se tivermos que decidir entre nosso namoro e Jesus, já sabemos a resposta. Muitas pessoas vivem um namoro horrível com pessoas que se dizem cristã, mas que são excessivamente ciumentas, controladoras, mentirosas, violentas, desrespeitosas e, para piorar tudo, são pessoas que abusam física, emocional e espiritualmente do parceiro. O que você está esperando para acabar esse namoro ridículo e tão horrível? Jesus vem em primeiro lugar e ele não quer essa vida para você. A verdade é que as vezes ( ou na maioria das vezes) o namorado é violento, irado e desrespeitoso. A namorada, por sua vez, é obsessiva, ciumenta e extremamente desrespeitosa. Em todos esses casos, se tivermos que decidir de que lado ficaremos, já sabemos a resposta. Não importa o que aconteça, Jesus é o nosso herói. Não há outra escolha. Quando a oração já tem uma resposta, é perca de tem,pó orar. Quarto e último, Jesus é o nosso alvo. O plano de Deus para nossa vida é que sejamos iguais a Jesus ( Rm 8:29; 2 Co 3:18 e 1

14


Jo 3:2,3). Agora pense comigo: seu namoro é uma ponte para esse propósito ou um penhasco sem fim? Desde que você começou a namorar, você está mais parecida com Jesus ou com seu namorado ou namorada desequilibrada? A verdade pode ser dura, mas precisa ser dita. Muitas vezes falamos que se o namoro não o ajuda a crescer em todas as áreas da sua vida, então não vale a pena namorar. Mas quero dizer ainda de forma mais clara: se o seu namoro não o ajuda a ser parecido com Cristo e só faz o afastar do seu alvo principal, por que você namora? Conclusão Nessa questão, você pode ser ativo ou passivo. Como cristão, você pode estar pecando ativamente, levando seu namorado ou namorada a pecar. Arrependa-se. Mas você também pode estar pecando passivamente, permitindo que o pecado reine sobre você sem luta, sem conversa. Em total silêncio. Você também precisa se arrepender. Tanto aquele como este precisa entender que esta vida, este mundo é sobre Jesus e nós sendo parecidos com Ele.

15


PERGUNTAS: 1. Jesus é a pessoa mais importante para você? 2. Jesus é a pessoa mais importante do seu namoro? 3. Leia junto com sua namorada Jo 1:1-18 e liste todas as qualidades e traços de Jesus nesse texto. 4. Há algo que vocês precisam se arrepender? 5. Orem juntos para pedir que Jesus volte a ser o centro do namoro de vocês.

16


ERA uma VEZ

um CONTO

de FADAS


ERA UMA VEZ UM CONTO DE FADAS Castelos de areias Parece que vivemos em um mundo encantado. Mas quer saber de uma coisa: castelos de areias existem, mas não duram muito. Então, saiba logo disso: ele não será o príncipe encantado para sempre e ela não será essa linda princesa por todos os dias nessa terra. É exatamente isso que a doutrina do pecado ensina: que não importa como a pessoa seja maravilhosa e encantadora, ela não é perfeita e, acredite, ela é pecadora. Não seja ingênuo, o encanto esconde uma natureza depravada, que Jesus está trabalhando arduamente para mudar e redimir. O próximo capítulo do conto Uma das primeiras coisas que os namorados precisam fazer é parar de romantizar excessivamente o namoro. O romance é muito importante, mas não pode ser a única lente pelo qual enxergamos a outra pessoa que namoramos, porque castelos de areias existem, mas não duram muito. Entender isso ajudará a evitar muitos problemas, porque geralmente os namorados que não conhecem essa doutrina muito bem vivem com expectativas irreais. Quem nunca brigou por causa de uma expectativa alta demais? Segundo, a doutrina do pecado faz não somente a gente parar de romantizar exageradamente como faz a gente olhar para

18


dentro. A Bíblia é clara ao dizer que todos nós somos pecadores (Rm 3). Por isso, ela diz que você é pecador. Não se trata apenas do seu namorado ou namorada. Ele é, mas a questão agora é que você o é. Eu sou pecador, eu sou falho, eu estou quebrado de alguma forma ou de outra. Não sou perfeito, não faço tudo perfeitamente. Eu preciso crescer, melhorar, arrepender-me constantemente. A doutrina do pecado me ensina humildade e confronta meu orgulho ao destroçar todas as minhas desculpas e justificativas mirabolantes. A verdade é que você, e eu, não estamos prontos. Precisamos de ajuda, precisamos de Jesus, precisamos mudar. Terceiro, todos nós somos como espadas. Espadas são inofensivas nas bainhas, mas no combate são mortais. Se somos como espadas, precisamos lembrar que elas abrem cortes e feridas nas pessoas. Ou seja, existe algo inevitável quando dois pecadores começam a namorar: um se machucará e outro será o responsável por essa dor. E isso acontece no sentido inverso e continua acontecendo ao passar dos anos. Não tem como escapar dessa dor. Amar não é evitar sofrimento, amar é escolher quem poderá lhe machucar e ainda ser chamado de “meu amor”. Quarto, se é inevitável que machuquemos uns aos outros, precisamos lembrar que para que o relacionamento dê certo é preciso perdoar. Se vocês querem chegar até aquele grande dia, vocês precisam abertamente conversar sobre as dores, os sofrimentos, os machucados que um causou no outro e dizer livremente que está tudo perdoado. Não estou dizendo que você vai esquecer ou

19


que não vai doer mais. Estou dizendo que perdoar é decidir que daquele momento adiante você decide que a história continue. Sem perdão só podemos esperar não chegar muito longe. Por fim, a doutrina do pecado ensina para o casal de namorados que não há esperança neles, porque a vida não é uma biografia, mas um testemunho. É preciso olhar para além deles; eles precisam olhar para Jesus. Só a esperança para dois pecadores e o relacionamento deles com o evangelho do nosso Senhor, porque nele aprendemos que há alguém que pode lidar com os nossos erros e nos ensinar um novo caminho. Conclusão A conclusão é simples: castelos de areias existem, mas não duram muito. Arrependimento e perdão são as chaves para vocês chegarem lá. PERGUNTAS: 1. Você realmente sabe que você é um pecador? 2. Quem se acha o “perfeito” do seu relacionamento? 3. Leia junto com sua namorada Rm 3:9 a 20 e mate o religioso, orgulhoso e perfeito homem ou mulher que habita em você. 4. Há algo que vocês precisam se arrepender? 5. Orem juntos para pedir que Jesus revele os pecados que vocês cometeram.

20


ÓCTOGONO

rounds LUVAS


ÓCTOGONO, ROUNDS, LUVAS Namoros = lutas Às vezes o namoro cristão é um ringue de uma grande luta. É muitas vezes considerados uma dessas épicas edições do tão famoso e crescente UFC. De um lado, um namorado controlador, impaciente e egoísta. Do outro lado, uma namorada mandona, insensível e inimiga do altruísmo. Ambos estão dentro do octógono, com seus ilimitados rounds, tentando dar um jeito no adversário, que deveria ser o melhor amigo ou a melhor amiga. Ou seja, cada um dos dois está preparado para uma boa briga. As luvas em suas mãos nos garante isso. Mais lutas, mais rounds, mais luvas, mais machucados Talvez essa introdução descreva perfeitamente o seu namoro, o que é muito ruim. Seu namoro não é para ser uma guerra de ofensas, exigências e de intolerância, mas uma manifestação constante do fruto do Espírito (Gl 5:22). Todo namoro precisa aprender sobre o Espírito Santo e viver cheio dele. Só assim octógono, rounds e luvas não serão necessários. Mas vamos a alguns esclarecimentos: Primeiro, a Bíblia nos ensina quem é o Espírito Santo. Não uma força, não um ser distante, mas uma pessoa, que é Deus. Ele se importa com o nosso namoro, como estamos namorando e se

22


estamos cuidando uns dos outros. Sendo ele uma pessoa, ele se envolve no nosso dia a dia. Isso é extremamente importante, porque nos mostra que não estamos sós. Temos um “ajudador”, um companheiro, um amigo que podemos recorrer sempre para que possa nos ajudar nas nossas lutas, dificuldades e nas horas mais escuras de nossos namoros. Segundo, todo namoro tem seus conflitos e muitos deles não são facilmente resolvidos. Quando isso acontece, muitos namoros começam a viver em clima de luta, guerra e intolerância, gerando marcas, dores, brigas, choro e às vezes até o término de um relacionamento. O problema está na negligência de que é o Espírito Santo que convence, que muda, que transforma, que renova. Sim, o Espírito Santo usa pessoas, mas muitas vezes os namorados querem fazer o trabalho dEle. Ninguém muda ninguém. Isso é obra de Deus Espírito. Se é Ele quem faz, por que nossos joelhos não encontram o chão com mais facilidade do que fazemos? O que precisamos mais nos namoros cristãos é da dependência do Espírito e de entregar as dificuldades, os conflitos e os momentos críticos àquele que sabe resolver esses problemas no momento certo. Terceiro, temos uma ordem bíblica para que cada cristão seja cheio do Espírito Santo (Ef 5:18). A grande negligência desse mandamento gera muitas marcas e dores. O fato de nós não estarmos cheios dEle têm gerado tantos problemas como: ciúmes, insegurança, dependência emocional, impaciência,

23


irritação e carência. Por causa dessa realidade, muitos namoros chegam ao fim. Por quê? Porque as exigências do namoro cristão são além do que podemos conseguir por nós mesmos. A obra é dEle. E cada vez mais tenho a certeza de que para ser um bom namorado é preciso ser um bom cristão. Quarto, a maior evidência se vocês estão vivendo um namoro cheio do Espírito Santo é o fato de vocês estarem cada vez mais parecidos com Cristo. 2 Co 3:18 nos explica isso de forma clara. Cada vez mais que olhamos para Jesus, mais e mais o Espírito nos transforma na semelhança dele. Ou seja, a terceira pessoa da trindade é cristocêntrica. Se o seu namoro não traz nenhuma evidência que vocês estão ficando mais parecidos com o herói das suas almas, vocês estão vivendo um namoro que não é cheio daquele que tudo muda, tudo transforma e tudo renova. Conclusão Arrependa-se da sua constante necessidade de mudar o seu namorado ou namorada e peça ao Espírito Santo para que você confie mais nele, porque você sabe que Ele sabe o que faz. PERGUNTAS: 1. Você conhece quem é o Espírito Santo, o que ele faz e qual a principal missão dele?

24


2. Você é um namorado ou namorada cheia do Espírito Santo? 3. Leia junto com sua namorada Jo 14:17, At 5:3-4, Jo 14:6, Rm 8:27 e anote tudo que você aprender sobre o Espírito Santo. 4. Há algo que vocês precisam se arrepender? 5. Orem juntos para pedir que Deus lhe ensinem que um namoro saudável só acontece quando há dois cristãos cheios do Espírito Santo.

25


DOIS n達o

s達o SUFICIENTES


DOIS NÃO SÃO SUFICIENTES Por que não mais que dois? Um namoro é um empreendimento arriscado. Se vocês namorarem sozinhos, a queda será quase inevitável. A maioria dos namorados vive os seus relacionamentos sem ter que prestar contas a amigos, pais, mentores líderes e até ao próprio Jesus. Vivem como se fossem casados e donos de si. A verdade é que dois não são suficientes. Precisamos de mais gente envolvida no namoro se quisermos que esse empreendimento arriscado seja, de alguma forma, algo muito lucrativo. Igreja A doutrina da igreja não se trata de prédios e templos, mas de pessoas. Nela aprendemos que não podemos viver sozinhos e que precisamos viver relacionamentos uns com os outros. Somos responsáveis pelas pessoas que fazem parte da nossa família. Uma das táticas mais comum e mais eficiente do Diabo é isolar o casal de namorados. Eles começam a passar muito tempo juntos, muito tempo na casa um do outro e começam a viver um relacionamento tão intenso que não frequentam mais a igreja, o pequeno grupo e pouco a pouco o Diabo vai enfraquecendo o casal até que eles começam a pecar sexualmente. O Diabo fará tudo para que pequemos sexualmente antes do casamento. Quando casarmos, ele fará tudo para que não pratiquemos o sexo com o nosso esposo ou esposa, mas

27


apenas com um amante. Precisamos entender que precisamos viver uma vida responsável e isso só acontece com “feedbacks”, conselhos e ordens. Para isso, precisamos voltar ao ensino bíblico que uma pessoa cristã só vive responsavelmente se tiver alguém para prestar contas. Como somos jovens, devemos isso aos nossos pais, depois aos nossos mentores e líderes. Não temos escolhas: devemos viver sob a responsabilidade de alguém. A doutrina da igreja também nos lembra da importância de nos reunirmos sempre. Precisamos lembrar uns aos outros que Deus existe, que Ele é bom, que a santidade é possível, que Jesus morreu pelos nossos pecados e que o Diabo quer nos matar e destruir. Hebreus nos fala de forma clara para que não deixemos de nos reunir: “Não deixemos de reunir-nos como igreja, segundo o costume de alguns, mas procuremos encorajar-nos uns aos outros, ainda quando vocês veem que se aproxima o Dia”, Hb 10:25. Muitos casais de namorados deixam de se reunir como igreja local, como pequeno grupo e com outros casais cristãos. Isso é um grande erro. Precisamos uns dos outros para nos lembrar que a vida cristã é para ser vivida diariamente; precisamos de outras pessoas para nos ajudarem com os planos do futuro, com as dificuldades do presentes e com os traumas, pecados e falhas do passado. Se o namoro se resume a duas pessoas, significa que Deus não está ali. Nenhum casal tem direito de ser uma ilha. Se for, sabemos que esse empreendimento, provavelmente, falirá.

28


Por último, precisamos de algum casal que sirva de exemplo para nós. Como um mundo está cheio de informações mentirosas e que nós já absorvemos, precisamos de um casal de Deus que possa acompanhar o nosso namoro e nos ajudar a sermos homens e mulheres de verdade, nos ensinar a tratar os conflitos e erros, nos conduzir fielmente pelos momentos incertos e nos lembrar das dádivas do romance e nos exortar sobre e os limites da sexualidade saudável em um namoro ( Hb 13:7; Tt 2:4,5; 2 Tm 2:2). Conclusão Quero concluir dizendo que um namoro não pode se resumir em dois nem em muitos. Temos que aprender a viver vidas abertas e transparentes, mas não públicas e escancaradas. Precisamos de pais envolvidos, mentores exemplares e líderes amáveis para que o nosso namoro seja o mais saudável possível. PERGUNTAS: 1. Seu namoro se resume a vocês dois? 2. Jesus faz parte do seu namoro? 3. Leia junto com sua namorada Rm 3:9 a 20 e mate o religioso, orgulhoso e perfeito homem ou mulher que habita em você. 4. Há algo que vocês precisam se arrepender? 5. Orem juntos para pedir que Deus quebre o orgulho, o medo e insegurança para que possam abrir as suas vidas e serem cuidados por outras pessoas.

29


EM constante

REFORMA


EM CONSTANTE REFORMA Reformas Resumindo, todos nós estamos em uma constante reforma, o que significa que existem entulhos espalhados, paredes não rebocadas, portas não colocadas, janelas emperradas e um monte de coisa fora do lugar, sendo colocadas gradativamente onde sempre deveriam estar. Um dos versos mais famosos da Bíblia fala sobre essa nossa constante reforma. “Estou convencido de que aquele que começou boa obra em vocês, vai completá-la até o dia de Cristo Jesus”, Fp 1:6. Lembrando... Já vimos que a Bíblia fala sobre a doutrina da queda. A aplicação prática dessa verdade profunda e dolorosa é que não existe

nenhum

príncipe

encantado.

Nenhuma

princesa

impecável. Nenhum relacionamento perfeito. Todos nós erramos. Todos nós vacilamos. Por isso, precisamos parar de imaginar um relacionamento sem conflitos, sem dificuldades; totalmente romantizado e precisamos urgentemente voltar para o dia-a-dia, a vida real. É óbvio que isso não quer dizer que você vai se relacionar com qualquer pessoa sem caráter. Não é isso. Mas isso significa que você não vai idealizar demais o relacionamento e colocá-lo como o seu deus.

31


A Bíblia também fala sobre a pessoa do Espírito Santo. A aplicação prática que quero dar é que é Ele quem convence as pessoas do pecado e gera mudança. Você não pode querer ser o responsável pela mudança na outra pessoa. Esse não é o seu papel. Esse não é o nosso papel. Devemos amar e ser usados por Ele, mas não podemos encher a outra pessoa de regras e mais regras. Muitas pessoas vivem um relacionamento louco porque um dos dois quer transformar o outro à força. Não quer saber se a pessoa precisa de tempo para refletir. Se a pessoa precisa de oração. Se a pessoa precisa crescer na graça e no conhecimento de Deus. Se a pessoa precisa se arrepender. Pare de querer mudar o seu namorado ou a sua namorada à força. Você não vai conseguir. Você vai apenas estragar tudo de forma mais rápida. Reformando A doutrina da constante reforma nos diz que Deus está reformando o nosso namorado ou nossa namorada. Ele está ajeitando as coisas. Para quem já viveu muito e já viu a sua casa sendo reformada muitas vezes, sabe muito bem o que isso significa: pouco conforto, esforço redobrado e muita paciência. Precisamos lembrar que a transformação vem do Espírito Santo, mas precisamos lembrar também que podemos cooperar com ele, quando não atrapalhamos a obra que ele está fazendo. Muitas pessoas sabem os defeitos do namorado ou da namorada e vivem cobrando o tempo todo, dizendo que eles não chegaram

32


lá ainda, que falta muito e que eles estão fazendo novamente as coisas erradas que não deveriam fazer. Se você é o tipo de namorado ou namorada que faz isso, arrependa-se, mude e siga de forma diferente. Quando um namorado carrega peso demais, o outro deve ajudá-lo a carregar o peso, não torná-lo mais pesado. No entanto, é mais do que isso. A doutrina da reforma é um convite para todos os namorados a participar dessa obra. Somos chamados a celebrar o caráter que está sendo reformado. Somos chamados a sorrir muito com as mudanças visíveis que Deus já produziu. Somos chamados para incentivar o nosso namorado ou namorada com palavras de encorajamento: “você está indo bem”, “puxa vida, como você tem mudado!”, “como você cresceu nessa área”, “como você está mais leve”. Somos chamados a olhar com misericórdia, a amar resolutamente, a viver lado a lado custe o que custar. Conclusão A conclusão é: tenha paciência, ame fielmente, não desista e não use essa verdade como desculpa para pecar. PERGUNTAS: 1. Você realmente sabe que ele ou ela está em uma constante reforma?

33


2. Você é o tipo de namorado que coloca mais peso ou ajuda a carregar? 3. Leia junto com sua namorada Fp 1:6 e peça para que Deus revela a profundidade desse verso para você. 4. Há algo que vocês precisam se arrepender? 5. Orem juntos para pedir que Deus ajude cada um de vocês a viver um namoro paciente, esforçado e repleto de amor.

34


aoREDOR

DEn贸s


AO REDOR Estamos em guerra Não vivemos em tempos de paz. Há uma guerra sendo travada diariamente, mas não de forma visível. Há um inimigo real e poderoso. Há armas e munições, mas não aquelas que muito provavelmente usaríamos se fôssemos convocados para uma guerra humana. Há soldados feridos, aprisionados e mortos. Resumindo, não vivemos em um mundo de paz e férias, mas em um mundo dominado pelo inimigo e de guerra. E nenhum soldado deve andar sem a sua arma, sem a sua roupa de guerra, sem suas munições e provisões. No entanto, a boa notícia é: a invasão já começou e falta pouco tempo para que as tropas inimigas sejam derrotadas. Mas enquanto isso não acontece, prepare-se, posicione-se e lute bravamente até o fim. Até o grito da vitória! Porque certamente ouviremos esse grito! O nosso namoro não está imune a essa guerra. Quem é o nosso inimigo? Do início ao fim da Bíblia o Diabo é a apresentado como o inimigo de Deus e, consequentemente, o inimigo do povo de Deus. Precisamos falar logo de início, que o Diabo não é igual a Deus e não existe dualismo na Bíblia: mal e bem em uma

36


disputa eterna e irreconciliável. O Diabo de forma alguma é onisciente, onipresente e onipotente. Deus é. Não se trata de uma luta do mesmo peso e da mesma categoria. Nesse MMA, ambos são lutadores, mas o Diabo é peso pena e Deus peso pesado. Na verdade, seria como Anderson Silva lutando com um pequeno menino, um garotinho, que mal saiu da sua fralda. Seria uma luta injusta? Não acha? Quem venceria? A resposta está na cara! Então, a luta entre Deus está nessa mesma categoria. Nós já sabemos quem será o vitorioso. Nós já sabemos quem é bem mais forte e poderoso. Deus. De forma alguma, o Diabo é igual a Deus. Satanás não chega nem perto. Por isso, podemos ter certeza que Deus vencerá no final. Mas isso não quer dizer que o Diabo não seja poderoso e que não cause estragos. O plano do Diabo para seu namoro Tudo o que o Diabo faz é para destronar a Deus e destruir tudo que Ele fez. Jesus ensina que o Diabo é ladrão e o ladrão sempre vem:“apenas para roubar, matar e destruir”, Jo 10:10. O Diabo não brinca. Ele quer nos roubar, ele quer nos matar, ele quer nos destruir. Ele busca constantemente uma oportunidade para nos destruir. 1 Pe 5:8 diz: “O Diabo, o inimigo de vocês, anda ao redor como leão, rugindo e procurando a quem possa devorar”. Ele quer apenas uma oportunidade para acabar com todos nós. “Tendo terminado todas essas tentações, o Diabo o deixou até Dualismo é uma concepção filosófica ou teológica do mundo baseada na presença de dois princípios ou duas substâncias ou duas realidades opostas e inconciliáveis, irredutíveis entre si e incapazes de uma síntese final ou de recíproca subordinação.

37


ocasião oportuna”, Lc 4:13, podemos ter certeza que se ele fez isso com Jesus, fará com a gente também. Ele espera por essa ocasião oportuna para nos roubar, matar e destruir, porque ele vai atacar ( Ef 6:11,16). Ele está furioso e quer acabar com tudo. Apocalipse 12:12 diz:“... ai da terra e do mar, pois o Diabo desceu até vocês! Ele está cheio de fúria, pois sabe que lhe resta pouco tempo”. E ele vai “guerrear contra... os que obedecem aos mandamentos de Deus e se mantêm fiéis ao testemunho de Jesus”, Ap 12:17. O nosso namoro está no meio desse caos. O diabo sabe que o namoro pode ser uma grande dádiva de Deus para o crescimento pessoal do casal, mas também pode ser uma arma poderosa na mão do inimigo. Quantos de nós já vimos o poder maravilhoso de um namoro saudável e cheio de Deus? Quantos de nós também já virmos o poder destruir de um namoro diabólico e cheio de coisas ruins? Não podemos abaixar a guarda. Namorar não é só sair, curtir uma noite romântica, brincar um com o outro, viver momentos de tirar o fôlego. Namoro é um chamado a guerra. É um chamado para colocarmos os joelhos no chão e orarmos um pelo o outro. O namoro é uma parceira de que ambos estão juntos e protegerão um ao outro das investidas do inimigo de Deus e de nossa alma. Ele vai atacar. Ele vai tentar destruir a gente constantemente, seja através do próprio namoro ou através de outras coisas. O que devemos fazer então?

38


Devemos estar prontos para guerra Devemos nos posicionar e estar preparados. Efésios 6:10-18 é uma passagem importantíssima para cada casal de namorados. Somos soldados, estamos no meio de uma guerra e nenhum de nós irá à guerra sem está devidamente protegido e devidamente armado, exceto, é claro, em caso de loucura crônica. Muitos casais de namorados sofrem disso. Quando namoramos tendemos a pensar em praia, jantares, saídas, passeios, beijos, abraços e na lua de mel que desfrutaremos quando casarmos. Nós nos esquecemos de que estamos no meio de uma guerra e que o inimigo está ao nosso redor. Talvez isso aconteça porque estamos em uma guerra que, aos nossos simples olhos, não conseguimos ver. Porque Ef 6:12 diz: “… a nossa luta não é contra seres humanos, mas contra os poderes e autoridades, contra os dominadores deste mundo de trevas, contra forças espirituais do mal nas regiões celestiais”. A nossa luta é uma guerra invisível, onde somos desafiados a tomar nossas posições e nos preparar para tudo. O triste fato é que muitos namoros sofrem dessa loucura crônica e se esquecem de que o exército inimigo já está no campo de batalha e que já começou a atacar. O livro de Efésios nos conclama a vestir a armadura, mas não qualquer armadura. O verso 13 diz: “Por isso, vistam toda armadura de Deus”. Se não for ela, então seríamos como um soldado desavisado ou louco que chega vestido para ir a uma praia, não a uma guerra. Nessa batalha, nada mais nos

39


ajudará. Então, por que precisamos vestir a armadura? O restante do verso 13 responde: “para que possam resistir no dia mau e permanecer inabaláveis, depois de terem feito tudo”. Acho fantástica a expressão “depois de terem feito tudo”. Embora possamos passar por dias maus e escuros, precisamos lembrar ainda que toda dificuldade da caminhada cristã não quer dizer que possamos parar; que possamos deixar de fazer o que temos que fazer; que a dificuldade é uma desculpa para a gente parar de servir um ao outro, de amar fielmente, de ler a palavra juntos e de viver uma vida de cumplicidade. O que Deus quer é que, mesmo nos dias difíceis, não paremos de realizar tudo aquilo que Ele nos deu para fazer. Mas como faremos isso? Simples: precisamos vestir a armadura de Deus. Precisamos nos lembrar, em primeiro lugar, que a vida também é uma guerra e que, como toda guerra, existem dias mais tranquilos e de paz, mas também existem os dias ruins e difíceis. Dias tensos, amedrontadores, dramáticos. Tão tenso que o menor dos barulhos faz com que o nosso namoro fique alerta. Um estalo de um galho, então nós apontamos a arma para atirar. Por isso, quando esses dias chegarem, estaremos prontos, porque estaremos em pé, juntos como casal, vestidos com a armadura de Deus e devidamente armados. Estaremos prontos. E no ressoar da trombeta, no ressoar na ordem do nosso general, que gritará: “Agora”. Então estaremos prontos e gritaremos: “Pelo Senhor”. Muitos de nós tombaremos lutando.

40


Muitos serão golpeados fatalmente, enquanto outros lutarão bravamente até o último dia ou até a retirada momentânea do exército inimigo. Será uma grande, violenta, difícil e sangrenta batalha. Por isso, Efésios 6:10 nos alerta: “Finalmente, fortaleçam-se no Senhor e no seu forte poder”. O poder de Deus nos garante mais do que uma vitória. O poder de Deus nos garante uma boa e triunfante batalha, não importando quantas cicatrizes teremos no final e quantas perdas nós contabilizaremos. Porque, em um grande dia, tudo será revertido definitivamente. Conclusão Seu namoro vive em um eterno amor de verão ou em tempos de guerra? Seu namoro é mais parecido com parque de diversão ou com um quartel? Não precisamos ser extremados, o que o nosso namoro precisa é de equilíbrio; de alegria e seriedade; de fogos de artifícios e canhões; de roupa de passeio e armadura; de jantares românticos e provisões escassas. Enquanto vocês estiverem namorando, não se esqueçam, ele está ao nosso redor. PERGUNTAS: 1. Seu namoro é mais parecido com o quê? 2. Vocês acham que vivem em tempo de guerra ou de diversão? 3. Leia junto com sua namorada Ef 6:10-18 e anote tudo que

41


Deus revelar para vocĂŞs. 4. HĂĄ algo que vocĂŞs precisam se arrepender? 5. Orem juntos para pedir que Deus os ajude a viver de forma equilibrada.

42


PALAVRAS

importam


AS PALAVRAS IMPORTAM Por que palavras são importantes? Palavras importam. Importam tanto que o nosso Deus criou todo esse universo com palavras. Ele dizia e as coisas eram criadas do nada. O que indica de forma clara para nós que palavras têm o poder de criar, gerar, animar, reviver; mas que também tem poder de fazer morrer, de desencorajar, de entristecer. Palavras importam. Se não fosse tão importante, por que o nosso Deus teria escolhido revelar-se através de um livro? A verdade é que a doutrina da Bíblia, que ensina que ela é Palavra de Deus, também nos mostra claramente que palavras em qualquer relacionamento são extremamente importantes. No namoro, não temos dúvida nenhuma! Parágrafos, letras e pontos Para mostrar de forma clara que palavras são importantes, Deus nos deu a Bíblia, o que significa que parágrafos, letras e pontos não devem ser tratados de forma leviana. Ou seja, Deus acredita na comunicação e nos ensina como devemos nos comunicar através da doutrina da Bíblia. Por ter se revelado por um meio de comunicação, o Criador nos garantiu que abrir a boca e falar o que pensa não é o que Deus tem para nós. Inúmeros namoros sofrem com a falta de comunicação clara, com palavras duras, com abuso verbal, com linguagem depreciativa e ainda pensam que podem chegar longe continuando assim.

44


A doutrina da Bíblia nos ensina algo muito diferente e melhor; bem melhor. As palavras de Deus são verdadeiras, porque Deus não pode mentir (Tt 1:2). Todo namoro deveria ser um refúgio da verdade. Nenhum dos dois deveria mentir por nada. Cada palavra deveria ser totalmente pura, honesta, certa e confiável. Mas o que vemos muito são namoros repletos de mentira, incertezas e dúvidas, porque não há uma comunicação verdadeira. Homens mentem. Mulheres também. E devemos ser claro ao ponto de chamar pelo nome certo aquilo que geralmente achamos que não é, quando falamos: “era só para proteger você”. Não importa do que se trate, a verdade é sempre melhor. Não importa o quanto doa, a comunicação honesta e transparente é o que Deus quer de nós. Deus se revelou através das palavras (2Tm 3:16). Ele nos contou sobre o que gosta e o que não gosta; sobre seu passado, presente e futuro eterno. Contou para gente sobre o que acha certo e errado. Falou-nos quem ele é e quem ele não é. Enfim, ele se revelou. Você é um namorado que revela quem você é? Ou você se esconde? Você fala só para agradar ou realmente diz quem o que de fato pensa de forma amorosa? Você acha que é uma boa namorada? Você agrada seu namorado porque tem medo de perdê-lo e assim não fala o que acha que está errado, certo e o que vocês não deveriam fazer? Todos namora-

45


dos precisam entender que falar a verdade e se revelar honestamente sempre é o melhor caminho. Falar para agradar de forma irresponsável e desonesta é a pior coisa que podemos fazer. Acredite. Outro ponto importante é que Deus nos deu a Bíblia e disse que a gente não deveria desprezar nenhum detalhe dela nem o menor das pontuações (Mt 5:18; Ap 22:18,19). Isso nos mostra que Deus é cuidadoso com as palavras. Portanto, devemos ter o mesmo cuidado que Ele tem. Devemos saber escolher as palavras certas, falar nos momentos certos e nunca usar palavras depreciativas, vulgares e maldosas. Será que seu namoro é um relacionamento no qual as palavras são tão importantes que cada um toma o devido cuidado para falar palavras que honrem a Deus, o namorado ou namorada e as pessoas ao redor? Quais as mensagens que você manda para o celular dele ou dela? O que você escreve no e-mail? O que você diz pessoalmente? Quarto, o como falamos importa. Ef 4:29 diz: “Não saia da sua boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem”. Percebe que como nós falamos é muito importante para Deus? Conclusão Serei direto: segure sua língua, edifique seu namoro.

46


PERGUNTAS: 1. Você acredita que palavras são importantes? 2. Você abusa verbalmente do seu namorado ou namorada? 3. Leia junto com sua namorada Eg 4:29 e discutam o que esse verso ensina, o que vocês precisam praticar e viver. 4. Há algo que vocês precisam se arrepender? 5. Orem juntos para pedir que Deus lhes ensine sobre a importância das palavras.

47


O grande

SIM


O GRANDE SIM O que significa o grande sim O grande sim não tem nada a ver com o casamento. O grande sim não tem nada a ver com aquele dia no altar que você estará com aquele que foi seu namorado, noivo e será agora seu esposo. O grande sim não é um passe livre para os prazeres da intimidade sexual. Não. O grande sim tem a ver com sangue, dor e sofrimento. Tem a ver com morte, enterro e ressurreição. O grande sim tem a ver com a cruz e o dia no qual Deus-homem morreu nela. O grande sim é a grande prova do amor de Deus. Rm 5:8 diz: “Deus prova seu amor por nós: Cristo morreu em nosso favor quando ainda éramos pecadores”. Terrivelmente maravilhoso! O grande sim é o que o grande Calvino acertadamente escreveu: “aquele que mais nos odiou foi o que mais nos amou”. Cruz e meu namoro Não podemos parar de nos alegrar com a cruz de Cristo. O que aconteceu ali, em cima daqueles pedaços de madeira, mudou todo o curso da história. Jesus estava morrendo por pecadores. Estava morrendo para o perdão de nossos pecados, para purificação da nossa consciência, para a transformação da nossa história. Na cruz, Jesus estava lidando com o nosso passado, o nosso presente e futuro. Estava garantindo que todas as nossas dívidas estavam, daquele momento em diante, completamente

49


pagas. Na cruz, Jesus estava pregando o seu sermão mais profundo. O tema daquele dia era “amor de sangue”. E decidiu que aquele seria seu último sermão e que o pregaria com o corpo, as mãos, os pés, não com a boca. A cruz nos ensina como devemos amar as pessoas, incluindo o nosso namorado. Às vezes o passado do nosso namorado ou namorada é terrível. Tantos pecados, tantos atos horrendos, tantas complicações, tantos traumas. A verdade é que muitos sempre sonharam com aquele príncipe encantado e aquela princesa perfeita. Nós já sabemos que contos de fadas não são tão reais como gostaríamos. Mas uma coisa eu posso dizer a vocês: muitos deles são sapos que precisam de apenas um beijo, um grande sim, para que haja a tão sonhada transformação. Mas verdade é dura. Quem sempre viveu uma vida reta, sem grandes problemas e descobre que a pessoa com quem se está namorando já viveu e fez grandes loucuras, o coração para. A dor chega forte. A injustiça bate à porta. Por que, Senhor? E muitas vezes choramos e não sabemos lidar com a situação. É complicado. É difícil realmente. Mas essa é resposta cristã? Não! Não, não é. A resposta cristã é o grande sim. Se Deus já o perdoou, quem sou eu para não perdoá-lo? Se Deus-homem morreu por ele para garantir que Deus de fato o ama, quem sou eu para me opor e atrapalhar os planos de Deus? Segundo a Bíblia, Deus o

50


fez nova criatura e o que passou, passou. Isso significa que devemos olhar para cruz e entender que Deus nos perdoou e que nós devemos fazer o mesmo. “Ser cristão é perdoar o imperdoável, porque Deus já perdoou o imperdoável em você”, como bem escreveu C. S. Lewis, um dos meus heróis. No entanto, a cruz não é uma desculpa para pecarmos. De jeito nenhum! Se Jesus morreu para nos salvar e redimir, como podemos pensar que a cruz pode ser uma desculpa para que a gente namore de qualquer jeito, faça o que a gente quiser no nosso namoro e depois ache que tudo vai ficar bem, porque Cristo morreu em nosso lugar. Não. A cruz nos ensina a matar os nossos pecados, o nosso egoísmo, nossas cobiças, nossas falhas. A cruz nos ensina que somos amados o suficiente e que não precisamos nos lambuzar no pecado, porque Jesus nos libertou dele. O nosso namorado ou namorada não pode ser transformada em uma máquina de perdão, na qual basta que pequemos e puxemos a alavanca. Além disso, precisamos diariamente da obra de Jesus na cruz. Ela nos lembra de que alguém pagou um grande preço para que a gente tivesse um namoro santo, sem culpa e sem remorso. O sangue derramado e corpo transpassado por pregos e lanças nos dizem constantemente que se Jesus pagou tamanho preço, nós devemos fazer o mesmo. Devemos carregar a nossa cruz. Devemos lutar por um namoro santo, limpo, honesto, humilde, bíblico e repleto da beleza do altruísmo.

51


A cruz nos ensina que namoro é uma zona de risco e por causa disso preciso estar com minha cruz no ombro e caminhar constantemente para matar meus desejos maus e diabólicos. A cruz também prega seu amor triunfante. Um amor que não desiste. Um amor que não para. Um amor que não duvida, mas que acredita. A grande verdade é que hoje as pessoas sofrem de uma mistura de doenças: a síndrome de fast-food, do prazer pelo prazer e a síndrome do descartável. Ninguém mais espera pacientemente, ninguém entende que dor e sacrifícios fazem parte e que o prazer supremo só vem depois de lágrimas e perseverança. Vivemos namoros que começam e acabam rápido porque ninguém ama como Jesus ama. Todos estão atrás dos seus interesses e vontades. Ninguém mais sonha com aquele tipo de amor que tudo sofre, tudo suporta, tudo enfrenta. Nós, cristãos que namoram, precisamos entender que a cruz nos ensina o grande sim. Que mesmo em face das lutas mais terríveis e complicadas, devemos amar e seguir em frente. Devemos amar e continuar. Devemos sempre amar. As vezes o namorado ou a namorada passa por crises, medos, traumas, doenças, incertezas e, o que mais vemos hoje em dia, não demora muito para o namorado ou a namorada egoísta acabar o relacionamento, porque quer um relacionamento mais legal, mais leve, menos problemático. O que me deixa indignado é o fato de que ele ou ela esqueceram que vivemos do lado de cá

52


da queda, não no jardim verde esmeralda e com gnomos amigáveis. Conclusão Ser um bom namorado é amar como Jesus nos amou. Você está disposto ou só quer curtir? PERGUNTAS: 1. Você realmente entende o significado da cruz? 2. Você já perdoou seu namorado ou namorada? 3. Leia junto com sua namorada 1 Co 13 e pondere sobre o que o amor é e faz. 4. Há algo que vocês precisam se arrepender? 5. Orem juntos para pedir que Deus lhe ensine como amar melhor.

53


MARTE

e VÊNUS


MARTE E VÊNUS Antes de tudo Antes de tudo, Deus quer que o menino se torne homem, e a menina se torne mulher. Portanto, a primeira verdade é: Deus é o criador. Já lemos sobre isso. É ele quem manda e isso significa também que se Deus é o chefe e quem criou tudo isso, ele deve ter algum propósito na criação do homem e da mulher. O que significa que precisamos perguntar a Ele o motivo de ter nos criado assim. Homens e mulheres são iguais, mas com papéis diferentes. Os meninos devem ser homens O homem foi criado para ser o líder, o responsável e o provedor da sua família . O homem foi criado para trabalhar, para ter uma missão. Deus não criou o homem para ficar de braços cruzados, jogado em um sofá com o controle na mão, assistindo TV em sua mais recente aquisição ou para passar horas e mais horas jogando vídeo game ou navegando na internet, vendo vídeos engraçados no youtube, checando os “mentions” no twitter ou vendo as fotos das meninas no facebook ou olhando a parte de esporte de algum jornal online ou “jogando” conversa fora o dia inteiro. Não. 1 Co 11; Ef 5:25-32; Cl 3:19 e 1 Pe3:7. Tão podemos ver isso claramente que, após a queda, Deus chama primeiramente o homem para saber o que aconteceu. Ele é o responsável. Ele é quer precisa reportar ao Senhor o que aconteceu. Vemos isso também em Mt 1, quando a família de José precisa fugir para que Jesus sobreviva. O anjo aparece a José. É ele quem tem que liderar e ter o discernimento sobre o que estava acontecendo. Gn 2:8,15 Gn 2:19,20 Gn 1 e 2

55


Deus criou o homem para trabalhar. E se você é homem, saiba disso: Deus o criou para uma missão. Quando Deus criou o mundo e criou o homem, Deus o colocou em um paraíso, o jardim do Éden. Era fantástico. A comida era perfeita, o local era deslumbrante, bonito e rústico. Boa música, boa paisagem, boa companhia. Tinha o seu próprio zoológico. Tinha sua própria piscina privada. Era um lugar fantástico. Mas Deus colocou Adão só para curtir ali? Só para ter uma vida boa, relaxada, tranquila? Não. Adão, o primeiro homem, tinha responsabilidades: cuidar e cultivar o jardim era seu primeiro trabalho . Deixar um quarto arrumado para o homem já é difícil quanto mais cuidar de um jardim inteiro. Dar nomes aos animais era outro trabalho que tinha que fazer. O terceiro trabalho, que não era bem um trabalho, mas uma responsabilidade era cuidar da sua mulher . Esse era o trabalho leve. Depois da queda, vemos que Deus amaldiçoou o trabalho de Adão, o que pressupõe mais uma vez que o homem foi criado para trabalhar e o homem, depois da queda, foi criado para trabalhar arduamente . Você sabe para onde está indo? Nenhum um homem deveria começar um relacionamento com uma mulher se não sabe o que quer da vida. É preciso ter missão. É preciso saber o que Deus quer para sua vida. Namoro, Noivado e casamento não é assunto

56


para meninos, mas para homens. Por isso, Deus quer que você cresça primeiro; quer que você deixe de ser menino e passe a ser homem. Esse é o primeiro passo. E se você não sabe o que quer fazer, por que você está indo atrás de uma mulher? E se você não tem a mínima ideia da sua missão, porque você não cresce antes de entrar em um relacionamento? Devemos entender que ser homem é um grande privilégio e uma grande responsabilidade. Uma delas é ser o responsável pelo nosso lar e o líder de nossas esposas. 1 Tm 5:8 diz: “Se alguém não cuida de seus parentes, e especialmente dos de sua própria família, negou a fé e é pior que um descrente”. Como faremos isso se não sabemos para onde ir? Se não temos missão? Temos que ser igual a Jacó que trabalhou anos e mais anos para casar com Raquel, a sua amada. Gn 29:20 diz: “Jacó trabalhou sete anos por Raquel, mas lhe pareceram poucos dias, pelo tanto que a amava”. As meninas devem ser mulheres Olhe o texto: “Então o Senhor Deus declarou: ‘não é bom que o homem esteja só, farei para ele alguém que o auxilie e lhe corresponda”, Gn 2:18. A frase que vamos pegar aqui é: “farei para ele alguém que o auxilie”. Auxiliar é alguém que ajuda uma pessoa que já faz alguma coisa. Um auxiliar administrativo auxilia o administrador. Ela dá apoio. Ela dá suporte. Ela ajuda nas tarefas, torna

57


tudo mais fácil e cuida de detalhes para que a outra pessoa cuide do todo. Preste atenção, mulheres, nisso: Deus criou a primeira mulher de tal maneira que ela fosse uma auxiliadora de Adão. Adão tinha uma missão: cuidar do jardim. E a mulher foi criada para dar o apoio necessário para que isso acontecesse. Para que Adão fosse bem-sucedido em sua missão. O homem é que foi criado para carregar o peso da responsabilidade, o homem que foi criado para trabalhar duro, para suar, para buscar sustento e buscar realizar o que Deus colocou para ele como missão. E a mulher foi criada para dar suporte, apoio, força. Quando dizemos isso, não estamos dizendo que a mulher não pode votar, trabalhar, estudar, ter um emprego ou uma carreira, mas o que estamos dizendo para vocês é: antes de tudo, vocês são mulheres. E vocês são mulheres porque Deus criou vocês desse jeito. E se Deus criou vocês desse jeito vocês só serão plenamente felizes quando viverem de acordo com o que Ele quer. E a mulher foi criada para ajudar o homem da sua vida, dando apoio, sendo parceira, amiga, cúmplice e por ai vai. E o homem foi criado para liderar o seu lar, para ter uma missão, para amar e servir a sua esposa.

Gn 3:17-19

58


Para ficar ainda mais claro esse ponto, olha o que o verso 21 e 22 dizem: “Então o Senhor Deus fez o homem cair em profundo sono e, enquanto este dormia tirou-lhe uma das costelas, fechando o lugar com carne. Com a costela que havia tirado do homem, o Senhor Deus fez uma mulher e a levou até ele”. Presta atenção nisso. Primeiro, foi Deus que quis assim. Deus foi o idealizador, o Criador, o projetista. Esse é plano de Deus. E olhe como ela foi criada: Eva, a primeira mulher, não foi tirada da cabeça de Adão, para dominá-lo e ser seu senhor, seu dono, nem dos seus pés, para ser pisada por ele ou ser sua escrava, mas do seu lado, para ser companheira; de sob o seu braço, para ser protegida e de perto do seu coração, para ser amada . O que isso tem a ver com namoro? O grande problema disso é que muitos meninos não sabem o que é ser homem de verdade e muitas meninas não sabem o que é ser mulher de verdade. Estamos vivendo em namoros que são muito mais influenciados pela sociedade, pelas opiniões dos pais, pelas ideias pessoais do que pela Palavra de Deus? Isso é um grande erro. Uma grande tragédia. Por isso, homens, nós precisamos perguntar-nos depois que descobrirmos a nossa missão: ela me ajudará nisso? Ou apenas

59


complicará mais as coisas? Será um apoio? Uma ajuda? Ou retrocesso? A mulher da sua vida, entenda isso, será um constante encorajamento para você realizar a missão que você tenha pela frente. Nesse sentido, mulher é igual a elevador: ela pode levar o cara para cima ou levar o cara para baixo. Se no seu namoro isso não acontece bem só há duas respostas: 1) Você precisa cair fora imediatamente ou 2) você precisa aguentar o tranco enquanto ela está sendo restaurada e transformado pelo Espírito Santo. Mulheres, vocês precisam se perguntar: eu conseguiria apoiar a missão dele? Eu me alegraria no que ele tem buscado? Eu o ajudaria tanto nos momentos difíceis e bons? Seria uma alegria para mim: ser sua eterna e fiel companheira custe o que custar? Ajudá-lo em sua missão? Nesse sentido, o homem é igual chave de cadeia: ou liberta ou aprisiona. O que foi falado acima serve para você. Se no seu namoro isso não acontece bem só há duas respostas: 1) Você precisa cair fora imediatamente ou 2) você precisa aguentar o tranco enquanto Deus está mostrando o quanto ele é menino e o quanto ele precisa descobrir qual é a missão dele. Conclusão A conclusão é esta: seja homem e seja mulher de verdade porque Deus se agrada disso. Resumindo, cresçam.

60


PERGUNTAS: 1. Você realmente sabe o que é ser homem de verdade? 2. Você realmente sabe o que é ser mulher de verdade? 3. Busquem um casal que seja exemplo do que é ser homem e mulher de verdade e conversem com eles, orem com eles e vivam próximo deles.. 4. Há algo que vocês precisam se arrepender? 5. Orem juntos para pedir que Deus mude vocês para que sejam o que Ele criou para ser.

61


masFAZER

O quê?


MAS FAZER O QUÊ? O plano de Deus O propósito de Deus para o homem e para a mulher não é a solidão nem estar em um relacionamento qualquer. Deus deseja que você tenha um namoro saudável que se direcione ao casamento. Ele quer que o homem tenha uma missão em mente bem definida e que a mulher da vida dele o auxilie nessa missão. Ele quer que juntos eles possam ser melhores amigos, que possam amar um ao outro com amor genuíno e ter atração pura e santa um pelo outro. Deus deseja que esse relacionamento seja baseado em respeito mútuo, em tratamentos dignos, em um falar amável. E Deus deseja que esse relacionamento dure para sempre, por muitos e muitos anos. E que possamos falar “e eles viveram felizes para sempre”. Mas nós somos inteligentes e sabemos que as coisas não funcionam assim. Um amigo meu colocou a seguinte frase no facebook: “eu acredito na frase 'E viveram felizes para sempre', contanto que tenha o 'Ame o Senhor de todo o seu coração' antes! Esse é o grande problema como já vimos. Se você não se voltar para Deus de todo coração, não aceitar a morte substituta de Jesus na cruz e sua ressurreição dentre os mortos; se você não for revivido pelo Espírito Santo, nada disso adianta e é bem provável que você acabará se dando mal nessa área. C. J. Mahaney, citado em Garoto encontra Garota e em Sexo e a supremacia de Cristo ( Pag 240)

63


Ou pior, acabará encontrando uma pessoa maravilhosa, mas a transformará em seu deus. Essa é grande tragédia. Esse é o grande problema. Quando a criação de Deus se lambuza pelo que foi criado e transforma isso tudo em seu deus ao invés de se deleitar e se alegrar em Deus, aquele que criou tudo. C. J. Mahaney escreveu: “Sua maior necessidade não é um esposo. Sua maior necessidade é se livrar da ira de Deus – e isso já foi feito por você por intermédio da morte e ressurreição de Cristo. Então, por que duvidar que Deus vá resolver uma questão muito, muito menor? Confie em sua soberania, confie em sua sabedoria, confie em seu amor” . O relacionamento entre um homem e uma mulher não é o nosso deus. E somente se voltando de todo coração, de toda alma, esforço e mente para Deus é que podemos viver um relacionamento que glorifica ele e traz alegria para nossos corações. Você não precisa viver assim. Você pode viver de forma diferente. Você não precisa parar de acreditar que Deus tenha uma pessoa especial para você, mas, antes de tudo, você precisa acreditar que Deus é mais especial e perfeito e melhor do que quer qualquer namorada ou namorado. C. S. Lewis traduziu o que vivemos de maneira muito sábia: “... Nosso Senhor considera nossos desejos não demasiadamente grandes, mas demasiadamente pequenos. Somos

64


criaturas dividias, correndo atrás de álcool, sexo e ambições, desprezando a alegria infinita que se nos oferece, como uma criança ignorante que prefere continuar fazendo bolinhos de areia numa favela, porque não consegue imaginar o que significa

um

convite

para

passar

as

férias

na

praia.

Contentamo-nos com muito pouco” . No final de tudo, quero que você se junte a mim e diga com convicção: “quem disse que a Bíblia não fala sobre namoro?”.

C. S. Lewis, Peso de Glórias. São Paulo, Vida Nova. 1993, p. 11,12.

65


COLABORADORES


AUTOR F.P. MASTRILLO

ARTE GRÁFICA SAMUEL SALES

EDITORAÇÃO ELETRÔNICA FELIPE ANDRADE

67


/evangelhourbano @EvangelhoUrbano www.evangelhourbano.com


"Quem disse que a Bíblia não fala de namoro?"