Page 1

Made in Brazil

Caito Maia, criador da grife Chilli Beans

Visão de

FUTURO

A

Com 20 anos de história, a Chilli Beans transformou óculos escuros em moda e redefiniu o conceito de mercado ao levar seus produtos para os corredores dos shoppings FELIPE SEFFRIN

Fotos:Divulgação

POR

76 A Z U L M A G A Z I N E F E V E R E I R O 2018

história da maior rede de ó cu lo s e s cu ro s da A mérica Latina começou no porta-m a l a s de u m a Parati. O paulistano Caito Maia, de 47 anos, morava na Califórnia nos anos 1990 quando comprou 200 óculos de um camelô hippie para vender entre amigos no Brasil. A ideia deu tão certo que ele embarcou de volta para os Estados Unidos várias vezes com malas vazias, que chegavam aqui lotadas. Este foi o embrião da Chilli Beans, hoje com 800 pontos de venda no Brasil e no exterior e faturamento anual de R$ 600 milhões.

O começo foi promissor. Caito chegou a fornecer óculos para cerca de 250 revendedores, seguindo o mesmo processo: os clientes encomendavam grandes quantidades e ele era pago quando entregava o produto. Em 1997, porém, sofreu um revés. Dois deles cancelaram o pedido, não pagaram a conta e Caito quebrou. A solução foi vender o estoque no Mercado Mundo Mix, feira alternativa de moda e cultura que acontecia em São Paulo. Ali, o aspirante a empresário percebeu a importância de ter uma marca própria e de dar uma identidade para seus produtos – e assim se destacar da concorrência. No improviso, montou um estande e o batizou de Chilli Beans, referência à sua antiga banda, Las Chicas Tienen Fuego. Ele vendeu tudo.

F E V E R E I R O 2 018 A Z U L M A G A Z I N E

77


Made in Brazil

600

R$

é o faturamento anual da Chilli Beans

milhões

1,1

R$

bilhão

é a projeção de faturamento anual até 2022

1.000 800 óticas multimarcas vendem os óculos de grau Chilli Beans

é o número de pontos de venda da marca no Brasil e em países como Estados Unidos, Emirados Árabes, México, Chile e Tailândia

HOJE, O BRASILEIRO TRATA OS ÓCULOS COMO ACESSÓRIO DE MODA

A marca tem coleções em parceria com artistas como Pabllo Vittar (ao lado), Emicida (abaixo) e Anitta (na pág. anterior); e fachada da flagship store na Rua Oscar Freire, em São Paulo

O sucesso na feira fez Caito investir no negócio. A sacada foi se antecipar ao mercado e perceber que no exterior as pessoas encaravam os óculos de sol como um importante assessório de moda. “Fomos nós que trouxemos essa tendência para o Brasil, dos óculos escuros como símbolo de estilo, de personalidade”, destaca o empresário. “Hoje, o brasileiro trata os óculos como acessório de moda. Tem três ou quatro na gaveta. Combina com a roupa ou a ocasião.” A marca foi também a primeira do segmento a apostar em quiosques nos corredores de shoppings. “Antes não se vendia moda nos corredores. Era no máximo tapioca ou cachorro-quente”, brinca. “Foi por necessidade, já que não tínhamos dinheiro para lojas. Pegamos o espaço, formatamos. E hoje você vê uma série de marcas nos corredores.” O inovador formato self-service, com os produtos ao alcance das mãos, conquistou a clientela em cheio. Hoje, a rede Chilli Beans tem 350 quiosques e 450 lojas espalhados pelo Brasil e em países como Estados Unidos, Emirados Árabes, México, Chile e Tailândia. Possui uma flagship na famosa Rua Oscar Freire, em São Paulo, e outra na cidade litorânea de Santa Mônica, na Califórnia. São lojas que recebem dez novos modelos toda semana,

78 A Z U L M A G A Z I N E F E V E R E I R O 2018

Fotos:Divulgação

– Caito Maia

além de óculos de grau, relógios e outros produtos licenciados. A projeção é atingir 1.200 pontos de venda e faturamento de R$ 1,1 bilhão em cinco anos. Apesar da extensão dos negócios, Caito faz questão de visitar cerca de 200 lojas da rede por ano, para conversar com colaboradores e clientes. “Tem dias que eu pouso em sete cidades diferentes”, conta. “E sempre saio com a sensação de que tem muito a melhorar. Não tem jeito: no dia em que você ficar só parado atrás do seu computador, seu negócio vai acabar.” A parceria com estilistas e artistas, que participam da divulgação da marca e da concepção das coleções, também impulsionou a Chilli Beans – as mais recentes foram Anitta e Pabllo Vittar, as maiores sensações musicais de 2017. “Sacamos que, se continuássemos vendendo só óculos escuros, morreríamos. Queremos algo diferenciado, que tenha uma história para contar”, explica Caito. Ainda há espaço para inovar? “A cabeça não para. Estamos em constante mutação.” Com atitude e criatividade a Chilli Beans provou que os óculos escuros estão na moda e que, sim, pimenta nos olhos dos outros é um ótimo negócio.

loja.chillibeans.com.br

F E V E R E I R O 2 018 A Z U L M A G A Z I N E 79

Azul Magazine #58 - Visão de Futuro  

Matéria com o empresário Caito Maia, fundador da Chilli beans, a maior empresa de óculos escuros da América Latina.

Azul Magazine #58 - Visão de Futuro  

Matéria com o empresário Caito Maia, fundador da Chilli beans, a maior empresa de óculos escuros da América Latina.

Advertisement