Page 1

GUIA

a

COMO CUIDAR DO SEU DESENVOLVIMENTO Carreira e Competências


O que é carreira? Todos nós somos seres únicos, temos uma história de vida única, que proporciona uma concepção de mundo, crenças e valores individuais. Esse conjunto de fatores direciona nossas ações e desejos não apenas em nossa vida pessoal, como também profissional. Não conseguimos separar nosso “eu” pessoal dos momentos em que estamos no trabalho. Para nós, carreira é a soma dos conhecimentos, competências, oportunidades de desenvolvimento e experiências que acumulamos ao longo dessa trajetória. Para termos sucesso, devemos nos questionar sempre: Qual a minha verdadeira motivação? Que caminho eu desejo trilhar? Quais são minhas aptidões e habilidades e o que preciso melhorar? O que estou fazendo para conquistar meus objetivos? Ao encontrar essas respostas, você terá condições de planejar sua direção na carreira percebendo com mais clareza as oportunidades que existem ao seu redor e indo atrás do que realmente deseja. Foi pensando nisso que preparamos este guia especialmente para você. A proposta deste material é ajudar na ampliação de suas competências, convidando-o a encontrar caminhos para alavancar seus potenciais e tornar mais transparente o que a Oncomed espera de você. Esperamos que as dicas e os exercícios aqui compartilhados contribuam para o seu processo de desenvolvimento.

Recursos Humanos Oncomed

2


CONHECENDO A SI mesmo O QUE É O CICLO DE GESTÃO DE PESSOAS?

3


Você deve descobrir o seu tipo de carreira começando pelo autoconhecimento: quais são seus valores mais importantes, como eles se relacionam com sua motivação de carreira e o quanto eles estão alinhados com suas atividades atuais.

Âncoras de Carreira A âncora de carreira é uma combinação das percepções de competências, motivações e valores que a pessoa não abandonaria, representa o seu verdadeiro “eu”. Algumas pessoas são movidas por desafio, outras por estilo de vida, dedicação a uma causa, segurança e estabilidade, criatividade empresarial, autonomia e independência, competência técnica e funcional ou competência administrativa. Preparamos um exercício que irá lhe ajudar na identificação de sua âncora de carreira. Isoladamente o exercício a seguir não revelará sua âncora de carreira, você precisará analisar o resultado pensando na sua história pessoal e nas suas aspirações para o futuro. Porém, ele irá auxiliar na sua percepção e reflexão, indicando características que você valoriza e estimular seus pensamentos sobre suas escolhas profissionais até o momento. Responda com honestidade as afirmações seguindo as instruções.

4


Exercício de Mapeamento de Âncoras de Carreira (Adaptado por Joel Dutra e Lindolfo Albuquerque, da obra Career Anchors, de Edgar SCHEIN).

Você encontrará a seguir, um conjunto de 40 afirmações. Defina para cada uma delas um valor de 1 a 6 conforme escala abaixo: O que a frase afirma NUNCA é verdadeiro para mim: 1 O que a frase afirma OCASIONALMENTE é verdadeiro para mim: 2 ou 3 O que a frase afirma FREQÜENTEMENTE é verdadeiro para mim: 4 ou 5 O que a frase afirma SEMPRE é verdadeiro para mim: 6

1 - Sonho em ser tão bom no que faço, de tal forma que meus conhecimentos especializados sejam constantemente procurados. 2 - Sinto-me mais realizado em meu trabalho quando sou capaz de integrar e gerenciar o esforço dos outros. 3 - Sonho em ter uma carreira que me dê a liberdade de fazer o trabalho à minha maneira e no tempo por mim programado. 4 - Segurança e estabilidade são mais importantes para mim do que liberdade e autonomia. 5- Estou sempre procurando ideias que me permitam iniciar meu próprio negócio. 6 - Sinto-me bem em minha carreira apenas quando tenho a sensação de ter feito uma contribuição real para o bem da sociedade. 7 - Sonho com uma carreira na qual eu possa solucionar problemas ou vencer inúmeras situações desafiadoras.

5


8 - Preferiria deixar meu emprego a ser colocado em um trabalho que comprometesse minha dedicação a assuntos pessoais e familiares. 9 - Sinto-me bem sucedido em minha carreira apenas quando posso desenvolver minhas habilidades técnicas com grande competência. 10 - Sonho em dirigir uma organização complexa e tomar decisões que afetem muitas pessoas. 11 - Sinto-me mais realizado em meu trabalho quando tenho total liberdade para definir minhas tarefas, horários e procedimentos. 12 - Preferiria deixar meu emprego a aceitar uma tarefa que colocasse em risco minha segurança na organização. 13 - Montar meu próprio negócio é mais importante para mim do que atingir uma alta posição gerencial como empregado. 14 - Sinto-me mais realizado em minha carreira quando posso utilizar meus talentos a serviço dos outros. 15 - Sinto-me realizado em minha carreira apenas quando enfrento e supero desafios extremamente difíceis. 16 – Sonho com uma carreira que me permita integrar minhas necessidades pessoais, familiares e de trabalho. 17 - Tornar-me um gerente técnico em minha área de especialização é mais atraente para mim do que tornar-me um gerente geral. 18 - Irei sentir-me bem sucedido em minha carreira apenas quando me tornar um gerente geral em alguma organização.

6


19 - Irei sentir-me bem sucedido em minha carreira apenas quando alcançar total autonomia e liberdade. 20 - Procuro trabalho em organizações que me deem senso de segurança e estabilidade. 21 - Sinto-me realizado em minha carreira quando tenho a oportunidade de construir algo que seja resultado de minhas próprias ideias e esforços. 22 - Contribuir com minhas habilidades para um mundo melhor para se viver e trabalhar é mais importante do que alcançar um alto posto gerencial. 23 - Sinto-me mais realizado em minha carreira quando soluciono problemas insolúveis ou venço o que era aparentemente invencível. 24 - Sinto-me bem sucedido na vida quando sou capaz de equilibrar minhas necessidades pessoais, familiares e de carreira.

25 - Preferiria deixar meu emprego a aceitar uma tarefa de rodízio que me afastasse de minha área de experiência. 26 - Tornar-me um gerente geral é mais atraente para mim do que tornar-me um gerente técnico em minha área de especialização. 27 - Para mim, poder fazer um trabalho à minha própria maneira, sem regras e restrições, é mais importante do que segurança. 28 - Sinto-me mais realizado em meu trabalho quando percebo que tenho total segurança financeira e estabilidade no trabalho. 29 - Sinto-me bem sucedido em meu trabalho apenas quando posso criar ou construir alguma coisa que seja inteiramente de minha autoria.

7


30 - Sonho em ter uma carreira que traga uma real contribuição à sociedade e à humanidade. 31 - Procuro oportunidades de trabalho que desafiem fortemente minhas habilidades para solucionar problemas. 32 - Equilibrar as exigências da minha vida pessoal e profissional é mais importante do que alcançar alta posição gerencial. 33 - Sinto-me plenamente realizado em meu trabalho quando sou capaz de empregar minhas habilidades e talentos especiais. 34 - Preferiria deixar minha organização a aceitar um posto de trabalho que me afastasse da trajetória de gerência geral. 35 - Preferiria deixar minha organização a aceitar um posto de trabalho que reduzisse minha autonomia e liberdade. 36 - Sonho com uma carreira que me dê senso de segurança e estabilidade. 37 - Sonho com montar meu próprio negócio. 38 - Preferiria deixar minha organização a aceitar uma tarefa que prejudicasse minha capacidade de servir aos outros. 39 - Trabalhar em problemas praticamente insolúveis para mim é mais importante do que alcançar uma posição gerencial de alto nível. 40 - Sempre procurei oportunidades de trabalho que minimizassem interferências em assuntos pessoais e familiares.

8


Agora que você já pontuou cada afirmação, reveja suas respostas e localize as que você atribuiu 5 ou 6. Dentre estas, selecione 3 que você considera mais relevantes e some a cada uma delas mais 4 pontos. Feito isso, transfira as pontuações de cada resposta para o gabarito abaixo. Calcule o total de pontos por coluna, a maior pontuação refere-se a sua Âncora de carreira.

TF GG AI SE CE SD DP EV 1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

32

33

34

35

36

37

38

39

40

Soma

Soma

Soma

Soma

Soma

Soma

Soma

Soma

9


Com base em estudos sobre históricos de carreira e de centenas de entrevistas com profissionais em vários estágios de carreira, foram identificados oito categorias de âncoras:

TF: GG: AI: SE:

CE: SD: DP: EV:

Competência Técnica/Funcional Competência Gerencia Geral Autonomia/Independência Segurança/Estabilidade

Criatividade Empreendedora Serviço/Dedicação a uma Causa Puro Desafio Estilo de Vida

De certa forma, todas as pessoas se preocupam com cada uma dessas dimensões, porém o termo “âncora” indica uma área de maior importância, que predomina, e este conceito ajuda você a se conhecer melhor. Para isso, tome por base as duas âncoras com maiores notas obtidas no questionários e localize-as na relação a seguir e as leia com atenção. Autonomia/Independência (AI) – Preocupação com a liberdade e independência. A escolha centra-se por buscar locais que ofereçam flexibilidade para decidir como e quando trabalhar. Para o autor, os membros deste grupo que possuem carreiras autônomas podem estar preparados para o futuro. Entretanto, os que ainda dependem de empregos estáveis para “planejar a liberdade” podem estar vulneráveis em função das mudanças de cenário. Segurança/Estabilidade (SE) – Escolha de vínculos de trabalho que asseguram a segurança física e financeira. O predomínio é do sentimento de estabilidade e garantia de emprego. Schein chama a atenção ao fato de que, em função do cenário de mudança, indivíduos ancorados em (SE) precisam cada vez mais deslocar a dependência sobre uma organização para si própria. Competência Técnica/Funcional (TF) – Preocupação com o desenvolvi-

10


mento da perícia pessoal e especialização construindo a carreira em uma área técnica específica ou determinada profissão. Para Schein, cada vez mais aumenta a consciência da importância do conhecimento e da habilidade, mas faz reflexões sobre as consequências pessoais de se basear a carreira em conhecimento em um mundo em constante mudança. Competência Gerência Geral (CG) – Preocupação central com a integração dos esforços dos outros para a obtenção de resultados e com a articulação das diferentes funções de uma organização. Para o autor, esta âncora está vinculada ao reconhecimento/recompensa em posições desta natureza e destaca a importância de um desenvolvimento de habilidades emocionais face ao aumento de complexidade da função de gestão. Criatividade Empresarial (CE) – Preocupação em criar negócios, novos produtos ou serviços. O predomínio é do impulso criativo. Diante do cenário de mudança, Schein destaca que os ocupantes desta âncora poderão ter cada vez mais oportunidades. Serviço/Dedicação a uma Causa (SD) – Busca contribuir para a melhoria da sociedade. A prioridade é o desejo de servir a uma causa. Para Schein, o número de pessoas que se destacam com esta âncora está aumentando em função de um contexto mais complexo. Desafio Puro (DP) – A preocupação central é buscar oportunidades para achar soluções para problemas aparentemente insolúveis, vencer situações adversas ou oponentes. A prioridade é vencer o impossível. Para o autor, há uma dúvida se o crescimento de ocupantes desta âncora é de fato inclinação ou necessidade de adaptação aos desafios impostos pelo mundo dos negócios. Estilo de Vida (EV) – Busca oportunidades que permita conciliar e integrar necessidades pessoais, familiares e as exigências da carreira. Para Schein, esta âncora é a que mais mudança apresenta desde a pesquisa original e a que mais cresce já que traz em seu bojo o conceito de carreira para a vida. Ela representa a mudança no modelo de contrato de trabalho – as empresas menos proprietárias dos empregados.

11


Questões para reflexão: Qual a relação entre minha âncora e minhas escolhas de carreira até agora? Como meu trabalho atual atende minhas necessidades de carreira? Como minhas atuai atividades se relacionam com meus valores? Vendo estes resultados, como me sinto (feliz, quero mudar algo...) e que oportunidades enxergo?

12


CONHECENDO A EMPRESA TRABALHA OQUE QUEVOCÊ É O CICLO DE GESTÃO DE PESSOAS?

13


Gestão por Competências A Oncomed trabalha com o modelo de Gestão por Competências. Neste modelo, os colaboradores são contratados, desenvolvidos e avaliados, a partir de um modelo desejável de competências previamente definidos, de forma que potencializem suas qualidades e entreguem a proposta de valor da instituição. Além disso, também são considerados os valores da Oncomed: Respeito à necessidade do ser humano Transparência Prática ética do conhecimento Calor humano Segurança Inovação de processos Este modelo permite uma maior adequação do colaborador à instituição. Não é intenção da Oncomed moldar um padrão de comportamento nas pessoas, pois sabemos que as pessoas possuem características diferentes e devem ser valorizadas como tal, porém sabemos que é importante para todos os profissionais conhecer os comportamentos desejados pela empresa como forma de direcionamento. As competências podem ser definidas como “a habilidade de transformar os conhecimentos adquiridos em atitudes que agreguem valor ao trabalho, sendo que, quanto mais desenvolvidas as competências, mais responsabilidades e autoridades são delegadas ao indivíduo”. As competências definidas pela Oncomed estão relacionadas a seguir e são separados por grupos.

14


Competências essênciais Assertividade / Qualidade Comunicação Cooperação Organização Relacionamento Interpessoal Inteligência de Risco Proatividade

Competências específicas Eixo de Apoio à Gestão de Negócios

Eixo Assistencial / Atendimento ao Cliente

Recursos Humanos; Qualidade; Marketing; Tecnologia da Informação; Financeiro/

Corpo Clínico; Enfermagem; Farmácia

Convênios; Administração; Suprimentos;

Hospitalidade (Recepção, Autorização, Central,

Manutenção.

Higiene, Portaria, SAME e SAC)

1. Multifuncionalidade

1. Cordialidade (Amabilidade e Empatia)

2. Capacidade Analítica

2. Comprometimento com o Paciente

3. Negociação

3. Inteligência Emocional

Competências gerenciais e liderança Autodesenvolvimento Liderança Criatividade / Inovação Planejamento Tomada de Decisão

15


Desdobramento das Competências Além da descrição de cada competência, o modelo da Oncomed prevê o desdobramento das mesmas em níveis. Todas possuem 4 níveis de complexidade onde podemos melhor especificar e mensurar através de evidências a sua entrega para a instituição. Assim, no momento da avaliação e feedback, fica claro para você quais são os comportamentos desejados e quais você está demonstrando efetivamente, fornecendo assim, dados para que seu desenvolvimento contínuo seja traçado. Seguem os desdobramentos das competências da Oncomed, para que você conheça e possa consultar sempre que desejar. Na descrição de cargos, consta o nível esperado de cada competência para cada função. O primeiro grupo é o de Competências Essenciais Definimos como Competências Essenciais, aquelas que todos os colaboradores, independente do cargo, hierarquia, atividade, setor, devem buscar o desenvolvimento e aprimoramento. Essas competências são a chave para o sucesso da empresa e estão ligadas diretamente ao nosso negócio, são a nossa essência.

Assertividade/Qualidade Capacidade de ser claro, conciso e específico em sua comunicação e atitudes, realizando suas tarefas com objetividade e adequadas à necessidade, evitando rodeios, excessos e/ou prolixidade, garantindo a qualidade e a compreensão das entregas realizadas.

16


Nível

Evidências •

4

Elimina excessos certificando a real necessidade de suas entregas, gera muito pouco ou nenhum retrabalho.

Utiliza da objetividade e clareza para cumprir tarefas e relacionar-se com o outro, trazendo melhorias para seu trabalho e para a equipe.

Consegue ser assertivo em seus posicionamentos, trazendo bons resultados nas negociações e entregas.

3 2

Demonstra objetividade ao executar suas tarefas, gerando pouco retrabalho.

Demonstra atitude focada em atender as necessidades do setor e da instituição, de forma a garantir a qualidade das entregas.

Consegue ser preciso e direto em sua comunicaçãoe posturas

Adequa-se à necessidade para realizar entregas, dentro do esperado, gerando algum retrabalho.

Demonstra bom nível de clareza e coesão com atitudes, em relação ao que é proposto.

1

• •

Realiza tarefas sem garantir qualidade das entregas esperadas. Demonstra falta de clareza e precisão com atitudes, em relação ao que é proposto.

Apresenta dificuldade em executar tarefas com objetividade.

Comunicação Habilidade de transmitir informações e conhecimentos de forma a ser compreendido por qualquer interlocutor e ambiente, demonstrando capacidade de ouvir e compreender a mensagem, bem como repassar as informações e argumentá-las com coerência facilitando a interação entre as partes. Implica também em utilizar eficientemente os recursos de comunicação disponíveis na empresa.

17


Nível

Evidências •

Utiliza eficazmente os recursos de comunicação da empresa a fim de otimizar suas atividades.

Possui comunicação direta, repassando as informações precisamente com rara prolixidade e certifica constantemente a compreen-

4

são do outro.

Faz da comunicação um canal de segurança e credibilidade entre os clientes e a instituição, de forma a ser compreendido por qualquer interlocutor.

Consegue estabelecer uma comunicação adequada para cada tipo de interlocutor, facilitando a interação entre as partes.

Utiliza de diversos recursos de comunicação, para garantir uma comunicação adequada por diversos públicos.

3

Comunica-se com o cliente evitando a prolixidade e procurando certificar a compreensão do outro.

Demonstra capacidade de ouvir as demandas do cliente para facilitar a interação entre as partes.

2

Utiliza de alguns recursos de comunicação para facilitar suas atividades.

Procura comunicar-se de forma clara, porém demonstra prolixidade na comunicação em algumas ocasiões.

1

Não consegue utilizar eficazmente os recursos de comunicação disponibilizados para a empresa, de forma a facilitar o seu trabalho.

• • •

Não assegura se a comunicação foi entendida por parte do outro. Possui pouca fluência verbal e sua comunicação é prolixa. Demonstra dificuldade de se expressar com o público interno e externo.

18


Cooperação Capacidade de se relacionar com o outro, demonstrando disponibilidade e boa vontade, através da percepção da necessidade da outra pessoa, para ajudá-la, visando efetivamente o benefício e alcançando objetivos para todos. Implica em um esforço coletivo para resolver um problema ou uma situação de necessidade.

Nível

Evidências •

4

Realiza seu trabalho de forma a contribuir para o alcance de metas coletivas e objetivos compartilhados.

Demonstra comportamentos sensíveis à necessidade do outro em seu dia a dia, interagindo sinergicamente com pessoas e grupos.

Utiliza da cooperação para estabelecer sólidas parcerias tendo em vista objetivos grupais ou organizacionais.

3

Na maioria das vezes apresenta-se como pessoa acessível as pessoas e grupos.

Consegue perceber as necessidades do outro, apresentando-se disponível para ajudá-lo e demonstrando boa vontade.

Propõe soluções de problemas dentro de sua atividade e sugere mudanças tendo em vista um benefício efetivo.

2

Algumas vezes mantém-se acessível e disponível para pessoas e grupos, demonstrando boa vontade e interesse em somar seus esforços.

Demonstra pré-disposição em conhecer e contribuir para o trabalho de outros colegas/equipe.

19


Nível

Evidências •

1

Foca, na maioria das vezes, no cumprimento de objetivos individuais, mostrando-se inacessível para pessoas.

Demonstra pouca disponibilidade e/ou boa vontade diante das necessidades do coletivo.

Apresenta dificuldade em perceber o coletivo ao tomar decisões.

Organização Capacidade de estruturar suas atividades e atuar dentro de contextos definidos, distribuindo adequadamente o tempo e as tarefas, buscando condições que promovam a qualidade de sua execução.

Nível

4 3

Evidências •

Define padrões de organização que impactam em mais de uma área na empresa, otimizando tempo e/ou recursos.

Estabelece padrões de organização do tempo e tarefas, com foco no negócio.

Sugere mudanças na organização das suas tarefas, visando otimizar suas atividades e indicadores.

Otimiza tempo e qualidade a fim de evitar retrabalhos.

20


Nível

2

1

Evidências •

Mantém organizado seu ambiente de trabalho, possibilitando oferecer respostas mais eficientes.

Define padrões organização para as atividade que executa.

Distribui de maneira satisfatória seu tempo e suas atividades.

Mantém o ambiente de trabalho, na maioria das vezes, desorganizado de forma a dificultar suas atividades.

Apresenta dificuldade em distribuir adequadamente as tarefas em relação ao tempo, gerando atrasos de execução.

Relacionamento Interpessoal Capacidade de relacionar-se de forma harmônica e facilitadora no processo de integração com os diversos públicos da instituição, em situações variadas, sendo eles de diferentes contextos sociais e profissionais. Procura desenvolver redes de contatos que favoreçam o desempenho de sua atividade, dentro ou fora da empresa.

Nível

Evidências •

4

Estabelece sólida rede de parceiros internos para desenvolver projetos e atividades.

Procura estabelecer uma rede relacionamento com o público externo, em prol do desenvolvimento do seu trabalho.

Age com harmonia nos relacionamentos profissionais e pessoais, dentro do contexto da instituição, agregando valor ao trabalho.

21


Nível

Evidências •

Consegue relacionar-se com diversos públicos de acordo com a necessidade, mantendo contatos formais ou informais, favorecendo o

3

desempenho da sua atividade. •

Procura estabelecer uma pequena rede relacionamento com parceiros, em prol do desenvolvimento do seu trabalho.

Percebe a diferença entre os públicos da instituição e consegue se relacionar harmonicamente diante dos mesmos.

2

Algumas vezes, utiliza do relacionamento interno para facilitar o desempenho de suas atividades.

Estabelece relações mais superficiais, interagindo pouco com as ideias e opiniões dos outros.

1

Demonstra dificuldade em relacionar-se com harmonia com os públicos interno e externo.

Não se interessa ou não compreende a importância em estabelecer redes de contato com os públicos interno e externo para favorecer o desempenho das atividades.

Inteligência de Risco Capacidade de compreender, aceitar e perceber o efeito da incerteza nos objetivos e tarefas desempenhadas e quais os riscos envolvidos, de forma a garantir o cumprimento das atividades de forma segura. Obs: esta é a única competência que possui 5 níveis, sendo o 5º utilizado apenas para os gestores de risco e dos processos.

22


Nível

Evidências •

5

Garante que todos os riscos significativos sejam identificados, priorizados e gerenciados efetivamente.

Constrói processos estrutaurados de forma a atingir a proposta de valor da empresa, desenvolvendo práticas de gerenciamento do efeito das incertezas no cumprimento deste objetivo.

4

Define padrões de trabalho estruturados para garantir o cumprimento das atividades de forma segura minimizando os riscos.

Apresenta conhecimento prático para identificar e controlar os riscos.

Demonstra comprometimento com as normas e regras.

Executas suas tarefas demonstrando preocupação em realizá-las com segurança, identificando os riscos existentes e tomando

3

atitudes para que eles não ocorram. •

Demostra compromisso com as regras, procedimentos e normas da instituição.

Demonstra assimilação do comportamento desejado frente aos riscos.

2

Aceita os valores, crenças e atitudes adequadas relativas ao risco.

Tem consciência e aceita o efeito das incertezas existente sem

1

suas atividade e tarefas.

Não tem consciência e não aceita o risco existente em sua atividade / tarefa.

23


Proatividade Predisposição em buscar conhecimento, realizar ações, contribuir com ideias, antecipar soluções e/ou propor mudanças, de forma a gerar melhorias relacionadas ao setor, aos processos e/ou à Clínica como um todo.

Nível

Evidências •

4

Constantemente analisa o seu ambiente e busca o que pode ser feito para melhorá-lo.

Consegue antecipar soluções e propor mudanças no setor e nos outros, planejando e executando ideias com grande frequência . Frequentemente se predispõe para realizar ações e contribuir com ideias para melhorias para a instituição.

Frequentemente apresenta postura de inquietude frente ao ambiente e busca conhecer mais sobre o negócio.

3

Apresenta capacidade de se antecipar a soluções antes que um problema ocorra, ou que seja cobrado por isso.

Por vezes demonstra predisposição em realizar ações e contribuir com ideias para melhorias nos processos que atua e/ou na instituição.

2

Apresenta pré-disposição em realizar mudanças buscando conhecer melhor sua área de atuação.

Algumas vezes se antecipa a soluções, porém na maioria das vezes seu comportamento ainda é reativo.

Se dispõe com pouca frequência para realização de ações e contribuição de ideias a fim de gerar melhorias.

24


Nível

1

Evidências •

Não se antecipa a soluções e a proposição de mudanças em suas tarefas, atividades e/ou processos.

Não se dispõe para realização de atividades e contribuição de ideias a fim de gerar melhorias.

O segundo grupo, chamamos de Competências Específicas: São as competências chave para cada eixo de negócio da empresa, diferenciais para execução do trabalho daquele grupo de funções. Em toda empresa podemos dividir no mínimo em 2 grupos: o das funções que compõem parte central do negócio, ou seja, seu foco de atuação; e o das funções que apoiam este funcionamento provendo o que for necessário para obter os resultados. A) Eixo Central (Assistencial / Atendimento ao Cliente)

Cordialidade Capacidade de pautar as ações no dia a dia com atitudes amáveis, utilizando de empatia, gentileza e atenção no trato. Revela-se a necessidade de compreender o outro e se imaginar no lugar dele para tomar atitudes que favoreçam as relações e tragam a melhor solução para o mesmo.

25


Nível

Evidências •

Possui um diálogo receptivo, cuja a atenção é percebida pelo outro como sinal de gentileza.

4

É uma das suas principais características, o trato amável e empático e atitudes gentis.

Em suas atitudes diárias, frequentemente se coloca no lugar do outro de forma a favorecer as relações e trazer a melhor solução.

Seu diálogo é aberto e procura transmitir atenção no trato com os demais.

3

Consegue transmitir cordialidade nas ações do dia a dia, através de atitudes amáveis e empáticas.

Com certa frequência é capaz de se colocar no lugar do outro para tomar atitudes que favoreçam as relações e tragam a melhor solução.

Possui um diálogo distante e pouco empático, atendo-se ao necessário.

2

Algumas vezes consegue pautar suas ações com atitudes amáveis, mas ainda apresenta certa dificuldade para demonstrar gentileza e atenção.

Em poucas ocasiões se coloca no lugar do outro para tomar atitudes que favoreçam as relações e tragam a melhor solução.

1

Demonstra certo nível de distanciamento nas relações e diálogo.

Raramente pauta as ações do dia a dia com atitudes amáveis, demonstrando gentileza.

Apresenta grande dificuldade de se colocar no lugar do outro para tomar atitudes que favoreçam as relações e tragam a melhor solução.

26


Comprometimento com o paciente Demonstrar compromisso e interesse pelo paciente, apresentando sensibilidade ante às suas necessidades, através de uma escuta ativa e completa, responsabilizando-se pelas atividades e seus resultados, garantindo à ele o melhor tratamento/atendimento.

Nível

4

Evidências •

Procura entender os valores do paciente, de forma a demonstrar interesse, compromisso e sensibilidade..

Está em constante atualização e busca com outros profissionais e na literatura as melhores práticas para oferecer ao paciente.

Preocupa-se em realizar uma escuta completa do paciente e esclarecer suas duvidas.

3 2 1

Preocupa-se em transmitir segurança e garantir um bom atendimento

Demonstra compromisso e interesse pelo paciente, personalizando o atendimento.

Trabalha sua escuta para perceber as necessidades do cliente/paciente

É sensível diante às particularidades do paciente.

Realiza um atendimento cordial na maioria das vezes.

Preocupa-se com sua atividade de forma que apresenta pouco ou nenhum compromisso com o paciente.

Revela dificuldade de ser sensível diante das necessidades do paciente.

Demonstra pouco interesse pelo paciente e suas necessidades.

27


Inteligência Emocional Capacidade de compreender suas próprias emoções, demonstrando habilidade de controle quando necessário, favorecendo as relações e equilíbrio em situações de dificuldade e/ou conflitos, utilizando de empatia no convívio social.

Nível

Atribuições e Responsabilidades •

Seu nível de inteligência emocional, permite gerar equilíbrio em situações de dificuldades e/ou conflitos.

4

Consegue administrar e equilibrar emoções para realizar seu trabalho e alcançar resultados.

Reconhece os próprios sentimentos e dos outros, através do uso da empatia, facilitando as relações.

3

Consegue controlar suas emoções, mantendo a empatia no trato com o cliente.

Possui habilidade para reconhecer suas emoções, de forma a aceitá-las e trabalhá-las quando necessário, demonstrando bom nível de equilíbrio emocional.

2 1

Utiliza de certa empatia no convívio social, porém precisa desenvolver maior controle sobre suas emoções.

Demonstra tendência para compreender e aceitar as próprias emoções.

Apresenta dificuldade em aceitar e controlar as próprias emoções, interferindo no relacionamento com os outros.

Apresenta dificuldade em reconhecer as próprias emoções.

28


B) Eixo de Apoio à Gestão do Negócio

Multifuncionalidade Envolve uma mobilização de uma diversidade de conhecimentos e informações, adaptando-se a vários papéis e ajustando-os para responder adequadamente a novas estruturas organizacionais, processos, demandas ou outras em seu ambiente. É flexível em lidar com mudanças, fazendo-a de forma consistente ao investir no autodesenvolvimento.

Nível

Evidências •

Investe de forma consistente em seu autodesenvolvimento, adquirindo competência para atuar em mais de um contexto e tornar-se

4

multifuncional. •

Mobiliza os conhecimentos adquiridos para se adaptar a papéis e em se ajustar adequadamente nas estruturas organizacionais, processos e demandas, trazendo respostas mais rapidamente.

Possui flexibilidade adequada para lidar com mudanças, uma vez que se apresenta atualizado.

Busca investir com frequência em seu autodesenvolvimento para adquirir a capacidade de se adaptar a novos contextos e resolver

3

problemas. •

Apresenta boa capacidade em se adaptar a papéis e a se ajustar adequadamente a novos processos e estruturas, buscando fontes de aprendizado e usando o conhecimento adquirido.

É, em grande parte das vezes, flexível em lidar com mudanças.

29


Nível

Evidências •

2

Investe pouco em seu autodesenvolvimento e consequente informações para mudanças.

Tem dificuldade em se adaptar a papéis e a se ajustar adequadamentea novos processos e demandas.

1

Apresenta pouca flexibilidade em lidar com mudanças.

Não busca conhecimentos e informações para adaptação e mudanças.

Não consegue se adaptar a papéis e não se ajusta adequadamente nas estruturas organizacionais, processos e demandas.

Apresenta inflexibilidade em lidar com mudanças.

Capacidade Analítica Relaciona-se à capacidade de captação e organização sistemática de informações relativas a assuntos ou problemas, dentro de seu escopo de atuação, através de análise, comparação e identificação de relações de causa e efeito.

Nível

Evidências •

Realiza uma investigação a partir de diversas fontes e cenários buscando antecipar possíveis falhas e evitar problemas futuros.

4

Apresenta capacidade de análise, de forma que, vivenciando diversas situações possa identificar as melhores informações disponíveis e avaliar sistematicamente seu significado e impacto nos processos organizacionais.

Analisa, compara e identifica as relações de causa e efeito, a partir de uma organização sistemática de informações relativas à determinado assunto.

30


Evidências

Nível •

Realiza uma investigação analítica a partir de diversas fontes e cenários para chegar à causa de problemas e propor soluções.

3

Consegue agregar informações oriundas de fontes diversificadas, para realizar análise detalhada da situação ou problema.

É capaz de analisar, comprar e identificar relações de causa e efeito, com certa frequência.

Apresenta dificuldade em agregar informações oriundas de fontes diversificadas, para detectar problemas e propor soluções.

2

Apresenta dificuldade em organizar informações e dados correlacionados e consequente capacidade de análise.

Apresenta dificuldade na comparação e identificação de relações de causa e efeito.

1

• Não realiza análise dos dados. • Não consegue identificar, na maioria das vezes, a correlação existente entre informações/dados.

• Não relaciona suas atividades de forma a comparar e identificar relações de causa e efeito.

Negociação Inclui a busca pelo equilíbrio dos resultados de uma negociação, visando a benefícios para os envolvidos, buscando gerar credibilidade e criar relacionamentos necessários para a obtenção dos resultados desejados. Envolve a capacidade de argumentar de forma coerente, rever posições e entender pontos de vistas distintos.

31


Evidências

Nível •

4

É capaz de negociar com eficiência promovendo o melhor para as partes envolvidas, revendo sua posição na maioria das vezes.

Promove a credibilidade da empresa e cria rede de relacionamentos orientado para resultados desejados.

Se expressa de forma coerente atingindo o equilíbrio dos resultados da negociação.

3

Negocia de forma a buscar o melhor resultado, por vezes revendo sua posição.

Busca a credibilidade nas relações para que seus resultados sejam favoráveis.

Apresenta argumentação coerente e capacidade de rever posições e opiniões distintas.

2

Apresenta dificuldade em gerar resultados propícios para ambas as partes envolvidas na negociação, tendenciando a manter sua posição inicial.

Procura argumentar com coerência dentro do esperado e nem sempre consegue entender outros pontos de vista.

1

Não é capaz de estabelecer uma negociação beneficiando os envolvidos e buscando os melhores resultados.

Dificuldade em estabelecer relações propícias para negociação.

Não é capaz de argumentar com coerência e apresenta dificuldade em entender outros pontos de vista.

32


E ainda temos o grupo que determina as Competências Gerenciais e Liderança: São as competências necessárias para que o gestor atue como líder de sua equipe, com um papel motivador e de engajamento do time, de forma a possibilitar o desenvolvimento do mesmo.

Autodesenvolvimento Concentração de esforços na busca do próprio crescimento pessoal e/ou profissional, através do reconhecimento das suas necessidades e desenvolvimento de forma voluntária, para preencher suas lacunas, adquirir novas competências e aperfeiçoar seus conhecimentos constantemente.

Evidências

Nível

4

Busca feedback continuamente, dentro e fora da empresa

Transmite segurança intelectual

Assume a responsabilidade pela sua evolução, adota uma postura voltada à aprendizagem contínua.

Compartilha informações e novos aprendizados com sua equipe e/ou grupo

3

Solicita feedbacks com certa frequência

Evidencia hábitos de leitura, cursos, atualidades e benchmarkings

Busca novas possibilidades, aprender novos conceitos e valores, focados no desenvolvimento pessoal.

Busca adquirir novas competências e aperfeiçoar seus conhecimentos a fim de melhorar seu desempenho no trabalho.

33


Evidências

Nível

2

• Realiza pequenas mudanças a curto prazo • Necessita de feedbacks com mais frequência • Reconhece os pontos necessários para seu desenvolvimento

1

Demonstra dificuldade em receber feedbacks.

Apresenta dificuldade em desenvolver novas competências e desenvolver novos hábitos.

Revela dificuldade em perceber as próprias limitações e necessidades de melhoria.

Liderança Capacidade de influenciar e mobilizar pessoas e recursos, a partir de uma visão sistêmica que compreende o entendimento da empresa como um todo, a relação entre os processos organizacionais e a clareza sobre sua agregação de valor ao negócio, transformando ideias em ações, para atingir os resultados esperados.

Evidências

Nível •

É reconhecido pela maioria do grupo/equipe como um líder influente e aberto.

4

Sabe ouvir mais do que falar, facilitando o acesso da equipe.

Utiliza do entendimento da empresa como todo e da potencialidade de cada componente da equipe, para agregar valor ao negócio.

Utiliza pessoas e recursos de maneira precisa, conciliando a visão de negócio, e por vezes supera os resultados e as entregas solicitadas.

34


Evidências

Nível •

Consegue fazer com que os resultados de suas entregas, sejam reflexo de sua influência sobre a equipe.

3

Procura ouvir as pessoas/equipe antes de tomar decisões.

Busca resultados, integrando as pessoas e os recursos existentes.

Compreende a relação entre os processos organizacionais da empresa e demonstra clareza sobre sua agregação de valor ao negócio.

Compreende a necessidade de mobilizar as pessoas.

Exerce influência mediana sobre as pessoas, de modo que algumas vezes, enfrenta dificuldades para atingir os resultados esperados através da equipe.

2

Demonstra visão um pouco mais abrangente, mas ainda segmentada dos processos da empresa gerando alguma dificuldade em correlacionar sua agregação de valor ao negócio.

Consegue de forma satisfatória transformar ideias em ações, no que diz respeito aos processos do próprio setor.

1

Apresenta dificuldade de influenciar e mobilizar pessoas/equipe para atingir resultados.

Não demonstra abertura para ouvir.

Apresenta perfil centralizador e impositivo.

Demonstra visão limitada dos processos da empresa.

35


Planejamento Capacidade de planejamento de atividades, definição de prioridades, gerenciamento do tempo e a responsabilidade por organizar o trabalho e o ambiente. Pronta disponibilização de informações dentro de seu escopo de atuação, otimizando recursos e obtendo respostas mais eficientes. Objetiva garantir qualidade, facilidade de acesso, velocidade, disciplina na execução das ações e obtenção dos resultados.

Evidências

Nível •

Consegue estabelecer prioridades através de critérios claros e de acordo com o impacto na atividade e/ou no negócio.

4

Consegue planejar atividades e gerenciar tempo, agregando valor aos resultados com entregas bem realizadas dentro dos prazos estabelecidos.

Realiza uma análise de fatores internos e externos para tomar decisões precisas que agreguem valor.

3

Possui organização e mapeamento de informação dentro de seu escopo de atuação, para utilização sempre que necessário.

Toma decisões baseadas em planejamento.

Consegue estabelecer um plano de tarefas a longo prazo, definindo prioridades, recursos e tempo.

2

Apresenta certa dificuldade de encontrar fontes corretas de informação.

Executa atividades diárias e delega a partir de um estabelecimento de prioridades.

Consegue estabelecer um plano de atividades a curto prazo.

36


Evidências

Nível

1

Na maioria das vezes, apresenta dificuldade para tomar decisões, tornando mais lento (fora do prazo) o atingimento das metas esperadas.

Revela dificuldade para planejar e definir prioridades, comprometendo algumas vezes os resultados esperados.

Tomada de decisão Capacidade de realizar uma escolha, analisando informações disponíveis (a partir de contextos, processos e pessoas) optando pela opção mais adequada e favorável à instituição naquele momento, evitando possíveis danos, prejuízo e indisposições assumindo responsabilidade pelas escolhas feitas e suas consequencias.

Evidências

Nível

4

Suas decisões são mais assertivas e gerenciáveis.

Consegue criar um cenário pelo menos próximo da realidade onde as possibilidades de decisão possam ser examinadas sob vários ângulos, adequando seu grau de importância e urgência.

Compreende a tomada de decisão como uma decisão intransferível, assumindo responsabilidade pelas escolhas feitas e suas consequencias sem culpar os outros.

Assume os riscos da tomada de decisão e preocupa-se em monitorar as consequencias.

3

Envolve-se com a equipe e planeja ações para sustentar as decisões tomadas.

Realiza uma análise mais detalhada da situação facilitando a tomada de decisão de acordo com seu grau de urgência e importância.

37


Evidências

Nível

2

Pensa e pondera antes de agir.

Tem dificuldade em realizar escolhas, adotando atitude mais lenta para solucionar um problema.

Apresenta dificuldade para analisar fatos antes de tomar uma decisão, fazendo isso de maneira parcial e algumas vezes precipitada.

1

Não se responsabiliza pelas escolhas feitas.

Por muitas vezes, é indeciso e paralisa diante de situações onde necessita posicionar-se.

Toma decisões precipitadamente, sem que seja realizada uma análise de variáveis que a envolva.

38


COMO POSSO ME DESENVOLVER CONTINUAMENTE?

39


Preparamos algumas dicas de autodesenvolvimento. Esperamos que elas possam ser úteis para seu crescimento.

Leitura Leia muito! Leia livros, jornais, revistas. Fique atento aos temas atuais

Colecione citações, os conhecimentos pensamentos, experiências e sentimentos de grandes autores e empreendedores estimulam nossa mente. Seguem algumas sugestões de livros:

Obra

Autor

Qual é a tua obra? – Inquietações Positivas

Mario Sergio Cortella

Liderando a Mudança

John P. Kotter

Nosso Iceberg está derretendo

John P. Kotter

Inteligência Emocional

Daniel Goleman

Você é do tamanho dos seus sonhos: Estratégia para realizar projetos pessoais, empresariais e comunitários.

César de Souza

O cérebro do futuro – A revolução do lado direito do cérebro

Daniel H. Pink

O Modelo Toyota

Jeffrey K. Liker

40


Gestão da Inovação

Joe Tidd, John Bressant, e Keith Pavit

O Poder do Hábito

Charles Duhigg

Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes

Stephen R. Covey

A arte da Guerra

Sun Tzu

Técnicas de Negociação

Elisabeth Christopher

Equipes de Alta Performance

Jon R. Katzenbach e Douglas K. Smith

A coragem de ser imperfeito

Brené Brown

O monge e o executivo

James C. Hunter

Pipeline da Liderança

Ram Charam

Seguem algumas sugestões de revistas: Exame: Foca a objetividade e agilidade do mundo dos negócios. É uma revista dinâmica que trata da informação que gera resultado para o leitor. Harvard Business Review: Revista de administração e negócios, que aborda assuntos sobre avanços do pensamento administrativo, além de melhores práticas, estudos de caso e perfis de liderança, traduzidos em artigos de consagrados autores. VEJA: É considerada uma das mais lidas revistas brasileiras. Atualidades. VOCÊ/SA: Ferramenta básica para o desenvolvimento da carreira, visando os interesses pessoais e os aspectos individuais do executivo.

41


Revista Galileu: É uma publicação que aborda assuntos ligados à ciência, história, tecnologia, religião e saúde, entre outros. Revista Fornecedores Hospitalares: A revista de gestão, serviços e tecnologias para o setor da saúde. A publicação aborda tendências em gestão e tecnologia, economia e negócios das empresas do setor, informa as últimas novidades em produtos e serviços, acompanha o vaivém dos executivos do mercado e os investimentos dos hospitais em infraestrutura e equipamentos. Revista Vida Simples: Para quem quer viver mais e melhor é o lema da revista, que trata da simplicidade.

Pratique um hobby. Isso lhe permitirá fazer algo que realmente goste; Busque conhecer mais sobre o negócio da empresa, para entender suas oportunidades e com o que melhor se identifica; Escute música, vá a exposições de arte, teatro, cinema. As artes nos ajudam a ampliar nossa visão de mundo; Dedique-se a servir. Doe seu tempo e pratique voluntariado na sua comunidade e na Oncomed, aproveite as oportunidades que empresa possibilita; Procure conhecer o trabalho da Trupe da Alegria e como você pode contribuir. É uma excelente oportunidade de se aperfeiçoar;

42


internet Navegue... A internet é um mar de possibilidades

Veja alguns sites interessantes que falam de carreira, atualidades, artigos e te ajudam a conhecer o mercado e ampliar seu networking: http://portalexame.abril.com.br/carreira www.hbsp.harvard.edu https://blog.99jobs.com http://www.ted.com http://tiecoaching.com.br/ https://br.linkedin.com/

CINEMA Aproveite e traduza os ensinamentos do cinema para o seu dia a dia

Um sonho Possível - O filme conta a história de Michael Oher (Quinton Aaron), um jovem negro vindo de um lar destruído, que é ajudado por uma família branca, liderada por Leigh Anne (Sandra Bullock) que acredita em seu potencial. Com a ajuda do treinador de futebol, de sua escola e de sua nova família, Oher terá de superar diversos desafios a sua frente, o que também mudará a vida de todos à sua volta.

43


Amor sem Escalas- o filme conta a história de Ryan Bingham, executivo de uma empresa especialista em demissões, ou seja, ele tem por função desligar colaboradores. O personagem se depara com um grande desafio, mudar seu estilo de vida em função da repentina mudança de sua carreira e tomar decisões difíceis. Eis uma boa oportunidade para refletir sobre suas escolhas pessoais e profissionais. Milk – A voz da igualdade- O filme traz a história real de Harvey Milk, militante gay dos EUA, cuja trajetória tornou-se notória para o movimento homossexual nos anos 70, quebrando barreiras e colaborando para a disseminação da igualdade e direito para todos. Precisa de mais motivos para que “Milk” seja um filme inspirador? Incontrolável - Por desatenção, um funcionário se descuida de uma locomotiva carregada de carga tóxica e que a qualquer momento poderá causar um grande acidente. Para evitar a tragédia, o condutor (Chris Pine) e um maquinista experiente (Denzel Washington) têm de elaborar um plano para tentar parar a locomotiva desenfreada. No filme, é possível refletir sobre a importância do trabalho, indiferentemente de qualquer que seja a função, sobre a valorização do profissional que faz o seu trabalho seriamente, a importância do líder conhecer bem o seu trabalho para poder gerenciar, deixar os problemas pessoais em casa e a humildade que é fundamental para qualquer profissional. O discurso do Rei - Após a morte de seu pai, o rei George V, e a abdicação escandalosa do Rei Eduardo VIII, Bertie, que sofre de um problema de fala debilitante toda a sua vida, de repente é coroado rei George VI da Inglaterra. Para se desenvolver na carreira é preciso ser um profissional treinável. Não adianta contratar um coach, se não pretende seguir suas orientações. O filme mostra a humildade do rei diante da dificuldade de falar em público em buscar ajuda e, por meio de um método conduzido por seu coach, desenvolver-se. O Diabo Veste Prada - Uma jornalista iniciante está à procura de emprego e é contratada pela revista de moda mais famosa para ser assistente da editora mais poderosa - e implacável - do mundo. É possível observar na transforma-

44


ção da protagonista, Andy (Anne Hathaway). Alguém que não entendia e não valorizava nada no mercado de moda se transforma e se adequa as exigências do segmento que escolheu trabalhar e dá conta do recado. Com isso se tornou a principal profissional da empresa, admirada inclusive por sua temível chefe. Gladiador - Maximus é comandante do exército romano e em meio a uma disputa pelo trono de Marcus Aurelius, Commodus - seu filho - mata seu pai e assume a coroa ordenando a morte de Maximus. Quando temos nossos objetivos bem definidos e iniciamos o plano de ação para atingi-lo fazemos isso com convicção: ser o ganhador, sem considerar qualquer outra opção. Coração Valente - Após perder sua esposa (morta por soldados ingleses), o escocês William Wallace (Mel Gibson) lidera uma revolta em busca de uma vingança pessoal e da liberdade da Escócia. Sobre o aspecto do líder, o filme mostra que quem lidera se identifica muito como os seus liderados. É um tipo de liderança com maior proximidade. Vale a pena observar a competência que eles mostram a gestão do “chefe” ligada ao crescimento e resultados do grupo. A procura da Felicidade - No início dos anos 80, um desempregado recém-separado fica com a custódia do filho e, sem perspectiva, decide arriscar-se trabalhando no mercado de valores. Esse longa traz lições de determinação, firmeza de propósito e o conceito de resiliência, ou seja, a capacidade de superar desafios, de vencer as adversidades. Fatores fundamentais para a carreira. Jerry Maguire – Jerry Maguire é um dos melhores agentes esportivos que trabalha em uma grande agência com várias estrelas do esporte como seus clientes. Porém, com o passar do tempo, verifica que um trabalho que visa o desenvolvimento de pessoas utilizando os relacionamentos passa a ser algo impessoal, sem escrúpulos, sem a preocupação com as pessoas, mas apenas com dinheiro, patrocínios, contratos, números. Lições: Ter uma declaração de metas; Amar tudo o que faz e; Os relacionamentos são importantes. Sea Biscuit – Alma de Herói- O filme estabelece um paralelo entre a devastadora crise econômica de 1929 nos EEUA e a carreira de Seabiscuit, um cavalo

45


maltratado e aparentemente sem futuro, como as pessoas da época, que se tornou um grande campeão. A história do cavalo empolgou o povo sofrido da época: era uma demonstração de que a superação, por mais difícil que pareça, é possível. Compramos um Zoológico - O filme narra a trama de um pai sozinho que, com vontade de recomeçar a vida, se muda com os filhos para um zoológico. “O personagem investe em um negócio que ele não sabe o que é, foi levado por um fascínio momentâneo. Isto é extremamente perigoso”, afirma Oliveira. “Às vezes, a pessoa pensa que tem aptidão, mas, na verdade, não está qualificado”. Em outros termos: antes de qualquer movimento de carreira, saiba, de fato, em que situação você está colocando o pé e se tem condições para encará-la. A grande Virada - Bobby Walker aparentemente não tem do que reclamar de sua vida: tem uma ótima família, um bom emprego e um Porsche na garagem. O que ele não esperava era que, devido a uma política de redução de pessoal da sua empresa, a GTX (Global Transportation Systems), ele fosse demitido. Lição: o desemprego pode acontecer com qualquer um e a qualquer hora; o filme estimula a reflexão sobre as mudanças do mercado, a questão trabalho x valores pessoais, a importância e os benefícios de planejar sua carreira, bem como sobre os pontos fortes e fracos e como trabalhar a autoestima. Mudança de Hábito - Deloris Van Cartier é uma cantora que acidentalmente testemunha um assassinato cometido pelo seu namorado, o gângster Vince LaRocca. Deloris é colocada no programa de proteção às testemunhas e é mandada para um convento em São Francisco disfarçada de freira, usando o nome de irmã Mary Clarence. Lição: no filme, é possível discutir questões como exercer a influência em rede, com pares e superiores, para conquistar resultados em equipe. Além disso, o filme trabalha a adaptação a mudanças e novos cenários. Um Amor para Recordar - É impossível assisti-lo e não tirar uma lição para a vida, ele mostra a importância do abstrato, de tudo que não se pode ver, mas

46


que é necessário para se viver melhor. Click - Michael Newman, um jovem pai de família em busca do sucesso profissional. Suas intenções são as melhores possíveis: garantir um futuro feliz e seguro para si e para sua família. Acontece que nessa empreitada ele adquire uma deturpada escala de valores, onde o trabalho é colocado em primeiro lugar e todas as outras coisas ficam em segundo plano. Lição: quão breve é a vida e sobre o que realmente deve ser prioridade pra você. Happy Feet - No clã dos pinguins imperadores, só é valorizado quem souber cantar. O jovem Mano, contudo, não tem este talento. O que ele sabe fazer mesmo é sapatear. Mano mostra para toda sua nação, que ele mesmo diferente possui seu valor, e que é possível ser diferente e viver em harmonia. O Cisne Negro - O filme narra as desventuras da bailarina Nina Sayers em sua obcecada trajetória até o papel principal na montagem de Lago dos Cisnes, na companhia onde é dançarina. Perfeccionista, ela deve enfrentar a sua maior inimiga: ela mesma e o seu lado obscuro dentro de si. Cisne negro é uma lição de vida, pois trata da dedicação obcecada e os extremos infelizes que tal conduta pode levar. Patch Adams - O filme fala sobre um homem chamado Patch que estudava medicina e pensava que rir ajudaria a curar, a fazer melhorar, e estudando conheceu a mulher da sua vida. Certo dia começou a animar as crianças, os adultos, a os fazer rirem, ele ia alegrando os doentes cada vez mais. O filme “Patch Adams” é uma lição de vida, sobre a importância de nos darmos aos outros, para nos revermos neles e para melhor nos conhecermos e realizarmos.

47


Agora que você já se conhece um pouco melhor e conhece uma parte das expectativas da empresa, está preparado para conversar com seu gestor e RH, para que juntos analisem como podem auxiliar na sua jornada. Fale de suas ambições, seu plano de carreira e peça feedbacks constantes com relação ao que você deve desenvolver para atingir seus objetivos. Receber feedback é uma excelente alternativa para conhecer melhor seus pontos fortes e os pontos a desenvolver. Ao receber um feedback, esteja atento a: • • • • •

Ouvir atentamente e de forma receptiva; Perguntar quando não entender; Distinguir fato de opinião; Verificar o que pode ser aprendido e como será aplicado; Estabelecer um plano de ação, considerando os focos de desenvolvimento.

Além disso, consulte o RH sempre que houver necessidade!! Agora é com você! Cuide Bem do seu desenvolvimento!

RECURSOS HUMANOS Ramais: • 380 Gerência • 362 Recrutamento e Desenvolvimento de pessoas

48


49


50

Cuide da sua carreira  

House organ produzido para Oncomed Belo Horizonte Agência Voz com Design

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you