Issuu on Google+

BOLETIM MISSIONAL INHAMINGA, ABRIL-MAIO DE 2013

Olá, amigos! Os dias estão voando! Nem vi o mês de abril passar direito, então escreverei sobre abril e maio nesse boletim. Antes de começar, quero pedir desculpas pelo atraso! Evangelismo em Chisadze Em abril fomos evangelizar num bairro chamado Chisadze. Nosso grupo foi dividido em duas equipes. Fomos de casa em casa, como sempre, nos apresentando, compartilhando das boas novas e orando pelas pessoas. As pessoas são muito abertas ao evangelho aqui na região central, diferente do norte do país onde o islamismo é mais forte. Penso que isso é bom e ruim ao mesmo tempo, bom porque temos a liberdade e oportunidade de poder pregar o evangelho muitas vezes a famílias inteiras, mas também encontramos uma dificuldade: as pessoas que não rejeitam dizem que aceitam, pois sabem que Deus as criou. Mas, sabemos que o aceitar não é o suficiente, por isso precisamos ser bem cuidadosos na hora de pregar o Evangelho. A salvação é obra do Espírito Santo, mas as pessoas precisam ouvir a mensagem como ela é e, o evangelho verdadeiro sempre confrontará a maneira pecaminosa de viver do homem. Espíritos de manipulação De todas as casas que entramos, uma tinha o ambiente espiritual mais pesado. Lá havia um rapazinho que era cego de um olho, seu irmão mais velho, a mãe e a tia que já era crente. Os alunos começaram a falar do amor de Deus com eles.


Comecei a perceber que havia ali um tipo de opressão, um espírito de manipulação na vida daqueles meninos. Tive a impressão de que nossas palavras não estavam surtindo efeito algum sobre eles. Então depois de conversar mais um pouco, perguntamos se poderíamos orar por eles e abençoá-los. Ao fim da oração, fizemos um convite aos rapazes para irem à reunião da igreja do bairro de “3 de Fevereiro”, que fica ali perto. Nesse momento, a mãe que até aquele momento não havia falado uma palavra, começou a reclamar no dialeto e saiu praticamente correndo do quintal da casa. A tia que estava ali disse que a mãe não gostou quando fiz o convite aos seus filhos e disse que os eles não iriam à igreja. Certamente aquela opressão estava ali por intermédio da mãe, oramos mais uma vez, repreendemos qualquer tipo de ataque sobre a vida daqueles meninos e declaramos a paz do Senhor naquela casa. Despedimos-nos com a impressão de que a luz do Senhor tinha chegado ali e que aquele tinha sido o dia que o Senhor havia preparado para que a salvação chegasse àquelas vidas. Aqui na África existem muitos casos como este, onde os pais consagram seus filhos aos espíritos e os colocam debaixo de um jugo que nem eles mesmos puderam escolher um dia.

Inhaminga Wa Yesu

Massandza

No começo do mês de maio fui convidado para pregar na igreja Inhaminga Wa Yesu (Inhaminga para Jesus). Falei sobre “O Evangelho e o Reino de Deus”. As pessoas vivem atrás das bênçãos do reino de Deus, contudo nunca terão autoridade sobre os demônios, poder para curar sem antes passar pela cruz, sem experimentar um profundo arrependimento pelos pecados e crer no evangelho. O homem nunca experimentará os efeitos da vitória que o Senhor Jesus conquistou na cruz.

Conheci a igreja em Masanza que fica num povoado não muito distante daqui. O cenário é o mesmo de quase todas as igrejas no mato: há muita carência de palavra e pastoreio. Essa igreja foi iniciada, basicamente, por jovens da própria comunidade. Conversei com o responsável sobre o meu interesse em servir aqueles irmãos com ensino da Palavra todas as sextas na parte da tarde. Do dia 21 a 23 de junho haverá uma conferência sobre o Evangelho, vamos ensinar sobre “Deus, o Homem, Jesus e por fim Arrependimento e fé” que atenderá também jovens de outras zonas próximas. Peço que orem para que o Espírito Santo possa nos usar como canais nesses dias.


Acampamento da Turma de 2013 Além dos evangelismos mensais aqui na vila de Inhaminga, todo ano acontece o Acampamento Evangelístico com duração de cinco dias. A turma foi dividida em cinco grupos, em cada equipe havia professores e membros da missão. Fomos enviados para uma zona chamada Ndoro. Fiquei muito feliz ao ser direcionado para lá, pois foi a primeira zona afastada que acampei. A experiência foi muito boa e desejava muito voltar! Quem leu o primeiro boletim sabe um pouco da realidade dessa zona e da igreja por lá. Os alunos estavam muito empolgados, pois para a maioria deles essa seria a primeira experiência no campo missionário. Muita coisa legal aconteceu nessa semana, mas vou tentar resumir um pouco do que vivemos por lá. No mesmo dia em que chegamos, arrumamos nosso acampamento e fomos visitar algumas casas por perto. No segundo dia, Jemusse - um irmão moçambicano ensinou sobre adoração e em seguida tivemos um bom momento de louvor. No término da reunião alguns doentes vieram pedir oração. Começamos a orar por uma senhora que reclamava de “sonhos maus” e logo no início um demônio tentou se manifestar, mas o expulsamos e oramos pedindo a proteção do Senhor sobre ela. No dia seguinte fomos visitá-la para pregar o evangelho. Falamos da importância do arrependimento e de voltar o coração inteiramente para o Senhor. A noite ela voltou ao nosso acampamento dizendo que precisava confessar uma mágoa que tinha de algumas pessoas daquela vila, especialmente dos crentes. Oramos com ela ajudando-a a liberar perdão e pregamos mais sobre o perdão de Deus. Essa atitude dela mostrou que Deus estava realmente fazendo uma obra em seu interior. Isso me deixou muito empolgado! Livres da opressão Parte do grupo chegou a uma casa que estava de baixo muita opressão demoníaca. O cenário era o seguinte: a mãe estava com muito medo, pois o sogro, que era curandeiro, havia falecido e o desejo dele era de que ela fosse sua sucessora. Ela não queria, mas o marido também por medo estava pressionando-a. Inclusive, eles tinham discutido na noite anterior. Quando chegamos, como em toda a casa, compartilhamos das boas novas. Eles se agarraram a oportunidade que foi dada de vir a Cristo e serem livres dos espíritos malignos. Todos os objetos usados pelo curandeiro falecido foram queimados! Fui visitá-los no dia seguinte e senti que a Paz do Senhor estava reinando estava naquele lar. Todos estavam alegres! Não nos deixaram ir embora sem antes matar uma galinha para comermos com, a típica, “chima” (um tipo de polenta de milho branco). Comemos com eles, os abençoamos e nos despedimos com muita alegria e gratidão ao Senhor


Reunião com os líderes No tempo em que os alunos estavam visitando outras casas tive um encontro com os líderes da igreja. Conversei com eles sobre a importância de serem obreiros fiéis e padrão para a comunidade e que o evangelismo era como uma ceifa, mas a igreja era o “local” onde se guarda o que é colhido. Os encorajei a terem reunião de oração e a visitar regularmente aqueles que estavam se entregando ao Senhor. Foi um bom encontro! Apesar de estar muito envolvido com o evangelismo, meu peso maior continua sendo vida a igreja, pois senão tivermos igrejas saudáveis corremos o risco de “perder” o terreno que avançamos com esses evangelismos massivos. Quero cooperar com a formação de líderes moçambicanos, pois há uma carência grande de homens que sejam testemunhos para as zonas e vilas onde reinam a promiscuidade, bebida e ocultismo. Para isso, é preciso homens que sejam fortes no Senhor para romper com aquilo que está contaminado por Satanás na cultura africana. Nosso chamado Acredito que todo cristão tem um chamado principal que acontece antes de todos outros que é AMAR A DEUS. É simples, mas sem isso todo “ministério” perde o real valor. Quando O amarmos de todo o coração, de toda a nossa alma e de todo o nosso entendimento, faremos tudo com excelência e paixão por sua glória, pois antes de tudo fomos criados para “glorificar a Deus e gozá-lo para sempre” Catecismo de Westminster . Além disso, “o alvo da obra missionária é a alegria dos povos na grandeza de Deus” John Piper. Corremos o risco de buscar ter uma paixão pelas almas quando na verdade o motor propulsor de toda missão eficaz sempre foi a paixão pela glória de Deus! Oro para que o amor de Deus que foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo possa bordar atingindo aqueles que estão à nossa volta.

trans-

No amor de Cristo, Felipe Moraes "Tu és digno de tomar livro e de abrir os seus selos, pois foste morto, e com teu sangue compraste para

Deus homens de toda tribo, língua, povo e nação. “

CONTRIBUIÇÕES Banco do Brasil Agencia:6572-2 Conta Poupança:6755-5 (variação 51) CONTATO felipexmoraes@yahoo.com.br

Apocalipse 5:9


Boletim missional abril-maio